Quero compartilhar com vocês este material que faz parte de um curso que estou fazendo neste momento. É um mapa de autoavaliação que permite identificar desequilíbrios na sua vida. O mapa serve como base para o início de um trabalho de desenvolvimento pessoal em diversas áreas.

Creio que você tenha como um dos seus principais objetivos melhorar a sua qualidade de vida. Esta melhoria precisa ser em todos os sentidos, não só no financeiro e profissional, mas também no lado emocional, social, conjugal, na saúde do corpo e até no seu lado espiritual.

Quando temos deficiências em uma destas áreas não conseguimos nos sentir bem, parece que não conquistamos a felicidade plena. Sentimos que está faltando alguma coisa.

Existem muitos que ainda acreditam que a felicidade se resume em atingir a máxima satisfação financeira e profissional. Quando conquistam tudo aquilo que podem conquistar pelo trabalho e dinheiro, percebem que existem vazios que precisam ser preenchidos. Muitos buscam este preenchimento no consumismo e em outros vícios e maus hábitos. Não funciona. O sentimento de vazio sempre volta.

O que aprendi hoje na aula que assisti é muito importante. O autor do curso ensinou como avaliar quais são estes “buracos”, estas deficiências que nos impedem de ter o pleno sentimento de felicidade. Através de uma técnica, que irei mostrar logo baixo, ele ensinou como podemos fazer uma autoavaliação da nossa vida. Preenchendo um pequeno gráfico circular é possível detectar se existem desequilíbrios que precisam ser corrigidos.

O autor acredita que você só pode atingir metas e objetivos na sua vida se primeiro fizer uma avaliação para entender onde você se encontra, o que precisa ser melhorado, que áreas você precisa desenvolver para ter uma vida mais equilibrada.

Vou mostrar como funciona.

Aqui temos a foto do que o autor chama de Mapa de Autoavaliação. Observe que temos um circulo com 11 áreas da nossa vida que são responsáveis pelo nosso estado de felicidade e satisfação. Mais na frente vou mostrar como baixar este mapa para imprimir.

É fácil perceber que existem áreas que estão mais relacionadas com o hemisfério racional do nosso cérebro e outras que estão mais ligadas com o hemisfério emocional. Perceba que nas linhas existem números de 1 até 10.

Logo depois de apresentar o mapa o professor do curso pediu para marcar o número que representa a nota que damos para esta parte da nossa vida.

Temos que avaliar o nosso nível de satisfação em cada tema e marcar o número na linha. Exemplo: Uma pessoa plenamente satisfeita com a vida profissional que já possui hoje deveria dar uma nota entre 9 e 10. A pessoa que está mais ou menos satisfeita daria uma nota 5. A pessoa insatisfeita com a vida profissional daria uma nota próxima de 1. Veja o exemplo:

Depois de atribuir uma nota para o seu grau de satisfação em todas as 11 áreas da sua vida, basta ligar todos os pontos marcados com a caneta. As linhas retas entre os pontos irão formar uma figura. Veja um exemplo:

Quanto mais parecida com um circulo, mais equilibrada e feliz é a sua vida atualmente. Quanto mais irregular e deformada estiver a figura, maior é o desequilíbrio. Provavelmente estas deformidades são a fonte da insatisfação que você sente em algumas áreas da sua vida.

Com isto você terá uma visão daquilo que precisa melhorar, que áreas você precisa trabalhar na busca do equilíbrio. Depois de alguns meses é possível refazer o teste novamente para avaliar o que mudou. A pessoa que identifica problemas financeiros, profissionais e intelectuais pode trabalhar este lado através de cursos, livros, qualificação profissional e a definição de novas metas para sair da zona de conforto.

Quem não está satisfeito com a saúde como é o caso de fumantes, obesos, pessoas que consomem muito álcool, podem buscar tratamentos e orientação para superar os problemas. Muitas vezes um problema está conectado no outro. O alcoolismo pode afastar a pessoa da família, do convívio com os filhos e até atrapalhar no desenvolvimento pessoal, profissional e financeiro. Uma deficiência em uma área pode afetar as outras. O passo mais importante é ter consciência que desequilíbrios existem e precisam ser trabalhados.

Assistir aula gratuita:

Você pode assistir à aula que ensina como utilizar este mapa de autoavaliação visitando aqui. Esta aula faz parte de um curso do Paulo Vieira chamado Metas e Objetivos.

Baixar o mapa de autoavaliação em PDF:

Na parte inferior da aula em vídeoque ensina como usar o mapa, existe um campo onde basta digitar seu e-mail para baixar o arquivo. Neste arquivo, além do mapa, existem orientações de como preencher e fazer a autoavaliação. Você receberá um aviso por e-mail quando novas aulas gratuitas forem liberadas.

A vida não é só dinheiro:

Eu acredito que todas as áreas da nossa vida estão conectadas. Não podem ser tratadas isoladamente. Durante esta semana respondi um leitor que, infelizmente, não conseguia entender que política, economia e a vida financeira dele eram temas que se conectavam e se completavam e por isto era importante falar sobre estes assuntos aqui.

É possível que algum leitor ainda não entenda que uma relação desequilibrada com o dinheiro pode ser uma consequência ou um sintoma de problemas em outras áreas da nossa vida.

Já conheci pessoas que partem para o consumismo como válvula de escape de deficiências que não possuem nenhuma relação com finanças. Esta figura abaixo que encontrei nas redes sociais representam muito bem isto. Muitas pessoas recorrem ao consumismo como remédio de depressões provocadas por desequilíbrios nas relações conjugais, sociais, familiares e profissionais.

Já vi muitos casos de pessoas que não gostam do emprego que possuem e usam isto como justificativa para gastar tudo que ganham. Costumam usar frases como: “Eu mereço, afinal de contas passei o mês todo sofrendo naquela empresa”. Na verdade este tipo de pessoa merece rever a vida profissional que leva. O consumo não cura frustrações, ele só trata os sintomas até que o dinheiro acaba.

Eu acredito no autoconhecimento, na autoaprendizagem, nos processos de autoavaliação e na autoajuda. É triste ver algumas pessoas que tem preconceito em aprender mais sobre estas áreas. Nem todos os problemas financeiros são provocados por falta de dinheiro.

Muitas vezes a falta de dinheiro e os problemas financeiros estão relacionados com deficiências mais profundas e que exige um trabalho de autoconhecimento e aprendizagem que vai além da educação financeira, economia, matemática financeira, política, investimentos, etc.

Dica do dia - Melhorando seu desempenho:

Sucesso é o processo contínuo do esforço para tornar-se maior e melhor. É a oportunidade de continuar crescendo emocional, intelectual e financeiramente, enquanto se contribui de alguma forma positiva para outros. Você se sente preparado(a) para atingir aquilo que você definiu como seu sucesso? Escrevi alguns livros que podem ajudar muito na sua jornada rumo ao seu sucesso financeiro e profissional. Eles já estão ajudando milhares de leitores aqui do Clube dos Poupadores. Clique aqui para saber como funciona.