Acumular uma pequena fortuna no decorrer de uma vida inteira de trabalho é algo desejável por todos, especialmente agora com as constantes mudanças das regras na previdência pública e muitos exemplos de fundos de pensão e previdência mal geridos.

Construir um grande patrimônio, quando o nosso foco é o longo prazo, é algo plenamente possível, mesmo quando temos pouco para investir. É um pequeno sacrifício no presente para conquistar um grande benefício pelo resto da vida. Vou mostrar como isso é possível.

20 vezes sua despesa anual

Quanto é o seu custo de vida anual? Some todas as despesas de um mês e multiplique por 12. Essa é a sua despesa anual. É o custo para manter o seu atual estilo de vida.

Se o seu objetivo for manter esse estilo de vida, para o resto da sua vida, você precisa construir um patrimônio em dinheiro de 20 vezes esse custo anual. É algo bem objetivo que você poderia definir como meta para os próximos anos. Veja como a matemática é simples através de um exemplo.

Exemplo 1:

Vamos imaginar que a sua despesa anual seja de R$ 50.000,00. Seria como se a sua despesa mensal fosse de R$ 4.166,66 e ao multiplicar isso por 12 chegaríamos a uma despesa anual de R$ 50 mil.

Se durante a sua vida profissional você conseguir acumular 20 vezes esse valor, você terá um patrimônio de R$ 1 milhão (20 x 50.000 = R$ 1 milhão). Esse patrimônio seria suficiente para conseguir uma renda anual passiva (através dos investimentos) equivalente a R$ 50 mil.

Essa renda poderia ser sacada do investimento e você manteria o seu estilo de vida como se estivesse aposentado ou financeiramente mais independente. Para isso, seria necessário um investimento capaz de render o equivalente a inflação + 5% de juros ao ano.

Se você já leu meus livros sobre investimentos ou costuma ler meus artigos aqui no Clube dos Poupadores, já sabem que é plenamente possível melhorar a rentabilidade dos seus investimentos através de títulos públicos, títulos privados emitidos por bancos (CDB, LCI e LCA) e investimentos em ações para conseguir superar a inflação e conseguir algo próximo de 5% ao ano.

Esse R$ 1.000.000 x 5% ao ano produziria nos R$ 50 mil de rendimentos que seria suficiente para cobrir as despesas anuais do nosso exemplo. O valor principal seria reajustado pela inflação (IPCA).

Se a sua despesa anual for de R$ 25 mil, você precisaria acumular R$ 500 mil (20 x 25.000 = 500.000) e 5% ao ano desses R$ 500 mil produziriam R$ 25 mil na forma de juros para pagar suas despesas.

Se a sua despesa anual for de R$ 100 mil, você precisaria acumular R$ 2 milhões (20 x 100.000 = 2.000.000) e 5% ao ano desses 2 milhões produziriam os R$ 100 mil anuais em juros para que você pague seu custo de vida.

O problema é que juntar todo esse dinheiro (20 vezes suas despesas) até conseguir essa renda passiva exige um grande esforço.

Tudo que realmente é importante nessa vida exige algum esforço. Se você consegue ler esse artigo, isso exigiu muito esforço para aprender a ler. Se você tem sua renda mensal através de um trabalho, certamente isso exigiu e exige esforço. Conquistar uma vida financeiramente independente também vai exigir um esforço. Se educar para se transformar em um pequeno investidor, também vai exigir esforço.

Ajuda dos juros compostos

Podemos contar com a ajuda dos juros compostos para que possamos atingir o patrimônio que precisamos. Isso significa que você não vai precisar poupar 20 vezes suas despesas anuais. Você só precisa poupar 12,42 vezes as suas despesas anuais para construir um patrimônio capaz de pagar essas despesas por você.

No exemplo de uma despesa de R$ 50 mil por ano, vimos que você precisa acumular R$ 1 milhão e isso representa 20 x 50 mil.

Vamos imaginar que você acumule esse valor gradativamente no decorrer da sua vida (35 anos) fazendo investimentos que rendem a inflação + 5% de juros. Neste caso, você só vai precisar tirar do próprio bolso o equivalente a 12,42 vezes as suas despesas anuais, ou seja,  R$ 621 mil (12,42 x 50 mil = 621 mil).

Seguindo o mesmo exemplo acima, se a sua despesa anual fosse de R$ 25 mil e você precisasse acumular R$ 500 mil (20 x 25 mil), você só precisaria poupar do próprio bolso a quantia de R$ 310.500,00 (12,42 x 25 mil = 310.500). O restante você receberia através dos juros sobre juros.

Se a sua despesa anual fosse de R$ 100 mil e você precisasse acumular R$ 2 milhões, você só precisaria poupar do próprio bolso a quantia de R$ 1.242.000 (12,42 x 100 mil = 1.242.000). O restante você receberia através dos juros sobre juros.

Só que mesmo com a ajuda dos juros compostos, acumular tanto dinheiro assim durante a vida continua sendo algo desafiador e desanimador para muitos. Veremos agora como resolver esse problema mudando o nosso foco.

Hackeando a sua mente

É impossível não ficar desanimado quando olhamos a montanha de dinheiro que precisamos acumular durante a vida para atingir a independência financeira.

Alguma coisa dentro da nossa mente oferece resistência. Questões como essas começam a surgir: “Quantos prazeres e momentos agradáveis do meu presente eu teria que abrir mão durante 35 anos da minha vida para acumular R$ 1 milhão de reais ou mais, devidamente corrigidos pela inflação?”

Seus instintos mais primitivos vão “gritar” internamente frases do tipo: Eu quero ser feliz hoje! Dinheiro foi feito para gastar agora! Eu não sei se estarei vivo amanhã!

Esses pensamentos vão atormentar a sua mente por todos os meses e anos em que você estiver se esforçando para acumular recursos para ter uma boa aposentadoria no futuro ou para ter apenas mais liberdade de escolha, mais tranquilidade financeira e mais independência através dos seus próprios investimentos.

Uma forma de “hackear” esse tipo de pensamento é transformar esse objetivo de acumular milhões de reais nas próximas décadas em um pequeno objetivo diário.

No lugar de ficar olhando para o topo da montanha e desistir, você vai olhar apenas para o próximo degrau da escadaria que levará você até o topo.

Na prática, você só precisa se preocupar com o desafio do dia de hoje, que é subir o pequeno degrau. Já falei no início do artigo que a nossa mente foi feita para pensar somente no presente. Então, que o nosso foco fique apenas no pequeno desafio do presente.

Nos exemplos que apresentei aqui, você só precisaria encontrar uma maneira de ganhar e investir R$ 30 por dia durante 35 anos para atingir R$ 1 milhão, caso o seu conhecimento sobre investimentos permita ter uma rentabilidade anual de 5% acima da inflação.

Se o seu objetivo for conseguir R$ 500 mil, basta focar nos R$ 15 por dia que você precisa ganhar e investir. Se o objetivo fosse de R$ 2 milhões basta focar nos R$ 60 por dia que você precisa ganhar e investir. Mesmo aquele que consegue poupar apenas R$ 5 por dia já estará em grande vantagem considerando que a maioria da população brasileira não poupa nada durante o mês. Comece a poupar o que for possível, nem que seja apenas R$ 1,00 por dia e depois aumente esse valor quando conseguir melhorar sua renda e controlar suas despesas.

Observe que R$ 30 reais por dia são equivalentes a R$ 900 por mês. A taxa de 5% ao ano é equivalente a +/- 0,407% ao mês. Podemos arredondar para 0,41% por mês. Durante 35 anos teremos o que seria equivalente a R$ 1 milhão nos dias de hoje. Faça suas próprias simulações de juros compostos.

Com algum conhecimento sobre investimentos, sem correr muitos riscos, é possível manter uma coleção de bons investimentos que juntos superam essa rentabilidade de 0,41% ao mês que utilizei nesse exemplo. No simulações de juros compostos você pode testar outras taxas.

É uma questão de superar a nossa limitação baseada na nossa ignorância inata sobre investimentos. Ninguém nasce sabendo investir, mas todos podem aprender. Ninguém nasce conhecendo as diversas formas que existem de ganhar dinheiro, mas todos podem aprender.

Quando você foca a sua mente no pequeno objetivo de R$ 5, R$ 15, R$ 30 ou R$ 60 reais ganhos e investidos por dia, você coloca o seu foco no pequeno objetivo do presente e para de olhar a desanimadora montanha de dinheiro de R$ 500 mil, R$ 1 milhão ou R$ 2 milhões que você deseja acumular durante no futuro. Esse pequeno detalhe sobre onde colocar o seu foco, que faz toda diferença.

Você tem uma ferramenta poderosa sobre o seu pescoço. Você é dotado(a) da capacidade de raciocinar.

Será tão difícil encontrar uma forma de poupar e investir o equivalente a R$ 30 por dia?

Quando comecei a pensar sobre a minha independência financeira, 20 anos atrás, sempre me esforcei para tirar o foco dos 15, 20 ou 30 anos que teria pela frente e focar minha atenção para o pequeno valor que eu deveria ganhar e poupar todos os dias para poder investir.

No início, a sua taxa de poupança (sua capacidade de poupar regularmente) será mais importante do que a rentabilidade dos investimentos. Depois é que a rentabilidade passa a ser o fator mais importante, pois em determinado momento a renda passiva que recebemos do investimento ultrapassa a nossa capacidade de poupar. Só que isso leva algum tempo para acontecer.

Essa seria a primeira etapa da sua independência, que é quando a renda dos investimentos ultrapassa sua capacidade de poupar mensalmente. Em uma segunda etapa a renda dos investimentos supera a sua despesa mensal e por último, a renda dos seus investimentos supera a sua renda.

Por este motivo, o importante no presente é o foco nos pequenos objetivos diários. É esse foco no pequeno degrau que funciona como arma poderosa contra as diversas formas de resistência mental que atacarão você com todo tipo de ideia contra seus investimentos focados no futuro.

Focando no pequeno esforço diário, retiramos o foco do grande esforço de décadas.

O plano é o guia

Minhas escolhas na vida profissional foram guiadas por essa ideia de subir o pequeno degrau diário, ou seja, acumular uma pequena quantia diariamente.

Isso influenciou a escolha da minha atividade profissional. Ainda no meu primeiro emprego eu busquei formas de prestar serviços externos, nas minhas horas vagas, para conseguir rendas adicionais.

Pouco tempo depois, vi que seria muito vantajoso trocar o emprego de salário fixo pelo meu próprio negócio (uma pequena empresa) que me deu liberdade para trabalhar o quanto fosse necessário para atingir o meu objetivo diário.

Talvez você também possa refletir sobre meios de obter uma pequena renda adicional para atingir o seu pequeno objetivo diário de ganhar, poupar e investir para realizar o seu plano de independência financeira.

O primeiro passo é ter um objetivo

Basta ter um objetivo e colocar a sua cabeça para funcionar com foco nos seus objetivos. Não é muito diferente do que você faz todos os dias quando trabalha para realizar os sonhos financeiros daqueles que pagam o seu salário mensalmente.

Nem todo mundo tem renda suficiente para cobrir as próprias despesas e ainda ter uma boa sobra para investir, mas todos podem aprender mais e colocar a cabeça para funcionar com o objetivo de encontrar ideias sobre como conseguir os poucos reais diários para atingir uma independência futura.

Eu escrevi um livro sobre independência financeira (conheça o livro clicando aqui) que aprofunda e detalha muitas ideias sobre o planejamento da sua independência financeira que utilizei durante a minha vida e que já ajudaram milhares de leitores.

O livro é prático e acompanha diversas planilhas e simuladores para que você possa criar um plano para atingir a sua independência financeira no decorrer da sua vida.

Você vai fazer as suas próprias simulações, com valores que representam a sua realidade, seu custo de vida, sua capacidade de rentabilizar os seus investimentos, respeitando seus planos pessoais. Você terá as ferramentas que desenvolvi e que me permitiram atingir a minha independência financeira em todos os seus níveis.

Esse livro é uma oportunidade que eu gostaria de ter encontrado 20 anos atrás. Não deixe essa oportunidade passar. Conheça o livro sobre independência financeira e os seus simuladores clicando aqui.

Livro recomendado: Independência Financeira (clique para conhecer). Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail: