Como comprar títulos públicos passo a passo: Tutorial

Preparei um passo a passo sobre como comprar títulos públicos através do site do Tesouro Direto. Você verá que não existe nenhuma dificuldade. O mais difícil não é aprender a comprar ou vender títulos, o mais difícil é escolher os títulos certos para você. Isto é mais trabalhoso, pois além de conhecer as características de cada título você precisa definir um plano, um objetivo para o seu dinheiro.

Cada pessoa possui necessidades diferentes e planos diferentes para o dinheiro que guarda. Por isto, não existe um título público melhor do que o outro, da mesma forma que não existe um investimento perfeito que ofereça a maior rentabilidade, a maior liquidez e a maior segurança ao mesmo tempo. Mostrei, neste outro artigo aqui, que você precisa aprender a fazer escolhas e se responsabilizar por elas.

Na verdade, o melhor investimento que conheço se chama educação. Quando você investe tempo se educando financeiramente, passa a tomar suas próprias decisões sobre o seu dinheiro sem depender da opinião dos outros. As suas decisões, quando feitas de forma consciente, são melhores do que as opiniões de qualquer especialista, pois só você sabe o que é melhor para a sua vida.

Existem títulos com características diferentes, ou seja, possuem vantagens e desvantagens ou pontos fortes e fracos que você precisa conhecer para decidir. Existem títulos que são melhores quando os juros estão subindo (taxa Selic), outros que são melhores quando os juros estão caindo. Existem bons títulos para aquele dinheiro que você pode guardar por muitos anos ou até muitas décadas e existe aquele título público que é melhor para ser vendido a qualquer momento. Existem títulos que pagam juros semestrais, outros onde os juros e o que você investiu só ficam disponíveis no vencimento do título. Uns pagam juros prefixados, outros juros pós-fixados e outros remuneram a inflação + juros. Existem títulos que custam mais de R$ 6.000,00 e títulos que custam pouco mais de R$ 500,00. Existe um universo de opções que você precisa conhecer.

O objetivo deste artigo não é ensinar como funciona cada título. Isto você encontrará em outros artigos que já escrevi e publiquei aqui no site na categoria Tesouro Direto. Os leitores que possuem e-mail cadastrado aqui no Clube dos Poupadores (é gratuito) sempre recebem recomendações de cursos que podem ajudar aqueles que possuem pouco tempo e precisam acelerar o processo de aprendizado.

Passo 1

Você precisa ter um CPF e uma conta corrente aberta em algum banco. Não pode ser conta poupança, precisa ser uma conta corrente. Existem bancos que oferecem conta corrente sem custos, já escrevi sobre isto em outro artigo. Não faz sentido, nos dias de hoje, você não ter uma conta corrente.

Passo 2

Você precisa se cadastrar em uma corretora (Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários) que será o seu “Agente de Custódia” no Tesouro Direto. Você pode usar a corretora do banco onde você abriu sua conta, para isto verifique junto ao banco quais procedimentos deve fazer.

Outra possibilidade (que eu prefiro) seria abrir uma conta em uma corretora independente (corretora que não está nas costas de um grande banco). A vantagem é que as corretoras cobram taxas menores. As corretoras dos grandes bancos cobram até 5 vezes mais caro de quem pretende investir em títulos públicos. O motivo desta diferença é simples de entender. Eles não querem oferecer uma opção de investimento mais rentável que os fundos de investimento e planos de previdência privada. Estes dois produtos são grandes fontes de lucros para os grandes bancos. Através destes dois produtos os bancos cobram taxas muito elevadas para investirem o seu dinheiro nos mesmos títulos públicos, títulos privados e ações que você poderia investir sem depender deles. Tudo isso você pode aprender a fazer com custos menores e de forma mais eficiente e independente através das corretoras.

Você encontrará a lista de corretoras que trabalham com o Tesouro Direto visitando aqui. As duas maiores corretoras (em números de clientes) são a XP e a Rico que cobram 0,10% ao ano. As corretoras do Itaú e Bradesco que são os dois maiores bancos privados do Brasil cobram 0,50% (5 vezes mais). Entre os maiores bancos públicos, a Caixa cobra 0,40% e o Banco do Brasil cobra 0,50% ao ano. (estas taxas eram válidas no dia que escrevi este artigo).

Pergunte para a corretora que você pretende abrir conta se ela permite comprar títulos diretamente no site do Tesouro Direto. Por experiência própria a XP permite e a corretora do Itaú não permite. Quando não permite, você só pode comprar e vender títulos através do site da corretora. Se for este o seu caso, o tutorial abaixo não terá muita utilidade, pois mostro os passos para comprar através do site do Tesouro Direto.

O processo de abertura de uma conta em corretora é muito simples. Costuma ser tão simples que as pessoas até se assustam, pois esperam a mesma burocracia que teriam abrindo uma conta em um banco. Isto não ocorre, já que a corretora não vai te emprestar dinheiro, não vai fornecer cartão de crédito ou cheque especial. Por isto, eles não fazem muitas exigências. Você vai preencher um formulário no site da corretora. Algumas exigem que você imprima um contrato, assine e envie uma foto dos seus documentos por e-mail. Com estes dados eles possuem meios de verificar se são verdadeiros. Algumas corretoras, durante o processo, ligam para o telefone que você informou para confirmar se o número existe e para conversar pessoalmente com você. É responsabilidade da corretora verificar seus dados e abrir sua conta na BM&FBOVESPA.

Vale destacar que o Tesouro Direto é o resultado de uma parceria entre a BM&FBOVESPA (Bolsa de Valores) com o Tesouro Nacional. Nenhum dos dois prestam atendimento direto para as pessoas físicas. Por isto que existe a figura da corretora que faz o papel de agente de custódia. Ela que cuida do cadastro, presta atendimento, recolhe impostos e taxas, presta informações para o investidor, tira dúvidas, oferece uma conta de onde partem os recursos para o Tesouro e para onde o Tesouro envia recursos quando você vende seus títulos ou quando eles vencem. Por isto, não existem meios de investir em títulos públicos sem ter uma conta aberta em alguma corretora, mesmo quando você opta por investir através do site do Tesouro Direto.

Passo 3

Se entrar em contato com a corretora, no procedimento de abertura da conta, deixe claro que está abrindo com o objetivo de investir em títulos públicos. Eles vão providenciar seu cadastro no sistema. Se surgir algum funcionário da corretora querendo te prestar consultoria (dizer onde você deve investir) seja educado, agradeça e diga que você não precisa de recomendações (leia este artigo para entender). Fale que você está estudando por conta própria (cursos, livros, leituras) e que pretende investir sozinho e sem ajuda. É claro que para isto é importante que você realmente se prepare antes de investir. Se não fizer isto é possível que esta pessoa não saia do seu pé. Da mesma forma que os bancos possuem gerentes que ficam olhando seu saldo para recomendar produtos, nas corretoras também existem especialistas que querem influenciar suas decisões de investimento. Nos dois casos estes profissionais são comissionados quando você toma decisões. Eles são melhor comissionados quando as decisões que você toma são compatíveis com as metas que estabeleceram para ele bater naquele mês.

Se der tudo certo com o seu cadastro, você receberá uma senha provisória da BM&FBOVESPA para o primeiro acesso à área restrita do Tesouro Direto, em que são realizadas as operações de compra e venda, assim como consultas a saldos e extratos. É importante que você informe o seu melhor e-mail durante o cadastro, pois é através deste e-mail que você receberá a sua senha provisória. O tempo que demora entre se cadastrar na corretora e receber a senha depende de cada corretora. Pergunte para a corretora que você escolheu.

O endereço da área restrita é https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/PortalInvestidor/

Se for o seu primeiro acesso informe o número de seu CPF. Depois informe a senha provisória enviada pela BM&FBOVESPA por e-mail. Logo no primeiro acesso, você deverá efetuar a troca da senha provisória por uma nova, de sua preferência, obedecendo as regras: Sua nova senha deverá conter no mínimo oito (8) e no máximo dezesseis (16) dígitos. Deverão ser usados caracteres especiais (! @ # $ % / * – + ?), letras e números (exemplo: [email protected]#34). A senha não poderá ser igual às últimas 6 senhas utilizadas anteriormente. Recomendo que anote e guarde em um local seguro.

Veja a foto da tela de entrada do https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/PortalInvestidor/

Passo 4

Se você fez tudo certo entrará na área restrita da sua conta no Tesouro Direto. O visual da página é parecida com a foto abaixo. No primeiro quadro você verá um gráfico que mostra como você distribuiu seu dinheiro entre os títulos das três principais categorias: Tesouro IPCA, Tesouro Prefixado e Tesouro Selic.

Este gráfico e os percentuais são muito úteis se você já aprendeu a utilizar a estratégia da alocação de ativos. O botão verde escrito “acesse aqui” serve para acessar um questionário. Várias perguntas serão feitas e o site vai te indicar o melhor título para o seu perfil. É uma ferramenta interessante, só que você não deve investir antes de aprender o funcionamento de cada título. No final da página existe uma tabela com o nome e informações de todos os títulos públicos que você pode comprar. É a mesma tabela desta outra página aqui.

 

Passo 5

Clique na opção “Comprar e Vender” no menu horizontal superior e depois clique em “Comprar” como mostra a figura:

 

Passo 6

Agora você deve selecionar a opção “Comprar” e selecionar o nome da sua corretora como mostra a próxima figura:

Passo 7

Chegou o momento de escolher quais títulos você pretende comprar. Cada título possui características diferentes, vantagens e desvantagens. Não existe o melhor título, existe o título mais adequado para cada necessidade. Aqui no Clube dos Poupadores temos diversos artigos que ensinam como investir em títulos públicos. Você pode acelerar sua aprendizagem através de livros e cursos que recomendo, visite aqui.

Observe que para comprar basta informar a quantidade de títulos que pretende adquirir e clicar no botão verde “Continuar”. Para escolher a quantidade de títulos existem duas formas. Você pode preencher o campo “Quantidade Desejada” ou se preferir, pode digitar o campo “Valor Desejado” com quanto deseja investir.

Quando você preenche um destes campos o outro será preenchido automaticamente. Se você digitar 1,00 no campo de quantidade, vai aparecer o preço de um título no campo valor  desejado. Se você digitar 0,50 no campo de quantidade vai aparecer a metade do preço do título no campo de valor desejado. Se digitar 0,10 estará comprando 10% de um título. Se digitar 0,31 estará comprando 31% de um título. Se digitar 1,50 estará comprando um título e meio. A quantidade mínima de título que você pode comprar é 0,01 que equivale a 1% do título. O valor mínimo não pode ser menor que R$ 30,00. O valor da taxa de custódia depende da corretora. No nosso exemplo a corretora XP cobra a taxa de 0,10%. Veja a lista de corretoras visitando aqui.

 

Passo 8

Agora você deve confirmar sua compra. Você poderá ver os títulos que selecionou para comprar, suas informações e o total que será investido. Este valor total precisa estar disponível na sua conta na corretora. Desta forma, antes de comprar os títulos é importante transferir o dinheiro para a sua conta na corretora. Se não existir dinheiro suficiente no momento da liquidação da compra você receberá uma advertência ou suspensão do Tesouro Direto. Por fim, esta página ainda conta com a opção para editar a compra e cancelar a compra.

 

Passo 9

A figura abaixo mostra a tela de sucesso que exibe o número do protocolo. Este protocolo vai demorar 2 dias úteis a partir das 17h para ser liquidado. Utilizando o número do protocolo você pode consultar o andamento do processo. Irei mostrar como fazer mais na frente.

Passo 10

Você pode imprimir o comprovante da compra que acaba de fazer. Veja logo abaixo uma imagem que mostra como seria este comprovante:

 

Passo 11

Para consultar todos os protocolos de compra e venda de títulos públicos siga os passos abaixo.

 

Passo 12

Para acessar o extrato dos seus títulos basta clicar na opção “Consultar” e depois em “Extrato consolidado”. Veja um exemplo na figura abaixo. Clicando na lupa que fica do lado de cada título é possível ter acesso a informações detalhadas sobre cada investimento feito.

 

Passo 13

No final dos 2 dias úteis o seu protocolo será liquidado. A BM&FBOVESPA enviará um e-mail para você confirmando o sucesso da operação.

Passo 14

É muito importante que você entenda o funcionamento dos títulos públicos antes de investir. As vezes recebo mensagens de pessoas que compraram títulos prefixados como o Tesouro Prefixado (LTN) ou o título Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) assustadas. Elas compram o título e depois percebem no extrato que o saldo é menor do que o valor que investiram, ou seja, ficam desesperadas acreditando que perderam dinheiro. Isto é uma demonstração de que compraram o título sem entender o funcionamento.

O valor total de todos os títulos que você possui, exibido no seu extrato no Tesouro Direto, mostra quanto você teria se resolvesse sacar seus títulos antecipadamente, ou seja, antes do vencimento. Lendo o artigo que escrevi sobre o Tesouro Prefixado (LTN) você verá que ao desistir de esperar até o vencimento você terá que aceitar o preço de mercado do título, ou seja, quanto o governo está disposto a pagar por ele antes do vencimento. Você verá no artigo que dependendo do comportamento dos juros o preço do título sofre variações. Elas podem ser boas ou ruins para quem pretende antecipar a venda. Já se você aguardar até o vencimento o seu dinheiro será remunerado pelos juros que você aceitou receber no ato da compra.

Até o título Tesouro Selic (LFT) possui uma diferença entre o preço da compra e o preço da venda do título. Por isto, imediatamente depois da compra é natural que o seu saldo seja inferior do valor investido já que este saldo representa quanto vale o título se você vendesse ele hoje. Você pode fazer uma analogia ao dólar ou ações. O dólar possui um preço de compra e um preço de venda. O mesmo ocorrm com ações. Você sempre compra por um preço maior e caso queira vender imediatamente sempre irá de deparar com um preço menor. Por isto, estude antes de investir. No caso do Tesouro Selic (LFT), o preço do título tende a subir diariamente e em poucos dias o saldo será maior do que o valor que foi investido. Existe ainda a questão das taxas que devem ser consideradas.

Por tudo isto, só invista depois de entender o que está fazendo. Até a Caderneta de Poupança possui suas regras, e como você pode ver neste artigo, são regras bem confusas que as pessoas normalmente não entendem, mas que deveriam entender.

O conteúdo desse artigo é apenas uma pequena demonstração de tudo que você pode aprender através da série de livros sobre investimentos e reeducação financeira do Clube dos Poupadores. Clique aqui e baixe seus livros agora mesmo.

 

By |07/05/2015|Categories: Tesouro Direto|253 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

253 Comments

  1. Edson 7 de maio de 2015 at 17:40 - Reply

    Excelente passo a passo Leandro. Vai facilitar os investidores iniciantes! Parabéns!

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 17:56 - Reply

      Obrigado Edson

      • Roney 27 de agosto de 2015 at 20:08 - Reply

        Ola Leandro, quero agradecer pelo que tem repassado a nós principiantes e aproveitar e tirar uma dúvida, li no site do Edson que a operadora XP cobra uma taxa mensal de R$6,90 alem da 0,1% da taxa de administração Reli seu artigo sobre a corretora XP e fala somente sobre a taxa anual, existe mesmo essa taxa mensal ? Muito obrigado.

        • Leandro Ávila 29 de agosto de 2015 at 10:50 - Reply

          Oi Roney. Eles me cobram R$ 6,90 mensais, mas isto pelo fato de ter investimento em título privado (LCI, CDB, etc). A taxa de 0,10% é anual e referente aos títulos públicos que comprei por eles.

          • Luciano 31 de janeiro de 2016 at 11:23

            Então os R$ 6,90 mensais não serão cobrados se eu investir apenas em títulos públicos? Agradecido

          • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 5:04

            Oi Luciano. Creio que não.

      • Felipe Luiz Carlos 6 de outubro de 2015 at 18:03 - Reply

        Ola Leandro, obrigado por suas dicas. Moro no Japão e gostaria de saber como abrir uma conta em operadora no Brasil para futuros investimentos. Obrigado.

        • Leandro Ávila 6 de outubro de 2015 at 20:08 - Reply

          Oi Felipe, a abertura de conta em corretora pode ser feita pela internet. Entre em contato com alguma corretora e pergunte sobre o procedimento para investir estando fora do Brasil.

    • Evandro Prado 7 de maio de 2015 at 19:03 - Reply

      Muito obrigado, já estava maluco valeu mesmo
      Mas uma vez.

    • Ericsem 9 de maio de 2015 at 11:30 - Reply

      Boa tarde Leandro,

      Uma dúvida: Se por exemplo eu comprar 1 LFT, em dado momento posso vender somente uma fração dela? Por exemplo quero vender 0,5 da mesma e deixar a outra metade rendendo por mais algum tempo..

      obrigado

      • Leandro Ávila 10 de maio de 2015 at 1:52 - Reply

        Oi Ericsem, sim, você pode comprar e vender frações do título.

  2. Emerson 7 de maio de 2015 at 17:51 - Reply

    Essa taxa da BM&FBovespa é cobrada quando? Onde tem que está o dinheiro para ela ser cobrada? Na conta da corretora?

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 17:58 - Reply

      Oi Emerson. Existem 3 custos quando você investe em títulos públicos. Uma taxa de BM&FBOVESPA que é fixa e custa 0,30%, a taxa da corretora onde cada corretora tem a sua e o custo com o imposto. Para entender como funciona leia um dos artigos que escrevi sobre os títulos. No final do artigo existem detalhes sobre os custos. Exemplo: Tesouro Selic (LFT)

      • giovanni 7 de maio de 2015 at 18:55 - Reply

        A taxa de BM&FBOVESPA não é 0,03% a.a.?

        • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:16 - Reply

          Oi Giovanni. A taxa é 0,30% e não de 0,03%. Estou colocando aqui o conteúdo do site do Tesouro Direto que fala sobre as taxas:

          Há cobrança de taxas? Sim. São 2 as taxas cobradas no Tesouro Direto.

          I – Há uma taxa de custódia da BMFBOVESPA de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos, que é cobrada semestralmente, no primeiro dia útil de janeiro ou de julho, ou na ocorrência de um evento de custódia (pagamento de juros, venda ou vencimento do título), o que ocorrer primeiro. Essa taxa é cobrada proporcionalmente ao período em que o investidor mantiver o título, e é calculada até o saldo de R$1.500.000,00 por conta de custódia. No caso em que, no semestre, a soma do valor da taxa de custódia da BMFBOVESPA e da taxa do Agente de Custódia for inferior a R$10,00, o valor das taxas será acumulado para a cobrança no semestre seguinte, no primeiro dia útil de janeiro ou de julho, ou na ocorrência de um evento de custódia (pagamento de juros, venda ou vencimento do título), o que ocorrer primeiro.

          II – Os agentes de custódia também cobram taxas de serviços livremente acordadas com os investidores. As taxas cobradas pelas instituições estão disponíveis para consulta no sítio do Tesouro Direto. O investidor deve confirmá-las no momento da contratação.

          Assim, no momento da operação de compra o investidor pagará o valor da transação (preço unitário do título vezes a quantidade adquirida) mais a taxa do Agente de Custódia referente ao primeiro ano de custódia. Caso o título tenha vencimento inferior a uma ano, a taxa do agente de custódia será proporcional ao prazo do título. A taxa de custódia da BMFBOVESPA (0,3% ao ano) será provisionada diariamente a partir da liquidação da operação de compra (D+2).

          As compras feitas antes de 06/04/2009 continuam com a regra anterior de cobrança das taxas, ou seja, na venda, ou no pagamento de juros, ou no encerramento da posição do investidor. Porém, a partir dessa data, o investidor também será beneficiado com a redução da taxa utilizada no cálculo diário sobre compras feitas há mais de uma ano, que passa de 0,40% para 0,30% ao ano.

          • Horácio 28 de junho de 2016 at 15:58

            Boa tarde Leandro !

            Lendo comentário do dia 07/05/2015 19h16 sobre taxa de custódia de 0,30% da BM&FBovespa, fiquei em dúvida sobre ela ser “calculada até o saldo de R$ 1.500.000,00 por conta de custódia” conforme consta em sua transcrição.
            Minha dúvida é a partir desse valor. O cliente tem uma taxa maior, menor, obtém isenção?

          • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:12

            Oi Horácio, se você tivesse 10 milhões de reais pagaria uma taxa equivalente a de quem tem 1.5 milhões.

  3. Thays Cirene 7 de maio de 2015 at 17:57 - Reply

    Boa tarde.

    No meu período de ferias anual, eu tenho o habito de deixar o todo o meu salario+ferias na poupança e retira-lo somente no mês seguinte, a nível de informação vale a pena comprar Tesouro Selic (LFT) e vende-lo 30 dias depois, eu ganho da inflação? Pois na poupança sei que vou perder.
    Sou nova nesse assunto e o seu site tem me ajudado muito para meu planejamento.
    Obrigada por compartilhar seu conhecimento.

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:33 - Reply

      Oi Thays, o prazo é muito curto. Eu recomendo aprender a investir em títulos públicos pensando naquele dinheiro que você pretende usar depois de 2 anos ou mais, para ajudar em projetos como viagens, compra de carro, compra de casa, aposentadoria e até independência financeira.

  4. Samuel 7 de maio de 2015 at 18:00 - Reply

    Boa tarde Leandro, parabéns pelo artigo!! Contudo, gostaria, se possível, de um esclarecimento: qual modo de comprar seria mais vantajoso, comprar títulos públicos diretamente no site do Tesouro Direto ou no mercado secundário no site da corretora? As corretoras geralmente dizem que as taxas quando se compra diretamente pela corretora são menores que as cobradas na compra direta pelo site do Tesouro Direto. Será que é isso mesmo, confesso que fico com um pé atrás, uma vez que os agentes autônomos de investimento além de possuírem metas para cumprir, também desejam obter as maiores comissões possíveis sobre os produtos de investimento ofertados. Comissões essas que podem estar saindo do nosso bolso. Desde já agradeço. Abraço!!

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:29 - Reply

      Olá Samuel. Algumas corretoras permitem que você compre títulos no mercado secundário, ou seja, são títulos à venda que já foram de outras pessoas ou até são títulos comprados pela corretora. Algumas corretoras oferecem isenção das taxas para quem compra esses títulos. Estes títulos não ficam custodiados na BM&FBOVESPA, ou seja, os títulos são seus mas ficam custodiados na corretora e por isto você não tem o custo de 0,30% da BM&FBOVESPA. Se você confia na sua corretora, não tem problema. Se você prefere não confiar na sua corretora o melhor seria comprar títulos emitidos do Tesouro Direto e manter estes títulos fora da corretora, depositados na CLBC que é da BM&FBOVESPA. Eu nunca comprei títulos no mercado secundário, sendo que a corretora que uso oferece essa possibilidade. Qualquer dia vou comprar para ter a experiência e poder comparar e observar as diferenças na prática. Quem sabe depois escrever sobre isso.

  5. Charlenne 7 de maio de 2015 at 18:13 - Reply

    Oi Leandro, obrigada pelo trabalho desenvolvido nesse site que com certeza foi e ainda é um instrumento muito importante na minha educação financeira. Você tem uma didática muito bacana em todos em seus artigos. Obrigada por todos ensinamentos!

  6. Priscilla 7 de maio de 2015 at 18:34 - Reply

    Leandro…sou uma investidora que está começando agora, inclusive nos estudos. Qual a vantagem de comprar direto do site do Tesouro se de qualquer forma precisa da corretora? Obrigada!

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:23 - Reply

      Oi Priscilla. Não existe vantagem ou desvantagem. Como meu objetivo era ensinar um leigo a comprar títulos e como sei que cada corretora possui um site diferente, a melhor forma seria usar como exemplo o site do Tesouro Direto, já que a maioria das corretoras permitem que você compre das duas formas, pelo tesouro ou pelo site da corretora.

      • Marco Telles 26 de junho de 2015 at 17:01 - Reply

        Olá Leandro,

        Graças as suas informações e vídeos que assisti, enfim fiz minha primeira aplicação no Tesouro Direto (rs), via corretora Rico, que me agradou mais entre outras 2 que me cadastrei para testar. O que estranhei e motivou minha volta ao seu blog para pesquisar, é que ao entrar no site do Tesouro Direto, não consigo fazer uma compra porque ele exibe a seguinte mensagem: “Investidor, você foi habilitado por seu Agente de Custódia a realizar agendamentos, compras e vendas de títulos por intermédio do próprio Agente. Para realizar seus agendamentos, compras ou vendas entre em contato com o seu Agente de Custódia por meio dos telefones, sites e endereço.”
        Pergunto-lhe, esse procedimento é normal ?

        Grato

        • Leandro Ávila 21 de setembro de 2015 at 2:45 - Reply

          Oi Marco. Existem corretoras onde você só pode fazer o investimento pelo site da corretora.

  7. Nilton 7 de maio de 2015 at 18:35 - Reply

    Quem garante que o governo não vai dar o calote? Em outras oportunidades isto já aconteceu.

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:08 - Reply

      Olá Nilton. É importante entender que existe diferença entre calote da dívida externa e calote da dívida interna. A primeira é paga em dólares, moeda que o país não pode imprimir e que não pode arrecadar através de impostos. A segunda é paga em reais, moeda que pode ser produzida gerando inflação, moeda que pode ser tomada da população através do aumento dos impostos. Recomendo a leitura do artigo que escrevi sobre o risco de investir em títulos públicos.

  8. Marcos 7 de maio de 2015 at 18:52 - Reply

    Olá Leandro! Parabéns pelo excelente artigo! A corretora EasyInvest não cobra taxa. Você a recomenda? Muito Obrigado!

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:09 - Reply

      Oi Marcos. Não sou cliente da Easyinvest, não tenho informações sobre eles. Mas sei que vários leitores do Clube são clientes.

  9. Saulo 7 de maio de 2015 at 18:52 - Reply

    Ola Leandro,

    Uma dúvida: consigo comprar os titulos do tesouro direto pelo site da corretora ou direto pelo site do tesouro, teria alguma diferença entre estas 2 formas?

    Obrigado,

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:14 - Reply

      Oi Saulo. Se você já compra os títulos no site da sua corretora, pode continuar comprando. Não faz diferença. Como cada corretora tem um site diferente, não seria possível para mim mostrar os passos de como comprar em cada corretora. Por isto fiz o tutorial ensinando como comprar direto no site do Tesouro. Normalmente as corretoras permitem que você compre das duas formas. Já para acompanhar os protocolos e visualizar o extrato, o site do Tesouro é melhor do que a corretora que uso.

  10. Evandro Prado 7 de maio de 2015 at 18:59 - Reply

    Que bom eu já estava pirando meu saldo eu 15.700,00 depois foi para 15.490,00 mas uma vez
    Muito obrigado.

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:22 - Reply

      Olá Evandro. Estes 15.490,00 é o quanto Tesouro aceita para para recomprar seu títulos antecipadamente e você desistir esperar até o vencimento. Se você esperar até o vencimento irá receber os juros prometidos no momento da compra. Por isto é tão importante comprar o título com aquele dinheiro que você pode investir até a data de vencimento. Por isto também é importante ter uma reserva para emergências, de tal forma que você não precise usar os seus títulos prefixados e título que remunera pelo IPCA para cobrir imprevistos.

  11. Patrícia 7 de maio de 2015 at 19:07 - Reply

    Oi Leandro. Me esclarece uma dúvida? Estou escolhendo uma corretora pra investir e quando você escreveu “Pergunte para a corretora que você pretende abrir conta se ela permite comprar títulos diretamente no site do Tesouro Direto… Quando não permite, você só pode comprar e vender títulos através do site da corretora… “, fiquei confusa. Qual a diferença entre comprar no site do TD ou do site da corretora? O home broker da corretora é o que nos dá acesso direto ao site do TD?
    Ah! Parabéns pelos artigos. Cada dia aprendo um pouquinho mais com sua ajuda. Muito obrigada.

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 19:31 - Reply

      Oi Patrícia. A única diferença é que se a corretora só permitir comprar títulos pela corretora o tutorial que escrevi não terá utilidade para você. Cada corretora possui um site próprio, um home broker próprio.

  12. Marcelo 7 de maio de 2015 at 19:52 - Reply

    Olá, Leandro
    Mais uma vez, Parabéns.

    Nunca investi no Tesouro Direto, mas quero iniciar.

    Como é feito o controle de investimentos mensais?
    É semelhante à poupança? Ou é melhor fazer um aporte maior em um ou mais títulos em vez de aportes menores e mensais?

    Abs

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 21:14 - Reply

      Olá Marcelo. Você pode acessar extratos dos seus títulos onde é possível ver os títulos que você já comprou e o valor atual de cada título. Isto pode ser feito no site do Tesouro Direto, como mostrei no artigo, ou no site da corretora. O ideal seria estudar e entender o funcionamento dos títulos e diversificar dependendo do objetivo que você definiu para seu dinheiro. Com relação a fazer pequenas compras é importante só verificar o custo que você terá transferindo dinheiro entre o seu banco e a corretora. Se for uma operação sem custos, tanto fazer pequenas compras mensais ou grandes compras de tempos em tempos.

  13. Gabriela 7 de maio de 2015 at 21:01 - Reply

    Leandro, boa noite.
    Olhando a lista de corretoras, vi que algumas como, por exemplo, a Tulett Prebon ou a CORVAL CVM S.A. não cobram nenhum tipo de administração.
    Sendo assim, qual a vantagem de investir através de uma corretora como a XP ou de um grande banco, se por lá há cobranças de taxas?
    Seria a confiabilidade da instituição?
    Caso alguma corretora venha a abrir falência, o investidor pode ser prejudicado?
    Obrigada

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 21:10 - Reply

      Olá Gabriela. A Corval está em processo de liquidação, ou seja, ela foi fechada pelo Banco Central por irregularidades contra aqueles que investiam em títulos públicos através dela. Eu pessoalmente não gosto da ideia de investir através de uma corretora que não cobra nada, principalmente corretoras de pequeno porte que utilizam este artifício para atrair clientes (como uma estratégia de marketing). Já pude ver outras corretoras que ofereciam o serviço com taxa zero que utilizaram esta estratégia para crescer a carteira de clientes até o momento que os donos venderam a corretora para outra corretora. Por isto eu recomendo aquilo que eu faço. Se existe um serviço sendo prestado, é bom que você possa pagar por ele para que possa exigir um serviço de qualidade. Existem corretoras que são as maiores em número de clientes, existem corretoras que não são tão grandes mas que existem há muitas décadas. Sobre a falência das corretoras estou colando aqui a orientação do próprio Tesouro Direto sobre o assunto: “Os títulos adquiridos no Tesouro Direto ficam registrados no nome do investidor, sempre sob responsabilidade de um Agente de Custódia (corretora). Caso seja decretada a falência, a liquidação extrajudicial ou a concordata da instituição contratada como Agente de Custódia, os títulos registrados no nome do investidor junto ao Agente de Custódia permanecerão na propriedade do investidor, não sendo tais títulos destinados ao pagamento de credores da massa falida. O investidor poderá, ainda, contratar outro Agente de Custódia para a administração de seus títulos. Finalmente, esclarecemos que as transferências dos títulos adquiridos pelo investidor são efetuadas somente mediante sua autorização.”

  14. winicius alves 7 de maio de 2015 at 21:04 - Reply

    Só estava faltando essa peça do quebra cabeças pra eu criar coragem para investir,um exemplo prático que dá muita segurança já que o site por se só gera um pouco de insegurança, fiquei mais inseguro ainda no xp pró acho que vou comprar somente pelo site do tesouro.Abraços e obrigado!!

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 21:32 - Reply

      Oi Winicius. O software XP PRO não é muito amigável. É o mesmo software utilizado por quem investe na bolsa de valores pela XP, foi desenvolvido para investidores profissionais. Já este novo site do Tesouro Direto ficou mais simples e com isto você se sente mais seguro devido a simplicidade.

  15. Antonio 7 de maio de 2015 at 21:20 - Reply

    Seus artigos são muito esclarecedores. Mas me surgiu uma dúvida: posso investir no TD através de mais de uma corretora?

  16. marcelo 7 de maio de 2015 at 21:52 - Reply

    Olá Leandro, Agradeço pelo seu tutorial.(Excelente).Já lí vários de seus artigos/livro sobre imóveis assim como o seu material TD também.Bem, Várias empresas da área financeira relatam o baixo risco dos investimentos em TD.(é óbvio, cada um quer vender seu produto ou serviço e receber por isso), Porém uma coisa gostaria que fosse discutida/esclarecida. Já sabemos que teoricamente o TD é um investimento “seguro” de baixo risco e como você já escreveu, quem garante o investimento é o Povo Brasileiro(Caixa do Tesouro Nacional).Também sabemos que existem agências classificadoras de risco internacionais p/ os investimentos/risco país,(até no site do TD tem informações sobre o grau do risco/país porém nós não sabemos o grau de honestidade dessas classificações e o que anda por trás destas indicações mediante ao jogo de interesses no mercado financeiro e principalmente governamental. Já tivemos em gov. passados, mais preciso o gov.do Collor em que o gov. confiscou o $ de muita gente. Nem quero relembrar esta maldição(me desculpem a colocação) Sabemos que o atual Gov. está com baixa credibilidade e mesmo assim pratica a irresponsabilidade em não respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal e usa de toda forma de mascaramento da VERDADE da nossa economia.( Não dá pra confiar em relatórios/ indices de inflação relatada pelo gov., pois sabemos que o INTERESSE POLÍTICO é mais forte do que qualquer projeto para a nação. Infelizmente somos explorados e ainda pagamos a peso de ouro toda esta máquina político-administrativa, com baixíssimo retorno p/ a sociedade. Uma máquina ineficiente, ineficaz e extremamente cara.)
    Gostaria que nós escreve a respeito de qual garantia teríamos em receber a devolução dos investimentos a LONGO PRAZO(Retirar a Previdência Privada do Banco e comprar títulos a LP no TD), no caso de haver um colapso geral da nossa economia, se o Tesouro Nacional LEGALMENTE poderia reter o $ a mando do Gov.( Basicamente um Confisco temporário/ou não dos investimentos no TD).
    1-Existe alguma proteção do FGC para os investimentos em TD ?
    2- A CVM estipula alguma proteção para os investidores em TD ?
    3- Existe dentro da nossa Legislação uma garantia de receber o $ de volta no caso ocorrer algo do tipo ?

    Grato se puder me esclarecer sobre esta dúvida.

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 23:42 - Reply

      Oi Marcelo. A Secretaria do Tesouro Nacional, que é a responsável pelo Tesouro Direto, é um órgão do Ministério da Fazenda. É um órgão muito superior ao Fundo Garantidor de Créditos (FGC) que é uma entidade privada sem fins lucrativos onde os banco são associados. Desta forma, não faz sentido o FGC oferecer garantia para um braço da entidade máxima do sistema financeiro que é o Ministério da Fazenda. O que ocorre é justamente o contrário. Se um grande banco, no futuro, enfrentar problemas é provável que o Ministério da Fazenda tenha que socorrer este banco para evitar que o problema se espalhe pela economia. A CVM é uma autarquia ligada ao Ministério da Fazenda Veja o organograma. O poder de ação de quem controla o sistema financeiro é muito maior do que o FGC. Por isto que o investimento em títulos públicos, em qualquer país, é tido como o mais seguro, já que nenhum banco privado, nenhuma instituição financeiro tem o poder do Governo sobre a economia. Sobre o risco político. O Brasil é composto de três poderes, um não pode fazer aquilo que bem entende sem os outros poderes concordarem com isso. O objetivo do partido político que hoje se encontra no poder é de transformar radicalmente o sistema em que vivemos hoje, transformando o Brasil em um pais socialista como você pode ler neste documento aqui que se encontra no oficial site deles. Depois da página 28 existem palavras de ordem do tipo “Abaixo a política de austeridade! Anulação das Privatizações! Não Pagamento da Dívida! Fora os capitalistas do governo!”. No decorrer da leitura do documento fica claro que eles não estão conseguindo fazer o que querem por existir falta de apoio da sociedade, apoio do congresso, senado, meios de comunicação e justiça. Existe uma enorme diferença entre o que o atual governo deseja fazer e o que ele pode fazer. Por este motivo, eu pessoalmente invisto minhas economias no Tesouro Direto pensando na minha aposentadoria. Não acredito que exista espaço para qualquer iniciativa que tenha como resultado quebrar o sistema financeiro, quebrar bancos, dar calote na dívida, etc. Fica bem claro que o que o partido deseja fazer é uma coisa e o que a presidente mandou o Joaquim Levy fazer é o contrário. Quem planeja a aposentadoria só com o INSS está em uma situação de risco, como mostrei aqui. Quem confia em planos de previdência privada, está pagando caro para que eles invistam em títulos públicos. Quem confia em fundos de pensão pode ter problemas sérios no futuro. O que escapa atualmente são os títulos públicos e os investimentos em bancos dentro dos limites de proteção do FGC para cada banco que você investir. Ações, Debêntures e Fundos Imobiliários são investimentos de risco, não possuem nenhuma garantia ou proteção e exige mais estudo do investidor. Os riscos políticos sempre existiram e vão continuar existindo já que não temos a mínima ideia de quem irá nos governar nas próximas décadas. Se um dia no futuro a sociedade e todos os poderes estiverem de acordo sobre algum assunto, isto pode virar lei ou pode transformar as leis. Até mesmo uma nova constituição pode ser feita do zero anulando a atual caso a sociedade apoie e os políticos no poder queiram fazer. Sempre existe algum nível de risco. O que devemos avaliar são as probabilidades. É interessante ler o artigo que escrevi sobre o risco de investir em títulos públicos.

  17. Rita Matos 7 de maio de 2015 at 22:41 - Reply

    Nossa Leandro, adorei, porque estou começando agora e me tirou as dúvidas que tinha mesmo acompanhando seus artigos. Aprender sem praticar não adianta nada. Admiro demais o seu trabalho.
    Gratidão pelas suas dicas e por nos auxiliar..
    Deus te ilumine!

  18. Gilmar 7 de maio de 2015 at 23:23 - Reply

    Parabéns pelos seus artigos Leandro! Foi através deles e de outras pessoas de boa vontade como você que venho estudando muito sobre investimentos em geral, e finalmente criei coragem e abri uma conta na corretora Rico e já comecei a abandonar a poupança….Só lembrando que o ideal seria abrir uma conta em uma corretora que possua conta no mesmo banco que o seu, facilitando assim as transferências(E evitando gastar com DOC ou TED).

    • Leandro Ávila 7 de maio de 2015 at 23:59 - Reply

      Oi Gilmar. É verdade. No caso da corretora que uso a transferência é feita por DOC ou TED. Isso é ruim para quem não possui conta corrente que ofereça pelo menos alguns DOCs ou TEDs por mês gratuitos. Sei que existem corretoras com contas em diversos bancos.

  19. Mário 7 de maio de 2015 at 23:39 - Reply

    Boa Noite Leandro,
    Tenho 21 anos, e é a primeira vez que ouvi falar nesta coisas, sem querer cliquei no seu site (ontem), inacreditável, achei interessante e percebi que um pouco mais de informação iria me ajudar…

    Aprendi muitas coisas importantes na minha vida, mas uma delas marcou, foi numa palestra
    de economia, não me lembro o nome do palestrante, mas era japonês… Ele disse assim, deixe o dinheiro trabalhar por você e não você trabalhar por ele, mas pra isso precisa obter conhecimento e Entender como se Fazer isto…
    Quero parabenizar pelo seu trabalho que eu pude ver até o momento… vou mergulhar ainda mais…
    Se Deus quiser vou começar investir no LCI, percebi lendo seus artigo uns dos mais certos de iniciar… já falei com o gerente do Banco (BB) sei que conforme você diz no artigo que por ser um banco Seguro a rentabilidade será menor, mas mesmo assim melhor do que a poupança… Eu pesquisei no site do banco q o LDI rende 80% do CDI, pelo meus cálculos daria acima de 10.4% a.a e ao mês 0.85% mais ou menos. quero uma posição sua sobre isto e seu eu consigo negociar este aumento da % do CDI…

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 0:09 - Reply

      Oi Mário. Esse que você chamou de japonês é o Robert Kiyosaki. Ele é autor de muitos livros de educação financeira, veja aqui. Normalmente eles oferecem taxas maiores quando você tem valores maiores para investir e taxas menores quando você tem pouco para investir. Como a taxa DI atual é de 13,13% (www.cetip.com.br) então 80% disso seria 10,50%. Convertendo isso para uma taxa mensal seria 0,8355 usando a ferramenta que temos em http://www.clubedospoupadores.com/conversor-de-taxas-de-juros-anual-para-mensal Se você observar a taxa que a poupança está pagando aqui verá que os 80% do CDI já garantem uma rentabilidade superior a da poupança. Pode ser uma boa oportunidade de fazer seu primeiro investimento ganhando da poupança e tendo essa nova experiência. No futuro você vai querer aprender mais, vai querer ter novas experiências e poderá encontrar outras opções com rentabilidades maiores, vai se interessar por buscar estas rentabilidades em outros bancos ou em outras modalidades de investimento. O importante é que você aprenda aos poucos e comece a ter suas experiências.

  20. Jairo 8 de maio de 2015 at 0:31 - Reply

    Leandro,
    Seus artigos impressionam pela clareza, simplicidade e didática. Digo, sem demagogia, que o considero o melhor educador independente. Seu site me esclareceu muitos detalhes que outros não explicam e através dele perdi o medo de diversificar meus investimentos. Te desejo muita saúde para continuar realizando esse trabalho magnífico.

  21. Abilio 8 de maio de 2015 at 7:35 - Reply

    Leandro, na consulta do extrato (consolidado ou analítico) não consegui achar a data de vencimento. Eu não costumo imprimir o recibo na hora da compra. Você tem alguma ideia de como descobrir a data de vencimento? Obrigado.

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 13:29 - Reply

      Olá Abilio, no extrato consolidado aparece o nome de cada título, está até na cor verde. Anote o nome e depois retorne para a primeira página onde aparece a lista de títulos e todas as suas características. Exemplo: Se você comprou o título Tesouro IPCA+ 2019 (NTNB Princ) verá que ele possui o vencimento 15/05/2019. Outra forma de ver os vencimentos é nessa tabela aqui.

  22. Acir Abel 8 de maio de 2015 at 8:43 - Reply

    Como de costume, mais um texto exemplar! Você é grande inspiração para quem procura levar educação financeira à população que teve menos acesso a informação. Parabéns pelo excelente trabalho!

    Você poderia comentar sobre o caso de troca de títulos pois me perdi uma vez com isto: posso resgatar um e investir o valor resgatado em outro no mesmo dia? Como funcionam os prazos de liquidação do Tesouro Direto? Que cuidados devo ter com os horários? E com o imposto de renda sobre o resgate? É mais seguro fazer isto diretamente no site do Tesouro Direto, sem passar pela corretora, que pode ter outros prazos?

    Grato, vou na mesma toada do Jairo: sucesso e muita saúde!

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 13:44 - Reply

      Oi Acir. Na área restrita do tesouro direto é possível agendar o reinvestimento, ou seja, quando chegar o vencimento do título você já deixa programado para ser reinvestido em outro título. Não vejo diferença em fazer isto pelo site do tesouro ou no site da corretora. A figura abaixo mostra o fluxo da compra.

  23. Abinadabe 8 de maio de 2015 at 9:07 - Reply

    Parabens Leandro, excelente passo a passo. Tenho lido diversos artigos seu e cada um melhor do que o outro.
    Apenas uma duvida, a transferencia do recurso do meu banco para corretora se faz normalmente com um TED de conta para conta?

    Grato.

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 13:46 - Reply

      Olá Abinadabe. Depende da corretora. Existem corretoras onde é possível fazer TED ou DOC, existem outras que possuem contas em diversos bancos, neste caso basta transferir o dinheiro para a conta que a corretora tem no seu banco, com isto não existe taxa.

  24. Marcos 8 de maio de 2015 at 9:13 - Reply

    Artigo ótimo.
    Já vi sites que cobravam para apresentar esse tipo de conteúdo.

    Parabéns por seu trabalho que nos ilumina e nos instiga a aprender cada vez para
    sermos independentes.

    Sucesso em sua jornada.

  25. Flávio Roberto Gomes Giraldi 8 de maio de 2015 at 10:56 - Reply

    Oi Leandro, tudo bem?
    Como sempre seus artigos são muito bons
    Leandro, sou sócio de tres corretoras: da walpires, da easyinvest e da XP. Gostaria de saber a sua opinião sobre elas. Na Walpires concentro meus rendimentos em ações, na easyinvest, tenho apicações em tesouro e quero comecar a aplicar em renda fixa e na xp tenho uma aplicação em Tesourio Direto.
    Com relação a Walpires e a XP eu tenho algumas referências positivas, mas gostaria de saber sua opinião sobre a Easyinvest,
    Obrigado

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 13:56 - Reply

      Oi Flávio, eu não tenho como emitir opinião sobre as corretoras pois não as conheço como cliente. Atualmente sou cliente da XP. Para ter opinião seria necessário testar várias corretoras, por isto não tenho como recomendar nem a XP, pois para fazer isto seria necessário ter como referência os serviços prestados pelas outras.

  26. Vinicius 8 de maio de 2015 at 11:05 - Reply

    Olá, prof. Leandro. Ótimo artigo! Fui seu aluno na UFRGS, parabéns pela iniciativa do site! Abraço!

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 13:58 - Reply

      Oi Vinicius, com certeza eu não sou seu professor da UFRGS, pois ainda fui convidado para dar aula lá. 🙂 De qualquer forma obrigado e um abraço!

      • Vinicius 12 de maio de 2015 at 16:51 - Reply

        Bah, é verdade! Confundi com Leandro Vieira, do site administradores.com.br.
        De qualquer jeito, são ótimos sites! Obrigado e parabéns!

  27. Adriana 8 de maio de 2015 at 11:36 - Reply

    Olá Leandro td bem?Gosto muito do seu trabalho. Gostaria de saber se no caso de morte como um familiar consegue resgatar o dinheiro…Obrigada,um abraço.

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 14:01 - Reply

      Oi Adriana, a família consegue resgatar da mesma forma que consegue resgatar o dinheiro que o falecido deixou no banco, poupança e qualquer outro investimento, ou mesmo imóveis, veículos etc. Tudo é feito pelo inventário. A família de qualquer falecido precisa fazer um documento no cartório chamado inventário e através dele é que todos os bens são repartidos. Com este inventário, os familiares que possuem direitos sobre a herança entram em contato com os bancos e corretora e solicitam a transferência da sua parte da herança para o próprio nome.

  28. Fernando 8 de maio de 2015 at 11:59 - Reply

    Bom dia Leandro! Agradeço a você pela oportunidade de aprender sobre tantos temas interessantes e essenciais para a nossa sobrevivência financeira. Sei muito pouco sobre isso e seus artigos têm me ajudado bastante. Contudo, gostaria de lhe pedir uma orientação sobre a administração de 170 mil reais, fruto da venda de uma casa da minha família. Faz 20 dias que o valor foi depositado em uma poupança da Caixa e até hoje, não consegui ainda passar da teoria à prática. A decisão da minha família foi pagar um aluguel durante 3 anos e, depois disso, dar uma entrada para a compra do imóvel alugado que custa mais ou menos o dobro do que conseguimos. Dos 170 mil, pensei em separar 15% para uma reserva de emergência e deixar o restante aplicado visando à futura compra. Entre LCI, LCA e Títulos públicos, qual é o mais adequado para o médio prazo? E a melhor aplicação para a reserva de emergência? Desde já agradeço a sua atenção e desejo sucesso ao seu maravilhoso projeto.

  29. Vinicius 8 de maio de 2015 at 13:17 - Reply

    Boa tarde Leandro,

    Antes de mais nada, parabéns pelo site claro e conciso, com informações tão úteis e explicadas de forma tão didática. Pretendo ler tudo que puder para melhor me educar financeiramente e aprender mais sobre títulos públicos.

    Ocorre o seguinte: tenho um valor aplicado em CDB pós fixado em um banco privado, com rendimentos crescentes de CDI, que aumentam de acordo com o tempo investido até o vencimento ( começou em 90% e atualmente recebo 94% do CDI e assim sucessivamente até 100% ). Esse foi meu primeiro investimento em renda fixa e estou guardando visando a aposentadoria, logo não pretendo mexer nele até o vencimento.

    Estou estudando a possibilidade de resgatar todo esse valor para investir em NTN-B Principal, apostando que irei receber juros referentes a inflação e SELIC no vencimento, contra apenas o CDI que receberei pelo CDB. Minha pergunta é: como posso verificar se este procedimento vale a pena e ver se estarei realmente ganhando mais a longo prazo ?

    Desde já obrigado !

  30. Leandro 8 de maio de 2015 at 13:46 - Reply

    Boa tarde Leandro,

    Gosto muito dos seus artigos e após ler vários deles começo a entender um pouco sobre o assunto relacionado ao Tesouro Direto. Ainda tenho algumas dúvidas em relação a questão da corretora (Agente de Custódia). Como não pretendo usar o meu banco (devido a taxas mais altas) vou falar mais especificamente da XP que verifiquei ter uma taxa de 0,10% e verifiquei no site deles a cobrança de manutenção de conta de R$ 6,90 (pelo que entendi seria o plano mais simples). No meu caso eu não terei interesse inicialmente em outras aplicações (ações por exemplo), e mesmo no caso de operar somente para títulos do tesouro direto esta taxa de manutenção também costuma ser cobrada ? Este valor no caso é debitado mensalmente do saldo em minha conta corrente na corretora ? A taxa de custódia, taxa anual de 0,30% sobre o valor dos títulos, também é cobrada do saldo da minha conta corrente na corretora ? Vi que ela é cobrada por semestre (Janeiro e Julho), mas é proporcional aos meses em que tenho o título ? Digo no caso de eu comprar em Maio, em Junho já ocorrerá uma cobrança ? Eu recebo alguma notificação antecipada (alguma previsão na consulta na minha conta) destas cobranças por parte da corretora ? Alguma destas cobranças eu tenho a opção de relacionar ao momento do vencimento ou venda antecipada dos títulos ? Resumindo, como existem taxas fixas e variáveis e com vencimentos distintos, pois uma taxa é mensal, outra é anual dividida em 2 semestrais, outras é no momento do vencimento, minha dúvida é em relação ao valor que tenho que manter em minha conta corrente (valor não aplicado) para cobrir estas taxas. Minha intenção é ter este conhecimento para não ficar com valores parados na conta corrente e também não ficar necessitando realizar TEDs para ficar cobrindo estas taxas da corretora.

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 14:19 - Reply

      Oi Leandro, eu pago essa taxa de R$ 6,90, mas acredito que seja pelo fato de ter outros investimentos em renda fixa. Eles debitam mensalmente. A taxa de custódia também é debitada do saldo da conta. Os 0,30% são proporcionais, os 0,10% do primeiro ano é pago no ato do investimento. Eu não recebo notificação por email que a taxa será debitada. Por isto deixo uma quantia na conta da corretora para que estes débitos futuros ocorram. Como são taxas previsíveis é possível calcular e deixar um valor mínimo parado na corretora. Nesta página aqui do tesouro direto, existe um bloco de perguntas e respostas chamado “Quais os custos envolvidos na aplicação (impostos e taxas)?” Logo abaixo existem respostas sobre os custos de forma bem detalhada, mostrando exatamente como eles ocorrem. Com estes dados é possível prever seus custos.

  31. Suellen 8 de maio de 2015 at 15:07 - Reply

    Leandro, muito esclarecedor o seu novo artigo.
    Parabéns pelo excelente trabalho!

  32. Luís Gustavo 8 de maio de 2015 at 15:32 - Reply

    Leandro boa tarde,
    Seguindo seus ensinamentos me cadastrei em uma corretora e hoje fiz minha primeira aplicação em LCI com taxa de 99% em 360 dias, a minha custódia já apareceu no site da corretora, mas para que eu consulte do site da CETIP pelo que entendi demorará cerca de 01 mês, minha dúvida é se apenas quando eu conseguir consultar no site da CETIP terei certeza de que o investimento está no meu CPF, ou estando no site da corretora na minha custódia já é possível ter essa certeza.

    Grato

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 17:48 - Reply

      Oi Luís. O extrato da CETIP é mensal. A probabilidade da corretora ter te passado é perna é muito pequena, as corretoras e os bancos não ficam cometendo crimes a todo momento. O fato da corretora ser cadastrada no CETIP Cerifica, que é o serviço que permite esse registro com o fornecimento do relatório mensal já é um bom sinal. Se a corretora não estiver mentindo informações (cometendo crimes) o fato de aparecer o investimento no site da corretora já significa que a operação foi realizada com sucesso. O extrato da CETIP vai apenas confirmar.

  33. Flávio Roberto Gomes Giraldi 8 de maio de 2015 at 16:18 - Reply

    Oi Leandro. No caso da XP a taxa de 6,90 é cobrada quando vc mantém alguma aplicação em renda fixa, independente se apenas 1 ou mais de uma. Minha pergunta anterior foi no sentido de eu me proteger contra alguma possível fraude, como a que ocorreu no passado com uma corretora. Se eu fizer aportes em uma corretora pra fazer investimentos em CDB, debêntures, etc, eu tenho alguma garantia caso a corretora entre em processo de falência ou cometa alguma fraude?
    Na dúvida do nosso amigo anterior quando ao pagamento de TED´s ou DOC´s há a possibilidade de se abrir uma conta eletrônica no banco. Assim não há cobrança da taxa de TED ou DOC. Digo isso pois sou cliente do Banco do Brasil e mudei recentemente a minha conta para eletrônica em virtude das transferências que faço para as corretoras. No caso da conta eletrônica as transações devem ser feitas exclusivamente por meio eletrônico (Internet, telefone, auto-atendimento). Todas as operações que forem feitas dentro da agência bancárias são cobradas. Na conta eletrônica, pelo menos no Banco do Brasil, não há taxa de manutenção mensal, o que em si já é uma vantagem.
    Flávio

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 17:54 - Reply

      Olá Flávio. Corretoras são intermediárias, ficam no meio entre você e onde o dinheiro será investido. Quando você investe em CDB por corretora, eles só fazem a intermediação entre você e o banco que oferece o CDB, o mesmo vale para LCI, LCA, debêntures, o mesmo vale para os títulos públicos, ações negociadas na bolsa, etc. Se a corretora quebrar o seu dinheiro continua investido em diversas instituições e você transferir para outra corretora. Você só não deve manter muito dinheiro parado na conta da corretora. Sempre que possível invista o dinheiro rapidamente. Podemos comparar com uma agência de turismo. Se você compra passagens da TAM pela Agência X, não vai acontecer nada se a agência quebrar. O problema só ocorre se a TAM quebrar. Se você investir no CDB do Banco Pine através da corretora e a corretora quebrar, não vai acontecer nada com seu investimento. Você só terá problemas se o Banco Pine quebrar, e ai sim existe a garantia do Fundo Garantidor de Créditos. Debêntures não possuem garantia se a empresa que emitiu a debênture quebrar.

  34. Alexandre 8 de maio de 2015 at 16:25 - Reply

    Ola Leandro, primeiramente gostaria de parabeniza-lo e agradecer pelo site e pela clareza das explicações, tem me ajudado muito ja que sou leigo no assunto…
    a minha duvida e se posso investir no tesouro direto como pessoa juridica ou existe alguma maneira indireta de fazer este investimento? muito obrigado desde ja

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 17:14 - Reply

      Olá Alexandre, o tesouro direto é para pessoas físicas. Como pessoa jurídica você pode investir em títulos públicos de forma indireta, através de fundos de investimento. Os fundos DI costumam investir grande parte dos recursos do fundo em Tesouro Selic (LFT). Os fundos Renda Fixa costumam investir em Tesouro Prefixado (LTN). Já os fundos de inflação investem em Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal).

  35. gilson 8 de maio de 2015 at 16:30 - Reply

    Mas Leandro com todas estas taxas não é melhor a poupança??? Apesar de render pouco eu não pago taxa nenhuma!!! A poupança não sairia na frente no final das contas com todas estas taxas ???

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 17:11 - Reply

      Oi Gilson. Coloque na ponta do lápis e compare. Você vai entender por qual motivo o Tesouro Direto está batendo recordes de novos investimentos (fonte) enquanto a poupança está batendo recordes de saques (fonte). No simulador que existe no site do Tesouro Direto é possível saber a rentabilidade líquida, já excluindo taxas e impostos (endereço do simulador). Nos artigos que já escrevi sobre os títulos também ensino a usar o simulador. Neste outro artigo faço uma comparação entre poupança e LFT. Outra opção que ganha da poupança e bate recorde de investimentos é a LCI e LCA. O problema é que a maioria das pessoas sente uma enorme preguiça de aprender a investir em outras modalidades, pois são obrigadas a entender as taxas, são obrigadas a fazer escolhas entre títulos, são obrigadas a estudar. Normalmente estudar é uma coisa relacionada a uma chateação, aprender uma coisa nova pode te forçar a sair da zona de conforto que é a Poupança e isso produz o medo do novo, uma enorme resistência de tentar, uma enorme insegurança ao ter que tomar decisões, e com isto vamos procurando justificativas para não avançar.

  36. Misael 8 de maio de 2015 at 17:21 - Reply

    Olá Leandro.Quero parabeniza-lo por este passo a passo para os novos investidores e tb para os antigos.( como eu), estava vendo muitas mudanças no cenário da apresentação do site, ficou mais fácil visualiza o tipo de TD.
    Muito obrigado pela ajuda pois desde que achei este site estou a cada momento aprendendo mais.
    Agradeço por tudo.

  37. ROGERIO PETTINELLI 8 de maio de 2015 at 18:47 - Reply

    PELO QUE EU ENDENDI SE EU APLICAR R$ 1.000,00 NO TESOURO DIRETO SELIC, PELA CORRETORA. VOU PAGAR 1.000,00 MAIS TAXAS, OU SEJA 0,3% AA, SERIA ENTÃO 1003,00 A PAGAR, SE VENDER NO MESMO DIA POR EXEMPLO, VOU RECEBER QUANTO?
    É SEMPRE O QUE PAGUEI MAIS A SELIC, OU O QUE PAGUEI NADA TEM HÁ VER, OU SEJA VOU RECEBER O PREÇO DE MERCADO.
    AGRADECO ESCLARECER, POIS NO CASO DE AÇÕES É FÁCIL: O QUE FOI PAGO NADA TEM COM O PREÇO DE VENDA, DEPENDE DA COTAÇÃO NO DIA DA VENDA, OU SEJA MAIS OU MENOS DO QUE SE PAGOU.
    NO TESOURO DIRETO PAGA-SE UM VALOR E ESSE VALOR PARA RECEBER NO CASO DE VENDA PODE SER MENOR? PORQUE? QUANDO SE PAGA A COMPRA O VALOR ORÇADO JÁ INCLUI OS JUROS FUTUROS? NESSE CASO O QUE SE GANHA NA APLICAÇÃO?

    ENFIM NÃO ENTENDI A APLICAÇÃO NO TESOURO DIRETO, OU SEJA QUANTO PAGO E O QUE SE GANHA?

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 23:04 - Reply

      Oi Rogério, se você comprar e vender no mesmo dia terá prejuízo. Os títulos não foram feitos para investimentos de curto prazo. Se você visitar a tabela de preços no site do tesouro depois das 18 horas verá o preço de compra e o preço de venda do título. Existe uma diferença entre um e outro. Fora isto, no momento da compra existe a taxa. Se você vender o título antes de 30 dias existe a ocorrência de IOF e o IR na maior alíquota. Leia o artigo que escrevi sobre Tesouro Selic e aprenda a fazer as simulações no site do Tesouro Direto. Leia também este outro artigo aqui.

  38. Marco 8 de maio de 2015 at 18:52 - Reply

    Muito claro e util. Obrigado!!!

  39. Igor 8 de maio de 2015 at 19:48 - Reply

    Leandro,

    Segundo a própria XP, ao comprar os títulos no mercado secundário, os títulos ficam custodiados na Cetip pelo seu CPF , como são feitos em todos os investimentos em renda fixa. E não custodiado na corretora conforme comentou acima.

    Também tenho essa dúvida, mas creio que estão corretos. Poderia ser confirmado entrando antes em contato com a Cetip, ou então fazer uma compra e depois consultar o registro.

    Abraço!

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 22:52 - Reply

      Olá Igor. A informação que tenho é a seguinte. As corretoras podem ter uma conta Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) que é o mesmo tipo de conta que a CBLC / BM&FBOVESPA possui na Selic. Quando você compra o título emitido pelo Tesouro Direto ele fica em seu nome na conta Selic da CBLC/BM&FBOVESPA vinculado ao seu nome e CPF e por isto que te cobram a taxa de 0,30% de custódia. Outra possibilidade seria guardar esses títulos na conta Selic da corretora, onde ela pode te cobrar por isto ou pode não te cobrar (tornando a opção atrativa). Isto permite que a corretora transfira (venda) os títulos que já foram do Joaquim ou do Antonio para você. A corretora Corval foi fechada por usar má fé ou fraudar este sistema. Ela usava os títulos dos clientes como garantia para operações na bolsa sem que eles soubessem (como você pode ver nesta reportagem). Eu não sei como funciona a operação por meio da CETIP. Como falei, em breve pretendo comprar títulos nesta condição para ter a experiência e ver como funciona. Acredito que o ideal seria comprar o título do tesouro e manter o mesmo na conta da CBLC da BM&FBOVESPA, pagando os 0,30% e tendo a segurança de manter os títulos fora do controle total da corretora. Se no futuro você se decepcionar com sua corretora basta abrir conta em outra e pedir a portabilidade. Os títulos continuam na CBLC, mas agora você terá outro agente de custódia.

  40. Alexandre 8 de maio de 2015 at 21:10 - Reply

    Sou bem conservador, e a poupança tem um histórico até internacional. O Japão se reergueu da 2ª Guerra Mundial graças a poupança. Andei fazendo cálculos de alguns investimentos e percebi que a rentabilidade real acima da poupança girava em torno de 200 a 500 reais dependendo do valor investido. e principalmente as taxas aplicadas conjugadas ao IR. Qualquer pessoa declinaria de investir em outra coisa sabendo que no final de um prazo teria apenas 200 ou 500 reais a mais. Seria se expor ao perigo a toa, porque esse valor de rentabilidade não deixa ninguém melhor ou pior.
    Alguns anos atrás investi em ações e perdi muito dinheiro, e nos fundos DI pelo Banco do Brasil, a rentabilidade foi superior a poupança, mas ganho real muito pequeno. Desde sempre ouvi em diversificar as carteiras. Então minha pergunta é: Quando é o momento em que devo alterar os valores das carteiras diversificadas? Tirar de um e colocar no outro? Depois das perdas eu acabei investindo por um período,num fundo,depois retirava o dinheiro c/rentabilidade e colocava de volta na poupança, mas isso parece coisa de louco. Mas não tem como correr risco com valores que ultrapassam 50 mil reais. Suei muito para conquistá-los. O que me diz. Desde já muito obrigado.

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 23:00 - Reply

      Olá Alexandre. Ações é um investimento de renda variável como o dólar, ouro, etc. Não faz sentido comparar ações com renda fixa. Ações se você comprar na alta do preço e vender na baixa vai perder dinheiro. Quem ganha dinheiro na bolsa faz justamente o contrário, compra quando os preços estão baixos e vende quando estão altos. Para saber o que é uma boa ação que está barata é necessário algum estudo e preparo. Os fundos DI investem o seu dinheiro em títulos públicos, principalmente no Título Tesouro Selic. A rentabilidade dos fundos é muito baixa já que os bancos ficam com grande parte dos ganhos já que cobram taxas administrativas muito elevadas. A diferença de rentabilidade entre a poupança e o título público mais conservador que é o Tesouro Selic (LFT) é muito grande atualmente, mesmo depois de descontado as taxas. Leia o artigo Tesouro Selic (LFT) e faça as simulações na calculadora do tesouro, como ensino no artigo. Também tenho um artigo onde fiz comparações entre Poupança x LFT e também outro sobre Poupança e LCI.

  41. Erick 9 de maio de 2015 at 0:24 - Reply

    Gostaria de saber se ao invés de colocar por mês um valor na poupança, eu posso comprar mais do mesmo títulos ou se pra cada operação por mês seriam títulos diferentes. Como fica a rentabilidade?
    Parabéns pela didática dos seus artigos.

  42. Marcelo 10 de maio de 2015 at 7:55 - Reply

    Leandro, seus artigos são sempre ótimos, através deles criei coragem e conhecimento para investir em TD. Ocorre que temos que sempre aprender mais e tem uma coisa que eu não consigo achar resposta.

    O que ocorreria com um titulo indexao pela inflacao se ocorre-se uma deflacao? Hoje eles pagam mais de 6% + IPCA, mas se o IPCA for -5% significa que será remunerado por 1%? ou 6%?

    Esta minha pergunta é devido aos titulos terem opções de longo prazo e por mais que seja improvável não é impossível. Com nosso governo louco cortando investimento, sabe-se lá quais serão os próximos capítulos.

    • Leandro Ávila 10 de maio de 2015 at 10:24 - Reply

      Olá Marcelo. Em caso de deflação você receberá só os juros.

  43. Marco 10 de maio de 2015 at 10:16 - Reply

    Olá Leandro,

    Gostaria que você esclarecesse sobre a BM&FBovespa, que é uma empresa privada, cotada em bolsa e sujeita como outra qualquer (bancos e corretoras) a ser vendida, entrar em recuperação judicial, falência e liquidação.
    O que acontece com os ativos como títulos públicos (tesouro direto), ações, F II, etc, e o papel da CBLC com esses ativos?

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2015 at 23:21 - Reply

      Oi Marco. A BM&FBovespa é a bolsa oficial do Brasil. Não sei se o estado permitiria qualquer situação que levasse a bolsa a uma falência. É um negócio difícil, para não dizer impossível de gerar prejuízos. Eles lucram quando alguém compra, guarda ou vende ações e outros papéis. Não importa se a economia passa por crise ou se a economia está crescendo, eles ganham em todas as situações. Acredito que se você comprou ações, elas continuam sendo suas. Se comprou FII, títulos públicos e a BM&FBovespa falir todos os papéis continuam sendo seus. Você não terá dinheiro na BM&FBovespa, sempre terá ativos que não desapareceriam com a falência da BM&FBovespa. Você teria meios de provar que comprou estes ativos e que são seus.

  44. Lucas 10 de maio de 2015 at 19:27 - Reply

    Boa noite Leandro!

    Sempre ouvimos falar das vantagens de investimento do Brasil em relação a outros paises em relação a taxas de juros altas etc.
    As NTNBs parecem estar entre as melhores opções de renda fixa para o longo prazo, num momento de juros altos. No entanto, analisando uma suposta taxa de 6.5% a.a., fiz algumas simulações para viver com a renda acima da inflação (claro, uma situação hipotética) utilizando a opção de juros semestrais. Com 300k reais investidos, eu teria um renda “vitalícia” próxima de R$1.600 reais. Fiquei um pouco decepcionado com o resultado, devo admitir. Hoje, tendo um custo mensal em torno de R$3.500, percebi que para me “aposentar”, eu precisaria de uma quantia em torno de 700k.
    Dado esse cenário, qual sua opnião em relação a essa “facilidade” de investimentos num país de juros altos? Penso que seria mais interessante e fácil investir na Bolsa se eu vivesse num país mais estável economicamente. Manter o capital numa boa empresa pagadora de dividendos etc.

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2015 at 3:01 - Reply

      Oi Lucas. O problema é que vivemos em um país de economia instável, graças a uma população sem educação financeira, sem educação política, que vota em políticos populistas, aqueles que fazem muitas promessas sem dizer de onde irão tirar o dinheiro. O resultado é que investindo na bolsa de valores você sempre estará correndo grandes riscos. Faz poucos anos que a Petrobras era divulgada como uma empresa forte, estável, promissora com seu pré-sal. Veja a situação daqueles que acreditaram, veja o que o governo fez com a Petrobras. Quanto mais incompetente for o governo, maior a instabilidade e maiores serão as taxas de juros dos títulos públicos e da renda fixa (infelizmente, por um lado)

  45. Dimas 10 de maio de 2015 at 19:46 - Reply

    Leandro, ainda persiste uma dúvida: caso eu compre, digamos, 10 títulos do tesouro com vencimento em 2021 e mais 10 títulos com vencimento em 2025, e daqui a uns 4 meses aconteça algum imprevisto e eu precise sacar o equivalente a 1 título, como se dá essa operação?

    A dúvida é, num caso desses é necessário sacar tudo o que se comprou para cada vencimento? Por exemplo, se eu optar por sacar o valor de 1 título será sacado 10 títulos e posteriormente reaplicados os 9 títulos restantes com uma nova data de início de aplicação?

    Ou apenas é retirado 1 título e os outros 9 permanecem aplicados como se eu não tivesse mexido neles?

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2015 at 2:56 - Reply

      Olá. Você vai informar para o Tesouro Direto se deseja vender o título que vence em 2021 ou o que vence em 2025. São títulos diferentes. Se você tem 10 títulos e vender 1 título antecipadamente você ficará com 9 títulos.

  46. Denny 10 de maio de 2015 at 19:54 - Reply

    Olá Leandro,

    Seus ensinamentos nos trazem altas taxas de retorno. São isentos de IR ? ..rs..rs…

    Sobre os NTNB, a queda na taxa de venda desses títulos nos últimos dias tem relação com a alta o IPCA esperado para 2015 ?

    Grato,

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2015 at 2:54 - Reply

      Oi Denny, títulos públicos não são isentos de IR. Existe uma tabela regressiva.

  47. Uilson Dile 11 de maio de 2015 at 19:05 - Reply

    Olá Leandro. Seus artigos são ótimos eu mesmo tinha muito MEDO de investir em outras aplicações fora a poupança, agora vi que perdi muito dinheiro comecei investindo no Tesouro Selic (LFT) por ele ser o mais conservador e enquanto aprendo mais sobre os outros títulos e essa forma mais pratica que você escreveu esse artigo resolve parte desse medo das pessoas de sair da poupança, outra coisa que acabei de fazer também foi alterar minha conta corrente para conta eletrônica graças a seu outro artigo, agora vou economizar ainda mais cerca de R$ 540,00 ao ano com a iconta do Itaú e ted e doc são de graça via internet ou caixa eletrônico.
    Uma pergunta quando um título vence eu não preciso fazer nada o valor automaticamente vai para minha conta na corretora? E em quantos dias?
    Obrigado meus parabéns valeu!
    Grato!
    Uilson

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2015 at 11:03 - Reply

      Oi Uilson. Quando o título vence você não precisa fazer nada. O dinheiro cai na sua conta na corretora, normalmente em 2 ou 3 dias.

  48. Artur Augusto 11 de maio de 2015 at 19:59 - Reply

    Olá Leandro.
    o senhor e o seu site estão de parabéns. Devo muito ao seu ótimo trabalho.

    Tentei sanar minha dúvida lendo a dos meus colegas, mas não deu certo. Então ai vai a minha:
    Há uma taxa de 0,30% sobre o valor do título.
    Agora para eu entender. Vamos explicar por meio de exemplos, por favor.
    Ficaria assim: compro títulos totalizando 100 mil reais e pago a taxa anual de 300 reais?

    Agora surgiu uma segunda dúvida:
    a taxa da XP de 0,10% é sobre o valor do título também?

    • Leandro Ávila 12 de maio de 2015 at 11:01 - Reply

      Sim Artur, as duas taxas são sobre o valor dos títulos. As duas acabam reduzindo a rentabilidade do investimento.

  49. Cláudio 13 de maio de 2015 at 11:00 - Reply

    Leandro, bom dia

    Estava analisando as taxas atuais de remuneração do Tesouro IPCA, e verifiquei que quanto maior o prazo de vencimento, menor a valor de remuneração que eles oferecem. Isto é uma política padrão ou estes valores podem mudar com o tempo? Parece que desta forma eles estão incentivando que façamos investimentos com menor prazo, mas será que vai ser sempre mais vantajoso investir no título que vence em 2019 ao invés do que vencerá em 2024 por exemplo?

    • Leandro Ávila 14 de maio de 2015 at 4:15 - Reply

      Olá Cláudia, estas diferenças entre as taxas dependem das expectativa do mercado sobre o futuro dos juros e inflação. Taxas menores para o futuro significa que o mercado espera que estas taxas sejam vantajosas no futuro por acreditarem que a inflação e os juros devem diminuir. Já no curto prazo se espera inflação elevada e por isto taxa mais elevada. Estas expectativas podem mudar no futuro.

  50. Alexandre L. Pereira 13 de maio de 2015 at 16:29 - Reply

    Parabéns pelo texto. Sempre esclarecedor.
    Leandro, venho investindo desde o começo do ano em títulos e tenho dúvidas sobre como operar a calculadora de “venda antecipada” que o site do tesouro oferece.
    Você já escreveu algum texto sobre isso? Se não que tal pensar nisso em um próximo texto.
    Abraço

    • Leandro Ávila 14 de maio de 2015 at 4:03 - Reply

      Olá. No site do tesouro, na calculadora deles é possível simular a venda antecipada. No artigo que escrevi sobre LTN mostro como usar a calculadora.

  51. Julio - Araras/SP 13 de maio de 2015 at 16:46 - Reply

    Oi Leandro! Conheci seu site há mais ou menos 30 dias e tenho lido muitos dos seus artigos, que são excelentes. Seus artigos me deram uma boa noção de aplicação em Tesouro Direto. Abri esta semana a conta na Spinelli. Fiz como você recomendou: fiz contato com 3 corretoras (XPI , Rico e Spinelli), através de e-mail e 0800, e escolhi o atendimento da Spinelli. Agora pretendo investir em NTN-B Principal e aguardar o momento mais propício para investir alguma coisa em LTN. Só tenho uma dúvida: se eu for comprar os titulos, com vencimento em 2018 por exemplo, já seria adequado eu deixar o valor na conta da corretora dos títulos + a taxa anual de corretagem de 0,08% multiplicado por 3 (pois o título vai vencer daqui a 3 anos) + a taxa anual de custódia de 0,3% multiplicado por 3 também? Penso em fazer desta forma, para evitar de ter que fazer tranferências futuras de valores irrisórios para cobrir estas taxas. Finalmente gostaria de agradecê-lo profundamente pela sua competência, dedicação e paciência.

    • Leandro Ávila 16 de maio de 2015 at 2:11 - Reply

      Oi Julio, sempre deixo uma pequena quantia na conta da corretora para cobrir estes custos. Continue estudando, lendo sobre o assunto, acompanhando os títulos e aprendendo. Não existe nada melhor do que isto.

  52. Pedro 14 de maio de 2015 at 14:23 - Reply

    Boa tarde, Leandro.

    Parabéns pela sua dedicação, clareza e objetividade em ajudar.
    Sei que a dica para quem está começando é investir aos poucos, enquanto vai aprendendo sobre as melhores opções.
    Mas, agora com mais visão e conhecimento, não posso deixar o dinheiro perdendo valor na poupança. Como o valor é considerável, o que você faria? Agradeço. Abraço.

    • Leandro Ávila 16 de maio de 2015 at 2:09 - Reply

      Oi Pedro. Eu dedicaria tempo estudando os títulos e outras modalidades de renda fixa, como LCI e LCA. Alguns gostam de aprender pela internet, outros preferem livros e outros preferem cursos para aprender mais rapidamente. Depois, abriria uma conta em uma corretora e faria meu primeiro investimento, ainda como parte do aprendizado. O medo do desconhecido é grande, por isto além da teoria você precisa começar a experimentar, fazer na prática, para isto pode começar com valores pequenos e acompanhar os resultados. Passando o medo do novo e do desconhecido e com cada vez mais conhecimento, você vai começar a se libertar da poupança. Só não recomendo que você tente fazer isso rápido, sem se sentir seguro.

  53. Josué 14 de maio de 2015 at 16:14 - Reply

    Olá amigo.
    Excelente matéria.
    Comprei dois títulos mês passado e recomprei os mesmo dois agora este mês.

    Quero olhar os valores para caso eu fosse VENDER o título hoje.
    Para isso, vou no extrato CONSOLIDADO e vejo o líquido ATUAL. Esse Líquido atual seria o valor que eu receberia se vendesse o título hoje, já descontando o valor 0,3 da taxa de custódia e o IR? Mas pelo que vi ainda tenho que descontar a taxa da CORRETORA né?

    VAleu e parabéns!

    • Leandro Ávila 16 de maio de 2015 at 2:06 - Reply

      Sim Josué, isto é o que você teria se vendesse hoje. Isto não representa o quanto você receberá no vencimento do título. Hoje escrevi um artigo longo sobre a matemática envolvida para descobrir o Valor Nominal Atualizado dos seus títulos, este sim representa quanto você receberá no futuro. Visite aqui.

  54. sidney 14 de maio de 2015 at 17:50 - Reply

    Olhei rápido, vou reler. Parabéns, Era isso que o povo queria! rsrs

  55. Marco 15 de maio de 2015 at 7:56 - Reply

    Oi Leandro,

    Bom dia !

    Acabei de ler um informativo do Tesouro Direto, de 14/05/2015, com o seguinte texto
    “Não compre gato por lebre! Entenda a diferença entre comprar títulos públicos no Tesouro Direto e comprar títulos públicos no Mercado Secundário” para todos lerem.

    https://www.tesouro.fazenda.gov.br/-/blog-tesouro-direto

    • Leandro Ávila 16 de maio de 2015 at 1:44 - Reply

      Muito bom Marco. Obrigado por compartilhar. Estou pensando em usar este artigo deles como base para escrever outro aqui no Clube.

  56. Guilherme 15 de maio de 2015 at 13:58 - Reply

    Eu tenho uma dúvida que até o momento não encontrei a resposta.
    Minha corretora é a Easynvest e em teoria ela não cobra taxa de custódia.
    Toda vez que compro um titulo publico, aparece o valor da transação origem ex: 300 reais, e logo ao lado possui o valor bruto (antes de descontar IR, IOF, etc…). Este valor bruto sempre aparece menor que o valor da transação origem (ex: 297), como se tivesse sendo me cobrado algo…porque existe essa redução?

    Obrigado desde já,

    • Leandro Ávila 16 de maio de 2015 at 1:19 - Reply

      Oi Guilherme. Existem quatro custos: Imposto de Renda, IOF, taxa de 0,30% da BM&FBOVESPA e taxa da corretora. A sua corretora não cobra a taxa da corretora. Desta forma, você pagará Imposto de Renda sobre o rendimento, somente quando vender o título ou chegar o vencimento, sendo que existe uma tabela regressiva, quanto mais o tempo passa menor o imposto fica. Já o IOF só é cobrado se você vender o título antes de 30 dias. Estes custos que aparecem só se concretizam se você vender o título antecipadamente. Nada está sendo cobrado, o extrato só informa que você será cobrado se vender o título antecipadamente. Leia algum artigo que escrevi sobre título, pois no artigo eu falo detalhadamente sobre os custos. Exemplo: Como investir em Tesouro Selic (LFT).

      • Guilherme 18 de maio de 2015 at 15:47 - Reply

        Então Leandro,
        Estou ciente que existes esses custos, mas quando eles estão descontados eles aparecerem no valor liquido (desconto do IOF, IR, BVMF), ou seja, valor bruto menos os descontos.
        O caso em questão é que meu valor bruto (antes mesmos destes descontos) aparece menor que o valor origem transação.
        Você saberia me dizer o porque?

        • Leandro Ávila 18 de maio de 2015 at 17:09 - Reply

          Oi Guilherme. O extrato do exibe quando você teria se resolvesse desistir da operação, ou seja, quando você teria se vendesse o título no dia que estivesse olhando o extrato. Logo depois de comprar o título, se você correr para olhar o extrato, verá que você tem menos dinheiro do que o investimento que foi feito. Isto ocorre porque existe uma diferença entre o preço de compra do título e o preço de venda do título. Se você acessar a tabela de preço dos títulos depois das 18:00 verá o preço de venda. Nos primeiros 30 dias, você ainda tem o IOF que deixa de existir depois de 30 dias. Na semana passada escrevi um artigo que trata destes assuntos usando como exemplo o Tesouro Selic (LFT)

  57. Thiago Shinji Tsutsumi 17 de maio de 2015 at 8:16 - Reply

    Bom dia Leandro! Eu novamente!
    Surgiu uma oportunidade de minha esposa e eu de irmos para o Japão para trabalhar, com uma renda maior vamos poder guardar uma quantia maior todos os meses para investir e alcançar nossa independência financeira um pouco mais rápido! Só que aí me surgiu uma dúvida.
    Eu comprei alguns títulos ano passado e não gostaria de desfazer deles antes do prazo acabar.
    Eu posso continuar investindo em Títulos públicos normalmente no exterior?
    Quanto a conta corrente gratuita eu desconhecia! Muito bom saber isso existe! Obrigado

    • Leandro Ávila 22 de maio de 2015 at 4:49 - Reply

      Oi Thiago, como o investimento é feito pela internet, não vejo nada que possa te impedir de investir do exterior. Basta que você tenha condições de transferir dinheiro (em reais) para a conta da corretora.

  58. Rafael 18 de maio de 2015 at 10:20 - Reply

    Parabéns Leandro!

    Cada vez melhores os artigos. Recomendo o seu site constantemente para familiares e amigos. Alto nível.

    Abs.

  59. Rodrigo Veronezi 18 de maio de 2015 at 16:58 - Reply

    Olá Leandro, há alguns dias, realizei um aporte considerável (para mim) em LCI. Pretendo agora diversificar minha carteira efetuando compras mensais de títulos públicos.

    Entretanto, resta uma dúvida de segurança que gostaria de sanar. Caso ocorra a falência de minha corretora, qual seria a dificuldade de resgate de meus investimentos?

    Sei que os títulos comprados são vinculados diretamente ao CPF do investidor e que a corretora é apenas uma intermediária, porém, neste caso, o que aconteceria?

    Abraço.

    • Leandro Ávila 18 de maio de 2015 at 17:48 - Reply

      Oi Rodrigo, a corretora é uma intermediária, uma entidade que fica entre você e o investimento. Se a corretora fechar, basta entrar em contato com outra corretora e pedir a portabilidade. Leia este documento do Tesouro sobre portabilidade. O mesmo ocorre com outros títulos privados.

  60. Rodrigo Veronezi 18 de maio de 2015 at 19:32 - Reply

    Leandro, obrigado!

    Já me sinto parte desse clube.

    Caso eu possa fazer algo para retribuir o auxílio, estou a disposição.

    • Leandro Ávila 18 de maio de 2015 at 22:50 - Reply

      Obrigado Rodrigo. Sempre que encontrar um parente ou amigo precisando de orientação, compartilhe o que você aprendeu ou compartilhe o conteúdo que temos aqui. Assim você estará ajudando este site a ajudar outras pessoas. Obrigado.

  61. gilson 21 de maio de 2015 at 21:41 - Reply

    Leandro você é fera!!! Que assunto bem explicado!!!! Já estou indicando para meus amigos no facebook e divulgando seu site entre todos os meus amigos !!!

  62. Diogo 25 de maio de 2015 at 9:34 - Reply

    Olá, Leandro vc poderia disponibilizar no site uma planilha de gerenciamento de rentabilidade do tesouro direto? Obrigado!

    • Leandro Ávila 25 de maio de 2015 at 12:22 - Reply

      Oi Diogo, quanto tiver uma planilha assim vou disponibilizar.

  63. Raphael Martins 25 de maio de 2015 at 16:45 - Reply

    Invisto no Tesouro Direto para minha aposentadoria. Com o possível aumento de uma “fuga” de poupadores para esta modalidade, corre algum risco de o governo mudar a tributação e/ou qualquer outra característica do tesouro e torná-lo menos atrativo?

    • Leandro Ávila 25 de maio de 2015 at 17:00 - Reply

      Olá Raphael, é um pergunta difícil de responder, pois na verdade o governo tem o poder de mudar as regras do jogo quando ele bem entender caso exista apoio de todos os poderes. Isto não se aplica só a todas as modalidades de investimentos (públicos e privados) mas em todas as áreas da sua vida. Por isto é tão importante que as pessoas se eduquem para que possam aprender a votar melhor. O grande risco que corremos está na escolha de políticos ruins que tomam decisões ruins.

  64. ISABELLE 26 de maio de 2015 at 16:46 - Reply

    Boa tarde
    Leandro

    Tudo bem?

    Leandro, por favor, me dê orientações pragmáticas para que eu consiga aprender tudo que você
    está ensinando, eu não consigo estabelecer um roteiro de aprendizado, não sei por onde começar.
    Eu sou totalmente leiga no assunto e comecei a me interessar desde que conheci seu site.
    Porém, eu não consigo me organizar para aprender, por onde começar, de um link eu vou para
    o outro que vou para o outro …. e me perco, não consigo fechar o círculo.
    Nesse artigo (Tutorial passo-a-passo) você disse que quem é cadastrado recebe instruções sobre
    como aprender rápido para quem tem pouco tempo , copiei sua fala aqui :

    Eu recebo os e-mails, mais quais são eles que aceleram esse aprendizado e que me ajudam a entender sobre o assunto para que eu comece tão logo a investir ?

    Agradecida
    Obrigada pela sua iniciativa de nos ajudar.
    (Encaminhe um cópia na resposta no meu e-mail, por gentileza. 🙂 )

    • Leandro Ávila 26 de maio de 2015 at 16:56 - Reply

      Oi Isabelle. Eu entendo o que você quer dizer. Para resolver essa questão estou produzindo um livro onde você terá um roteiro com início, meio e fim. Muito do que você poderá aprender no livro já existe aqui no site, só que pela própria natureza de qualquer site na internet o conteúdo está separado em inúmeros artigos que não se conectam e por isto você fica perdida entre diversos conteúdos. Enquanto não sai o livro recomendo os cursos que já fiz ou livros que já li, veja aqui

  65. ISABELLE 27 de maio de 2015 at 12:26 - Reply

    Ok Leandro, obrigada pelo retorno; fico no aguardo do seu livro então, enquanto isso verei esse link que você me passou.

    Grata
    🙂

  66. LUIS CLAUDIO LEAL VITAL 2 de junho de 2015 at 11:44 - Reply

    Bom dia Leandro. Conheci seu blog ontem e gostei muito. Uma pergunta: você acha nesse momento o TESOURO DIRETO, mais especificamente o TESOURO SELIC um bom investimento? Tenho R$ 20.000,00 que poderia investir nisso. Como a Selic está subindo e talvez suba mais o,5% a partir de amanhã, que tal? Já sou cadastrado numa corretora, a Ágora, pois invist em ações a mais de 30 anos, minha paixão. Lá eles me ofereceram o TESOURO SELIC com vencimento para 2021 e tem também para 2017.
    Se puder comentar, agradeço.
    PS: Nunca investi no TD, mas depois de ler seu blog fiquei empolgado com a Idéia.
    Muito obrigado,

    Luís Cláudio

    • Leandro Ávila 2 de junho de 2015 at 13:38 - Reply

      Oi Luis, eu não faço recomendações de investimento (visite aqui), mas eu recomendo que você estude e entenda o funcionamento de todos os títulos. Aqui temos artigos falando sobre todos eles.

  67. Daniel 2 de junho de 2015 at 16:08 - Reply

    Leandro,

    Parabéns pelo site e pelos artigos, concisos, claros e tudo escrito com muita didática. Parabenizo também por sua disponibilidade em responder rapidamente as dúvidas no campo de comentários. Através dessas respostas achei a informação que buscava. Tenho conta na Easynvest , Agora e na Rico. Depois do que aconteceu com a Corval fiquei um pouco receoso com as corretoras, mas sempre busco o melhor custo beneficio para meus investimentos. Hj conclui que o investimento em Titulos Públicos pela Easynvest, no momento, é a minha melhor opção uma vez que esta corretora, não cobra taxas, me permite investir diretamente no site do tesouro e, caso ela venha a entrar em regime especial, não terei qualquer perda. Nesse ponto, sua citação extraída do site do tesouro foi bem clara. O investimento está no nome do investidor e não da Corretora.
    Abs.
    Daniel

  68. Henrique Rodrigues 4 de junho de 2015 at 18:37 - Reply

    Leandro, me tire um dúvida por favor.
    Avaliando os diferentes título e a questão das modalidades de recebimento do rendimento, no vencimento ou semestralmente, me ocorreu o seguinte raciocínio: Somente é possível implementar a lógica dos juros compostos investindo-se em títulos do Tesouro Direto comprando títulos com pagamentos semestrais e recomprando títulos com esses rendimentos.
    Isso é uma verdade?

    • Leandro Ávila 5 de junho de 2015 at 1:53 - Reply

      Oi Henrique, quando você compra títulos o cálculo utilizado para capitalizar o dinheiro utiliza juros compostos e isto ocorre diariamente. Veja o gráfico abaixo. É um exemplo do que ocorreria se a pessoa comprasse um Tesouro IPCA+ que vence em 2050 com taxa de 5,94% + IPCA de 5%. Esse título custa hoje R$ 2.717,04. A curva é característica dos juros compostos. Quanto maior o prazo maior o resultado.

  69. Richard 6 de junho de 2015 at 14:15 - Reply

    Olá.
    Tenho uma dúvida.
    Supondo o cenário de inflação 0 , ou seja IPCA também 0, o TD IPCA com uma taxa atual de 6,30% ao ano perderia para a poupança, correto ?
    Estou certo no meu raciocíno , essa situação seria possível ?
    Parabéns pelo ótimo trabalho.
    Richard.

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2015 at 2:52 - Reply

      Olá Richard. Com IPCA zero o seu rendimento seria igual a taxa de juros do título Tesouro IPCA+ que você contratou quando comprou o título. A Poupança rende 0,50% ao ano que é equivalente a 6,17% ao ano + TR. Se a inflação fosse zero a taxa de juros brasileira estaria muito baixa e pela nova regra da Poupança, quando a taxa básica de juros que é a Taxa Selic for menor que 8,5% a poupança deixará de render 6,17% ao ano e passará a render 70% da Selic. Hoje, nos países desenvolvidos que estão com inflação perto de zero, os juros também estão próximos de zero.

  70. Enéias Lukas 16 de junho de 2015 at 13:01 - Reply

    Olá Leandro, muito obigado por mais um excelente artigo!
    Me restou uma dúvida
    Num chat com a corretora me informaram que bastava ter uma poupança e fazer um doc ou ted para a conta da corretora.
    Já você escreve claramente que é necessário uma conta corrente
    Estou meio confuso pois vivo no exterior e já encontrei ambas informações várias vezes e não sei como agir, porque tenho apenas uma poupança e caixa fácil na caixa econômica.

    • Leandro Ávila 20 de junho de 2015 at 9:56 - Reply

      Oi Enéias. Pelo que sei DOC e TED podem ser feitos entre contas corrente, não entre contas poupança.

  71. Helena 18 de junho de 2015 at 18:36 - Reply

    Olá Leandro!
    Entrando no site do Tesouro não consigo achar essa opção de “Comprar”. Meu menu de opções é totalmente diferente. Já tentei várias vezes. O que será qiue estou fazendo de errado?

    • Leandro Ávila 20 de junho de 2015 at 9:33 - Reply

      Oi Helena, entre em contato com a sua corretora. É estranho não aparecer a opção de “comprar” no site.

  72. Henrique 21 de junho de 2015 at 18:04 - Reply

    Olá Leandro ,
    Você mencionou que é necessário possuir conta corrente , que não é valido conta poupança. Como devo proceder , já que o valor que desejo investir está na poupança ? tem alguma maneira de transferir essa quantia diretamente para a corretora , sem que haja a necessidade do uso da conta corrente ?

    Obrigado.

    • Leandro Ávila 22 de junho de 2015 at 1:38 - Reply

      Olá Henrique. Acredito que se você tem como objetivo se tornar um investidor ou pequeno investidor deve refletir sobre a necessidade de ter uma conta corrente. Escrevi um artigo onde falo sobre contas corrente que não possuem custos, visite aqui.

  73. Carlos Eduardo 25 de junho de 2015 at 23:58 - Reply

    Parabéns pelo blog Leandro, realmente muito completo!
    Sou novo no ramo de investimento, e como a maioria, venho procurando por conteúndo de qualidade para sanar dúvidas e aprender. Vi no tesouro direto uma grande oportunidade. No entanto, surgiu uma dúvida quanto a tabela de preços e taxas dos títulos públicos disponíveis para compra. Existem vezes que um título apresenta no campo venda um traço “-“, acredito que isto esteja me dizendo que os papéis desse título foram todos vendidos, e por isso não exista mais a venda deles. Nesse caso, corre o risco de eu estar comprando titulos como o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2035 (NTNB) e em determinado momento esse título acabar e eu não mais poder prosseguir com a sua compra? Sendo que estou realizando essa compra mensalmente como se fosse um esquema de aplicação em poupança.

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2015 at 2:47 - Reply

      Oi Carlos. No final do dia, depois das 18:00, aparece uma tabela completa no site do Tesouro com os títulos que estão à venda e os títulos que não estão mais sendo vendidos. Por isto em alguns campos aparece o traço, já que eles não estão mais sendo vendidos, você só pode revender estes títulos antecipadamente e não comprar novos títulos deste tipo. Normalmente eles param de vender um determinado título quando a data de vencimento dele está muito próxima.

  74. geremias 9 de julho de 2015 at 17:35 - Reply

    Boa tarde Leandro.

    Tenho a seguinte duvida; eu acabei comprando um titulo do tesouro direto (tesuro selic) só que eu fiz a compra direto no site da corretora que escolhi. (pois foi a minha primeira compra) marinheiro de primeira viagem.
    So que no site do tesouro direto nao aparece a minha compra.
    Isso quer dizer que eu vou ter que acompanhar o rendimento deste titulo apenas pela corretora?
    abraço

    Site maravilhoso este seu!

    • Leandro Ávila 9 de julho de 2015 at 18:21 - Reply

      Oi Geremias, você provavelmente comprou títulos que estão custodiados na conta Selic da Corretora e não na conta da BM&FBovespa. É o chamado mercado secundário, a corretora costuma não cobrar a taxa de custódia que seria de 0,30% se estivesse na BM&FBovespa, existem investidores que acham isto vantajoso, quando confiam na corretora. No caso você só poderá acompanhar pelo site da corretora.

  75. geremias 9 de julho de 2015 at 17:40 - Reply

    Complementando a duvida acima do Henrique, eu tenho uma Conta Poupança no Brad. e habilitei os serviços de transferência para o mesmo banco, via internet banking e smartphone, pois a corretora que me cadastrei na cobra taxas de adm e possui conta no mosmo Brad. uma vez que nao admito pagar taxas de TED. E sendo eu novato neste mundo de investimentos, consegui fazer as trasferencias para a corretora normalmente e sem custo algum.

  76. geremias 13 de julho de 2015 at 14:30 - Reply

    Duvida ja sanada!

  77. Igor 13 de julho de 2015 at 17:47 - Reply

    Olá Leandro.

    Tenho uma aplicação em conta conjunta com minha namorada, gostaria de saber se é possível aplicar no tesouro vinculado a dois CPF’s (titular e dependente), assim como acontece na abertura de contas em bancos, por exemplo.

    Obrigado

    Igor

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2015 at 2:43 - Reply

      Oi Igor, eu acredito que não é possível fazer investimento conjunto. Os títulos que você compra ficarão vinculados a um único CPF.

  78. geremias 15 de julho de 2015 at 15:06 - Reply

    Boa tarde Leandro.
    No meu caso eu estou conseguindo acompanhar pelos dois.
    O fato foi devido ao feriado que atrasou o lançamento nos sistemas do tesouro e da própria corretora.
    Vlw
    obrigado.

  79. Barbosa 11 de agosto de 2015 at 16:04 - Reply

    Olá! O artigo é útil para os que não conhecem o Tesouro Direto, porém necessita de algumas correções quanto às explicações:
    ex.;” No passo 1, a afirmação “precisa ser uma conta corrente” está incorreta, pois uma caderneta de poupança também é válida para fins de cadastramento na Corretora (meu caso).
    Quanto à afirmação: “Pergunte para a corretora que você pretende abrir conta se ela permite comprar títulos diretamente no site do Tesouro Direto…”, também não procede, haja vista que todos cadastrados têm acesso diretamente ao site do Tesouro, sendo opcional a compra via Corretora somente para o caso em que a mesma seja agente integrado ao Tesouro.

    • Leandro Ávila 11 de agosto de 2015 at 18:00 - Reply

      Olá Barbosa, a corretora que utilizo só aceita transferências por TED e DOC bancário. A transferência ocorre diretamente entre a minha conta bancária e a minha conta na corretora, ou seja, não preciso transferir dinheiro para a conta da corretora para que depois ela possa identificar e separar o meu dinheiro. Provavelmente este é o caso da sua corretora, pois pelo que sei não é possível fazer DOC ou TED para outras contas utilizando poupança. Com relação a outra questão conheço corretoras de bancos que não permitem a compra e venda de títulos através do site do Tesouro Direto, desta forma o cliente é obrigado a utilizar somente o site da corretora.

      • Nivaldo 21 de agosto de 2015 at 12:27 - Reply

        Muito esclarecedor!

        Excelente artigo para alguém que, assim como eu, esta começando agora. Você já escreveu algum artigo sobre taxas e valores cobrados por corretoras?E como isso influencia no valor investido? Tenho muitas dúvidas com relação aos valores que eles disponibilizam nos sites. Você poderia exemplificar, compras mensais de 500 reais, de ipca+juros, na sua corretora (XP)? Eu utilizo a corretora do meu banco, sei que estou perdendo dinheiro dessa forma, mas não tenho ideia de quanto pagaria em outra corretora.

  80. Guilherme 2 de setembro de 2015 at 12:37 - Reply

    Olá Leandro! Penso ser difícil encontrar outras palavras para lhe agradecer pelo conteúdo que produziu sobre educação financeira e sobre o trabalho que vem desenvolvendo. Um dia espero lhe encontrar e agradecer pessoalmente rsrs.

    Talvez já tenha respondido algo parecido, mas como não consegui entender gostaria de tirar algumas dúvidas.

    Se eu tenho um título por mais de 2 anos e nesse tempo comprei mais desse mesmo título, os quais eu possuo, por exemplo, 1 com 6 meses, outro com 1 ano e outro com 1 ano e 6 meses. No caso da venda antecipada como fica o cálculo do IR dada as diferenças de prazo mencionadas? Ou esse entendimento não se aplica?

    • Leandro Ávila 2 de setembro de 2015 at 14:15 - Reply

      Oi Guilherme. Cada título será tratado de maneira diferente. Um terá alíquota diferente do outro. O Tesouro sempre recebe primeiro os títulos mais antigos e você sempre fica com os mais recentes. A ideia é que você venda primeiro os títulos mais antigos.

  81. Wagner 16 de setembro de 2015 at 13:55 - Reply

    Muito bem explicado. Parabéns.
    Olharei com bastante calma todas as opções antes e investir.
    Meu dinheiro está na poupança, pois ainda me rende algo, mesmo que não muito.
    Comprei uma PIC do Itaú e tenho de aguardar os Juros em até 4 anos e o valor do que investi sem juros só em 2 anos.
    Como pretendo usar o dinheiro que tenho em conta em breve, fiquei com receio de investir de outra maneira, pois não conheço ainda todas as opções do tesouro direto.
    No meu caso, o dinheiro será usado para o pagamento de meu curso, mas não sei ainda quanto desse dinheiro precisarei, por isso acredito que a LFT seria melhor. Eu segui o passo a passo do site do Tesouro Direto e a LFT2021 foi a sugerida para o meu caso. Vou pesquisar mais e tomar uma decisão.

    • Leandro Ávila 18 de setembro de 2015 at 5:59 - Reply

      Oi Wagner, eu recomendo que você não compre mais PIC (títulos de capitalização) você certamente perde dinheiro fazendo isso.

  82. Elza 19 de setembro de 2015 at 3:33 - Reply

    Olá Leandro, parabéns pelo artigo! Estou iniciando meus investimentos fora da poupança e decidida a comprar títulos públicos para médio e longo prazo. Tenho ainda uma dúvida quanto à compra ser feita num final de semana e ante o prazo de liquidação, qual seria a taxa efetivamente contratada? A da data da compra ou da liquidação?

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2015 at 2:40 - Reply

      Oi Elza. Vale os valores que aparem no site no momento da compra do título.

  83. Fábio 29 de setembro de 2015 at 15:56 - Reply

    Prezado Leandro,

    minha dúvida é se posso comprar no site do TD, como no passo a passo, sem ter saldo na corretora e, logo após, enviar um TED do valor total da compra?

    A liquidação de dois dias úteis após a compra seria o prazo para eu cobrir a compra lá no corretora?

    • Leandro Ávila 6 de outubro de 2015 at 17:19 - Reply

      Oi Fábio, acredito que sim. Nunca tentei, mas a liquidação só ocorre 2 dias depois, é neste momento que o dinheiro precisa estar lá na corretora.

  84. Larissa 1 de outubro de 2015 at 16:09 - Reply

    Boa tarde Leandro!
    Parabéns pelo seu trabalho. Estou começando minhas pesquisas para iniciar investimentos e a princípio me interessei pelo Tesouro Direto, porém sobre esse investimento é cobrado IR (entre 22,5 e 15% – segundo o site “Jurus”). ainda assim vale a pena? Você indica um valor mínimo de investimento? E o momento de comprar? Seria melhor adiar, visto que na últtima semana ocorreram atrasos na abertura do Tesouro Direto – devido à forte volatilidade nas taxas de juros dos títulos.

    • Leandro Ávila 3 de outubro de 2015 at 2:58 - Reply

      Oi Larissa. O IR é cobrado sobre os juros que você receberá. Quando você clica nos investimentos é possível ver um gráfico que mostra os juros reais e os nominais. Não recomendo um valor mínimo, eu recomendo que você inicie seus investimentos e faça isso mensalmente, com regularidade, não importa o valor. Os atrasos na abertura só indicam que a taxa está subindo ou caindo e que o Tesouro está recalculando as novas taxas e preços.

  85. Daniel 5 de outubro de 2015 at 19:30 - Reply

    Prezado, excelente artigo. Só estou encontrando problema para visualizar as imagens.

  86. Adriana 6 de outubro de 2015 at 17:15 - Reply

    Leandro, parabéns pelo post!
    Uma dúvida: faz diferença (rendimento maior ou menor) se eu comprar 20 mil em um mês e no seguinte outros 20 mil em títulos (Tesouro Selic) ao invés de 40 mil de uma só vez? Obrigada!

  87. Adael Mauricio 22 de novembro de 2015 at 20:22 - Reply

    Olá, excelente artigo Leandro. Tenho uma dúvida, posso fazer compra fracionada de títulos também pelas corretoras ou somente no site do TD ? E no caso da corretora escolhida ser agente integrado tem alguma diferença ou não ?!
    Obrigado !

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 4:59 - Reply

      Oi Adael. Creio que sim, você deve verificar a possibilidade na sua corretora. Ser agente integrado significa que a corretora oferece a opção de comprar e vender títulos pelo site dela, sem a necessidade de entrar no site do Tesouro Direto.

  88. Raoni 22 de janeiro de 2016 at 14:56 - Reply

    Prezado Leandro Ávila, parabéns pelo excelente trabalho! Me considero uma pessoa de sorte por ter encontrado este portal que certamente é um verdadeiro transformador de vidas!
    Leandro, estou decidido a investir 100% dos meus rendimentos no tesouro direto para longo prazo, o meu único receio é a segurança dos títulos público. Em uma situação de catástrofe, com o país quebrando completamente, existe a possibilidade do dinheiro investido em títulos públicos virar poeira? Seria correto afirmar que o investimento em imóveis traz maior segurança do que o investimento em títulos públicos? Desde já agradeço a atenção!

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 5:03 - Reply

      Oi Raoni. Se o país quebrar todo o dinheiro do país vira poeira. Até o dinheiro que está dentro da sua carteira. Por isso os títulos públicos são considerados seguros. Se você tivesse imóveis quando a moeda virasse poeira para quem você iria vender os imóveis? Neste caso da catástrofe o ideal seria ter terrenos. Eles são úteis para plantar alimentos. Moeda estrangeira e ouro também são úteis no caso de um país quebrar ao ponto dos títulos públicos e a moeda nacional perderem o valor por completo.

  89. Shenneyder 28 de janeiro de 2016 at 14:58 - Reply

    Show esse passo a passo, me ajudou muito!!!!
    Obrigado Leandro!

  90. Erica Patricia 29 de janeiro de 2016 at 13:06 - Reply

    Olá Leandro, obrigada pelas informações! Gostaria de tirar uma dúvida, pessoa jurídica pode investir em tesouro direto? Obrigada

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 5:03 - Reply

      Oi Erica. Pessoa jurídica não pode comprar títulos públicos pelo Tesouro Direto. Você pode investir comprando fundos de investimento que investem em títulos públicos como Fundos DI e Fundos de Renda Fixa.

  91. Aurélio Silva 3 de fevereiro de 2016 at 9:26 - Reply

    Olá Leandro..Investi o valor errado do que eu pretendia investir na compra de um titulo. Pretendia investir 30,00 . No campo quantidade ao invés de inserir o valor fracionado que representaria os 30,00 , eu digitei 30,00. Sendo assim o sistema entendeu que eu estava comprando 30x o mesmo titulo. Minha conta estourou, dois dias depois coloquei o titulo a venda. Será que consigo vender em um curto prazo ? Preciso eliminar o rombo em minha conta.

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 5:07 - Reply

      Oi Aurélio. O Tesouro Direto recompra o seu título sempre que você resolve vender. No momento de comprar os títulos é importante prestar atenção no procedimento. Existe um campo onde você indica quantos títulos deseja comprar e outro campo onde você pode dizer qual valor em dinheiro que você deseja comprar. Você pode escolher um dos dois. Com certeza ao digitar 30 no campo onde indica quantos títulos deseja comprar apareceu do lado o valor equivalente 30 vezes o preço do título e provavelmente você não prestou atenção. Depois ainda apareceu uma tela de confirmação onde aparecia o valor do investimento e certamente você não prestou atenção novamente. Por isso é importante fazer o investimento com atenção.

  92. Altamir 15 de fevereiro de 2016 at 13:24 - Reply

    Olá Leandro!

    Eu quero ser repetitivo de propósito e fazer como todas as pessoas já fizeram: agradecer sua iniciativa, seu texto bem escrito e presteza em todas as respostas. Obrigado! Minha dúvida é a seguinte: penso em comprar o NTNB (princ). Posso comprar o mesmo todo mês? Posso variar no valor da compra? Isso ajuda no montante acumulado, tipo juros sobre juros para o final? Ou o tesouro considera apenas um de cada vez. Obrigado, uma vez mais!

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 5:08 - Reply

      Oi Altamir. Você pode comprar todos os meses. Quanto mais você investir maiores serão seus resultados no futuro. Cada operação de compra é uma operação diferente. Provavelmente todos os meses você estará comprando títulos com preços e taxas diferentes. De qualquer forma os juros serão compostos (juros sobre juros).

  93. Paulo 26 de fevereiro de 2016 at 17:03 - Reply

    Leandro, boa tarde.

    Eu já tinha feito meu cadastro na BM&FBOVESPA através do Banco do Brasil no ano passado, só que não fiz nenhuma compra no Tesouro. Hoje eu abri minha uma conta na XP Investomentos. Eu gostaria de saber se já posso ir direto no site https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/PortalInvestidor/ e fazer a compra do título, indicando em agente de custódia a XP ou eu tenho que habilitar antes na XP alguma coisa?

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 5:09 - Reply

      Oi Paulo. Creio que sim. Você pode ter conta em vários bancos e corretoras. No momento da compra do título você pode escolher de qual banco o Tesouro deverá resgatar o dinheiro pago pelos títulos.

  94. Cândido 1 de abril de 2016 at 21:19 - Reply

    Leandro, boa noite!
    Uma dúvida:
    Dois títulos que pagam praticamente as mesmas taxas IPCA+, sendo uma diferença somente de R$0,02 entre eles, porém, o valor de um dos títulos é a metade do outro. Seria melhor comprar o título de menor valor para que tenha uma quantidade maior de títulos ou isso não faz diferença na rentabilidade de seu resgate? Obrigado.

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 5:10 - Reply

      Oi Cândido. Provavelmente o prazo de vencimento de cada título é diferente. O que custa menos provavelmente tem vencimento mais longo. O melhor título depende de qual é o melhor prazo para você.

  95. Rany 2 de maio de 2016 at 7:22 - Reply

    Olá Leandro,

    Parabéns pelo site. Conteúdo e layout excelente.

    Há 1 mês descobri a possibilidade de investir no TD, e desde então tenho lido acerca da temática. Este seu post me deixou mais segura para começar.
    Contudo, ainda preciso aprender mais antes de mergulhar, pois lidarei não só com meu dinheiro, mas de meus pais que também gostaram da ideia.

    Vc indica algum curso específico para investimento no TD?

    Obrigada.

  96. Andreia Rocha 24 de maio de 2016 at 17:48 - Reply

    ai ai ai minha cabeça! leio, releio, acesso todos os links e ainda estou muito, muito confusa! talvez por um entrave de raciocínio com tantas fórmulas, números e probabilidades…. mas uma lição já aprendi: poupança tá por fora! preciso entender melhor isso tudo porque quero levar a família toda comigo nesse barco dos investimentos. então a responsabilidade é bem maior! obrigada pelas orientações, informações e ensinamentos!

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:22 - Reply

      Oi Andreia. Basta ter um pouco de paciência e aceitar a ideia de que todo conhecimento novo exige um pouco de tempo e dedicação.

  97. Altemar 30 de maio de 2016 at 22:37 - Reply

    Olá boa noite Leandro!

    Quero começar a fazer um investimento bem pequeno e seguro pro ser o meu primeiro, o que você indica?

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:21 - Reply

      Oi Altemar, indico que você inicie o investimento por você de tal forma que não tenha mais a necessidade de pedir indicações de investimento. Esse é o passo mais importante de todos. Leia aqui.

  98. Erika 31 de maio de 2016 at 8:59 - Reply

    Ola Leandro, parabéns pelo site 🙂 uma perg: o q é essa taxa de administração na entrada? Esse valor, 5 reais, são descontados na corretora ou na compra d título? Esse valor vai p tesouro? Ele é descontado na compra, minha dúvida é se qd eu colocar o valor lá na compra no site do TD se tenho q ter 5 reais a mais na corretora p não dar problema, ou já ocorre d forma automática?

  99. Thiago 9 de junho de 2016 at 14:24 - Reply

    Olá, Leandro.
    Parabéns pelo site. Muito bem editado e esclarecedor.
    Estou iniciando meus investimentos. Abri conta na XP e estou em vias de abrir na Easynvest.
    Minha dúvida é com relação ao mercado primário e mercado secundário. Já compreendi que o mercado secundário é quando a corretora compra títulos públicos de empresas, e não do tesouro direto. Ou seja, a conclusão mais lógica é: o sistema integrado da corretora com o tesouro direto não é confiável, pois, ao invés de estar adquirindo um título público do mercado primário através do site da corretora, você pode estar, na verdade, adquirindo um título público do mercado secundário. Seria isso?
    Se meu raciocínio não estiver correto, como fazer para distinguir títulos que a corretora (XP, por exemplo) vende através do mercado primário daqueles do mercado secundário? Eles são divulgados em links diferentes?
    Outro ponto: a XP cobra mesmo dos investidores de renda fixa. Acha que ela tem um portifólho maior de títulos de renda fixa do que a easynvest?

    Obrigado

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:17 - Reply

      Oi Thiago, no mercado secundário de títulos públicos as corretoras vendem títulos públicos emitidos pelo Tesouro, só que esses títulos não ficam custodiados na BM&FBOVESPA. Só os títulos comprados pelo Tesouro Direto, que é fruto de uma parceria do Tesouro Nacional e da BM&FBOVESPA é que ficam custodiados lá. Isso significa que ficam custodiados fora do alcance da corretora. Para ter certeza que você está comprando os títulos do Tesouro Direto basta fazer a compra pelo site https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/PortalInvestidor/ onde você irá selecionar o nome da sua corretora no momento da compra, onde deve estar o dinheiro que você pretende investir. Já quando você investe através do site da própria corretora é necessário prestar atenção se você está comprando títulos do mercado secundário ou do Tesouro Direto.

  100. Saulo Vitor 13 de junho de 2016 at 12:54 - Reply

    Ótimo! Ótimo!! Muito esclarecedor. Simples e direto.

    Parabéns pelo site e obrigado por compartilhar esse tipo de informação. Já aprendi muito aqui no site e pretendo ler tanto quanto for possível para ter ciência do funcionamento dos investimentos e qual a melhor forma para investir de acordo com o que planejo.

    Gostaria de saber se no momento da venda do título há algum outro imposto ou taxa cobrados além do IR e, se for o caso, da taxa da corretora. O IOF, por exemplo, é cobrado? Ou o banco da conta corrente e/ou a corretora podem me surpreender com uma “cobrança surpresa” sobre a venda do título?

    Desde já, agradeço!

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:14 - Reply

      Oi Saulo. Na venda você irá pagar o imposto de renda sobre o rendimento. Se a venda for feita antes de 30 dias existe o IOF, mas título público não é investimento bom para prazos curtos justamente devido a esse IOF. Eu recomendo que você leia os outros artigos que tenho ensinando de forma mais detalhada sobre cada título, pois nele eu falo sobre essas taxas detalhadamente. Também existem meus livros que recomendo a todos que estão iniciando.

  101. Robson Teixeira Pereira dos Santos 1 de julho de 2016 at 12:11 - Reply

    Olá, Leandro. Gostei muito do portal e de você também. Responde a todos com muita atenção.
    Sempre quis investir e leio sempre a respeito mas, sempre acabo em paginas de venda de conteúdo para estudos- o que não quero investir agora. Minha dúvida está relacionada á capacidade financeira do investidor. 1. Somente quem possui renda alta consegue investir? 2. Quanto um assalariado consegue investir para começar? 3. Existe tutorial para quem lida com pouco dinheiro como eu?

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:11 - Reply

      Oi Robson, não precisa ter renda alta para investir. É justamente as pessoas mais pobres que deveriam aprender a investir, principalmente para montar logo a sua reserva de emergência. A sua reserva é que vai livrar você de pagar taxas abusivas de juros nos bancos quando ocorrer alguma eventualidade na sua vida e você precisar de dinheiro com urgência. Aqui no Clube dos Poupadores você encontrará centenas de artigos sobre os mais diversos tipos de investimento, são artigos gratuitos como este. Eu também tenho livros sobre assunto e eu recomendo fortemente que você faça um esforço para investir na sua educação financeira. A ignorância financeira custa mais caro do que você pode imaginar. Uma das coisas que as pessoas mais se arrependem quando se educam financeiramente é do tempo que perderam deixando essa iniciativa para depois.

  102. Micaella 7 de julho de 2016 at 11:45 - Reply

    Olá Leandro, talvez seja repetitivo dizer o quanto o seu trabalho é maravilhoso e está me ajudando tanto, mas você merece ler sempre mais um comentário assim 🙂
    Bem, eu fiz uma conta na corretora Rico, mas não recebi essa senha para acessar o portal do Tesouro. Questionei-os sobre a compra de títulos direto no site do TD, e me informaram que não é mais possível fazer isso, que agora a compra é apenas pelo site da corretora. Além disso, solicitei o cadastro do meu cpf no tesouro nacional e estou aguardando essa confirmação. Minha dúvida é: para que esse cadastro seja feito e eu possa comprar os títulos (mesmo sendo apenas dentro da corretora), obrigatoriamente tenho que receber também a senha da BMF&Bovespa? Você comentou que o Itaú não permitia a compra de títulos fora do site deles, então isso significa que você não tinha como acessar o portal do tesouro nem para consultar os extratos, por exemplo? Ou as corretoras são obrigadas a fornecer essa senha, independente da compra ser no site da corretora ou não?
    Mesmo sabendo que a Rico é uma corretora confiável, fico receosa com essa questão de não poder comprar direto no site do tesouro, e de como então vou poder confirmar os títulos que já comprei e visualizar os extratos e etc.
    Obrigada desde já!

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:08 - Reply

      Oi Micaella. Eu não sou cliente da RICO e não sei responder como é o serviço prestado por ela. Pelo que seu os bancos e corretoras podem obrigar seus clientes a só investirem através da plataforma delas. Neste caso, pessoalmente, eu abriria conta em uma corretora que não faz esse tipo de exigência, pois pessoalmente prefiro investir através do site do Tesouro Direto que fica na BM&FBOVESPA em https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/PortalInvestidor/

  103. Marco 12 de julho de 2016 at 15:25 - Reply

    Olá Leandro,
    Tenho uma dúvida em relação a trecho abaixo do TD.

    “São 2 as taxas cobradas no Tesouro Direto.

    I – Há uma taxa de custódia da BMFBOVESPA de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos, que é cobrada semestralmente, no primeiro dia útil de janeiro ou de julho, ou na ocorrência de um evento de custódia (pagamento de juros, venda ou vencimento do título), o que ocorrer primeiro. Essa taxa é cobrada proporcionalmente ao período em que o investidor mantiver o título, e é calculada até o saldo de R$1.500.000,00 por conta de custódia.”
    A dúvida é sobre o trecho que diz “… e é cobrada até o saldo de R$ 1.500.000,00 por conta de custódia”. O que acontece com que exceder ???? Já tentei obter resposta diretamente no TD via BM&F e não obtive resposta.

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:05 - Reply

      Oi Marco. Se você tiver 10 milhões de reais a taxa cobrada será equivalente ao que seria cobrada se você tivesse 1.5 milhões.

  104. Daniel Lafefa 26 de julho de 2016 at 15:46 - Reply

    Leandro, uma dúvida de iniciante, acabei de me cadastrar na corretora, Se por exemplo, eu quiser investir R$1.000,00, vou transferir este dinheiro para a corretora, mas as taxas vão ser descontadas deste valor ou preciso transferir um valor maior para deixar na conta da corretora e cobrir as taxas? Grato

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:04 - Reply

      Oi Daniel, a taxa será descontada da sua conta na corretora onde é necessário que você tenha recursos disponíveis

  105. Anderson 6 de setembro de 2016 at 15:48 - Reply

    Olá Leandro,
    Parabéns pelo site. Sou leigo no assunto, queria investir em torno de 2.000 reais em algum titulo num prazo de 3 anos. Qual titulo você indicaria?

    Obrigado.

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:03 - Reply

      Oi Anderson. A pior coisa que você pode fazer ao iniciar no mundo dos investimentos é perguntar para outras pessoa qual é o melhor lugar para investir seu dinheiro. Isso eleva muito o seu risco de perder dinheiro. Recomendo que leia este artigo aqui e comece imediatamente a investir na sua educação financeira antes de fazer o primeiro investimento.

  106. Sidney 25 de setembro de 2016 at 9:09 - Reply

    Bom dia Leandro. Parabéns pelo artigo. Estava procurando informações sobre investimentos e o você foi muito esclarecedor. Existe algum site que simula investimentos e lucros? Obrigado.

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:02 - Reply

      Oi Sidney, no próprio tesouro direto existem simuladores.

  107. Cleber Iracet 28 de setembro de 2016 at 21:25 - Reply

    Gostaria de saber como fazemos o pagamento dos títulos comprados?

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:01 - Reply

      Oi Cleber, transferindo dinheiro para a sua conta na corretora. Ao comprar os títulos você vai indicar qual é sua corretora e o Tesouro irá sacar o dinheiro dessa conta.

  108. Júnior candiotto Guedin 6 de outubro de 2016 at 0:58 - Reply

    Queria saber de uma corretora de confiança aqui no sul do Brasil,

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 9:01 - Reply

      Oi Júnior. Você não precisa, e nem deve, se preocupar com a localização física das corretoras. As maiores e melhores corretoras estão concentradas em São Paulo e Rio de Janeiro e dessas cidades atendem clientes de qualquer parte do Brasil. As corretoras atualmente oferecem seus serviços 100% online ou por telefone e você nunca terá a necessidade de comparecer fisicamente no escritório da corretora, pois tudo é feito para que você não tenha essa necessidade.

  109. Danielle 15 de novembro de 2016 at 18:00 - Reply

    Olá Leandro!

    Muito boas suas dicas sobre investimentos no Tesouro Direto. Venho acompanhando várias delas para poder começar a investir.

    Tenho uma dúvida: É possível manter dois investimentos distintos no Tesouro Selic, isto é, aplicações independentes para objetivos diferentes?

    Obrigada!

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 8:58 - Reply

      Oi Danielle. Você pode ter conta em mais de uma corretora. De qualquer forma o ideal seria que você “desse nome aos bois” em suas anotações pessoais, em uma planilha por exemplo. Dentro da corretora o dinheiro poderia ficar junto, mas no seu planejamento pessoal você daria nome para ele (viagem, carro, casa, etc).

  110. Jefferson 15 de dezembro de 2016 at 17:00 - Reply

    Belíssimo trabalho, parabèns!

    Dúvida: Depois de realizar a compra dos títulos, devo deixar quanto na conta da corretora para pagamento das taxas.

    Em que momento são pagas as taxas de Custódia e a taxa para a BM&FBOVESPA?

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 8:55 - Reply

      Oi Jefferson. As corretoras costumam enviar um email lembrando as pessoas de que naquele mês existirá a cobrança da taxa.

  111. Jefferson 19 de dezembro de 2016 at 8:16 - Reply

    Boa tarde Leandro!
    Parabéns pelo seu trabalho. Estou começando minhas pesquisas para iniciar investimentos e a princípio me interessei pelo Tesouro Direto.

    Dúvidas:

    Esse investimento é cobrado IR (entre 22,5 e 15%). É sobre o Total Acumulado ou somente sobre os Ganhos (lucros)?

    Como é feito o cálculo da taxa de 0,30% cobrada pela BM&FBOVESPA?

    Já é descontada diretamente do título ou da minha conta na corretora?

    Li que esse desconto é realizado duas vezes no ano, então em um ano são são descontados 0,60%?

    Esse taxa é cobrada sobre o Total Acumulado ou somente sobre os Ganhos (lucros)?

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 8:55 - Reply

      Oi Jefferson. O imposto é apenas sobre o rendimento (os juros que você irá receber durante o tempo que o dinheiro ficar investido). Sobre os 0,3% da BM&FBOVESPA, eles transformam essa taxa de 0,30 anuais em uma taxa diária considerando dias úteis. Todos os dias úteis eles calculam uma pequena taxa diária do saldo que você tem. Quando completa 6 meses, no início e no final do ano, eles sacam a taxa da sua conta na corretora. Isso significa que no primeiro semestre vão descontar 0,15% e no segundo os outros 0,15%. A taxa de 0,3% é sobre o saldo atual, isso inclui todo o dinheiro.

  112. Bernardo Menezes 27 de dezembro de 2016 at 16:09 - Reply

    Boa tarde, Leandro. Tudo bem? Primeiramente, parabéns pelo excelente material. Orientou-me muito, consegui aprender muito sobre a compra de títulos. Enfim, meu objetivo com a compra de títulos é uma espécia de poupança/previdência, porém, bem mais rentável (diferentemente de prev.privada e poupança, como é sabido). Contudo, um dúvida simples: é possível comprando mês a mês parcelas/fraçôes de títulos como se eu estivesse fazendo uma suposta poupança? Ex: este mês de dez compro R$400, jan + $400 e assim vai. É possível fazer desta forma? Pretendo, no vencimento de cada título, somente nesta data, utilizar o dinheiro e reinvesti-lo novamente. Aguardo. Obrigado.

  113. Juarez lima 5 de janeiro de 2017 at 11:56 - Reply

    Bom dia Leandro
    Uma duvida quanto ao TD
    A taxa de 0,3%aa cobrada pela Bovespa é debitada na minha conta na corretora ou no montante investido?

    • Leandro Ávila 6 de janeiro de 2017 at 8:50 - Reply

      Oi Juarez. É descontada da sua conta na corretora. Uma vez no início do ano e outra no meio onde totaliza 0,3%

  114. Priscila 7 de janeiro de 2017 at 11:26 - Reply

    Saindo da ignorância financeira…
    Excelente texto. Obrigada Leandro!

  115. Maria 8 de janeiro de 2017 at 10:45 - Reply

    Bom dia Leandro, gostei muito do passo a passo acima, parabéns.
    Sou uma brasileira analfabeta em finanças e pretendo corrigir este erro. Gostaria de continuar recebendo seus conselhos de como aplicar meu dinheiro, para garantir minha velhice com segurança. Minhas economias sempre foram em poupança , a única vez que arrisquei em fundos perdi os juros e parte do capital, retornei para a poupança e previdência privada, mas percebi que estou perdendo dinheiro. Quero aprender a aplicar bem meu dinheiro.

    • Leandro Ávila 20 de janeiro de 2017 at 16:37 - Reply

      Oi Maria. É importante que você dedique algum tempo diariamente para ler sobre os mais diversos tipos de investimento. Você sempre, durante toda sua vida, terá que tomar decisões desse tipo.

  116. Stênio Cunha 20 de janeiro de 2017 at 16:29 - Reply

    Olá Leandro! Boa Tarde!
    Parabéns pelo brilhante trabalho de orientação financeira e investimentos.
    Após o conhecimento de seus artigos, passei a ler mais sobre controle financeiro e investimentos, tanto que entrei em contato com uma corretora da XP Investimentos para tirar dúvidas, mas acabei ficando com uma.
    Ao informar a consultora da XP que só tinha uma CONTA POUPANÇA NA CEF para fazer meus investimentos, a mesma me informou que eu poderia fazê-los via CONTA POUPANÇA.
    Será que ela queria apenas vender o produto para ganhar o cliente?
    E como neste artigo você afirma que só pode ser feito através de CONTA CORRENTE.
    Agora lhe faço a seguinte pergunta! Já que você tem inúmeros leitores neste site com apenas CONTA POUPANÇA ABERTA.
    Pode ou não pode fazer aplicação via CONTA POUPANÇA?
    Desde já, Muito Obrigado!

    • Leandro Ávila 20 de janeiro de 2017 at 16:36 - Reply

      Oi Stênio. Existem bancos onde é possível fazer uso da conta poupança por permitirem o envio e recebimento de DOC e TED.

  117. Ramom 9 de fevereiro de 2017 at 10:28 - Reply

    Bom dia Leandro,

    Tenho conta corrente e poupança, ambas possuem o mesmo número. Isso pode impedir a compra de títulos públicos?
    Efetuei a compra desses títulos. mas ela foi cancelada. Alegaram que não havia saldo suficiente. Verifiquei minhas contas é havia saldo.
    O que pode ter acontecido?
    Obrigado

    • Leandro Ávila 25 de abril de 2017 at 21:14 - Reply

      Oi Ramom. Eu não sei dizer. Somente o banco pode verificar o que realmente ocorreu. É necessário que você tenha dinheiro na conta corrente.

  118. marjorie byna 11 de março de 2017 at 5:43 - Reply

    Tenho algumas duvidas, agradeço se puder me ajudar, bem estou vendo vários videos de pessoas que falam no tesouro direto, minhas duvidas são: Como receber um valor mensal? Como se fosse aposentadoria. Qual titulo posso ter para essa finalidade? Porque eu só encontrei com juros semestrais.
    Outra duvida seria referente a aplicações mensais, ex: se aplicar o montante de 3.000,00 mas dividido em valores x pra fechar o montante. Receberia o mesmo valor se eu aplica-se o mesmo valor de 3.000,00 de 1 só vez. Usando as (NTNB Princ)?

    • Leandro Ávila 25 de abril de 2017 at 21:12 - Reply

      Oi Marjorie. Não existem títulos que paguem juros mensais, você encontrará os que pagam juros semestrais. No caso dos títulos você não faz aplicações, você compra títulos. Esse preço de compra do título sofre variações juntamente com suas taxas. Eu recomendo que você leia os artigos que já escrevi aqui no Clube dos Poupadores ensinando sobre cada título. Além dos artigos gratuitos você também pode contar com meus livros que abordam cada título de forma muito detalhada, veja aqui.

  119. Marcio 25 de abril de 2017 at 20:45 - Reply

    Olá Leandro.
    Cometi um equivoco encerrando minha conta corrente na CEF e, após, verifique que tinha Títulos do Tesouro LTN2018. Agora como faço para transferir tais títulos.para uma corretora?

    • Leandro Ávila 25 de abril de 2017 at 20:53 - Reply

      Oi Marcio. Você deve abrir conta na nova corretora e solicitar os procedimentos necessários para transferir os títulos para a nova corretora. Eles vão informar os passos que você deve seguir.

Leave A Comment

Compartilhe com um amigo