Gráfico com a curva de juros de longo prazo ou de juros reais (acima da inflação) que utiliza como base títulos indexados pela inflação (IPCA). O gráfico é atualizado diariamente após o fechamento do mercado no período da noite.

A curva de juros do gráfico acima é calculada diariamente pela Anbima (fonte) e mostra o comportamento das taxas dos títulos públicos indexados pela inflação (IPCA), como o NTN-B ou Tesouro Prefixado com juros semestrais, com diversas datas de vencimento.

Esses títulos são negociados no mercado secundário, principalmente por instituições financeiras. As taxas dessas negociações são utilizadas como base para o cálculo das taxas que o Tesouro Direto oferece para a compra de novos títulos ou para a venda antecipada dos títulos Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com juros semestrais.

Essa curva de juros é importante para os investidores por exibir as expectativas do mercado com relação aos juros reais, ou seja, juros acima da inflação. Essa curva também reflete o juro que é possível obter com o menor risco possível na renda fixa, por se tratar de título público, que será oferecido acima da inflação, já que títulos como o Tesouro IPCA+ pagam a inflação + uma taxa de juro prefixada.

Tipos de curva de juros

Existem três desenhos básicos que a curva de juros pode assumir. Cada desenho cria implicações diferentes em relação ao crescimento econômico e por consequência isso deve influenciar as suas decisões de investimento na renda fixa.

Curva de Juros Normal

A curva de juro normal sinaliza uma economia saudável. Essa curva sinaliza que existe uma expectativa de crescimento da economia, ou seja, os investidores estão confiantes de que o futuro será melhor que o presente. Os investidores tendem a exigir prêmios maiores (juros maiores) quando fazem investimentos no presente com foco no longo prazo esperando que a economia crescerá. O risco a ser compensado está relacionado com a inflação futura e com oportunidades que serão perdidas ao fazer um investimento com juros fixos de vencimento longo. Na curva de juros brasileiro, a inflação implícita costuma ser o maior risco que faz o investidor exigir juros maiores no futuro do que no presente.

Curva de Juro Plana

Uma curva achatada ou “flat” sinaliza que os investidores estão aceitando comprar títulos públicos com vencimentos longos sem serem devidamente recompensados com juros maiores no futuro, ou seja, as taxas de títulos com vencimentos curtos estão próximas das taxas de títulos com vencimentos longos.

Normalmente o processo de achatamento de uma curva normal, que a vai tornando cada vez mais planta, é visto como um sinal de alerta de que as expectativas sobre o futuro da economia estão pessimistas. Isso significa que os investidores esperam um crescimento lento ou menor do que o esperado.

À medida que os investidores compram e vendem títulos com a curva achatada eles demonstram que estão percebendo vantagem em fixar taxa de juros em títulos longos. Isso sinaliza preocupação com o crescimento econômico que poderia forçar o Banco Central a reduzir juros no futuro para reaquecer a economia. Como resultado, eles preferem ter seu dinheiro com taxas fixas por mais tempo em investimentos seguros e exigem menos retorno por isso.

Curva Invertida

O achatamento de uma curva normal pode continuar avançando até se transformar na temida curva invertida. Ela sinaliza expectativas negativa sobre o futuro da economia. Quando os investidores estão preocupados eles buscam formas seguras de preservar seu dinheiro no longo prazo e por esse motivo aceitam juros menores no futuro. Isso pode ser necessário quando se espera para o futuro uma queda nos juros e queda no preço das ações. Quanto maior a demanda por títulos de vencimento longo, maior fica seu preço e por consequência menor a taxa. Esses mesmos investidores vão evitar títulos de prazos curtos e por esse motivo o preço dos mesmos tende a cair e por consequência a taxa fica maior.

Historicamente uma curva de juros invertida indica uma expectativa dos investidores sobre a chegada de uma recessão. Isso pode ocorrer com 1 ano de antecedência. Nos EUA as curvas de juros invertidas precederam cada uma das últimas sete recessões, como pode ser visto no gráfico abaixo.

A linha laranja representa a curva de juros com base na diferença entre as taxas de títulos americanos com vencimento em 3 anos e 10 anos. A linha azul representa o PIB e sinaliza o nível de atividade da economia. É possível constatar que a linha laranja caiu alguns anos antes de uma grande recessão que está sinalizada pelas áreas na cor cinza onde ocorreu grande queda do PIB (fonte).

Para aprender a investir em títulos públicos analisado informações como essas e muitas outras eu recomendo a leitura do livro Como Investir em Títulos Públicos.