Título de capitalização é um dos produtos financeiros mais lucrativos… para as instituições financeiras que os vendem. Se fossem boas opções de investimento, os bancos e as seguradoras não precisariam oferecer prêmios e sorteios para estimular sua venda.

Quanto menos educado financeiramente, mais a pessoa tende a acreditar que títulos de capitalização são bons investimentos. Por este motivo, as instituições que vendem esses títulos investem pesado em ações de marketing e publicidade para atrair a atenção da população menos esclarecida. Existem títulos que são oferecidos como alternativa mais vantajosa que a caderneta de poupança (veremos que não é verdade) e outros que são vendidos como se fossem oportunidades de enriquecimento rápido e fácil, como um jogo de azar, oferecem prêmios em dinheiro através de sorteios.

Logo abaixo, um exemplo famoso de título de capitalização com roupagem de jogo de azar é a Telesena, do Grupo Silvio Santos. No final de 1 ano você perde 50% do que investiu e recebe os outros 50% em dinheiro.


 

A seguir, um exemplo de título de capitalização vendido pelo Banco do Brasil como se fosse uma alternativa mais vantajosa que a poupança. Na campanha publicitária, utiliza uma pessoa que se diz advogada com o objetivo de comunicar credibilidade e motivar a compra do título por aqueles que precisam ser convencidos de que se trata de um bom negócio.


 

No vídeo acima, a Andreia disse que está juntando dinheiro para poder estudar mais. Se ela já tivesse estudado mais sobre investimentos, se tivesse se educado financeiramente, teria percebido que títulos de capitalização não foram feitos para realizar sonhos, não servem como poupança, muito menos como investimento. Se ela tivesse lido o contrato do título de capitalização (leia aqui) teria percebido que somente 78,70% do valor pago por ela será remunerado com 0,50% de juros + TR. No final de 48 meses ela só terá o valor que investiu + TR, ou seja, ela está enganada ao dizer que o título de capitalização renderá um pouquinho mais que a poupança.

Somente funcionários de bancos e de corretoras de seguros recomendam títulos de capitalização, já que são pagos para isto. Dificilmente você encontrará um educador financeiro dizendo que título de capitalização é uma boa opção de investimento, na verdade, a maioria não reconhece título de capitalização como investimento.

A grande verdade é que um título de capitalização é a forma mais fácil e rápida de perder o seu dinheiro para as instituições financeiras e para a inflação. Mesmo assim, títulos de capitalização continuam sendo um dos produtos financeiros mais adquiridos pelos brasileiros. Isto mostra a eficiência das ações de vendas das instituições e a carência de educação financeira na vida das pessoas.

O gráfico abaixo mostra que somente em 2014, as empresas do setor arrecadaram mais de R$ 21,87 bilhões dos brasileiros que “investem” em Títulos de Capitalização, segundo dados da Federação Nacional de Capitalização (fonte)

Para que você possa fazer uma comparação, os estoques de todos os títulos públicos vendidos para brasileiros, através do Tesouro Direto, eram de R$ 21,8 bilhões em setembro de 2015 (fonte).

Em 2014, a poupança captou R$ 24,034 bilhões (fonte). Isto significa que o brasileiro continua perdendo uma fortuna todos os anos em títulos de capitalização e na caderneta de poupança, já que nenhum dos dois consegue superar os efeitos danosos da inflação. A ignorância muito custa caro. A Andreia do vídeo do BrasilCap, quando começar a estudar sobre investimentos, vai perceber isso.

Nota Importante: Não tenho nada contra as instituições financeiras, citadas neste artigo, que vendem títulos de capitalização. Infelizmente, existe um mercado grande de pessoas pouco esclarecidas que gostam de investir em produtos financeiros ruins. As instituições financeiras só atendem essa demanda, elas não são instituições de ensino, não é função delas ensinar você a cuidar do seu dinheiro. Da mesma forma, não é função da lanchonete ensinar você a ter uma alimentação saudável. É sua responsabilidade aprender a tomar decisões inteligentes sobre o seu dinheiro, sobre a sua alimentação e sobre o seu estilo de vida. Com relação ao material publicitário das instituições, você já deveria ter percebido que elas só servem para vender, por isto são sempre parciais, não servem como material educativo.

Como avaliar um título de capitalização:

Você nunca deve fazer um investimento sem ler e sem entender o contrato. Não importa o que o funcionário da instituição falou na sua frente ou por telefone. O que vale mesmo é aquilo que está escrito. Já mostrei nesse outro artigo aqui que você deve tomar muito cuidado quando estiver diante de uma pessoa que tem como único objetivo vender algum produto financeiro para você. Mesmo que as pessoas não contem mentiras (mentir para vender um produto financeiro é crime), elas podem falar mais sobre os pontos fortes, falar menos sobre os pontos fracos, ou até omitir esses pontos fracos.

No caso dos títulos de capitalização, você sempre deve exigir a apresentação do que eles chamam “Condições Gerais” que é um documento, parecido com um contrato, que tem o objetivo de descrever todas as características do título de capitalização que estão lhe oferecendo.

Lembre-se: Quanto maior for o estorço da instituição financeira para te convencer a comprar um título de capitalização, maior o risco de você estar prestes a fazer um péssimo negócio. Isso vale para outras modalidades de investimento. O esforço de venda costuma ser inversamente proporcional a qualidade do investimento.

Para não ficar só na teoria, preciso escolher algum título de capitalização para utilizar como exemplo. Escolhi um dos títulos mais populares da Caixa Econômica que se chama CAP TORCEDOR que exige um pagamento mensal de R$ 30,00 durante 60 meses. Vou usar este título como exemplo. É importante lembrar que os bancos e suas seguradoras podem criar títulos de capitalização com as mais diversas características e regras. Muito do que falarei aqui pode ou não valer para o título de capitalização que você já comprou ou que pretende comprar. Por isto, meu objetivo é te motivar a ler as “Condições Gerais” do título antes de qualquer arrependimento.

Perder dinheiro com títulos de capitalização:

Quando você coloca R$ 100,00 na Caderneta de Poupança, você tem a certeza de que irá sacar seus R$ 100,00 no momento que você desejar, devidamente corrigido. Quando você gasta R$ 100,00 em títulos de capitalização a única certeza que você tem é que uma boa parte deste dinheiro ficará com a instituição financeira em forma de cota de corretamento (que é um tipo de taxa de administração) e em forma de cota de sorteio (que vai para o bolso dos poucos sortudos que receberão prêmios).

No exemplo do CAP TORCEDOR da Caixa Econômica essas perdas são exibidas nesta tabela abaixo que aparece no documento de Condições Gerais (fonte).

A tabela diz que somente 10% do valor pago na primeira parcela será acumulado, corrigido e devolvido no vencimento do título. A Caixa ficará com 83,85% do valor da sua primeira parcela. As pessoas que serão sorteadas ficarão com 6,14% da parcela. Isto significa que logo na primeira parcela, somente R$ 3,00 dos R$ 30,00 que você investiu serão realmente seus. Somente nas últimas parcelas é que a cota de carregamento cai para 0,46% do valor investido. A cota de sorteio representará uma perda mensal de 2,57% do que for investido entre a segunda e a última parcela. A cota de carregamento é a remuneração da Caixa, funciona como uma taxa administrativa.

Título de capitalização sem liquidez:

No nosso exemplo, se você precisar do dinheiro que “investiu” no título de capitalização, antes dos 60 meses, as perdas serão garantidas. Como mostrei, na primeira prestação, somente 10% do valor pago por você é realmente seu, o resto vira lucro do banco e prêmio para os sorteados. Por isto, se a pessoa resolver desistir do título de capitalização no primeiro mês, só receberá 9,03% do que pagou, ou seja, dos R$ 30,00 a pessoa só receberá R$ 1,35. A tabela abaixo mostra quanto você perderá se precisar do seu dinheiro nos primeiros 5 anos de pagamentos do título de capitalização. Todo título de capitalização precisa apresentar uma tabela como esta, no contrato, para mostrar o que acontece no caso de resgate antecipado. O exemplo abaixo só vale para o título que estamos avaliando:

Observe que você sempre receberá menos do que investiu se resolver desistir do título antes do prazo, que no nosso exemplo é de 60 meses (5 anos). Exemplo: Se você desistiu depois de 12 parcelas, a tabela mostra que você só receberá 61,84% do que pagou no período, ou seja, se as parcelas eram de R$ 30,00, você pagou R$  360,00 e só irá receber R$ 222,62 (360 x 61,84%). Sua perda será de R$ 137,38 por ter antecipado o resgate do seu título. Dessa forma, título de capitalização não funciona como poupança ou reserva de emergência. Não existe liquidez. Você não pode contar com seu próprio dinheiro se precisar dele. Veja o que acontece quando você compra título de capitalização por telefone, sem saber o que está fazendo, leia esse depoimento no Reclame Aqui.

Título de Capitalização não é poupança:

Muita gente confunde título de capitalização com um tipo diferente de poupança, onde as pessoas podem ganhar prêmios. É comum encontrar casos de funcionários de instituições financeiras que recomendam títulos de capitalização como uma alternativa vantajosa para clientes que possuem dinheiro na poupança. As próprias ações publicitárias das instituições podem induzir o investidor leigo a acreditar nisso.

Título de capitalização está mais para jogo de azar legalizado do que um tipo de poupança. A semelhança que existe entre títulos de capitalização com sorteios e jogos de azar é tão grande que muitos títulos são vendidos em casas lotéricas. A própria Caixa Econômica Federal possui alguns tipos de títulos de capitalização comercializados nas loterias de todo país.

Como já vimos, somente uma parte do dinheiro que você gastará pagando parcelas do título de capitalização serão realmente devolvidos e remunerados através de alguma taxa de juros e TR. Essa parte que é devolvida é chamada de “cota de capitalização” e todas as cotas formam a “reserva de capitalização”.

A TR mensal costuma ser muito próxima de zero. Ela pode ser consultada no site do Banco Central na coluna “Remuneração Básica” dessa tabela aqui. Você pode corrigir qualquer valor pela TR através deste outro endereço aqui. Todo título de capitalização deve oferecer no mínimo 20% da remuneração da poupança (fonte). Como a poupança tem remuneração de 0,50% ao mês, os títulos de capitalização devem remunerar, no mínimo 0,10% ao mês. Remunerar mais do que isso é critério da instituição que criou o título. No caso do nosso exemplo, esses juros são de apenas 0,35% ao ano. O problema é que no final das contas, estes juros apenas anulam as perdas com pagamento das cotas de carregamento e cotas de sorteio. O resultado é que no final dos 60 dias, a pessoa só receberá mesmo o valor investido corrigido pela TR.

Vamos ver uma “pegadinha” no contrato de Condições Gerais que acaba confundindo muitos leigos:

O leigo, depois de ler a regra acima, entende erroneamente o seguinte: “Uau, se investir nesse título vou receber a remuneração da poupança + 0,35% de juros ao mês. Então, será mais vantajoso tirar dinheiro da poupança e colocar nesse título de capitalização”.  Provavelmente foi isso que fez a Andreia do vídeo da BrasilCap acreditar que o título de capitalização rendia “um pouquinho mais” que a poupança. Aqui temos duas pegadinhas:

Pegadinha 1: Somente uma parte do que você paga (cota de capitalização) é que será remunerada com juros e devolvida no final dos 60 meses. A maioria das pessoas não percebe isso com clareza. Acreditam que 100% do que pagam será devolvido com juros e TR. No nosso exemplo, esses 0,35% só serão suficientes para recuperar o que será perdido com as taxas. No final a pessoa só receberá o que pagou + TR.

Pegadinha 2: Essa “taxa de remuneração básica aplicada à caderneta de poupança”, que aparece no texto, não significa a mesma rentabilidade da poupança. Esse nome “remuneração básica” é como os bancos chamam a TR (Taxa Referencial). Para receber a mesma remuneração da poupança a frase deveria ser assim: “taxa de remuneração básica e remuneração adicional aplicada à caderneta de poupança” Como você pode ver nessa tabela aqui a poupança recebe dois tipos de remuneração:

  1. Remuneração Básica: é a TR (Taxa Referencial) que o Banco Central divulga nos dias úteis.
  2. Remuneração Adicional: é uma taxa fixa de 0,50% de juros ao mês (quando a taxa Selic está acima de 8,5%) ou 70% da taxa Selic quando ela está abaixo de 8,5% ao mês. Entenda a remuneração da poupança aqui.

Entenda a tabela que exibe a remuneração básica e a remuneração adicional da poupança:

Na tabela acima é possível observar a TR na coluna “Remuneração Básica”. Você vai constatar que a TR é uma taxa muito baixa. Um ano inteiro de TR em 2013 acumulou apenas 0,19%. Em 2014 a taxa básica de juros da economia subiu, mesmo assim a TR acumulou apenas 0,85% no ano inteiro. Em 2015, mesmo com a forte alta da taxa básica de juros (taxa selic) o acumulado da TR está em acumulada em 1,4% entre janeiro e outubro. Veja outro histórico da TR visitando aqui.

Deixando seu dinheiro na Caderneta de Poupança você receberá a TR acumulada + 0,50% de juros ao mês sobre 100% do valor que você investiu, e não sobre o que sobrou depois que a instituição financeira retirou a parte dela (cota de carregamento) e cota de sorteio. Dificilmente você encontrará um título de capitalização que rende igual ou mais do que a Caderneta de Poupança. Veja um texto retirado do site da SUSEP (que regula o setor):

Veja o problema sofrido por uma pessoa que se sentiu enganada pelo banco ao investir em título de capitalização, acreditando que teria a mesma rentabilidade da Poupança. Leia o relato aqui. Infelizmente é um problema muito comum.

No gráfico abaixo, utilizei este simulador de juros compostos para simular quanto seria possível acumular poupando R$ 30,00 por mês na poupança durante 60 meses (5 anos). Veja o resultado:

No final de 5 anos a pessoa teria poupado R$ 1.830,00 e teria recebido R$ 407,11 de juros se a remuneração total da poupança fosse de 0,65% ao mês (0,50% + TR) . Levando em consideração somente os 0,50% ao mês de juros, podemos dizer que escolher um título de capitalização (como o título que estamos usando como exemplo desde o início deste artigo), significa abrir mão de R$ 303,57 que equivalem aos 0,50% mensais acima do valor investido, que seriam pagos pela Caderneta de Poupança. Na prática, podemos dizer que o custo de participar dos sorteios é equivalente ao quanto iremos perder em dinheiro optando pelo título de capitalização no lugar de optar por outros tipos de investimento. Como as taxas de juros estão muito elevadas (no momento em que escrevo este artigo), existem investimentos de renda fixa que prometem dobrar o que você investiu em apenas 6 anos.

Título de Capitalização com Rentabilidade de 100%?

A falta de entendimento sobre as promessas das instituições financeiras pode ser ainda mais grave. Encontrei uma reclamação curiosa no “Reclame Aqui” mostrando que as pessoas confundem a restituição de 100% do valor investido com rentabilidade de 100% sobre o valor investido. São duas coisas totalmente diferentes. Leia o depoimento completo visitando aqui. Você verá que, segundo o cliente da Caixa, a propaganda dizia “NO FINAL DO PLANO, VOCÊ RESGATARÁ 101% DO VALOR GUARDADO, CORRIGIDO PELA TR”. Como o título custava R$ 1.000,00 (de uma única vez), o cliente acreditou que receberia juros de 101% sobre R$1.000,00, ou seja, além de receber os R$ 1.000,00 que investiu de volta, ele acreditava que iria receber outros R$1.010,00 de juros corrigidos pela TR. Na cabeça dele, receberia R$ 2.010,00 + TR. Ele acabou ficando decepcionado quando, depois de 2 anos, recebeu R$ 1.010,00 (que é 101% do que pagou) corrigido pela TR que resultaram em mais R$ 7,04 de correção. Fico imaginando que muitos destes R$21 bilhões investidos por brasileiros em títulos de capitalização são investimentos inconscientes, de pessoas que não sabem o que estão fazendo e que estão acreditando nas recomendações de investimento das instituições financeiras. Leia esse artigo para entender que você nunca deve perguntar para ninguém sobre onde investir seu dinheiro.

Imposto de Renda nos Títulos de Capitalização:

Existe cobrança de imposto de renda sobre Títulos de Capitalização. Se você obtiver algum ganho, 20% ficam com o Governo Federal em forma de imposto de renda recolhido pela própria instituição financeira (sem que você tenha que fazer qualquer procedimento). Se for sorteado e receber algum prêmio em dinheiro o imposto de renda será de 30% (fonte). Mais uma vez, títulos de capitalização não podem ser comparados com a Caderneta de Poupança, que é isenta de imposto de renda, tem liquidez e você recebe 100% do que investiu com 0,5% de juros ao mês + TR.

Prêmio no Título de Capitalização:

É necessário ter muita sorte para conseguir ganhar algum dinheiro através dos sorteios. No exemplo do título da Caixa que estamos analisando, os títulos são ordenados em séries 1.000.000 de títulos. Se você possui apenas 1 título, a possibilidade de ganhar o maior prêmio semanal é de 1 em 1 milhão. Para que você tenha ideia do que isso significa, o risco que você corre de ser atingido(a) por um raio é de 1 em 576.000. A probabilidade do planeta Terra sofrer uma colisão catastrófica com um asteroide nos próximos 100 anos é de 1 em 5 mil. Mesmo que você ganhe, isso não vai resolver todos os problemas da sua vida. O maior prêmio semanal é de R$ 30 mil. O prêmio mensal é de R$ 300 mil e o prêmio do último sorteio no final dos 60 meses é de R$ 750 mil. A maioria dos prêmios (100 por semana) só pagará R$ 150,00. Apostando R$ 20,00 para jogar em 7 números na QUINA, a probabilidade é de 1 em 1.1 milhões e o último prêmio foi de mais de R$ 8 milhões (fonte). A QUINA possui bilhetes que custam apenas R$ 1,50. Vale lembrar que nem todo título de capitalização possui sorteios.

Poupança Forçada:

Muitos defendem títulos de capitalização alegando que são uma forma de poupança forçada que disciplinam as pessoas a pouparem mais. Dizem que o sorteio em dinheiro tem papel educativo, pois estimula o hábito saudável de poupar.

O educador financeiro que recomenda isso, no meu ponto de vista, seria como um nutricionista recomendando o maior consumo de batata-frita em lanchonete fast-food que oferece brinquedos como brindes. De forma educativa, a criança estaria aprendendo a comer mais vegetais (batata) e o brinquedo ajudaria a criar esse hábito.

Título de capitalização quase um é jogo de azar, não estimula a poupar, estimula o vício no jogo, a esperança do dinheiro fácil e rápido sem trabalho. Da mesma forma que batata-frita com brinde não estimula uma alimentação saudável baseada em mais verduras, legumes e tubérculos. Só estimula a comer mais frituras em lanchonetes de comida rápida.

O fato de ser uma maneira forçada de poupar, implica em penalidades. O título é suspenso se você deixar de pagar as parcelas mensais. Nessa situação, o título deixa de concorrer aos sorteios. Para reabilitar o título é necessário pagar as parcelas atrasadas com correção monetária, juros e multa de 1%. Nem preciso dizer que essa multa nunca mais será resgatada por você.  Quatro meses de atraso significa cancelamento do título de capitalização e devolução de uma parte de todo dinheiro investido.

É importante lembrar que em títulos de capitalização com prazos maiores que 12 meses, as parcelas não são fixas. Elas costumam ser corrigidas anualmente por algum índice, normalmente um índice de inflação como o IGP-M ou o IPCA.

Quem regula os Títulos de Capitalização:

Quem faz a regulação deste mercado é a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados). Eles são uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda. São a entidade responsável pelo controle e fiscalização do mercado de previdência privada aberta, seguros e capitalização. Se alguém oferecer títulos de capitalização de uma empresa desconhecida, é importante verificar se ela tem autorização da SUSEP através deste endereço aqui. No documento “Condições Gerais” de todo título de capitalização é necessário existir o número do “Processo SUSEP”. Com este número você pode fazer uma consulta sobre esse título através desta página aqui. No nosso exemplo, o número que identifica o título CAP TORCEDOR da Caixa é: 15414.900390/2013-58. Fiz a pesquisa e o resultado foi este aqui:

Todo título de capitalização, antes de começar a ser comercializado, deve ter seus critérios técnicos analisados e aprovados pela SUSEP. Por isso, é importante consultar se a empresa é autorizada e se o título foi aprovado pela SUSEP utilizando o formulário acima.

Título de Capitalização é um bom investimento?

Não é um bom investimento. O mínimo que devemos esperar de um investimento é que ele seja capaz de preservar o poder de compra do dinheiro investido. O dinheiro que você investiu e que receberá no futuro, terá um poder de compra menor (se não for corrigido acima da inflação). Hoje, a inflação dos últimos 12 meses supera a marca dos 9% ao ano. A TR, usada para remunerar o título de capitalização, acumulou apenas 0,8% em todo ano passado.

Para entender o efeito negativo da inflação dos últimos anos, que deve continuar afetando as suas finanças nos próximos anos, basta utilizar esse simulador aqui. Simulei quanto seria necessário ter no mês 09 de 2015 para conseguir comprar as mesmas coisas que poderiam ser comprados em 09 de 2010 (5 anos atrás). O resultado foi esse aqui:

A tabela diz que R$ 1000,00 em 2010 possuem o mesmo poder de compra de R$ 1.404,15 em 2015, levando em consideração o índice IPC-A calculado pelo IBGE. Se você tivesse investido em títulos de capitalização em 2010, seria necessário ter uma rentabilidade de 40,41% acumulada nos 5 anos para que o dinheiro investido mantivesse seu poder de compra. Isto mostra o quanto você pode perder comprando títulos de capitalização devido aos efeitos da inflação.

Dica do dia - Melhorando seu desempenho:

Sucesso é o processo contínuo do esforço para tornar-se maior e melhor. É a oportunidade de continuar crescendo emocional, intelectual e financeiramente, enquanto se contribui de alguma forma positiva para outros. Você se sente preparado(a) para atingir aquilo que você definiu como seu sucesso? Escrevi alguns livros que podem ajudar muito na sua jornada rumo ao seu sucesso financeiro e profissional. Eles já estão ajudando milhares de leitores aqui do Clube dos Poupadores. Clique aqui para saber como funciona.