antecipar-aposentadoria

Quanto devo poupar para antecipar uma aposentadoria tranquila no futuro? Existem aqueles especialistas em educação financeira que indicam poupar 10% da renda todo mês, outros sugerem um radicalismo maior, para eles, o ideal seria poupar 20% ou 30%.

Quem já fez simulações para comprar um imóvel financiado sabe que os bancos não aceitam comprometer mais de 30% da sua renda com o pagamento de prestações.

Eles sabem que todos nós podemos poupar até 30% do que ganhamos sem comprometer nossa qualidade de vida. É claro que não vão nos estimular a poupar nosso dinheiro para comprar o que sonhamos no futuro. Para eles é mais lucrativo que você antecipe seus sonhos e passe muitos anos trabalhando e transferindo 1/3 do que você ganha para eles, com todos os juros, taxas e correções monetárias possíveis.

Você precisa parar para pensar… Se todos podem comprometer até 30% do que ganham pagando financiamentos, empréstimos, crediário, então as pessoas podem e devem poupar 30% ou mais. Regularmente o Banco Central  calcula o nível de endividamento do brasileiro. Ele considera o valor total dos débitos dividido pela renda anual. Nos últimos meses mais de 40% da renda dos brasileiros estavam comprometidas com dívidas. Isto significa que se as pessoas não tivessem dívidas e optassem por poupar para comprar no futuro elas poderiam investir até 40% do que ganham.

Eles querem que você fique convencido que deve poupar só 10%, do contrário você não terá renda suficiente para se endividar. Nada mais lucrativo para empresas, bancos e governos do que você gastar tudo que tem e ainda comprometer sua renda futura comprando tudo que pode hoje. Quem compra se endividando paga 2 vezes. Paga pelo produto e paga pelo empréstimo do dinheiro.

E se você fosse uma pessoa ainda mais radical? Se no lugar de poupar 30% da sua renda e gastar 70% você optasse por gastar 30% e poupar 70% do que ganha? Quanto tempo seria necessário para se aposentar? Vou contar uma história real sobre um homem e sua esposa que decidiram fazer isto.

A história do Homem que parou de trabalhar aos 32 anos

Um site muito conhecido chamado Business Insider publicou a “A história do homem que vai largar o trabalho e viver de renda aos 32 anos” com base no relato de um jovem programador de softwares chamado Brandon. O interessante da matéria é que o rapaz divulgou a estratégia que utilizou nos últimos anos e que parece ter dado muito certo.

Ele resolveu poupar 70% da renda por 10 anos de trabalho e com isto poupou e investiu dinheiro suficiente para nunca mais precisar trabalhar na vida. E o mais interessante é que esta estratégia não depende tanto de quanto você ganha, mas sim do quanto você gasta.

Como tudo começou

Quando Brandon recebeu seu diploma em ciência da computação, estava animado para trabalhar muito e construir uma carreira bem-sucedida como programação na cidade onde vivia com a esposa nos Estados Unidos. Como todo jovem recém formado, seu sonho era conquistar sucesso profissional para, quem sabe, um dia tornar-se bem sucedido financeiramente.

Com o passar dos anos, ele viu que as coisas não seriam tão simples assim… não demorou muito para se decepcionar com a realidade. Sua vida tinha se tornado uma novela de capítulos repetitivos, onde a cena de um dia parecia igual a cena do dia seguinte. É como se sua vida profissional estivesse andando em círculos. Quanto mais ele caminhava, menos sai do lugar.

Depois do algum tempo e muitas reuniões inúteis, relatórios sem sentido e tendo que aturar superiores despreparados, o entusiasmo que tinha no início da carreira se foi. A ideia de passar os próximos 30 anos ou mais fazendo a mesma coisa se tornou deprimente.

Brandon começou a se sentir triste, preso e impotente. Ele não gostava do que fazia, mas não podia abandonar tudo para começar de novo, afinal de contas tinha trabalhando muito para conseguir o diploma e construir sua atual carreira. Ele também não queria trocar o salário de 5 dígitos (mais de US$ 10.000 por mês)  por um salário baixo em um trabalho mais prazeroso. Então ele resolveu continuar sua trajetória, mesmo estando infeliz.

Para suportar a tristeza e a insatisfação do trabalho entedioso e bem remunerado, Brandon e sua esposa resolveram mudar a forma como gastavam dinheiro.

Agora, ao invés de usar todo o salário para comprar coisas inúteis e supérfluas (como seus amigos de trabalho faziam), ele passou a poupar o máximo de dinheiro para viajar. Ele e a esposa acumulavam vários meses de férias e viajavam para conhecer outros países do mundo.

Em uma destas viagens o casal americano visitou o Tibete e o Nepal. E como se tivessem despertado para uma nova realidade, perceberam o quanto a maioria dos americanos eram ricos e não percebiam. Eles mesmos eram ricos e não percebiam. Quando voltaram da viagem trouxeram com eles a percepção de que não precisavam acumular tantas coisas como faziam os colegas de trabalho. Não precisavam gastar tanto tempo de suas vidas trabalhando para comprar uma casa maior ou um carro mais luxuoso.

Quanto poupar para a aposentadoria aos 30 anos

Brandon começou a estudar mais sobre independência financeira, e através do que aprendeu acabou percebendo que poderia trabalhar intensamente por mais 5 ou 10 anos para conseguir poupar e investir o equivalente a 25 vezes suas despesas anuais. Para isto, suas despesas anuais não eram tão elevadas já que o casal optou por viver uma vida mais simples.

Para conseguir juntar tanto dinheiro, além de poupar o máximo possível, Brandon calculou que precisava manter uma rentabilidade real (acima da inflação) de 5% ao ano durante o período de acumulação. Já para conseguir viver sem precisar trabalhar, Brandon e sua esposa só precisavam gastar 4% dos 5% que iriam ganhar todos os anos com os juros dos investimentos.

Desta forma, os 25 anos de despesas acumuladas em investimentos seriam suficientes para que o casal nunca mais precisasse trabalhar. Seu intuito não era exatamente parar de trabalhar, mas poder trabalhar metade do dia, ou ter liberdade para programar sua agenda livremente iniciando um empreendimento pessoal sem depender de um trabalho assalariado. Desta forma ele e a esposa poderiam trabalhar com o que gostam, o trabalho deixaria de ser uma obrigação e passaria a ser um prazer.

Como Brandon morava nos EUA não existem opções de investimento sem risco com elevada rentabilidade. Ele precisou montar uma carteira de investimentos, ou seja, usando estratégias de alocação de ativos ele dividiu parte do que poupava em investimentos em títulos públicos americanos (que rendem 0,25% ao ano, não escrevi errado, são 0,25% ao ano), a outra parte ele investiu em ativos de renda variável, ou seja, que possuem alto risco de perdas que são: ações de empresas, fundos de índice, fundo de investimento imobiliário, etc. Durante o tempo que acumulou e por toda vida ele terá que gerenciar esta carteira ativamente para conseguir os 5% de rentabilidade real ao ano.

E se ele morasse no Brasil?

Se Brandon morasse no Brasil as coisas seriam bem mais fáceis. O Brasil paga as maiores taxas de juros reais do planeta para quem investe em títulos públicos. Ele poderia conseguir 6% acima da inflação, sem trabalho e sem riscos bastando comprar títulos públicos NTN-B ou NTN-B Principal. Estes títulos pagam a inflação medida pelo IPCA (que atualmente está muito elevada) e ainda juros de mais de 6% ao ano.

A receita de bolo de Brandon funciona assim:

  1. Passar 5 a 10 anos trabalhando intensamente para obter a maior renda possível. Isto significa fazer hora extra, vender as férias, buscar renda extra nos horários vagos, atingir as metas da empresa para receber bonificações e promoções. E se for necessário até trocar de empresa para obter salários maiores. Seriam 5 a 10 anos de sacrifício consciente e controlado.
  2. Gastar o mínimo possível durante o período de poupança mantendo uma vida absolutamente simples. As recompensas por este sacrifício seriam viagens programadas e planejadas usando milhas do cartão de crédito, promoções de passagens aéreas, promoções em hotéis e férias agendadas para o período de baixa estação.
  3. Poupar até 70% da renda obtida neste período de trabalho intenso.
  4. Conseguir a maior rentabilidade possível nos investimentos para obter vantagens ganhando juros sobre juros. No caso, ele buscava 5% diversificando e correndo algum risco. No Brasil é possível conquistar 6% acima da inflação sem diversificar, sem riscos, sem investimentos em renda variável, sem trabalho ativo para gerenciar os investimentos.

Independente de quanto era o salário de Brandon, ele teve que juntar 70% de 120 salários (10 anos) rendendo 5% acima da inflação por ano. Após o período de acumulação ele passaria a viver destes 5% de rentabilidade onde 4% deveria ser suficiente para manter seu padrão de vida que continuaria sendo equivalente a 30% do que ganhava quando recebia salário e poupava

Exemplo:

Vamos imaginar que o salário de Brandon fosse US$ 10.000,00 e ele conseguisse poupar US$ 7.000,00 (70%) gastando US$ 3.000,00 (30%) para manter seu padrão de vida. Na matéria da Business Insider ele disse que podia viver bem com US$ 2200,00. Agora vamos supor que ele conseguiu poupar US$ 7 mil todos os meses por 10 anos com rentabilidade real (acima da inflação) de 0,5% ao mês. Usando o simulador de juros compostos seria possível acumular US$ 1.147.155,43 (isso é acima da inflação).

Após este período de acumulação, Brandon poderia parar de trabalhar já que teria uma renda passiva de US$ 5.735,77 (que é 0,5% de juros reais ao mês dos US$ 1.147.155,43 que acumulou). Esta renda passiva é mais do que ele precisava para manter o padrão de vida que resolveu adotar. Se gastasse menos de US$ 5 mil mantendo a rentabilidade do investimento acima da inflação, Brandon e sua esposa teriam uma renda passiva perpetua.

É claro que aos 30 anos ninguém quer parar de trabalhar, mas a independência financeira torna o trabalho opcional e a vida mais livre. Liberdade é um dos componentes da felicidade. Brandon poderia trabalhar meio turno, poderia trabalhar nas coisas que gosta, poderia trabalhar esporadicamente prestando serviços como profissional liberal. Nem vou entrar na questão de que o trabalho feito com prazer e boa vontade rende mais e gera maior retorno financeiro que o trabalho que foi imposto por um patrão.

A mesma receita pode ser aplicada em qualquer renda. É claro que quanto menor for seu custo de vida, maior for a sua renda e maior a rentabilidade dos seus investimentos, mais fácil e rápido será conquistar a independência financeira. Seu custo de vida é baseado em suas escolhas. A sua renda depende do valor que você consegue produzir na empresa onde trabalha ou para seus clientes, e a rentabilidade dos seus investimentos dependem do quanto você sabe investir. Os 3 fatores dependem de você e das suas escolhas.

Aproveite os maiores juros reais do planeta

Não existe país no mundo que ofereça títulos públicos, que são o investimento mais seguro que pode existir em um país, pagando a inflação + 6% de juros. Neste momento só existem 16 países no mundo que oferecem juros acima da inflação em títulos públicos. O Brasil é o campeão. Tirando taxa e imposto de renda, os juros reais em títulos públicos brasileiros fica na casa de ~5% ao ano.

Nos EUA os juros para quem investe em títulos públicos é de 0,25% ao ano, ou seja, o investidor perderia da inflação e teria seu dinheiro desvalorizado -0,84% ao ano. Os americanos e os europeus precisam aprender muito sobre investimento em renda variável para conseguirem fazer o dinheiro render.

Os banqueiros nacionais e internacionais são os maiores investidores em títulos públicos brasileiros. E eles não compram títulos públicos para ganhar 10% líquido ao ano como ocorre com a maioria das pessoas físicas que compram títulos públicos. Eles utilizam estratégias de investimento que avaliam o cenário da economia (juros, inflação, PIB, etc) para saber quando e como investir em títulos públicos. A boa notícia é que qualquer pessoa pode aprender as estratégias usadas pelos grandes bancos e fundos de investimento para obter o máximo de rentabilidade dos títulos públicos.

Ganhar 49% em títulos públicos em 12 meses é possível

Conheço pessoas que dominam as técnicas utilizadas pelas grandes instituições e que nos últimos anos conseguiram rentabilidade de +49% comprando e vendendo o título público NTN-B Principal em apenas 12 meses. Vamos imaginar que você tivesse estes conhecimentos e conseguisse identificar com antecedência que deveria comprar NTN-B Principal em maio de 2011. Vamos supor que você tivesse investido R$ 100.000,00 em NTN-B Principal com vencimento em 2035.  Em maio de 2012, usando as mesmas estratégias e analisando gráficos você percebeu que estava no melhor momento para vender a NTN-B antecipadamente. Você receberia 49,41% de rentabilidade em 12 meses de investimento. Isto significaria lucrar R$ 49.410,00 de juros em 1 ano. Seria o mesmo que garantir uma renda mensal de R$ 4.117,50 sem fazer absolutamente nada.

Você pode fazer suas próprias simulações usando o Simulador de Independência Financeira aqui do Clube dos Poupadores.

[bsbutton text=”Simulador de Independência Financeira” link=”https://www.clubedospoupadores.com/simulador-independencia-financeira” target=”New page” style=”info” theme=”flat” size=”normal”]

 

Com certeza, se o Brandon morasse no Brasil ele não precisaria investir 70% do que ganha em 10 anos para conseguir dinheiro suficiente para conquistar a independência financeira. Investindo menos ou em um prazo menor, ele conseguiria atingir seu objetivo. E o nosso problema aqui no Brasil é que somente banqueiros e especialistas da área de investimento possuem o conhecimento e a educação necessária para tirar proveito das nossas elevadas taxas de juros.

E estas pessoas não estão dispostas a ensinar ninguém a ganhar dinheiro investindo por conta própria, já que elas precisam do nosso dinheiro para lucrar com ele. Quando você investe em fundos de investimentos dos bancos e fundos de previdência privada, o seu dinheiro é usado para obter enorme rentabilidade usando estratégias que poucos dominam. Somente uma parte do que é ganho é repassado para os clientes, o restante se torna lucro dos bancos.

Conclusão

Não coloque o seu futuro financeiro exclusivamente nas mãos da previdência privada ou da previdência pública (INSS) como todas as pessoas fazem. O futuro é seu, a responsabilidade é sua.

A sua qualidade de vida futura é tão importante quanto a sua qualidade de vida presente. A vida que você leva hoje é fruto do que você andou fazendo e planejando no passado.

Para fazer um amanhã diferente você deve fazer hoje alguma coisa diferente. Continue se educando financeiramente e estudando mais sobre as diversas formas de ganhar, poupar e investir dinheiro. Quanto mais você sabe, maiores são as possibilidades e oportunidades que você será capaz de enxergar.

No futuro eu pretendo escrever mais artigos sobre aposentadoria precoce envolvendo vida simples, poupança e investimentos financeiros. Convide seus amigos e parentes para que se inscrevam no Clube dos Poupadores gratuitamente para poderem receber meus emails semanais.

Livro recomendado: Independência Financeira (clique para conhecer). Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail: