Cotação IBOV

O Índice Bovespa, IBOVESPA ou IBOV, é um índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na bolsa de valores brasileira. Quando a imprensa divulga que a bolsa subiu ou caiu, ela está se referindo a mudanças no índice.

O Ibovespa é calculado em tempo real com base em uma “carteira teórica de ações”, ou seja, ele simula o desempenho de um investimento em pouco mais de 60 ações entre as mais negociadas na Bolsa. Quando o índice fica maior, isso sinaliza que, na média, os preços das 60 ações que compõem o índice subiram. É claro que durante o dia os preços das ações sobem e descem e o índice representa uma média onde cada ação tem um peso diferente.

Quando o índice Bovespa foi criado em 1968, o valor base definido foi equivalente 100 pontos. Desde então, o Índice Bovespa passou a sofrer variações e em 2019 ultrapassou os 100.000 pontos. É claro que alguns ajustes foram feitos nesses mais de 50 anos para que o número de pontos não ficasse gigantesco.

A B3, que é a empresa que opera a bolsa de valores brasileira, faz mudanças na composição das ações que fazem parte do Ibovespa a cada quatro meses (três vezes por ano). Dessa forma, cada carteira de ações do Ibovespa se mantém a mesma entre janeiro e abril, maio e agosto e setembro e dezembro de cada ano.

Os critérios para inclusão e os pesos atribuídos a cada ação são reavaliados pelos técnicos da Bolsa e com isso eles fazem o rebalanceamento do índice. Só pode fazer parte do índice as ações negociadas regularmente, ou seja, com presença em pelo menos 95% dos pregões do último ano. O volume financeiro precisa ser de pelo menos 0,1% do valor total negociado na bolsa no período. Não faz parte do índice ações de empresas que passam por recuperação judicial e ações com preço muito baixo (menor que R$ 1 em média). Cada ação possui um peso diferente e para definir esse peso a Bolsa consideram o valor de mercado total das ações disponíveis para negociação (free float). Você pode consultar a lista de empresas que fazem parte do Índice Bovespa visitando aqui. Você também pode visualizar a carteira do Ibovespa visitando aqui.

Referência para os fundos

Muitos fundos de investimento utilizam o índice Bovespa como um objetivo a ser superado, ou seja, os gestores do fundo possuem como missão superar o índice Bovespa. Alguns fundos possuem o objetivo de replicar a mesma carteira de ações do IBOV para conseguir o mesmo desempenho.

É importante lembrar que o critério utilizado para escolher as ações que fazem parte do índice Bovespa não tem relação com o desempenho financeiro que as empresas estão apresentando ou qualquer análise dos seus fundamentos. Isso significa que no índice existem várias empresas boas para investir e várias empresas que você dificilmente investiria com foco no longo prazo (para se tornar sócio).

Por esse motivo, alguns dizem que o índice Bovespa não representa as melhores ações da Bolsa, pois nem sempre as melhores são as mais negociadas. Uma empresa com ótimos lucros, boa distribuição de dividendos ou grande potencial de crescimento pode não ser tão representativa no índice ou pode não fazer parte do índice. 

Alguns fundos negociados na bolsa ou ETF (Exchange Traded Fund) replicam o desempenho do índice Bovespa. Por serem fundos passivos, onde o gestor não faz nada além de replicar o índice, a taxa administrativa desses fundos é bem pequena. Dessa forma, antes de investir em um fundo de ações, verifique se o gestor é suficientemente competente para entregar resultados acima do índice Bovespa pela taxa administrativa que ele cobra. Se os resultados forem inferiores, provavelmente será mais vantajoso investir em fundos de ações passivos, ETFs ou diretamente comprando ações de boas empresas.

Exemplos de ETFs que replicam o índice Bovespa:

É importante lembrar que fortes altas ou baixas no preço de qualquer ação que possua muita representatividade no índice produzirá uma grande mudança no índice Bovespa. Isso não reflete o desempenho das ações de boas empresas listadas na Bolsa que você poderá investir diretamente. Dessa forma, quando você fica sabendo que o índice Bovespa subiu ou cair isso não significa que esse movimento atingiu todas as ações de boas empresas listadas na Bolsa.

A melhor forma de investir na Bolsa, para quem tem tempo e interesse em aprender, é comprando ações diretamente. Dessa forma, você pode compor sua própria “carteira de ações”, investindo o seu dinheiro somente em boas empresas com o objetivo de valorização da ação e/ou ganho de dividendos.

Aprenda a investir nas ações das melhores empresas através do livro Como Investir na Bolsa por Análise Fundamentalista. Aprenda a identificar os melhores momentos e oportunidades para a compra ou venda de ações através do livro Como Investir na Bolsa por Análise Técnica.


Receba um e-mail quando novos artigos forem publicados, inscreva-se no Clube dos Poupadores. Ative as notificações no seu navegador clicando aqui ou no sino vermelho no canto inferior direito desta página