Como investir no TESOURO DIRETO

Você vai aprender nesta série de artigos: Como investir em títulos públicos no Tesouro Direto. Os títulos costumam render mais que a Caderneta de Poupança, Fundos de Investimentos DI e de Renda Fixa oferecidos pelos bancos. É um investimento seguro por ser garantido pelo Governo Federal através Tesouro Nacional.

Pela internet, qualquer pessoa pode ganhar dinheiro comprando e vendendo títulos públicos federais. Com R$ 75,00 já é possível comprar frações de títulos públicos. Estes papéis são exatamente os mesmos que os bancos compram, com o seu dinheiro, quando você aplica em fundos de renda fixa e DI. São os mesmos papéis que os fundos de previdência privada compram para fazer o dinheiro da sua aposentadoria render.

Para fazer este trabalho por você os fundos e planos de previdência cobram taxas administrativas elevadas. Estas taxas são grande fonte de lucro e motivo da baixa rentabilidade destes fundos. É por isto que o gerente do seu banco gosta de propor investimentos em fundos e planos de previdência ao invés de falar sobre as oportunidades oferecidas no Tesouro Direto.

O Governo Federal vende títulos porque precisa de dinheiro para investir em infraestrutura, saúde, educação além de cobrir o rombo da sua ineficiência. Os impostos que pagamos não são suficientes e por isto o governo precisa se endividar.

Pelo Tesouro Direto qualquer um pode emprestar seu dinheiro para o Governo Federal comprando títulos. Na data de vencimento, o título será recomprado pelo governo e você receberá mais do que pagou, são os juros. Você pode antecipar a venda do seu título, algumas vezes esta antecipação é vantajosa, outras não.

Recentemente o Tesouro Direto atingiu a marca de R$ 10 bilhões em títulos vendidos para pessoas físicas. Isto é pouco já que o serviço está disponível desde 2002 e os bancos privados possuem fundos com centenas de bilhões de reais de correntistas que ainda não conhecem as vantagens do Tesouro Direto.

Leia também

Se você aplicar R$ 100.000,00 em um fundo de renda fixa ou DI oferecido pelo seu banco, e ele cobrar 2% de taxa administrativa anual, isto significa que você pagará R$ 2.000,00 por ano para o banco comprar títulos federais para você. Comprar títulos públicos é um procedimento fácil e pode ser feito por você mesmo pela internet. Os custos para compra de títulos são bem menores e isto torna os títulos mais rentáveis que os fundos dos bancos.

Com os artigos que pretendo publicar, você vai aprender tudo que precisa para investir através de uma linguagem fácil de entender pelos mais leigos. Isto permitirá que você diversifique seus investimentos pagando menos taxas administrativas. Aprender a investir no Tesouro Direto pode significar mais dinheiro no seu bolso se comparar o que você ganha atualmente em fundos DI, Renda Fixa, Poupança e planos de previdência privada (Leia: Previdência Privada e suas desvantagens).

Vantagens dos títulos públicos

  • Baixo risco. Por ser uma aplicação que é garantida pelo Governo Federal, é considerada de baixo risco, quando comparada com outras opções no mercado. Lembre-se que o Governo Federal é dono da impressora de dinheiro que fica na Casa da Moeda. E as contas do Governo são garantidas pelo bolso de todos os brasileiros através dos impostos. Para o Governo Federal falir, todo Brasil precisa falir primeiro.
  • Baixo custo. Comparadas com outras opções de investimento em renda fixa (como fundos), em geral as aplicações no Tesouro Direto têm menor custo com taxas administrativas.
  • Previsibilidade. Por ser uma aplicação versátil (compatível com pequenas e grandes somas, diversos vencimentos e modalidades de pagamento variadas), permite que o investidor programe os resgates em função das suas necessidades futuras.
  • Liquidez. Se for preciso, você pode resgatar sua aplicação antes do vencimento: o Tesouro Nacional garante a recompra dos títulos todos os dias úteis. Como você verá nos próximos artigos, nem sempre antecipar o resgate é vantajoso.
  • Diversificação. Como existem vários tipos de títulos, o Tesouro Direto permite que o investidor diversifique suas aplicações, com base em cenários de alta ou baixa de juros e variação da inflação. Sempre existe um título vantajoso para cada situação econômica que o país atravessa.
  • Acessível. Com R$ 30 já é possível iniciar uma aplicação. Já os fundos com melhor rentabilidade oferecidos pelos bancos são exclusivos para pessoas que possuem grandes quantias para investir.
  • Comodidade. O investidor aplica, acompanha e resgata os recursos pela Internet e ainda pode programar as compras.
  • Vantagem tributária. O Imposto de Renda (IR) só é cobrado no momento de saída do investimento, ou no recebimento das parcelas semestrais, depende do tipo do título. Nos fundos de investimentos de renda fixa, por outro lado, o imposto é recolhido semestralmente, pelo mecanismo conhecido como “come-cotas”. Como a parcela do IR permanece na carteira do investidor do Tesouro Direto até o resgate, continua a render juros que serão seus.

Todo investimento possui vantagens e desvantagens ou pontos fortes e fracos.. Vamos conhecer as características de cada título. Veja outros artigos que já escrevi:

  1. Tipos de títulos públicos do Tesouro Direto
  2. Como investir em Tesouro Prefixado (LTN)
  3. Como investir em Tesouro Selic (LFT)
  4. Como investir em Tesouro IPCA+ NTN-B e NTN-B Principal
  5. Como escolher uma corretora
  6. Curso de Tesouro Direto para Iniciantes
  7. Curso Tesouro Direto Descomplicado (Curso Completo)
  8. Curso Tesouro Direto Carteira Rica (Curso Completo)
  9. Livros e Cursos Recomendados

Mas diante de tantas vantagens, o Tesouro Direto só não é mais popular porque o sistema financeiro lucra mais oferecendo fundos e planos de previdência privada. Investir no Tesouro também é um pouco mais complicado já que você precisa fazer escolhas. E para fazer escolhas você precisa se informar e pensar. E normalmente as pessoas não gostam de pensar para fazer escolhas já que sentem medo de escolher errado. A escolha certa só depende do seu conhecimento. O risco de errar é proporcional a sua desinformação sobre o investimento.

Se você ainda não recebe os emails semanais do Clube dos Poupadores cadastre seu endereço em www.clubedospoupadores.com/assinatura. Você receberá um aviso sempre que novos artigos forem publicados aqui. A inscrição é gratuita. Acompanhe o material que publicamos diariamente no nosso Canal do Facebook que fica em www.facebook.com/ClubedosPoupadores. Para receber as novidades do Clube pelo Twitter visite twitter.com/cpoupadores. Convide todos os seus amigos e parentes.

Livros sobre investimento que recomendo
By |07/02/2014|Categories: Tesouro Direto|96 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

96 Comments

  1. Patrícia 7 de fevereiro de 2014 at 20:53 - Reply

    Excelente artigo. Nunca vi explicação mais clara que a sua, já que pra leigos como eu é difícil entender alguns termos usados nessa área. Parabéns, ficou fácil entender. Aguardando ansiosa pra ler os próximos artigos. Obrigada!

    • Leandro Ávila 3 de abril de 2014 at 0:04 - Reply

      Obrigado Patrícia, meu objetivo foi justamente facilitar o entendimento. Um abraço!

  2. Dimi 8 de fevereiro de 2014 at 3:19 - Reply

    Excelente artigo, linguagem direta e fácil para aqueles que não entendem sobre o assunto, já estou no aguardo dos próximos artigos.

  3. André Baars Baptista 8 de fevereiro de 2014 at 22:53 - Reply

    Espetacular a esplanação!
    Parabéns!

  4. Georgio Lima 10 de fevereiro de 2014 at 12:00 - Reply

    Muito bom mesmo, me cadastrei recentemente e estou gostando muito dos artigos. Parabéns pela iniciativa e muito obrigado pelas informações fornecidas. Aguardo ansioso pelas continuações deste artigo!

    • Leandro Ávila 3 de abril de 2014 at 0:06 - Reply

      Olá Georgio, eu que agradeço por participar deste projeto!

  5. Gabriel 10 de fevereiro de 2014 at 12:34 - Reply

    Olá Leandro, primeiramente parabéns pelo tópico aqui descrito, gostaria apenas de ressaltar uma unica coisa que acredito que deva estar mais transparente para os futuros investidores em tesouro direto.

    Liquidez: a questão da liquidez está correta porem não 100% correta, vale ressaltar que o investidor conseguira vender a sua fração ou titulo inteiro somente se a quantidade de venda for menor que a quantidade disponível no mercado!

    Abraço.

    • Leandro Ávila 10 de fevereiro de 2014 at 13:08 - Reply

      Olá Gabriel, obrigado. Vou aprofundar sobre este tema nos próximos textos.

  6. Akram 10 de fevereiro de 2014 at 15:08 - Reply

    Boa Tarde Leandro

    Mais uma vez parabens pela clareza.

    Voce poderia nos explicar, nos seus artigos, quais são os motivos e quais são os titulos do Tesouro Direto, que valorizam ou desvalorizam muito antes do vencimento.
    Entendo os motivos, nós poderiamos nos antecipar, antes da quenda vendendo ou da alta, comprando.

  7. Marcus Vinícius 10 de fevereiro de 2014 at 15:42 - Reply

    Olá Leandro. Comprei o livro do Rafel Seabra sobre investimentos (que mostra uma clara preferência dele pelo tesouro direto). Comprei também seu excelente livro negro de imóveis. A pergunta que vou fazer pode ser ignorante de certo modo, mas como não achei nenhuma literatura….existe alguma forma de o governo (especialmente esse governo centralizador que toma posse e vende o que não é dele) não honrar com os compromissos de pagar os juros sobre o investimento ou confiscá-lo de alguma forma com o pretexto de mais algum projeto megalomaníaco que não dará em nada??
    Obrigado pelas iniciativas de instrução financeira!

    • Leandro Ávila 10 de fevereiro de 2014 at 16:28 - Reply

      Olá Marcus. Sim, o risco da moratória (calote) existe. Só que a decisão de não pagar é tão negativa, tão destrutiva que ela é a última decisão tomada diante de uma catástrofe econômica. Veja o que ocorreu com a crise nos EUA e na Europa. Os EUA ligou a impressora de dólares e inundou o mercado de dólares. Os Europeus reduziram os gastos públicos, demitiram funcionários públicos (gerando muitos protestos) mas todos estão fazendo o possível e o impossível para honrarem seus compromissos. Antes do calote muitos bancos e empresas já teriam quebrado e toda população já estaria em total prejuízo. Por isto os títulos públicos são vistos como investimentos seguros.

      • Marcus 10 de fevereiro de 2014 at 19:47 - Reply

        Ótimo!! A resposta me deixou mais tranquilo para investir… o governo não…rs. Enfim, agora é buscar as opções de acordo com prazos e objetivos e alocá-los. Mais uma vez, muito obrigado.

  8. Elton 10 de fevereiro de 2014 at 21:03 - Reply

    Parabéns pelo artigo!

    Me interessei muito pelo assunto, principalmente da forma mais fácil de entender como vc está explicando.

    Estou no aguardo da continuação para saber tudo sobre esse investimento e aprender a pular a etapa em que os bancos ficam com uma grande fatia de nossos rendimentos! Meu dinheiro está aplicado somente em previdência…

    • Leandro Ávila 3 de abril de 2014 at 0:07 - Reply

      Olá Elton, espero que as informações publicadas possam te ajudar. Um abraço!

  9. Lucas Lira 11 de fevereiro de 2014 at 9:40 - Reply

    Excelente matéria, informação de primeira qualidade para leigos como eu poupar e investir da melhor maneira… Parabéns! Aguardo ansioso os próximos capítulos!

    • Leandro Ávila 3 de abril de 2014 at 0:09 - Reply

      Obrigado Lucas, o objetivo é sempre facilitar para as pessoas mais leigas, pois são as que mais precisam. Um abraço!

  10. Antonio Neto 11 de fevereiro de 2014 at 15:32 - Reply

    Bastante esclarecedor o artigo. Seu material é de primeira qualidade. Parabéns!

  11. EUGENIO 11 de fevereiro de 2014 at 15:58 - Reply

    Gostaria de ter informações e esclarecimento sobre investimento em SOCIEDADES ANONIMAS S/A.

    • Leandro Ávila 3 de abril de 2014 at 0:10 - Reply

      Olá Eugenio, em breve vou escrever artigos sobre investimento em ações, principalmente para quem deseja investir pensando nos dividendos. Cadastre seu e-mail no site para receber os artigos no futuro.

  12. Igor 20 de fevereiro de 2014 at 10:00 - Reply

    Leandro, parabéns pelos excelentes artigos, tenho aprendido bastante com a leitura dos mesmos!
    Em relação ao investimento no Tesouro Direto, gostaria de saber quais informações devo levar em consideração no momento de escolha da corretora que administrará minha carteira, para que eu tome uma boa decisão.
    Obrigado, no aguardo dos próximos artigos!

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2014 at 9:45 - Reply

      Vou escrever um artigo sobre a escolha de corretoras em breve. 🙂

  13. RODRIGO 22 de fevereiro de 2014 at 12:03 - Reply

    olá, gostaria de saber se investir em açoes neste cenário de juros altos seria uma boa, em 2014.
    PRINCIPALMENTE AS PAGADORAS DE DIVIDENDOS? OU SERIA MELHOR NTN B PRINCIPAL
    PENSANDO A LONGO PRAZO< MUITO OBRIGADO
    RODRIGO.

    • Leandro Ávila 25 de fevereiro de 2014 at 9:25 - Reply

      Olá Rodrigo, o investimento em ações é um bom investimento apenas para aquela minoria das pessoas que realmente sabe investir em ações. Sem saber o que estamos fazendo a bolsa se transforma em uma casa de apostas e o prejuízo é garantido. Existe um material muito bom chamado “como investir em ações

  14. Marcus 7 de abril de 2014 at 12:28 - Reply

    Leandro,
    Há alguns bons anos, desde que entrei na faculdade, pago um PGBL do BB que hoje está 260.00, por iniciativa do meu pai. Alguns anos depois de casado e formado, iniciei mais aportes através da Sul América, para mim e minha esposa, algo em torno de 1.000,00(PGBL) e 400.00 (VGBL) respectivamente. Depois que passei a acompanhar o TD, observo muito suas avaliações e as do Rafael Seabra. Percebi (há algum tempo, mas não me movi por comodismo) que os caras do banco e seguradora nada mais fazem do que pegar seu dinheiro e investir algo simples que eu mesmo posso fazer (digo isso porque quando abri a características dos meus planos, não há nada investido em multimercados ou algo mais agressivo que justifique essa grana estar na mão desses parasitas que cobrar administração e carregamento). A pergunta é: investindo sozinho, eu “perco” essa questão dos 12% de dedução máxima do IR que teria caso eu pegasse os R$ 1700.00 e alocasse sozinho em NTN-B princ, LNT e LFT? No final dos anos, o que eu deixo de ganhar de dedução de IR é suplantado pelo que posso alavancar de juros sobre juros investindo sozinho sem tx de carregamento e administração? Não sei se me fiz entender. Grande abraço, agradeço pela iniciativa educacional!

    • Leandro Ávila 7 de abril de 2014 at 12:41 - Reply

      Olá Marcus. Você precisa fazer as contas para verificar na ponta do lápis até que ponto adiar o pagamento do imposto de até 12% da sua renda é realmente vantajoso. Leve em consideração todas as taxas administrativas e de carregamento que você pagará durante décadas de investimento. Você deve verificar, até que ponto este adiamento no pagamento de imposto vai se reverter em benefício para o meu bolso ou para o bolso dos donos de bancos e seguradoras. Compare a rentabilidade dos seus planos de previdência com a rentabilidade de outros investimentos. Tente perceber como seria vantajoso se você aprendesse a cuidar do seu dinheiro livremente, podendo transferir recursos livremente de um investimento para o outro para aproveitar as oportunidades, podendo diversificar aplicando seu dinheiro em diversas opções para maximizar seus ganhos e reduzir seus riscos. Um abraço!

  15. CORNELIUS OKWUDILI EZEOKEKE 29 de abril de 2014 at 18:25 - Reply

    Boa noite caro Leandro,faz um tempinho que acompanho o seu trabalho e tem sido muito proveitoso para minha Educação financeira.Invisto no mercado de ações há 4 anos e agora estudo a possibilidade de diversificar mais ainda com tesouro direto.Porém,tenho uma dúvida em relação a juros compostos no tesouro direto.Se compro um título de NTNB PRINCIPAL,será que por já conhecer quanto renderá no vencimento,esses juros serão compostos ou não? Como funciona isso?Quero conhecer antes de começar a investir.Obrigado pela atenção e espero que entenda o que realmente quero perguntar.O título que estou falando é o que não paga cupom semestral e de vencimento de 2019.Obrigado e aguardo a resposta.

  16. André Santana 5 de maio de 2014 at 19:45 - Reply

    Boa tarde

    Existe um risco, de perda no resgate antes do vencimento do título, seja ele pré ou pós fixado, de acordo com a marcacao a mercado.

    Estou adquirindo um apto e em breve, nao sei quando, talvez no máximo em 12 meses, eu terei que entrar no financiamento do banco. Se eu entrar num titulo, por exemplo LTN com vencimento em 2017, e tiver que resgatar esse título antes de seu vencimento mesmo havendo perda de marcacao a mercado, eu teria um montante superior quando comparado com a poupanca? Tendo em vista o cenário brasileiro atual.

    OBS: Eu já tenho uma certa quantia na poupanca, minha ideia era transferir, para Títulos Públicos para buscar uma melhor rentabilidade buscando quitar o máximo do apto, na hora de firmar o finaciamento.

    Muito obrigado desde ja

    Parabéns pelas informacoes disponibizadas

    • Leandro Ávila 5 de maio de 2014 at 20:50 - Reply

      Olá André. Você pode investir em LFT (pós-fixado), a rentabilidade é sempre positiva acompanhando a Selic. Já no caso de investir em LTN que é pré-fixado existe grande risco do título perder valor nos próximos meses caso o governo continue subindo a Selic. Veja como funciona a LTN e a LFT nos artigos que já escrevi aqui no Clube dos Poupadores.

  17. Misael da Silva 30 de maio de 2014 at 22:52 - Reply

    Excelente artigo.
    Li junto com o livro Titulo público sem segredo, me ajudou muito mesmo. E farei o investimento neste semana ainda. Gostaria de saber se é possível fazer a transferência conta poupança para a corretora somente pagando taxa do banco Ted. ou Doc.
    Muito obrigado e aguardo mais artigo para investidores iniciantes.

    • Leandro Ávila 1 de junho de 2014 at 22:51 - Reply

      Olá Misael, TED e DOC é feito através de conta corrente e não em conta poupança. Um abraço.

  18. Cheng 10 de junho de 2014 at 13:38 - Reply

    Tudo bem Leandro.
    Entrei no site do Tesouro Direto e quando eu cliquei em Investir, fala que eu preciso estar cadastrado numa instituição financeira, corretora ou banco. Como que eu faço isso? Abraços e parabéns pelo artigo. Estou curtindo bastante o seu site!

  19. Rafael 28 de junho de 2014 at 23:13 - Reply

    Boa noite Leandro.
    Já estou a umas 2h lendo artigos do site. Parabéns pelo excelente trabalho.

    Minha maior dúvida com relação ao Tesouro Direto diz respeito a compra mensal (ou trimestral) dos títulos.e e o momento em que for resgatá-los.
    Por exemplo, eu comprando R$ 500,00 em títulos mensalmente com vencimento em 2019, como seria na hora do resgate? principalmente com relação aos títulos mais recentes, comprados 6 meses antes do vencimento… Como seriam calculados os impostos sobre estes?

    Me perdoe se não consegui ser claro na dúvida.

    Forte abraço!

    • Leandro Ávila 29 de junho de 2014 at 6:58 - Reply

      Olá Rafael. Quando alta +/- 2 anos para o vencimento de um título ele para de ser vendido e outro papel com vencimento mais longo passa a ser oferecido. Exemplo: Em 2014 a LTN que vence em 2016 deixou de ser vendida, hoje temos a LTN que vence em 2017 e 2018. Quando a LTN que vence e 2017 deixar de ser vendida provavelmente o governo deve lançar a LTN que vence em 2019. Dessa forma você sempre terá títulos LTN à venda que você pode manter por mais de 2 anos e assim eles irão recolher a taxa mínima de imposto que é de 15%.

  20. Marcus 14 de julho de 2014 at 8:20 - Reply

    ótima explicação, parabéns!! No cenário atual é mais vantajoso aplicar 100.000 mil em LCI ( 80% CDI) ou investir em tesouro mesmo pagando 0,5% de taxa administrativa? Sou cliente BB e as taxas cobradas são essas!! Baixei a tabela comparativa entre LCI/LCA X poupança x CDB, tem alguma que compara com tesouro? Obrigado mais uma vez! Abraços

    • Leandro Ávila 14 de julho de 2014 at 9:43 - Reply

      As taxas do Banco do Brasil são altas pois eles sabem que seus clientes possuem pouca informação e os que sabem mais um pouco preferem se manter na zona de conforto. Assim é a visão de todos os grandes bancos. Nos artigos que escrevi sobre cada título e que possuem links aqui neste artigo eu mostro como usar a calculadora do tesouro que simula e mostra a rentabilidade já descontando impostos e taxas. Você pode informar a taxa do BB e verificar a rentabilidade final e com isto fazer a comparação com outros investimentos ou com a possibilidade de usar corretoras que cobram taxas menores que a corretora do BB.

  21. Marlon Allan 23 de julho de 2014 at 17:22 - Reply

    Boa tarde Leandro.

    Pode ocorrer de o investidor em Tesouro Direto não receber o valor investido nos títulos caso o Governo Federal decrete moratória (como está ocorrendo na Argentina)?

    Há alguma garantia ao investidor fora o valor definido pelo FGC?

    • Leandro Ávila 23 de julho de 2014 at 21:09 - Reply

      Sim, isso pode acontecer. Agora você deve observar que o problema na Argentina é diferente. Os investidores internacionais querem receber a dívida em dólares. A Argentina não pode imprimir dólares e nem pode cobrar impostos da população em dólares. O calote interno é muito raro por vários motivos. Para conseguir reais para pagar os títulos vencidos o governo federal tem 3 grandes possibilidades: 1) Vender mais títulos públicos oferecendo taxas de juros ainda maiores. Isto atrairia mais investidores e eles utilizariam o dinheiro destes novos títulos vendidos para pagar os juros e os títulos que estão vendendo. 2) O governo pode aumentar a arrecadação aumentando os impostos ou criando impostos. Com isto a população brasileira pagaria a conta. 3) O governo federal pode aumentar a emissão de dinheiro. Eles são donos da impressora. Este tipo de calote é uma situação catastrófica, não existe nada pior para a economia de um país. Todos os bancos compram títulos públicos. Um calote quebraria todos os bancos e o FGC é uma entidade mantida pelos bancos.

  22. Lourdes 27 de julho de 2014 at 21:31 - Reply

    Boa noite Leandro,
    Iniciei meus estudos hoje, através deste clube e já aprendi bastante.. É claro que sinto-me insegura talvez pelo própria falta de conhecimento. Então aí vai a minha dúvida: vendi um imóvel que era alugado como complemento de aposentadoria e dentro de alguns meses terei o montante disponível e pretendo investir no Tesouro Direto. Que títulos vc. sugere ? A taxa de juros dos títulos são maiores ou menores de acordo com o tempo para o resgate ? Muito obrigada !!!!

    • Leandro Ávila 28 de julho de 2014 at 23:25 - Reply

      Olá Lourdes. Melhor do que eu sugerir um título seria você estudar sobre todos eles para fazer sua escolha. Se te respondo qual é o melhor título você vai sempre depender da opinião de terceiros, principalmente porque o título que hoje é o melhor pode não ser a melhor opção amanhã. Seria muito importante dedicar seu tempo nisto pois isto te traria liberdade e principalmente segurança.

  23. Franco 31 de julho de 2014 at 22:04 - Reply

    Parabéns pela matéria, escrita de forma profissional e didática, facilitando o entendimento dos mais leigos…seguirei sua orientação e ampliarei meus conhecimentos – primeiramente com o livro – e depois com seus brilhantes textos. Obrigado pela oportunidade!

    • Leandro Ávila 1 de agosto de 2014 at 8:57 - Reply

      Olá Franco, o primeiro investimento para quem pretende investir é o investimento na própria educação. Você está no caminho certo.

  24. Israel 21 de agosto de 2014 at 12:55 - Reply

    Leandro,

    Estive pesquisando o histórico de preços dos títulos públicos. Não sei se estou equivocado, mas não há histórico de preço dos títulos atuais. Há algum lugar que eu possa descobrir.
    Eu queria fazer comparações, criando planilhas de excel para poder tomar decisões, avaliando os motivos dos papéis terem subido com a situação econômica do país.
    Não sei se ficou muito claro o que quis dizer.

    • Leandro Ávila 21 de agosto de 2014 at 22:10 - Reply

      Oi Israel, aqui neste artigo existem links para os artigos onde falo sobre cada título público. Nestes artigos existem links onde é possível baixar estes dados que você precisa.

  25. Demitry Messias 23 de agosto de 2014 at 2:22 - Reply

    Dr Leandro!!!! Meus parabéns pelo seu site!!! Há bastante tempo eu penso em como poderia fazer o meu dinheiro trabalhar por mim, e vc parece ser o primeiro a me dar mais respostas que perguntas nesse assunto. Vou começar a ler seu livro AGORA!
    Se eu puder deixar dicas também, fica aqui o link do curso “TV Educação Financeira”, da BM&fBOVESPA, para quem quiser saber não só dos investimentos em Tesouro Direto, mas como Poupar em geral, com muitas dicas úteis para alguém que (como eu) está começando a vida!

    http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/educacional/iniciativas/tv-educacao-financeira.aspx?idioma=pt-br

    Novamente, agradeço bastante seu empenho em nos educar nesse fascinante campo que é a economia. Continue assim! As pessoas precisam aprender mais e mais!

  26. manoel 30 de agosto de 2014 at 0:38 - Reply

    Leandro, Parabéns. Pessoas como vc é que nos fazem acreditar em um mundo melhor. Por todos os lugares vemos pessoas ou instituições vendendo informações totalmente distorcidas para lucrar mais com nosso dinheiro. Parece que vc pensa diferente e com certeza ganha de outra forma, na forma de energia positiva que todos lhe mandamos na forma de gratidão. Alguns não acreditam mas elas existem. Grande Abraço.

  27. Rubinho 2 de setembro de 2014 at 8:42 - Reply

    Olá, gostaria de saber, depois do prazo estabelecido para o resgate, posso fazê-lo em qualquer época? Qual a menor taxa de IR que consigo pagar? Posso ficar com os títulos públicos o tempo que eu quiser? existe alguma vantagem nisso? Obrigado!

    • Leandro Ávila 2 de setembro de 2014 at 9:49 - Reply

      Olá Rubinho, todo título possui uma data de vencimento. Nesta data o governo “recompra” os títulos, ou seja, devolve o dinheiro que você investiu somado aos juros que ele prometeu pagar no dia do investimento. Desta forma não é possível ficar com o título para sempre. O que você pode fazer é comprar os títulos novamente com o dinheiro que receberá.

  28. michel ribeiro bonatto 12 de setembro de 2014 at 23:33 - Reply

    olá… li muito sobre este tipo de investimento, li muitos artigos no qual se fala em riscos, mas também li que o tesouro é super seguro ao ponto dar só lucro se não vender os títulos antes do prazo, porém surgiu uma duvida sobre estes riscos, quais são estes risco? são de perda do dinheiro? ou é o simples fato do dinheiro não render o esperado dentro do prazo estipulado?

    • Leandro Ávila 12 de setembro de 2014 at 23:56 - Reply

      Oi Michel, se você comprar títulos prefixados como LTN ou com uma parte pré-fixada como NTN-B e NTN-B Principal e o governo começar a subir os juros, e durante esta alta dos juros você resolve antecipar a venda, você realmente perde uma parte do dinheiro que investiu. Isto ocorre porque is títulos ficam mais baratos quando os juros sobem e se você comprou por um preço e vai vender o título por um valor menor do que pagou, você vai perder dinheiro. Por isto o ideal é comprar títulos prefixados e esperar até o vencimento ou comprar títulos prefixados para vencer antecipadamente quando os juros estiverem em queda. Já os títulos pós-fixados só possuem o risco de render menos pois eles acompanham a taxa básica de juros. Se ela subir você ganha mais e se ela cair você continua ganhando só que ganha menos. Este é o caso do título chamado LFT. Para saber como ganhar muito dinheiro vendendo títulos antecipadamente quando os juros estão em queda eu recomendo o curso de tesouro direto que comentei neste artigo.

  29. Claudia Mara 16 de outubro de 2014 at 4:26 - Reply

    Eu invisto no tesouro direto e gosto muito , muito bom o seu texto , mas esse valor mínimo de R$ 30,00 poderiam aumentar para uns R$ 65,00 ou R$ 70,00 , porque desde que eu invisto nunca vi títulos que custam R$ 300,00 , estão todos acima de R$600,00 , sendo 10% o mínimo que se pode comprar o valor passa de R$ 60,00 reais .

    • Leandro Ávila 16 de outubro de 2014 at 13:16 - Reply

      Olá Claudia. Para o segmento “Compras Programadas”, os investidores têm a vantagem de realizar suas negociações obedecendo a parcela mínima de 0,01 ou 1% do preço unitário de cada título, desde que respeitado o limite mínimo de R$ 30,00. (trinta reais). Já a quantidade mínima de compra (sem ser uma compra programada ou agendada) é a fração de 0,1 título, ou seja, 10% do valor de um título. Como a maioria prefere comprar o título (sem programar compras mensais) vou seguir sua sugestão. Vou informar que o mínimo seria em torno de R$ 75,00 que seria +/- o preço de 10% de um título LTN. Um abraço e obrigado!

  30. Fernando 19 de outubro de 2014 at 9:13 - Reply

    òtimo artigo. Estou adorando site, lendo todos os artigos! Ansioso para colocar em prática as informações repassadas.
    Parabéns, você está me salvando mesmo!!!

  31. Robson 16 de novembro de 2014 at 22:23 - Reply

    Ótimo, Leandro tem como eu ganhar mensal cara, tipo receber mensal, nesse TD ou em outro, ter uma renda mensal, e mais pra frente fazer uma de longo prazo. abraço

  32. camila 20 de novembro de 2014 at 8:08 - Reply

    Leandro, agora com essa história do superávit, e que passamos a ser os credores dessas dividas do governo, há algum risco nos investimentos do tesouro? nem digo de pré e pós fixada, mas risco de não haver dinheiro e não recebermos mesmo??

    • Leandro Ávila 20 de novembro de 2014 at 11:08 - Reply

      Oi Camila. É improvável que o Governo Federal fique sem dinheiro (R$). Ele pode até ficar sem dólares, mas é improvável que fique sem reais. E a explicação para isto é bem simples. Quem paga as contas do governo são os brasileiros. Quando falta dinheiro eles aumentam os impostos, cortam subsídios e reduzem despesas e investimentos em educação, saúde, etc. O Governo também tem o poder de produzir dinheiro, afinal de contas eles são donos da Casa da Moeda onde ficam as impressoras de reais. O Governo também pode aumentar os juros e com isto atrair mais dinheiro de investidores nacionais e internacionais. É por isto que não é comum ver um governo dando calote de sua dívida interna (paga com a moeda nacional). O mais comum é ver calote de dívidas externas quando o governo é obrigado a pagar utilizando moeda estrangeira, moeda esta que ele não pode produzir do nada. E também existe as consequências catastróficas de um calote. Certamente todos os bancos, fundos de previdência e todo sistema financeiro quebraria se um calote fosse adotado. Por isto é uma coisa pouco provável e se um dia acontecer não importará onde você terá escondido seu dinheiro, ele certamente perderá todo valor.

  33. Angelo 30 de novembro de 2014 at 7:18 - Reply

    Bom dia, Onde investir 1000,00 por mês durante 3 anos. Saldo inicial 1000,00

    • Leandro Ávila 30 de novembro de 2014 at 22:05 - Reply

      Olá Angelo. Recomendo a leitura dos artigos que escrevi sobre títulos públicos. Desta forma você não dependerá mais da opinião dos outros para saber onde investir seu próprio dinheiro. Este é o sentido da educação financeira.

  34. Ana Luiza Lisboa 1 de dezembro de 2014 at 14:03 - Reply

    Leandro,

    Me desculpe se a pergunta for muito burra, mas eu estou muito no começo mesmo. Em várias respostas você fala que o governo é o dono da impressora. Quais as consequências econômicas se o governo resolver imprimir a vontade? Seria a desvalorização da moeda? Obrigada.

    • Leandro Ávila 1 de dezembro de 2014 at 22:30 - Reply

      Olá Ana Luiza. A pergunta não é burra. A consequência econômica é a inflação. O governo prefere emitir títulos públicos novos para pagar as dívidas que estão vencendo (de títulos antigos) do que adotar outros meios que possam elevar a inflação.

  35. camila 2 de dezembro de 2014 at 15:04 - Reply

    Olá Leandro, fiz 2 aplicações no tesouro este mês, as 2 em LTN diferentes uma da outra, e em dias diferentes, mas não entendi uma coisa e o cara da corretora não me explicou muito bem. Veja se consegue me ajudar: a corretora cobra 0,10%…fiz 2 aplicações de 5mil cada, uma veio cobrança de 5003,25…a outra de 5046,60…….o que são esses valores a mais??? Na primeira aplicação, os 3,25 achei que eram os 0.1 da corretagem, não quis fazer muita conta…mas daí veio mais de 40reais de diferença na outra??? ele disse que é um tal de PU….que que é isso???

    • Leandro Ávila 2 de dezembro de 2014 at 22:27 - Reply

      Olá Camila. Uma LTN que vence em 2017 no momento em que escrevo esta resposta custa R$ 784,01. Você pode comprar uma LTN inteira ou pedaços equivalentes a 1/10 ou 10% de LTN. Desta forma não é possível comprar exatamente 5.000,00 de LTN já que você precisa comprar LTNs inteiras ou pedaços de LTN. Nunca vai bater exatamente R$ 5.000,00. Eu faço diferente quando compro títulos. Se fosse comprar R$ 5.000,00 de LTN e o preço de cada uma fosse de R$ 784,01 eu dividiria 5 mil por 784,01 e encontraria 6. Desta forma compraria 6 LTNs inteiras e com isto meu investimento seria de 4.704,06. A diferença eu guardaria até que fosse possível comprar uma LTN inteira. Esse PU que ele falou significa Preço Unitário. Você vai perceber que esse preço unitário ou o preço da LTN muda constantemente. Por isto fica difícil comprar exatamente 5 mil de LTN cada vez que você investir já que o PU muda sempre.

  36. Camila 3 de dezembro de 2014 at 19:42 - Reply

    Poxa Leandro, Obrigada…agora entendi….muito simples, mas o rapaz me falou q era uma taxa pu…..se ele tivesse explicado assim…rsss…obrigada mesmo de novo!,,

  37. Camila 3 de dezembro de 2014 at 19:47 - Reply

    Ola Leandro, obrigada pela resposta, muito simples…agora enntendi…se o rapaz tivesse respondido assim, mas ele disse que era cobranca da taxa pu!,, rsss…acho que nem ele sabia…rsss….obrigada de novo!,,

  38. Felipe Aleixo Loures 20 de dezembro de 2014 at 12:32 - Reply

    Primeiramente, dou-lhe meus parabéns pela competência, dedicação e solicitude com que você desenvolve esse magnífico trabalho de educação financeira na internet. Seu site tem sido fonte de lições preciosas para mim.
    A propósito dos títulos públicos: meu pai tem pensado em investir em NTN-B. Ocorre que ele já tem 72 anos, o que suscita problemas de planejamento sucessório. Pergunto: há alguma forma de possibilitar que, em caso de falecimento dele, possamos dispor dos títulos sem levá-los a inventário? É possível, por exemplo, investir nesses títulos por meio de conta conjunta? Chegamos a pensar em adquirir os títulos em meu nome, mas daí teria que declarar e pagar o imposto de doação certo?
    Obrigado.

    • Leandro Ávila 22 de dezembro de 2014 at 0:04 - Reply

      Oi Felipe. No caso do falecimento, todos os investimentos no nome dele precisam ir para o inventário. Sim, se o seu pai transferir dinheiro para seu nome e você comprar títulos com este dinheiro, você terá que comprovar na sua declaração de onde veio esse dinheiro, no caso foi uma doação em vida do seu pai.

  39. woshington 31 de dezembro de 2014 at 10:30 - Reply

    Foi o melhor site sobre o assunto que encontrei até agora.
    Parabéns. Está me ajudando muito.

  40. Waldemir 9 de fevereiro de 2015 at 22:46 - Reply

    Leandro,

    Tenho acompanhado seus artigos desde o dia em que comecei a buscar investimentos para o futuro. Mudei minha postura desde outubro de 2014. Estou dando os meus primeiros passos e devo dizer que os seus artigos me ajudaram a tomar essas decisões. Já tenho LCI e LCA de bancos diferentes e recentemente ingressei no Tesouro Direto cuja corretora ,inicialmente, optei pela XP Investimentos.

    Comprei 5 NTNB-P no início de fevereiro a uma taxa de 6,09 e de valor de face R$768,75. No momento em que escrevo a taxa é de 6,35 e valor de face R$733,68. Quanto mais a taxa sobe o valor do título diminui e o principal que empreguei vai acompanhando o declínio. A minha pretensão é vendê-los quando a taxa cair significativamente e nesse momento o título valorizará. Segundo os especialistas estão prevendo a Selic no final de 2016 em 11,50 , ou seja, terei que esperar aproximadamente 1,5 ano a 2 anos para ligar o alerta de venda dos títulos.

    A pergunta é: Não seria mais vantajoso aplicar em uma LCI ou LCA com vencimento aproximado de 2 anos e taxa de 99% do CDI os mesmos valores que foram aplicados na NTNB-P ?

    Os rendimentos não seriam melhores já que essas aplicações são isentas de IR?

    Agradeço desde já por sua atenção!

    Obrigado,

    Waldemir

    • Leandro Ávila 9 de fevereiro de 2015 at 22:55 - Reply

      Oi Waldemir. É importante que você entenda o funcionamento dos títulos antes de investir. NTN-B Principal que vence em 2035 só deveria ser adquirida com aquele dinheiro que você só pretende usar em 2035. A venda antecipada só é interessante quando os juros caírem pois a queda dos juros faz o preço do título subir. Mesmo assim é importante avaliar com cuidado já que se você vende o título que paga mais de 6% + IPCA você perderá um ótimo investimento que rende 6% de juros reais (acima da inflação) até o ano de 2035. NTN-B é investimento seguro de longo prazo, muito usado para aposentadoria. Existem estratégias de compra e venda de títulos antecipadamente que são ensinadas em cursos, mas exige uma análise de dados macroeconômicos. Para saber mais sobre o curso visite aqui. LCI e LCA são títulos privados com vencimento no curto prazo e são melhores para o curto prazo. Enquanto a NTN-B garante determinadas condições por um longo tempo as condições da LCI e LCA que você contrata hoje só vai até o vencimento que costuma ser de 2 ou 3 anos. LCI e LCA podem render mais do que títulos públicos, só que elas acompanham a taxa Selic. Se nos próximos anos a Selic cair elas irão acompanhar a Selic para baixo. Antes de investir é muito importante estudar o funcionamento das opções que existem.

  41. Cecília Jaegger 28 de fevereiro de 2015 at 16:11 - Reply

    Boa tarde, Leandro!
    Tenho acompanhado alguns artigos, porém ainda caminho com muita dificuldade nesta área de conhecimento. Poderia me dar alguma ajuda?
    Com um capital inicial de R$20000,00 e um investimento mensal de R$300,00, durante o período de 14 meses, qual seria o melhor investimento?
    Agradeço desde já e deixo aqui as felicitações pela excelente iniciativa do projeto!

  42. Priscila 13 de março de 2015 at 23:09 - Reply

    Parabéns Leandro!! Fantástico o seu site. Muito obrigada por compartilhar conosco o seu conhecimento.

  43. Rogério Vasconcelos 24 de julho de 2015 at 23:50 - Reply

    Boa noite Leandro,
    Tenho um dúvida sobre títulos públicos, no caso de comprar um título pré-fixado em 12%a.a., depois de um tempo este mesmo título passa a ser vendido à 13%a.a., o título que comprei passa a ser corrigido pelo novo valor percentual ou mantém o valor negociado na data da compra?

    Abraço Leandro e parabéns pelo site!!!!

    • Leandro Ávila 25 de julho de 2015 at 21:19 - Reply

      Oi Rogério. Quando você compra um título pré-fixado, como o nome mesmo diz, os juros já estão fixos. Se no futuro os juros subirem ou caírem não importa pois na data de vencimento você receberá aquilo que foi acordado no momento da compra do título. É o caso do Tesouro Prefixado (LTN). Já o título pós-fixado tem sua taxa variando e acompanhando a Selic, é o caso do Tesouro Selic (LFT).

  44. Rafael 5 de agosto de 2015 at 9:31 - Reply

    Ola Leandro
    Estou querendo investir na SELIC com vencimento em 2017 está disponível para visualização na página do tesouro direto. Mas quando entro para compra esse título não está disponível. O que será que está acontecendo?

    • Leandro Ávila 5 de agosto de 2015 at 23:04 - Reply

      Olá Rafael. O Tesouro Selic que vence em 2017 não está mais sendo comercializado. Quando fica faltando menos de 2 anos para vencer o título eles costumam parar de vender e criam um novo título, no caso o título criado foi o que tem vencimento em 2021.

  45. SUELY JEBAILI 9 de setembro de 2015 at 17:57 - Reply

    CARO LEANDRO,N’AO SEI SE QUI [E O LUGAR CERTO PARA LHE ENVIAR MINHA PERGUNTA,MAS DE N’AO FOR,POR FAVOR ME ORIENTE…
    SOU PENSIONISTA,TENHO 67 ANOS E POSSUO UMA PEQUENA QUANTIA PARA INVESTIR NO TESOURO…FUI ORIENTADA A INVESTIR NA LTN-B ,MAS GOSTARIA DE SABER QUAL E O PROCESSO PARA COMPRAR OS TITULOS PELA CORRETORA,
    SOU MUITO GRATA PELAS SUAS INSTRU;’0ES ATRAVES DESSE SITE.
    SUCESSO E OBRIGADA

  46. João Carlos 13 de outubro de 2015 at 17:23 - Reply

    Boa tarde Leandro, acabei de me cadastrar; li um pouco a respeito de seu trabalho e acho muito gratificante sua iniciativa; tenho muitas dúvidas para iniciar um investimento com pouco capital, e acho q vc poderá me a judar como ajudou muita gente.
    Obrigado!

    • Leandro Ávila 1 de abril de 2016 at 12:56 - Reply

      Oi João. Seja bem-vindo. Existe muito conteúdo aqui no site esperando por você.

  47. Tiago 25 de novembro de 2015 at 15:23 - Reply

    Olá Leandro. Muito bom o texto e obrigado pela informação.

    Estou pensando em investir a longo prazo pensando na aposentadoria, sou casado e estou na duvida se é melhor eu abrir uma conta conjunta ou individual. No caso se investir com minha conta individual e eu vier a falecer teria mais problema?

    • Leandro Ávila 1 de abril de 2016 at 12:56 - Reply

      Oi Tiago. Com ou sem investimentos em títulos públicos, quando falecer a sua família deverá fazer um inventário. É através deste documento que todos os seus bens serão distribuídos entre os herdeiros. Isso inclui títulos públicos, dinheiro na conta corrente do banco, poupança, imóveis e qualquer outro bem.

  48. Dilti Xavier Lopes 1 de abril de 2016 at 11:42 - Reply

    Olá,
    Gostaria de saber se o investimento no Tesouro Direto Selic tem a proteção do FGC.
    Na verdade nem sei o que é isto, mas um amigo que está me orientando disse que esta proteção é muito importante.
    Grata

    • Leandro Ávila 1 de abril de 2016 at 12:54 - Reply

      Oi Dilti. Recomendo a leitura do artigo que escrevi sobre o FGC. Você verá que títulos privados (emitidos por bancos) é que são protegidos pelo Fundo Garantidor de Créditos. Os títulos públicos são garantidos pelo Tesouro Nacional.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo