Financiar imóvel ou juntar dinheiro e pagar à vista

Artigo atualizado em 2017: Comprar imóvel através de financiamento significa comprar um e pagar por três. Quem aprende a poupar e investir seu próprio dinheiro, só precisa pagar uma parte do preço do imóvel. O restante será conquistado através do efeito dos juros compostos e da possibilidade de negociar bons descontos quando se tem dinheiro para pagar uma grande entrada ou comprar à vista.

Mesmo assim, muita gente ainda tem dificuldade de enxergar que crédito imobiliário pode ser um mau negócio. Só é um ótimo negócio para os bancos, construtoras, incorporadoras e outras empresas do setor. O financiamento de imóveis é uma forma rápida e fácil de vender imóveis até para quem não tem dinheiro.

Basta convencer o consumidor a comprometer uma boa parte de toda renda que irá gerar durante a vida. Existem pessoas que passam a vida inteira trabalhando para pagar juros de financiamentos de imóveis. Antes mesmo de quitar o primeiro imóvel, trocam de imóvel ou compram outro, fazendo nova dívida.

Imagine o que representa para um grande banco convencer milhões de pessoas a passarem 30 anos ou mais das suas vidas trabalhando para pagar juros e taxas todos os meses por um financiamento imobiliário. É isso que sustenta o pagamento de lucros e dividendos elevados aos acionistas dos bancos. Somente uma população que sofre com seu baixo nível de educação financeira aceita pagar taxas de juros tão elevadas por tanto tempo. O Brasil é o país com as maiores taxas de juros reais do mundo. Isso é ótimo para quem poupa e investe e péssimo para quem aceita passar uma vida inteira assumindo dívidas. A ignorância financeira da população se transformou em uma grande oportunidade de negócio para empresas e para o próprio governo.

Financiamento é ótimo para as construtoras

O crédito imobiliário proporciona verdadeiras mágicas.  Graças a ele as construtoras e incorporadoras conseguem vender imóveis de meio milhão de reais para pessoas que nunca tiveram e nunca terão todo esse dinheiro disponível na conta bancária. As pessoas com pouca educação financeira pensam da seguinte forma: “Não posso pagar meio milhão por um imóvel, mas posso pagar 420 parcelinhas mensais de R$ 4.431,77 se elas couberem no meu salário.” As pessoas não param para pensar o que significa viver várias décadas com uma boa parte da renda familiar comprometida com a prestação de um imóvel. Elas não param para refletir que além do custo mensal do financiamento, ter um imóvel significa assumir uma série de outros custos fixos, que também reduzem os recursos da família. Sem qualquer reflexão e planejamento, a maioria compra imóveis como se estivesse comprando uma nova televisão para a sala.

Para a construtora, tanto faz vender o imóvel à vista para você ou parcelado em 35 anos. O banco é que comprará o imóvel para depois poder vender uma dívida para você. Ao comprar um imóvel através de um financiamento, você está comprando uma dívida e não um imóvel.

O banco ficará com o imóvel, a construtora ficará com o dinheiro e você ficará com uma dívida durante boa parte da sua vida produtiva. Tecnicamente falando o imóvel só será seu quando você quitar a dívida com o banco. Enquanto isso não ocorrer, você terá o direito de morar no imóvel. Esse direito só será mantido enquanto você estiver com as prestações em dia. Morar em um imóvel financiado não é muito diferente de morar no imóvel dos outros, movido pela esperança de que um dia ele será seu.

O financiamento imobiliário, oferecido pelos bancos, permite que construtoras e incorporadoras possam vender imóveis para pessoas que ainda não sabem poupar e nem investir o próprio dinheiro. Financiamento é para quem não sabe ou não quer planejar o futuro.

Imóvel não é um bem que se decide comprar de um dia para o outro. A compra de um imóvel precisa ser planejada 5 ou 10 anos antes. O plano exige economia, sacrifício, poupança e investimento antecipado para que a dependência do dinheiro alheio seja mínima ou até nula. Quem não aceita fazer este esforço, sustenta o sistema pagando juros e taxas por muitos anos.

A grande verdade é que nas duas opções que você tem um sacrifício será necessário. Você pode optar por fazer um sacrifício antes, poupando e investindo seu dinheiro por livre e espontânea vontade para comprar o imóvel à vista ou com o menor endividamento possível.

A outra opção seria comprar financiado e passar longos anos fazendo sacrifícios para pagar três coisas: o imóvel, os juros do banco e suas taxas. Tudo isso com o desconforto de ter uma enorme dívida, que se não for paga fará você perder seu lar.

Tudo bem que você estará trabalhado para pagar por uma coisa que será sua no futuro, mas lembre-se que você também estará trabalhando para sustentar os lucros dos bancos, seus acionistas e investidores.

Já ouviu falar em fazer o dinheiro trabalhar para você? É o que os acionistas dos bancos fazem junto com os investidores que emprestam dinheiro para o banco poder emprestar. Para saber mais leia aqui.

Financiamento é ótimo para os bancos

Hoje em dia oferecer crédito imobiliário é altamente lucrativo e seguro para os bancos graças a uma coisa chamada alienação fiduciária. Alguém que queira comprar um imóvel novo de R$ 500 mil financiado precisa ter no mínimo R$ 100 mil de entrada (20%) para receber R$ 400 mil emprestados. O prazo para o pagamento pode ser de até 35 anos.

Na prática a pessoa vai pegar R$ 400 mil e assumir uma dívida de R$ 1.223.873,23 (juros de 10,8316% a.a. CET) para pagar em 420 parcelas decrescentes (tabela SAC) começando por R$ 4.268,86 mensais. A dívida ainda será corrigida pela TR (Taxa Referencial) que é um índice que não podemos prever por ser determinado mensalmente pelo Banco Central. Quanto maior a taxa de juros no Brasil, maior tende a ser a TR. Não é possível saber qual será a TR nos próximos 35 anos de financiamento.

Nos últimos 10 anos a TR assumiu diversos valores. A TR acumulada em 2003 foi de 4,64%. Isto faria uma dívida de 1 milhão ficar R$ 46.400.00 maior em apenas 12 meses. Em 2006 foi de 2,03%. Em 2011 foi de 1,2%. Em 2016 ela ficou acima de 2%. Uma dívida de 500 mil reajustada em 1% gera um aumento de R$ 5.000,00 na dívida.

Veja um histórico da TR em %:

É importante relembrar que só depois que a dívida for quitada que o banco transferirá o imóvel para você. É por este motivo que falo na minha série de livros sobre imóveis (conheça aqui) que quem precisa de um imóvel, e não tem dinheiro por não ter se planejado no passado, precisa optar entre duas formas de aluguel:

  1. Alugar um imóvel;
  2. Alugar o dinheiro para comprar um imóvel. Também mostro nos livros que existem pessoas que fazem as duas coisas ao mesmo tempo.

Banco aluga dinheiro para quem não precisa

Os bancos existem porque algumas pessoas optam por juntar e investir dinheiro para consumir no futuro e outras são muito apressadas e preferem consumir hoje com o dinheiro dos outros.

O negócio do banco é alugar dinheiro onde este aluguel se chama juros. O grande negócio dos bancos é endividar as famílias até o limite que não permita o atraso dos pagamentos.  Uma família que tem renda suficiente para pagar uma prestação de R$ 4.268,86 (como vimos no exemplo) não precisa de dinheiro emprestado para comprar um imóvel de R$ 500 mil. Esta família só precisa de um pouco de orientação, educação financeira e paciência.

Talvez esta família não precise de um imóvel de meio milhão de reais. Muitas vezes, diante da possibilidade do financiamento, escolhemos imóveis muito maiores e mais caros do que nosso padrão de renda (saiba mais aqui). Se você tem um banco disposto a emprestar meio milhão para que você pague em 35 anos, existe uma tendência de ignorar os problemas que isso pode provocar no futuro. Você acaba sabotando o seu futuro ao priorizar o seu conforto presente.

Até que ponto as pessoas acabam comprando imóveis acima da própria realidade, graças a esse tipo de “facilidade”? Você precisa tomar decisões racionais sobre financiamentos. Os bancos e o mercado imobiliário fazem de tudo para que você tome decisões emocionais.

Comprar imóvel com 6 anos de poupança ou 35 anos de dívida?

Você pode escolher entre fazer um sacrifício por alguns anos ou passar o resto da vida endividado. Vamos imaginar uma família que planeja seu futuro com antecedência. Vamos imaginar que esta família vai comprar o mesmo imóvel do exemplo anterior. Ela também possui R$ 100 mil de entrada e deseja comprar um imóvel de R$ 500 mil. No lugar de pagar R$ 4.268,86 na primeira parcela, ela resolve poupar e investir os mesmos R$ 4.268,86 mensais.

Em apenas 6 anos e 5 meses a família conseguiria os R$ 507.217,21, mais do que necessários para comprar o imóvel à vista mantendo o dinheiro em um investimento que ofereça 0,7% de rentabilidade líquida mensal. Na verdade, esta família só teria que poupar R$ 377.475,90, ou seja, eles só iriam retirar da própria renda esta quantia. O outros R$ 129.741,31 ela receberia de juros sobre juros. Ai você vai me perguntar como é possível conseguir 0,7% de rentabilidade real (descontado a inflação) se a rendimento da poupança está tão baixo?

A pergunta mostra que você tem outro problema. Além de acreditar que a compra de imóveis financiados é a melhor solução (ou a única), acredita que a poupança é a única possibilidade de investimento seguro em renda fixa. Sobre a caderneta de poupança, desconfie das unanimidades, nem sempre elas são inteligentes. Normalmente elas atendem os interesses de quem propaga estas unanimidades.

A única coisa que você precisa fazer para ter rendimentos elevados através dos seus investimentos é aprender a investir fora da poupança . Existem inúmeros investimentos disponíveis, mas que são pouco conhecidos devido a baixa educação financeira da população. Aqui mesmo no Clube dos Poupadores existem inúmeros artigos gratuitos como este falando sobre esses investimentos. Exemplos: Títulos públicos, títulos privados como CDB, LCI, LCA, LC, CRI, CRA, RDB, debêntures, fundos de investimento. Existem ainda os investimentos de maior risco como as ações negociadas na bolsa, fundos imobiliários, fundos de ações e multimercado, etc. Você pode deve dedicar um pouco de tempo estudando para construir a sua própria carteira de investimentos com base no seu perfil de investidor.

Além das centenas de artigos gratuitos que temos no Clube dos Poupadores ensinando a investir (cadastre seu e-mail e receba artigos semanalmente), ainda existe a minha série de livros e cursos que eu recomendo. Isso significa que ter baixa rentabilidade nos seus investimentos é uma opção, uma escolha que você pode fazer, pois não faltam fontes de conhecimento para aprender a investir melhor. A opção mais fácil (que é não fazer nada) também é a opção mais cara.

Comparativo: Comprar financiado ou à vista?

Como vimos, um imóvel de R$ 500 mil financiado vai custar todas as parcelas do financiamento e suas taxas que totalizam R$ 1.155.907,75, além dos R$ 100 mil que você deverá pagar como entrada. Tudo isso ainda seria corrigido pela TR ao longo de 35 anos.

Veja a comparação no gráfico. Quem escolhe juntar dinheiro para investir só precisa poupar R$ 377.475,90 do próprio bolso durante 6 anos e 5 meses para comprar o mesmo imóvel à vista. São os juros compostos trabalhando para você e não contra você. São R$ 129.741,31 de prêmio para quem tem paciência para investir o próprio dinheiro.

Você pode fazer suas próprias simulações de investimento (visite aqui) utilizando o simulador de juros compostos que disponibilizei gratuitamente.

Quem compra à vista paga menos

Observe na linha laranja do gráfico acima. Em 6 anos é possível ganhar 129.741,31 de juros que somados aos R$ 377.475,90 poupados permitiriam comprar o imóvel de R$ 500 mil sem nenhum endividamento. Com dinheiro à vista seria possível até negociar preços ainda menores.

Apenas para mostrar o poderoso efeito dos juros compostos, vamos ampliar esse exemplo. Vamos imaginar que você resolveu investir o valor das mesmas prestações que teria que pagar para o banco durante os mesmos 35 anos de financiamento. Como vimos, em 6 anos você teria os mesmos R$ 500 mil. Quanto teria 35 anos depois mantendo uma rentabilidade real e mensal de 0,7%? O resultado seria R$ 12.680.510,86. Isso mesmo, mais de 12 milhões de reais. Na prática, você pode considerar isto como um custo de oportunidade.

É por este motivo que muitos investidores deixam para comprar um imóvel próprio quando estão mais velhos, antes da aposentadoria. Estas pessoas escolhem morar de aluguel. É evidente que no começo da vida escolhem morar em imóveis mais simples, para que sobre o máximo possível para investir o dinheiro da compra do imóvel próprio. Depois de alguns anos, a quantidade de dinheiro acumulada e investida será maior e os juros recebidos também, permitindo alugar imóveis melhores enquanto continua poupando e investindo. Isso permitiria construir a própria independência financeira, antes da aposentadoria.

Inflação e valorização dos imóveis

Algumas pessoas questionam a estratégia de poupar e investir dinheiro para comprar o imóvel à vista ou com a maior entrada possível com o objetivo de reduzir o tamanho da dívida. Essas pessoas afirmam que o preço dos imóveis sempre valoriza e que a inflação prejudica a rentabilidade dos investimentos. Como mostrei neste artigo é possível montar uma carteira de investimentos que ganha da inflação e para isso você só precisa deixar de ser um simples poupador para se tornar um investidor de verdade.

Já a afirmação de que o preço dos imóveis sempre valoriza, posso dizer que não é assim que ocorre todas as vezes. O mercado imobiliário tem um comportamento cíclico, exatamente como ocorre na economia do país. Existem momentos de grande valorização, quando a economia está crescendo, e existem momentos de estagnação e até de contração.

A FIPE tem uma pesquisa mensal sobre o comportamento dos preços dos imóveis em todo país. Como toda pesquisa, eles avaliam a média. A realidade de cada cidade e de cada bairro do país pode ser diferente da média. De qualquer forma é possível observar na pesquisa que nem sempre os imóveis valorizam no país e existem situações onde eles não conseguem acompanhar a inflação.

Veja o gráfico abaixo retirado desse relatório. Você pode acessar relatórios antigos e atuais entrando aqui.

A linha laranja indica a valorização dos imóveis nos últimos 12 meses que foram medidos semestralmente. Observe que ocorreu uma forte queda na valorização dos imóveis desde 2012. No início de 2015 a alta dos preços não era suficiente para manter o valor real dos imóveis, ou seja, a inflação estava aumentando mais que o preço dos imóveis. O gráfico vermelho indica a alta da inflação medida pelo IPCA.

São nestes momentos de crise na economia que a estratégia de poupar e investir se torna mais vantajosa. Nos momentos de crise e juros elevados, o mercado imobiliário fica desaquecido. A demanda por imóveis diminui, os preços param de subir e em alguns casos ocorre queda de preços através de descontos e promoções. Também é no momento de crise que o mercado financeiro oferece os investimentos com as maiores taxas de juros. As crises criam ótimas oportunidades para quem sabe poupar e investir o próprio dinheiro. Nos meus livros sobre imóveis eu falo mais sobre estratégias para comprar e investir em imóveis.

Conclusão:

Esse artigo foi totalmente atualizado em 2017, mas foi originalmente escrito em 2013 quando o Clube dos Poupadores foi criado. Nesses anos vários leitores do Clube dos Poupadores entraram em contato comigo para falar do efeito transformador deste e de outros artigos que escrevi nos últimos anos. Uma mudança de mentalidade pode fazer uma enorme diferença no seu futuro financeiro. O tempo que você dedica investindo na sua educação financeira é o que fará diferença no seu futuro.

Em 1972, um estudo foi realizado na Universidade de Stanford, nos Estado Unidos, com o intuito de testar a capacidade das pessoas de adiar uma satisfação, ou seja, de optar pelo sacrifício com o objetivo de obter resultados melhores no futuro. A um grupo de crianças foi oferecido um delicioso “marshmallow” (um doce que as crianças adoram), mas existiam algumas condições e explicações que o pesquisador apresentava para a criança dizendo: “Você pode comer o doce a hora que quiser, mas se conseguir resistir por 15 minutos e não comê-lo, ganhará DOIS doces”. Veja o vídeo:


Agora troque o marshmallow pelos imóveis, automóveis e outros objetos que você deseja como se fossem doces diante das crianças e faça uma boa reflexão.

A habilidade de adiar a gratificação é fundamental para o sucesso da sua vida em várias áreas, incluindo o sucesso financeiro e profissional. Essa habilidade indica uma melhor cognição e a possibilidade de ter um estilo de vida mais saudável e com maior autoestima.

Dia da sorte...

Muita gente acredita que ter sucesso na vida financeira depende de um tipo sorte. Descobri uma forma de aumentar essa sorte: quanto mais você estudar sobre ganhar, poupar e investir dinheiro, mais sorte terá na sua vida financeira. Escrevi uma série de livros que vão ajudar você a aumentar esse tipo de "sorte" rapidamente:Clique aqui para conhecer os livros.
Esse artigo foi útil?
Deixe-nos saber, se você gostou deste artigo. Só assim podemos continuar melhorando.
Sim
Não

Sobre o Autor:

Leandro Ávila criou o Clube dos Poupadores por acreditar que o conhecimento é uma riqueza que se multiplica quando dividida. Compartilhando o que sabemos, criamos um mundo melhor. Conheça os livros que ele escreveu sobre educação financeira, investimentos financeiros e imobiliários.

427
Deixe um comentário.

avatar
600
208 Comment threads
219 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
198 Comment authors
Leandro ÁvilaEliasMaurilioHeros AthilaEdmar Recent comment authors
newest oldest
Fernando
Visitante
Fernando

Muito bom o artigo. sou pequeno investidor e representante comercial. O planejamento financeiro deveria ser uma material ensinada e praticada no terceiro colegial nosso.
Abraço e agradeço por estas informaçoes.

Edson
Visitante
Edson

Cada caso é um caso, mas via de regra financiamento não é a melhor opção.
Eu tinha um apartamento quitado e um terreno e os vendi para aplicar em imóveis para locação em bairros mais populares.
Comprei outro imovél, porém financiado e aluguei por um valor que quase empata com o custo mensal do financiamento, em breve será maior que o custo menasal.
Somando todos os alugueis tem sido suficiente para pagar o aluguel de onde moro, sendo que a qualidade é bem superior ao meu antigo imóvel próprio e ainda sobra para continuar investindo.
Estou nesta situação há três anos e tanto eu como a família não nos arrependemos nenhum pouco.

Marcos
Visitante
Marcos

Olá, “É melhor uma casa ruim num bairro bom que uma casa boa num bairro ruim”. Há 20 anos gatei 80 k numa casa que vendi por 30 k dez anos depois comprei um apartamento que valia 40 k e hj vale 200 k e recebi a proposta da maior construtora para permutar por um apartamento a ser construído no mesmo local no valor de 500 k que será entre em 4 anos.

Eliane
Visitante
Eliane

Leandro,
No meu caso eu tenho R$10 mil guardados na poupança e consigo, no máximo, poupar R$5 mil por ano.
Moro de aluguel e queria financiar uma casa ou apartamento. Fui na Caixa e os financiamentos imobiliários que o governo anuncia na TV é “para inglês ver”, porque quando você chega lá, sua renda bate com os requisitos do plano, tudo dá certo até que eles dizem que você tem que dar R$35 mil de entrada no imóvel, quando anunciam na TV que o financiamento é de 100%.
O que é melhor: Juntar esse valor da entrada em 5 anos e financiar o imóvel ou desistir por alguns anos da casa própria e continuar de aluguel e guardado o dinheiro para quem sabe lá na frente voltar a pensar em dar uma entrada maior e financiar o restante?

Whilson
Visitante
Whilson

Olá Leandro!
No meu caso, os valores são bem mais baixos, tenho R$5.000, e consigo juntar por mês R$1.000, mas porem , pago R$450.00 de aluguel. Tambem acho que financiar não é vantagem, mas a poupança seria mesmo a melhor alternativa??ou oque poderia fazer, para tem mais rentabilidade.

Alvaro Ramos
Visitante
Alvaro Ramos

Excelente publicação Leandro. Estou realmente com muitas dúvidas, possuo um imóvel quitado que estou querendo vender por $330.000,00 pois não quero mais morar na localidade do imóvel, estou a procura de um imóvel mais caro por volta $ 500.000,00 que é próximo do meu trabalho.
Ao mesmo tempo penso em locar meu imóvel, consigo locar $ 1.500,00 mês e com dinheiro do aluguel complementar na prestação de um outro imóvel que estou na dúvida se faço financiamento. Lendo seu artigo confesso que desanimei totalmente de fazer financiamento.
O problema que não sou tão disciplinado para juntar dinheiro todo mês, na verdade minha esposa eu sou até bem controlado. Acredito que consigo juntar em média $2.500 a 3.000,00 mês.
Já pensei também em vender e aplicar o dinheiro e morar de aluguel, pois iria ter um retorno maior do que alugar.

Marco
Visitante
Marco

Bom dia Leandro

Tenho acompanhado seu trabalho. Tenho dúvida podendo me auxiliar por e-mail
Moro em casa de meu sogro sem precisar pagar aluguel. Temos hoje em aplicação 200 mil. Minha dúvida é a seguinte. Queremos comprar um imóvel sem compromisso rápido para morar.
1) Terreno para construção sem pressa ou apartamento?
2) Financiamento ou compra de um apartamento em redondezas para aluguel? Um financiamento hoje pela minha minha casa e minha vida com valor de aluguel se paga?

Abraços e aguardo retorno

Rosana
Visitante
Rosana

Muito Boa Tarde, Alvaro
Quero financiar uma casa no valor de 150 mil reais. A CEF quer 38 mil de entrada e mais 300(trezentas parcelas ) de 990,00(novecentos e noventa reais).
Se eu e meu marido juntarmos 1500,00(hum mil e quinhentos) raies por mes durante 04(quatro) anos, nós teremos 84 mil, isso fora férias, 13%, e mais outros que podem chegar a 100 mil,
Pergunta? Se realmente fizermos este planejamento e quisermos quitar este imóvel, do exemplo acima…a CEF me dará um desconto sobre o valor devedor de …150 mil ou do valor total do financiamento de 25 anos???

Agradecida, por sua atenção.
Zana Tavares

PATRICIA
Visitante
PATRICIA

MUITO BOM…. ADOREI, VOCÊ ESTÁ DE PARABÉNS LEANDRO. TIROU MUITAS DE MINHAS DUVIDAS.

Eli
Visitante
Eli

muito bom, me fez tomar uma decisão…

Pedro
Visitante
Pedro

Duas palavrinhas:

1 – Com esta bolha imobiliária que vivemos, eu diria que nem a vista está valendo a pena.
2 – A vista x financiado é relativo. Eu diria que, para aqueles que já possuem a grana pra comprar a vista, no atual momento, com financiamentos com juros efetivos na ordem de 10%aa e títulos do tesouro remunerando 9,5%aa (LFT) e 12%aa (LTN), COM VIÉS DE ALTA, que o melhor mesmo é financiar no máximo de tempo possível, com a menor entrada possível, se possível, via PRICE, claro, assim que a SELIC chegar a 11%aa (o que vai acontecer). Desta forma será possível ganhar dinheiro com a diferença entre juros pagos e juros recebidos, e o que é melhor, sem se desfazer de seu capital. Também é uma excelente estratégia pra quem já tem o dinheiro.

Leonardo
Visitante
Leonardo

Acontece que as coisas mudam! E a partir do momento em que vc assinou o contrato de financiamento, há consequências para o descumprimento.
Na prática, essa estratégia é furada.

Jesseh Rodrigues
Visitante
Jesseh Rodrigues

Uma observacao… incluindo os custos indiretos de financiamento que foram mencionados acima, do tipo, seguros e taxas… ainda assim vc acredita que poderah obter uma vantagem real?

GB
Visitante
GB

Muito bom, concordo 100% com o que escreveu e iria além dizendo que esse imóvel do exemplo, de meio milhão, não vale esse valor, as construtoras não gastam tudo isso para construí-lo, são só paredes, tetos, pisos, portas e outros acessórios, e os bancos são os maiores beneficiários dos preços absurdos de caros pois assim tornam-se necessários para “ajudar” a pessoa a ter esse valor financiando valores cada vez mais altos e os vendedores seguem pela mesma linha de raciocínio, tipo “por que eu venderia por R$ 100 mil se a pessoa pode ir ao banco e conseguir meio milhão ?”. Por sorte os preços estão visivelmente caindo, o que mostra que faltam (editado) para embarcar nisso, mas ainda estão muito altos, eu prefiro ficar com meu dinheiro investido e trabalhando para mim e eles que fiquem com todos os seus imóveis absurdamente “valorizados” (com esses prejuízos e dívidas astronômicas eu acho que logo teremos mais uma ENCOL vindo por aí).

GB
Visitante
GB

E uma outra coisa que eu acho interessante (e que as pessoas não notam), é que existe uma 3ª opção a idéia de que a pessoa paga aluguel pelo imóvel ou paga aluguel pelo dinheiro do banco, pois por mais absurdo que pareça a princípio, até mesmo o proprietário do imóvel em que reside “paga aluguel” pois ao optar por usufruir do imóvel ele perde a chance de auferir ganhos com ele, inclusive as empresas, quando donas de suas instalações, contabilizam esse fato, tem gente que chama isso de custo da oportunidade do dinheiro, portanto TODO MUNDO PAGA ALUGUEL, seja 1) alugando um imóvel, 2) pelo aluguel do dinheiro do banco e 3) sendo proprietário e optando por perder a chance de auferir ganho com esse imóvel em que reside. Inclusive, graças ao oba-oba imobiliário (2008-2011) muita gente vendeu ou está tentando vender o imóvel caro para deixar esse dinheiro rendendo e depois comprar quando os preços baixarem.

Adelaide
Visitante
Adelaide

Prezado Leandro,
Boa tarde.

Por gentileza, solicito encarecidamente que me orientes quanto a compra de apartamento.
Desejando a casa própria, venho guardando dinheiro para comprar a vista ou financiar o mínimo que possa. Tenho pesquisado bastante nos bairros onde desejo comprar. O meu foco é imóvel usado.
Apareceu a oportunidade de comprar um imóvel usado, no bairro e do tamanho que desejo porém, só tenho 40 mil e ele custa 180 mil. O que me dirias? Por ser no bairro onde quero, com o tamanho que procuro e que atendam minhas necessidades hoje e futuramente, vale a pena financiar?
Levando em conta que com o valor do meu salário líquido, eu conseguiria quitar em 3 anos que é o meu desejo, ou seja, teria condições de pagar parcelas mensais de 5 mil.

Aguardo seu retorno e desde já, muito obrigada e parabéns pelos conteúdos do site.

Att.
Adelaide

Adelaide
Visitante
Adelaide

Prezado Leandro,
Bom dia.

Nem imaginas a minha felicidade pelo seu retorno. Estou muito agradecida.
Irei sim verificar quanto custará em 3 anos que me proponho a pagar. Quanto a qualidade de vida, manterei o necessário e cortarei os supérfluos.

Muito, muito, muito obrigada.

Thales Anderson Teixeira da Silva
Visitante
Thales Anderson Teixeira da Silva

Leandro,
Acompanho o seu site e coloco em prática muitas dicas, obrigado por compartilhar conosco um pouco do seu conhecimento, eu acho que é muito importante a educação financeira e o nosso país só teria a ganhar se tivéssemos uma materia falando sobre o assunto na escola.
Optar por um financiamento realmente é uma péssima idéia, mas tem uma pergunta que não quer calar:
Enquanto a pessoa se prepara fazendo só investimentos de longo prazo, onde ela vai morar?
No caso para a pessoa que vai comprar o primeiro imóvel não é mais vantajoso comprar o mesmo financiado, que ao final do longo periodo do financiamento o imóvel será seu do que pagar aluguel, que é um dinheiro que não irá retornar nunca?
Uma outra questão seria com relação à valorização do imóvel, no caso de ímóvel novo, isso não deveria ser levado em consideração nas contas, assumindo que uma boa seleção do imóvel foi feita?
Ainda não sei se você explica algo a respeito no Livro Negro dos imóveis, pois acabei de comprar e comecei a lê-lo, o qual aliás é bastante agradável e bem objetivo.
Moro em imóvel próprio e quitado e felizmente após um bom planejamento, conseguir quitar o meu imóvel na entrega, mas quero trocar ou comprar um imóvel maior, pois a família cresceu e vai crescer mais ainda e estou na dúvida se enfrento ou não um financiamento.
No meu condomínio estão anunciando os apartamentos por R$ 400.000,00, mas sendo otimista, eu acho possível vender o ap por 350.000,00, quero uma casa maior, o que na minha cidade está em torno de R$ 800.000,00 anunciado e tô com o juízo quente pensando no que devo fazer.

Obrigado,

Robert
Visitante
Robert

No papel é muito fácil juntar o dinheiro durante 6 anos, o único problema é a realidade do mercado imobiliário no Brasil pois após 6 anos o imóvel que estava 500.000 vai estar custando 1.000.000. Vivemos numa bolha e sonhar em ter um imóvel X daqui Y anos juntando Z por mês é ingenuidade. O mercado não vai ficar parado durante 6 anos, a bolha vai inchar cada vez mais!

Boa tentativa… 🙂

ronaldo
Visitante
ronaldo

olá

você diz:”Como vimos, um imóvel de R$ 500 mil financiado na verdade custa R$ 1.221.060,88 + correção pela TR, ao longo de 35 anos. … ”

uma pergunta ingênua:

no final dos 35, esses R$ 1.221.060,88 correspondem ao valor do imóvel, certo?

então, significa que o imóvel q comprei por 500.000, tá valendo 1.221.060, 88?

Marlon
Visitante
Marlon

Gostei da abordagem (apesar de já conhece-la em função de ler muito sobre investimentos). Porém, é preciso observar outro ponto: em que momento da vida se encontra a pessoa que irá decidir entre o aluguel e o financiamento. No meu caso quando tinha 30 anos financiei um apartamento de 2 quartos pelo programa Minha Casa Minha Vida. O mais pesado foi o valor da entrada, para o qual me planejei (foi mais fácil o fato de eu morar com meus pais) . As parcelas, que são decrescentes, iniciaram em R$ 600 para 78 mil financiados (diferença entre o valor do imóvel, de R$ 100 mil e a entrada).

Em Curitiba o valor de aluguel de imóveis inferiores ao padrão do meu são cerca de R$800. Além disso, como pesquisei bastante o mercado antes de comprar e consegui pegar o período anterior à grande alta dos imóveis, meu apartamento se valorizou bastante. Neste caso vale a pena o financiamento. Posso aumentar meu salário e rendimentos e quita-lo antes do prazo de 25 anos. Desta forma obtenho desconto nas amortizações e ainda fico com um bem que posso revender, o que não aconteceria se eu fosse apressado e saísse da casa dos meus pais pagando aluguel + o custo de morar sozinho.

Carlos
Visitante
Carlos

Os preços estão um absurdo,
Porém estão caído.Aqui em Sp eles vendiam sobrados novos que nem água a 3 anos atrás. Hj demora bem mais.

Carlos
Visitante
Carlos

Estou querendo comprar um imóvel de 350 mil, eu e minha noiva já temos 220 mil. Mesmo assim, só encontramos casas velhas e caras. Mas estamos pesquisando e teremos que financiar 130 mil. Podemos pegar uma parcela de 3k 30% da nossa renda. Queremos financiar em 60 meses ou é melhor financiar o valor total dando uma entrada pequena e deixando o restante na poupança?

Jorge
Visitante
Jorge

Olá Leandro!! Comprei apartamento na planta há 1 ano e 10 meses atrás com pretações mensais de 1781,00 (prestação deste mes) porém agora consegui juntar R$ 263.000,00 será melhor quitar este apartamento ou aplico e continuo a pagar as parcelas? Não esquecendo que a entrega deste apartamento está para Maio de 2014.
Se puder me ajudar nesta dúvida, lhe agradeço

Marcia
Visitante
Marcia

Leandro bom dia. Estou vendendo um apt por 600.000,00. A duvida é a seguinte compro imóveis na planta com esse dinheiro ou invisto em diversas aplicações. O q me dará mais lucro?

Marcia
Visitante
Marcia

Ou ainda quanto terei em dinheiro em três anos se aplicar em bancos os mesmos 600.000,00. No mesmo prazo da entrega se eu comprasse apt na planta para entrega em três anos.

Marcia
Visitante
Marcia

Obrigada Leandro.

Rafael
Visitante
Rafael

Olá Leandro td bem? Moro com meus pais. Estava pensando em comprar um apartamento popular aproveitando dos juros um pouco mais baixos do minha casa minha vida e alugá-lo, imaginando que o valor que eu receberia de aluguel quase pagaria a parcela do financiamento. Além disso, eu pretendia pagar 2 ou 3 parcelas por mês, para reduzir o financiamento de 30 para 10 anos. Ao mesmo tempo, quando acabar o financiamento eu poderia me mudar da casa dos meus pais, pois teria um imóvel próprio. A estratégia é ruim? Seria melhor guardar o dinheiro e comprar à vista daqui uns 10 anos? Desde já agradeço e parabenizo pelo texto.

Andre
Visitante
Andre

Eu tenho esse mesmo raciocinio que você, e já faço meu planejamento e vivo fazendo planilhas no excel e simulações no tesouro.
Porem, ao acumular esse valor de 500k que seria suficiente para comprar o imovel, financeiramente ainda é mais viavel (no meu ponto de vista) continuar aplicado, pois 500k ira te render R$ 3500,00 (0,7%a.m), com essa grana você paga o aluguel de um imovel de padrao melhor, ou paga um aluguel no mesmo padrao e continua com a grana e acumulando.
E pagando aluguel, você não esta preso, pode mudar. Com o imovel fica dificil, só vendendo, o que não é tão simples assim e você esta sujeito as variações do mercado.
Como o mercado atualmente sofreu uma grande valorização fica dificil a maioria da população ver essa possibilidade, pois financio 200k e daqui 2 anos vale 400k, será?!? No passado recente vi muito isso, mas daqui pra frente será meio dificil.

Abraço e parabens pelo otimo trabalho e contribuição na concientização financeira dos frequentadores do seu blog.

Pedro
Visitante
Pedro

Prezado Leandro, muito boa a sua matéria. No meu caso tive que tomar a decisão de comprar em 2011 (com 31 anos), dar uma entrada média e financiar o imóvel em um prazo longo, mesmo pagando juros abusivos. Precisava de um lugar para morar pois já tinha saído do antigo apartamento (de família) que ficou para meu irmão que casou.
Como tenho emprego estável, fiz as contas e verifiquei que o aluguel que iria pagar na região sairia mais caro que a prestação (inicial) do financiamento. No meu caso foi uma aposta de risco que deu certo, pois dois meses após a compra o imóvel já valia R$ 30.000,00 a mais do que paguei. Após apertar o cinto por dois anos, estou, com a ajuda do meu FGTS, reformando-o, sendo que agora terei um imóvel todo montado e reformado pelo preço que as pessoas pagam no usado (e sem nenhum acabamento) na região.
Gostaria que você comentasse sobre a situação de quem optou pelo financiamento com parcelas decrescentes, e se essa alternativa é viável para pessoas que se encontram na situação que estava em 2011 (prestação decrescente vs aluguel mais caro para quem quer morar sozinho).
Abraços e sucesso.

Renato
Visitante
Renato

Leandro,

Parabéns por esclarecer esses tipos de dúvidas para as pessoas que não tem muito domínio do assunto.

Concordo plenamente contigo que planejamento financeiro deveria ser ensinado na escola mas com certeza não é o que querem os bancos e as imobiliárias pois de fato é um mercado muito lucrativo à custa dos sonhos das pessoas!!!

Andreia
Visitante
Andreia

Olá Leandro

Estou com muitas duvidas, pago aluguel hoje no valor de 1100.00 p/m. Tenho um valor de 320.000
para comprar um imovel a vista. Pergunta .. compro um imovel no valor de 300.00 ou menos, para deixar uma reserva para mobilia lo e tb ficar com um pouco de dinheiro,ou deixo esse dinheiro na poupança ou em um cdb para ter um melhor rendimento. e futuramente comprar .
Este momento é bom para comprar imovel para morar… ou se eu esperar um pouco mais faço um melhor negocio, principalmente que a tendência agora são os valores permanecerem ou aumentar um pouco so.
Estou procurando imovel faz 1 mês, achei um negocio muito bom entretanto não sei se procuro mais ou espero um pouco depois da copa.
por favor me responda grata

Luiz Fabiano de Aguiar
Visitante
Luiz Fabiano de Aguiar

Olá Leandro, tudo bem? Espero sinceramente que sim…Gostaria que me ajudasses em uma pequena dúvida: Fiz um financiamento habitacional de 310 k, sendo que 31k forma dados na entrada e financiei o restante (279 k) com juros de 7,69% (CET).

A minha dúvida resulta no seguinte: Devo vender 02(dois) apartamentos populares (COHAB) no valor aproximado de 100 K para quitar parte da dívida (se vendesse os dois ficariam apenas 79K de financiamento), ou deveria alugá-los ao valor de 500 reais/mês cada um? Ou ainda deveria vendê-los e investir na compra de 01(um) ou 02(dois) terrenso na praia, já que dizem ser um negócio da china (terrenas na Praia da Pinheira – Palhoça/SC).

Aguardo resposta e desde já agradeço a atenção dispensada!

Atenciosamente: Aguiar

O

G

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Olá Leandro, Eu e minha noiva fomos ver um apartamento de 250 mil, 45m, alto padrão, Jundiai-SP, para comprar na planta, 3 anos para entregar as chaves, minha intensão não é morar e sim alugar o imovel, temos que dar 75 mil reais até a entrega da chave, no periodo de 36 meses, hoje tenho 20 mil de entrada e vou pagar o restante da entrada até esta data de 36 meses com muito esforço e não vou conseguir poupar nada neste tempo, quando for financiar o restante as parcelas vão ficar entre 2.400 reais mensais em 360 meses, o aluguel do imovel deve girar em torno de 1800 reais mensais, o que acha deste negocio ? é viavel fazer este esforço para gerar este tipo de lucro ? sei que na verdade devido a taxa de INCC, o imovel saira em media 310 mil, essas parcelas (prestação do apartamento) informadas acima estão somadas a este valor.. Obrigado por sua atenção…

kaleber
Visitante
kaleber

ola leandro moro de aluguel e pago 500 reais por mes porem minha renda mensal e consigo guardar outros 500 por mes vc acha lucro eu financiar uma casa ….ou continuar pagar aluguel

kaleber
Visitante
kaleber

muito obrigado pela ajuda vc me ajudou muito ……grato

joao paulo
Visitante
joao paulo

Leandro, brilhante seu post. Contudo, achei os cálculos superestimados/subestimados para reforçar o seu ponto de vista.
Nesse cálculo de imóvel financiado/imóvel a vista e de dinheiro acumulado/dinheiro investido, precisamos considerar, como um outro participante já disse, o dinheiro que a pessoa pagaria de aluguel.

2.500,00, resultaria em 182.500,00 nos 6 anos e um mês. Então, o imóvel que se conseguiria comprar com 373k, gastaríamos outros 182k com aluguel. Logo, precisaria de 4 ou 5 anos a mais pra juntar o valor. Anos a mais significa, também, alugueis a mais. Assim, deixaria de poupar mais de 200k apenas pagando aluguel. Além disso, somando ao que outro participante já mencionou, os imóveis valorizam. Concordo com você que nos próximos 10 anos os imóveis não irão valorizar 121% como aconteceu na última década (se considerássemos isso, seu imóvel de 500k iria para 1105k…. pelo menos uns 25 anos para pagar…), mas também é impensável que não valorizarão…
Assim, considerando que a pessoa não tem imóvel e paga aluguel, um financiamento por programas do governo, com juros mais baixos, pode ser sim uma ótima alternativa….

Marcel Giglio
Visitante
Marcel Giglio

Achei descolado da realidade do brasileiro. as pessoas mal conseguem pagar o salário e a sugestão é que se poupe 4000 reais por mês?

Deve ser um site feito pra elite da elite do Brasil.

Flávio
Visitante
Flávio

Bom dia
Tenho uma divida de RS 80.000 num financiamento imobiliário, e tenho a metade deste valor para poder abater a divida.

gostaria de saber na sua opinião qual seria mais vantajoso. Deixar o dinheiro na poupança ou abater a dívida.
Grato.

Marla
Visitante
Marla

Desculpe a ignorância, tenho uma dúvida sobre o cálculo. O preço do apartamento em que minha família vive duplicou em 5 anos. Caso tivesse começado a juntar e aplicar o dinheiro 5 anos atrás, teria apenas metade se fosse fechar negócio hoje. Não seria necessário considerar isso no cálculo, “jogar o valor a ser poupado pra cima”, pois enquanto os anos passam, o preço dos imóveis aumenta. Outra coisa… em caso de crise econômica o dinheiro pode perder o valor, ou seja, o montante que se levou anos para juntar pode representar um poder de compra reduzido. Quais investimentos “protegem” melhor o dinheiro, não seria a compra de bens, como terrenos, mais segura que aplicações financeiras?

Lígia
Visitante
Lígia

Leandro, fico feliz por ter encontrado seu site antes de comprar um imóvel!!
Moro em Brasília e os valores do imóveis aqui estão tão altos. Inicialmente eu e meu noivo tínhamos decidido em comprar uma casa financiada, mas após a leitura do seu artigo vamos esperar até juntar a totalidade do valor…

Seu site é muito bom e parabenizo pela iniciativa, seus artigos demonstra seu conhecimento e com certeza passa segurança para quem ler!!

Espero que uma “crise” imobiliária reduza um pouco o valor dos imóveis aqui!! =)

Guilherme
Visitante
Guilherme

Olá Leandro,

tenho o mesmo pensamento do comentário de 20/08/13 feito pelo Renato.. não vi vc avaliar essa estratégia
Via CEF, o CET está inferior próximo a 9% a.a…
Hoje no tesouro direto, vc compra titulos pré-fixados pagando 12,6% ao ano…
descontando desses 12,6% o IR(15%) e as taxas de custódia CBLC(0,4%), o rendimento líquido é próximo 11% a.a

ou seja há um ganho no custo de oportunidade de 2% ao ano no valor aplicado… a única coisa que pode mudar é o aumento expressivo da TR, mas nesse caso a taxa SELIC estará necessariamente mais alta e ai posso começar a aplicar em LFT que com certeza estarão acima dos 10% a.a, visto que a SELIC terá subido…
oq acha dessa estratégia, enxerga alguma armadilha que não percebi?

Bruno
Visitante
Bruno

Leandro, me permita discordar da mensagem final que seu post deixa: de que não vale a pena financiar imóvel. Sem entrar nos pormenores e indo direto ao ponto, imagine uma pessoa com R$ 500 mil na mão e um imóvel de R$ 500 mil em que gostaria de morar. Decisão: pagar à vista ou financiar? Taxa de juros do financiamento: 9% a.a. Taxa de juros paga pelo Tesouro Nacional: 13% a.a. (NTNF 010125, de 18/11/2014). Mesmo considerando TR, IR, taxas de custódia etc, etc, ainda sim o melhor negócio é financiar e aplicar o dinheiro na NTNF (e em outros papéis do Tesouro).

John
Visitante
John

Olá Leandro, eu estou querendo comprar um apartamento no valor de R$350,000,00 e eu tenho 3,000 para investir ao mês, gostaria de saber como investir e onde a logo prazo no máximo 10 anos.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Leandro,

Adquiri um terreno à vista que será apenas entregue em 2015.

Como a casa não será grande e não tenho enromes condições. Em 2015, sem que ocorra nenhum desastre, terei dinheiro em constuir com dinheiro próprio 100% e ficarei sem reservas mas sem dívidas.

A minha dúvida é: Vale a pena e ficar sem reservas ou pagar 50% da construção e financiar os outros 50% com valores aplicados na poupança (estimo que a casa ficará em, aproximadamente, 300 mil, ou quito ela ou gastaria 150 mil financiando o remanescente) Tem algum conselho?

Obrigado.

Douglas Moraes
Visitante
Douglas Moraes

Muito interessante seu artigo. Acho que a pior maneira para conseguir dinheiro é pegando empréstimo ou financiando, tenho uma pessoa da família que pegou a 3 anos um empréstimo para empresa no valor de R$22.000,00, vai terminar de pagar a última parcela agora em maio, valor total pago R$48.854,89. Com a grana que ela pagou para o banco dava quase para comprar um carro zero quilômetro. sS
Gostei muito do conteúdo, com certeza vai auxiliar muita gente. Parabéns e Sucesso Sempre!

João
Visitante
João

Não me convenceu por diversos fatores. Primeiramente , em seis anos o mesmo imóvel certamente estaria custando, pelo menos (sendo muito conservador) 20% mais. No caso faltariam pelo menos 100 mil pra eu comprar meu imóvel. Em segundo lugar, não é possível garantir 0,7% ao mes durante os 6 anos e, caso isso aconteça, causaria também um reflexo na valorização do imóvel.
O terceiro ponto, mais importante, é que se a família que pode arcar com 4.400,00 para financiar uma casa, não pode poupar o mesmo valor, afina ela precisa de um lugar pra morar, ou seja: aluguel. Sendo ainda conservador, suponhamos um aluguel de um cafofo por 1.000,00 por mes. são mil a menos poupados por mes e 72.000 (fazendo uma cálculo simplista) perdidos em 6 anos.
Concorda?

Eduardo
Visitante
Eduardo

Concordo contigo Joao!!
Imovel bom não desvaloriza, contrário, só valoriza. Não pode apostar que vai mudar.
Ultimamente só subiu. Se fazer todo esse planejamento de longo prazo não se pode basear numa hipótese. O fato é que Imovel sempre valoriza. O ganho com renda fixa não é muito alto. E sempre lembrar de abater da parcela do financiamento o valor de um aluguel que estaria pagando para viver.
Talvez um consorcio como parte, seja o melhor.

Ronne
Visitante
Ronne

Disco

Mariana
Visitante
Mariana

consórcio kkkkk

RAFAEL
Visitante
RAFAEL

Bom leandro estou pesquisando muito sobre imoveis, poupança e financiamentos. Pretendo comprar um imovél daqui 5 anos, porém eu e minha esposa não possuimos nenhuma reserva de dinheiro, e também não pagamos aluguel, ou temos gastos com agua ou luz.
Qual e a alternativa que você pode nos dar ? Juntar uma quantia por mes e investir em uam poupança ate obter 40 a 50% do valor do imovel ?

Ou fazer um financiamento pela CAIXA? Preciso começar um planejamento desde agora, porém estou perdido.

Obrigado

Luiz
Visitante
Luiz

olá Leandro, estava discutindo com minha namorada qual o melhor planejamento pra construção de nossa casa, temos duas opções em mente:
-Idéia 1: Quitar o terreno primeiro depois construir
-Idéia 2: Pagar o terreno e construir bem devagar
Informações básicas: A entrada será dividida em 3 vezes no total de 19.800, e depois começam as 100 parcelas de 1229,80, disso se tudo der certo me sobrara 5860. Tenho nesse momento uns 5mil de FGTS.
Idéia 1: é guardar uma reserva de uns 410 reais por mês e assim quitar logo as parcelas fugindo um pouco do aumento ( correção depois de 12 meses) e com o terreno quitado posso ir na caixa financiar a construção com o FGTS e usar toda a minha renda na construção.Na minha conta eu pagaria em uns 6 anos o terreno.
Idéia 2: reservar a mesma quantia de 410 reais, e quando juntasse uns 10 mil (2 anos) aplicado na poupança, tentaria agilizar a construção ( lembrando q meu sogro iria me ajudar com os tijolos e o cimento, e o pedreiro seria da familia tbm e facilitaria). Eu não pretendo esperar a casa estar totalmente terminada pra morar.

Qual das idéias vc acham q eu consigo terminar mais rápido?

Daniela Cardoso
Visitante
Daniela Cardoso

Olá Leandro, eu tb tenho essa dúvida sobre o terreno. Na verdade estou há 7 anos tentando comprar minha casa própria, fiz muitas besteiras financeiras, paguei muitos juros e agora me sinto educada financeiramente. Porém, meu sonho (benditos sonhos) é construir minha casa, achei um terreno mas não terei como comprá-lo à vista (custa R$200.000,00). Tenho medo de investir o dinheiro e futuramente não achar um terreno como o atual, ainda mais que o espaço urbano está cada vez mais disputado. Estou pensando em fazer uma programação para quitá-lo dentro de uns cinco ou sete anos e construir uma casa simples, de modo a não onerar muito o orçamento. E assim que terminar os gastos com a construção, iniciar os investimentos para minha independência financeira. Hoje tenho 31 anos, poderia começar a investir com uns 36 anos até os 51. Daria 15 anos de investimento para a minha aposentadoria. Vc acha isso viável, ou é mais uma loucura da minha parte? Vê se estou raciocinando de forma coerente. Só pra situar: tenho uma renda líquida de 7200 e pretendo dedicar a metade disso para a aquisição do terreno, construção e após isso, os investimentos. Muito obrigada e parabéns pelo excelente trabalho!

Cissa
Visitante
Cissa

Bom dia,

Adquirir um apartamento que já está pronto esperando apenas o habite-se para pegar as chaves. Dei uma entrada e assim que sair a averbação providenciarei o financiamento. Ocorre que enquanto o apartamento terminava a construção continuei poupando e agora já tenho o suficiente para comprá-lo a vista, mas só vai sobrar pouco para fazer a reforma necessária que o ap precisará. Não tenho pressa de mudar porque onde estou morando não pago aluguel. Qual a melhor escolha comprar a vista ou financiar e se o financiamento for pelo programa do servidor público?

Compartilhe com um amigo