Inimigos Internos – Quais são os seus?

Você já percebeu que existem duas vozes dentro de você? Uma sabe o que precisa ser feito para que você consiga atingir seus objetivos. A outra voz sempre encontra um motivo para atrapalhar a primeira. É como se existisse um sabotador dentro de nós, sempre preparado para encontrar alguma justificativa, alguma desculpa para adiar seu crescimento profissional, financeiro e pessoal. Em algumas pessoas, a voz destes inimigos internos é tão alta que suprime todos os desejos de prosperar.

Já sabemos que esses inimigos internos são maneiras de pensar que já vem de fábrica. Alguns autores chamam de cérebro sobrevivente. Existe uma luta entre o cérebro sobrevivente e o cérebro inteligente. É como se nossa mente fosse pré-programada para sobreviver e não para ser feliz. Por isso é que são poucas as pessoas que saem dessa linha de conforto da sobrevivência para realizar grandes feitos, superar desafios e prosperar.

Essa programação de sobrevivência protege a nossa integridade física e mental, principalmente durante a infância. Vozes internas nos afastam dos perigos, da dor e nos aproximam do prazer, mesmo que de forma inconsciente e inconsequente. Esses padrões mentais que nos fazem ter um comportamento infantil deveriam ser perdidos com o tempo.

O ideal seria chegar na vida adulta com uma grande carga de informações e experiências para formar o que os autores chamam de cérebro inteligente ou cérebro sábio. É isso que caracteriza a maturidade. O cérebro de sobrevivência, que era útil na infância, acaba se transformando em um sabotador na vida adulta. A busca por sabedoria nada mais é do que a busca pelo controle desses inimigos internos.

Por isso é importante que as pessoas tentem observar os próprios pensamentos. Quando você tem consciência da existência dessas rotinas mentais que sabotam seus planos, você começa a ter controle sobre sua própria vida.

Seus inimigos internos

Vou comentar seis vozes ou seis inimigos internos que na minha opinião são os que mais prejudicam a vida pessoal, profissional e financeira das pessoas. Já faz alguns anos que vigio meus pensamentos na busca dessas vozes internas. Talvez se não tivesse feito isso, não teria criado o Clube dos Poupadores ou não teria dado continuidade ao projeto que é atualizado semanalmente desde 2013. Com certeza você também possui muitos projetos engavetados ou que estão pela metade. Você certamente tem muitos livros que foram comprados e não foram lidos. Muita coisa que já foi lida, mas não foi colocada em prática. Por isso é importante o autoconhecimento, mesmo quando seus propósitos são financeiros.

Inimigo Interno Crítico – Esse é o seu inimigo interno mais poderoso de todos. Ele sempre está procurando seus defeitos, os defeitos dos outros e os defeitos que existem em todas as áreas da vida. Essa voz crítica está dentro de todos nós, não existe como escapar, mas é muito importante que ela seja controlada. Nas crianças esse padrão mental se faz presente muito cedo. Na vida adulta ele é gerador de grandes sofrimentos. Ele é responsável por explosões de raiva, decepções, sentimentos de vergonha, de arrependimento, de culpa e de ingratidão. Quem é dominado pelo inimigo crítico nunca está satisfeito com si mesmo, com as pessoas e com o mundo. Seu constante estado crítico pode gerar paralisia. Não consegue fazer nada novo. Não conseguem fazer escolhas e tomar decisões. Não consegue aprender coisas novas, pois seu estado crítico fecha todas as portas. É muito difícil ser feliz no trabalho, ser feliz no casamento e ser feliz financeiramente se você não detectar e controlar esse crítico. Já vi um autor comparando essa voz crítica a uma galinha. Sempre que você toma a decisão de fazer alguma coisa, é como se existisse uma galinha dentro de você cacarejando críticas sem parar, 24h por dia, até você desistir dos seus objetivos. Quando a coisa dá errado, também surge a voz dizendo: Eu te disse que ia dar errado!

Na minha opinião todos os outros inimigos são variações do Inimigo Crítico. Veja:

Inimigo Interno Vítima – Você já deve ter ouvido aquela voz interna que diz: Ninguém me ama, ninguém me escuta, ninguém gosta de mim, ninguém me obedece, ninguém me respeita, ninguém me ajuda, ninguém me reconhece e ninguém me entende. São rotinas mentais comuns na cabeça de todos os adolescentes e que muitas vezes invade a vida adulta. A situação fica pior quando esse pensamento de vítima começa a reagir, buscando chamar a atenção das outras pessoas. Essa vitimização demonstra uma mentalidade ainda imatura que gera graves consequências na vida profissional e financeira. É uma tentativa de negar que somos responsáveis por todos os aspectos da nossa vida. É a questão da autorresponsabilidade. Na minha opinião, essa é apenas uma variação do Inimigo Interno Crítico. No caso é a manifestação de alguém que só consegue criticar o outro ou qualquer fator externo. O problema sempre está no mundo exterior e você acaba se sentindo vítima de tudo e de todos. Isso impede que você busque um aprimoramento interno, reconhecendo erros, fraquezas e a necessidade de melhorar. A pessoa que sempre atribui seus fracassos a fatores externos, não prospera.

Inimigo Interno Controlador – Também é uma variação da voz crítica. Sabe aquelas crianças birrentas que tentam controlar os pais dando um escândalo no supermercado? Tem muito adulto que cresce e continua se comportando da mesma maneira. São pessoas que querem controlar as outras e quando não conseguem são tomadas por sentimentos de ansiedade, raiva e impaciência. O controlador não escuta a opinião das outras pessoas. Em casos extremos o controlador não consegue se manter muito tempo no emprego. Quando não atingem cargos de chefia, costumam abrir o próprio negócio. As vezes prosperam financeiramente, mas isso acaba sendo feito abusando das outras pessoas (clientes, fornecedores e funcionários). Costumam buscar o poder econômico como um caminho para exercer o poder e o controle sobre os demais. O problema é que as pessoas controladoras não são felizes. Elas até podem terminar a vida com muito poder e dinheiro, mas terminam sozinhas, com um grande sentimento de vazio e alguma percepção de que não são completas.

Inimigo Interno Super Vigilante  – Sabe aquela voz que não te deixa relaxar? Ela exige que você fique sempre atento, pois sempre uma coisa ruim ou perigosa pode estar prestes a acontecer. São pessoas tensas que não conseguem fazer nada, pois sempre estão com medo do pior. Na vida financeira, deixam o dinheiro embaixo do colchão por não confiarem nos bancos. Sentem enorme receio de conhecer e experimentar outras modalidades de investimento. Estão sempre esperando um calote, um golpe, um confisco e por isso não tomam nenhuma decisão. Fica difícil prosperar profissionalmente e financeiramente se você der ouvidos a essa voz.

Inimigo Interno Esquivo/Prestativo – É aquela voz que não deixa você dizer não, mesmo quando você será prejudicado. Faz você ignorar problemas, deixar passar em branco para não gerar atritos. É a voz que sempre está com medo de magoar ou perder a amizade dos outros. Essa voz faz você acreditar que não pode defender seus interesses, pois sempre estará contrariando os outros. Quando a pessoa é dominada por esse inimigo, costuma empurrar os problemas com a barriga fugindo de qualquer conflito. O problema é que você acaba engolindo raivas, ressentimentos e outros sentimentos negativos por muitos anos. Essa voz faz você se preocupar exageradamente com o que os outros pensam de você. Infelizmente existem pessoas que identificam aquelas que possuem esse padrão de pensamento e acabam tirando proveito. Para todo aproveitador existe alguém que não sabe dizer não. Até para ser prestativo é necessário equilíbrio. Tudo isso prejudica sua vida profissional, pessoal e financeira.

Inimigo Interno Inquieto – É a voz que não permite você terminar aquilo que começou. Você perde o foco, fica distraído e perde o interesse com facilidade. Buscam o prazer e a satisfação imediata. Não possuem a paciência necessária para atingir seus objetivos. Quem dá ouvidos para essa voz se tornam pessoas que tentam fazer muitas coisas ao mesmo tempo e no final não conseguem fazer nada bem feito. Estão sempre mudando de emprego, de carro, de casa, de companheiro ou companheira.

Reflexão:

É claro que existem pessoas que conseguem atingir sucesso profissional e financeiro influenciadas pelos seus inimigos internos, sem nunca atingirem um estado mais elevado de sabedoria e de controle dessas vozes interiores. O problema está nos caminhos que trilham para atingir seus objetivos. Enquanto os sábios prosperam através da consciência, inteligência, criatividade, amor, alegria e ajuda ao próximo. Por sua vez, os outros atingem os mesmos objetivos através da raiva, medo, ódio, vingança, culpa e vergonha. Existem muitos meios para atingir o mesmo fim, mas nunca os fins justificam o uso de todos os meios.

By |24/02/2016|Categories: Enriquecimento|104 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

104 Comments

  1. Kaoma Assis 24 de fevereiro de 2016 at 16:32 - Reply

    Mais uma vez Parabéns pelo excelente trabalho!!! Estou sempre ansiosa por suas publicações que ter por objetivo ajudar a Sociedade brasileira que é altamente influenciada pelos inimigos internos.

    • Leandro Ávila 24 de fevereiro de 2016 at 16:39 - Reply

      É verdade Kaoma. O pior é que isso acaba refletindo na política e até na economia.

      • Clélia Araújo 25 de fevereiro de 2016 at 16:57 - Reply

        Simplesmente OBRIGADA.

  2. Márcio 24 de fevereiro de 2016 at 16:35 - Reply

    Bom artigo! Com certeza ajudará a nos refletir.

    Parabéns.

  3. Alan Ramos 24 de fevereiro de 2016 at 16:51 - Reply

    Excelente texto. Obrigado por partilhar !!!

  4. Diogo 24 de fevereiro de 2016 at 17:00 - Reply

    Leandro, mais um ótimo artigo. Mas você poderia dar dicas de como “ouvir esse inimigos internos, reconhecê-los e colocá-los em um estado de segundo plano de forma que eles não nos atrapalhem em quaisquer que sejam os nossos projetos de vida. Para mim pelo menos não é tão difícil reconhecer o meu inimigo interno, que é o inimigo inquietação. Mas, como contê-lo?

    • Leandro Ávila 24 de fevereiro de 2016 at 17:37 - Reply

      Oi Diego. Se eu soubesse uma maneira de conter esses inimigos internos de uma forma bem simples, rápida, que não exigisse muita força de vontade pessoal, acho que seria possível transformar o mundo em que vivemos rapidamente. Muitos já tentaram, novas ciências, filosofias e muitas religiões foram criadas com esse propósito. O que eu faço é tentar observar esses pensamentos como não sendo meus. Antes de criar o Clube dos Poupadores tive que enfrentar o desafio de me expor. Uma voz dentro de mim não queria a exposição, mas eu queria desenvolver esse projeto e a minha exposição seria necessária. Não dei ouvidos para a voz que estava me atrapalhando e hoje temos o Clube funcionando e estamos perto de atingir 300 mil visitantes por mês. Fico imaginando quantas coisas deixamos de fazer por darmos atenção a essas vozes internas que são inimigas dos nossos projetos? Quando comecei a me libertar dos grandes bancos, já faz um bom tempo, tinha muito receio de investir através de corretoras. Mesmo sabendo que existiam pessoas milionárias e até bilionárias investindo através das corretoras, existia aquele medo. Neste caso eu resolvi aceitando viver a experiência. Comecei fazendo investimentos bem pequenos. Essa experiência retira aquele medo do desconhecido. Com o tempo fui estudando cada vez mais. Quanto mais você estuda, mais você se liberta dessas vozes internas que são nossos grandes inimigos. Eu recomendo vigiar. É o mesmo que religiões pregam há mais de 2000 anos “Vigiai, para não cairdes em tentação” e que não adiantou muito, pois são raras as pessoas que vigiam os próprios pensamentos. Na cultura oriental existe um foco muito grande em prestar atenção nos próprios pensamentos. A psicologia também estuda isso. É um tema interessante que as pessoas deveriam aprender mais.

      • Diogo 24 de fevereiro de 2016 at 20:40 - Reply

        Leandro, nota dez. Tentarei aprender com seu exemplo também.

      • Ricardo 25 de fevereiro de 2016 at 9:26 - Reply

        Olá Leandro e Diogo,
        Acho que o Leandro disse tudo: estudar é a chave… quando estamos envoltos por medos, estes são motivados pela ignorância. A educação é a chave da “prisão dos medos”. Ela nos dá a liberdade de pensamentos, pois adquirimos o conhecimento de causa. Acredito que quando uma pessoa percebe que o estudo não é uma tortura (porque exige dedicação e paciência) e sim uma forma de prazer, por se descobrir que o que parecia tão difícil não é nada demais, acaba gerando uma reação em cadeia que nos eleva a patamares que pareciam inatingíveis.
        Abraço,
        Ricardo.

        • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 9:51 - Reply

          Oi Ricardo. Infelizmente a escola tradicional é que faz o desserviço de transformar a educação em uma tortura. O método de ensino ainda é medieval. Isso é lamentável.

          • Fabricio 25 de fevereiro de 2016 at 13:13

            Oi Leandro, Parabéns pelo artigo. Na sua opinião, como deveria ser o método de ensino nas escolas? O que deveria ser ensinado e de que forma?

          • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 13:56

            Oi Fabrício. A única coisa que a escola deveria ensinar é como aprender. O resto seria um trabalho de estimulo para que a criança se tornasse uma pessoa curiosa, transformando a busca pelo conhecimento um prazer, um hobby, uma coisa agradável. Imagine se todas as pessoas fossem educadas a procurar informações sobre todas as áreas que fossem importantes para ela por livre e exponente vontade. Imagine se as pessoas fossem educadas para resolverem seus próprios problemas através da própria iniciativa. A escola faz exatamente o contrário. Ela consegue transformar o estudo em uma coisa chata, muitas vezes uma tortura. Não vivemos mais na idade média onde poucas pessoas detinham o conhecimento, onde os livros eram escritos a mão e custavam uma verdadeira fortuna. Hoje a informação está por todas as partes e seu preço é insignificante. O problema é que as pessoas não sabem aprender e não sentem nenhum prazer ou interesse em aprender coisas novas e úteis. É claro que tem gente que ganha com isso e não existe muito interesse em mudar essa realidade.

          • Leanderson 25 de fevereiro de 2016 at 17:46

            Corroborando com a resposta do Leandro, permita-me compartilhar um vídeo que, certamente, mudou minha visão acerca do ensino/aprendizagem nas escolas brasileiras. Vídeo de um grande professor, Pierluigi Piazzi, que, infelizmente, faleceu ano passado. Ele traz à tona um diagnóstico preocupante acerca do ensino nas escolas brasileiras bem como dá excelentes dicas sobre o funcionamento do nosso cérebro sob o aspecto da Neurociência. Segue o link: https://www.youtube.com/watch?v=q-1pfviGMRQ&feature=iv&src_vid=Q2f9W7KDwjA&annotation_id=annotation_752549591

          • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 21:02

            Obrigado por compartilhar Leanderson

        • Fernando 25 de fevereiro de 2016 at 15:39 - Reply

          Uma coisa aprendi hoje: O conhecimento é pesado e a ignorância é leve, mas no fim, a caneta sempre será mais leve do que a pá.

          • Leandro Ávila 26 de fevereiro de 2016 at 4:31

            Oi Fernando. Ótima reflexão!

      • Reis 25 de fevereiro de 2016 at 13:23 - Reply

        Boa tarde Leandro…obrigado por mais um novo ensinamento.Abraço.

    • Alex Lima 24 de fevereiro de 2016 at 19:01 - Reply

      Olá Diogo.

      Você terá todas essas suas perguntas respondidas lendo o Livro Inteligência Positiva do Shirzad Chamine,
      Nesse livro é apresentado os 10 sabotadores como suas características e pensamentos, e principalmente é apresentando uma ferramenta de auto conhecimento que justamente ao passar do tempo vai inibindo a força desses pensamentos negativos.

      • Diogo 24 de fevereiro de 2016 at 20:40 - Reply

        Alex, muitíssimo obrigado pela sugestão. Já estou pesquisando onde adquirir o livro.
        Abração.

      • Reis 25 de fevereiro de 2016 at 13:25 - Reply

        Boa tarde Alex…obrigado por compartilhar sua experiência e conhecimento.Abraço.

    • Flavio 26 de fevereiro de 2016 at 18:54 - Reply

      Pelo que vi, este texto é todo baseado no livro Inteligência positiva, de Shirazad Chaminé, lá tem os meios de identificar e combater estes inimigos, abç

  5. Natalia Malagueta 24 de fevereiro de 2016 at 17:01 - Reply

    Leandro, adoro seu site! Muito obrigada por compartilhar seu conhecimento conosco!

  6. João 24 de fevereiro de 2016 at 17:22 - Reply

    Excelente artigo Leandro, “descobri” meus inimigos internos lendo o livro inteligência positiva de Shirzad Chamine, ainda é difícil deixar o “sábio” comandar sempre mas só de conhecer estes inimigos internos já consigo tomar as rédeas de muitas situações e não me auto sabotar, neste livro ele também fala sobre maneiras de aumentar a força do sábio e uma delas é muito parecido com a meditação de atenção plena. A mente é nossa melhor amiga apesar de também poder ser nossa pior inimiga. Namastê!

    • Leandro Ávila 24 de fevereiro de 2016 at 17:41 - Reply

      Oi João, ótima sugestão de leitura. Acho que só de saber que esses inimigos internos existem, você já começa a ter um pouco mais de autocontrole. Quando estamos diante de situações relacionadas com o dinheiro, consumo, prazer imediato, poupança, investimentos, esse autocontrole é fundamental. O problema é que esses conhecimentos são tratados de maneira separada. O cara que fala de educação financeira, só quer falar de planilhas, números, juros, taxas. O cara que fala do autocontrole não liga esse tema a outros temas. Na verdade tudo está interligado. A graça é descobrir onde uma coisa encosta na outra.

  7. Fábio Moraes 24 de fevereiro de 2016 at 17:23 - Reply

    Boa tarde, Leandro.
    Acredito que estes inimigos internos, que não raramente percebemos em nós, muitas vezes são originados das crenças que formamos sobre o mundo desde que éramos crianças, através do que ouvimos de nossos pais. Percebi que tenho um inimigo interno que necessita ser domado e, consequentemente, meu pai tinha o mesmo padrão de pensamento. Mas tive a oportunidade de participar de um evento do em Novembro passado e espero que tenha quebrado algumas crenças limitantes. O autoconhecimento e a educação adequada, muitas vezes, abre as portas para um novo mundo, onde o esclarecimento vem à tona. Muitas vezes é difícil fazer sozinho, por isso cursos, seminários e livros são uma ferramenta excelente.
    Ontem, por exemplo, ouvi uma colega de trabalho dizer que não poupa dinheiro, pois não sabe se estará viva amanhã. Depois ela disse, com voz trêmula, que não queria ser como seu pai, que era poupador. Na hora pensei: Você pode não estar viva amanhã, como também pode viver 40 anos. E se é pra viver mais 40 anos, é melhor que seja em abundância. Conversando com várias pessoas que demonstram resistência a sair da zona de conforto criada por elas mesmas, dando ouvidos a seus inimigos internos, percebi que muitos argumentos são criados e defendidos com afinco. Hoje, por exemplo, continuo vendo muitas pessoas defendendo em alto e bom tom o argumento de que a Política exercida pelo governo atual é benéfica para o nosso país, ou que a poupança é um investimento seguro. Esse tipo de coisa. Acho que um passo importante para a prosperidade é saber que a vida é um aprendizado, que deve-se sempre manter a mente aberta aos fatos e a novos conhecimentos e estar preparado para as mudanças na era da informação.
    Parabéns pelo artigo.

    • Leandro Ávila 24 de fevereiro de 2016 at 17:50 - Reply

      Oi Fábio. Penso como você. As pessoas precisam buscar esse autoconhecimento já que a cultura do brasileiro é muito pobre com relação a isso. Estamos sempre olhando o externo, talvez por isso os brasileiros são os que mais utilizam as redes sociais no mundo. Nossa aparência externa parece mais importante do que a interna. Não temos costume de olhar para dentro. Livros, cursos, seminários podem ajudar muito. O pior é que isso tem uma ligação muito forte com educação financeira. O exemplo da sua amiga é muito comum. Precisamos ter a mente aberta. Obrigado pelo seu ótimo comentário.

  8. Lima 24 de fevereiro de 2016 at 17:29 - Reply

    Boa tarde!

    Leandro,

    Creio que sempre senti (se posso dizer assim) essas vozes e agora estou conseguindo identifica-las, é exatamente como diz o artigo. Podemos controlar essas vozes e nos encaminhar para as decisões que irão nos levar a nossos objetivos.
    Minha experiência é recente, mesmo com está crise consegui um novo emprego, o emprego que sempre quis, onde tenho desafio todos os dias, ainda mais agora no início e me via me comparando aos que já possuem grande experiência, e estava quase ao ponto de desistir, a voz crítica estava falando mais alto. Mas a identifique e me lembrei onde estava e o quanto procurei por está oportunidade, sabendo que se não tivesse capacidade não estaria no mesmo lugar!

    Agora consegui acabar com a ansiedade e a enfrentar dia a dia o novos desafios como algo normal.

    Muito interessante o artigo meus parabens, vou encaminhar a muitos amigos que identifique possuir algumas das vozes!

    • Leandro Ávila 24 de fevereiro de 2016 at 17:52 - Reply

      Oi Lima. Muito obrigado por compartilhar sua história de superação. Imagine quantas pessoas estão neste momento diante de decisões, mas estão paralisadas sem que exista real fundamento para isso.

  9. Cléber 24 de fevereiro de 2016 at 17:33 - Reply

    Se fosse a uns 5 anos atrás eu me identificaria com o Inimigo Interno Esquivo/Prestativo. Sempre querendo ajudar os outros e nunca se importando em ser prejudicado. O lado bom é que quando você muda sua atitude você perde uma boa parte de amigo falso e parasita. Mais um excelente artigo para as pessoas lerem e refletirem.

    Abraço Leandro!

    • Leandro Ávila 24 de fevereiro de 2016 at 17:56 - Reply

      Oi Cléber. Isso que você falou é uma grande verdade. Na verdade você não perdeu amigos, eles nunca foram seus amigos de verdade.

  10. Ricardo Abreu 24 de fevereiro de 2016 at 17:56 - Reply

    Grande mestre, parabéns!

  11. Caetano Fertrin Neto 24 de fevereiro de 2016 at 18:20 - Reply

    Leandro,

    Parabéns ! Mais um trabalho de fundamental importância, como lidar com nossas vozes que habitam dentro de nós e suas consequências.

    Excelente reflexão !

  12. João Pedro Herdy 24 de fevereiro de 2016 at 18:48 - Reply

    Boa noite Leandro !!
    Meus parabéns pelo ótimo artigo e pelo seu belo trabalho com o clube dos poupadores.
    A pouco menos de um ano eu comecei a ler sobre educação financeira. Nesse tempo já li alguns livros, fiz alguns cursos e acompanho alguns blogs sobre o tema, e digo tranquilamente que o seu blog é um dos melhores que eu tenho lido.
    Vi que você indica vários outros autores de livros e cursos, e me perguntava o porquê de você não escrever um. Mas no artigo anterior a esse, você disse que logo lançará seu livro. Fiquei muito contente e ansioso para poder ler, com certeza será um sucesso.
    Parabéns e continue com o seu belo trabalho !

    • Leandro Ávila 24 de fevereiro de 2016 at 19:41 - Reply

      Oi João. O problema é o tempo. Criar e manter esses cursos exige uma grande dedicação e bastante tempo. Não quero comprometer a publicação semanal de novos conteúdos aqui. O livro (na verdade serão três livros) vai reunir o melhor do Clube. O conteúdo estará organizado com início, meio e fim e permitirá que novos leitores possam absorver tudo que precisam para sua reeducação financeira. Ao mesmo tempo pretendo criar um blog separado e com acesso restrito através de login e senha para aqueles que irão adquirir o livro. Neste novo site eu pretendo abordar temas mais avançados e que são interessantes para quem já passou por esta iniciação. Adquirindo os livros o leitor terá a base e acessando o grupo de estudo (blog de acesso restrito) terá a continuidade.

  13. Sonila Faria 24 de fevereiro de 2016 at 18:57 - Reply

    Excelente texto! Muito bem colocado e resumido os perfis das pessoas!!
    Dá para identificarmos nossos defeitos e pontuarmos nossas falhas!
    Fantástico!! Adorei!!

  14. Janete teles 24 de fevereiro de 2016 at 19:08 - Reply

    Boa noite professor.
    Excelente artigo.
    Amei e aprendí bastante.
    Obrigado por compartilhar .

  15. SÓCRATES 24 de fevereiro de 2016 at 19:20 - Reply

    Excelente!
    Os meus principais são o super vigilante e o inquieto.
    Forte abraço e mais uma vez parabéns pelo trabalho de altíssimo nível e gratuito.Precisamos de mais pessoas assim e um dia também quero poder ajudar a muitas pessoas como você.
    Muito obrigado!

  16. Mauricio 24 de fevereiro de 2016 at 20:27 - Reply

    Realmente é muito difícil admitir que precisamos “consertar” a nós mesmos. A partir do momento que buscamos o auto conhecimento começamos a ter consciência dos defeitos que precisam ser consertados. E assim abre-se um caminho para a mudança. Muito obrigado por mais esse artigo. Posso dizer que pelo menos pra mim terá feito diferença ter lido ele.

  17. José 24 de fevereiro de 2016 at 21:43 - Reply

    Excelente artigo Leandro,confesso q tinha quase tds esses pensamentos,mas há 3 meses,isso tenho mudado meus pensamentos,investindo meu tempo em conhecimento,que ñ minha opinião é o melhor investimento q o ser humano pode fazer em sua vida.Só posso dizer q hj tenho um pensamento próspero.Deus abençoe poderosamente

    • Leandro Ávila 24 de fevereiro de 2016 at 22:02 - Reply

      Parabéns José. Tenha certeza que isso vai gerar um grande impacto no seu presente e futuro.

  18. Max 24 de fevereiro de 2016 at 21:47 - Reply

    Grande texto, muito bom!

  19. João Batista 24 de fevereiro de 2016 at 22:47 - Reply

    Boa noite Leandro, excelente artigo, parabéns! Lendo o texto lembrei de uma frase que a minha mãe usa muito para a sua vida: ” você é o que, você pensa”, mesmo ela não tendo muito estudo e também passando por diversas dificuldades que a vida lhe impôs é uma pessoa que vive o que pensa é extremamente de bem com a vida.
    Queria acrescentar algo muito importante “as palavras tem poder”, eu acredito plenamente nisso, pois comece com uma prática simples: mude as palavras que automaticamente as atitudes irão mudar, um bom exemplo disso é quando você solicita algo para alguém sem pedir por favor, agora se você usar a palavrinha mágica “por favor” com toda certeza a atitude da outra pessoa vai mudar, agora imagina você vivenciando isso na sua rotina diária, trocando ” Eu acho” por “Eu sei” ou “Vou pesquisar”, “Não vai dar certo” por “Vai dar tudo certo”, enfim por aí vai.
    Mais uma vez valeu Leandro pela inspiração sensacional que nos proporcionou.

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 0:10 - Reply

      Oi João. É isso mesmo. Sua mãe estava correta e as palavras são poderosas. Elas são capazes de iniciar uma guerra ou promover a paz.

  20. Rhayan 24 de fevereiro de 2016 at 22:49 - Reply

    Leandro, parabéns, sempre leio, sempre assim que recebo e-mail e uma alegria, quando recebi o e-mail que iria lançar um livro já me animei mais ainda, gostaria de saber se tem alguma data em mente e se vai ter algum artigo sobre esse seu projeto do livro e novo blog?

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 0:12 - Reply

      Oi Rhayan, sim, estou trabalhando diariamente para isso. Espero lançar na primeira na primeira ou na segunda semana de março.

  21. Jorge 25 de fevereiro de 2016 at 8:32 - Reply

    Bom dia Leandro. Excelente artigo, eu luto frequentemente para não deixar alguns destes inimigos internos se sobressair nas minhas decisões.

  22. Marcelo 25 de fevereiro de 2016 at 9:38 - Reply

    Leandro parabéns pelos seus artigos, a pouco tempo me cadastrei no site estou admirado com tantas informações de qualidade, reservo um tempo todas semanas para ler seus textos, e já até estou indicando para meus amigos e familiares.

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 9:52 - Reply

      Parabéns Marcelo. É uma ótima forma de investir na sua educação e na sua transformação. Obrigado por recomendar o site.

  23. HÉLIO PRATES BATISTA 25 de fevereiro de 2016 at 10:15 - Reply

    Realmente Leandro, é a mais pura realidade tudo que você expôs neste artigo. Já passei por quase todas essas etapas. Felizmente, em 2006, tracei uma meta para 2016 e com muita determinação, persistência e disciplina, consegui atingir essa meta bem antes da data programada. Agora, estou tentando dobrar essa meta, visando problemas de saúde, inflação, crise, poder de compra, etc…
    Tem também a questão de que não ganho muito, porém o médio que ganho, me possibilita chegar onde cheguei e almejar dobrar essa meta no mesmo espaço de tempo ou menos, tudo isso porque não tive medo de me sacrificar passando por algumas privações.
    Lendo seu artigo percebi que sempre estive no caminho certo e me encorajo para continuar neste caminho.
    Obrigado pelas orientações!!!!

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 13:27 - Reply

      Oi Hélio Parabéns! Obrigado por compartilhar conosco.

  24. Ana Paula 25 de fevereiro de 2016 at 10:19 - Reply

    Olá Leandro, acabei de conhecer esse site atrável de um amigo que me enviou essa matéria e esto amando tudo. Parabens pelo conteúdo, por compartilhar tantas inforamçoes enriquecedoras e que podem ajudar a quem precisa! Vou devorar tudo!

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 13:28 - Reply

      Oi Ana. Seja bem-vinda! Sempre que puder compartilhe também entre seus amigos. Quando encontrar o amigo que indicou o site, fale para ele que fiquei agradecido.

  25. Ricardo 25 de fevereiro de 2016 at 10:27 - Reply

    Leandro:

    Essa reflexão já foi percebida há muito tempo ( Romanos 7:21-25). Parabéns pelo artigo!!! Mais do que buscar coisas materiais devemos buscar mais sabedoria e o restante vem por consequência. Ou talvez percebamos que nem tudo o que almejamos é tudo o que realmente precisamos para sermos felizes.

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 13:37 - Reply

      Oi Ricardo. Fiz uma pesquisa e encontrei Romanos 7:21 “Assim, encontro esta lei que atua em mim: Quando quero fazer o bem, o mal está junto de mim.” Se você observar bem, todos os pecados são detalhamentos de uma ética geral que é tratada na filosofia e na religião que diz assim: “Não fazer ao próximo o que não quero para mim”. Essa simples frase é a base do mundo civilizado. Se você parar para refletir, o Estado, os órgãos de justiça e de polícia existem para evitar que as pessoas desrespeitem o direito dos outros. Nossos instintos mais primitivos, não se importam muito com o respeito ao outro. Na verdade isso é uma ideia que você aprende quando é criança. Para viver em sociedade você precisa respeitar os outros. Os seus direitos e a sua liberdade estão limitadas quando tocam os direitos e a liberdade do outro. O mal dentro de nós, normalmente é consequência da nossas limitações éticas e morais que precisam ser trabalhadas. Um mundo civilizado depende disso.

  26. Lucas Lira 25 de fevereiro de 2016 at 10:34 - Reply

    Excelente, como sempre, parabéns por nos mostrar o que muitas vezes não queremos ver e abrimos mão até de nosso futuro… Abraço, Leandro!

  27. Ana Faria 25 de fevereiro de 2016 at 10:42 - Reply

    Olá, Leandro,

    Primeiramente, parabéns pelo blog! Comecei a acompanhá-lo semana passada e já li vários artigos. Excelente e nobre iniciativa! Com certeza, a maior recompensa é poder ajudar outras pessoas e ter reconhecimento pelo seu trabalho.
    Nunca tive problema com controle financeiro, segui o modelo do meu pai. Desde criança, eu o observava fazendo contas quando chegava de manhã do trabalho, e sempre fazendo poupança. Eu me considero uma evolução do meu pai, que estudou até a 4ª série do primário, mas com 14 anos comprou um terreno. Infelizmente, ele não teve instrução suficiente, e acho que deixou de aproveitar parte da boa organização financeira, era muito rígido com dinheiro e faleceu aos 50 anos. Portanto, tento manter o equilíbrio, e procuro aprender mais sobre investimentos para viver feliz e realizada. Sem dúvidas, já tive e tenho vários desses inimigos internos, mas cabe a nós controlá-los.
    Muito obrigada pela colaboração! O melhor blog que encontrei!

    Abraços!

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 13:41 - Reply

      Oi Ana. É muito importante o equilíbrio. Quem poupa como se nunca fosse morrer sofre do mesmo problema daquele que gasta tudo como se fosse morrer amanhã. Os dois estão vivendo nos extremos, sendo que o equilíbrio é a situação ideal.

  28. Louis 25 de fevereiro de 2016 at 11:19 - Reply

    Inimigo Interno Vítima : esse é o mal que assola todo eleitor de governos populistas de esquerda, como vemos hoje.

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 13:43 - Reply

      Oi Louis. Quem se deixa controlar por esse inimigo interno está muito bem representado politicamente. O problema é que essa forma infantil de comportamento acaba gerando seus custos e suas consequências para um país inteiro.

  29. Joanatan 25 de fevereiro de 2016 at 12:56 - Reply

    Professor qual será o valor do livro?
    Também tenho interesse.

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 13:44 - Reply

      Oi Joanatan. O valor é incalculável. Já o preço é insignificante e devo divulgar em breve.

  30. Lemuel Oliveira 25 de fevereiro de 2016 at 12:56 - Reply

    Boa tarde, Leandro. Parabéns!! Acho que esse é um dos melhores artigos já escrito por você, minha humilde opinião, continue a produzir conhecimento e conteúdo de qualidade que isso faz uma grande diferença aqui do outro lado, mesmo parecendo ser apenas uma gota no oceano aí do seu lado. Abraço e fica com Deus.

  31. Rafael 25 de fevereiro de 2016 at 14:13 - Reply

    Muito bom. Parabéns pelo excelente conteúdo !

    Boa tarde Leandro. Acompanho o site faz pouco tempo e tenho gostado bastante do conteúdo, sinto um grande interesse na área de finanças e gostaria de tentar construir uma carreira direcionada a essa área e, além disso, também me aprofundar em alguns temas.

    Ano que vem pretendo prestar vestibular para uma universidade pública e estou em dúvida entre os três principais cursos da área de negócios: Economia, Administração e Contabilidade.

    Ainda estou pesquisando sobre os cursos, mas gostaria de saber sua opinião a respeito de qual desses cursos é o melhor para se ter uma base sólida em finanças, ou seja, que me permita um posterior aprofundamento em temas de investimentos.

    Se puder responder, agradeço bastante !

    Abraço.

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2016 at 14:37 - Reply

      Oi Rafael. Eu fiz administração. Dentro do curso você irá estudar contabilidade, economia, direito, marketing, etc. Depois você pode aprofundar e se especializar na área que mais gosta. Você terá a base para abrir seu próprio negócio ou investir na empresa dos outros. Dessa forma o curso de Administração é mais amplo, fornece uma visão do todo e depois você pode escolher uma área para se tornar especialista. Já o curso de economia e o de contabilidade, no meu entendimento é são mais específicos e restritos.

  32. Raul 25 de fevereiro de 2016 at 20:11 - Reply

    Excelente artigo! É justamente isso que Jesus faz conosco: a melhor versão de nós mesmos que já pisou na terra.

  33. Raphael 25 de fevereiro de 2016 at 22:48 - Reply

    Muito obrigado por seus artigos, Leandro. São muito bons e úteis. Já me ajudaram muito. Gostaria de saber se você tem alguma idéia de quando fará um artigo explicando como calcular o rendimento parcial dos títulos do Tesouro IPCA+, em seqüência ao artigo que explicou como os preços deles são calculados. Não o rendimento da venda antecipada, mas o rendimento parcial de quem continuar com o título até o vencimento. Obrigado

  34. Bruno morais 26 de fevereiro de 2016 at 0:05 - Reply

    Olá Leandro!

    Esse é sem dúvida um dos melhores artigos que já li de sua autoria. Fico agradecido por conhecer mais um assunto importante, relevante e por nos inteirar de algo que parecia tão óbvio.

  35. Carlos Roberto Longo Staino 26 de fevereiro de 2016 at 7:48 - Reply

    Estimado Leandro,
    Mais um espetacular artigo.
    A Logosofia chama esses inimigos internos de Deficiências e ensina a conhecer, bloquear, debilitar e anular esses pensamentos, num livro chamado Deficiências e Propensões do Ser Humano, que pode ser baixado gratuitamente no portal http://www.logosofia.org.br
    Espero ter colaborado.
    Grande abraço a todos

  36. Fábio 26 de fevereiro de 2016 at 10:15 - Reply

    Olá Leandro,

    Sou um leitor diário do que você escreve, além de assinar a newsletter para ficar informado de todos os seus artigos. Este artigo em especial parece que foi escrito no momento exato em que eu mais preciso deste tipo de leitura. Até porque estou buscando ajuda justamente para controlar estes inimigos internos.
    Meus parabéns pelo artigo e pelo momento em que o mesmo foi publicado!

  37. Marcio Clemente 26 de fevereiro de 2016 at 13:02 - Reply

    Parabéns pelo ótimo trabalho. Me identifiquei com vários inimigos internos, não sé em mim mas em pessoas próximas também.

  38. Bernardo 26 de fevereiro de 2016 at 14:04 - Reply

    Leandro,

    tão bom quanto seus artigos, ou ainda melhor, é a sua participação aqui conosco.
    Parece que estamos conversando pessoalmente contigo, sempre temos respostas aos nossos comentários.
    Muito obrigado, e
    Parabéns

  39. Rogério Pedroso 26 de fevereiro de 2016 at 22:39 - Reply

    Sempre fui uma criança muito criativa, tinha mil idéias e planos porém minha mãe sempre vivia me desacreditando, dizia que eu vivia no mundo da lua, que nada ia dar certo e etc…
    Passei a adolescência e parte da vida adulta me anulando, evitava se destacar pois tinha medo de fazer coisas erradas e minha mãe falar de como ela tinha razão e acabava não fazendo nada.
    Só percebi isso depois que casei, minha esposa me apoia em qualquer coisa que eu queira fazer, minha vida mudou totalmente.
    Com 3 anos de casado já aprendi a pilotar avião por hobby, viajei ao exterior e comecei um negócio próprio em paralelo com meu emprego fixo, fiquei mais confiante.
    Hoje minha mãe diz que sou o filho com melhores condições, sempre levo eles para viajarem comigo e ela percebeu como sempre via o lado negativo das coisas.
    Evite conviver próximo de pessoas negativas, elas sempre acabam com seus sonhos e depois de um tempo você acaba se convencendo que nada vale a pena, que tudo vai dar errado.
    Parabéns Leandro

    • Leandro Ávila 27 de fevereiro de 2016 at 9:39 - Reply

      Oi Rogério. Isso que aconteceu com você também acontece com muitos. Por isso é importante a busca pelo autoconhecimento. Existem muitas fontes de conhecimento sobre o assunto. Essa questão das pessoas que reclamam do nosso lado é um problema sério.

  40. Breno 27 de fevereiro de 2016 at 7:41 - Reply

    Excelente matéria!

  41. Max Guimarães 27 de fevereiro de 2016 at 8:27 - Reply

    Parabéns pwlo texto, perfeito.

  42. Roberto Baba 27 de fevereiro de 2016 at 16:44 - Reply

    Tranquilo Leandro…

    Otimo texto, me identifiquei de cara com o pior dos inimigos, Inimigo Interno Critico que me prejudica socialmente com as pessoas porem financeiramente prospero gracas ao aprendizado de muitos anos em outros paises e a discipina em relacao a Educacao Financeira e a ajuda muito valida de seu site com muitos dicas, materiais d extrema importancia todos. Vivi 15 anos fora do Brazil em paises de 5 a 1 Mundo e tenho ate hoje uma dificuldade imens em me adaptar ao nosso pais, me sinto um estrangeiro aqui e quando me desloco ao exterior me sinto como estivesse em casa. Penso hoje comigo que quando vamos morar fora muito cedo nossa daaptacao e facil porem nosso retorno e catastrofico pois se acostumar com violencia, valores invertidos, corrupcao, falta de amor a Patria etc nos torna individuos frios e desmotivados.

    Agradeco abrir meus olhos com esta materia, pretendo a partir de agora me monitorar afim de me tornar uma pessoa melhor a cada dia..

    Abraco

    • Leandro Ávila 27 de fevereiro de 2016 at 17:59 - Reply

      Oi Roberto, obrigado pelo comentário. É bem comum a depressão pós-viagem internacional. É chocante quando você observa que em alguns países as pessoas desconfiam menos das outras, existe um clima maior de confiança e honestidade no dia-a-dia.

  43. Fred 9 de março de 2016 at 15:18 - Reply

    Ótimo texto Leandro, obrigado por compartilhar mais um pouco do seu conhecimento conosco.
    Cara, como você arruma tempo pra responder a todos os comentários? Todos os textos sempre tem gente pra caramba comentando…

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo