Planilha para calcular custos de ter um carro

Antes de comprar um carro é importante calcular quanto será o custo para mantê-lo funcionando. Não é só o valor do financiamento e da gasolina que devem ser considerados. Existem diversos custos, alguns até difíceis e perceber que irão reduzir sua renda familiar sem que você perceba. Em algumas capitais do país já é mais barato andar de táxi do que de carro. Antes de baixar e usar a planilha leia o artigo “Quanto custa ter um carro” e compartilhe com seus amigos.

Baixar planilha:

Clique no botão abaixo para baixar a planilha:

Baixar Planilha Quanto Custa Ter um Carro

Obs: Receba novas planilhas e artigos por e-mail. Cadastre seu e-mail gratuitamente.

A utilização da planilha é simples. Ela pode ser editada e por isto pode ser facilmente personalizada. Diversos campos já estão preenchidos para que sirva de exemplo. Todos os campos azuis podem ser editados. Os campos verdes possuem fórmulas e não devem ser modificados. Preencha inicialmente o campo “Distância Percorrida por mês”.

Custos Variáveis

Consulte o manual do seu carro. Verifique a cada quantos quilômetros as manutenções devem ser feitas. Pesquise na concessionária o custo dos serviços. A planilha irá calcular quanto será o custo mensal e anual com base na quilometragem rodada por mês.

Custos Fixos

Preencha o valor do IPVA do seu carro. Você encontrará informações no site da secretaria da fazenda do seu estado. Para saber mais sobre o seguro obrigatório clique aqui ou o Detran do seu estado. Se não pagar seguro, pedágio e outros custos basta deixar em branco.

Financiamento

Se você comprou o carro financiado preencha o campo. Se não existe financiamento deve deixar em branco.

Depreciação

Você pode ou não preencher o campo de depreciação para avaliar quanto  dinheiro você está perdendo com a desvalorização anual do seu carro. No site da FIPE você pode pesquisar o preço do seu carro usado com isto definir uma depreciação média (veja aqui). A maioria dos carros perdem 10% do seu valor logo nos primeiros 12 meses.

Resultados

Veja o total de custos fixos e variáveis mensais, desvalorização do veículo, parcela do financiamento e o total da despesa mensal. Logo abaixo existe o campo com o total de despesas anuais. Para carros populares as despesas chegam próximo a de um veículo novo no final de 12 meses. Verifique quais despesas pensam mais e procure alternativas para reduzir seus custos. Compartilhe esta planilha com seus amigos e parentes.

By |17/09/2013|Categories: Ferramentas|38 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

38 Comments

  1. Valério Pinto Marques 17 de setembro de 2013 at 21:42 - Reply

    Boa noite Leandro,tudo de bom pra vc.Comprei 2 livros seus,estou gostando muito.Tenho 39 anos e ainda não sou realizado financeiramente.Trabalho numa refinaria em pernambuco,ganho 2000 reais mensais.Estou nesse emprego há 1 ano e 2 meses e primeira coisa que fiz foi fazer um consórcio de um carro Gol no valor de 350,00/mês de 60 parcelas.Pago aluguel de 500,00/mês.Estou querendo me casar,pois me apaixonei por uma pernambucana.Será que fiz um bom negócio entrando nesse consórcio?Quero muito ter a minha casa própria e agora o que fazer?Desistir do carro com as suas despesas absurdas?Casar e morar de aluguel?Casar e comprar a casa própria?…abraço!!!

    • leandro 17 de setembro de 2013 at 22:25 - Reply

      Olá Valério. O problema do consórcio é justamente este. Se você desiste de comprar o carro sofrerá algumas penalidades. Procure se informar sobre as regras para desistência. Se você investisse aplicasse R$ 350,00 todo mês por 14 meses teria R$ 5.062,48 na poupança. Você teria liberdade para usar o dinheiro da forma que desejasse. Minha recomendação é que você invista na sua educação. Não se contente com os R$ 2000,00 mensais, principalmente se planeja se casar. Verifique no setor onde você trabalha se não existem oportunidades melhores, se não existem cursos que você possa investir para ser promovido. No seu lugar eu investiria primeiro na carreira, destinaria dinheiro para isto. Não tenha pressa em se casar, principalmente se isto representar um aumento de custos sem antes elevar sua renda. Um abraço e continue acompanhando o site.

  2. Viviane Matos 11 de outubro de 2013 at 20:30 - Reply

    Parabéns Leandro pelo material prático e útil….. Estou adorando navegar pelo site….. Tenho uma dúvida: Mesmo pagando uma taxa de administração nos consórcios ele ainda não é vantajoso tendo em vista que é possível dar um lance ser contemplado e continuar pagando o bem com uma taxa bem menor que a do financiamento?

    Muito Obrigada

    Abraços

    • leandro 12 de outubro de 2013 at 14:49 - Reply

      Olá Viviane. É importante fazer as contas para verificar se é vantajoso mesmo. O errado seria acreditar que consórcio é a melhor opção só porque todos estão dizendo que é. Você precisa verificar se é mesmo. Um abraço!

  3. Eulaila 9 de janeiro de 2014 at 2:10 - Reply

    kkk pelo jeito vc não tem carro né?? duvido…. anda a pé ou de bike???

    • Leandro Ávila 9 de janeiro de 2014 at 11:42 - Reply

      Olá Eulaila, como vai? Respondendo sua pergunta: Eu tenho um carro, só que com uma pequena diferença, que faz toda diferença. Eu sou plenamente consciente de quanto me custa ter um carro. O objetivo da planilha é estimular as pessoas a terem este tipo de consciência também. Um abraço!

    • João Nascimento 14 de janeiro de 2014 at 14:15 - Reply

      Pra ter um carro popular, zero KM, no valor de 35 mil reais, você deve ter o valor da parcela, por exemplo de 600 reais mensais – 7,2 mil reais por ano, mais, no mínimo, de 7 à 8 mil reais por ano que pode despender em prol do carro.

      Basta fazer as contas, por ANO:

      IPVA R$ 1,4 mil SEGURO: 2 MIL, Documentação: R$ 400, Combustível: de R$ 3mil a R$ 4mil . Revisões: R$ 500,00.

      Soma-se a isso ainda eventuais multas, pedágios, pequenos reparos, sinistros, estacionamentos, e o valor ultrapassa os R$ 10 mil por ano, juntamente com a parcela do carro, chegamos a média de 15 à 18 mil por ano ou R$ 1,5 mil mensais só pro carro.

      Isso com um carro de 35 mil reais, que não dá problemas mecânicos.

      Caso o indivíduo que ganha 3 mil por mês ainda compre um Fusion de 50 mil usado, só porquê consegue parcelar… Ai já era.

      • Leandro Ávila 14 de janeiro de 2014 at 16:03 - Reply

        Olá João, obrigado por sua contribuição. Seu exemplo foi ótimo e vai ajudar a Eulaila a abrir a mente para esta questão dos custos. Um abraço!

  4. Eleni 19 de janeiro de 2014 at 13:22 - Reply

    Boa tarde Leandro, vou comprar meu primeiro carro, qual carro que é bom, econômico,barato, vou comprar um usado em média de 16.000 mil que está dentro do meu orçamento, se eu de 8.000 mil de entrada os jurus serão de quanto mais ou meno para eu parcelar o resto? obrigada desde de já. Sou de Goiânia.

    • Leandro Ávila 20 de janeiro de 2014 at 1:11 - Reply

      Olá Eleni, para saber os juros com precisão você precisa fazer uma simulação no banco. Cada banco cobra sua taxa, e para cada cliente eles determinam uma taxa diferente pois avaliam o seu perfil. Todo mês o Banco Central divulga a taxa de juros para o financiamento de veículos de diversos bancos. Consulte em clicando aqui. Para consultar os carros mais econômicos (com menor consumo de combustível) existe uma tabela do Inmetro, veja clicando aqui.

  5. Igor 22 de fevereiro de 2014 at 0:43 - Reply

    Leandro! Parabéns pelo conteúdo do site, excelente mesmo! Pena que existem pessoas como a Eulaila que sempre olham as coisas com inveja e procuram tecer comentários maldosos que nada agregam em termos de sugestões ou críticas construtivas. É muito desagradável ler este tipo de comentário, deve ser um pouco frustrante.
    Seu site é diferenciado como poucos. Conteúdo simples e muito educativo, além do mais gratuito, tenho certeza que seus artigos estão mudando a vida de muitas pessoas que necessitam de um direcionamento de educação financeira. Abraço.

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2014 at 9:32 - Reply

      Olá Igor, muito obrigado por suas palavras. Eu não me frustro mais com as críticas depois que entendi que as pessoas são diferentes, possuem graus de entendimento diferentes e percebem a realidade de formas diferentes. Um abraço.

  6. Aline 15 de junho de 2014 at 11:13 - Reply

    Olá Leandro, na sua planilha para simular o consumo de um carro não contém célula para entrada. Eu vou comprar um carro por 25 mil, mas vou pagar 10 mil de entrada. Como representar isso na planilha?

    • Aline 16 de junho de 2014 at 21:59 - Reply

      Olá Leandro, na sua planilha para simular o consumo de um carro não contém célula para entrada. Eu vou comprar um carro por 25 mil, mas vou pagar 10 mil de entrada. Como representar isso na planilha?

      • Leandro Ávila 16 de junho de 2014 at 23:15 - Reply

        Olá Aline, não vejo diferença entre ter ou não entrada. O que difere é que seu custo mensal pagando parcelas de financiamento será menor já que você adiantou o pagamento de parte do preço do carro na entrada.

  7. Maria 16 de junho de 2014 at 1:21 - Reply

    Olá Leandro!! Que excelente planilha!!
    Infelizmente, dá até vontade de chorar… rs… como diria meu pai: “carro é uma família”… e aí está a sua planilha pra confirmar!!!
    Apesar disso, acredito que o carro é “um mal necessário” né?!
    É bem como você disse.. aquele que quer ter o carro tem q estar ciente de quanto ele irá custar pra ele…
    Infelizmente há pessoas que não entendem que você faz as planilhas para termos noção dos nossos gastos e assim tentarmos ter vida financeira mais saudável…
    Agradeço pela disposição!! Sucesso!!

  8. Rosilene 16 de junho de 2014 at 8:57 - Reply

    Bom dia Leandro,gostaria de aprender mais sobre educação financeira sou professora na rede publica e renda fixa é muito baixa mas gostaria de criar mais opções de renda e não sei como faze-lo.Espero uma dica sua.

  9. Marcel 16 de junho de 2014 at 10:48 - Reply

    Olá Leandro, parabéns pelo excelente material.

    Tenho um Uno 1993 já faz uns 4 anos. Quando comprei ele custava R$ 7.500,00 e hoje seu valor na tabela FIPE é R$ 6.000,00. É um carro com muitos anos de uso, mas para o meu orçamento foi ótimo.

    Sou estudante universitário e estagiário. Pude comprar o carro à vista e não me envolvi com financiamentos. Controlo os custos dele na ponta do lápis. Pago seguro anualmente (R$ 922,00 neste ano).

    Foi um carro bem barato na sua aquisição e seu valor mensal para se manter é muito similar a qualquer outro carro novo. Faço uma provisão mensal de R$ 150,00 para gastar com mecânico e peças quando der problemas. Rodo bastante com o carro devido as distâncias da faculdade até minha casa (a faculdade fica na cidade vizinha).

    Paro o carro para revisar a cada 6 meses e quando dá algum problema (o que não é muito frequente).

    Gasto com esse carro, sei no que estou gastando e tenho o grau de conforto e comodidade que para mim são ótimos no momento (melhor do que ficar andando de ônibus no meu caso). Conheço pessoas nas mesmas condições “salariais” que as minhas (bolsas de estágio pro volta de R$ 1.500,00 por mês e sem custo de mensalidade com faculdade por este ser pública) e que poderiam ter condições de adquirir um veículo no mesmo “porte”, mas continuam no ônibus ou fazem um financiamento de um carro zero de R$ 30.000,00 “com uma parcela que caiba no bolso”. Fazem isso pelo status de não andar e ter um carro “velho”.

    Gostaria de saber sua opinião sobre carros nesse “nível de idade” como o meu frente a aquisição de um novo zero (normalmente financiado).

    Já vi livros sobre como comprar carros usados (de 1 a 3 anos atrás, tipo carros de 2010 a 2013 comprados direto com o proprietário hoje no ano de 2014). Esses livros falam como avaliar o carro, como negociar descontos e mais detalhes assim. Enxerguei essa como uma das alternativas de compra de veículos, mas como no momento ainda não consegui acumular cerca de R$ 18.000,00 para comprar um bom carro nessas condições ainda continuo com meu uninho. Planejo fazer essa aquisição no primeiro semestre de 2015 assim que tiver alguns meses de efetivação como analista na empresa que trabalho.

    Também gostaria de saber sua opinião sobre aquisições de carros seminovos (2010 a 2013) bem analisados nos detalhes e comprados a vista.

    • Leandro Ávila 16 de junho de 2014 at 11:09 - Reply

      Olá Marcelo. Não existe dúvida que financeiramente, os carros usados são mais vantajosos. O risco de comprar um carro com problemas e defeitos graves se resolve levando o veículo em um mecânico. Já existem várias oficinas que oferecem o serviço de revisão para carros usados para possíveis compradores. Eles cobram uma taxa e avaliam todos os custos para manutenção do que é importante. Quem se preocupa com status, paga muito caro por isto. Quem compra carro zero pelo prazer de ter um carro zero também paga muito caro por isto. O importante é que as pessoas tenham consciência dos custos destas opções que estão fazendo. Um ótimo livro que eu já li e recomendo para quem pretende economizar um bom dinheiro comprando carro usado é esse aqui.

  10. Marcel 16 de junho de 2014 at 13:22 - Reply

    Muito obrigado pela resposta Leandro.

    O livro que eu havia mencionado que já tinha lido algumas informações a respeito é justamente esse que você citou no link.

    Aproveito para fazer uma pergunta:

    Para a pessoa que está levando em conta a depreciação do carro e fazendo uma pequena poupança mensal. Por exemplo: uma pessoa que tem um carro de R$ 20.000,00 e resolve poupar mensalmente um valor de 1% do valor ( R$ 200,00 por mês, R$ 1.200,00 de depósitos por ano) seria interessante a pessoa fazer esse aporte em um consórcio com uma baixa taxa de Administração deixando de ter a rentabilidade de fazer uma poupança própria (90 a 100% CDI por exemplo) para “correr o risco” de ser contemplada e ter um um prazo de rendimento de no valor total da carta de consórcio, uma vez que um consórcio talvez servisse para fazer uma poupança programa de um bem que se planeja comprar?

    • Leandro Ávila 16 de junho de 2014 at 16:23 - Reply

      Olá Marcel, pessoalmente não gosto de consórcio. Eu defendo a ideia de que as pessoas não deveriam depender de consórcio (poupanças forçadas que custam caro), ou financiamentos e empréstimos. Estes mecanismos não deveriam ser vistos como opções. Todos deveriam se acostumar com a ideia de que só podemos gastar aquilo que temos. Só podemos comprar o carro que cabe no nosso bolso, e isto se realmente podemos ter um carro. E se não temos hoje dinheiro para comprar, podemos poupar, investir, ganhar juros e comprar no futuro, gastando bem menos do que se estivéssemos pagando juros e taxas para o sistema financeiro. Sim, isto exige um sacrifício, só que pagar juros e taxas também é sacrificante. É uma questão de escolha entre se sacrificar antes e realizar o sonho depois ou realizar o sonho agora e se sacrificar depois. Certamente as pessoas valorizam muito mais aquilo que compram com sacrifício. Estas pessoas vivem mais satisfeitas do que os endividados que antecipam e banalizam o consumo construindo dívidas e problemas na vida.

      • lÍVIA fURTADO 16 de janeiro de 2015 at 13:09 - Reply

        Essa educação financeira deveria vir de berço, quem dera fôssemos orientados e educados para pensar dessa maneira, a vida seria bem mais fácil e organizada. Li um artigo que fala sobre a expressão da cidadania através do consumo, e quase nos “obriga” a ter o que queremos imediatamente sem pensar nas consequências. São poucas pessoas como você que marcham contra a maré!

        • Leandro Ávila 16 de janeiro de 2015 at 13:17 - Reply

          Oi Lívia. Obrigado! É difícil mostrar para as pessoas que o melhor seria nadar contra a maré, mas alguém precisa tentar. 🙂

  11. Marcel 16 de junho de 2014 at 17:40 - Reply

    Leandro, eu enxergo que o rendimento real do consórcio será sempre inferior ao de uma aplicação própria, porém eu gostaria de entender se um paralelo parecido com o “investimento/alavancagem” em consórcio imobiliário, citado no texto abaixo, poderia ser aplicável ao consórcio de carros:

    6. Rendimentos superiores enquanto procura o imóvel ideal
    Quando sua carta de crédito é contemplada, ela é automaticamente aplicada em um fundo de renda fixa com rendimento diário. Isso significa que todo o valor que você dispõe para adquirir seu imóvel passa a render, não apenas o que você pagou até o momento da contemplação.

    Vou dar um exemplo para ilustrar esta questão. Você adquire um consórcio de R$ 100.000 e depois de 12 meses, tendo pago R$ 10.000 é contemplado. Neste exato momento seu crédito de R$ 100.000 é aplicado em um fundo de renda fixa. Vamos estimar que essa aplicação renda 0,8% ao mês, o que dá um rendimento de R$ 800 mensais, que mensalmente é somado ao valor disponível para comprar seu imóvel.

    Note que estou falando de juros compostos, ou seja, no mês seguinte seu rendimento será calculado sobre os R$ 100.800 e assim por diante. Agora calcule o quanto representa um rendimento de R$ 800 mensais sobre os R$ 10.000 que você efetivamente pagou até o momento da contemplação. Rendimentos de 8% ao mês!

    É o ponto 6 deste post:
    http://papodehomem.com.br/como-investir-em-imoveis-mais-rpido-do-que-voc-acredita-ser-possvel/

    • Leandro Ávila 16 de junho de 2014 at 20:58 - Reply

      Olá Marcel. Quando você é contemplado em um consórcio significa que você se endividou. Os R$ 100 mil não pertencem a você, é dinheiro emprestado vindo de todos os cotistas. Os R$ 100 mil terão que ser devolvidos e você terá que pagar taxas e seguros cobrados pelo consórcio e a correção. O consórcio imobiliário não cobra juros mas é corrigido, normalmente usam o Índice Nacional dos Custos da Construção (INCC). No ano passado o INCC foi de mais de 8%. Apenas com o INCC uma dívida de R$ 100 mil passaria para R$ 108 mil em 12 meses, sem contar o percentual da taxa administrativa + percentual do fundo de reserva + seguro prestamista. E existem consórcios que cobram taxa de adesão. Acho muito difícil o fundo de investimento do consórcio ofereça rentabilidade suficiente para cobrir todos esses custos ao ponto da operação descrita no artigo ser considerada vantajosa. Quando as taxas de juros bancários estão elevadas é possível que o consórcio tenha um custo menor que o financiamento do imóvel, mas continua sendo uma dívida que possui seus custos. O problema é que o financiamento pelo banco é corrigido pela TR e a dívida no consórcio é corrigida pelo INCC. Em maio o INCC foi de 2,05%. Uma dívida de R$ 100 mil se transformaria em R$ 102.500,00 em apenas 30 dias e dificilmente o fundo renderia mais do que o aumento da sua dívida. Se vai fazer consórcio cuidado com o INCC. Existe uma tabela com o histórico do INCC aqui no Clube dos Poupadores http://www.clubedospoupadores.com/tabela-incc

  12. Marcel 17 de junho de 2014 at 8:50 - Reply

    Leandro, muitissimo obrigado pelas respostas.

    Foi muito esclarecedor para mim agora o ponto dos consórcios. Realmente será “difícil” ter um ganho nessa rentabilidade mesmo sendo contemplado.

    • Leandro Ávila 18 de junho de 2014 at 8:57 - Reply

      Quem vende consórcio sempre fará de tudo para te convencer que é mais vantajoso fazer o consórcio pagando várias taxas do que você mesmo administrar seu dinheiro. Eu sou educador e a educação liberta. Por isto eu vendo a ideia de que você precisa estudar sobre as diversas possibilidades de investimento para que você mesmo cuide da sua poupança, para que você mesmo possa comprar seus bens sem depender de financiamento, consórcio, etc.

  13. GUILHERME 7 de julho de 2014 at 13:59 - Reply

    boa tarde Leandro,

    Tenho R$ 20.000 guardado, estou querendo comprar um carro de R$ 35.000
    Nesse caso compensa financiamento ou consorcio ?

    tambem tenho dúvidas se compensa comprar carro 0km ou semi-novo, as taxas estao com muita diferença…

    Nao estou necessitando do carro agora, porem preciso comprar até o final do ano…

    fico no agaurdo de uma sugestao

    abraço.

    • Leandro Ávila 7 de julho de 2014 at 14:24 - Reply

      Olá Guilherme. O que mais compensa seria ter um pouco de paciência, poupar e investir o dinheiro para comprar o carro à vista. Um carro semi-novo, se bem escolhido sempre será melhor que um carro usado, principalmente se você for capaz de pagar à vista. Pagando à vista você não paga juros, não paga taxas, seguro e nem imposto sobre o financiamento. No caso do consórcio os juros são substituídos por diversas taxas. Se não precisa do carro agora aprenda mais sobre as possibilidades de investimento.

  14. Pablo 9 de dezembro de 2014 at 9:14 - Reply

    Bom dia

    Estou trabalhando com meu carro proprio em uma empresa, ganho por quilometragem rodada.
    Com o preço da gasolina de hoje a R$3,14 p/litro quando eu deveria ganhar por quilometro??? Faço em media 3000 a 4000 km/mes.

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2014 at 16:25 - Reply

      Olá Pablo. Isto depende do consumo do seu carro. Você precisa saber quantos quilômetros ele é capaz de andar por cada 1 litro.

  15. Fabio 12 de janeiro de 2015 at 19:22 - Reply

    Olá,
    Leandro,

    A minha questão é quanto custa a valorização de licença de táxi ? Ou seja um carro normal custa x mas se esse mesmo carro passar a ser um taxi, quanto valoriza a mais?

    Obrigado

  16. Edson 28 de março de 2015 at 0:08 - Reply

    Leandro, to de férias e estou aproveitando uma boa parte do meu tempo so lendo suas publicações, cara so agora vejo o quanto eu era leigo no marco econômico, estou aprendendo muito, meu cérebro ta igual a uma máquina não quer parar. Valeu

    • Leandro Ávila 30 de março de 2015 at 11:54 - Reply

      Parabéns Edson! Isto significa que alguma coisa está mudando dentro da sua cabeça e o reflexo positivo disso virá com o passar dos anos. Um abraço!

  17. Eduardo 18 de agosto de 2015 at 11:40 - Reply

    Leandro, muito legal seu site. Virei seu fã (sem exagero) pois penso assim como vc que a educação financeira é extremamente relevante e tem efeito cascata. Vc se interessa por finanças, consequentemente por política, vira um cidadão mais consciente, vota melhor, deixa de engordar o caixa de bancos e financeiras e ainda leva (ou tenta levar) isso para as pessoas próximas de vc. Parabéns, espero que essa mensagem seja passada para o maior número de brasileiros possível, isso sim pode mudar o país!!!

    Quanto à planilha, tenho uma parecida mas prefiro considerar o custo de oportunidade no cálculo, ou seja, com Selic em 14,25% hoje, consideraria aproximadamente 12% a.a. sobre o valor pago pelo carro. Isto pq trata-se de um valor “investido” em um ativo que não rende nada. Pelo contrário, só deprecia. No caso de carro financiado a coisa complica um pouco e por isso acho que a planilha cobre de forma bastante simples compromentendo um pouco a precisão, mas nada que prejudique o principal aqui que seria mostrar o quão relevante são os gastos de um veículo.

    Já no caso de carro pago a vista, o cálculo é simples e na minha opinião necessário. O usuário pode colocar esse valor na planilha como se fosse um pagamento mensal de financiamento. Ex.: Carro de R$ 10 mil (pra facilitar o cálculo), juros 12% a.a. = despesa anual R$ 1,2 mil ou R$ 100 por mês.

    Abraços!

    • Leandro Ávila 19 de agosto de 2015 at 10:09 - Reply

      Oi Eduardo. Obrigado pelo comentário. País desenvolvido é formado por pessoas desenvolvidas. Para que o pais se desenvolva precisamos desenvolver as pessoas que fazem esse país. Um abraço.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo