Como sair da pobreza

Só existe um caminho sólido e eficaz para combater a pobreza. Neste artigo vou mostrar a história de um menino negro, pobre, que morava em uma das muitas favelas de São Paulo e que superou todas as dificuldades seguindo este caminho.

Não estou me referindo a programas sociais de redistribuição de riquezas, ou seja, que tiram de quem tem mais para dar a quem tem menos. Isso não resolve o problema no longo prazo, apenas remediaria no curto prazo e empurra o problema para frente gerando uma série de outros problemas. Sabemos que é o Estado, com os seus políticos, que mais defende esse caminho para reduzir a pobreza, já que eles querem assumir o papel de promotores da justiça social através da cobrança de mais impostos.

O melhor caminho para combater a pobreza é produzindo mais riquezas. Perceba que existe uma enorme diferença entre colaborar para que as pessoas gerem mais riquezas (trabalhando ou empreendendo) e convencer as pessoas de que as riquezas são limitadas e que é necessário que o Estado faça uma redistribuição.

Observe que existem duas visões de mundo totalmente diferentes. Uma é a visão de abundância e a outra é a visão da escassez. Clique para ler o quadro da imagem do início deste artigo. Não conheço ninguém que tenha prosperado financeiramente acreditando na visão de escassez, desconsiderando alguns políticos. A visão de abundância é a visão natural de quem empreende e gera riquezas. A visão de escassez é a visão natural de quem depende de instituições (como o Estado) que parasitam as riquezas produzidas pela sociedade (empresas e trabalhadores) através dos impostos.

Para que você possa entender como funciona a cabeça de alguém que tem uma visão de abundância da realidade, recomendo que você clique na figura abaixo para assistir o vídeo.


Geraldo Rufino era um menino negro, pobre, sem muitas oportunidades, que morava em uma das muitas favelas de São Paulo. Sua visão de mundo permitiu que ele se tornasse o dono da maior empresa de reciclagem de caminhões do Brasil com faturamento anual de R$ 50 milhões, gerando centenas de empregos indiretos e diretos. Recentemente ele falou em um grande evento de premiação que contou com a participação dos maiores empresários e administradores do país (assista). Veja uma reportagem sobre a vida dele clicando aqui.

Anotei várias lições que podemos aprender assistindo o vídeo acima:

  1. Tenha gratidão, respeito e orgulho de suas origens.
  2. Valorize o seu trabalho, por mais simples que possa parecer. Nenhum trabalho é menos importante ou menos digno. Ninguém deve se envergonhar por trabalhar.
  3. Você deve considerar o seu emprego como sendo o seu empreendimento.
  4. O melhor lugar para que você comece a empreender é no CNPJ do outro, ou seja, no seu emprego. Enquanto empregado você não tem passivos, só tem ativos, você só tem oportunidades, pois os problemas são responsabilidade dos proprietários da empresa. Mesmo quando você perde o emprego, você ainda leva ativos (bens e direitos) da empresa, nunca passivos (dívidas e obrigações).
  5. Todo emprego é uma oportunidade para exercitar o seu empreendedorismo, mesmo sendo funcionário público. Seja o melhor funcionário público.
  6. Empreendedor não tem horário de almoço e nem horário de saída. Ele só tem horário de chegada.
  7. Tenha prazer ao atingir resultados, prazer por contribuir para o crescimento do país, prazer em oferecer oportunidades (empregos) para as pessoas.
  8. Ao criar oportunidades e compartilhar seus conhecimentos com outras pessoas, você ajuda a criar um mundo melhor e isso é bom para todos (incluindo você).
  9. Faça planos para o futuro baseado nas coisas que você tem controle, ou seja, que só dependam de você (seu trabalho ou seu esforço) para que se tornem realidade.
  10. Construa sua riqueza de R$ 1,00 em R$ 1,00, ou seja, resultados pequenos, mas sempre constantes.
  11. Evite o coitadismo, evite as lamentações, pare de procurar um culpado pelos problemas que você mesmo gerou na sua vida. A vida que você leva é de sua responsabilidade. Geramos nossos próprios problemas e depois perdemos tempo e energia procurando um culpado. Recomendo esse livro para ajudar a parar de se lamentar.
  12. Faça um autorreflexão, assuma seus problemas e isso fará estes problemas se tornarem pequenos, pois eles são problemas seus e só dependem de você para serem resolvidos. É assim que você estará no domínio e controle do seu destino.
  13. Se você está no controle, você pode tudo e não precisa esperar pelos outros.
  14. Não tenha vergonha de recomeçar.
  15. O melhor lugar para recomeçar é no fundo do poço. Lá só existe um caminho que é para cima. Basta parar de cavar e não ficar pedindo uma corda para facilitar sua saída.

Agora vamos aprender mais com as perguntas e respostas do Geraldo. Clique na figura abaixo para assistir o vídeo:


  1. Não existe problema em quebrar financeiramente. Você só não pode quebrar moralmente. Sua honestidade e credibilidade vale muito mais do que qualquer dinheiro. É isso que permite o recomeço quando você quebra.
  2. Para não quebrar financeiramente (descontrole de caixa) elimine sua vaidade. A vaidade produz arrogância e essa arrogância produz o desaforo ao dinheiro. Dinheiro não leva desaforo para casa.
  3. O sucesso do negócio começa dentro da sua cabeça. Você precisa viver o negócio 24h por dia. O negócio começa de dentro para fora. A materialização do negócio é apenas uma consequência.
  4. A melhor forma de liderar pessoas é através do carinho e da disciplina. A melhor forma de exigir disciplina é através de um relacionamento carinhoso com seus funcionários. Isso também vale para o relacionamento com seus familiares. Para entender como essa técnica funciona eu recomendo a leitura do livro clássico “Como Fazer Amigos E Influenciar Pessoas” que já teve mais de 50 milhões de cópias vendidas.
  5. Existem oportunidades por todas as partes. Você só precisa aprender a enxergar essas oportunidades por onde você passa.
  6. Você não precisa inventar a roda. Existem negócios em outros lugares que você pode adaptar e melhorar para a sua realidade.

Pobreza exterior é consequência da pobreza interior:

Geraldo Rufino tem uma visão de mundo abundante. Ele acredita na autorresponsabilidade. Ele acredita que tudo é possível se você tem fé em si mesmo. Ele acredita que as pessoas devem buscar mais independência, autonomia e liberdade para empreender e prosperar. Agora imagine se fosse possível inserir essa visão de mundo abundante e próspera na cabeça de todas as crianças, pobres ou ricas, negras ou brancas, de todas as classes sociais, de todos os recantos do Brasil.

A grande questão é a seguinte. Até que ponto é interessante que as pessoas tenham uma visão de mundo abundante, se existem pessoas que se beneficiam da visão de escassez do mundo. Existem governos, Estados, políticos, grandes empresas e até organizações religiosas que se beneficiam de una visão de mundo escasso, repleto de pessoas convencidas de que são incapazes de produzir riquezas, incapazes prosperar com as próprias pernas, que precisam da proteção de alguém poderoso por se sentirem injustiçadas. As pessoas se tornam aquilo que elas acreditam ser.

Como sua visão de mundo interfere na vida que você leva?

É fácil entender como uma coisa é consequência da outra. A vida que você leva hoje é uma consequência das suas escolhas e decisões passadas. Isso significa que para ter um futuro melhor você precisa começar a tomar decisões e agir agora.

Para decidir ou agir você precisa de uma força chamada vontade. Para ter vontade de fazer alguma coisa você precisa acreditar. Se você não acredita, você não tem vontade de fazer. Se você não tem vontade de fazer, as coisas não acontecem. Se a coisas não acontecem a sua realidade continua a mesma.

A força de vontade é a mais poderosa força do universo. Homens com a força de vontade adequada descobrem os segredos da natureza, viajam para outros planetas, mudam a história da humanidade, promovem guerras mundiais, descobrem coisas que salvam milhões de vidas e coisas que podem destruir todas as formas de vida como conhecemos hoje.

Para existir força de vontade você precisa acreditar em uma ideia. Homens que difundiram ideias também produziram grandes transformações no mundo. Muitas destas ideias se propagaram através de livros. Não podemos negar o poder de transformação das ideias, pois no momento que as pessoas acreditam nestas ideias isso produz uma força de vontade que desencadeia decisões e ações que alteram o futuro de todos.

A grande questão, que é responsabilidade de cada um de nós, é avaliar que tipo de ideias estão nos movendo? Quais são as ideias que acreditamos? Estamos canalizando nossa força de vontade para tomar que tipo de decisões e quais resultados estamos colhendo?

O que fez o Geraldo Rufino chegar onde chegou foras as ideias que ele acredita, e que compartilhou conosco nestes dois vídeos. São estas ideias que geraram a força de vontade necessária para superar todas as dificuldades ao ponto de gerar as ações corretas que transformaram o destino do menino negro pobre de uma favela de São Paulo.

Onde entra a educação financeira:

Se você cultiva uma visão de mundo escasso, você terá dificuldades para prosperar profissionalmente e financeiramente. Mesmo para aqueles que não querem empreender, é possível empreender com o CNPJ dos outros, como mostrou Geraldo Rufino na sua entrevista. São tão poucos os funcionários das empresas que possuem esta visão que naturalmente você irá se destacar de todas as outras pessoas. É inevitável que esse destaque resulte em melhores oportunidades de trabalho e maiores resultados financeiros na sua vida. O quanto você deseja prosperar financeiramente depende do seu nível de ambição. Cada pessoa tem o seu nível como você pode ver neste outro vídeo.

É verdade que dificilmente você encontrará pessoas que pensem grande como o Geraldo Rufino para compartilhar sua visão de mundo. Passe a acompanhar a vida de grandes empreendedores, passe a ler livros de pessoas bem-sucedidas. Isso ajuda muito a mudar a sua mentalidade de mundo escasso para uma mentalidade de mundo abundante, onde tudo é possível e só depende de você.

Você conhece o poder de 1 hora? Clique aqui para conhecer. Você pode multiplicar seus resultados ou o seu desempenho na vida profissional, financeira, social e familiar se você aproveitar o poder que 1 hora por dia tem. O seu desenvolvimento pessoal é o primeiro de todos os investimentos. O resto é consequência.

By |29/06/2016|Categories: Empreendedorismo|105 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

105 Comments

  1. johnathan 29 de junho de 2016 at 15:26 - Reply

    Muito boa a matéria Leandro, já conhecia a historia dele, atravez do GV cast do flavio augusto. Esse cara é sensacional ele e um dos caras q me motiva a atingir meu objetivos financeiros. Quero te indicar outro cara fantastico e motivador que me motiva muito tb, não sei se conhece o Sila da Conceição um ex batedor de carteira q ficou milionario apos sair dessa vida. A entrevista feita no de frente com gabi é essa https://www.youtube.com/watch?v=97Obro-QuAY são 3 partes. Muito bom. Abraços!!

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 16:28 - Reply

      O Johnathan. Muito obrigado por compartilhar o vídeo. Não conhecia o Sila. O curioso é que ele não sabe ler e escrever. Outra curiosidade é que mesmo quando ainda era ladrão ele tinha fortes noções de educação financeira. No terceiro vídeo da entrevista é fácil perceber que ele conseguiu montar sua frota de 100 primeiros táxis (legalmente) utilizando conceitos de educação financeira, poupador extremo.

      • johnathan 29 de junho de 2016 at 18:47 - Reply

        Exatamente Leandro, o cara é Hardcore kkk e inteligente por ele não saber ler e escrever, e surpreendente ele saber tanta coisa so perguntando as pessoas.

  2. Rodrigo Alves 29 de junho de 2016 at 15:31 - Reply

    Mais um excelente artigo! Parabéns Leandro!

  3. Alex Teixeira Benfica 29 de junho de 2016 at 15:31 - Reply

    Excelente artigo, além de muito motivador. Assinei agora o canal Foras de Série e vou ver também outras entrevistas. Parabéns Leandro.

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 16:32 - Reply

      Oi Alex, existem muitas entrevistas de pessoas interessantes e inspiradoras no canal deles.

  4. Adriano Figueiredo 29 de junho de 2016 at 15:37 - Reply

    Leandro sempre acompanho suas publicações e não tenho outra palavra a dizer que Parabéns! Parabéns!
    Como muitos, também sou um pequeno investidor com o sonho da liberdade financeira. Faz um tempo que gostaria de levantar um questão contigo e achei essa postagem oportuna para isto. Tenho lido bastante literatura para a construção de riqueza. E do autor de Pai Rico, Pai Pobre, Robert Kiyosaki tem um livro chamado O negócio do século XXI, em que ele fala muito bem do Marketing de Rede. Pesquisando a respeito, vi que 25% do PIB dos estados unidos vem de empresas do marketing de rede, não japão é 16%. Também li que o nicho de trabalho que mais faz milionários pelo mundo é através desse conceito de trabalho. Aqui no Brasil, existem poucas empresas, porém as pessoas que trabalham nesse negócio relatam ter alcançado um patrimônio de milhões num curto prazo de 2 a 5 anos.
    Em tempo também vi que algumas empresas mal intencionadas montam piramides financeiras usando o conceito do marketing de rede, iludindo e lasando a muitos fazendo que que as pessoas tenham aversão ao tema mas pelo que tenho pesquisado empresas idôneas existem sim. Gostaria de saber se você já foi convidado a entrar nesse mercado e sua nobre opinião a respeito.
    Agradeço a oportunidade des de já.

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 16:44 - Reply

      Oi Adriano. É necessário ter muito cuidado com marketing de rede. A base da riqueza que circula dentro do Marketing de Rede está no fato de que você vai montar uma equipe de pessoas que irão trabalhar deixando uma parte do resultado do trabalho delas dentro do seu bolso. É exatamente como ocorreria se você tivesse uma empresa com seus funcionários sendo remunerados e você recebendo uma parte do trabalho que eles realizam. A diferença é que o marketing de rede é uma maneira engenhosa de você ter essa equipe trabalhando para você sem que sejam seus funcionários, sem a existência de direitos trabalhistas, onde estas pessoas serão estimuladas a trabalhar 12 horas por dia, 7 dias por semana, sem férias, sem descanso, pois tudo no marketing de rede é baseado em resultados e todas as armas psicológicas são utilizadas para motivar as pessoas para atingirem esses resultados. Eu tenho um artigo mostrando que o emprego é um limitador, pois você vende horas trabalhadas, você não ganha com base em resultados. Pessoalmente acho que a mesma energia e tempo que você gastaria promovendo um marketing de rede, você poderia gastar iniciando seu próprio negócio. Quem sabe vender, quem tem mentalidade empreendedora desperdiça talento dentro do marketing de rede (é só uma opinião pessoal). As pessoas que trabalham em marketing de rede não deixam de ser funcionárias de uma instituição, trabalham muito mais, ganham mais por trabalharem mais e pelo ganho ser reflexo da sua produtividade. Se as pessoas trabalhassem em seus próprios negócios com a mesma motivação que trabalham para empresas de marketing de rede, com certeza teriam grandes resultados.

      • Tiago 30 de junho de 2016 at 19:30 - Reply

        Leandro, vc tem que colocar uma maneira de dar like nas perguntas e respostas pois essa sua resposta foi sensacional. Meus parabéns!

  5. Uilson Dile 29 de junho de 2016 at 15:45 - Reply

    Que sirva de inspiração para todos nós, a história de vida do Geraldo Rufino, parabéns pelo excelente artigo Leandro.

  6. Weslley 29 de junho de 2016 at 15:54 - Reply

    Artigo muito conciso e bem articulado, com ideias fundamentais para quem quer obter sucesso na área financeira assim como todas as outras áreas da vida. É o que T. Harv Eker falou: O fato é que o seu caráter, seu pensamento e suas crenças são os fatores que determinam o seu grau de sucesso”. Pena que muitos se “fecham” e ingenuamente pensando que já sabem de tudo, ignoram tal realidade. Se todos possuíssem essa mentalidade de abundância, certamente, o país e o mundo seriam um lugar melhor. Parabéns e obrigado por compartilhar tão importante conhecimento conosco, Leandro.

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 16:48 - Reply

      Oi Weslley. Não é todo mundo que consegue entender a sutiliza da mensagem. A mensagem é como uma chave e a cabeça das pessoas é como uma fechadura. Quando as pessoas estão prontas, a chave entra e a mente abre com muita facilidade. Não é todo mundo que está preparado para entender que existem outras formas de enxergar a mesma realidade. Isso faz uma diferença enorme na realidade das pessoas, da sociedade e de países inteiros. Para construir um país rico, é necessário mudar a mentalidade das pessoas, pois nosso país é a consequência materializada da forma de pensar dos 200 milhões de brasileiros.

  7. Mr. Webster 29 de junho de 2016 at 15:55 - Reply

    Mais um excepcional artigo.

    Se os leitores notarem, verão que a essência desse artigo está intimamente ligada à essência do artigo anterior, ou seja, da saída da Inglaterra da União Europeia.
    Eu sei que alguns irão achar sem fundamento o que eu disse, mas quem tiver o senso aguçado e discernimento apurado entenderá como estão intimamente ligados.
    Show de bola!

    Somos os senhores do nosso próprio destino e das nossas vidas!

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 16:53 - Reply

      Oi Webster. Está intimamente ligado. Do contexto de um país passamos para a realidade de uma única pessoa.

  8. Gregory Ndukwu 29 de junho de 2016 at 15:59 - Reply

    Leandro boa tarde, mais um grande artigo. Eu conheço a história do Geraldo, através do meusucesso.com que recomendo para quem desejar empreender. A alguns anos eu trabalhava em uma industria ganhava cerca de 600 reais, e a empresa implementou umas bonificações por ideias inovadoras, lembro de ter ganho algumas vezes este premio. Hoje não se passaram muitos anos, 6, mas consegui fazer meus rendimentos aumentarem muito mais de 10 vezes do que ganhava neste lugar, e estou na luta submetendo alguns projetos para anjos, e aceleradoras, para ver se consigo empreender melhor. Como professor de matemática na escola publica eu tento passar isso para meus alunos, os últimos livros que trabalhei dentro de sala de aula foram. Pai Rico pai Pobre, o homem mais rico da babilônia, e alguns artigos do clube dos poupadores

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 16:55 - Reply

      Oi Gregory. Parabéns por difundir essas ideias entre seus alunos e indicar livros para que possam questionar a própria realidade. Você está dando uma enorme contribuição;

    • celia 29 de junho de 2016 at 17:53 - Reply

      Parabéns pelo trabalho!
      Sabemos que essa iniciativa fará diferença para a vida de muitos dos seus alunos

  9. Hérika 29 de junho de 2016 at 16:00 - Reply

    Adorei!

  10. Vitor 29 de junho de 2016 at 16:17 - Reply

    Caro Leandro,

    Agradeço pelo compartilhamento de mais um sensacional artigo.Ser empreendedor é um desafio, mas deve ser muito gratificante. Conheci você por meio da aquisição do seu livro negro de imóveis. Eram meados de 2013. Desde esse período virei leitor assíduo do site. Sempre tive a consciência de poupar, mas meus investimentos resumiam em poupança e previdência privada. Hoje tomo minhas próprias decisões, diversifico meus ativos e estou estudando fii p/ adentrar em renda variável. Minha evolução com certeza não seria a mesma sem você. Deixo os meus sinceros agradecimentos. Serei eternamente grato!

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 16:56 - Reply

      Oi Vitor. Parabéns por sua dedicação. Você é que tem todo mérito por ter investido na sua educação e por ter dedicado tempo se desenvolvendo. Parabéns.

  11. Ivo 29 de junho de 2016 at 16:31 - Reply

    Excelente!

  12. EDUARDO 29 de junho de 2016 at 16:31 - Reply

    Super legal adorei. Mais uma vez parabéns pelo artigo

  13. Júlia Sabino 29 de junho de 2016 at 16:37 - Reply

    Excelente como sempre. Parabéns.

  14. Garyo 29 de junho de 2016 at 16:38 - Reply

    Boa tarde Leandro Ávila, gostaria de agradecer por mais esse excelente artigo que contém ideias extremamente valiosas.
    Eu confesso que fico muito emocionado e feliz quando leio a história de pessoas como o Geraldo Rufino. É impressionante a lição de vida que essas pessoas nos dão. Eu fico muito empolgado.
    As pessoas de mentalidade abundante tem toda razão quando dizem que um país rico é aquele que tem cidadãos ricos (que produzem riqueza) e que é impossível multiplicar as riquezas apenas dividindo.

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 17:20 - Reply

      Oi Garyo. Tem gente que acha que a quantidade de dinheiro no mundo é limitada e que a quantidade de riquezas no mundo também é limitada. Dinheiro é uma abstração. A maior parte do dinheiro do mundo atualmente são dígitos dentro de computadores de bancos. Uma pequena parte ainda circula em forma de papel e moeda. Sempre que mais riquezas são produzidas ou agregadas no sistema, mais dinheiro é criado para facilitar as trocas dessas riquezas entre as pessoas. No mês passado comprei uma faca artesanal para churrasco. Ela foi forjada por um artesão do Rio Grande do Sul. Com algum tempo de trabalho e sua habilidade, o artesão transformou um pedaço de metal, de valor insignificante, e um pedaço pequeno de madeira, descarte de fábricas de móveis, em uma bonita faca campeira de churrasco com valor muito elevado. Esse artesão criou riqueza com as próprias mãos. Com sua habilidade ele agregou muito valor a um pedaço de metal que isoladamente não tinha qualquer valor. Recentemente comprei uma nova licença do Office 365. Recebi uma caixa com um código de letras e números, e nada mais. O Office é uma abstração, um monte de códigos dentro do meu computador, mas que representou a geração de uma riqueza. Não é a toa que Bill Gates é a pessoa mais rica do mundo. Imagine como ele facilitou a vida das pessoas com seus produtos. Nunca foi tão fácil criar riquezas com as próprias mãos. Todo mundo tem acesso a informação (coisa que não ocorria no passado) todo mundo pode comprar máquinas e equipamentos (que no passado era privilegio de todos), todo mundo pode se destacar no emprego (se desenvolvendo profissionalmente) ou abrir um negócio e fazer melhor do que o concorrente. As coisas já foram muito mais complicadas.

  15. Wesley 29 de junho de 2016 at 17:05 - Reply

    Leandro,

    Vale muito a pena escutar o podcast do Rufino com o Flávio Augusto…. Realmente é uma história inspiradora.

    http://geracaodevalor.com/gvcast/podcast/o-ex-catador-que-ficou-milionario-4

  16. oskar 29 de junho de 2016 at 17:07 - Reply

    Excelente artigo. Pessoal sigam os conselhos do Leandro, esse cara é fera ! De um ano pra cá conquistei mais doque os outros 26 anos vividos e trabalhados. Muito bom ! Parabéns Leandro !

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 17:22 - Reply

      Oi Oskar. Parabéns pelos seus resultados e por motivar os outros leitores!

  17. Felix da silva freitas 29 de junho de 2016 at 17:14 - Reply

    Caramba me ajudou muito uma verdadeira injeção de ânimo.

  18. celia 29 de junho de 2016 at 17:50 - Reply

    Olá Leandro !
    Parabéns por compartilhar a história inspiradora do Geraldo Rufino,já a conhecia, visualizei todos os vídeos dele no you tube.
    Fiquei feliz também em ver o comentário do Gregory em relação ao trabalho com os alunos.Maravilhosa iniciativa.Provavelmente fará diferença para muitos desses jovens.Parabéns

  19. Yuri 29 de junho de 2016 at 18:17 - Reply

    Parabéns por mais este artigo Leandro.

    Ao analisar estudos de caso é essencial pegar o que é valido para a sua realidade e não cair na ilusão de que “Se eu consegui, você também consegue”, querendo fazer uma cópia do que o outro vez e deixando de lado a coisa mais preciosa, que é a sua individualidade. Gostaria de compartilhar um vídeo do Seiiti Arata que fala exatamente sobre isso e acho de suma importância: https://www.youtube.com/watch?v=79aNfGHqa_U

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 19:11 - Reply

      Oi Yuri. Cada pessoa vai retirar as lições que considera importante. Da mesma forma que listei as dicas que considero importante, o leitor pode fazer a mesma coisa. Como todos são diferentes, possuem uma bagagem de conhecimentos e experiências diferentes, cada pessoa vai fazer uma leitura diferente. Usar ou não essas lições depende da vontade de cada um. Obrigado por compartilhar o vídeo.

  20. Tadeu 29 de junho de 2016 at 18:39 - Reply

    Leandro, mais uma vez agradeço pelo excelente texto. Uma pequeno contribuição. Existe um erro no item 2, “desafogo” que acredito ser “desaforo”. Abraços.

  21. Tadeu 29 de junho de 2016 at 18:41 - Reply

    Leandro, erro meu. Desconsidere o post anterior. Não conhecia a palavra. Aprendo mais uma vez. Perdão.

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2016 at 19:13 - Reply

      Oi Tadeu. A ideia era escrever desaforo mesmo e não desafogo (desafogar, despreocupar)

  22. Dênis Barbosa Batista 29 de junho de 2016 at 19:27 - Reply

    Não podia ser diferente, Leandro. Parabéns. Também.
    Que grandioso talento esse seu de transformar em artigos educativos tantas lições de vida de que tem conhecimento. E aí? Simplesmente, compartilha conosco, seus alunos.
    Continue assim, ensinando e, de tabela, aprendendo mais e mais. Pra não dizer, aperfeiçoando-se.

  23. Joanatan 29 de junho de 2016 at 20:19 - Reply

    Obrigado por mais um excelente artigo professor.
    Que Deus abençoe.

  24. Bernardo Abreu 29 de junho de 2016 at 23:34 - Reply

    Um líder nato. Gostei do vídeo

  25. valdecir 29 de junho de 2016 at 23:42 - Reply

    Muito bom, Leandro. Se superou com este artigo. Conta uma bela história e um grande exemplo a ser seguido. Um grande abraço.

  26. Eli 30 de junho de 2016 at 3:39 - Reply

    Olá Leandro como sempre vc é o cara mais realista em educação financeira porque vc mexe com o ego dentro da gente na frase “As pessoas se tornam aquilo que elas acreditam ser” é a mais pura verdade se sou coitado eu acredito que todos devem me ajudar!! Tem um blog que chama Viver de renda não sei se vc conhece http://viverderenda.blogspot.com.br/ onde o dono do blog passou a viver economizando muito e hj tem mais de 3 milhões na conta e ganha muito com juros cerca de 60% do patrimônio dele foram ganhos só com juros, claro que todos que participam são anônimos pois são várias pessoas na corrida para juntar 1 milhão que ganham bem pouquinho e estão conseguindo juntar muito dinheiro e todos os que participam do blog colocam mês a mês o quanto aumentaram seus patrimônios, além deste blog tem o blog Vida de pobretão ele já conseguiu juntar 400 mil reais com muito esforço e atualiza mês a mês o ranking dos mais ricos do blog e são pessoas jovens com menos de 40 anos que abrem mão de muita coisa tipo baladas e gastos supérfluos, ou seja, deixaram de viver dentro da jaula das dívidas para escolherem uma vida de mais liberdade e todos colocam passo a passo seus investimentos ganhos e perdas, eu acho bom prq vc se informa de uma maneira “real” de como funciona os investimentos na prática prq cada um no blog do pobretão investe no que acha certo e ninguém influencia ninguém apenas mostram os resultados de ganhos e perdas de suas escolhas no mercado financeiro. É importante as pessoas entenderem como pessoas do mundo “real” (pessoas que ganham pouco) ficam ricas, ainda mais em um país como o Brasil com a maior taxa de juros do mundo que sem muito esforço os juros trabalham pra vc.

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2016 at 10:23 - Reply

      Existe até um livro chamado “O Milionário Mora ao Lado” mostra que é bem provável que você tenha amigos ou vizinhos milionários sem que você seja capaz de perceber. Da mesma forma que se escondem no anonimato de alguns blogs, também estão escondidos no meio da sociedade. Quem realmente tem dinheiro não precisa exibir que tem. Já quem não tem precisa vestir a fantasia.

    • Ricardo 30 de junho de 2016 at 20:21 - Reply

      Oi Eli,

      Foi você que comentou outro dia em um post sobre um novo imposto?

  27. Adna 30 de junho de 2016 at 7:19 - Reply

    Excelente artigo! Concordo completamente com as dicas dadas. As pessoas são educadas para receber, e não lutar por aquilo que desejam. Somente faço uma ressalva quanto aos programas de redistribuição de renda: da forma como são aplicados, sem ações de continuidade que incentivem o indivíduo a não dependerem mais dele, são – em parte – prejudiciais. Porém, se envolverem as ditas ações de incentivo ao indivíduo, eles são muito positivos! Qualquer um estuda, trabalha e pensa melhor alimentado e aquecido!
    Estas dicas dadas foram o momento de reflexão que eu precisava, muito obrigada!

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2016 at 10:25 - Reply

      Oi Adna. Eu acredito que melhor do que dar o peixe (gerando dependência) é ensinar ou motivar as pessoas para que pesquem (gera liberdade). Muitas vezes só existe interesse em fazer a população ficar mais dependente. A liberdade só costuma interessar a própria pessoa, quando é capaz de perceber que ela é o melhor caminho.

  28. Saulo Campos 30 de junho de 2016 at 9:21 - Reply

    Esse cara é muito f***. Realmente um exemplo para todos nós!

  29. Larissa Melo 30 de junho de 2016 at 10:26 - Reply

    Inspirador!!! Obrigada por compartilhar informações uteis.

  30. Kathy 30 de junho de 2016 at 10:53 - Reply

    é por isso que leio seus artigos e o acompanho sempre. Obrigada.

  31. Guilherme 30 de junho de 2016 at 11:25 - Reply

    Leandro, comento muito pouco em seus artigos, mas parabenizo-o pelo seu trabalho. Tornou-se um divisor de águas em minha vida, tanto financeira quanto pessoal. Na verdade, já me considerava poupador e pé-no-chão, mas agora mais consolidado. Continue o ótimo trabalho!

  32. Michel Araújo 30 de junho de 2016 at 12:33 - Reply

    Parabéns Leandro por me apresentar mais uma belo artigo e uma história de um vencedor que não conhecia e que muito me ajudou com inspirações.

    Grande abraço!

  33. Carlos 30 de junho de 2016 at 12:52 - Reply

    Parabéns!

  34. Thiago Silva 30 de junho de 2016 at 17:54 - Reply

    Parabéns Leandro!!!!
    Excelente artigo, se todos tivessem essa mentalidade, o brasil teria uma outra realidade!
    Cada artigo seu é uma obra de arte que mostra o caminho para todos!

    Abraço!

    • Leandro Ávila 12 de julho de 2016 at 9:35 - Reply

      Oi Thiago. É verdade. Mesmo quando você não tem o objetivo de assumir riscos e responsabilidades (empreendendo), é a maneira como você encara o seu trabalho que gera prosperidade na sua vida.

  35. Daniel 30 de junho de 2016 at 21:15 - Reply

    Leandro, boa noite. Realmente uma visão de quem venceu errando, errando muito por sinal. Parabenizo-lhe por proporciona de uma forma sutil e clara, uma visão extremamente motivadora.
    Obrigado!

    • Leandro Ávila 12 de julho de 2016 at 9:36 - Reply

      Oi Daniel, podemos crescer de duas formas. 1) através dos nossos próprios erros ou 2) observando os erros e acerto dos outros. A segunda maneira é opcional.

  36. Ivan 30 de junho de 2016 at 22:50 - Reply

    Excelente!!!! Uma verdadeira lição de vida. Agradecemos por compartilhar conteúdos valiosíssimos como este.

  37. Filipe M.Souza 30 de junho de 2016 at 23:53 - Reply

    Muito bacana o artigo e o vídeo em anexo.
    Realista e motivador. Compartilhei com meus contatos.

  38. Acionista25 1 de julho de 2016 at 12:49 - Reply

    Parabéns pelo clube dos poupadores! Estou com uma dúvida. Nas primeiras aulas de economia se ensina que os recursos são escassos.Pergunto se isto não diverge da sua ideia de abundância? Será que estou misturando as coisas?
    Abraços!

    • Leandro Ávila 12 de julho de 2016 at 9:42 - Reply

      Oi Acionista. Os recursos naturais são escassos. O ponto chave é que podemos agregar valor na vida das pessoas sem necessariamente depender de recursos escassos e podemos fazer isso através da informação, do conhecimento, das novas tecnologias, do aumento da produtividade, etc. As necessidades humanas são praticamente infinitas e existem oportunidades surgindo a cada segundo. Veja o exemplo do empreendedor do artigo. Ele criou um negócio em torno da necessidade de reciclar caminhões velhos. Encarou a atividade de forma séria e profissional. Imagine a enorme quantidade de oportunidades e ideias inexploradas que está por todas as partes e que podem agregar valor na vida das pessoas e ao mesmo tempo gerar retorno financeiro para aquele que estiver disposto a transformar ideias em realidade.

  39. Rafael 1 de julho de 2016 at 14:11 - Reply

    Olá. Deixe-me fazer um contraponto. Eu concordo com a maioria das coisas ditas no artigo. Eu mesmo prosperei a partir de uma realidade muito humilde porque acreditei no meu esforço e dedicação.
    E concordo também que basear uma política publica exclusivamente na transferência de renda é um atraso para a nação. Porém, tem que se dizer que com fome e nenhuma instrução é difícil ter um espírito empreendedor, Por isso, a transferência de renda tem um papel importante sobre nações em desenvolvimento. Mas lógico que fazê-la exclusivamente com intuitos eleitoreiros não é eficiente.

    • Leandro Ávila 12 de julho de 2016 at 9:46 - Reply

      Oi Rafael. Existe uma enorme diferença entre auxiliar uma pessoa em estado crítico de miséria enquanto se busca solução e criar uma multidão de dependentes do Estado com o objetivo eleitoral, onde você distribui dinheiro sem o devido controle, sem monitorar o resultado, apenas com o foco eleitoral.

  40. Deborah Alves 1 de julho de 2016 at 16:19 - Reply

    Mais um artigo riquíssimo, obrigada por contribuir para o meu crescimento Leandro Ávila e parabéns pela bela iniciativa.

  41. Jhonatan Gomes Avelino 3 de julho de 2016 at 13:07 - Reply

    Maravilhoso artigo Leandro. Historia incrível do Geraldo Rufino e seus ensinamentos.
    Parabéns!

  42. Luciano 3 de julho de 2016 at 18:07 - Reply

    Realmente essa é a visão motivadora, positiva que a pessoas esquecem de ter. Olhar as coisas dessa maneira produz energia,vontade e é assim com energia e vontade que criamos prosperidade para nós e para os outros.

    • Leandro Ávila 12 de julho de 2016 at 9:47 - Reply

      Oi Luciano. É essa visão de prosperidade que modifica seus atos, suas decisões e faz você caminhar para uma realidade melhor.

  43. Lorena 4 de julho de 2016 at 13:10 - Reply

    Leandro, Sou leitora assídua do site e gostaria de te parabenizar pelo conteúdo. Mudou minha forma de ver investimentos e hoje, aos 26 anos, me sinto 100% segura para investir sem ajuda de bancos. Recentemente recebi ligações de uma consultora da Prudential. Ela vende um “seguro” e não um “investimento propriamente”. Gostaria de mais informações sobre este tema, pois eles tentam vender a ideia de segurança que não teríamos com outra aplicação devido ao capital segurado. Além disso, sou servidora pública e não percebo tanto risco na minha profissão.

    • Leandro Ávila 12 de julho de 2016 at 9:50 - Reply

      Oi Lorena. Sempre que alguém liga para você oferecendo algum produto financeiro, desconfie. Empresa nenhuma gasta tempo e dinheiro ligando para as pessoas oferecendo bons investimentos, na verdade só fazem isso quando o investimento é um bom negócio para elas e um negócio ruim para você.

  44. Lucas 5 de julho de 2016 at 9:43 - Reply

    Parabéns Professor!
    Mais um excelente artigo para refletirmos e corrigirmos nossa rota rumo à liberdade financeira consciente.

  45. Willian Rech 6 de julho de 2016 at 3:17 - Reply

    Excelente artigo Leandro, parabéns mais uma vez, eu já conhecia a historia do Geraldo através do Geração de valor, o GV Cast, que alias gostaria de indicar, lá é postado varias histórias como essa.

  46. Wilmar 7 de julho de 2016 at 0:05 - Reply

    Como é bom conhecer a história de pessoas assim, obrigado por mais um artigo sensacional Leandro !
    Aproveito pra tirar uma dúvida com você:
    Você acha necessário o investidor de TD e RF se proteger e/ou fazer hedge com exposição à variação cambial através de fundos atrelador a moedas e ouro?
    Obrigado por compartilhar seu conhecimento !

    • Leandro Ávila 12 de julho de 2016 at 9:52 - Reply

      Oi Wilmar. Se você pretende viajar para o exterior, fazer negócios com moeda estrangeira, ou alguma coisa do tipo, pode ser útil. Se você não pretende fazer nada disso, só faria sentido se você usa a estratégia de alocação de ativos e faz balanceamentos regulares.

  47. Maria 8 de julho de 2016 at 14:20 - Reply

    Parabéns pelo seu trabalho sempre
    Você poderia me ajudar com uma dúvida? No cálculo de um CDB IPCA+X% como é calculada a rentabilidade mensal? Seria o ipca do mês anterior + X/12 ?

    • Leandro Ávila 13 de julho de 2016 at 13:38 - Reply

      Oi Maria. Não seria tão simples assim. Seria necessário escrever um novo artigo só para falar sobre esse tema.

  48. Ismael 9 de julho de 2016 at 19:24 - Reply

    Excelente artigo Leandro! Concordei com tudo que foi exposto… E devo reconhecer que a qualidade de suas publicações só melhora. Parabéns e um grande abraço de um leitor assíduo.

  49. M1M 12 de julho de 2016 at 17:38 - Reply

    Show!

  50. Daniel 2 de agosto de 2016 at 17:49 - Reply

    Um post interessante. Entretanto é preciso diferenciar os programas sociais, os programas descentralizados(sem um destino certo do que o indivíduo irá fazer com o dinheiro) traz grande emancipação para o indivíduo, que é eminentemente liberal, que foi tratado por Milton Friedman, o imposto de renda negativa, etc.

    • Leandro Ávila 3 de agosto de 2016 at 11:28 - Reply

      Oi Daniel. O melhor seria mesmo permitir que as pessoas tomassem a decisão sobre o que pretendem fazer com seus impostos.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo