Cartão de Crédito: Armadilhas, Juros, Taxas e Problemas

O cartão de crédito é uma ferramenta que pode ser usada para destruir sua vida financeira ou para facilitá-la.

Existem muitas armadilhas envolvendo o uso do cartão de crédito e muitos prejuízos poderiam ser evitado se todos passassem por algum treinamento antes de receber o primeiro cartão.

Uma parte da população não sabe usar o cartão de forma inteligente e são justamente estas pessoas que geram mais lucros para as administradoras de cartão e bancos. A ignorância da população é explorada pelas operadoras quando oferecem o crédito como alternativa vantajosa em seu material publicitário.

Atualmente 30% do salário dos brasileiros são utilizados para pagar as faturas do cartão de crédito. Pesquisas mostram que quase 76% das famílias endividadas estão devendo a conta do cartão de crédito (fonte).

O mercado de cartão de crédito no Brasil é trilionário. A estimativa é que o volume de transações com cartões supere R$ 1,5 trilhão (fonte). Veja o que significa isto em pilhas de notas de 100,00.

1 trilhão = R$ 1.000.000.000.000,00

Quem paga com cartão, paga mais caro

Quando você compra qualquer coisa no cartão de crédito, o comerciante não recebe todo valor que você pagou. A empresa que administra o cartão, o banco, a empresa que fornece a maquininha, todos ficam com uma parte do valor pago e repassam a outra parte para o comerciante.

É claro que o comerciante repassa este custo para o consumidor. Os preços dos produtos que você encontra em qualquer loja já possuem os custos das opções de pagamento embutidos.

Isto significa dizer que a existência de cartões de crédito e de débito encarecem todos os produtos vendidos no comércio. É por isto que alguns comerciantes aceitam oferecer descontos maiores quando você informa que pretende pagar em dinheiro. Ele está apenas repassando, em forma de desconto, o custo que teria com o cartão.

Custo 1 – No Brasil as administradoras de cartão cobram entre 4% e 5% de taxa de desconto dos comerciantes que aceitam cartão de crédito. Quanto menor é o comerciante maior é a taxa. Quando o pagamento é feito por débito esta taxa fica entre 1,5% e 2,5%. Se você gasta R$ 1.000,00 por mês pelo cartão de crédito poderia economizar R$ 600,00 por ano só de custos embutidos pelos comerciantes para pagar estas taxas das administradoras de cartão. O curioso é que estas mesmas administradoras de cartão de crédito cobram taxas menores no exterior. Lá fora os comerciantes pagam 2% ou menos de taxa para as administradoras. Aqui eles cobram o dobro. Isto mostra que não são só os impostos elevados cobrados no Brasil que fazem os produtos no exterior serem mais baratos.

Custo 2 – Os comerciantes também pagam pelo aluguel daquele aparelho eletrônico chamados de POS (sigla de Point of Sale) utilizado para passar o seu cartão de crédito. O custo deste aluguel é repassado para o consumidor.

Custo 3 – O comerciante brasileiro demora 33 dias para receber o dinheiro que você pagou utilizando cartão de crédito. Estes dias sem receber também representam um custo muito grande para o comerciante.  O dinheiro parado tem seu custo, não renderá nada para o comerciante, na verdade ele perderá valor devido a inflação. O comerciante precisa do dinheiro da venda para repor a mercadoria, pagar impostos e todos os outros custos da loja. Para antecipar o recebimento também existem custos. Tudo isso é repassado para o preço final que o consumidor paga. Na Argentina as mesmas administradoras de cartão liberam o valor pago pelos clientes em apenas 7 dias. Nos EUA e nos países da Europa este prazo é de apenas 2 dias.

Baixa concorrência

Existem apenas duas grandes bandeiras de cartão de crédito. Uma começa com V a outra começa com M. As duas juntas representam 91% de todo mercado de cartões de crédito do Brasil. Podemos dizer que existe um duopólio no mercado de cartões que dificulta a existência de uma verdadeira concorrência que possa beneficiar o mercado. Mais de 80% de todo dinheiro que circula pelos bancos também se concentra em apenas 5 bancos (banco amarelo (estatal), banco azul (estatal), banco laranja, banco vermelho brasileiro e o banco vermelho espanhol). Essa falta de concorrência eleva os custos dos comerciantes e dos consumidores.

Taxas cobradas do consumidor

Os emissores dos cartões de crédito são os bancos. Eles lucram cobrando as taxas administrativas do cartão em forma de anuidade ou mensalidade. A armadilha funciona da seguinte forma: Primeiro eles criam pelo menos 3 ou 4 tipos de cartão de crédito diferentes que utilizam nomes pomposos como Gold, Diamante, Platinum, Esmeralda ou qualquer outro mineral ou metal precioso. Também podem utilizar nomes como Premium, International, Infinit ou cores em inglês como o Black.

O objetivo dos bancos e das administradoras é promover e divulgar a segregação entre as pessoas com base na sua renda ou poder de compra. Eu conheço pessoas que pagam anuidades elevadas por cartões de crédito com nomes e cores que possam representar algum status social. É exatamente este comportamento infantil que faz o mercado lucrar tanto com o pagamento de anuidades. Na prática isto é uma bobagem. Se você tem orgulho de ter um cartão de crédito diferenciado e paga caro por isto, infelizmente está fazendo papel de bobo e precisa rever seus valores.

Juros mais caros do Planeta

No Brasil, as empresas de cartão de crédito cobram as maiores taxas de juros do planeta. Nenhum povo no mundo aceita pagar taxas tão elevadas como as que são cobradas dos brasileiros. E isto se explica pela nossa falta de educação financeira.

Quando o comerciante parcela no cartão sem juros, não tenha dúvida que os juros já estão embutidos no preço do produto. A cobrança dos juros acontece para o comerciante que por sua vez repassa este custo para o preço do produto à vista. Nunca aceite comprar um produto à vista pelo mesmo preço que é cobrado parcelando no cartão de crédito. Solicite desconto e se for negado procure a concorrência.

É comum receber junto com a fatura, ofertas sobre as vantagens de parcelar a dívida do cartão ou pagar o mínimo. O problema é que as pessoas não sabem fazer as contas direito e acabam perdendo muito dinheiro aceitando estas propostas.

É importante perceber que 10% ou 12% de juros por mês é absurdamente elevado. Observe que 12% ao mês é igual a 289,59% ao ano. Use o conversor de taxa mensal para anual.

Se você pagar 289,59% de juros ao ano em uma dívida de R$ 1.000,00 verá seu problema se transformar em R$ 3.895,98 devidos em apenas 12 meses. Depois de 2 anos a dívida será de R$ 15.178,63. Depois de 3 anos a dívida será de R$ 59.135,57. Se a dívida não for paga em 5 anos ela se transformará em assombrosos R$ 897.596,93. E se a pessoa esperar mais 1 ano, completando 6 anos de dívida terá que pagar absurdos R$ 3.497.016,10. Isto é o poder dos juros compostos que torna o negócio de cartão de crédito ser tão lucrativo no Brasil. Use o simulador dos juros compostos e simule 12% ao mês de um valor inicial de R$ 1.000,00 com 0,00 de valor mensal.

É por isto que você nunca deveria pensar na possibilidade de criar uma dívida com seu cartão de crédito. Não existe nada mais devastador na vida de qualquer pessoa. É a maneira mais fácil de transferir sua renda para os outros sem receber quase nenhum benefício em troca. O cartão de crédito quando é mal utilizado é a melhor maneira de empobrecer ao longo do tempo.

O Perigo da Cláusula Mandato

Existe uma cláusula no contrato que você assinou ao solicitar seu cartão de crédito que se chama “cláusula mandato”. Ela faz você dar poderes para a administradora de cartão de crédito para realizar diversos negócios jurídicos em seu nome, sem que você seja avisado sobre isto. Na prática você transforma a administradora do cartão em sua procuradora. Ela terá uma procuração sua que permite abrir conta corrente em seu nome e até contratar empréstimo em seu nome em benefício próprio.

Funciona assim: Quando você fica devendo a conta do seu cartão de crédito, a administradora do cartão não fica no prejuízo. Ela utiliza esta procuração e faz um empréstimo em seu nome. Este empréstimo normalmente é feito junto ao banco emissor do seu cartão. O banco empresta o dinheiro que vai direto para o bolso da administradora do cartão. Você se transforma em um devedor do banco e precisa se submeter a taxas e juros exorbitantes como se tivesse solicitado o empréstimo e aceitado todas as condições impostas, quando na verdade quem fez isto foi a administradora do cartão usando o seu nome.

Esta é apenas uma entre diversas coisas perigosas que existem nos contratos de cartão de crédito que a maioria das pessoas não lê ou não entende quando lê.

Você sofre de Desconto Hiperbólico Subjetivo?

Talvez você nunca tenha ouvido falar do desconto hiperbólico subjetivo. Você não ouviu falar, mas esta armadilha cerebral é muito utilizada pelo mercado para lucrar sobre falhas na sua forma de pensar.

Responda as perguntas abaixo:

1) Vamos supor que você foi sorteado e uma empresa pretende te pagar R$ 1.000,00 de prêmio. Você tem a opção de receber R$ 1.000,00 agora ou R$ 1.100,00 no próximo mês. Você prefere receber o dinheiro logo para gastar com o que desejar? Ou aceita o sacrifício de ter que esperar 30 dias para receber R$ 100,00 a mais?

A maioria das pessoas vai responder que prefere receber o dinheiro logo para gastar imediatamente. Existe a ideia de que é melhor os R$ 1000,00 na mão do que R$ 1100,00 voando. Afinal de contas são apenas R$ 100,00 de diferença que te fariam esperar 30 dias para por as mãos no dinheiro e naquilo que o dinheiro poderia comprar imediatamente.

2) Agora temos a segunda situação. Você foi sorteado novamente, só que o prêmio só será pago daqui a 1 ano. Você tem duas opções. Receber os R$ 1.000,00 de prêmio daqui a 1 ano ou esperar apenas 1 mês a mais para receber R$ 1.100,00. Você topa esperar só mais 30 dias para receber R$ 100,00 a mais?

A maioria das pessoas vai pensar assim: Se vou esperar 1 ano, então posso esperar 1 mês a mais e receber R$ 100,00 a mais.

Observe que não existe muita diferença entre as duas situações. Nas duas você só precisa esperar mais 30 dias para receber R$ 100,00 a mais.

Este teste mostra porque as pessoas compram tanto quando estão com cartão de crédito no bolso. O nosso cérebro trabalha contra nós quando nos exige a recompensa imediatamente. Como a possibilidade de receber os R$ 1.000,00 é imediata, o nosso cérebro não se importa em perder R$ 100,00. Preferimos perder dinheiro a adiar nossa satisfação. O prazer imediato tem seu preço.  Quando a satisfação é jogada para o futuro, não nos importamos muito em esperar mais 30 dias para receber R$ 100,00 a mais.

Quando você não tem dinheiro e entra em uma loja com o cartão de crédito no bolso, a sua mente pede a satisfação imediata. O importante é o presente e não o futuro. Você sabe que obter o prazer agora vai te gerar um prejuízo no futuro. Você sabe que ao parcelar a dívida terá que pagar juros (perderá dinheiro). Você sabe que já tem muitas dívidas e que provavelmente aquela despesa vai estourar seu orçamento fazendo você entrar no vermelho. Só que o prazer é imediato e o sofrimento é futuro. O seu cérebro tende a não se importar com as consequências futuras.

Somos seres programados para buscar satisfação imediata. Postergar nossa satisfação e prazer vai contra nossa natureza animal (emoção) e depende de um esforço (razão) para tomar a decisão correta e racional.

Este mecanismo é tão poderoso que criamos diversas desculpas para não postergar a gratificação, e estas desculpas parecem bem racionais, mas na verdade é a ação do nosso lado emocional sabotando nosso planejamento financeiro.

Limite de 30% da sua renda

Cartões com limite igual ou superior a sua renda mensal geram um enorme risco para sua vida financeira se forem mal utilizados. O ideal seria solicitar para a administradora de cartão que o limite de gastos mensais não ultrapasse 30% da sua renda. Exemplo: se a sua renda é de R$ 10 mil, o limite do seu cartão não deveria ser maior do que 30% da sua renda, ou seja, R$ 3.000,00.

Programa de pontos e milhagem

Você pode recuperar uma pequena parte do dinheiro que paga a mais para o comerciante quando compra com cartão que possui programas de pontos. Aqueles pontos que você acumula é uma migalha perto dos lucros que as administradoras conseguem obter com as suas compras. Estas migalhas no final de 1 ano utilizando cartões de crédito podem se transformar em passagens aéreas e outros “prêmios”.

Você só precisa tomar cuidado com algumas armadilhas.

  1. Não compre produtos e serviços que não precisa só para acumular pontos. Isto não faz nenhum sentido.
  2. Não empreste o seu cartão para amigos e parentes com objetivo de obter pontos. É comum as pessoas mais próximas prometerem pagar e depois descumprir o prometido.
  3. Cuidado para não trocar de marcas de produtos e de lojas para obter mais pontos quando elas cobram preços mais caros que a concorrência. Na maioria das vezes não compensa pagar mais caro para obter pontos.
  4. Não troque o desconto que o comerciante pode oferecer no pagamento à vista pelo pagamento em cartão só para conseguir mais ponto, na maioria das vezes não compensa.
  5. Não deixe que o sistema de recompensa do cartão de crédito modifique seu comportamento de consumo levando você a gastar mais com o que não precisa.

Enganação da compra parcelada

Por incrível que pareça existem pessoas que compram no cartão de crédito com a falsa sensação de que estão levando um produto para casa sem gastar nada. Existem estudos que mostram que a “dor” ou o “sentimento de culpa” durante a compra de um produto usando o cartão é menor se comparado com a compra usando dinheiro. Estas pesquisas compravam que você tem mais coragem e prazer comprando um produto de R$ 3.000,00 usando cartão de crédito do que contando 30 notas de R$ 100,00 antes de entregar para o caixa da loja.

Retirar os R$ 3.000,00 da carteira, contar o dinheiro e entregar para a loja produz um sentimento de perda. Antes, sua carteira estava cheia com 30 notas de R$ 100,00 e agora você sairá da loja com a carteira totalmente vazia.

Já quando você usa o cartão de crédito, não passa por este sentimento de perda. O cartão sai da sua carteira e volta para ela da forma que saiu. Você não viu evidencias físicas de uma perda de dinheiro. O que os olhos não podem ver, o coração não sente. Para muitas pessoas é importante sentir a perda.

Você precisa desenvolver a percepção de que o cartão de crédito é uma máquina de destruição da sua renda futura. Se você não tem dinheiro, você realmente não tem dinheiro. O cartão de crédito funciona como uma máquina de teletransporte da sua renda futura. Ele permite que você gaste hoje aquele dinheiro que você ainda não recebeu. É como comer os ovos que ainda não saíram da galinha. A dor que você sentiria pagando à vista, só irá sentir no futuro quando a fatura chegar. Como já falei, temos o problema de não nos importarmos muito com a dor ou prazer futuro.

As pessoas precisam mudar a forma como olham para um cartão de crédito. Ele não deve ser visto como um realizador de sonhos, um produtor de satisfação imediata. Ele deve ser visto como uma ferramenta perigosa que se não for utilizada da forma correta pode gerar enormes prejuízos e sofrimentos.

Quebre seu cartão de crédito

Se você anda sofrendo com os problemas que os seus cartões de crédito estão gerando, não pense duas vezes. Quebre seus cartões, você não precisa de problemas na sua vida.

Os seus avós tinham menos problemas financeiros. Eles só gastavam aquilo que tinham. O cartão de crédito permite que você gaste aquilo que não tem, quando é mal utilizado. Se você não consegue tirar proveito do cartão, se ele se transformou em fonte de problemas, quebre o cartão como uma medida emergencial.

Cartão de crédito é como escova de dente

Você emprestaria a sua escova de dentes para os seus melhores amigos e parentes caso eles pedissem sua escova emprestada? Eu acredito que ninguém emprestaria. Com cartão de crédito é exatamente a mesma coisa.

Não empreste o seu cartão de crédito para ninguém e evite muitos problemas. Se você perder um amigo por causa disso, fique feliz, sua amizade com esta pessoa não tinha muito valor. Isso também vale com os seus parentes. Você não é obrigado a usar o seu crédito para comprar nada para ninguém.

Amigo de verdade não incomoda o outro amigo pedindo cartão emprestado. Se você enfrentar algum problema por ter respondido um “NÃO”, se conforme, esse problema vai passar com o tempo. Já se você entrar em uma dívida de cartão de crédito, o problema será enorme, você perderá o amigo, o dinheiro, sua tranquilidade e o seu nome ficará sujo no mercado de crédito. Dizer não é mais barato.

Débito é melhor que crédito

O cartão de débito permite que você gaste só aquilo que você tem. Quando acaba o dinheiro na sua conta corrente, você fica impedido de gastar o seu salário do mês seguinte. No futuro, você vai se sentir mais feliz recebendo seu salário inteiro, sem precisar pagar dívidas do passado.

Você não precisa de vários cartões

Já vi pessoas que tinham mais de 20 cartões diferentes. Você não precisa disso. Concentre todas as suas despesas em apenas um cartão de crédito para acumular seus pontos. Existem pessoas que possuem 2 cartões. Um cartão possui um limite maior, normalmente ele é oferecido pelo banco onde você recebe seu salário ou rendimentos. O outro cartão possui um limite bem pequeno. Prefira estes cartões de limite baixo para fazer compras no seu cotidiano e pela internet. Se este cartão for clonado o estrago será pequeno, pois ele tem limite pequeno. Guarde o cartão de limite maior para fazer compras mais caras ou utilizar em viagens.

Conclusão:

Cartão de crédito não é brinquedo. Não é símbolo de status. Cartão de crédito não faz parte da sua renda mensal. Cartão de crédito não propicia momentos de prazer e felicidade como mostra o comercial. Lembre-se que os comerciais de cigarro também prometiam felicidade.

Administradores de cartão de crédito e bancos não são seus amigos. Eles são apenas prestadores de serviço.

O cartão de crédito é como aquele abutre que espera calmamente sua vítima sucumbir para se aproveitar da situação. No menor deslize, no pequeno descontrole, no pequeno esquecimento no dia de pagar a fatura, o seu cartão de crédito esta ali, no seu bolso, do seu lado, de prontidão, pronto para cobrar taxas de juros de quase 300% ao ano.

Tenha medo do seu cartão de crédito e não amor por ele. Use o cartão com cuidado. Quando a situação financeira apertar, prefira fazer um empréstimo pessoal. Busque opções de crédito mais baratas. Você não vai precisar se esforçar muito. Toda as opções são mais baratas que os juros do cartão de crédito. Crie sua própria reserva financeira para não precisar de cheque especial e cartão de crédito, leia mais sobre isso aqui.

Compartilhe este artigo com as pessoas que você conhece.

Invista primeiro em você:

O primeiro investimento que devemos fazer para melhorar a nossa vida financeira é o investimento em conhecimento. Custa pouco e rende juros pelo resto da vida. Sem saber investir o nosso próprio dinheiro, não teremos bons resultados. Dependendo da opinião dos outros para saber onde investir, teremos resultados ainda piores. O conhecimento melhora nossos resultados e liberta da dependência dos outros. Escrevi uma série de livros que podem te ajudar muito a adquirir todo o conhecimento que precisa no menor tempo possível. Clique aqui para conhecer os livros.

Sobre o Autor:

Leandro Ávila acredita que o conhecimento é uma riqueza que precisa ser dividida para ser multiplicada. É formado em administração de empresas e se especializou em educação financeira e de investimentos. Escreveu livros sobre Independência Financeira, Investimentos em CDB, LCI e LCA, Investimentos em Títulos Públicos e em Imóveis.
avatar
600
56 Comment threads
62 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
58 Comment authors
Leandro SilvaAlan LealMaríliaAnezio SingolaniSidnei Recent comment authors
newest oldest
Giovane
Visitante
Giovane

Parabéns pelo ótimo post, sigo praticamente todas essas dicas. Tenho dois cartões, um com limite alto e outro baixo, ambos sem anuidade e não admito pagar essa taxa extra, pois sei que já pagamos pelo simples fato de usar o cartão.

Agora, o grande problema que vejo é que não temos uma regulamentação efetiva sobre essa questão de pedir descontos nas lojas. Muitas delas não oferecem o desconto com o pagamento de dinheiro e se você não tem esse produto no concorrente e precisa dele acaba se sujeitando a essa prática. Em lojas online, temos a opção de boleto, mas quase sempre não existe desconto no pagamento com essa opção. As vezes as lojas colocam o desconto no boleto, como se fosse uma promoção e não uma obrigação.

Gostaria de saber de você se existe alguma maneira de “exigir” esse desconto ou se seremos sempre reféns da loja.

Rodrigo Nunes
Visitante
Rodrigo Nunes

Parabéns Leandro, excelente texto! Tive uma vez problemas com essa ilusão que é o cartão de crédito, a partir disso, mesmo tendo cartão de crédito, nunca mais utilizei, só faço compras quando tenho dinheiro de “verdade”.
Minha vida financeira só melhorou depois disso!
Acho engraçado algumas pessoas falarem: “eu sei usar o cartão ao meu favor”, eu sempre falo “cuidado uma hora você vai se enforcar”.
Quando as pessoas tiverem a consciência que pagar a vista é muito melhor e que o banco não é nosso amigo, a vida financeira ficara muito mais equilibrada.

Abraços!

Andre
Visitante
Andre

Muito bom o texto! Melhor ainda a propaganda de cartão ao lado do texto…

Henrique
Visitante
Henrique

peguei o visa saraiva pela propaganda que n precisa pagar anuidade….vamo ve se é verdade. o master que uso cobra 6xR$11,00….agora vou cancelar o master

Fábio
Visitante
Fábio

Muito bom Leandro, eu não sabia que não existe regulamentação p/ essas taxas que eles cobram, o que surpreende e mostra que nem tudo o Banco Central fiscaliza e regulamenta, há muita arbitrariedade por aí. Também não conhecia a cláusula mandato.

Nunca paguei o valor mínimo, é muito perigoso, mas conheço uma pessoa que por conta disso teve de vender o seu único carro p/ pagar a conta c/ os juros absurdos que você mostrou aqui.

Há lojas que de fato oferecem desconto em cash (ex: roupas, calçados), mas são poucas. Eu nunca vi o comércio de alimentos e bebidas oferecerem, é sempre o mesmo preço, seja créd., déb. ou dinheiro, o que nos desestimula a andar c/ algumas notas apenas pra comer por ex.

Vale lembrar que, se há máquina de cartão no estabelecimento, temos o direito de comprar o que quisermos com o cartão, até mesmo um chiclete. Há comerciantes que impõem um valor mínimo p/ passar o cartão, o que é ilegal porque fere os direitos do consumidor.

O importante é a gente ter a consciência de que esses 3% ou 5% já estão embutidos no custo dos produtos vendidos, inclusive quando pagamos em dinheiro vivo!

Abçs

Carlos Pommer
Visitante
Carlos Pommer

O texto é bom, mas peca em mostrar que, se você paga todo o saldo, não há problema nenhum em usar o cartão. Especialmente se o vendedor não fizer desconto.
Eu gosto do cartão para não ter de ficar carregando dinheiro vivo e logicamente poder comprar coisas on-line sem complicação. Também gosto de ter anotado tudo que gastei e onde gastei nas faturas. Para mim funciona bem como elemento de controle de gastos.
Faltou isso no texto: se você paga em dia sua fatura, não há porque ter medo do cartão.
Se você não paga, vai ter problema usando cartão ou não…

Eliane
Visitante
Eliane

Olá.
Sou nova no clube dos poupadores e já estou adorando.
É muito bom a gente ter acesso a informações importantes sobre como utilizar bem o nosso dinheiro em um sistema que faz de tudo para pegá-lo.
Tenho 3 cartões e estou pensando em cancelar o que me cobra uma anuidade maior.
Gostei muito do artigo. Com certeza vou compartilhar pois conheço muitas pessoas que estão nesta armadilha.
É incrível como a gente vive num mundo onde só querem nos tirar o pouco que temos.

Carlos Pommer
Visitante
Carlos Pommer

Eliene,
eu nunca pagava anuidade no Brasil.
Quando lançavam a primeira parcela, eu ligava e dizia que queria cancelar. Daí me mandavam falar com outro setor. Nesse outro setor eu dizia que só ficava com o cartão se não pagasse nada de anuidade. Eu perdia uns 20 minutos para os dois cartões que usava, mas sempre dava certo.
Eles não querem perder clientes, pois para conseguir um, gastam mais do que a anuidade.

Paulo Magno
Visitante
Paulo Magno

Leandro Ávila mais uma vez escrevendo um texto de forma brilhante com um português excepcional e conteúdo extremamente educativo. Muito obrigado, Leandro. Parabéns !

joao paulo
Visitante
joao paulo

Excelente texto, meu cartão eu quebrei e cancelei faz um ano mais ou menos, nao tinha problemas em pagar juros, sempre pagava a fatura total, meu problema era que comprava coisas sem necessidade pelo simples fato de poder parcelar, e nao estar gastando meu dinheiro ali na hora, e ainda tinha a anuidade que nao aceitei mais pagar por achar absurdo o valor cobrado, sem o cartão penso duas vezes antes de comprar algo, e posso dizer que estou muito melhor sem ele, agora no final do mês nao tenho divida de cartão para pagar, e sobra bem mais para investir, se vc administra bem suas dividas, comprando apenas aquilo que esta ao seu alcance para sua renda, o cartão de credito é totalmente dispensavel.

Carlos
Visitante
Carlos

Para quem deseja usar o cartão de crédito de forma consciente, pagando o valor total da fatura e sem deixar vencer, indico o Santander Free, que é isento de anuidade ou qualquer outra taxa, com a única contrapartida de usá-lo pelo menos uma vez por mês. Fuja dos cartões que cobram qualquer valor de anuidade!

Alexandro Texeira
Visitante
Alexandro Texeira

Muito bom esse texto bem esclarecedor, pena que você não escreveu ele antes. Emprestei meus cartões para minha namorada. Resumindo terminamos e eu fiquei com as dívidas, ela disse que vai pagar mas já se passarem dois meses e nada de pagamento. será que eu acredito nisso? Enfim acho que ter vou ter que pagar essas dívidas e daqui pra frente ter mais juízo e confiar menos nas pessoas. Um abraço Sr Leandro e obrigado.

FERNANDA
Visitante
FERNANDA

ESTOU AMANDO ESTAS VALIOSAS INFORMAÇÕES, MUITO OBRIGADA LEANDRO.

Santos
Visitante
Santos

Olá Leandro

Acompanho seus textos e gosto muito da sua maneira franca e descomplicada de abordar estes assuntos sobre finanças.
Ilustrando seu tema, vou contar uma situação que me ocorreu. Fui convidada para participar de uma reunião de pesquisa de mercado do cartão de crédito que utilizo. Depois de uns comes e bebes junto com mais 8 clientes deste cartão, eles nos questionaram qual o motivo de sermos clientes que nunca entraram no crédito rotativo, pagando sempre a fatura integral. Ficamos todos perplexos com a pesquisa e até houve um mal estar entre os clientes e os pesquisadores, pois entendemos que aquela pesquisa seria utilizada para direcionar um marketing mais agressivo, na tentativa de influenciar os clientes a pagar parcelado e entrar nos juros absurdos do cartão. Para as administradoras de crédito, cliente bom é cliente que não paga em dia.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Oi Leandro! Acompanho o seu site faz um tempo, inclusive adquiri o seu livro sobre imóveis. Você está de parabéns pelo seu trabalho, pode ter certeza que está contribuindo para uma sociedade e um país melhor. Quanto ao cartão, confesso que gosto de usá-lo, pois sou bancário e não pago anuidades e nem tarifas, além de sempre pagar o valor total no dia do vencimento. Usar o cartão em meu gastos fixos possibilita economizar um bom valor com passagens aéreas e ter outros benefícios. No entanto, pelo meu dia dia, sei que a realidade da maioria é de altas dívidas no cartão, geralmente devido ao mecanismos psicológicos que você citou. Concordo com você no sentido de que as pessoas que não usam o cartão não deveriam ser obrigadas a pagar esses custos embutidos, realmente essa questão deveria ser melhor regulamentada. Parabéns e um grande abraço!

Mário Jorge
Visitante
Mário Jorge

Boa noite,sempre lendo seus artigos e a cada dia mais LIVRE por estar me educando financeiramente.Cancelei outros Cartões e fiquei só com um de limite baixo e ligarei pra cancelar a nuidade.Estou fazendo os cursos indicados no clube dos poupadores e lendo os artigos publicados aqui , acreditem minha vida melhorou financeiramente.Uma dúvida: hoje no site do tesouro não havia disponibilidade pra compra de títulos é possível isso? Grato pela atenção.

Heitor Fabossi
Visitante
Heitor Fabossi

…infelizmente não adianta ler as letrinhas miúdas do contrato do cartão de crédito.Contrato de adesão não tem negociação de cláusulas contratuais. Ou aceita ou não terá o cartão. Depois de algum tempo vc poderá pedir o cancelamento do cartão, aí sim a operadora abrirá exceções no seu contrato.

Francisco de Assis Sousa
Visitante
Francisco de Assis Sousa

Quero primeiro parabenizar Leandro Ávila. Considero nobre essa sua iniciativa. Quando coloca sua formação acadêmica a serviços da educação financeira constituindo numa ferramenta esclarecedora para todos nós,independente de sermos consumidores compulsórios ou não. Serve para todos/a. São informações que nos prende pela coerência e comprovações na vida prática. Segundo agradecer essa disposição de nos deixar em dia com os mais importantes assuntos que nos liberta das garras insana do lucro ante o bem estar do ser humano. quando vende sonho de entrega pesadelo.

Eduardinho
Visitante
Eduardinho

Olá, Leandro,
Como você sabe, sou leitor do seu blog.
Gostaria de deixar registrado meu elogio ao seu consistente, relevante e esforçado trabalho.
A cada artigo seu, fico mais impressionado com a dedicação e qualidade com que você escreve.
Parabéns e um forte abraço,
Eduardinho.

Emerson Vieira
Visitante
Emerson Vieira

Olá Leandro,

Mais um excelente texto.

Dois anos atrás recebi pelo correio um cartão do BB e outro do Itaú, sem nunca ter qualquer conta nestes bancos. Assim, não fiz desbloqueio dos mesmos nem recebi fatura de anuidade.

Saberia informar se há algum risco neste processo, ou seja, deveria cancelar estes cartões?

Grato!

Rad
Visitante
Rad

olá, Leandro!! gostei muito do artigo. no meu caso, eu pago 12 parcelas de 15,00. tentei negociar e tive como resposta que o meu cartao me dava alguns beneficios q outro mais simples nao da como acumular pontos e outros serviços. assim, continuo com esse cartao e pagando essa anuidade..será se com essas tecnicas de negociaçao eu conseguiria diminui esses valores?

Marcos Alberto
Visitante
Marcos Alberto

Cartão de credito é o ladrão invisivel. E não é tanto pelo cartão é mais pelo o manipulador que é o banqueiro. Se você for fazer o que um banqueiro faz no comercio você é preso como estelionatário. E o governo é conivente com essa gente. Besta de quem compra com cartão de credito.

Dênis
Visitante
Dênis

Como somos tolos ao ponto de entrar sempre em furada! Pois é um negócio da China, isso, sim…

Lucas
Visitante
Lucas

Leandro, Bom dia

Atualmente o melhor meio para os comerciantes é utilizar o Pag-Seguro ou não?

viviane
Visitante
viviane

Boa tarde!

Adorei suas dicas. Estou querendo fazer o cancelamento de um cartão. Tenho compras parceladas nele. Se eu fizer o cancelamento a anuidade continuará sendo cobrada até a última fatura ser paga? Ou a anuidade é encerrada no momento que eu fizer o cancelamento do cartão?

Mirela Sousa
Visitante
Mirela Sousa

Olá, gostaria de compartilhar uma experiência que eu tive: eles cancelam o cartão sim, eu já cancelei, mas as dívidas ficam, ou seja, a fatura virá todos os meses até quitar de uma vez o montante devedor. Tem que pagar tudo até o fim.
E Leandro, esse artigo foi um tapa no meu rosto, mas foi bom para tomar consciência sobre como essas coisas funcionam. Mais uma vez eu o parabenizo e sigo acompanhando seu blog.
Abraço!

Ricardo
Visitante
Ricardo

Olá Leandro,

Comprei um imovel na planta em out/2010 , fiquei pagando aquelas parcelinhas de 780,00 até chegar o dia da entrega das chaves ai entramos no financiamento da caixa etc, em fim conseguimos pegar as chaves em ago/2013, passados 4 meses a construtura nos chamou informando que havia uma divida de 26.000,00 referente a juros que não foi repassado para a caixa devido um erro do funcionario que estava repassando a divida para a caixa , atualmente esta divida esta em quase 30.000,00 neste caso tem algum recurso que posso usar para reduzir esta divida ou terei que paga-la assim mesmo?

e outra , adorei o seu livro: livro negro dos imoveis, pena que comprei muito tarde.

te agradeço,

Ricardo

Tatiane
Visitante
Tatiane

Boa tarde Leandro,
Não possuo cartão de crédito e estou pesquisando as melhores alternativas para solicitar um em breve, por motivo de viagem ao exterior. Vi que tem algumas opções sem anuidade ou com 1ª anuidade grátis e 2ª anuidade por X valor, mas constatei também que essas opções possuem porcentagem CET mais elevada que outras opções que cobram anuidades. Como sou leiga no assunto, gostaria de saber o que significam as duas anuidades e também a sua opinião a respeito do que vale mais a pena: Zero anuidade, mas com CET mais alta, ou CET mais baixa com anuidade e tentar cancelá-la posteriormente. Para fins de perfil de consumo, não pretendo gastar com cartão de crédito frequentemente, o motivo da solicitação é apenas para fins de aprovação de visto (comprovante de meios para arcar com a viagem, etc) e em casos de extrema necessidade, pois sempre compro á vista em dinheiro.
Parabéns pelo site e pelo grande serviço prestado!

Lívia
Visitante
Lívia

Tem o cartão de crédito da Petrobrás internacional que não cobra a anuidade e o serviço é excelente. Não sei sobre taxas porque sempre pago na data certa.

Policarpo
Visitante
Policarpo

Leandro, artigo bem escrito. Deixa consciente do sistema que nos cerca. Gostaria de compartilhar Minha experiência. Tenho hábito de orçamento familiar, então já sei que o gasto com cartão fica entre 30% a 40% do orçamento. Quando recebo salário deixo esse valor na poupança e vou controlando os gastos. A fatura chega no outro mês pago e fico com os juros. Gosto dessa dinâmica. Além disso meu cartão não tem essa esparrela de pontos ele me devolve 2% dos gastos em dinheiro e gasto onde quiser. E a anuidade fica em 250 reais e obviamente meu retorno é maior que isso em um ano. Portanto qualquer compra que não me ofereçam mais que 2% de desconto a vista, passo no cartão de crédito. Acredito pra quem planeja pode tirar proveito de tudo isso.
Um abraço w mais uma vez obrigado por compartilhar informações valiosas.

Janes Roberto
Visitante
Janes Roberto

Parabéns pelo excelente post. Não só este, mas por tantos outros posts deste site. Realmente a qualidade dos artigos deste site, bem escritos, ilustrados, fazem toda a diferença! Um grande abraço.

Lívia
Visitante
Lívia

Olá Leandro parabéns pelo texto, é excelente como os outros. Tenho uma dúvida: uso o meu único cartão de crédito que não pago anuidade e dificilmente parcelo minhas compras, para fazer compras pela internet que me parecem vantajosas em relação a loja física (os produtos que compro estão mais baratos na internet), os sites ainda aceitam parcelamento e nem todos oferecem o desconto por valores pagos à vista, ou seja dividem o valor do produto e não acrescentam juros. Existe prejuízo em fazer esse tipo de uso do cartão? Porque ao meu ver realizo compras que são vantajosas, mas que naquele momento não disponho do dinheiro para pagar à vista.

Karla
Visitante
Karla

Parabéns pelo site, todos os dias paro um pouco para ler os seus artigos, que por sinal, são ótimos. Eu não possuo cartão de crédito, sempre paguei tudo a vista. Contudo, eu gosto muito de viajar (sempre que possível), e estive olhando por esses dias sobre os cartões de crédito com fim (e somente para este fim) de acumular pontos. Porém tenho gastos mensais que chegam no máximo R$ 1500,00. Você acha que valeria apena adquirir um cartão (que terei que pagar anuidade devido aos benefícios), para este meu propósito? Obrigada por me ensinar tanto!

Joana Fonseca
Visitante
Joana Fonseca

Obrigada. Foi muito esclarecedor. Acabei de quebrar um cartão. Foi o máximo. O limite era de mais de 6 mil reais.

Jacqueline
Visitante
Jacqueline

Olá Leandro.
Ótimas dicas, parabéns! Ainda tem as práticas abusivas:

1º – Me separei e meu ex-marido tinha um cartão adicional. Liguei para a central de atendimento do cartão para cancelamento. Eles informaram que havia sido cancelado. Agora, quase 1 ano depois, fiquei sabendo que o cartão não estava cancelado, mas sim que efetuaram o “bloqueio perda/roubo”. Isso porque tinha parcelas a vencer (que estão sendo pagas em dia). O medo deles foi tanto que até mentindo eles estão.

2º – Quando o vencimento cai em sábados, domingos e feriados, ao pagar pelo internet banking, o próprio banco pagador joga o pagamento para o 1º dia útil subsequente. A operadora do meu cartão (querida Amex) cobra de todos os clientes “encargos financeiros” na fatura seguinte, por considerar isso como um atraso.
Gostaria da sua opinião para os 2 casos e se entende que caberia ação de danos morais.

David
Visitante
David

Olá Ávila eu gostei muito do texto. ..Vc é muito entendido dobre o assunto. …Como vc eu também tenho um cartão de crédito do q eu não pago anuidade por ele. ..eu tenho uma dica praquelas pessoas que tem controle sobre o dinheiro. …aí vai fuciona comigo. …sempre que eu recebo meu salário o dinheiro que fica reservado para as dispensas do mês eu mantenho na conta poupança e faço os gastos no cartão de crédito. Tomando sempre o cuidado de não gastar sem necessidade. ..o vencimento do meu cartão é sempre 2 dias depois do dia do meu pagamento salarial. …Assim eu recebo os juros da poupança e pogo o meu cartão com um pequeno acréscimo no meu dinheiro. ..Não é muito. …mais não estou disposto a perder nem um centavo. …um forte abraço.

Vilson Abreu
Visitante
Vilson Abreu

Há muito tempo quero tomar essa decisão, bastou apenas dois meses para me livrar das dividas do cartão, não quero nunca mais esse câncer na minha vida, agora consigo me planejar melhor, minha vida só melhorou, com o dinheiro do meu trabalho eu que estou no comando de minha vida, e não fico refém de uma administradora de cartões.

PaulinhoCCC
Visitante
PaulinhoCCC

Seria possivel uma orientacao, nao sei se eh o caso mas… um amigo esta para vender a moto dele, eu tenho grande interesse, mas nao tenho o dinheiro em maos. A ideia dele foi colocar o anuncio num desses sites que tem pagamento via cartao, pagseguro, mercado pago, paypal e eu pagar via cartao de X vezes. saberia dizer se eu optar por pagar em 10x, esses sites cobram alguma taxa, juros?

marisa medeiros
Visitante
marisa medeiros

Leandro. Voce diz no seu artigo que pagamos juros quando compramos no cartao de credito, mas se é o mesmo valor se for pagar a vista,. eu sempre pergunto em varias casas qual o desconto que dao comprando a vista e a resposta é a mesma, é o mesmo valor entao compro no cartao dividido, mas graças a Deus nunca paaguei o minimo e nunca entrei em chegue espacial. sempre gastei o que podia e isto passo sempre para minhas filhas. tambem nao pago nenhuma anuidade de cartao, se quisere me dar é sem anuidade e so tenho um de credito e outro de debito, e pronto. muito bom os seus comnetarios e liçoes de vida. obrigada.

Angélica Martins
Visitante
Angélica Martins

Olá Leandro!
Adorei seu artigo. sou, na verdade eu era doente por cartão de crédito(realmente doente, pois vivia pendurada neles.
Adoro sua página e estou aprendendo a poupar graças a seus artigos.
Obrigada e sucesso.

Gessica
Visitante
Gessica

Oi bom dia,estou com uma dúvida, fiz acordo para o pagamento do meu cartao de credito,porem percebi que na fatura veio o valor do acordo ,+ a tarifa de anuidade do cartão. Eu tenho que pagar essa tarifa tbem? Sendo que meu cartão esta sem limite algum para mim utilizar ate o fim do acordo?? Obrigada

marinho
Visitante
marinho

ufa !!! perdi até o fôlego !!!

marco salles
Visitante
marco salles

Parabéns amigo: pela coragem de auxiliar as pessoas. Precisamos de pessoas como você . parabéns mesmo .

Junior
Visitante
Junior

gostaria de saber qual a taxa cobrada para um comerciante, que além de vender o produto como crédito, antecipa o recebível da prestadora de serviço.
Obrigado

andra
Visitante
andra

Excelente texto, além de consumidora sou empresária e esta semana fiquei apreensiva com o que a Proteste considera uma vitória do consumidor, o STF proibir o comerciante de dar desconto para pagamentos em dinheiro/cheque, que essa diferença “discrimina” o usuário de cartão. Gente é um absurdo! porque nunca uma venda em cartão, inclusive débito, é a mesma coisa que dinheiro. Não existe mágica, se o comerciante dá desconto pra quem está ali com o dinheiro vivo é pelo menos o que ele pagaria para as operadoras de cartão, todos ficam felizes; o comerciante com dinheiro em caixa e o cliente que juntou dinheiro e comprou mais barato.

Gilcilene
Visitante
Gilcilene

boa tarde!!quando eu compro e divido a compra na loja ,,,,,ex 4x com juros ou sem .ai vem a boleta eu pago ela a vista oa financeira do cartao pode cobrar juros tambem, porque eu parcelei na loja??

cesar
Visitante
cesar

Olá,
Excelente artigo, tenho uma duvida, uso cartão de credito poucas vezes, e tenho comprado algumas coisas que eu preferia pagar a vista, mas tive a necessidade de usar o cartão, eu queria saber por exemplo, essa fala dos vendedores, que oferecem um produto por x preço a vista e o mesmo produto por outro preço devido as “taxas da operadora do cartão”, porque eles cobram essa taxa, sendo que que eles já estão pagando essas taxas de aluguel e uso dos serviços dessas operadoras? e você poderia me informar qual a porcentagem normal dessas taxas? PS: sou estrangeiro, se tiver erros de gramática, ignore 🙂

samuel
Visitante
samuel

Olá, eu tenho um cartão de crédito, e estava pra receber outro. um cartão free, mas descobri que a anuidade era caríssima, passando de 250 reais, mas a vantagem é que se usar o cartão todo mês em compras de qualquer valor a anuidade diferenciada não é cobrada. Ou seja, eu teria que comprar todo mês pra não pagar anuidade, levando em consideração que eu ao comprar qualquer coisa, automaticamente pago a taxa das administradoras no preço dos produtos..

pedro gomez
Visitante
pedro gomez

bom texto, eu raramente têm perguntado q créditos, mas uma vez eu fiz endeude me e foi a minha pior experiência, então comecei a procurar na internet e achei isso muito útil.
muito obrigado.

Cristina
Visitante
Cristina

Boa noite!Estou com um problemão com meus cartões de crédito.Tenho 5 no total.Estou tentando pagar já faz um tempo.Já peguei empréstimo consignado e ainda não consegui pagar.Fiz parcelamentos e nada Hj tenho 2 q devo 3800,00 em um e devia 3.100 em outro.Esse q devia 3.100 foi oferecido um acordo q aceitei no desespero,mas refletir e vi q era o meu salário todo e cancelei o acordo antes de pagar.Agora está em 4.200 por ter quebrado o acordo.Não tenho condições de pagar.Fico desesperada,mas não posso deixar de comer e pagar as despesas como luz e água para pagar cartão.Vou atrasar as faturas para ver se me oferecem um acordo.Tentei,mas ainda não dá pelo fato dos juros serem absurdos e ser impossível pelo que recebo.O q devo fazer?Sei q errei e muito,mas preciso dar um basta nessa situação.Não aguento mais.Todo dinheiro que entra,inclusive das despesas básicas está indo pro cartão.

monica andrade
Visitante
monica andrade

se parar de pagar o minimo e deixar a divida no cartao para pagar depois os juros nao aumentam muito???

Bruno
Visitante
Bruno

Olá, tenho um cartão SANTANDER, recebi o cartão, mas não efetuei o desbloqueio do mesmo, gostaria de saber se mesmo assim vou ser cobrado de taxas como anuidade, etc. Até então não chegou nenhuma fatura, liguei para o banco solicitando o fechamento da conta e o cancelamento do cartão, disseram que enviariam por correspondência um termo de cancelamento, e nada chegou… Acredito eu que não estou sendo cobrado das taxas, mas gostaria de me prevenir, já se passaram alguns meses. Esqueci de mencionar, meu cartão é aquele SANTANDER UNIVERSITÁRIO, talvez ajude você a me esclarecer algo, se puder me ajudar, agradeço pela paciência.

Bruno
Visitante
Bruno

E aliás, parabéns pelo post, são pessoas como você que tornam o mundo um lugar melhor!!

Compartilhe com um amigo