Melhores investimentos dos últimos anos

A frase: “Se tudo que você faz na vida é trabalhar muito duro, você nunca ficará rico” é mais uma entre muitas que são impactantes e que costumam aparecer em palestras, entrevistas e livros de autores estrangeiros que tratam de finanças.

Estava lendo a entrevista de um desses autores e resolvi escrever essa rápida reflexão sobre o tema dentro do nosso contexto brasileiro.

A ideia de que devemos trabalhar e poupar uma parte daquilo que ganhamos é universal por ser uma regra básica do capitalismo. O que faz você rico não é quanto ganha, muito menos quanto você gasta. O que faz você rico (financeiramente) é quanto você poupa e, principalmente, como irá investir aquilo que economizou.

Mesmo aquele que ganha muito e poupa muito, se não fizer bons investimentos não conseguirá salvar o que poupou dos efeitos danosos da inflação e não conseguirá aproveitar o efeito multiplicador dos juros compostos. Veja a regra do 72 para dobrar seu patrimônio.

A grande diferença está em como você investe:

Nos EUA, o autor que dava a entrevista alertava os leitores que: “Você nunca vai conseguir sucesso financeiro se você colocar seu dinheiro em uma conta bancária, ou um CD (é como o nosso CDB), ou um T-bill (é como o título público Tesouro Prefixado), ou um muni bond (são títulos públicos emitidos por estados e municípios)… muitas vezes oferecem taxas de juros abaixo de 1% ao ano”.

O que um americano recebe em 1 ano de investimentos em títulos públicos (T-Bill ou Treasury Bills que é equivalente a um Tesouro Prefixado) o brasileiro ganha em 2 meses com o dinheiro na poupança. Nos EUA também existe um tipo de Tesouro Direto onde as pessoas podem comprar títulos públicos do governo. O nome do serviço é Tresury Direct. Veja os títulos que eles oferecem.

Investindo US$ 99.14 você receberia apenas US$ 100 no final de 52 semanas (1 ano) e isso equivale a uma rentabilidade de 0,85% por ano. No Brasil os títulos públicos oferecem isso por mês (veja aqui). Por curiosidade, você pode ver a rentabilidade dos títulos prefixados do governo americano visite aqui.  Vale lembrar que atualmente a inflação nos EUA é de 2.70% ao ano e a taxa básica de juros é 1% ao ano (fonte). No Brasil a inflação está em 4.57% e a taxa básica de juros é 12,25% ao ano

Para concluir, autor da reportagem diz “…você deve olhar para o mercado de ações. É fácil fazer 6, 7, 8, 9% ou ano. Isso é tudo o que é preciso para aproveitar os benefícios do crescimento composto ao longo de muitas décadas”. Provavelmente essas taxas são nominais, ou seja, o autor não descontou a inflação crescente dos EUA. Se você descontar a inflação de 2,7% ao ano usando essa calculadora verá que ele está falando em uma rentabilidade real de 3,21%, 4,19%. 5,16% ou 6,13% ao ano na bolsa de valores, assumindo os riscos inerentes ao de um investimento de renda variável.

No Brasil, no momento em que escrevo este artigo, temos investimentos sem risco como os títulos públicos pagando uma taxa composta pela inflação + 5% de juros ao ano (lista de títulos).

Nos últimos 10 anos os títulos públicos renderam 417% em 10 anos. O dólar subiu 53% e bolsa 35% (média através do índice Bovespa). Nossa inflação registrou 83,13%. Veja como ficou o resultado real, já com a inflação descontada (fonte).

O problema dessa comparação é que não aparece quanto você receberia de dividendos (parte dos lucros da empresa distribuído aos acionistas) se tivesse investido em ações de boas empresas durante esses 10 anos. Esse valor de 35% é uma média que inclui empresas que enfrentaram sérios problemas na última década (como a Petrobras). A crise que estamos vivendo já dura muitos anos, mas durante este tempo as empresas continuaram registrando lucros e distribuindo dividendos (dividend yield) e juros sobre capital próprio (JCP) para quem possui suas ações. Várias empresas brasileiras, no ano que passou, pagaram mais de 10% de dividendos (fonte).

Importante: antes de sair comprando ações de empresas que pagaram bons dividendos no ano passado, lembre-se que o resultado do ano passado não garante o resultado deste ou dos próximos anos. Os resultados das empresas são variáveis e a política de distribuição de dividendos e JCP também pode mudar de um ano para o outro. É importante aprender a avaliar as empresas antes de investir. Se você nunca ouviu falar sobre dividendos, segue uma aula para iniciantes.

Muitas vezes o pequeno investidor brasileiro reclama do rendimento dos investimentos, mas a realidade lá fora é bem mais desafiadora. Para conseguir as taxas que temos aqui no Brasil os estrangeiros precisam fazer investimentos de risco na bolsa de valores ou precisam empreender. A remuneração que eles recebem enfrentando riscos,  nós recebemos sem riscos. A lista de grandes empresas americanas que pagaram os maiores dividendos em 2016 é composta por AT&T (4,6%), Chevron (3,7%), Rio Tinto (3,9%), Caterpillar (3,3%) e Qualcomm (3,3%) (fonte).

Aprender a investir em ações é importante para qualquer investidor do mundo. Para investidores que moram em países onde a taxa básica de juros é muito baixa e a inflação elevada, aprender a fazer investimentos de risco é uma questão de sobrevivência. Imagine a situação de quem vive nesses países e precisa fazer suas economias renderem nos próximos 10, 20 ou 30 anos para garantir uma vida melhor durante a aposentadoria.

Aqui a realidade é diferente. No Brasil, a maioria da população ainda está mais preocupada em reclamar dos elevados juros para conseguirem acumular mais dívidas através do crédito consignado, cheque especial e cartão de crédito. São poucos os que sabem aproveitar o momento para potencializar seus investimentos através dos juros e dividendos elevados que temos acesso através da renda fixa e da renda variável.

Mesmo assim, não podemos negar que olhando a rentabilidade nominal da renta fixa desde o início do Plano Real, existe uma tendência de queda. O gráfico abaixo mostra a tendência da taxa DI (CDI) que é a base da remuneração de investimentos como o CDB, LCI, LCA e usada como referência nos fundos DI e fundos de Renda Fixa. O ano de 1995 foi marcado pelo início do Plano Real e o ano de 2013 foi aquele onde a taxa básica de juros do Brasil (Taxa Selic) atingiu o seu menor valor histórico de 7,25% ao ano (fonte).

Veja o que ocorreu com a rentabilidade da poupança:

Aqui podemos ver o desempenho da bolsa entre 1995 e 2013  pelo índice Bovespa que mede a variação dos preços das ações mais negociadas na bolsa. Vale lembrar que isso inclui ações de boas empresas e ações de péssimas empresas. Observe que fica claro no gráfico abaixo a característica principal do investimento de renda variável. Ocorrem fortes variações. Em anos de crise a bolsa caiu próximo de -40% e nos de recuperação da economia ela disparou acima de 80%.

Não temos como saber como serão os juros e a inflação futura no Brasil, mas podemos observar as tendências de queda. Nada impede que essas tendências sejam revertidas e que crises sucessivas façam o Brasil voltar a ter taxas de juros muito elevadas para combater inflações igualmente elevadas. Olhando a nossa história política e econômica nos últimos 30 anos, a única certeza que temos é que tudo pode ocorrer.

O que realmente podemos fazer é nos preparar para qualquer situação. Para o investidor preparado, pouco importa se a inflação está elevada ou baixa, se os juros estão subindo ou diminuindo e se a bolsa está em alta ou baixa. O investidor preparado tem aquilo que o estrangeiro chama de dinheiro inteligente ou “Smart money”. Ele sabe tomar decisões inteligentes seja no mundo dos investimentos ou no dos empreendimentos independente do cenário externo. O melhor investimento para os próximos anos é aquele que tornará você um investidor mais inteligente.

By |07/04/2017|Categories: Ações|133 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

133 Comments

  1. Ivan Linhares 7 de abril de 2017 at 15:59 - Reply

    Tudo bem, Leandro? Excelente artigo! Acompanho o site desde o ano passado, e gostaria por hora de corrigir o link ‘Veja ‘os títulos que eles oferecem’. É q o link vai para ‘http://www.tradingeconomics.com’, de onde não há nada relacionado ao Treasury Direct (que estaria errado no artigo, está escrito Tresury). Acredito que o site é o https://www.treasurydirect.gov. Um abraço!

  2. Joanatan-Ibirité-MG 7 de abril de 2017 at 16:02 - Reply

    O Senhor fala bonito demais.
    Da gosto ser seu aluno,
    O melhor professor que eu já tive na vida.
    Tens o dom de nos motivar.
    Obrigado Mestre.

  3. Joanatan-Ibirité-MG 7 de abril de 2017 at 16:04 - Reply

    Estou impressionado com a rentabilidade do título público nos últimos 10 anos.
    Realmente temos uma mina de dinheiro ao nosso dispor.
    e muitos desconhecem essa maravilha.

    • Leandro Ávila 7 de abril de 2017 at 16:30 - Reply

      Oi Joanatan. Só não significa que essa rentabilidade passada irá se repetir no futuro com alguma garantia. Alguns títulos permitem fixar a taxa como o Tesouro Prefixado, outros permitem fixar parte da rentabilidade como o Tesouro IPCA e outros seguem as flutuações da taxa Selic. Por isso é interessante conhecer todos os títulos. Somente no futuro saberemos qual foi a melhor opção.

  4. Pedro Dias 7 de abril de 2017 at 16:20 - Reply

    Mais um excelente artigo, Leandro! Muito obrigado.

    Conheci seu site a pouco tempo, porém o que já consumi de informação daqui e estou aplicando no meu dia a dia com certeza não teria assim tão facilmente anos atrás, quando a internet ainda engatinhava.

    Concordo plenamente com o final do artigo e fico chateado ao ver as pessoas perdendo tanto tempo simplesmente rolando a tela do celular para saber sobre a vida do colega/amigo/desconhecido através das redes sociais! Chega a ser lamentável como as pessoas desperdiçam o tempo e não aproveitam todo o poder que a internet oferece hoje.

    Um abraço!

    • Leandro Ávila 7 de abril de 2017 at 16:39 - Reply

      Oi Pedro. São as distrações. Estamos viciados nas distrações. Ao mesmo tempo que temos uma oportunidade histórica única, pois nunca na história da humanidade uma geração teve acesso a tanta informação, também temos o vício das distrações. Nunca existiram tantas formas de jogar tempo fora. As pessoas ficam anestesiadas rolando telas de celular. Ficam viciadas em obter reconhecimento (links, curtidas, corações) nas redes sociais pelas coisas que estão usufruindo (comida, lazer, compras, viagens, etc) e não pelas coisas que estão construindo. Quantas vezes alguém compartilha com você uma coisa nova que aprendeu e que pode ser importante na sua vida? São raras as pessoas que compartilham conosco bons exemplos, boas notícias, boas fontes de informação ou boas ideias. Nunca tivemos tantos meios de compartilhamento e veja o que as pessoas andam compartilhando através desses meios. Parabéns por fazer diferente.

      • Rosana 8 de abril de 2017 at 11:37 - Reply

        Leandro,

        Excelente post e comentário.
        O hábito da ignorância seletiva abordado recentemente no Transcendência Financeira torna-se cada vez mais urgente e importante em nossas vidas.

        Abraços

  5. Ivan 7 de abril de 2017 at 17:09 - Reply

    Excelente como sempre Leandro. Teria uma questão para colocar no sentido de que o índice bovespa durante os últimos anos não reflete o real desempenho da renda variável. Isto porque até recentemente poucas ações compunham este índice, o que está em processo de revisão. Na verdade a aplicação em boas empresas durante os últimos 10 anos proporcionou ao aplicado um rendimento muitíssimo superior.Um grande abraço.

  6. Pedro 7 de abril de 2017 at 17:53 - Reply

    Muito obrigado Leandro, novamente muito explicativo e principalmente, educativo em todos os níveis de conhecimento. Eu sempre aprendo, por mais que eu estude, eu sempre aprendo coisas nos seus textos. Muito obrigado!

  7. Wilson 7 de abril de 2017 at 18:12 - Reply

    Olá Leandro, mais uma vez PARABÉNS. Mto massa o artigo.
    Queria aproveitar para saber; Essa rentabilidade dos títulos seria referente a qual título ?
    O Selic ?
    Valeu

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:05 - Reply

      Oi Wilson. O Tesouro Selic rendeu um pouco acima da Renda Fixa (que é o CDI). Certamente a fonte que citei utilizou o Tesouro IPCA que paga inflação + uma taxa fixa.

  8. Jeovan santos 7 de abril de 2017 at 18:17 - Reply

    Boa noite,!
    Leandro, parabéns pelo artigo , muito bom esse conteúdo que só faz engradece nós leitores.
    Muito obrigado!

  9. José Benazzi. 7 de abril de 2017 at 18:27 - Reply

    Parabéns Leandro, tu és dos poucos que faz um trabalho de educação financeira de qualidade.

  10. Flávio Gueiros 7 de abril de 2017 at 18:31 - Reply

    Caro Leandro,
    boa noite!

    Como vai? Espero que bem. Primeiramente, desculpe-me tirar um pouco o foco deste tema que estamos tratando para conversarmos a respeito de um questionamento que fiz a você em outro tema, sendo o “As previsões dos economistas para os juros e a inflação”.

    Nele, eu havia feito o seguinte questionamento:

    Peço, por favor, esclarecer uma dúvida. Entendi a oportunidade que há em diversificar os investimentos mas o meu foco é a aposentadoria. Atualmente temos o título público – Tesouro IPCA+ 2045 (NTNB Princ) que é o que mais me identifico, a uma taxa de 5,17aa (que está 5,23 hj, dia 07/04). Não me sinto confortável em projetar um VNA para esse título, pois de acordo com o que você indicou nesta matéria anterior e pelo que pesquisei no IBGE, o IPCA 15 atual em Março-17 é de (IPCA está em 4,73). A última vez que tivemos nesse patamar, foi em Julho de 2010 conforme site do IBGE, séries históricas do IPCA 15. Ou seja, essa é a primeira vez em 7 anos que isso ocorre novamente. Pergunto, ainda é saudável apostar nesse tipo de investimento para o tipo de objetivo (aposentadoria)? – Como posso projetar um VNA se não consigo prever até que momento essa queda irá do IPCA irá terminar? Outra dúvida. Estudando seu livro, “Investimentos que rendem mais”, gostaria de analisar um CDB do banco máximo que está sendo vendido atualmente (vide: Jurus), a 119% da CDI e de acordo com a CETIP, temos: 12,13% de tx CDI. Ou seja, 14,13%aa. Sendo essa a rentabilidade, não há título que chegue a este patamar ultimamente, mesmo que utilizassemos o IPCA (NTNB 45) com carcaterísticas pós e préfixadas, no qual o pós, será o que teremos acima da inflação, uma vez que a foto atual de hoje expressa que o valor é menor do que esse CDB. Está correto meu raciocínio? Peço, por favor, sua ajuda para corigí-lo caso não esteja mas caso esteja, seria interessante começar a planejar a aposentadoria pelo CDI?

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:16 - Reply

      oi Flávio. Nem eu e nem ninguém pode responder essas perguntas sem uma bola de cristal. É por este motivo que as pessoas montam carteiras de investimento, ou seja, uma coleção de investimentos diferentes, uns seguindo taxa Selic, outros são prefixados adquiridos em bons momentos para isso e títulos que pagam ipca + juros com diversas taxas, uns com taxas maiores, outros com taxas menores, e os que tem conhecimento ainda fazem investimentos de maior risco na bolsa. Alguns desses investimentos com o passar do tempo terão resultados melhores que outros e você ficará com a média. Com relação a comparação entre CDB e Tesouro IPCA que vencem em 2045 você deve considerar que esse CDB vai vencer em poucos anos. Quando isso ocorrer você vai pagar imposto de renda sobre o rendimento. No Tesouro IPCA esse recolhimento só ocorrerá no futuro. Isso significa que investindo em CDB você terá um custo a cada vencimento. Isso deve ser considerado. Além disso, você deve observar que os juros maiores que os bancos pequenos pagam é o prêmio pelo risco que você corre investindo em bancos pequenos. Nada contra investir em bancos pequenos, mas você deve investir apenas aquilo que você aceita correr um risco maior. Mais uma vez temos a importância da diversificação.

