Resolvi falar sobre bitcoin devido ao grande número de mensagens que estou recebendo dos leitores do Clube dos Poupadores me pedindo para escrever sobre o tema. Meu objetivo aqui será muito mais falar sobre o que penso, ou seja, exercendo meu direito de expressar minha opinião, do que ensinar você a ganhar dinheiro fácil com bitcoin ou ficar rico com bitcoin.

Bitcoin não é investimento

As mensagens que recebo já começam assim: “Leandro, bitcoin é um bom investimento?”. A primeira coisa que você precisa entender é que bitcoin é uma moeda. Mas não é uma moeda como o real, dólar ou euro. Ela não existe fisicamente. Não é emitida por um governo que obriga os cidadãos do seu país de aceitá-la por força da lei. No Brasil as pessoas são obrigadas a aceitar o real através da Lei de Contravenções Penais no artigo 43 (fonte) e decreto 857 (fonte).

Quando você compra uma moeda qualquer com o objetivo de fazer apostas sobre sua valorização futura, você está especulando. Quando alguém me pergunta se é uma boa ideia especular com moedas a minha resposta padrão é um “depende” seguido de uma outra pergunta: “Você é bom especulador de moedas?”.

Não tenho nada contra aqueles que tomam a decisão consciente apostar dinheiro através de operações especulativas. Se você conhece os riscos e sabe o que está fazendo, tudo bem. Nesse caso, se você perder tudo que apostou, tudo bem, você já sabia que esse é o preço de toda especulação.

O problema que combato como educador é a falta de consciência das pessoas. O que cada um faz com o próprio dinheiro é uma questão pessoal de cada leitor.

Você deve ser livre para fazer escolhas conscientes sobre o seu dinheiro. Só que se você depende da opinião dos outros sobre o que deve ou não fazer com o seu dinheiro, isso significa que ainda não é uma pessoa livre para investir ou especular.

Todo investimento é ruim, toda operação especulativa é ruim se você não souber o que está fazendo e depender da opinião dos outros para tomar decisão colocando o seu dinheiro em risco.

Se você tem o objetivo de ganhar dinheiro com apostas, ou seja, com especulações, você não definitivamente não precisa do bitcoin. Existem outras formas de especular no Brasil em mercados que são regulamentados.

É possível especular comprando e vendendo moedas estrangeiras e metais como o ouro.

Até os alimentos e produtos agrícolas podem ser objeto de ganhos especulativos se você souber o que está fazendo. Todos os dias existem pessoas ganhando e perdendo dinheiro apostando no preço do café, milho, soja, boi, açúcar, etanol e petróleo na bolsa de valores através de um mercado chamado “Mercado Futuro”. Tudo isso sem nunca terem plantado, colhido ou visto um pé de café, milho ou soja (veja aqui). Nesse mercado as pessoas negociam contratos que nada mais são do que arquivos digitais dentro dos computadores da bolsa.

Existe um motivo simples que me faz ficar bem longe dos mercados especulativos. Eu não entendo nada sobre o mercado de café, milho, soja, boi, açúcar, etanol, petróleo, dólar ou bitcoin.

Se você entende desses mercados, ótimo. Agora a situação começa a ficar diferente. Quando não temos nenhum conhecimento sobre um mercado e resolvemos especular temos 50% de chance de ganhar dinheiro e 50% de perder. Isso significa contar com a sorte. Não podemos confundir investimento com jogo de sorte e azar.

Já quando você resolve se tornar um especialista em café, a situação fica diferente. Talvez você tenha condições técnicas de avaliar se o preço do café tem maior probabilidade de aumentar do que cair nos próximos meses. Você pode estudar dados estatísticos e até informações meteorológicas para projetar qual será a oferta e a demanda de café no futuro e como isso vai impactar o seu preço.

Quem especula no mercado de petróleo faz isso de forma profissional e não conta com a sorte. Existem empresas que monitoram todos os navios petroleiros que estão circulando pelo mundo nesse exato momento com o objetivo de gerar relatórios sobre oferta e demanda que podem impactar no preço do petróleo mundial. A figura abaixo é de um sistema de monitoramento de navios via satélite (fonte)

Quando entramos no universo das moedas a situação fica mais complicada. Decisões políticas, fatos econômicos, militares e até catástrofes da natureza influenciam a cotação das moedas pelo mundo a cada segundo. Especular com moedas não é uma atividade para amadores.

Para piorar a situação a cotação das moedas pelo mundo pode sofrer manipulação (veja um exemplo). Quando os grandes se unem para manipular o mercado, adivinhe quem sai perdendo. Os pequenos, é claro.

Se você realmente pretende especular com moedas, especialmente uma moeda virtual como o bitcoin, faça isso com consciência. Como mostrei até aqui, existem mercados especulativos que transacionam bens que realmente são demandados. Como mostrei nesse artigo chamado “O dinheiro não é real” as pessoas que acumulam grande fortuna não necessariamente acumulam dinheiro. Elas acumulam bens que possuem algum valor. Essas pessoas entendem que a moeda é apenas um meio de troca e não possui valor em si mesma. Para quem quer especular através de mercados regulamentados no Brasil e precisa de um curso sobre o assunto eu recomendo esse aqui.

Bitcoin e pirâmide financeira

Várias pessoas que entraram em contato comigo perguntando se bitcoin é um bom investimento foram motivadas pelas ofertas feitas por “amigos” que estão envolvidos com esquemas de pirâmide financeira. Tenho a impressão de que várias “empresas” estão surgindo recrutando pessoas para oferecerem produtos ou serviços relacionados com bitcoin, mas que na verdade são esquemas de pirâmide.

Esses esquemas funcionam assim:

  1. Alguém entra em contato com você querendo apresentar uma oportunidade única.
  2. Quando você dá atenção para a pessoa ela conta que está ficando rica, sem trabalho, sem esforço, nas horas livres e que está disposta a revelar para você como participar desse mercado maravilhoso de enriquecimento fácil.
  3. Você é induzido a pagar para ter acesso a essa grande oportunidade. Ai você descobre que para ganhar dinheiro no esquema basta encontrar outras pessoas que aceitem fazer aquilo que você acabou de fazer que é pagar uma quantia para ter acesso a um negócio que promete render dinheiro sem muito trabalho e esforço onde o retorno é garantido.

Uma das características do bitcoin é a dificuldade de rastrear as transações. Quando você deposita dinheiro (reais) na conta de alguém e depois descobre que foi vítima de um golpe é fácil descobrir quem foi que aplicou o golpe através dos dados da conta bancária.

Quando você faz o pagamento com bitcoin é muito difícil fazer esse rastreamento. Se você entrar em um esquema de pirâmide financeira que faz uso de bitcoin e os responsáveis pelo esquema desaparecerem, você ficará no prejuízo para sempre, pois muitas vezes essas empresas que oferecem os esquemas de enriquecimento fácil estão no exterior. Nenhuma autoridade brasileira poderá ajudar nesse caso. Você não terá para quem reclamar.

Outra coisa importante é que existe uma enorme diferença quando você negocia bitcoin de forma especulativa e negocia outros investimentos especulativos na bolsa de valores.

Tudo que você faz na bolsa, através das corretoras, é regulamentado. Se ocorrer qualquer problema, tudo que ocorreu poderá ser rastreado, investigado e os responsáveis serão responsabilizados e punidos por prejuízos. O mesmo não ocorre se você enfrentar qualquer problema que envolva moedas virtuais através das corretoras estrangeiras que operam com essa moeda.

Dessa forma, se alguém aparecer para você oferecendo qualquer oportunidade de ganhar dinheiro rápido e fácil ou de ficar rico com bitcoin é melhor desconfiar. Não pague nada por essas ofertas milagrosas. Não perca o seu tempo.

Bitcoin como moeda

O bitcoin possui características interessantes quando o seu objetivo é usá-lo como moeda ou meio de troca. Foi para isso que ele, teoricamente, foi criado. Se você precisa pagar serviços contratados no exterior ou fazer compras lá fora em lojas que aceitam bitcoin, o processo de pagamento é muito simples e barato, já que não existem cobranças de taxas elevadas ou impostos nessas transações internacionais.

O grande problema do bitcoin como moeda é a sua volatilidade, ou seja, o seu valor em relação ao real (R$) sofre grandes variações. Uma característica desejável para uma moeda deveria ser a sua estabilidade. A nossa moeda e a maioria das moedas do mundo não possuem um valor constante. As decisões do governo brasileiro, suas políticas econômicas, a inflação, crises, escândalos e 1001 fatores fazem o valor da nossa moeda variar. O mesmo ocorre com os bitcoin. Milhares de fatos, eventos e notícias que ocorrem por toda parte do mundo influência na demanda por bitcoin. Quanto mais a moeda é demandada, mais o seu valor aumenta e quanto menos é demandada, mais o seu valor cai.

Não é nada agradável acordar e descobrir que aquele bitcoin que você comprou para especular acabou perdendo valor. Exemplo:

Para complicar a situação, não existe somente o bitcoin no mundo das moedas virtuais. Existem outras moedas surgindo e elas acabam concorrendo entre si pela preferência das pessoas (veja a notícia). Como você pode ver na reportagem, as moedas virtuais são baseadas em tecnologias e essas tecnologias podem ter vantagens, desvantagens e limitações. Uma tecnologia inovadora de hoje pode ser superada por uma tecnologia revolucionaria criada amanhã. Se por algum motivo um grande número de proprietários de bitcoins acordarem convencidos de que bitcoin não é uma boa ideia e resolverem migrar seus “investimentos” para outra moeda, teremos um grande problema para quem possui bitcoin como reserva de valor ou especulação.

Quem criou o bitcoin?

Por muito tempo se acreditava que o Bitcoin tinha sido desenvolvido por um programador japonês, que se escondia através do pseudônimo Satoshi Sakamoto. Em 2016 apareceu um australiano dizendo que era o japonês misterioso (veja aqui).

“Eu realmente não queria ser a face pública de nada. Preferiria não fazer isso. Quero trabalhar, quero continuar fazendo o que quero fazer. Não quero dinheiro. Não quero fama. Não quero adoração. Só quero ser deixado em paz. – Craig Wright (criador do Bitcoin)”

Pela frase acima (veja mais aqui), o suposto criador do bitcoin não parece muito feliz e orgulhoso do seu feito. Como você pode ver na matéria, acredita-se que o criador do bitcoin tenham guardado cerca de um milhão de bitcoins. Certamente os primeiros envolvidos com a moeda possuem fortunas em bitcoins. No dia que estava escrevendo esse artigo 1 bitcoin valia R$ 9.647,04 (fonte). Se Craig Craing possui 1 milhão de bitcoin isso significa que ele criou (a partir do nada) um fortuna de mais de R$ 9 bilhões.

Imagine se todo mundo soubesse que você tem R$ 9 bilhões e que esse dinheiro foi criado do nada. Será que você ficaria feliz sabendo que o governo e os demais ladrões do mundo conhecem sua identidade? É natural que o suporto criador do bitcoins queira ser deixado em paz com seus bilhões.

O curioso é que apenas algumas horas depois da revelação de que o australiano era o japonês criador do bitcoin, sua casa foi invadida por mais de dez policiais federais australianos que faziam investigações sobre sonegação fiscal.

Além de tudo isso, dentro do ambiente de desenvolvimento da moeda existem inúmeras polêmicas e desentendimentos. Veja um exemplo:

Na reportagem da figura acima (veja aqui) encontramos declarações de um desenvolvedor da moeda que diz:

“O que era para ser uma nova forma decentralizada do dinheiro onde falta sistematicamente instituições importantes e era muito grande para falhar se tornou algo ainda pior: um sistema completamente controlado por um pequeno grupo de pessoas… Pior ainda, a rede está a beira de seu colapso técnico. Os mecanismos que deveriam prevenir esse desfecho se romperam, e como resultado, não há mais razão para pensar que o Bitcoin pode realmente ser melhor do que o sistema financeiro existente”, Hearn escreveu.

Sabemos que tecnologias existem para serem superadas e substituídas. Quando a moeda é uma tecnologia e ela é controlada por um pequeno grupo de pessoas, no lugar de ser controlada por um pequeno grupo de presidentes de bancos centrais, você acaba trocando seis por meia dúzia.

Não faz muito tempo que aconteceu o maior ataque de hackers na internet de todos os tempos. Mais cem países foram afetados. Milhares de computadores foram invadidos e os hackers pediam bitcoins para devolver os dados roubados. Os hackers só esqueceram que quase ninguém sabe usar bitcoin (veja aqui).

Uma moeda que poucas pessoas sabem usar parece um problema grave até para os criminosos. Já foram registrados casos de sequestro no Brasil onde os sequestradores exigiram o pagamento em moeda digital (fonte). A dificuldade de rastrear o dinheiro digital cria uma vantagem para o seu uso no crime. Mas isso também ocorre com uma faca de cozinha. Ela pode ser usada por um cozinheiro e pode ser usada por um criminoso.

Conclusão

Eu acho fantástica a ideia de uma moeda mundial que não possa ser controlada pelos políticos de nenhum governo. Acho fantástica a ideia de uma moeda que possua uma quantidade limitada em circulação, que realmente possa ser usada como um meio de troca seguro e estável. O único problema que vejo é que isso precisa ser combinado com todas as pessoas do planeta e isso inclui os políticos que as pessoas elegem nas eleições que acontecem nos países democráticos.

Sabe o que acontece quando você tenta colocar a carroça na frente dos bois (ou dos cavalos) e tenta fazer os bois empurrarem a carroça de trás para frente?

Como educador financeiro, trabalho todos os dias motivando as pessoas para que aprendam sobre cuidar do próprio dinheiro. Escrevo artigos como esse, escrevo livros, respondo perguntas e posso dizer que é uma tarefa difícil. Todo mundo gosta de gastar dinheiro. Alguns gostam de fazer dinheiro e poucos gostam de cuidar do próprio dinheiro (poupar e investir).

As pessoas ainda não aprenderam a lidar com o próprio dinheiro, esse dinheiro normal, arcaico da era analógica. Mesmo assim elas querem ficar ricas fazendo investimentos especulativos utilizando a moeda digital só por terem visto uma reportagem Jornal da Globo.

Não faz muito tempo que a bolsa fez uma pesquisa para descobrir o que o brasileiro anda fazendo com o próprio dinheiro quando o assunto é investimento. A conta poupança é o investimento preferido pela população, com 44,4% do total de recursos aplicados, seguida pela conta corrente, com 37%. Por incrível que pareça existem muitos brasileiros que acreditam que a conta corrente é um tipo de investimento. Os imóveis, apareceram com 3,7%, e os títulos de capitalização (3,3%). Menos de 1% disse investir em ações; os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) aparecem com 0,8%; os fundos de renda fixa, com 0,6%; os fundos DI, com 0,6%; e o ouro, com 0,6%.

Se você chegou neste artigo depois de ler alguma coisa sobre a possibilidade de ficar rico investindo em bitcoins, eu lamento informar que você está querendo colocar a carroça na frente dos bois.

Existe um verdadeiro mundo de coisas que você deveria estudar sobre investimentos antes de pensar na possibilidade de lucrar com operações especulativas utilizando qualquer coisa que possa atender essa finalidade como moedas digitais, moedas estrangeiras, contratos futuros de soja, milho, ouro, etc.

Só invista naquilo que você entende. Só invista naquilo que você conhece.

Primeiro invista na sua educação, torne-se um investidor de verdade. Comece pelo básico e somente depois avance com responsabilidade, caso queira, nos investimentos mais sofisticados. Enquanto não estiver preparado, fique bem longe dos investimentos especulativos.