O cartão de crédito é uma ferramenta que pode ser usada para destruir sua vida financeira ou para facilitá-la.

Existem muitas armadilhas envolvendo o uso do cartão de crédito e muitos prejuízos poderiam ser evitado se todos passassem por algum treinamento antes de receber o primeiro cartão.

Uma parte da população não sabe usar o cartão de forma inteligente e são justamente estas pessoas que geram mais lucros para as administradoras de cartão e bancos. A ignorância da população é explorada pelas operadoras quando oferecem o crédito como alternativa vantajosa em seu material publicitário.

Atualmente 30% do salário dos brasileiros são utilizados para pagar as faturas do cartão de crédito. Pesquisas mostram que quase 76% das famílias endividadas estão devendo a conta do cartão de crédito (fonte).

O mercado de cartão de crédito no Brasil é trilionário. A estimativa é que o volume de transações com cartões supere R$ 1,5 trilhão (fonte). Veja o que significa isto em pilhas de notas de 100,00.

1 trilhão = R$ 1.000.000.000.000,00

Quem paga com cartão, paga mais caro

Quando você compra qualquer coisa no cartão de crédito, o comerciante não recebe todo valor que você pagou. A empresa que administra o cartão, o banco, a empresa que fornece a maquininha, todos ficam com uma parte do valor pago e repassam a outra parte para o comerciante.

É claro que o comerciante repassa este custo para o consumidor. Os preços dos produtos que você encontra em qualquer loja já possuem os custos das opções de pagamento embutidos.

Isto significa dizer que a existência de cartões de crédito e de débito encarecem todos os produtos vendidos no comércio. É por isto que alguns comerciantes aceitam oferecer descontos maiores quando você informa que pretende pagar em dinheiro. Ele está apenas repassando, em forma de desconto, o custo que teria com o cartão.

Custo 1 – No Brasil as administradoras de cartão cobram entre 4% e 5% de taxa de desconto dos comerciantes que aceitam cartão de crédito. Quanto menor é o comerciante maior é a taxa. Quando o pagamento é feito por débito esta taxa fica entre 1,5% e 2,5%. Se você gasta R$ 1.000,00 por mês pelo cartão de crédito poderia economizar R$ 600,00 por ano só de custos embutidos pelos comerciantes para pagar estas taxas das administradoras de cartão. O curioso é que estas mesmas administradoras de cartão de crédito cobram taxas menores no exterior. Lá fora os comerciantes pagam 2% ou menos de taxa para as administradoras. Aqui eles cobram o dobro. Isto mostra que não são só os impostos elevados cobrados no Brasil que fazem os produtos no exterior serem mais baratos.

Custo 2 – Os comerciantes também pagam pelo aluguel daquele aparelho eletrônico chamados de POS (sigla de Point of Sale) utilizado para passar o seu cartão de crédito. O custo deste aluguel é repassado para o consumidor.

Custo 3 – O comerciante brasileiro demora 33 dias para receber o dinheiro que você pagou utilizando cartão de crédito. Estes dias sem receber também representam um custo muito grande para o comerciante.  O dinheiro parado tem seu custo, não renderá nada para o comerciante, na verdade ele perderá valor devido a inflação. O comerciante precisa do dinheiro da venda para repor a mercadoria, pagar impostos e todos os outros custos da loja. Para antecipar o recebimento também existem custos. Tudo isso é repassado para o preço final que o consumidor paga. Na Argentina as mesmas administradoras de cartão liberam o valor pago pelos clientes em apenas 7 dias. Nos EUA e nos países da Europa este prazo é de apenas 2 dias.

Baixa concorrência

Existem apenas duas grandes bandeiras de cartão de crédito. Uma começa com V a outra começa com M. As duas juntas representam 91% de todo mercado de cartões de crédito do Brasil. Podemos dizer que existe um duopólio no mercado de cartões que dificulta a existência de uma verdadeira concorrência que possa beneficiar o mercado. Mais de 80% de todo dinheiro que circula pelos bancos também se concentra em apenas 5 bancos (banco amarelo (estatal), banco azul (estatal), banco laranja, banco vermelho brasileiro e o banco vermelho espanhol). Essa falta de concorrência eleva os custos dos comerciantes e dos consumidores.

Taxas cobradas do consumidor

Os emissores dos cartões de crédito são os bancos. Eles lucram cobrando as taxas administrativas do cartão em forma de anuidade ou mensalidade. A armadilha funciona da seguinte forma: Primeiro eles criam pelo menos 3 ou 4 tipos de cartão de crédito diferentes que utilizam nomes pomposos como Gold, Diamante, Platinum, Esmeralda ou qualquer outro mineral ou metal precioso. Também podem utilizar nomes como Premium, International, Infinit ou cores em inglês como o Black.

O objetivo dos bancos e das administradoras é promover e divulgar a segregação entre as pessoas com base na sua renda ou poder de compra. Eu conheço pessoas que pagam anuidades elevadas por cartões de crédito com nomes e cores que possam representar algum status social. É exatamente este comportamento infantil que faz o mercado lucrar tanto com o pagamento de anuidades. Na prática isto é uma bobagem. Se você tem orgulho de ter um cartão de crédito diferenciado e paga caro por isto, infelizmente está fazendo papel de bobo e precisa rever seus valores.

Juros mais caros do Planeta

No Brasil, as empresas de cartão de crédito cobram as maiores taxas de juros do planeta. Nenhum povo no mundo aceita pagar taxas tão elevadas como as que são cobradas dos brasileiros. E isto se explica pela nossa falta de educação financeira.

Quando o comerciante parcela no cartão sem juros, não tenha dúvida que os juros já estão embutidos no preço do produto. A cobrança dos juros acontece para o comerciante que por sua vez repassa este custo para o preço do produto à vista. Nunca aceite comprar um produto à vista pelo mesmo preço que é cobrado parcelando no cartão de crédito. Solicite desconto e se for negado procure a concorrência.

É comum receber junto com a fatura, ofertas sobre as vantagens de parcelar a dívida do cartão ou pagar o mínimo. O problema é que as pessoas não sabem fazer as contas direito e acabam perdendo muito dinheiro aceitando estas propostas.

É importante perceber que 10% ou 12% de juros por mês é absurdamente elevado. Observe que 12% ao mês é igual a 289,59% ao ano. Use o conversor de taxa mensal para anual.

Se você pagar 289,59% de juros ao ano em uma dívida de R$ 1.000,00 verá seu problema se transformar em R$ 3.895,98 devidos em apenas 12 meses. Depois de 2 anos a dívida será de R$ 15.178,63. Depois de 3 anos a dívida será de R$ 59.135,57. Se a dívida não for paga em 5 anos ela se transformará em assombrosos R$ 897.596,93. E se a pessoa esperar mais 1 ano, completando 6 anos de dívida terá que pagar absurdos R$ 3.497.016,10. Isto é o poder dos juros compostos que torna o negócio de cartão de crédito ser tão lucrativo no Brasil. Use o simulador dos juros compostos e simule 12% ao mês de um valor inicial de R$ 1.000,00 com 0,00 de valor mensal.

É por isto que você nunca deveria pensar na possibilidade de criar uma dívida com seu cartão de crédito. Não existe nada mais devastador na vida de qualquer pessoa. É a maneira mais fácil de transferir sua renda para os outros sem receber quase nenhum benefício em troca. O cartão de crédito quando é mal utilizado é a melhor maneira de empobrecer ao longo do tempo.

O Perigo da Cláusula Mandato

Existe uma cláusula no contrato que você assinou ao solicitar seu cartão de crédito que se chama “cláusula mandato”. Ela faz você dar poderes para a administradora de cartão de crédito para realizar diversos negócios jurídicos em seu nome, sem que você seja avisado sobre isto. Na prática você transforma a administradora do cartão em sua procuradora. Ela terá uma procuração sua que permite abrir conta corrente em seu nome e até contratar empréstimo em seu nome em benefício próprio.

Funciona assim: Quando você fica devendo a conta do seu cartão de crédito, a administradora do cartão não fica no prejuízo. Ela utiliza esta procuração e faz um empréstimo em seu nome. Este empréstimo normalmente é feito junto ao banco emissor do seu cartão. O banco empresta o dinheiro que vai direto para o bolso da administradora do cartão. Você se transforma em um devedor do banco e precisa se submeter a taxas e juros exorbitantes como se tivesse solicitado o empréstimo e aceitado todas as condições impostas, quando na verdade quem fez isto foi a administradora do cartão usando o seu nome.

Esta é apenas uma entre diversas coisas perigosas que existem nos contratos de cartão de crédito que a maioria das pessoas não lê ou não entende quando lê.

Você sofre de Desconto Hiperbólico Subjetivo?

Talvez você nunca tenha ouvido falar do desconto hiperbólico subjetivo. Você não ouviu falar, mas esta armadilha cerebral é muito utilizada pelo mercado para lucrar sobre falhas na sua forma de pensar.

Responda as perguntas abaixo:

1) Vamos supor que você foi sorteado e uma empresa pretende te pagar R$ 1.000,00 de prêmio. Você tem a opção de receber R$ 1.000,00 agora ou R$ 1.100,00 no próximo mês. Você prefere receber o dinheiro logo para gastar com o que desejar? Ou aceita o sacrifício de ter que esperar 30 dias para receber R$ 100,00 a mais?

A maioria das pessoas vai responder que prefere receber o dinheiro logo para gastar imediatamente. Existe a ideia de que é melhor os R$ 1000,00 na mão do que R$ 1100,00 voando. Afinal de contas são apenas R$ 100,00 de diferença que te fariam esperar 30 dias para por as mãos no dinheiro e naquilo que o dinheiro poderia comprar imediatamente.

2) Agora temos a segunda situação. Você foi sorteado novamente, só que o prêmio só será pago daqui a 1 ano. Você tem duas opções. Receber os R$ 1.000,00 de prêmio daqui a 1 ano ou esperar apenas 1 mês a mais para receber R$ 1.100,00. Você topa esperar só mais 30 dias para receber R$ 100,00 a mais?

A maioria das pessoas vai pensar assim: Se vou esperar 1 ano, então posso esperar 1 mês a mais e receber R$ 100,00 a mais.

Observe que não existe muita diferença entre as duas situações. Nas duas você só precisa esperar mais 30 dias para receber R$ 100,00 a mais.

Este teste mostra porque as pessoas compram tanto quando estão com cartão de crédito no bolso. O nosso cérebro trabalha contra nós quando nos exige a recompensa imediatamente. Como a possibilidade de receber os R$ 1.000,00 é imediata, o nosso cérebro não se importa em perder R$ 100,00. Preferimos perder dinheiro a adiar nossa satisfação. O prazer imediato tem seu preço.  Quando a satisfação é jogada para o futuro, não nos importamos muito em esperar mais 30 dias para receber R$ 100,00 a mais.

Quando você não tem dinheiro e entra em uma loja com o cartão de crédito no bolso, a sua mente pede a satisfação imediata. O importante é o presente e não o futuro. Você sabe que obter o prazer agora vai te gerar um prejuízo no futuro. Você sabe que ao parcelar a dívida terá que pagar juros (perderá dinheiro). Você sabe que já tem muitas dívidas e que provavelmente aquela despesa vai estourar seu orçamento fazendo você entrar no vermelho. Só que o prazer é imediato e o sofrimento é futuro. O seu cérebro tende a não se importar com as consequências futuras.

Somos seres programados para buscar satisfação imediata. Postergar nossa satisfação e prazer vai contra nossa natureza animal (emoção) e depende de um esforço (razão) para tomar a decisão correta e racional.

Este mecanismo é tão poderoso que criamos diversas desculpas para não postergar a gratificação, e estas desculpas parecem bem racionais, mas na verdade é a ação do nosso lado emocional sabotando nosso planejamento financeiro.

Limite de 30% da sua renda

Cartões com limite igual ou superior a sua renda mensal geram um enorme risco para sua vida financeira se forem mal utilizados. O ideal seria solicitar para a administradora de cartão que o limite de gastos mensais não ultrapasse 30% da sua renda. Exemplo: se a sua renda é de R$ 10 mil, o limite do seu cartão não deveria ser maior do que 30% da sua renda, ou seja, R$ 3.000,00.

Programa de pontos e milhagem

Você pode recuperar uma pequena parte do dinheiro que paga a mais para o comerciante quando compra com cartão que possui programas de pontos. Aqueles pontos que você acumula é uma migalha perto dos lucros que as administradoras conseguem obter com as suas compras. Estas migalhas no final de 1 ano utilizando cartões de crédito podem se transformar em passagens aéreas e outros “prêmios”.

Você só precisa tomar cuidado com algumas armadilhas.

  1. Não compre produtos e serviços que não precisa só para acumular pontos. Isto não faz nenhum sentido.
  2. Não empreste o seu cartão para amigos e parentes com objetivo de obter pontos. É comum as pessoas mais próximas prometerem pagar e depois descumprir o prometido.
  3. Cuidado para não trocar de marcas de produtos e de lojas para obter mais pontos quando elas cobram preços mais caros que a concorrência. Na maioria das vezes não compensa pagar mais caro para obter pontos.
  4. Não troque o desconto que o comerciante pode oferecer no pagamento à vista pelo pagamento em cartão só para conseguir mais ponto, na maioria das vezes não compensa.
  5. Não deixe que o sistema de recompensa do cartão de crédito modifique seu comportamento de consumo levando você a gastar mais com o que não precisa.

Enganação da compra parcelada

Por incrível que pareça existem pessoas que compram no cartão de crédito com a falsa sensação de que estão levando um produto para casa sem gastar nada. Existem estudos que mostram que a “dor” ou o “sentimento de culpa” durante a compra de um produto usando o cartão é menor se comparado com a compra usando dinheiro. Estas pesquisas compravam que você tem mais coragem e prazer comprando um produto de R$ 3.000,00 usando cartão de crédito do que contando 30 notas de R$ 100,00 antes de entregar para o caixa da loja.

Retirar os R$ 3.000,00 da carteira, contar o dinheiro e entregar para a loja produz um sentimento de perda. Antes, sua carteira estava cheia com 30 notas de R$ 100,00 e agora você sairá da loja com a carteira totalmente vazia.

Já quando você usa o cartão de crédito, não passa por este sentimento de perda. O cartão sai da sua carteira e volta para ela da forma que saiu. Você não viu evidencias físicas de uma perda de dinheiro. O que os olhos não podem ver, o coração não sente. Para muitas pessoas é importante sentir a perda.

Você precisa desenvolver a percepção de que o cartão de crédito é uma máquina de destruição da sua renda futura. Se você não tem dinheiro, você realmente não tem dinheiro. O cartão de crédito funciona como uma máquina de teletransporte da sua renda futura. Ele permite que você gaste hoje aquele dinheiro que você ainda não recebeu. É como comer os ovos que ainda não saíram da galinha. A dor que você sentiria pagando à vista, só irá sentir no futuro quando a fatura chegar. Como já falei, temos o problema de não nos importarmos muito com a dor ou prazer futuro.

As pessoas precisam mudar a forma como olham para um cartão de crédito. Ele não deve ser visto como um realizador de sonhos, um produtor de satisfação imediata. Ele deve ser visto como uma ferramenta perigosa que se não for utilizada da forma correta pode gerar enormes prejuízos e sofrimentos.

Quebre seu cartão de crédito

Se você anda sofrendo com os problemas que os seus cartões de crédito estão gerando, não pense duas vezes. Quebre seus cartões, você não precisa de problemas na sua vida.

Os seus avós tinham menos problemas financeiros. Eles só gastavam aquilo que tinham. O cartão de crédito permite que você gaste aquilo que não tem, quando é mal utilizado. Se você não consegue tirar proveito do cartão, se ele se transformou em fonte de problemas, quebre o cartão como uma medida emergencial.

Cartão de crédito é como escova de dente

Você emprestaria a sua escova de dentes para os seus melhores amigos e parentes caso eles pedissem sua escova emprestada? Eu acredito que ninguém emprestaria. Com cartão de crédito é exatamente a mesma coisa.

Não empreste o seu cartão de crédito para ninguém e evite muitos problemas. Se você perder um amigo por causa disso, fique feliz, sua amizade com esta pessoa não tinha muito valor. Isso também vale com os seus parentes. Você não é obrigado a usar o seu crédito para comprar nada para ninguém.

Amigo de verdade não incomoda o outro amigo pedindo cartão emprestado. Se você enfrentar algum problema por ter respondido um “NÃO”, se conforme, esse problema vai passar com o tempo. Já se você entrar em uma dívida de cartão de crédito, o problema será enorme, você perderá o amigo, o dinheiro, sua tranquilidade e o seu nome ficará sujo no mercado de crédito. Dizer não é mais barato.

Débito é melhor que crédito

O cartão de débito permite que você gaste só aquilo que você tem. Quando acaba o dinheiro na sua conta corrente, você fica impedido de gastar o seu salário do mês seguinte. No futuro, você vai se sentir mais feliz recebendo seu salário inteiro, sem precisar pagar dívidas do passado.

Você não precisa de vários cartões

Já vi pessoas que tinham mais de 20 cartões diferentes. Você não precisa disso. Concentre todas as suas despesas em apenas um cartão de crédito para acumular seus pontos. Existem pessoas que possuem 2 cartões. Um cartão possui um limite maior, normalmente ele é oferecido pelo banco onde você recebe seu salário ou rendimentos. O outro cartão possui um limite bem pequeno. Prefira estes cartões de limite baixo para fazer compras no seu cotidiano e pela internet. Se este cartão for clonado o estrago será pequeno, pois ele tem limite pequeno. Guarde o cartão de limite maior para fazer compras mais caras ou utilizar em viagens.

Conclusão:

Cartão de crédito não é brinquedo. Não é símbolo de status. Cartão de crédito não faz parte da sua renda mensal. Cartão de crédito não propicia momentos de prazer e felicidade como mostra o comercial. Lembre-se que os comerciais de cigarro também prometiam felicidade.

Administradores de cartão de crédito e bancos não são seus amigos. Eles são apenas prestadores de serviço.

O cartão de crédito é como aquele abutre que espera calmamente sua vítima sucumbir para se aproveitar da situação. No menor deslize, no pequeno descontrole, no pequeno esquecimento no dia de pagar a fatura, o seu cartão de crédito esta ali, no seu bolso, do seu lado, de prontidão, pronto para cobrar taxas de juros de quase 300% ao ano.

Tenha medo do seu cartão de crédito e não amor por ele. Use o cartão com cuidado. Quando a situação financeira apertar, prefira fazer um empréstimo pessoal. Busque opções de crédito mais baratas. Você não vai precisar se esforçar muito. Toda as opções são mais baratas que os juros do cartão de crédito. Crie sua própria reserva financeira para não precisar de cheque especial e cartão de crédito, leia mais sobre isso aqui.

Compartilhe este artigo com as pessoas que você conhece.



Receba novos artigos por e-mail: