Cumprir promessas feitas no início do ano

Uma pesquisa identificou quais foram as promessas que as pessoas mais fazem no início do ano:

  1. vou poupar mais dinheiro;
  2. vou emagrecer ou fazer mais atividade física;
  3. vou estudar mais (exemplo: iniciar um curso, faculdade, etc)
  4. vou trocar de emprego (exemplo: passar no concurso público)
  5. vou conseguir dinheiro para comprar um carro, casa, viajar, abrir um negócio, trocar de eletrodoméstico, eletrônico, etc;
  6. vou parar de fumar ou beber;

Sempre fazem esse tipo de pesquisa e as promessas continuam as mesmas. Muito do que é prometido, desejado ou planejado no início do ano acaba não sendo cumprido. As mesmas expectativas são repassadas para o ano seguinte, ano após ano. (fonte).

Curioso é perceber que a causa do insucesso é sempre a mesma. O que impede uma pessoa de poupar dinheiro é o que a impede de perder peso, fazer exercícios físicos ou estudar mais. A força que impede a pessoa de se livrar de maus hábitos financeiros é a mesma que a impede de se livrar de vícios ou cultivar bons hábitos.

Estamos falando da mesma força que resiste a todo tipo de mudança. Só que as pessoas não percebem que a origem de todos esses problemas é a mesma. Elas perdem tempo e energia acreditando que a origem desses problemas é externa, quando na verdade é interna.

Buscamos soluções em alguma coisa que ainda NÃO TEMOS, mas a solução está em alguma coisa que ainda NÃO SOMOS.

A pessoa que não consegue poupar e investir dificilmente assume que falta conhecimento, força de vontade, organização, planejamento, determinação, paciência e persistência para poupar regularmente durante o ano inteiro.

É mais fácil acreditar que o salário é pequeno, o custo de vida é alto, o capitalismo é selvagem, o banqueiro é ganancioso, a rentabilidade do investimento é pequena, a sorte não ajuda e os governantes precisam fazer alguma coisa. É claro que essas coisas dificultam, mas não podemos negar que mesmo diante dessas dificuldades existem pessoas que superam tudo isso.

O mesmo raciocínio vale para os cuidados com a nossa saúde. Não temos conhecimento, força de vontade, organização, planejamento, determinação, paciência e persistência para reduzir nosso peso, fazer mais atividade física, adotar uma alimentação saudável e eliminar vícios como o fumo, álcool, etc.

É mais fácil colocar a culpa na falta de tempo, excesso de trabalho e estresse para justificar a compulsão por alimentos, fumo, álcool e outros vícios e hábitos que prejudicam a saúde. Nesse caso, mais fácil ainda é negar que temos hábitos e vícios que prejudicam nossa saúde, especialmente quando ainda somos jovens e não sentimos o peso de vários anos de uma saúde negligenciada.

Para dominar uma nova língua, estudar sobre investimentos, estudar para um concurso público, fazer cursos e melhorar nossa qualificação para buscar oportunidades melhores é necessário ter força de vontade, organização, planejamento, determinação, paciência e persistência para estudar e tomar decisões.

É mais fácil acreditar que precisamos de dinheiro, tempo, sorte, bolsa de estudos, apoio da família, do governo, dos amigos, de Deus e de todos para que possamos fazer aquilo que só nós podemos realmente fazer que é sentar na cadeira e estudar para aprender e crescer.

Falta de dinheiro, falta de tempo, falta de ajuda externa e condições propícias costumam ser ótimos motivos para tirar a responsabilidade que temos com relação a nossa falta de conhecimento, força de vontade, organização, planejamento, determinação, paciência e persistência.

O que falta não tem relação com algo que você não tem. O que falta tem relação com algo que você ainda não é.

Perdas motivam mais

Na Universidade de Warwick existe um pesquisador chamado John Michael que estuda fatores que levam as pessoas a fazerem e manterem compromissos. São os mesmos compromissos que ficamos conosco, muitas vezes em segredo, no início de todos os anos.

Ele descobriu que existem evidências de que as pessoas são guiadas pela aversão à perda. Isso significa que a maioria se sente mais motivada a atingir um objetivo firmado em um compromisso quando estão conscientes de que vão perder alguma coisa.

Agimos mais para não perder algo do que para ganhar algo. Eu utilizo isso no trabalho que realizo aqui no Clube dos Poupadores.

Exemplo: quando você adquire a minha série de livros (ebooks) sobre educação financeira recebe de presente um ebook chamado “Aposentadoria em perigo”. Nesse pequeno livro eu mostro, de forma detalhada, tudo que você já perdeu e ainda vai perder se não começar a planejar a sua aposentadoria nesse exato momento.

Eu apresento e provo que se você depender apenas da previdência pública, fundos de pensão e previdência privada para ter um futuro estável na sua aposentadoria, provavelmente você terá sérios problemas.

Para ter uma vida financeira cheia de problemas no futuro, você não precisa fazer nada. Ela já está garantida. Para ter um futuro melhor, você precisa começar a agir agora.

As pesquisas John Michael mostram que somos mais motivados a nos recuperar das perdas do que somos para ganhar alguma coisa.

Por isso, você deve iniciar seu planejamento pensando naquilo que você já perdeu no passado e no presente por não ter tomado essa decisão antes. Também deve imaginar o que perderá se não tomar essa decisão imediatamente.

Exemplo: como seria sua vida financeira hoje se você tivesse poupado e investido uma parte dos seus recursos logo no início da sua carreira profissional? O que você já perdeu? O que perde hoje por ter adiado essa decisão e quanto ainda vai perder no futuro?

O mesmo vale para as decisões envolvido a sua saúde. Quanto de saúde você já perdeu se alimentando mal ou de forma exagerada e desregrada? Quantas perdas você terá no futuro se continuar seguindo esse estilo de vida? Quantos anos de vida você já perdeu? Quantos anos podem ser recuperados se você começar a agir ainda nesse ano?

Quantas oportunidades profissionais você já perdeu na sua vida, quantas está perdendo agora e quantas ainda vai perder no futuro por não ter dedicado o tempo que deveria lendo um determinado livro, concluindo um curso, dominando uma língua, estudando para um concurso ou tomando uma decisão que foi adiada? Quanto você já perdeu e vai continuar perdendo?

Encare a sua decisão como sendo aquela que irá recuperar aquilo que você já perdeu por ter adiado a execução das suas decisões nos últimos anos.

Imaginar aquilo que você perdeu e que precisa ser recuperado tende a ser mais estimulante do que imaginar a possibilidade de ganhar algo.

Perdas dos outros motivam mais

Você se sentirá mais motivado a atingir os seus objetivos se perceber que o seu fracasso produzirá perdas na vida de outras pessoas.

Na maioria das vezes olhamos apenas para o nosso próprio umbigo. Não percebemos que o sucesso dos nossos objetivos pode beneficiar outras pessoas como nossa esposa, marido, filhos, parentes, amigos, colegas de trabalho e toda a sociedade.

Isso também ocorre com o nosso fracasso. Não cuidar da sua saúde pode gerar doenças e antecipar a sua partida. Isso vai prejudicar o seu cônjuge, filhos, familiares, amigos, colegas de trabalho, comunidade, etc.

Não cuidar do seu equilíbrio e prosperidade financeira limita a sua vida e a vida da sua família. É necessário ter dinheiro para pagar boas escolas para os seus filhos. É necessário ter algum dinheiro para oferecer uma vida saudável, acesso a bons médicos, tratamentos, conforto e segurança. Até para ajudar outras pessoas é importante que você tenha o bastante para compartilhar.

Não se desenvolver intelectualmente e profissionalmente também limita sua capacidade de impactar a vida das pessoas positivamente. Imagine como sua vida seria prejudicada se as pessoas do passado não tivessem dedicado muitos anos desenvolvendo todas as tecnologias que você utiliza hoje na sua casa e no seu trabalho.

O que mais me motiva a produzir conteúdo gratuito para o Clube dos Poupadores é imaginar o número de pessoas que seriam prejudicadas se só existissem sites de banco, corretoras e de educadores financeiros patrocinados por essas instituições produzindo conteúdo sobre finanças na internet.

As pesquisas mostram que nós temos mais disposição em cumprir nossos objetivos estabelecidos no início do ano quando conseguimos enxergar isso como algo importante para outras pessoas.

Quando somos os únicos beneficiados a motivação será pequena. Quando o seu sonho só ajuda você mesmo, a chance de desistir será maior.

Você precisa enxergar o que vai fazer como algo importante para as outras pessoas. Você precisa ter a certeza que “o bem-estar da vida dos outros está em jogo” se você falhar.

Pagar adiantado

A pesquisa do Dr. Michael mostrou que nos comprometemos mais quando pagamos para ver, ou seja, quando corremos o risco de perde tempo e dinheiro que investimos em algo se nosso compromisso não for cumprido.

O compromisso fica maior ainda quando percebemos que alguém também gastou tempo e dinheiro para que possamos fazer algo. Isso potencializa nossa força de vontade para atingir nosso objetivo.

Exemplo:

Se você receber a oportunidade para fazer um curso gratuito que vai te ajudar a atingir o seu objetivo, a possibilidade de você desistir do curso e do objetivo será muito grande. Se você pagar caro por esse mesmo curso, a possibilidade de você ir até o fim será muito maior. Quanto mais caro for o curso, maior o seu comprometimento, pois maiores serão as perdas diante da desistência. É por isso que temos mais facilidade para desistir de ler um livro que vai nos ajudar do que desistir de fazer um curso (bem mais caro) que vai nos ajudar da mesma forma.

Vou mostrar outro bom exemplo:

O seu pai e a sua mãe investiram o tempo deles, uma boa parte da vida deles e muito dinheiro para ajudar você a atingir a vida adulta sendo aquilo que você é hoje. O simples fato deles terem tomado a decisão de ter filhos já sinaliza que eles apostaram no seu sucesso.

Se você fracassar nos vários aspectos da sua vida isso também será um fracasso para os seus pais, pois eles investiram uma boa parte da vida deles para ajudar você a construir a sua vida. Se você ainda não tem filhos, quanto tiver entenderá melhor isso que estou falando.

Alguns povos alimentam a cultura do respeito e gratidão pelos antepassados. Se estou aqui escrevendo esse artigo livremente eu devo isso a pessoas que morreram no passado defendendo a liberdade que tenho hoje. Muitos livros que encontramos nas livrarias só estão ali graças aos sacrifícios de muitos.

A própria vida investe recursos para a manutenção da nossa própria vida. Não estamos vivemos gratuitamente. A nossa existência consome recursos naturais, tempo e energia da vida. Não deixar bons frutos após passar pela vida consumindo esses recursos seria uma frustração para a própria vida que investiu em nós.

As pesquisas do Dr. Michael sugerem que as pessoas podem ficar mais motivadas a continuar uma tarefa difícil ou chata quando alguém mais investiu esforço nisso. O problema é que dificilmente estamos preparados para ter essa percepção ampla da realidade.

Se você se interessa por esse tema e pela possibilidade de ampliar a sua visão sobre a realidade recomendo que conheça o curso que desenvolvi visitando http://leandroavila.com/resistencia

By |09/01/2018|Categories: Enriquecimento|63 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

63 Comments

  1. Julio Cesar da Silva Nascimento 9 de janeiro de 2018 at 10:15 - Reply

    Artigo ótimo, fiz e faço parte da 1°turma do curso resistência e recomendo a todos que buscam crescer em todas as áreas.
    Grato Leandro.

  2. Tatiane 9 de janeiro de 2018 at 10:46 - Reply

    Excelente texto!! Reflexão para deixar as desculpas de lado.Abraço

  3. Lucas 9 de janeiro de 2018 at 11:14 - Reply

    Olá. Sabemos que o tempo é um fator importante para atingir o que queremos. Ninguém conseguirá tudo o que quer de maneira rápida. Por exemplo: profissão. Com que idade você acha que alguém deveria estar bem no mercado de trabalho? Eu vejo pessoas da minha área que estão bem, o problema que a maioria deles tem mais de 40 anos, e eu tenho só 21. Isso me desanima um pouco pensando no tempo que vou levar até estar no nível deles.

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2018 at 11:44 - Reply

      Oi Lucas. A vida é o resultado de uma construção. Quanto antes você começar, melhor será para você. Hoje tenho 40 anos e a vida que tenho hoje é o resultado de planos que comecei a fazer e executar quando ainda era muito jovem. Por exemplo, não fiquei esperando sair da faculdade para começar a trabalhar. Na minha juventude a internet comercial estava iniciando no Brasil. Existiam muitas oportunidades e dentro do meu quarto eu abri a minha primeira empresa. Estudei a tecnologia que deveria estudar para dominar determinadas técnicas e comecei a oferecer serviços no mercado via internet mesmo. Quando entrei na faculdade de administração eu já tinha saído do quarto, estava em um escritório com funcionários que também eram estudantes como eu. Com 21 anos a minha única preocupação com relação ao mercado de trabalho era a dificuldade que sentia de encontrar pessoas para me ajudar no trabalho que fazia. A internet era uma coisa nova e as faculdades não preparavam os estudantes para lidar com ela. O tempo que você vai demorar depende do seu esforço, das suas ideias e força de vontade. Não fique esperando muito do mercado de trabalho. Não fique esperando muito daquilo que te ensinam na faculdade, já já ficará desado.

  4. Marcio soares 9 de janeiro de 2018 at 11:36 - Reply

    Belas palavras. O sr é um mestre na arte da percepção de mundo e iluminado por partilhar de seu conhecimento analítico e humano. Parabéns.

  5. Rafael 9 de janeiro de 2018 at 11:56 - Reply

    Muito bom texto, como de costume. Prabéns Leandro.

  6. Marcelo Williams 9 de janeiro de 2018 at 13:07 - Reply

    Ótimo artigo, Leandro. Obrigado por compartilhar.

    Por coincidência, ontem tomei atitude de investir num curso caro, mas necessário para minha evolução musical!
    Estava há dois anos protelando. Se tivesse afastado a resistência, já estaria bastante avançado nos meus projetos nesta área!
    De toda sorte, nunca será tarde para ser uma pessoa melhor, para vencer a resistência interior que nos afasta de nossa verdadeira essência! Também sou aluno da 1ª Turma do Curso Resistência e recomendo. Realmente te ajuda a evoluir. Abraços.M

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2018 at 13:22 - Reply

      Olá Marcelo. Obrigado pelo apoio e parabéns por sua decisão de investir em você e construir o seu futuro. Esse é o caminho.

  7. Michel 9 de janeiro de 2018 at 13:12 - Reply

    Leandro,
    Outra frustraçao :
    Se você já está na casa dos 30 ou mais (meu caso), olha para trás e vê que perdeu todo esse tempo para começar, que ainda terá um longo caminho a percorrer e não tem mais a juventude e a disposiçao dos 20.
    Acho que só fazendo seu curso de resistência para se salvar…rs

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2018 at 13:33 - Reply

      Oi Michel. Ontem eu respondi um email de um leitor de 60 anos. Ele escreveu algo parecido com isso que você escreveu aqui. Só que ele se lamentava por não poder voltar 30 atrás, quando tinha 30 anos de idade e estava cheio de disposição e juventude. Aproveite que você está no lugar onde ele gostaria de estar. É uma grande oportunidade ter 30 anos vivendo nesse momento histórico onde temos muita coisa para aprender e aplicar. Esse senhor de 60 anos também ainda é muito jovem para os dias de hoje.

    • WELLINGTON NUNES DA SILVA 10 de janeiro de 2018 at 9:01 - Reply

      Como o Leandro falou:aos 60 vc vai s lamentar por não ter mais 30. E se viver aos 90 vai s lamentar por não ter feito o q queria aos 60.hehehe… tenho 34 esse ano finalmente vou iniciar seriamente meus investimentos. Ja to ha 2 anos planejando mas aplicava e retirava. Agora comecei do jeito certo. Sem carro. Casa mais barata. Reserva de emergência ja criada. Agora mes q vem ja ponho em pratica o que está ja ha meses no Excel. Mas falando sobre a idade: 34anos e me sinto um garoto. Casado. Um filho e nao m sinto coroa na sala vrndo tv o dia todo. Faca o q gosta e o q acha certo hj.

  8. Antonio Pereira 9 de janeiro de 2018 at 13:47 - Reply

    …Quem sabe faz a hora/não espera acontecer…(Pra não dizer que não falei das flores – Geraldo Vandré).

    Para mim, o conteúdo ofertado e a experiência compartilhada pelo Autor se encaixam perfeitamente nessa maravilhosa canção.
    É preciso conjugar mais os verbos aprender/fazer/acontecer. Quem fica esperando pelo governo, pela empresa ou pelos outros.
    Terão, na maioria das vezes, muita frustração. Parabéns!!!

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2018 at 15:56 - Reply

      Olá Antonio. É verdade. O resultado é a frustração e uma vida perdida com reclamações.

  9. Renata Ribeiro 9 de janeiro de 2018 at 13:51 - Reply

    Como sempre um excelente artigo. Um “se liga” pra todos nós que em alguma área da nossa vida precisa de um empurrãozinho pra começar ou recomeçar. Nunca havia pensado nessa questão da motivação por perdas mas muitos casos vem por justamente terem passado por momentos muito difíceis na vida e quiseram dar a volta por cima. Mas espero não ter que chegar lá para fazer as mudanças necessárias que preciso. Muito obrigada mais uma vez! Já estou inscrita no curso mas apenas tive a primeira aula, querendo muito ver os próximos conteúdos! Vamos que vamos para o melhor ano das nossas vidas!!

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2018 at 16:00 - Reply

      Olá Renata. Quando observamos casos de sucesso é muito comum encontrar esse momento da “volta por cima” como sendo o início de tudo. As pessoas atingem o fundo do poço para reagir. Somente quando perderam tudo e todos encontram a força necessária para a reação. Recuperar perdas é uma reação, uma ação instintiva. Não precisamos nos mover pela vida através da reação. Podemos e devemos viver de uma forma consciente e proativa. A nossa série de aulas semanais começa no dia 16 e segue por 4 meses. Parabéns por investir em você!

  10. Sandney 9 de janeiro de 2018 at 14:00 - Reply

    Muito bom o texto.
    Obrigado pela reflexão.
    Ótimo 2018 pra vc.

  11. SIMONE JANNER GROHS 9 de janeiro de 2018 at 14:41 - Reply

    Excelente texto, parabens! Estudo o tema da força de vontade há muitos anos é dificil encontrar essa profundidade na abordagem.

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2018 at 16:02 - Reply

      Obrigado Simone. É um tema muito importante que produz um forte impacto na vida profissional, financeira e pessoal. Merece um estudo mais aprofundado por aqueles que querem colher resultados diferentes, melhores, neste e nos próximos anos. Quanto maior for a recuperação e estabilização da economia, mais importante será essa proatividade para investir, empreender, inovar e crescer.

  12. Alex Viégas 9 de janeiro de 2018 at 15:01 - Reply

    Parabéns meu amigo. Você está iluminando muitos caminhos. Adotei como regra sobre minhas metas para 2018 anotá-las em uma ficha e lê-las todos os dias. Vamos ver como vai ser. Grande abraço e um excelente ano. Alex Viégas

  13. Tatiana Moreira 9 de janeiro de 2018 at 15:25 - Reply

    Parabéns, excelente texto para reflexão.

  14. jane 9 de janeiro de 2018 at 15:38 - Reply

    Ótimo artigo, como sempre! Eu noto que a nossa percepção se altera conforme adquirimos experiência e conhecimento.
    Sabe que investindo tempo e me esforçando para ter o equilíbrio financeiro, há um mês descobri que para mim, a liberdade de poder trabalhar só meio período, mesmo com a metade do salário já era uma espécie de aposentadoria! Isso porque sou uma servidora pública que gosta do que faz, mas que adoraria uma bela tarde livre para cuidar de minha casa, minha horta e meus futuros filhos. Em dezembro, fiz muitos cálculos e vi que se eu trabalhar pela metade do tempo, com uma redução de 50% de minha jornada de trabalho, vou ter 70% a menos de despesas! Esse mês descobri algo melhor ainda!! Que eu consigo viver bem com cerca de 70% do meu salário, ou seja, a concretização do meu grande sonho se aproxima cada vez mais! Manterei a paciência e dedicação para poupar e a disciplina para as promoções de carreira serão fundamentais para que eu realize esse sonho em segurança em breve.

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2018 at 16:06 - Reply

      Olá Jane. Obrigado por compartilhar sua experiência conosco. É muito importante fazer esse tipo de avaliação que você fez. Cada pessoa tem seu próprio conjunto de valores. Eu também valorizo muito a liberdade e o tempo. Vejo o dinheiro como uma ferramenta que permite me oferecer mais liberdade de escolha e liberdade sobre o meu tempo. Existem pessoas que valorizam mais outras coisas e por isso cada um deve fazer sua própria reflexão, assim como você fez.

  15. Claudinei Fernandes 9 de janeiro de 2018 at 16:42 - Reply

    Belo artigo. Começamos o ano com o pé direito.

  16. Gabriela Effgen 9 de janeiro de 2018 at 17:01 - Reply

    Ótimo texto. Estou lendo os artigos há algumas semanas. Quero deixar aqui minha admiração pelo conteúdo que você compartilha. Absolutamente todos os textos que li até agora só me fizeram refletir e começar a tomar atitudes. Parabéns pelo site e por todo o conhecimento que você passa de forma clara e objetiva. Abraços.

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2018 at 17:05 - Reply

      Olá Gabriela. Parabéns por dedicar seu tempo nessas leituras!

  17. Alexsandro S Santana 9 de janeiro de 2018 at 17:21 - Reply

    Oi Leandro parabéns por mais um ótimo artigo!
    O artigo vem reforçar minha conduta diante dos meus projetos, além de confirmar que estou no caminho certo, pelo menos na maneira de me motivar para conseguir realizar meus sonhos. Falo isso porque depois que tive meu filho, que hoje tem 2 anos e 6 meses, minha maneira de ver a vida mudou, acho que isso acontece com a maioria das pessoas quando viram pai ou mãe. Principalmente nesse ano que passou(2017) passei a me preocupar mais com a minha vida financeira, saúde e também com a parte espiritual, e todos eles motivados pela minha família, com o objetivo de garantir o melhor que o dinheiro possa oferecer, o melhor que eu como pai ou como marido possa dar, quer seja, com atenção e amor para meu filho e esposa ou estar bem espiritualmente para ter um ambiente familiar harmonioso. Quanto ao ano de 2018 pretendo dar continuidade aos projetos de 2017 dando ênfase ao conhecimento e aprimoramento, que acredito que é a base dos meus objetivos.

    • Leandro Ávila 10 de janeiro de 2018 at 7:22 - Reply

      Olá Alexsandro. Também observo que ocorre essa mudança na chegada do primeiro filho/filha. Algo dentro de nós alerta para o fato de que seremos o exemplo vivo que será seguido por nossos filhos. Queremos melhorar nossa vida, queremos nos tornar pessoas melhores, passamos a buscar mais desenvolvimento financeiro, profissional, pessoal, emocional e até espiritual. Parabéns por buscar isso!

  18. Eliane 9 de janeiro de 2018 at 18:11 - Reply

    É MARAVILHOSO COMEÇAR O ANO LENDO ESSE ARTIGO, OBRIGADO.

  19. Luiz Carlos 9 de janeiro de 2018 at 18:14 - Reply

    Texto muito bom. Lutei por muita coisa. Com 30 anos comecei o escritório de engenharia (idealizado ainda na faculdade) com sócios que depois de 2 anos achavam trabalhosa a parte de engenharia, continuei sozinho. Foram muitos anos de luta e perseverança. Hoje aos 55 anos vejo que abri mão de muita coisa para chegar a uma condição estável trabalho x satisfação, mas no meio do caminho enfrentei muita dificuldade e superei todas, a última foi a separação e o fim da família…. Com perseverança ainda continuo lutando. Este texto é um grande incentivo a todos os que acreditam na perseverança, persistência e organização. Embora possamos nos sentir desestimulados em alguns momentos, sempre vale uma pausa para a reorganização e voltar a seguir em frente.

    • Leandro Ávila 10 de janeiro de 2018 at 7:20 - Reply

      Olá Luiz. Obrigado por compartilhar conosco um pouco da sua luta e perseverança. Essa luta nunca termina e sempre resulta em aprendizados, experiências, conhecimentos, especialmente quando nos deparamos com erros.

  20. Dênis Barbosa Batista 9 de janeiro de 2018 at 18:44 - Reply

    QUE NOTÁVEL ARTIGO, CARO AMIGO ! DE INCALCULÁVEL VALIA, E DE ALCANCE EXTRAORDINÁRIO! BELÍSSIMO ESSE SEU TRABALHO DE TRAZER ATÉ NÓS MUITA INFORMAÇÃO PRECIOSA NO TOCANTE À EDUCAÇÃO FINANCEIRA E OS SEUS EFEITOS MÚLTIPLOS E PRODUTIVOS OU ENRIQUECEDORES! CONTINUE, POR FAVOR, NESSA SUA DIREÇÃO, QUE, COM CERTEZA, ALCANÇARÁ SÓ OBJETIVOS PALPÁVEIS E DE CUNHO POSITIVAMENTE SOCIOECONÔMICO! PARABÉNS OUTRA VEZ, PELO EXCELENTE RESULTADO QUE ESTAMOS OBSERVANDO EM VÁRIOS SENTIDOS! ABRAÇOS FRATERNAIS, E SUCESSO SEMPRE! DÊNIS B. BATISTA, SUL DE MINAS! – (PODERÍAMOS REPASSAR ESSA SUA RIQUEZA EDUCACIONAL PRA MAIS MENTES?)

    • Leandro Ávila 10 de janeiro de 2018 at 7:18 - Reply

      Olá Dênis. Obrigado por suas palavras. Ficarei feliz se você puder compartilhar o link do artigo com seus amigos, parentes e conhecidos. Isso ajuda o conteúdo a se tornar ainda mais útil na vida das pessoas.

  21. Eduardo Sanches 9 de janeiro de 2018 at 21:03 - Reply

    Parabéns Leandro, mais um excelente artigo, eu chamaria do tipo,”chacoalhada”, tenho compartilhado seus artigos com frequência porque são sempre muito provocantes e estimulantes.

    • Leandro Ávila 10 de janeiro de 2018 at 7:16 - Reply

      Obrigado Eduardo. São essas chacoalhadas que nos fazem refletir e são essas reflexões pessoais que nos fazem agir. São as ações derivadas de boas reflexões que produzem verdadeiras mudanças.

  22. Guilherme 9 de janeiro de 2018 at 21:31 - Reply

    Muita excelência! Gratidão.

  23. DOBLAS NUNES DOS SANTOS 10 de janeiro de 2018 at 7:00 - Reply

    Mestre Leandro, bom dia.

    De fato seus conteúdos tem feito com que eu vejas as coisas com novos horizontes. Como Gabriela disse todos os seus textos tem causado impacto em minha vida me fazendo ver as coisas de uma nova ótica de forma que minhas decisões tem sido absolutamente afetada por elas. Obrigado por nos ajudar a crescer e se desenvolver.

    • Leandro Ávila 10 de janeiro de 2018 at 7:14 - Reply

      Olá Doblas, obrigado por suas palavras. Meu objetivo é motivar as pessoas a compreenderem essa nova ótica, que no meu entendimento é a ótica de pessoas que estão acordadas, despertas, conscientes diante dos aspectos da vida. Vivemos uma vida mecânica, mergulhada em ilusões, fantasias e existem muitos interessados na manutenção disso, pois existe muito dinheiro em jogo.

  24. Aline Silva 10 de janeiro de 2018 at 7:03 - Reply

    Estou em choque! Você me deu um insight do quanto já perdi em minha vida em todas as áreas e o impacto disso na vida das pessoas ao meu redor.. Realmente um 180 graus de mudança de perspectiva da realidade. Meu muito obrigada! Muito obrigada pelo site e por pensar no impacto de sua inexistencia em nossas vidas =D. Esse curso resistência é de auto-ajuda? não consegui abrir o link…

    • Leandro Ávila 10 de janeiro de 2018 at 7:11 - Reply

      Oi Aline, se você conseguiu se auto-ajudar com esse artigo eu acredito que você deveria fazer o curso, pois as aulas vão produzir mudanças na sua perspectiva de realidade a níveis cada vez mais profundos. O link é http://leandroavila.com/resistencia

  25. Bruno 10 de janeiro de 2018 at 7:08 - Reply

    Muito bom, isso exemplifica muito bem o livro: Rápido e Devagar de Daniel Kahneman, vencedor do prêmio nobel de economia.Grande abraço e sou mais um no curso de resistência e não mais desistência, rs.

  26. Aline Silva 10 de janeiro de 2018 at 7:12 - Reply

    Já consegui ler sobre o curso! Quando pretende abrir nova turma Leandro? No próximo semestre?

    • Leandro Ávila 10 de janeiro de 2018 at 7:26 - Reply

      Oi Aline. Eu acredito que o melhor momento para fazer esse tipo de curso é no início do ano ou no final do ano. É justamente no momento que estamos passando por reflexões sobre planejamento do ano seguinte e balanço do ano que terminou. É o momento onde mais refletimos sobre nossa vida e o curso ajuda nessas reflexões e decisões futuras. Por isso eu ainda não tenho certeza se irei abrir uma turma no meio do ano.

  27. Louis 10 de janeiro de 2018 at 8:58 - Reply

    Ola Leandro, eu também já tinha notado a questão da força de vontade. Normalmente, as pessoas que são bem sucedidas, o são em vários aspectos da vida. Têm força de vontade para praticar exercícios, fazer dieta, estudar, melhorar de vida. Pode notar que normalmente, a população mais pobre que fica dependendo de tudo do governo, são os mais sedentários, os mais obesos, os que mais fumam, não procuram conhecimento. São acomodados em tudo na vida.

    • Leandro Ávila 10 de janeiro de 2018 at 9:45 - Reply

      Oi Louis. Uma vez me contaram a história de um pintor de paredes que era o melhor no canteiro de obras. Era o que mais trabalhava, o que entregava o serviço com a melhor qualidade no menor tempo. Isso tornava o seu trabalho valioso. Ele recebia bem mais por cada hora trabalhada do que os demais pintores. O problema é que esses resultados acima da média eram desperdiçados inteiramente nos vícios (cigarros, bebidas e prostituição). Ele não tinha força de vontade suficiente para superar esses maus hábitos. Tudo que ele ganhava durante a semana era integralmente gasto no fim de semana. Logo ele entrou em decadência, isso começou a atrapalhar os resultados no trabalho. Virou um morador de rua. Muitas vezes a prosperidade financeira e profissional das pessoas são arruinadas por essas situações. É um caso extremo, mas é comum ter o nosso desempenho limitado, nosso crescimento limitado, por fatores equivalentes.

  28. Dinheiro Investimento e Lazer 10 de janeiro de 2018 at 15:02 - Reply

    Excelente Post, com curiosidades muito interessantes, usando essas dicas acho que podemos ter mais sucesso!

    Abraço e sucesso em 2018.

  29. George Santana 11 de janeiro de 2018 at 9:01 - Reply

    Olá Leandro,espero que esteja ótimo.
    Parabéns pelo trabalho desenvolvido e muito obrigado pelos ensinamentos de 2017.Acompanho o Clube a quase 2 anos e sem dúvida você é um dos melhores educadores financeiros do Brasil.Seus textos sao recheados de insights e uma dose de desconforto,tudo o que precisamos pra mudar verdadeiramente.
    Um Grande Abraço!

  30. Valdenir Gualberto da Silva 11 de janeiro de 2018 at 10:48 - Reply

    Leandro Ávila, sem duvida alguma, que você é nota mil, parabéns pelo maravilhoso artigo.

  31. WELLINGTON NUNES DA SILVA 11 de janeiro de 2018 at 10:59 - Reply

    A igre já sabe disso há seculos. Durante anos o medo de ir pro inferno era maior que o desejo de ir pro céu. Com o passar dos milênios Jesus não volta e o povo já não acredita tanto nisso. Agora pra atrair os fieis precisa utilizar mais que inferno pra convencer: prosperidade. Mas o medo ainda impera incocientemente nas religiões

    • Leandro Ávila 11 de janeiro de 2018 at 18:30 - Reply

      É como o sistema legal dos países. As pessoas fazem o que é certo, justo e bom quando fazer o contrário conduz para a prisão ou multas.

Leave A Comment

Compartilhe com um amigo