Desvantagens do consórcio de imóveis

Os consórcios possuem vantagens e desvantagens. As vantagens você pode perguntar para qualquer vendedor de consórcio. Na internet mesmo existe muita informação sobre as vantagens e pouca sobre as desvantagens. Hoje vamos conversar sobre as desvantagens de um consórcio.

Eu pessoalmente acredito que as pessoas devem se educar para que possam consumir de forma consciente e sem depender do dinheiro dos outros.

Consórcios e financiamentos são bons quando sabemos o que estamos fazendo, quando conhecemos os verdadeiros custos e riscos envolvidos e estamos conscientemente dispostos a assumi-los.

Por isto que na maioria das vezes, consórcio e financiamento não são boas opções já que muita gente assina contratos sem ler. Quando faz a leitura finge que entendeu para não ficar com vergonha de perguntar. As suas decisões não devem se basear apenas nos argumentos do vendedor.

Não assine nada sem pensar, sem questionar, sem calcular, sem perguntar e duvidar. Nem mesmo as coisas que escrevo você deve acreditar. Tire suas próprias conclusões sempre.  Isto vale para consórcios, financiamentos, investimentos financeiros, investimentos imobiliários, etc.

Consórcio é poupança forçada

Você é um pagador de contas? Existem pessoas que passam a vida inteira pagando contas, incapazes de guardar qualquer quantia para elas mesmas. Não conseguem planejar o próprio futuro financeiro. São movidas por impulsos de consumo.

Ver o próprio dinheiro investido parece que as incomoda. Acabam depredando aquilo que pouparam para realizar desejos imediatos, prejudicando os sonhos de consumo maiores no futuro.

O consórcio é uma solução para estes “pagadores de contas”. O consórcio se torna mais uma conta a pagar. Esta solução tem custo que se chama taxa administrativa. É como contratar uma empresa que irá defender o seu dinheiro de você mesmo. Não parece estranho?

Por isto dizemos que o consórcio é uma poupança forçada. Existem penalidades para quem atrasa o pagamento. Se resolver desistir no meio do caminho também sofrerá consequências. Investir por conta própria é difícil porque só sua consciência te obriga a poupar mensalmente sem atrasos. Sacar o próprio investimento costuma ser bem rápido e simples. O consórcio não possui liquidez como uma aplicação financeira e isto é uma vantagem para quem não sabe poupar.

Se você precisa defender seu dinheiro de você mesmo, você possui um problema sério que deveria ser resolvido de outra maneira. Transferir para os outros a responsabilidade de administrar seu dinheiro custa carro e existem riscos que você precisa conhecer.

Consórcio x Riscos

A principal diferença entre o financiamento e o consórcio está justamente no risco do crédito. No caso do financiamento o risco é do banco. Ele aluga o dinheiro dos clientes superavitários para os clientes deficitários cobrando um aluguel chamado juro. O banco assume o risco em caso de inadimplência.  Já no consórcio o risco é do grupo composto por pessoas que você não conhece. Como você será um dos membros do grupo também estará assumindo riscos dos outros.

Leia também

Isto acontece porque todos os meses a sua parcela de consórcio, junto com a dos outros, é utilizada para contemplar um ou mais membros do grupo. Se você tiver sorte ou dinheiro para dar um lance, este contemplado pode ser você. Se não tiver sorte e nem dinheiro terá que esperar até o final do consórcio.

Podemos dizer que todos os meses você estará emprestando seu dinheiro para comprar os bens de terceiros. Para que este mecanismo funcione corretamente é obrigatório que todos estejam comprometidos a pagarem suas parcelas em dia.

Até depois de ser contemplado este pagamento precisa ser feito para não prejudicar os que ainda não foram contemplados. Por este trabalho de administrar o grupo o consórcio cobra taxa administrativa de todos.

Sempre vão existir pessoas que não pagam suas contas em dia. Para que isto não provoque problemas, os consórcios criam um fundo de reserva que serve para cobrir a inadimplência dos outros. O problema é que este fundo é configurado para suportar até um determinado patamar de inadimplência.

Se o país enfrentar uma onda de desemprego e queda na renda das famílias, a inadimplência do grupo do consórcio pode se elevar acima do previsto. Exemplo: Se o fundo de reserva é criado para suportar uma inadimplência de 5% e ela atinge um patamar de 10% ao mês, pode faltar dinheiro para contemplar os participantes do grupo. E nesta situação é provável que o consórcio convoque uma reunião para discutir o que fazer.

Empresas que gerenciam consórcio não são bancos. As vezes são empresas vinculadas a algum banco, as vezes não. O fato é que da mesma forma que bancos vão a valência, consócios também podem falir.

Os dois são fiscalizados pelo Banco Central mas isto não impede as falências e nem possíveis golpes.  No site do Banco Central é possível verificar se o consórcio está autorizado. O fato de estar autorizado não significa que os clientes estão satisfaitos, por isto a consulta em sites como Reclame Aqui e PROCON é importante. Visite http://www.bcb.gov.br/?consorcio

Consórcio x Sorte e Azar

Você é uma pessoa sortuda? Já foi sorteado muitas vezes durante a vida? Gosta da emoção de conseguir alguma coisa através de sorteio? Uma das formas de ser contemplado é através dos sorteios mensais. Os lances são uma alternativa, mas mesmo assim, o seu lance estará concorrendo com o lance dos outros.

Todos os meses você pode antecipar o pagamento das suas parcelas através de lances. Quem oferecer a maior antecipação fica com o crédito para comprar o bem desejado. O problema é que muitas vezes estes lances são muito elevados. Muitos dos participantes já entram no consórcio preparados para dar grandes lances.

É comum encontrar consórcios com 4 contemplados mensais onde 3 deles são através de lances e apenas um pelo sorteio. A possibilidade de quem não pode dar lance ser um dos últimos contemplados é maior. Tem gente que vende os bens que possui para dar lances.  O problema é não conseguir a contemplação nas primeiras tentativas e ficar sem o bem vendido durante este tempo.

Consórcio x Paciência

Se você não tem paciência para poupar o próprio dinheiro vai ter paciência para esperar ser contemplado? Se não tiver disciplina com certeza será penalizado já que precisa pagar as parcelas mensalmente. Se não tiver paciência vai querer cancelar o consórcio para receber o dinheiro de volta, principalmente quando sentir no bolso o peso dos reajustes das parcelas. No caso do consórcio imobiliário elas são feitas pelo INCC e não pela TR como nos financiamentos imobiliários.

E neste momento você verá que vai ter que esperar ser contemplado da mesma forma para receber seu dinheiro. As pessoas impacientes acabam preferindo as dívidas de um financiamento. Consórcios definidamente não foi feito para os que não sabem esperar. E quem sabe esperar deveria aprender a se autofinanciar sem depender de ninguém.

Consórcio x Poupança

Poupar e investir seu próprio dinheiro para comprar à vista, sem precisar pagar taxas e nem juros é sempre mais vantajoso.  Todo resto é atalho que custa caro para antecipar uma compra que você não pode fazer hoje, por não ter dinheiro. Todo resto é comprometer sua renda futura para consumir hoje aquilo que está acima do seu padrão de vida.

Simulação de Consórcio:

Fiz uma simulação de consórcio imobiliário no site da Caixa (veja aqui). O valor da carta de crédito seria de R$ 380 mil e o prazo de 150 meses. O valor das primeiras parcelas é diferente da quinta parcela em diante. Veja no quadro abaixo. O valor médio da parcela fica em R$ 3.354,07 mensais. Isto acontece porque a taxa de administração é antecipada. Eles cobram 1% de taxa nas 4 primeiras parcelas. Já a taxa de administração é de 17%, 18% e 15%, conforme o prazo. O fundo de reserva é de 5%. O seguro de vida é de 0,03863% ao mês sobre o valor da Carta de Crédito cobrado a partir da 2ª parcela e por isto a primeira parcela é diferente da segunda, terceira e quarta parcela. No nosso exemplo, só de seguro são R$ 146,00 no primeiro mês.

Para receber os R$ 380 mil você terá que pagar mais de meio milhão de reais em 150 meses (R$ 503.111,50). Você deve perceber que sua dívida será reajustada todos os anos pelo INCC. Nos últimos 12 meses o INCC acumulado foi de 8%. O impacto disto em 12 anos e 6 meses de prestações é bem desagradável. No financiamento você paga juros, só que o reajuste da dívida é feito pela TR (Taxa Referencial) que deve estar na casa dos 1% ao ano. E você não tem como prever o comportamento do INCC na próxima década. Aprenda a calcular prestações corrigidas pelo INCC.

Simulação de Investimento:

Se você tem condições de pagar 150 parcelas de R$ 3.354,07 não seria melhor tentar investir este dinheiro por conta própria? Eu falo sobre isto de forma detalhada no Livro Negro do Financiamento de Imóveis. O resultado seria muito animador e estimulante para quem tem disciplina para poupar e paciência para esperar. É melhor ganhar juros do que pagar juros ou taxas.

Se você conseguir um investimento financeiro com rentabilidade real de 0,65% ao mês (saiba mais sobre alocação de ativos), e fizer 150 depósitos de R$ 3.354,07 terá R$ 847.710,61 no final de 150 meses. Isto equivale a 2,3 vezes o valor de R$ 380 mil da sua carta de crédito.

Observe que ao invés de pagar mais de R$ 503 mil em 150 meses em troca de R$ 380 mil você estará pagando a mesma mensalidade para você mesmo. Iria poupar os mesmos R$ 503 mil nos mesmos 150 meses em troca  R$ 847 mil. Ganharia só de juros R$ 344 mil. Observe que em apenas 85 meses, com a mesma taxa de juros e poupando apenas R$ 285 mil seria possível atingir os R$ 380 mil desejados já que quase R$ 94 mil seriam ganhos com os juros. Faça suas simulações utilizando taxas de juros e prazos diferentes.

Consórcio x Financiamento

Fiz uma simulação de financiamento de imóvel no site da Caixa http://www8.caixa.gov.br para obter R$ 380 mil financiados pela Tabela SAC em 150 meses. O resultado foram parcelas decrescentes de R$ 5.378,97. No final de 150 meses você pagaria R$ 600.692,00 por ter recebido os R$ 380 mil emprestados. O Custo Efetivo Total na simulação foi de 9,6% ao ano.

Precisamos considerar algumas diferenças entre os dois. Entrar no consórcio é menos burocrático, existem menos exigências no primeiro momento. Quando você é contemplado precisa passar por um processo burocrático parecido com o de um financiamento já que o consórcio precisa de garantias suas e do imóvel. O financiamento exige o pagamento de uma entrada que costuma ser de 20% e nem todo mundo possui esta entrada. Já no consórcio você precisa ter algum dinheiro para dar lances e assim ser contemplado mais rapidamente. No financiamento você recebe o imóvel imediatamente e no consórcio precisa esperar. No financiamento você paga taxa de juros, seguro e tarifa bancária. No consórcio você paga taxa administrativa, fundo de reserva e seguro.  No financiamento você tem sua dívida corrigida pela TR e as parcelas são decrescentes. No consórcio a dívida é corrigida pelo INCC e por isto as parcelas tendem a crescer muito com o passar dos anos. Basta olhar o acumulado da TR e do INCC nos últimos 12 meses para perceber a diferença preocupante.

É necessário que você faça simulações para verificar qual é o mais vantajoso. Existem consórcios com taxa administrativa mais elevadas, outros menos. Da mesma forma, existem linhas de financiamento com juros elevados, outras com juros mais baixos como a do Minha Casa Minha Vida. Em alguns casos você vai encontrar vantagem no consórcio, em outros pode dar empate e em outros casos o financiamento pode até ganhar do consórcio, principalmente se você se enquadra em programas de habitação para a população de baixa renda e tem condições de quitar a dívida em poucos anos.

Sempre devemos lembrar que no financiamento você deixa de pagar aluguel do imóvel onde mora. Com o consórcio você terá que continuar pagando aluguel até a data da contemplação. Este custo precisa ser considerado. Faça simulações utilizando a Tabela SAC que é adotada pela Caixa Econômica Federal onde o valor das parcelas são decrescentes.

Como você pode ver no artigo sobre Financiar Imóvel ou comprar à vista o financiamento também não ganha da disciplina e do investimento. E para quem está dependendo do aluguel recomendo a leitura deste outro artigo.  Se você possui algum amigo que pretende fazer um consórcio compartilhe este artigo com ele.

Consórcio é bom ou ruim?

A conclusão quem deve tirar é você porque ela depende das suas características pessoais. Muita gente considera consórcio vantajoso. Muita gente considera financiamento vantajoso. E também tem muita gente que prefere se educar financeiramente para planejar o futuro e realizar sonhos sem depender do dinheiro de terceiros, mesmo que isto signifique um pequeno sacrifício no presente em troca de uma recompensa maior no futuro.

Você precisa considerar o peso que as vantagens e as desvantagens que cada opção possuem na sua decisão. Quanto mais você investir em conhecimento, melhor será a sua decisão. Não olhe só o lado positivo das coisas, não escute só os argumentos do vendedor, procure saber o outro lado para que sua decisão seja totalmente consciente.

Você pode compartilhar com todos a sua opinião e suas experiências (positivas e negativas) sobre consórcios através da nossa área de comentários. Peço apenas que evite citar o nome de empresas. Para reclamações citando nomes eu recomendo o site Reclame Aqui. Já para propaganda de consórcios específicos eu recomendo outros meios de divulgação.

By |18/09/2013|Categories: Imóveis|77 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

77 Comments

  1. Beatriz 19 de setembro de 2013 at 15:31 - Reply

    Leandro, eu estava fazendo contas desesperadamente para tentar entrar em um financiamento de imóvel. Mas eu nunca conseguia o valor da entrada. Graças as suas dicas desisti da ideia. Realmente uma dívida longa pagando juros absurdos não é legal.
    Queria saber onde encontro dicas de como investir meu dinheiro. Tenho pouco, mas estão na poupança e não rendem praticamente nada…
    Obrigada!!

  2. Andre 21 de setembro de 2013 at 18:12 - Reply

    Leandro

    Uma conta que fiz a respeito da comparação entre financiamento e consórcio é que normalmente não consideramos a hipótese muito comum de um casal que entrou num consórcio ainda não ter seu imóvel próprio e viver de aluguel. Se consideramos que esse casal não tem valor guardado para antecipar lances e tiverem de esperar os 150 meses descrito no seu exemplo, o que ocorreria :

    Financiamento
    Gasto de 600.692,00 para financiar um valor de 380.000 em 150 meses.
    Vantagem: Não teriam mais a despesa de aluguel nos 150 meses seguintes

    Consórcio
    Gasto de 503.000 para uma carta de 380.000.
    Desvantagem: Como durante o tempo de consórcio, o casal teria de continuar pagando aluguel, se imaginarmos que eles podem ter de esperar os 150 meses para receber a carta, ou seja, 150 aluguéis. Imaginando um aluguel de 1500 reais para um apartamento de 380 mil, com base em minha cidade, além dos 503 mil eles teriam um gasto de 225 mil em aluguéis, ou seja 503 mil + 225 mil = 728 mil. Bem mais do que o financiamento.

    • leandro 22 de setembro de 2013 at 2:05 - Reply

      Olá Andre. Obrigado por participar e compartilhar sua opinião.

      • MAICON CARVALHO 9 de setembro de 2016 at 4:32 - Reply

        Porém a carta de crédito tbm irá se valorizar, assim não sendo mais os 380.000,00, sendo algo em torno de 450.000,00.
        Mesmo assim, tem que fazer muitas contas, avaliar bem o investimento.

    • Daniel 3 de julho de 2016 at 11:45 - Reply

      Se eles não tem dinheiro para dar o lance, como vão ter dinheiro para pagar a entrada no financiamento que hoje está em 50%? Lembrando que no consórcio, após a contemplação por lance livre ou embutido, o valor de parcela pode ser reduzido ou mesmo manter o valor e reduzir a quantidade de parcelas.

  3. Anderson Carlos 10 de dezembro de 2013 at 11:01 - Reply

    Leandro como você disse consórcio e financiamento são para gostos diferentes o problema e que as pessoas querem milagres para comprar seus imóveis, e não se planejam para comprar um imóvel , fiz meu consórcio de R$ 300.000,00 e fui contemplado em um ano ou seja juntei um dinheiro durante o periodo , usei meu FGTS, vendi meu terreno no interior e fui contemplado com 36% de lance em grupo em andamento , hoje pago uma parcela muito baixa e prentendo ir amortizando o prazo contratado pela metade em até 7 anos para quitar minha carta de crédito , moral da história eu fiz um planejamento antes de comprar meu imóvel , e me desculpa um pessoa que fala que prefere fazer um financiamento e pagar por quase 3 imóveis financiando pelo BANCO e ainda acha legal ,com certeza não deve entender nada de fazer uma economia com planejamento !

    Obrigado
    Um abc

    • Leandro Ávila 10 de dezembro de 2013 at 15:52 - Reply

      Olá Anderson. Muito obrigado por compartilhar sua experiência e sua opinião sobre o tema.

  4. RaNY 22 de janeiro de 2014 at 7:19 - Reply

    Bom dia! Quero saber se é vantajoso vender cotas de consórcio de carro e imóvel,inclusive comtemplado? Qual á melhor oferta em termos de porcentagem,para que não venda gato por lebre? Vendendo eles continuam á pagar? Assumem á dívida? Obrigado.

  5. Roberto 5 de fevereiro de 2014 at 1:28 - Reply

    Leandro, parabéns pelos seus artigos! Eles são sempre muito esclarecedores! Tenho 2 dúvidas, estou em uma situação em que as chaves do imóvel que comprei está por sair em abril, meu saldo devedor é de R$ 335 mil e tenho aprox. R$ 125 mil para usar em financiamento ou lance em consórcio. Não tenho consórcio mas minhas pesquisas indicam que consigo ser contemplado em 1 ou até 2 meses no consórcio usando os 125 mil em lance, as taxas ficariam em torno de 18% + seguro e o prazo é de aprox. 135 meses. Por outro lado consigo financiamento com taxa de 8,5% aa para financiar em maior prazo, talvez 300 meses. Moro de aluguel mas não tenho planos de morar neste apartamento, talvez alugá-lo ou vendê-lo. Sei que é difícil garantir a contemplação no consórcio, mas considerando os riscos e as vantagens de cada opção, qual vc mê indicaria? Ouvi dizer que o processo de conseguir a documentação no consórcio é mais demorada, isso é verdade?

    • Leandro Ávila 5 de fevereiro de 2014 at 2:13 - Reply

      Olá Roberto. Se você pretende vender, é melhor vender antes da entrega das chaves. Você já calculou todos os custos que terá quando o imóvel for entregue? Pesquise quanto custa o ITBI na sua região e os custos com cartório e registro de imóveis. Vendendo na planta não terá esses custos. Com relação ao Consórcio, verifique como o seu saldo devedor será corrigido. É pelo INCC? Faça a simulação já que no financiamento imobiliário os reajustes costumam ser pela TR. O INCC acumulado no ano passado foi de 8%. Já a TR foi de 0,19% e neste ano deve ficar perto de 1%. Quando você é contemplado a burocracia no consórcio é bem parecida com a do financiamento. Se pretende alugar, verifique como está a demanda por imóveis para aluguel na região. Lembre-se que com a entrega das chaves você terá um custo mensal do condomínio. Além das prestações do financiamento ou do consórcio, você terá o custo mensal com o condomínio. Um abraço.

  6. Fábio 4 de março de 2014 at 11:22 - Reply

    Olha, eu comprei uma casa na planta e financiei por 30 anos com parcelas de 870,00 (SAC). Hoje porém, passados quase 4 anos estou prestes a quitar pois vim juntando esse tempo todo e fazendo amortizações periódicas, utilizando também o FGTS. O absurdo é que nas primeiras parcelas, 2/3 de cada parcela correspondiam a juros, e apenas 1/3 era amortização da dívida. Agora, pra quem não tem condição de juntar dinheiro e quitar rápido, não creio que o financiamento imobiliário seja muito vantajoso.

    • Leandro Ávila 4 de março de 2014 at 22:12 - Reply

      Olá Fábio, é interessante aproveitar sua habilidade de poupar, para de agora em diante investir seu próprio dinheiro para ganhar juros, no lugar de pagar juros. Também é interessante que você calcule quanto de juros pagou durante estes anos e quando de juros deixou de ganhar. Um abraço e obrigado por deixar seu depoimento.

  7. Aldo 5 de março de 2014 at 22:03 - Reply

    Leandro, por problemas alheios a minha vontade, perdi bens que havia juntado num período da vida.
    Agora, para escapar do aluguel que fatalmente terei que enfrentar daqui a 3 meses, estou tentando comprar outro imóvel. Darei entrada de 40% e tenho a opção de consórcio sorteado x financiamento.
    Pelo cálculo que vc apresentou, qual seria o valor final do financiamento no mesmo prazo do consórcio? Qual dos dois seria mais barato?: Ou seria melhor financiamento com pagamentos de amortização? Situação que acredito não existir no consórcio. E pagamento adiantado do financiamento amortiza de trás para frente? Ou seja, pouca amortização por estar os juros embutidos nas prestações iniciais?

    • Leandro Ávila 12 de março de 2014 at 4:24 - Reply

      Olá Aldo, é necessário que você tenha em mãos os dados do financiamento e do consórcio que deseja fazer para comparar os custos. Tenha cuidado com a forma utilizada para reajustar a dívida do consórcio, muitos deles utilizam o INCC.

  8. Antonio 26 de março de 2014 at 23:56 - Reply

    Olha pessoal tudo o que foi debatido me ajudou muito em minha decisão, mas gostaria de contribuir com um ponto de vista. Apesar de muito pessimismo no mercado imobiliário eu acredito que os valores de todos os imóveis sempre continuem crescendo, não nos mesmos níveis dos últimos 4 anos, mas acredito que ao longo de 150 meses o valor do bem deve ser maior que 380 mil e o seu salário deve ter subido também. Penso que o financiamento ainda seja melhor devido às parcelas serem decrescentes e caso consiga antecipar você ainda pode abater os juros.

  9. Thiago 5 de maio de 2014 at 12:05 - Reply

    Analisando friamente em números, é bem clara a vantagem do consórcio ao financiamento. Comprei meu carro em consórcio, pago uma carta de imóvel pelo consórcio, e indico para as pessoas essa modalidade. Consórcio não é simplesmente “pagar para alguém administrar seu dinheiro”, e sim uma modalidade que tem suas vantagens para quem não tem dinheiro sobrando e tem um certo tempo para planejar. A pessoa pode ser sorteada em um ano, dois anos, e adquirir o imóvel por exemplo, coisa que apenas juntando na poupança não conseguiria fazer em um curto tempo.

  10. Jennifer Maciel 7 de maio de 2014 at 1:22 - Reply

    Boa noite. Primeiramente quero parabenizar o site. Muito informação valiosa. Estava pesquisando sobre as vantagens e desvatagens de realizar um consócio ou financiamento e achei o site. Bom, mudei meu padarao de vida, conseguir quitar qualse R$ 10.000,00 de cartão de crédito de dívida. Agora já comecei a poupar. Começando praticamente tudo de novo. Agora sem cartoes de credito e sem dívidas. Estou sem aluguel também, porque voltei a morar com meus pais. Agora já estou conseguindo poupar em média de R$ 1.500,00 mensais e estava pensando em fazer um consócio, mas analisando as minhas pesquisa percebi que esse dinheiro mensal que estou poupando poderá ser aplicado reder mais para comprar um imóvel do que realizar um consócio, pois o imagino que caso queira desistir do consocio perderei um bom dinheiro no distrato, acho muito buracartico. Entao, qual forma de investimento você conselharia nessa situação, de aplicar o valor de R$ 1500,00 reais mensais em qual fundo, para realizar a comprar de um imóvel?

  11. Maria 6 de junho de 2014 at 19:40 - Reply

    Caro Leandro.
    Estou adorando o seu site! Maravilhoso!!!!
    Existe a possibilidade de fazer um consorcio para um imóvel na planta?? Se sim, será que compensaria mais que um financiamento??

    • Leandro Ávila 8 de junho de 2014 at 0:06 - Reply

      Olá Maria, eu pessoalmente não vejo vantagem em consórcio de imóveis.

      • Bruno 20 de maio de 2015 at 18:42 - Reply

        Leandro, sou seu seguidor ávido. Procurei esta comparação em vários sites até que lembrei do seu. Você realmente analisa por completo as questões. Tenho um financiamento da Caixa (SAC) e estava pensando em fazer um consórcio para quitar o mesmo. De início me pareceu vantajoso, mas jogando as parcelas do SAC no Excel e somando o total, fica um valor menor do que Consórcio com os reajustes anuais pelo INCC que pela conta que fiz nos últimos 10 a 14 anos ficam em torno de 8%. Acredito que vou continuar em meu financiamento. E essa sua resposta já me diz tudo. Muito Obrigado.

  12. Rodrigo 5 de julho de 2014 at 11:18 - Reply

    Olá, Leandro. Esse é o primeiro artigo que leio do seu site.

    Acabarei de quitar o meu primeiro imóvel neste mês, utilizando o FGTS. Comprei o imóvel em julho do ano passado por R$ 180.000 e tive que financiar R$ 37.500 (o restante foi de recursos próprios e FGTS).

    Tenho um planejamento para o 2º imóvel. O meu desejo é construir uma casa. Acredito que consigo juntar R$ 200.000 até dezembro de 2017, aplicando em fundo de investimento (ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA MAXIME FICFI) que tem uma rentabilidade acumulada = (%) 36 meses 28,06%, 24 meses 16,11%, 12 meses 8,73%, no ano 4,62%, mês anterior 0,76%.

    1a pergunta: Indicaria algum outro tipo de investimento ? Considerando que posso poupar menos mensalmente e muito mais em alguns momentos de cada ano (13º em fevereiro, novembro e dezembro, PLR no meio do ano aproximadamente, e mais um salário extra (14º) no final do ano).

    Para esse 2º imóvel, pretendo utilizar esses R$ 200.000 para a construção da casa. Porém não possuo terreno e então teria que comprar um terreno com valor aproximado de R$ 200.000 também.

    Estava considerando um financiamento para a compra do terreno. Depois mudei de opinião e considerei consórcio.

    2a pergunta: Qual seria a melhor alternativa? Considerando que depois de finalizar a construção dessa casa, eu me mudaria e poderia colocar o meu 1º imóvel à venda. Penso que até lá o apartamento tenha se valorizado e eu consiga vendê-lo por uns R$ 220.000, R$ 240.000,00. Com esse valor, conseguiria quitar a dívida.

    Desde já agradeço.

    • Leandro Ávila 5 de julho de 2014 at 16:01 - Reply

      Olá Rodrigo. Eu recomendo que você diversifique. Normalmente estes fundos usam seu dinheiro para comprar títulos públicos. Um título pré-fixado como o LFT que vence em 2017 está pagando 11,53% que equivale a 0,91%. Se você usar uma corretora que não cobra taxa seu custo seria de 0,30% ao ano e não de 1% que é o cobrado neste fundo que você indicou. Leia mais sobre o Tesouro Direto para investir em títulos públicos visitando aqui. Também recomendo que aprenda a investir em LCI. Eu não gosto e nem recomendo consórcio ou financiamento, acredito que as pessoas podem poupar, investir e ter um pouco mais de paciência para planejar e comprar o que desejam. Acumular dívidas é sempre uma alternativa ruim.

      • Rodrigo 9 de julho de 2014 at 8:10 - Reply

        Leandro, obrigado pela resposta. Comecei a investir em LFT. Agora estou começando a analisar o comportamento da taxa oferecida a cada mês com a aproximação do vencimento do título. Pensando até quanto tempo antes é mais vantajoso do que outros investimentos, visto que a taxa pelo que pude perceber é descrecente (e o IR maior).

  13. Gabriela 18 de agosto de 2014 at 17:46 - Reply

    Excelente o site! Gostaria de adquirir um imóvel de 140 mil e tenho 80 mil, qual seria a melhor opção? Financiamento pela Caixa ou consórcio pelo Itau? Obs.: sem possibilidades de fazer poupanças. Grata!

    • Leandro Ávila 18 de agosto de 2014 at 20:24 - Reply

      Olá Gabriela, para saber a resposta é necessário que você solicite uma simulação da Caixa e uma simulação do Itaú para fazer a comparação de custos.

  14. camila 10 de setembro de 2014 at 10:20 - Reply

    Leandro, muito obrigada pelas dicas! Você é básico, realista e livre nas suas opiniões! Vou indicar para todos os meus amigos!

  15. Kelly 21 de outubro de 2014 at 22:51 - Reply

    Olá Leandro, parabéns pelo site é muito esclarecedor…
    Gostaria que você me ajudasse em uma dúvida…Comprei um consórcio em andamento da CAIXA… No valor atualizado de R$ 341.008,93 (o prazo dele era de 150 meses, mas já tinha corrido 49 parcelas, restando 101 meses e parcela inicial de R$ 3.859,11, fora o valor de adesão). como queria que fosse contemplado rápido dei um lance de 66% do valor do crédito, sendo 50% (R$ 170.504,40) de lance embutido e 16% (57.971,52) de recursos próprios, fui contemplada, e a partir do mês seguinte por conta da amortização do lance meu débito e prestações diminuíram, a prestação foi para R$ 1472,00, porém qdo utilizei o crédito na compra de um apto, 2 meses depois da assinatura do contrato, me disseram que o valor da prestação estava errado e que o correto era de R$1959,89, Porém o que consta na minha escritura assinada em Jul/14 é um saldo devedor de R$ 121.973,11 e prestações de R$ 1.527,99.
    Eu sinceramente acredito que minhas parcelas devem ser em torno de 1500,00 e não de 1959,00 como a CAIXA diz, até pq amortizei 66% da minha dívida.
    Leandro, como posso saber o valor correto e me defender no caso de estar errado o valor das parcelas, existe uma planilha ou cálculo que eu possa fazer???
    Desde já agradeço muito,

    Kelly

    • Leandro Ávila 22 de outubro de 2014 at 0:22 - Reply

      Oi Kelly, eu acho que você precisa da ajuda de um profissional que possa olhar seu contrato com atenção e ajudar nestes cálculos. Se algum erro for identificado é o caso de você entrar na justiça caso não queiram resolver a questão.

  16. Edgard 3 de dezembro de 2014 at 8:43 - Reply

    Leandro,

    Na comparação entre Financiamento X Consórcio, faltou mencionar que no Financiamento os juros cobrados são sobre o saldo devedor no momento do pagamento da parcela e no Consórcio o valor da parcela é reajustado anualmente, de acordo com o valor da carta de crédito.

    Entendo que, se estou precisando do dinheiro com urgência, o financiamento passa a ser vantagem. Caso esteja pensando a longo prazo, o ideal é realizar um planejamento e estipular o quanto vou “ME PAGAR” mensalmente.

  17. Eliedson 14 de janeiro de 2015 at 12:14 - Reply

    Leandro, primeiramente parabéns pelo seu site, muito esclarecedor e completo.
    Esse é o primeiro artigo que li na sua página, e caiu como uma luva porque eu estou em dúvida entre financiar ou fazer consórcio, estou com recursos para dar uma boa entrada caso opte por financiar ou para dar lance caso opte por consorcio.
    Lendo seu artigo me surgiu uma dúvida:
    Pago aluguel hoje, mas me surgiu uma ideia que seria aplicar o recurso que hoje eu tenho e todos os meses guardar um dinheiro para que renda e no final eu tenha uma quantia maior pra pagar menos juros.
    Seria essa uma atitude inteligente?

    Abraço

    • Leandro Ávila 14 de janeiro de 2015 at 15:50 - Reply

      Oi Eliedson, a atitude inteligente seria avaliar todas as possibilidades detalhando em um papel as vantagens e desvantagens, os riscos e as oportunidades de cada opção e depois tirar uma conclusão. A única forma de pagar menos juros é evitando o financiamento de uma fatia grande do dinheiro necessário para a compra. Além dos juros existem outras taxas que só são pagas por quem se endivida.

  18. Luciano 3 de fevereiro de 2015 at 22:54 - Reply

    Leandro, você disse não ser muito fã de consórcio de imóveis, mas vc enxerga alguma vantagem no caso de utilizar o consórcio para construir? Ainda mais agora que os juros da CEF aumentaram? Me foi oferecido a oportunidade de fazer um consórcio, dar o próprio terreno em garantia e ser contemplado logo no começo. Não desfaco de meu imóvel e ainda construo. O que você acha?

    • Leandro Ávila 4 de fevereiro de 2015 at 0:12 - Reply

      Eu acho que você deve fazer a comparação entre as duas modalidades. Observar todas as taxas. Verificar qual é o índice que será usado para corrigir a dívida. No caso do INCC veja o impacto que esta correção no decorrer do tempo. Leia o contrato com muita atenção. Negócio ruim é sempre aquele que você faz sem entender claramente quais serão seus custos, é aquele onde quem vende só fala as vantagens e você assina sem conhecer o outro lado.

  19. Cintia 10 de fevereiro de 2015 at 14:00 - Reply

    Olá Leandro, parabéns pelos esclarecimentos isentos de tendências.
    Estou comprando meu 2o imóvel e estou em dúvida. Para fazer o financiamento que seria minha primeira opção, pela segurança nos reajustes, teria que vender meu apartamento para dar a entrada que não possuo integralmente. Com o consórcio posso alugar meu apartamento, mantendo o bem, mas tenho receio dos reajustes. Qual seria a melhor opção? (Nos dois casos a intenção é ir amortizando para pagar no mínimo de tempo possível).
    Obrigada.

    • Leandro Ávila 10 de fevereiro de 2015 at 14:19 - Reply

      Oi Cintia, eu não tenho como avaliar e dizer qual é a melhor opção. Você precisa colocar tudo no papel e fazer simulações. Nestas simulações deve considerar situações desfavoráveis como o caso de redução da sua renda, demissões demora para vender e alugar imóveis com base na realidade do setor imobiliário da sua região, aumento exagerado do INCC que corrige a dívida do consórcio e muitas outras variáveis desenhando cenários otimistas e pessimistas para você tentar prever as consequências da decisão.

  20. Carlos 24 de fevereiro de 2015 at 17:04 - Reply

    Olá Leandro,

    Quais cálculos utilizo para comparar o impacto do INCC e da TR nas minhas parcelas ?

    Obrigado

  21. Gilson 8 de abril de 2015 at 10:38 - Reply

    Olá leandro,
    Obrigado pelos artigos publicados. Tenho aprendido bastante sobre educação financeira, caso tivesse me dedicado a esta (educação) anteriormente, não teria cometido o ERRO de aderir a um consórcio de imóvel, mas sim, teria aplicado em renda fixa. A partir de agora estou atento ao quesito financeiro.
    Obrigado.

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2015 at 22:54 - Reply

      Olá Gilson, sempre é um bom momento para aprender mais. Os erros do passado foram oportunidades para aprender. Parabéns por dedicar seu tempo aprendendo e se educando financeiramente. Um abraço!

  22. cristiane 20 de abril de 2015 at 10:04 - Reply

    Olá! Muito bom o site, simplesmente adorei!! A minha dúvida seria a seguinte .
    Fechei 3 consórcios um de carro e um de imóvel .
    Quando fiz não tinha como poupar e logo não tinha reserva , mas hj mesmo com o consórcio consegui uma reserva boa .
    O carro consegui com um lance de quase 50% onde eu ofertei e abati o número de parcelas , fiquei com a mesma parcela ( menor que de um financiamento ) e irei quitar em um prazo bem menor sendo assim se for ver o valor total pago acredito que seja bem menor que de um financiamento, pois quando canculamos sai quase o dobro do valor financiado .
    A carta do imóvel estou me programando para ofertar o lance , estou a uns anos pagando mas não chega a 20% da carta (250 mil ) quero ofertar 150Mil , logo irei abater parcelas e juros , é assim irei fazendo , juntar quitar juntar quitar .
    Na época que fiz os consórcios não tinha uma condição financeira estável , mas precisava fazer algo , hj consigo poupar , ter uma reserva legal mas não a ponto de comprar um imóvel a vista , pensando assim seria mais vantajoso eu financiar já com uns 50%de entrada ( sendo que no cálculo sai quase o dobro do valor financiado ) em um.periodo de 30 anos ou entrar no consorcio ofertar o valor de 50% ( sendo q o valor sai bem menor e um prazo menor 15 anos e fora que as parcelas sairiam bem mais baixa )

  23. Gil 5 de maio de 2015 at 10:42 - Reply

    Oi Leandro, primeiramente quero pabeniza-lo não só por essa, mas por todas as materias que compoem o seu site. São realmente excelentes!

    Apenas gostaria de um auxilio seu para a seguinte duvida:

    Fiz um consorcio de imovel (99 meses x R$100 mil) em Abril de 2014.

    Porem nesse periodo desistir de comprar um apartamento, e ao invés disto, com o rendimento das minhas da aplicações estou pagando um aluguel.

    Desse consorcio, já paguei aprox. 16 mil em 12 parcelas (1ª a 5ª = R$ 1,4mil e da 5ª até a 12ª = R$ 1.290,00).

    Minha duvida é:

    Se cancelar o consorcio hoje, voce tem ideía quanto que receberei de volta (ao final do grupo = 99 meses), desses 16 mil já pagos ?

    Ou quanto voce acredita que será descontado desses 16mil pagos, entre multas e taxas?

    Sinceramente nao achei essas informações em nenhum lugar, e tenho essa duvida para poder tomar minha decisão de cancelar ou nao este consorcio.

    Muito obrigado!

    • Leandro Ávila 6 de maio de 2015 at 0:02 - Reply

      Oi Gil. Eu não tenho ideia. É importante que você leia o contrato do consórcio, procure entender as cláusulas que falam sobre o cancelamento. Entre em contato com os responsáveis pelo consórcio e solicite informações e uma simulação para a desistência. Cada contrato de consórcio tem suas características específicas e eles precisam te passar informações para que você tome a decisão.

  24. Arnaldo Martins 7 de maio de 2015 at 23:06 - Reply

    Olá tudo bem?
    Bem, eu e minha esposa compramos uma carta contemplada de um consórcio de imóveis em 2008. Desde então no mesmo ano estamos com o imóvel, porém, acontece que as prestações estão aumentado muito. De R$ 900,00 reais em 2008 para R$ 2,350,00 este mês de Maio de 2015, acho muita coisa. Como posso verificar se os aumentos estão corretos?
    Outra questão é que, se por um acaso eu for quitar hoje o consórcio, o que é retirado das PRESTAÇÕES? por exemplo: Fundo de Reserva, Seguro, Taxa de Administração.

    Obrigado.

    • Leandro Ávila 8 de maio de 2015 at 2:02 - Reply

      Olá Arnaldo, você precisa ler o contrato do consórcio para verificar quais são as regras para o reajuste. Normalmente utilizam o INCC. Você também precisa verificar junto ao consórcio quais foram os reajustes, se ocorreu reajustes de taxas, etc. Cada consórcio possui sua próprias regras.

  25. Leonardo 15 de maio de 2015 at 16:01 - Reply

    Olá Leandro.

    Você alertou para o aumento anual no valor das parcelas do consórcio ajustado pelo INCC. Contudo, esse índice também valoriza o valor da carta de crédito, correto? A valorização da carta de crédito compensa o aumento nas parcelas? Poderia explicar essa relação, Valorização da Carta de Crédito X Aumento das Parcelas.

    Agradeço.

    • Leandro Ávila 16 de maio de 2015 at 1:09 - Reply

      Oi Leonardo, seria necessário ter dados de um contrato para fazer este estudo. Você deve considerar que são muitos anos com a dívida sendo ajustada pelo INCC e depois observar o comportamento do INCC nos anos anteriores e fazer simulações de qual será o impacto dele no futuro. Eu sinceramente acho que as pessoas deveriam aproveitar os juros elevados para fazer a própria poupança, evitando se envolver com financiamentos e consórcios em um ambiente de crise. No caso do consórcio, um ambiente de crise é perigoso já que você faz parte de um grupo e este grupo de pessoas precisa pagar suas parcelas em dia para que o grupo funcione.

  26. Felipe 5 de junho de 2015 at 11:49 - Reply

    Leandro,

    Estou avaliando a questão do consórcio e a minha gerente do banco me “vendeu” como sendo vantajoso para o meu perfil pois:

    – eu não pago aluguel atualmente;
    – em função do valor que eu já tenho eu conseguiria dar lances de aproximadamente 60-70% do valor da carta, já considerando o lance embutido do banco.

    Veja as contas que ela fez:

    Valor: R$867.729,18 ( corrigido pelo INCC)
    Valor com 17% de taxa de administração+3% fundo reserva (este volta corrigido no final do plano): R$1.041.275,02.

    Prazo original : 180 meses
    Prazo atual : 134 meses

    Lances:

    1)Recursos próprios+ 30% (lance embutido): R$712.382,50= 68% lance.
    Após o lance: redução em 68% no valor da parcela R$ 2.618,26 ou no prazo: 43 meses.

    2)Recursos próprios apenas: R$ 400.000,00=38% lance.
    Após o lance: redução em 38% no valor da parcela: R$5.072,88 ou no prazo: 83 meses.

    Sei que você não recomenda o consórcio, mas me pareceu vantajoso do ponto de vista dos juros serem infinitamente menores que o do financiamento. Eu tenho sim pressa em me mudar, mas ela me “vendeu” que pelo valor que eu tenho para dar de lance as chances de eu não ser contemplado no primeiro mês são infímas.

    Gostaria de ouvir a sua opinião.

    Abs

    • Leandro Ávila 5 de junho de 2015 at 14:14 - Reply

      Oi Felipe. Cuidado com a “venda”. O objetivo de quem vende não é refletir sobre o que é melhor para você, o objetivo é vender. Com isto mostram as vantagens e deixam as desvantagens para que você mesmo descubra nas entrelinhas. Avalie com cuidado o impacto da correção pelo INCC. Não é pequeno. Não é meu objetivo avaliar negócios dos leitores, mas te estimular a estudar, avaliar e ter consciência do que está fazendo e de qual será impacto disso na sua vida financeira.

  27. robson 4 de julho de 2015 at 13:51 - Reply

    Olá Leandro, tenho R$10.000,00 na poupança a mais de 6 meses e estou pensando em usá-lo agora para conseguir meu primeiro imóvel de residencia. Será que o consórcio ficaria viável pra mim que tem uma renda de R$1500,00 e deseja pegar uma carta de crédito de R$100.000;00? Não tenho pressa para ser contemplado e também não consigo guardar dinheiro, porém pago sempre em dia as minhas contas não consigo ficar sem pagar minhas contas, aliás sinto prazer em paga-lás.

    • Leandro Ávila 23 de setembro de 2015 at 10:12 - Reply

      Oi Robson, você precisa fazer estes cálculos. Não tenho como verificar a viabilidade. Eu recomendo que você comece a pensar na possibilidade de investir na sua carreira para aumentar estes R$ 1500 mensais, não se conforme com o que você ganha. Você pode e você merece ganhar mais que isso. Cuidado com o comportamento do pagador de contas feliz. Sua vida não se resume a pagar contas, você precisa investir, precisa investir em você mesmo, precisa aprender a poupar dinheiro e investir sem depender de consórcios. Tudo isso faz parte do seu processo de educação financeira.

  28. francisco silva 10 de julho de 2015 at 9:52 - Reply

    Leandro,

    Já fui informado por dois gerentes de banco que os LCI não estão mais disponíveis para vender, como eu faço para investir em LCI? Esta aplicação se faz em banco ou em alguma corretora? Tem alguma para indicar?

    • Leandro Ávila 10 de julho de 2015 at 14:36 - Reply

      Oi Francisco, está diminuindo a oferta de LCI nos últimos meses. Através de corretoras ainda é possível encontrar LCI de bancos de médio porte.

  29. Flavio do nascimento 10 de setembro de 2015 at 10:59 - Reply

    Olá Leandro Ávila, tenho aprendido muito com seu site. Cheguei aqui em busca de aprender mais sobre tesouro direto e acabei encontrando uma gama infinita de possibilidades de investimento, e principalmente uma proposta diferente de olhar a minha vida financeira. Bom, como não encontrei uma matéria especifica sobre isso resolvi fazer a pergunta aqui mesmo. Eu tenho um consorcio de carro que fiz a um ano, e ainda não fui sorteado. tenho pensado em desistir do consorcio e utilizar o dinheiro para investir no tesouro direto, mais não sei se é vantagem pois não tenho ideia de todos os multas e custos para isso. Poderia me ajudar?

    • Leandro Ávila 23 de setembro de 2015 at 10:09 - Reply

      Oi Flavio, eu sinceramente não sou favorável a nenhum tipo de consórcio, financiamento e endividamento. Como educador sempre prego que as pessoas devem parar de pagar taxas e juros para os outros. Consórcio é apenas uma maneira diferente de assumir uma dívida, onde você troca juros por taxas e reajustes. Você deve fazer uma avaliação criteriosa das possibilidades, deve verificar os custos envolvidos em cada decisão possível.

  30. SÓCRATES 14 de setembro de 2015 at 8:18 - Reply

    Olá Leandro!
    Tenho duas cartas de crédito contempladas através de lance perfazendo um total de aproximadamente 126.000.Restam menos de 30% para quitação de ambas.Ainda não utilizei estas cartas pois já possuo um imóvel pago, no qual resido atualmente.Estou com dúvidas no que devo fazer pois não tenho muita certeza do mercado imobiliário e me pareceu muito complicado a forma de concretizar a compra desse imóvel.como devo atuar e o que você poderia me sugerir?

    • Leandro Ávila 23 de setembro de 2015 at 10:06 - Reply

      Oi Sócrates, eu recomendo que você estude, reflita, realize simulações. Não posso dar opinião sobre sua realidade a distância.

  31. Cassia Maia Tolentino 18 de setembro de 2015 at 20:13 - Reply

    Boa noite Leandro avaliei e vi que fiz um péssimo negócio, tenho dois consórcios imobiliários do Poupex com prazo de 180 meses cada, antes não conhecia o Clube dos poupadores ,sempre gastei menos do que ganhava realmente fiz péssimos investimentos: capitalização, poupança e previdência privada cancelei tudo. Depois de ler os seus artigos e vários videos sobre investimento, a minha meta é diversificar os meus INVESTIMENTOS e quita-lós até 2018..
    Bom Final Semana .

    • Leandro Ávila 23 de setembro de 2015 at 10:05 - Reply

      Oi Cassia, provavelmente você fez todos os investimentos que o gerente do seu banco recomendou. Recomendo que você invista na sua educação financeira, leia livros, faça cursos, você descobrirá um outro mundo.

  32. Katiane 6 de outubro de 2015 at 13:30 - Reply

    Leandro,

    Eu e meu marido estamos tentando comprar um imóvel de 580.000,00 e temos 230.000.00 de entrada. Estamos procurando a melhor forma de financiar o restante. O juro do Banco para financiamento está muito alto e pela Caixa Economica nao conseguimos por não ter 50% do valor. Fomos ao Banco e nos ofereceram o Consorcio.

    Neste caso qual é o melhor a fazer?

    • Leandro Ávila 6 de outubro de 2015 at 13:50 - Reply

      Oi Katiane, o melhor é ter paciência, trabalhar, poupar e aproveitar os juros elevados. A economia vive uma crise, talvez o imóvel de R$ 580 mil custe menos nos próximos meses ou anos se a situação continuar se agravando.

  33. FILIPE EDUARDO 7 de outubro de 2015 at 18:04 - Reply

    Professor Leandro boa tarde! Parabéns pelas sabias palavras , eu tenho um imóvel próprio e não gostaria de me desfazer dele. No momento, gostaria de poupar e em até 6 anos adquirir um imóvel . Esse novo imóvel você aconselha eu adquirir na planta ou comprar um terreno para construir e onde encontro seu livro sobre educação financeira ? Abraços

    • Leandro Ávila 10 de outubro de 2015 at 7:50 - Reply

      Oi Filipe. Não existe uma resposta pronta para sua pergunta, pois depende. Vamos imaginar que você é um aposentado, tem muito tempo livre, gosta de obras, reformas, gosta de se envolver com estas coisas. Construir um imóvel neste caso pode ser divertido e você ainda vai economizar um bom dinheiro se forma pessoa organizada, que sabe planejar, coordenar, fazer as coisas acontecerem. Se a sua profissão for relacionada com a área de construção, melhor ainda. Agora vamos imaginar que você é um dentista, vive ocupado, não tem tempo para nada, e resolve construir um imóvel. Você terá muita dor de cabeça. Se for uma pessoa desorganizada, pior ainda.

  34. André 1 de julho de 2016 at 14:08 - Reply

    Creio que a grande vantagem em favor do consórcio é a obrigatoriedade de se poupar dinheiro, pois você se vê obrigado a pagar a parcela mensalmente.

    • Leandro Ávila 27 de dezembro de 2016 at 21:29 - Reply

      oi André. Solução para quem não poupa e investe o próprio dinheiro é educação financeira. Todo o resto são empresas lucrando com a falta de educação financeira das pessoas. Ignorância vira oportunidade de negócio.

  35. Michell 23 de agosto de 2016 at 17:35 - Reply

    Leandro, boa tarde!
    Gostaria de fazer uma pergunta simples. Comprei um imóvel no final de julho parcelado com a construtora. Acontece que na primeira atualização com o índice do INCC a construtora está levando em conta reajustes desde junho, período que eu não tinha comprado o imóvel ainda. É possível? Não deveria ser reajustado de acordo com o índice de agora em diante? O que fazer nesse caso?
    Muito obrigado!

    • Leandro Ávila 27 de dezembro de 2016 at 21:25 - Reply

      Oi Michell. Isso é normal, provavelmente isso está definido no contrato que você assinou.

  36. Francisco 10 de setembro de 2016 at 19:11 - Reply

    Leandro, suas dicas são muito esclarecedoras.
    Muito obrigado.
    Francisco

  37. Michelle 27 de dezembro de 2016 at 21:02 - Reply

    Professor Leandro primeiro gostaria de oarabeniza -lo pelo conteúdo do site sempre esclarecedoras, a aproximadamente um ano e meio fiz um consórcio de carro com o objetivo de poupar um dinheiro , sem nenhuma educação financeira e conhecimentos suficientes pelo assunto, vejo que fiz uma besteira que podia usar este dinheiro que pago mensalmente em investimentos como tesouro direto, minha dúvida é se fale a pena eu parar de pagar este consórcio e investir este dinheiro que pago mensalmente ou dar um lance tirar o bem e vende lo e com dinheiro quitar consórcio ou deixar o que já paguei para receber no final do consórcio, aí que dúvida cruel …

    • Leandro Ávila 27 de dezembro de 2016 at 21:23 - Reply

      Oi Michelle, você precisa fazer as contas. É uma questão matemática.

Leave A Comment

Compartilhe com um amigo