Neste artigo você vai aprender, de forma rápida e resumida, como usar médias móveis nos seus investimentos em ações, fundos imobiliários, ETFs ou qualquer outro ativo negociado na bolsa.

A média móvel é uma ferramenta muito utilizada na análise técnica ou análise gráfica dos preços de um ativo. Ela pode auxiliar investidores de longo prazo (anos), médio prazo (meses) ou aqueles que buscam oportunidades de curto prazo (semanas, dias, horas ou minutos) para a compra e venda de ações e outros ativos de renda variável.

As médias fazem parte da estatística, que é a ciência que procura explicar o mundo através das teorias probabilísticas. Todas as ciências fazem uso da estatística para explicar a frequência com que determinados eventos ocorrem buscando estimar ou prever fenômenos futuros.

Veja como é fácil calcular uma média do tipo simples. Imagine que temos uma ação que entre o dia 1 e o dia 5 registrou os seguintes preços.

  • Dia 1: R$ 10,00
  • Dia 2: R$ 9,50
  • Dia 3: R$ 9,40
  • Da 4: R$ 12,00
  • Dia 5: R$ 13,00

Veja que no primeiro dia a ação custava R$ 10 e no último dia ela custava R$ 13 tendo variações nos preços entre esses dois dias. Somando todos os preços e dividindo pelo número de dias temos o preço médio: 10 + 9,50 + 9,40 + 12 + 13 = 53,90

A soma de todos os preços dos últimos 5 dias é R$ 53,90. Dividindo R$ 53,90 por 5 dias temos o preço médio de R$ 10,78. Podemos dizer que o preço médio da ação nos últimos 5 dias é de R$ 10,78. Qualquer valor acima R$ 10,78 seria considerado um preço acima da média dos últimos 5 dias. Qualquer valor abaixo de R$ 10,78 seria considerado um preço abaixo da média.

Podemos criar médias das últimas horas, dias, semanas, meses ou anos com base nos preços das ações.

Os investidores estão sempre observando quando os preços estão acima ou abaixo da média e o quanto eles estão distantes, pois sempre existe uma tendência dos preços se afastarem das médias para depois de um tempo retornarem para as proximidades das médias.

Isso não acontece somente com o preço das ações. Isso acontece com os preços de qualquer coisa.

Você provavelmente tem uma ligeira ideia de quanto custa a maioria dos produtos que você costuma comprar. Quando você encontra uma promoção, normalmente o preço promocional está abaixo do preço médio que você está acostumado a pagar e isso motiva você a comprar. A medida que o preço do produto se aproxima da média ou fica muito acima da média, você tende a perder o seu interesse pela compra. Tendemos a esperar que o preço retorne para algo próximo do que estamos acostumados a pagar.

No mundo dos investimentos esse mecanismo funciona da mesma forma. Muitos investidores definem um preço justo para uma determinada ação fazendo estimativas sobre os futuros resultados financeiros das empresas, mas nem sempre os preços se movimentam alinhados a essas expectativas no curto prazo. Em prazos mais longos eles tendem a se alinhar ao esperado a medida que esse futuro se aproxima. Muitas vezes as expectativas com base fundamentalista também são frustradas. Falamos sobre isso no artigo sobre a importância das médias móveis.

As médias que usamos em um gráfico de preços de ações são móveis, pois elas nos apresentam o preço médio de uma quantidade específica de períodos. Exemplo: últimos 20 dias, 100 dias, 200 dias etc. A média se movimenta, pois os últimos 20 dias contando a partir de hoje não são os mesmos últimos 20 dias contados ontem. O último preço é retirado do cálculo para ser adicionado o preço mais recente.

Como se usa Média Móvel

A análise da média móvel segue os seguintes princípios, de forma bem resumida:

  • A direção da média móvel mostra a direção dos movimentos dos preços que prevalece ou a tendência do preço até o momento;
  • Existe uma grande probabilidade de um preço com médias crescentes continue crescente e decrescentes continue decrescente;
  • Quanto menor o período da média móvel, mais sinais falsos podem ocorrer, e quanto maior for o período, mais consistente é o sinal e maior o atraso no movimento da média com relação ao movimento do preço no momento;
  • Para aumentar/diminuir a sensibilidade da média móvel, é preciso diminuir/aumentar o seu período;
  • O uso das médias móveis é mais confiável quando a tendência de alta ou de baixa está bem evidente (preços ascendentes ou descendentes). Quando os preços se movimentam sem tendência, as médias móveis curtas e longas começam a se cruzar ou se enroscar. Para a análise de preços sem tendências existem outros tipos de indicadores.

Como adicionar médias móveis em um gráfico

Todas as corretoras oferecem softwares para estudo dos preços. Como existem inúmeras corretoras, existem diversos softwares diferentes para essa finalidade. Eu utilizo no meu trabalho de educação essa ferramenta aqui, visite. Para salvar seus estudos na ferramenta é necessário criar uma conta gratuita visitando aqui. Depois basta clicar no botão “REGISTRE-SE”, no botão azul que está no topo direito do menu superior do site.

Visitando esse endereço aqui você verá um gráfico do índice Bovespa, que mostra o desempenho das principais ações negociadas na bolsa. Veja os passos que você deve seguir:

Siga os passos descritos na figura acima:

  1. Clique no campo que permite adicionar o código de qualquer ação, fundo imobiliário, fundo de índice (ETF) ou índices da bolsa. Também permite fazer estudos com moedas e ações negociadas em outros países. Nos livros sobre investimentos em títulos públicos e CDB eu também ensino a utilizar essa ferramenta para estudos de dados econômicos como Taxa Selic, CDI, PIB e outros números divulgados pelo Banco Central. Os estudos de dados econômicos por gráficos também são importantes para quem investe em ações e também falo sobre isso nos meus livros sobre investimentos  em ações.
  2. Clique na opção “Indicadores” para a abertura da janela que aparece na figura acima.
  3. No campo de busca da janela, como mostra a figura, digite a palavra “média”.
  4. Clique sobre o tipo de média móvel que você deseja utilizar como média móvel ou média móvel exponencial.

A diferença entre a média móvel e a média móvel exponencial está no cálculo. A média exponencial dá um peso maior para os preços mais recentes e isso torna o movimento da média mais sensível ao movimento mais recente dos preços.

Passo a passo para adicionar médias móveis. Clique na figura logo abaixo para assistir o vídeo (ele não possui som). Clique no ícone que está no canto superior direito que permite aumentar o tamanho do vídeo.


Gravei o vídeo acima para mostrar como adicionar três médias móveis sobre um gráfico do índice Bovespa. Também mostrei como modificar a cor, espessura da linha e ajustar a média móvel alterando seus valores enquanto você observa o gráfico. Meus livros sobre análise técnica e análise fundamentalista possuem diversos vídeos como este com demonstrações rápidas e objetivas para configurações e uso das ferramentas. Tudo fica fácil para quem esta iniciando, pois a teoria é apresentada junto com a prática, como se o livro fosse um curso.

Exemplos de médias móveis

Com o tempo você vai perceber que os preços das ações costumam “respeitar” médias móveis de períodos diferentes.

Você perceberá que tendências de alta costumam ser “escoltadas” ou “conduzidas” por médias móveis específicas que podem ser diferentes dependendo da ação que você está estudando.

No gráfico acima temos o exemplo da ação de uma empresa de resseguros que é negociada na bolsa brasileira. Ela está entre as dez maiores do mundo em valor de mercado. É líder de mercado em diversos segmentos onde atua. Possui bons fundamentos e por esse motivo o preço de sua ação cresce desde em uma tendência sólida que se movimenta respeitando determinados padrões.

Utilizando o estudo das médias móveis podemos adicionar uma média e ajustar a mesma até que seja possível descobrir que sua tendência de alta é “escoltada” pela média móvel exponencial de 50 períodos em um gráfico diário.

Isso significa dizer que grandes investidores enxergaram uma boa oportunidade de compra (no passado) quando o preço da ação tocou ou cruzou o preço médio dos últimos 50 dias. No gráfico acima eu adicionei uma seta verde indicando todos os momentos desde 2018 quando o preço tocou a média de 50. Um pequeno investidor que realiza poucas compras durante o ano poderia observar o gráfico acima uma vez por semana para encontrar pontos em que o preço se aproximou da média de 50.

Agora vamos aproximar o gráfico para exibir 3 meses de movimentações do preço e uma média móvel de 20 períodos, veja:

 

Descobrimos que o preço dessa ação também é “escoltado” pela média de 20 períodos.

Um pequeno investidor, que faz investimentos mensais, também poderia utilizar a média móvel de 20 ao identificar, através dos seus próprios estudos, que a ação também costuma “respeitar” a média móvel de 20. Isso significa que os investidores entendem o preço próximo dessa média como uma oportunidade de compra dentro dessa tendência de alta dos preços.

Veja que estamos trabalhando com probabilidades. Não existe garantia nenhuma de que os investidores vão se comportar da mesma forma que se comportaram no passado. O que sabemos é que os investidores tendem a repetir o comportamento passado enquanto a empresa continuar apresentando bons resultados financeiros, ou seja, bons fundamentos. Um padrão costuma ser mantido por muito tempo, mas todo padrão um dia acaba sendo quebrado.

É um engano acreditar que grandes investidores compram ações de boas empresas pagando qualquer preço por elas.

Eles monitoram o comportamento dos preços das boas ações e compram essas ações em momentos bem específicos. Essas grandes oportunidades para comprar boas ações por bons preços ocorrem poucas vezes durante o ano. Oportunidades medianas ocorrem poucas vezes durante o mês.

Infelizmente não existe uma média móvel perfeita, não existe a melhor média móvel que funcione bem para todas as ações ou ativos. É necessário que você faça seu próprio estudo.

Especialização

Com o tempo, com a leitura e a prática, você vai se especializar no comportamento de um pequeno punhado de boas ações que você escolheu investir regularmente.

Essa especialização é importante. Imagine um agricultor que planta laranjas. Ele entende como a laranjeira se comporta durante as quatro estações do ano. Ele conhece o momento perfeito para plantar, ele sabe que precisa esperar o fruto se desenvolver e amadurecer para depois colher no momento certo. Ele sabe que existem riscos provocados por eventos difíceis de prever como chuvas, ventos, granizos, pragas etc.

Se esse agricultor resolver plantar tomates, ele entende que tomateiros e laranjeiras são plantas e possuem alguns pontos em comum, mas são plantas diferentes que possuem ciclos diferentes, momentos para plantar e colher diferentes, comportamentos diferentes diante das chuvas, frio, calor e pragas.

Nas ações é a mesma coisa. Você provavelmente vai selecionar as ações de sua preferência através da análise dos fundamentos das empresas, ou seja, vai escolher entre plantar laranja, tomate, soja, batatas, entendendo que apesar de serem plantas, elas possuem características diferentes, momentos melhores para plantar e colher, reações diferentes dependendo de variáveis do ambiente (no caso das ações o ambiente econômico interfere de forma diferente em cada tipo de empresa). Para isso usamos o estudo estatístico que a análise técnica proporciona.

Recomendações

Na próxima vez que você receber a recomendação de amigos, desconhecidos da internet, youtubers, casas de análise, corretoras ou pessoa patrocinadas por corretoras e bancos, tente fazer suas próprias análises antes de qualquer decisão precipitada.

Uma simples média móvel, que é um dos indicadores mais básicos e fáceis de observar, já seria suficiente para evitar muitos problemas que se originam de recomendações “bizarras” que vejo todos os dias na internet, vitimando muitos iniciantes.

Veja um exemplo de bizarrice:

Durante o ano de 2019 pude ver uma onda de recomendações de compra de ações de uma empresa de telefonia que está praticamente falida, passando por um processo de recuperação judicial. Estranhamente muitos analistas, jornalistas e “especialistas”  juntos com muitos “twitteiros” e “yotubeiros” apareceram por todas as partes falando sobre a “oportunidade” de investir na empresa que caminhava para a falência.

Se as pessoas fossem relutantes ao aceitar recomendações gratuitas de estranhos, como são relutantes antes de comprar um livro ou um curso sobre investimentos, as coisas seriam bem diferentes.

Somente com preços se movimentando acima de médias importantes no gráfico semanal (e não abaixo delas) seria possível imaginar alguma probabilidade de alta consistente nos próximos meses e anos, pois tal situação certamente seria justificada por grandes mudanças nos fundamentos da empresa ou fortes mudanças nas expectativas sobre o futuro da empresa. Entenda um gráfico de preços como um exame médico que mostrará bons resultados se a saúde for boa. Pessoas jurídicas são como pessoas, elas também nascem, adoecem e morrem.

Mesmo aquele que não entende nada de fundamentos, que detesta analisar dados contábeis chatíssimos, poderia usar uma média móvel de 100 períodos em um gráfico semanal da empresa doente, como mostrei nesse artigo, para constatar uma coisa estranha. O mesmo pode ser feito para buscar empresas saudáveis. Veja que o preço médio da empresa doente só esteve 2 dias acima de sua média de 100 dias desde 2013, ou seja, a única coisa que o preço dessa ação sabe fazer, na média, é cair cada vez mais. Qualquer criança seria capaz de identificar o enorme risco de investir em uma empresa que possuem um gráfico de preços debilitado como o apresentado acima.

Agora vamos observar o gráfico de uma empresa concorrente do setor de comunicação.

Na figura acima temos o exemplo de outra empresa que também oferece planos para celular, internet, etc. É a maior em valor de mercado e a mais negociada do setor de comunicação. Pagou 6,9% de dividendos nos últimos 12 meses e valorizou 28% nos últimos 12 meses.

De forma muito rápida, antes mesmo de gastar tempo estudando balanços, demonstrações financeiras e contábeis através da análise fundamentalista, seria possível observar no gráfico que se trata de uma empresa que tem o preço de sua ação em tendência de alta por uma média de 100 períodos em um gráfico diário. Isso já seria um bom filtro, embora não possamos afirmar que seja suficiente para o investidor de longo prazo.

Nunca compre ações seguindo recomendações de outras pessoas sem fazer uma análise técnica, fundamentalista ou as duas ao mesmo tempo.

As médias móveis são uma das ferramentas mais básicas da análise técnica e, mesmo assim, não foi possível abordar com profundidade o seu uso em um simples artigo (mesmo sendo um longo artigo). Existem diversos outros indicadores importantes que funcionam como ferramentas para o investidor. Dominar as ferramentas é possível e acessível para qualquer pessoa que realmente queira aprender.

Recomendo a leitura de dois livros: Como Investir na Bolsa: Análise Fundamentalista e o livro Como Investir na Bolsa: Análise Técnica. Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail: