Rentabilidade do FGTS: Você está perdendo dinheiro

Você sabia que se o FGTS fosse uma empresa ela seria a segunda empresa mais lucrativa do Brasil? O lucro que o FGTS (R$ 14,3 bilhões) ganha emprestando seu dinheiro para bancos e governo é tão elevado que só perde para o lucro obtido pela Petrobras (R$ 21,8 bilhões).

O seu FGTS é uma verdadeira mina de ouro. O único que perde dinheiro nesta história é você.

O FGTS é uma poupança forçada do trabalhador que é “paga” pelos patrões e administrada pelo governo federal. Nos últimos 10 anos o lucro do FGTS deu um salto de dez vezes (938%). Só a Caixa lucrou 274% a mais por receber R$ 3,3 bilhões pelo serviço que presta para administrar o seu dinheiro. E como você sabe, o dinheiro usado pelos bancos, quando você financia um imóvel, é retirado do FGTS e da Caderneta de Poupança de todos os brasileiros. É um ótimo negócio. Enquanto seu dinheiro é emprestado por 7% ou até 12% ao ano de juros, eles te remuneram com apenas 3% se o recurso vier do seu FGTS ou 6% se o recurso vier da sua Poupança.

O dinheiro que os brasileiros pegam emprestado nos bancos para comprar imóveis financiados é o mesmo dinheiro mau remunerado que os mesmos brasileiros deixa parado no FGTS e na Caderneta de Poupança perdendo para a inflação. No meio desse sistema existe o governo e as instituições financeiras embolsando a diferença entre o que cobram e o que pagam de juros.

FGTS é empréstimo obrigatório mau remunerado

Você também pode encarar o FGTS como um empréstimo compulsório (obrigatório). Você é obrigado a emprestar o seu dinheiro para o governo, recebendo apenas 3% de juros ao ano + TR. Isto equivale a 0,25% ao mês de juros em um país com inflação de 0,5% ao mês. A devolução só ocorre mediante condições bem restritas. Enquanto isto o governo e os bancos lucram com seu dinheiro livremente. Se o governo permitisse que este dinheiro fosse depositado na sua Caderneta de Poupança você ganharia 6,17% de juros ao ano e não 3%.

Leia também

Muita gente não liga para nada disso por acreditar (de forma errada) que o custo do FGTS é responsabilidade do patrão ou tomador do serviço. Na prática isto é apenas uma ilusão.  Quando você é admitido, o seu patrão já conhece antecipadamente todos os custos que terá, e todos estes custos são, para o empregador, o salário do empregado. Para ele não importa se o dinheiro vai para o seu bolso, se vai para o INSS, para o IR ou para o FGTS.  A soma de tudo isso, para o empregador, é o seu salário. E para definir seu salário ele vai verificar se o custo total da sua contratação é menor que o retorno financeiro que seu trabalho pode proporcionar. Se não existisse o FGTS, o funcionário receberia o valor correspondente em dinheiro, porque o seu salário é, e sempre será, a expressão de sua produtividade econômica.

24 pessoas decidem o que fazer com seu dinheiro

Existem 24 pessoas responsáveis por decidir o que fazer com o seu dinheiro e o dinheiro de dezenas de milhões de brasileiros. Estas pessoas fazem parte do Conselho Curador do FGTS, um grupo seleto e escolhido pelo próprio governo, que irá decidir como eles usarão o seu dinheiro, e sob quais condições você poderá sacá-lo um dia.

Formalmente, seis destes são representantes dos empregados, e outros seis, dos empregadores, mas na verdade, é o governo que toma as decisões. Diante do que o governo já faz com o dinheiro que você paga de impostos será que é possível acreditar que o seu dinheiro será administrado da melhor forma?

Você perde dinheiro sem perceber

Todos os meses você perde dinheiro no FGTS já que sua rentabilidade não cobre as perdas geradas pela inflação. Isto significa que enquanto os preços de todas as coisas sobem o seu dinheiro dentro do FGTS perde valor. A rentabilidade do seu FGTS nos últimos 11 anos foi de apenas 69,15%, bem abaixo da inflação acumulada no período medida pelo INPC que foi de 103%. (fonte)

Programas como o Minha Casa Minha Vida que oferecem financiamento com juros mais baixos, na verdade não representa nenhuma caridade ou bondade do Governo Federal. Na prática, o que o trabalhador ganha de um lado é só uma pequena parte do que perdeu do outro. E até aquele trabalhador que já tem sua casa própria ou que por ser educado financeiramente, não precisa de financiamento, acaba pagando do próprio bolso os subsídios oferecidos pelo governo federal.

Perceba com o sistema é prejudicial. O seu dinheiro sai do bolso do seu patrão e vai direto para o governo federal. Este coloca várias limitações e restrições para dificultar o uso do seu próprio dinheiro. O banco vai lá no FGTS e pega seu dinheiro emprestado e depois te oferece o seu próprio dinheiro, junto com o dinheiro de outros trabalhadores, cobrando mais que o dobro de juros pagos ao trabalhador (mais de 7%) além de te obrigar a pagar seguro (da seguradora do próprio banco), taxas administrativas e muitas vezes te obriga a abrir conta bancária, pagar anuidade de cartão de crédito, cheque especial. Os bilhões que o FGTS destina para os bancos emprestarem para financiar a casa própria na verdade é o nosso próprio dinheiro.

Na minha opinião pessoal, o brasileiro não precisa de poupança forçada mal remunerada e controlada por bancos, seguradoras ou pelo governo. A sociedade precisa de educação financeira. Todos devem ter o direito de aprender a cuidar do próprio dinheiro sem de terceiros.

Um trabalhador que ganha R$ 1.000,00 e trabalha por 35 anos, ao fim de sua vida profissional, aos 65 anos de idade, poderia comprar uma boa casa no valor aproximado de R$ 213.000,00 reais se tivesse a possibilidade de receber e investir o dinheiro do FGTS em uma poupança, enquanto que, sob o regime do FGTS, sua moradia teria valor de R$ 95.000,00. Com base na desculpa de que as pessoas não iriam poupar e investir o próprio dinheiro, pois gastariam com supérfluos, o estado e o sistema financeiro acaba ficando com grande parte da rentabilidade do seu dinheiro para eles. E mesmo que gastassem o dinheiro, as pessoas deveriam ter o direito de administrar aquilo que é fruto do seu trabalho. Não cabe a ninguém cuidar do nosso dinheiro.

FGTS corrigido pela Inflação e não pela TR

A Caixa Econômica Federal já enfrenta mais de 30 mil processos na justiça movidos por trabalhadores que perceberam que estão perdendo dinheiro com o FGTS. As pessoas estão lutando para que a correção das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) seja feita pela inflação e não pelo valor fixo de 3% + TR ao ano. O problema, segundo a Caixa Econômica, é que isto pode dobrar as taxas de juros cobradas nos financiamentos habitacionais que usam recursos do FGTS. Isto ocorre porque não existe, para eles, a possibilidade do sistema reduzir seus lucros com o dinheiro dos trabalhadores.

Quem possui dinheiro no FGTS desde 1999 já teve perdas de até 88%. Essa diferença não desapareceu, ela se transformou em lucros que foram parar no bolso do governo e das instituições financeiras que usam o seu FGTS como fonte de dinheiro barato.

Recentemente, a Caixa, sofreu as primeiras derrotas, após vencer em cerca de 16 mil decisões. As sentenças favoráveis aos trabalhadores colocaram o banco e o Conselho Curador do FGTS em estado de atenção. Na prática todo trabalhador que recebeu depósitos no FGTS a partir de 1999, mesmo aqueles que por algum motivo sacaram o dinheiro (por demissão, aposentadoria ou compra da casa própria) perderam dinheiro e podem entrar na justiça para pedir a diferença (fonte).

Alguns sindicatos estão processando a Caixa e a figura abaixo mostra um exemplo de cálculo feito pelos sindicalistas. O exemplo seria de um trabalhador que tinha saldo de R$ 10.000,00 em 1999. Depois de 14 anos os R$ 10 mil deveria ter sido corrigido para R$ 25.190,00 e não R$ 13.460,00.

Se o seu FGTS fosse corrigido pela inflação ele não perderia seu poder de compra com o passar dos anos.  Já a taxas de juros cobradas no financiamento de imóveis que usa recursos do fundo, subiriam da faixa atual de 6,66% a 8,66% ao ano para uma variação entre 12,5% e 14,6% ao ano, segundo contas apresentadas em um dos processo em que a Caixa foi derrotado.

Se você pretende comprar um imóvel financiado nos próximos meses ou nos próximos anos leia o meu livro digital chamado Livro Negro do Financiamento de Imóveis, que é um sucesso entre meus leitores.

Isso pode gerar um problema sério para quem possui imóvel financiado neste momento. Por lei os bancos são obrigados a usar, no financiamento habitacional, a mesma fórmula de correção aplicada aos saldos do FGTS dos trabalhadores. Hoje o FGTS é reajustado pela TR e os financiamentos de imóveis também. Se a Justiça determinar a substituição da TR por um índice inflacionário como o IPCA na correção dos saldos do FGTS, a troca ocorreria automaticamente nos contratos de financiamento imobiliário.

O seu dinheiro do FGTS também é emprestado para Estados e Municípios que pagam juros muito baixos. Além disso, o FGTS investe seu dinheiro em títulos públicos e financia outras linhas de créditos habitacionais e obras de saneamento e infraestrutura.

Os que defendem o FGTS alegam que ele financia projetos de saneamento e infraestrutura que beneficiam a população. O problema é que já pagamos impostos suficientes para isto, são mais de 60 impostos, taxas e contribuições vigentes no país que retiram da sociedade mais de R$ 1.4 trilhões. O FGTS é mais uma forma criativa do governo retirar dinheiro da sociedade sem oferecer muita coisa em troca. No Brasil, apenas 48% da população tem coleta de esgoto nas residências. 38% da água distribuída é perdida no meio do caminho. E isto porque o governo sabe que para cada R$ 1 investido em saneamento existe uma economia de R$ 4 na área de saúde. 7 milhões de brasileiros ainda não sabem o que é ter acesso a um banheiro. (fonte)

Planilha Grátis de Correção do FGTS pela inflação

A Justiça Federal do Rio Grande do Sul (4ª Região) esta oferecendo gratuitamente uma planilha para atualização dos saldos do FGTS, na qual é substituída a correção pela TR pela correção usando o INPC. Para saber como baixar a planilha gratuitamente acesse aqui.

Entre na justiça e solicite a correção do seu FGTS

É possível adquirir pacotes completos produzidos por advogados que possuem todas as informações necessárias para o ajuizamento da Ação Revisional da Correção do FGTS. Este que estou indicando possui o Modelo de Petição Inicial para Revisão da Conta do FGTS, a cópia de petição inicial elaborada por sindicato, sobre o tema, modelo de requerimento de extrato do FGTS junto a CEF, modelo de petição inicial de exibição de documentos, planilha de Cálculos, estudo sobre o FGTS e a TR, elaborado por instituto idôneo, decisões do STJ e do STF no sentido de que a TR não serve como índice de correção monetária, explicativo dos cálculos,  modelo de procuração para o ajuizamento desta ação revisional do FGTS, entre outros materiais. Para adquirir o material completo recomendo visitar o site e assistir o vídeo.

Extrato do FGTS

Para saber quanto você tem no seu Fundo de Garantia basta acessar o extrato. Você pode acessar no endereço:
http://www.fgts.gov.br/trabalhador/servicos_online/extrato_fgts.asp

By |29/01/2014|Categories: Impostos|27 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

27 Comments

  1. Juliano 30 de janeiro de 2014 at 8:16 - Reply

    Oi Leandro,

    Parabéns por mais um artigo que mostra como a população brasileira é roubada pelo governo.

    Você sabe dizer como funciona o FGTS em outros países?

    Abraço,
    Juliano

    • Leandro Ávila 30 de janeiro de 2014 at 11:14 - Reply

      Olá Juliano, não tenho informações sobre o funcionamento de Fundo de Garantia no exterior. Mas posso dizer que em países como os EUA, quase não existem benefícios trabalhistas. Os americanos não possuem férias remuneradas, não existe 13º salário e não possuem direito ao pagamento de nenhum tipo de licença. Por este motivo que o salário médio do americano é de R$ 7.859,37 (dólar em R$ 2,40) e no Brasil o salário médio R$ 1.768,20. O salário mensal do norte-americano equivale a 3,78 vezes o do brasileiro. E isto não acontece porque nos empresários americanos são bonzinhos e os brasileiros são malvados. Não sei até que ponto isso também ajuda na produtividade, o americano é mais produtivo que o trabalhador brasileiro (fonte). Outro ponto importante que além de receber 3,78 vezes mais, o americano precisa trabalhar 102 dias para pagar impostos, o brasileiro trabalha 149 dias. O salário mínimo nos EUA é US$ 1.160,00 (quase R$ 2.784). Ainda tem a questão do custo de vida. Basta observar a quantidade de brasileiros que viaja para os EUA para fazer compras de produtos de maior qualidade e que custam menos. Um salário mínimo nos EUA compra 2 cestas básicas. Um salário mínimo americano compra 6 cestas básicas. (fonte)

      Muitas empresas fazem de tudo para não contratar, já que por conta dos encargos a mão de obra fica cara e encarece os produtos. Muitas empresas deixam de produzir no Brasil, vão produzir no exterior ou simplesmente importam os produtos que vendem aqui porque os encargos são muito elevados. E o trabalhador aqui vive desmotivado já que o seu salário líquido é bem menor que o produto. Menos motivação significa menos produtividade. Nossos produtos se tornam caros e não conseguimos competir lá fora.

      – FGTS: 8,0% + 0,5% sobre o salário nominal;
      – Férias: 8,3% (ou 1/12) sobre o salário nominal;
      – Abono de férias: 2,7% (ou 1/3 das férias) sobre o salário nominal;
      – Indenização (a ser paga no caso de dispensa do funcionário sem justa causa): 100% de um salário nominal, 40% + 10% do saldo do FGTS;
      – Para o INSS: 20%;
      – Entidades (SESC, SENAC etc): 5,8%;
      – Seguro de Acidentes de Trabalho: de 1% a 3%.

      • Astakad 30 de janeiro de 2014 at 13:49 - Reply

        Olá Leandro,

        Os encargos trabalhistas no país são bastante onerosos quando comparado aos Norte Americanos, mas é preciso rever alguns pontos pois utilizar os Estados Unidos como referência, é um erro brutal, pois em matéria de direitos trabalhistas, estes estão entre os piores do ranking. A lei do estado mínimo, e a total desregulamentação do mercado de trabalho é um erro, e em um sistema capitalista onde o objetivo maior é o lucro, o cidadão vem em segundo plano. Nos EUA é natural que se pague, quase sempre pelo serviço de saúde, assistência a maternidade, entre outros, incluindo-se a previdência, na qual até o final do governo Bush, a ideia era acabar com a Previdência Social estado-unidense, estimulando as pessoas a abrirem planos de previdências privados.
        Como cidadão brasileiro, eu luto para que o Brasil se torne uma Alemanha, França, Suécia, ou Dinamarca, onde os impostos chegam a quase 50% mas, os direitos a educação, saúde, transporte e segurança são garantidos pelo Estado, pois o dinheiro público é bem aplicado, o que não ocorre aqui. Esse sim, deveria ser o objetivo do Brasil e de todos os brasileiros.
        Fazer como os Estados Unidos fizeram, é partir para um objetivo individual, não estou dizendo que tenhamos que ser socialistas, partindo para um comunismo, mas é importante deixar claro que o modo de vida norte-americano visto pelos brasileiros, é garantido a parcela da população que possui dinheiro, a outra que não têm, vive a míngua e desacreditada pelo Estado.

        Abraços, e parabéns mais uma vez pelo post.

        • Leandro Ávila 30 de janeiro de 2014 at 15:38 - Reply

          Olá Astakad, é um debate complexo. Eu acredito que os valores individualistas e o estilo de vida consumista e inconsequente da família brasileira está mais próxima do estilo das famílias norte-americanas do que o estilo alemão, francês ou sueco. Acredito que nos EUA exista mais igualdade de oportunidades e o ambiente é mais favorável para o empreendedorismo. Já no Brasil o estado sufoca qualquer iniciativa empreendedora. Se você deseja abrir um pequeno negócio no Brasil, de duas uma: 1) Você é movido pela emoção e pela falta de informação 2) Você sabe o que está fazendo e é louco o suficiente para investir seu pouco dinheiro em um ambiente de extremo risco. Você já viu as motivações que levam muitos brasileiros a dedicar anos estudando para passar em um concurso público? Muitos querem trabalhar menos ganhando mais, viajar mais, curtir mais, e não correr o risco de ser demitido por estar trabalhando pouco. Acho muito curioso os depoimentos deste vídeo http://www.youtube.com/watch?v=9DvTsu0lkBI onde as pessoas dizem o que vão fazer depois que se tornarem servidores públicos. São poucos os futuros servidores que optam pela carreira por acreditarem que podem fazer um Brasil melhor, podem honrar o dinheiro do contribuinte, podem seguir uma carreira exemplar para mudar a imagem que a população tem do serviço público. Temos uma cultura muito individualista, infelizmente. Por isto, acredito que um estado menor, que estimule o empreendedorismo individual e a livre iniciativa da população oferecendo igualdade de oportunidade com base na educação, seria a melhor saída. É apenas minha opinião pessoal atual. Muito obrigado por compartilhar sua opinião. Um abraço!

        • Ronne 7 de outubro de 2014 at 15:04 - Reply

          Discordo PROFUNDAMENTE do Astakad. Desculpe-me, mas, sem querer ofender, você fala com muito teor teórico, mas sabe como é a vida lá? Tendo morado nos dois países eu afirmo que o estilo americano não é apenas melhor. É MUITO melhor. Você diz que “um sistema capitalista onde o objetivo maior é o lucro, o cidadão vem em segundo plano.” é exatamente o contrário. Quando o cidadão tem mais dinheiro, ele vive mais entusiasmado, pode desenvolver mais projetos pessoais e, inclusive, patrocinar mais, praticar mais filantropia e, adivinhe só, contratar mais. Isso sim, é se preocupar mais com o ser humano. Concentrar recursos dos indivíduos num estado letárgico, burocrático, incompetente e corrupto é sim um desrespeito ao ser humano, um autoritarismo, uma afronta às liberdades individuais.
          É absolutamente leviana a afirmação de que uma parcela dos americanos “vive a míngua e desacreditada pelo Estado.” Digo isso porque já morei lá e, o mendigo, o abandonado, o mais miserável de todos os americanos recebe mais da sociedade do que o brasileiro que ganha salário mínimo.
          Eu luto contra essas pessoas que apoiam o Well fair State, que é uma ideologia falha. Não foi às custas desse sistema que Alemanha ficou rica. Ao contrário, esses estados escandinavos só podem se dar ao luxo de ser tão bonzinho porque ficaram ricos com o liberalismo anteriormente. Como disse antes, não quero ofender ninguém aqui. Mas acho melhor estudar mais e analizar antes de fazer afirmações como essas. Numa boa.
          Abraços.

          • Fabiane Rodrigues Fernandes 27 de março de 2016 at 16:38

            Acho que é necessário ponderar, porque se 22% das crianças americanas vive abaixo do limiar da pobreza.

            Calcula-se que cerca de 16 milhões de crianças norte-americanas vivam sem “segurança alimentar”, ou seja, em famílias sem capacidade econômica para satisfazer os requisitos nutricionais mínimos de uma dieta saudável. As estatísticas provam que estas crianças têm piores resultados escolares, aceitam piores empregos, não vão à universidade e têm uma maior probabilidade de, quando adultos, serem presos. Não tem direto a saúde, muitos americanos não podem pagar por planos de saúde. A grávida não tem direito a licença a maternidade. Qual é o papel do Estado e os impostos que lhe são pagos, se não amparar seus cidadãos? Empreendedorismo é bom, tanto quanto independência financeiro, mas temos que entender que não é para todos…é muito mais complexo do que a forma simplista como é abordado nos artigos.

  2. Ewerton Azevedo 30 de janeiro de 2014 at 8:46 - Reply

    O Problema Leandro,

    É que as regras impostas pelo sistema do governo ao cidadão não o deixam em livre habítrio, ou seja, hoje o empresário como falou inclui o FGTS como parte do seu salário. Na minha humilde opinião o ideal seria o seguinte quando o trabalhador fosse entra na empresa decidir se quer receber seu esse dinheiro mensal que seria para o FGTS como ajuda de custo em seu salário ou aplicar realmente para o governo em forma de FGTS. Se fosse assim com certeza ninguém ia depositar isso no governo mais dai viria a seguinte questão que é o lado do empregador que no momento que não é obrigado a pagar pro governo quer deixar de pagar também ao trabalhador. Essas obrigatoriedade é que bagunçam a sociedade, estamos numa democracia onde se trabalharmos somos obrigado a pagar 1/3 de nossos ganhos para o governo que não faz absolutamente nada com o que pagamos pra ele. Se tivesse modos da população se juntar para mudar isso ai sim seria outra história.

    • Leandro Ávila 30 de janeiro de 2014 at 10:39 - Reply

      Olá Ewerson, realmente a coisa só vai mudar no dia que a população perceber que tudo que o governo faz ou deixa de fazer custa caro e quem paga é a população. E isto faz parte da educação financeira que falta nas escolas. Se você paga impostos, você precisa ficar atento para o que fazem com seus impostos. O que faz o governo de países desenvolvidos funcionar bem não é a bondade dos políticos de lá. É a população que é mais consciente, que pensa melhor antes de votar e depois cobra resultados. O governo não nos dá nada, tudo é pago. A escola pública ou a universidade pública não são gratuitas, toda população paga a conta. Os hospitais públicos também não são gratuitos, nós estamos pagando. O governo não realiza nenhum ato de caridade. E isto as pessoas precisam internalizar. Um abraço!

  3. J.Henrique 8 de fevereiro de 2014 at 19:00 - Reply

    Leandro, bom dia !
    Assisti o vídeo que sugeriu e fiquei decepcionado com os comentários a respeito do que as pessoas vão fazer quando passarem num concurso público. Realmente ninguém tem o pensamento de prestar um bom serviço público. Já ouvi de várias pessoas que o objetivo de passar num concurso público é a estabilidade do emprego e trabalhar menos, aliás, para a maioria nem trabalhar, apenas ir até a repartição. Infelizmente é a realidade do Brasil. Deviam acabar com a estabilidade do servidor público, para quem sabe eles, se merecerem, serem demitidos como os demais mortais.
    Quanto ao FGTS realmente perdemos muito dinheiro.
    Se tivéssemos governantes sérios, poderíamos pagar 50% de impostos e em contrapartida termos serviços públicos decentes, mas como isso é uma utopia, prefiro adotar o sistema do Tio Sam.

    De toda forma o debate está de alto nível. Parabéns a todos que escreveram e principalmente ao Leandro, nosso ilustre incentivador.

    • Leandro Ávila 10 de fevereiro de 2014 at 11:04 - Reply

      Olá J. Henrique. Com certeza existem pessoas que fazem concurso público pensando em fazer o melhor para a sociedade, mas devem ser poucos. Sobre os impostos eu também concordo com você. Obrigado e um grande abraço!

  4. Evandro 2 de maio de 2014 at 20:08 - Reply

    Olá Leandro,
    Acho que pro artigo ficar 100% só faltou indicar as situações as quais eu posso utilizar o FGTS.
    Muito obrigado!!

  5. Cleber Ruiz 10 de janeiro de 2015 at 16:43 - Reply

    Olá Leandro, boa tarde.
    Após ler o seu artigo “Rentabilidade do FGTS: Você está perdendo dinheiro” fiquei muito interessado no assunto e decidi consultor dois advogados que também são amigos pessoais.
    Apesar da amizade em comum, estes dois advogados não se conhecem, um deles mora em São Paulo (capital) e o outro atua em Limeira/SP.
    Os dois foram enfáticos ao dizer que não dão aos clientes esperança nenhuma de ganhar uma ação como estas. O advogado de São Paulo me disse que já pegou este tipo de trabalho mas hoje em dia ele não pega mais. O de Limeira/SP disse que em primeira instância todas as causas tem sido perdidas e além disto ele lembrou que quando se perde a causa você tem que pagar todos os honorários dos advogados contratados pela Caixa Econômica Federal. Ele disse ainda que já existem ações como estas que estão aguardando julgamento pelo STF e se o STF julgar favorável aos trabalhadores isto valerá para todos.

    • Leandro Ávila 14 de janeiro de 2015 at 18:32 - Reply

      Olá Cleber, obrigado por compartilhar sua experiência com os dois advogados.

  6. Fernanda 4 de março de 2015 at 15:47 - Reply

    Acabei de sair de um emprego com carteira assinada e me transformei em bolsista e fui orientada a contribuir com o teto para o FGTS como autônoma. Antes desse artigo, pendei em contribuir com o mínimo somente para contar tempo de serviço. Agora estou na dúvida. Como uma poupadora consciente, acho que não vale a pena contribuir por ter um rendimento abaixo da poupança (que já não é um bom investimento) . Mas fico na dúvida em ter o tempo de trabalho interrompido. Gostaria de uma opinião. Obrigada!

  7. Rafael 5 de março de 2015 at 18:40 - Reply

    É um erro dizer que a CAIXA usa o recurso do FGTS livremente e lucra horrores, NÃO, este recurso é utilizado nas faixas 2 e 3 do Minha Casa Minha Vida (apenas um exemplo), com taxas de juros de 4,5% a 7,16% a.a e elas nao sofrerem aumento justamente por ter uma remuneração fixa (ou praticamente) a minha única chance de comprar meu imóvel foi através de um financiamento nesses moldes, com um salário de R$2.200,00 por mês tenho um imóvel na periferia mas que me atende, pago R$550,00 por mês, atrasos não são frequentes e estou extremamente feliz com isso. e a titulo de curiosidade, este contrato dá prejuízo para a CAIXA
    Na minha visão o FGTS aplica seus recursos em demandas importantes da sociedade, o deficit habitacional não é de coberturas no Jardins (Bairro nobre de SP) falta moradia na periferia, para o pobre. Aplica também em Saneamento e Infra-estrutura, ou seja, o fundo atua como um agente de politicas públicas importante, atendendo necessidades de todos.

  8. Kamila 5 de maio de 2015 at 15:42 - Reply

    Oi Leandro,

    Fui demitida sem justa causa e no dia seguinte já comecei em outra empresa. Você sabe se posso sacar o FGTS?

    • Leandro Ávila 5 de maio de 2015 at 23:21 - Reply

      Oi Kamila, você deve se informar na Caixa Econômica. Acredito que o fato de ter sido demitida te garante o direito.

  9. Kamila 5 de maio de 2015 at 15:46 - Reply

    Também gostaria de saber se é um bom negócio resgatar o valor do FGTS e depositar na poupança.

    • Leandro Ávila 5 de maio de 2015 at 23:12 - Reply

      Oi Kamila. O FGTS rende 3% ao ano + TR. A Poupança rende 6,17% ao ano + TR. Existem títulos públicos rendendo mais de 13% ao ano. Basta fazer estas comparações para tomar a decisão.

  10. Tiago 6 de março de 2016 at 7:34 - Reply

    Uma dúvida. Se eu fosse desligado da empresa onde trabalho e esta aplicasse a multa de 40%, mesmo assim estou perdendo pela inflação?

    • Leandro Ávila 6 de março de 2016 at 7:55 - Reply

      Oi Tiago. Dinheiro parado no FGTS perde valor devido ao aumento contínuo de preços (fenômeno que recebe o nome de inflação)

  11. Fabiane 26 de março de 2016 at 14:52 - Reply

    Tenho algumas perguntas: você diz que não faz diferença para o empregador se a despesa dele com o empregado vai para ele ou para o INSS, FGTS. Porém, você realamente não acha que se ele pudesse pagar menos (já que o intuito é lucrar), ele pagaria o mesmo salário com essa valor ao empreago, ou pagaria menos? Acho ilusão achar que o empregado ganharia mais se o patrão não precisasse pagar o FGTS e outros encargos. Outra dúvida, se vivemos em uma sociedade que não possui educação financeira, se esse dinheiro do FGTS pudesse ser depositado direto na conta do empregado, você acha que ele iria guardar ou investir? Não usaria todo? e quando você demitido ou se aposentasse teria acumulado o que? Sabemos que rende pouco (e isso é péssimo). Mas, ainda assim é uma forma de poupar para aqueles que não pensam nisso. Não podemos ver apenas pelo lado ruim, é preciso pensar em uma população enorme que não investe, não poupa…

    • Leandro Ávila 13 de maio de 2016 at 11:02 - Reply

      Oi Fabiane. Tente se colocar no lugar do empregador. Quando você toma a decisão de contratar alguém isso significa que você acredita que a contratação dessa pessoa permitirá aumentar as receitas e o lucro da sua empresa. Neste momento você calcula quanto será o seu custo de contratação. A primeira coisa que você vai fazer é pesquisar qual é o menor salário possível que você deve pagar para encontrar o melhor profissional possível para ocupar aquele lugar na sua empresa. A lógica que você vai usar para contratar uma pessoa não é diferente da lógica que você utiliza quando contrata uma empresa. Se você precisar de um eletricista para fazer um serviço na sua casa você irá procurar o eletricista que cobra o menor preço pelo trabalho dele e que ao mesmo tempo ofereça o melhor trabalho possível. Nas empresas é a mesma coisa. Só que se você fosse empresária você não iria verificar apenas o salário que as pessoas daquela área querem receber. Você iria verificar quais seriam os custos totais da contratação. Para o empresário o que importa é quanto vai sair do bolso dele e não quanto vai entrar no seu bolso. Se ele será obrigado a transferir grande parte do que ele está disposto a pagar para o bolso do governo o problema não é dele e nem da empresa dele, o problema é seu que terá uma grande parte da sua renda indo para o bolso do Estado e não para o seu bolso. O quanto cada profissional ganha depende das leis de mercado, depende da qualidade do seu trabalho e da sua qualificação, depende da oferta a de demanda do mesmo tipo de profissional do mercado. O quanto você ganha não depende da bondade ou da boa vontade dos empregadores, depende de outros fatores como acabei de listar. O FTGS é uma forma de poupança forçada. Uma maneira do governo conseguir dinheiro barato da população, uma forma de se apoderar da poupança dos outros. O ideal é que as pessoas tivessem educação financeira para cuidar do seu próprio dinheiro. Não existe ninguém melhor para cuidar do seu dinheiro do que você mesma.

  12. Reginaldo 13 de maio de 2016 at 10:12 - Reply

    Leandro, ótimo artigo, Parabéns.
    Eu não encontrei a data de publicação do seu artigo.
    Você não costuma por?

    • Leandro Ávila 13 de maio de 2016 at 10:55 - Reply

      Oi Reginaldo. Ela aparece automaticamente, mas na última atualização do sistema ela parou de funcionar e ainda estou buscando uma solução.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo