Como prosperar através do Ser, Fazer e Ter

Você conhece alguém entre seus amigos e parentes que gostaria de ter muito dinheiro, TER uma linda casa, ter um carro invejável, ter roupas, relógios e joias de marcas famosas? Quantas destas pessoas estão FAZENDO alguma coisa para transformar estes sonhos em realidade? Quantas destas pessoas estão investindo para SER alguém capaz de conquistar tudo isso?

Infelizmente existe muita gente que ainda acredita na possibilidade de TER sem precisar SER nada na vida e sem precisar FAZER nada para que as conquistas sejam possíveis.

Esta falsa crença é alimentada através dos filmes, novelas e até de ideologias políticas. Ainda existem muitos que acreditam em histórias fantasiosas de pessoas que crescem na vida de maneira fácil e rápida. Este sonho também alimenta longas filas nas casas lotéricas de todo país. O tempo e o dinheiro gasto com jogos de azar é exatamente o mesmo tempo e dinheiro  que poderia ser gasto para SER e FAZER para poder TER.

Sem SER e sem FAZER, qualquer projeto de riqueza e prosperidade é insustentável. No curto prazo é possível manter uma ilusão. Muitos são aqueles que ganham na loteria ou recebem heranças e depois de alguns anos perdem tudo por não serem preparados de manter e multiplicar o que receberam.

São muito os jovens que possuem um padrão de vida elevado por serem economicamente dependentes dos pais e quando tentam buscar a independência percebem que não estão preparados e não são capazes de fazer e manter dinheiro. Alguns deles tentam manter uma vida de ilusões exibindo aquilo que possuem, mas sem serem merecedores ou sem terem feito nada que pudesse gerar e manter a riqueza exibida.

A pirâmide do SER, FAZER e TER:

A figura abaixo representa a pirâmide para a prosperidade. Toda prosperidade sólida deve estar baseada em SER, pois o ter será uma consequência natural. Você precisa se tornar parte daqueles 1,8% da população mundial que tem alguma preocupação verdadeira com o próprio aperfeiçoamento pessoal. Para TER você precisa primeiro SER um bom profissional, um bom empresário, um bom comerciante ou prestador de serviço. Toda riqueza sólida começa de dentro e se expande para fora da pessoa.

Também não adianta apenas SER. Não adianta ser competente, ser culto e ser bem preparado tecnicamente. Você precisa fazer. É no fazer que você materializa suas riquezas interiores e começa a produzir riqueza exterior. Existem muitas pessoas que são competentes e muito bem preparadas, mas que não fazem acontecer e com isto ficam paradas no tempo. Na maioria das vezes culpando os outros e vendo defeito nos outros.

Não é possível plantar sem antes aprender a plantar. Não é possível colher se você não plantar colocando em prática o que aprendeu. É impossível e insustentável inverter a pirâmide acima como mostra a figura abaixo:

Pirâmide invertida:

Observe que não existe base sólida quando você resolve TER sem SER e sem FAZER. Algumas pessoas, nos casos extremos, até optam pelo mundo do crime. Os escândalos de corrupção e de desvios de dinheiro público mostram que a vontade de TER sem FAZER e sem SER merecedor é um mal que atinge todas as camadas da sociedade. Não importa o nível de educação ou classe social. Recentemente estamos assistindo empresários, executivos, políticos e profissionais altamente qualificados sendo investigados e presos movidos pela ganancia por TER através de caminhos fáceis.

Quando TER é mais importante do que SER até a prostituição se transforma em uma alternativa aceitável para muitas pessoas como você pode ver neste vídeo.

Quando você acumula diversas dívidas comprando símbolos de status social para mostrar aos outros que você é prospero, você precisa parar e refletir sobre o que está fazendo. A ostentação não é o nome de um estilo musical de jovens que vivem em bairros da periferia. Ela está presente em todas as classes sociais e em todos os níveis culturais, basta abrir o seu Facebook e olhar o que as pessoas postaram no último fim de semana. Veja a crítica desse humorista.

A pirâmide acima não tem base para ficar em pé por muito tempo. Basta um pequeno deslize para que ocorra um desequilíbrio e ela caia para um dos lados. TER não fará de você alguém melhor ou mais importante por muito tempo.

 

Tire tudo de quem é:

Tire todos os bens de uma pessoa que está preparada para fazer e multiplicar riquezas e em pouco tempo ela terá tudo que perdeu de volta. A base é sólida e a riqueza é produzida novamente. Agora tire o crédito e o emprego de alguém que vive de aparências e você terá um desastre econômico familiar, como está acontecendo neste momento dentro de muitas famílias brasileiras.

O segredo da prosperidade está em direcionar seus esforços para ser alguém capaz de gerar valor para a sociedade. É desse investimento em você mesmo que será possível construir uma vida prospera com bases sólidas. Viver de aparências é a pior de todas as decisões.

Esta pequena regra vale para a sua família e para um pais inteiro. Veja o que está acontecendo atualmente com economia brasileira. A crise é resultado de um governo com valores tortos. Um país rico é composto por pessoas que são capazes de produzir riquezas. Um país rico não é composto de pessoas capazes de comprar coisas que simbolizam riqueza através de dívidas. A riqueza está no SER e não no TER. A receita adotada pelo país nos últimos anos gerou popularidade para o governo através de uma prosperidade de curto prazo, só que agora a conta chegou. Vivemos uma ilusão de prosperidade.

Podemos melhorar a nossa vida e a sociedade parando de acreditar que é possível TER sem SER.

Faça os testes:

Pegue uma caneta e papel e faça os testes propostos neste vídeo:

 

By |05/08/2015|Categories: Enriquecimento|78 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

78 Comments

  1. Felipe Cardoso 5 de agosto de 2015 at 21:29 - Reply

    Excelente post!

    Isso nos faz rever certos conceitos sobre dinheiro e a vida! Uma auto-crítica faz-se necessária para o presente e o futuro de uma sociedade e da nação brasileira.

    • Leandro Ávila 5 de agosto de 2015 at 22:12 - Reply

      Obrigado Felipe, parabéns pelo seu site. Quanto mais pessoas escrevendo sobre educação financeira melhor para todos que precisam dela.

  2. Roni 5 de agosto de 2015 at 23:14 - Reply

    Parabéns pelo artigo Leandro.

  3. cido 5 de agosto de 2015 at 23:19 - Reply

    Obrigado Felipe pelo seus comentários.Estes comentários me faz reaprender e dar valor para as coisas que agregam valor mais adiante e,é uma lição para quem vai aposentar não terá mais o mesmo padrão,temos que poupar enquanto estamos em plena atividade.
    Obrigado mais uma vez pelos ensinamentos.
    Um grande Abraço.

  4. Lúcio Junes Lemes Da Silva 6 de agosto de 2015 at 0:03 - Reply

    Excelente artigo Leandro! Mesmo para que já tem um certo nível de educação financeira, é fundamental que tenhamos sempre em mente que o ser é mais importante que o ter. Sabemos o quanto é difícil manter este principio, visto que a nossa sociedade consumista a toda hora nos impõe uma série de bens – simbolos de status social – os quais quem não possuem parece não estar incluído. Mas, como bem explicado no teu artigo, a prosperidade não pode estar baseada no ter. A base é o ser, fazer e o ter, será uma consequência. Por isso, é fundamental não seguirmos o senso comum. Obrigado por mais uma excelente postagem e contribuir com a nossa educação financeira.

  5. GILSON 6 de agosto de 2015 at 1:41 - Reply

    Obrigado Leandro, por mais um excelente Artigo. Tenho agregado muito conhecimento aqui, no Clube dos Poupadores. Tenho divulgado bastante entre meus colegas de trabalho.
    Leandro, é possível você escrever algo sobre o cenário econômico brasileiro do momento? Sobre as expectativas a curto prazo, até que ponto a China vai influenciar no Brasil.
    Obrigado.

  6. Jeferson 6 de agosto de 2015 at 2:41 - Reply

    Leandro, devido a um processo de danos morais e físicos, devo receber em breve, segundo ordem judicial, 280 mil reais pagos em 10x de 28 mil. Eu não quero gastar esse dinheiro com carro ou coisas que me deixarão pobre, quero triplicar isso.. Cara, onde vc investiria este dinheiro??
    Se possível, envie resposta para meu e-mail. Eu sou fã seu desde o começo do ano, quando descobri seu blog e resolvi vir aqui antes de quaisquer coisa. Abraço

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 10:32 - Reply

      Oi Jeferson, eu sou contra recomendações de investimento como você pode ler nesse artigo. Você verá como é perigoso perguntar para os outros sobre o que fazer com o seu próprio dinheiro. Por isto, a primeira coisa seria acabar com essa insegurança sobre como e onde investir. Isto se faz dedicando tempo e estudando as possibilidades de investimento que existem. Comece pela renda fixa, principalmente títulos privados (LCI, LCA, CDB, etC) e títulos públicos. Procure informações sobre como gerenciar seu próprio dinheiro, existem livros e cursos que ensinam. Não queira aprender tudo de uma só vez. Aprender a investir o próprio dinheiro, sem perguntar a opinião dos outros, renderá frutos positivos na sua vida para sempre.

  7. Denilson 6 de agosto de 2015 at 8:06 - Reply

    Olá Leandro, parabéns pelo artigo!
    Estava refletindo esses dias e notei que educação financeira ainda é um tema segregado, e me arrisco a dizer que é até um tabu. Já presenteei alguns amigos com bons livros sobre o tema, eles não foram além da capa, uma pena. As pessoas em geral não gostam de falar sobre dinheiro, apenas no seu valor social produzido.
    Será que não estaria na hora dos educadores financeiros pensarem em outros tipos de abordagens para também alcançar essas pessoas? Ex. Incorpora-lá em livros infantis, títulos menos sugestivos para os livros, auto-ajuda financeira e por aí vai.
    Você já vem fazendo isso com maestria.
    Abraço.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 10:28 - Reply

      Oi Denilson, é um tabu mesmo. Na verdade, as pessoas adoram falar sobre como estão gastando dinheiro se sentem até orgulhosas com o desperdício. São poucos que falam sobre fazer mais dinheiro ou investir o dinheiro que conseguiram economizar. Isso é ótimo para o mercado que depende do consumismo desenfreado das pessoas para fazer a máquina da economia funcionar. Você pode estimular seus amigos dando bons exemplos, fazendo da sua vida um exemplo.

  8. David Porto 6 de agosto de 2015 at 8:30 - Reply

    A melhor descoberta que fiz nos últimos meses na internet foi este site. Artigos em língua portuguesa de uma qualidade extremamente rara.

  9. Fernanda Siqueira 6 de agosto de 2015 at 8:31 - Reply

    Em primeiro lugar: Parabéns pelo artigo, sou fã do “clube” e aprendo muito com ele.
    Lendo seu artigo me lembrei de um documentário que assisti recentemente chamado “The true cost” que fala sobre a indústria da moda. Explica como o preço das roupas tem diminuído e como somos incentivados ao consumo desenfreado. Mostra quem realmente faz o sacrifício para nós mantermos a aparência de prosperidade e como estamos deixando o que é essencial para depois. Vale muito assistir e tem tudo à ver com Ser, Fazer e Ter.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 10:11 - Reply

      Oi Fernanda. Obrigado por sugerir o documentário. Encontrei um trailer legendado e estou compartilhando aqui. Eu acredito que empresas não são instituições de caridade, elas realmente visam o lucro e fazem todos os esforços para obterem o maior lucro possível. Este tipo de problema será resolvido com o consumo consciente de cada pessoa. As grandes marcas já estão sendo pressionadas pelos consumidores nos últimos anos e isso é bom. O problema grave é quando a pessoa consome produtos falsificados de marcas famosas como bolsas, calçados, roupas, eletrônicos, etc. Neste caso a pessoa está patrocinando uma indústria criminosa que opera através de fábricas clandestinas e trabalho escravo em alguma cidade afastada de algum país da Ásia. Existem pessoas que se preocupam com isto e outras que pouco se importam. Por isto documentários como este são importantes para mudar a mentalidade dos consumidores que por sua vez irão pressionar a mudança dentro das empresas.

  10. Helder Carvalho 6 de agosto de 2015 at 8:33 - Reply

    Muito bom o artigo Leandro! Muito bom fixar esta linha de pensamento. A vaidade junto com a ansiedade de “ter” é a receita certa para a fraqueza do pilar financeiro.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 9:49 - Reply

      É verdade Helder. As pessoas naturalmente sentem uma enorme necessidade de se destarem das outras. O que difere uma pessoa da outra é como ela irá canalizar essa necessidade. O caminho mais rápido de obter destaque é através do TER. Você pode ir ali e qualquer shopping comprar esse destaque através de produtos exclusivos (produtos que nem todos podem comprar) e com isto vai se sentir especial e destacado da multidão. É o caminho que interessa ao comércio e ao mercado. É o caminho mais curto, principalmente se você pode parcelar tudo em várias vezes. SER um profissional importante e bem sucedido também é um caminho para se tornar uma pessoa destacada, FAZER coisas importantes para as outras pessoas e para a sociedade também resulta em destaque e status social, o problema é que SER e FAZER exige preparo, estudo, esforço, trabalho. Tudo isso tem relação com a vaidade que você citou. Um abraço.

  11. Gustavo 6 de agosto de 2015 at 8:42 - Reply

    Ótimo texto!!! Sou leitor do Clube a pouco tempo mas já aprendi muito! (Já estou praticando bastante coisa). Um livro que li tempos atrás, também cai muito bem com seu texto! Uma abordagem bem bonita e interessante da relação dinheiro e vida! Um livro de fácil e rápida leitura. “A Cabala do Dinheiro” – autor Nilton Bonder.

    Um abraço e parabéns novamente pelo site!

  12. Maristela 6 de agosto de 2015 at 9:02 - Reply

    Olá, Leandro.
    Gosto muito dos seus textos. Eles nos fazem refletir sobre vários aspectos. Todos eles estão sendo muito úteis para mim. Obrigada e continue nos alertando.

  13. Marcelo 6 de agosto de 2015 at 9:20 - Reply

    “A receita adotada pelo país nos últimos anos gerou popularidade para o governo através de uma prosperidade de curto prazo, só que agora a conta chegou.”

    Leandro, essa frase foi muito bem colocada!
    Meus sinceros Parabéns!

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 9:37 - Reply

      Obrigado Marcelo. É exatamente como ocorre na casa das pessoas. Se uma família resolve utilizar todo limite do cartão de crédito e cheque especial em um único mês, terá uma sensação falsa e temporária de prosperidade e poder econômico. O problema é que no mês seguinte a conta chegará com juros e correção. É necessário seguir a ordem natural das coisas. Precisamos nos preparar e depois precisamos agir para produzir riquezas. A colheita é a última etapa.

  14. Cristiano 6 de agosto de 2015 at 9:38 - Reply

    Top!!!!!! Lembro uma vez que meu pai estava prestes a levar um golpe de um sócio, e sem nunca ter lido essa filosofia do ser, fazer e ter, escrevi numa folha exatamente estas três palavras, e uma frase para cada uma delas. Ou seja, a pessoa cumpriu com suas obrigações e caiu fora… desistiu do golpe… essa filosofia muda a vida das pessoas mesmo sendo simples… estamos em uma Nova Era, a Era do Ser!!!! Antes de ter dinheiro seja uma pessoa “rica”, “prospera”, pois que é rico tem para dividir com a sociedade, assim gera valor.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 10:58 - Reply

      É verdade Cristiano. Estava lendo sobre a nova prisão do José Dirceu. Ele pediu para a polícia não permitir que a filha de 4 anos visse ele sendo preso. Fiquei pensando, até que ponto vale a pena SER uma pessoa desonesta, FAZER todo tipo de falcatrua com o objetivo de TER? Com certeza não é problema de falta de educação, cultura, conhecimento. Estas pessoas que estão sendo presas possuem nível intelectual e educacional muito elevado. O problema está no baixo nível moral e ético.

  15. Wesley 6 de agosto de 2015 at 9:45 - Reply

    Assim como os outros artigos que você escreveu, este também está excelente. Parabéns!

  16. Juliano 6 de agosto de 2015 at 9:55 - Reply

    Ótimo artigo, nossa sociedade está cheia de pessoas que só querem ter e deixam de lado o ser.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 10:49 - Reply

      É verdade Juliano. O resultado desta realidade é muito triste. Produz muitos problemas e sofrimento.

  17. Luciano F. 6 de agosto de 2015 at 10:14 - Reply

    “Um país rico é composto por pessoas que são capazes de produzir riquezas. Um país rico não é composto de pessoas capazes de comprar coisas que simbolizam riqueza através de dívidas… ”

    Excelente artigo novamente Leandro. Me tornei leitor assíduo do teu site por conta da qualidade e seriedade com que você escreve. Principalmente porque você não fica tentando vender um ebook ou curso ao final de cada post. Gosto muito desse estilo de tratar a educação financeira.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 10:48 - Reply

      Oi Luciano, muito obrigado. Na verdade, do lado da minha foto no final de cada artigo, existem links para os livros que escrevi. No menu superior do site existe uma opção chamada cursos e livros onde as pessoas podem conhecer livros e cursos produzidos por mim ou que contaram com minha colaboração. Tudo que escrevo não deixa de ser um trabalho de motivação e de conscientização sobre a importância de investir na própria educação financeira. O leitor que gosta do meu trabalho gratuito acaba adquirindo meus livros de maneira natural, sem a necessidade de um esforço de venda. Eu acredito que é dando que recebe. Este leitor que compra meus livros está ajudando a manter o Clube dos Poupadores como um projeto gratuito. De forma indireta está ajudando aquelas pessoas que ainda não estão conscientes sobre a necessidade de investir na própria educação.

  18. Cleidimar 6 de agosto de 2015 at 11:03 - Reply

    Bom dia,

    A cada dia que leio seus artigos, o meu ser ficar mais rico.

  19. Alexandre 6 de agosto de 2015 at 11:19 - Reply

    Muito bom Leandro ótimo texto temos que fazer uma lavagem cerebral nesse país

  20. Misael da Silva 6 de agosto de 2015 at 11:54 - Reply

    Mais um excelente artigo.
    Muitos vivem de aparência que compram produtos sem necessidade para mostra para os outros que pode compra, mas esquece que um diaascontas irão chega mais cedo ou mais tarde (STATUS).
    Quem me derá ter aula de educ.financeira nas escolas, pois muitos que estao endividados são que nao planejaram direito as contas.
    Agradeço por ter encontrado este site. Valeuuuu.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 21:12 - Reply

      É verdade Misael, mais uma vez obrigado pelo comentário.

  21. Rodrigo 6 de agosto de 2015 at 12:33 - Reply

    Este artigo e o anterior estão excelente. Acredito que as pessoas devem acumular reservar para melhorar seu padrão de vida e ter uma reserva de segurança, mas também acredito que devemos gastar nas coisas que gostamos, temos que ser feliz. A vida é curta e temos que aproveitar. Eu, particularmente, guardo 30% do meu salário em investimentos para reserva de segurança (LCI, LCA,CDB…), 20%-30% para formar uma poupança para gastar com futilidades (carros, roupas de marca,…) e o restante para os gastos diários. Essa regra que adoto me faz ter um ótimo padrão de vida, sem ostentar acima da minha capacidade financeira e ainda me permite comprar as coisas que gosto sem precisar recorrer a empréstimos e financiamentos.

  22. Vânia 6 de agosto de 2015 at 12:44 - Reply

    Hoje mesmo postarei o link e trechos no facebook. O que mas vemos é essa questão da ostentação, ser sem ter!!!! Aprendendo muito com seus artigos! Um abraço

  23. A. Rossi 6 de agosto de 2015 at 14:21 - Reply

    “São muito os jovens que possuem um padrão de vida elevado (…) e não são capazes de fazer e manter dinheiro.” e por serem dependentes dos pais, muitas vezes vão aprender tardiamente a como controlar/poupar/investir seu próprio dinheiro. É normal jovens de 20/21/22 anos não terem a minima noção do valor necessário para se manter uma residencia.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 21:09 - Reply

      É verdade Rossi. É dever do pai e da mãe mostrar esta realidade para os filhos.

  24. Sandra 6 de agosto de 2015 at 17:29 - Reply

    Muito bom o texto.

    Para quem se interessa pelo tema “consumo irracional” eu recomendo o livro “CHEGA DE DESPERDÍCIO!” (Enough! em inglês) de John Naish, onde ele reúne experiências neurocientíficas e estudos evolutivos para explicar por que o cérebro humano é programado para querer sempre mais.

    Pode haver casos em que o consumo sem limites não obrigatoriamente anule o SER e o FAZER, porém enfatizar excessivamente o TER, sem necessidade, já é um indício de que algo está fora do lugar.

    Parabéns pelo artigo.

  25. Irina Frare Cezar 6 de agosto de 2015 at 18:49 - Reply

    Mais um excelente post seu, Leandro…
    Já estou compartilhando com os amigos

  26. Tiago 6 de agosto de 2015 at 18:52 - Reply

    Um dos melhores textos que li aqui. Parabéns.
    Sempre vejo a informação básica como uma das melhores maneiras de prosperar (ou seja, o ser). Gostei, em especial, da parte onde se fala que se tirar tudo de quem sabe fazer, logo logo a pessoa recupera o que perdeu.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2015 at 20:56 - Reply

      Oi Tiago. É impossível tirar da pessoa bem sucedida o seu maior bem que são seus valores internos, sua motivação, seu conhecimento, capacidade de trabalhar, gerar riquezas, inovar, criar, etc.

  27. Guilherme Costa 6 de agosto de 2015 at 22:52 - Reply

    Oi Leandro, muito bom o texto :), virei fã do site.

  28. Gabriel 7 de agosto de 2015 at 10:59 - Reply

    Leandro Ávila, parabéns pelo maravilhoso trabalho que você vem desempenhando ao longo dos últimos anos provendo tanta informação relevante e certamente mudando a vida de muita gente. Na minha opinião o seu site é o melhor site desse gênero aqui no Brasil principalmente com relação ao conteúdo, as reflexões e a consistência do mesmo (produzir conteúdo de qualidade é “fácil”, mas produzir conteúdo de qualidade com uma consistência que já dura anos é muito difícil). Meus parabéns Leandro e por favor continue com esse trabalho!! Um forte abraço!!

  29. Norbero Quelhas Monteiro 7 de agosto de 2015 at 11:03 - Reply

    Bom dia, perfeita e elucidativa, SER, fazer e ter, se o mundo tivesse isso como premissa básica e fundamental, seriamos e estariamos todos melhor.

  30. LOURIVAL 7 de agosto de 2015 at 13:51 - Reply

    Cara sou novo no club, mas parabems – SHOW.

  31. Renata 7 de agosto de 2015 at 17:04 - Reply

    Caramba Leandro! Você é incansável e seus textos são muito produtivos de uma contribuição ímpar para a sociedade. Só tenho a agradecer. Tenho separado momentos específicos só para ler os seus textos e de outros especiais como você, e não me arrependo. São momentos de crescimento, conhecimento e puras reflexões. Obrigada por fazer diferença no mundo! Que Deus te abençoe!

  32. Marcos Toti 8 de agosto de 2015 at 18:36 - Reply

    Caro Leandro, como sempre você foi cirúrgico e atingiu o cerne da questão.

    Muito obrigado por compartilhar seu conhecimento conosco!

    Forte abraço!

  33. gilberto 10 de agosto de 2015 at 22:45 - Reply

    Mais um excelente artigo. Através deles que mudei a condução das minhas finanças. Antes restrito a poupança (por medo e desconhecimento de outras formas). Através dos seus artigos e outros de sua sugestão tenho diversificado as aplicações em CDBs, LCI, LCA e Tesouro Direto, Sou um propagador do Clube dos Poupadores. Quem conheço e tem interesse em buscar outras formas de investimento, sempre sugiro acessar a sua página e leitura dos seus artigos. Parabéns, e que venham outros bons artigos.
    Abraço,
    Gilberto

  34. Marcelo 11 de agosto de 2015 at 16:50 - Reply

    Prezado Leandro, parabéns por mais este artigo. Desde que conheci este site ano passado posso afirmar, realmente, que de alguma forma evoluí no aspecto educação financeira. Aliás, evolui muito. Você é um ser humano brilhante. Conciso, consciente e preciso na colocação das palavras. Suas informações são bastante úteis. Sempre que posso divulgo o seu site. Infelizmente, percebo que o brasileiro realmente é um povo analfabeto, em todos os aspectos. Triste realidade. Espero que um dia isso mude. Meus sinceros agradecimentos, e novamente, parabéns.

    • Leandro Ávila 11 de agosto de 2015 at 17:55 - Reply

      Oi Marcelo, muito obrigado e fico muito feliz por ter ajudado de alguma forma. Existem muitas pessoas, muitos autores e educadores trabalhando para mudar esta realidade. Sempre que possível tento dar espaço para que estes autores aqui de maneira que o conhecimento possa se propagar.

  35. Rondinele Domingos 11 de agosto de 2015 at 17:11 - Reply

    Excelente artigo. Algo que bastante me incomoda, mesmo fazendo parte do sistema – porém hoje mais consciente disto – é o consumismo pelo consumismo, e nesse artigo você fala sobre isso de forma muito didática e toca (indiretamente tanto neste como em todos os seus outros artigos) em um tema que bastante me incomoda também, a não propagação do conhecimento. Seus conselhos são, na mão da maioria dos profissionais da área, produto de comércio, e você propaga isso sem cobrar nada. É algo que aprecio e defendo! Sei da necessidade da remuneração do profissional pelo que faz, mas nos dias atuais muitos enxergam o conhecimento como algo a se conquistar e internalizar ao invés de compartilhar. Parabéns!

  36. Almeida Newton 12 de agosto de 2015 at 20:55 - Reply

    Sei que estou um pouco atrasado mas vou deixar meu depoimento, sou funcionário publico e trabalho em meio a muita ostentação. Meu pares levam vidas de nababos, carros caríssimos, mansões, viagens ao exterior duas vezes ao ano, casa na praia, etc… e de onde vcs acham que que eles conseguem financiar tudo isso? Corrupção! Fui convidado a “andar” com eles, me ofereceram tudo isso, mulheres, e muitas possibilidades de enriquecer… recusei… não aconteceu nada, mas ando prevenido, gravo todas conversas, sabem o que eh isso? Achar que a cada curva de sua vida há uma armadilha? Não cedi aa tentação mas me sinto um mendigo no meu meio… minha conviccao eh firme quanto ao que eh certo ou errado, mas sou humano e me incomodo com essas coisas, muitas pessoas ao meu redor nem sabem escrever direito e vivem como se fossem grandes magnatas, e ainda tenho aguentar eles reclamando da corrupção no pais…

    • Leandro Ávila 12 de agosto de 2015 at 22:59 - Reply

      Almeida, parabéns por sua postura. Não se deixe corromper. Você pode andar com a cabeça erguida e isso não tem preço. Poderá olhar nos olhos dos seus filhos e netos e ser tido como homem exemplar e honesto. Servidores públicos que se deixam corromper e roubam dinheiro da população não passam de marginais da pior espécie, pois muitos cometem crimes por opção, mesmo tendo educação, instrução, cursos superiores e salários elevados. São traidores da nação Deveriam sofrer as piores penas pois são culpados indiretos pelo sofrimento de todos os brasileiros diante da crise que estamos sofrendo. São culpados por cada morte em hospital público por falta de recursos. São responsáveis por cada criança que se marginaliza por não ter tido acesso a educação de qualidade. São responsáveis por todo atraso e miséria do país. Parabéns e obrigado por fazer o que é certo.

  37. Almeida 13 de agosto de 2015 at 8:04 - Reply

    Olá, é incr´´ivel a qtde de pessoas que se deixam levar, acredito que aqui por volta de 60% dos funcionários fazem coisas nada católicas, o problema do lugar inde trabalho é que fazemos auditorias em empresas, o resto da história vc já sabe, de vez em quando aparece algo na imprensa, infelizmente o que aparece na mídia é so a ponta do iceberg. Tem um ditado que diz que só pode dizer que é honesto quem já teve a oportunidade de roubar, aqui o sujeito pode se testar de verdade…

  38. Douglas 18 de agosto de 2015 at 19:02 - Reply

    Excelente artigo! Sempre que possível acompanho as postagens a partir de e-mails que recebo, e já repasso os artigos que mais gosto para alguns amigos

    Acredito que muitas pessoas vivem uma vida “virtual”.
    Muita ostentação, seja com bons carros, apartamentos e roupas, porém não é justificável uma renda que banque com folga todo esse luxo.
    As pessoas acabam se tornando ocas. O que vemos é uma casca, mas na verdade, por dentro está tudo vazio. Seja pela ausência de personalidade, ou pela ausência de patrimônio líquido real e renda.

    Uns tempos atrás ouvi de algumas pessoas frases do tipo: “Em minha vida não pretendo juntar 1 milhao. Pretendo gastar 1 milhão!”. Após um comentário como esse, fica dificil continuar qualquer conversa sobre mercado financeiro ou educação financeira. Melhor mudar de assunto.

    Recentemente li o livro “O homem mais rico da babilônia”, o qual comenta um pouco sobre este assuntos, dentre outros. Leitura que também costumo recomendar para alguns amigos, pois passa o conhecimento mínimo sobre educação financeira que uma pessoa deveria ter.

    • Leandro Ávila 19 de agosto de 2015 at 9:42 - Reply

      Obrigado pelo seu comentário Douglas. As pessoas não precisam juntar 1 milhão só por juntar, elas precisam é entender que 1 milhão pode trabalhar para elas, pode gerar fontes de renda, fluxos de caixa, estes fluxos te garantem mais liberdade, tranquilidade, menor dependência da venda do seu bem mais precioso que é o se tempo. O que ocorre é que as pessoas se transformam em acumulada de coisas, passam a vida entulhando coisas dentro de casa, entulhando roupas e coisas que carregam no corpo e para isto se escravizam cada vez mais, perdem cada vez mais a própria liberdade.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo