Você sabia que se o FGTS fosse uma empresa ela seria a segunda empresa mais lucrativa do Brasil? O lucro que o FGTS (R$ 14,3 bilhões) ganha emprestando seu dinheiro para bancos e governo é tão elevado que só perde para o lucro obtido pela Petrobras (R$ 21,8 bilhões).

O seu FGTS é uma verdadeira mina de ouro. O único que perde dinheiro nesta história é você.

O FGTS é uma poupança forçada do trabalhador que é “paga” pelos patrões e administrada pelo governo federal. Nos últimos 10 anos o lucro do FGTS deu um salto de dez vezes (938%). Só a Caixa lucrou 274% a mais por receber R$ 3,3 bilhões pelo serviço que presta para administrar o seu dinheiro. E como você sabe, o dinheiro usado pelos bancos, quando você financia um imóvel, é retirado do FGTS e da Caderneta de Poupança de todos os brasileiros. É um ótimo negócio. Enquanto seu dinheiro é emprestado por 7% ou até 12% ao ano de juros, eles te remuneram com apenas 3% se o recurso vier do seu FGTS ou 6% se o recurso vier da sua Poupança.

O dinheiro que os brasileiros pegam emprestado nos bancos para comprar imóveis financiados é o mesmo dinheiro mau remunerado que os mesmos brasileiros deixa parado no FGTS e na Caderneta de Poupança perdendo para a inflação. No meio desse sistema existe o governo e as instituições financeiras embolsando a diferença entre o que cobram e o que pagam de juros.

FGTS é empréstimo obrigatório mau remunerado

Você também pode encarar o FGTS como um empréstimo compulsório (obrigatório). Você é obrigado a emprestar o seu dinheiro para o governo, recebendo apenas 3% de juros ao ano + TR. Isto equivale a 0,25% ao mês de juros em um país com inflação de 0,5% ao mês. A devolução só ocorre mediante condições bem restritas. Enquanto isto o governo e os bancos lucram com seu dinheiro livremente. Se o governo permitisse que este dinheiro fosse depositado na sua Caderneta de Poupança você ganharia 6,17% de juros ao ano e não 3%.

Leia também

Muita gente não liga para nada disso por acreditar (de forma errada) que o custo do FGTS é responsabilidade do patrão ou tomador do serviço. Na prática isto é apenas uma ilusão.  Quando você é admitido, o seu patrão já conhece antecipadamente todos os custos que terá, e todos estes custos são, para o empregador, o salário do empregado. Para ele não importa se o dinheiro vai para o seu bolso, se vai para o INSS, para o IR ou para o FGTS.  A soma de tudo isso, para o empregador, é o seu salário. E para definir seu salário ele vai verificar se o custo total da sua contratação é menor que o retorno financeiro que seu trabalho pode proporcionar. Se não existisse o FGTS, o funcionário receberia o valor correspondente em dinheiro, porque o seu salário é, e sempre será, a expressão de sua produtividade econômica.

24 pessoas decidem o que fazer com seu dinheiro

Existem 24 pessoas responsáveis por decidir o que fazer com o seu dinheiro e o dinheiro de dezenas de milhões de brasileiros. Estas pessoas fazem parte do Conselho Curador do FGTS, um grupo seleto e escolhido pelo próprio governo, que irá decidir como eles usarão o seu dinheiro, e sob quais condições você poderá sacá-lo um dia.

Formalmente, seis destes são representantes dos empregados, e outros seis, dos empregadores, mas na verdade, é o governo que toma as decisões. Diante do que o governo já faz com o dinheiro que você paga de impostos será que é possível acreditar que o seu dinheiro será administrado da melhor forma?

Você perde dinheiro sem perceber

Todos os meses você perde dinheiro no FGTS já que sua rentabilidade não cobre as perdas geradas pela inflação. Isto significa que enquanto os preços de todas as coisas sobem o seu dinheiro dentro do FGTS perde valor. A rentabilidade do seu FGTS nos últimos 11 anos foi de apenas 69,15%, bem abaixo da inflação acumulada no período medida pelo INPC que foi de 103%. (fonte)

Programas como o Minha Casa Minha Vida que oferecem financiamento com juros mais baixos, na verdade não representa nenhuma caridade ou bondade do Governo Federal. Na prática, o que o trabalhador ganha de um lado é só uma pequena parte do que perdeu do outro. E até aquele trabalhador que já tem sua casa própria ou que por ser educado financeiramente, não precisa de financiamento, acaba pagando do próprio bolso os subsídios oferecidos pelo governo federal.

Perceba com o sistema é prejudicial. O seu dinheiro sai do bolso do seu patrão e vai direto para o governo federal. Este coloca várias limitações e restrições para dificultar o uso do seu próprio dinheiro. O banco vai lá no FGTS e pega seu dinheiro emprestado e depois te oferece o seu próprio dinheiro, junto com o dinheiro de outros trabalhadores, cobrando mais que o dobro de juros pagos ao trabalhador (mais de 7%) além de te obrigar a pagar seguro (da seguradora do próprio banco), taxas administrativas e muitas vezes te obriga a abrir conta bancária, pagar anuidade de cartão de crédito, cheque especial. Os bilhões que o FGTS destina para os bancos emprestarem para financiar a casa própria na verdade é o nosso próprio dinheiro.

Na minha opinião pessoal, o brasileiro não precisa de poupança forçada mal remunerada e controlada por bancos, seguradoras ou pelo governo. A sociedade precisa de educação financeira. Todos devem ter o direito de aprender a cuidar do próprio dinheiro sem de terceiros.

Um trabalhador que ganha R$ 1.000,00 e trabalha por 35 anos, ao fim de sua vida profissional, aos 65 anos de idade, poderia comprar uma boa casa no valor aproximado de R$ 213.000,00 reais se tivesse a possibilidade de receber e investir o dinheiro do FGTS em uma poupança, enquanto que, sob o regime do FGTS, sua moradia teria valor de R$ 95.000,00. Com base na desculpa de que as pessoas não iriam poupar e investir o próprio dinheiro, pois gastariam com supérfluos, o estado e o sistema financeiro acaba ficando com grande parte da rentabilidade do seu dinheiro para eles. E mesmo que gastassem o dinheiro, as pessoas deveriam ter o direito de administrar aquilo que é fruto do seu trabalho. Não cabe a ninguém cuidar do nosso dinheiro.

FGTS corrigido pela Inflação e não pela TR

A Caixa Econômica Federal já enfrenta mais de 30 mil processos na justiça movidos por trabalhadores que perceberam que estão perdendo dinheiro com o FGTS. As pessoas estão lutando para que a correção das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) seja feita pela inflação e não pelo valor fixo de 3% + TR ao ano. O problema, segundo a Caixa Econômica, é que isto pode dobrar as taxas de juros cobradas nos financiamentos habitacionais que usam recursos do FGTS. Isto ocorre porque não existe, para eles, a possibilidade do sistema reduzir seus lucros com o dinheiro dos trabalhadores.

Quem possui dinheiro no FGTS desde 1999 já teve perdas de até 88%. Essa diferença não desapareceu, ela se transformou em lucros que foram parar no bolso do governo e das instituições financeiras que usam o seu FGTS como fonte de dinheiro barato.

Recentemente, a Caixa, sofreu as primeiras derrotas, após vencer em cerca de 16 mil decisões. As sentenças favoráveis aos trabalhadores colocaram o banco e o Conselho Curador do FGTS em estado de atenção. Na prática todo trabalhador que recebeu depósitos no FGTS a partir de 1999, mesmo aqueles que por algum motivo sacaram o dinheiro (por demissão, aposentadoria ou compra da casa própria) perderam dinheiro e podem entrar na justiça para pedir a diferença (fonte).

Alguns sindicatos estão processando a Caixa e a figura abaixo mostra um exemplo de cálculo feito pelos sindicalistas. O exemplo seria de um trabalhador que tinha saldo de R$ 10.000,00 em 1999. Depois de 14 anos os R$ 10 mil deveria ter sido corrigido para R$ 25.190,00 e não R$ 13.460,00.

Se o seu FGTS fosse corrigido pela inflação ele não perderia seu poder de compra com o passar dos anos.  Já a taxas de juros cobradas no financiamento de imóveis que usa recursos do fundo, subiriam da faixa atual de 6,66% a 8,66% ao ano para uma variação entre 12,5% e 14,6% ao ano, segundo contas apresentadas em um dos processo em que a Caixa foi derrotado.

Se você pretende comprar um imóvel financiado nos próximos meses ou nos próximos anos leia o meu livro digital chamado Livro Negro do Financiamento de Imóveis, que é um sucesso entre meus leitores.

Isso pode gerar um problema sério para quem possui imóvel financiado neste momento. Por lei os bancos são obrigados a usar, no financiamento habitacional, a mesma fórmula de correção aplicada aos saldos do FGTS dos trabalhadores. Hoje o FGTS é reajustado pela TR e os financiamentos de imóveis também. Se a Justiça determinar a substituição da TR por um índice inflacionário como o IPCA na correção dos saldos do FGTS, a troca ocorreria automaticamente nos contratos de financiamento imobiliário.

O seu dinheiro do FGTS também é emprestado para Estados e Municípios que pagam juros muito baixos. Além disso, o FGTS investe seu dinheiro em títulos públicos e financia outras linhas de créditos habitacionais e obras de saneamento e infraestrutura.

Os que defendem o FGTS alegam que ele financia projetos de saneamento e infraestrutura que beneficiam a população. O problema é que já pagamos impostos suficientes para isto, são mais de 60 impostos, taxas e contribuições vigentes no país que retiram da sociedade mais de R$ 1.4 trilhões. O FGTS é mais uma forma criativa do governo retirar dinheiro da sociedade sem oferecer muita coisa em troca. No Brasil, apenas 48% da população tem coleta de esgoto nas residências. 38% da água distribuída é perdida no meio do caminho. E isto porque o governo sabe que para cada R$ 1 investido em saneamento existe uma economia de R$ 4 na área de saúde. 7 milhões de brasileiros ainda não sabem o que é ter acesso a um banheiro. (fonte)

Planilha Grátis de Correção do FGTS pela inflação

A Justiça Federal do Rio Grande do Sul (4ª Região) esta oferecendo gratuitamente uma planilha para atualização dos saldos do FGTS, na qual é substituída a correção pela TR pela correção usando o INPC. Para saber como baixar a planilha gratuitamente acesse aqui.

Entre na justiça e solicite a correção do seu FGTS

É possível adquirir pacotes completos produzidos por advogados que possuem todas as informações necessárias para o ajuizamento da Ação Revisional da Correção do FGTS. Este que estou indicando possui o Modelo de Petição Inicial para Revisão da Conta do FGTS, a cópia de petição inicial elaborada por sindicato, sobre o tema, modelo de requerimento de extrato do FGTS junto a CEF, modelo de petição inicial de exibição de documentos, planilha de Cálculos, estudo sobre o FGTS e a TR, elaborado por instituto idôneo, decisões do STJ e do STF no sentido de que a TR não serve como índice de correção monetária, explicativo dos cálculos,  modelo de procuração para o ajuizamento desta ação revisional do FGTS, entre outros materiais. Para adquirir o material completo recomendo visitar o site e assistir o vídeo.

Extrato do FGTS

Para saber quanto você tem no seu Fundo de Garantia basta acessar o extrato. Você pode acessar no endereço:
http://www.fgts.gov.br/trabalhador/servicos_online/extrato_fgts.asp