Escrevi este artigo para ajudar você a calcular quanto precisa juntar nos próximos anos para poder se aposentar sem depender do INSS, fundos de pensão e planos de previdência privada.

Você já deve ter percebido que a previdência pública enfrenta sérios problemas. Desde a sua criação, várias mudanças ocorreram nas suas regras. Essas mudanças sempre foram para piorar a situação daqueles que ainda não se aposentaram. Os fundos de pensão de diversas instituições também estão enfrentando problemas. Como o futuro da previdência depende das qualidades humanas dos políticos que temos e da habilidade da população brasileira em escolher bons políticos, tudo deve continuar piorando e você não vai ficar aí parado esperando esse futuro chegar.

Se existe uma coisa que devemos diminuir quando estamos falando de dinheiro, essa coisa se chama dependência. Quanto menos você depender financeiramente do Estado, instituições de previdência e até de amigos e parentes no futuro, melhor será para você. A dependência financeira nunca foi algo desejável. Busque mais liberdade.

Quanto mais independência financeira, mais liberdade, mais possibilidades, menos problemas e mais tranquilidade. A independência financeira não é garantia de felicidade, mas ela ajuda nas áreas da sua vida onde o dinheiro tem utilidade.

O único problema é que você precisa começar a trabalhar para elevar o seu nível de independência ainda hoje. As pessoas costumam trabalhar mais para comprar mais, quando deveriam trabalhar mais para poupar mais e um dia poderem trabalhar menos.

O tempo segue contra você enquanto não estiver fazendo nada e será a seu favor quando você começar a agir para garantir um futuro melhor enquanto pode trabalhar, ganhar dinheiro, poupar e investir. Sempre é tempo de começar quando você está no presente e sempre pode ser tarde demais quando você deixa para fazer amanhã.

Seu estilo de vida

O quanto você precisa poupar depende do estilo de vida que você pretende ter no futuro. Quando você poderá se aposentar, também depende do estilo de vida que você quer ter no futuro.

É comum as pessoas aumentarem o padrão do estilo de vida que levam com o passar do tempo. Elevar o padrão significa tornar o seu estilo de vida mais sofisticado e, por consequência, mais caro. Espero que você não demore muito para perceber que a simplicidade é o último grau da sofisticação e que existem outros meios para tratar carências emocionais, mais eficientes e mais baratos que o consumismo.

Quando você consegue ser feliz seguindo um estilo de vida mais simples, você consegue poupar mais no presente. O valor que precisa acumular para se aposentar será menor, o esforço para acumular esse patrimônio será menor e com isso você conseguirá se livrar da obrigação diária de trabalhar naquela atividade que você não gostaria de fazer por toda vida.

Exemplos:

Imagine um casal que possui uma renda mensal de R$ 10 mil e que adota um estilo de vida que custa R$ 5 mil mensais. Esse casal consegue poupar R$ 5 mil todos os meses. Agora imagine outro casal que tem renda familiar de R$ 10 mil e que tem um padrão de vida que custa R$ 9 mil. Eles só poderão poupará R$ 1 mil o que é 5 vezes menos que o primeiro casal. O sacrifício necessário para acumular os recursos para uma maior liberdade financeira será maior no casal que se acostumou com um estilo de vida mais caro. (obs: esses valores são um exemplo. Você pode e deve adotar valores maiores ou menores dependendo da sua realidade financeira).

Para manter esse mesmo estilo de vida durante a aposentadoria o primeiro casal precisará de menos patrimônio acumulado para obter a renda que precisa para se aposentar. Como ele acumula mais por mês, vai conseguir atingir esse patrimônio rapidamente se comparamos com a situação do segundo casal.

Calculando o seu patrimônio

Existe uma maneira simples de calcular quanto você precisa acumular (seu patrimônio investido) até o dia da sua aposentadoria para manter o estilo de vida que você tem hoje ou até para ter um estilo de vida maior ou menor. A formula simples é a seguinte:

Patrimônio = (Renda Mensal x 12) ÷ Rentabilidade Anual Real

Você pode ler a fórmula acima assim: o patrimônio que você precisa acumular para poder se aposentar é igual a renda mensal que você pretende ter no futuro multiplicada por 12 e depois dividida pela rentabilidade anual real dos seus investimentos. A rentabilidade anual real dos seus investimentos é a rentabilidade que você terá anualmente investindo o seu dinheiro já com a inflação descontada. Como você não tem meios de saber qual será a inflação futura e a rentabilidade real dos seus investimentos, esse número será um chute. Você pode chutar números mais otimistas e mais pessimistas para avaliar as possibilidades.

Vou chutar a taxa de 5% e mais na frente vou dizer para você qual base utilizei para esse chute.

Isso significa que estou supondo que no futuro serei capaz de fazer investimentos com meu patrimônio que resultam em uma rentabilidade anual de 5% acima da inflação registrada no ano. Vamos imaginar a família que consegue poupar R$ 5.000,00 por mês e que pretende ter uma renda mensal de R$ 10.000,00 quando se aposentar. A fórmula ficaria como o exemplo abaixo. Vale lembrar que transformei 5% em 0,05 dividindo 5 por 100.

Patrimônio = (10.000 x 12) ÷ 0,05
Patrimônio = 120.000 ÷ 0,05
Patrimônio = 2.400.000

Podemos dizer que a família que pretende ter uma renda mensal de R$ 10 mil quando se aposentar precisa chegar na data que pretende parar de trabalhar com R$ 2.4 milhões de patrimônio. Se esse valor for investido em uma ou várias aplicações financeiras capazes de render 5% (0,05) ao ano acima da inflação, essa família poderá sacar R$ 120.000,00 por ano (ou 10 mil mensais) para gastar da forma que desejar sem comprometer o poder de compra do valor principal que é R$ 2.4 milhões. Neste caso a família optou por não gastar o valor principal de R$ 2.4 milhões que acabaria sendo corrigido pela inflação através dos investimentos e resultaria em herança para os filhos da família.

Utilizando a função NPER do Excel seria possível descobrir que são necessários pouco mais de 22 anos (266,54 meses) poupando e investindo R$ 5 mil com uma rentabilidade de 5% acima da inflação para atingir os R$ 2.4000.000,00. Através do nosso simulador de juros compostos você pode definir um valor inicial, valor mensal, taxa de juros mensal e período de investimento que pode ser em meses ou anos.

É claro que existe a possibilidade de a família optar por gastar o valor principal e neste caso a renda poderia ser maior ou o valor de R$ 2.4 milhões poderia menor. Pessoalmente não defendo a ideia de que você deva deixar herança em dinheiro para os seus filhos e netos. A herança que você deve deixar não tem dinheiro capaz de comprar que é uma boa educação, boas lições, boas experiências de vida, bons exemplos éticos e morais. É o tipo de riqueza que ninguém será capaz de tirar deles e que rendem juros para o resto da vida. Se a sua vida for um bom exemplo a ser seguido, seu filho saberá o que fazer para conquistar as riquezas que necessita sem depender de nenhuma herança.

Vamos falar sobre o chute de 5% acima da inflação. Eu utilizei como base a taxa de juros que o governo paga a todos aqueles que investem em títulos públicos chamados Tesouro IPCA+. Esse título remunera o seu dinheiro com a inflação (medidas através do IPCA) e uma taxa de juro fixa. Nada garante que no futuro teremos investimentos capazes de oferecer 5% acima da inflação em investimentos conservadores e de renda fixa. Só que ninguém é obrigado a ficar acomodado na renda fixa. A única certeza é que você sempre terá a opção de aprender a investir o seu dinheiro para obter rentabilidades maiores.

