Muitos dos investimentos que os bancos oferecem são apenas formas diferentes de emprestar dinheiro para eles.  Quando você investe em um CDB, LCI ou LCA está literalmente emprestando o seu dinheiro para o banco. Até quando você deixa o seu dinheiro parado na conta corrente ou na poupança, está fazendo um empréstimo.

Os bancos são grandes “máquinas” de pedir dinheiro emprestado, pagando juros baixos, para emprestar esse mesmo dinheiro para outras pessoas e empresas cobrando juros altos.

Lembre-se que os bancos não deixam o seu dinheiro parado em um cofre de segurança máxima esperando você precisar dele. Isso é uma fantasia que muitos ainda carregam.

A quantidade de dinheiro que as pessoas precisam todos os dias é bem pequena. Os bancos possuem uma quantidade mínima de dinheiro disponível para que os clientes possam sacar, gastar e movimentar. Grande parte do dinheiro que entra nos bancos através dos depósitos à vista (saldo da sua conta corrente) e depósitos à prazo (exemplo: investimentos em CDB) acaba se transformando na “matéria prima” que os bancos precisam para lucrar.

Os bancos lucram “investindo” o seu dinheiro quando emprestam o mesmo para outras pessoas e empresas cobrando juros que podem atingir mais de 400% ao ano. Veremos mais sobre essas taxas nesse artigo.

As informações que constam no extrato da sua conta, poupança e saldo de investimentos (CDB, LCI, LCA, compromissadas, etc) simbolizam somente a quantidade de dinheiro que o banco deve a você e que certamente já foi emprestado para alguém disposto a pagar juros muito maiores.

O banco é um intermediário. De um lado temos uma parte da sociedade que tem dinheiro disponível para emprestar com o objetivo de receber juros. Do outro lado temos uma parte ainda maior da sociedade que precisa de dinheiro emprestado e aceita pagar juros. No meio dos dois existem os bancos. São como os atravessadores que ficam entre um agricultor e o consumidor final.

Quanto maior for a diferença entre os juros que as pessoas aceitam receber para emprestar dinheiro aos bancos e os juros que as pessoas aceitam pagar por esse mesmo dinheiro, maiores serão os lucros dos bancos.

Isso significa que quanto maior for a ignorância financeira das pessoas sobre investimentos, mais elas vão aceitar emprestar dinheiro aos grandes bancos por algumas migalhas de juros através de títulos privados como CDB, LCI e LCA. Pelo outro lado, quanto maior for a ignorância financeira das pessoas sobre dívidas, mais elas vão aceitar pagar juros elevados pelos empréstimos que fazem. A ignorância é fundamental para a lucratividade do negócio.

Recentemente um leitor do Clube dos Poupadores deixou o seguinte comentário:

Bom dia, Leandro… Observando as opções de investimento… sempre me veio uma pergunta que não quer calar: existe algum fundo de investimento atrelado aos juros sobre o crédito rotativo e/ou cheque especial? Pois creio que seria um “desperdício” não se criar um investimento atrelado (mesmo que parcialmente) a taxas anuais altíssimas aplicadas pelos bancos. Em princípio a questão acima pode parecer um tanto tola, mas se puderes desvendar essa minha curiosidade, agradeço… rs Abraço.

Ótima observação. O leitor que deixou o comentário acima deve ter observado que os bancos cobram mais de 400% ao ano de juros quando emprestam dinheiro aos clientes através do chamado “cheque especial” ou pelo rotativo do cartão de crédito. Pelo que entendi, o leitor gostaria que os bancos criassem algum tipo de investimento “atrelado” a essas taxas surreais. Os clientes emprestariam dinheiro para o banco, através desse investimento, o banco emprestaria o dinheiro para essas pessoas que aceitam pagar 400% de juros, e o banco dividiria esse lucro absurdo com o investidor.

O dinheiro que os bancos emprestam cobrando entre 300% e 400% de juros ao ano é captado através de investimentos de renda fixa como o CDB que são remunerados por um percentual da taxa DI (CDI). No momento em que escrevo esse artigo a taxa DI está em 6,39% ao ano. Menor taxa da história. Os bancos de grande porte oferecem CDBs que pagam somente 85% ou no máximo 90% da taxa DI (CDI) aos investidores.

Isso significa pagar 5,75% de juros ao ano (6,39 x 90%) ao investidor para emprestar esse mesmo dinheiro para outros clientes do banco cobrando mais de 400% ao ano. O banco pega o seu dinheiro emprestado pagando 90% do CDI e empresta (investe) esse dinheiro oferecendo empréstimos cobrando mais de 6200% do CDI.

Talvez a única forma de ter alguma participação sobre esses lucros absurdos é através dos dividendos que os bancos pagam para aqueles que compram as suas ações. No ranking de dividendos sempre existe algum banco no topo da lista. Veja onde baixar o ranking recente.

O Banco Central possui uma página onde é possível observar a média das taxas que os bancos estão cobrando em diversas modalidades de crédito. Visite http://www.bcb.gov.br/pt-br#!/c/TXJUROS/

Clique na opção “Cheque Especial” na coluna das pessoas físicas. Quando esse artigo foi escrito a tabela apresentada no site do Banco Central era essa:

Se você é um leitor que já tem alguma experiência com investimentos em renda fixa, provavelmente já sabe que os bancos de médio porte pagam juros bem maiores que os bancos de grande porte através de investimentos como CDB, LCI e LCA. Na lista acima é possível ver diversos bancos menores que são conhecidos dos investidores de renda fixa por pagarem 110%, 120% ou até mais de 120% do CDI por ano em investimentos o CDB.

Os bancos grandes que aparecem na lista acima, são os que cobram as maiores taxas dos devedores no cheque especial e, ao mesmo tempo, pagam as menores taxas para os investidores. Os bancos menores pagam as melhores taxas para o investidor e cobram as menores taxas dos devedores, mas são os bancos menos utilizados pela população.

Esse é o terrível resultado da concentração bancária. Temos 4 ou 5 bancos grandes que concentram 70% ou 80% de todo dinheiro que circula no sistema (fonte). Os outros 170 bancos que existem, lutam entre si pelos poucos recursos que sobram e que estão nas mãos de investidores mais experientes que buscam oportunidades na renda fixa fora dos grandes bancos.

Como o uso do cheque especial é um tipo de “mau habito financeiro”, muitos bancos oferecem “10 dias sem juros no cheque especial” como se isso fosse um grande benefício. O objetivo não é oferecer um benefício, mas dar tempo ao cliente para que ele desenvolva o mau hábito de usar o limite do cheque especial. Depois que o mau hábito estiver estabelecido, os lucros são extraordinários.

O pequeno devedor precisa entender que existem centenas de bancos e financeiras que oferecem dinheiro mais barato que os grandes bancos.

Já os investidores devem perceber que os bancos grandes promovem um verdadeiro “apartheid” financeiro quando criam agências estilosas que carregam marcas em francês ou inglês. Essas agências bonitas abrigam os clientes que possuem renda e dinheiro para emprestar para o banco por juros baixos. São esses recursos que os bancos vão “investir”, através de empréstimos, oferecidos para as pessoas que frequentam as agências comuns, que são feias e lotadas de filas que atendem a população que trabalha apenas para pagar juros e taxas do cheque especial e cartão de crédito.

Deixar você vaidoso com o seu cartão de crédito preto dentro de agências bonitas que servem cappuccino e tratam você como uma pessoa (e não como parte de um rebanho) é uma estratégia barata que os bancos utilizam para conquistar a sua fidelidade. Essa fidelidade custa pouco para os bancos, mas custa caro para você.

A baixa rentabilidade dos investimentos oferecidos pelos grandes bancos cria um elevado custo por oportunidades perdidas. Não existe cappuccino grátis dentro das agências de nome sofisticado. Você paga caro por tudo isso através do baixo desempenho dos seus investimentos dentro dos grandes bancos. Tudo seria diferente se as pessoas exigissem mais resultados financeiros e menos símbolos de status que alimentam a vaidade.

É fundamental que você invista o seu dinheiro nos bancos com uma mentalidade de credor. É uma questão de mudança de mentalidade. Você está emprestando o seu dinheiro para o banco e deve exigir boa remuneração, pois o banco vai saber remunerar o seu dinheiro muito bem através de juros com 2 ou 3 dígitos ao ano.

É fundamental que você aprenda a buscar e identificar outras oportunidades fora dos grandes bancos. Existem centenas de bancos de menor porte que pagam juros maiores pelo seu dinheiro. Você precisa assumir a responsabilidade por buscar a maior rentabilidade e o menor risco no momento de emprestar o seu dinheiro para o banco. Isso fará uma enorme diferença no resultados dos seus investimentos no longo prazo.

Conheça o meu novo livro sobre Como Investir em CDB, LCI e LCA.

Leitura recomendada: lista de livros sobre investimentos.

Receba um e-mail quando novos artigos forem publicados, inscreva-se no Clube dos Poupadores. Ative as notificações no seu navegador clicando aqui ou no sino vermelho no canto inferior direito desta página