Você é um dos milhões de brasileiros que gastam tempo e dinheiro nas filas das casas lotéricas todos os meses? Você já fez simpatia para ter mais sorte, fez cálculos de probabilidade e participou de bolões?

Muitos ainda não perceberam que não é necessário ganhar milhões na Mega-Sena acumulada para realizar a maioria dos sonhos que as pessoas divulgam nas inúmeras reportagens que a televisão exibe sempre que o prêmio da loteria acumula.

Com educador financeiro, fico triste assistindo essas reportagens onde os jornalistas perguntam: “O que você faria se ganhasse na Mega-Sena acumulada?“. As respostas são sempre muito parecidas.

Os sonhos que as pessoas possuem são pequenos e não seria necessário ganhar na Mega-Sena para realiza-los. São sonhos possíveis, realizáveis por qualquer um que tenha o básico de educação financeira, organização, paciência e disciplina.

Talvez você não tenha parado para refletir que a maioria das pessoas que realizaram grande sonhos não esperaram a sorte grande, não fizeram simpatia e não jogaram na loteria. Não é exatamente uma questão de sorte. Na maioria das vezes é uma questão de querer e de trabalhar duro para atingir objetivos bem definidos.

Vou mostrar neste artigo que grande parte dos sonhos listados nestas reportagens podem ser realizados. Vamos ver alguns exemplos? Fiz uma busca rápida no Youtube e escolhi um vídeo qualquer, entre muitos, com depoimentos de apostadores esperançosos.

O Rafael (figura acima), que trabalha como carregador, realizaria os sonhos abaixo se ganhasse R$ 200 milhões na Mega-Sena:

  1. Ele faria uma viagem;
  2. Compraria uma, duas ou três casas na praia;
  3. Daria um pouco de dinheiro para a mãe. (assista ao vídeo)

O Rafael precisa saber que não é necessário ser milionário para viajar. É necessário investir na própria formação profissional para deixar de ser carregador. Baixa qualificação profissional é sinônimo de baixa renda. Sem renda que permita poupar, fica difícil realizar sonhos e fazer planos.

As pessoas precisam sonhar com uma melhor qualificação profissional e isso precisa ser feito com a mesma intensidade com que sonham em ganhar na Mega-Sena. As famílias precisam mostrar para as crianças que tudo é possível desde que elas se preparem para oferecer um trabalho qualificado e de qualidade dentro da área profissional que a criança deseja abraçar quando crescer.

Ninguém precisa ganhar na Mega-Sena para passar as férias na frente da praia, muito menos precisa comprar uma, duas  ou três casas de praia para realizar esse sonho. O Rafael também não precisa ficar milionário para ajudar a mãe.

A Bianca, que aparece no vídeo logo depois do Rafael, é estudante e faria o seguinte:

  1. Viajaria para muitos lugares;
  2. Continuaria pagando a faculdade;
  3. Ajudaria a mãe e o pai.

A Bianca está preocupada em pagar as mensalidades da faculdade. É uma ótima preocupação, mas com 200 milhões é possível comprar sete faculdades inteiras (como a deste exemplo). A Bianca não precisa ganhar na Mega-Sena para realizar o sonho de viajar. Ela precisa se preparar para ter uma boa profissão, entregar o melhor dentro da sua área de atuação, para ser uma profissional reconhecida e bem remunerada. Com um pouco de educação financeira e planejamento é possível viajar muitas vezes sem depender de sorte e sem gastar dinheiro com apostas.

Já o Eduardo é Assistente Parlamentar e disse que:

  1. Guardaria o dinheiro para receber juros todos os meses;
  2. Ajudaria a família.

Ninguém precisa ter a sorte de ganhar na Mega-Sena para obter uma boa renda mensal através de investimentos. A pessoa só precisa ter um pouco de conhecimento e paciência para investir e multiplicar seu próprio patrimônio através dos juros compostos. Ninguém precisa ter muito dinheiro para começar a poupar aos poucos. Juros sobre juros, no decorrer de alguns anos ou décadas, são capazes de gerar uma renda suficiente para que a pessoa pare de trabalhar e passe a viver de renda passiva. Já falei sobre isso neste artigo.  É claro que para ter uma boa renda e ter a capacidade de acumular patrimônio é necessário investir primeiro na sua capacidade de produzir riquezas (através do trabalho ou do empreendedorismo).

O Walter é aposentado e faria o seguinte:

  1. Ajudaria uma instituição de caridade;
  2. Faria um pé de meia (traduzindo: faria um poupança, acumularia bens, dinheiro, etc).

Todo mundo pode e deve fazer o seu “pé de meia” durante os anos de maior produtividade da vida como um preparativo para a aposentadoria. Não é necessário ganhar na Mega-Sena para só depois pensar em poupar, investir e fazer caridade. O “pé de meia” deveria ser encarado como um projeto desde o primeiro ano de atividade profissional de qualquer pessoa.

Ninguém precisa de milhões para ser caridoso. A grande verdade é que não é necessário ter dinheiro para depois ser caridoso. Você pode ser caridoso dando um minuto de atenção para alguém que precisa de atenção.

Você pode ser caridoso compartilhando um conhecimento sem cobrar nada (como estou fazendo agora). Você pode ser caridoso no trânsito. Você pode ser caridoso ensinando a pescar no lugar de dar o peixe. O dinheiro só potencializa sua capacidade de ser caridoso. Nem sempre a origem das necessidades das pessoas está na falta de dinheiro. A falta de dinheiro costuma ser uma consequência. Na grande maioria das vezes o problema das pessoas se origina da falta de esclarecimento.

Objetivos x Investimentos:

É muito importante definir objetivos e escolher investimentos capazes de conduzir você até o montante necessário para atingir esses objetivos.  É natural que os resultados não sejam imediatos. As conquistas resultam de sacrifícios. O mundo sempre foi assim antes das pessoas serem convencidas de que só podem ter as coisas parcelando os pagamentos e pagando juros. Existe um caminho que precisa ser trilhado com paciência e determinação.

Exemplo: Se você pretende comprar um imóvel, existem duas formas de fazer isso. Nas duas formas é necessário fazer um sacrifício, só que existe uma grande diferença entre estes dois tipos de sacrifício. Veja:

  1. Você pode comprar um imóvel através de um financiamento. Neste caso você terá o imóvel imediatamente e o sacrifício será passar vários anos (ou várias décadas) trabalhando para pagar os juros e a dívida. O fantasma da inadimplência e do despejo só desaparece quando a dívida for quitada.
  2. Você pode comprar um imóvel através dos seus próprios investimentos. Você não terá o imóvel imediatamente e isso já será um sacrifício. No lugar de pagar juros você irá receber juros sobre juros até conseguir o dinheiro necessário para comprar o imóvel que realmente cabe no seu bolso. O sacrifico será não morar no imóvel dos sonhos enquanto estiver economizando para comprar o seu imóvel. Isto pode significar pagar o aluguel de um imóvel mais simples.

O mesmo raciocínio vale para objetivos de menor valor e que exigem prazos menores e sacrifícios menores como uma viagem ou a compra de um veículo.

Cada pessoa tem seus próprios valores e seus próprios objetivos. Para uns é mais importante ter dinheiro para viajar (colecionar experiências) e para outros o mais importante é comprar carros e casas (colecionar coisas). Uns preferem gastar, outros preferem poupar. Uns querem ter muitos filhos, outros querem ser solteiros e sem filhos pelo resto da vida.

As pessoas terão objetivos de curto prazo, como fazer a festa de aniversário de um filho. A viagem pode ser um objetivo para o ano seguinte. Economizar algum dinheiro para a chegada do próximo filho pode ser um objetivo para ser atingido nos próximos anos e isso pode vir junto com a necessidade de adquirir um imóvel maior. Já a aposentadoria é um objetivo a ser atingido nas próximas décadas.  Da mesma forma que existem objetivos para serem realizados em prazos diferentes, existem investimentos compatíveis com esses prazos.

Cada pessoa tem seu perfil ideal de investimentos. Nem sempre o que é bom para uma pessoa será bom para a outra. Por isso é tão importante que cada um aprenda a investir e cada um tome suas próprias decisões sobre o que fazer com o próprio dinheiro. Não adianta esperar que alguém tenha uma receita ideal para você. Veja o que os jornalistas gostam de propor para aqueles que ganham prêmios na loteria. Assista o vídeo. Veja o aposentado que aparece no final do vídeo. Se ele ganhar R$ 200 milhões, vai comprar um sítio para garantir o que comer. Isso mostra o tamanho da ingenuidade e da falta de educação financeira das pessoas.

O azar de ganhar aquilo que você não pode cuidar:

Pior do que gastar muito dinheiro jogando sem ganhar nada é ganhar o prêmio e não estar preparado para cuidar daquilo que você ganhou.

É isso que acontece com a maioria dos ganhadores. Poucos anos depois estão exatamente como estavam antes (sem dinheiro, sem patrimônio e com muita história para contar). Veja o exemplo do Isaías, encarregado de produção (assista aqui). Ele disse que se ganhasse R$ 200 milhões gastaria tudo comprando imóveis, terras e criações (provavelmente está falando de criações de gado). Imagine o que acontece com uma pessoa totalmente leiga com 200 milhões no bolso e o objetivo de comprar imóveis, terras e gado como investimento. Ter R$ 200 milhões no bolso não transforma ninguém em investidor de imóveis ou pecuarista de sucesso. O Isaías continuaria a mesma pessoa com todas as limitações de conhecimento e experiência de um encarregado de produção.

Investimento bom:

Investimento bom é sempre aquele que você é capaz de entender. Se o Isaías não entende nada de imóveis ou de pecuária, mas entende como funciona a Caderneta de Poupança, ele será capaz de garantir uma pequena taxa de juros que sobre R$ 200 milhões produzirá uma enorme renda mensal. O mesmo não podemos dizer se resolver investir em áreas que ele não conhece. Provavelmente teria prejuízos mensais no lugar de ganhos.

Muitas vezes eu recebo mensagens perguntando se imóveis ainda é um bom investimento. Agora a onda é perguntar se a bolsa de valores é um bom investimento. A resposta para essas perguntas é sempre um “Depende”. O investimento em imóveis é excelente, mas depende se você sabe investir em imóveis. Bolsa de valores pode ser um ótimo investimento se você souber investir em ações através da análise técnica ou análise fundamentalista, mas também pode ser pior do que guardar dinheiro embaixo do colchão se você não souber o que está fazendo.

Por isso eu sempre insisto que a sua riqueza é resultado daquilo que você sabe e não daquilo que você tem. Felicidade também é assim. Tem uma frase que atribuem ao Abraham Lincoln que diz: “A maioria das pessoas é tão feliz quanto resolve ser.”  Você já parou para pensar sobre o que você resolveu ser?

Livro recomendado: Independência Financeira (clique para conhecer). Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail: