Hoje vou mostrar como é possível comprar um carro zero km que custa R$ 64 mil gastando apenas R$ 48 mil do seu bolso (dentro da legalidade). Este caso aconteceu com um leitor do Clube dos Poupadores que compartilhou conosco sua história através da página “Participe” onde você também pode compartilhar histórias interessantes da sua vida financeira que possam ajudar outras pessoas. Para manter a privacidade do leitor irei chama-lo de Pedro.

Fazer o dinheiro trabalhar

Pedro é jovem, casado e no ano de 2010 resolveu comprar um segundo carro para a sua família. Pedro tinha R$ 48 mil e sonhava com um Corolla XLi Automático que em 2010 custava pouco mais de R$ 65.000,00. Fiz uma pesquisa rápida e descobri que o Corolla XLi Automático custava R$ 65.920,00 em 2010 (fonte). Infelizmente Pedro não tinha o dinheiro necessário para comprar o carro à vista. Faltavam R$ 17.920,00 que ele não tinha de onde tirar. (depois leia se vale a pena comprar carro financiado)

Pedro não queria se endividar (fez muito bem) e percebeu que poderia fazer o dinheiro e o tempo trabalhar por ele. Pedro não tinha pressa (grande virtude). O segundo carro seria importante somente quando sua esposa tivesse seu primeiro filho. Quem tem ou já teve filho pequeno sabe que é importante ter um carro em casa enquanto você trabalha. As crianças preferem ficar doentes nos fins de semana, feriados e durante a madrugada. Pedro planejava ter um filho nos próximos 2 ou 3 anos.

Como foi o Investimento

Pedro resolveu esperar investindo o dinheiro que tinha em um CDB pré-fixado de 36 meses (3 anos). A aplicação foi feita em novembro de 2010 e o resgate estava programado para novembro de 2013 com uma rentabilidade bruta de 38,32%. A Selic naquele mês era 10,75% a.a. e o CDB pré-fixado do banco oferecia boa rentabilidade. Isto significa que Pedro sabia previamente que se aplicasse os R$ 48 mil neste CDB receberia R$ 18.393,60 de juros três anos depois. Como você deve saber existe cobrança de imposto sobre esta rentabilidade. Neste caso foi de 15% de Imposto de Renda. O valor é retido pelo banco no momento do resgante do CDB. Desta forma Pedro sabia que iria receber R$ 15.634,56 de juros que somado ao valor principal ficaria em R$ 63.634,56 líquidos.

Leia também

Pedro finalmente recebeu seu dinheiro com os juros em novembro de 2013. Para sua alegria, ao chegar na concessionária da Toyota, constatou que o preço do Corolla tinha caído e não subido (veja aqui). Se antes o modelo XLi automático custava R$ 65.920,00 (2010), agora custa R$ 64.640,00 (2013) na versão 2014. Quando decidiu poupar para depois comprar teve que ouvir várias críticas dos seus amigos endividados sobre um possível aumento no preço dos carros, efeito da inflação, baixa rentabilidade dos investimentos, vantagem de antecipar a compra do carro e etc. Pedro não deu ouvidos e escolheu postergar a compara para ganhar juros. Foi uma ótima decisão.

A renda passiva pagou parte do carro

Podemos afirmar que Pedro comprou um Corolla 2014 por apenas R$ 48.000,00.  O restante não saiu efetivamente do bolso de Pedro. A diferença que faltava foi fruto do dinheiro trabalhando para Pedro, ou seja, resultado dos juros sobre juros ganhos através de uma aplicação financeira.

Precisamos perceber que o dinheiro trabalha para nós no tempo. Dinheiro + Tempo = Mais Dinheiro. Neste nosso exemplo, mais de R$ 15 mil brotaram no bolso do Pedro sem que ele precisasse trabalhar para isto. É o que chamamos de “renda passiva”.

Também não podemos dizer que os R$ 48 mil que Pedro tinha em 2010 foi totalmente fruto do seu trabalho. Pedro já vinha poupando e investindo dinheiro nos últimos anos para atingir os R$ 48 mil. Uma boa parte dos R$ 48 mil também foi ganho através de investimentos. Quanto maior a quantia investida melhores são as opções de investimento que pagam juros maiores. Os bancos costumam oferecer melhores taxas no CDB para quantias maiores e por isto é interessante mudar o investimento quando os valores atingem um determinado patamar.

Agora imagine se Pedro tivesse optado por pagar juros através de um financiamento de veículo. Em 2010 as taxas de juros para este tipo de financiamento variavam entre 1,6% e 2,5% ao mês (fonte). Pedro pagaria mais de R$ 68 mil pelo mesmo carro se tivesse optado por financiar a parte que faltava em 36 meses. Observe que existiu uma diferença de R$ 20 mil entre investir e financiar. Investindo ele passou 3 anos ganhando juros. Financiando ele passaria 3 anos pagando juros.

Preços dos carros sobem pouco

Já faz uma década que o preço dos carros no Brasil sobem menos que a inflação e menos que qualquer investimento em Renda Fixa. O mesmo modelo Corolla em 2003 custava R$ 51.400,00 (fonte). Em 10 anos o carro subiu R$ 13.240,00 (25%).  Se a correção do preço fosse feita pela inflação (IPCA) um Corolla custaria hoje R$ 91.559,30. Se o valor do Corolla em 2003 fosse investido em CDB ou Título Público que acompanha a Selic teríamos hoje R$ 185 mil que é suficiente para comprar quase 3 veículos.

Você pode fazer simulações de quanto teria hoje se tivesse feito investimentos com rentabilidade igual a do CDI clicando aqui.

Se você só conhece a Caderneta de Poupança e gostaria de aprender a investir em renda fixa como CDB, Tesouro Direto e outros investimentos conheça o Livro que fala sobre como investir em Renda Fixa. Outro ótimo livro é o Como Investir Dinheiro.

Simulador de valor futuro

Você também pode planejar a compra de um carros, notebooks, smartphones ou qualquer outro bem. No lugar de comprar financiado para pagar juros você pode juntar o próprio dinheiro para ganhar juros. Desta forma você vai precisar de menos dinheiro para comprar o mesmo bem. Não se preocupe com o efeito da inflação. Já faz muitos anos que vários produtos não sobem de preço seguindo a inflação, principalmente os produtos eletrônicos e veículos (veja o gráfico da direita). Se os preços não sobem e você pode ganhar juros não faz sentido se endividar.

No site do Banco Central existe um simulador de “Valor Futuro do Dinheiro” clique aqui para acessar. Você deve preencher os campos deixando em branco aquele campo que você gostaria de descobrir. Observe que existem exemplos logo abaixo do simulador. É interessante ler para entender como funciona.

Para reproduzir a compra do carro do Pedro bastaria digitar o número de 36 meses. A taxa de juros mensal foi de mais ou menos 0,79%. O capital era de R$ 48 mil. O campo “Valor obtido ao final” você deve deixar em branco porque esta é a informação que você deseja saber. Agora basta clicar no botão calcular.

Agora comece a brincar com o simulador. Troque o valor final que você deseja obter e deixe o número de meses em branco para descobrir quantos meses você precisa esperar para atingir outro valor final.

Conhecer o Livro

O Segredo dos Carros

Não seja enganado por vendedores de carros, concessionárias, financeiras e corretoras de seguros. Aprenda como funciona o mercado de carros novos e usados. Saiba como trocar de carro sem perder dinheiro.
Conhecer o Livro