      • Flávio Gueiros 10 de abril de 2017 at 17:21 - Reply

        Caro Leandro,
        boa tarde!

        Em primeiro lugar muito obrigado pelas respostas. Já adquiri e li seu trabalho (investimentos que rendem mais) e sou um dos fãs e admiradores do seu trabalho como muitos aqui. Trabalharei na diversidade então. Grande abraço e fique com Deus.

  11. João Silva 7 de abril de 2017 at 18:39 - Reply

    Leandro… você não acha que: quando vier as eleições de 2018 com a inércia da reforma da previdência as taxas iriam disparar e seria o momento de comprar títulos??

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:18 - Reply

      Oi João. Se as eleições de 2018 nos levarem para uma crise política, crise de credibilidade, crise econômica, tudo isso resultará em juros mais elevados. É difícil prever o que pode ocorrer em 2018.

  12. Felipe Sommer 7 de abril de 2017 at 18:43 - Reply

    Ótimo texto Leandro!

    Estamos vendo que dias difíceis estão chegando para investidores de renda fixa (que é o meu caso), títulos públicos pagado IPCA + 5%, descontando IR, fica praticamente juros de poupança. E agora meu caro? a solução será a debandada para ações? vejo que vou precisar estudar muito mais, nunca consegui sucesso nesse terreno pantanoso da renda variável (peço desculpas pelo drama).

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:21 - Reply

      Oi Felipe. O investidor de renda fixa deve continuar na renda fixa a não ser que queira se tornar um investidor capaz de assumir maiores riscos. Ninguém deve partir da renda fixa para a renda variável sem estar preparado. É melhor receber juros de poupança ou deixar o dinheiro parado na conta corrente do que entrar na bolsa só para perder dinheiro.

  13. hugo 7 de abril de 2017 at 19:11 - Reply

    desculpe a ignorancia como vc chegou no resultado Rentabilidade Real
    Qual conta ultilizou

  14. Iuri Viana 7 de abril de 2017 at 20:45 - Reply

    Parabéns Leandro, ótimo artigo.

  15. Willian Teodosio 7 de abril de 2017 at 22:18 - Reply

    Excelente artigo. Parabéns. Utilidade pública.

  16. Breno 7 de abril de 2017 at 23:24 - Reply

    Muito interessante o artigo! Parabéns pelo excelente trabalho e pela riqueza de conteúdo trazida pelos hyperlinks.

    Você saberia dizer se a economia brasileira e a americana funcionam de forma bastante semelhante no sentido de possuir as mesmas formas de controle, mesmas taxas básicas, mesmas opções de investimento , etc ?

    Muito obrigado.

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:27 - Reply

      Oi Breno. São diferentes. No caso dos títulos públicos, os americanos não precisam de corretoras para comprar títulos públicos diretamente do governo, lá é tesouro direto mesmo. Eles não pagam taxas para investir em títulos públicos. Além de títulos públicos federais, os estados também emitem títulos públicos.

  17. Ricardo Cesar 8 de abril de 2017 at 0:09 - Reply

    Mais um excelente artigo, gostei muito desse paralelo com o cenário de outros países! São realidades completamente diferentes. Havia percebido isso quando li o livro “Pai Rico, Pai Pobre” que é muito bom, aprendi muito lendo-o, porém por ser de um autor americano há uma enfase muito forte para investimentos que são totalmente avessos ao atual cenário brasileiro. Leandro, com esse seu artigo acredito temos uma oportunidade de ouro disfarçada de crise que muitos estão deixando passar, resta saber se ela está nas ações e/ou nos títulos públicos. Como disse um grande político brasileiro: “O Brasil é o maior cassino do planeta!”. Gratidão Leandro e obrigado também pelos site Transcendência Financeira, que é pura sabedoria, com textos que me transformam para melhor.

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:31 - Reply

      Oi Ricardo. Sempre existem oportunidades, mas nem todo mundo está com os olhos treinados para enxergar.

  18. Emerson sancheta 8 de abril de 2017 at 8:09 - Reply

    Leandro, bom dia, ainda dá para especular no tesouro pré 2020 ou 2023 comprando agora e vendendo quando a Selic chegar a um dígito? Qual vc recomenda? Obrigado

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:33 - Reply

      Oi Emerson. Eu não gosto de fazer esse tipo de afirmação. Especulação é uma coisa onde cada um faz a sua e se responsabiliza por ela. Como educador a única coisa que recomendo é o estudo.

  19. Sônia Morethson 8 de abril de 2017 at 8:56 - Reply

    Bom dia Leandro, tenho lido vários artigos, mas ainda estou apreensiva em qual ou quais investimentos fazer esse ano. Tenho uma LCI e quero resgatar e reaplicar ,obtendo assim uma maior rentabilidade.Posso deixar essa aplicação por uns 10 anos. Me dê alguma orierntação por favor.

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 21:53 - Reply

      Oi Sônia. Como educador a única recomendação de investimento que posso fazer é que você invista na sua educação. Somente ela vai livrar você desta necessidade de perguntar para os outros o que você deve fazer com o seu dinheiro. Hoje você não sabe o que fazer, amanhã vai continuar sem saber e turante toda a sua vida terá que tomar esse tipo de decisão. A pior alternativa é sempre ficar seguindo a opinião de pessoas que não te conhecem, não conhecem sua realidade, seus planos futuros, etc.

  20. Alison 8 de abril de 2017 at 8:59 - Reply

    Olá Leandro, estamos no aguardo de novas matérias sobre análises de boas empresas para LP na bolsa de valores. Belo texto!

  21. Ricardo 8 de abril de 2017 at 9:17 - Reply

    Leandro, achei que os dividendos nos EUA fossem maiores. Você sabe quanto estão rendendo os ETFs americanos?
    Obrigado pelas aulas!

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:35 - Reply

      Oi Ricardo. Você pode encontrar em empresas menores onde você estará exposto a riscos maiores.

  22. RODOLFO 8 de abril de 2017 at 9:47 - Reply

    OLA LEANDRO TUDO BEM ?? ACOMPANHO SEUS ARTIGOS A TEMPO E TENHO UMA DUVIDA , GOSTARIA DE TER O CONTATO DE UMA EQUIPE DE ASSESSORIA FINANCEIRA INDEPENDENTE DE CORRETORAS ?? VC CONNHECE ALGUMA ?? OBRIFGADO

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:38 - Reply

      Oi Rodolfo. Eu não recomendo depender de assessorias ou consultorias de investimento. Recomendo que você invista na sua educação para que você não dependa da opinião dos outros para investir o seu dinheiro. Visite isso aqui.

  23. André Mendonça 8 de abril de 2017 at 9:47 - Reply

    Leandro, eu acompanho seu blog faz pouco mais de 1 ano. Apesar de não me conhecer, pode ter certeza de que você tem um fã aqui em Salvador/BA. Leio e compartilho quase todos os seus textos. Sou muito grato a meu amigo Willian Magno que iniciou o meu aprendizado em educação financeira com a obrigação de ler textos seus. Enfim, a título de sugestão, gostaria que o senhor escrevesse sobre ETF ou indicasse uma fonte de estudo sobre o tema. Eu tenho interesse em iniciar no mundo da renda variável por meio desta forma de investimento. Um forte abraço

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2017 at 21:38 - Reply

      Obrigado André. Devo falar mais sobre ETF no futuro.

    • rimas 10 de abril de 2017 at 13:45 - Reply

      Olá Leandro,

      Admiro seu trabalho.
      Vi que a tabela retiraste da matéria produzida pelo Instituto Assaf. O referido Instituto baseou-se no INCC, porém não foi isso que vivenciamos nos últimos dez anos. Na maioria das capitais, os imóveis valorizaram-se por três vez, ou mais.
      Claro que existem exceções em não ocorreu. Mas foram pouquíssimas exceções.
      A escolha dos melhores investimentos parece aquela música do Titãs “melhor banda da última semana”. Cada ano os ditos especialistas apontam determinado ativo com melhor investimento, utilizando-se de esteatíticas, vide o ano de 2016.
      Falaram mal da bolsa de valores que performou bem. Esse ano falaram que continuariam, mas não está ocorrendo.
      Para reflexão.

      • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:36 - Reply

        Oi Rimas. Não existe um mercado imobiliário que se comporte exatamente da mesma maneira em todo Brasil. Cada cidade, tem suas características e muitas vezes cada bairro e até cada empreendimento tem características que estão abaixo ou acima da média nacional. Esse tipo de pesquisa sempre pega o resultado mediano e não prevê aquilo que é mais particular e fora da curva. O mesmo vale para a bolsa. Existem ações que se comportaram acima da média, outras dentro da média e outras abaixo da média.

  24. JR 8 de abril de 2017 at 9:58 - Reply

    Oi Leandro.

    Leio muito que as pessoas querem juntar dinheiro para não mais depender do salário do empregador para sobreviver. Eu sou uma dessas pessoas. Isso não querer dizer que pretendemos parar de trabalhar, apenas não queremos ficar reféns do patrão, que de uma hora pra outra, pode nos dar um pé no traseiro sem se importar se temos contas a pagar.

    Após acumular um patrimônio, 1kk ou mais, até menos também, porquê não. O que fazer então com esse dinheiro?

    Quais opções o investidor tem para fazer esse patrimônio “render mensalmente” e poder “retirar uma parte” para as despesas. . . FII? . . . CDB? . . . TDSelic?

    Grato pela atenção
    JR

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 21:56 - Reply

      Oi JR. Se existe uma coisa que não faz parte do leque de preocupações de um empresário é se os seus funcionários tem ou não contas para pagar. Isso é um problema seu e as reservas que você precisa manter no caso de uma demissão também é um problema somente seu. Eu recomendo que você estude o funcionamento dos investimentos de renda fixa e investimentos de renda variável. É esse conhecimento que permitirá tomar esse tipo de decisão com base nos planos que você tem para o presente e para o futuro. Aqui no Clube temos inúmeros artigos, existem meus livros, existem cursos que eu recomendo aqui no menu superior do site. Você só precisa de um pouco de dedicação.

  25. Paulo 8 de abril de 2017 at 10:58 - Reply

    Olá Leandro, como sempre mais um artigo excelente.
    Outro dia um operador de produção me procurou para mostrar os livros que ele tinha comprado para aprender a investir e todos com foco em renda variável. Na hora parabenizei ele, afinal como gestor sabia o quanto ele ganhava e que o final do mês sobrava muito pouco para investir, mas ele estava se esforçando. Então sem querer desanimar ele disse que para entrar na bolsa ele teria de ter um valor razoável, mas que na renda fixa ele pode tirar excelentes retornos como pouco investimento. Ele então respondeu que só conhecia Tesouro Direto (já tinha mais um diferencial por conhecer) e poupança, mas não sabia como selecionar o melhor. Na hora disse a ele que poderia ajudar, mas sugeri que ele aprendesse mais sobre renda fixa e claro veio a pergunta se havia livro sobre isso. Na hora me veio seu blog e então escrevi no papel o endereço entreguei a ele e disse, nesse site você vai aprender muito e sem ter de gastar nada – é muito bom poder indicar algo de muita qualidade e acessível sem ter de pagar – e sei que esse rapaz ao comprar os livros deixou de investir parte do que sobra.
    Outro ponto sobre seu artigo, há um livro “Investindo em Ações de Longo Prazo” de Jeremy Siegel que detalha isso que você resumiu acima referente ao mercado americano. O autor prova como quem investiu em renda fixa perdeu muito se comparado com a renda variável, principalmente se o investidor de renda variável reinvestia os dividendos.

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 21:59 - Reply

      Obrigado por indicar Paulo. Livros, cursos, não custam nada perto do prejuízo que as pessoas assumem durante toda a vida sem saberem cuidar do próprio dinheiro.

  26. Marco Santos 8 de abril de 2017 at 11:26 - Reply

    Oi Leandro

    O que você acha desses clubes de investimento que estão aparecendo? Eles chegam a oferecer rentabilidade de até 1% ao dia, tem site para acompanhamento em tempo real e tudo mais

    Desde já agradeço pela atenção e pelo tempo que vc dedica a compartilhar seu conhecimento.

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2017 at 20:39 - Reply

      Oi Marco. Eu sempre recomendo que as pessoas aprendam a investir sem depender de ninguém.

  27. Sergio 8 de abril de 2017 at 11:30 - Reply

    Olá Leandro. Com relação ao Tesouro Direto, onde já invisto, percebo que a mídia (rádio e TV) até comenta sobre o assunto mas ninguém se aprofunda muito. Então, muitas pessoas podem dizer “Tesouro Direto? Já ouvi falar mas acho que é meio complicado”. Resultado: ou não poupam nada, ou se limitam à Poupança ou deixam o banco “cuidar” dos investimentos. Nessa semana, meu chefe me viu lendo um de seus artigos sobre a Bolsa. Percebi um certo desdém em sua expressão e ele disse “Eu tinha um dinheiro de um imóvel que vendi e o banco disse que o melhor era investir em LCI”. Ou seja, para muitos, ficar estudando assuntos ligados a finanças é pura perda de tempo pois os bancos é que entendem do assunto. A ignorância empobrece.

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2017 at 20:44 - Reply

      Oi Sergio. Provavelmente a LCI que o seu chefe investiu é aquela que o grande banco remunera com 70% do CDI. Com isso o banco consegue dinheiro barato das pessoas. O banco, especialmente o grande bancos de varejo, enxerga a ignorância financeira dos seus clientes como uma grande oportunidade de negócio. Eles aproveitam essa preguiça mental das pessoas, essa confiança de que o funcionário do banco vai pensar mais no resultado dos clientes do que no resultado da empresa onde trabalham. A ignorância custa muito caro.

  28. JOEL ROCHA 8 de abril de 2017 at 12:24 - Reply

    Isso só mostra a deficiência do nosso país. Absurdo os Titulos Publicos serem o que melhor foi remunerado.
    Toda essa conta é paga amargamente por toda a População e todos saímos perdendo. Ainda sonho que um dia nossa população saibam quem são realmente nossos governantes e comecem definitivamente a cobra-los, a partir daí seremos um país de Todos!

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2017 at 20:49 - Reply

      Oi Joel. No dia que for mais vantajoso empreender ou investir nas empresas que realmente produzem alguma coisa do que emprestar dinheiro para o Governo, viveremos em um país bem diferente desse que temos hoje e isso será uma consequência de uma população mais preparada e consciente.

  29. Lucas 8 de abril de 2017 at 15:53 - Reply

    Ainda realizarei esse sonho em ser investidor! Mas ansalisando Luiz Barsi, Décio Bazin e outras pessoas que fizeram nome na Bolsa de Valores em um cenário político onde a inflação galopava em valores de 3 algarísmo, creio eu que esteja mais fácil para mim. Obrigado mais uma vez por expandir minha consciência com seu conhecimento precioso.

  30. Eduardo 8 de abril de 2017 at 16:42 - Reply

    Leandro,

    Eu acompanho o seu site há muito tempo, mas nunca comentei. Parabéns pelo conteúdo. Os artigos são sempre úteis, fundamentados e concisos.

    Quando eu leio essas recomendações de investimento feitas por estrangeiros eu sempre me questiono se no Brasil elas são aplicáveis.

    O Warren Buffet é um gênio porque conseguiu um retorno de 20% ao ano.

    No Brasil conseguimos um retorno próximo com investimentos em renda fixa, ou seja, com risco muito menor. Eu invisto em ações, mas cada vez fico mais convencido de que no Brasil isso não faz muito sentido. Concorda?

    Já tivemos uma queda na taxa de juros no passado e ela não se sustentou. Será que agora vai?

    Abraços e parabéns.

    • Leandro Ávila 21 de abril de 2017 at 9:06 - Reply

      Oi Eduardo. Acho que no Brasil ninguém deve pegar 60, 80 ou até 100% do patrimônio e colocar na bolsa como é comum nos EUA. Lá a renda fixa não rende nada, o que eles possuem de rendimento anual nós temos de rendimento mensal. Só que se você aprende a investir na bolsa, é possível ter bons resultados investindo uma parcela pequena do seu patrimônio. É aquela parcela que você aceita correr riscos sem perder o sono. Um investidor muito conservador poderia aplicar 5% ou 10% do patrimônio, mas para isso é necessário estar muito bem preparado através de muita leitura, livros e cursos. É claro que se a pessoa não gosta de estudar esses assuntos, tudo bem, não existe problema nenhum em ficar na renda fixa enquanto os juros no Brasil forem elevados. Já se os juros no futuro realmente caírem e não voltarem, se o país crescer, enriquecer, se tornar sério, ai a busca da renda variável será praticamente obrigatória.

  31. João Paulo Borges 8 de abril de 2017 at 17:14 - Reply

    Eu estou nessa lenga-lenga de definir se entro para o mercado de ações ou não, mas minha conclusão temporária é que não valeria a pena o esforço ante aos rendimentos que já tenho na renda fixa (melhor ainda agora com queda importante da inflação).

    Como ainda estou em formação de carreira (ainda não terminei pós-graduação), meu tempo livre é escasso e eu não me importo de ganhar pouco porém sempre positivo e em crescendo.

    Tal como foi mostrado recentemente, ganha muito dinheiro na bolsa justamente quem ama o prazer de negociar, e não necessariamente quem está ali para alcançar uma quantidade X de dinheiro, como é o caso dos investimentos de longo de prazo de investidores com mais de 80 anos.

    É semelhante ao que o Leandro expôs sobre profissões: serão bem sucedidos aqueles que se preocupam com os meios, e não com os fins (que seriam a qualidade do trabalho realizado e a rentabilidade financeira, respectivamente).

    Agradeço pelo seu servir, Leandro.

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:01 - Reply

      Oi João. É uma responsabilidade de cada um avaliar o que é melhor para si. Onde é melhor investir o próprio tempo faz parte deste tipo de decisão.

  32. AM 8 de abril de 2017 at 18:58 - Reply

    Ola Leandro, parabens por mais um excelente artigo.

    Eu so tenho uma pequena observacao, quando voce escreve:

    Aqui a realidade é diferente. No Brasil, a maioria da população ainda está mais preocupada em reclamar dos elevados juros para conseguirem acumular mais dívidas através do crédito consignado, cheque especial e cartão de crédito. São poucos os que sabem aproveitar o momento para potencializar seus investimentos através dos juros e dividendos elevados que temos acesso através da renda fixa e da renda variável….

    Embora concorde com a sua ideia geral deste paragrafo, eu entendo que se a maioria da populacao for poupadora, aproveitar os juros compostos e nao tomar credito a toa; os juros estariam bem mais baixos por falta de demanda. Ou seja, seria uma mudanca de paradigma…..

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:07 - Reply

      Oi AM. Juros elevados é uma anomalia do sistema. É uma característica de países pobres ou com sérios problemas. Pensar dessa forma é pensar pequeno. Se a maioria da população estivesse poupando para adquirir seus bens à vista, elas estariam destinando mais recursos para adquirir esses bens e menos recursos para pagar juros e taxas para os bancos. Isso significa que as empresas iriam produzir mais e vender mais. Diante de crédito farto, as empresas iriam investir mais (novas fábricas, novas lojas, novas tecnologias) e isso significaria a geração de mais riquezas, mais empregos, mais oportunidades para novos negócios e novos investimentos para todos. No fim isso seria bom, você viveria em um país rico, repleto de pessoas que realmente estão acumulando capital.

      • AM 11 de abril de 2017 at 17:58 - Reply

        Concordo totalmente na parte que seria bem melhor para o Pais e para a populacao em geral mas, no limite do desenvolvimento os bancos ( e titulos de divida do governo) iriam pagar bem menos juros ”forcando” o pessoal a migrar para renda variavel (com risco) de diversos tipos (acoes por exemplo).

        Mas com certeza que eu iria preferir viver num Pais de baixos juros.

  33. Thiago 8 de abril de 2017 at 19:02 - Reply

    Olá, parabéns pelo artigo. Observando sua tabela de rendimento de título público, fiz uma rápida análise, me corrija se estiver errado: R$ 100,00 aplicado durante 10 anos, para se atingir 517,00 (valorização de 417% conforme tabela) teríamos que ter um rendimento de 1,38% a.m que daria aprox. 17,88% a.a.

    Será que essa valorização de título publico está correto ? grande abraço.

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:11 - Reply

      Oi Thiago. Como você pode ver no próprio artigo essa informação não foi gerada por mim, foi retirada de uma reportagem baseada na pesquisa feita por uma empresa. Provavelmente ele considerou também os títulos tesouro ipca. Como pode ver no link existem títulos que em 12 meses valorizaram mais de 30% http://www.tesouro.gov.br/pt/-/rentabilidade-acumulada

  34. JOAO PAULO 8 de abril de 2017 at 20:18 - Reply

    Leandro, não entendi se vc concorda ou discorda da frase “Você nunca vai conseguir sucesso financeiro se você colocar seu dinheiro em uma conta bancária”, ou seja, em aplicações conservadoras.

  35. Antônio Celso Siqueira dos santos 8 de abril de 2017 at 22:29 - Reply

    ola, mais uma vez VC faz o leitor pesar…mas ke conclui q tesouro direto vence sempre no Brasil, mas que um pool de acoes é uma boa. para isto segue a regra clássica, parte renda fixa , no caso TD e acoes. a quantidade ? regra clássica 70 – idade em acoes…exemplo: 40nos? etão 30% acoes. nas ações tenho 30% grades bancos e empresas com bons dividendos….é minha estrategia, sabendo dos riscos e metas pretendidos….

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:14 - Reply

      Oi Antônio, acho essas regrinhas que alguns educadores financeiros gostam de divulgar uma grande bobagem. Cada um deve definir quanto acha melhor ou confortável investir em renda variável com base nos seus objetivos, seu nível de conhecimento, seu estado emocional diante de investimentos de risco.

  36. felipe 9 de abril de 2017 at 14:50 - Reply

    parabéns, seu trabalho me ajudou a sair do vermelho para o azul em 8 meses.
    eu tenho 25 anos, e tinha umas dividas que dava uns 5mil reais, hoje depois desse tempo tenho 8mil reais
    em CDB continuo lendo seus artigos por que espero aprender mais para investir em ações.

  37. Deyfferson 9 de abril de 2017 at 17:42 - Reply

    Estou gostando muito de seus textos e dicas. Parabéns pelo seu trabalho, gostaria de investir R$ 300,00 todo mês no tesouro direto minha corretora não cobra taxa de manutenção e como meu banco tem conta digital não vou pagar TED.
    Mesmo sabendo da variação da taxa de compra e venda dos títulos e sabendo que pra casos de emergência vou reservar R$ 50,00 mensal na poupança. Ja deixar programado o valor de R$ 300,00 por mês no Tesouro Selic 2023 (LFT) é a melhor opção?

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:18 - Reply

      Oi Deyfferson. O primeiro passo é ter sua reserva para emergência e para isso é necessário fazer esses investimentos de renda fixa de menor risco.

  38. Rodrigo Viana 9 de abril de 2017 at 20:31 - Reply

    O brasileiro tem tara por empresa que paga bons dividendos. Isso só mostra que não sabem o que estão fazendo e na primeira grande queda, venderam tudo no fundo.

    Na verdade, as pessoas querem a fórmula mágica, o atalho, o enriquecimento rápido e sem riscos.

    Várias empresas com bons fundamentos e PY baixo. Várias ruins com PY alto. Péssimo parâmetro de escolha.

    Análise fundamentalista é muito mais complexa do que avaliar apenas alguns indicadores. Mas a maioria não quer estudar. Querem tudo pronto e “mastigado”.

    Tenho certeza que essa série de artigos sobre RV irá melhorar muito a visão que as pessoas tem da Bolsa. Serão melhores investidores…se assim quiserem.

    Parabéns mestre.

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:19 - Reply

      Oi Rodrigo. Sem dúvida nenhuma é importante investir na própria educação para que possamos fazer essas avaliações e essas escolhas, não apenas hoje, mas sempre durante nossa vida de investidores.

  39. junior oliveira 9 de abril de 2017 at 22:49 - Reply

    Leandro parabéns, muito interessante seu artigo, porém fiquei com dúvidas sobre as rentabilidades acumuladas, como foi que fez para calcular a rentabilidade acumulada dos títulos públicos em 417,6% nos últimos 10 anos? a renda fixa foi corrigida pelo CDI? e no caso do CDB? no caso dos imoveis tem alguma relação com o IGPM?

    • junior oliveira 9 de abril de 2017 at 23:04 - Reply

      Foi mal Leandro só posteriormente vi que não foi elaboração sua, através da fonte conseguir o esclarecimento das rentabilidades da renda fixa, CDB e imoveis, porém não informaram nada sobre como foi que calcularam a rentabilidade acumulada dos títulos públicos, teria alguma ideia?

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:21 - Reply

      Oi Junior. Observe que apenas usei dados de uma reportagem que falava sobre uma pesquisa feita por uma instituição. Creio que ele utilizou a rentabilidade de títulos públicos como o tesouro IPCA.

  40. Michael Stuart 10 de abril de 2017 at 1:40 - Reply

    Gostei muito do seu desabafo Leandro.

    “No Brasil, no momento em que escrevo este artigo, temos investimentos sem risco como os títulos públicos”

    Sem risco, com relaçao a outros investimentos domesticos, naturalmente. Como voce bem descreve no final – entre muitos outros artigos seus- existe realmente um grande risco de crises futuros aqui e a volta da inflaçao. Isso se reflete nos premios embutidos.

    Pessoalmente eu acredito que tais premios sao bem subestimados atualmente pelo mercado. Por exemplo com relaçao a implementaçao da agenda de reformas….

    Eu invisto no Brasil? Invisto. E pretendo manter os investimentos. Mas acredito que ate a renda fixa no Brasil esta ficando caro demais com relaçao aos fundamentos – por exemplo a trajetoria da divida bruta com relaçao a PIB.

    Assim, aplicaçoes incrementais na RF -pelo menos por enquando – vou fazer nos Treasuries em vez do Tesouro.

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:26 - Reply

      oi Michael. Se hoje somos o país com a maior taxa de juro real do mundo (que é a taxa que sobra quando você desconta a inflação da taxa Selic) isso significa que esse juro real elevado é o prêmio pelo risco. Se o Brasil fosse um ambiente economicamente estável, politicamente confiável, nossos juros seriam equivalentes ao que é praticado pelo resto do mundo, ou seja, seriam juros baixos.

  41. Michael Stuart 10 de abril de 2017 at 2:12 - Reply

    No Tesouro Direto, existe um produto que simpesmente nao existe no Treasury Direct.

    O NTN-B (Principal).

    Sim ,existe o TIPS, – Treaury Inflation Protected Securities – mas sempre com cupom pago semestralmente.

    E dizer: nao existe o Zero Coupon Bond TIPS.

    La investidores exigem um fluxo de caixa -mesmo pequeno- para justificar manter a aplicaçao por tanto tempo.

    Aqui os investidires aceitam NTN-B’s com prazos de ate 30 anos sem receber um tostao ate la! Nem juros, nem qualquer correçao da inflacao paga ate o vencimento. Com a historia de pagamentos do Tesouro nao tao distante isso nao e um risco – com todo respeito- que eu pessoalmente topo.

    No entanto ha varios outros titulos aqui que bem cabem dentro do meu perfil.

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:29 - Reply

      oi Michael. Aqui a pessoa física pode optar pelo Tesouro IPCA que paga cupons e o que não paga cupons semestrais.

  42. Castle 10 de abril de 2017 at 9:52 - Reply

    Interessante, a conclusão do autor é que devemos emprestar dinheiro para o governo, aumentando cada vez mais a dívida do país, alimentando uma ciranda financeira que tira dinheiro da saúde, educação e aposentadoria para pagar juros de investidores. Em outro artigo o autor critica a previdência, dizendo que ela não se sustenta. Nesse caminho o país vai virar uma entidade pagadora de juros.

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:31 - Reply

      Oi Castle. Se você acha que o investidor que empresta dinheiro para o governo é o responsável pelo aumento da dívida pública isso significa que você não entendeu nada sobre o funcionamento do sistema. Não entender isso pode gerar sérios problemas para você caso esteja evitando títulos públicos com base neste tipo de crença limitante. Tenho outros artigos que tratam do assunto com profundidade. Recomendo que dedique algum tempo na leitura.

  43. Tiago Bastos Couto 10 de abril de 2017 at 13:38 - Reply

    Oi Leandro. Tenho uma dúvida? É até uma questão fora do tema. Estou interessado em fazer um curso que talvez irá me ajudar na minha carreira. Seria uma aposta! Não tenho certeza que este curso terá frutos no curto prazo ou talvez no longo prazo.Sendo porém que estou fora do mercado de trabalho quase um ano e estou em um pequeno negócio, arriscando uma parte da minha reserva. Não tenho como pagar a vista por causa do valor, abateria demais do meu fundo. Eu teria que passar no crédito ficaria a mais de 10% do valor que estou retirando da minha reserva. Tenho muito receio de utilizar o cartão de crédito neste momento e procuro pagar minhas conta a vista. Faço provisões de gastos adicionais e uma reserva de emergência pequena ainda. Estou na luta!
    Gostaria de uma ajuda!
    Desde te agradeço!

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:33 - Reply

      Oi Tiago. Somente você pode colocar tudo na ponta do lápis para tomar esse tipo de decisão. Os cursos que você fez devem ser encarados como investimentos. Você deve fazer o curso já prevendo quanto ele vai produzir de retorno e quando ele se pagará.

  44. João Silva 10 de abril de 2017 at 15:09 - Reply

    Boa Tarde Leandro, estou investindo 0,10 no Tesouro IPCA+ 2024, 2035 e 2045 (NTNB Princ), com finalidade previdenciária, o que equivale a mais ou menos 400 reais por mês. Acho que o único risco é a hiperinflação, pois o IR e as taxas bovespa e administração só serão cobradas no vencimento. Qual é sua opinião?

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:37 - Reply

      Oi João. Todos os investimentos de renda fixa seriam afetados diante de uma hiperinflação.

  45. Gustavo 10 de abril de 2017 at 18:01 - Reply

    otimo texto Leandro, ao ler os comentarios dos colegas, vejo que todos estao sem rumo agora…. eu particulamente estou mal acostumado, pois em jan/16 peguei pré-fixados de 19,7% ao ano para 5 anos, mas acredito que no momento o melhor investimento é esperar o lula voltar (brincadeira), estou colocando em multi mercados. Abraços!

    • Leandro Ávila 10 de abril de 2017 at 22:41 - Reply

      Oi Gustavo. Parabéns por aproveitar essa oportunidade. Como já falei, escolhemos presidente a cada quatro anos e já vimos a qualidade dos nossos candidatos eleitos pelo povo nas últimas décadas. Dois sofreram impeachment, um está sendo investigado pela polícia e teve um que recentemente disse que caixa dois não era um crime grave. A cada quarto anos temos uma surpresa, crises e problemas e isso acaba conduzindo o país para taxas de juros elevadas.

  46. João Silva 11 de abril de 2017 at 11:44 - Reply

    Parece que a única solução para Estados e Municípios brasileiros em crise financeira é emitir Títulos Públicos também.

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2017 at 20:50 - Reply

      Oi João. Difícil vai ser encontrar alguém disposto a emprestar.

  47. Donato 11 de abril de 2017 at 21:46 - Reply

    Ola Leandro tudo bem? Antes de tudo quero agradecer todo seu conhecimentp que é passado de uma forma simples e sincera. Gostaria de uma orientacao sua. Quero comprar um livro de educacao financeira pra minha afilhada de 18 anos, mas ela nao sabe nada sobre investimento. Vc teria algum pra indicar? Desde ja agradeço.

    • Leandro Ávila 21 de abril de 2017 at 8:58 - Reply

      Oi Donato. Compre para ela o livro Pai Rico Pai Pobre. Antes de dar o livro para ela, leia ele primeiro. Pode ser impactante. Não é sobre investimentos, mas é sobre uma coisa mais importante. É sobre a mentalidade que você deve ter diante do mundo dos investimentos.

  48. Cleiton Oliveira 12 de abril de 2017 at 11:19 - Reply

    Parabéns Leandro. O artigo ficou bem excelente.

    Um grande abraço

  49. Robijari 12 de abril de 2017 at 15:33 - Reply

    Oi Leonardo, Gostaria de saber se a pessoa física,pode comprar títulos públicos de outros países? Ex: Eua.

    • Leandro Ávila 12 de abril de 2017 at 20:43 - Reply

      Oi Robijari, creio que não, pelo menos nunca ouvi falar nesta possibilidade. Certamente é possível comprar de forma indireta, através de fundos que investem lá fora e fazem esse investimento em títulos públicos de outros países.

  50. Leandro Ávila 12 de abril de 2017 at 20:57 - Reply

    Oi Jonas. Eu não gosto de responder esse tipo de pergunta. Eu sou uma pessoa diferente de você. Tenho bagagem diferente, tenho um presente diferente, tenho um plano para o futuro diferente. Minha vida certamente é diferente da sua. Isso significa que aquilo que eu faria não necessariamente seria uma boa opção para ser feita por você ou outros leitores. Por isso é importante aprender a avaliar essas situações para que a sua decisão não tenha bases naquilo que os outros fariam.

    • Jonas 12 de abril de 2017 at 21:48 - Reply

      Uau. Nossa..OK

  51. Luis Oliveira 14 de abril de 2017 at 1:21 - Reply

    Olá Leandro, você mencionou o índice Bovespa para ilustrar a rentabilidade real da Bolsa de Valores, e ainda deixou bem claro que este índice é formado com o desempenho de ações de várias empresas, sejam elas boas ou ruins. Minha dúvida é a seguinte: como posso consultar a rentabilidade obtida na bolsa de valores de um empresa específica ao longo dos anos? Desde já agradeço pelo conhecimento compartilhado por aqui, é de grande ajuda.

    • Leandro Ávila 21 de abril de 2017 at 8:56 - Reply

      Oi Luis. Você pode digitar o nome ou o código da ação no campo de busca do Google Finance. Vai aparecer um gráfico. Se não aparecer o gráfico interativo veja a opção que tem no final do gráfico que pede para ativar o adobe flash. No gráfico interativo tem um campo pequeno onde você pode indicar duas datas e ele vai mostrar a rentabilidade. Eu sou assinante do GuiaInvest PRO e ele possui relatórios interativos onde é muito rápido e fácil comparar o desempenho de todas as ações da bolsa. Eu também posso “puxar” esses dados através do meu Excel, através de um complemento que eles oferecem aos assinantes.

  52. Saulo Marques 15 de abril de 2017 at 17:18 - Reply

    Como vai Leandro? Mais um excelente artigo. Seus textos têm servido de base em muito de meu aprendizado sobre investimento. Só um detalhe que é minha opinião pessoal. Sempre quando se fala em investir, vem essa ideia de “ficar rico”, isso até mesmo as corretoras e bancos usam como atrativo para fazer propaganda para o investidor. Acho que dá para planejar o futuro, realizar seus investimentos (como eu faço hoje com títulos públicos e ações), pensar em uma reserva financeira e na aposentadoria sem necessariamente “fica rico”. Talvez seja porque as pessoas pensem no conforto ou proteção que uma grande quantidade de dinheiro traria, mas acho que dá para ser feliz, pesar em melhorar de vida e outras coisas sem necessariamente acumular uma montanha de dinheiro. É até mais “democrático”, pois a riqueza em grande quantidade não é possível para toda a população, mas investir bem, pensar no futuro, na aposentadoria, na faculdade dos filhos de forma consciente é possível para todo mundo. Abraço.

    • Leandro Ávila 17 de abril de 2017 at 15:34 - Reply

      Oi Saulo. Cada um tem sua própria definição do que é ser rico. Uma grande quantidade de dinheiro para você pode ser uma quantidade pequena de dinheiro para outra pessoa. O conforto e a proteção que você deseja pode ser diferente do conforto que a outra pessoa deseja. Quem gosta de fazer comparações sempre se sentirá pobre, pois sempre existirá alguém mais rico. Podemos dizer que o estado de riqueza é um privilégio daqueles que não fazem comparações. Você pode ser um pescador que mora em uma casa simples na frente de uma praia isolada e se sentir muito rico e pode ser um empresário que mora na frente de uma praia em uma grande cidade e achar que é pobre. A riqueza não é finita. Todas as pessoas podem produzir riquezas e algumas podem se contentar com aquilo que produzem (serão ricas) e outras podem nunca se contentar (serão sempre pobres).

  53. ED carlos 15 de abril de 2017 at 22:14 - Reply

    Boa noite leandro ótimo artigo como sempre, atualmente com a queda da Selic e do IPCA os títulos ficaram menos vantajosos no momento comprei títulos com quase 16% de rentabilidade aproveitei o momento, hoje a base é 10% mas tem o porem a inflação quando comprei esses títulos estava lá em cima, mas este PAÍS é uma bolha logo pode explodir em 2018 teremos eleições não sei o que vai acontecer mas do jeito que está ta ruim principalmente para os mais pobres. atualmente tenho uma boa reserva financeira de mais ou menos de 3 anos de que ganho mensalmente, no momento não preciso de grana agora pois estou investindo para daqui mais ou menos 7 anos, investi para curto médio e longo prazo e conforme forem vencendo estes investimentos vou reaplicá-los, minha carteira de investimentos hoje é composta de 90% em TD e 10% em renda fixa comecei a procurar outras alternativas comprei 2 debentures com taxa de 6.18 mais IPCA livre de imposto e 3 CRI para diversificar no momento, ações é um investimento que requer um conhecimento mais apurado pois é como dizem quanto maior o retorno maior o prejuízo você teria algum link, ebok ou algo assim para iniciantes começarem aplicar na bolsa bem detalhado que tipo é bem complexo aplicar na bolsa tem ações que você tem que comprar um lote de 100 1000 isso que eu queria saber como funciona, gostaria muito de ter este conhecimento pois estou muito interessado em começar a investir em ações temos que diversificar nossos investimentos não adianta alocar tudo num num só investimento. PARABÉNS POR SEU TRABALHO VOCÊ ESTÁ AJUDANDO MUITAS PESSOAS OBRIGADO….

    • Leandro Ávila 21 de abril de 2017 at 8:51 - Reply

      Oi ED Carlos, eu iniciei recentemente uma série de artigos sobre bolsa. Devo escrever muitos artigos sobre bolsa neste e nos próximos anos, especialmente se a economia voltar a crescer. No menu horizontal, no topo do site, existem cursos, vídeos e outros materiais que eu recomendo.

  54. Giancarlo 18 de abril de 2017 at 15:41 - Reply

    Mais um ótimo artigo, Leandro!
    Consumidor assíduo dos seus textos.

  55. Luciana 19 de abril de 2017 at 11:56 - Reply

    Oi Leandro, seu site é o melhor mesmo, parabéns.
    Fiquei com uma dúvida sobre a primeira tabela, na segunda linha você coloca Renda Fixa, mas a separa de CDB por exemplo. O que seria essa Renda Fixa da tabela?
    Bem, na minha cabeça tenho pensado que, já que não sabemos como será a taxa de juros ou a inflação, o que eu tento fazer é procurar investimentos com boas taxas indexadas à estes, não me importando se são títulos públicos ou privados. Sinceramente, não sei o que mais além disso eu posso fazer dentro da renda fixa.

    • Luciana 19 de abril de 2017 at 12:10 - Reply

      Ah, só um adendo.. sei que além disso eu poderia escolher um pré-fixado também, mas esse país é imprevisível demais e eu prefiro investir pensando no X% acima da nhaca toda que os caras fazem lá em Brasília.
      Mas enfim, eu queria saber se existe algo mais que eu possa fazer/pesquisar.

    • Leandro Ávila 21 de abril de 2017 at 8:47 - Reply

      Oi Luciana. A tabela não é minha, faz parte de uma pesquisa. Acredito que o pesquisador chamou de renda fixa os fundos que fazem investimentos de renda fixa. Os fundos de renda fixa investem basicamente em títulos públicos e títulos privados (CDB, LCI, LCA, CRI, CRA, debêntures, etc.). Como os gestores desses fundos cobram taxas administrativas, o desempenho deles acaba ficando menor se comparado com o investimento direto em títulos públicos. O que faço é ter uma carteira de investimentos. Tenho um pouco em todos os títulos públicos. Dependendo do movimento da Selic e da inflação (IPCA) alguns títulos podem se beneficiar, outros não, quando um melhora sua rentabilidade o outro pode piorar. Ao piorar isso só ocorre no curto prazo, pois se esperar até o vencimento terei a rentabilidade contratada. Dessa forma eu não me preocupo muito em achar o investimento certo. Eu aceito que não posso achar o que é certo e fico com a média. É claro que quando as taxas de juros estavam muito elevadas, títulos como o Tesouro IPCA pagando 8% + IPCA eram uma grande oportunidade. Nestes momentos as pessoas podem e devem aproveitar oportunidades. As crise sempre ocorrerem e a economia sempre se recupera anos depois. Essas crises são oportunidades para quem juntou dinheiro quando a economia estava bem. O importante é investir na própria educação financeira para conseguir perceber essas oportunidades chegando.

  56. Thiago araujo 21 de abril de 2017 at 4:23 - Reply

    Olá Leandro! Novamente mais um ótimo artigo, parabéns!
    Minha questão é: vejo muita gente falando que o melhor e diversificar as aplicações para ter melhores rendimentos, etc porém isso entra mais em conta quando a pessoa está em busca de criar seu patrimônio, certo? E para a pessoa q ja tem seus 2 milhoes + casa própria + carro? A renda fixa não seria uma otima opção? Colocar tudo em uma por muito tempo será ruim? Mesmo sabendo que a inflação pode subir, mas levando em conta que o dinheiro líquido a receber ja descontando a inflação já seria muito bom pro seu padrão de vida? Qual a sua opinião para essa situação?

    • Leandro Ávila 21 de abril de 2017 at 8:39 - Reply

      Oi Thiago. Provavelmente esses 2 milhões atendem objetivos diferentes. Uma parte disso você vai querer usar no futuro para trocar de carro. Outra parte você quer manter em um investimento seguro pelos próximos 10 ou 15 anos. Outra parte você deseja ter sempre disponível para o caso de uma emergência (reserva de emergência). Você poderia pegar uma pequena parte, aquela que te deixasse confortável, para fazer um investimento de maior risco, que poderia gerar perdas em prazos menores, mas que poderia gerar ganhos acima da média com o passar do tempo. Quando você considera tudo isso pode concluir que seria interessante ter uma carteira de investimentos, ou seja, um conjunto de investimentos diferentes que atendem melhor objetivos diferentes. Só que não é obrigatório. É uma opção que você pode fazer quando dedica um pouco mais de tempo aprendendo quais são as características dos diversos investimentos que existem.

  57. Marcos 21 de abril de 2017 at 10:30 - Reply

    Bom dia Leandro TD bem? Leandro eu estou com a seguinte dúvida eu tenho um dinheiro aplicado no LCI do banco do Brasil no caso 12 mil reais e o CDI ainda está em 0,80% ao mês e eu queria aplicar mais 2 mil reais lá. Só que eu fui informado que infelizmente não posso mais porque o banco do Brasil mudou as regras e pra LCA estão exigindo 50 mil reais e para o LCI 80 mil reais. Então a minha dúvida é em qual investimento você me aconselha eu aplicar esses 2 mil reais para deixar parado pelos próximos 2 anos. Ou tem algum investimento onde vc me aconselharia a aplicar esses 2 mil reais mais os 12 mil que já possuo? Como algum título do tesouro direto etc?

    • Leandro Ávila 21 de abril de 2017 at 10:58 - Reply

      Oi Marcos. Você deve esquecer a ideia de aplicação. Você não aplica em LCI, você compra um título privado chamado LCI. O banco pode determinar o preço desse título. Cada título comprado é uma operação diferente. Eu como educador, não posso fazer recomendação de investimento. A única recomendação que posso fazer é com relação ao seu estudo. Recomendo que você estude o funcionamento dos títulos públicos. Estude o funcionamento das corretoras que oferecem esses títulos de bancos menores, onde existem taxas melhores e exigem valores menores. Existem diversos investimentos que você pode estudar. Quanto mais você estudar esses investimentos menor será sua dependência com relação a esse tipo de pergunta “onde aplicar, onde investir, etc”. Procure essa independência. Aqui temos muitos artigos grátis sobre investimentos. Existem meus livros de educação financeira que tornam tudo mais fácil e rápido, visite http://www.clubedospoupadores.com/reeducacaofinanceira . Também existem cursos que eu recomendo no menu da parte superior do site.

  58. Marcos Antonio 26 de abril de 2017 at 12:51 - Reply

    Boa Tarde Leandro estou lendo varios artigos seus a respeito da formas de investir,pois sou leigo no assunto e quando conversamos com gerentes de conta vejo que ela direciona no que mais conveniente para ela e não para nôs, até 6 meses atrás eu só deixava na poupança por achar mais seguro e não ter que pagar imposto de renda, espero agora lendo seus artigos conseguir melhorar estes connecimentos.

  59. william 26 de abril de 2017 at 14:30 - Reply

    Olá Leandro, o que acha da ação da ## a 3,59 em 26\04\2017, será uma boa aposta para o futuro, já que multiplos atores, entre eles o próprio Governo tem interesse em fazer com que a companhia saia da Recuperação Judicial e volte a estar entre as melhores do ramo de telefonia,

    Aguardo resposta

    Att,

    William Veiga Alves

    • Leandro Ávila 15 de maio de 2017 at 18:17 - Reply

      Oi William. Eu não posso emitir esse tipo de opinião sendo um educador financeiro. Somente analistas podem emitir esse tipo de opinião.

  60. Lucia Helena 28 de abril de 2017 at 17:01 - Reply

    Parabens pelos seus posts sempre muito didaticos e esclarecedores. Uma corretora famosa me ofereceu pra investir em CRA de uma empresa bem solida.. Corro algum risco de perder parte do capital investido se a empresa estiver bem e não quebrar nesse tempo?
    Muito obrigada

    • Leandro Ávila 15 de maio de 2017 at 18:15 - Reply

      Oi Lucia. O problema é que a empresa pode estar bem hoje e enfrentar problemas amanhã. CRA e CRI são operações de renda fixa mais arriscadas que as demais. Não existe garantias do FGC.

  61. Fabricio Faria 3 de maio de 2017 at 23:41 - Reply

    Leandro parabéns pela iniciativa! Qual a sua opinião sobre o investimento em Ouro?

    • Leandro Ávila 15 de maio de 2017 at 18:14 - Reply

      Oi Fabrício. Ouro serve como reserva de valor ou para fazer especulações. Na minha opinião as especulações são como qualquer aposta. Elas podem dar certo ou podem dar errado.

  62. Bruno 9 de maio de 2017 at 8:12 - Reply

    opa bom dia, voce acha que um investimento COE nesse ano que a selic está caindo, e que a tendencia da bolsa é subir interresante ?
    obrigado pelos ensinamentos

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo