Antes de investir em LCI, LCA, CDB e outros títulos emitidos por bancos pequenos e médios é muito importante conhecer o banco e avaliar seu risco. Muitas corretoras estão oferecendo produtos de bancos médios com taxas de juros muito atrativas quando comparamos com os mesmos papéis oferecidos por grandes bancos.

Através das corretoras ficou muito fácil investir em outros bancos sem a necessidade de abrir contas em cada um deles. O problema é que nem sempre as pessoas se preocupam em conhecer melhor os bancos onde estão colocando seu dinheiro. É importante lembrar que a corretora só funciona como uma intermediária que ajuda estes bancos a captar recursos dos investidores. A responsabilidade pela escolha de onde investir é totalmente sua.

No momento em que escrevo este artigo é possível visualizar no site da Febraban (visite aqui) que existem 120 bancos associados e 65 não associados, muitos destes bancos oferecem LC, LCI, LCA e CDB para pessoas físicas. No campo de busca existe uma área de seleção com as opções: associados, não associados e todos. Como você pode ver nesta lista aqui, a falência de um banco pequeno não é um evento raro.

Bancos médios e pequenos vão continuar quebrando nos próximos anos, principalmente quando a economia enfrentar dificuldades. Hoje as exigências sobre os bancos são cada vez maiores com o objetivo de evitar que quebrem quando ocorrem as crises econômicas.

Atualmente existe o Fundo Garantidor de Créditos que oferece uma garantia, no caso de quebra, de até R$ 250 mil por investidor que tenha dinheiro investido em um dos bancos associados. Para entender como funciona esta garantia leia este outro artigo sobre o FGC. Se não fosse o FGC, dificilmente as pessoas físicas arriscariam suas economias investindo em bancos de menor porte. Dois exemplos recentes de bancos que fecharam as portas, e que o FGC entrou em ação para restituir seus clientes, foram: Banco Rural (veja aqui) e o Banco BVA (veja aqui).

5 cuidados básicos antes de investir em banco médios:

1) Verifique se o banco é associado do FGC, veja a lista;

2) Verifique qual é a nota de risco do banco. Isto é feito visitando o site das agências de classificação de risco ou agências de Rating. Existem três agências que são as mais conhecidas e que avaliam a saúde financeira dos bancos periodicamente.  Com base nesta nota é possível saber o resultado da última avaliação. Estas notas podem aumentar ou diminuir dependendo da situação em que o banco se encontra. Quanto maior a nota, menor o risco de calote e maior a segurança de recebimento do seu dinheiro somado aos juros prometidos. Bancos com boas notas de risco se dão ao luxo de oferecer taxas de juros menores já que o juro sempre deve ser visto como um prêmio pelo risco que se corre. Já os bancos com notas baixas são obrigados a oferecerem taxas de juros maiores para atrair investidores. Para saber mais sobre como avaliar a nota de risco dos bancos leia este artigo que escrevi sobre o assunto;

3) Verifique quais foram as últimas notícias publicadas sobre o banco. As agências de risco demoram muitos meses para avaliar e atualizar as notas de risco. É importante que você procure se informar sobre as últimas notícias divulgadas na imprensa sobre o banco que pretende investir. Notícias negativas como a queda nos lucros do banco, aumento da inadimplência, envolvimento em fraudes, envolvimento em crimes, corrupção e outras notícias ruins podem significar aumento do risco que ainda não está avaliado pelas agências. Recomendo dicas para pesquisar notícias sobre os bancos:

  • Visite o site de busca de notícias do Google que fica no endereço http://news.google.com.br. Faça uma busca pelo nome do banco. No final do resultado de buscas existe uma opção onde você pode configurar o envio de alertas. Você será avisado por e-mail sempre que uma nova notícia do banco for publicada.
  • Visite a área de busca do site Valor Econômico. Visite o endereço http://www.valor.com.br/search/apachesolr_search/ e utilize os campos laterais para fazer a busca utilizando o nome do banco. Muitas notícias do site Valor Econômico são fechadas para assinantes. Você poderá ler uma pequena introdução e o título das notícias fechadas. Isto já seria suficiente para você utilizar este título para fazer uma busca no Google e encontrar outros jornais que também escreveram sobre o ocorrido.

4) Através do Banco Central, no endereço www.bcb.gov.br/?ifdata é possível acessar algumas informações importantes sobre a saúde financeira dos bancos. Selecione a data do último levantamento e selecione o relatório “resumo”. Procure a coluna chamada “Índice de Basiléia“. Quanto maior for o índice mais seguro é o banco. O valor mínimo exigido pelo Banco Central é de 11%. Isto significa que para cada R$ 11,00 que o banco possui ele pode emprestar R$ 100,00. Parece uma coisa sem sentido? Se o banco tem R$ 11,00 ele só deveria emprestar R$ 11,00! Na verdade os bancos podem criar dinheiro emprestando mais do que realmente possuem. Como este mecanismo já foi motivo para diversas crises econômicas mundiais (a última aconteceu em 2008) os bancos centrais de todo mundo se uniram para definir algumas regras e exigências para evitar que os bancos quebrem com a tanta facilidade. Se você ficou curioso sobre este assunto leia sobre reservas fracionadas neste endereço. Existe um vídeo didaticamente assustador que trata deste assunto, visite aqui. Apesar de usarem como exemplo o Banco Central dos EUA (FED) o mesmo modelo é adotado no Brasil e em todos os outros países.

Para que você fique mais estimulado a pesquisar sobre o banco que você pretende investir estou colocando aqui dados sobre vários bancos médios que oferecem LCI, LCA, CDB e outras modalidades de investimento através de corretoras. São apenas alguns bancos, não são todos. Você também deve considerar que os dados abaixo podem se desatualizar com o tempo. Use como base para buscar mais informações em outras fontes.

É muito importante saber o histórico do banco, a área de atuação, estrutura e controle. Muitos bancos médios são controlados por grupos empresariais que atuam em outras áreas como: indústrias, montadoras de veículo, construtoras, redes varejistas e até grupos de comunicação. Também existem os bancos médios que são controlados por bancos maiores (nacionais e internacionais).

Banco ABC
Site: http://www.abcbrasil.com.br/
Histórico: Foi constituído em 1983, como Banco Roma de Investimentos, sendo controlado pelo grupo Roberto Marinho. Em 1997, o Arab Banking Corporation adquiriu o controle do banco e alterou sua denominação para ABC Brasil. Dez anos depois, abriu capital e passou a negociar suas ações na Bolsa de Valores de São Paulo.
Atuação: Crédito para empresas de médio e grande portes.
Estrutura e Controle: É controlado pelo Arab Banking Corporation, um banco com sede em Bahrain e com ações negociadas em bolsas de valores.

Banco BBM
Site: http://www.bbmbank.com.br/
Histórico: O banco foi fundado em 1858, sendo o grupo financeiro mais antigo do Brasil. Originou-se do Banco da Bahia, tendo no início foco em financiamento agrícola. Em 1998, tornou-se um banco múltiplo, mudando sua razão social para Banco BBM.
Atuação: Crédito para médias e grandes empresas, gestão de recursos de terceiros, tesouraria e mercado de capitais.
Estrutura e Controle: É controlado pela família Mariani.

Banco BIC – Banco Industrial e Comercial S.A.
Site: http://www.bicbanco.com.br/
Histórico: Foi fundado em 1938, na cidade de Juazeiro do Norte, interior do Ceará, como uma cooperativa de crédito. Em 1988, passa a atuar como um dos primeiros bancos múltiplos do país, transferindo sua sede para São Paulo. Em 2007, tornou-se um Companhia Aberta, passando a ter suas ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo. Em outubro de 2013, 72% das ações do banco foram vendidas para o China Construction Bank Corporation (CCB). O CCB é o segundo maior banco da China, com valor de mercado de 180 bilhões de dólares.
Atuação: É focado no atendimento de médias e grandes empresas.
Estrutura e Controle: É controlado pelo China Construction Bank Corporation (CCB), com 72% e os 28% restantes pertencem ao Grupo Bezerra de Menezes.

Banco BES
Site: http://www.besinvestimento.com.br/
Histórico: Com presença no Brasil desde 1976, o Grupo Banco Espírito Santo (GBES) atua neste país através do BES Investimento do Brasil (BESI Brasil) e suas subsidiárias.
Atuação: Operações estruturadas, mercado de capitais, finanças corporativas e tesouraria.
Estrutura e Controle: Criado no 2º semestre de 2000, o BESI Brasil é controlado pelo BES Investimento de Portugal (80%) e pelo Banco Bradesco (20%).

Banco BMG 
Site: http://www.bancobmg.com.br/
Histórico: O Banco BMG é o principal negócio do Grupo BMG. Com sede em Belo Horizonte, o Grupo BMG surgiu na década de 30, como indústria têxtil, e diversificou os negócios para as áreas financeira, imobiliária, agroindustrial e serviços. Em 1998, ingressou no mercado de crédito consignado.
Atuação: O BMG é especializado na concessão de empréstimo consignado, sendo líder no segmento de banco médio, com 16,7% de share no crédito consignado público e 9,3% de todo crédito pessoal.
Estrutura e Controle: O Banco pertence à família Pentagna Guimarães.

Banco Bonsucesso
Site: http://www.bancobonsucesso.com.br/
Histórico: A instituição teve origem em 1992, com a criação da Bonsucesso Financeira, para atuar no financiamento de veículos. Em 1997, a financeira foi transformada em banco múltiplo.
Atuação: Além do crédito consignado tradicional, o banco vem focando no mercado de cartões, através do cartão de crédito consignado e dos cartões pré-pagos (MEO e TravelCash). Atua também, em menor escala, no crédito a pequenas e médias empresas.
Estrutura e Controle: O grupo Bonsucesso possui duas holdings, ambas controladas pela família Pentagna Guimarães, que participa da administração estratégica do banco e de outros empreendimentos.

BR Partners
Site: http://www.brap.com.br/
Histórico: A BR Partners foi fundada em 2009 por Ricardo Lacerda com capital de sócios e 11 famílias de empresários, como uma assessoria financeira. Em 2011, comprou o Banco Porto Seguro, que estava inativo e, em 2012 recebeu aprovação do Banco Central para se tornar um banco de investimentos.
Atuação: Especializada em assessoria financeira e investimentos, assessorando empresas locais e multinacionais, famílias e fundos de investimentos em fusões, aquisições, vendas, restruturações e outras transações estratégicas. Atua também em mercados de capitais, gestão de fundos de private equity, e produtos estruturados e de investimento.
Estrutura e Controle: O Banco atua na estrutura de partnership, sendo Ricardo Lacerda o sócio fundador, e Andrea Pinheiro e Jairo Loureiro seus principais sócios. Famílias como Vasone (Hospital São Luiz), Feffer (Grupo Suzano) e João Alves Queiroz Filho (Hypermarcas) têm participação no grupo.

Banco Caixa Geral de Depósitos Brasil
Site: http://www.bcgbrasil.com.br/
Histórico: Iniciou suas atividades no Brasil em 2009. É controlado pelo Grupo Caixa Geral de Depósitos, maior grupo financeiro português presente no mundo, com atividade em 24 países.
Atuação: Atua junto às empresas brasileiras e estrangeiras instaladas no Brasil, através de financiamento de projetos, fusão e aquisição e na área de mercado de capitais.
Estrutura e Controle: Pertence integralmente ao Estado Português.

Banco Cargill
Site: http://www.bancocargill.com.br/
Histórico: O Banco Cargill foi fundado no ano de 2000 com o objetivo de ampliar a eficiência financeira dos empréstimos fornecidos aos produtores rurais. A Cargill está entre as maiores indústrias de alimentos do mundo, sendo uma das principais exportadoras de soja do Brasil e a maior processadora de cacau da América Latina.
Atuação: Presta serviços e fornece empréstimos e soluções aos clientes agrícolas, industriais e cooperativas.
Estrutura e Controle: É controlado integralmente pelo grupo Cargill.

Banco Fator
Site: http://www.bancofator.com.br/
Histórico: Foi fundado em 1967, com a criação da Fator Corretora, que, no seu processo de desenvolvimento, originou o Banco Fator. O Banco Fator atua desde 1989 como banco múltiplo, nas carteiras comercial e de investimento.
Atuação: Tesouraria e banking, investment banking, fundos estruturados e private banking.
Estrutura e Controle: O controle do banco pertence ao banqueiro Walter Appel.

Banco Fibra
Site: http://www.bancofibra.com.br/
Histórico: Iniciou suas operações em 1987, como Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários. Em 1989, recebeu autorização para atuar como banco múltiplo. Em 2007, o IFC- Internacional Finance Corporation passou a ser acionista do banco.
Atuação: Atualmente, concentra seus negócios no segmento de crédito corporativo e agronegócios.
Estrutura e Controle: O Banco é controlado pelo grupo Vicunha, que detém 94,5% das ações, e pelo IFC, com 5,5%. O IFC é o braço financeiro do Banco Mundial, e o Grupo Vicunha, controlado pela família Steinbruch, possui também o controle societário da Vicunha Têxtil e da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Banco Gerador
Site: http://www.bancogerador.com.br
Histórico: Iniciou suas operações em 2009, sendo, hoje, o único banco privado nacional especializado no crédito para as regiões Norte e Nordeste do país, onde concentra 93% da sua carteira total.
Atuação: Crédito consignado, middle market e banco de investimento.
Estrutura e Controle: O controle é partilhado entre a PHP Participações, com 30,74% e o Gerador Participações, com 69,26%.

Banco Indusval
Site: http://www.bip.b.br/
Histórico: A história teve início em 1967, com a fundação da Indusval Corretora. Em 2007, passa a negociar suas ações na Bolsa, e, 4 anos depois, anuncia acordos estratégicos com o Warburg Pincus, líder mundial do mercado de Private Equity, e com a Sertrading, uma das maiores empresas de serviços de comércio exterior do Brasil.
Atuação: Concessão de créditos para empresas no segmento middle e corporate.
Estrutura e Controle: 34% das ações são detidas pelos executivos do Banco e 65% é free float, sendo 27% da Warbung Pincus.

Banco Intermedium
Site: http://www.intermedium.com.br/
Histórico: A instituição teve inicio em 1994, com a fundação da financeira Intermedium, pela MRV Engenharia. Em 2008, foi concedida a licença para atuar como banco múltiplo.
Atuação: O Banco atua nos mercados de crédito imobiliário, consignado e middle market. Atualmente, a principal estratégia da instituição é aumentar a parcela das operações imobiliárias.
Estrutura e Controle: Rubens Menin Teixeira de Souza é presidente do Conselho de Administração, acionista majoritário, fundador e presidente da MRV Engenharia, cuja família detém 70% do capital do Banco.

Banco Mercantil
Site: http://mercantildobrasil.com.br/
Histórico: O Banco foi fundado na década de 40, na cidade de Curvelo, MG. Sua trajetória de crescimento teve forte impulso nas décadas de 60, 70 e 80, quando incorporou vários estabelecimentos bancários.
Atuação: Crédito consignado para INSS e crédito para middle market.
Estrutura e Controle: O Banco é controlado pela família Araújo, que detém cerca de 56 % das ações.

Banco Modal
Site: http://www.bancomodal.com.br/
Histórico: É um banco de investimento brasileiro, fundado em 1995, na cidade do Rio de Janeiro, por sócios do Banco Garantia.
Atuação: Corporate banking, investment banking, produtos, distribuição, asset management e produtos financeiros.
Estrutura e Controle: O controle é partilhado por sócios pessoas físicas, ativos na gestão do negócio.

Omni Financeira
Site: http://www.omni.com.br/
Histórico: A Omni foi fundada em 1968, como distribuidora de títulos e valores mobiliários. Em 1994, transformou-se em Financeira
Atuação: Financiamento de veículos com mais de 10 anos para classes B e C (65% da população).
Estrutura e Controle: É controlado pelo empresário Érico Ferreira.

Banco Original
Site: http://www.bancooriginal.com.br/
Histórico: O Banco Original nasceu da união do Banco JBS e Matone, em 2011. O Banco é o braço financeiro do grupo J&F, que detém participações em empresas, como JBS, Vigor, Eldorado Brasil, entre outras.
Atuação: A principal linha de negócio é a concessão de financiamento ao agronegócio.
Estrutura e Controle: É integralmente controlado pelo grupo J&F, que pertence à família Batista.

Banco Pan
Site: http://www.bancopan.com.br/
Histórico: Banco Pan foi fundado em 1990 pelo Grupo Silvio Santos. Em 2009 a Caixa Econômica Federal adquiriu 35,54% do Banco e em 2011 o banco BTG Pactual adquiriu a totalidade da participação detida pelo grupo Silvio Santos.
Atuação: Seu foco é o financiamento imobiliário, financiamento de veículos, credito para empresas, cartões de crédito, empréstimo pessoal e consignado.
Estrutura e Controle: O controle é partilhado entre o banco BTG Pactual com 34,1% e pela Caixapar com 37%. Os 28,9% restantes são free float.

Banco Paraná
Site: http://www.paranabanco.com.br/
Histórico: Foi constituído pelo Grupo JMalucelli, em 1979, sob a denominação de Paraná Financeira. Pioneiro em operações de crédito pessoal, com desconto em folha no âmbito do setor público e privado, iniciou um convênio com o Estado do Paraná em 1995. Em 2007, o Banco abriu seu capital na Bovespa.
Atuação: Crédito consignado a funcionários públicos, aposentados e pensionistas do INSS, e empréstimos para empresas de médio e grande portes.
Estrutura e Controle: É controlado pelo empresário Joel Malucelli e seus filhos, sendo parte do grupo JMalucelli, que possui, hoje, mais de 70 empresas nos setores de construção, comunicação, energia, entre outros.

Banco Paulista
Site: http://www.bancopaulista.com.br/
Histórico: Iniciou suas atividades em 1989, como Banco Comercial. Em 1967, a Socopa – Sociedade Corretora Paulista, tornou-se sua subsidiária integral.
Atuação: O Banco opera com as carteiras: comercial (pessoa jurídica), câmbio pronto e futuro para exportação, importação, financeiro e turismo.
Estrutura e Controle: O principal controlador é Álvaro Augusto Vidigal, com 59,91% das ações.

Banco Pine
Site: http://www.bancopine.com.br/
Histórico: Em maio de 1997, os irmãos Pinheiro (fundadores do banco BMC) iniciaram as operações do Pine. Em 2007, o banco passou a negociar parte de suas ações na BMF, e, em 2011, o DEG (banco de fomento alemão) adquiriu 3% das ações do Banco.
Atuação: Banco de atacado, focado no atendimento de grandes empresas.
Estrutura e Controle: É controlado pela família Pinheiro, que detém 68% do capital total da instituição, e parceiros estratégicos como o DEG e o Proparco.

Banco Renner
Site: http://www.bancorenner.com.br/
Histórico: O Banco começou em 1981 como financeira, com o objetivo de financiar as vendas da Loja Renner S.A, sua controladora à época. Posteriormente, em 1990, transformou-se em banco múltiplo. Em 2009, associou-se ao Grupo Record.
Atuação: É focado na concessão de crédito para veículos seminovos, crédito consignado privado e antecipação de recebíveis para funcionários e fornecedores do Grupo Record.
Estrutura e Controle: O controle é divido entre a Renner Participações S.A, com 60%, e o Grupo Record, com 40%.

Banco Rodobens
Site: http://www.rodobens.com.br/
Histórico: O banco é parte do braço financeiro das Empresas Rodobens, um importante grupo empresarial brasileiro, com atuação nos setores automotivo, financeiro e imobiliário.
Atuação: Atua primordialmente no desenvolvimento e na distribuição de produtos voltados aos segmentos automotivo e imobiliário.
Estrutura e Controle: O banco está subordinado, na forma de unidade de negócios, à Rodobens Negócios e Soluções, empresa pertencente à GV Holding, responsável pelos braços financeiro e automotivo

Banco Safra
Site: http://www.safra.com.br/
Histórico: Foi fundado em 1955, por Jacob Safra, sendo a primeira instituição financeira privada do Brasil. Hoje, o grupo Safra está presente nos Estados Unidos, Europa, América Latina, Caribe, Ásia e Oriente Médio.
Atuação: Foi fundado em 1955, por Jacob Safra, sendo a primeira instituição financeira privada do Brasil. Hoje, o grupo Safra está presente nos Estados Unidos, Europa, América Latina, Caribe, Ásia e Oriente Médio.
Estrutura e Controle: É controlado 100% por Joseph Safra.

Banco Semear
Site: http://www.bancosemear.com.br/
Histórico: O Banco Semear foi fundado em 1995, em Minas Gerais. Em 2006, após a incorporação da Seculus Financeira ao Banco Emblema, se tornou um banco múltiplo, com carteira comercial e de crédito, financiamento e investimento.
Atuação: Segmento de varejo massificado (CDCs, empréstimo pessoal e seguro prestamista), créditos para Pessoas Jurídicas (para capital de giro e antecipação de recebíveis) e investimentos.
Estrutura e Controle: É controlado pelo Grupo Seculus, conglomerado empresarial atuante nas áreas financeiras, imobiliária e industrial. É proprietário de uma das maiores indústrias de relógios do Brasil, fabricando relógios da Mondaine, Speedo,entre outros.

Banco Topázio
Site: http://www.bancotopazio.com.br/
Histórico: Iniciou sua trajetória em 2005, com a fundação da Topázio Financeira, com o intuito de fomentar a oferta de produtos e serviços das empresas coligadas (Embratec, Good Cards, Get Net e ITS System). A transformação da Financeira em Banco se deu em 2009.
Atuação: O foco é oferecer soluções financeiras para os estabelecimentos credenciados e para as empresas parceiras que demandam investimentos para expansão dos seus negócios.

Banco Rabobank
Site: http://www.rabobank.com.br/
Histórico: É um banco holandês fundado em 1898, através da fusão de Associações de Cooperativas dos Bancos Raiffeisen e do Banco de Crédito da Cooperativa Central de Produtores Rurais. No Brasil esta presente desde 1989 e em 2000 passou a atuar como banco múltiplo.
Atuação: O foco do banco é oferecer produtos e soluções financeiras diretamente para os produtores rurais.
Estrutura e Controle: É controlado pelo Rabobank International Holding B.V.

Banco Votorantim
Site: http://www.bancovotorantim.com.br/
Histórico: Foi fundado em 1988, como uma Distribuidora de Valores Mobiliários (DTVM). Em 1991, passou a operar como banco múltiplo. Em 2009, 50% do capital social da instituição foi vendido para o Banco do Brasil.
Atuação: Inclui corporate banking, mercado de capitais, tesouraria, área internacional, gestão de recursos de terceiro, financiamento de varejo, operações de arrendamento mercantil e corretora.
Estrutura e Controle: É controlado pelo grupo Votorantim e pelo Banco do Brasil.

Curiosidade:

Sei que o leitor que nunca investiu em bancos menores sente curiosidade em saber quais são as taxas que eles oferecem. Apenas para matar esta curiosidade estou publicando algumas taxas. Não vou atualizar estes dados no futuro. O objetivo é apenas ilustrar. Esta tela é uma foto da área restrita para clientes de uma corretora que utilizo (XP). Você pode ver a lista com todos os CDBs de diversos bancos que eles estavam oferecendo no momento em que a foto foi tirada. Isto significa que no momento em que você estiver lendo este artigo os CDBs, taxas, prazos, bancos e até notas de risco já podem ter sofrido mudanças.

Se você já consultou a taxa do CDB, LCA e LCI dos grandes bancos verá que os bancos de médio porte oferecem taxas melhores. Para isto eles exigem uma data de vencimento maior, não é possível antecipar o resgate, não existe liquidez diária (você precisa esperar o vencimento) e os valores mínimos para cada investimento costuma variar entre R$ 15 mil e 100 mil.

Para quem tem curiosidade em conhecer a rentabilidade da LCA de bancos médios:

Sei que muitos de vocês tendem a me perguntar se o banco X ou Y é ou não confiável. Como educador o meu objetivo é te ensinar a fazer o que eu costumo fazer, ou seja, no lugar de dizer qual banco é mais ou menos arriscado seria importante que você aprendesse a tirar suas próprias conclusões.

Leitura recomendada: lista de livros sobre investimentos.

Receba novos artigos por e-mail: