Black Friday vale a pena?

Nenhum produto está barato se você não estiver realmente precisando dele. Não importa se o desconto é de 80 ou 90%. Não importa se o frete é grátis. Não importa se a Black Friday só acontece uma vez por ano. Se você não precisa do produto, qualquer preço está caro. Até se o produto e o frete forem gratuitos, ainda sim, você deveria pensar se realmente precisa acumular mais uma tralha sem utilidade na sua casa.

Por este motivo, promoções como a Black Friday podem se transformar em uma armadilha para o equilíbrio da sua vida financeira. Vou apresentar aqui algumas dicas para que você aproveite o momento para comprar da forma correta.

Antes, vou aproveitar para responder aqui as diversas mensagens que recebi perguntando sobre qual será o desconto que vou oferecer durante a Black Friday para a compra dos meus livros. Não vou participar da Black Friday por 3 motivos:

  1. Tenho várias críticas ao Black Friday e seria um contrassenso da minha parte participar deste tipo de evento. O Black Friday usa uma estratégia de marketing agressiva, orquestrada para promover a compra por impulso de bens e serviços que você não precisa. Estimula o ato de comprar pelo prazer de comprar e não pela necessidade. É ótimo para o comércio, mas é péssimo para aquelas pessoas que sofrem as consequências da falta de educação financeira. Os estímulos são agressivos e fica difícil para uma pessoa fragilizada manter-se no controle.
  2. Não vou oferecer desconto pelo respeito que tenho por todas as dezenas de milhares de pessoas que investiram na própria educação através dos meus livros. É o investimento que essas pessoas fazem que torna o Clube dos Poupadores um projeto economicamente viável. Foram as dezenas de milhares de leitores que adquiriram meus livros nos últimos anos que garantiram o acesso de milhões de outras pessoas ao conteúdo que publico gratuitamente todas as semanas no Clube.
  3. Se você só está disposto a investir na sua educação financeira se receber um desconto para comprar um livro ou um curso, isso é um sinal de que você ainda não está preparado. Você ainda não compreendeu o valor que a educação possui e o enorme custo da ignorância. O custo da educação é visível, está no preço dos produtos de educação, mas o custo da ignorância é invisível e se fosse facilmente percebido as pessoas não hesitariam em investir nelas mesmas todos os meses, sem pensar duas vezes, da mesma forma que fazem sempre que entram em um bar para comer, beber e falar coisas sem importância com os amigos.

Minhas dicas para você que vai encarar a Black Friday:

Se você já é uma pessoa financeiramente disciplinada, controlada, sabe usar seu dinheiro de forma inteligente e estratégica, a Black Friday pode ser uma oportunidade para adquirir produtos bem específicos que você realmente está precisando.

Dica 1 – Não importa se está barato

Recentemente alguém me perguntou se não iria aproveitar a promoção de um site de compras coletivas, que oferecia uma casquinha de sorvete por R$ 0,01 em um desses quiosques que existem nos shoppings. Respondi que a casquinha estava muito cara, pois não precisava de uma casquinha. Tudo que não preciso, está caro. Já comentei em outro artigo que estou passando por um processo reeducação alimentar e mudança de hábitos que até o momento me fez perder 22 kg. Nessa situação, até se a casquinha fosse de graça ela seria cara, pois estaria na contramão dos meus objetivos.

Durante a Black Friday você vai encontrar muitos produtos com preços realmente baixos, mas isso não significa que eles são baratos diante dos seus objetivos. Lembre-se de avaliar tudo com base na sua realidade. Não importa o tamanho da promoção.

Dica 2 – Você não vai perder nada

Tudo na Black Friday é arquitetado para que você tenha o claro sentimento de que irá perder alguma coisa especial, que só acontece uma vez por ano. No dia seguinte, seus amigos vão comentar que conseguiram descontos de muitos % e você ficará com aquela impressão de que perdeu dinheiro. Você não vai perder nada a não ser que compre alguma coisa que não precisa, pois neste caso você perderá sua coerência e seu dinheiro.

Dica 3 – Respeite seu dinheiro

São poucas as pessoas que entendem o dinheiro da forma correta. Não sei se você já parou para pensar sobre isso, mas dinheiro é uma maneira de medir a vitalidade que você perdeu para consegui-lo. Você sempre está trocando um pouco da sua vida por um pouco de dinheiro. Se a sua vida vale muito, o seu dinheiro deveria valer de forma proporcional. Vou explicar: Para conseguir dinheiro você certamente gastou um pouco do seu tempo de vida, sua energia mental e física.

Esse desgaste ocorre todos os dias quando você vai para o trabalho. Seu tempo e essa energia que você gastou nunca mais voltará, pois, cada dia que passa nos aproximamos do fim da nossa existência.

Seu tempo e sua energia são seus bens mais valiosos, mas são vendidos por muito pouco quando você trabalha para uma empresa ou quando atende um cliente.

Quando você faz uma compra por impulso, sem pensar se aquilo realmente é importante e necessário, sem avaliar o custo e o benefício, você está literalmente desrespeitando o seu dinheiro.

Como para conseguir esse dinheiro você jogou um pouco da sua vida pela janela, ao desperdiçar dinheiro você está desperdiçando sua vida.

Não estou dizendo que você deva ser um pão duro, inclusive já percebi que existem leitores aqui no Clube dos Poupadores que sofrem desse problema. Evite os extremos. Entre 8 e 80 existem muitas alternativas.

Estou dizendo que você deve viver de forma consciente. Você precisa ter consciência do que está fazendo em cada decisão que toma envolvendo o consumo do seu tempo, da sua energia vital (trabalho) e do seu dinheiro que literalmente representa de forma numérica o tempo e a energia que você gastou para consegui-lo.

Respeite sua vida quando for gastar seu dinheiro.

Dica 4 – Monitorando os preços

Se você realmente precisa comprar alguma coisa neste momento eu recomendo que faça uso dos gráficos de preço gerados pelo site Buscapé e Zoom. Esses gráficos apresentam um histórico dos menores preços dos últimos meses. Veja o exemplo do gráfico abaixo.

Ele mostra a variação do menor preço de uma geladeira nos últimos 12 meses.

Problemas na Black Friday

Não existe nada de graça, nem as promoções da Black Friday são de graça. Para aproveitar as promoções você terá que gastar bastante tempo enfrentando a lentidão e os erros no funcionamento dos sites. As empresas não costumam se preparar da forma correta para receber um número maior de visitantes nos sites. Todos os setores das empresas de comércio eletrônico ficam sobrecarregados e neste ambiente de sobrecarga os erros em todos os processos acontecem com frequência. O desconto acaba servindo apenas como “prêmio” para a dor de cabeça que você terá ao optar pela compra durante esse momento em que todos estão querendo fazer a mesma coisa.

Conclusão:

Compre com consciência e respeite o tempo e a energia que você gasta todos os dias para conseguir o seu dinheiro. Termino o artigo mostrando uma seleção de imagens que mostram o que realmente representa a “sexta-feira negra” no país onde o dia foi criado. Não existe promoção nenhuma que compense o comportamento das pessoas nesta seleção de imagens.

By |24/11/2016|Categories: Consumo|138 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

138 Comments

  1. Mário Sérgio Capalbo 24 de novembro de 2016 at 16:12 - Reply

    Leandro,
    Boa tarde. Mais claro impossível o conteúdo desta matéria. Está Black Friday é somente mais uma maneira do brasileiro gastar o pouco dinheiro que tem. São poucos que irão realmente gastar com consciência por necessidade. Às vezes por mais que se fale é inútil. Por isto o governo deita e rola em cima do povo. Grande abraço e parabéns pelo seu site.

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 17:59 - Reply

      Oi Mário, é isso mesmo que acontece.

    • Thárcio 25 de novembro de 2016 at 11:14 - Reply

      O primeiro parágrafo já resumiu muito bem a realidade. Parabéns, Leandro!

  2. Rafael de Araújo 24 de novembro de 2016 at 16:24 - Reply

    Faltou a dica 4! rs

  3. Adauto 24 de novembro de 2016 at 16:36 - Reply

    Só pra ilustrar a Black Friday, ano passado achei uma promoção bombástica de algo que eu teria que comprar no site da Kabum e eles colocavam um cronômetro pra começar a valer e você só poderia comprar quando o cronômetro zerasse.
    O produto em questão tinha 100 umidades disponíveis e fiquei namorando ele por 1 hora e assim que o cronômetro zerou eu apertei rapidamente em comprar e pra minha surpresa quando foi pra finalizar o pedido deu estoque zerado porque tinham vendido todos as 100 unidades.
    Fiquei P. Da vida e fui dormir pois já era de madrugada.
    Sem contar que os sites travam sempre é você perde a compra. Realmente conseguir descontos de verdade é uma tremenda maratona.

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:01 - Reply

      Oi Adauto. O pior é que você nunca saberá se eles realmente tinham 100 unidades no estoque.

    • Robson 25 de novembro de 2016 at 9:38 - Reply

      Bom dia Adauto, aconteceu exatamente isso comigo na BlackFriday de 2014, porém, salvei a pagina do site onde constava o número de unidades do produto que eu queria e enviei para eles o pedido e o erro que acontecia na hora de encerrar a compra, no dia seguinte, entrei em contato com a loja e eles tiveram que mandar o produto pelo preço do dia anterior, ou seja, pelo preço da promoção. Segui uma orientação do procon na época, acredito que ainda vale.

  4. Aeroelias 24 de novembro de 2016 at 16:44 - Reply

    Boa Tarde Leandro

    Mais uma vez perfeito, pena que os grandes meios de comunicação em seus horários nobres nunca irão falar nada sobre isto, pois além das lojas que vendem os produtos eles são beneficiados pelo dinheiro dos anúncios das grandes redes varejistas na black friday e durante todo o ano. Eu mesmo comprovei a enganação neste ano, há três semanas comprei um celular para minha esposa (vinha monitorando o preço a meses) e quando vi que estava em um m site a de 599 por 379 fui lá e comprei. Agora na black fraude está a 549, mas caro que paguei. A pesquisa de preço frequente é a verdadeira “black Friday” do consumidor / investidor consciente.

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:04 - Reply

      Oi Aeroelias. Os meios de comunicação vivem dessas datas. As empresas aumentam as despesas com publicidade.

  5. Vinícius 24 de novembro de 2016 at 16:50 - Reply

    Parabéns pela postura Leandro. Sou totalmente a favor do que você disse. Abraços!

  6. Marcelo Borth 24 de novembro de 2016 at 16:56 - Reply

    Muito bom. Parabéns pelas dicas.

  7. vinicius hendges 24 de novembro de 2016 at 16:56 - Reply

    É Leandro vem mais um dia de ” promoção” Acabei de orientar uma amiga que me perguntou: vi uma televisão cheio de frescura com smart muito barato no Black Friday. “As pessoas nem tem tempo para ver TV, hoje em dia” Perguntei: qual era o sonho além da TV, um carro, então a TV não é o seu sonho. Pega esse dinheiro que iria gastar na TV e guarda para algo maior. Deixa passar essa vontade sem sentido e depois verá que era só o fantasma do consumismo te desorientando….

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:07 - Reply

      Oi Vinicius. O pior é que esse “cheio de frescura” são tecnologias que tornam a televisão mais cara e são raras as pessoas que entendem o que significa essas tecnologias. A pessoa paga por uma tecnologia mais cara que não será útil. É o mesmo que jogar dinheiro pela janela. Nada contra quem compra a televisão com tecnologias adicionais por gostar, por entender que aquilo gera algum benefício na imagem ou no som. O problema é que são poucas as pessoas que compram dessa forma, com consciência.

  8. Agton 24 de novembro de 2016 at 16:59 - Reply

    Parabéns Leandro pelo excelente artigo! Alguns meios de comunicação nestes últimos dias divulgaram que empresas aéreas farão promoções de milhas, corretoras de valores farão promoções em suas taxas e produtos, e que bancos fariam redução de taxas na negociação de dívidas e que alguns cartões de crédito teriam taxas de anuidade mais competitivas. Vamos ver o que acontece… Mesmo assim é preciso cuidado para não consumir sem necessidade. Milhas por valores vantajosos que tornam nossas viagens mais em conta, isenções de taxas em corretoras e bancos, e outros produtos e serviços que contribuem para a economia são muito bem vindos. Precisamos também ficar atentos a algumas poucas oportunidades que poderíamos ter.

    Abraço!

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:09 - Reply

      Oi Agton. Se realmente fazia parte do seu plano fazer uma viagem não tem nenhum problema em aproveitar o momento. O problema é quando você inventa uma viagem que não faz parte do seu planejamento, não consta do seu orçamento, vai acabar prejudicando sua vida financeira só pelo fato de estar na promoção (uma oportunidade). As vezes a pessoa esquece que uma viagem não é feita só de passagem. Existe a hospedagem, almoços, jantas, passeios, compras, etc.

  9. Wilson 24 de novembro de 2016 at 17:01 - Reply

    Parabéns pelo artigo Leandro Ávila, como todos os outros artigos de sua autoria são enriquecedores, agregam muito valor e conhecimento para vida toda. Estou acompanhando os seus artigos sobre vários temas pertinentes a nossa vida financeira, e grande parte do aprendi nesses últimos meses certamente foi graças a você, muito obrigado pela dedicação em ensinar e instruir milhares de brasileiros a educação financeira. Desejo tudo de bom, fica com Deus, abs

  10. Tauranis 24 de novembro de 2016 at 17:17 - Reply

    Black Fraude – Tudo pela metade do dobro.

  11. WALTER D AQUINO DA SILVA 24 de novembro de 2016 at 17:19 - Reply

    Para variar, mais um texto que no traz diversas reflexões. Hoje escutei na CBN que a Black Friday é uma antecipação do Natal, então imagine o tamanho do faturamento das empresas. Ano passado, diversos amigos meus, após participarem desta promoção chegaram a seguinte conclusão: Para que comprei este objeto ? Bem esta a sua reflexão, que é importante neste momento preocupante da economia.

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:12 - Reply

      Oi Walter. Os produtos com os maiores descontos são quinquilharias entre um ou outro produto que realmente possui utilidade e demanda.

      .

  12. Fujimoto 24 de novembro de 2016 at 17:23 - Reply

    Boa noite!

    Como sempre, excelente artigo!

    Até o momento só aproveitei a promoção do Banco Daycoval com 105 % do CDI com liquidez diária.

    Abc.

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:10 - Reply

      Oi Fujimoto, é abriga pelo seu dinheiro. Até os bancos entraram.

  13. Fernando 24 de novembro de 2016 at 17:38 - Reply

    Parabéns pelo trabalho Leandro! Pela primeira vez estou aguardando a Black Friday. Estou mobiliando meu apartamento e já tinha um budget programado para entre outras coisas comprar alguns eletrodomésticos que não conseguirei aproveitar da casa em que moro. Na época que estava orçando a reforma do novo imóvel, anotei os preços que encontrei dos ítens na internet e eles ficaram largados na minha planilha. Agora que estou chegando na fase de comprar os eletros,vvem a calhar a tal Black Friday! Dei uma rodada nos sites para assegurar que os preços que tomei nota ainda eram coerentes e estou apostos na frente do micro. Se conseguir boas oportunidades, viro estatística, caso contrário postergo um pouco mais a compra atrás de uma real vantagem … Abraços!

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:13 - Reply

      Oi Fernando. O que você vai fazer é algo planejado e com certeza você não deixará o impulso fazer você tomar decisões ruins. Isso que é importante. Parabéns.

  14. Tiago 24 de novembro de 2016 at 17:39 - Reply

    Ótimo texto.

  15. diego 24 de novembro de 2016 at 17:51 - Reply

    Olá leandro, eu despertei pra realidade e a importancia da educação um pouco tarde, hoje tenho 23anos e conquistei pouco ainda, mas graças ao seu site e umas porradas da vida aprendi a me reeducar (ou educar ja que nunca tive esse tipo de educação antes), queria parabenizar vc por todos os artigos (quais eu ja devo ter lido todos em alguns meses) e finalmente esses dias me inscrevi no site, como sou filho de pais meio das antigas, nunca me passaram uma grande educação financeira, apenas valores, e hoje vejo o quanto me faria diferença se tivesse a cabeça de hj aos 16 quando comecei a trabalhar, ano que vem vou comprar um carro resultado de 1 ano de serviço e a vista 😉 me sinto bem feliz por começar minhas conquistas (finalmente!!!) em contra mão percebo a pressão das pessoas por eu optar comprar a vista, aqueles bla bla bla de sempre, vejo como é dificil acordar pessoas que eu gosto, como eu acordei atualmente, li seu artigo de como ajudar amigos e familiares e realmente é dificil!!! Enfim obrigado pelo site pode ter certeza que mudou muito minha visão de mundo, e de como lhe dar com meu money;)!!! Agora só uma duvida, o seu livro so existe no formato ebook? Eu gosto de ler mas aprecio muito mais o papel que o digital rsrs, abraços

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:14 - Reply

      Oi Diego. Você é muito jovem. Parabéns, você tem muito tempo, muito trabalho e muitos investimentos pela frente. Todos os meus livros são digitais.

  16. Edillânio 24 de novembro de 2016 at 17:57 - Reply

    Concordo com você, Leandro. Consumo sem planejamento, sem necessidade,pode ser barato quanto for, sempre sai caro. E você falou da sua meta de perder peso e lembrei que ficou de publicar um artigo falando como conseguiu essa façanha. Um abraço.

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2016 at 18:15 - Reply

      Oi Edillânio. Vou publicar assim que atingir meu objetivo. 🙂

  17. Carlos 24 de novembro de 2016 at 17:57 - Reply

    Olá Leandro,
    Sou servidor público e estou a algum tempo buscando um nicho para obter uma segunda renda. Tenho a manhã e noite livres.
    Sou engenheiro e considero-me uma pessoa organizada financeiramente e dedico parte do meu tempo ao assunto de finanças pessoais.
    Minha última ideia eh dedicar-me ao ramo de consultor financeiro para famílias de média renda. Obviamente fazendo cursos para me aprimorar para tal.
    Você considera esse um bom nicho de serviços ?
    Tenho receio de investir tempo e dinheiro e descobrir depois não ser a minha “vocação”.
    O que vc acha do método DSOP ?
    Obrigado pelo auxílio!

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:38 - Reply

      Oi Carlos. Eu não trabalho fazendo consultoria. Optei por trabalhar como educador, pois acredito que é a educação que liberta e transforma a vida das pessoas. A consultoria só gera dependência. Como educador você pode remunerar seu tempo e seu esforço através da venda de livros e cursos. O único ponto que deve ser observado é que antes de vender livros e cursos você precisa ajudar as pessoas sem pedir nada em troca, no meu caso já são 3 anos ajudando as pessoas, entregando valor, mudando a vida dos leitores. Isso naturalmente acaba gerando venda dos meus livros. O processo é lento e se o seu foco for apenas criar uma fonte de renda posso garantir que deverá ter bastante paciência para não desistir. Já se o foco for ajudar as pessoas, com muita paciência, um dia terá sucesso na medida que o seu número de “obrigados recebidos” aumentar. Para saber como seria sua carreira de consultor é importante que você entre em contato com um consultor.

      • Carlos 25 de novembro de 2016 at 17:09 - Reply

        Valeu Leandro. Muito obrigado novamente e parabéns !

  18. George Douglas 24 de novembro de 2016 at 18:11 - Reply

    Excelente artigo Leandro Ávila.Espero um dia criar um projeto de vida como o clube dos poupadores(Só que na minha área profissional) e poder melhorar a vida das pessoas.Parabéns,sucesso e obrigado.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:27 - Reply

      Oi George. É a fase de doação. É quando você atinge uma prosperidade que te permite doar seu tempo, seu conhecimento sua energia para ajudar outras pessoas a chegarem onde você chegou. É o momento mais gratificante da vida.

  19. Edu 24 de novembro de 2016 at 18:24 - Reply

    Queria uma TV smart, mas quase não tenho tempo e acabei virando um baita mendigo para comprar qq coisa. Prefiro investir 🙂

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:12 - Reply

      Oi Edu. Se você não tem tempo para tv ela será apenas um objeto de decoração.

  20. Filipe 24 de novembro de 2016 at 18:54 - Reply

    Muito bom o artigo!! Recebi o e-mail sobre publicação de esse artigo, achei que não valia a pena em ler hoje, pois eu não iria perder tempo em comprar alguma coisa neste black friday amanhã ou hoje a noite e por isso não havia necessidade de ler. Mas pela qualidade dos artigos publicados aqui, não resisti e li, realmente têm boas dicas mesmo para quem não vai comprar no black friday, isso serve também para toda vida. Às vezes tem poucos sites que oferecem descontos bacanas para quem realmente necessita. Ontem comprei um notebook para minha namorada, estava monitorando o preço, nos últimos 6 meses estava por 3 mil em média, agora comprei por 1,6 mil com excelente configuração. Para mim, valeu a pena, pois minha namorada necessita disso muito para estudar e fazer trabalhos nele (isso é um investimento tanto para ela quanto para mim, pois ela às vezes usava meu notebook para algumas coisas, agora meu notebook está todo livre para mim rs).

  21. Delmo 24 de novembro de 2016 at 18:57 - Reply

    Leandro, muito oportuno os comentários. Entendo que o brasileiro, com a cultura da “vantagem” em tudo, é facilmente seduzido pelo marketing de impacto do Black Friday. Porém, como bem colocado por você, o tiro pode sair pela culatra se ele comprar pela metade do dobro rsrs. Agora, se me permite, no meu ponto de vista, o tema merece um complemento. Eu, particularmente, nesse Black Friday não vou as compras, porém em outras épocas, quando tinha algum objetivo, não encontrava momento melhor para a aquisição de eletrônicos, roupas ou outros objetos de consumo. Pesquisando, você realmente encontra ótimas oportunidades! Agora, como tudo na vida, quanto maiores os prêmios, maiores os riscos, por isso importante ficar atento.
    Ou seja, se você não precisa, pode esperar ou não tem dinheiro sobrando, o Black Friday está realmente bem caro! Mas, se você precisa, vem pesquisando preços, tem fôlego financeiro e vai adquirir em local conhecido, desejo boas compras!!! E quem sabe, ainda ajuda alguns empresários a não fechar as portas esse mês e não piorar o que já piorou bastante (parafraseado ao contrário o “nobre” deputado Tiririca).
    Abraços e continue disseminando o bem mais valioso: o conhecimento!

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:14 - Reply

      Oi Delmo, se você realmente precisava do que comprou e fez as compras com base em um planejamento a situação é diferente.

  22. Daniela 24 de novembro de 2016 at 19:02 - Reply

    Obrigada pleo artigo Leandro. O interessante é que as reclamações da crise, do governo e até mesmo dos salários passam quando chega o décimo terceiro, momento este que justamente iria por a vida de muitas pessoas em ordem, apenas com as bonificações de fim de ano que quem trabalha de carteira assinada recebe. Mas não, estão “vivendo a vida” como venho escutando. Comprando presentinho e lembrancinhas para se sentirem queridos e/ou sentirem que teem algum valor para alguém, ou por vergonha, ou medo de não fazerem parte do “grupo”. Parece que enquanto as pessoas não se colocarem em primeiro lugar em suas vidas, nada muda, inclusive o bolso. Imagens fortes do vídeo, quase não consegui assistir, e fiquei imaginando o que passa na cabeça pra chegar a esse ponto. Obrigada Leandro, a forma como você escreve é como um “tapaço na cara”, o site mais direto e específico que já vi na vida. Não faço mais parte desse estilo de vida, e é uma delícia ler seus artigos assim.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:15 - Reply

      Oi Daniela, muito obrigado, fico feliz por ajudar de alguma forma.

  23. Fabrício Caputo 24 de novembro de 2016 at 19:16 - Reply

    Mais um excelente artigo, Leandro! Realmente a Black Friday brasileira é mais uma dessas armadilhas que procuram desviar qualquer um dos seus objetivos financeiros. Parabéns!

  24. JOSEVAN 24 de novembro de 2016 at 19:38 - Reply

    Muito bom seu posicionamento sobre não aderir a Black Friday.
    Comprei um curso de investimento semana passada por 300 reais e hoje está 70.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:19 - Reply

      Oi Josevan, eu vejo como falta de respeito com aquele que se esforçou para investir na própria educação.

  25. Tereza Da Silva Martins 24 de novembro de 2016 at 19:52 - Reply

    Obrigado meu filho pelo artigo,realmente temos que pensar se realmente precisamos comprar tal produto,e se ele realmente está com um bom preço…Pra isso precisamos pesquisar bem os preços….Eu quando preciso comprar alguma coisa,fico uns dias pesquisando as lojas e os preços…Meu dinheiro foi ganho com muito sacrifício..Um abraço e sucesso….

  26. Iuri Viana 24 de novembro de 2016 at 20:35 - Reply

    Parabéns Leandro. Concordo com tudo que vc escreveu aqui. A nossa educação financeira não precisa esperar a Black Friday para podermos começar a investir sobre sobre assunto.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:21 - Reply

      Oi Iuri, a falta de educação financeira custa muito caro.

  27. Lucas. 24 de novembro de 2016 at 20:41 - Reply

    Excelente artigo! Uma verdade inconveniente. Realmente, muitos produtos historicamente são mais baratos no meio do ano, vão subindo aos poucos e depois despencam em novembro, que pega carona com o 13º. Posso seguramente dizer que mais da metade dos brasileiros não pesquisam o preço, mas simplesmente acreditam no letreiro “explosivo”, e infelizmente no varejo físico, até já vi pessoas parcelarem no crediário numa black friday.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:21 - Reply

      É verdade Lucas, as pessoas acreditam sem verificar primeiro.

  28. Lourival Santos 24 de novembro de 2016 at 20:54 - Reply

    Parabéns, Leandro. E obrigado por mais um ótimo ensinamento. Se não preciso do produto ,qualquer preço é caro.

  29. ednaldo 24 de novembro de 2016 at 21:49 - Reply

    Não consegui assistir o vídeo inteiro.O comportamento das pessoas é patético!

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:23 - Reply

      Oi Ednaldo. Isso é a nossa essência mais primitiva, quando nos comportamos como todos os outros primatas e mamíferos, quando paramos de usar aquilo que nos diferencia dos outros seres que é a faculdade da razão.

      • Hércules 25 de novembro de 2016 at 12:13 - Reply

        É difícil ver cenas tão grotescas, mesmo entre primatas e mamíferos, a não ser que estejam lutando pela própria sobrevivência… O ser humano é a única espécie que briga por coisas supérfluas.

        Obrigado por mais este artigo, Leandro!

  30. Adair 24 de novembro de 2016 at 22:27 - Reply

    Olá Leandro.

    Muito bom artigo conscientizando os leitores do verdadeiro valor que se deve dar ao dinheiro.

    Para nossa(BR) sorte, aqui no BR só temos a versão abrasileirada da “Black Friday”, tb conhecida como “Black Fraude” tudo pela metade do dobro, nós do Brasil não precisamos cair no “sopapo” p/ disputar algum produto pelo menor preço, estamos mais evoluídos que nossos vizinhos de outros países…kkkk…rsrsrs…

    Parabéns pelo site e um grande abraço.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:25 - Reply

      Oi Adair, se existissem essas promoções nas lojas físicas teríamos um grave problema de segurança pública. Falta coragem para o comerciante brasileiro em transformar sua loja em um campo de batalha.

  31. Daniel 24 de novembro de 2016 at 23:08 - Reply

    O lado bom da Black Friday são as promoções de investimentos das corretoras e bancos. Com certeza vc nao vai enfrentar filas nem disputar investimento.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:26 - Reply

      Na verdade todos estão disputando o seu dinheiro, até os bancos e corretoras entram no jogo.

  32. Peter 25 de novembro de 2016 at 0:09 - Reply

    Parece o Aniversário do Guanabara no Rio de Janeiro. Kkkkkkk

  33. Luci Maria Bertoli 25 de novembro de 2016 at 7:40 - Reply

    Comentário nota 10, Leandro Avila

  34. Alexandre 25 de novembro de 2016 at 7:52 - Reply

    Excelente artigo Leandro!

    VAMOS ACORDAR POVO BRASILEIRO!!!!

    CHEGA DE TANTA MANIPULAÇÃO!!!

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:28 - Reply

      Oi Alexandre. Manipulação é uma coisa que existe desde o tempo das cavernas. Isso não vai mudar. O que as pessoas precisam fazer é assumir o controle da própria vida.

  35. Thiago Ferreira 25 de novembro de 2016 at 8:14 - Reply

    Bom dia Leandro!

    Muito obrigado por compartilhar mais um excelente artigo conosco, e mais uma dica preciosa, Com certeza não são todas as pessoas que compartilham seus conhecimentos e tempo sem ter um retorno financeiro. Gosto muito e me adaptei muito bem à sua didática.

    Essa colocação de qualquer compra que você precise é cara é perfeita, ainda mais se você considerar os juros que deixou de ganhar com aquele gasto. Atualmente estou tentando vender ou doar coisas sem sentido que comprei no passado, justamente por achar que as precisava.

    Uma dica que deixo a quem for comprar na Black Friday é tomar MUITO cuidado com os Golpes, já vi acontecer de produtos com preços impressionantes, em sites falsos com a cara de um site conhecido, é sempre bom desconfiar desse tipo de oferta.

    Um Grande Abraço
    Thiago Ferreira.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:30 - Reply

      Oi Thiago. Se você considerar juros que deixou de ganhar no decorrer do tempo o susto fica maior. Os R$ 1000,00 que você gasta comprando um objeto sem utilidade vale R$ 1000,00 hoje, mas com os juros, valerá muito mais nos próximos 5, 10, 20 ou 30 anos onde certamente você terá algum objetivo de consumo e possivelmente esse dinheiro fará falta.

  36. Isabella 25 de novembro de 2016 at 8:43 - Reply

    Concordo com absolutamente tudo que você falou. E se não concordasse, você teria me convencido! rs Aguardo o posto da perda de peso, será que sai ainda este ano?

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:31 - Reply

      Oi Isabella. Pretendo perder mais 10kg antes de escrever o post. 🙂

  37. Irineu 25 de novembro de 2016 at 8:57 - Reply

    Olá!

    Era isso que eu precisava ler hoje. Estava navegando por ofertas de produtos que eu nem preciso e recebi o e-mail do site. Li, refleti e investi o dinheiro que pretendia gastar na Black Friday em uma CDB com prazo de 1 ano. Parabéns, pelo excelente serviço prestado com o site.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:33 - Reply

      Oi Irineu, parabéns por ter feito a reflexão. Não teria problema se tivesse comprado alguma coisa realmente importante, mas jogar seu dinheiro pela janela para comprar coisas sem importância não seria uma boa escolha. No final de 1 ano o seu dinheiro voltará para seu bolso com juros e provavelmente você terá alguma coisa importante para comprar e naquele momento terá recursos para isso.

  38. César Filho 25 de novembro de 2016 at 9:26 - Reply

    Bom dia Leandro! Concordo plenamente com o teor do seu artigo, especialmente quando você escreveu: “Tudo que não preciso, está caro… ” Acho seu pensamento muito coerente! Infelizmente a maioria das pessoas não pensam assim.

    Quanto a seus produtos, eles tem VALOR, e isso se sobrepõe ao preço. Em minha humilde opinião, acho que para os livros que você escreveu, você ainda cobra barato, visto a enorme qualidade do conteúdo, bem como seu esforço desprendido na construção deles. Posso afirmar isso por tê-los adquirido e ser leitor assíduo do Clube dos Poupadores.

    Diferente da Black Friday, o dinheiro gasto em educação financeira não é custo, e sim investimento!

    Grande abraço e parabéns pelo excelente trabalho!

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:42 - Reply

      Oi César, muito obrigado. Todo dinheiro que coloquei na minha educação, no meu desenvolvimento pessoal, retornou com juros e correção que nenhum outro investimento foi capaz de gerar. As vezes um livro qualquer de R$ 30,00 gera enorme impacto na nossa vida e esse impacto reflete por toda nossa existência gerando frutos como uma árvore. Hoje eu busco conhecimento em todas as áreas da minha vida. Educação financeira e investimentos é apenas uma área. Eu recomendo que todos invistam no desenvolvimento pessoal em todas as áreas. A parte alimentar é um exemplo. Não era falta de dieta, exercícios e outras coisas externas. O problema era interno, dentro da minha cabeça. Era falta de informação, consciência e motivação. Quando consegui mudar a minha mentalidade o meu corpo começou a responder, ou seja, primeiro você muda por dentro para depois a parte externa se transformar como consequência da mudança interior. Isso vale para a vida profissional, financeira, pessoal, saúde, etc. Não podemos parar de aprender.

  39. Anderson 25 de novembro de 2016 at 9:35 - Reply

    Leandro;
    Imagens como as do video são desconsertantes..

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2016 at 9:43 - Reply

      Oi Anderson. Isso é como o ser humano se comporta quando deixa o seu lado racional de lado. São pessoas descontroladas por suas emoções.

  40. Debora Magalhaes 25 de novembro de 2016 at 10:19 - Reply

    Excelente artigo Leandro! Ser coerente com aquilo que você ensina! Minha admiração pelo seu trabalho só cresce

  41. flávio 25 de novembro de 2016 at 10:52 - Reply

    Oi Leandro, tudo bem?
    Venho a algum tempo acompanhando seus artigos e todos são excelentes. Abordam o tema proposto de uma forma clara e de fácil entendimento.
    Sou formado em Ciência da Computação, mas essa área não pretendo seguir profissionalmente (estou velho demais para entrar nesse mercado, visto que a preferência são os mais jovens…). Quero me dedicar à área de investimentos (bolsa de valores, renda fixa, fundos imobiliários, etc). Que livros você recomendaria para eu estar começando ou algum curso? Existe graduação em nível superior nessa área?
    Qual foi a sua trajetória até chegar ao patamar em que você se encontra hoje?
    Desculpa pelo tanto de perguntas, Leandro. Mas creio que essa área de investimentos é bem promissora.
    Outra pergunta: Há um tempinho você estava abrindo um grupo fechado para assinantes. Como eu faço para assinar.? Na sua página localizei apenas a assinatura gratuita.
    Abraços!
    Flávio

    • Leandro Ávila 27 de novembro de 2016 at 9:56 - Reply

      Oi Flávio. Você precisa primeiro se tornar um investidor. Nenhuma teoria será útil se você não vivenciar aquilo que você ensina. Leia tudo que encontrar sobre educação financeira nas livrarias, na internet, cursos, etc. Coloque tudo que aprender em prática e acumule experiência. As pessoas não querem teorias, elas querem pessoas que vivenciam aquilo que pregam. O grupo foi criado para os leitores que adquirem os meus livros sobre reeducação financeira e investimentos. Visite: http://www.clubedospoupadores.com/reeducacaofinanceira

  42. Camila 25 de novembro de 2016 at 10:54 - Reply

    Oi Leandro, excelente artigo. É quase inacreditável onde as pessoas podem chegar para adquirir um produto que muitas vezes nem precisam, vi hoje na tv que já chegamos a esse nível do vídeo por aqui. Lamentável. Principalmente em um momento econômico tão incerto como o nosso. Parabéns pelo trabalho que vem desenvolvendo.

  43. Catarina 25 de novembro de 2016 at 11:23 - Reply

    Fique impressionada com o vídeo. Como uma pessoa tem coragem de puxar a caixa das mãos de uma criança? Isso vai além da covardia, ultrapassa a bestialidade!
    O vídeo ilustra muito bem o poder que a mídia exerce no comportamento das pessoas. Se você não tiver o último lançamento de celular, de tv, de computador você está “por fora” e as pessoas se matam pra se manterem “por dentro”. Elas não param para pensar que não existe “por fora”, isso foi inventado pra dominar.

    • Leandro Ávila 27 de novembro de 2016 at 9:53 - Reply

      Oi Catarina, sem equilíbrio emocional, mental, sem educação financeira, as pessoas são vítimas de tudo isso. Muitos crimes cometidos por jovens nas grandes cidades não ocorrem quando eles estão passando fome. Ocorre quando eles não conseguem comprar o tênis de marca cara.

  44. Gabriel 25 de novembro de 2016 at 12:50 - Reply

    Excelente, Parabéns,

    black friday, black week, black monday, vem para trazer esse mundo escuro e negro, violentando a população ao consumismo, comprar, comprar comprar trazendo milhares de pessoas a escravidão do dinheiro

  45. Lucas Lira 25 de novembro de 2016 at 12:54 - Reply

    Na Black Friday de 2014 tentei comprar um notebook no site da Saraiva que estava de R$1,300 por R$800,00, realmente ele estava em promoção pois eu sabia dos preços anteriores; assim que começou eu tentei e nada, pra resumir: demorei umas 3 horas e não consegui, só consegui finalizar a compra mesmo no outro dia já de manhã no meu trabalho, rsrs, deu uma dor de cabeça mas consegui.

    • Leandro Ávila 27 de novembro de 2016 at 9:51 - Reply

      Oi Lucas, o importante é que foi uma compra planejada.

  46. Diogo Thomazini 25 de novembro de 2016 at 13:09 - Reply

    Meus parabéns pela parte de “não aderir ao Black Friday”.
    Você é sempre muito coerente e sensato!

  47. SuhZana 25 de novembro de 2016 at 13:24 - Reply

    Boa tarde.
    Perfeito esse artigo. Imagino que, se todos fossem financeiramente educados, nem Black Friday existiria. Pois é um evento que realmente explora a falta de planejamento e falta de consciência dos brasileiros.
    A propósito, mais uma vez fico pasma com a bestialidade do ser humano. O vídeo acima nos evidencia isso de forma clara. ´Chega ser assustador.
    E Parabéns pela sua postura. Considero muito justo seus motivos, especialmente o 2.

  48. João Ramos 25 de novembro de 2016 at 13:42 - Reply

    Excelente artigo Leandro. Ano passado descobri seu Site por acaso e sou muito grato por este acaso. Todo dia acesso na procura de um novo artigo. Já compartilhei o endereço dos seu Site com muita gente. Você sempre preza pela qualidade e honestidade nas postagens. Parabéns.

    • Leandro Ávila 27 de novembro de 2016 at 9:48 - Reply

      Obrigado João! Parabéns por dedicar seu tempo estudando.

  49. Mr. Webster 25 de novembro de 2016 at 13:44 - Reply

    Caramba, inacreditável as cenas lamentáveis dessa “mundiçaria humana” brigando por produtos na black friday.

    Como o ser humano é estúpido!

    Quanta pobreza de matéria e, principalmente, de espírito!

    • Leandro Ávila 27 de novembro de 2016 at 9:48 - Reply

      O ser humano se comporta como qualquer animal quando deixa a razão de lado.

  50. Glória 25 de novembro de 2016 at 13:45 - Reply

    Falou pouco mas falou o necessário!

  51. Jose Roberto 25 de novembro de 2016 at 13:54 - Reply

    parabens leandro excelente artigo. tudo o que compramos sem precisar com certeza fara falta num futuro proximo..

    • Leandro Ávila 27 de novembro de 2016 at 9:47 - Reply

      Oi José, o pior é que nem todo mundo percebe que o dinheiro que falta está encostado no guarda-roupa, em algum lugar da casa, quando compramos coisas que não usamos.

  52. Tiago 25 de novembro de 2016 at 14:23 - Reply

    Boa tarde Leandro!!!

    Parabéns pelo arquivo.

    Essas promoções que a mídia chama de “Black Friday” é um absurdo, pois,
    o tempo que se perde para realizar uma compra no site, é muito mais útil se for utilizado
    para aproveitar com a família, num parque apreciando a paisagem.

    Esses tipos de eventos é para sugar as ultimas reservas das famílias, pois,
    após a ‘Black Friday” vem as promoções de natal e quando chega o novo ano,
    as faturas chegam e como já sabemos, os resultados são desesperador.

    Acredito que se as pessoas buscassem se educar financeiramente, os comerciantes,
    governo, não fariam o que fazem, ou seja, diante da falta de educação financeira das famílias
    acabam se deixando levar por ilusões. Compram o que não precisa e gasta o que não tem.

    Grande abraço.

  53. Alessandra Moraes Bargiela 25 de novembro de 2016 at 23:43 - Reply

    A velha e boa pergunta!
    Eu preciso?????

  54. Marcia 26 de novembro de 2016 at 13:47 - Reply

    É exatamente como você mencionou. Excelente para o comércio. Comprar é a opção do consumidor. Mas graças a Deus jogo no seu time. Monitoro os preço e só compro quando necessito. Black Friday não me abala. Já os livros só serão gastos se for para enfeitarem as prateleiras, nos demais casos é investimento.

  55. Claudinei Fernandes 26 de novembro de 2016 at 16:16 - Reply

    Parabéns pelo belo artigo. Gostei muito do seu respeito aos que já compraram os livros. Na minha modesta opinião a Black Friday, salvo raríssimas exceções, só serve para as lojas desencalhar alguns produtos e mostrar como é grande a margem de lucro de algumas lojas. Acho que se baixassem a margem de lucro alcançariam melhor resultado que concentrar tudo em uma única data.

    • Leandro Ávila 27 de novembro de 2016 at 9:45 - Reply

      Oi Claudinei, mostra que poderiam vender mais se o foco fosse no lucro gerado pelo volume de vendas.

      • João Paulo Borges 27 de novembro de 2016 at 20:26 - Reply

        Do ponto de vista de desenvolvimento social-econômico, menores margens de lucro e maior volume de vendas beneficiariam a todos.

        Porém, para ganhar a msm coisa, o empresário teria q investir mais, assumir mais riscos, lidar com mais funcionários, mais fornecedores, mais fluxo de clientes e atendimentos…que no final das contas aumentar a margem de lucro e vender menos acaba sendo mais cômodo.

        Essas é uma das grandes falhas do capitalismo liberal, em que as pessoas agem de forma 100% egoísta e sem coordenação, o que leva a mais desigualdade na distribuição das riquezas e subaproveitamento dos recursos naturais.

        Eis uma das ideias do John Nash.

        • Leandro Ávila 28 de novembro de 2016 at 15:11 - Reply

          Oi João. No Brasil as empresas são tão ineficientes que não precisa assumir mais riscos. Basta planejar mais, organizar mais, buscar a excelência, evitar o retrabalho (fazer bem feito uma única vez), o desperdício de tempo e de recursos, usar todo o conhecimento que já existe sobre gestão de tempo, pessoas e recursos. Da mesma forma que as empresas vivem uma vida totalmente desorganizada, sem planejamento, sem o bom uso do conhecimento, dentro das empresas não é diferente. Em países onde o capitalismo é praticado da forma correta é onde as grandes empresas do mundo estão surgindo e dominando mercados. Basta observar o mercado de tecnologia e de informação, mercado de internet, onde os produtos ficam cada vez melhores, mais baratos e acessíveis para todos.

  56. Vinicius Villanueva 27 de novembro de 2016 at 8:25 - Reply

    Bom dia Leandro,

    Parabéns pelo seu nível de conciencia. São poucas pessoas que realmente pensam como você e que cuidam da educação financeira de um modo geral. Me identifiquei muito com a matéria, principalmente pela dica de número 3: respeite o seu dinheiro.

    Quanto mais respeitarmos o nosso dinheiro, menos tempo de vida perderemos em buscar esse dinheiro através do trabalho, que nos gera reféns desse sistema (trabalhar para viver).

    Tenho 28 anos e espero no máximo em 5 anos mais, apenas estar disfrutando dos beneficios da educação financeira que fui construindo ao longo da minha caminhada e não ter mais a necessidade de perder momentos de minha vida “correndo” atrás de dinheiro, ao contrário, aproveitar ainda mais a vida de uma forma simples e humilde com os rendimentos/benefícios que essa conciencia financiera veio me aportando ao longo do tempo.

    Obrigado por suas palavras!

  57. Marcelo Williams 27 de novembro de 2016 at 23:32 - Reply

    Ano passado comprei umas aulas avulsas de um ótimo curso de música on line. Esse ano novamente minha única compra foi mais aulas do mesmo curso, com 40% de desconto!

    Mais um excelente artigo, Leandro.

  58. Daniel 28 de novembro de 2016 at 10:16 - Reply

    Monitoro os preços por vários meses antes pra saber se o desconto vale a pena, penso se realmente preciso comprar e no caso de dúvida, fico com a frase do Julius: Se eu não comprar nada o desconto é maior kkkk.
    Excelente o seu trabalho Leandro, 70% de toma a minha educação financeira veio do seu site.

  59. Pedro 28 de novembro de 2016 at 15:26 - Reply

    Como diria o Julius (pai do Cris na Serie): Se eu não comprar nada o desconto é bem maior.

  60. Carlos 28 de novembro de 2016 at 17:48 - Reply

    Olá Leandro,

    Para iniciar a trilha da sabedoria financeira gostaria de ler seus livros.
    Você aconselha alguma sequencia lógica entre eles para eu ir adquirindo e estudando ?
    Obrigado

    • Leandro Ávila 29 de novembro de 2016 at 5:21 - Reply

      Oi Carlos, meus livros sobre reeducação financeira e investimento são três (um é a continuação do outro) 1. Reeducação Financeira, Investidor Consciente e Investimentos que Rendem mais. Essa é a sequencia.

      • Carlos 29 de novembro de 2016 at 23:30 - Reply

        👍 Obrigado Leandro

  61. Edvaldo 28 de novembro de 2016 at 20:37 - Reply

    Caro Leandro, concordo em 100% com o que você disse, e penso que os seus verdadeiros seguidores também concordem, ou porque já “nasceram” diferentes da média da população ou porque assimilaram na íntegra os conceitos que você aqui publica. Se a população tivesse pelo menos um mínimo de discernimento, bastaria o princípio básico de tudo que você escreveu (a compra de qualquer coisa de que não se precisa é puro desperdício) para que eventos do tipo black friday não se viabilizassem.

  62. Sandra 1 de dezembro de 2016 at 20:19 - Reply

    Excelente texto!!Faz algum tempo que venho acompanhando o seu trabalho e confesso que tem me ajudado muito. Hoje o meu consumo está ligado a necessidade.
    enquanto economizo e invisto para realizar os meus desejos. Faz por volta de uma que tiro coisas inúteis da minha casa e não acaba. Tralhas inúteis compradas nessas black friday da vida. Obrigada Leandro.

  63. Daniel 2 de dezembro de 2016 at 15:48 - Reply

    Ótimo conteúdo é uma pena que não li ,antes da black friday.

    • Leandro Ávila 2 de dezembro de 2016 at 15:52 - Reply

      Oi Daniel, desejo muitas black fridays na sua vida para que você possa praticar as dicas.

  64. Iuri Viana 13 de dezembro de 2016 at 13:49 - Reply

    Oi Leandro,

    Mais um vez parabéns pelos artigos de excelência que você tem produzindo ao longos dos meses.

    Sobre a black friday, eu aproveitei para investir em minha educação financeira comprando 3 livros (Pai Rico Pai Pobre, Segredos da mente milionárias e por último o livro Trabalhe 4 horas por semana) em promoção.

    Está valendo muito a pena.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo