O que é o Come-Cotas dos Fundos de Investimento

O perverso come-cotas faz você perder dinheiro quando investe em fundos de investimento. Quanto mais tempo o dinheiro fica investido em fundos, mais você perde dinheiro. Todos os grandes bancos como Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Santander, Caixa Econômica, HSBC, entre outros, oferecem para seus clientes os chamados Fundos de Investimento. Os mais comuns são os Fundos DI ou Referenciados DI e Fundos de Investimento em Renda Fixa. Dificilmente o seu gerente gastar o tempo dele alertando sobre os efeitos do come-cotas.

O come-cotas funciona da seguinte form:

Todos os meses de maio e novembro a Receita Federal abocanha uma parte de tudo que você ganhou de juros nos últimos 6 meses de investimento. É desta forma que eles cobram o imposto de renda sobre os rendimentos do fundos de investimento. Estes saques semestrais de impostos são péssimos para o investidor com o passar dos anos. Vamos ver isto mais na frente.

Quando você investe em um fundo de investimento está comprando cotas deste fundo, pedaços de um fundo ou partes de um fundo. A soma de todas as cotas compradas pelos investidores de um fundo resulta no valor do patrimônio do fundo de investimentos. O valor da cota é resultante da divisão do patrimônio líquido do fundo pelo número de cotas existentes. Chamam o imposto de renda dos fundos de investimento de come-cotas porque ele diminui semestralmente o número de cotas que você possui daquele fundo.

Vamos entender como funciona a cobrança do IR (imposto de renda) do rendimento dos fundos. O percentual do imposto é regressivo. Quanto mais tempo você ficar com o dinheiro investido, menor será o imposto. O valor máximo é 22,5% e o valor mínimo é de 15% sobre o que você ganhou de juros. A tabela é esta aqui:

Exemplos:

Imagine que você investiu no início do ano R$ 10.000,00 e nos primeiros 6 meses recebeu 5% de juros. Agora tem R$ 10.500,00 (10.000 x 0,05 = 500). No mês de maio o banco irá recolher o imposto de 15% sobre esses R$ 500,00. Isto equivale a R$ 75,00 já que 500 x 0,15 = 75. Seu saldo líquido será de R$ 10.425,00 já que 10.425 – 75 resultará em 10.425.

Vamos imaginar que durante os próximos meses a rentabilidade foi de mais 5%. Seus R$ 10.425,00 renderam mais R$ 521,25 e seu saldo ficou em R$ 10.946,25. O imposto de renda de 15% será cobrado novamente sobre estes R$ 521,25 que você ganhou. Isto representa 521,25 x 0,15 = R$ 78,18. Com isto seu saldo líquido será de R$ 10.946,25 – 78,18 = R$ 10.868,07.

Observe que durante o ano você pagou 75 + 78,18 = R$ 153,18 de impostos. Se não existisse o come-cotas e você tivesse tido 5% de rentabilidade nos primeiros seis meses e mais 5% nos meses seguintes você teria recebido R$ 1.025,00 de juros. Como existe o come-cotas você perdeu R$ 75,00 nos primeiros seis meses e depois perdeu R$ 78,18 nos seis meses seguintes.

Se não existisse o come-cotas estes R$ 153,18 pagos de imposto ficariam rendendo juros sobre juros por muitos anos e somente no final do investimento é que o imposto sobre todos os juros ganhos seria calculado.

Se você sacar o dinheiro antes de completar 2 anos, no momento do saque o governo vai ficar com a diferença entre os 15% que você já pagou e o que ainda precisa pagar com base na tabela regressiva que mostrei acima. Vamos supor que você resolveu sacar o dinheiro entre 6 meses e menos de 1 ano. A alíquota é de 20% e, por isto, no momento do saque o fundo vai reter a diferença e repassar para o governo. Se o saque for feito entre 1 ano e antes de completar 2 anos a alíquota será de 17,5%. A diferença será recolhida no momento do saque.

Vale destacar que esta tabela acima serve para os fundos de longo prazo (como Fundo DI, Fundo de Renda Fixa e Fundos Multimercado). Para fundos de curto prazo, aqueles em que o prazo médio dos títulos que compõem a carteira é inferior a 365 dias, existem duas alíquotas: 22,5% para quem investir por até seis meses e 20% para quem investir por mais de 6 meses. Não existe come-cotas para os fundos de ações e a alíquota única é de 15% cobrada quando você resgatar o que investiu.

Desvantagem do come-cotas

O Prof. Samy Dana da FGV fez um gráfico que mostra o impacto dessa cobrança semestral de imposto de renda na rentabilidade do seu dinheiro investido. Quem investe em debêntures de longo prazo e títulos públicos de longo prazo não tem esse problema do come-cotas. Nestes investimentos o imposto de renda só é cobrado no vencimento dos títulos, ou seja, quando o dinheiro investido volta para sua conta, quando você realmente coloca as mãos no dinheiro. As debentures incentivadas são isentas de imposto de renda. O investimento em LCI e LCA também são isentos de imposto de renda. O CDB tem cobrança de imposto de renda, mas normalmente esses títulos possuem vencimento de no máximo 3 ou 4 anos, ou seja, os prazos não são longos.

Antecipar a cobrança do imposto de renda é ótimo para o governo e péssimo para o investidor. Este dinheiro recolhido pelo imposto antecipado poderia ficar investido por mais tempo rendendo juros sobre juros até o saque.

O Samy Dana fez uma simulação de dois investimentos de R$ 100 mil. O primeiro foi colocado em um fundo de investimento e o outro aplicado em CDB. Os dois tinham a mesma rentabilidade de 10% ao ano. O CDB não tem come-cotas, mas você não encontrará CDB com vencimentos muito longos. Por isto o gráfico do Samy Dana serve melhor para títulos públicos de longo prazo, debêntures de longo prazo e até mesmo LCI e LCA que não possuem prazos longos, mas são isentos de impostos e você pode reinvestir no vencimento.

Observe o gráfico. Veja que nos primeiros 5 anos, a aplicação renderá 1,16% mais que o Fundo de Investimento. A diferença depois de 10 ano será de 4,44% e depois de 30 anos a diferença será de 30,71%.

Olhando o gráfico produzido pelo Samy fica fácil perceber a quantidade de dinheiro perdido no longo prazo pelo fato do imposto ser cobrado antecipadamente. No artigo do Samy ele chama isso de “efeito de perverso” do come-cotas (veja aqui). Realmente é uma perversidade se o investidor não estiver consciente da existência deste efeito no longo prazo.

Veja que os valores no gráfico estão em milhares de reais. O primeiro número é R$ 100 mil investido. No CDB o resultado seria R$ 1.498.190,00. No fundo o resultado seria R$ 1.146.160,00. Uma diferença de R$ 352.030,00 que literalmente seria perdida e drenada do seu patrimônio para os cofres do governo.

Fundos de Investimento x Aposentadoria

Como você pode ver, o come-cotas prejudica a rentabilidade do seu dinheiro em investimentos de 10, 20 ou 30 anos. Estes prazos longos são comuns quando as pessoas querem investir pensando na aposentadoria ou na independência financeira.

Os fundos de investimento cobram taxa administrativa (fonte de lucro elevado para os bancos). Para pequenos investidores esta taxa é muito elevada (acima de 1% ao ano). Fundos DI e Fundos de Renda Fixa nada mais fazem do que usar o seu dinheiro para comprar títulos públicos pós-fixados (fundos DI) e títulos públicos pré-fixados (fundos de renda fixa). Você mesmo pode comprar títulos públicos sem intermediários pagando taxas de 0,30%. Aprenda a investir em títulos públicos e outros investimentos através da minha série de livros sobre educação financeira.

Veja este outro gráfico que compara a rentabilidade do seu dinheiro investido em título público e fundo de investimento. É possível perceber o efeito do come-cotas no longo prazo. No exemplo temos R$ 1.000,00 investidos em Fundo e em Títulos do Tesouro Direto. A rentabilidade na simulação foi de 12% ao ano em um período de 30 anos. Nos títulos públicos o imposto é cobrado no vencimento ou quando você saca o valor investido. Leia o artigo que escrevi sobre aposentadoria antecipada onde os títulos públicos são importantes.

Bancos também oferecem CDBs que não cobram taxa administrativa (já que você está emprestado dinheiro para o banco) e não existe o come-cotas, só que o vencimento é de alguns anos. Investir em CDB com vencimento acima de 2 anos faria você pagar o imposto (como se fosse um come-cotas) de 15% de dois em dois anos. Já no caso do LCI e LCA que são isentos, o reinvestimento no vencimento não geraria qualquer despesa com imposto. Você só correria o risco de não encontrar outro LCI ou LCA com a mesma rentabilidade, pois os bancos mudam suas ofertas de LCI e LCA constantemente.

Uma vantagem dos fundos em relação a outros investimentos é a liquidez. Normalmente os bancos permitem que você saque o valor investido nos fundos diariamente. Em títulos como CDB, LCI, LCA e Títulos Públicos e debêntures normalmente existe uma data de vencimento que precisa ser cumprida para que você tenha a rentabilidade prometida. Fundos de investimento se tornam boas opções para aquele dinheiro que você guarda para uma emergência ou como forma de diversificação. Veja o artigo que escrevi sobre fundo de emergência.

By |07/07/2014|Categories: Investimentos|66 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

66 Comments

  1. Alexandro Texeira 7 de julho de 2014 at 13:56 - Reply

    Boa tarde Sr Leandro. Pretendo começar a investir este ano pensando em minha aposentadoria. Tenho 38 anos e vou investir por pelo menos 20 anos. qual o título público que o Sr me aconselha comprar: o NTN-B com vencimento em 2024 ou o com vencimento em 2035?
    Pretendo fazer aportes mensais pequenos de no máximo 300 reais , pois minha renda mensal é baixa. Estou em dúvida se compro o que vence daqui a 10 anos e depois vendo e compro outro , ou se compro o de 2035 e fico com ele direto.
    Sempre acompanho suas publicações pois são muito esclarecedoras.

    • Leandro Ávila 7 de julho de 2014 at 14:27 - Reply

      Olá Alexandro, você pode investir uma parte em NTNB 2024, outra em NTNB de prazo mais longo. Você também pode diversificar em outras modalidades de investimento, outros títulos públicos como o LFT e LTN. É interessante diversificar. Baixe o ebook sobre títulos públicos.

      • Christiano 18 de outubro de 2014 at 22:53 - Reply

        Olá Leandro, uma dúvida que surgiu do comentário do nosso amigo. Eu estou + ou – na mesma situacao e não entendi muito bem o pq diversificar entre dois NTN-Bs? Quanto a diversificar entre outros titulos beleza. Mas por qual razão específica diversificar entre um de vencimento mais longo e outro de vencimento mais curto?

        • Luan 23 de junho de 2016 at 13:35 - Reply

          Olá amigo. O problema em investir em um titulo que vence em 2035 é que não se pode prever o cenário econômico até lá. Pode ser que em 2035 esse mesmo título esteja custando IPCA + 45% a.a. por exemplo. Então poderia ser mais vantajoso investir em um titulo com prazo de vencimento mais curto e, dependendo da situação econômica do país nessa data, você possa investir o dinheiro recolhido em um titulo mais vantajoso para você economicamente falando, que pode ser o próprio IPCA + 2035 ou outro que esteja disponível no momento.
          Eu tenho 25 anos e estou investindo no IPCA + 2035 mensalmente, pensando em uma aposentadoria, porém tenho em minha carteira também o SELIC e o LTN 2023 (longo, médio e curto prazo) para tentar equilibrar e não perder tanto dinheiro caso o país passe por mudanças econômicas drásticas.

          Acho que é isso, rs.

          • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 16:00

            É impossível prever o futuro com o tipo de político que assume o poder no Brasil de tempos em tempos.

  2. Marconi 7 de julho de 2014 at 16:08 - Reply

    Prezado Leandro, esse mesmo racício vale para fundo de investimento em ações? tenho um pequeno valor investimo no BB no fundo de investimento das ações da CIELO que por sinal tem apresentado boa rentabilidade. Fica a pergunta se vale a pena, mesmo havendo come cotas.
    Um abraço.
    Marconi

    • Leandro Ávila 7 de julho de 2014 at 16:52 - Reply

      Olá Marconi. Não existe incidência come-cotas para fundos classificados como Fundo de Investimento em Ações. Além disso, a alíquota de Imposto de Renda para esses fundos é sempre de 15%, independentemente do tempo em que permanecer aplicado.

  3. Carlos 7 de julho de 2014 at 21:35 - Reply

    Olá Leandro perdi muito dinheiro durante três anos na bolsa de valores.Tenho 51 anos e tenho hoje
    89% do meu dinheiro aplicado no FIC Personal RF da CEF, um belo come cotas, e os restantes 11% aplicados na caderneta de poupança, que considero um fundo de reserva. Tenho feito aplicações mensais nesses dois investimentos. Pretendo me aposentar aos 65, portanto em 14 anos. Seria interessante à medida em que forem vencendo os 720 dias de cada aplicaçāo no FIC ir transferindo para uma outra aplicaçāo como um CDB por exemplo?
    Um abraço
    Carlos

    • Leandro Ávila 8 de julho de 2014 at 8:52 - Reply

      Olá Carlos. É interessante que você diversifique em CDB, LCI, LCA, Títulos Públicos, etc. É mais vantajoso espalhar seus recursos montando uma carteira de investimento e não concentrar tudo em um único banco e em um único fundo. Um abraço!

      • Carlos 9 de julho de 2014 at 21:18 - Reply

        Obrigado por responder. Abraço.

  4. Emerson Vieira 7 de julho de 2014 at 23:23 - Reply

    Olá Leandro!!

    Excelente texto!!

    Li na internet sobre o come-cotas mas só agora em seu artigo compreendi perfeitamente. E pelo pouco que entendia já ficava longe de fundos.

    Como estou estudando a estratégia de alocação de ativos fico contente que as ETF’s não possuem come-cotas.

    Grato,

    • Leandro Ávila 8 de julho de 2014 at 8:50 - Reply

      Olá Emerson, obrigado! Existem fundos de investimento que podem ser vantajosos pela liquidez. Pode ser uma opção para guardar aquele dinheiro que você destina para ser usado em uma emergência. Pretendo escrever um artigo sobre isso no futuro. Também existem diversos tipos de fundo que pretendo falar no futuro.

  5. Ivan 8 de julho de 2014 at 1:13 - Reply

    Prezado Leandro,
    Excelente artigo, super esclarecedor. Simples e objetivo, parabéns!

  6. Amauri 8 de julho de 2014 at 11:17 - Reply

    Prezado Sr. Leandro Ávila, a melhor coisa que fiz na minha vida foi me cadastrar no seu site com vistas a negocios na área de investimento; como nunca fui voltado para essa área, espero, em breve, retornar ao Sr. para pedir-lhe ajuda, na condução de uma verba que estou para receber na justiça e aí sim começar a me articular. Estou aposentado, com 65 anos, e ainda acredito que posso e devo aprernder com quem é mestre. Obrigado e abraço. Amauri.

    • Leandro Ávila 9 de julho de 2014 at 0:10 - Reply

      Olá Amauri, muito obrigado por suas palavras. Eu não presto consultoria ou aconselhamento pessoal ou particular. Meu papel não é indicar onde as pessoas devem investir, meu objetivo é ensinar mais sobre investimentos e finanças pessoais para que as pessoas não precisam perguntar para ninguém sobre onde e como investir. Você pode aprender mais através dos artigos que escrevo semanalmente e através de livros digitais e cursos online que eu indico na página http://www.clubedospoupadores.com/livros-recomendados-de-educacao-financeira

  7. Eduardo Figueiredo 9 de julho de 2014 at 21:21 - Reply

    Leandro,

    Seu artigo é excelente para quem não conhece a forma de tributação nos fundos de investimento, e realmente o come-cotas tem um impacto elevado na rentabilidade.
    Mas acho que faltou um ponto importante: A rentabilidade dos fundos de investimentos são divulgadas já descontando a tributação (come-cota).
    Eu falo isso porque minha estratégia de investimento é 100% em fundos de investimento, e existem muitos fundos que, mesmo após a tributação come-cota, possuem rentabilidade muito superior a outras formas de aplicações.
    Eu recomendo para todos o investimento em fundos, pois possui boa liquidez, você consegue verificar a rentabilidade de forma prática, não necessita gestão ativa (ficar acompanhando diariamente), é uma forma de diversificar em um único investimento: renda-fixa, ações, moeda, long-short, investimentos no exterior, etc.

    • Leandro Ávila 9 de julho de 2014 at 23:13 - Reply

      Olá Eduardo. A rentabilidade dos fundos de investimento divulgadas para a população já possuem a taxa administrativa descontada. O Imposto de Renda não está descontado. Existem bons fundos e fundos ruins. A maioria dos fundos oferecidos por grandes bancos são ruins, muitos são verdadeiras pegadinhas contra os clientes mais leigos. Oferecem boa rentabilidade apenas para clientes que possuem grandes fortunas investidas já que as taxas administrativas são menores para estes clientes. Bons fundos de grandes bancos normalmente não aceitam pequenos investidores. A liquidez é uma vantagem que precisa ser considerada. Futuramente pretendo escrever um artigo para falar sobre cada tipo fundo de investimento.

  8. Caio 10 de julho de 2014 at 17:37 - Reply

    Olá Leandro, primeiramente o parabenizo pelo conteúdo de qualidade disponibilizado no site.
    Todo o dinheiro que consigo poupar invisto em LCI de um banco médio a 100% do CDI e com liquidez em 180 dias, e tenho dificuldade de entender o motivo pelo qual devo diversificar meus investimentos, tendo em vista que tenho segurança, pois os valores estão dentro da cobertura do FGC e a rentabilidade é acima das demais opções em renda fixa (sou extremamente conservador).
    Uma outra dúvida que tenho é que observei que você não acredita que haja vantagem em consórcio imobiliário.Tenho 2 cartas de crédito contempladas por lance totalizando o valor de 200 mil e pago aproximadamente 1.000 reais de parcela ( o que representa 0,5% do valor do crédito), pois solicitei que o valor que ofertei de lance fosse usado para diminuir o valor da minha parcela. Qual seria a desvantagem que tenho, tendo em vista que o valor que pago de parcela é igual ao valor que pagaria de aluguel? Com a diferença que o imóvel ao final de 15 anos estará quitado. Obrigado e grande abraço!

    • Leandro Ávila 10 de julho de 2014 at 17:56 - Reply

      Oi Caio. Se o FGC for acionado pode demorar alguns meses para que você receba o dinheiro de volta. Você pode diversificar para diluir risco e liquidez. Com relação ao consórcio você não pode olhar só a parcela. Você precisa verificar quanto desta parcela são taxas. Ainda previsa avaliar o impacto da correção, normalmente o consórcio de imóveis é corrigido pelo INCC. Só no ano passado dívidas corrigidas pelo INCC subiram mais de 8%. Estes custos ao longo de 15 anos são significativos. Tudo isso precisa ser avaliado com cuidado. Um abraço!

  9. Rosilene Amorim 11 de julho de 2014 at 8:34 - Reply

    Olá, Leandro! tenho 10.000reais para investir e não sei quais as opções mais rentáveis atualmente tenho 40 mil na poupança e usarei 10 para começar investir.

  10. Suyene 11 de julho de 2014 at 9:13 - Reply

    Bom dia Leandro,
    Na minha empresa – que é uma nacional de grande porte – existe um plano de previdência em forma de cotas com coparticipação da empresa, no qual me inscrevi destinando 10% do meu salário bruto. Será que vale a pena?

    • Leandro Ávila 11 de julho de 2014 at 9:20 - Reply

      Olá Suyene. Existem muitas coisas que você precisa avaliar para saber se vale a pena. Existem taxas, rentabilidade, condições de entrada e saída do plano, etc. A primeira coisa que você precisa fazer é ler e entender o que está escrito no contrato.

  11. Andreia 15 de julho de 2014 at 11:37 - Reply

    Leandro, bom dia!

    Tenho uma dúvida: aqueles fundos em renda variável e os multimercados também possuem “come cotas”? Em caso positivo, é interessante aplicar mesmo com essa desvantagem pelo fato de alguns possuírem rentabilidade maior que CDB´s e títulos públicos?

    • Leandro Ávila 15 de julho de 2014 at 12:01 - Reply

      Olá Andreia. A maioria dos fundos multimercado possuem come-cotas, existe alguns tipos bem específicos e raros de se ver que a Receita Federal pode classificar como fundo de ações mesmo sendo divulgado que é multimercado. Fundo de ações não tem come-cotas, o imposto de renda é cobrado quando você resgata o investimento e a taxa é fixa em 15%. Aproveito para publicar outro gráfico que mostra o efeito do come-cotas mais claramente. O come-cotas não toda todos os fundos de investimento desvantajosos. É importante que cada investidor avalie os efeitos do come-cotas no momento de decidir entre uma opção e outra.
      come-cotas

  12. henrique 12 de agosto de 2014 at 15:44 - Reply

    investi R$5000 em fundos de ações pelo site bb em vale petrobras bb cielo etc, ao todo tenho 9 diferentes cada um cobra de 1,50% a 2,50% ao ano de taxa de adm…gostaria de saber se esse fundo que estou tambem é come cotas?

    • Leandro Ávila 12 de agosto de 2014 at 22:00 - Reply

      Olá Henrique. Normalmente os fundos de ações não possuem come-cotas. O imposto é recolhido quando você saca o valor investido.

  13. Daniel 1 de novembro de 2014 at 12:25 - Reply

    Olá Leandro! Parabéns pelo site! Gostaria de investir uma parte do meu dinheiro em fundos de investimentos hoje, ou seja, no início do mês de novembro. Faz alguma diferença eu investir no começo do mês de novembro (antes da incidência do come-cotas) ou é melhor eu investir no começo do mês de dezembro, quando o come-cotas só irá incidir novamente no ultimo dia do mês de maio?! Grande abraço.

    • Leandro Ávila 1 de novembro de 2014 at 13:07 - Reply

      Oi Daniel, não faz muita diferença pois o recolhimento vai ser proporcional ao tempo que você estiver investido e será sofre o que rendeu de juros.

  14. Marcelo 12 de novembro de 2014 at 11:43 - Reply

    Olá. Sou iniciante nessa área de investimentos. Após muito pesquisar encontrei este site que me ajudou demais nos meus primeiros passos para investir. Já investi no tesouro direto em LTN,LTF e NTNB pirncipal. Leandro Avila suas dicas foram bem valiosas, obrigado mesmo. Em pensar que eu nem sabia que existia Tesouro Direto e passei tempos perdendo dinheiro na poupança. Meu próximo passo é investir em Fundos de Investimento Imobiliário. A minha dúvida é se os FII´s possuem como-cotas?

    • Leandro Ávila 12 de novembro de 2014 at 15:33 - Reply

      Oi Marcelo. Os rendimentos mensais dos Fundos Imobiliários são isentos de imposto de renda. Você só paga imposto se resolver vender as cotas com lucro (ganho de capital). É importante observar que o preço das cotas do fundo devem cair enquanto os juros (selic) continuar subindo. Os investidores tendem a perder o interesse por fundos imobiliários quando os juros de títulos públicos e títulos privados começam a subir. A oportunidade para comprar cotas de fundos pagando pouco deve ocorrer quando os ciclo de alta dos juros chegar no topo.

      • Miguel 3 de junho de 2015 at 10:55 - Reply

        Olá Leandro, tudo bem?

        E no caso de um FII que possui um fundo caixa de renda fixa? há incidência de come-cotas apenas deste fundo de renda fixa?

        Abs

        • Leandro Ávila 3 de junho de 2015 at 13:28 - Reply

          Oi Miguel, não existe come-cotas em fundos imobiliários.

  15. Edson 20 de novembro de 2014 at 8:18 - Reply

    Leandro, no resgate total é descontado o que já foi pago nesses come cotas? Ex.: apliquei em janeiro 1mil, em maio saldo de 1100, come cotas de 15 reais. Em outubro resgate total com alíquota de IR de 20% no saldo bruto de 1200, quanto pago de IR?

    • Leandro Ávila 20 de novembro de 2014 at 11:01 - Reply

      Olá Edson. Todos os meses de maio e novembro o Governo retira 15% do que você recebeu de juros no período. No momento do saque eles verificam se o dinheiro sacado está aplicado a mais de 2 anos. Se estiver nada a mais é descontado. Se o dinheiro estiver aplicado a menos de 1 ano o Governo vai ficar com a diferença para que na prática você pague 20% conforme a tabela. Se você fez várias aplicações no decorrer do tempo eles vão considerar como dinheiro sacado aquele que entrou primeiro.

  16. Marcelo 11 de dezembro de 2014 at 14:46 - Reply

    Olá, Leando.
    No caso dos fundos de investimentos de ações, existe o “come-cotas”??
    Pois o IR é uma alíquota fixa de 15% (quinze), independentemente do tempo em que o dinheiro fica investido.
    Abraço.

    • Leandro Ávila 11 de dezembro de 2014 at 15:10 - Reply

      Olá Marcelo, não existe come-cotas em fundos de ações.

  17. Elton 19 de fevereiro de 2015 at 20:43 - Reply

    Leandro,
    Não entendi uma coisa.
    A impressão que tive lendo o artigo e lendo alguns documentos de fundo do BB é que eles cobram 15% em maio e depois cobram mais 15% em novembro.
    Caso eu aplique em abril um valor, em maio o estado fica com 15% do lucro. Agora meu mini-lucro vai render até novembro onde terá mais 15% descontado?
    Estou um pouco confuso.

    • Leandro Ávila 19 de fevereiro de 2015 at 23:04 - Reply

      Oi Elton. Duas vezes por ano o banco irá recolher 15% sobre o que render no período. Não importa se faz 1 dia que o dinheiro está aplicado ou 30 dias. Se faz apenas 1 dia que está aplicado irão descontar 15% sobre o pequeno rendimento que você terá em apenas 1 dia.

  18. Andre 8 de abril de 2015 at 17:52 - Reply

    Boa tarde Leandro,

    Recebi da XP uma oportunidade de investimento chamada de XP CAPITAL PROTEGIDO X:
    BERKSHIRE HATHAWAY ( do Warren Buffet).
    Lendo sobre o investimento percebi que há incidência do come-cotas e vim logo buscar informação no seu site sobre o tema.
    Porém o investimento é curto, de 22/04/2015 e 20/10/2016, e pelo que entendi nesse caso haverá “apenas” 3 come-cotas (maio e novembro 2015 e maio 2016), correto? e IR de 17,5%
    Ainda não consegui avaliar se é um bom investimento. Mas caso seja, pelo fato de ser curto prazo pode ser vantajoso mesmo possuindo come-cotas?

    • Leandro Ávila 8 de abril de 2015 at 22:38 - Reply

      Olá André, o investimento em fundos pode ser vantajoso, depende do desempenho do fundo, da taxa de administração, do prazo, etc. No longo prazo o come-cotas acaba prejudicando o desempenho, no curto prazo o efeito não é tão grande.

  19. Eli 25 de maio de 2015 at 20:43 - Reply

    Olá eu não tenho palavras para agradecer a sua iniciativa de montar um site como este e disponibilizar o conhecimento e o seu precioso tempo para ensinar e a sua revolução é silenciosa e de acordo com outras resposta que li sobre todos os seus artigos vc fez a diferença e vem incomodando muita gente! Meus parabéns pela sua bravura pois é mais que um guerreiro!
    Vamos a minha dúvida eu entendi o seguinte: o governo fica com 30% do seu lucro todo ano então!!!!!!! e quando vc resgata ainda tem que pagar + a tabela vigente do IR. Exemplo deixei o dinheiro 1 ano e investi 10.000,00 reais e rendeu 500 reais que dá 5% – 0,15% em maio – 0,15% em novembro = 0,30% no ano = – 150 reais e sobrou 10.350,00 reais ou seja 3,50% e se eu for resgatar a tabela de IR é 20% pra 1 ano e me sobra 280,00 reais liquido e o rendimento que tive é de 2,80%. Foi isso o que entendi e se for isso mesmo não compensa colocar nada em fundo DI.

    • Leandro Ávila 25 de maio de 2015 at 22:56 - Reply

      Oi Eli, muito obrigado. Para um investimento em fundo o governo fica com 15% da rentabilidade por ano e não 30%. Somente se você sacar o dinheiro antes de completar 2 anos é que eles vão deduzir a díferença.

  20. Luciano 3 de junho de 2015 at 16:12 - Reply

    Leandro, um fundo de investimento com taxa de administração de 0,5% e rentabilidade nos últimos 12 meses entre 11 e 11,5% pode ser considerado satisfatório. Poderia ser considerando um meio termo entre TD e outros investimentos mais vantajosos, e fundos ruins, que cobram taxas maiores q 1%

    • Leandro Ávila 3 de junho de 2015 at 17:08 - Reply

      Oi Luciano, pode ser um meio termo devido a essa taxa de 0,5% (que é baixa para um fundo). No tesouro direto não é possível ter o dinheiro disponível a qualquer momento ou no mesmo dia. Apesar de poder vender os títulos diariamente o dinheiro só cai na sua conta um ou dois dias depois. No caso dos fundos, a maioria permite que você saque o dinheiro e ele fica disponível no mesmo dia.

  21. Andre 27 de junho de 2015 at 14:53 - Reply

    Considerando que nao existem CDBs de 20 anos, e os prazos maiores que já vi são 2 ou 3 anos, os gráficos em questão consideram que o CDB será tributado de quanto em quanto tempo pra fazer essa comparação?

    • Leandro Ávila 16 de julho de 2015 at 16:30 - Reply

      Oi André, o gráfico criado pelo Samy Dana se aplicaria melhor a um investimento de prazo mais longo como títulos públicos, debêntures de longo prazo, onde existe a cobrança do IR no final de muitos anos. Aproveito sua mensagem para dar parabéns pelo trabalho que você realiza de esclarecimento através dos seus vídeos.

      • Andre 16 de julho de 2015 at 21:26 - Reply

        Opa Leandro!

        Legal, obrigado. Pois é, eu acho um pouco dessa história de come-cotas como vilão meio forçação de barra… rs… Até fiz um artigo e vídeo sobre isso…

        Parabéns você pelo seu excelente trabalho!

        Abs,

        André Bona

  22. Arthur Silva 16 de julho de 2015 at 9:32 - Reply

    Prezado Leandro, bom dia

    Desculpe minha ignorância no tema, mas respondendo a um internauta acima, vc disse que são duas fases do come-cotas: uma em maio e outra em novembro. Ambas são de 15%. Minha pergunta:
    Se são duas de 15%, ao final do ano, totalizarão 30% ? Se for diferente disso, é possível dar um exemplo numérico? Obrigado e parabéns pela iniciativa.

    • Leandro Ávila 16 de julho de 2015 at 16:53 - Reply

      Oi Arthur. Eu deixei os cálculos do artigo mais didáticos agora. Você verá que não vai pagar 30% no final, vai pagar só 15%, não importa se o governo vai ficar com 15% do seu rendimento 2 vezes por ano (semestralmente) ou se ele vai ficar com 15% do seu rendimento todos os meses. Vamos imaginar que o governo resolveu parar de cobrar 15% a cada 6 meses no come-cotas. Vamos imaginar que ele resolveu cobrar 15% todos os meses, seria um come-cotas mensal, seriam 12 cobranças de 15% sobre o rendimento. Isto não significa que ele ficará com 180% dos seus rendimentos (12 x 15%). Como achei sua dúvida muito importante e para mostrar esse exemplo radical de cobrança de 15% mensais criei uma planilha que você pode baixar em https://www.dropbox.com/s/uspbam3g3gw7z87/exemplo-cobranca-de-imposto.xlsx?dl=0

  23. Thales 30 de setembro de 2015 at 19:21 - Reply

    Leandro boa tarde.

    Mais uma vez parabéns pelo brilhante trabalho.Sou fã e seu site mudou minha forma de enxergar os investimentos..

    Pergunto:

    Estou diversificando minha carteira…Estou bem comprado em TD/LCI/LCA…
    Queria com sua experiência saber..Uma taxa de administração de 2% a a para um pequeno/médio investidor para um fundo multimercado sem ser de renda variável pode ser considerada alta ou é na média??Posso me basear como mínimo e máximo para analisar viabilidade de entrada somando a outros fatos que irei analisar ou não, de entre quantos a quantos %?

    Fundo multimercado é interessante alternativa na intenção de diversificação?Ou ideal seria buscar outras alternativas.
    Um grande abraço
    .

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 16:04 - Reply

      Oi Thales, a taxa de 2% é a mais comum. Se é uma taxa boa ou ruim vai depender da competência do gestor do fundo, pois essas decisões que vão determinar se o seu dinheiro vai render ao ponto deste custos compensar.

  24. Harion 2 de novembro de 2015 at 17:18 - Reply

    Leandro, FII tem come cotas?

  25. corsario90 30 de janeiro de 2016 at 10:50 - Reply

    Bom dia! Com os fundos cambiais e o horizonte de 03 anos os fundos ficam mais vantajosos frente ao TD

  26. Naara 13 de fevereiro de 2016 at 17:30 - Reply

    Olá, Leandro.
    Eu fiz um investimento em um banco S em um fundo DI, que rende 80% do CDI diariamente, Ocorre que não sei se foi uma boa, pois eu poderia ter investido em uma LCI a 70% do CDI. Será que vale a pena manter esta aplicação do fundo ou passar para uma LCI 70%. É que atualmente, para o montante que consigo investir por mês só consigo essa rentabilidade de 70% no banco B (antigamente era 80%).

  27. Nelson 1 de junho de 2016 at 12:44 - Reply

    Ola Leandro
    Texto esclarecedor! Obrigado por compartilhar seu conhecimento!
    Uma dúvida: se eu investirnoor exemplo 10k no renda fixa (BB). E depois de 3 meses eu sacar todos os rendimentos. (Apenas a quantia que rendeu %) Como o come contas irá funcionar?
    O come contas nao tira se nao for dos rendimentos, ou ele acaba tirando dos 10k que permaneceram na conta?
    Abs

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 16:01 - Reply

      Oi Nelson. Ele só vai tirar do rendimento que foi acumulado durante os 3 meses.

  28. Matheus Marianelli 28 de junho de 2016 at 15:59 - Reply

    Oi Leandro, boa tarde

    possuo uma empresa de lucro presumido, onde só posso efetuar o pagamento do IRPJ e CSLL no ato do regate do fundo de investimento correto? Fiz um grande resgate no final do ano passado e meu contador na hora de gerar os DARFS de IRRF e CSLL não levou em consideração os famosos come-cotas, apenas deduziu o IRRF que ocorreu na data de resgate, que acredito ser referente a diferença de alíquota a ser paga em questão do tempo da aplicação. Ele está correto?…

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:59 - Reply

      Oi Matheus, não tenho conhecimento sobre o funcionamento do investimento quando feito por pessoa jurídica. Recomendo entrar em contato com o contador.

  29. Xerife do baú 15 de setembro de 2016 at 0:08 - Reply

    Quem foi o Filho de uma corna que inventou come-cotas?

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:58 - Reply

      O governo e seus políticos, os mesmos que as pessoas votam a cada 4 anos. Sempre tralhando para tirar o máximo de dinheiro da população para depois entregar o mínimo.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo