Como Investir em CDB


O CDB ou Certificado de Depósito Bancário é uma das formas utilizadas pelos bancos para captar dinheiro de pessoas físicas e jurídicas. Quando você investe em CDB, na prática, está emprestando dinheiro para o banco, que por sua vez, irá emprestar o dinheiro para quem estiver disposto a pagar juros maiores por ele.

A remuneração do banco por essa intermediação é a diferença entre o juro que ele paga para quem investe e o juro que ele cobra de quem faz dívidas.

Um CDB é um título de dívida privado que faz parte do grupo de investimentos que chamamos de Renda Fixa. Quando o banco precisa de dinheiro ele vende o CDB, LCI e LCA. Quando as empresas precisam de dinheiro elas vendem Debêntures (que também é um título privado de dívida). Quanto as financeiras precisam de dinheiro elas vendem Letras de Câmbio (LC). Já o governo, quando precisa de dinheiro, vende títulos públicos.

Os Certificados de Depósito Bancário (CDB) nada mais são do que promessas de pagamento futuro. Em uma data de vencimento você receberá o valor investido e os juros compostos entre a data da compra e do vencimento.

CDB é diferente da Caderneta de Poupança:

Para quem só sabe investir na Caderneta de Poupança, é importante observar que o CDB não funciona da mesma forma. Enquanto na poupança você faz aplicações ou deposita dinheiro na sua conta poupança, ao investir em CDB você estará comprando títulos. Se ainda estivéssemos no tempo do “papel” o CDB seria um papel à venda onde estaria escrito quanto ele valeria na data de vencimento (CDB prefixado) ou como o valor seria remunerado (CDB pós-fixado). Ter o CDB de um banco significa que você é credor do banco e este banco é seu devedor.

Tipos de CDB:

CDB prefixado: Neste tipo de CDB o banco oferece uma taxa de juros anual fixa. Os bancos convertem esta taxa de juros anual em uma taxa de juros diária equivalente. Eles consideram somente os dias úteis do ano (252 dias). Todos os dias úteis o valor que você investiu é reajustado. Isto significa que diariamente (nos dias úteis) são aplicados juros sobre juros (juros compostos). Como você compra o CDB prefixado sabendo qual será a taxa e juros anual, fica fácil saber (de forma aproximada) quanto você receberá no final do investimento utilizando simuladores de juros compostos como este aqui.

CDB pós-fixado: Neste tipo de CDB você não sabe qual será a rentabilidade final do seu investimento, pois ela vai depender das variações da taxa DI (CDI). Exemplo: Vamos imaginar que um determinado banco ofereceu para você um CDB pós-fixado que rende 95% do CDI. Ao visitar a primeira página do site da CETIP (que é responsável por calcular e divulgar a taxa DI do CDI) descobri que a taxa DI de hoje é 14,13%. Se o banco está me prometendo 95% do CDI devo fazer a conta 14,13 x 95% ou 14,13 x 0,95 para descobrir que a taxa oferecida é de 13,42% ao ano. O banco transformará esta taxa anual de 13,42% em uma taxa diária equivalente para reajustar o seu dinheiro diariamente. Se a Taxa DI sofrer alguma variação, a rentabilidade diária do seu CDB pós-fixado sofrerá a mesma variação. Por este motivo não é possível saber qual será a rentabilidade final no momento da compra do CDB pós-fixado, já que não é possível prever qual será a taxa DI no futuro.

Quando o Banco Central, através das reuniões do COPOM, aumentam ou diminuem a Taxa Selic, a taxa DI acompanha o movimento (para cima ou para baixo). No momento em que escrevo este artigo a Taxa Selic Diária é de 14,15%. Você pode saber qual é a Taxa Selic Diária através deste endereço aqui. A taxa DI é de 14,13%. Se nos próximos meses a Taxa Selic Diária subir ou cair, a Taxa DI tenderá a seguir esse movimento e a rentabilidade de todo CDB pós-fixado que rende um percentual do CDI será alterada no dia seguinte.

Desta forma, ao investir em um CDB pós-fixado, você só saberá quanto seu dinheiro renderá na data de vencimento. Hoje, 95% do CDI é 13,42, nas próximas reuniões do COPOM (que ocorrem a cada 45 dias) a taxa poderá ser outra e 95% do CDI será equivalente a outra taxa.

Simulações do passado com CDB Pós-fixado:

Você pode fazer uma simulação utilizando datas passadas através da página http://www.cetip.com.br/Paginas/AcumuleDI.aspx. Informe a data inicial 01/01/2014 e a data final 01/01/2015. Digite o percentual do CDI em 95%. Com isto você vai simular a rentabilidade bruta que teria se tivesse feito um investimento em 01/01/2014 com vencimento em 01/01/2015. Exemplo dos campos preenchidos com estes dados:

O resultado seria:

O resultado seria uma rentabilidade bruta de 10,25% que equivale a 95% do que a taxa DI variou entre 01/01/2014 e 01/01/2015. Para descobrir a rentabilidade líquida é necessário descontar o IR (imposto de renda) sobre o rendimento. Observe que este serviço só permite descobrir a rentabilidade passada. A rentabilidade futura é impossível de prever em um CDB pós-fixado. Os juros no futuro dependem de acontecimentos políticos e econômicos futuros e da política monetária do governo. A vantagem de fazer este tipo de simulação é poder comparar quanto você teria hoje se tivesse investido em CDB pós-fixado no lugar de ter investido em outra aplicação feita por você no mesmo período.

CDB indexado pelo IPCA: Existem alguns bancos oferecendo CDB que pagam uma taxa fixa de juros sobre o valor que você investiu corrigido pelo IPCA (índice que mede a inflação oficial). Exemplo: CDB que rende IPCA + 5% de juros ao ano. Neste exemplo você receberia a variação da inflação entre a compra do CDB e o seu vencimento acrecido de uma taxa de juros de 5% ao ano. São poucos os bancos que oferecem esta modalidade de CDB. É uma boa opção quando você deseja garantir uma rentabilidade real (acima da inflação). Os investidores buscam este tipo de CDB quando acreditam na alta da inflação entre a compra e o vencimento do CDB.

Infelizmente, o governo tem sido irresponsável com o controle da inflação e com o controle dos gastos públicos (que geram a inflação). O gráfico abaixo mostra uma tendência de alta do IPCA desde 2006. Outra modalidade de investimento que oferece IPCA + Juros é o título Público Tesouro IPCA+, veja como investir nele.

Como escolher entre CDB pre e CDB pós?

Se você acredita que os juros básicos da economia (taxa Selic) irá subir entre a compra e o vencimento do CDB, deve ter percebido que o CDB pós-fixado será mais vantajoso, já que a taxa DI vai acompanhar a alta da taxa Selic. Em governos onde o Banco Central não sofre interferências políticas, a Taxa Selic tende a subir para controlar a inflação (que é o maior inimigo da economia). Durante um ciclo de alta dos juros os investidores tendem a buscar investimentos pós-fixados.

Se você acredita que o Banco Central irá iniciar um ciclo de queda da taxa Selic, isto significa que um título CDB prefixado se tornará mais vantajoso, já que os juros deste CDB são fixos, ou seja, enquanto os juros do CDB pós-fixado estiverem em queda acompanhando a queda da taxa Selic, o seu CDB prefixado estará com a taxa elevada “congelada” até o vencimento. Por isto é importante entender a política monetária do governo.

Vale lembrar que em todos os casos a inflação elevada sempre é um risco para qualquer tipo de investimento, principalmente os que possuem juros prefixados.

Histórico da Taxa DI

Para conhecer a variação da Taxa DI você pode baixar um histórico na página. Você pode usar o formulário para gerar o relatório com os históricos e pode baixar isto em forma de planilha Excel. Baixei a taxa DI média e a Taxa Selic e criei o gráfico abaixo para mostrar que a diferença entre a Taxa DI e a Taxa Selic é muito pequena, mas sofre muitas variações no decorrer do tempo. Hoje a taxa DI é de 14,13% e a Taxa Selic Diária é 14,15% e a diferença entre as duas é de 0,02%.

Imposto de Renda e IOF

Para tornar o investimento em CDB pouco vantajoso em prazos menores que 30 dias o governo cobra o imposto IOF. Este imposto é regressivo, ou seja, quanto menor o prazo maior é o imposto. Veja na tabela abaixo.

Observe que se você investir em CDB por menos de 15 dias o governo ficará com 50% dos juros recebidos. Se o investimento for feito por 30 dias ou mais a alíquota será zero, ou seja, não será cobrado IOF. Desta forma, não faz muito sentido investir em CDB por menos de 30 dias.

O outro imposto cobrado é o Imposto de Renda sobre os juros recebidos. Também existe uma tabela com impostos maiores para prazos menores.

Veja que um CDB com vencimento menor que 360 dias (quase 1 ano) tem IR sobre os juros de 20%. Significa que o governo ficará com 20% dos juros que você receberá. Já se a data de vencimento do CDB for maior que 720 dias (quase 2 anos) a alíquota será de 15%. Desta forma, tende a ser mais vantajoso o investimento em CDBs com vencimentos acima de 2 anos, quando você poderá pagar a menor alíquota que é de 15% sobre os juros recebidos no período.

Você não precisa se preocupar com nenhuma burocracia para o pagamento desses impostos. O próprio banco desconta o imposto do rendimento antes de depositar o dinheiro na sua conta.

Como calcular a rentabilidade líquida:

Criei uma planilha que ajuda a descobrir qual será a rentabilidade líquida do CDB pós-fixado. Para baixar a planilha visite aqui.

Ao descobrir a rentabilidade do CDB sem os impostos (que chamamos de rentabilidade líquida) você poderá comparar o CDB com títulos privados que são isentos de imposto de renda como o LCI e LCA.

Nos próximos dias vou publicar uma planilha para ajudar no cálculo da rentabilidade líquida do CDB prefixado. Para quem gosta de estudar a matemática por trás do CDB pós e prefixado recomendo a leitura desse documento técnico.

Riscos de Calote:

O risco de calote de um CDB é exatamente o mesmo risco de calote de uma aplicação feita em Caderneta de Poupança. No caso da falência do banco existe um “seguro” oferecido pelo Fundo Garantidor de Créditos que devolve até R$ 250 mil por investidor, por instituição financeira. Desta forma, é importante não manter mais do que R$ 250 mil investido em bancos, principalmente em bancos de menor porte que oferecem taxas de juros maiores. Para entender como funciona o FGC visite aqui. Para saber sobre investimento em bancos menores visite aqui

Onde encontrar CDB que paga as maiores taxas:

Já escrevi dois artigos que oferecem ferramentas para que você possa localizar as corretoras e os bancos que estão oferecendo as maiores taxas de juros em CDB pós-fixado e CDB prefixado. O primeiro artigo é para consultar esse ranking dos melhores investimentos no seu computador.  O segundo artigo é sobre a consulta no seu smartphone.

Investimento através das corretoras:

Veremos agora que os grandes bancos, onde você possui conta, oferecem taxas no CDB muito baixas quando comparamos com as taxas praticadas por bancos menores. No Brasil, o setor bancário é muito concentrado e isto não é bom para os investidores. Com recente aquisição do HSBC pelo Bradesco, apenas 5 instituições financeiras do país (Banco do Brasil, Itaú-Unibanco, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Santander) passaram a deter mais de 80% dos ativos no sistema bancário. Em 1995 os maiores bancos concentravam 60%. (fonte)

Por falta de concorrência, os grandes bancos oferecem taxas de juros pequenas para seus clientes. Eles sabem que as pessoas não costumam trocar de banco com facilidade. Por isto, não é vantajoso para eles oferecer CDB, LCI e LCA com boa rentabilidade. Isto prejudicaria outras modalidades de investimento que são mais lucrativas para os bancos grandes, como: planos de previdência privada, fundos de investimento e até títulos de capitalização. Nestas modalidades os bancos cobram taxas para administrar o dinheiro das pessoas. Estas taxas costumam ser muito elevadas para os pequenos investidores (prejudicando a rentabilidade). Somente clientes de alta renda possuem acesso aos investimentos com rentabilidades maiores nos grandes bancos.

Os bancos menores dependem da venda de títulos privados como CDB, LCI e LCA. É assim que eles conseguem os recursos que emprestam através de linhas de crédito e financiamento. As taxas maiores servem para atrair os investidores mais conservadores. Ainda existe muito receio e preconceito contra os investimentos em bancos de menor porte, mesmo com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos. É resultado da falta de educação sobre investimentos que afeta a maioria da população.

A tabela abaixo mostra quanto os bancos médios estão pagando de juros anuais para um CDB prefixado, no dia em que este artigo foi escrito. Observe que era possível encontrar CDBs com taxas de até 18,6% ao ano enquanto a poupança está pagando pouco mais de 7% ao ano e o Tesouro Prefixado (LTN) está pagando 15,82%. Para saber como acessar essa tabela visite aqui.

Para investir em bancos menores existem duas opções:

  1. Abrir uma conta em cada banco pequeno para poder investir.
  2. Abrir conta em uma corretora que ofereça CDB, LCI e LCA de diversos bancos

Eu optei por abrir contas em corretoras que oferecem os títulos privados de diversos bancos. Com isto evito abrir conta em diversos bancos. Se ter conta em bancos grandes, na minha opinião, já é uma fonte de chateações, imagine ter várias contas em vários bancos pequenos.

Veja uma foto da tela da corretora Easynvest onde CDB de vários bancos são oferecidos.

Banco emissor é o nome do banco que está emitindo o CDB. A corretora funciona apenas como uma intermediária. As corretoras que trabalham com a CETIP registram as compra na entidade que funciona como um “cartório”. Vou falar sobre isso mais na frente. Quando você compra um título privado, a corretora costuma enviar um email 1 ou 2 dias úteis depois com a “Nota de Negociação”. Funciona como comprovante de que executaram sua ordem de compra. Segue um exemplo de nota de negociação da corretora XP Investimentos.

Vamos voltar e observar a lista de CDBs oferecidos pela corretora Easynvest (figura anterior). Observe que os bancos são classificados com notas de risco (Ratings). Estas notas são atualizadas regularmente por agências de classificação de risco. Quanto menor é a nota do banco, mais arriscado é emprestar dinheiro para o mesmo. Quanto mais arriscado, maior deve ser a taxa de juros oferecida por ele para compensar o risco. Já escrevi um artigo para que você entenda como funciona essa classificação de risco.

Observe que títulos privados (CDB, LCI, LCA, debêntures, etc) sempre devem oferecer taxa de juros maiores que os títulos públicos, já que os títulos privados sempre são mais arriscados (risco de inadimplência) que os títulos públicos. Veja o motivo.

Os CDBs que aparecem com “no vcto” no campo “liquidez” só poderão ser resgatados (dinheiro no seu bolso) depois do número de dias úteis decorridos que aparece no campo “Prazo (d. corridos)”. Na minha opinião a corretora deveria listar a data do vencimento e não apenas os dias corridos entre a compra e o vencimento.

Segue uma foto de como é a tabela com a lista de títulos CDB oferecidos através da corretora XP investimentos.

O procedimento de compra é bem simples nas duas corretoras é bem simples. No exemplo da corretora XP basta escolher o CDB e clicar no botão “Aplicar”. Uma tela será aberta para você informar a quantidade de CDBs e digitar sua senha. Para escolher um CDB, você deve verificar se o vencimento do CDB é compatível com suas necessidades e objetivos.

É evidente que se você pretende utilizar o dinheiro em 2017 não pode investir em um CDB com vencimento em 2018. É muito importante que você já tenha uma reserva para emergências (leia o artigo) antes de investir em CDB ou qualquer modalidade de investimento com data de vencimento. É importante observar que a menor alíquota do imposto de renda sobre os rendimentos ocorre quando você fica com o dinheiro investido por no mínimo 2 anos.

Você vai observar que os bancos com nota de risco maiores (mais seguros) tendem a oferecer rentabilidades menores que os bancos com notas de risco baixas (mais arriscados). Os investidores sempre estão verificando a relação entre o risco e o retorno oferecido.

Veja o exemplo do CDB do banco BNP PARIBAS que tem nota de risco AAA (a maior que existe) dada pela agência S&P. Na tabela acima eles oferecem 97% do CDI para um investimento de no mínimo de R$ 50 mil (50 CDBs onde cada um custa R$ 1.000,00). Já o banco BMG que tem nota BBB- (9 posições abaixo da nota máxima que é AAA) oferece 105% do CDI onde o investimento mínimo também é de R$ 50 mil. A tabela abaixo mostra o gabarito de notas da S&P e de outras duas agências. As notas que estão do lado da linha amarela são as notas dentro do grupo de grau de investimento. As demais notas estão dentro do grupo de grau especulativo. Observe que a nota BBB- significa que o banco está perto de perder o grau de investimento (que não é um bom sinal para o investidor que busca a maior rentabilidade com a maior segurança).

Será que essa diferença entre 105% do CDI e 97% do CDI compensa o risco? Com a taxa DI em 14,13% ao ano sabemos que o banco mais arriscado estava oferecendo 14,85% (14,13 x 105%) ao ano e o banco menos arriscado oferecia 13,70% (14,13 x 97%) ao ano. Temos uma diferença de 1,15% ao ano para correr 9 vezes mais risco de precisar recorrer ao Fundo Garantidor de Créditos em caso de falência do banco mais arriscado. Para entender melhor leia este artigo.

Nunca é bom colocar todos os seus ovos na mesma cesta. Se você pretende aproveitar as elevadas taxas de juros oferecidas pelos bancos médios, divida seu investimento em vários bancos médios através da sua corretora. Evite concentrar todo seu investimento em um único banco médio.

Registro na CETIP

Verifique se a corretora onde você pretende abrir conta registra os seus títulos na CETIP (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos). Isso pode ser feito através da página https://www.cetip.com.br/cetipcertifica. Isto torna o processo mais seguro. O seu CDB fica vinculado ao seu CPF em uma entidade fora da corretora (que é a CETIP). A figura abaixo mostra um exemplo de extrato mensal emitido no site da corretora XP. Toda corretora que participa do “Cetip Certifica” deve oferecer acesso a este relatório mensalmente.


 

Corretora para investir em CDB

Escrevi um artigo que ensina como escolher uma corretora.

Conclusão:

Para terminar é importante lembrar que este artigo não é uma recomendação de investimento em CDB, muito menos uma recomendação de bancos ou de corretoras. Meu objetivo é motivar você a estudar mais sobre as diversas possibilidades disponíveis para qualquer pessoa física. Infelizmente as pessoas perdem muito dinheiro deixando grandes quantias paradas na conta corrente ou rendendo pouco Caderneta de Poupança (perdendo para a inflação).

Isso ocorre por uma mistura de falta de informação, falta de motivação e comodismo. Tudo isso junto resulta em dinheiro perdido todos os meses, um custo mensal que as pessoas não percebem, mas que equivale a uma tarifa pela ignorância.

Você pode aprofundar seus conhecimentos através de artigos gratuitos que já publiquei aqui nos Clube dos Poupadores. Para acelerar seu aprendizado (tempo é dinheiro) invista em livros ou em cursos. Aqui nesta página eu recomendo alguns que já fiz ou que participei da produção (clique aqui).

By |20/10/2015|Categories: Investimentos|159 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

159 Comments

  1. cristiano turra 20 de outubro de 2015 at 16:37 - Reply

    Perfeito,lúcido e sucinto!Como sempre!

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 17:37 - Reply

      Obrigado Cristiano

      • Rodrigo 21 de outubro de 2015 at 11:56 - Reply

        Boa tarde!
        Em primeiro lugar gostaria de parabeniza-lo pelo excelente trabalho desenvolvido para todos nós!
        Tenho investido há alguns meses em renda fixa e tenho uma dúvida em comparar uma aplicação indexada ao CDI e ao IPCA.
        A minha dúvida é como saber qual renderia mais na hora que estou escolhendo na plataforma da corretora!
        Existiria uma planilha que eu pudesse comparar um CDB atrelado ao CDI ou a IPCA+juros?
        Grande abraço!

        • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 13:44 - Reply

          Oi Rodrigo. Não é possível saber qual irá render mais antes de investir. Você só terá a certeza se fez uma escolha boa ou ruim no vencimento. O IPCA é definido todos os meses pelo IBGE. Não tem como saber qual será a inflação nos meses futuros. Já a taxa DI é calculada diariamente pela CETIP e sofre grande variação quando ocorre a reunião do COPOM a cada 45 dias e eles resolvem mudar a Taxa Selic. Você sempre estará fazendo uma aposta sobre o futuro quando toma uma decisão de investimento. No caso do investimento em CDB, LCI ou LCA que seguem a taxa DI, você está apostando que os juros vão continuar subindo entre a compra e o vencimento, ou então, você escolhe manter o investimento seguindo a taxa DI por apostar que o governo irá sempre manter a taxa Selic acima da inflação. Quando você escolhe um título que rende IPCA + Juros, você aposta que a melhor opção é garantir uma taxa de juros fixa acima da inflação, não importando se a inflação irá subir ou cair. Quando você faz a escolha, também está apostando que os juros fixos oferecidos com este IPCA está no seu maior patamar antes de um ciclo de queda dos juros. Já quanto você compra um título privado ou público com juros prefixados, você está apostando que a inflação não irá subir e os juros não irão subir entre a compra e o vencimento do título.

          • Elisangela 8 de agosto de 2017 at 17:43

            por isso temos que diversificar não tem como adivinhar o futuro…

          • Elisangela 8 de agosto de 2017 at 17:44

            Artigo completo sobre os CDBs. Parabéns!

  2. Lara 20 de outubro de 2015 at 16:55 - Reply

    #super-didático. Professor Leandro, você é “o cara”.

  3. Caio Menezes 20 de outubro de 2015 at 17:15 - Reply

    Leandro, sou novo aqui, mas só tenho uma coisa a dizer: Seu site é sensacional!! Estou começando a investir meu capital, então tenho pouquíssimo conhecimento, mas já estava estudando sobre renda fixa, e ontem e hoje estava pesquisando lendo assiduamente sobre CDB, e por ironia do destino, você publicou este artigo (claro e objetivo), justamente agora – poucas horas depois de eu ter assinado a newsletter.

    Obrigado, me ajudou muito, não só deu um norte como tirou muitas dúvidas, porém tenho algumas outras, posso postar aqui? Abs.

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 17:38 - Reply

      Oi Caio, sim. O lugar ideal para colocar dúvidas é aqui. A sua dúvida pode ser a dúvida de outras pessoas.

      • Caio Menezes 20 de outubro de 2015 at 20:59 - Reply

        Uma das modalidades que pretendo investir, é CDB com liquidez diária, para caso precise sacar o valor antes do prazo. Então eu entrei em contato com o banco Daycoval, e eles me responderam que tinham um CDB com a seguinte característica:

        1) “CDB PÓS FIXADO – PRAZOS XXX DIAS – TAXAS XXX %”
        2) “CDB PRÉ FIXADO – PRAZOS XXX DIAS – TAXAS XXX %”
        3) “CDB PÓS FIXADO – LIQUIDEZ DIÁRIA, PRAZO – 721 à 1080 dias, TAXA – CDI – 100%”.

        O item 3 significa que a liquidez é diária, mas mesmo assim só poderei sacar com no mínimo 721 dias?

        Nas corretoras (como XP e Easy), em rendas fixas, aqueles que possuírem Liquidez D+1, posso resgatar o montante a qualquer momento?

        • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 21:14 - Reply

          Oi Caio, provavelmente a liquidez será diária depois de uma data de carência. O CDB que aparece na tabela com liquidez D+1 significa que você pode resgatar o que investiu e receberá o dinheiro um dia depois da solicitação. Seria necessário entrar em contato com a corretora para saber mais detalhes.

  4. Joanatan 20 de outubro de 2015 at 17:17 - Reply

    Muito bom o artigo Leandro.estou aprendendo muito no clube dos poupadores,Obrigado.

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 17:38 - Reply

      Obrigado Joanatan, parabéns por estar dedicando seu tempo estudando.

  5. Matheus Cavalheiro 20 de outubro de 2015 at 17:21 - Reply

    Leandro, ótimo artigo. Entretanto, deu a entender que não é possível sacar o dinheiro (isto é, vender parte do montante) antes do “vencimento”. Imaginando o CDB pós, onde há juros diários, uma vez aplicado R$1000 em um CDB, posso tirar parte do dinheiro o dia que desejar, correto? Obviamente, arcando com IR conforme tabela.

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 17:41 - Reply

      Oi Matheus, existem bancos que oferecem liquidez diária, mas existem bancos que não oferecem essa liquidez, você é obrigado a esperar o vencimento. Isso precisa ser verificado antes de investir.

  6. Allan 20 de outubro de 2015 at 17:39 - Reply

    O artigo é excelente, parabéns. Mas há um erro de digitação (acho eu) no cálculo do CDB-DI, lá no início. Ao invés de “13,13 x 95% ou 13,13 x 0,95”, não seria “14,13 x 95% ou 14,13 x 0,95”?

  7. Eduardo 20 de outubro de 2015 at 17:59 - Reply

    Parabéns mais uma vez nota 10/10.
    Já estou seguindo o seu clube depois de + um ano e realmente me serve de base para as minhas finances, mudei meu modo de investir, leio e analiso e siceramente hoje já consegui ganhar muito mais.
    Mais uma vez parabéns.

  8. junior 20 de outubro de 2015 at 18:01 - Reply

    Olá Leandro. Qual seria a diferença de CDB, RDB e LC? Vejo pela minha corretora que todos são muito parecidos (todos possuem FGC, IR, etc…) inclusive nos rendimentos. Seriam os lastros que os diferem? Parabéns mais uma vez!!!

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 20:35 - Reply

      Oi Junior. RDB significa Recibos de Depósitos Bancários. Parece muito com o CDB com uma grande diferença. Enquanto no CDB existem bancos que permitem resgatar o dinheiro antes do vencimento, no RDB esse resgate não é possível. Você realmente precisa esperar até o vencimento para receber o dinheiro de volta com os juros. Já as Letras de Câmbio funcionam como o CDB das financeiras. Estas financeiras são as empresas que trabalham com crédito consignado e crédito pessoal. As três são protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito.

  9. Alexandre 20 de outubro de 2015 at 18:08 - Reply

    Parabéns Leandro , seus posts são excelentes , aprendo muito com o seu site.
    Obrigado.

  10. Reynaldo Hygino 20 de outubro de 2015 at 18:09 - Reply

    Tenho cdbs em um único banco com aplicações em 99% do cdb. As que venceram a pouco tempo esse banco só está me pagando 97% do cdb. Outras que estão por vencer já me foi sinalizado que esse percentual é o máximo que vão me pagar. Sei que por corretoras dá para aumentar a faixa de rendimento mas não tenho conhecimento de uma boa corretora e nem como proceder para aplicar por intermédio da mesma. Sou de Santos-SP e gostaria de informações como poder aplicar com segurança através de alguma corretora. Obrigado. Abraços.

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 20:36 - Reply

      Oi Reynaldo, você não precisa (e nem deve) procurar corretoras pequenas da sua cidade. Eu recomendo pesquisar as grandes corretoras, elas costumam ficar em São Paulo ou no Rio de Janeiro e destas cidades atendem clientes de todo Brasil pela internet.

  11. Ricardo 20 de outubro de 2015 at 18:23 - Reply

    Parabéns! Sempre muito esclarecedor e didático!

  12. Moadyr Junior 20 de outubro de 2015 at 18:31 - Reply

    Parabéns Leandro.
    Sua didática é excepcional. Gosto muito dos seus artigos.
    Obrigado por compartilhar e me ajudar com seus conhecimentos.
    Um abraço

  13. Luiz Roberto 20 de outubro de 2015 at 19:10 - Reply

    Leandro. Simplesmente sensacional. Nunca vi um artigo tão completo sobre CDB e assuntos correlatos. Muito bem escrito e didático. Parabéns.

  14. Denny Torres 20 de outubro de 2015 at 19:17 - Reply

    Olá Leandro. Primeiramente Parabéns pelo blog.

    Gostaria de deixar uma dica. Descobri que o “CDB compromissada ” do banco itau possui isenção de iof nos 30 primeiros dias. Possui carência de dois dias úteis. Sem taxa de transferência.

    Para prazos pequenos deixo meu dinheiro lá pois mesmo sendo pouco não fica parado.

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 20:50 - Reply

      Oi Denny. Compromissadas é uma coisa diferente de CDB. Existem faixas de rentabilidade. Exemplo: Se você ficar com a compromissada por 181 dias eles pagam 94% do CDI. Se você ficar 1 ano pagam 95%, se ficar 2 anos pagam 98%, se ficar 3 anos pagam 100% do CDI e assim por diante e a partir disso é um pouco mais do CDI até no máximo 5 anos. Eu chutei essas taxas. Na verdade eles oferecem taxas diferentes para cada cliente, por isso eles não divulgam as taxas publicamente. Realmente o IOF é zero. Você pode usar compromissadas como uma reserva de emergência, devido a essa grande liquidez. Até 2012 as compromissadas não eram protegidas pelo FGC. Tenho a impressão que o Itaú não oferece compromissadas para todos os clientes, somente para os clientes do Personnalité.

      • Denny Torres 22 de outubro de 2015 at 10:20 - Reply

        Realmente Leandro, a Compromissada do banco itau não conta com a garantia do FGC (acabei de checar https://www.itau.com.br/empresas/investimentos/cdb-compromissada/compromissada-di/).

        A conta que eu tenho lá (abri recentemente) é a conta digital (Iconta) a que não paga nenhuma tarifa na condição de que todas as suas transações sejam feitas eletronicamente.

        Obrigado pela explicação.

        • Leandro Ávila 22 de outubro de 2015 at 11:06 - Reply

          Oi Denny. Não possui garantia do FGC, provavelmente pelo fato dessas compromissadas não serem lastreadas em debêntures, pois neste caso seriam protegidas pelo FGC.

  15. Ruan Belém 20 de outubro de 2015 at 19:27 - Reply

    Olá Leandro. Eu estava pensando em escrever sobre CDB, mas acho que agora só preciso colocar um link para esse artigo. Sua página é uma referência para mim sobre como abordar temas com um nível impressionante de detalhes.
    Espero que o Pouco a Pouco chegue um dia neste nível de qualidade e profundidade no conteúdo e que possamos escrever algo juntos.
    Parabéns pelo artigo.

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2015 at 20:53 - Reply

      Oi Ruan, eu já percebi que tem um monte de gente criando blogs sobre educação financeira e investimentos. A minha dica para quem está começando é não fazer mais do mesmo. Se for para escrever tem que aprofundar o assunto. Todo mundo sai ganhando.

  16. Gilson 20 de outubro de 2015 at 19:53 - Reply

    Olá, Leandro.
    Mais uma aula sobre produto de investimento, extremamente, didática. Tenho aprendido muito, obrigado por sua disposição e paciência.

    Abraço.

  17. Tiago 20 de outubro de 2015 at 21:43 - Reply

    Aprendo muito investindo meu tempo em suas publicações. Obrigado, tirei várias dúvidas que tinha em investimento no CDB.

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 0:57 - Reply

      Oi Tiago, não existe investimento melhor para o seu tempo do que investir em conhecimento. Parabéns.

  18. Izalton Júnior 20 de outubro de 2015 at 21:45 - Reply

    Boa noite Leandro, fico muito feliz quando chega um email do “clubedospoupadires” na minha caixa de correio, parabéns pelo blog e por suas horas, dias e anos dedicados a educação financeira de milhares de pessoas. Comecei acessar teu blog entre outros a poucos meses, li alguns livros super indicados por diversas pessoas que se preocupa com a educação financeira das pessoas, sem falar nos e-books comprados e cursos inscrito, já dei meu pontapé inicial e já comecei a poupar e humildemente a investir junta a corretora e também a manter minha reserva de emergência num banco tradicional que tenho conta, porém essa reserva não mais está na poupança sim num LCI, tudo graças a um amigo que me alertou sobre a educação financeira e também a ti que aos poucos nos alerta e indica bons artigos e assuntos sempre incentivando a busca pelo conhecimento e a multiplicação referente a esse tema de suma importância para a vida das pessoas, poia estão diretamente ligado ao futuro “aposentadorias” das pessoas. Boa noite, obrigado e continue disseminando informações de alta qualidade sempre.

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 0:56 - Reply

      Oi Izalton, parabéns por ter investido em você, poder ter dedicado tempo aprendendo mais. O país seria melhor se todos fizerem a mesma coisa.

  19. Fernando 20 de outubro de 2015 at 22:15 - Reply

    Leandro,boa noite!

    Excelente artigo.
    Estou com uma dúvida,olhando nos CDB´S disponíveis na Easynvest,notei que tem três bancos que não tem classificação de risco (rating),como saber se podemos confiar?e são os bancos que estão pagando as taxas melhores.

  20. Bruno 20 de outubro de 2015 at 22:50 - Reply

    Leandro, parabéns pelo seu trabalho!
    Sigo o seu site há um certo tempo e acho seus artigos muito esclarecedores.
    Vc (Leandro) investiria naquele CDB do banco lusobrasileiro oferecido pela Easynvest??Arriscaria??
    Outra pergunta? Pq alí especificamente não aparece a nota de risco??
    Obrigado!!

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 0:53 - Reply

      Olá Bruno. Se você procurar no Google por “Banco Luso Brasileiro MFP” vai ver notícias de 2013 que vão de desestimular a investir em produtos desse banco.

      • Cristiane 21 de outubro de 2015 at 10:50 - Reply

        Essa dica foi muito importante. Em seu artigo investir em Bancos Pequenos publicado em fevereiro/15 tem uma tabela e lá o Banco Pine estava com classificação AA pela S&P e logo em seguida, em abril de 2015 a Moody´s rebaixou para Ba3, grau especulativo, então a procura de notícias atualizadas é muito recomendada.
        Obrigada Leandro

        • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 11:03 - Reply

          Olá Cristiane, é importante pesquisas, esses rebaixamentos ou a alta da nota pode acontecer a qualquer momento.

          • Flávio 22 de outubro de 2015 at 7:55

            Lembrando que foi essa mesma agência (S&P) que acabou de ser multada pelo governo americano por causa de ilegalidades na crise de 2008.

            http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/09/agencia-que-rebaixou-brasil-levou-multa-bilionaria-em-fevereiro.html

            Eu não levo as notas dessas agências em questão, olho o balanço do banco, se está bom para mim eu invisto e não está bom não invisto.

            Abraços

          • Leandro Ávila 22 de outubro de 2015 at 11:14

            Oi Flávio. Estas notas as agências são apenas opiniões técnicas de empresas privadas. Ninguém é obrigado a considerar a opinião dos outros quando toma decisões sobre o próprio dinheiro. Grandes investidores, além de terem competência técnica para avaliar o balanço das empresas por conta própria, também levam em consideração as notas das agências, pois sabem que muitos outros investidores levam a opinião delas a sério, muitas vezes, até são obrigados a fazer isto, como é o caso dos fundos de investimento e fundos de pensão.

          • Flávio 22 de outubro de 2015 at 12:34

            Leandro,

            Eu sei que eles tem super economistas e analistas mas não consigo acreditar em uma empresa que alterou valores e resultados na maior potência do mundo….imagina aqui no Huesil.

            Veja na matéria que até o Nobel de economia não dá nenhuma credibilidade a agência mas enfim, como diz meu sogro, cada qua com seu piqua, ou seja, cada um faz o que bem entender com o seu próprio dinheiro.

          • Leandro Ávila 23 de outubro de 2015 at 9:17

            Oi Flávio. Como falei, pouco importa para nós, pequenos investidores, se damos ou não damos credibilidade para as 3 maiores agências, caso os grandes investidores estejam dispostos a dar. Veja o que está acontecendo agora com o grau de investimento brasileiro. Se o país perder o grau de investimento em 2 ou mais agências que você não dá credibilidade, grandes fundos de pensão e de investimento do mundo irão iniciar um movimento de retirada do país. A grande verdade é que esse movimento já vem acontecendo. Os juros da nossa economia já estão elevados, a nossa moeda desvalorizada, a bolsa em queda por consequência do risco de perder o grau de investimento que representa queda da credibilidade do país. Isso impacta a vida financeira de todas as pessoas, incluindo aquelas que não dão nenhuma credibilidade a estas agências de classificação de risco. Por isso, pouco importa a nossa opinião sobre elas. O que importa é o impacto que a opinião delas acaba gerando na economia.

  21. Rodolfo M. 20 de outubro de 2015 at 23:22 - Reply

    Leandro tudo bem, gostaria de tirar uma duvida. Quando entrei hoje no site da easyinvest, não consegui investir um dinheiro que transferi, sendo que apareceu na tela pedindo para atualizar a S.F.P – situaçaõ financeira juntoou para a C.V.M, pergunto porque. Já que o dinheiro veio de uma poupança de anos que tenho.
    Lembrando que já tenho investimentos como TD e CDB.

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 0:52 - Reply

      Olá Rodolfo. A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) que é uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda obriga corretoras e bancos a aplicarem questionários nos investidores para identificar o perfil. Se você é identificado como sendo um investidor de perfil conservador, eles tendem a avisar ou emitir alertas quando você tenta fazer um investimento que só deveria ser feito por quem tem um perfil moderado ou arrojado (investidores que aceitam correr riscos por saberem o que estão fazendo). De tempos em tempos eles obrigam as corretoras a pedirem para os clientes atualizarem esses dados. Não sei se é isso que está acontecendo com você, recomendo que entre em contato com a corretora para perguntar.

      • Rodolfo M. 21 de outubro de 2015 at 14:32 - Reply

        Isso mesmo, obrigado Leandro.
        Abraços.

  22. Anderson 21 de outubro de 2015 at 7:49 - Reply

    Parabéns pela forma que encontrou para redigir seu artigo, foi sucinto, objetivo e com uma riqueza de informações fantásticas.

  23. Ricardo 21 de outubro de 2015 at 8:01 - Reply

    Parabéns pelo site.
    Apenas uma correção, a SELIC está em 14,25% e não 14,15%.
    Aliás, até onde eu sei, todas as variações da SELIC são de no mínimo, 0,25, não existe fração menor para variação, o que impede que ela seja 14,15%..

    • Ricardo 21 de outubro de 2015 at 8:03 - Reply

      O texto se refere à taxa Selic diária. Você está correto. Eu me confundi. Perdão.

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 11:00 - Reply

      Oi Renato. Existe a Meta da Selic que é 14,25% e existe a Taxa Selic Diária. Na página http://www.bcb.gov.br/?COPOMJUROS existe a coluna onde você pode observar a meta e a coluna onde temos a taxa selic. Normalmente a Selic Diária fica muito perto da Meta da Selic.

  24. Fernando 21 de outubro de 2015 at 8:37 - Reply

    Leandro,
    Obrigado pela resposta.
    Então você acha que mesmo tendo a garantia do FGC, é prudente levarmos em consideração o Rating do banco?

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 10:57 - Reply

      Oi Fernando. Eu nunca vivi essa experiência, mas saber que um banco quebrou com o seu dinheiro lá dentro não deve ser uma situação das mais agradáveis. O FGC pode demorar alguns meses para restituir seu dinheiro e não existe uma regra. Existem casos onde demorou 1 mês, outros 3 meses ou até 6 meses ou mais. Enquanto o dinheiro é devolvido ele não não tem qualquer rentabilidade. Por isso é importante não concentrar seus investimentos em poucos bancos médios. Coloque uma quantia que se ocorrer algum problema isso não produz em você um estresse muito grande enquanto ocorre todo o processo do FGC.

  25. Emilio 21 de outubro de 2015 at 9:31 - Reply

    Bom dia, Leandro. Mais um excelente artigo.
    Não sei se é permitido citar outros sites nos comentários, mas você conhece um site chamado jurus jurus.com.br? Facilita muito a busca pelas taxas de aplicação em diversos títulos em várias corretoras.
    (Se não for permitido, pode deletar o comentário.)

  26. Gonçalo 21 de outubro de 2015 at 9:33 - Reply

    Muito bom, Leandro!! Abraços e obrigado!!!

  27. Rafael 21 de outubro de 2015 at 10:41 - Reply

    Olá, Leandro!
    Parabéns pelo artigo. Na minha opinião faltou citar os custos operacionais envolvidos nas operações. Eu,por exemplo, já sei quais são, mas um investidor iniciante, não.
    Por exemplo, na XP o custo mensal é de R$ 6,90. Já na Rico existe a taxa de intermediação e uma taxa trimestral. Na speed não é cobrada nenhuma taxa, mas a rentabilidade é menor.

  28. Uilson 21 de outubro de 2015 at 11:19 - Reply

    Olá Leandro Parabéns! ótimo artigo
    Na Easynvest que oferece 18,60% a ano em um CDB do Banco Original Certo!
    Perguntas
    Li que esse banco é ligado a JBS é verdade?
    Esse Banco é seguro?
    Vale apena Risco Vs Taxa?
    Tenho conta na Corretora Spinelli quando entro no site http://www.jurus.com.br/ dificilmente aparece ofertas de CDBs dela porque?
    Obrigado Valeu!

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 11:37 - Reply

      Oi Uilson, na verdade, quase todos os bancos pequenos e grandes emprestaram muito dinheiro para as empresas que estão envolvidas na operação Lava-jato ou empresas que prestavam serviços ou eram fornecedores de grandes empresas envolvidas nos escândalos. Um exemplo, mas que não é o único, é o Banco Pine que teve nota rebaixada recentemente por ter emprestado dinheiro para construtoras envolvidas nas investigações, veja a reportagem. É importante observar que um banco não oferece taxa de 18,60% por ser bonzinho. Os bancos sempre tentam oferecer a menor taxa possível, quando não conseguem encontrar investidores interessados em correr o risco, eles vão aumentando a taxa, aumentando, aumentando, até que comece a aparecer os investidores. Quando o banco não está precisando de dinheiro ou quando existem muitos investidores interessados eles começam a baixar a taxa do CDB e de outros produtos que oferecem. Fazem isso até ocorrer um equilíbrio entre o que estão oferecendo e a demanda. Por isso taxa de juros elevada não é tudo, pois tudo tem seu preço. Se eles estão oferecendo taxas elevadas é sinal de que eles sentem alguma dificuldade para atrair investidores. Você, como dono do seu dinheiro, deve avaliar até que ponto aceita se expor ao risco. O FGC existe para garantir, até um determinado limite, o seu investimento. Eu tenho investimentos em bancos pequenos, mas tenho o cuidado de espalhar em diversos bancos pequenos. Se ocorrer o problema em algum banco, somente uma parte do que destinei para investimentos em bancos pequenos será comprometida até o FGC restituir o que investi. Riscos maiores e rentabilidades maiores estão sempre de mãos dadas.

  29. Rodrigo 21 de outubro de 2015 at 11:57 - Reply

    Leandro, vi que existem vários bancos que não possuem nenhuma nota de rating, isso significa que elas não foram auditadas por nenhuma agência de risco ? Não é uma obrigatoriedade no mercado financeiro ser avaliado por uma dessas empresas ? Obrigado

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 13:46 - Reply

      Oi Rodrigo. Isto significa que por algum motivo que eu desconheço a corretora não se deu ao trabalho de pesquisar quais são as classificações. As corretoras não são obrigadas a fornecer essa informação, elas fornecem por comodidade. Agora, você como investidor, tem obrigação de pesquisar o banco onde irá investir antes de tomar a decisão. Para isso eu recomendo a leitura desse artigo.

      • Antonio 23 de outubro de 2015 at 15:13 - Reply

        Olá!

        Salvo o engano, existem bancos que acham “desnecessário” pagar para uma agência analisar seu rating… O Banco Máxima, por exemplo, há algum tempo que não tem seu rating atualizado.

        Acho isso preocupante…

        • Leandro Ávila 28 de outubro de 2015 at 18:11 - Reply

          Oi Antonio. Eu acho que se o banco não contrata as agências ou só tem avaliações em agências desconhecidas, isso pode ser um sinal negativo. Uma luz amarela de alerta para quem é pequeno investidor.

      • Antonio 23 de outubro de 2015 at 15:23 - Reply

        Olá!

        Gostaria de sugerir um artigo. Leandro, você poderia falar sobre quando é mais vantajoso pagar no cartão ou a vista? Muitas loja não dão desconto para pgto à vista. Às vezes tenho dúvida sobre quando é melhor comprar um determinado produto à vista ou aplicar o dinheiro e parcelar o produto…

        • Leandro Ávila 28 de outubro de 2015 at 18:09 - Reply

          Oi Antonio. Se você é uma pessoa que tem sua vida financeira controlada e não existe desconto para pagamento à vista, você terá vantagem parcelando e mantendo o dinheiro investido. O problema seria acumular essas dívidas sem ter o controle, sem guardar o dinheiro que será necessário usar para pagar a dívida nos meses seguintes.

  30. Adair 21 de outubro de 2015 at 13:36 - Reply

    Olá Leandro, excelente explicação do CDB, muito esclarecedor o artigo.

    Fiquei com uma dúvida, qual a fórmula p/ saber o rendimento líquido de uma aplicação que ofereça 18,97% p/ 4 anos, como é acima de 2 anos, o IR seria de 15%, a fórmula p/ achar a liquidez seria essa: 18,97-IR(15%) = 16,12% líquidos ao ano?

    Obrigado e parabéns pela iniciativa de tornar o mundo financeiro um lugar melhor p/ os menos instruídos.

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 13:53 - Reply

      Oi Adair. O cálculo não é simples. Você precisa transformar a taxa de 18,97% anuais em uma taxa diária. Depois precisa transformar 4 anos em dias úteis. Depois deve fazer um cálculo de juros compostos onde o dinheiro será capitalizado diariamente através da taxa de juros diária equivalente que você encontrou. Somente no final você descontará 15% de IR sobre aquilo que você ganhará de juros sobre juros no período. Essa taxa que você encontrará no final, que você recebeu em 4 anos, poderá ser transformada em uma taxa anual equivalente, através de outro cálculo. Ai sim você terá uma taxa de juros anual líquida (já com o IR descontado). Por isso que recomendei a planilha gratuita no artigo.

      • Adair 21 de outubro de 2015 at 21:56 - Reply

        Boa noite Leandro!

        Obrigado por responder de forma clara e objetiva. Fui olhar melhor as planilhas que você mencionou e reparei que as planilhas são p/ cálculo do CDI pós-fixado e com certeza também ajudou bastante, pois também tinha essa dúvida.

        Acho que você respondeu a 1ª pergunta no artigo, p/ calcular a taxa de rentabilidade líquida dos títulos prefixados, com essa frase: “Nos próximos dias vou publicar uma planilha para ajudar no cálculo da rentabilidade líquida do CDB prefixado.”, acho que a solução da 1ª pergunta vem nos próximos dias.

        Agora, só p/ ver se aprendi direito a usar à planilha de pós-fixado: 121% do CDI p/ 4 anos(1461dias) com IR de 15%, é equivalente à uma LCI/A de 107,09% do CDI ?? rs

        Obrigado e um grande abraço.

  31. Luiz Gustavo 21 de outubro de 2015 at 16:22 - Reply

    Olá Leandro,
    Tenho uma questão sobre um exemplo de CDB oferecido pela corretora XP. Sabemos que ela informa data de vencimento para cada aplicação, diferente da Easyinvest que apresenta Prazo (em dias). Considerando uma consulta feita hoje (21/10/2015) na XP temos BANCO ABC BRASIL CDB venc.10/10/2017! Notei que calculando temos aqui 720 dias até o vencimento. Dúvida: neste caso o IR será de 17,5% ao invés de 15%? Se sim, saberia informar por qual motivo não oferecem com vencimento um dia depois (11/10/2017) para ficar na faixa >720d.
    Grato!

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 22:42 - Reply

      Oi Luiz. Será 17,50%. Acho que não existe um motivo. Provavelmente esse CDB já estava sendo oferecido há algum tempo e se o objetivo era oferecer um prazo acima de 721 é provável que eles parem de vender esse CDB e nos próximos dias passem a oferecer um CDB com vencimento acima de 720 dias.

      • Luiz Gustavo 22 de outubro de 2015 at 7:16 - Reply

        Obrigado Leandro. O curioso é que hoje, dia 22/10, a XP apresenta CDB com vencimento 11/10/2017, ou seja, 720 dias, na falta de 1 dia novamente. Desconfio que isso seja de propósito!

  32. THIAGO AUGUSTO 21 de outubro de 2015 at 18:16 - Reply

    Texto completo, sem deixar dúvidas nem lacunas, contemplando todas as questões adjacentes. Parabéns, Leandro. Você não imagina o quanto suas lições nos ajudam…

  33. Tulio 21 de outubro de 2015 at 18:20 - Reply

    Boa tarde Leandro, ótimo artigo.

    Desculpe pela dúvida simples, ainda estou começando a estudar sobre investimentos de renda fixa. Você diz que o FGC garante 250 mil por investidor, por instituição financeira. Essas instituições financeiras podem ser as corretoras? Ou são os bancos por ela oferecidos? Tenho conta na Easynvest, posso aplicar mais de 250 mil por meio dessa corretora se eu dividir os investimentos em mais de um banco?

    Outra dúvida, você saberia dizer se as instituições financeiras que vieram a sofrer intervenções (faliram) possuíam grau de investimento?

    Desde já gradecido,

    Tulio

    • Leandro Ávila 21 de outubro de 2015 at 22:36 - Reply

      Oi Tulio. Corretoras são apenas as intermediárias. O seu dinheiro não fica investido na Easynvest, na verdade você usa a corretora para poder investir seu dinheiro em produtos de outros bancos ou comprar e vender ações, fundos imobiliários, etc. A corretora só faz a ponte. As agências de classificação de risco não conseguem avaliar os bancos em tempo real. Pode demorar muitos meses entre uma avaliação e neste tempo podem acontecer eventos que podem levar o Banco Central decretar intervenção no banco, mesmo ele tendo grau de investimento. O que ocorre é que a probabilidade disto acontecer em um banco com nota baixa é maior do que ocorrer em um banco com nota elevada.

  34. Marco 21 de outubro de 2015 at 20:59 - Reply

    Excelente artigo Leandro!
    O clube dos poupadores é um dos melhores sites de educação financeira, já o acompanho há algum tempo em busca de aprimorar meu conhecimentos nessa área e iniciar meus investimentos.
    Obrigado por dedicar tempo para nos ensinar sobre esse tema tão importante!

  35. Fellipe Castro 21 de outubro de 2015 at 21:22 - Reply

    Antes de mais nada, parabéns! Ler seu blog já é um vício. Vc é foda! 🙂

    Me tira uma dúvida?

    Se a dívida interbancária lastreada em títulos públicos oferece menos risco ao agente superavitário, por que, historicamente, a SELIC é sempre mais cara que o CDI?

    Abraços,

  36. Thiago Aragão 21 de outubro de 2015 at 23:05 - Reply

    Ola Leandro, seu site é espetacular, acompanho continuamente, foi a partir dele que hoje estou estudando muito sobre investimentos. Minha profissão não está relacionado a essa área, ai no inicio tive muitas dificuldades com nomenclaturas, cálculos entre outros, mas estou evoluindo, faço como vc orientou, tiro um tempo do meu dia para estudar, ler textos, olhar noticias… Queria só tirar uma dúvida, o artigo fala somente de CDB e as letras de créditos (LC)?? Podemos confiar nas financeiras?? Em um momento de crise como o atual elas estariam mais sensíveis a falência em relação aos bancos??? Obrigado…

    • Leandro Ávila 22 de outubro de 2015 at 11:09 - Reply

      Oi Thiago. O aumento da inadimplência no país cria um risco maior para quem empresta dinheiro para as financeiras. Existem investidores que investem em LC, sabendo o que estão fazendo. Se você não tem segurança para isso, melhor não investir.

  37. Cássio 22 de outubro de 2015 at 8:17 - Reply

    Mais um artigo excepcional Leandro!

    sempre acompanho o blog.

    Estou com uma duvida a respeito do titulo LFT, já tem 4 meses que venho investindo nesse titulo, a Taxa Selic está em 14,25 a.a e a taxa usada para a rentabilidade do titulo é 14,15% a.a. Convertendo isso para uma rentabilidade mensal da aproximadamente 1,1% a.m.

    Minha duvida surge quando vou olhar o extrato detalhado do Tesouro Direto, ele mostra a rentabilidade Bruta mensal dos investimentos para os meses de julho, agosto e setembro de 0,86%.

    O certo não seria 1,1% já que esta escrito que é a rentabilidade bruta?

    • Cássio 22 de outubro de 2015 at 8:39 - Reply

      Correção: 0,89% ao mês e não 0,86%

    • Leandro Ávila 22 de outubro de 2015 at 11:16 - Reply

      Oi Cássio. O extrato do Tesouro Direto reflete quanto você terá se vender o título antecipadamente, se desistir do título hoje. Ele não reflete a rentabilidade que você terá se ficar com o título até o vencimento. Já falei sobre isso nesse artigo aqui.

      • Cássio 22 de outubro de 2015 at 11:37 - Reply

        Obrigado pelo retorno Leandro,

        Desculpa incomodar, mas esse 0,04% da venda antecipada mais as taxas seriam resultados de uma rentabilidade liquida correto? porque então o relatório mostra a rentabilidade bruta de 0,89%.

        o impacto desse 0,04% na venda antecipada diminui a rentabilidade bruta de 1,1% ao mês para 0,89% ao mês?

        não consegui entender.

  38. Leandro 22 de outubro de 2015 at 9:11 - Reply

    Caro Leandro.
    Tenho investimentos (CDBs e Fundos) em banco grande (entre os 5 maiores do País) onde, apesar de ser cliente “preferencial”, recebo remuneração baixa pelos CDBs (97-98%, brutos, do CDI) e, dos fundos de investimento, um apresentava desempenho insatisfatório (rendia menos que a inflação). Por isso, decidi intensificar a minha “desbancarização” (pelo menos em relação a investimentos em grandes bancos) e investir mais por intermédio de corretoras (tenho contas em duas, para aumentar o “mix” de produtos à disposição). Só neste movimento, já passei a receber maior remuneração na renda fixa por intermédio de Títulos Públicos (produtos raros – e caros – em banco grande) e ganhar um dinheirinho em ações (perder também, mas faz parte). No entanto, resolvi “arriscar na renda fixa”; liquidei parte dos CDBs do Santander (os que rendiam menos e sofriam menor incidência tributária – mais antigos) e comprei os de um “banquinho” que oferece a maior remuneração do Mercado (que encontrei), ao ponto de o prêmio líquido (para 02 anos) ser superior à taxa DI e mesmo pouco acima da taxa SELIC atual. Entretanto, somente tomei esta decisão porque considerei alguns pontos: (1) o valor do investimento é equivalente a cerca de 5% do total do meu capital investido; (2) não preciso do dinheiro para “sobreviver”; (3) embora a elevada taxa de remuneração do CDB induzir um grau razoável de risco, aliada à crise econômica e ao perfil do “banquinho” (que, se não me engano, sequer tem avaliação de risco), julguei que as chances reais de perder o capital (e mesmo de grande parte dos juros) sejam praticamente nulas haja vista a garantia do FGC (o capital+juros são inferiores a 250K). Na sua opinião, a minha decisão foi logicamente correta? Agora estou pensando em investir cerca de 10-15% do meu capital disponível em Fundos cujos recursos estão aplicados no exterior e apresentam grande rentabilidade nos últimos 12 meses; sobre isto, apesar de não serem fundos cambiais, pergunto se parte deste lindo rendimento pode ser debitado à desvalorização do R$ frente ao USD, o que mascararia as verdadeiras causas dos ganhos destes fundos de investimento – o que, por óbvio, os seus gestores não nos revelam? Muito obrigado e desculpe a extensão do e-mail.

    • Leandro Ávila 22 de outubro de 2015 at 11:20 - Reply

      Oi Leandro, a ideia é essa mesmo. Você investiu em bancos menores uma parcela do seu patrimônio que você aceita correr um risco maior, que na verdade será o risco de ter o desconforto de ver um banco pequeno quebrando com o seu dinheiro lá dentro, mas onde este dinheiro seria ressarcido pelo FGC alguns meses depois. Isso não vai tirar tranquilidade, não fará você dormir mal. Com relação aos fundos que investem no exterior, a rentabilidade maior registrada nos últimos meses ocorre devido a alta do dólar.

  39. Caroline 22 de outubro de 2015 at 11:26 - Reply

    Boa tarde Leandro,
    Suas dicas são ótimas. Estava lendo os comentários e já sei que o CDB são diferentes das Compromissadas, como eu pensava. A minha pergunta é a seguinte, já tenho um certo valor (+50 m) em um grande banco. Tenho mais ou menos o mesmo valor para investir, o mesmo banco me ofereceu a Compromissada , pagando 92% do CDI, minha dúvida é você acha melhor deixar os valores no mesmo banco pois assim consigo melhores condições de rentabilidade ou seria melhor utilizar o serviço de Corretoras, para diversificar. Pensei também em LCI ou LCA, mas o Banco disse não oferecer esse produto para o meu valor.
    Agradeço desde já,

    • Leandro Ávila 23 de outubro de 2015 at 9:21 - Reply

      Oi Caroline, só você deve tomar decisões sobre o que é melhor fazer com o seu dinheiro. Eu posso opinar sobre o que você deve fazer com sua educação. Se você está presa em um grande banco, recomendo experimentar abrir conta em uma grande corretora como maneira de ampliar suas experiências, suas possibilidades e seu aprendizado. Você encontrará produtos de outros bancos com rentabilidades muito maiores e poderá fazer pequenos investimentos como experiência, para aprender a se libertar das limitações dos grandes bancos. Existem cursos, livros, outros sites com informações para que você invista no seu aprendizado.

  40. Joanatan 22 de outubro de 2015 at 15:26 - Reply

    Professor,existe a possibilidade do tesouro nacional,abolir os juros compostos e adotar os juros simples,nos investimentos de pessoa fisica no tesouro direto?Obrigado pela atençao.

    • Leandro Ávila 23 de outubro de 2015 at 9:10 - Reply

      Olá Joanatan, não faria nenhum sentido para os investidores emprestar dinheiro para o governo recebendo juros simples. Tudo é possível, nem tudo é provável.

  41. Andressa 23 de outubro de 2015 at 8:55 - Reply

    Olá!
    Em qual caminho consigo do site da CETIP consigo consultar se tal investimento é garantido?
    Obrigada

  42. Ney 23 de outubro de 2015 at 10:25 - Reply

    Oi Leandro, grato por mais estas excelentes informações. Tenho uma dúvida. Se eu adquirir um CDB pela corretora terei de pagar alguma taxa para esta?

    • Leandro Ávila 28 de outubro de 2015 at 18:12 - Reply

      Oi Ney. Existem corretoras que cobram um percentual do que você investiu, mas a maioria não cobra. Neste caso, eu acredito que os bancos remuneram as corretoras.

  43. CLAUDIO ROGERIO 25 de outubro de 2015 at 18:49 - Reply

    boa noite Leandro parabens por seus artigos
    ja sou investidor de corretoras easynveste e xp
    faco aplicaçoes em bancos pequenos e medios por estas corretoras
    mas sempre fico na duvida quanto a estes bancos e financeiras tem algum
    site ou local na internete que da pra ver a saude financeira destes bancos ou em poucas palabras se eles estao ruins das pernas
    apesar de que eu so envisto em renda fixa com FGC
    E SEMPRE MENOS QUE 250 MIL POR INSTITUIÇAO
    E DISTRIBUO PARA VARIOS BANCOS
    MAS MESMO ASSIM SE PUDER SABER SE O BANCO ESTA BEM SERIA MELHOR
    obrigado e parabens novamente

    • Leandro Ávila 28 de outubro de 2015 at 18:06 - Reply

      Oi Claudio, tem gente que avalia os balanços que esses bancos publicam. Depois vou escrever um artigo sobre isso.

  44. Alexandre 26 de outubro de 2015 at 18:30 - Reply

    Leandro, parabéns pelo excelente artigo, o mais completo que já li sobre o assunto. Gostaria de saber a sua opinião sobre a estratégia de investir sempre equilibrando entre produtos Pré e Pós fixados ?? Exemplo conforme imagem da tabela da XP: CDB com vencimento de 2 anos, bancos a parte, metade a 112% (pos) e outra parte a 17,3% (pré). Visto que vivemos em um país de incertezas estarei otimizando ou minimizando meus ganhos ?? OBS: depois que o tempo passa sempre da um certa frustração chegar a conclusão que deveria ter feito 100% de uma forma ou de outra ??

    • Leandro Ávila 28 de outubro de 2015 at 18:04 - Reply

      Oi Alexandre. Você só terá essa frustração se acreditar que é possível prever o futuro com 100% de acerto. Com o tempo, você vai perceber que é muito difícil prever o futuro. É claro que existem tendências que você pode observar. Neste exato momento temos uma indefinição. O Banco Central já disse que parou de subir os juros para esperar o impacto do último ciclo de alta na economia. Dependendo do que teremos no futuro, ele vai tomar a decisão de iniciar uma queda dos juros ou continuar a alta.

  45. fabio 29 de outubro de 2015 at 0:01 - Reply

    Parabéns pelo texto, como sempre didático e isento.

    Gostaria de saber se você já escreveu algum artigo sobre investimentos que possibilte viver de renda ( fazer retirada mensal dos juros/dividendos)?

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2016 at 5:29 - Reply

      Oi Fábio. Existem vários artigos onde abordo esse tema de forma indireta. Existem vários na categoria de “aposentadoria”

  46. Fernanda 30 de outubro de 2015 at 16:50 - Reply

    Ola Leandro! Hoje pqesquisando sobre alguns investimentos achei novas aplicaçoes em fundos no BB E Caixa, com so nomes fundos simples. Voce acha que é vantajoso ou melhor continuar investindo no Tesouro Direto.

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2016 at 5:29 - Reply

      Oi Fernanda. Você precisa aprender a fazer comparações entre as opções que você possui. Não é possível dizer o que seria mais vantajoso sem avaliar dados de cada investimento e seus objetivos para o dinheiro.

  47. Silva 31 de outubro de 2015 at 7:48 - Reply

    Excelente suas informações, gostaria de uma opinião : Tenho um excelente valor de uma causa trabalhista , meu banco e Satander, invisto em LCI LCA ou CDB?? Gostaria muito de sua ajuda.

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2016 at 5:31 - Reply

      Oi Silva. Isso depende da LCI, LCA e CDB que você possui acesso. Cada banco possui suas opções, suas taxas e seus prazos. Existem corretoras que oferecem LCI, LCA e CDB de inúmeros bancos. Veja esse artigo.

  48. Vinicius 3 de novembro de 2015 at 22:07 - Reply

    Leandro,

    Boa noite,

    Sou leitor assíduo do seu site e gostaria que você me indicasse como posso tirar uma dúvida que já tenho há algum tempo. Tenho um valor X aplicado em um CDB pós-fixado de banco de grande porte, rendendo atualmente 96% da taxa DI. Vejo esse investimento como uma reserva de último caso de uma grande emergência ( doença grave, desemprego,etc), pois tem liquidez imediata, podendo ser resgatado quase como uma poupança se for necessário. Tenho também uma reserva menor equivalente a um salário, para emergencias imediatas.
    Tenho acompanhado as taxas oferecidas por bancos médios e percebi que além desses bancos terem taxas muito mais atraentes eles exigem um valor mínimo de investimento que, para que eu pudesse investir, me obrigaria a retirar do banco onde tenho a aplicação para só então aplicar nesse banco menor. Estaria na prática trocando um banco pelo outro. Então minhas maiores dúvidas são :

    1) Como posso calcular se fazendo isso hoje estaria perdendo dinheiro ?
    2) Investir em bancos médios e pequenos significa ter que esperar até o vencimento para resgatá-lo ou há excessões quanto a isso? Eu perderia essa reserva para emergencias que possuo hoje ?

    Desde já agradeço !

    • Leandro Ávila 29 de julho de 2016 at 11:25 - Reply

      Oi Vinicius. Existem bancos médios que oferecem CDB com liquidez imediata e a maioria oferece CDB que exige esperar a data de vencimento. Acho que reservas para emergência podem ficar em bancos maiores. Nos bancos de menor porte você poderia investir aquela parcela do seu patrimônio que você aceita correr um risco maior em troca de juros maiores. Reservas de emergência exigem investimentos mais sólidos e seguros, mesmo que isso signifique rentabilidade menor (é o preço pela segurança maior).

  49. Eduardo 12 de novembro de 2015 at 1:58 - Reply

    Prezado Leandro,

    Tenho conta em 2 grandes corretoras, utilizo uma para RV ( ações ) e outra somente para RF ( títulos públicos ) , estive pensando em migrar uma quantia X para LCI de um banco pequeno, porém joguei na balança o rendimento versus o risco em caso de falência do banco, li alguns relatos de muita dor de cabeça para ter o dinheiro de volta mesmo tendo garantia do FGC.
    Vi também alguns bancos com rating de baixíssimo risco, quebrando….
    Na atual situação do país, você investiria em banco pequeno ? a minha reposta é não, porém gostaria muito de saber como você lidaria com essa situação.
    abraço!

    • Leandro Ávila 29 de julho de 2016 at 11:21 - Reply

      Oi Eduardo. Ao investir em um banco pequeno você certamente receberá taxas de juros maiores. O motivo dessas taxas maiores é justamente para compensar esse risco maior que você irá correr. Só invista aquela quantia que você está disposto a colocar em um investimento de maior risco em troca de juros maiores. Pessoalmente tenho investimentos em bancos menores, mas é aquela parcela do meu patrimônio que eu conscientemente aceitei correr um risco maior em troca de juros maiores.

  50. Gustavo 7 de dezembro de 2015 at 22:01 - Reply

    Leandro, boa noite. Acompanho o seu blog e tenho aprendido muito desde então! Parabéns pelo trabalho! Gostaria de tirar uma dúvida que acho saber a resposta, mas quero confirmar. Desculpe se minha dúvida for muito besta, mas tenho um CDB aplicado no meu banco, o H**C. Ele rende um pouco todos os dias (pós-fixado). No “status do investimento”, existe a informação de “vencimento: 30/agosto/2018”; isso significa apenas que o papel vence nesse dia ou que meu dinheiro lá está congelado até esse dia e que eu só poderei sacar esse dinheiro desse dia para frente? Obrigado. Abraços.

    • Leandro Ávila 29 de julho de 2016 at 11:20 - Reply

      Oi Gustavo. Você precisa consultar o banco para verificar se esse CDB que você investiu tem liquidez diária (pode ser sacado a qualquer momento) ou se ele só pode ser sacado na data de vencimento. Os bancos oferecem CDB das duas formas.

  51. Christiane 10 de dezembro de 2015 at 8:58 - Reply

    Bom dia! Por favor, a minha dúvida é a seguinte, algumas vezes eu tiro o dinheiro da poupança para pagar algums contas e depois tenho colcar novamente.
    Gostaria de investiver em CDB, mas meu problema tudo está em declaraçãod e imposto de renda. E como médica sabe que é muuito mais complicado.. o olho do leal fica arregalado.
    Bom se eu tiver por exemplo 50 mil no CDB e eu tiver que retirar a grana após um ano, pex, eu sacaria +- 56mil.. Eu declararia no bens e direitos ou como recebimento de pj? e pagaria imposto de renda em sima do 6. Não entendo. Se for descontato tudo bem, ams eu sei lidar com poupança, que é como conta corrente. Por favor, me explique tal fato.

    • Leandro Ávila 29 de julho de 2016 at 11:17 - Reply

      Oi Christiane. A melhor forma de não ter problemas com o Leão é seguindo a lei, pagando seus impostos como devem ser pagos, recolhendo tudo e não deixando nada de fora. Isso vai te dar a liberdade de fazer bons investimentos sem precisar ficar com medo. O fato de investir na poupança não significa que a receita federal não tenha conhecimentos sobre a existência do dinheiro. Os mesmos dados que os bancos fornecem para você no final do ano para sua declaração de imposto de renda são repassados para a receita. Dessa forma eles sabem tudo sobre todas as suas movimentações, mesmo aquelas que são isentas de IR. No caso dos investimentos o IR é cobrado automaticamente pelo banco. Ao sacar dinheiro de um investimento que cobra imposto, o próprio banco vai fazer o desconto. Na sua declaração no final do ano você só vai informar quanto tem nos investimentos com base nos dados que o próprio banco vai fornecer.

  52. Lucas Lourenço 21 de janeiro de 2016 at 10:13 - Reply

    Ótimo texto e ótimas explicações. Uma dúvida, no CDB pré quanto menor o prazo de vencimento, maior a quantia mínima a ser investida? No site jurus.com.br quando você seleciona prazo de um ano só aparecem opções de investimento muito altas. É assim mesmo?

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2016 at 5:43 - Reply

      Oi Lucas. Existem momentos onde os bancos estão precisando de mais dinheiro e quando isso ocorre eles baixam o investimento mínimo. Quando estão precisando menos de recursos eles aumentam o valor mínimo e isso reduz a demanda. Quando oferecem CDB, LCI e LCA que exigem valores menores a procura tende a ser grande e a oferta acaba rapidamente. Para saber como usar o jurus visite aqui. É um bom site para monitorar as opções que temos.

  53. Willians 23 de janeiro de 2016 at 10:25 - Reply

    Parabéns pelo artigo e pelo trabalho maravilhoso, gosto muito de acompanhar
    Leandro eu sou novo e quero começar a investir
    mais ainda tenho muitas duvidas e a falta de experiencia complica ainda mais minha situação
    você tem algum material para me indicar que pudesse me ajudar com meu primeiro investimentos?
    to pensando em CDB.
    porem ainda estou meio perdido no assunto

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2016 at 5:40 - Reply

      Oi Willians. Temos muitos artigos gratuitos sobre investimentos aqui no Clube dos Poupadores. Observe no menu superior que existe a opção “Aulas”. Clique e selecione a categoria. Eu recomendo fortemente que você invista primeiro em algum curso ou livros sobre investimentos. Eu tenho uma série de livros como você pode ver aqui. Dedicar tempo para aprender o funcionamento dos investimentos é a melhor coisa que você pode fazer. Os resultados serão positivos pelo resto da sua vida, pois sempre você estará pensando sobre investimentos para realizar seus sonhos e objetivos.

  54. flavio 26 de janeiro de 2016 at 18:33 - Reply

    oi leandro qual séria a melhor aplicação que eu posso fazer
    para ter um percentual maior, e que ele seja uma aplicação
    renda fixa.

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2016 at 5:38 - Reply

      Oi Flávio. O melhor investimento quando não sabemos qual é o melhor investimento é investir na nossa educação sobre investimentos. A ideia é que você se livre da necessidade de perguntar sobre onde investir seu dinheiro, pois esta é a situação mais arriscada que existe quando começamos a querer investir. Como mostrei neste artigo aqui, um dia acabamos fazendo a pergunta para a pessoa errada. Recomendo que comece estudando sobre Tesouro Direto e seus títulos públicos e os títulos privados que são CDB, LCI e LCA. Aqui mesmo no Clube dos Poupadores temos muitos artigos sobre estes investimentos.

  55. Heitor 7 de abril de 2016 at 0:58 - Reply

    Olá, parabéns pelo site. O conteúdo é excelente.
    Há uma ferramenta para estimar o rendimento de um CDB cujo indexador é o IPCA?
    Obrigado

  56. Cassia 11 de abril de 2016 at 3:23 - Reply

    Bom dia, Leandro!! Parabéns por tudo que disponibiliza!! Tenho dedicado-me a máximo a estes conteúdos. Gostaria que confirmasse se estou compreendo direitinho. O CDB pós-fixado com a taxa Selic em alta é uma das melhores opções (analisando o período que qro de 3 a 6 anos. Ao acompanhar a tabela da Jurus, hoje, a taxa oferecida pelo Banco Maxima é de 14,72% para resgate em 04/03/2021. Contudo, ao buscar conferir os valores finais dizem que é isento de imposto de renda, isso pq o prazo seria mais longo? E outra coisa, os pós-fixados os valores variam diariamente com os juros prometidos para o dia? Enfim, caso não esteja correta. Ajude-me a compreender mais sobre o CBD pós-fixados. A correta XP investimentos trabalha com o Banco Máxima também? Ah, até qdo irá o prazo para participarmos do grupo reservado com a compra dos livros?
    Que Deus multiplique qtdo em tua vida!!!

    • Leandro Ávila 11 de abril de 2016 at 5:34 - Reply

      Oi Cassia. CDB não é isento de imposto de renda. LCI e LCA são isentos. Os pós-fixados variam diariamente com base na Taxa DI. Temos um simulador que ajuda a calcular a rentabilidade líquida de impostos na página de simuladores de investimentos. O acesso ao grupo continua como presente para quem adquirir o livro. Não tenho como dizer até quando pois isso depende do número de pessoas que estão entrando diariamente no grupo. Quem tem interesse não deve deixar para depois.

  57. Diogenes M Pereira 15 de junho de 2016 at 18:49 - Reply

    Caro Leandro, estou muito satisfeito com as informações que voce vem postando no seu site. Tem me ajudado muito em aprender sobre investimentos.

    Gostaria de saber se aplicar em CDB, LCI, ou LCA eu consigo resgatar o dinheiro antes do vencimento? Se sim, qual prejuízo eu levo?

    Para aplicações em títulos privados (LTC, LTN, Tesou Selic, etc) consigo fazer da mesma forma?

    Obrigado

    • Leandro Ávila 29 de julho de 2016 at 11:13 - Reply

      Oi Diogenes. Depende as regras do investimento que você fizer que são estabelecidas pelo banco que fez a emissão. Existe CDB que permite saque a qualquer momento e outros (a maioria) exige que você espere até o vencimento. O mesmo vale para LCI e LCA onde algumas possuem uma carência e o vencimento e outras só possuem a data de vencimento. Já nos títulos públicos é possível vender antecipadamente todos os dias da semana, mas no caso dos títulos Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado, se não for um bom momento é possível perder dinheiro ou rentabilidade na venda antecipada. Recomendo que você leia todos os meus artigos sobre esses investimentos ou adquira meu livro que é bem completo e trata de todos esses temas. Visite http://www.clubedospoupadores.com/reeducacaofinanceira

  58. guilherme lima 11 de julho de 2016 at 21:22 - Reply

    Leandro, obrigado pelas informações, seu site esta sendo minha fonte de aprendizado para investimentos.
    obrigado!

    • Leandro Ávila 29 de julho de 2016 at 11:11 - Reply

      Oi Guilherme. Parabéns por investir na sua educação financeira.

  59. Filipe 27 de julho de 2016 at 7:48 - Reply

    Olá Leandro, tenho um capital de R$ 31 mil para investir e estou numa dúvida enorme. O que vale mais a pena, continuar aplicando em uma LCI que me paga 96% do CDI por um prazo de carëncia de 360 dias ou, como vi em outro banco, aplicar em CDB a uma taxa de 113% do CDI por um prazo de carëncia de 365 dias?
    Minha dúvida se resume a: a partir de qual percentual do CDI do CDB ou LC ( pós fixada) pelo mesmo prazo de carëncia eu consigo uma rentabilidade final maior que a LCI que invisto atualmente? ( que está me pagando 96%CDI pela carencia de 360 dias).

  60. Paulo Costa 28 de julho de 2016 at 18:53 - Reply

    Muito bom artigo, Leandro…
    Tenho uma dúvida: Possuo uma quantia investida em CDB de um banco médio, mais nunca atentei para a Nota de Risco. Como faço para saber a Nota de Risco do Banco que invisto?

  61. Dilon 28 de outubro de 2016 at 15:42 - Reply

    Como sempre seus artigos são muito bons…

  62. Fabio 21 de dezembro de 2016 at 8:18 - Reply

    Bom dia Leandro, primeiro tenho que dizer que seu blog é excelente.

    Agora a dúvida: Criei uma planilha para acompanhar meu rendimento mensal de investimentos. Fiquei na dúvida como e calculada a rentabilidade mensal nos CDBs atrelados a inflacao (IPCA + x%). Mensalmente é creditada apenas a fração da taxa prefixada e no vencimento a correção da inflação? Ou mensalmente o investimento é corrigido pelo IPCA?

  63. Virgílio 18 de janeiro de 2017 at 19:53 - Reply

    CDB´s que pagam menos que 100% do CDI perdem para o Tesouro SELIC em termos de rentabilidade?

    • Leandro Ávila 11 de agosto de 2017 at 23:26 - Reply

      É necessário simular. O Tesouro Selic tem a taxa de 0,30% anual da BM&FBOVESPA. Alguns bancos e corretoras ainda cobram uma taxa de agente de custódia. Um CDB que paga 100% do CDI não teria esse tipo de taxa que existe no Tesouro Selic. A grande vantagem do Tesouro Selic é que ele aceita valores pequenos. Os bancos costumam exigir valores maiores para cada investimento feito em CDB.

  64. Wagner 14 de fevereiro de 2017 at 8:42 - Reply

    Leandro, Bom dia!

    Te sigo a pelo menos 2 anos e sempre leio seus artigos! São top!
    Uma dúvida se vc puder me ajudar:
    Os CDB sempre tem um valor mínimo de aplicação, ex: R$ 5.000,00. Posso eu aplicar 5000 nesse cdb e nos meses seguintes fazer aportes menores de por exemplo R$ 500,00?
    Abraços

    • Leandro Ávila 11 de agosto de 2017 at 23:23 - Reply

      Oi Wagner. Cada banco determina um valor para o CDB que emite. Considere um CDB como um título, um documento que tem um valor fixo. Dessa forma se o banco só oferece CDB que vale 5.000,00 você sempre vai precisar de mais 5.000 para investir novamente em outro CDB.

  65. Hiago Rego 27 de fevereiro de 2017 at 0:24 - Reply

    Olá boa noite, eu gostaria de saber, qual tipo de investimento seria seguro para mim, no qual irá ser a longo prazo,(360 meses) com uma taxa de juros boa. Só para garantir o meu futuro mesmo, a complementar na aposentadoria.

    • Leandro Ávila 11 de agosto de 2017 at 23:21 - Reply

      Oi Hiago. O investimento mais seguro é aquele que você fará na sua educação financeira para evitar o que você acabou de fazer, que é perguntar para outras pessoas o que deve fazer com o seu dinheiro. Aqui no Clube dos Poupadores existem muitos artigos sobre cada tipo de investimento. Também existem meus livros nessa página aqui e outros cursos que eu recomendo. Você sempre terá que lidar com esse tipo de dúvida e a pior opção sempre será perguntar para pessoas que não conhecem você sobre o que é melhor para você.

  66. Michele 9 de abril de 2017 at 18:07 - Reply

    Primeiramente, gostaria de parabenizar pelo site!
    Pra mim é o site mais completo de investimento que existe! Consegui entender com muita clareza e facilidade! Obrigada!

    Gostaria de tirar uma dúvida… Além do IOF e do imposto de renda, existe alguma outra taxa que abate na rentabilidade final? Li uma vez que além do imposto de renda descontado, há o “desconto da inflação do período”. De fato ela existe? Se sim, como ocorre?

    • Leandro Ávila 11 de agosto de 2017 at 23:19 - Reply

      Oi Michele. Obrigado! Nunca ouvi falar de CDB com desconto de inflação, deve ser algum mal-entendido

Leave A Comment

Compartilhe com um amigo