Recebo muitas mensagens de pessoas me perguntando onde investir dinheiro ou qual é o melhor investimento levando em consideração sua realidade individual.

O problema é que estas perguntas estão erradas. O correto seria perguntar: O que devo aprender para que eu mesmo possa descobrir qual é o melhor investimento para mim sem depender de você ou de qualquer outra pessoa?

Investiu errado. De quem é a culpa?

As pessoas evitam assumir a responsabilidade da decisão sobre onde investir. E esta recusa ocorre porque toda decisão pode gerar um sentimento de culpa, quando produz resultados ruins. Aquele que decide é responsável pelas consequências da decisão.

Para que a pessoa não se sinta 100% culpada, ela prefere compartilhar a responsabilidade de sua decisão com outras pessoas. Ela busca a opinião de um amigo, de um parente, do funcionário do banco, da corretora ou do especialista da revista, internet e TV. E se o investimento der errado a culpa será compartilhada com quem deu a opinião errada. Já escrevi sobre culpar os outros no artigo: Como parar de reclamar, justificar e culpar os outros.

Fazer perguntas erradas para as pessoas erradas

Quando queremos saber onde investir e qual o melhor investimento, na verdade estamos querendo fugir do medo de tomar uma decisão errada por falta de conhecimento. A solução definitiva para o problema seria buscar este conhecimento que falta. E não faltam meios como livros, cursos e sites na internet.

O problema é que isso exige tempo, existe estudo, exige esforço e tudo isso dói. As pessoas tendem a procurar meios mais fáceis de resolver seus problemas. Todos preferem os meios menos doloridos. E isto é um grande erro. Precisamos assumir que crescer dói.

As pessoas buscam os atalhos, as soluções fáceis e imediatas. E uma destas soluções é transferir a tarefa e a responsabilidade da decisão para outras pessoas. E aqui temos a origem de outro problema. Você terá que tomar outra decisão. Para quem você deve perguntar? Qual será a resposta mais confiável e livre de interesses pessoais de quem responde?

Leia também

Vamos imaginar que você possui um galinheiro. Por falta de conhecimento, você não sabe como proteger o galinheiro e como fazer as galinhas se multiplicarem de forma rápida e segura.

Então você resolve buscar o meio mais rápido e fácil para descobrir o que precisa. Você resolve procurar a opinião daqueles que entendem mais de galinhas que você.  Rapidamente você percebe que um dos maiores entendedores de galinha da sua região é a Dona Raposa. Ela adora galinhas, passa o dia todo pensando nas galinhas por este motivo deve ser uma boa fonte de informação. E você comete o erro de perguntar para a Dona Raposa, o que deve fazer para que suas galinhas estejam mais protegidas.

 

Será que não estamos fazendo perguntas erradas para as pessoas erradas? As pessoas costumam pedir opinião para a instituição que lucrará com sua decisão. São facilmente induzidas a tomar decisões que beneficiam quem ofereceu a opinião.

Foi o caso da senhora aposentada de 64 anos que perguntou para o banco, onde investir seu dinheiro. Eles responderam que ela deveria fazer uma previdência privada. Ela fez e quando precisou o dinheiro foi informada que só poderia sacar a quantia, sem perdas, quando completasse 99 anos e que deveria ter um pouco mais de paciência.

Leia também:  Como Investir em CDB

Veja o artigo que escrevi sobre isto no site da Revista Administradores aqui. Não repare nos comentários deixados pelas pessoas que vendem planos de previdência privada no final do artigo. Na falta de argumentos contra as ideias do artigo, algumas pessoas optam por desqualificar o autor. O importante foram as mais de 700 pessoas que curtiram e compartilharam nas redes sociais.

É claro que não são todos os profissionais de bancos, corretoras e seguradoras que induzem o cliente a tomar decisões que beneficiam só a empresa onde trabalham. É claro que existem aqueles profissionais que não se preocupam com as metas estabelecidas pelas empresas, preferem perder uma venda do que indicar um serviço financeiro que irá prejudicar aquele perfil de cliente.

O único problema é que, normalmente, profissionais que não atingem metas dificilmente ficam muito tempo em empresas onde as metas são mais importantes que a satisfação dos clientes. E olhando o número de reclamações registradas no PROCON contra empresas do setor financeiro, fica fácil observar se elas se preocupam mais com metas financeiras ou com a satisfação dos clientes.

Liberte-se

A única forma de se libertar desta situação é se libertando desta dependência da opinião dos outros. E liberdade, nos dias de hoje, você só consegue através do conhecimento. Sua libertação depende da sua força de vontade em aprender mais sobre como e onde investir seu próprio dinheiro.

  • Pergunte para o vendedor de tomates qual é o melhor molho para temperar o macarrão.
  • Pergunte para o gerente de um Banco X se é melhor investir no Banco X ou no Banco Y.
  • Pergunte para gestor do fundo investimento se é melhor investir em fundos ou em títulos do Tesouro Direto.
  • Pergunte para na Corretora de Imóveis se é melhor investir em Imóveis ou em Ações na Bolsa.
  • Pergunte para a Corretora de Valores se é melhor investir na Bolsa ou em Imóveis.
  • Pergunte para um Plano de Previdência Privada onde investir para garantir uma aposentadoria confortável.
  • Pegunte para o dono da Casa Lotérica onde você deveria investir seu dinheiro para ficar rico.
  • Pergunte para o Eike Batista quais são as melhores ações para investir na Bolsa de Valores neste momento.
  • Pergunte para mim que sou Educador Financeiro onde você deve investir seu dinheiro para parar de perguntar para os outros onde deve investir seu dinheiro.

 

Qual o melhor investimento?

O melhor investimento é aquele que você entende e conhece. É o investimento que você escolhe por livre e espontânea vontade depois de avaliar suas vantagens e desvantagens.

Se você me perguntar onde investir seu dinheiro, vou responder que deve investir na sua educação, no sua conscientização, no seu desenvolvimento pessoal e intelectual. Veja por onde você pode começar. Durante este ano pretendo desenvolver vários artigos sobre as características de diversos investimentos, consumo, enriquecimento e financiamento. Veja o conteúdo que já publiquei nos últimos meses.

Eu não sou consultor financeiro, ou seja, meu objetivo não é dizer onde você deve investir. Meu papel não é pensar por você.

Leia também:  Crise na economia brasileira em 2014

Eu sou educador financeiro e meu objetivo é mostrar o que você precisa saber para se tornar um investidor consciente e independente.

O conhecimento te liberta para pensar e decidir usando a sua cabeça. Só você sabe o que é melhor para você. Os outros só sabem o que é melhor para eles e para as empresas que pagam o salário deles no final do mês. E esta mudança de postura fará toda diferença nos seus investimentos e em todos os setores da sua vida. O conhecimento te libertará.

Cuidado com as fontes de informação

Para tomar decisões você precisa de fontes confiáveis de informação. Se você acessa a informação errada a sua decisão será errada. Tome cuidado ao assistir noticiário sobre economia nos canais de TV, revistas e sites. Recentemente um programa chamado Conta Corrente exibido no Canal Globo News, para os que possuem planos de TV por assinatura, exibiu um gráfico bem estranho. Algumas pessoas defendem que foi um erro proposital fazendo a Globo divulgar uma nota sobre o erro.

O gráfico mostrava a inflação nos últimos anos em relação ao centro da meta de inflação de 4,5% estabelecido pelo governo. O gráfico parece um jogo dos 7 erros. Tente encontrar o erro antes de continuar a leitura:

Resposta: Como você pode ver, os valores estão corretos. O problema está nas proporções das barras verticais do gráfico. Observe que a barra do gráfico de 5,91% é maior que a barra que representa 6,5%. Outro erro de proporção pode ser visto onde passa a linha do centro da meta de 4,5%. Veja que ela passa bem no meio da barra de 5,84% o que é bem estranho já que 4,5% não representa metade de 5,84%.

Olhando o gráfico rapidamente, parece que 2013 teve a maior inflação dos últimos anos. E como a exibição deste tipo de gráfico na TV é muito rápida, não é possível perceber que existem erros. O problema é que uma falsa percepção (subconsciente) de que a inflação em 2013 foi a maior dos últimos anos pode influenciar nas decisões de investimento dos menos atentos.

Fiz o gráfico correto. Veja como seria o gráfico, nas proporções corretas, onde a linha de 4,5% passa onde deveria passar.

grafico-inflacaoÉ claro que erros podem acontecer, ainda mais em um programa feito diariamente e que depende do trabalho de várias pessoas. Eu mesmo posso cometer todo tipo de erro aqui no Clube dos Poupadores. O importante desta situação é observar que não podemos tomar decisões com base em apenas uma fonte de informação ou com base na opinião pessoal de apenas uma pessoa. Precisamos pesquisar, devemos pensar e devemos tirar nossas próprias conclusões.

Inclusive tudo que digo aqui no Clube dos Poupadores precisa ser observado e avaliado com cuidado já que não sou dono da verdade e não sou infalível. Por este motivo eu defendo o Principio da Autorresponsabilidade e o Principio da Descrença que estão publicados no rodapé de todas as páginas do Clube dos Poupadores.

Leitura recomendada: lista de livros sobre investimentos.