Esse artigo contém a solução definitiva para você que busca saber sobre como sair das dívidas para sempre, de forma definitiva. 

Não falamos muito sobre dívidas aqui neste site. Grande parte dos mais de 300 artigos que existem no Clube dos Poupadores ensinam sobre investimentos e independência financeira. O conteúdo está direcionado para a pequena parcela da população que já abandonou o “Clube dos Devedores” e agora pode poupar e investir buscando mais qualidade de vida e independência.

Mais de 58% da população está mergulhada em dívidas (fonte). Somente 4% dos brasileiros (4 em cada 100) está poupando algum dinheiro pensando no futuro. Esse índice é o mais baixo das Américas e um dos piores do mundo. Em levantamento de 143 países feito pelo Banco Mundial, só 11 estão abaixo do Brasil. Existem muitos países pobres que possuem mais poupadores do que o nosso (fonte).

Ter poucos recursos não significa ter uma vida financeira desequilibrada e cheia de dívidas. Uma pesquisa concluiu que “lidar bem com o dinheiro é uma questão que vai muito além de classe social e dos recursos disponíveis” (fonte).

Através desse trabalho de educação que faço, percebo essa realidade todos os dias. Já recebi e-mails de pessoas com ótima renda (acima de 40 salários mínimos) desesperadas pelos problemas que enfrentam como consequência da péssima relação que possuem com o dinheiro, e já recebi relatos de pessoas humildes que possuem uma vida equilibrada e tranquila.

Talvez, pagar as dívidas que você possui hoje seja o menor de todos os seus problemas. É solução de curto prazo para um problema de longo prazo.

Se você chegou até aqui através de buscas pela internet, já deve ter se deparado com muitas soluções simplistas sobre como sair das dívidas através de alguns passos, já deve ter encontrado sites de muitas instituições financeiras oferecendo crédito para endividados, empréstimos para negativados, dinheiro rápido e fácil para pagar dívidas fazendo ainda mais dívidas.

Tendemos a gastar muito tempo e energia tentando eliminar os sintomas e não a origem dos problemas. Existem 1001 causas que resultam em problemas financeiros, só que muitas não estão diretamente relacionadas com o dinheiro. Muitas vezes o problema está no nosso comportamento e pensamento.

Assista ao vídeo abaixo e verifique se você se identifica com essas pessoas.


A música alegre do vídeo poderia ser substituída por uma música dramática.

A moça que aparece no final do vídeo resume muito bem um modo de pensar que frequentemente resulta em problemas financeiros ou dificuldades para o desenvolvimento financeiro. Ela diz: “Estou vivendo cada dia e eu tenho certeza que vai acontecer uma coisa muito boa pra mim daqui para frente… é acreditar que as coisas vão dar certo“. Essa é a mesma moça que diz no início do vídeo: “Estou deixando a vida me levar.” No decorrer do vídeo ela diz não pensar sobre o futuro.

Não sei se a nossa natureza nos permite isso. Somos diferentes das plantas e dos animais que vivem um dia depois do outro, sem planejamento, sem pensar no futuro, como se não existisse amanhã.

Humanos são dotados de memória para aprender com o passado e imaginação para fazer projeções sobre o futuro. Quando não fazemos nada, a memória produz arrependimento quando pensamos sobre o passado. Quando não fazemos nada, a imaginação produz ansiedade quando pensamos no futuro.

Somos os únicos seres capazes de construir o nosso próprio futuro através do que fazemos no presente e da bagagem que trazemos do passado. É isso que nos fez sair das florestas onde as nossas duas únicas preocupações eram procurar a próxima refeição e não se transformar na próxima refeição de algum outro animal.

O vídeo mostra um senhor de cabelos brancos que aparece em uma praia dizendo que nunca se preocupou em guardar dinheiro. Ele fala que enquanto os seus irmãos estavam na faculdade, ele curtia a vida com o dinheiro que pedia para a mãe. Hoje, ele parece levar a vida pedindo dinheiro para os amigos. Não sei até que ponto suas palavras exibem um toque de arrependimento ou de pura alienação sobre o futuro que ele está construindo. É a ideia de rir para não chorar.

Uma senhora apareceu no vídeo dizendo que o seu patrão é maravilhoso, pois ele permite que os seus 11 funcionários façam compras utilizando o seu próprio cartão de crédito. Pelo que entendi, no fim do mês, o patrão desconta as dívidas do salário dos funcionários. No fim do depoimento, a senhora parece se lamentar, pois apesar do ato maravilhoso e desprendido do patrão, já são 4 meses sem receber salário. Tudo que ela ganha está sendo usado para pagar dívidas que ela faz no cartão de crédito do padrão.

Talvez a senhora não sabia que o patrão está acumulando pontos ou milhas que serão utilizados para comprar passagens aéreas pelo cartão. Talvez o patrão tenha visto alguma vantagem em deixar de pagar salários em dinheiro para fazer uso do cartão e das dívidas.

Todos os personagens que aparecem no vídeo estão envolvidos pelo que os especialistas chamam de “Pensamento Mágico”.

Pensamento mágico

Esse modo de pensar faz parte da nossa cultura e muitos acreditam que esse tipo de cultura prejudica o desenvolvimento das famílias e do país.

O pensamento mágico nos faz ter a falsa ideia de que temos uma enorme capacidade de improvisação, e que, independente do que aconteça no futuro, nós sempre daremos um jeitinho e tudo vai se resolver de uma forma mágica.

Quando não temos a mãe ou o pai para pedir dinheiro (como os personagens do vídeo), temos o nosso patrão para emprestar o cartão de crédito. Na falta de um patrão, temos os nossos amigos de bar para pagar pelos nossos vícios. Em último caso, temos o governo para nos socorrer. Se o governo não socorrer, talvez Deus nos ajude de alguma forma.

Embora muitos acreditem que esse “pensamento mágico” tenha relação com a influência religiosa na cultura do brasileiro (86,8% da população declara pertencer a alguma religião cristã), esse modo de pensar é um erro até no contexto religioso.

Não existe “almoço grátis” ou sustento sem algum sacrifício na tradição judaico-cristã.  Existe um provérbio judaico que diz “בזעת אפיך תאכל לחם” que significa “Com o suor do seu rosto você comerá o pão” (fonte), que nada mais é do que as palavras que o cristão aprende em seus escritos (Gêneses 3:19) quando Deus comunica a expulsão do homem de um paraíso onde o trabalho e o sacrifício não eram necessários. Ele diz: “Comerás o teu pão com o suor do teu rosto, até que voltes à terra de que foste tirado; porque és pó, e pó te hás de tornar.” (Fonte).

Dessa forma, a religião não dá a base para a ideia de que podemos ficar despreocupados com relação ao futuro. É justamente o contrário. A figura abaixo resume muito bem essa ideia no contexto religioso. Muitas vezes você pede uma coisa e recebe outra.


Muitas vezes as dívidas são uma consequência da nossa inanição diante de situações previsíveis, estimulada por um pensamento mágico de que no futuro tudo dará certo. O problema é que não existe qualquer garantia de que o futuro nos reserva os frutos sem que antes exista preparo, planejamento e até algum sacrifício.

Frequentemente a vida nos reserva muitas surpresas que podem ser muito desagradáveis se você não estiver preparado. Podemos perder o emprego ou a nossa principal fonte de renda. Podemos perder nossa saúde ou podemos perder alguém importante. Podemos sofrer consequências financeiras provocadas por situações fora do nosso controle, mas que todos nós sabemos que podem e vão acontecer um dia.

Assim como os antigos agricultores estocavam alimentos para enfrentar momentos difíceis como o inverno, secas e pragas, o homem urbano precisa estocar os recursos necessários para enfrentar os imprevistos. É isso que chamamos de provisões.

Os imprevistos acontecem na vida de todas as pessoas. Algumas não estavam preparadas e acabam mergulhando em dívidas. Outras estavam preparadas e conseguem atravessar a dificuldade sem comprometer a sua qualidade de vida. Isso só pode acontecer se existir um planejamento e um sacrifício anterior. Para isso existem as reservas para uma emergência.

Até mesmo a sorte é um acontecimento que só funciona quando você está preparado para aproveitar a oportunidade que surge. Pode existir uma ótima oportunidade de emprego neste exato momento onde você ganhará 10 vezes a sua atual renda. O problema é que para aproveitar essa oportunidade única, você precisa ter concluído uma pós-graduação que você resolveu adiar. Talvez a grande oportunidade de trabalhar no exterior, ganhando em dólares, poderia ser uma grande sorte, se você tivesse aprendido um outro idioma no passado. Talvez a oportunidade de abrir um ótimo negócio agora, fosse uma grande sorte, se você tivesse juntado o dinheiro necessário para empreender.

Se você nunca estiver preparado para tudo de bom e tudo de ruim que pode acontecer na sua vida, você sempre terá azar,  você sempre será pego de surpresa, desprevenido, despreparado e sendo obrigado a contar com a ajuda de parentes, amigos ou dos empréstimos dos bancos, e, em último caso, das esmolas do governo.

Prudência e Planejamento

Só quando você aceita que tudo pode dar errado, é que você começa a planejar a sua vida em todos os sentidos, incluindo o financeiro e profissional. Quando passamos por problemas financeiros e temos a “sorte” de não ter qualquer parente ou amigo fornecendo ajuda, temos a oportunidade de mudar de forma definitiva. Quando alguém nos ajuda, temos o azar de remediar e adiar a solução do problema.

Se você acha que a origem do seu problema financeiro, não está dentro de você, então você tem dois problemas. O termo “pensamento mágico” não foi criado por mim, ele é utilizado na psicologia clínica. No vídeo logo abaixo Dr. Luiz Hanns aborda o tema e propõe o “antidoto” que é o planejamento.


Por ser um vídeo, Hanns apresentou 5 dicas rápidas sobre como fazer um planejamento para atingir um objetivo. No meu site pessoal eu tenho um artigo extenso sobre “como atingir um objetivo“. Muitos leitores do Clube já leram o artigo, se você não leu, recomendo que leia, pois ele se aplica a qualquer tipo de objetivo e isso inclui os objetivos financeiros e profissionais.

O grande erro do pensamento do Luiz Hanns está no final do vídeo. Ele acreditar que a solução de todo esse problema deve começar na atitude dos nossos líderes. Ele se esquece que são as pessoas que votam e escolhem esses líderes. Os nossos líderes são apenas um reflexo dos seus eleitores.

Pessoas com pensamento imediatista, que não se preocupam com o próprio futuro, que só pensam na satisfação imediata dos desejos, costumam votar em políticos que fazem promessas que garantem essa satisfação imediata sem qualquer comprometimento com as consequências futuras. O pensamento mágico também produz líderes que prometem um mundo mágico. Os eleitores votam pensando na possibilidade de alguém trazer de volta o paraíso perdido, onde o suor e o sacrifício presente não eram necessários para garantir um futuro melhor.

A verdadeira mudança começa dentro de você. Depois ela se expande para a sua casa e afeta a sua família. A mudança dentro da casa de cada brasileiro acaba transformando o país.

Você só pode gastar aquilo que ganha. Todas soluções mágicas que permitem gastar mais do que você ganha (cartão de crédito, cheque especial, consignados, financiamentos, crediário, etc.) só existem para que você adie o confronto com a verdade.

O pensamento mágico no mundo do dinheiro só fará você passar a vida inteira trabalhando para pagar contas, taxas e juros, assim com a mulher do vídeo que está há 4 meses sem receber salário. Milhões de brasileiros trabalham todos os dias apenas para pagar contas e nada sobra de salário. Esse estilo de vida mágico, nada mais é do que um tipo moderno de escravidão.

Continue a leitura, leia o artigo que escrevi sobre liberdade financeira e escravidão moderna.

Leitura recomendada: lista de livros sobre investimentos.

Receba um e-mail quando novos artigos forem publicados, inscreva-se no Clube dos Poupadores. Ative as notificações no seu navegador clicando aqui ou no sino vermelho no canto inferior direito desta página