A crise econômica mundial que afetará seus investimentos está cada vez mais próxima“. Pelo menos é isso que estão dizendo desde o fim da última crise em 2008. Neste artigo quero mostrar um tipo de estratégia que é responsável pela criação de grandes fortunas durante as crises. Leia até o fim para entender como funciona.

Como as crises financeiras e econômicas são cíclicas (sempre voltam a acontecer) é fácil prever que teremos uma próxima crise. O difícil é saber quando elas vão acontecer e o que podemos fazer para evitar perdas e elevar nossos ganhos financeiros recorrentes (renda passiva) pelo resto da vida, aproveitando as oportunidades que elas oferecem.

É sobre isso que iremos falar nesse artigo, pois essas oportunidades envolvem tanto dinheiro que as vezes me questiono: será que as crises são produzidas artificialmente? Não sei, mas  o fato é que muitos lucram com elas. Se não podemos impedir os efeitos de uma crise, podemos tomar decisões para que possamos estar do lado que ganhará com a crise.

Um exemplo de uma estratégia de investimentos que se beneficia muito com as crises é aquela que tem como principal objetivo acumular um grande número de ações, de boas empresas, que geram renda recorrente para o investidor (renda passiva), pelo resto da vida. As ações dessas empresas são as preferidas por quem compra ações com foco na aposentadoria ou independência financeira.

Pequenos investidores brasileiros, que se tornaram grandes investidores na bolsa, costumam destacar a importância das fortes crises na construção de suas fortunas.

Essas crises costumam produzir fortes quedas nos preços das ações e isso cria a oportunidade para comprar e acumular uma enorme quantidade de ações de boas empresas. O foco costuma ser a compra de ações que pagam proventos regularmente como: dividendos, juros sobre capital, bonificações e outros.

O fato é que após ter avaliado quais são as melhores empresas para se investir na bolsa (através da análise fundamentalista), você só precisa de uma boa e grande oportunidade para comprar muitas dessas ações por bons preços, pois o retorno que você terá ao receber os dividendos depende de quanto você pagou por cada ação. Mais na frente vou explicar como isso funciona.

Existem grandes oportunidades que ocorrem em janelas de pelo menos 10 anos, no desenrolar de graves crises econômicas mundiais (todas até então foram passageiras). Também existem oportunidades geradas por crises políticas e crises econômicas locais que (infelizmente) ocorrem com muita frequência no Brasil. Também temos momentos e que os preços das ações sofrem correções, após se afastarem muito de suas médias, e isso ocorre com uma frequência ainda maior, já falei sobre a importância das médias móveis em artigos anteriores.

Muitas das grandes quedas que tivemos na bolsa nos últimos anos foram produzidas por situações passageiras que afetaram os preços de todas as ações listadas na bolsa, incluindo ações de boas e lucrativas empresas que pagam dividendos com frequência, independente dessas crises passageiras.

Veja esse gráfico com o histórico do Ibovespa dolarizado. Se você clicar na imagem abaixo verá o gráfico maior. Se você clicar aqui verá a versão interativa do gráfico. Agora vamos entender o que ele significa.

O gráfico acima mostra o índice que mede o desempenho da bolsa brasileira (índice Bovespa) com a indicação de diversos eventos (fora do nosso controle) que produziram oportunidades ou crises locais ou globais. O índice está dolarizado para que possamos reduzir os efeitos da inflação.

As últimas grandes crises locais, que produziram oportunidades para a compra de ações de boas empresas por preços baixos, ocorreram na greve dos caminhoneiros de 2018 e na crise que o país mergulhou entre a reeleição da presidente Dilma e seu impeachment. Já a última grande crise econômica global ocorreu em 2008. A partir de 2009 também tivemos crises na Zona do Euro que impactaram as bolsas do mundo inteiro.

Investidores que compram ações pensando na aposentadoria (carteira previdenciária de ações) aproveitam esses momentos de crise para aumentar o número de ações que possuem. O foco dessa estratégia está em acumular o maior número possível de ações, pois o pagamento de dividendos é feito por cada ação que temos. Por esse motivo, o preço pago por cada ação é fundamental. Quanto mais barata, mais ações é possível comprar com o mesmo dinheiro.

Depois que a compra da ação é feita o investidor monitora o número de ações que conseguiu acumular, quanto pagou por elas e quanto elas estão gerando de dividendos por ano. O quanto elas valem no momento é menos importante nessa estratégia de longo prazo, pois o foco é quanto as ações geram de renda e não quanto elas valem no presente.

Quanto menor o preço, melhor para a estratégia focada na aposentadoria, pois em poucos anos os próprios dividendos pagos pela empresa  (por ação) acabam fazendo o dinheiro gasto com a compra da ação retornar para o bolso do investidor.

Exemplo simplificado: digamos que você comprou uma ação por R$ 10 que paga R$ 1 de dividendo por ano. Depois de 5 anos você teria recebido de volta a metade do dinheiro gasto comprando a ação.  Com o passar do tempo a própria ação pagaria o custo que teve para ser adquirida.

Quando você observa gráficos onde podemos ver ações que foram vendidas por centavos no passado, isso normalmente ocorre por serem ações que pagaram tantos dividendos que o preço da ação no passado se tornou insignificante. Vale lembrar que o gráfico de preços de uma ação normalmente é um gráfico ajustado pelos dividendos, ou seja, o pagamento dos dividendos produz um ajuste para baixo nos preços do gráfico, tornando os preços passados menores (como se o dinheiro pago pela ação no passado tivesse sido devolvido para o investidor na forma de dividendos).

Parece mórbido afirmar que investidores que buscam acumular muitas ações, pensando nos dividendos para aposentadoria, ficam felizes quando as grandes crises acontecem. Suas estratégias de acúmulo de grandes quantidades de ações dependem das crises globais, locais ou das correções nos preços que ocorrem todos os meses e anos.

No gráfico acima podemos ver muitas oportunidades que ocorreram quando a bolsa estava abaixo da linha verde (linha de tendência linear). Veja que muitas oportunidades ocorreram nos últimos 30 ou 40 anos. Tenha a certeza de que muitas acontecerão no futuro.

Alguém com 30 ou 40 anos de idade nos dias de hoje, teria pelo menos 35 ou 25 anos pela frente (até completar 65 anos) para aproveitar todas as crises e oportunidades que teremos para comprar muitas ações de empresas sólidas que pagam dividendos e que podem proporcionar boa renda na nossa aposentadoria.

Nem preciso falar sobre a importância de planejar sua aposentadoria, acumulando o máximo de bens que geram renda (investimentos que pagam juros, ações que pagam dividendos, fundos imobiliários ou imóveis que pagam aluguéis etc.)

Está cada vez mais difícil imaginar que o governo irá nos pagar alguma coisa de aposentadoria nos próximos 30 ou 40 anos. Melhor seria considerar a aposentadoria pública como uma renda de alto risco, que pode não existir ou ser insignificante no futuro. Isso nos motiva a buscar alternativas enquanto existe tempo para isso.

É impossível saber quando uma crise grande afetará a nossa economia, mas é certo que elas vão acontecer algum dia. Estar preparado(a) quando a oportunidade chegar é o que realmente fará a diferença. É a única coisa que realmente podemos fazer.

Recentemente fiz um curso produzido por um grande investidor brasileiro. Ele é 0 maior investidor pessoa física da bolsa, com patrimônio de quase 2 bilhões em ações de diversas empresas que pagam dividendos. Na verdade, como ele é um senhor de 80 anos, o curso foi produzido por sua filha e sua equipe seguindo a estratégia de investimentos do pai.

A estratégia tem como objetivo acumular o maior número possível de ações que pagam bons dividendos e outros proventos. Como os lucros das empresas são divididos entre os investidores pelo número de ações que cada um possui, quanto mais ações você acumular na sua vida, mais do lucro da empresa entrará no seu bolso (renda passiva).

E se você usar essa renda passiva para comprar ainda mais ações, especialmente nos momentos de crise (quando as ações estão baratas), você acabará criando um efeito parecido com os juros compostos, só que baseado no número de ações, ou seja, o número de ações crescerá exponencialmente.

Esse investidor que fala de suas estratégias no curso que fiz gosta de usar a metáfora do jacaré de boca aberta quando explica sua estratégia de compra de ações que pagam dividendos no decorrer das crises e das oportunidades que o mercado oferece.

Jacarés e crocodilos são verdadeiros fósseis vivos que surgiram a 248 milhões de anos. Eles conviveram com os dinossauros, sobreviveram a muitas crises naturais e processos brutais de extinção em massa que afetaram a Terra, incluindo o processo de extinção que iniciamos quando abandonamos as florestas e começamos a construir cidades.

Os jacarés conseguiram essa proeza por serem animais pacientes que buscam obter o melhor resultado possível com o menor esforço possível. Na bolsa de valores, os investidores que realmente enriquecem no longo prazo são aqueles que destinam uma parte de seus investimentos para aquelas estratégias que exigem o menor esforço possível.

Os jacarés ficam nas margens dos rios parados com a boca aberta como se fossem pedras. Eles gastam o mínimo possível de energia enquanto esperam a oportunidade se aproximar.

Eles ficam tão imóveis que muitas vezes as aves que se alimentam nas margens dos rios entram em suas bocas na busca por restos de alimento. Com o mínimo esforço possível o jacaré abocanha sua refeição quando os animais distraídos se aproximam de sua boca. Muitas vezes eles esperam que os mamíferos de maior porte se aproximem o máximo possível da água e somente quando a oportunidade está próxima eles se movimentam violentamente.

O mesmo comportamento é comum entre investidores que aguardam as crises ou correções nos preços para que possam adquirir ações de boas empresas com a menor quantidade possível de dinheiro (menor gasto de energia). Os dividendos também são uma forma de obter renda através do menor esforço possível.

Vamos ver um exemplo prático bem simplificado para que se torne didático.

A tabela logo abaixo mostra todos os proventos que uma conhecida empresa do setor elétrico pagou por ação em 2018. Ela é muito popular entre investidores que estão no processo de acumular o maior número possível de ações que pagam dividendos.

É uma das maiores empresas brasileiras de transmissão de energia elétrica. Muitas de suas ações pertencem a uma das principais concessionárias de energia elétrica do Brasil que fica em Minas Gerais. Essa é uma das ações do setor elétrico que o grande investidor cita em um dos exemplos do curso.

Vamos imaginar que você comprou 1000 ações dessa empresa entre 2016 e 2017. Na tabela logo abaixo temos a lista com todos os dividendos e juros sobre capital que a empresa pagou por ação no ano de 2018. Como você tem 1000 ações e eles pagaram o total de R$ 2,79 por ação, você recebeu R$ 2.790,00 de proventos (1000 x 2,79 = 2.790,00).

Agora você precisa saber: qual foi o retorno do seu investimento? Comprar 1000 ações dessa empresa no ano anterior produziu um retorno bom ou ruim? Isso depende do preço que você pagou por suas 1000 ações.

Vamos imaginar que você havia comprando suas ações em três momentos diferentes durante os anos anteriores. Logo abaixo temos o preço da ação da empresa do setor elétrico através de um gráfico de preços. Cada candle (barra colorida) representa a variação do preço em uma semana. Vamos imaginar que você não adotou nenhum critério e acabou comprando em momentos diferentes.

A linha azul representa o preço médio da ação calculado com base nas últimas 34 semanas. A média permite observar quando os preços estavam acima ou abaixo dessa média. Os quadros amarelos com os preços indicam os pontos onde você comprou as ações.

Vamos imaginar que você comprou 300 ações por R$ 14,65 quando o país enfrentava uma séria crise política antes do impeachmant. Depois você comprou 300 ações por R$ 24,38 quando os investidores estavam eufóricos. Depois você comprou 400 ações por R$ 20,74 quando o preço estava bem próximo da média (linha azul).

Como você pagou preços diferentes por cada ação nos anos anteriores, ao receber R$ 2,79 de proventos por ação, você teve margens lucros diferentes ou retornos diferentes sobre o investimento feito. Quanto menor o preço pago pela ação no passado, maior o retorno do dividendo recebido no presente e no futuro. Veja a tabela e continue lendo para entender.

Ao dividir 2,79 por 14,65 encontramos 0,1904. Multiplicando esse resultado por 100, descobrimos que esses R$ 2,79 recebidos representam um ganho de 19,04% em 2018 sobre os R$ 14,65 pagos por ação nos anos anteriores.

Para as ações que custaram R$ 20,74, os R$ 2,79 de proventos por ação representam um ganho de 13,45% ao ano. Já para as ações compradas por R$ 24,38, os R$ 2,79 por ação representaram um ganho de 11,44%.

Veja que neste exemplo estou me referindo a ações compradas alguns anos atrás. Agora imagine como seria se você estivesse investindo em empresas como essa aproveitando oportunidades geradas por grandes crises que aconteceram décadas atrás. Imagine se você tivesse pago R$ 5 por cada ação muitos anos atrás. Os R$ 2,79 de proventos ao ano representariam 55,8% de ganho sobre o valor investido.

É por esse motivo que investidores que compram ações no decorrer de muitos anos não ficam preocupados com as grandes crises ou com crises locais e correções nos preços. Eles entendem esses momentos como oportunidade, pois eles monitoram os preços na busca de oportunidades de compra.

Grande parte das ações que os grandes investidores possuem já se pagaram, ou seja, já possuem custo zero de aquisição por terem gerado renda maior do que o preço pago por elas. Muitas ações que eles possuem também foram compradas com dinheiro dos dividendos, ou seja, são ações compradas com zero desembolso de recursos próprios.

Agora imagine se você tivesse centenas de milhares de ações recebidas de graça gerando dividendos todos os anos que poderiam ser usados para comprar ainda mais ações. Investidores que passam anos acumulando ações só compram essas ações com dinheiro do próprio bolso nos primeiros anos. Depois eles compram ações com dinheiro barato ou até com dinheiro grátis.

Vamos entender melhor…

No exemplo acima você tinha 1000 ações e recebeu R$ 2,79 por ação, ou seja, recebeu R$ 2.790,00 gratuitamente na forma de proventos apenas em 2018. Vamos imaginar que atualmente o preço dessa ação seja de R$ 29. Você faz seus estudos de análise fundamentalista e seus estudos de análise técnica, achou que a ação estava muito cara e tomou a decisão que seria melhor guardar esses R$ 2.790,00 na renda fixa para esperar uma oportunidade com paciência. Sim, você vai receber muito pouco nessa renda fixa, pois precisa ser um investimento que possa ser sacado rapidamente para aproveitar uma oportunidade. Isso é o que significa adotar a estratégia do jacaré de boca aberta.

Vamos imaginar que entramos em uma crise política, crise econômica ou mesmo uma crise mundial que pode durar semanas, meses ou até um ano inteiro, como crises ocorridas no passado.

Vamos imaginar que o preço da ação da empresa de energia elétrica caiu de R$ 29 para R$ 19 depois de fortes quedas na bolsa. Você sabe que com ou sem crise as pessoas continuam consumindo energia elétrica e os dividendos não serão muito afetados no longo prazo. É nesse momento que a boca do jacaré fecha violentamente. Os R$ 2.790,00 recebidos gratuitamente através dos dividendos, que estavam esperando a oportunidade na renda fixa, se transformariam em mais 146 ações (2790 / 19 = 146 ações), bem mais do que você teria se tivesse comprado as ações por R$ 29.

Vamos imaginar que nos próximos anos a empresa continuasse pagando R$ 2,79 por ação na forma de dividendos e outros proventos. Se você não pagou nada por suas novas 146 ações, você receberá mais dinheiro grátis, que podem se transformar em mais ações grátis, que vão gerar mais dinheiro grátis no futuro. No decorrer de muitos anos você terá um patrimônio crescente com o mínimo esforço possível. O jacaré é premiado por ter paciência.

É assim que pequenos investidores em ações se transformam em grandes investidores depois de muitos anos ou até algumas décadas acumulando ações para uma boa aposentadoria. Até mesmo quando não ocorrem as crises, o mercado naturalmente realiza algumas correções nos preços quando eles se afastam muito das médias e sempre que isso ocorre temos uma nova oportunidade para essa carteira de longo prazo.

Obviamente isso aqui é um artigo didático. Existem muitos detalhes envolvidos em todo esse processo. Por esse motivo é importante investir na sua educação para dominar as ferramentas e os conhecimentos necessários para colocar isso em prática.

Fiquei sabendo que esse curso que fiz (curso do investidor que citei no artigo) terá inscrições abertas para uma nova turma entre o dia 19 e o dia 29 de novembro. Você pode cadastrar seu e-mail clicando aqui para receber informações antecipadamente. O lançamento dessa nova turma será através de uma espécie de “black friday” e acredito que eles vão oferecer algum desconto ou parcelamento para quem se inscrever por e-mail agora. Como se trata de um curso que exige um investimento elevado, esse tipo de promoção pode ser uma oportunidade.

Se for do interesse dos leitores posso escrever um artigo avaliando o curso, pois como tudo na vida, existem pontos positivos e existem pontos negativos.

Cursos e livros são ótimas formas de você conviver com a mentalidade de pessoas diferentes daquelas que você convive todos os dias. Se você pretende se tornar um investidor, precisa conviver com investidores para assimilar suas ideias, estratégias e modo de pensar. Livros e cursos permitem conviver com as ideias dessas pessoas.

Para concluir assista ao vídeo:



Entenda o vídeo da seguinte forma: a internet está cheia de fóruns, canais no Youtube, perfis em redes sociais e sites onde as pessoas gastam muito tempo e energia discutindo (as vezes até brigando) sobre ações, investimentos, estratégias e possíveis crises. São discussões improdutivas que muitas vezes envolvem iniciantes sem experiência (como o jovem gnu do vídeo acima que não sabe a diferença entre um tronco e um crocodilo/jacaré). Imagine o jacaré como o investidor que está neste momento “submerso” em seus próprios estudos, livros e cursos enquanto adquire o conhecimento necessário para quando as oportunidades chegarem. Depois basta aguardar com paciência.

Recomendo a leitura de dois livros: Como Investir na Bolsa: Análise Fundamentalista e o livro Como Investir na Bolsa: Análise Técnica. Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail: