Bolsa de Valores: Sinais de recuperação e crescimento


Hoje vou ensinar como faço para identificar alguns sinais de recuperação da bolsa de valores durante uma recessão ou uma crise econômica prolongada. Mesmo aqueles que não investem na bolsa podem aprender com este artigo. Como sempre faço, irei citar as fontes de informação e ferramentas que utilizo. Vamos usar nosso momento histórico como exemplo, mas você poderá utilizar o mesmo raciocínio nas suas próprias análises durante crises futuras.

Crises sempre acontecem, nós só não sabemos exatamente quando e onde elas vão acontecer na próxima vez. Elas também sempre acabam e alguns sinais são emitidos nesse processo.

A bolsa brasileira está registrando seguidos trimestres de valorização que podem ser medidos através do Ibovespa. Isso começou a ocorrer no momento que ficou clara, para os investidores e empresários, a possibilidade de mudança de governo no início de 2016, o recuo da inflação e o início do ciclo de reduções dos juros (Taxa Selic). Já foram quatro trimestres, e caminhamos para o quinto trimestre, de valorização de praticamente todas as boas ações listadas na bolsa. Veja o gráfico que criei para você através do Guiainvest PRO.

Observe o gráfico do índice Bovespa logo acima. No fundo do poço, em janeiro de 2016, o índice que mede o desempenho das ações negociadas na bolsa, chegou na casa dos 37 mil pontos. Em fevereiro de 2017 passou dos 69 mil pontos. Uma alta de 86%.

Já faz um bom tempo que uma tendência de alta como esta não ocorre. Após a crise econômica de 2008, e a forte queda registrada na bolsa, ocorreu um grande movimento de recuperação dos preços das ações entre janeiro de 2009 e janeiro de 2010. Uma boa parte das perdas de 2008 foram recuperadas por aqueles que tinham conhecimento, paciência e visão. Muitos investidores acabaram multiplicando seu patrimônio em um curto espaço de tempo. O que era crise para muitos também foi uma oportunidade para os poucos que sabiam o que estavam fazendo.

O mais curioso dessa forte alta que foi registrada entre 2016 e 2017 é que os problemas que nos conduziram para a atual crise brasileira ainda não foram totalmente resolvidos. O que temos até o momento é uma antecipação baseada em expectativas. Vamos observar os sinais que o mercado está emitindo.

O importante é a direção do navio

Imagine que a economia brasileira é um grande navio como a figura abaixo:

Toda a população está dentro deste navio. As pessoas que estavam no comando do navio, no último governo, conduziam as políticas fiscais, monetárias e cambiais de uma maneira que todos a bordo acreditavam que o navio afundaria se continuasse seguindo aquela trajetória.

O que as pessoas fazem quando acreditam que o navio onde estão irá afundar por culpa das decisões de quem está no comando? Perdem a confiança naqueles que estão pilotando o navio. O medo paralisa ou leva as pessoas a tomarem decisões defensivas. O que aconteceria no navio, aconteceu no Brasil. As pessoas pararam de comprar, empresários pararam de vender, investidores pararam de investir e isso resultou em menor arrecadação do governo, mais inflação, mais juros, queda nos negócios e na bolsa.

O piloto do navio foi substituído pelo seu co-piloto (sota-piloto). Os outros membros da equipe foram substituídos. Ocorreram mudanças na condução das políticas econômicas. A esperança daqueles que estão a bordo de que essas mudanças irão evitar que o navio afunde é que gerou a onda de otimismo na bolsa nos últimos trimestres.

O único inconveniente é que os problemas ainda não foram resolvidos e em 2018 teremos uma mudança de piloto e isso pode significar uma nova mudança de políticas e de rumo. Essa mudança pode ser positiva ou negativa, dependerá da capacidade das pessoas que estão a bordo de selecionar um novo bom piloto. Se você observar que dos últimos 4 presidentes eleitos pelo povo, dois sofrem impeachment por envolvimento em crimes, um está sendo investigado por corrupção (fonte) e o outro deu a entender que “caixa dois” não é crime (fonte), podemos imaginar o tipo de político que a população ainda irá eleger nas próximas décadas. Estudamos e fazemos provas para tirar uma carteira de motorista. Par tirar o título de eleitor e votar você não precisa de nenhum treinamento ou habilitação.

Mesmo assim, olhando o passado podemos constatar que a bolsa (empresários e investidores de todos os portes) ficam muito animados diante de mudanças de rumo.

Estudando o otimismo passado:

Esse fenômeno de otimismo após a queda de um governo que foi julgado pelo mercado como ruim, já ocorreu após a queda do Collor em 1992 e 1993 como você pode ver no gráfico do Ibovespa dolarizado logo abaixo (fonte).

Como você pode ver na marcação que fiz na figura abaixo, a queda do Collor iniciou uma tendência primária de alta na bolsa brasileira que durou 6 anos e 5 meses. Como você pode ver no gráfico abaixo, a valorização da bolsa nesta onda de crescimento durante o governo Itamar e FHC, passou da casa dos três mil porcento (3.415%). Isso permitiria multiplicar seu patrimônio 34 vezes. Em futuros artigos devo falar mais sobre como identificar tendências de alta, baixa, primária, segundaria e terciária. Você verá que qualquer um pode olhar para os gráficos e identificar essas tendências passadas.

O que ocorreu no passado não é garantia do que irá ocorrer no futuro, mas é interessante estudar o passado para que possamos ganhar experiência e conhecimento.

Medindo o otimismo presente:

Existe um índice chamado iCFO, atualizado trimestralmente pela Saint Paul (uma faculdade de SP) em parceria com o IBEF-SP (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças de São Paulo), que tem o objetivo de medir a confiança dos diretores financeiros das empresas (CFO ou Chief Financial Officer) sobre o futuro dos negócios no Brasil.

Os diretores financeiros controlam as metas, objetivos e orçamentos das empresas. Cuidam dos investimentos, além de supervisionar o capital da companhia. Teoricamente, quando os executivos de grandes empresas estão otimistas sobre o futuro da economia e do país eles tendem a desengavetar projetos e realizar investimentos produtivos. A recuperação das atividades das empresas é um bom sinal para quem investe na bolsa. A pesquisa é divulgada trimestralmente neste endereço aqui.

O gráfico abaixo mostra a alta da confiança nos últimos trimestres.

 

Também existe o índice de confiança do empresário industrial que é medido pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). O gráfico abaixo mostra a variação da confiança nos últimos anos (fonte).

Observe como é curiosa a semelhança entre o desenho do gráfico de confiança e o gráfico do índice Bovespa que mede o desempenho das principais ações da bolsa de valores. A confiança dos empresários afeta o desempenho das empresas e esse desempenho afeta o valor das empresas  na bolsa. Veja na figura abaixo a sobreposição que fiz do gráfico do Ibovespa entre 2011 e março de 2017 (linha azul) com o gráfico do índice de confiança dos empresários da indústria (linha rosa). O aumento da confiança é um sinal importante para aqueles que esperam a recuperação da bolsa para investir.

Queda da inflação e dos juros:

A queda da inflação, registrada desde o início de 2016, e o início do ciclo de reduções da taxa Selic, na segunda metade de 2016, foram entendidos como sinais positivos para os investidores e empresários. No gráfico que preparei logo abaixo podemos observar que a tendência de alta da inflação acompanhava da tendência de queda da bolsa. O início da redução da inflação marcou o início da alta da bolsa (fonte do gráfico).

 

Qualquer pessoa seria capaz de perceber que a animação dos empresários e investidores da bolsa tem relação com o início da queda da inflação e o início do ciclo de redução de juros que foi possível graças a essa queda.

O grande problema agora é saber como esse otimismo vai se consolidar, ou seja, o que deve acontecer para que o otimismo não se transforma em uma grande decepção. Como já falei, os problemas que o país enfrenta não foram resolvidos, ou seja, o país está gastando mais do que arrecada, existem sérios problemas fiscais e a tendência é piorar se nada consistente for feito. O otimismo na bolsa é um sinal de que muitos estão apostando na recuperação.

Neste momento existe uma esperança de que a reforma da previdência será aprovada exatamente como deveria ser aprovada para evitar que o “navio Brasil” afunde no futuro próximo. Se a reforma for desconfigurada devido a grande força política de determinados grupos afetados é possível que o problema só seja adiado ou empurrado com a barriga para ser resolvido por gerações futuras (com um custo muito maior). Ainda existem os problemas enfrentados por diversos estados que estão à beira da falência.

Retorno do grau de investimento

Todos os problemas que enfrentamos é um reflexo de um governo que não tem mais de onde tirar tanto dinheiro para cobrir os custos das suas lambanças, desvios, ineficiências e desperdícios. Isso significa dizer que enfrentamos sérios problemas de desequilíbrio fiscal.

Você emprestaria dinheiro ou se tornaria sócio de um estranho que tem uma vida financeira totalmente descontrolada, irresponsável, que gasta mais do que ganha, que constantemente se envolve em crimes de corrupção, que fica cada dia mais endividado e que no lugar de trabalhar só faz parasitar a renda dos seus filhos? É assim que os investidores enxergam o Brasil quando pensam na possibilidade de investir aqui.

O país perdeu seu grau de investimento após ter sua nota rebaixada por todas as principais agências de classificação de risco. O retorno do grau de investimento valorizaria as empresas brasileiras na bolsa de valores e poderia ser o início de uma recuperação mais consolidada, atraindo mais investidores nacionais e internacionais para a nossa bolsa. A tendência de elevação do grau de investimento do país seria um sinal positivo para investidores de todo mundo.

No lugar do governo se tornar mais eficiente e honesto na maneira que gasta o nosso dinheiro (caminho mais trabalhoso) resolveu mudar as regras da previdência pública (caminho mais fácil para eles), como já foi feito inúmeras vezes no passado. Se você não leu minha série de artigos onde falei sobre essas questões da previdência pública visite o primeiro artigo da série aqui. Como você pode ver aqui é através desse tipo de mudança que o governo pretende recuperar o grau de investimento. O aumento de impostos também deve ocorrer como você pode ver aqui.

Ações que reduzam os gastos do governo e aumentem a arrecadação, são vistas como sinais positivos para a recuperação da bolsa, mesmo que isso resulte em insatisfação da população.

Sinal forte de crescimento

Um sinal forte de confirmação da nossa recuperação, capaz de gerar grande otimismo na bolsa de valores, ocorrerá quando o PIB (todas as riquezas produzidas pelo país durante o ano) registrar uma recuperação por dois ou três trimestres seguidos. Tecnicamente uma recessão é declarada quando o PIB registra dois trimestres em queda.

O início desse sinal ocorrerá quando for registrado o primeiro PIB com variação positiva (crescendo) no trimestre. Com o segundo trimestre positivo o mercado já respira aliviado diante da possibilidade de uma saída definitiva da recessão. O terceiro trimestre positivo seria um forte sinal de que estamos no início de um processo mais consistente de recuperação da economia.

O gráfico mostra que desde 2015 o PIB registra quedas trimestrais (fonte do gráfico). Exemplo: o gráfico mostra que no último trimestre o total das riquezas produzidas pelos brasileiros (trabalhadores, empresários, etc) teve uma queda de 0,9%. Vivemos a pior recessão da história com 2 anos consecutivos de queda (fonte). A última vez que isso ocorreu foi em 1930 e 1931 como reflexo da crise mundial de 1929 que ficou conhecida como a Grande Depressão.

Conclusão:

Para o pequeno investidor, que já possui domínio e conhecimentos sobre todos os investimentos de renda fixa, já tem suas reservas de emergência, já faz suas provisões, já tem um projeto em curso de investimentos seguros para a sua aposentadoria, pode ser um bom momento para destinar uma parte do seu patrimônio para investir na bolsa e aproveitar os ganhos que teremos com o retorno do crescimento da economia. Se você ainda é iniciante dedique um tempo diário lendo os artigos que já publicamos gratuitamente aqui ou acelere seu aprendizado através da minha série de livros que aprofundarão seus conhecimentos em investimentos seguros para sua acumulação de patrimônio rumo a uma maior independência financeira.

Somente depois de consolidar os seus alicerces, foque sua atenção nos investimentos de maior risco. São eles que podem acelerar a construção do seu patrimônio e a sua independência financeira. Esses investimentos são: o empreendedorismo (quando você abre o seu negócio), o investimento em ações (quando você vira sócio do negócio dos outros), o investimento em imóveis (quando você gera renda com seus imóveis), o investimento em fundos imobiliários (quando você vira sócio de alguém que gera renda com imóveis) e assim por diante. É claro que você também pode e deve focar seu tempo e energia na sua carreira profissional, mas sempre tenha em mente que os ganhos que você pode ter trabalhando para os outros sempre terão um limite, veja esse artigo. Você verá que só poderá evoluir até esse limite.

Para ter sucesso você precisa pensar como o Sócrates, filósofo que viveu na Grécia antiga 469 a.C. Ele assumiu que nada sabia e isso era a sua vantagem diante de todos os outros homens da sua época.

O mercado de ações não é para amadores. Você realmente precisa saber o que está fazendo para investir. Isso também vale para quem pretende abrir o seu próprio negócio. Existem pessoas que compram ações e depois ficam torcendo ou até rezando para que elas se valorizem. Da mesma forma que muitos abrem negócios e ficam torcendo para que as vendas ocorram. O conhecimento é fundamental para o sucesso quando estamos diante de investimentos de risco. Seus resultados dependem disso.

O objetivo deste artigo foi mostrar que é possível fazer suas próprias analises, sem depender dos outros, utilizando informações e recursos disponíveis na internet. As informações estão disponíveis para todos. Você só precisa estar preparado ou preparada para transformar esses dados em conhecimento útil que possa melhorar os resultados dos seus investimentos.

Algumas ferramentas e fontes de informação são gratuitas, outras são pagas (como cursos, livros e ferramentas para investidores), mas o importante é que tudo isso está acessível, nos dias de hoje, para aqueles que possuem força de vontade e amor pelo conhecimento que nos proporciona mais liberdade.

Vou começar a escrever com mais frequência sobre a bolsa para quem está iniciando. Nas próximas semanas já teremos novos artigos para que você comece a entender como ela funciona.

Continue aprendendo...

Se você gostou desse artigo, tenho certeza que também vai gostar da série de ferramentas, planilhas e livros que preparei para ajudar você. São conhecimentos e ferramentas que desenvolvi para o meu uso e que agora estou compartilhando entre os meus leitores. Clique aqui para conhecer os livros.
Esse artigo foi útil?
Deixe-nos saber, se você gostou deste artigo. Só assim podemos continuar melhorando.
Sim
Não

Sobre o Autor:

Leandro Ávila criou o Clube dos Poupadores por acreditar que o conhecimento é uma riqueza que se multiplica quando dividida. Compartilhando o que sabemos, criamos um mundo melhor. Conheça os livros que ele escreveu sobre educação financeira, investimentos financeiros e imobiliários.

145
Deixe um comentário.

avatar
600
66 Comment threads
79 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
70 Comment authors
Leandro ÁvilaPaulaGuilherme CostaMariana MMMARIA APARECIDA MONTEIRO LOPES Recent comment authors
newest oldest
Felipe
Visitante
Felipe

Leandro, meus parabéns pelo artigo. Eu sempre recomendo a leitura dos seus artigos aos meus alunos, pois é a fonte mais valiosa e de fácil acesso para quem quer se educar financeiramente. Acredito que estamos em um momento crucial de qual país teremos pela frente…um que seguirá seu rumo na direção de juros mais baixos e por isto tornando a bolsa vantajosa ou disputas eleitoreiras farão tudo ruir e voltaremos ao país da renda fixa. As eleições em 2018 e sua proximidade me apavoram e acredito que há um grande potencial de risco pela frente, consequentemente uma possibilidade de maiores lucros.

Aecio felix
Visitante
Aecio felix

Parabéns Leandro pelo artigo, muito esclarecedor. Já invisto em ações, mas tenho conta em três corretoras, e não sei se isso me ajuda ou prejudica, o que você me diz?

marcos
Visitante
marcos

Muito bom, Leandro! Estava esperando por isso. Atualmente invisto em títulos públicos e fundos imobiliários, quero muito investir na bolsa, mas preciso estudar mais sobre esse investimento. Com suas dicas, isso irá me ajudar a estar mais preparado para entrar no mercado de ações. Obrigado!

Guilherme
Visitante
Guilherme

Parabéns pela nova série de artigos sobre bolsa de valores, Leandro.

Acho importante para o investidor saber que, apesar de não ser obrigatório, o investimento em bolsa de valores é um dos poucos que realmente preservam seu poder de compra no longo prazo (tenho para mim que o IPCA não coaduna com minha realidade, e a de muitos). É crucial substituir a ideia de bolsa de valores como cassino ou uma tacada para ficar rico em curto prazo, como muitos pseudoeducadores gostam de propagar. Isso apenas tenderia a beneficiar o Brasil como um todo (empresas, investidores, Estado, consumidores), pois aumentaria o número de pessoas físicas investindo na capacidade produtiva do país (claro que há outras maneiras, mas penso que pela bolsa é mais fácil do que abrir um negócio).

Mas para tanto é imprescindível que o investidor estude, e MUITO, como vc bem observou. Notei, também, que o maior inimigo do investidor na bolsa é ele mesmo, pois é a partir de suas características humanas que surge a tendência de comprar na euforia, vender na depressão e assim sustentar o sistema com corretagens, impostos e spread.

Sou apenas um iniciante. E tenho comigo esse ensinamento socrático: de nunca pensar que sei o suficiente, pois só isso vai me fazer controlar os riscos.

Abraços!

Melissa
Visitante
Melissa

Oi Leandro, algumas pessoas acham que o atual otimismo na bolsa pode se transformar em decepção ainda esse ano devido a instabilidade política: o navio pode mudar de comandante e de direção a qualquer momento (cassação da chapa dilma-temer). O que você acha disso?

Edson Mouta Vasconcelos
Visitante
Edson Mouta Vasconcelos

Prezado Leandro, parabéns!

Você consegue, como poucos, descrever com grande clareza e riqueza de detalhes, um série de conceitos fundamentais para aqueles não versado no mercado financeiro, entenderem com extrema facilidade conceitos essenciais. E o melhor de tudo é que vc apresenta não apenas suas conclusões mas todo o percurso feito para chegar até elas, de modo a dar autonomia de análise para os que assim desejarem educar-se. Parabenizo pelo iniciativa de desmistificar o mercado financeiro para leigos, que como eu, tenho interesse em aprimorar minha educação financeira

Rogerio Ferreira
Visitante
Rogerio Ferreira

Boa tarde Leandro.

Muito bom seu artigo, estava procurando estudos sobre o assunto de renda variável. Tenho investimentos em Tesouro Direto, CDB e fundos.
Comecei uma pequena carteira de ações para conhecer este tipo de investimento e estou me interessando mais para poder ter uma diversificação nos investimentos.
Vou seguir seus artigos e adquirir mais segurança e conhecimento para aumentar a participação em ações na minha carteira. Mais uma vez parabéns pelo artigo.

Tadeu
Visitante
Tadeu

Parabéns pelo artigo e pela nova serie. Estarei esperando e sei que será de muito conhecimento.

Já venho prestando atenção na bolsa, mas sou um leigo diante de alguns dados. Fico lendo e assistindo alguns videos. Sei que há dois caminhos que são pela analise fundamentalista e técnica. Qual analise você indicaria para um iniciante?

Obrigado!

Castle
Visitante
Castle

Boa tarde, estou querendo montar uma carteira de ações para investimento de longo prazo. Meu foco é na distribuição de dividendos. Gostaria de algumas dicas nesse assunto, se possível. Grato

celinski
Visitante
celinski

Essa resposta é bem difícil. E não existe apenas uma resposta. ..

Natalia
Visitante
Natalia

Leandro, muito bom artigo. Adoro ler tudo que vc escreve. Já li seus três livros! Invisto em renda fixa, tendo aprendido muito com seus materiais, e há tempos penso em começar na bolsa. Leio bastante, mas nunca investi de fato. Acho que é chegada a hora e seu artigo me encoraja. Acho esse assunto de independência financeira fascinante e tendo passar isso para meu marido, irmã e pais. Encontro alguma resistência dentro de casa, com pessoas que tiveram muito estudo e leêm muito, então fico pensando como é dificil que toda a população tenha interesse nesse assunto. O importante é estudar sempre e aprender sobre novas possibilidades. Abraços

N. Barbosa
Visitante
N. Barbosa

Oi Leando! Parabéns pelo excelente artigo! Foi muito esclarecedor tanto para quem pretende entrar no mercado de renda variável, como para àqueles que já estão dentro. Eu começei a investir na bolsa em novembro/2015, quando o Ibovespa esta abaixo de 48.000 pontos. Tomei coragem, estudei muito e montei um “carteirinha” de 5 ações, de companhias grandes (…). Esta última desfiz a posição no início deste ano. Atualmente minha “carteirinha” é formada por 15 ações de companhias grandes e que pagam bons proventos, (…) e outras. Meu “modus operantis” é do tipo “buy and holder” e estou convicto que no futuro nossa Economia será recuperada.
Um abraço!

Rafael
Visitante
Rafael

Leandro. Vc já investe em renda variável ou ainda está esperando um melhor momento?

Martina
Visitante
Martina

Muito bom artigo! Coincidência que hoje mesmo estava pensando em voltar a investir na Bolsa de Valores… Será que é um sinal? risos

Gustavo Ribeiro
Visitante
Gustavo Ribeiro

O problema da bolsa é que as pessoas só pensam em investir nela quando a mesma já está esticada com níveis recordes de valorização. Estas pessoas terminam entrando atrasado em relação aos investidores institucionais (fundos de investimento, private equity) que já se posicionaram antes e aproveitaram boa parte do movimento de alta. Os demais entrantes terminam pagando caro pelos ativos e terminam realizando prejuízo quando o mercado vira para bear market. Talvez o momento agora estaja mais propício para compra de hedge cambial haja vista a sobrevalorização do Real frente ao dólar.
O que você acha Leandro Avila?

Alfredo
Visitante
Alfredo

Leandro, parabéns. Conheci o seu blog através de um amigo e logo no primeiro texto, vi que tem muito valor. Vou passar a frquentar o seu blog. Um abraço.

SA
Visitante
SA

Quanto vc recebeu por esse post?
Claramente uma propaganda política…
Próximo!

Rafael
Visitante
Rafael

Leandro, esse seu incentivo por aprendermos mais sobre a bolsa é sensacional. Gostaria de saber se é possível vc escrever sobre os setores que mais se beneficiam com essa queda de juros que estão ocorrendo. Será bem interessante. Outra sugestão seria vc falar sobre o método buy and hold.

Lucas Torres
Visitante
Lucas Torres

No incio da conclusão tem um erro Leandro, “acelere seu aprendizado através da minha série de livros que são aprofundarão seus conhecimentos” é bobeira, só to avisando 🙂

ivan
Visitante
ivan

q nada, o Leandro é super honesto e dá conteúdo gratuito e de qualidade, então, ele pode sim fazer propaganda sobre sobre seus próprios livros e só compra quem quer.

Felipe NB
Visitante
Felipe NB

Boa noite Leandro. Parabéns pelo artigo, muito bem escrito.
Eu invisto na bolsa utilizando análise técnica desde de outubro de 2016. Estudei muito, muito mesmo, e como todo bom iniciante na bolsa, perdi dinheiro. Mas não foi nada assustador, coisa de uns 7% do capital aplicado. E como eu coloquei na bolsa em torno de 10 % do dinheiro que tinha guardado, essa perda praticamente não afetou meu patrimônio. Mas depois de aperfeiçoar a minha estratégia e segui-la corretamente, consegui recuperar boa parte do prejuízo e hoje estou praticamente no zero a zero. Mas estou otimista, as ações que estou agora estão valorizando e se tudo der certo estarei lucrando em breve.

Enfim, este comentário vai para os leitores do blog, porque sei que o Leandro não vai se meter com ações sem estudar muito antes. Quero tomar a liberdade para deixar aqui algumas dicas e experiências que tive nesse pouco tempo “na bolsa”.

1 – Nem sonhe em comprar uma ação sem saber exatamente o que você está fazendo.

2 – Não compre uma ação sem ter uma estratégia bem definida, principalmente para o ponto de saída.

3 – Ao contrário do que a maioria pensa, pelo menos para mim é muito mais difícil determinar um ponto de saída (venda) do que um ponto de entrada (compra).

4 – Estava com uma ação rendendo 40 % em dois meses. Em dois dias ela caiu tão rápido que a minha de stop (vai estudar pra saber o que é) não foi executada. Acabei vendendo pelo mesmo preço que comprei.

5 – Ações caem muito mais rápido do que sobem.

6 – Notícias não ajudam em nada para saber onde investir.

7 – Nunca siga um “analista” que trabalha para a corretora. Ele vai defender os interesses na corretora. E quanto mais você compra e vende, mais eles lucram.

8 – Melhor mesmo é não seguir ninguém, e estudar para tomar as próprias decisões.

9 – Se você tem algum problema psicológico, tipo ansiedade, nervosismo, depressão, etc. você teve se tratar primeiro antes de investir nos mercados mais arriscados.

10 – Você vai perder dinheiro. 100 % garantido. Mesmo em momentos de alta, vc vai acabar entrando em alguma ação que vai cair e vc vai perder dinheiro. Se vc não aceitar isso, não invista em ações.

11 – Se vc quer perder dinheiro, invista todo seu dinheiro em apenas uma ação.

Teria mais coisas pra falar mas o comentário já está grande.

Bruno
Visitante
Bruno

Parabéns! o artigo ficou bem legal!

Alcides
Visitante
Alcides

Leandro, parabéns novamente, foi só depois de seguir seus conselhos que abri uma conta em corretora, passei a investir e montar uma carteira que modéstia a parte esta indo muito bem, novamente graças as suas aulas inicio agora investimentos em ações.Muito obrigado.

Sergio
Visitante
Sergio

Olá Leandro,
Esses artigos relacionados ao mercado de ações chegam num ótimo momento. Estou na fase de adquirir conhecimentos sobre o funcionamento da Bolsa pois já invisto a algum tempo em Títulos Públicos e creio que seja um passo a mais a ser dado em minha educação financeira e em meus investimentos. Tenho um perfil conservador mas creio que seja viável entrar nesse mercado desde que, como você destacou, esteja muito bem informado. Digo isso porque já li coisas do tipo “Se você não gosta de fortes emoções, não invista na bolsa”.

Michel
Visitante
Michel

Mais um excelente artigo, parabéns!
Estou ansioso por um ebook seu sobre ações de A a Z para iniciantes.
Abs

Isaque Santos
Visitante
Isaque Santos

Excelente artigo Leandro, já faz um tempinho (3 anos) que venho acompanhando de perto a bolsa de valores e como você mesmo disse lá não é lugar para amadores, podeira indicar algum livro ou curso a respeito, já conheço o curso do André.
Gostaria de fazer uma sugestão para um futuro artigo se possível, gostaria que falasse dessa reforma da previdência que o governo está fazendo, sou a favor de uma reforma, mas no meu ponto de vista essa tem alguns pontos muito difícil de aceitar, uma delas é os 49 anos de contribuição, sem contar os 65 anos de idade mínima, onde no país existem varias regiões com expectativa maior e menor que essa idade.

No mais, parabéns pelo excelente trabalho voluntario.

Gustavo
Visitante
Gustavo

Leandro mais uma vez, muito obrigado pelo novo post, comecei a 1 ano e 1/2 a estudar mais sobre finanças em seu site, tenho aprendido muito e aprendo a cada dia mais. Tenho vários amigos que indiquei o site clubedospoupadores.com e eles dizem que gostaram muito. comecei com aplicações em renda fixa ano passado e estou iniciando em ações a um mês, e seus novos artigos em renda variável vão ajudar todos que seguem o seu site. Desejo muita saúde e Sucesso pra você.

EDVALDO DE SOUSA MULLER
Visitante
EDVALDO DE SOUSA MULLER

Mais um excelente artigo Leandro. Embora não faça comentários em todos, leio 100% das suas publicações. Mas quanto à questão do aumento de impostos, não nos esqueçamos que o primeiro aumento já ocorreu, em especial para os assalariados que não tem por onde escapar, que é a falta de correção da tabela do IR para a prestação de contas 2016/2017 com o leão. Um abraço.

Raul
Visitante
Raul

obrigado por compartilhar!!

Marlon Ruttmann
Visitante
Marlon Ruttmann

Agora sim Leandro!
Estava ansioso esperando pelo momento que você começasse a escrever sobre RV.

Aguardo os próximos artigos!

Parabéns, e muito obrigado por disseminar estes conhecimentos tão valiosos!

Solano Silva
Visitante
Solano Silva

Boa tarde Leandro. Li outro dia 1 artigo sobre investir na Bolsa de Valores de Nova York (carteira de ações) etc. No caso pra potencilaizar o investimento com os rendimentos sendo em dólar! Se tiver algum conhecimento sobre o assunto poderia comentar num próximo artigo… Atc. Abs

André F. Gedoz
Visitante
André F. Gedoz

Muito bom e pertinente o artigo. |Já investimos em renda fixa e fundos e iniciamos em análise técnica algumas operações em bolsa, mas os resultados estão proporcionais aos conhecimento, isto é , pouco retorno.
Vale frisar que para investir em ações e aspecto psicológico é muito importante.

Alexandre
Visitante
Alexandre

Meus parabéns, Leandro.
Também sou assinante do Guia Invest e procuro ajudar diversos investidores por meio de análises e comentários.
Devemos sempre nos reinventar, de forma que possamos evoluir como pessoa e servir ao próximo com total desprendimento. Um grande abraço.

Cleber
Visitante
Cleber

Muito obrigado por mais este excelente artigo! Acompanho seus textos já há algum tempo e tenho minhas reservas investidas no tesouro direto e renda fixa de bancos menores. Sou totalmente leigo sobre bolsa de valores, e provavelmente é a minha ingnorancia que perpetua a minha intolerância a um risco maior, mesmo sabendo que os ganhos são proporcionais aos risco… sei que chegou a hora de desmistificar esse receio em investir em renda variável, e teus textos podem ser o passo inicial! Fiquei com uma dúvida em relação ao primeiro gráfico, onde vemos que o ibovespa se aproxima do valor histórico pre crise de 2008… seria realmente um bom momento para entrar na bolsa, ou o auge de uma crise /inicio de uma recuperação aeriam maia adequados? Um forte abraço e, mais uma vez parabéns e muito obrigado!

Eliana
Visitante
Eliana

Adoro suas explicações, estou sempre lendo, para agregar conhecimentos. Buscando informações na área financeira deparei-me com seu blog. Parabéns pelo seu trabalho, Gratidão.

Washington
Visitante
Washington

Parabéns Leandro, muito bom artigo, como sempre.

raimundo
Visitante
raimundo

Leandro voce é o cara vei, instiga, cutuca e mostra que possivel a todos que se dispoie a abrir pro conhecimento. Minha preocupaçao porem esta no rumo desse nosso navio relatado. Temo por nossos netos e bisnetos que o mesmo, carente de capitao e seus tripulantes, possa ate nao afundar de fato, mas ficar a deriva ou encalhar no tempo. Para um pais tao belo seria muito frustante para os futuros passageiros saberem que geraçao de comandantes, tripulantes, e passageiros deixaram tudo isso acontecer. Sim Leandro nos passageiros desse navio na sua grande maioria somos passivos demais a tudo. Precisamos agir com mais atos concretos, selecionar mais na hora do voto.fiscalizar e cobrar dos eleitos no curso do mandato. As vezes meu amigo se posso lhe chamar assim, penso que a passividade de nosso povo faz merecer o governo que temos. Quem nao ajuda na batalha nao pode esperar vitoria, no minimo torcer por ela. Me desculpe a todos o desabafo, ë que sonhei tanto e ainda sonho por este meu pais, mas fico triste e quase que impotente diante de tanta coisa negativa acontecendo. Quando pensamos que ja vimos tudo, vem outra noticia ainda pior que nos faz pensar……… INOCENTE NAO SABE DE NADA.

Franco
Visitante
Franco

O retorno de grau de investimento nao vai resultar na valorizaçao nas açoes. Ja teria acontecido. Observe bem a sequencia que ja passou a ultima vez.

wellington
Visitante
wellington

Leandro, seus artigos estão cada vez melhores!!!! Já te acompanho faz alguns anos e aprendi muito com vc sobre renda fixa. Torcia muito para que vc começasse a escrever mais artigos sobre bolsa de valores. Vc poderia escrever um livro sobre a bolsa como vc fez com aqueles três livros voltados para renda fixa. Grande abraço e sou admirador do seu trabalho, sobretudo por causa da sua imparcialidade.

p.s : estou louco para o thiago nigro ( do blog primo rico ) te entrevistar, para saber onde vc investe.(risos)

EDILANIO
Visitante
EDILANIO

BOm dia, amigo Leandro. Gosto demais de seus artigos. E gostei muito deste em especial porque tratou de um assunto que gosto de estudar,a bosa de valores. E fiquei ainda mais feliz em saber que virão outros. Sinto falta de de um livro seu só sobre bolsa e outro sobre fundos imobiliários. Seria possível futuramente livros seus sobre esses temas? Um grande abraço.E obrigado pelo artigo.

Marcelo Williams
Visitante
Marcelo Williams

Já invisto em RF e adquiri minha reserva. O próximo passo será justamente ações na bolsa. Obrigado Leandro por me ajudar nesta caminhada rumo a mais um conhecimento. Parabéns pelo artigo. Abraços.

renan
Visitante
renan

Mais um excelente artigo agregando informações relevantes.

Felipe Sommer
Visitante
Felipe Sommer

Muito bom Leandro… esperando ansiosamente pelos próximos artigos.

Silmara
Visitante
Silmara

Ansiosa por mais artigos sobre a bolsa!

Yuri
Visitante
Yuri

Olá Leandro,

Esperando ansiosamente pelos novos artigos da série.

Gostaria muito que você abordasse o problema do pagamento no IR na bolsa que deve ser recolhido com DARF é uma coisa “boba”, mas que ainda me causa duvidas e medo na hora de investir em ações. Se puder seria de grande valia para min e creio que para muitos outros leitores.

Renato Sergio
Visitante
Renato Sergio

Parabéns pela clareza como escreve seus artigos, até mesmo Eu, totalmente leigo no assunto, entendo todo que diz.

Alexandre
Visitante
Alexandre

Bom dia Leandro, ótimo artigo. Estou empolgado com os novos artigos sobre a bolsa que você comentou, comecei a investir tem pouco mais de um ano e venho aprendendo e lendo muito nesse periódo. Li quase todos os seus artigos e também os seus livros, me ajudou muito.
Nos últimos meses tenho partido para a bolsa de valores, com 10% do património. Ainda estou naquela fase de reconhecimento, meio que brincando, pois li e acreditei, que tão importante quanto o conhecimento teórico é também a habilidade de mexer e entender as operações e home brokers, enfim, já fiz umas besteiras, mas com pouquinho dinheiro e isso me ensinou bastante. Obrigado por compartilhar esse conhecimento.

Daniely
Visitante
Daniely

Olá Leandro, gostei muito do seu artigo. Tenho 20 anos e estou começando a me interessar sobre investimentos na bolsa mas ainda não tenho conhecimento algum. Vou aproveitar seus próximos artigos para estudar, pois até agora só invisto em renda fixa por ter certo medo de ações. Só uma perguntinha: se eu investir R$ 100,00 em ações de uma empresa e se esta empresa vier a ter prejuízo e as minhas ações ficarem negativas eu vou ficar devendo? Ou seja, além de perder meus R$ 100,00 ainda terei q pagar algum dinheiro para esta empresa?

Joás Jebuk
Visitante
Joás Jebuk

Leandro, parabéns por mais um artigo. Nos próximo você abordará a questão se é melhor comprar uma ação e ficar com ela a períodos maiores, ou se deve ficar comprando e vendendo? Tenho essa dúvida em como escolher uma ação e o que fazer depois que compro, coloco um robô para operar, acompanho as noticias todos os dias, comprar e vender logo … essas cosias, seria de grande ajuda. Quero dizer também que seus artigos tem me ajudado a melhorar meus hábitos de consumo e já iniciei a minha reserva de emergia, e tenho compartilhado com meus colegas de trabalho que também leem seus artigos. Futuramente, penso em me tornar um educador financeiro, você fara alguns artigo sobre essa profissão/vocação? Obrigado mais uma vez.

RAFAEL
Visitante
RAFAEL

Leandro,
Vc vai detalhar mais sobre as análises fundamentalista e técnica?
Sobre a técnica buy and hold seria possível vc falar, em caráter educativo?

Gabriel Valladão
Visitante
Gabriel Valladão

Obrigado pelo artigo, muito esclarecedor, como sempre né. Tenho 19 anos, acompanho e leio os artigos do clube dos poupadores há uns dois anos, a cada artigo um ou vários novos aprendizados. Estou querendo fazer um curso de vendas no geral, práticas de vendas, como vender melhor, algo relacionado a área de vendas. Estou relativamente bem, com o conhecimento em finanças pessoais e investimentos, mas quero melhorar essa parte, para criar e aumentar meus ganhos e conseguir acumular patrimônio mais rapidamente e alcançar a tão sonhada independência financeira, detalhe sem ajuda do governo, rsrs. Além do curso de vendas, quais cursos você me indicaria pela minha idade 19 anos? Melhor ainda, quais cursos você faria se tivesse a minha idade?
Muito obrigado, e não deixe de escrever por favor.

Ricardo
Visitante
Ricardo

Leandro,

Sempre que você fala sobre ações eu coloco esses dicas, desculpe se estou sendo chato!

Alguns conselhos:

1-Não aguenta variações bruscas, NÃO COMPRE AÇÕES. Caso contrário vai comprar na alta e vender sempre na baixa;

2- Entre devagar e com dinheiro que não irá precisar tão cedo;

3- Reinvista os dividendos, acumule Patrimônio;

4- Assim como RF, também na RV é bom diversificar;

5- Não sei qual seu estilo, TRADE ou BUY AND HOLD (BH). Se for BH, não se preocupe em olhar cotação todos os dias. Lembre-se que se for BH vai comprar e guardá-las. Nada impede que no futuro venda uma parte para viver e concretizar sonhos. BOAS EMPRESAS TENDE A SER VALORIZAR COM O TEMPO!

6- Caso seja BH, evite comprar ações PN. Praticamente não tem Tag Along e quem tem ações preferências não é sócio.

7- Tente escolher ações de boas empresas!

No longo prazo, as ações de boas empresas tendem a se valorizar e muito!

Comprar periodicamente boas empresas com disciplina e REINVISTA os dividendos.

Procure aumentar o numero de ações em sua carteira para ACUMULAR PATRIMÔNIO.

Faça análise da sua carteira periodicamente.

Escolher boas ações é possível! Roteiro: empresas que atendam seus critérios (exemplo: tem gente que não coloca dinheiro em empresa estatal), Lucros Constantes, com boa Governança e Gestão e Caixa e Dívida equilibrados.

E como disse o Leandro: “O fato é que sempre precisamos estudar.” Estude sempre!

O Leandro já colocou um texto sobre ações muito bom: https://www.clubedospoupadores.com/acoes/bolsa-valores-longo-prazo.html

Exemplo de BH!!

“Se você tivesse comprado 100 ações da Microsoft há 25 anos…

Se você teve a sorte de ter comprado 100 ações a US$ 21 preço da oferta naquele dia e sentou-se no investimento para 25 anos, teria crescido rapidamente em 28.800 ações ao longo de nove desdobramentos e valer cerca de três quartos de um milhão dólares hoje. http://www.networkworld.com/article/2228727/data-center/if-you-had-bought-100-shares-of-microsoft-25-years-ago—-.html”

É sempre bom reinvestir nas ações de boas empresas. Hoje o valor das ações é de US$ 55,78 – US$ 1.606.464,00 um bom dinheiro para quem investiu US$ 2.100. E se tivesse continuado investindo nesses 25 anos, seria um dos milionários do mundo.

Alexandre Ribeiro Araujo
Visitante
Alexandre Ribeiro Araujo

Bom dia Leandro.

Gostaria de adquirir seus livros como forma de incentivar o seu excelente trabalho, porém notei que são apenas em formato digital. Tem algum plano vendê-los impresso?

João Silva
Visitante
João Silva

Bom dia Leandro, ontem eu assisti uma entrevista com o ex-Ministro Delfim Neto dizendo que este ano a safra agropecuária recorde pode elevar o nosso PIB. Isso tem sentido?

Compartilhe com um amigo