Nenhum produto está barato se você não estiver realmente precisando dele. Não importa se o desconto é de 80 ou 90%. Não importa se o frete é grátis. Não importa se a Black Friday só acontece uma vez por ano. Se você não precisa do produto, qualquer preço está caro. Até se o produto e o frete forem gratuitos, ainda sim, você deveria pensar se realmente precisa acumular mais uma tralha sem utilidade na sua casa.

Por este motivo, promoções como a Black Friday podem se transformar em uma armadilha para o equilíbrio da sua vida financeira. Vou apresentar aqui algumas dicas para que você aproveite o momento para comprar da forma correta.

Antes, vou aproveitar para responder aqui as diversas mensagens que recebi perguntando sobre qual será o desconto que vou oferecer durante a Black Friday para a compra dos meus livros. Não vou participar da Black Friday por 3 motivos:

  1. Tenho várias críticas ao Black Friday e seria um contrassenso da minha parte participar deste tipo de evento. O Black Friday usa uma estratégia de marketing agressiva, orquestrada para promover a compra por impulso de bens e serviços que você não precisa. Estimula o ato de comprar pelo prazer de comprar e não pela necessidade. É ótimo para o comércio, mas é péssimo para aquelas pessoas que sofrem as consequências da falta de educação financeira. Os estímulos são agressivos e fica difícil para uma pessoa fragilizada manter-se no controle.
  2. Não vou oferecer desconto pelo respeito que tenho por todas as dezenas de milhares de pessoas que investiram na própria educação através dos meus livros. É o investimento que essas pessoas fazem que torna o Clube dos Poupadores um projeto economicamente viável. Foram as dezenas de milhares de leitores que adquiriram meus livros nos últimos anos que garantiram o acesso de milhões de outras pessoas ao conteúdo que publico gratuitamente todas as semanas no Clube.
  3. Se você só está disposto a investir na sua educação financeira se receber um desconto para comprar um livro ou um curso, isso é um sinal de que você ainda não está preparado. Você ainda não compreendeu o valor que a educação possui e o enorme custo da ignorância. O custo da educação é visível, está no preço dos produtos de educação, mas o custo da ignorância é invisível e se fosse facilmente percebido as pessoas não hesitariam em investir nelas mesmas todos os meses, sem pensar duas vezes, da mesma forma que fazem sempre que entram em um bar para comer, beber e falar coisas sem importância com os amigos.

Minhas dicas para você que vai encarar a Black Friday:

Se você já é uma pessoa financeiramente disciplinada, controlada, sabe usar seu dinheiro de forma inteligente e estratégica, a Black Friday pode ser uma oportunidade para adquirir produtos bem específicos que você realmente está precisando.

Dica 1 – Não importa se está barato

Recentemente alguém me perguntou se não iria aproveitar a promoção de um site de compras coletivas, que oferecia uma casquinha de sorvete por R$ 0,01 em um desses quiosques que existem nos shoppings. Respondi que a casquinha estava muito cara, pois não precisava de uma casquinha. Tudo que não preciso, está caro. Já comentei em outro artigo que estou passando por um processo reeducação alimentar e mudança de hábitos que até o momento me fez perder 22 kg. Nessa situação, até se a casquinha fosse de graça ela seria cara, pois estaria na contramão dos meus objetivos.

Durante a Black Friday você vai encontrar muitos produtos com preços realmente baixos, mas isso não significa que eles são baratos diante dos seus objetivos. Lembre-se de avaliar tudo com base na sua realidade. Não importa o tamanho da promoção.

Dica 2 – Você não vai perder nada

Tudo na Black Friday é arquitetado para que você tenha o claro sentimento de que irá perder alguma coisa especial, que só acontece uma vez por ano. No dia seguinte, seus amigos vão comentar que conseguiram descontos de muitos % e você ficará com aquela impressão de que perdeu dinheiro. Você não vai perder nada a não ser que compre alguma coisa que não precisa, pois neste caso você perderá sua coerência e seu dinheiro.

Dica 3 – Respeite seu dinheiro

São poucas as pessoas que entendem o dinheiro da forma correta. Não sei se você já parou para pensar sobre isso, mas dinheiro é uma maneira de medir a vitalidade que você perdeu para consegui-lo. Você sempre está trocando um pouco da sua vida por um pouco de dinheiro. Se a sua vida vale muito, o seu dinheiro deveria valer de forma proporcional. Vou explicar: Para conseguir dinheiro você certamente gastou um pouco do seu tempo de vida, sua energia mental e física.

Esse desgaste ocorre todos os dias quando você vai para o trabalho. Seu tempo e essa energia que você gastou nunca mais voltará, pois, cada dia que passa nos aproximamos do fim da nossa existência.

Seu tempo e sua energia são seus bens mais valiosos, mas são vendidos por muito pouco quando você trabalha para uma empresa ou quando atende um cliente.

Quando você faz uma compra por impulso, sem pensar se aquilo realmente é importante e necessário, sem avaliar o custo e o benefício, você está literalmente desrespeitando o seu dinheiro.

Como para conseguir esse dinheiro você jogou um pouco da sua vida pela janela, ao desperdiçar dinheiro você está desperdiçando sua vida.

Não estou dizendo que você deva ser um pão duro, inclusive já percebi que existem leitores aqui no Clube dos Poupadores que sofrem desse problema. Evite os extremos. Entre 8 e 80 existem muitas alternativas.

Estou dizendo que você deve viver de forma consciente. Você precisa ter consciência do que está fazendo em cada decisão que toma envolvendo o consumo do seu tempo, da sua energia vital (trabalho) e do seu dinheiro que literalmente representa de forma numérica o tempo e a energia que você gastou para consegui-lo.

Respeite sua vida quando for gastar seu dinheiro.

Dica 4 – Monitorando os preços

Se você realmente precisa comprar alguma coisa neste momento eu recomendo que faça uso dos gráficos de preço gerados pelo site Buscapé e Zoom. Esses gráficos apresentam um histórico dos menores preços dos últimos meses. Veja o exemplo do gráfico abaixo.

Ele mostra a variação do menor preço de uma geladeira nos últimos 12 meses.

Problemas na Black Friday

Não existe nada de graça, nem as promoções da Black Friday são de graça. Para aproveitar as promoções você terá que gastar bastante tempo enfrentando a lentidão e os erros no funcionamento dos sites. As empresas não costumam se preparar da forma correta para receber um número maior de visitantes nos sites. Todos os setores das empresas de comércio eletrônico ficam sobrecarregados e neste ambiente de sobrecarga os erros em todos os processos acontecem com frequência. O desconto acaba servindo apenas como “prêmio” para a dor de cabeça que você terá ao optar pela compra durante esse momento em que todos estão querendo fazer a mesma coisa.

Conclusão:

Compre com consciência e respeite o tempo e a energia que você gasta todos os dias para conseguir o seu dinheiro. Termino o artigo mostrando uma seleção de imagens que mostram o que realmente representa a “sexta-feira negra” no país onde o dia foi criado. Não existe promoção nenhuma que compense o comportamento das pessoas nesta seleção de imagens.