Os jornais sempre destacam quando o Índice Bovespa sobe ou desce, mas não explicam como posso investir para ter a mesma rentabilidade desse índice. Como investir no Índice Bovespa?”. 

Sempre recebo perguntas como essa, principalmente quando os jornais estão noticiando algum ciclo de alta na bolsa.

Existem pelo menos três formas de obter uma rentabilidade próxima das variações do Índice Bovespa. Vou apresentar aqui essas formas, da pior para a melhor, mas se você não saber o que é o Índice Bovespa, visite aqui e depois retorne.

A primeira forma é comprando todas as ações que fazem parte do Índice Bovespa. São mais de 70 ações, em proporções diferentes, que a bolsa utiliza para calcular os pontos do Índice Bovespa que os jornais costumam divulgar. Quando os preços dessas ações sobem o índice tende a subir, quando caem, ele tende a cair. Existem ações com maior e menor peso. Você pode ver a lista com todas as ações que fazem parte da carteira teórica do Índice Bovespa visitando aqui. Essa é a pior forma de investir no Índice Bovespa, pois além de ser a forma mais trabalhosa, comprar e manter mais de 70 ações não é barato, pois envolve muitos custos com a taxa de corretagem e emolumentos.

Comprando um fundo de ações. Existem fundos de ações que possuem o objetivo de apresentar um desempenho próximo das variações do Índice Bovespa. Também existem os que prometem superar o Índice Bovespa. Os fundos de ações geralmente cobram taxas administrativas elevadas e taxas de performance de 20% de tudo que superar o Índice Bovespa. As taxas são maiores entre os fundos que prometem superar o Índice Bovespa. Taxas elevadas reduzem o desempenho dos fundos, sendo que são raros os fundos que conseguem superar o Índice com consistência. Muitos fundos que prometem entregar o mesmo desempenho do Índice Bovespa se limitam ao trabalho de investir em ETFs, que são fundos negociados na bolsa com taxas bem menores e que são bem mais baratos de adquirir e manter. Os ETFs, assim como muitos outros investimentos, são pouco divulgados por bancos e corretoras, pois eles sempre tendem a divulgar investimentos que são mais lucrativos para eles.

Comprando um ETF que replica a carteira do Índice Bovespa. Na bolsa de valores existem quatro ETFs que buscam obter a mesma performance do Índice Bovespa (BOVA11, BOVV11, BOVB11 e XBOV11). Alguns até conseguem superar ligeiramente o Índice Bovespa no longo prazo. Um ETF é um fundo negociado em bolsa, assim como os fundos imobiliários. Eles possuem um código composto por letras e o número 11 no final. Através desse código você pode comprar e vender os ETFs na bolsa exatamente como faria se estivesse comprando ou vendendo uma ação. Os ETFs de ações são como cestas de ações ou como uma carteira completa de ações. Os ETFs que seguem o desempenho do Índice Bovespa investem em mais de 70 ações que a bolsa de valores utiliza para calcular os pontos do Índice Bovespa. Essas ações são as mais importantes por serem as mais negociadas.

Quando escrevi esse artigo, cada um dos quatro ETFs custavam menos de R$ 100, ou seja, por menos de R$ 100, através de uma única compra era possível investir em uma carteira com mais de 70 ações que fazem parte do Índice Bovespa. Você pode ver os preços dos ETFs visitando aqui. Clicando sobre cada ETF é possível observar as variações dos seus preços através de um gráfico de análise técnica. O resumo de variações de preços nos últimos meses você pode ver aqui, através de uma planilha que atualizo todos os meses.

O gráfico abaixo mostra quanto você teria no fim da primeira metade de julho de 2020 se tivesse investido R$ 100 em cada um dos quatro ETFs que seguem o índice Bovespa no pior momento da crise da pandemia no fim de março de 2020. O investimento de R$ 100 em cada ETF teria se tornado mais de R$ 155 em três deles, com alta de mais de 55% em poucos meses. Logo abaixo do gráfico eu ensino como atualizar esse estudo automaticamente.

Quem já leu meus livros sobre investimentos em ações e ETFs já está familiarizado com essa ferramenta de estudos. Para ver o estudo acima atualizado com dados do momento em que você estiver lendo o artigo, basta criar uma conta gratuita na plataforma, (basta acessar aqui e clicar em “teste gratuito”) e depois clicar no botão de “Play” que aparece do lado direito do gráfico que você verá ao clicar aqui.

Logo abaixo temos outro tipo de estudo mostrando a variação (%) dos quatro ETFs que replicam o Índice Bovespa entre 15/07/2019 e 14/07/2020 (últimos 12 meses). Podemos ver que mesmo com a forte queda registrada na primeira fase da crise da pandemia os preços dos ETFs acumulam uma queda de -5% nos últimos 12 meses.

O estudo também pode ser atualizado, se você já tiver criado uma conta gratuita e clicar no play visitando aqui.

Existem vários índices além do Índice Bovespa. Você pode ver todos os principais índices da bolsa aqui. Existem ETFs para vários desses índices, sendo que as ações que fazem parte da carteira desses índices são selecionadas pela própria bolsa seguindo critérios bem específicos. Alguns ETFs podem ter centenas de ações de um setor específico, outros são mais amplos e podem ter uma diversificação com centenas de ações de vários setores.

Como exemplo temos os ETFs compostos por ações de empresas do setor financeiro, ETFs de ações de empresas da indústria de materiais básicos (minério, celulose etc.), ETFs com ações de empresas de menor capitalização e maior potencial de crescimento e até ETFs compostos por ações de empresas negociadas nas bolsas dos EUA. Também existem ETFs que investem em títulos públicos equivalentes ao Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado.

Eu apresento vários estudos e comparações entre todos os ETFs que temos na bolsa de valores, ensinando como você pode fazer seus próprios estudos e também ensino como montar uma carteira diversificadas com ETFs através do meu novo livro sobre Como Investir em ETF e dos artigos gratuitos que venho escrevendo regularmente.

Recomendo a leitura do livro: Como Investir em ETF. Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail: