Lista atualizada dos Fundos Imobiliários (FII) que podem ser comprados e vendidos na bolsa de valores (B3). Modo de uso: clique no código do fundo para acessar o gráfico completo para estudos de análise técnica. Clique sobre o preço ou a oscilação do fundo para visualizar um gráfico simplificado de acesso rápido para identificar a tendência do preço do fundo.

Os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) possuem cotas que podem ser compradas e vendidas por qualquer pessoa na bolsa de valores seguindo os mesmos passos utilizados para a negociação de ações. Os recursos captados pelo fundo no momento da primeira venda das cotas são utilizados para a aquisição de imóveis rurais ou urbanos, construídos ou em construção, destinados a fins comerciais ou residenciais, bem como para a aquisição de títulos e valores mobiliários ligados ao setor imobiliário, tais como cotas de outros FIIs, Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), ações de companhias do setor imobiliário etc.

Todo FII possui um regulamento que, dentre outras disposições, determina a política de investimento do fundo. A política pode ser específica e estabelecer, por exemplo, que o FII invista apenas em imóveis prontos destinados ao aluguel de salas comerciais, ou ser genérica e permitir ao fundo adquirir imóveis prontos em geral ou em construção, os quais poderão ser alugados ou vendidos.

Com a aquisição dos imóveis, o fundo obterá renda com sua locação, venda ou arrendamento. Caso aplique em títulos e valores mobiliários, a renda se originará dos rendimentos distribuídos por esses ativos ou ainda pela diferença entre o seu preço de compra e de venda (ganho de capital). Os rendimentos auferidos pelo FII são distribuídos periodicamente aos seus cotistas.

O FII é constituído sob a forma de condomínio fechado, em que não é permitido ao investidor resgatar as cotas antes de decorrido o prazo de duração do fundo, mas é possível vender essas cotas para outros investidores através da Bolsa. A maior parte dos FIIs tem prazo de duração indeterminado, ou seja, não é estabelecida uma data para a sua liquidação. Nesse caso, se o investidor decidir sair do investimento, somente poderá fazê-lo através da venda de suas cotas no mercado secundário.