Investimentos garantidos pelo FGC – Fundo Garantidor de Créditos

Artigo atualizado em 2018: Diversas opções de investimento no Brasil possuem uma tipo de seguro que é oferecido pelo FGC ou Fundo Garantidor de Créditos (www.fgc.org.br). Se você tem conta em algum banco é praticamente certo que você já tenha alguma quantia segurada, mesmo sem saber disso.

Poucos conhecem o funcionamento desse seguro. É muito provável que o gerente do seu banco nunca tenha falado nada sobre esse assunto com você.  O motivo é simples. Não é do interesse dos grandes bancos que as pessoas saibam que possuem um tipo de proteção que tornam bancos grandes, pequenos e médios igualmente seguros no caso de uma falência.

Como o seguro possui algumas limitações é muito importante que você entenda as regras para que possa distribuir seu patrimônio entre os bancos para minimizar seus riscos.

O FGC é uma entidade privada sem fins lucrativos mantido pelas instituições financeiras associadas (lista de associados). O Banco Central obriga bancos e determinados tipos de instituições financeiras a se associarem ao fundo.

A principal função do FGC é proteger o dinheiro dos correntistas e investidores que aplicam seus recursos nos produtos oferecidos por bancos e instituições financeiras associadas ao fundo. Caso estas instituições tenham decretada uma intervenção, liquidação extrajudicial ou estado de insolvência (falência), você terá o seu dinheiro de volta até um determinado limite através do Fundo Garantidor de Créditos.

Os investimentos que são protegidos pelo Fundo Garantidor de Créditos são:

  1. Depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio (Dinheiro que você deixa parado na sua conta corrente);
  2. Depósitos de poupança (Caderneta de Poupança);
  3. Depósitos a prazo, com ou sem emissão de certificado – RDB (Recibo de Depósito Bancário) e CDB (Certificado de Depósito Bancário);
  4. Depósitos mantidos em contas não movimentáveis por cheques destinadas ao registro e controle do fluxo de recursos referentes à prestação de serviços de pagamento de salários, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares;
  5. Letras de câmbio (LC);
  6. Letras imobiliárias (LI);
  7. Letras hipotecárias (LH);
  8. Letras de crédito imobiliário (LCI);
  9. Letras de crédito do agronegócio (LCA);
  10. Operações compromissadas que têm como objetivo títulos emitidos após 8 de março de 2012 por empresa ligada (Compromissadas)

Os títulos públicos, que você pode adquirir através do Tesouro Direto não possuem garantia do FGC. Neste caso, a garantia é oferecida pelo Governo Federal. Como você sabe, quem paga as contas e as dívidas do governo é a população brasileira através dos impostos. O Governo também é capaz de produzir dinheiro para pagar suas dívidas através da emissão de moeda ou mecanismos similares que produzem o mesmo efeito. Podemos dizer que a garantia é o bolso dos brasileiros e a capacidade do governo produzir dinheiro a partir do nada. Por esse motivo, não existe investimento mais seguro, usando moeda local, dentro de cada país, do que os títulos da dívida pública emitidos pelo seus governos.

O dinheiro que o FGC usa para restituir os investidores, no caso de um problema, é mantido pelas instituições financeiras através de contribuições mensais de 0,0125% sobre todo dinheiro que você possui aplicado. Você não será cobrado diretamente para ter a proteção do FGC.

As instituições financeiras associadas ao FGC são os bancos múltiplos, os bancos comerciais, os bancos de investimento, os bancos de desenvolvimento, a Caixa Econômica Federal, as sociedades de crédito, financiamento e investimento, as sociedades de crédito imobiliário, as companhias hipotecárias e as associações de poupança e empréstimo, em funcionamento no Brasil.

Limite de 250 mil por banco:

O FGC garante a devolução de no máximo R$ 250.000,00 investido por CPF/CNPJ por instituição financeira ou conglomerado financeiro. Isto significa dizer que cada pessoa ou empresa terá no máximo R$ 250 mil protegidos em cada instituição financeira diferente que investir.

 

Veja um exemplo: se você possui R$ 500.000,00 investido em CDB, Poupança, LCI de um mesmo banco e ele falir, você só receberá R$ 250.000,00 do FGC. O restante você terá que brigar na justiça para reaver junto com todos os outros credores do banco.

Se você possui mais de R$ 250.000,00 investido no mesmo banco, seria mais seguro dividir seu patrimônio em vários bancos. Vamos supor que você tenha R$ 600.000,00. O ideal seria dividir esta quantia por três e investir R$ 200.000,00 em três bancos diferentes. Bancos pequenos e de médio porte tendem a ser mais arriscados que os bancos de maior porte. No momento de diversificar seus investimentos você deve levar em consideração este limite de garantia oferecido pelo FGC em cada instituição diferente que você possuir investimentos.

Se você é casado(a) é mais seguro manter contas separadas. Evite o uso de conta conjunta. Se o banco quebrar e sua conta conjunta possuir R$ 500 mil vocês só receberão R$ 250 mil, mesmo sendo uma conta conjunta. A proteção do FGC é de R$ 250 mil por conta, mesmo que seja conta conjunta. Já se separarem os R$ 500 mil em duas contas individuais no mesmo banco, cada um receberá seus R$ 250 mil após a falência do banco.

Limite total de 1 milhão:

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou, em 21 de dezembro de 2017, a alteração promovida no Regulamento do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que estabelece teto de R$ 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Após 4 anos, o teto é restabelecido. A contagem do período de 4 anos se inicia na data da liquidação ou intervenção em instituição financeira onde o investidor detenha valor garantido pelo FGC. Permanece inalterado o limite de ​R$ 250 mil por CPF ou CNPJ e conglomerado financeiro. Aos investimentos contratados ou repactuados antes do dia 21 de dezembro de 2017 não se aplica o teto de R$ 1 milhão a cada período de 4 anos.

Vamos imaginar que você tenha R$ 250 mil investidos no CDB de um banco que acabou de quebrar. Neste momento você acabou de usar a garantia de R$ 250 mil. Por quatro anos o FGC só irá garantir no máximo R$ 750 mil investidos nos demais bancos. Caso não haja mais nenhum pagamento de garantia (ou seja, nenhum outro banco quebre com seu dinheiro dentro dele) após o período de quatro anos, o teto para pagamento de garantias a esse investidor voltará para R$ 1 milhão.

Podemos dizer que se você tem R$ 2 milhões de reais investidos em 8 bancos diferentes (R$ 250 mil em cada um) e ocorrer uma catástrofe, fazendo os oito bancos quebraram, você só terá garantia de devolução de R$ 1 milhão pelo FGC, ou seja, o outro R$ 1 milhão estará fora da garantia.

O FGC não oferece garantia para:

Preparei uma lista de alguns investimentos que, no momento, não possuem proteção do FGC. A falta de proteção não significa que são investimentos que devem ser evitados. Significa apenas que você deve levar isso em consideração quando tomar a decisão de investimento.

Fundos de Investimento Imobiliário (FII) – É importante não confundir Letras de Crédito Imobiliário com Fundos de Investimento Imobiliário. As Letras são protegidas mas os Fundos de Investimento Imobiliário não contam com garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Fundos de Investimento Financeiro – Aqueles fundos oferecidos pelos bancos para seus clientes não são garantidos pelo FGC. É importante que você perceba que o patrimônio dos bancos não se mistura com o patrimônio dos fundos de investimento que eles administram.  Quando um banco enfrenta problemas, os cotistas do fundo podem fazer assembleias para mudar a administração do fundo para outro banco. É como um condomínio que muda de síndico.

Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) – São títulos lastreado em ativos imobiliários de diversos tipos, como CCI (Cédulas de Crédito Imobiliário), carteira de recebíveis, etc. Só pode ser emitido por companhias securitizadoras, responsáveis por estruturar os créditos imobiliários e transformá-los em CRIs. Estes títulos não são protegidos pelo FGC.

Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRA) – São títulos de crédito emitidos por companhias securitizadoras de direitos creditórios do agronegócio, com base em recebíveis adquiridos. O dinheiro investido em CRA não é garantido pelo FGC.

Debêntures – São títulos de crédito emitidos por empresas de vários ramos, com o objetivo de financiar investimentos, rolar dívidas, fornecer capital de giro, entre outros. As debêntures também não possuem a garantia do FGC. É uma forma de emprestar dinheiro para as empresas. Você deve avaliar a solidez da empresa antes de emprestar o dinheiro.

Letras Financeiras (LF) – Título emitido por bancos múltiplos, comerciais, e de investimento; sociedades de crédito, financiamento e investimento; caixas econômicas; companhias hipotecárias; e sociedades de crédito imobiliário. Se parece com o CDB, mas não possui garantia do FGC.

Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios – É um tipo de aplicação em que a maior parte dos recursos é destinada à aquisição de direitos creditórios que uma empresa tem a receber, como duplicatas, cheques, contratos de aluguel e outros. O direito de recebimento desses créditos é negociável, quer dizer, a empresa o cede a terceiros e isso é feito por meio de um FIDC. Não existe proteção do FGC.

Risco de investimentos garantidos pelo FGC

Mesmo quando o investimento escolhido é garantido pelo FGC você deve considerar que existe o “risco de precisar da garantia”. Apesar de R$ 250.000,00 estarem garantidos isto não significa que você verá o seu dinheiro de volta imediatamente. Após uma intervenção do Banco Central ou a falência da instituição financeira, o processo de restituição dos clientes se inicia e costuma demorar vários meses.

Por este motivo, você deve avaliar com cuidado os bancos pequenos que oferecem CDB, LCI e LCA com taxas de juros muito atraentes. Quanto maior for a rentabilidade, maior tende a ser o risco que o investidor estará correndo. Juros maiores costumam ser vistos como prêmio por riscos maiores. Os bancos só oferecem a rentabilidade mínima necessária para que as pessoas tenham interesse pelos seus investimentos. Bancos maiores e estáveis não encontram dificuldade para conseguir dinheiro pagando juros menores.

O FGC costuma iniciar os pagamentos dois meses depois da decretação do Regime de Administração Especial Temporária (RAET), um estágio que costuma preceder a intervenção na instituição financeira. Já existiram casos onde esta demora superou 3 meses. Veja lista de bancos que já quebraram e que o FGC teve que entrar em ação.

Um exemplo foi a intervenção do Banco BVA em outubro de 2012. O pagamento dos investidores clientes do banco só começou em março de 2013.  Veja quanto tempo o FGC demorou para devolver o dinheiro dos clientes acessando aqui.

Uma maior demora pode ocorrer quando você investe em pequenos bancos através de corretoras que não registram as operações no Cetip (Central de Custódia e Liquidação de Títulos) que você pode visitar em www.cetip.com.br. Isto dificulta a identificação do investidor. Saiba mais aqui.

Ao investir através de corretoras escolha uma que registre suas operações na Cetip. Assim, o título ficará vinculado ao seu CPF ou CNPJ de forma que o FGC possa lhe identificar com facilidade. Procure o selo da Cetip no site da corretora. Eu escrevi uma série de livros sobre investimentos que podem te ajudar muito, veja aqui.

 

Invista primeiro em você:

O primeiro investimento que devemos fazer para melhorar a nossa vida financeira é o investimento em conhecimento. Custa pouco e rende juros pelo resto da vida. Sem saber investir o nosso próprio dinheiro, não teremos bons resultados. Dependendo da opinião dos outros para saber onde investir, teremos resultados ainda piores. O conhecimento melhora nossos resultados e liberta da dependência dos outros. Escrevi uma série de livros que podem te ajudar muito a adquirir todo o conhecimento que precisa no menor tempo possível. Clique aqui para conhecer os livros.

Sobre o Autor:

Leandro Ávila acredita que o conhecimento é uma riqueza que precisa ser dividida para ser multiplicada. É formado em administração de empresas e se especializou em educação financeira e de investimentos. Escreveu livros sobre Independência Financeira, Investimentos em CDB, LCI e LCA, Investimentos em Títulos Públicos e em Imóveis.
avatar
600
88 Comment threads
102 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
83 Comment authors
LucianaMarcosMaraAlexAlvaro Recent comment authors
newest oldest
Ederson
Visitante
Ederson

Boa tarde, Leandro!
Primeiramente, parabéns pelo site!
Descobri o site há pouco e nem imagina o tanto que já tem me ajudado!
Tenho uma dúvida quanto ao FGC: se eu possuir uma LCI com vencimento em 12 meses e o BC intervir no banco emissor da LCI antes do vencimento, receberei o rendimento proporcional ou apenas o capital aplicado?

Leonardo
Visitante
Leonardo

Boa noite, Leandro. Excelente artigo.

Minha dúvida é simples e direta. Tenho CDB investido diretamente (sem intervenção de corretora) em um banco “médio”. Foi emitida uma nota de operação e encaminhada por email. Ainda me foi dito que o valor do CDB foi “cetipado” e quaisquer investimentos são registrados no CETIP.

Nisso, pergunto:

a) O registro do titulo na CETIP é obrigatório para receber do FGC?
b) Como posso ter a plena certeza que o valor da nota de fato foi registrada na CETIP? Como posso averiguar essa informação de forma inequívoca, se é que isso seja realmente necessário para quem não usa corretoras?
c) Em caso de quebra, o valor a receber seria o principal ou principal+juros até a data da intervenção ou liquidação?

Obrigado e agradeço se puder me responder

Att. Leonardo

leandro
Visitante
leandro

Olá xará,

Minha dúvida é a seguinte, tenho conta em uma corretora independente para operar ações, o dinheiro que por acaso ficar parado na conta ( entre a venda e a compra de um novo papel), esse dinheiro é coberto pelo FGC?

Agradeço a atenção!

GEROMIL
Visitante
GEROMIL

Boa noite Leandro.
Tenho vontade de investir em Tesouro Nacional.
No artigo você descreve que esse tipo de aplicação é garantido pelo governo federal, o processo é o mesmo, um certo valor por CPF, ou você quis dizer que dificilmente o governo quebra e da calote nos aplicadores?

GEROMIL
Visitante
GEROMIL

Obrigado Leandro.
Então mesmo com essa “futura crise” o menos arriscado é investir no tesouro ?

Flávio
Visitante
Flávio

Bom dia Leandro, há algum tempo li uma reportagem no jornal valor econômico que me deixou com a pulga atrás da orelha. A entrada da matéria está neste link: http://www.valor.com.br/legislacao/3707980/tj-sp-analisa-investimento-feito-corretora.
Mas o que me deixou intrigado é que as pessoas que se ampararam no FGC para investir em CDBs do Banco Empresarial, através de uma corretora se ferraram. O FGC alega que não recebeu do banco qualquer documentação que constasse a indicação dos créditos reclamados pelas pessoas. Vc já ouviu falar deste caso?

GEROMIL
Visitante
GEROMIL

Olá Leandro, bom dia?
Eu tenho investimento em LTN com vencimento em 2018. Tenho também um valor na poupança que serve como uma reserva, que deixo para emergências, existe algum titulo que posso comprar que serviria para substituir a poupança? Alguma coisa que a qualquer momento eu poderia vender sem me preocupar se esta rendendo menos que a poupança?
Obrigado!

Francine
Visitante
Francine

Olá Leandro,

Tenho uma aplicação em LCI e recebi do FGC o mesmo valor aplicado, sem qualquer correção monetária.
Esta correto esse procedimento? Tem alguma determinação para que o FGC não remunere a correção da aplicação?

Francine
Visitante
Francine

Oi Leandro,

utilizava o BVA. Na verdade recebi exatamente o valor que investi.
Por isso estranhei.

Gilberto
Visitante
Gilberto

Oi Leandro, a corretora wintrade da alpes, tem o selo cetip certifica, é confiavel investir em lca e lci?
Outra duvida, a corretora mantem no site a minha aplicação reajustada diariamente, e tenho a nota de aplicação dela no bco indusval com o numero do titulo, como posso ter certeza que a aplicação foi realizada realmente?
Agradeço a atenção.

Gilberto
Visitante
Gilberto

Muito obrigado Leandro pela pronta resposta, pedi para me enviarem o extrato e me enviaram da data de 05/11/14 com minha duas lci, e fiz mais 2 este mês que ainda não apareceram no extrato, e ela disse que no próximo mês aparece. Meu receio era eles falarem que registram o titulo no meu nome e não fazerem como a corretora corval que desviava aplicações de clientes. Os atendentes foram atenciosos e acho que posso ficar mais tranquilo.

Douglas de Lima
Visitante
Douglas de Lima

Olá Leandro, gostaria de saber se existe algum investimento onde possa depositar de 100 a 300 por mês que de uma boa rentabilidade sem muitos ricos para um prazo de resgate de 10 anos? pensei em uma previdência privada mas acho que pode existir algo melhor para investir.

Efraim Buzo
Visitante
Efraim Buzo

Leandro, esta regra dos 250.000,00 que o FGC cobre é válida para todo e qualquer banco sem exceção?
Pergunto isso porque ouvi há alguns dias atrás que o Banco CAIXA cobre mais que este valor, porém não acho em lugar algum algo que confirme isto.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Caro Leandro,
Parabéns pelos textos claros e abrangentes.
Qual é a sua opinião sobre letras de câmbio como alternativa a títulos do tesouro ou LCI para quem não precisa de liquidez no curto prazo, especialmente aquelas oferecidas por corretoras a 120 ou 130% do CDI e em valor coberto pelo FGC?
Obrigado.

Lenz Cabral
Visitante
Lenz Cabral

Bom dia, as informações foram muito úteis.
Gostaria de saber se os ativos aplicados em aposentadoria privada já estão incluídos nos 250.00,00 garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito. Ou seja, em outras palavras:
Se tenho 250.000,00 em LCA e 250.000,00 na previdência privada no mesmo banco (por exemplo, do Banco do Brasil), em caso de falência do banco, a garantia seria de 250.000,00 ou de 500.000,00, pelo fato dos 250.000,00 restantes se encontrarem na previdência privada?
Antecipadamente, muito obrigado,
Abraços,

Eduardo
Visitante
Eduardo

Boa tarde ! Leandro deparei-me por acaso com este site ao pesquisar no Google sobre rentabilidade de LCI e LCA x CDB… É simplesmente fantástica a quantidade de informações que são disponibilizadas aqui e de forma gratuita ! Parabéns e obrigado ! (já compartilhei o endereço do site com os amigos e familiares…).
Minha dúvida : se eu investir num CDB com carência de 2 anos emitido por um banco de menor porte associado ao FGC e 3 ou 4 meses depois da aquisição do CDB o banco se desassociar do FGC ou parar de pagar a contribuição mensal ao FGC o que acontece ? Fico pendurado pelo pincel até o vencimento do título ?

Alexsandro
Visitante
Alexsandro

Olá Leandro, boa noite. Possuo uma lci de 2 anos na CHB…posso solicifar a eles um extrato da CETIP? O rating da CHB é B. Vc acha que devemos dar muita importancia pdas notas de rating?

Eli
Visitante
Eli

Oi, Leandro, primeiramente , gostaria de elogiar seu blog, muito bom! Em segundo lugar, gostaria de tirar uma dúvida: fiquei com a pulga atrás da orelha no fato do BNDES não estar no rol de bancos atendidos pelo FGC.
Logo, se ele quebrar, quem investe numa LCA deles não tem garantia de nada? Sei que ele hoje é uma empresa pública federal.

Vale a pena investir mais de R$ 250 mil nele nesse tipo de aplicação?
Obrigado.

José Carvalho
Visitante
José Carvalho

Olá Leandro! Parabéns pelo texto!
O que é mais importante ao pesquisar informações sobre um banco de pequeno porte para investir em LCI ou CDB? Vale a pena ver as demonstrações contábeis do banco e o parecer dos auditores independentes? É útil verificar o rating atribuído ao banco pelas agências de classificação de risco? Existe algum relatório do Banco Central que classifique os bancos quanto a porte, lucro, patrimônio líquido, solidez, etc? Alguma outra fonte confiável de informação?

Gameiro
Visitante
Gameiro

Olá Leandro!

O valor garantido pelo FGC engloba eventual rentabilidade já auferida ou somente o valor inicialmente investido? P.ex. Se eu invisto R$200.000,00 e já rendeu R$10.000,00, mas o banco quebra, o FGC me pagará os R$210.000,00? Obrigado!

Ricardo Santiago
Visitante
Ricardo Santiago

Olá Leandro. Primeiramente, parabéns pelo site! Muito bom! Estou utilizando muito!
Gostaria de confirmar se o FGC cobre ou não as perdas ocorridas em bancos NÃO associados.
Pergunto isto por que recebi propaganda de uma banco que destacava a garantida do FGC, mas quando fui conferir no site da FEBRABAN o mesmo constava como não associado. No caso a instituição era o Banco Intermedium. Desde já agradeço a atenção!

Fred Ferreira
Visitante
Fred Ferreira

Boa noite, Leandro.
Gostaria de saber, na atual situação do país, se vale a pena deixar R$ 10.000,00, no Hiperfundo Bradesco, que não é coberto pelo FGC, aplicar no CDB do Bradesco, que é garantido pelo FGC ou trazer tudo para o Tesouro Direto, que é garantido pelo Governo.
Desde já agradeço à atenção.
Abraços
Fred Ferreira.

Rocha
Visitante
Rocha

Boa tarde Leandro Ávila,

Primeiro, parabéns pelo artigo. As informações que encontrei aqui são de grande valia.

Aproveito o ensejo para entrar novamente na dúvida postada pela Francine em novembro/2014. Sempre tive dúvida se no caso do uso do FGC se o valor devolvido seria o valor inicial do depósito ou se seria o valor inicial com as rentabilidades até o momento da intervenção. A Francine teve uma experiência negativa e quando acionou o FGC recebeu apenas o valor principal (sem as rentabilidades). O que pode ter acontecido no caso dela para que isso tenha acontecido (considerando que o valor recebido tenha sido menor que R$ 250.000,00)? Nos normativos que tratam sobre o FGC está claro e límpido que o valor devolvido inclui a rentabilidade até o momento da intervenção?

Abraços e mais uma vez obrigado pelas informações.

César
Visitante
César

Leandro, na hipótese de quebra de um banco e ter de utilizar o FGC, é mais vantajoso ter aplicado através de uma corretora ou diretamente no Banco? Qual seria a dificuldade de o cliente do Banco em obter o ressarcimento do FGC diretamente? No site do FGC dizem que o dinheiro é recebido num banco escolhido por eles (em todos os casos que vi o escolhido foi o Bradesco), mas eu poderia recebe o dinheiro na minha cidade ou teria de me deslocar até a agência onde o FGC faz o depósito? Isso não fica claro no site do FGC. Mas imagino que a escolha de um banco com alcance nacional seja exatamente para facilitar o recebimento.
Em suma, havia mais rapidez e facilidade se o investimento tivesse sito por uma corretora (obviamente, certificada pela CETIP)? Ou posso investir diretamente nos bancos pequenos e médios sem receito quanto a esse aspecto?
Obrigado!

Noemi
Visitante
Noemi

Leandro,

Minha dúvida é a seguinte: o FGC garante o valor do investimento quando o banco sofre uma intervenção, isto está entendido. Há a possibilidade de um título específico ou carteira virar pó (por exemplo CDB emitido pelo banco ou LCI) , e o banco não sofrer intervenção? Neste caso o FGC cobre?

Noemi
Visitante
Noemi

Leandro, obrigada pelo esclarecimento!

Rento
Visitante
Rento

Bom dia Leandro,
Estou a alguns dias estudando a possibilidade de investir em um banco pequeno que está oferecendo algo muito atrativo. CDB do Banco Luso Brasileiro. Entendo que as chances deste banco “quebrar” são muito grande quando comparado aos bancos que tenho conta à muito tempo CEF, Santander e ITAÚ. Estou tomando gosto pelo assunto investimento atualmente.
Mas minha questão é a seguinte:
Caso eu invista e o banco venha a falir, levando em consideração que meu investimento está dentro dos 250mil garantido pelo FGC
Eu teria gastos com advogados para rever este valor. E caso seja demorado, o valor estará sendo corrigido a cada mês?
Aguardo seu retorno.
Obrigado
Att Renato Haro

Marcello
Visitante
Marcello

Leandro boa noite,li todos os comentários mas ainda tenho uma dúvida.Como devemos acionar o FGC em caso de quebra do banco?Precisamos ligar para eles,precisamos ter cópias dos investimentos e ir há algum lugar,enfim como devemos proceder caso isso seja necessário?

Roberto
Visitante
Roberto

Leandro,
Parabéns pelos orientações prestadas.

Tenho uma dúvida relacionada a aplicação de CDB.

Entendo que o FGC garante até 250 mil em situações de calote do do banco aonde o valor está aplicado.

Digamos que esteja tudo ok com o banco porém em situação de crise econômica na qual estamos lhe pergunto:

Caso governo federal entre com solicitação de confisco ou bloqueio de valores aplicados em um Banco é possível com valores aplicados em CDB, terei a garantia de liquidez deste valor de 250 mil nesta condição? Ou o governo pode confiscar este valor devido à condição não ser amparada pelo FGC?

Agradeço atenção

Samuel De Morais Tavares
Visitante
Samuel De Morais Tavares

Olá Leandro,
Parabéns pelo material de excelente qualidade!!
Você saberia me falar sobre a cridibilidade / solidez dos bancos Rodobens e Semear? Atualmente pagam taxas atrativas na renda fixa, mas não os conheço bem.
Obrigado

Roberto
Visitante
Roberto

Leandro
Excelente orientação.
Agradeço muito a atenção!!!
Abraço

Thiago
Visitante
Thiago

Ola Leandro,
O Bradesco esta me oferecendo um seguro de vida com rendimentos por IPCA + 3%aa.
O que você acha disto é bom ou não vale a pena?? Investimento minimo de 30 mil.

Abs

Thiago

Thiago
Visitante
Thiago

Ahh esqueci de mencional que o seguro tem carencia de 2 anos para mexer neste dinheiro e prazo max de 15 anos.
O que me diz?? Minha gerente fala que é imperdivel…

Karol
Visitante
Karol

Olá, Leandro
estou lendo tudo sobre investimentos. Estou com algumas dúvidas, tais quais:
Tenho 10.000 não sei se invisto na LCI (sem IR) ou se no tesouro direto (com IR De 15% visto a quantidade de tempo que vou deixar aplicado). Com a taxa Selic do jeito que está, 14,74, me parece incrível. Imperdível para nós investidores. Entretanto, ainda assim pagaria os 15% de IR. Há alguma conta para que eu veja na ponta do lápis o que é realmente mais rentável? O IR seria cobrado só em cima dos juros gerados, ou de todo valor aplicado? Acredito que no valor que tenho para investir já paguei os devidos tributos, não?
Ah, também vi que o FGC só paga o valor depositado e não os juros acumulados. Vi essa pergunta de outras leitoras aqui, mas a resposta não ficou clara para mim. Conversando a respeito, me falaram que se o fundo pagasse tudo não precisaríamos nos preocupar com nada nem com a idoneidade do banco. Tem um certo sentido, não é?

camilla
Visitante
camilla

Olá Leandro, estou adorando ler e aprender em seus artigos! Mas vamos à pergunta: Quando um investimento (por exemplo LCI) é coberto pelo FVG, este cobre apenas no caso de “quebra” e de acordo com o valor que se tem naquela data, mas com relação à pequenos bancos, mesmo sem a falência, tem a possibilidade de não haver pagamento das porcentagens “prometidas” (por exemplo 105% do CDI)? Para este caso o FGV entraria também? Muito Obrigada!

Ronei
Visitante
Ronei

Olá Leandro!

Pelo que entendi o FGC, as instituições participantes contribuem com um percentual para o fundo.
Saberia me dizer quanto o fundo tem de aporte?

Marília
Visitante
Marília

Olá Leandro tenho uma dúvida a FGC garante o dinheiro de volta até 250.000? Gostaria de entender o porquê o Bradesco devolve só 70.000. Estava no site e vou colar aqui pra vc ver:
O valor máximo pago pelo Fundo Garantidor de Crédito a uma pessoa física ou jurídica é de R$ 70 mil por CPF/CNPJ e instituição ou conglomerado financeiro. Nos casos de cônjuges, mesmo casados em regime de comunhão de bens, por terem dois CPFs, cada um receberá o valor máximo de R$ 70 mil.
MUITO OBRIGADA!
Aprendendo muito com esse site!

Marília
Visitante
Marília

Muito Obrigada Leandro! Gostei mto de conhecer e aprender com o seu site!

Guilherme
Visitante
Guilherme

Olá Leandro,
tenho uma dúvida sobre FGC! Ele disse que garante até 250.000 por CPF/CNPJ e instituição ou conglomerado financeiro! Na primeira parte acho que entendi, sendo que no caso de uma instituição quebrar ele me devolve (no caso de pessoa física que é o meu caso) por CPF e instituição até 250.000… O problema é que ele fala “ou conglomerado financeiro”! Não entendo muito sobre empresas, ele não me devolveria o dinheiro no caso de duas instituições do mesmo conglomerado? Então por exemplo, se o Banco do Brasil compra o banco X e eu tiver investido 250.000 em cada um deles. Se eles quebrarem eu só recebo 250.000 ao invés de 500.000? Você pode me citar alguns conglomerados financeiros?
Obrigado Guilherme.

Sueli Barbosa
Visitante
Sueli Barbosa

Olá Leandro devido a valores para movimentação das despesas do sítio:funcionários,máquinários e etc algumas vezes temos valores um pouco alto na conta corrente do Banco do Brasil ,gostaria de saber se conta corrente tem a proteção do FGC?

Júnior
Visitante
Júnior

Olá Leandro, primeiramente parabéns pelo conteúdo do portal, é realmente fantástico!
Aqui vai minha dúvida: estou com receio em investir em produtos de renda fixa do Banco Daycoval Invest, pois além de não encontrar muitas referências sobre ele, verifiquei que meu CPF ainda não foi registrado no Canal Eletrônico do Investidor (CEI, BM&F) como ocorreu em outras corretoras nas quais abri conta. Há aí um risco considerável e como posso consultar ou ter mais referências sólidas sobre as instituições de investimento?
Obrigado!

André Luiz
Visitante
André Luiz

Boa noite, Leandro!!!!! Há risco de um banco coberto pelo FGC deixar de sê-lo por algum motivo??? As corretoras devem avisar seus clientes se houver esta mudança??? Obrigado!!!!!

Salomão Rodrigo
Visitante
Salomão Rodrigo

Leandro, então quer dizer que em um CDB 116% do CDI por 1 ano não é recomendável colocar mais de 220 mil considerando que ao final dos 12 meses chegaria a mais ou menos 250 mil. Certo?

Tom Nales
Visitante
Tom Nales

Oi Sr. Leandro, existe uma modalidade de investimento como a poupança onde eu possa depositar todo mês um valor e ir juntando o dinheiro com sua rentabilidade por pelo menos 2 anos só que com rentabilidade maior que a poupança ? irei investir em LCI um determinado valor por 2 anos mas nesse tempo eu posso fazer depósitos de R$ 4 000,00 todo mês em outro tipo de investimento e dps somar tudo e comprar um apartamento. Obrigado abraçoss

Wang Wei Cheng
Visitante
Wang Wei Cheng

Prezado Leandro,

Segue um caso hipotético.

Hoje, tenho posição consolidada de R$ 250 mil em um banco A, e R$ 250 mil em um outro banco B.

Ambos os investimentos são de renda fixa, protegida pelo FGC.

Se os bancos A e B vierem a falir hoje, no mesmo dia, FGC garante a devolução dos R$ 250 mil + R$ 250 mil = R$ 500 mil?

Isso não está muito claro para mim.

Obrigado!

Eduardo
Visitante
Eduardo

bom dia LEANDRO, se possuo no mesmo banco aplicações diversificadas em LCI e CDB no valor total, digamos, de 200k, eu estou protegido nas 2 aplicações pelo FGC? Pergunto pois desejo fazer algumas aplicações num determinado banco, porém nem tudo será feito em uma única vez, podendo inclusive realizar a compra de 2 ou mais CDBs e/ou LCIs.

Lilian
Visitante
Lilian

Parabéns, Leandro! Além de escrever muito bem, faz isso de forma bastante acessível também aos leigos.

Fábio Nogueira
Visitante
Fábio Nogueira

O fgc garante por CPF ou por título? Se eu tiver mais de um título de um banco, cada título é garantido até o limite de 250 mil ou é considerado a soma dos mesmos?

Japa
Visitante
Japa

Ola Leandro, tenho um valor e pretendo investir durante 1 ano em lci. Pesquisei nos bancos grandes, alguns exigem ser cliente personalite, ou que tenha um mínimo de aplicacao 100mil ou renda acima de 8 mil. Outros como o BB pagam apenas 80 % do cdi. Ai fui ver esses bancos menores, cai no Banco maxima, porem nao tem nota de credito avaliado, esse o meu medo dele quebrar e eu ficar sem o dinheiro. Porem a taxa pre dele e de 15% ao ano de rentabilidade, muito boa. O que vc acha?

Eduardo
Visitante
Eduardo

Boa Tarde, Leandro.

Gostaria de parabenizar pelo site! Tenho uma dúvida quanto ao FGC: se eu possuir uma CDI pre-fixada com vencimento de 734 dias, caso aconteça algo e precise acionar o FGC, receberei o rendimento proporcional ou apenas o capital aplicado?…

Compartilhe com um amigo