Para dar esse chute eu consultei essa tabela aqui. Observe a coluna “Taxa de Rendimento (% a.a.)” do título chamado Tesouro IPCA+. No exemplo abaixo temos taxas acima de 5% ao ano. Isso significa que aqueles que investirem nesse título no dia que fiz a consulta terão rentabilidade de mais de 5% ao ano até a data de vencimento que chegam em 2045. Se você ainda não sabe como investir em títulos públicos dedique tempo lendo os artigos que temos no Clube dos Poupadores ou acelere o processo através dos nossos livros que ensinam a investir.

 

Estilo de vida simples

Se você não passar a vida inteira se acorrentando nos vícios e hábitos sofisticados para ser feliz (bebidas importadas, viagens internacionais, tratamentos de beleza exóticos, jantares sofisticados, objetos luxuosos, etc) será possível ser feliz com um custo de vida menor. Se você não for capaz de abrir mão da sofisticação, não tem problema, basta fazer um esforço maior para elevar a sua renda mensal. Apenas para exemplificar, vamos imaginar que a família do exemplo anterior possa viver com R$ 5 mil no lugar de R$ 10 mil. (obs: você deve se sentir livre para refazer o cálculo abaixo utilizando qualquer valor que considere conveniente para a sua realidade financeira.) O cálculo ficaria assim:

Patrimônio = (5.000 x 12) ÷ 0,05
Patrimônio = 60.000 ÷ 0,05
Patrimônio = 1.200.000

A família poderia atingir esse patrimônio de R$ 1.2 milhão em 14 anos (167,73 meses) poupando e investindo R$ 5 mil por mês com uma rentabilidade de 5% ao ano acima da inflação.

Você lembra do exemplo que dei no início do artigo da família que tem renda de R$ 10 mil e só consegue economizar R$ 1 mil? Se ela desejar garantir uma renda mensal na aposentaria de R$ 10 mil poupando apenas R$ 1.000,00 terá que acumular R$ 2.400.000 e para fazer isso poupando com uma rentabilidade de 5% ao ano acima da inflação ela vai precisar de 584 meses ou 48 anos. Se optasse por uma renda de R$ 5 mil teria que acumular R$ 1.2 milhão em 36 anos. Isso mostra a importância da sua taxa de poupança, ou seja, do percentual da sua renda que você é capaz de poupar todos os meses.

Conhecimento sobre investimento

Agora vamos imaginar que a família investiu na própria educação financeira (através de livros e cursos) e conseguiu montar uma carteira de investimentos que não fica limitada aos investimentos a poucas possibilidades. Vamos imaginar que ela está conseguindo uma taxa de 8% acima da inflação. Vamos aplicar a fórmula dividindo por 0,08:

Patrimônio = (5.000 x 12) ÷ 0,08
Patrimônio = 60.000 ÷ 0,08
Patrimônio = 750.000

O fato da família ser capaz de obter rentabilidades maiores nos seus investimentos e de precisar de R$ 5 mil mensais faria com que ela dependesse do acúmulo de R$ 750 mil investidos. Se conseguisse uma rentabilidade de 8% ao ano acima da inflação ela atingiria essa quantia poupando R$ 5 mil por mês durante 12 anos (145,6 meses).

Quanto maior for o seu conhecimento sobre investimentos para obter rentabilidades acima da média e quanto menor a quantidade de vícios e hábitos de consumo que elevam seu custo de vida, mais rapidamente você poderá atingir a sua independência financeira. Com mais conhecimento você terá maiores rentabilidades. Com menos vícios e maus hábitos, mais você poderá poupar e menos recursos precisará no futuro.

Conclusão

O objetivo deste tipo de artigo é sempre motivar você a pensar sobre a sua realidade. Não posso simular a realidade de cada leitor nos exemplos do artigo. Você deve fazer o seu dever de casa.

Não esqueça que você tem um encontro marcado com você mesmo no futuro, onde inevitavelmente fará uma prestação de contas. Muitos leitores do Clube dos Poupadores, que já passaram dos 50 anos, costumam deixaram comentários nos diversos artigos que temos com frases do tipo “Leandro, minha vida seria muito diferente hoje se eu tivesse pensado sobre esses assuntos 10, 20 ou 30 anos atrás”.

Tenho certeza que você ainda tem muitas décadas pela frente e não vai querer deixar esse tipo de comentário aqui no Clube dos Poupadores quando o futuro chegar. Se você começar agora tenho certeza que deixará comentários do tipo “Obrigado Leandro, graças ao que fiz no passado a minha vida está bem melhor agora”.

A oportunidade de construir um futuro melhor sempre depende de um esforço maior no presente. Uma vida financeira próspera e sem dívidas é o resultado de um esforço que não pode ser deixado de lado.

Se sua renda é pouca, coloque sua cabeça para funcionar e procure saber o que você precisa começar a aprender e a fazer hoje para que a sua renda possa aumentar nos próximos anos.

Se você já tem uma boa renda e não consegue poupar, coloque sua cabeça para funcionar e procure descobrir por quais fissuras a sua renda está vazando.

Se você já está repleto de hábitos de consumo sofisticados, caros e não consegue mais viver sem eles, coloque sua cabeça para funcionar todos os dias. Cole essa frase no espelho do seu banheiro: “Você é escravo daquilo que não pode abrir mão”.

Quando conheço pessoas que estão vivendo para acumular todo tipo de quinquilharia eu penso naquelas imagens de pessoas carregando milhares de objetos em carroças. São pessoas que vivem uma vida pesada e repleta de preocupações relacionadas a coisas: coisas que deseja, coisas que não deseja mais, coisa nova, coisa da moda, coisa quebrada, coisa emprestada, coisa velha, coisa da promoção, coisa financiada, coisa que foi roubada, perdida, esquecida, coisa que ocupa espaço na casa e na cabeça do dono da coisa.

Cada objeto que compramos exige tempo para comprar, espaço para guardar e energia para cuidar até o dia que o objeto se transforma em lixo. Sem falar no dinheiro para comprar, manter e substituir o objeto.

Essas pessoas não conseguem perceber que uma vida motivada por esse tipo de comportamento não é uma vida livre. Cada novo objeto funciona como um peso que dificulta seus movimentos futuros. Liberdade não é dizer sim para todos os seus desejos. Isso é escravidão. Liberdade é ser capaz de dizer não para os desejos sempre que achar inteligente dizer.

É importante viver uma vida equilibrada. Não é bom viver só para o presente como se você fosse morrer amanhã e nem é bom viver só pensando no futuro como se você fosse eterno ou eterna. A arte está na buscar do equilíbrio.

No próximo artigo irei publicar uma ferramenta online gratuita para ajudar você nesses e em outros cálculos sobre sua aposentadoria e independência financeira.

Aproveito para comunicar que coloquei no ar um presente exclusivo para todos os leitores do Clube dos Poupadores que compraram a minha série de livros (ebooks) sobre reeducação financeira desde o seu lançamento. São esses leitores que patrocinam o trabalho realizado no Clube dos Poupadores. De forma indireta, são eles que pagam para que os demais leitores possam consumir o conteúdo gratuito do Clube dos Poupadores. Quem já entende o valor da educação, financia aquele que ainda não entende.

Esse presente é uma versão versão separada do Clube dos Poupadores que estou construindo aos poucos onde pretendo compartilhar conteúdos mais avançados e que poderão ser acessados por aqueles que já compraram ou que ainda pretendem comprar meus livros. Teremos artigos no formato de minicursos, novas planilhas e simuladores mais avançados. Se você já comprou os livros basta acessar o site, clicar em “Entrar” e usar o mesmo e-mail e senha que você recebeu no dia da compra. Se esqueceu os dados basta recuperar aqui. Para quem ainda não investiu nos livros basta visitar aqui e adquirir para ter o acesso.