Tabela atualizada com o histórico de todas as decisões do COPOM (Comitê de Política Monetária) sobre a Taxa Selic:

O COPOM ou Comitê de Política Monetária é o órgão que faz parte do Banco Central. O COPOM é composto pelo presidente do Banco Central e diversos dos seus diretores que juntos definem, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia, também conhecida como Taxa Selic. As reuniões do COPOM costumam acontecer no decorrer de dois dias seguidos e o calendário de reuniões de um determinado ano é divulgado até o mês de junho do ano anterior.

Reuniões do COPOM em 2019

  • 5 e 6 de fevereiro
  • 19 e 20 de março
  • 7 e 8 de maio
  • 18 e 19 de junho
  • 30 e 31 de julho
  • 17 e 18 de setembro
  • 29 e 30 de outubro
  • 10 e 11 de dezembro

Reuniões do COPOM em 2020

  • 4 e 5 de fevereiro
  • 17 e 18 de março
  • 5 e 6 de maio
  • 16 e 17 de junho
  • 4 e 5 de agosto
  • 15 e 16 de setembro
  • 27 e 28 de outubro
  • 8 e 9 de dezembro

Durante as reuniões os membros do COPOM assistem a apresentações dos técnicos do Banco Central, que tratam da evolução e perspectivas das economias brasileira e mundial, das condições de liquidez e do comportamento dos mercados. Assim, o Comitê utiliza diversas informações relacionadas com o cenário macroeconômico e os principais riscos a ele associados para decidir sobre a Taxa Selic. Todos os membros do Copom presentes na reunião votam e seus votos são divulgados. O gráfico mostra o comportamento da meta da Taxa Selic nas últimas décadas:


Um dos principais objetivos do COPOM é utilizar a Taxa Selic como meio para manter a inflação próxima do centro da meta. Atualmente o centro da meta para os próximos anos é:

  • ​2019: 4,25%;
  • 2020: 4,00%;
  • 2021: 3,75%;
  • 2022: 3,50%.

Existe um histórico de todas as metas da inflação aqui.

A decisão do Copom é divulgada no mesmo dia da decisão. As Atas das reuniões do Copom são publicadas no prazo de até seis dias úteis após a data da realização das reuniões (veja aqui). Normalmente, as reuniões do Copom ocorrem em terças e quartas-feiras e a ata é divulgada na terça-feira da semana seguinte, às 8:00.

Uma vez definida a taxa Selic, o Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião. É por esse motivo que a Taxa Selic efetiva (que interfere nos investimentos de renda fixa) costuma ser ligeiramente menor que a meta da Taxa Selic definida pelo COPOM.

A taxa de juros Selic é a referência para os demais juros da economia. Trata-se da taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

Investimento no Tesouro Selic

É possível obter rentabilidade próxima da Taxa Selic através do título público chamado Tesouro Selic. Aprenda a investir em títulos públicos através do livro Como Investir em Títulos Públicos.

Investir em Títulos Públicos

Aprenda a conquistar as melhores rentabilidades da renda fixa através de títulos públicos que pagam juros fixos, títulos que fazem você lucrar quando os juros estão subindo, títulos que rendem mais quando a inflação dispara, títulos que depositam dinheiro na sua conta semestralmente e até títulos que valorizam enquanto os juros estão em queda livre. Aprenda a lucrar emprestando o seu dinheiro para o Governo Federal, assim como bancos, instituições financeiras e investidores fazem todos os dias gerando bilhões em lucros.