Inteligência Financeira

Inteligência financeira é um conceito apresentado por Robert Kiyosaki no seu livro “Pai Rico Pai Pobre”, de 1995. Alguns educadores financeiros brasileiros utilizam essa ideia nos seus livros e em seus cursos, sem deixar claro de onde a retiraram. Leia o artigo e entenda como ela funciona na sua vida.

Kiyosaki ensina que a inteligência financeira é constituída por quatro habilidades técnicas. Qual delas você já desenvolveu?

  1. Alfabetização financeira. A capacidade de entender números.
  2. Estratégias de investimento. A ciência do dinheiro fazendo dinheiro.
  3. O mercado. Oferta e demanda. Dar ao mercado o que ele desejava.
  4. A lei. O conhecimento das lei sobre contabilidade e negócios. Jogue dentro das regras.

Não nascemos com essas habilidades. Você vai precisar desenvolver cada uma delas durante a sua vida. Se não fizer isso, ficará sem e terá problemas.  O governo, empresas e bancos não farão qualquer esforço para que você desenvolva essas habilidades. Eles vão desenvolver produtos, serviços e leis para tirar vantagem da sua falta de habilidade.

Eu gosto de imaginar essas habilidades da inteligência financeira como as quatro pernas de uma mesa. Todas precisam estar niveladas para que você cresça com estabilidade.

Alfabetização financeira

A alfabetização financeira nada mais é do que a educação financeira básica. O problema é que o básico é justamente o mais difícil de aprender e praticar. Ele é fácil de falar e difícil de fazer. Qualquer criança seria capaz de entender que se você tem R$ 1,00 só pode gastar R$ 1,00.

Se você tem R$ 1,00 hoje, isso não significa que você terá R$ 1,00 amanhã e por esse motivo seria prudente guardar uns R$ 0,30 ou no mínimo R$ 0,10 pensando no futuro.

Se você só tem R$ 1,00 e gasta R$ 2,00 assumindo uma dívida de R$ 3,00 ou R$ 4,00, você terá problemas, especialmente se fizer isso por toda sua vida.

Sem sua alfabetização financeira você vai passar a vida inteira correndo em círculos. Vai gastar muito (com juros e taxas) para receber pouco. Sua vida será como a daqueles roedores de laboratório que ficam correndo sem sair do lugar.

Você corre, faz a roda da economia girar, mas não consegue sair do lugar.

Estratégias de investimento

Quando você aprende estratégias de investimento, você começa a fazer o dinheiro trabalhar para você. Isso significa que você compreenderá a importância de destinar uma parte dos seus ganhos mensais para formar um patrimônio capaz de gerar renda passiva (através do recebimento de lucros, aluguéis, dividendos, etc). Essa renda passiva não depende do seu trabalho ativo. Isso acaba liberando você para estudar, criar, empreender e depender menos da venda do seu bem mais precioso que é o seu tempo.

Mercado

Depois você começa a entender “O Mercado”. Você começa a compreender que por todas as partes existem pessoas vendendo e comprando alguma coisa (produtos, serviços, ações, títulos, imóveis, moedas, etc). É nesse momento que você começa a enxergar as oportunidades de participar do “maior jogo do mundo” onde as fortunas realmente são construídas. Os recursos que você conseguiu poupar e investir com sua alfabetização financeira e suas estratégias de investimentos é que permitem fazer investimentos de maior risco através das empresas dos outros (ações) ou dos seus próprios negócios (comércio, serviços, imóveis, etc.). Observe a lista dos homens mais ricos do Brasil e do mundo e você verá que todos eles investiram ou empreenderam através das inúmeras oportunidades que existem no mercado.

Leis

Kiyosaki não deixa de destacar a importância de conhecer as leis. Sem respeitar as regras do jogo, o dinheiro não compensa. A sua queda será uma questão de tempo. Quem joga sujo, sabe que conquistou sem merecimento. Isso é terrível. Quem joga sujo pode até escapar da justiça nesse país que vivemos, mas não pode escapar do pior de todos os julgamentos que é o julgamento do travesseiro. Esse é implacável e tira muita paz e noites de sono de quem joga sujo. Também existe o julgamento do tempo, dos filhos, das futuras gerações e aquele antes do último suspiro. É melhor fazer a coisa certa.

Kiyosaki acredita que a diferença que existe entre ricos e pobres está na educação financeira que recebem. O dinheiro que um possui a mais que o outro é apenas uma consequência da educação financeira que receberam quando eram crianças. Enquanto os mais pobres passam a vida trabalhando para comprar coisas, fazer dívidas e acumular despesas (passivos), os que se tornam ricos trabalham para acumular patrimônio e fazer investimentos que geram renda (ativos).

Você não precisa mais correr. A roda gira sozinha. Do outro lado da parede existe outro ratinho correndo para pagar juros, lucros e aluguéis para remunerar o seu patrimônio. A falta de educação financeira é uma injustiça.

 

Seu nível de inteligência financeira

Você pode descobrir seu nível de inteligência financeira em poucos segundos. Basta olhar seus resultados financeiros ou sua situação financeira.

Recentemente fiz uma pesquisa entre os leitores do Clube dos Poupadores e na primeira pergunta pedi para que eles identificassem em qual nível de desenvolvimento estão.

  • Nível -1: Estou endividado (8,8% dos nossos leitores)
  • Nível 0: Estou livre das dívidas, mas não consigo guardar dinheiro ainda (7,9%).
  • Nível +1: Tenho o hábito de guardar dinheiro, mas só invisto na poupança ou fundos de banco (9,2%).
  • Nível +2: Tenho o hábito de guardar dinheiro e faço investimentos de renda fixa como: Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, etc. (34,3%)
  • Nível +3.1: Tenho investimentos (renda fixa e variável) e sou empregado (31,7%).
  • Nível +3.2: Tenho investimentos (renda fixa e variável) e sou empreendedor (5,7%).
  • Nível +4: Tenho investimentos e sou financeiramente independente. Trabalhar é opcional (2,4%).

Em qual nível você está? O que tem feito para mudar de nível?

Na pesquisa que fiz entre os leitores do Clube dos Poupadores ficou evidente que quanto mais elevado o nível do leitor, mais ele investiu dinheiro na própria educação financeira nos últimos 12 meses e maior o investimento futuro que ele pretende fazer em educação.

Os leitores do Nível -1 (endividados) e os leitores do Nível 0 (não conseguem poupar) são justamente os que menos investiram na própria educação financeira e os que menos pretendem investir.

Se esses leitores não fizeram um esforço para priorizar sua alfabetização financeira e a aquisição de conhecimentos sobre investimentos, dificilmente vão conseguir crescer de nível nos próximos anos. Esses leitores estão deixando de investir no desenvolvimento da inteligência financeira que precisam para sair do mundo das dívidas e dos centavos.

Mesmo aqueles que não possuem dívidas, precisam entender que o fato de não possuírem nenhuma reserva (dinheiro poupado e investido) os deixam na corda bamba, caminhando no mundo da escassez e dos centavos. Vivem por um fio e basta um pequeno imprevisto para mergulharem nas dívidas.

Quem mais precisa, menos valoriza

O problema é que são as pessoas que mais precisam de alfabetização financeira e conhecimentos sobre investimentos que menos valorizam os gastos com educação.

Um vizinho comprou um apartamento por US$ 100 mil, comprei o apartamento ao lado por US$ 50 mil. Ele me disse que estava esperando que os preços subissem. Eu lhe mostrei que o lucro ocorre quando se compra não quando se vende. Ele comprou um imóvel de uma corretora que não possuía imóveis próprios. Eu comprei o meu no departamento de execuções judiciais de um banco. Paguei US$ 500 por um curso que me ensinou a fazer isso. Meu vizinho acreditava que pagar essa quantia por um curso sobre investimento em imóveis era muito caro. Ele disse que não tinha dinheiro para isso, nem tempo, de modo que está esperando o preço aumentar – Livro: Pai Rico Pai Pobre.

As vezes recebo emails de pessoas me pedindo descontos para comprar meus livros sobre imóveis ou sobre reeducação financeira e investimentos. Eu tento mostrar que o dinheiro que elas podem ganhar ou economizar aplicando os conhecimentos dos livros tornam o seu preço insignificante ou meramente simbólico. Alguns deixam de comprar os livros por não conseguirem compreender o valor do conhecimento. A ignorância custa caro, mas é difícil avaliar o custo das oportunidades perdidas.

Temos muitos artigos gratuitos, longos e detalhados sobre diversos investimentos no Clube dos Poupadores. Não ter dinheiro não é desculpa. Mesmo assim as pessoas inventam outras desculpas como falta de tempo e até o fato dos artigos serem longos e detalhados.

Mais da metade dos leitores do Nível 3 (investidores) investiram mais de R$ 1.000,00 nos últimos 12 meses com educação financeira. Quase 20% investiram acima de R$ 2.500,00. Quase 10% dos leitores do Nível 3 que são empreendedores investiram mais de R$ 5 mil em educação nos últimos 12 meses.

Quem nasceu primeiro?

Podemos ficar com a dúvida sobre o que vem primeiro. Será que as pessoas investem em educação por possuírem dinheiro ou será que elas possuem dinheiro por investirem em educação?

Por experiência própria, leitura e observações eu não tenho dúvida de que os seus resultados financeiros são proporcionais ao investimento que você faz para desenvolver seus conhecimentos financeiros e consequentemente elevar seu nível de educação financeira.

Você não precisa comprar cursos caros para começar. Cursos e palestras estão baseados em conhecimentos que já foram publicados em livros que custam dezenas de reais. O problema é que um livro pode sair mais caro que um curso. Se você comprar um livro de R$ 20,00 e não ler, você vai jogar R$ 20,00 no lixo. Se você fizer um curso de R$ 2.000,00 e você se comprometer, aprender e colher resultados para o resto da vida, o curso poderá sair de graça devido ao seu desempenho financeiro futuro.

A diferença entre comprar alguns livros por R$ 20,00 e comprar um treinamento presencial ou um curso de R$ 2.000,00 não está no conteúdo que você irá receber, está no seu nível de comprometimento e motivação. Quando você compra um livro de R$ 20,00 o custo da sua desistência é de apenas R$ 20,00.

Você aceita jogar R$ 20,00 pela janela com mais facilidade. Quando você compra um curso que custa milhares de reais, o custo da sua desistência é de milhares de reais. No caso de uma palestra ao vivo, além do ingresso, você ainda vai perder a passagem aérea e hospedagem.

Barato que sai caro

O seu nível de comprometimento e motivação é maior quando o investimento feito é maior. Quando você realmente aprende o que precisa ser aprendido os resultados financeiros são inevitáveis. O livro barato pode ser entendido como aquele barato que sai caro (caso não seja lido). Já o curso ou a palestra mais cara pode ser o empurrão emocional que faltava para você aprender de uma forma definitiva.

No próximo mês vou participar do congresso em São Paulo que terá a participação do Robert Kiyosaki (clique aqui para ver os detalhes). A educação financeira voltada para o enriquecimento das pessoas tem forte influência dos livros do Kiyosaki. Ela é bem diferente da educação financeira que os bancos e o governo gostam de propagar através dos educadores financeiros que contratam. As instituições querem propagar a educação financeira do bom pagador de contas e não a do investidor e empreendedor.

Eu já li todos os principais livros do Kiyosaki, mas sei que ler um livro é uma coisa e participar de um evento presencial é outra. Os eventos produzem um forte impacto emocional, especialmente quando buscamos uma coisa que pouquíssimos brasileiros estão buscando que é a prosperidade financeira. Nossos amigos e parentes próximos falam de dívidas, consumismo e problemas financeiros, mas você gostaria de falar de investimentos e oportunidades financeiras. Quase sempre você se sente como um peixe fora da água.

Como não moro em São Paulo, farei um investimento considerável com passagem aérea, hospedagem, transporte, alimentação, etc. É o mesmo dinheiro que as pessoas que mais precisam desse tipo de conhecimento preferem gastar fazendo viagens parceladas durante os feriados, férias e carnaval. Eu também gasto com viagens, mas é graças ao investimento que fiz na minha educação financeira que posso viajar sem fazer dívidas, sem contar moedas e sem sofrer privações e desconfortos durante a viagem por falta de recursos.

Eu pretendo retornar do evento do Kiyosaki com muitas ideias para compartilhar aqui no Clube dos Poupadores (área gratuita) e na área Premium do Clube.

No próximo artigo vou comentar sobre as respostas que os leitores do Clube deram nas questões abertas onde perguntei sobre o que está impedindo seu crescimento, suas preocupações e sonhos para o futuro. Algumas informações que coletei são curiosas e surpreendentes. Não deixe de ler o próximo artigo.

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

149 Comments

  1. Ricardo Leiria Rodrigues 22 de agosto de 2017 at 15:24 - Reply

    Parabéns Leandro!

    Por me sentir um peixe fora da água, comecei um blog inspirado em você. Agora meu parentes gostam do que eu falo. Obrigado mesmo!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 15:36 - Reply

      Oi Ricardo. Eu já tive contato com várias pessoa que me falaram que iniciaram blogs e canais no Youtube inspirados no trabalho que faço aqui no Clube dos Poupadores. Aos poucos o conhecimento vai sendo propagado através de pequenos educadores financeiros comprometidos com as pessoas. No passado só existiam sites, blogs e educadores financeiros comprometidos com corretoras e bancos por meio de patrocínios e publicidade. A coisa está mudando. Os educadores já conseguem manter os custos dos seus projetos de educação através dos seus livros e produtos informativos. O que recomendo para quem está começando é isso. Fique longe dos patrocínios das instituições financeiras e busque meios de viver da própria educação para servir a educação.

  2. RAFAEL GOMES DA SILVA 22 de agosto de 2017 at 15:31 - Reply

    Sensacional Leandro, tenho 26 anos leio seus artigos a pouco mais de um ano e evolui bastante graças a seus conteúdos! Parabéns!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 15:37 - Reply

      Oi Rafael. Parabéns por ser jovem e investir seu tempo nesse tipo de atividade. Vai fazer toda a diferença no seu futuro.

  3. Misael 22 de agosto de 2017 at 15:48 - Reply

    Parabéns por mais um artigo de grande valor para os iniciantes ( leigos)e até os mais experientes.
    Hoje estou no nível 3.1.
    Acabei de entra este nível, falo não foi fácil, pois fiz cursos e comprei livros e participar de palestras foi poucas, mas na qual participei tive que negar muitas coisas, como: sai do serviço e ir direto para a palestra e chegar em casa quase 1:30 da manhã e acorda na manhã às 5:00 e ir trabalhar com o chefe chato.
    Mas graça no inicio de tudo comecei aqui pelo site e depois um com os investimentos Títulos Diretos e depois em Ações e agora estou estudando em FII.
    Agradeço por tudo.

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 15:59 - Reply

      Oi Misael. Parabéns! Obrigado por compartilhar conosco.

  4. Rogério Caetano 22 de agosto de 2017 at 15:53 - Reply

    Leandro,
    Muito bacana. Quando respondi ao questionário fiquei curioso com as estatísticas. Meu palpite foi o mesmo que tú demonstrou. Quanto maior o nivel de inteligencia financeira maior o investimento feito e o investimento programado. É possível começar com pouco ou quase nada. Falo por experiencia própria. Além dos pouquíssimos recursos que possuía, o tempo era quase escasso. Mas com vontade, disciplina, determinação e “medo (de um futuro incerto)” as coisas começaram a se desenrolar. Lí o Pai Rico Pai Pobre em 2007 ao final da graduação de administração de empresas. Guardava um pouquinho na poupança e me especializava no campo profissional. Fiz planos de previdencia onde me decepcionei muito não com os números mas comigo mesmo e ví o quanto perdi em custo de oportunidade. Só comecei a comprar o titulos do TD em 2015 após ler vários de seus artigos e os livros. Ano passado comecei a me interessar mais em renda variável com minhas pequenas compras e espero em breve ser mais um multiplicador da idéia de vivermos nossa liberdade financeira. Seria um prazer encontrá-lo no evento. Fica a dica para a reunião dos seguidores do Clube dos Poupadores. Forte abraço!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 16:07 - Reply

      Parabéns Rogério. Obrigado por compartilhar sua história de vontade, disciplina e determinação. Creio que teremos muitos leitores do Clube lá no evento.

  5. Rogerio 22 de agosto de 2017 at 16:05 - Reply

    Eu tenho uma gordura financeira para não precisar trabalhar por dez anos. Poupei demais no passado, mas de um ano e meio pra cá eu estou me dando ao luxo de gastar, de comer fora, de relaxar; ficar pensando em guardar, guardar, enlouquece. Só tendo equilíbrio, e ter equilíbrio é muito difícil, na minha humilde opinião, por isso pouca gente consegue ter equilíbrio mental e emocional ao poupar dinheiro e abster-se de prazeres.

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 16:13 - Reply

      Oi Rogerio. É muito importante buscar o equilíbrio. O problema é que as pessoas ou são 8 ou 80. Gastam como se fossem morrer amanhã e poupam como se fossem eternas. O outra situação comum é gastar com o dinheiro dos outros (gastar com o dinheiro dos bancos, financeiras, etc). São extremos são negativos. Para poupar é necessário que exista um propósito. Poupar não pode se transformar em um vício. As distrações e o lazer são investimentos na sua saúde mental.

      • Geraldo 22 de agosto de 2017 at 18:20 - Reply

        Como eu sei se estou no extremo “poupar como se fosse eterno”? Existe alguma técnica ou sintoma? Acho difícil analisar a mim mesmo em alguns assuntos… Uma coisa eu sei, minha motivação é muito alta =) o objetivo está tão claro que talvez esteja ofuscando algum problema, mas me sinto bem fazendo o que faço. Estou querendo passar para o nível 3.1 mas já agendei uns cursos (que seriam mais um hobby) daí vai ficar pro final do ano xD

        • Geraldo 22 de agosto de 2017 at 18:22 - Reply

          Vai ficar pro final do ano comprar e ler todos os seus livros de investimentos… Esqueci de dizer!

        • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:19 - Reply

          Oi Geraldo. Uma vez alguém me disse que estava amoçando um pacote de Miojo e jantando esfirras da promoção do Habib’s para economizar o máximo possível. Isso não faz sentido. É uma economia burra que vai gerar consequências negativas e que nenhum dinheiro pode justificar. Se a pessoa tem como plano morrer logo e deixar tudo que poupou como herança, tudo bem, vai dar certo. Se a pessoa pretende perder a saúde e depois gastar tudo que poupou com tratamentos médicos, também vai dar certo. É necessário preservar a saúde física, sua saúde mental e a sua segurança. A saúde mental tem relação com as atividades de lazer. É importante ter um equilíbrio.

          • Geraldo 22 de agosto de 2017 at 21:59

            Entendi, legal… Obrigado pela resposta!

  6. Thales 22 de agosto de 2017 at 16:07 - Reply

    Leandro, gostaria de uma indicação de livro sobre educação financeira para crianças a partir de 4 anos. É possível ?

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 16:14 - Reply

      Oi Thales. Não saberia indicar. É possível que algum leitor possa indicar.

      • Eduardo 23 de agosto de 2017 at 10:11 - Reply

        Olá Leandro e Thales. O livro “Fernão Capelo Gaivota” é bastante interessante. É uma história fictícia sobre uma gaivota que tem uma visão mais ampla da vida do que as outras gaivotas do bando, que se contentam em viver apenas roubando restos de peixes dos pescadores. É uma leitura curta, rápida. É possível fazer uma analogia da história com vários aspectos da vida, dentre eles economia e finanças.

    • Marcelo 22 de agosto de 2017 at 17:08 - Reply

      Olá Thales,
      Existe um livro que fiquei conhecendo pois foi escrito pelo meu assessor de investimento em uma das corretoras que tenho conta. Foi uma história interessante que aconteceu com ele e o filho e que depois virou um livro. O nome do livro é “Plano infalível para comprar um videogame”. Thiago Francischetto (autor).
      Também pretendo educar meus filhos desde cedo nesse sentido.
      Aproveitando, quero agradecer ao Leandro pelos excelentes artigos do clube dos poupadores. Com certeza isto faz a diferença na vida de várias pessoas. E eu sou uma delas.
      Abraço

  7. Thales 22 de agosto de 2017 at 16:17 - Reply

    Leandro, não o vi em artigos recentes falando sobre a queda vertiginosa e promessas de mais queda da SELIC. Diante deste novo cenário de juros baixos, governo tampão, o que esperar e para onde olhar ? Privatizações, inflação que cai e o Meirelles que não disse a que veio não foram objetos de artigos aqui ná área gratuita.
    Gostaria de ver um artigo contendo esse cenário de ERA TEMER. Se possível com compararação com os últimos 36 meses.

    Obrigado.

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 16:37 - Reply

      Oi Thales. A inflação baixa é um reflexo da pior crise econômica da história. Taxa Selic é que o governo utiliza para controlar a inflação. Quando a inflação cai o governo naturalmente baixa a taxa Selic. O que importa sempre é a diferença entre a inflação e a taxa Selic (que é a taxa real). Se a inflação está 2.71% e Selic está 9.25% isso significa que 6,37% de juros reais. Isso ainda é a maior taxa de juros reais do planeta. Quando a Selic estava em 14,25% a inflação bateu 10,71%. Isso significa dizer que quando a taxa nominal estava no seu patamar mais elevado a taxa real (com inflação descontada) estava na casa dos 4%. Dessa forma só os juros nominais estão caindo e o que realmente importa são os juros reais. O que eu acredito que as pessoas devem fazer nesse momento é mudar a mentalidade para o próximo ciclo de crescimento. No último ciclo de crescimento as pessoas não pouparam, não investiram e não empreenderam. Elas consumiram tudo, assumiram diversas dívidas, pagaram caro por tudo, recusaram trabalho, trabalharam menos e se divertiram mais, justamente quando a economia estava aquecida e muitas oportunidades estavam aparecendo. Acredito que estamos no fundo do poço e no próximo ciclo de crescimento as pessoas precisam aproveitar as oportunidades que vão surgir. Por isso é tão importante investir em educação agora, pois é essa educação que permite ver as oportunidades.

      • Ludwig von Mises 22 de agosto de 2017 at 21:19 - Reply

        Leandro, os efeitos provocados pela crise econômica foram inflação alta e baixa produtividade (fenômeno este conhecido como estagflação). Logo, neste caso específico, o aumento da taxa de juros não surtiu o efeito desejado de imediato, pois a inflação era de custo (muitas ofertas para pouca demanda, o que fez que com que os preços – antes represados – fossem repassados mais intensamente para os produtos finais). Um aumento da taxa de juros só é efetivo para reduzir a inflação quanto esta é causada pela demanda (muita procura para pouca oferta).

        Nesse sentido, o que realmente fez com que houvesse uma queda generalizada de preços foi a desaceleração da oferta de crédito (o governo parou de incentivar o consumo via empréstimos de bancos estatais – principalmente por causa do escândalo das “pedaladas fiscais”, determinante para culminar com o impeachment da Dilma). Ou seja, o remédio utilizado foi mera consequência econômica natural , dado que, ao passo que o aumento generalizado de preços é provocado pelo aumento da oferta monetária, por coerência lógica, o efeito deflacionário (queda generalizada nos preços) ocorre devido à contração da oferta de dinheiro em circulação na econômia.

        • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:29 - Reply

          Olá Ludwig von Mises, concordo plenamente. Agradeço a mensagem psicografada! (estou brincando!) 😉

  8. Ramide Dino 22 de agosto de 2017 at 16:21 - Reply

    Foi num desses seminários presenciais, há menos de dois anos,após ter lido o livro do autor que minha vida mudou completamente! Fui no MMI no Rio de Janeiro num final de semana que todos os meus amigos estavam numa festa num barco (caríssima) e me criticaram por ir a um seminário de finanças aos 23 anos. Hoje tenho uma porcentagem investida em uma pequena empresa de tecnologia (UBER de delivery de comida) participo de grupos de mentoria e estou caminhando a passos largos para abrir uma negócio digital e atingir a tão sonhada liberdade financeira. Invisto uma valor mensal do meu salário em educação financeira e com certeza irei estar no NAC Brasil 2017. Nossa fazem menos de 2 anos! Uau

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 16:49 - Reply

      Oi Ramide. Parabéns por ser jovem e investir em você! Não pude ir no “Millionaire Mind Intensive” do T Harv Eker. Com 23 anos eu estava enfrentando a minha primeira crise mundial, ela ficou conhecida como “Bolha da Internet” e ocorreu no ano 2000. Com 23 anos eu tinha uma empresa com mais de 20 funcionários especializada em construção de portais, sites de busca, softwares para sites e marketing (naquele tempo se chamava webmarketing). O que fez a grande diferença na minha vida foi o investimento que fiz na minha educação financeira que inclui a educação necessária para empreender. Uma coisa que o T Harv Eker trabalha muito é a neurolinguistica. Eu fiz um curso presencial de Neurolinguistica quando tinha 18 ou 19 anos e foi muito importante.

      • Ramide Dino 23 de agosto de 2017 at 8:31 - Reply

        Legal Leandro você já começou bem cedo a empreender e criar soluções para o mercado. Quanto mais eu invisto em minha educação financeira, comprando cursos, lendo livros mais faz sentido aquela célebre frase que diz que: “Os investimentos em educação são os que rendem os melhores dividendos.” Sou um leitor assíduo do seu blog e ja li todos os artigos! (Sério)
        Parabéns pela qualidade sempre impecável dos seus artigos. Gosto muito da maneira simplificada e didática que você trata os mais diversos assuntos aqui no Clube dos poupadores e no Transcendência financeira.
        Grande abraço e muito sucesso sempre.

  9. Iara 22 de agosto de 2017 at 16:23 - Reply

    Parabéns Leandro! Mais um artigo perfeito.

  10. Murilo Witt 22 de agosto de 2017 at 16:29 - Reply

    Leandro, percebo agora que as oportunidades sempre existiram, o que me faltava no passado era o preparo para aproveitá-las, e que o valor do que se faz com algo é que define o preço do mesmo. Muito Obrigado por me ajudar a abrir minha mente para entender como as coisas realmente funcionam

  11. Rubens Martins 22 de agosto de 2017 at 16:33 - Reply

    Leandro, o exemplo das roupas e o livro foi perfeito, isso ocorre muito no dia a dia, você mesmo já comentou várias vezes sobre o fato das pessoas estarem mais preocupadas em aparecerem bem diante dos outros (aí você não mede o quanto está gastando) do que com o que realmente importa (gastar primeiro com o que vai nos proporciona verdadeiros benefícios no futuro) a educação financeira e nossa saúde física e mental.
    A grande dificuldade para nós é saber lidar com as exigências da sociedade que cobra da gente uma postura impecável sempre e os bombardeios publicitários que nos indus ao consumismo. E olha que eu falo de consumismo, mas, eu defendo o capitalismo e o livre mercado,porém é muito difícil ser consumista de forma saudável com esse bombardeio todo, acho que alcançar o equilíbrio é uma chave importante.

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 16:57 - Reply

      Oi Rubens. Esse bombardeio de publicidade é patrocinado por pessoas que estão despertas e imunes a isso que você descreveu como “exigências da sociedade”. Não faz muito tempo que escrevi um artigo mostrando que muitos milionários vivem um estilo de vida simples. Nem todo mundo entende esse estilo. São esses mesmos milionários que investem milhões todos os meses com propaganda na televisão para que você beba mais, coma mais, compre mais, fique mais endividado. Eu acho o capitalismo maravilhoso quando você entende como ele funciona. Se você não entender como ele funciona vai acabar ficando do lado errado da mesa. Todos vão estimular para que você entregue seu dinheiro por qualquer marca, qualquer bobagem, qualquer simbolo bobo de status social criado dentro de uma agência de marketing. As pessoas precisam estudar mais, entender como o sistema funciona para não fazerem o papel do rato da figura que passa a vida correndo sem sair do lugar para que a economia possa girar. O problema é a falta de consciência e a ignorância.

  12. Marcelo Williams 22 de agosto de 2017 at 16:38 - Reply

    Muito bom artigo. Parabéns e obrigado Leandro!

  13. Alfredo 22 de agosto de 2017 at 16:39 - Reply

    Grande Leandro, Olhando os níveis ali que você montou passou um filme agora na minha cabeça sai do nível 0 para 3.1 onde estou hoje e me preparando para ir ao 3.2 em 2018. E depois chegar no nível 4. Ter o sentimento de estar trilhando o caminho até o meu objetivo é sensacional! Quero agradecer você por esse Blog através dele aprendi a sair da poupança e ir para o TD e Ações! Além também de dar importância para aquilo que realmente importa. Valeu cara!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 16:59 - Reply

      Oi Alfredo. Parabéns. Estamos todos trilhando esse caminho. O problema é que nem sempre paramos para ligar os pontos. Quando você atingir a independência financeira você vai perceber que existe um novo caminho e ele terá mais relação com o seu enriquecimento interior e com a contribuição ou legado que você pretende deixar por onde passar. Isso seria o Nível 5.

  14. César Filho 22 de agosto de 2017 at 17:01 - Reply

    Olá Leandro,

    Primeiramente, gratidão por nos presentear com mais um excelente artigo! Em relação ao evento, também não moro em SP, e assim como você farei um investimento considerável. Porém nunca estive tão convicto investir em algo como estou fazendo agora.

    Tenho certeza que será fantástico!

    Espero que após o evento possamos, juntamente com outros leitores do CP que estarão lá, trocar muitas ideias e promover ótimos debates.

    Grande abraço!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 18:54 - Reply

      Oi César. O livro Pai Rico Pai Pobre foi publicado 20 anos atrás. Agora em 2017 é o aniversário de publicação (1997). Me informaram que no evento o Kiyosaki vai falar sobre a visão dele sobre criação de ativos e enriquecimento na atualidade e no futuro. Vivemos uma realidade totalmente diferente daquela que ele vivia quando o livro foi escrito.

  15. Luciana 22 de agosto de 2017 at 17:09 - Reply

    Parabéns Leandro, sempre aprendo com seu blog, sou assinante e também já o indiquei para várias pessoas. Desejo muito sucesso e reconhecimento sempre, pois você merece!

  16. Evandro 22 de agosto de 2017 at 17:28 - Reply

    Sempre grato pelo seu autruísmo, Leandro.
    Sobre investir em educação financeira, caso faça uma pesquisa a respeito (dado que acho interessante obter, senão que já o tenha), creio que a maioria não se interessa devido a falta de informação sobre a possibilidade de obter rendimentos poupando baixas quantias. Ou a possibilidade de crescer financeiramente adotando hábitos diligentes. Que na verdade, ao adotar certa educação para as finanças temos que desde então adotar um novo estilo de vida.
    Faço um comparativo de que mudar de vida seja parecido com largar um vício. Por mais conselhos que recebemos, temos a natureza de não aceitarmos mudanças impactantes que nos tirem de nossa zona de conforto, mesmo que esta não seja tão confortável, mas simplesmente por inércia ou comodismo. Por isso, é sempre bom plantarmos a semente do caminho certo, sem ser chato ou insistente, para que a pessoa, a quem queremos ajudar, siga pelo próprio sentimento de se dar bem com a escolha que fez. Não é tarefa fácil.
    Senão desta forma, quem sabe num futuro próximo as pessoas a quem queremos alertar e ajudar possam confirmar tudo o que foi apresentado mudem de idéia. Perderão tempo, mas antes tarde do que nunca.

    Abraço.

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:00 - Reply

      Oi Evandro. Realmente deve ser como largar um vício. Inclusive a reação das pessoas quando tentamos alertar sobre alguma coisa nesse sentido é como a de alguém que é viciado diante da crítica sobre seu vício. Tente mostrar para alguém que acha que bebe socialmente que o comportamento dele já indica alcoolismo. Ele ficará muito ofendido. Tente falar qualquer coisa sobre os exageros ou a irresponsabilidade diante da vida financeira e o comportamento defensivo e cheio de desculpas será parecido.

  17. Juliana 22 de agosto de 2017 at 17:33 - Reply

    Leandro, esses questionamentos que respondi me serviram para olhar para dentro de mim e enxergar meus erros. E realmente, o conhecimento adquirido me trouxe até aqui e determinou quem sou hoje. Eu preciso investir ainda mais em mim para me tornar a pessoa que pretendo ser.
    As suas perguntas me ajudaram a dar o próximo passo, estar diante dos erros que me impediam de avançar foi até constrangedor. Porque não havia eventos externos,, depende apenas de mim evoluir.
    Eu já estive no nível 0 quando comecei a te acompanhar.
    Não tem preço que pague tanto conhecimento que vc nos proporciona aqui.

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:02 - Reply

      Oi Juliana. Eu pretendo pesquisar mais sobre essas perguntas para criar novos questionários no futuro. Eu acredito fazer a pergunta certa para os leitores pode gerar um impacto transformador mais profundo do que fazer afirmações. Eu só preciso estudar mais sobre o funcionamento dessa abordagem. Parabéns por aproveitar a pesquisa para fazer essas reflexões.

  18. Elisangela 22 de agosto de 2017 at 17:39 - Reply

    Mais artigo muito bom, leio todos artigos e principalmente aos comentários, aqui CP e na versão premium, aliás seus livros foi meu investimento em educação depois de ler vários outros assuntos de educação financeira gratuitos em outros blogs e videos. O resultado da pesquisa dá um norte de onde podemos chegar, minha situação atual é desempregada, sem dívidas, com dinheiro investido, gostaria de empreender e não voltar a “vender” meu tempo mais não sei por onde começar, então pretendo voltar ao mercado de trabalho e investir neste preparo e quem sabe um dia empreender, e futuramente assim atingir o nivel 4 da pesquisa. A figura da televisão e o livro tem muito resultado positivo em minha vida arrumei mais tempo para estudar sobre educação financeira e demais assuntos, quando troquei novelas por livros e videos no you tube que me agregam conhecimento, incrível a quantidade de tempo e de conhecimento, eu sinto que me libertei de uma prisão! Parabéns e obrigada por contribuir com o seu conhecimento!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:05 - Reply

      Oi Elisangela. Eu acredito que é melhor investir por vontade do que por necessidade. Estando empregada você terá mais tranquilidade para fazer seus planos, estudar e se preparar. Parabéns por trocar as novelas por conteúdo que possa fazer diferença na sua vida. Agora os aparelhos de televisão possuem os aplicativos do youtube de fábrica e basta escolher bem as fontes de informação.

  19. Augusto Monteiro 22 de agosto de 2017 at 17:50 - Reply

    Olá, Leandro!

    Sou engenheiro mecânico, tenho 24 anos e após um amigo me indicar seus artigos, comecei a enxergar a vida de outra maneira, sempre fui poupador, mas sem estratégias que aprendi com seus artigos. Após conhecer seu trabalho e seguir suas dicas, coloquei o pé na parede e resolvi sair do meu emprego, que me pagava mal, para ir em busca de outro melhor.
    Agora já fui selecionado para uma vaga que vai me ressarcir melhor, já tenho investimentos no Tesouro Direto (poucos, inicialmente) e vi que alguns bens que eu desejava só me trariam gastos desnecessários, investi na minha educação e vi que o mundo dos estudos me traz mais frutos, tanto financeira quanto emocionalmente.
    Enfim, admiro muito o seu trabalho e indico às pessoas que realmente querem progredir na vida, pois não são todos que interpretam bem a nossa visão.

    Abraços!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:10 - Reply

      Oi Augusto. Parabéns. Infelizmente a escola e até a universidade acabam estragando o prazer que podemos ter estudando. Passamos a vida estudando as coisas que os outros mandam você estudar em troca de um anota que no final não significa nada. A escola e a universidade é um grande teatro composto por professores desmotivados que fingem ensinar e alunos desmotivados que fingem aprender. É claro que existem exceções, mas no final todo mundo perde, a sociedade perde. Aprender mesmo você só vai aprender quando perceber que existem conhecimentos que fazem a diferença, que vivemos na era da informação e estar bem informado pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso.

  20. Eduardo 22 de agosto de 2017 at 17:54 - Reply

    Leandro, boa tarde! Gostaria de agradecer os grandes ensinamentos que aprendi em seu Blog!! Tenho uma micro empresa na área de reformas aberta desde 2010, no período de 2012 a 2015 acumulei dividas que passaram fácil de R$100.000,00, cheguei ao fundo do poço literalmente, várias noites sem dormir e cobranças a todo momento…Através de muita luta e educação graças a pessoas como vc, me fizeram abrir meus olhos para parar de cavar mais o buraco de onde se encontrava. Hoje posso dormir tranquilo, pois tenho a plena certeza que me levantei graças a educação financeira adquirida…..Conhecimento básico financeiro minimo me ajudou a reerguer minha empresa…Agora é colher os resultados e investir no longo prazo e não se endividar mais…Obrigado!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:12 - Reply

      Oi Eduardo. Esse “dormir tranquilo” não tem preço. É isso que as pessoas precisam entender. Educação financeira existe para garantir um sono tranquilo em primeiro lugar. O resto é uma agradável consequência. Parabéns e obrigado por compartilhar!

  21. Alexsandro S Santana 22 de agosto de 2017 at 18:03 - Reply

    Oi Leandro, mais um artigo ótimo, te admiro bastante, desde o inicio do ano comecei a me interessa pelo tema da educação financeira e fui me envolvendo cada vez mais, hoje eu não passo um dia sem ler pelo menos um artigo, uma pagina de um livro ou notícia que seja, falando do universo financeiro. Agora seu trabalho é um dos que mais admiro e acompanho, acredito que o que mais você se diferencia da maioria que escreve sobre o assunto é que você não aborda só assuntos técnicos e rotineiros do mercado financeiro e sim escreve sobre questões psicológicas e comportamentais que estão ligadas aos temas. Parabéns! e nos traga novidades do curso, abraço!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:14 - Reply

      Oi Alexsandro. Vejo tudo conectado e a parte mais importante, que faz a diferença, não tem relação com a parte técnica. Obrigado pelo comentário.

  22. Jobson Souza 22 de agosto de 2017 at 18:06 - Reply

    Parabéns Leandro Ávila pelo os artigos que tem nos ajudado muito. Como faço para adquirir seus livros?

  23. Rogério Lima 22 de agosto de 2017 at 18:15 - Reply

    Olá Leandro ;
    Ontem enquanto respondia a pesquisa fiquei lembrando como realmente a minha vida e da minha família mudou, e com certeza vai mudar mais, para melhor é claro, tenho que te agradecer muito pelos sues artigos nos faz pensar de verdade o que realmente importa. Muito obrigado e continue com esse maravilhoso trabalho . Grande Abraço!!!!

  24. Camila 22 de agosto de 2017 at 18:24 - Reply

    Leandro, acredito que as vezes as pessoas esperam que o resultado positivo das coisas caiam no colo delas, como se comprar um curso super caro fosse definitivamente resolver seus problemas, sendo que há coisas bem mais acessíveis e muito ricas em informações, como seus livros e a área Premium, porém, é necessário fazer um esforço. Digo isso com propriedade, pois já fui uma dessas, e desde que comecei a seguir teu blog tenho mudado meu comportamento. Parabéns por compartilhar conhecimento de maneira inspiradora!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:22 - Reply

      Oi Camila. Sim, existem pessoas que acreditam em milagres. Quando o foco é crescer por dentro, enriquecer seu conhecimento, o esforço é apenas seu. Não é possível pagar alguém para estudar por você. Não é possível pagar alguém para que você desenvolva uma habilidade que exige treino. Tem coisas que só você pode fazer por você. Alguns tipos de curso produzem um forte comprometimento e envolvimento emocional. As pessoas precisam ver o que funciona melhor com elas.

  25. Thais 22 de agosto de 2017 at 18:30 - Reply

    Tenho 24 anos e me enquadro no nível 2+ (ainda nao me sinto segura com renda variavel). Sou leitora assidua do Clube e dos teus livroa. Premium. Infelizmente tenho que investir muito livros e cursos para a minha profissão.. mas espero que logo consiga fazer mais e mais investimentos sobre financas. (por enquanto só livros)Parabéns pelo teu trabalho!!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:23 - Reply

      Oi Thais. Você ainda é muito jovem e tem bastante tempo. O importante é manter a frequência.

  26. Francisco 22 de agosto de 2017 at 18:56 - Reply

    Obrigado pelas informações, Leandro. Investi bem em educação financeira pela primeira vez neste ano, sem falar de leituras relacionadas que fiz, mas ainda preciso equilibrar as finanças.

  27. Pam 22 de agosto de 2017 at 19:14 - Reply

    Leandro, estou com dificuldades de encontrar um curso presencial ou palestra sobre finanças pessoais para levar meus pais. Eles não se animam com livros ou cursos online infelizmente. Você conhece algum bom para indicar?
    Parabéns por mais um excelente artigo!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:26 - Reply

      Oi Pam. Não saberia informar. Cada cidade ou capital do país deve ter seus cursos presenciais.

  28. Rafael 22 de agosto de 2017 at 19:41 - Reply

    Parabéns Leandro, como sempre, mais um excelente artigo. Confesso que esse artigo me fez lembrar de alguns anos atrás, quando comecei a acompanhar seu blog. Eu via os artigos, mas achava grande demais e acabava não lendo, as vezes comprava vários livros e também não lia e fui percebendo que minha vida financeira continuava na mesma, então resolvi dar um basta e comecei a ler os artigos por completo, a ler os livros também e percebi aí uma mudança na minha mentalidade, comecei a perceber várias pequenas coisas que eu fazia de errado, gastos desnecessários, pegando um empréstimo atrás do outro, para sempre gastar mais. E percebi que o investimento com a educação é o mais precioso que podemos fazer. Aprendi que devemos sempre buscar evoluir e principalmente, colocar em prática aquilo que lemos nos livros, escutamos em palestras e workshops, devemos buscar o equilíbrio entre teoria e prática e também buscar equilíbrio em todos os campos de nossa vida, saúde, educação, finanças, amor , para enfim alcançar os objetivos maiores, dentre eles a liberdade financeira. Mais uma vez, muito obrigado. Abraços.

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:51 - Reply

      Oi Rafael. Obrigado por deixar seu depoimento. Parabéns por ter encarado com seriedade!

  29. Lucas de Souza Jardini Machado 22 de agosto de 2017 at 19:44 - Reply

    Parabéns por mais um excelente artigo Leandro!

    Eu mesmo cheguei a fazer parte das pessoas que não liam todos os seus artigos por achar que eram muito extensos. Cheguei até propor a você na virada do ano passado para esse que, talvez quebrasse os artigos que fossem muito grandes em partes. Porém hoje percebo que isso não passa de desculpas. Não interessam se são longos ou não, eu leio todos os conteúdos que você posta! Em educação financeira no Brasil, você pra mim é referência. Acompanho tudo o que escreve, nós 2 blogs e na área Premium.

    Em 2 anos foi o tempo que conheci seu blog, li muitos conteúdos na internet, adquiri seus livros, assisti diversos vídeos no YouTube, aulas gratuitas e pude sair do nível 0 e hoje me encontro no nível +2 e com muita alegria e satisfação no próximo mês pretendo subir para o nível +3.1.

    Agradeço muito a você e a diversos educadores financeiros que tem disponibilizado diversos conteúdos gratuitos e pago também. Compartilho com o máximo de pessoas que posso esse novo conhecimento que venho adquirindo e assim como escreveu esses dias atrás num dos posts, quando eu estiver alcançado o topo da montanha, com certeza descerei para ajudar as pessoas a chegarem lá assim como você está fazendo. E espero que isso se torne um ciclo na vida de todos e que todos esses atos venham mudar o rumo da história de muitas pessoas.

    Obrigado por tudo e parabéns pelo excelentíssimo trabalho!

    • Leandro Ávila 22 de agosto de 2017 at 19:54 - Reply

      Oi Lucas. Parabéns e obrigado por registrar seu depoimento aqui. Ele vai motivar outros leitores que passam pela mesma situação. Tudo isso é desculpa que criamos. Existe uma força oculta dentro de nós que resiste ao nosso crescimento. Ela inventa todo tipo de desculpa.

  30. Ricardo Mattos 22 de agosto de 2017 at 19:52 - Reply

    Boa noite, mais um artigo de valor inestimavel, meus parabéns, sabemos que a educação é o maior pilar da nossa sociedade, felizes daqueles que buscam o conhecimento, pois são eles que nos geram os melhores juros.

    Att

    Ricardo Mattos

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:13 - Reply

      Obrigado Ricardo. O conhecimento e o que fazemos com ele é justamente aquilo que nos diferencia. Diferenças se combate com conhecimento.

  31. Jaysa Gomes 22 de agosto de 2017 at 20:13 - Reply

    Leandro, parabéns pelo artigo!
    Li também todos os comentários postados…nível nota 10 esse dos seus leitores.
    Tenho investido bastante do meu tempo e dinheiro com o assunto de finanças pessoais. Enfim, considero a inteligência financeira uma ciência do bem viver porque envolve tanto assuntos técnicos quanto psicopsicológicos. Penso que devemos agir sempre sentindo a felicidade do momento presente que é encontrada durante toda a jornada!

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:15 - Reply

      Oi Jaysa. É isso mesmo. As pessoas precisam entender que o momento presente é uma obra construída no passado. Não caímos no presente de paraquedas. Essa ideia nos apresenta uma responsabilidade de criar boas condições no presente para garantir um futuro melhor (que será o presente de amanhã).

  32. Flávio 22 de agosto de 2017 at 20:37 - Reply

    Leandro Ávila. Esteja em Paz. Leio seus artigos faz mais que algum tempo. Não li Robert Kiyosaki. Tenho alguns livros sobre investimentos de autores diversos. O tema ‘Investimentos’ passou a fascinar – me por conta, Leandro, de suas letras. O ‘um milhão de reais’ é o meu objetivo para, no máximo, 3 anos. Mas tenho algo a lhe dizer com todo respeito: suas letras nas últimas semanas têm elogiado com frequência R. K. Duvido que sua ‘veia pedagógico – filosófico – financeira’ Leandro, seja inferior à de R. K. Eu iria de Salvador para São Paulo assistir a uma palestra sua sem titubear. Eu teria retorno financeiro por conta dos mais conhecimentos adquiridos pela sua presença. Não vejo problema em citar vez ou outra uma pessoa conhecida d’uma determinada área em comentários escritos. Com ‘redundância’, me incomoda sim. Dos sérios educadores financeiros que utilizam variados meios para levar às multidões, principalmente via Internet, um cadinho dos seus conhecimentos, você Leandro, se destaca pela boa qualidade das suas informações e seriedade, como foi dito, além da leveza que transborda da sua pena. Nada contra o R. K., apenas eu quis manifestar minha inquietação. Esteja em Paz. Flávio /Salvador – BA.

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:24 - Reply

      Oi Flávio. Eu gostaria de entender melhor a origem dessa inquietação que alguns leitores sentem quando eu cito qualquer autor de educação financeira. Eu confesso que ainda não entendo.

  33. Tatiana 22 de agosto de 2017 at 21:12 - Reply

    Leandro, você é um homem de luz. Obrigada por despertar em mim a vontade estudar educação financeira. Deus te abençoe

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:35 - Reply

      Oi Tatiana. Obrigado, a ideia é sempre motivar as pessoas. Creio que só precisamos de bons motivos para crescer.

  34. kano 22 de agosto de 2017 at 21:34 - Reply

    Muito bom seus artigos Leandro, sou fã deste site canal !
    Parabéns !

  35. Jaqueline 22 de agosto de 2017 at 22:53 - Reply

    Parabéns Leandro pelo seu excelente trabalho em divulgar a educação financeira. Desde que iniciei meus estudos nesse assunto tento motivar outras pessoas e já consegui alguns sucessos, tanto com pessoas como na minha própria vida. Gostaria te pedir uma sugestão, comprei meu apto há pouco .ais de 3 anos financiado e através da educação financeira falta pouco para finalizar. Diante disso gostaria da sua ajuda, tenho 46 anos e tenho uma meta para montar uma reserva para aposentadoria em no maximo 10 anos. Você acha que devo concentrar meus recursos financeiros para quitar o finaciamento imobiliário ou faço isso paralelamente ao investimento da minha aposentadoria?

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:31 - Reply

      Oi Jaqueline. É muito ruim não ter uma reserva. A falta de reserva coloca você na corda bamba. Qualquer situação inesperada pode colocar o equilíbrio da sua vida financeira em risco e até o seu financiamento em risco. É importante ter uma reserva para imprevistos.

  36. George Santana 22 de agosto de 2017 at 22:55 - Reply

    Olá Leandro,tudo bem?
    Acompanho o clube há um bom tempo e é cada vez mais notável seu entusiasmo sua e evolução como educador.Sou muito grato e feliz por fazer parte dessa grande comunidade e desse projeto.Estou no nível +2 rumando para o + 3.1.Confesso que tenho muita curiosidade em saber como é sua biblioteca pessoal de livros em geral.Seria de grande valia conhecer um pouco mais desse material que te inspira semanalmente.

    Um Grande abraço mestre,sucesso!

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:33 - Reply

      Oi George. Um leitor acabou de falar aqui nos comentários que fica incomodado quando cito outros autores. Se mostrar minha biblioteca serei crucificado.

      • Lucas de Souza Jardini Machado 23 de agosto de 2017 at 8:44 - Reply

        Acho que conhecimento que não causa inquietação tanto para bem quanto para mal, não está surtindo efeito de nada… Eu gostaria de conhecer as suas fontes também rs

        • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 9:52 - Reply

          Oi Lucas. Eu também acredito que a inquietação é sinal de que tem alguma coisa importante acontecendo.

  37. Marcio Marquês 22 de agosto de 2017 at 22:57 - Reply

    Muito bom Leandro. Tenho 17 anos e sou muito interessado pelo assunto, recentemente acabei de ler “Pai Rico e Pai Pobre”, e recebi uma indicação para seu site, e estou gostando Muito!

  38. Renata Mello 22 de agosto de 2017 at 23:24 - Reply

    Olá Leandro.
    Espero que tire o máximo proveito do evento e que nos traga muitas novidades.
    Como gostaria de estar presente…quem sabe um dia se houver outra oportunidade dessas.

  39. victor 22 de agosto de 2017 at 23:31 - Reply

    Você faz parte da minha educação financeira Leandro , gratidão por compartilhar esse rico conhecimento, um abraço!!

  40. Anderson 23 de agosto de 2017 at 0:16 - Reply

    Leandro, boa noite.
    Sou Anderson, tenho 25 anos, e comecei com o cadastro no clube semana passada.
    Pelo que percebi são interessantes seus conteúdos, visando que brigo comigo mesmo para leitura( pois é algo que não gosto), porém é algo necessário.
    Hoje por incrível que pareça, realizei toda leitura do tópico e comentários, e nem percebi.
    Gostei do exemplo dos valores gastos com acessórios e roupas, eu mesmo sou um que já gastei por exemplo R$ 150,00 em um boné, porém não a fazer dividas, eu posso até ter um custo mais alto em um determinado bem, porém só vou o fazer caso eu tenha o dinheiro em sua totalidade que não precise me gerar uma dívida.
    Com relação aos níveis, me enquadro nestes:

    Nível +2: Tenho o hábito de guardar dinheiro e faço investimentos de renda fixa como: Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, etc. (34,3%) Nível +3.1: Tenho investimentos (renda fixa e variável) e sou empregado (31,7%)…. ( este caso apenas porque comprei 2 ações semana passada, e foi minha primeira vez em renda variável ). Sei que 2 frações de ações não são nada, porém pode representar um inicio do que pode vir.

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:43 - Reply

      Oi Anderson. Seja bem-vindo! O último boné que comprei custou 29,90 em uma promoção. Ele cumpre seu papel de proteger minha cabeça quando estou na praia. Ele não possui nenhum logotipo de marca famosa. Minha cabeça não é um outdoor e eu não preciso de uma etiqueta na testa para provar para os outros que posso jogar 150,00 no lixo, pois é exatamente isso que fazemos quando pagamos várias vezes mais caro por um produto de qualidade semelhante que ostenta uma marca famosa. É importante refletir sobre essas questões. Até que ponto não estamos fazendo papel de bobo andando por ai exibindo marcas? É claro que existem produtos mais caros de marcas famosas que possuem qualidade maior. Nesse caso devemos avaliar até que ponto a qualidade maior realmente é importante para um boné comum ?

  41. Patrick 23 de agosto de 2017 at 7:06 - Reply

    Olá Leandro, mais uma vez parabéns e obrigado pelo artigo.
    Gostaria de saber o que você pensa sobre investimentos em bitcoins, e se já escreveu sobre isso me indique o caminho para leitura pois sou recém chegado.
    Um abraço

  42. Frederico 23 de agosto de 2017 at 7:35 - Reply

    Olá, Leandro: sou Frederico de Curitiba. Despertei um pouco tarde para as ideias de estratégias de investimento; mas antes tarde do que nunca (no meu caso com 36 anos). Quando leio seus artigos aqui na área gratuita percebo como você tem razão quando fala da educação financeira, da alfabetização em si – logicamente aprender sobre investimentos, dinheiro, como a roda gira, etc. é um processo de be-a-bá assim como quando a criança começa a aprender a escrever, aí o nome corretíssimo de alfabetização. E esse processo torna-se fácil hoje em dia com a tecnologia aliada à boa vontade e um pouco de autodidatismo. Excelente seu trabalho. Parabéns!

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 7:45 - Reply

      Oi Frederico. A boa vontade é o combustível que devemos buscar. Com ela é possível aprender qualquer coisa.

  43. RENATO M SOUZA 23 de agosto de 2017 at 8:22 - Reply

    Olá Leandro,

    Eu respondi seu questionário e com o resultado estou como a maioria no Nível +2: Tenho o hábito de guardar dinheiro e faço investimentos de renda fixa como: Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, etc. (34,3%), vejo que preciso melhorar o nível, mas já sou muito feliz por ter chegado nesse nível, pois na pratica não foi nada fácil sair do nível -1. E meu estimulo e motivação sem dúvida vem do seu trabalho, livros que adquiri reeducação financeira, Investidor consciente e Investimento e participar da comunidade fechada, realmente eu só tenho agradecer para doação que você faz para verdadeira Educação Financeira.

  44. Felipe 23 de agosto de 2017 at 8:55 - Reply

    Leandro, bom dia.
    Através de suas dicas pelo site diversifiquei bastante minhas economias. Tenho CDB, LC, LCI, LCA e Tesouro Selic investidos.
    Todos na melhor taxa possível. Quando vencer os prazos, pensei em colocar uma boa parte no Tesouro IPCA+ com juros semestrais.
    Fiz uma simulação no site do tesouro e minha dúvida é o que compõe os cupons semestrais, pois no ultimo ele paga um valor mais alto que os semestrais normais.
    Como futuramente minha intenção é viver de juros, gostaria de saber se esses cupons pagos semestralmente seriam somente a % contratada, ou está incluso também a inflação (IPCA), no caso taxa do papel da compra + Ipca? Ou o Ipca é pago somente no final?
    Pq a pergunta? Gostaria de retirar somente a Taxa contratada para utilizar e deixar somente o $ do IPCA para reinvestir, caso esteja incluso no cupom do semestre.
    Se der para esclarecer serei muito grato. Obrigado.

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 9:54 - Reply

      Oi Felipe. Os cupons são a taxa anual contratada. O valor que você investiu é reajustado pelo IPCA e isso faz o valor recebido a cada semestre ser maior que o do semestre anterior. O valor que você investiu corrigido pelo IPCA é pago apenas no final ou caso você antecipe a venda do título.

  45. Luiz Fernando 23 de agosto de 2017 at 9:55 - Reply

    Olá Leandro!

    Como sempre, ótimo artigo! Seu site tem me ajudado muito na minha educação financeira e busca por investimentos.

    Uma dúvida: você tem pretensão de publicar esses seus 3 e-books em formato físico? Sou daquelas pessoas que absorve melhor lendo com o livro na mão.

    Obrigado pela atenção.

    Luiz Fernando

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 10:58 - Reply

      Oi Luiz. Os livros existem para tornar o Clube dos Poupadores viável economicamente. Apesar do projeto ser gratuito, os custos são elevados e crescentes. As editoras oferecem apenas 5% ou 10% do preço de capa dos livros para os autores. Isso significa que a editora, gráfica, livraria e outros envolvidos ficam com a maior parte e o autor da obra fica com a menor. Muitos autores compensam isso vendendo palestras, mas fazer palestras pagas não é o meu propósito. Além disso os livros são integrados com links, vídeos e planilhas que acompanham. A versão impressa não permitiria esses recursos. Tenho planos de no futuro escrever um ou mais livros específicos para impressão.

  46. Suzimara Possenti 23 de agosto de 2017 at 10:00 - Reply

    Parabéns por mais um excelente artigo! Eu ainda estou no nível +1, porém já estou me programando para subir de nível, inclusive, assim como você nos alertou sobre a importância de investimento na nossa educação, também vou investir com passagens e hospedagem para participar do seminário da Nac Brasil, e gostaria de sugerir que houvesse, caso possível, claro, um encontro com o pessoal que segue o Clube dos Poupadores lá, seria muito enriquecedor te conhecer pessoalmente e acredito que os colegas leitores do blog também ficariam felizes com essa oportunidade! Obrigada por compartilhar seus conhecimentos conosco! Pode continuar publicando artigos com referências a outros autores pois isto é muito enriquecedor e vem somar ao conhecimento que você nos passa.

  47. Rafael 23 de agosto de 2017 at 11:29 - Reply

    Bom dia, Leandro!
    O que você teria para comentar desses serviços, gestoras de investimentos credenciada na CVM, as chamadas FINTECHS. Como a x, y, z, w, etc. Pelo que li elas utilizam uma forma robotizado de distribuir os investimentos, os chamados robo-advisors. Baseado neste seu artigo, gostaria de uma opinião sua?! Obrigado!

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 13:52 - Reply

      Oi Rafael. Minha opinião é que continuamos buscando uma forma de fugir da responsabilidade que é cuidar do nosso próprio dinheiro. Procuramos um milagre. Os robôs são programados e mantidos por pessoas e essas pessoas, como todos as outras, lucram quando você acredita que é incapaz de tomar as melhores decisões sobre o seu dinheiro. Como educador eu continuo acreditando a defendendo a ideia de que podemos cuidar do nosso dinheiro. Já fizemos o mais difícil que foi aprender a fazer dinheiro (através do nosso trabalho) agora só falta fazer o básico que é cuidar do dinheiro que ganhamos. É o mínimo que todos deveriam fazer.

  48. Marcel 23 de agosto de 2017 at 12:48 - Reply

    Olá mestre Leandro!

    Tenho 31 anos e sempre fui controlado com meu dinheiro. Sempre guardava parte da minha grana na poupança e etc… No final do ano passado conheci seu blog e você me fez abrir os olhos para o quão limitado eu estava perante aos meus investimentos. Hoje já tenho um grau de conhecimento financeiro muito maior do que tinha à 10 meses atrás, mas quanto mais estudo e me dedico mais descubro o tanto que ainda tenho a percorrer no vasto mundo das finanças. E por incrível que pareça, ao invés disso me desmotivar, a cada dia que passa me sinto mais empolgado e com fome de conhecimento.

    Gostaria de aproveitar a deixa e tirar uma dúvida com você:

    Há relação da taxa de juros que as instituições pagam pelos títulos com a variação da Selic, por exemplo, com as recentes quedas da Selic a tendência é que as instituições passem a pagar taxas maiores para “compensar” a queda ou isso não tem relação. Para tentar ser mais claro, vamos supor que um CDB de 5 anos pagasse 125% CDI quando a Selic estava na casa dos 14%, com a taxa caindo à, digamos, 6% a tendencia que esta mesma instituição financeira pague os mesmos 125% por este tipo de título ou não?

    Muito obrigado.

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 14:00 - Reply

      Oi Marcel. Creio que isso é comum em todas as áreas do conhecimento. Quanto mais você estuda, mais descobre outras coisas e percebe que pouco sabe. O que determina esse percentual do CDI que as instituições privadas oferecem no CDB, LCI e LCA está mais relacionada a demanda que os bancos possuem por dinheiro. Quando a economia está aquecida, as pessoas e as empresas estão gastando mais do que poupando, os bancos precisam de mais dinheiro e podem oferecer percentuais do CDI maiores. Quando a economia está desaquecida, a demanda por dinheiro diminui. As pessoas e as empresas pede menos empréstimos e os bancos precisam de menos dinheiro.

      • Marcel 23 de agosto de 2017 at 15:11 - Reply

        Faz todo sentido.

        Muito obrigado Leandro.

  49. Alex Pereira 23 de agosto de 2017 at 13:43 - Reply

    Leandro você cada dia mais se superando, obrigado pelos seus artigos!!!
    Você me ajuda muito nessa minha caminhada financeira!!!

  50. junior 23 de agosto de 2017 at 14:04 - Reply

    Muito bom o artigo Leandro, acompanho o blog há bastante tempo e minha educação financeira só tem melhorado. Nos níveis de inteligência financeira acredito que teria espaço para mais um item: Nível +3.3: Tenho investimentos (renda fixa e variável) e sou empregado e empreendedor ao mesmo. Continue com esse excelente trabalho.

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 18:59 - Reply

      Oi Junior. Parabéns! Existem empregos e negócios que permitem. Muitas vezes a pessoa pode ser apenas o sócio investidor e com isso manter o emprego.

  51. Eduardo 23 de agosto de 2017 at 14:43 - Reply

    Olá Leandro. Mais um artigo bem educativo.

    Nosso país seria bem diferente se as pessoas dessem mais importância a esse tipo de educação, que pode ser aplicada com muito pragmatismo em suas vidas pessoais e gerar muitos frutos para serem colhidos no futuro. Isso melhoraria o quadro atual da sociedade brasileira, que atualmente é vítima de sua própria ignorância e da má fé de vários gestores e governantes.

    Pensando nisso, e sempre tendo como foco a minha independência financeira, já me habituei a poupar e a investir uma elevada fração da minha remuneração mensal. Ainda tenho muito o que aprender para aumentar a minha inteligência financeira. Entretanto, de acordo com os conhecimentos que adquiri até agora, estou me limitando a investimentos em renda fixa (pretendo partir para a renda variável no futuro). No âmbito da renda fixa, grande parte da minha carteira é composta por títulos do Tesouro. Gosto da diversidade, segurança, liquidez, taxas e opções de vencimento que o Tesouro Direto oferece. Sempre me senti extremamente seguro investindo em títulos públicos, por vários motivos, mas principalmente pois:
    – são garantidos pelo tesouro nacional.
    – os maiores detentores dos títulos são instituições grandes (bancos, fundos de investimento, fundos de previdência, etc), que não seriam compradoras de títulos caso fosse uma opção arriscada.
    – um calote no pagamento dos títulos só ocorreria se todo o sistema financeiro desmoronasse antes.
    – e ainda existe a possibilidade de o governo emitir outros títulos com vencimento mais futuro ou até imprimir dinheiro para honrar o pagamento dos títulos.
    (todos esses motivos abordados em seus textos, que ajudaram muito na minha educação financeira)

    Entretanto, uma notícia me preocupou. Li a informação de que a presidente Dilma pegou o país com a dívida em 52% do PIB. Agora está em 73% e estima-se que estará em 100% daqui a 2 anos. Nesse cenário, os investidores internacionais se recusariam a emprestar dinheiro quando a dívida pública é superior a 100% do PIB, ou seja, quando o governo está devendo o mesmo valor do produto total da economia do país em um ano. Isso já ocorreu em alguns países, tais como a Grécia. Daí o governo simplesmente não conseguirá pagar estes títulos todos.

    Esse alarmismo tem fundamento, ou podemos continuar dormindo tranquilos com os nossos investimentos em títulos públicos do Tesouro Nacional?

    Grande abraço e sucesso com os seus projetos.

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 19:03 - Reply

      Oi Eduardo. A dívida que você tem com o governo é em moeda nacional (reais). O endividamento cada vez maior do governo vai gerar consequências na inflação, no momento que o governo imprimir moeda (R$) para pagar suas dívidas. No caso da dívida internacional é diferente. Não podemos imprimir moeda estrangeira.

  52. RFelipe 23 de agosto de 2017 at 15:51 - Reply

    Leandro, obrigado por mais um excelente tópico e você colocou bem o exemplo do boné! Nós temos que parar de servir de outdoor para as grandes marcas (efeito manada). Se essas marcas quiserem que eu use um produto delas de forma deliberada, são elas que devem me presentear com um exemplar para que eu saia desfilando nas ruas com ele e fazendo propaganda. No meu cotidiano evito ao máximo expor qualquer tipo de marca.

    Mas é o que você disse, com uma pequena observação: não é que a maioria das pessoas estejam do lado errado da mesa. Elas só estão do lado “não lucrativo” dela e muitas ainda continuarão, pois sem essas pessoas do outro lado da mesa, o sistema não existiria. Acho que cabe a nós enquanto cidadãos, obter o máximo de conhecimento possível para que possamos fazer com consciência a escolha do lado da mesa que queremos estar.

    Grande abraço!

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2017 at 19:10 - Reply

      Oi Felipe. O destino natural do dinheiro que você investe nos bancos, em uma sociedade onde as pessoas são financeiramente educadas, seria o investimento produtivo. É a loja que pega dinheiro emprestado para aumentar seus estoques, a fábrica que compra novos equipamentos com financiamentos longos, a construtora que pega dinheiro emprestado para transformar um terreno em um grande condomínio, etc. O empreendedor que vive em países onde a oferta de crédito é abundante e barata vive em um paraíso de oportunidades. Imagine você pegar dinheiro emprestado no banco pagando juros baixos sabendo que ao investir terá lucros superiores e capazes de pagar esses juros e ainda sobrar muito. Não precisamos de um bando de gente desorientada, ignorantes financeiros, pagando juros absurdos do outro lado da mesa por dinheiro que será utilizado para comprar futilidades ou para comprar aquilo que deveriam comprar com a própria poupança. Sabemos a diferença entre os juros que os bancos pagam para o investidor e os juros que cobram. Essa enorme diferença fica com os bancos e com o governo através dos impostos que cobra pelos lucros dos bancos.

      • RFelipe 24 de agosto de 2017 at 10:31 - Reply

        Exatamente Leandro! Mas ai entramos numa seara que eu acho um pouco mais complicada que a educação financeira: a questão cultural e evolutiva das sociedades. Existem sociedades novas que conseguiram avançar de forma surpreendente em sua evolução (Austrália e Canadá por exemplo). E existem culturas que demoraram milênios para chegar onde estão, a exemplo do Japão. Como todos nós sabemos, a América Latina foi constantemente explorada durante seu início (e até hoje é de certa forma, se formos parar pra pensar que nenhum país da AL exporta tecnologia em larga escala, somente insumos e matéria-prima).

        Infelizmente a corrupção atrasa a nossa evolução, mas temos que ser otimistas.

        Abs!

  53. Marcos S. Cavalcanti 23 de agosto de 2017 at 18:49 - Reply

    Como professor de Economia e Finanças, expert em pericias judiciais, e como jovem empreendedor na casa dos 60
    apresento congratulações pelo excelente trabalho de educação financeira voltado para
    todas as pessoas interessadas em evoluir na escala sócio-economica.

    Excelente conjunto de titulos e artigos.

  54. Ximena 23 de agosto de 2017 at 19:44 - Reply

    Leandro, Excelente texto, como sempre! Faz 2 anos e 3 meses que sigo seu blog, e para mim foi um divisor de águas. suas palavras e recomendações gritaram muito alto na minha cabeça. Rapidamente fui do consumismo irresponsável à independencia financeira, hoje posso dedicar meu tempo a estudar como fazer o dinheiro trabalhar para mim buscando estrategias cada vez mais sofisticadas. E seu trabalho foi a inspiração que me trouxe aqui. Leandro Avila para mim está no mesmo patamar do Robert Kiyosaki no quesito autores inspiradores. Parabéns e obrigada pela sua contribuição na nossa sociedade, cada pessoa que você consegue inspirar significa multiplicação de conhecimento. Recentemente estive na situação de precisar explicar para uma amiga porque é melhor investir em corretora que em banco e as vantagens de um investimento sobre outro, e percebo que nao somente falta muita educação financeira na nossa sociedade, como existe uma resistencia muito forte nas pessoas para buscar esse tipo de conhecimentos. Me senti inspirada a promover de alguma forma voluntaria a educação financeira de crianças e jovens, vou me preparar para desenvolver um projeto nesse sentido e promover essa disseminação de conhecimento. Novamente Obrigada!

    • Leandro Ávila 28 de agosto de 2017 at 22:03 - Reply

      Oi Ximena. Parabéns pelos seus resultados e por disseminar o conhecimento entre as pessoas que você conhece.

  55. Breno Fernandes 23 de agosto de 2017 at 23:48 - Reply

    Hoje recebi um email da Gol mostrando os descontos das viagens. Pensei: “Puxa, que legal. Vou ver as promoções, só por curiosidade, já que tem vários feriados até o final do ano.”. Objetivo: lazer. E desisti. Depois leio seu artigo, e lá estava você dizendo sobre viagens e cursos. O legal foi ver o outro lado da moeda e o que gosto dos seus artigos, são isso. Você consegue nos mostrar alguns pontos ainda não explorados. Valeu.

    • Leandro Ávila 28 de agosto de 2017 at 22:04 - Reply

      Oi Breno. Não existe problema nenhum em viajar e “investir na sua saúde mental”. Só não podemos concentrar investimentos. É importante fazer o dever de casa primeiro. O lazer vem depois.

  56. Viviane Matos 24 de agosto de 2017 at 9:47 - Reply

    Olá, Leandro,

    Me identifiquei muito neste trecho: “Nossos amigos e parentes próximos falam de dívidas, consumismo e problemas financeiros, mas você gostaria de falar de investimentos e oportunidades financeiras. Quase sempre você se sente como um peixe fora da água”

    O que você acha de criar um fórum no espaço dos assinantes dos seus livros, sobre experienciais de investidores em outros segmentos como: Imóveis; crowdfunding; criptomoedas;investidor anjo; startup e entre outros.

    O que você acha?

    Obrigada por todo esse conteúdo maravilhoso, você não tem ideia como me ajuda.

    • Leandro Ávila 24 de agosto de 2017 at 10:33 - Reply

      Oi Viviane. Se falar sobre dinheiro com amigos e parentes próximos é muito difícil, imagine o que significa falar sobre isso com estranhos. Um número muito pequeno se interessa. Temos centenas de milhares de leitores e dezenas de milhares recebem o e-mail que envio sempre que um novo artigo é publicado. Observe a quantidade de pessoas que se interessa por fazer comentários.

  57. Tais 24 de agosto de 2017 at 11:57 - Reply

    Leandro, ouço falar muito em Neurolinguistica, você citou inclusive em um comentário. Você poderia indicar bons livros sobre o assunto?

    • Leandro Ávila 28 de agosto de 2017 at 22:05 - Reply

      Oi Tais. Não saberia indicar um livro atualmente. O que ocorre é que muito do conhecimento está embutido no trabalho de vários autores.

  58. Yuka 24 de agosto de 2017 at 14:38 - Reply

    Oi Leandro, terminei de ler os seus livros sobre imóveis, e acabei de comprar os livros sobre educação financeira. Eu sou uma leitora voraz de livros e fiquei particularmente feliz quando vi que estes livros estão na versão mobi. É muito bom quando descobrimos livros, blogs, sites e pessoas que nos impulsionam para a frente. Um abraço.

  59. Fabiane Bastos 24 de agosto de 2017 at 15:32 - Reply

    Leandro, respondi sua pesquisa. Seus artigos são incríveis. Comecei a investir na minha educação financeira há uns 2 anos e sinto que já evolui muito, mas sei que ainda tenho um longo caminho pela frente. E, hoje, sinto que já influencio meu marido a investir nisto também. Eu e ele também iremos ao NAC Brasil 2017… Será que nos veremos por lá? rs Queria te agradecer por compartilhar seus conhecimentos e ajudar tantas pessoas. Só posso te dizer: muito obrigada e continue!

    • Leandro Ávila 28 de agosto de 2017 at 22:09 - Reply

      Oi Fabiane. Parabéns por investir em você e pelo seu exemplo acabar influenciando as pessoas próximas. É isso que devemos fazer.

  60. Adônis Vieira 24 de agosto de 2017 at 17:27 - Reply

    Olá, Leandro!

    Eu ministro palestras sobre educação financeira em empresas da região que eu moro, e vejo a falta de inteligência financeira na prática quando questiono aos participantes quantos já leram algum livro sobre educação financeira e quantos já se endividaram alguma vez na vida. As pessoas mudam, mas o números não. Geralmente 2% respondem positivamente a primeira e mais de 50% a segunda questão.

    Tenho a consciência que a sociedade só tem a ganhar com mais e mais pessoas com uma boa educação financeira. E mesmo não sendo algo grandioso, eu tento fazer minha parte e uso muito do que aprendi aqui no seu site para isso, inclusive recomendando-o a todas as pessoas que participam das minhas palestras.

    Muito obrigado e continue com este belo trabalho.

    • Leandro Ávila 28 de agosto de 2017 at 22:10 - Reply

      Oi Adônis. Como a educação financeira passa de pai para filho, uma vida que você ajuda a mudar hoje vai gerar impactos positivo por muitas gerações. Parabéns pelo seu trabalho.

  61. Claudemir Alves Costa 25 de agosto de 2017 at 19:56 - Reply

    Oi Leandro, boa noite,

    Já acompanho seu blog já faz um tempo, e creio que já estou no nível +3.1 da sua escala. Sou seu conterrâneo e moro em São Paulo faz dois meses. Também vou participar deste congresso. Já tenho você no Linkedin e Seria um prazer conhecer você pessoalmente, mesmo que seja só por uns minutos. Parabéns pelo seu trabalho e continue assim, vai estar ajudando muita gente.

    Abraço,

    Claudemir

  62. Marcelo 26 de agosto de 2017 at 9:43 - Reply

    Leandro me ajuda com uma conta: tenho uma grana investida no valor de metade de um financiamento de um imóvel (price, 20 anos, valor 1500 de parcela) recente a 7.8 anual. Bom, a questão é que o FGTS abate 1/3 da minha parcela e o aluguelzinho (900) dá mais uma ajuda, de modo que puxo mesmo do bolso no máximo 200 mensais. Sempre que olho os juros pagos fico com vontade abater o montante devido, mas não me cai bem a ideia de liquidar meus investimentos. Qual sua opinião sobre isso? Todo mundo fala de comprar tempo etc, mas fico muito assim por não usar o FGTS (que considero grana perdida).

    • Leandro Ávila 28 de agosto de 2017 at 22:13 - Reply

      Oi Marcelo, quando se tem uma dívida é importante ter uma reserva de emergência. Se ocorrer algum imprevisto você não corre o risco de ficar sem pagar as prestações do financiamento.

  63. Thiago 27 de agosto de 2017 at 9:28 - Reply

    Olá Leandro, como sempre um show de texto!
    Muito bom entender esses níveis. Confesso que quando comecei a investir pensei que não iria sair do 0, ir no -1 nunca foi muito agradável pra mim, preferi não passar por lá. Para sair do zero, em 2013 eu tomei uma dose cavalar de comprometimento, foi um ano diferente e valeu a pena.
    Com o passar do tempo cada nível foi caindo e hoje estou meio confuso entre os níveis 3.1, 3.2 e 4.
    Só de sentir que estou indo para o nível 4 fico com um friozinho na barriga.
    Estou enviando essa mensagem para agradecer pelo seu trabalho.
    Um abraço meu caro.

  64. Carlos Eduardo 27 de agosto de 2017 at 19:50 - Reply

    Muito bem falado, Leandro!

    As estatísticas que você apresentou demonstram que o perfil médio de quem frequenta seu blog é de pessoas que já desenvolveram um certo grau de consciência financeira. Isto fica claro no nível 1, onde apenas 8% estão endividados, ou seja, 8% está muito abaixo da média dos inadimplentes no Brasil.
    Mais uma vez fica claro que os que mais precisariam estar cuidando da sua saúde financeira estão deixando para depois ou mesmo ainda não despertaram.
    Cabe a cada um de nós propagar nossas experiências.
    Eu e um amigo criamos um canal de educação financeira com este intuito.
    Aproveito para lhe agradecer pois tivemos forte inspiração através dos seus textos.
    Parabéns pelo trabalho sério e comprometido!
    Realmente impactando vidas!

    Grande abraço!

  65. Carlos 27 de agosto de 2017 at 20:28 - Reply

    Primeiramente, gostaria de dizer que há algum tempo acompanho o blog, e são sempre ótimos os seus posts, Leandro!

    Infelizmente não recebi o e-mail com a pesquisa no meu e-mail principal (mas recebi um falando sobre os resultados dela). Hoje cadastrei mais um (na sua lista de e-mails) para evitar extravios.

    A maior parte da população brasileira se enquadra nos níveis -1 a 0, e trata-se de uma minoria entre os que costumeiramente leem seus artigos. O processo de mudança de nível não é tão simples, então não se preocupe tanto, vc tem feito a sua parte (e muito bem, por sinal).

    Sei que disponibilizando os livros em PDF o seu lucro é maior, mas gostaria muito de vê-los em versão impressa. A leitura fica bem mais agradável em papel do que na tela do computador ou do celular (e usar a impressora para imprimir centenas de páginas sai caro). Espero que pense nesta possibilidade.

    Abraços!

    • Leandro Ávila 28 de agosto de 2017 at 22:16 - Reply

      Oi Carlos. Quem sabe no futuro possa ter um livro produzido especialmente para ser impresso. Obrigado pelo apoio!

  66. marcos 28 de agosto de 2017 at 14:44 - Reply

    Olá Leandro,

    Seu site é o melhor em termos de educação financeira, aprendo muito com seus artigos.
    Comecei meus investimentos com PGBL recomendado pelo gerente do banco, após dois anos não gostei dos resultados, desde então comecei a estudar e não depender de ninguém para montar minha própria carteira de investimentos, o montante ainda é pequeno, mas os resultados são enormes. Na minha casa convenci a todos, mas os familiares e amigos não dão ouvidos, estão todos ocupados pagando parcelas com juros e planejando as próximas dívidas.

    • Leandro Ávila 28 de agosto de 2017 at 22:17 - Reply

      Oi Marcos. Parabéns por assumir o controle e por propagar o conhecimento!

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo