Cobrança Semestral Taxa Tesouro Direto BMFBOVESPA

Antes do primeiro dia útil de janeiro e julho você receberá um e-mail da BM&FBOVESPA avisando que precisa pagar as taxas administrativas do investimento que você fez no Tesouro Direto. Esse dinheiro precisa estar disponível na conta da sua corretora para que possa ser sacado pela BM&FBOVESPA.

Veja um exemplo do e-mail que eles enviam duas vezes por ano:

No exemplo desse e-mail acima o investidor tinha títulos públicos em duas corretoras diferentes. Como você pode ver, infelizmente, o e-mail que eles enviam é muito pobre em informações. Quem recebe pela primeira vez fica confuso.

 Como funciona a taxa cobrada pela BM&FBOVESPA:

A taxa de custódia é de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos. Ela é referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos. Essa taxa é provisionada diariamente e começa a ser cobrada quando a compra do título é realmente efetivada, ou seja, quando ocorre a liquidação da operação de compra (D+2), ou seja, dois dias depois do dia da compra.

Isso significa que a taxa de 0,30% é transformada em uma taxa diária equivalente (muito pequena). Todos os dias eles calculam o valor que você pagará de taxa com base no valor dos seus títulos naquele dia. Através do extrato do Tesouro Direto é possível observar o valor devido aumentando diariamente na coluna “Taxa Devida / BM&FBOVESPA”. Para consultar o seu saldo basta visitar https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/PortalInvestidor/ e clicar em “Consultar” e depois em “Extrato consolidado”.

É importante observar que a taxa é cobrada até o saldo de R$1.500.000,00 por conta de custódia. Isso significa que se você tiver mais de R$1.500.000,00 aplicados no Tesouro Direto via uma única instituição financeira, essa taxa não mais será cobrada sobre o valor que exceder R$1.500.000,00.

Como a cobrança ocorre duas vezes por ano, no primeiro dia útil de janeiro e julho, metade desses 0,30% será cobrado no início do ano e a outra metade no meio do ano.

Como funciona a taxa agente de custódia

As corretora fazem o papel de “Agentes de Custódia” nos investimentos feitos no Tesouro Direto. Como a BM&FBOVESPA e o Tesouro Nacional não atendem o público, essa tarefa é feita pelas corretoras. Nem todas as corretoras cobram a chamada “taxa do agente de custódia”. Eu até recomendo que você pesquise corretoras que não cobram essa taxa. Dessa forma, no próximo semestre você não vai precisar pagar a taxa novamente. Para ver a lista das corretoras e quais cobram ou não cobram a taxa visite aqui. Você pode perguntar na sua nova corretora qual é o procedimento para migrar os seus títulos que estão na antiga.

A taxa do agente de custódia para o primeiro ano de aplicação (para taxas anuais) é cobrada quando você compra os títulos. Ela é calculada sobre o valor da transação (preço unitário dos títulos vezes a quantidade adquirida), para o primeiro ano de aplicação, que finda em D+2+365 dias (onde D é o dia da compra).

Caso o investidor venda o título antes de completar um ano de sua aquisição, essa taxa não é devolvida. Caso o título adquirido tenha prazo de vencimento inferior a um ano, a taxa cobrada no momento da compra é proporcional ao prazo do papel.

A taxa do agente de custódia para demais anos de aplicação (para taxas anuais), depois do primeiro ano de aplicação (D+2+365), passam a ser acumuladas diariamente e, por isso, são proporcionais ao período em que o investidor mantiver os títulos.

Em relação ao modo de cobrança, em regra geral, para títulos adquiridos a partir de 06.04.2009, as taxas são cobradas semestralmente, no primeiro dia útil de janeiro ou de julho, quando o valor das taxas ultrapassar R$ 10,00, ou, por título, na ocorrência de um evento de custódia (pagamento de juros e vencimento do título) ou na venda antecipada, o que ocorrer primeiro.

Enquanto esses eventos não ocorrem, as taxas devidas são diariamente acumuladas no extrato do Tesouro Direto, sob o status de devida, o que, não quer dizer que é exigido o pagamento imediato.

De maneira detalhada, a cobrança ocorre da seguinte maneira:

1) Em eventos de custódia (resgate do principal, pagamento de juros) e venda antecipada, o que ocorrer primeiro, são cobradas as taxas acumuladas até então, relativas aos títulos envolvidos na operação, independente do valor acumulado por título; e

2) Quando a soma das taxas devidas de todos os títulos em carteira à BM&FBOVESPA e à instituição financeira (agente de custódia), por conta (em cada agente de custódia), ultrapassar R$ 10,00, será feita a cobrança no 1º dia útil de janeiro ou 1º dia útil de julho, o que ocorrer primeiro.

 

By |30/06/2017|Categories: Tesouro Direto|60 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

60 Comments

  1. Estácio Chaves de Souza 30 de junho de 2017 at 17:51 - Reply

    Excelente Leandro! Muito didático!

    Comecei a fazer pequenos investimentos no TD recentemente, utilizava uma corretora que me permitia fazer transferência direta entre contas correntes, o que me eximida de pagar TED ou DOC, porém essa corretora mudou a forma de depósito e agora só aceita via TED no seu “próprio banco”, pesquisei outras corretoras que aceitariam transferência entre contas mas ainda não encontrei, você sabe de alguma? O valor que eu invisto ainda é pequeno, e é dispendioso pagar 17 reais de TED por mês para fazer os depósitos, estou pesando inclusive em parar de investir em TD ou acumular os valores pra fazer um único depósito por semestre.

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2017 at 18:26 - Reply

      Oi Estácio. Pelo que sei esse tipo de transferência estava gerando problemas. Agora cada corretora oferece algo semelhante a uma conta corrente. Cada cliente tem um número próprio de conta para onde faz TED e DOC. Eu acredito que assim ficou mais seguro. Recomendo que faça as contas para verificar se não seria mesmo melhor acumular o dinheiro por um tempo para ter um menor custo anual de TED. Veja também se o seu banco oferece algum pacote mais barato que ofereça TED e DOC. Faça um pesquisa em outros bancos.

    • Jeferson Araujo 30 de junho de 2017 at 20:09 - Reply

      Estácio, passei pelo mesmo problema recentemente e consegui resolver abrindo uma conta digital no banco Inter (antigo Intermedium). Tem TED à vontade sem custos e tem um sistema muito legal e simples para depositar através de emissão de boleto, eliminando qualquer custo bancário, recomendo dar uma olhada. Espero ter ajudado, abraço.

    • Gilton 30 de junho de 2017 at 21:10 - Reply

      Tem Bancos que não cobram para a realização de transferências como o TED, um deles é o o Banco Inter (antigo Banco Intermedium), teo o Banco Sofisa também…

    • Bruno Jose Patrussi 1 de julho de 2017 at 17:01 - Reply

      Estácio, tudo bem? Uma alternativa que eu fiz para resolver esse problema da taxa do TED, foi migrar minha conta do ITAU para a conta digital do ITAU, com isso posso fazer quantos TED ou DOC desejar sem haver cobrança, e no meu caso como utilizo muito pouco os demais recursos do banco também não pago outras taxas mensais, ou seja, foi o melhor custo benefício. Verifique se o seu banco não tem essa possibilidade, caso contrário abra uma conta em um banco que não tenha custo para TED ou DOC. Dica para você transferir o dinheiro do seu banco atual para outro que tenha a conta digital faça um depósito via cheque. Bons investimentos no TD. Abs

    • DIOGO 2 de julho de 2017 at 9:21 - Reply

      Tente uma conta digital em um banco. Nela, não há cobrança para TED.

  2. Emmerich 30 de junho de 2017 at 17:53 - Reply

    Se a corretora não cobra taxa de custódia qual é o ganho dela? Quando for feito o resgate do título do tesouro a corretora vai cobrar alguma taxa?

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2017 at 18:28 - Reply

      Oi Emmerich. O ganho dela é de marketing. Não oferecer taxas atraem os clientes novos. Com isso a corretora tem a possibilidade de entrar em contato frequente (normalmente por e-mail) oferecendo os produtos que ela terá lucro como fundos de investimento, CDB, LCI e LCA de bancos, investimentos em bolsa de valores, COE e até previdência privada. Se a corretora não cobra taxa, quando o valor sair do tesouro e cair na sua conta você não pagará taxa da corretora. Só pagará a taxa acumulada da BM&F e pagará imposto de renda sobre o rendimento. Tudo é pago automaticamente.

    • Ricardo 1 de julho de 2017 at 1:28 - Reply

      Além do que o Leandro falou:
      – float: o dinheiro que vc deixa parado na conta da corretora, ela usa, aplica e rende juros pra ela,
      – no 1º dia útil de janeiro e julho, ela desconta a taxa do Tesouro Direto, mas só repassa ao Tesouro Nacional na 3ª segunda-feira – nesse período ela gira o dinheiro e ganha juros pra ela.

      • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:21 - Reply

        Oi Ricardo. Acredito que só os bancos podem fazer isso que você descreveu com o dinheiro dos clientes parados em conta corrente.

  3. Bruno 30 de junho de 2017 at 17:59 - Reply

    Leandro, ótimo texto.

    Fiquei com uma dúvida. Quando verificamos o extrato no site do Tesouro, o valor informado no campo de “taxas devidas” para a Bovespa se refere ao valor anual ou ao que será pago na próxima cobrança (semestral)?

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2017 at 18:29 - Reply

      Oi Bruno. A taxa de 0,30% anual é transformada em uma taxa diária muito pequena. Todo dia eles calculam o valor da taxa e separam nessa coluna “taxas devidas”. Quando chega o janeiro e julho o valor que aparece ai nessa coluna do extrato é cobrado.

  4. Malu 30 de junho de 2017 at 18:09 - Reply

    Parabéns pelos artigos, Leandro.
    Preciso transferir o valor referente às taxas pra conta da corretora ou o valor já vai ser tirado do valor dos títulos? Fiquei nessa dúvida.
    Muito obrigada.

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2017 at 18:35 - Reply

      Oi Malu. Você precisa transferir o dinheiro para a sua conta na corretora. Devemos lembrar os títulos não são dinheiro. Se fosse no passado esses títulos seriam papéis guardados em um cofre. O seu dinheiro está no bolso do governo federal.

  5. Moisés 30 de junho de 2017 at 18:19 - Reply

    Leandro Ávila. Obrigado pelos esclarecimentos. Tenho uma dúvida. Em Janeiro o valor da taxa devida ao BM&Bovespa estava, por exemplo, R$ 1,50, isto é abaixo de R$ 10,00, então NÃO foi cobrado nada. Em Julho o valor da taxa está em R$ 2,00, isto é, continua abaixo de R$ 10,00. Nesse caso será cobrado o valor que se encontra especificado, isto é, será cobrado o valor de R$ 2,00?

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2017 at 18:37 - Reply

      Oi Moisés. Eu entendo que enquanto o total da taxa não atingir R$ 10 ela não será cobrada.

  6. igor 30 de junho de 2017 at 18:21 - Reply

    Mais uma ótima dica Leandro!! Mas fiquei com uma dúvida: E se não tiver o dinheiro lá? O que acontece?
    Obrigado por me lembrar, já agendei a TED para segunda-feira! heheheh

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2017 at 18:41 - Reply

      Oi Igor. A corretora vai entrar em contato com você reclamando. O problema é que as corretoras costumam cobrar uma multa quando você tem saldo devedor. Em uma corretora onde tenho conta existe até uma tabela para isso. Saldo de R$ -0,01 a R$ 200,00 – ISENTO; Saldo de – R$ 200,01 a R$ 999,99 – Multa fixa de R$ 9,90; Saldo devedor maior que R$ 1.000,00 – Multa de 1% ao dia. Sendo que isso ai é por dia. Acredito que cada corretora tenha sua regra de multas.

      • igor 30 de junho de 2017 at 18:57 - Reply

        Obrigado!!!

  7. Eduardo 30 de junho de 2017 at 18:41 - Reply

    Oi Leandro,
    Essa taxa da Bovespa é debitada automaticamente ou eu tenho q transferir o dinheiro pra minha corretora? Obrigado

    • Leandro Ávila 30 de junho de 2017 at 18:42 - Reply

      Oi Eduardo. Ela é debitada automaticamente da sua conta na corretora. Você só precisa deixar o dinheiro lá.

  8. Alexandre 30 de junho de 2017 at 19:07 - Reply

    Gostaria de saber se eles retiram a grana pela manhã ou tarde do dia 03/07. Porque creio que só poderei fazer uma transferência na parte da tarde. Obrigado!

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:01 - Reply

      Oi Alexandre. Boa pergunta. Não sei dizer. Suponho que seja no final do dia.

  9. BRENO FERNANDES 30 de junho de 2017 at 20:12 - Reply

    Olá Leandro, suas informações valem ouro. Agora a dúvida é a seguinte : irei receber juros do TD agora dia 1/7. Seria obrigatório eu transferir o dinheiro para a corretora ou qd cair os juros poderá ser descontado a taxa sem pagar multa?

    O juros que irei receber será maior que a taxa da B&MF e a corretora não cobra taxa de custódia.

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:03 - Reply

      Oi Breno. Seria necessário saber que horário esse juro cai na conta e horário que a taxa é paga. Não sei dizer, mas seria uma boa pergunta para ser feita para a corretora.

  10. Tadeu 30 de junho de 2017 at 20:49 - Reply

    Leando, recebi um e-mail do mesmo jeito que você colocou no texto e é a primeira vez que ocorre comigo. Segue a seguir os dados que recebi.
    Taxa BVMF……………..: R$ 15,68
    Taxa Agente de Custódia…: R$ 3,25
    TOTAL…………………: R$ 18,93

    É obrigatório o deposito na corretora? Pois, o que devo a corretora é inferior a R$ 10,00.

    A taxa na BVMF é superior a R$ 10,00, caso eu deixe de pagar agora será debitado quando eu vender os títulos ou sou obrigado a depositar o dinheiro na corretora para ser executado o pagamento a BVMF?

    Muito obrigado por ter disponibilizado mais um conhecimento.

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:05 - Reply

      Oi Tadeu. Você deve 18,93 e supera os 10,00. Entendo que a taxa é a soma das duas taxas (taxa da bolsa de valores e taxa do agente de custódia). Se você não deixar os 18,93 a corretora vai pagar a taxa e irá considerar que você está com saldo negativo. As corretoras podem cobrar multas quando você fica com saldo negativo.

  11. Paulo Cesar 30 de junho de 2017 at 21:29 - Reply

    Caro Leandro, tenho alguns títulos no Tesouro Direto a vários anos, mas desta vez não recebi o e-mail do tesouro mencionado no seu artigo. Por outro lado, ao consultar o meu extrato na corretora, não há desconto previsto nos próximos dois dias. Existe algum modo de verificar isso junto ao Tesouro Direto?

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:10 - Reply

      Oi Paulo. Verifique se esses títulos que você comprou realmente foram títulos vendidos através do Tesouro Direto. O Tesouro Direto é uma parceria entra o Tesouro Nacional e a BM&FBOVESPA onde os títulos ficam na custodiados na BM&FBOVESPA e por este motivo eles sempre cobram esses 0,30% ao ano dividido em 2 parcelas. Se você tem título comprado pela corretora e nunca recebeu cobrança, se você só pode consultar o número de títulos pelo site da corretora, e não no site https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/PortalInvestidor/ isso pode significar que você comprou títulos públicos que estão custodiados por sua corretora e não pela BM&FBOVESPA. São títulos públicos como qualquer outro, mas não foram títulos públicos vendidos pelo Tesouro Direto. Algumas corretoras vendem títulos dessa forma e como são elas que fazem a custódia não cobram a taxa ou cobram taxas de valor diferente.

  12. Michael Stuart 30 de junho de 2017 at 22:25 - Reply

    Ola Leandro: Otimo texto como sempre. Eu apenas gostaria de oferecer uma dica que poderia ser de interesse para o Clube. Se voce possuir na mesma corretora um titulo, por exemplo a LTN-2023, que paga um cupom nesta mesma data, e seria suficiente, liquido das proprias taxas cobradas, para cobrir as taxas dos titulos sem cupons, a forma de cobrança da corretora seria tal que voce nunca se precisa preocupar com o pagamento de tais taxas. Ocorreria de forma automatica.

    • Michael Stuart 30 de junho de 2017 at 22:35 - Reply

      Ooops Leandro: Em vez de LTN-2023 acima, deveria ler: a NTN-F 2023.

      Exemplo: os cupons pagos da NTN-F poderiam bancar a taxa cobrada tanto da LTN quanto da propria NTN-F. Abraço.

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:18 - Reply

      Oi Michael. É uma boa ideia. Seria apenas interessante perguntar para a corretora se o juro é realmente pago e disponibilizado na sua conta antes dela pagar a taxa da BM&FBOVESPA. Nessa imagem diz que eles repassam o valor BRUTO para a corretora no dia do vencimento o problema é que diz na tabela que a data que a corretora vai pagar o valor líquido (com taxas e imposto descontado) não é uma data certa, vai depender de cada corretora.

  13. Renato 30 de junho de 2017 at 23:47 - Reply

    Para não se preocupar com essa taxa invisto no tesouro pre com juros semestrais, os juros que me pagam já serve para quitar as taxas. Fica a dica.

  14. Sergio 1 de julho de 2017 at 2:09 - Reply

    Leandro, o valor de 0,30 anual é calculado sobre o valor investido, o valor bruto ou líquido?

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:22 - Reply

      Oi Sérgio. Eles transformam essa taxa anual de 0,30 em uma taxa diária e calculam todos os dias sobre o valor bruto dos títulos que você possui naquele dia. O resultado desse cálculo vai se acumulando até o dia do pagamento.

  15. Robson 1 de julho de 2017 at 2:35 - Reply

    Obrigado pelas dicas Leandro. Rendimento do IPCA+ hoje na casa dos 5,6 creio que não está interessante. Como é cobrado essa taxa 0,30 aa e mais IR de no mínimo 15% que é incidido também sobre a inflação isso o torna desinteressante. O que você acha Leandro?

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:25 - Reply

      Oi Robson. Essa afirmação de que 5,6% não está interessante depende de uma aposta com relação ao futuro. Se você aposta que no futuro a economia brasileira vai melhorar e os juros vão cair a taxa de 5,6% acima da inflação é maravilhosa. Se você aposta que a situação vai piorar e que os juros no futuro serão maiores essa taxa poderá ser maior no futuro. Como falei no artigo os 0,30% se transformam em uma taxa diária e eles calculam o valor da taxa todos os dias com base no valor bruto do título naquele dia.

  16. Camila 1 de julho de 2017 at 2:39 - Reply

    Acabei de ver o email que eles mandaram! Havia esquecido completamente! Agendei uma transferência para a conta da corretora, espero que dê tudo certo! Comi barriga =\

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:31 - Reply

      Oi Camila. Como as corretoras cobram multa para saldo negativo eu resolvi alertar nossos leitores para que evitem o pagamento de multa. Esse tipo de multa é uma forma de lucrar com o descuido do próximo. Uma corretora onde tenho conta enviou e-mail avisando, a outra não avisou.

  17. FELIPE SILVA DA CONCEICAO 1 de julho de 2017 at 8:38 - Reply

    Bom dia. É possível realizar portabilidade dos títulos para outra corretora?

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:32 - Reply

      Sim, é possível. Fale com a corretora onde você pretende ter seus títulos. Ela vai orientar o procedimento que deve ser feito na corretora onde você tem os títulos que serão migrados.

  18. Daniele 1 de julho de 2017 at 10:14 - Reply

    Leandro, bom dia!
    Nao entendo nada de investimento, mas começar com 2mil no TD, vc recomenda?

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:35 - Reply

      Oi Daniele. O primeiro passo deve ser aquele que vai resolver esse grave problema que é “não entender nada”. Sem entender nada você sempre vai depender da recomendação de alguém e isso é o maior problema do mundo dos investimentos. No Tesouro Direto existem títulos com características diferentes, que são melhores u piores dependendo da finalidade do seu dinheiro. Aqui no Clube existem vários artigos falando sobre cada título. Basta dedicar algum tempo lendo. Comece estudando o título mais conservador que é o Tesouro Selic.

  19. Irlan 1 de julho de 2017 at 11:13 - Reply

    Olá, Leandro!
    Eu tenho um único título no TD SELIC, baixo valor, comprado em 11/05/2017, a taxa devida está em R$ 0,81. Este valor deveria ser cobrado, tendo em vista não chegar aos R$ 10,00?

  20. Tiago 1 de julho de 2017 at 14:40 - Reply

    Excelente arquivo Leandro.

    Estive acompanhando alguns comentários dos amigos referente a pagar taxa para TED / DOC.
    Os grandes bancos retiraram de suas prateleiras as contas digitais, mas o banco INTERMEDIUM oferece a conta digital, a abertura é totalmente rápida pelo aplicativo no próprio celular
    Para nós pequenos investidores, buscar alternativa para não pagar taxas de transferência é primordial.

    Grande abraço.

    Tiago Xavier de Oliveira

    • Leandro Ávila 1 de julho de 2017 at 17:36 - Reply

      oi Tiago. Eles usam como marketing. Quando atingem um bom número de clientes eles param de oferecer a conta digital com TED e DOC gratuitos.

  21. MARCELO COSTA 1 de julho de 2017 at 23:41 - Reply

    Ola, Leandro.

    Ao ler seu artigo fui dar uma olhadinha no meu extrato do tesouro direto.
    Sempre fiquei meio intrigado com o item valor devido,
    Lendo seu artigo deu pra entender melhor do que se trata.
    Como o valor d minha taxa devida ainda é um tanto inferior aos r$ 10, não vou precisar deixar saldo livre na conta por agora.
    Com o andar da carruagem logo chego lá rsrs
    quando eu precisar já vou estar precavido.

    Creio que estou fazendo a “lição de casa”

    Abri uma conta digital pra nao pagar doc nem ted.
    Procurei uma instituição financeira que nao cobra taxa de Custódia e logo vi que a instituição que escolhi alem de não cobrar tx de custodia, oferec cdbs e lcis um tanto atrativs.

    Este ano depois de muita leitura sobre o mercado de ações estou dando meus primeiros passos e me posicionando em algumas

    Gratidão por seu trabalho aqui no clube, amigos e agora no transcendência financeira
    Com formação humana e financeira o céu é o limite.
    Você tem transformado a vida de muita gente
    A minha e de minha família são provas dissp.

    • Leandro Ávila 3 de julho de 2017 at 9:46 - Reply

      Oi Marcelo. O crescimento humano não tem limite. Basta querer e logo depois começar a agir.

  22. Décio 2 de julho de 2017 at 1:40 - Reply

    Olá, Leandro!

    Sobre o Tesouro Prefixado 2023 (LTN) com a taxa de rendimento ao ano hoje de 10,54%: sabe-se que se vender no vencimento vou ganhar 10,54% menos IR e taxas cobradas. Porém, se a SELIC subir bastante por um bom tempo, tipo 13%, a venda antecipada do título um pouco antes do vencimento ficaria vantajosa?
    Historicamente o IPCA e a Selic tem oscilações próximas? Assim desce 1% Selic, em média, desce também IPCA 1%?

    • Leandro Ávila 3 de julho de 2017 at 9:45 - Reply

      Olá Décio. Se você comprar o título que paga 10,54% ao ano até o vencimento é exatamente isso que você receberá no vencimento. Se o mercado acreditar que até 2023 a inflação irá subir, os juros irão subir, provavelmente essa LTN para a venda antecipada terá juros maiores e isso significa que o preço dela será menor. A venda antecipada quando o preço do título fica menor não é vantajosa. Quando você compra Tesouro Prefixado está apostando que os juros irão cair até o vencimento do título.

  23. Jonas 2 de julho de 2017 at 12:45 - Reply

    Olá Leandro, tenho uma dúvida antiga que agora encontro o momento mais oportuno para tirá-la. Mesmo acompanhando outros artigos que tratam diretamente sobre venda antecipada de títulos do TD, fiquei pensando:
    1 – Venda antecipada de título Pré-fixado poderá ser vantajosa quando a rentabilidade anualizada bruta for superior à contratada (desconsiderando taxas e IR), pois se permanecer com o título até o vencimento receberei exatamente a rentabilidade contratada e equivalente ao valor bruto de R$1.000,00. Ou seja, se eu permanecer com o título até o vencimento, em nada eu aproveitei os dias em que as taxas estavam superiores à taxa contratada (nada afetou). Neste caso, o título terá as taxas de juros alteradas para chegar aos R$1.000,00 a medida que se aproxima o vencimento do título?

    2 – Venda antecipada de título IPCA+ também pode ser vantajosa quando a rentabilidade anualizada bruta for superior à contratada (desconsiderando taxas e IR). Mas, neste caso, os períodos em que a taxa real é maior que a prometida serão considerados e acrescidos para o dia do vencimento? ou também será ajustada para equivaler (em uma média geral) à taxa contratada? Por exemplo: Contratando IPCA+ 6,24% que atualmente acumula IPCA+ 9,43%, o valor devido será convergido para a taxa 6,24% no dia do vencimento, ou a variação das taxas será considerada dia-a-dia de forma independente?

    O meu objetivo é transferir de corretora para outra que não cobra corretagem, mas gostaria de verificar se é mais compensador vender antecipado e aproveitar outros produtos que prometem uma rentabilidade parecida com a que obtive antes ou simplesmente transferir os títulos entre as corretoras.

    • Leandro Ávila 3 de julho de 2017 at 9:41 - Reply

      Oi Jonas. No título prefixado a sua rentabilidade será sempre a diferença entre o preço que você pagou pelo título e os R$ 1000 que você receberá por ele no vencimento. Se ocorreu um grande aumento no preço de venda antecipada do título pode ser que você observe que é matematicamente vantajoso vender antecipadamente justamente pelos motivos que você apresentou. Recomendo que você leia os artigos que já escrevi falando como o preço dos títulos são formados. É importante entender a matemática que envolve a decisão. Se você compra o título que paga IPCA + 6% e o Tesouro exibe no extrato que você está com uma taxa equivalente a IPCA + 10% isso só significa que se você vender o título que comprou nesse exato momento a rentabilidade que você teve entre a compra e o dia de hoje foi equivalente a IPCA + 10% ao ano. Vamos supor que só faz 1 ano que você comprou esse título. Você vai ter que escolher entre ficar com a rentabilidade de IPCA + 10% de apenas 1 ano ou se prefere ficar até 2035 com um título que vai render futuramente IPCA + 6%. Certamente você não vai conseguir comprar o título novamente com as condições que tinha antes.

  24. Gilberto Rig. 3 de julho de 2017 at 8:23 - Reply

    Bom dia Leandro. Numa das mensagens (Paulo Cesar 30 Jun 21:29) você disse que os títulos públicos podem ficar custodiados na própria corretora ao invés da BM&FBovespa, então o que aconteceria se, por acaso, essa corretora viesse a falir, o investidor perderia os títulos que lá estão custodiados?

    • Leandro Ávila 3 de julho de 2017 at 9:31 - Reply

      Oi Gilberto. No caso da corretora falir você entra em contato com uma nova corretora e solicite orientação sobre o procedimento para transferir seus investimentos da corretora falida para a corretora nova. O fato da corretora falir não faz você perder seus direitos. O que é seu continua sendo seu a não ser que eles sejam uma organização criminosa, disfarçada de corretora, e acabem fazendo alguma ilegalidade com o que é seu. Se você não confia na corretora e prefere confiar na BM&FBOVESPA o ideal seria comprar os títulos através do Tesouro Direto, pois nesse caso eles ficariam custodiados na bolsa e a corretora só será o agente de custódia.

  25. Gilberto Rig. 3 de julho de 2017 at 8:41 - Reply

    Outra dúvida Leandro. Eu aplicava no Tesouro Direto através do banco, a pouco tempo abri conta em em uma corretora e comprei alguns títulos por ela. Entretanto, a maior parte dos títulos (mais de 90%) foi comprada através do banco. Recebi o e-mail da cobrança da taxa, e a dúvida é se ela será cobrada proporcionalmente aos títulos adquiridos pelo banco e pela corretora. Ou seja, o que foi comprado pelo banco terá o desconto correspondente na conta do banco e o que foi comprado pela corretora a cobrança será na conta que tenho nessa corretora, é isso? Obrigado.

    • Leandro Ávila 3 de julho de 2017 at 9:27 - Reply

      Oi Gilberto. O título cobrado no banco terá a taxa cobrada pelo banco através da conta que você tem nesse banco. O título comprado pela corretora terá a cobrança com base na taxa da corretora e será através da conta da corretora.

  26. Marcelo Neves 3 de julho de 2017 at 8:59 - Reply

    A Bolsa só não precisa enviar um torpedo às 1h50 da manhã para avisar que a cobrança seria feita. Putz!

    Em relação ao artigo, acho que ficou muito genérico e abrangente. As dúvidas, em geral, são ‘nas pequenas coisas’. Tipo: prazo para pagar, caso não tenha saldo na corretora, o que acontece? Tenho dois investimentos (IPCA e SELIC), a cobrança serve para os dois? Sugestão de opção ao TED para depósito na corretora…

    Para não dizer que ‘só reclamei’, sou muito grato a você, Leandro, pelos artigos e esclarecimentos. Em geral, são fantásticos! Obrigado!

    • Leandro Ávila 3 de julho de 2017 at 9:25 - Reply

      Oi Marcelo. Isso depende de cada corretora. Cada uma tem sua regra para o caso da conta ficar com saldo negativo. Muitas cobram multa. Como existem centenas de corretoras é necessário que cada um entre em contato com a corretora antes de ficar com o saldo negativo sem saber o que acontece. A certeza é que coisa boa não vai acontecer. Não existe opção ao TED ou ao DOC por serem esses os dois meios que existem para transferência de recursos entre contas de instituições diferentes.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo