Como investir em COE – Certificado de Operações Estruturadas

Neste artigo você vai aprender como investir em COE. O COE ou Certificado de Operações Estruturadas é um tipo de investimento que só está se popularizando agora no Brasil. Na Europa e nos EUA ele é muito comum e se chama Notas Estruturadas. O COE foi criado pela Lei 12.249/2010, mas foi regulamentado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) do Banco Central no segundo semestre de 2013 (Resolução CMN 4.263/2013, Circular 3.684 e Circular 3.685.)

Mesmo assim, as pessoas só começaram a ouvir falar sobre COE no final de 2015, início de 2016 quando a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publicou a instrução 569 facilitando o acesso ao COE. Antes esse tipo de investimento só era distribuído privadamente, dentro dos bancos, para grandes investidores que tinham milhões para investir. Depois da instrução as corretoras puderam divulgar e oferecer o COE de diversos bancos para seus clientes.

O COE é uma alternativa que os bancos possuem para captar dinheiro dos investidores, da mesma forma que já fazem quando emitem CDB, LCI e LCA.

Você precisa ficar atento para o fato do COE funcionar de uma maneira totalmente diferente destes investimentos de renda fixa que você já está acostumado a fazer. Utilizando o COE você pode apostar em investimentos de risco, mas com o seu dinheiro protegido totalmente ou parcialmente de perdas.

Na prática, o COE permite que você faça uma aposta sobre o que você acredita que irá acontecer no futuro com relação ao câmbio, juros, inflação, índice Bovespa, índice de bolsas americanas, ações e até commodities como ouro, soja, café, etc. Se sua aposta se concretizar, você terá uma boa rentabilidade seguindo regras que são do seu conhecimento antes de investir no COE.

Se sua aposta não der certo, em alguns COEs, você terá o dinheiro investido protegido (Valor nominal protegido), ou seja, você receberá o seu dinheiro de volta sem perdas e sem qualquer remuneração. Existe COE onde perdas são possíveis e isso fica claramente especificado antes de você investir (Valor nominal em risco). Essa perda pode ter um limite especificado ou pode ser total, ou seja, você pode perder uma parte do que investiu. A maioria dos COEs oferecidos no Brasil possuem valor nominal protegido.

A graça do COE é poder fazer um investimento de elevado risco, superando a rentabilidade da renda fixa se você acertar sua aposta, mas com o seu dinheiro protegido se a sua aposta não der certo. Essa proteção pode ser total ou parcial como falei acima. Isso significa que antes de investir em um COE você deve compreender com muita clareza quais são as regras para ganhos e perdas.

Exemplo:

Nesse infográfico animado da CETIP (não existe som) é possível ver um exemplo de COE muito comum onde você aposta na alta do dólar.


No exemplo acima temos um COE que promete 100% da alta do preço do dólar para os próximos 6 meses. O valor de referência do dólar informado no momento da compra do COE é de R$ 2,30. Isso significa que se 6 meses depois da compra, o dólar fechar com um preço acima de R$ 2,30, seu dinheiro será rentabilizado pela variação que for registrada. Se o dólar subir 10% você receberá 10% de rentabilidade. Se o dólar subir 30% você receberá uma rentabilidade de 30% sobre o valor investido em 6 meses. Se o dólar fechar abaixo de R$ 2,30 você terá seu dinheiro de volta, sem qualquer ganho ou perda. No nosso exemplo o valor investido era protegido. Vou mostrar outros exemplos mais na frente.

Emissão, Distribuição e FGC:

COE é emitido por bancos. Isso significa que é importante confiar no banco que irá emitir o COE que você pretende investir. Observe que não existe proteção do FGC (Fundo Garantidor de Créditos) para investimento feito em COE. Se você investir em CDB, LCI ou LCA de um determinado banco médio ou pequeno, você sabe que até R$ 250 mil por CPF estão protegidos através do FGC. Já se você investir qualquer quantia em COE do mesmo banco e essa instituição quebrar, você não terá proteção sobre esse dinheiro investido no COE. Isso não significa que o banco quebrado vai sumir com seu dinheiro, mas significa que pode demorar muitos anos para que você receba seu dinheiro de volta. Por isso é importante só investir em COE de bancos com bom grau de risco. Muitos outros investimentos não oferecem proteção caso a instituição onde você investiu quebre como é o caso de investimentos em ações, debêntures, CRI, CRA, etc. e nem por isso as pessoas deixam de investir.

Além de poder comprar o COE diretamente do banco que emitiu o COE você pode comprar através de uma corretora, são as mesmas corretoras por onde você pode comprar CDB, LCI e LCA de diversos bancos. Consulte aqui.

Quando comprar COE por corretoras é importante que essa corretora seja credenciada no CETIP Certifica. O registro, depósito e liquidação do COE será feito pela CETIP. Isso significa que ao investir em COE através de uma corretora que conte com os serviços da CETIP a operação fica registrada em seu nome na CETIP. Isso garante mais segurança de que a sua ordem de compra foi executada pela corretora em seu nome. O vídeo abaixo mostra como funciona. Mais na frente irei mostrar como você pode consultar, no site da CETIP, os COEs que você adquirir através das corretoras.


Imposto de Renda:

Existe cobrança de imposto de renda sobre os rendimentos que você conseguir investindo em COE. Na data de vencimento do COE, que é quando você recebe o dinheiro que você investiu e sua rentabilidade, o banco faz a retenção do imposto sobre o rendimento. Você não precisa fazer nada. A tabela é a mesma aplicada em outros investimentos de renda fixa como CDB, Tesouro Direto, Fundos de Investimento, etc.

Documento de Informações Essenciais (DIE):

Nunca invista em COE sem ler e entender o DIE que é o Documento de Informações Essenciais que deve ser fornecido obrigatoriamente pelo distribuidor do COE para os investidores interessados. É este documento que mostra quem é o banco emissor, como será a rentabilidade do investimento, qual a data de início e final do investimento, quais são as regras para ganhos ou perdas, se o valor investido é ou não garantido, etc. Antes de investir é comum a corretora ou o banco solicitar o termo de adesão e ciência de risco assinado pelo investidor. Na maioria das vezes essa assinatura é eletrônica, ou seja, ocorre quando solicitam que você digite sua senha da corretora ou do banco antes de concluir a operação de compra do COE.

Exemplo:

Veja logo acima o exemplo de um “Documento de Informações Essenciais” que uma corretora me enviou sobre um COE emitido por um banco médio que eles estavam oferecendo para os clientes. Logo neste início do documento você já ficará sabendo qual é o banco emissor. O valor nominal mostra qual o valor mínimo para investir. No nosso exemplo o valor mínimo era R$ 15 mil. O início do investimento seria no dia 04 de março. O vencimento seria no dia 10/03/2017, ou seja, 371 dias corridos.

A modalidade desse COE é a de “Valor Nominal Protegido”, ou seja, se o objetivo não for atingido você receberá os R$ 15 mil de volta sem nenhuma perda e sem nenhuma correção.

O objetivo deste COE era conseguir uma rentabilidade dependerá da variação do preço do dólar até o dia 10/03/2017.  Fica claro que não estamos fazendo um investimento direto em dólar, ou seja, você não está comprando dólares e não vai receber dólares. Você só está investindo em uma modalidade de investimento que terá rentabilidade atrelada a uma variação do dólar. Também é possível observar que não existe a possibilidade de antecipar o recebimento do dinheiro antes dos 371 dias. Você terá que viver sem seus R$ 15 mil até o vencimento. O documento também informa que a operação será registrada na CETIP.

No documento também temos informações sobre como será a remuneração. É fundamental que você entenda os cenários e as regras de remuneração do COE que você pretende investir. Existem muitas possibilidades diferentes e essa abaixo é apenas uma delas.

Na tabela acima podemos entender que existem 3 cenários, ou seja, três possibilidades sobre o futuro que podem acontecer com este COE. Vamos entender cada possibilidade:

Cenário A: Se no final dos 371 dias a taxa de câmbio for igual ou inferior à taxa usada como referência quando você investiu no COE, isso significa que seus ganhos serão iguais a zero, ou seja, se você investiu o valor mínimo que é de R$ 15 mil, você receberá os mesmos R$ 15 mil sem nenhuma correção ou perdas.

Cenário B: Se a variação do dólar na data de vencimento for de até +17,99% você receberá 145% dessa variação. Exemplo: Se o dólar aumentou 10% você vai receber 145% desses 10% ou seja, vai receber 14,5% de rentabilidade (10 x 145% = 14,5). Se o dólar aumentar 17% você vai receber 24,65% já que 17 x 145% = 24,65. Como existe imposto de renda você terá 17,5% dessa rentabilidade retida pelo banco para pagamento de imposto de renda. Isso significa que se você investiu R$ 15 mil e ganhou 24,65% de rendimento isso representa R$ 3.697,50 de rentabilidade (15000 x 24,65%). O governo ficará com 17,5% de imposto de renda (R$ 647,06) e você ficará com R$ 3.050,44. Isso significa que sua rentabilidade líquida de imposto de renda será de 20,33% já que 3050,44 / 15000 = 0,2033 que x 100 = 20,33%.

Cenário C: Se a variação do dólar for acima de 18% entre a compra e o vencimento do COE você receberá  26,10% de rendimento ou o equivalente a 25,54% ao ano de 360 dias. Essa é a rentabilidade bruta, seria necessário descontar o imposto de renda que seria de 17,5% para descobrir sua rentabilidade líquida. Observe que neste COE o seu ganho está limitado a 26,10%. Isso mostra que mesmo se o dólar aumentar 50% o seu ganho estará limitado, pois qualquer variação acima de 18% sua rentabilidade será de 26,10%. Existe COE onde não existe essa limitação de ganhos. Neste COE do nosso exemplo existe essa limitação máxima de ganhos.

Vale destacar que no nosso exemplo a taxa de câmbio usada como ponto de partida (Taxa Spot) é conseguida através do site http://www4.bcb.gov.br/pec/taxas/port/ptaxnpesq.asp?id=txcotacao referente ao último dia útil à data de emissão do COE. Já a taxa de câmbio do vencimento será a mesma divulgada no mesmo endereço do Banco Central e será referente ao dia útil anterior à data de vencimento.

Como a coisa funciona (por debaixo dos panos):

Você provavelmente pode estar se perguntando: Como o banco vai me devolver 100% do valor que investi se o dólar despencar? Será que o banco terá prejuízo? Como funciona essa mágica? Claro que o banco não terá prejuízo. Se existe uma coisa que bancos brasileiros não costumam ter é prejuízo. Vamos ver como a coisa funciona por debaixo dos panos para que você entenda a “mágica”. Vamos imaginar o exemplo abaixo:

No exemplo o banco consegue R$ 100 mil em aplicações para um determinado COE que promete oferecer a mesma rentabilidade do dólar em determinado período. O banco não é louco para investir esses R$ 100 mil no dólar ou em derivativos (contratos) que acompanham o dólar. No exemplo acima o banco pegou R$ 90 mil e investiu em uma operação prefixada (sem riscos). Os outros R$ 10 mil o banco fez investimentos de risco muito elevado, normalmente são investimentos alavancados, isso significa que existe o risco de perder todos os R$ 10 mil se as coisas não derem certo, como também existe o risco de dobrar o triplicar esses R$ 10 mil se der certo.

Se a aposta na alta do dólar não der certo e os R$ 10 mil forem perdidos, o banco terá os R$ 100 mil para devolver para você no vencimento do COE já que os R$ 90 mil irão receber juros prefixados até o vencimento do COE atingindo os R$ 100 mil. Se o dólar aumentar os clientes receberão os R$ 100 mil de volta, que na verdade são os R$ 90 mil que estavam rendendo na renda fixa prefixada, e ainda receberão uma parte dos ganhos que o banco teve investindo os R$ 10 mil em investimentos de elevado risco atrelados ao dólar.

Como os bancos ganham com essa brincadeira? Você vai perceber que a maioria dos bancos estabelecem um limite de ganhos para o COE. Se no exemplo que dei nesse artigo o dólar valorizar 50% em 371 dias você só receberia 26,10%. Se a alta do dólar fosse de 100% você só receberia 26,10%, ou seja, seu ganho ficou limitado. A diferença fica como lucro para o banco. No caso de perdas, como mostrei acima, grande parte do dinheiro estaria investido em títulos prefixados que podem ser títulos do próprio banco. Os R$ 10 mil investidos poderiam se transformar em pó (perda total), mas a grande parcela investida na renda fixa prefixada permitiria devolver todo o valor investido.

Essa parcela investida em renda fixa prefixada é como se você tivesse emprestado dinheiro para o banco comprando um CDB prefixado. Ele poderá usar o seu dinheiro para lucrar de diversas formas como emprestar o dinheiro para quem precisa de dinheiro emprestado e cobrar juros elevados por isso (é o que fazem quando você investe em CDB, LCI, LCA ou deixa dinheiro na Poupança). O banco pode até emprestar seu dinheiro para o Tesouro Nacional, já que bancos frequentemente emprestam o dinheiro que conseguem captar dos correntistas para o governo através da compra de títulos públicos (já mostrei isso aqui).

Por isso, podemos considerar que através do COE os bancos lucram em qualquer cenário. Já as corretoras que distribuem o COE desses bancos provavelmente são remuneradas pelos bancos quando conseguem vender COE para seus clientes. Você lucra quando aposta no COE certo para um determinado cenário e esse cenário futuro se concretiza.

Venda antecipada do COE:

Normalmente você terá perdas se resolver sair de um COE antes do vencimento. Por isso é muito importante que você só invista aquela quantia que você tem absoluta certeza que não irá precisar dela até o dia do vencimento do COE. Sempre tenha reservas para emergências quando fizer investimentos que possuem uma data de vencimento que deve ser respeitada. Essa reserva você vai utilizar se precisar de dinheiro inesperadamente e com isso estará protegendo seus investimentos de prazo mais longo.

Como ter certeza que a corretora investiu no COE:

Se você investir através de corretoras é importante que faça isso através de corretoras que tenham o selo CETIP Certifica. Isso significa que existe uma garantia de que eles irão registrar o COE no seu nome lá na CETIP. Através da página https://www.cetipmeusinvestimentos.com.br você poderá consultar os investimentos em COE que você fez através das corretoras. Vale lembrar que esse portal da CETIP só gera extratos de alguns investimentos registrados lá na CETIP como o COE, Debêntures, CRI, CRA, etc. Investimentos feitos em CDB, LCI e LCA ainda não aparecem nesse extrato do site da CETIP, eles aparecem no extrato CETIP Certifica que as corretoras credenciadas no serviço oferecem aos clientes mensalmente. No final dessa página aqui aparece uma lista das corretoras que participam do CETIP Certifica.

Custo para investir em COE:

Não existe cobrança de taxa para investir em COE, da mesma forma que não existe cobrança de taxa quando você investe em outras formas de captação dos bancos como CDB, LCI e LCA. Na prática o COE é uma das formas que existem de você emprestar dinheiro para o banco.

Aulas sobre COE em vídeo:

Várias corretoras estão produzindo aulas sobre o funcionamento do COE. Segue aqui uma vídeo-aula sobre COE da corretora XP que é uma das corretoras que distribuem COEs de vários bancos. Se você é cliente deles, a opção onde é possível ver as ofertas públicas de COE neste momento fica em “Investimentos” naquela área que você acessa digitando sua conta e senha. Ao clicar em “investimentos” você terá um menu com a opção “Ofertas Públicas” (no final do menu).

Você vai perceber no vídeo abaixo que em vários momentos eles passam a ideia de que qualquer pessoa pode pedir para a corretora ou o banco criarem um COE personalizado, um COE feito só para atender suas necessidades. Tenho certeza que somente grandes investidores (que possuem milhões para investir) podem pedir para a instituição criar um COE só para ele. Pequenos investidores só vão conseguir investir em COEs que estão com ofertas públicas abertas. Normalmente quando abrem a oferta de um COE ela fica aberta para investimentos por 1 semana e as corretoras costumam enviar emails para os clientes com os detalhes das ofertas.


Esta outra aula sobre COE foi elaborada por funcionários da CETIP e transmitida para clientes da corretora Easynvest que também é uma corretora que oferece COE de diversos bancos. Essa aula é interessante pelo fato de mostrar como funciona a CETIP e ter uma série de perguntas e respostas.


Conclusão:

No exterior o mercado de notas estruturadas movimenta trilhões de dólares. Você pode apostar em praticamente tudo, do aumento do preço do café até a queda da bolsa de Tokio. Aqui no Brasil o COE só está começando e já movimenta alguns bilhões. Acredito que é uma forma fácil e rápida para fazer apostas correndo riscos de ganhos elevados (se a aposta der certo) e de perdas controladas ou reduzidas se a aposta não der certo.

Não podemos dizer que teremos perda zero se a aposta não der certo. No caso da devolução do dinheiro investido, é importante que você compreenda que existe a perda da oportunidade e perdas com a inflação. Se você investir R$ 15 mil por 1 ano e no final receber os R$ 15 mil de volta você não terá uma perda nominal, pois receberá exatamente os mesmos R$ 15 mil, mas você terá perdas por dois motivos:

  1. Se os R$ 15 mil tivessem sido investidos em qualquer outro investimento de renda fixa (CDB, LCI, LCA, Títulos Públicos, etc) você teria alguma rentabilidade garantida no final daquele período. Se você investiu esse dinheiro no COE e a sua aposta não deu certo, você terá perdido essa oportunidade de ganho em outros investimentos.
  2. Se você receber os R$ 15 mil de volta, ele não terá o mesmo poder de compra do passado, ou seja, a inflação fará o dinheiro perder poder de compra.

O COE não deixa de ser um investimento de risco, mesmo quando o banco garante a devolução do valor principal que foi investido. Fazer investimentos de risco mais elevado pode ser ótimo para aumentar a rentabilidade dos seus investimentos, mas para isso é fundamental que você tome decisões conscientes, ou seja, que você estude para que possa tomar as melhores decisões sem depender da opinião dos outros (gerentes de banco, funcionários de corretoras, jornalistas, especialistas, amigos, etc).

By |03/05/2016|Categories: Investimentos|182 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

182 Comments

  1. Mauro 3 de maio de 2016 at 8:36 - Reply

    Parabens pelo texto bem esclarecedor.

  2. Renata Grilo 3 de maio de 2016 at 8:43 - Reply

    Excelente artigo. Muito detalhadobe esclarecedor. Sempre recebo essas ofertas de COE da minha corretora e não tinha parado para entender. Obrigada!!!!

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 8:46 - Reply

      Oi Renata. Foi em 2016 que eles começaram a fazer mais propaganda, e acho que deve continuar aumentando.

  3. Marcelo 3 de maio de 2016 at 9:05 - Reply

    Como sempre muito bom seus artigos Leandro, parabéns!

  4. Gustavo 3 de maio de 2016 at 9:18 - Reply

    Mais um excelente artigo, muito esclarecedor.
    Como sempre didático e direto ao ponto.

    Obrigado por mais este conteúdo relevante.

    Parabéns pelo seu trabalho consistente na reeducação comportamental de milhares de investidores.

    Forte abraço

  5. Rogério Eduardo 3 de maio de 2016 at 9:21 - Reply

    Muito esclarecedor. É um reforço a mais da tão conhecida dinâmica do mundo financeiro: Nunca coloque todos os ovos em uma única cesta. Parabéns !!!

  6. Sandro Rodrigues 3 de maio de 2016 at 9:29 - Reply

    Muito bom! Esclarecedor!

  7. Agton 3 de maio de 2016 at 9:31 - Reply

    Obrigado Leandro por mais este artigo! Eu já tinha recebido e-mails de minha corretora oferecendo este produto. Por enquanto parece que eles têm divulgado COEs em que apostam na alta do dólar.
    Gostei da abordagem que você fez mostrando como as coisas acontecem “debaixo dos panos”. Interessante observar como os bancos “trabalham” com nosso dinheiro para nunca ficarem no prejuízo.
    No cenário atual os mercados estão muito voláteis. Em um pequeno intervalo de dias observamos muitas mudanças de cenários. Quem apostou na alta do dólar nos últimos meses obteve ganhos razoáveis. Mas qual será o próximo ativo a ter uma alta significativa… Ou uma baixa… Talvez alguém aqui do Clube tenha alguma aposta na manga… Ou até mesmo diferentes apostas.
    Está sendo ótimo Leandro mostrar aos leitores do blog que em nosso país existe muitos outros investimentos, além da cômoda poupança que hoje é o investimento de “perda” fixa com a atual inflação mais procurada pelos brasileiros.

    Abraço!

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 10:09 - Reply

      Oi Agton. Aposta é aquilo que cada um faz a sua e fica com o mérito da vitória ou com as consequências da derrota. Ninguém pode prever com 100% de certeza qual será o futuro, mas sabemos que o futuro tem seus cenários mais prováveis e menos prováveis. Quando a pessoa dedica mais tempo estudando sobre a situação da nossa economia, consegue chutar nos cenários mais prováveis.

  8. Bruno 3 de maio de 2016 at 9:35 - Reply

    Leandro, obrigado por trazer essas preciosas informações e novidades.

  9. Diogo 3 de maio de 2016 at 9:39 - Reply

    Nossa Leandro, há semanas me pergunto se você não ia escrever sobre COE. E aí ao chegar no serviço abro meu email e me deparo com o link de mais uma pérola produzida por você. Muito obrigado pelas instruções e pelas dicas de onde buscar mais informações sobre o COE. Agora me sinto mais seguro. Você é nota 1000!

  10. Fernando Batista Motta 3 de maio de 2016 at 9:39 - Reply

    Posso dizer que sua aula (pois assim classifico esse texto) é honesta.
    Parabéns !

  11. Gustavo Borges 3 de maio de 2016 at 9:40 - Reply

    O artigo não podia ter sido publicado em momento melhor. Estou avaliando o COE ofertado pela XP para investimento no “CAPITAL PROTEGIDO EM IVV”. Já teve a oportunidade de avaliar? A proposito o artigo mais uma vez veio carregado de objetividade, clareza, imparcialidade e informação. Parabéns! Sou um grande fã do seu trabalho.

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 10:11 - Reply

      Oi Gustavo. Não pretendo avaliar COE específico. Posso falar no futuro sobre exemplos de COE com características diferentes, mas sempre evitando fazer propaganda de um COE específico.

  12. Ricardo 3 de maio de 2016 at 9:52 - Reply

    Muito bom Leandro!!!

    A forma como é demostrado o COE pelos bancos, parece que é “almoço grátis”. Imagina quem não tem base de conhecimento e recebe um e-mail de seu banco com isso? Logo o sentimento de ganhar vem e a pessoa adquire o produto assim como alguém que compra fichas em um cassino. Os conceitos de perda de oportunidade e inflação devem estar bem claros na mente mente de quem toma a decisão de investir neste produto. Imagina se a pessoa investe 100k em janeiro deste ano, para uma aplicação de 361 dias e aposta dela não se concretiza? E se a SELIC continua no patamar atual de mais 14%? E a inflação em 8%? Seria muita perda!!! Mas quem não sabe o que é risco de oportunidade e inflação e faz isso acha que o banco é muito bom com ele. Mais uma vez obrigado Leandro.

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 10:23 - Reply

      Oi Ricardo. Não existe almoço grátis e em todo processo de venda é comum o vendedor só destacar os pontos fortes e as vantagens do que está vendendo. Os detalhes ficam nos contratos difíceis de ler. O COE realmente permite que você tenha ganhos acima da renda fixa já que você ficará exposto a ganhos da renda variável, só que como tudo na vida existe um preço e esse preço seria o custo de oportunidade e a inflação se cenário que você apostar não se concretizar. Como estamos com a taxa Selic em 14,25% e a inflação na casa dos 9% o efeito disso sobre R$ 100 mil é significativo. Cabe a cada investidor avaliar se o risco compensa os ganhos e a probabilidade do cenário se configurar. No caso do banco, independente do cenário ele vai ganhar de alguma forma, seja na parcela que ficará investida na renda fixa do banco ou nos ganhos que serão registrados na parcela investida na renda variável. Já a corretora que vende/distribui os COEs, ganha em qualquer cenário, pois creio que eles ganham alguma comissão captando recursos. Por isso veremos um grande esforço das corretoras oferecendo COE nos próximos anos. Nenhum investimento é totalmente ruim se você sabe o que está fazendo. Já se você não sabe o que está fazendo, todo investimento pode ser ruim para você.

  13. Alsthon 3 de maio de 2016 at 9:58 - Reply

    Muito interessante. Obrigado pelos esclarecimentos Leandro.

  14. Gonçalo 3 de maio de 2016 at 9:59 - Reply

    Mais um ótimo texto, Leandro!!! Obrigado!! Ao longo dele, estava pensando na ressalva da inflação. Que bom que você frisou ela no final. Abraços!!!!

  15. Vinicius de Paula 3 de maio de 2016 at 10:05 - Reply

    Mais um texto excelente e extremamente didático, Leandro. Quem fez investimentos deste tipo atrelados à variação do dólar entre 2014 e 2015 deve ter ficado bastante satisfeito!
    Muito interessante essa modalidade de investimento… Vou procurar me informar melhor sobre ela, apesar de o seu texto já ter me dado uma boa ideia à respeito dela.
    Abraços.

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 10:31 - Reply

      Oi Vinicius. Logo depois da reeleição foi um ótimo momento para apostar na alta do dólar (desvalorização da nossa moeda). Estava evidente que a crise iria se agravar.

  16. EDSON 3 de maio de 2016 at 10:09 - Reply

    Muito bem escrito o texto, professor Leandro. Obrigado por compartilhar seus ensinamentos. Também recebi vários e-mails de corretora sugerindo o COE, mas não tinha a menor ideia do que se tratava. Agora ficou claro. Obrigado.

  17. Mauricio 3 de maio de 2016 at 10:15 - Reply

    Quando o banco emite o COE é porque ele próprio está apostando na alta da taxa que o rendimento é atrelado?

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 10:37 - Reply

      Oi Mauricio. Em 2015 muitos bancos ofereceram COE apostando na alta do dólar. Como existiam indicadores apontando para o agravamento da crise, estava bem claro para os bancos que a nossa moeda iria desvalorizar. Creio que o banco verifica que existe uma demanda dos investidores por determinada configuração de COE, principalmente grandes investidores que são bem assessorados. Aí eles criam esses produtos para atender essa demanda. Se o COE que o banco oferece sempre for perdedor, provavelmente isso vai afastar os investidores no futuro. Por isso eu acredito que pode existir uma tendência do banco buscar montar um COE que ele acredita que será vencedor. Mas creio que no futuro provavelmente teremos COE para tudo. No caso do dólar teremos COE apostando na alta e COE apostando na baixa com prazos mais curtos e prazos mais longos.

  18. Jose Marques 3 de maio de 2016 at 10:19 - Reply

    Olá Leandro. Parabéns. Artigo bem esclarecedor. Abraços.

  19. Gabriel Cozzella 3 de maio de 2016 at 10:19 - Reply

    Ótimo texto!

  20. Gregory Ndukwu 3 de maio de 2016 at 10:26 - Reply

    Bom dia, obrigado Leandro por mais uma matéria maravilhosa sobre investimentos. Tenho procurado estudar mais e mais, sobre este assunto. De fato, quando eu era jovem meu sonho era fazer faculdade de finanças, mas acabei fazendo TI, e hoje sou programador de sistemas, o que é uma ótima carreira também. Mas estou gostando de aprender mais e mais sobre finanças. Você tem uma abordagem clara, muito top. Obrigado

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 10:38 - Reply

      Obrigado Gregory. Seu interesse por finanças será ótimo para você no presente e no futuro.

  21. Fernando Alves 3 de maio de 2016 at 10:28 - Reply

    Leandro dando mais um show com artigos mais do que completos, com textos muito bem escritos, fontes e vídeos. Parabéns! Nunca tinha ouvido falar em COE. Agora já penso em diversificar minha carteira com mais essa modalidade de investimento. Obrigado de novo!

  22. Leal 3 de maio de 2016 at 10:34 - Reply

    Excelente artigo, parabéns!

  23. Alex 3 de maio de 2016 at 10:35 - Reply

    Muito bom seus artigos ! parabens

  24. Gustavo 3 de maio de 2016 at 10:38 - Reply

    Bom dia Leandro, ótimo post.

    Venho recebendo essas propostas de COE e seu artigo ajudou bastante.

    Obrigado!

  25. Douglas Dias 3 de maio de 2016 at 10:39 - Reply

    Mais um artigo completo. Eu tenho percebido uma insistência enorme das corretoras com esse novo produto. Os bancos devem estar entregando boas comissões. Afinal, como você citou, garantir o capital investido não é difícil pro banco que toma emprestado o dinheiro. E depois ele tem um dinheiro livre para arriscar onde quiser.
    Eu acredito que, para algumas configurações de COE (atrelado ao Ibovespa por exemplo), você acaba não investindo nem em renda fixa nem variável. Perde-se dos dois lados. Se você escolhe um bom produto de renda fixa, com as taxas atuais, pode alcançar boas rentabilidades. E bolsa, ou você é trader ou busca o longo prazo. Investir em rentabilidade atrelada ao Ibovespa em um ou dois anos é totalmente imprevisível.

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 10:42 - Reply

      Oi Douglas. Na verdade todo COE é imprevisível. O COE que aposta em ouro, dólar, índices da bolsa brasileira e americana, tudo é impossível de prever com absoluta certeza e por isso não deixa de ser um investimento de risco.

      • Douglas Dias 3 de maio de 2016 at 11:53 - Reply

        Com certeza. Por isso que não vejo vantagem quando se limita os ganhos a valores próximos a investimentos que não tem risco algum. Se um CDB te dá 17% a.a em dois anos, então por que aplicar com risco sendo que seus ganhos serão, no máximo, uns 4% ou 5% a mais?
        Se é pra ir pra renda variável, então, na minha opinião, é melhor definir uma estratégia de investimento em renda variável e deixar a parte devida em renda fixa.
        Talvez, com uma taxa de juros menor, ganhos máximos de 21% sejam interessantes e valham a pena. Mas hoje o que se oferece em renda fixa se aproxima bastante das rentabilidades dos COEs que tenho visto. Com riscos bem menores.

        • Douglas Dias 3 de maio de 2016 at 12:50 - Reply

          Em tempo: risco algum nenhum investimento possui obviamente. Desculpe o equívoco no comentário. Abcs

        • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 13:28 - Reply

          Existe COE com todo tipo de regra a potencial de rentabilidade. Cada pessoa deve avaliar se compensa ou não para a realidade e os objetivos dela. No caso do dólar pode ser uma forma de proteção para aqueles que pretendem viajar para o exterior ou comprar alguma coisa cotada em dólares no futuro.

  26. Bradador da Montanha 3 de maio de 2016 at 11:30 - Reply

    Prefiro fazer eu mesmo aquilo que o banco fará em um investimento de COE. Aplicar 90% no tesouro direto prefixado e os outro 10% em alto risco, sem pagar taxas e dar parte do rendimento de alto risco para o banco.

  27. Jorge Luis 3 de maio de 2016 at 11:31 - Reply

    Prezado Leandro,

    Mais uma vez uma explicação esclarecedora, estava pensando em aplicar em COE, mas tinha muitas dúvidas. Ontem saiu uma reportagem no O GLOBO sobre COE, mais sua explicação serviu muito para dirimir minhas dúvidas. Um grande abraço.

  28. Julio 3 de maio de 2016 at 11:37 - Reply

    Excelente texto!

  29. João Paulo 3 de maio de 2016 at 12:03 - Reply

    Novamente eh o Banco fazendo por vc o q vc já deveria estar fazendo.
    O mais certo seria pegar 10% do seu patrimônio líquido e colocar no alto risco msm, de modo que vc não ficaria ansioso p resgatar tal investimentos em cenários ruins (concretizando a perda se houver) e tirar o lucro dessa parcela patrimonial se ela rendesse x% que cada pessoa haveria de detrminar.
    Obrigado pelos ensinamentos!

  30. Guilherme 3 de maio de 2016 at 13:17 - Reply

    Ótimo artigo, Leandro, bem esclarecedor! Creio que este aumento de ofertas de COEs pelos bancos está atrelado ao fato dos bancos acreditarem que a taxa selic no Brasil irá cair em médio prazo, permitindo a manutenção de um taxa pré-fixada fixa por alguns anos, já que a maior parte do investimento em COE pelos bancos está vinculado à operações pré-fixadas. Dessa forma, os bancos tendem a ganhar bastante mesmo se a “aposta” da renda variável der errado.
    Afinal, como você escreveu no texto, os bancos nunca entram para perder!

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 13:34 - Reply

      Oi Guilherme, se tem uma coisa que banco não faz é perder dinheiro. Já os clientes do banco se não prestarem atenção sempre correm o risco de perder. Por isso é importante estudar.

  31. Adriano Quirino 3 de maio de 2016 at 13:26 - Reply

    Conteúdo simples e objetivo, confesso que no meio do artigo, pensei….. Será que ele não vai comentar referente a investir no COE e a aposta não der certo (inflação\oportunidade), porém, lendo a conclusão e concordando com ela, fecha-se o ciclo do artigo completo, objetivo e sem dúvidas escrito com maestria.

    Obrigado.
    Att,
    Adriano Quirino

  32. Tais 3 de maio de 2016 at 13:40 - Reply

    Oi Leandro

    Parabéns pelo texto. Semana passada estava avaliando um COE mas não gostei por um motivo: a rentabilidade é dada pelo IBOVESPA do dia do vencimento, limitado a 17%. Aí pensei que é muito complicado isso, porque se eu compro ações eu posso escolher o melhor momento para vender, porém nesse caso, é calculado em cima da rentabilidade do dia do vencimento. Já pensou, bem nesse dia o IBOVESPA teve uma mega queda? O capital está protegido, mas como você disse, perdi o custo de oportunidade e inflação.
    Por favor me corrija se entendi errado.

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 15:16 - Reply

      Oi Tais. É uma característica do COE e faz parte do risco. Você terá uma data de vencimento e vale a situação no vencimento. Poder escolher o melhor momento para vender pode ser entendido como vantajoso ou desvantajoso. A bolsa se movimenta em altos e baixos. Infelizmente a maioria das pessoas vende quando está perdendo dinheiro (medo) e não vende quando estão ganhando (ganância). Para que poder escolher o melhor momento seja vantajoso isso significa dizer que você acredita na sua capacidade de determinar qual é esse melhor momento. Para investir em um COE apostando na alta do índice bovespa o ideal é que você faça isso acreditando que a bolsa vai iniciar uma tendência de alta até o vencimento. Se a bolsa estiver se movimentando de lado ou para baixo, o risco da aposta não dar em nada é muito grande.

  33. Armando 3 de maio de 2016 at 14:49 - Reply

    Valeu Leandro mais uma forma de investimento que aprendi.
    Obrigado.

  34. Max 3 de maio de 2016 at 15:13 - Reply

    Muito interessante. Estou no aguardo da minha corretora (Rico) começar a ofertar COEs também…

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 15:18 - Reply

      Oi Max, provavelmente todas essas que já trabalham com CDB, LCI e LCA dos bancos médios devem passar a oferecer COE.

  35. Armando Tavares 3 de maio de 2016 at 16:48 - Reply

    Mas um excelente texto Leandro, parabens.

    Embora essa aplicacao seja interessante, eu nao a classificaria como investimento e sim quase como uma aposta ou especulacao. Na verdade, qs toda a renda variavel hj em dia se trata de especulacao pura. Pouca gente investe em bolsa com o horizonte de 5 a 10 anos como antigamente. Nao concorda???

    Ha uns 9 ou 10 anos, fiz umas especulacoes em warranties. A formula de calculo delas eh complicadissima mas msm assim consegui fazer algo. Vc conhece esse produto??

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 17:26 - Reply

      Oi Armando. Existem várias definições para definir o que é investimento ou especulação. Se você considerar que a definição seria essa aqui “A operação de investimento é uma que, após análise minuciosa, promete segurança do capital e uma remuneração apropriada. As operações que não cumprem esses requisitos são especulativas – Benjamin Graham.” Com base nessa definição, minha vó que não entendia nada sobre investimentos financeiros, estaria especulando se resolvesse escolher um COE para investir. Não posso dizer a mesma coisa de alguém que entende e acompanha a economia e faz uma aposta sobre o futuro do dólar ou sobre a recuperação da bolsa com base em dados sobre a recuperação da economia. Especular não é ilegal e nem imoral, o problema é quando você especula ouvindo a opinião dos outros, quando você investe sem saber o que está fazendo, quais riscos está correndo e se aquilo faz sentido para sua vida e seus objetivos financeiros.

  36. Pedro 3 de maio de 2016 at 16:55 - Reply

    Parabéns pelo post! Muito esclarecedor!

    Apenas uma dúvida: pelo que eu entendi, o banco terá o seu ganho maximizado no cenário em que o investidor também tem seu ganho máximo. Ou seja, se o COE é uma aposta na alta do dólar, tanto o banco quanto o investidor ganharão o maior retorno caso essa aposta se concretize no vencimento.
    Se o dólar cair, os investidores não terão retorno e os bancos terão um retorno mínimo (se tiverem).

    Está correto esse raciocínio? Caso sim, podemos considerar que o emissor e o investidor estão do mesmo lado da aposta. Acho importante isso porque sabemos que os bancos tem mais instrumentos de avaliação do cenário econômico e político e, se ele faz essa aposta, podemos considerar uma maior probabilidade dela realmente ocorrer no futuro.

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 17:29 - Reply

      Oi Pedro. O banco vai investir a maior parte do dinheiro em renda fixa que provavelmente será renda fixa do próprio banco ou mesmo renda fixa do governo (títulos públicos). Da mesma forma que os bancos acham muito lucrativo quando vendem um CDB, LCI ou LCA para você, eles vão encontrar meios de lucrar com seu dinheiro investido em COE. Como falei o COE nada mais é do que uma forma do banco conseguir dinheiro emprestado dos investidores.

  37. Rodrigo Marques 3 de maio de 2016 at 16:58 - Reply

    Muito bom Leandro. Recebi vários emails da corretora a qual sou cliente oferecendo o produto, até acessei a página sobre ele na corretora e dei uma boa lida, deu para entender como funciona mas não tinha a riqueza de detalhes que há no seu artigo. Agora sim entendi perfeitamente. Obrigado pelo artigo esclarecedor, vou acompanhar com mais atenção essa modalidade de investimento.

  38. julio jansen 3 de maio de 2016 at 17:20 - Reply

    Olá Leandro,

    Mudando um pouquinho o tema, seria interessante fazer aplicações em blue ships e afins, no aguardo das medidas a serem tomadas por Temer em sua posse?

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 17:31 - Reply

      Oi Julio. Seria interessante se você tivesse absoluta certeza se essas medidas serão bem vistas pelo mercado. Vivemos um momento de indefinição. Se você comprar ações agora estará fazendo uma aposta que pode ou não dar certo.

  39. Jean Brunswick 3 de maio de 2016 at 17:54 - Reply

    Excelente texto, Leandro. Muito esclarecedor!

    Parece ser necessário um determinado perfil para investir conscientemente em COEs. Infelizmente, é aí que muitas pessoas devem acabar entrando sem o conhecimento adequado e se frustrando com os resultados sem saber porque.

    Agora imagine quem tem informações privilegiadas sobre o comportamento de determinado índice ou moeda ou quem tem o poder de manipular o mercado… COEs devem ser um prato cheio… e a linha que separa um investidor como esse de um comportamento antiético é tênue.

  40. julio jansen 3 de maio de 2016 at 18:13 - Reply

    Muito grato professor,

    Salvo engano,tenho a impressão de que a posição inicial do mercado será de positividade em relação a uma mudança de poder, e também pelas propostas a serem anunciadas por Temer.
    Um abraço

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 20:28 - Reply

      Oi Julio. O futuro é uma realidade possível retirada de um leque de infinitas possibilidades e isso inclui as que podem ser ponderadas e as que são imponderáveis ou seja, impossíveis de imaginar. Quem poderia imaginar anos atrás que o Brasil passaria por um novo processo de impeachment?

  41. Alexandre Pitanga Rosa 3 de maio de 2016 at 18:51 - Reply

    Leandro, boa noite.
    Ontem fiz meu primeiro acesso no amigos do CP. Baixei meus e-books e já estou lendo o primeiro deles. Mas ainda sendo inciante em todo esse assunto, quero registrar como você consegue se fazer entender até para leigos como eu. Parabéns pelo didatismo. Já percebi que COE é para os mais experientes, ou pelo menos para os que estão investindo na educação financeira a algum tempo.

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 20:29 - Reply

      Oi Alexandre, provavelmente por me considerar um eterno leigo, um eterno estudioso. No dia que achar que sei alguma coisa, terei problemas. Parabéns por investir na sua educação financeira. Será uma grande e importante caminhada. Não tenha pressa.

  42. Rosana 3 de maio de 2016 at 19:21 - Reply

    Leandro,

    Gostei muito do seu artigo, eu ainda não conhecia sobre esse tipo de investimento e sua “aula” foi muito didática, agradeço pelas informações desse post!

    Abraços,

  43. Eduardo 3 de maio de 2016 at 20:06 - Reply

    Ótimo texto, muito didático e nos mostrando uma nova oportunidade de investimento que, com certeza, está muito distante do conhecimento da maioria.Parabéns Leandro por esse trabalho, tenha certeza que aprendi demais nesses anos lendo seus artigos que são muito didáticos, inclusive faço propaganda para diversos conhecidos pararem alguns minutos para conhecerem seus textos e terem o mínimo de conhecimento financeiro.

    • Leandro Ávila 3 de maio de 2016 at 20:30 - Reply

      Oi Eduardo. Muito obrigado por divulgar o Clube dos Poupadores. Isso me permite ajudar cada vez mais pessoas.

  44. Rafael P. 3 de maio de 2016 at 21:52 - Reply

    Muito boa explicação Leandro, como sempre! Obrigado.
    Fiquei apenas com uma dúvida. Pode parecer óbvia, mas também pode ter “pegadinhas”.
    Supondo que comprei um COE de 6 meses e o vencimento é em 03/11/2016 prometendo um teto máximo de 20% da alta do dólar. Durante os 6 meses o dólar vai variar, muito ou pouco. O COE rende diariamente e meu valor final vai sendo atualizado no extrato dia a dia ou o que vale é a cotação do dia anterior ao vencimento?

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 8:40 - Reply

      Oi Rafael. Nas experiencias que tive ao investir em COE era possível acessar o meu saldo diariamente. Quando o dólar subia o saldo subia, quando o dólar caia o saldo caia junto. Essas flutuações durante os 6 meses não tinham importância já que o valor que seria pago seria o saldo existente no vencimento.

  45. Mauro 3 de maio de 2016 at 22:07 - Reply

    O Santander oferece COE com valor minimo de R$ 15.000,00. A revista Exame classificou o COE como a cereja do bolo, ou seja, essa modalidade de investimento certamente estará nos holofotes dos bancos e corretoras.

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 8:41 - Reply

      Oi Mauro. É apenas mais um investimento com suas características que deve ser entendido e utilizado quando você sabe o que está fazendo.

  46. Isabella 3 de maio de 2016 at 22:23 - Reply

    Leandro, estou iniciando o seu terceiro livro hoje, depois de devorar os dois primeiro em menos de uma semana. Os livros são excelentes! Parabéns. Estou adorando investir na minha educação financeira pois é um assunto que me da um imenso prazer. Queria saber se você tem indicação de revistas/sites/periódicos ou qualquer outro lugar que valham a pena ser lidos para me manter informada sobre a economia do país. Pergunto isso porque tudo anda muito tendencioso, vai de acordo com a posição política do autor. Eu queria fontes imparciais e sérias, será que existe?

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 8:46 - Reply

      Oi Isabella. Todas as pessoas possuem suas posições políticas. Quem se diz totalmente isento e imparcial está mentindo. Eu mesmo tenho minha posição política e econômica. Dentro de qualquer jornal e revista você encontrará jornalistas, colunistas e autores com as mais diversas linhas de pensamento e o ideal é que exista essa variedade. Ruim é quando a mídia não possui essa diversidade. Você deve identificar aos poucos quais são as pessoas que pensam como você, que possuem valores semelhantes aos seus. Aos poucos você vai selecionando quais são as pessoas que você gosta de ler, sempre sabendo que não existe imparcialidade absoluta e que não existe nada de errado nisso, basta que você tenha consciência de que as coisas funcionam dessa forma e faça sua própria avaliação crítica sobre o que está lendo.

      • Carlos Henrique 30 de março de 2017 at 12:46 - Reply

        O Leandro obviamente é de direita ( só não sei se é conservador ou liberal) mas fica claro no primeiro livro hehe. Diga-se de passagem é um material incrível, adoraria ouvir o que tem a dizer sobre política, ainda que fosse em outro blog mais voltado para o assunto.

        • Leandro Ávila 30 de março de 2017 at 16:30 - Reply

          Oi Carlos. Eu acho que os políticos, da maneira que conhecemos hoje,são um erro, uma inutilidade. Políticos funcionavam bem em minúsculas comunidades que escolhiam seus lideres. As pessoas conheciam esse líder pessoalmente e esse líder conhecia cada pessoa que ele representava. Hoje isso é tecnicamente impossível e por este motivo não existe nenhum lugar no mundo onde a população esteja satisfeita com seus políticos e com o que eles fazem. Pouco importa se os políticos desses países são de esquerda, direita, centro etc. Quanto mais as cidades e os países crescem, mais as pessoas ficam insatisfeitas com o sistema que não as representa. Provavelmente teremos no futuro alguma coisa que revolucionará, que permitirá a participação das pessoas de forma mais ativa e interativa nas decisões sem a dependência de continuar esses processos políticos que só funcionavam quando o mundo era do tamanho do vilarejo que você morava.

  47. Cleiton 3 de maio de 2016 at 22:41 - Reply

    Olá Leandro. Estive lendo o relatório de um COE fornecido pela Morgan & Stanley através da XP. Se eu entendi corretamente eles pagariam 16,5% acima do rendimento da EFT S&P500. Se o índice cair o investidor receberá ao menos o valor investido mais os 16,5%. A princípio parece uma ótima proposta. Você já viu este COE? Tem alga pegadinha que minha inexperiência deixou passar? Obrigado.

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 9:00 - Reply

      Eles pagam 16,5% no período, ou seja, entre 2016 e 2019 e não 16,5% ao ano. Se a ETF chamada de IVV subir você recebe esses 16,5% + a alta da ETF. Se ela cair você vai receber só os 16,5% em 2019. Se é ou não uma boa proposta vai depender da avaliação de cada investidor. Eu não gosto de emitir opiniões desse tipo já que sai do objetivo educativo e se torna uma recomendação.

      • Cleiton 4 de maio de 2016 at 23:09 - Reply

        Obrigado Leandro. Não tinha me atentado ao fato do rendimento não ser anual e sim referente a todo o período da COE. Neste caso esta observação faz toda a diferença na análise de viabilidade…

  48. Mayk 3 de maio de 2016 at 22:57 - Reply

    Parabéns Leandro. Mais um excelente e esclarecedor artigo.

  49. Igor 4 de maio de 2016 at 1:26 - Reply

    Parabéns pelo artigo. Uma dúvida: O COE possuem tributação tipo come cotas, assim como os fundos de investimentos com capital protegido?

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 9:01 - Reply

      Oi Igor. Não possui come-cotas. O imposto será recolhido pela instituição financeira no vencimento do COE, ou seja, vão descontar o IR dos rendimentos antes de te pagar.

  50. avanilton 4 de maio de 2016 at 1:55 - Reply

    Ótimo artigo, bem minucioso e transparente, espero que este tipo de investimento se popularize mais, podendo ser expandido para diversas formas de aplicações, inclusive no cenário internacional e também terem seu custo mínimo reduzido cada vez mais pelos bancos, é tudo uma questão de aparecerem mais investidores, devemos divulgar isso!

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 9:03 - Reply

      Oi Avanilton. Sempre é interessante a existência de muitas opções para que os investidores possam escolher. Isso cria uma disputa entre as instituições financeiras pelos recursos dos investidores. O que temos hoje no Brasil é meia dúzia de bancos grandes que dominam o mercado, oferecem taxas de juros baixas para os investidores enquanto cobram taxas de juros absurdas dos devedores. Os bancos ficam com essa diferença e por isso lucram muito.

  51. André 4 de maio de 2016 at 2:23 - Reply

    Excelente artigo! Achava que COE era só pra dolar.

  52. Felipe Alex Sommer 4 de maio de 2016 at 10:35 - Reply

    Olá Leandro,

    Obrigado pelo artigo, já tínhamos conversado sobre COE lá no debate do amigos do clube dos poupadores e agora consegui ter uma visão melhor desse tipo de investimento. Vou confessar que gostei, é muito importante quando temos mais opções para investir nosso dinheiro, isso indica que o mercado financeiro brasileiros está progredindo. Agora se é bom ou ruim, vai depender da avaliação pessoal e dos objetivos individuais.

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 13:28 - Reply

      Obrigado Felipe. O importante é que cada um possa fazer suas próprias avaliações.

  53. Rodrigo Viana 4 de maio de 2016 at 15:49 - Reply

    Ia parar de ler quando vi a palavra “aposta”. Palavra muito perigosa quando se trata de investimentos. Insisti e eis que li: “não é protegido pelo FGC”. Fim de análise do investimento. Talvez seja bom para cartomantes ou mãe Dinah. Pessoas aptas a adivinhar o futuro. Agora, deixando o sarcasmo de lado, num país com inflação perto da casa de dois dígitos dizer que no final recebe tudo de volta, sem perder nada é no mínimo achar que o investidor é um grande tolo. Conclusão: investimento muito bom… para incautos e adivinhas. Parabéns pelo artigo Leandro mas se tivesse que investir nisso acharia melhor comprar um título de capitalização, que nem investimento é.

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 18:47 - Reply

      Oi Rodrigo. Nos títulos de capitalização você só tem uma opção que é perder dinheiro. É 100% garantido. No COE você tem alguma chance de ganhar dinheiro. Com relação a fazer apostas, sempre que você faz investimentos de renda variável você está apostando em um cenário futuro que pode ser favorável. Se você compra dólar, ouro, ações, você está apostando na alta destes ativos. Na renda fixa, quando você investe em prefixados você também está apostando que aquela taxa prefixada será uma boa taxa até o vencimento diante dos riscos que envolvem a inflação e as variações da taxa Selic (são duas incertezas). No fundo estamos sempre apostando.

  54. Tom 4 de maio de 2016 at 15:53 - Reply

    Oi Leandro.

    Pergunto: você apostaria em quê? 🙂

    Abs

    Tom

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 18:51 - Reply

      Oi Tom. Se você apostar usando o meu palpite e perder dinheiro terá o conforto de poder colocar a culpa em outra pessoa. Por isso eu acredito que cada um deve seguir suas próprias convicções e arcar com as consequências. Como educador eu só faço uma recomendação de investimento: Invista na sua educação para que nunca dependa da opinião dos outros sobre onde investir o seu dinheiro.

      • Tom 5 de maio de 2016 at 15:22 - Reply

        Oi Leandro,

        não coloco culpa nos outros, apenas perguntei por curiosidade visto que não entendo muito de investimentos. Tenho lido artigos e informações a respeito para entender por onde começar e por onde não começar.

        Essa pergunta faz parte desse estudo, porque é muito difícil algum dono de livro ou site responder à perguntas de internautas ( ao menos sem querer vender alguma coisa ).

        Abs

        Tom

        • Leandro Ávila 5 de maio de 2016 at 15:59 - Reply

          Oi Tom. O pior caminho por onde começar é justamente perguntar sobre como os outros estão investindo acreditando que a resposta tem alguma utilidade para sua realidade. É o primeiro erro de todos que estão começando. Aqui no Clube dos Poupadores existem muitos artigos gratuitos sobre investimentos onde eu sempre tento ensina para que as pessoas possam fazer suas escolhas sem depender da opinião das outras pessoas (isso inclui a minha). Recomendo que leia esse artigo.

  55. Michael Stuart 4 de maio de 2016 at 18:19 - Reply

    Parabens Leandro pelo texto bem objetivo e completo.

    Faz dois anos que um banco aqui esta fazendo marketing para vender tais investimentos (confeccionados pelo proprio banco) e apos estudar sempre recusei. Conheço bem o meu perfil de risco, tenho uma carteira diversificada, e nao preciso tal provedor limitar os meus ganhos – nem tampouco possiveis perdas. Eu rebalanço periodicamente os investimentos, realizo ganhos e reinvesto nos mais desvalorizados. Assim, nao pago gestor por tal serviço, nem fico sujeito aos prazos arbitrarios impostos por ele. Abraço

    • Leandro Ávila 4 de maio de 2016 at 18:52 - Reply

      Oi Michael. Parabéns por estar preparado para gerenciar sua carteira de investimentos.

  56. Alexandre Porte 4 de maio de 2016 at 20:25 - Reply

    Para mim, o maior problema do COE, é não considerar a variação do período, como já li que ocorre no modelo asiático de COE. Da forma como apresentam para a gente, não adianta nada o dólar (no caso) dar uma grande subida e depois cair, pois só vale no resgate e 1 ano depois no Brasil é muito tempo. Pode ocorrer um cataclisma financeiro! Se a gente pudesse escolher o dia da saída, aí sim, seria uma aposta mais interessante.

    • Leandro Ávila 6 de maio de 2016 at 7:09 - Reply

      Oi Alexandre. Na verdade é uma característica do COE que estão oferecendo aqui. Vale a posição no dia do vencimento. Creio que os investimentos feitos pelos bancos (prefixados e derivativos) tenham data de vencimento também. Tem o lado ruim de tirar de você o poder de “desfazer” o investimento no momento que desejar, só que isso pode ser entendido como uma vantagem já que nem todas as pessoas saberiam o momento certo de deixar o investimento. Na prática as pessoas tendem a vender na baixa (já com grande prejuízo) no primeiro sinal de cataclismo financeiro que muitas vezes não é cataclismo, é apenas um pequeno movimento de correção.

  57. Estêvão 5 de maio de 2016 at 0:28 - Reply

    Fico cada vez mais impressionado com a clareza nas suas explicações, Leandro. Vejo que a forma que tem redigido está bem mais clara que nos artigos iniciais que li. Parabéns!
    Ainda sou iniciante no mercado financeiro e por isso tenho investido na minha educação para não depender da opinião de colegas. Esse ano pretendo consolidar o conhecimento em renda fixa, mas o COE me deixou curioso. Após essa leitura vou aprofundar!

    Obrigado e continue firme na sua missão! Tem mudado a vida de muitos!

    Abraço

  58. Thiago Augusto 5 de maio de 2016 at 18:30 - Reply

    Parabéns por mais uma contribuição de confiança as nossas vidas financeiras!
    Minha dúvida é: vou investir no COE devido a possibilidade de maior retorno, sabendo que há mais exposição e também o risco de não ter nenhuma rentabilidade. Neste sentido, seria preciso estudar ou ter acesso sobre o que o Banco?Corretora está fazendo com o capital investido? Me lembra RV, onde temos que estudar a Empresa para saber se vale a pena investir…
    Obrigado.

    • Leandro Ávila 6 de maio de 2016 at 7:12 - Reply

      Oi Thiago. Não importa muito o que o banco vai fazer com o dinheiro para rentabiliza-lo. Independente do que ele vai fazer, o que vale é a regra de como será sua rentabilidade descrita no documento que fala as características do COE, que na verdade é um investimento de renda fixa.

  59. Mario 5 de maio de 2016 at 18:50 - Reply

    Ótimo artigo e independente da análise de cada um, é mais uma opção de investimento disponível para nós. No fundo, além de explicar melhor o funcionamento do COE, demonstra que os bancos não fazem milagres e com muito estudo, cada um pode “criar o seu próprio COE” e apostar na sua própria estratégia. Não sou adepto a pagar para outros (limite no rendimento) o que eu mesmo com muito estudo posso fazer. Parabéns pela didática.

  60. roberto 6 de maio de 2016 at 22:10 - Reply

    Eu mesmo fiz meu coe : 10 % acoes, 90 % renda fixa. Com a vantagem de desmontar a hora que eu quizer.Por hora, eu particularmente ,nao vejo vantagem alguma nesse produto. De cara vc ta apostando os 15% a.a da renda fixa. Tem que avaliar isso ai….trocar 15 % garantido por quanto ?Minha corretora me ofereceu um coe que meu ganho é limitado a 22 % a.a , prefiro deixar na RF garantido a 15 %. Vou trocar 15 % certo , por 22 % duvidoso.

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2016 at 8:40 - Reply

      Oi Roberto. É possível estudar e criar seu próprio COE.

  61. roberto 6 de maio de 2016 at 22:12 - Reply

    Pra mim é igual jogar poker a mao tem que valer a pena. Ou seja vai apostar 15 pra tentar ganhar 7 (no caso especifico que minha corretora ofereceu).

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2016 at 8:39 - Reply

      Oi Roberto. Na verdade todo investimento é um tipo de aposta com riscos diferentes. O importante é que as pessoas tentem aprender a avaliar cada oportunidade.

  62. Amilton 7 de maio de 2016 at 22:14 - Reply

    Muito esclarecedor o estudo Leandro, mais uma opção para nós buscarmos alternativas de investimentos. Já havia assistido alguns videos e artigos sobre COE.

    Mais uma vez obrigado.
    Abraços.

  63. Ademir Silva 8 de maio de 2016 at 22:34 - Reply

    Leandro,
    A primeira vez que ouvi falar de COE foi recentemente através de uma oferta de minha corretora. A oferta do produto me deixou muitas dúvidas mas seu excelente artigo esclareceu tudo. Parabéns e obrigado.
    Minha pergunta é se terei que pagar alguma mensalidade à corretora por investir em um COE, lembrando que como investidor apenas do Tesouro Direto, graças aos ensinamentos obtidos no Clube dos Poupadores, só pago a taxa de 0,10 % . Obrigado

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2016 at 8:38 - Reply

      Oi Ademir, creio que não exista qualquer taxa como ocorre quando você investe em títulos privados como CDB, LCI e LCA.

  64. Fernando 9 de maio de 2016 at 16:13 - Reply

    Muito bom Leandro, esclarecedor. Os três COEs que olhei possuem o limitador de 20% de rendimento, com a Selic a 14,25%, a aposta é para ganhar 4 ou 5% ou perder 15 a 16%. Na minha opinião só vale a pena com a Selic bem menor.

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2016 at 8:37 - Reply

      Oi Fernando. Cada um deve fazer sua avaliação e comparar o COE com outras possibilidades.

  65. Aline 10 de maio de 2016 at 11:55 - Reply

    Bom dia, Leandro

    Tenho uma pergunta , nada a ver com o tema COE.

    Vc considera as atuais taxas do tesouro direto atrativas? E em que momento elas podem deixar de ser?

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2016 at 8:36 - Reply

      Oi Aline. Esse tipo de pergunta depende da capacidade de prever o futuro. Se nossa economia melhorar, inflação se estabilizar, o país voltar a crescer, a confiança voltar, as contas públicas se equilibrarem, o governo conseguir fazer as reformas necessárias e a credibilidade do país voltar é provável que as taxas de juros dos títulos públicos e dos investimentos de renda fixa comecem a cair. Já se a situação piorar elas vão continuar elevadas e podem subir mais. Infelizmente é praticamente impossível saber para qual rumo o país vai diante da crise política e mudanças que estamos vivendo agora.

  66. Isaque Santos 11 de maio de 2016 at 19:56 - Reply

    Excelente artigo, já faz um tempo que queria entender sobre esse investimento, muito obrigado por compartilhar o conhecimento.

  67. Alexandre 11 de maio de 2016 at 23:49 - Reply

    Parabéns. Mais um texto claro e de fácil compreensão. Todos que já li aqui para mim foram ótimos. Recebi ofertas de COE da minha corretora mas deixei passar a oportunidade para ocasião após a leitura desse seu estudo. Obrigado.

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2016 at 8:32 - Reply

      Oi Alexandre, é importante que você continua estudando para tomar boas decisões sobre qualquer investimento.

  68. Eduardo 14 de maio de 2016 at 19:48 - Reply

    Interessante isso. Duas dúvidas :
    – referente ao último dia útil à data de emissão do COE….
    Não entendi. Se invisto numa segunda, qual o último dia útil?
    – que dólar? O de compra no dia e o de venda no resgate, ou a média?
    – Off topic: há semanas não recebo as newleters. Canso de me cadastrar de novo
    e nada.
    🙂

    • Leandro Ávila 16 de maio de 2016 at 11:50 - Reply

      Oi Eduardo. O último dia útil neste exemplo seria sexta-feira. Provavelmente é o dólar de venda, mas não tenho certeza. Existem serviços de email como o UOL que possuem sistemas de proteção antispam que podem bloquear mensagem confundindo a mesma com propaganda, mesmo sendo apenas um informativo por e-mail.

      • Eduardo 17 de maio de 2016 at 14:03 - Reply

        Valeu.
        Não uso isso do UOL. Vou tentar outro.

  69. Lucas 17 de maio de 2016 at 15:37 - Reply

    Atualmente tenho procurado ficar informado sobre a equipe econômica escolhida pelo atual presidente e ver quais as primeiras medidas que serão tomadas.

  70. Felipe 19 de maio de 2016 at 14:58 - Reply

    Leandro, o trecho “debaixo dos panos” é fantástico. Parabéns pela coragem de revelar o truque do “almoço grátis” dos bancos. Ainda nessa sessão, tenho duas perguntas a lhe fazer cujas respostas podem ajudar também muitos leitores.
    1. Qual é o segredo dos bancos quando o COE não tem limite de ganhos ? Entendo que sem o limite eles não teriam como ganhar de acordo com a estratégia que você relatou.
    2. Como os COEs tem dia certo para vencer e contabilizar a valorização, os bancos poderiam se unir e conspirar todos para influenciar nos preços listados e favorecer seus lucros com um movimento de preços forjado por eles mesmos?
    Obrigado Leandro.

    • Leandro Ávila 21 de maio de 2016 at 23:32 - Reply

      Oi Felipe. Eu não conheço detalhadamente qual é a estratégia de cada banco. Não creio que faça sentido sua questão 2. Bancos não precisam fazer isso com COE para faturar bilhões a cada trimestre. Bancos lucram mesmo emprestando dinheiro para endividados. O Brasil tem os maiores juros do mundo no cheque especial e no cartão de crédito e um povo sem educação financeira que acha normal comprar tudo através de dívidas. A diferença entre os juros pagos para o investidor e os juros cobrados de quem precisa de dinheiro emprestado são os maiores do mundo. Dessa forma não precisa de conspiração, é bem mais simples.

  71. Felipe 19 de maio de 2016 at 15:02 - Reply

    Leandro, a resposta 1 estaria relacionada a alavancagem operacional ?

  72. Leo 20 de maio de 2016 at 20:55 - Reply

    Nao conhecia o COE, interessante. Isso demonstra como os captadores de dinheiro sao criativos.

  73. Marcelo 8 de junho de 2016 at 10:59 - Reply

    Leandro, COE é o título em que se fala tanto no filme A Grande Aposta? Parabéns pelo trabalho!

  74. Gabriel Valente Soares 9 de junho de 2016 at 16:15 - Reply

    Acabo de receber uma proposta de investimento em COE, de uma das corretoras onde tenho cadastro, apostando na QUEDA do dólar. Achei interessante. Obrigado pela aula, Leandro!

  75. Helcio 16 de junho de 2016 at 10:28 - Reply

    Isso me lembra quando a Bolsa tentou implantar os POP´s que eram operações estruturadas com opções. Mas acho que não deu certo. Às vezes fico pensando porque eu não faço exatamente o que faz um COE, ou seja, uma operação pré e um risco dos dez por cento ou cinco. Um dos motivos de estarem oferecendo isso aqui é justamente o grande ganho no pré, que compensa a possível perda no ativo de risco.

    • Leandro Ávila 27 de julho de 2016 at 10:50 - Reply

      Oi Helcio. Você mesmo pode fazer. O sistema financeiro sempre cria formas para cuidar do seu dinheiro. Por isso existem fundos de investimento, planos de previdência e agora o COE.

  76. Edson 9 de julho de 2016 at 15:22 - Reply

    Existe valor mínimo para aplicação ?

    • Leandro Ávila 27 de julho de 2016 at 10:50 - Reply

      Oi Edson, isso depende de cada COE. Cada emissor vai determinar esse valor.

  77. Guilherme 29 de julho de 2016 at 22:57 - Reply

    Olá Leandro, muito obrigado por mais essa explanação sobre o tema! Agora já me sinto mais embasado para verificar os e-mails promocionais da corretora. Parabéns pela dedicação de nos contribuir com excelentes publicacoes a respeito de finanças, muito obrigado.!

  78. Claudio 23 de setembro de 2016 at 16:26 - Reply

    Boa tarde Leandro,
    Muito obrigado pelo poste e pelos esclarecimentos.
    Simples e esclarecedor
    Incrível a sua dica final ” Resultado de suas ações”

  79. Giovanni 24 de setembro de 2016 at 20:29 - Reply

    Muito bom o artigo, bastante esclarecedor.

    Mas apenas uma dúvida: Por que as postagens no blog não possuem a data de publicação?

    Muito obrigado.

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:37 - Reply

      Oi Giovanni, as datas existiam até que uma atualização no sistema gerou um problema. Você pode ter uma ideia da data observando os comentários.

  80. Julia 15 de outubro de 2016 at 0:56 - Reply

    E aí Leandro!

    E esse COE da Haitong disponível até dia 18, arriscaria?

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:38 - Reply

      Oi Julia, eu não faço recomendação de investimento. O ideal é que você aprenda a fazer esse tipo de avaliação.

  81. Dilon 25 de outubro de 2016 at 19:29 - Reply

    Meus parabéns pelo seu trabalho. Acompanho a maioria de seus artigos. Atualmente estou investindo no Tesouro Direto e procurando aprender sobre outros investimentos. Gostaria de ler um artigo seu sobre investimento em ouro. Quem sabe uma hora você escreve…

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:40 - Reply

      Obrigado Dilon. Na minha opinião ouro é interessante se você acredita que existe o risco de uma catástrofe mundial que pudesse fazer as moedas do mundo perderem seu valor ou credibilidade. Tirando isso é apenas uma commoditie.

  82. Mayara 30 de novembro de 2016 at 8:48 - Reply

    Excelente artigo, de uma forma simples e esclarecedora! Muito obrigada por compartilhar!! Invisto em Tesouro Direto e procuro aprender sobre outros investimentos e quero arriscar um pouco mais. Obrigada mais uma vez!

  83. Fernando 12 de janeiro de 2017 at 8:24 - Reply

    Agora estão chamando para um COE emitido pelo Citibank para ações do Google, Facebook e Apple.
    R$5 mil de aporte mínimo. Resumo do prospecto da Rico:

    Descrição:

    Estratégia de 2 anos com 4 datas de observação semestrais. Em cada uma das 4 datas de observação (incluindo o vencimento), caso as 3 ações estejam iguais ou acima dos respectivos preços iniciais, o investidor recebe um cupom acumulado mais o capital investido, e o COE é encerrado antecipadamente. No vencimento, se a estrutura ainda não tiver sido encerrada e pelo menos uma das ações tenha apresentado queda, o investidor recebe o capital investido.
    Vídeo sobre a estrutura
    Datas de Observação e Cupons*:

    01/08/2017 : entre 8,5% a 9,5% no período
    01/02/2018 : entre 17% a 19% no período
    01/08/2018 : entre 25,5% a 28,5% no período
    01/02/2019 : entre 34% a 38% no período

    Penso que a tributação pode ser um problema, pois digamos que o ganho na primeira observação (6 meses após) seja pequeno, e ainda por cima vai incidir a alíquota máxima do I.R. No final, depois dessa trabalheira toda e tirando a inflação, capaz de ficar igual à poupança não?

    • Leandro Ávila 10 de março de 2017 at 7:46 - Reply

      Oi Fernando, pois é, as pessoas ainda devem verificar o impacto do imposto na rentabilidade.

  84. Letícia 8 de fevereiro de 2017 at 13:57 - Reply

    Texto excelente, Leandro.
    Esses dias minha corretora me ofereceu um COE de Ações Brasileiras (5 ações), mas eu ganho apenas se as 5 estiverem em alta no dia estabelecido.
    Ponderando com opções de renda fixa, fiquei na dúvida se isso compensava, pois creio ser meio difícil que as 5 ações estejam em alta no mesmo dia. Ainda que 4 ações tenham uma alta extraordinária, se apenas uma dela cair 0,1% eu fico sem nada…

    • Leandro Ávila 10 de março de 2017 at 7:45 - Reply

      Oi Letícia. Como você já deve ter percebido, é uma aposta.

  85. Renan 9 de março de 2017 at 23:30 - Reply

    Boa Noite

    Como Fica uma aplicação que voce tenha 4 datas de intervalo(lancamentos) onde 2 voce ganha e 2 voce perde no decorrer da aplicação. como fica essa aplicação no final.

    • Leandro Ávila 10 de março de 2017 at 7:44 - Reply

      Seria necessário ler detalhadamente as regras do COE para saber.

  86. João Paulo 20 de abril de 2017 at 23:27 - Reply

    Leandro, no caso de investimento com perdas ou valor nominal protegido, como ficaria a cobrança do Imposto de Renda? Ela simplesmente não existiria? Obrigado!

    • Leandro Ávila 21 de abril de 2017 at 11:00 - Reply

      Oi João. O imposto de renda sempre é cobrado sobre a renda, sobre o rendimento. Se o rendimento foi zero, você não deve nada de imposto.

  87. Amanda 26 de abril de 2017 at 13:53 - Reply

    Finalmente encontrei um texto bem explicativo sobre COE. Parabéns e obrigada!

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo