Você precisa superar as 4 etapas da dependência financeira antes de iniciar as 5 etapas da sua independência financeira.

Se você nunca ouviu falar sobre dependência financeira, não se preocupe. Você não está sozinho. Sem saber, grande parte da população passará a vida inteira em uma das quatro etapas de dependência que veremos neste artigo. Veja em qual nível de dependência financeira você está ou em quais você já passou com sucesso.

O principal motivo para essa realidade é a falta de consciência sobre os diversos níveis de dependência e de independência financeira que podem ser atingidos. Sem isso, são poucas as pessoas que incluem esse tipo de objetivo nos seus planos financeiros. Normalmente os planos das pessoas se concentram nas coisas que poderiam comprar e não na conquista de estabilidade e independência financeira. O estímulo que recebemos da sociedade é sempre o de gastar tudo que ganhamos, o mais rápido possível e nunca de poupar e investir uma parte disso para ampliar a nossa liberdade no futuro.

Como vivemos imersos em uma sociedade onde o mais comum é ser financeiramente dependente, passamos a acreditar que a dependência financeira é uma condição natural e a independência é um fenômeno raro.

Recente dependência

A grande verdade é que a dependência financeira é um fenômeno recente na história da humanidade. Nunca as pessoas dependeram tanto dos conhecimentos que envolvem ganhar, poupar e investir dinheiro como nos dias de hoje. Nossa qualidade de vida, neste modelo de mundo que criamos, depende disso.

Nossos antepassados já perambulavam pela Terra há cerca de 200 mil anos e por centenas de milhares de anos ninguém dependeu do dinheiro para viver. Até poucos séculos atrás, quase todas as famílias eram capazes de produzir o seu próprio alimento. Ninguém dependia de dinheiro para comprar o que se vende hoje nos supermercados. Ninguém dependia de um financiamento de 35 anos para construir o seu próprio lar. As crianças aprendiam tudo que era útil para a sua sobrevivência através do conhecimento passado pelos pais, sem custos com formação profissional. Os jovens herdavam as profissões dos seus pais. As famílias produziam tudo que precisavam e ainda vendiam o que sobrava para comprar aquilo que não conseguiam produzir.

Cada família era como uma pequena empresa que tinha autonomia para se manter sem depender tanto do dinheiro, dos salários e dos empréstimos como dependemos hoje.

O dinheiro, na forma de moedas, se popularizou somente depois do século VII a.C, na Grécia. Naquele tempo as moedas eram feitas de ouro e prata, materiais que até hoje possuem muito valor. Já o dinheiro como conhecemos hoje, na forma de dígitos eletrônicos dentro dos computadores dos bancos, é uma criação muito recente.

O surgimento de empresas grandes que empregam centenas ou milhares de pessoas que trabalham por uma quantidade mensal de dinheiro também é recente em relação a toda a nossa história. Pessoas que estudam uma única coisa e se preparam para exercer uma única atividade profissional, por toda vida, dentro de uma grande empresa, também é um evento recente.

As quatro etapas

Tudo isso nos mostra que a dependência sempre foi mínima, mas vem crescendo nos últimos séculos. Nos dias de hoje, tudo depende do dinheiro. São poucas as pessoas que conseguiriam sobreviver por muito tempo dentro das grandes cidades se por algum motivo o dinheiro deixasse de existir. São poucas as que conseguiriam viver sem os empregos que as empresas privadas e entidades públicas oferecem. São poucas as que conseguiriam viver sem nenhuma fonte de crédito, empréstimos e financiamentos.

Neste mundo onde o dinheiro é indispensável, existem diversos níveis de dependência financeira, mas o próprio sistema permite que as pessoas sejam menos dependentes ou até financeiramente independentes. A busca por uma vida financeira mais livre exige esforço. Vamos entender isso melhor através das quatro etapas de dependência.

Leia também:  O dinheiro é a raiz de todo mal: fato ou fake?

Etapa Zero: Dependência total

Todos começam aqui. Quando nascemos, somos financeiramente dependentes dos nossos pais. No passado, quando os jovens atingiam a adolescência, eles já tinham uma boa parte dos conhecimentos necessários para se tornarem independentes da família. Hoje, os jovens atingem a vida adulta e ainda dependem dos pais para sobreviver por um bom tempo.

As faculdades nos ensinam uma profissão específica que será a fonte do nosso sustento por toda vida, mas não ensinam a poupar e investir o dinheiro que iremos ganhar para que possamos ter uma vida financeira menos dependente. Nada é falado sobre a independência financeira e pouco é dito sobre educação financeira.

Se a sua renda atual é menor do que as suas despesas e você precisa da ajuda de parentes, amigos, governo ou de um banco para fechar suas contas no final do mês, você esta na etapa zero. Essa etapa representa o nível de total dependência financeira.

Etapa 1: Dependência com Solvência

Esse tipo de dependente possui solvência. Isso significa que é capaz de pagar suas despesas e dívidas sem depender de ninguém e sem atrasos. Nessa etapa, a sua renda é maior do que as suas despesas, mas você utiliza esse “lucro” para consumir mais do que poderia fazendo novas dívidas, pagando juros, taxas e impostos.

Todo sistema (empresas, bancos e governos) estimulam a população a comprometer o máximo de sua renda futura com compras financiadas e empréstimos. Tudo que poderiam poupar e investir para conquistar um maior nível de independência futura fica comprometido com o consumismo imediato, pagamento de juros, taxas e impostos.

Muitos jovens que se formam e conseguem o seu primeiro emprego começam a vida profissional saindo da “etapa zero” de dependência para entrar na “etapa 1” de dependência. Para sair da etapa 1 é necessário que a pessoa se esforce para reduzir suas dívidas todos os meses. Aquele que continua aumentando a dívida que possui, ainda está na etapa zero.

A pouca educação financeira que os governos e os bancos promovem gratuitamente na sociedade tem como principal objetivo manter as pessoas na etapa 1 de dependência. Para eles, é importante que as famílias gastem tudo que ganham com compras, comprometam a renda futura com as prestações, mas sem inadimplência.

Etapa 2: Dependência Estável

Você atinge a etapa 2 de “dependência estável” quando ganha mais do que gasta e começa a guardar esse excedente para formar uma reserva de emergência. Seu objetivo é ter recursos próprios para enfrentar qualquer eventualidade na sua vida sem depender dos seus parentes, amigos e de instituições financeiras que oferecem empréstimos com elevadas taxas de juros.

É possível que você tenha alguma dívida nessa etapa 2, como as dívidas que você fez para pagar a sua faculdade ou para comprar o imóvel onde mora. O importante é que você consiga pagar as suas dívidas (reduzindo a dívida a cada mês) e ao mesmo tempo consiga criar a sua reserva financeira para se livrar da dependência do dinheiro dos outros no caso de uma emergência.

Etapa 3: Dependência Opcional

Nesse nível de dependência as dívidas que você possui são opcionais, ou seja, a sua reserva de dinheiro se tornou suficiente para quitar as dívidas que você possui, como o financiamento do imóvel onde você mora.

Nessa situação, você prefere manter o financiamento para poder manter sua reserva financeira. Essa reserva vai salvar você da dependência de empréstimos com juros elevados, no caso de algum evento inesperado como uma demissão, acidente ou problema de saúde que atrapalhe o seu trabalho e a sua capacidade de gerar renda mensalmente. Nessa fase, a sua dívida continua caindo até o dia em que você conquistará a estabilidade financeira com dependência zero de dívidas.

Leia também:  Como juntar 1 milhão com R$ 30 reais

Estabilidade Financeira

Quando você atravessa as quatro etapas (de 0, 1, 2 e 3) de dependência financeira, você conquista o meio do caminho que é a estabilidade financeira.

Nesse lugar você não terá dívidas. Você terá uma boa reserva para emergências e o seu risco de depender financeiramente dos outros é mínimo ou nulo. O que você ganha é suficiente para pagar todas as suas contas e ainda sobra para investir todo mês, mas você ainda depende do trabalho remunerado.

Você ainda não tem investimentos que geram uma renda passiva capaz de manter o seu estilo de vida sem a venda mensal do seu tempo através de um trabalho remunerado.

Mesmo assim, o fato de ter uma boa reserva financeira já dará para você algum nível de liberdade para fazer escolhas. Você se sentirá mais livre para trocar de emprego, buscar novas oportunidade, mudar de profissão ou iniciar um negócio.

Uma vida financeiramente estável amplia seu leque de possibilidades. Garante mais tranquilidade para arriscar, mudar e avançar. Todos deveriam buscar esse tipo de estabilidade financeira.

A estabilidade financeira ainda não é a independência financeira. Podemos dizer que ela seria o ponto de partida ou o marco zero para quem deseja ser independente.

Sair da dependência financeira, até atingir a estabilidade é comparável com uma caminhada. Sair da estabilidade financeira e atingir a independência financeira é comparável com uma escalada.

A independência financeira é uma escalada opcional que percorre outras 5 etapas que eu descrevi com mais detalhes no meu livro.

Não existe independência financeira gratuita. Cada etapa exige um determinado nível de esforço, transformação e conhecimento. Todas as etapas exigem algum sacrifício individual no presente para atingir a grande conquista no futuro. Você é a pessoa que mais ganha com a sua própria independência, sendo assim, não espere que o sistema motive você a ser independente.

A escalada até a independência financeira é um processo individual e solitário. Cada etapa de independência financeira conquistada garante um novo nível de liberdade com relação ao dinheiro.

Nas etapas superiores, o trabalho que você realiza para garantir o seu sustento se tornará opcional. Isso representa a liberdade para escolher o que você deseja fazer com o seu bem mais precioso que é o seu tempo. Um trabalho que seja mais gratificante e prazeroso costuma ser o grande objetivo de quem se torna financeiramente independente.

Felizmente, nunca na história existiram tantas fontes de renda passiva (investimentos) capazes de nos ajudar a atingir um elevado nível de independência financeira. Quanto mais dinheiro você economizar para investir em mais fontes de renda passiva, através dos seus investimentos, mais liberdade terá e menos preocupações com o seu presente e futuro financeiro.

Suas decisões sobre o trabalho serão baseadas na sua felicidade e não na quantidade de dinheiro que você precisa ganhar para pagar contas e dívidas.

É esse tipo de independência financeira que ensino nos artigos e nos livros que escrevi para facilitar e acelerar o seu aprendizado (conheça os livros clicando aqui).

Livro recomendado: Independência Financeira (clique para conhecer).

Receba um e-mail quando novos artigos forem publicados, inscreva-se no Clube dos Poupadores. Ative as notificações no seu navegador clicando aqui ou no sino vermelho no canto inferior direito desta página