Especulando com Tesouro Prefixado


Quero mostrar neste artigo um exemplo prático de investimento especulativo, de curto prazo, utilizando títulos públicos. No exemplo vamos utilizar o Tesouro Prefixado por ser um título de fácil entendimento e que pode ser utilizado com essa finalidade.

Meu objetivo aqui, assim como em todos os artigos que escrevo, não é recomendar um investimento específico, mas mostrar uma forma diferente de pensar, uma reflexão mais aprofundada que possa te ajudar a enxergar oportunidades futuras de forma livre, sem depender de recomendações de ninguém.

Ser capaz de tomar decisões livremente sobre o seu próprio dinheiro é algo poderoso e que não tem preço.

Como já venho mostrando nos meus últimos artigos, a fonte das limitações financeiras que afetam as pessoas tem relação com a falta de dinheiro. A falta de dinheiro é apenas um sintoma de um problema maior de mentalidade e de ignorância sobre como o mundo do dinheiro funciona.

Reclamar do mundo do dinheiro e das pessoas que entendem esse mundo, não faz ninguém ter mais dinheiro. Acontece justamente o contrário. Entender como esse mundo funciona é o que faz total diferença.

O tempo gasto para entender é o mesmo tempo gasto para criticar aquilo que não entendemos. Só que entender produz resultados e o resto é tempo jogado fora.

Um exemplo disso é a possibilidade de fazer investimentos de curto prazo utilizando a venda antecipada de títulos públicos. Grandes instituições financeiras fazem isso todos os dias e não existe nenhum interesse de que isso se torne algo popular. Aqui fica uma dica: o esforço de marketing que uma instituição financeira faz para convencer você a fazer um determinado investimento é proporcional ao ganho que ela terá se conseguir atingir esse objetivo. O seu ganho tende a ser uma coisa secundária.

Isso significa que você precisa se esforçar para adquirir determinados conhecimentos sobre o mundo do dinheiro.

Exemplo prático:

Dois meses atrás escrevi esse artigo aqui mostrando que o Tesouro Prefixado nada mais é do que um tipo de “vale de R$ 1.000,00”. Quando o artigo foi escrito era possível comprar o Tesouro Prefixado que vence em 2025 por R$ 493,50 (preço de um título). Esperando até o dia 01/01/2025 você teria a certeza que receberia R$ 1.000,00 brutos. Após descontar imposto de renda de 15% e a taxa da B3 (bolsa), você receberia os R$ 493,50 que investiu mais R$ 418,44 de lucro. Isso representa um ganho de 84% sobre o valor investido ou 10,20% de juros por ano até 2025. Se você converter essa taxa anual em taxa mensal encontrará uma rentabilidade de 0,8127% ao mês. Se você considerar que a poupança está rendendo 0,37%, a taxa fixa de 0,81% é uma boa taxa para um investimento de renda fixa sem riscos que pode ser mantido por tanto tempo.

Agora vamos imaginar que você comprou esse título público pagando esse valor de R$ 493,50 no dia 28/08/2018 (quando o artigo que citei foi escrito). A taxa prometida pelo Tesouro era de 11,82%. Vamos imaginar que você fez um investimento especulativo, ou seja, você tomou a decisão consciente e planejada sobre apostar que os juros iriam cair nos próximos meses. Você acreditava que as expectativas do mercado com relação a situação política e economia levaria a uma redução dos juros no curto prazo (poucos meses).

Vamos imaginar que você comprou apenas um título em 28/08/2008 e resolveu vender o título no dia 23/10/2018 quando o Tesouro estava pagando R$ 556,09 a todo aquele que quisesse vender o Tesouro Prefixado 2025 antecipadamente nessa data. A taxa referente a esse preço de venda antecipada era de 9,97%.

Agora vamos entender o resultado através de uma simulação.

A figura acima mostra uma simulação que fiz utilizando uma das planilhas que acompanham o meu livro Como Investir em Títulos Públicos, mas você pode fazer uma simulação parecida utilizando o simulador do Tesouro Direto (veja aqui).

Observe que ao comprar o título em 28/08/2018 e vender no dia 23/10/2018 os seus R$ 493,50 ficaram investidos por apenas 55 dias corridos que representa 37 dias úteis. Ao receber R$ 556,09 pelo título, o seu lucro bruto seria de R$ 62,59. Como o prazo foi muito curto, o imposto de renda seria de 22,5% sobre esse lucro. Dessa forma, o governo ficaria com R$ 14,27 (62,59 x 22,5% = 14,27). A taxa de custódia da B3 (bolsa) seria de apenas R$ 0,24 neste curto período de tempo. No final, você receberia R$ 48,33 de lucro com taxa e impostos descontados.

Esse valor de R$ 48,33 de lucro diante de um investimento de R$ 493,50 representa um ganho líquido de 9,79%. Observe com atenção que a poupança rende 4,55% ao ano e o nosso exemplo rendeu 9,79% em 55 dias corridos. Se fosse possível manter uma taxa dessas por 1 ano você teria uma rentabilidade de 88,95% ao ano (já líquido de impostos e taxas).

O valor de R$ 48,33 pode parecer pouco, pois estamos utilizando como exemplo a compra de um único título público. Investidores não compram 1 ou 2 títulos em seus investimentos de curto prazo, eles compram centenas ou milhares de títulos. Se você tivesse comprado 100 títulos o seu lucro líquido seria de R$ 4.833,00 em 55 dias. Se tivesse comprado 1000 títulos o lucro seria de R$ 48.330,00 em 55 dias.

O Tesouro não permite que uma pessoa física compre mais de R$ 1 milhão em títulos públicos por mês através do Tesouro Direto. Com esse valor teria sido possível comprar 2.026 títulos e o lucro através do nosso exemplo seria de R$ 97.916,58 (2026 x 48,33). As instituições financeiras que compram e vendem títulos públicos no curto prazo ou negociam contratos futuros que de juros, não possuem esse tipo de limitação.

Como se trata de uma compra especulativa, existe um risco envolvido. Ganhos maiores sempre envolve algum tipo de risco. Assim como o preço de venda antecipada de um título Tesouro Prefixado pode aumentar, ele também pode diminuir antes do vencimento. Aqui no Clube dos Poupadores temos um simulador que permite observar o que acontece com o preço de um Tesouro Prefixado se a taxa de venda antecipada aumentar ou diminuir. Isso facilita a visualização do risco ou da oportunidade diante de uma aposta desse tipo. Veja um exemplo do simulador preenchido com o nosso exemplo. Caso queira fazer suas simulações (visite aqui).

Observe que se a taxa para venda antecipada do título tivesse aumentado 2 pontos percentuais de 11,82 para 13,82, o preço desse Tesouro Prefixado cairia de R$ 493,50 para R$ 441,18 e, no caso da venda antecipada, você teria um prejuízo de -R$ 52,32 por cada título.

É claro que nessa situação você poderia ficar com o título público até o vencimento ou até outra oportunidade de venda antecipada. Se esparasse até 2025 a rentabilidade seria aquela que foi prometida, de 11,82% ao ano. Isso significa que em 2025 você receberia o valor investido + R$ 418,44 de lucro. Isso representa um ganho de 84% sobre o valor investido ou 10,20% de juros ao ano ou 0,8127% ao mês. O problema é que se você investiu pensando no curto prazo, seria um transtorno esperar até 2025 ou alguma data futura. Mesmo assim, até 2025 provavelmente existiriam muitas oportunidades para a venda antecipada do título com ganhos antecipados.

Dessa forma, ao investir em Tesouro Prefixado com foco no curto prazo é necessário considerar a possibilidade da aposta não se concretizar. Neste caso, o ganho só poderá ser realizado em prazos mais longos e em alguma data incerta. Para quem destina uma parte dos investimentos para realizar operações de risco, não existem problemas. O grande problema é tomar qualquer decisão sem entender o que está fazendo, sem compreender os riscos e consequências. Investimentos mais conservadores de uma boa parte de suas reservas é que permitem buscar rentabilidades maiores no curto prazo utilizando uma parcela menor destinada para essa finalidade.

Também é curioso comparar a rentabilidade desse exemplo especulativo do artigo com a rentabilidade que teríamos se tivéssemos investido na bolsa de valores neste mesmo período. O índice Bovespa registrava 77.473,18 pontos no dia 28/08/2018 e terminou o dia 23/10/2018 registrando 85.300,04 pontos. Isso representaria um ganho de 10,10% se você tivesse feito algum investimento capaz de replicar esse índice (fundos de investimento e fundos de índice). Se você descontar 15% de imposto de renda e ignorar as taxas de corretagem ou taxa administrativa de um investimento desse tipo, seu ganho líquido seria de alguma coisa próxima de 8,59% por esses 55 dias corridos de investimento.

Só que devemos lembrar que embora o Tesouro Prefixado possa se comportar como um investimento de renda variável quando o nosso foco é vender antecipadamente, no longo prazo (na data de vencimento) o Tesouro Prefixado é um investimento de renda fixa tão seguro quanto qualquer outro. Enquanto no título público você teria a garantia de rendimento total líquido de 88,95% em 2025 se a sua aposta desse errado, na bolsa de valores (por ser renda variável) você não teria qualquer tipo de garantia.

Essas apostas curtas no Tesouro Prefixado, assim como apostas na bolsa, representam maiores oportunidades de ganho quando as expectativas estão muito negativas no presente, mas com possibilidade de melhorar nos próximos meses ou semestres.

Para entender mais sobre o funcionamento dos títulos públicos eu recomendo os artigos que já existem aqui no Clube dos Poupadores e o meu livro sobre Como Investir em Títulos Públicos.

Dia da sorte...

Muita gente acredita que ter sucesso na vida financeira depende de um tipo sorte. Descobri uma forma de aumentar essa sorte: quanto mais você estudar sobre ganhar, poupar e investir dinheiro, mais sorte terá na sua vida financeira. Escrevi uma série de livros que vão ajudar você a aumentar esse tipo de "sorte" rapidamente:Clique aqui para conhecer os livros.

Sobre o Autor:

Leandro Ávila acredita que o conhecimento é uma riqueza que precisa ser dividida para ser multiplicada. É formado em administração de empresas e se especializou em educação financeira e de investimentos. Escreveu livros sobre Independência Financeira, Investimentos em CDB, LCI e LCA, Investimentos em Títulos Públicos e em Imóveis.
newest oldest
MARIA
Visitante
MARIA

Parabéns. Gostei Muito. Leandro Ávila, uma pergunta: há algum sistema de Monitoramento automático em que possa me cadastrar (site, por exemplo), e ser alertado quando surgir a oportunidade de vender o título prefixado de maneira especulativa, auferindo lucro, à semelhança ao Sistema de Alerta que muitas corretoras oferecem no que se refere à ações ? Obrigada se puder me responder.

Vagner
Visitante
Vagner

Tem o “Tesouro Direto Monitor” na Google Play, por gentileza confira se vai atender o seu proposito.

GEREMIAS DUTRA
Visitante
GEREMIAS DUTRA

Esse conceito que apresentaste era uma questão que queria lhe perguntar como proposta para um artigo há algum tempo atrás.
Depois que aprendi muita coisa com seus ótimos artigos, comecei a ver esta oportunidade e na época da saída da Dilma, eu ganhei um dinheirinho com este tipo de operação.
Parabéns mais uma vez Leandro.
Cara, você já ajudou muita gente.
É claro; aqueles que tem vontade de aprender e mudar…

Marcelo
Visitante
Marcelo

Mais um artigo esclarecedor, parabéns Leandro!

Arthur Brandão
Visitante
Arthur Brandão

Mais um artigo espetacular. Sou seu fã. Muito obrigado por este valioso ensinamento.

giancarlo
Visitante
giancarlo

outro ótimo artigo.

Everton Motta
Visitante
Everton Motta

Parabéns pelo artigo, Leandro! Aprendo muito contigo!!

Demetrio
Visitante
Demetrio

Fantástico Leandro!!! Quem entender claramente esta mensagem sempre terá ganhos acima da média, com risco baixíssimo!

Adriana
Visitante
Adriana

Muito bom artigo, eu mesmo comprei este prefixado a 12%aa com o intuito de segurar até 2025. Não entendo uma coisa, como saber se vender agora é melhor do que esperar 2025? Eu sei que depende de sua estratégia e tal mas em qual momento compensa vender pq rendeu muito acima e esperar até 2025 é burrice?

Fernando
Visitante
Fernando

Vc disse que caso o investidor resolva esperar até o prazo final do título (2025) haveria o rendimento garantido.
Não acho que seja tão garantido assim, pois até lá, muita coisa pode acontecer, principalmente inflação.
Boa parte do ganho seria corroída pela inflação.
Se a inflação for alta, em termos reais, o rendimento poderia não ser bom, poderia até haver perda…
Se a inflação dispara, os R$1000 em 2025 poderiam valer muito menos.
Enfim, mesmo esperando até o prazo final do título, no meu entendimento, há um risco bem significativo.

Ramon
Visitante
Ramon

Realmente em caso de alta na inflação, se perde o ganho real. MAS,
E se tivermos muito mais recessão? E se a inflação continuar nesses 3-4%?
Aí a coisa muda e o GANHO REAL fica muito melhor no Tesouro Prefixado que a renda fixa atrelada à SELIC e/ou os Indexados ao IPCA.

Mas quero me confessar aqui. Compre posição GRANDE de Prefixados 2025 à 12% a.a, +/- R$ 480,00, PARA ESPECULAR.
Mas, como “São Pedro” fiquei com medo da agitação dos mares, afundei pela falta de fé uns 10 dias antes do 1º turno, desfiz-me dos papéis. Deixei de ganhar uns R$ 15-20mil. Especulei com muito, medo de perder venceu

Felipe
Visitante
Felipe

Parabéns! Mais um excelente artigo.

Gisele
Visitante
Gisele

Leandro, boa tarde! Novamente um excelente artigo.
Qual o momento ideal para venda antecipada do tesouro pré fixado?
E após a venda? Qual a melhor opção de investimento para colocar o dinheiro pensando a longo prazo?
Li um artigo no Infomoney que indicava a compra de títulos pós fixados. Qual sua opinião?

Muito obrigada!

Karine Lisboa
Visitante
Karine Lisboa

Muito bom o artigo, eu comprei uns títulos prefixados mais ou menos nessa data de final de agosto, e no meu extrato mostra uma rentabilidade acumulada de 13,45%. Mas eu ainda tenho dificuldade em pensar em como aproveitar isso… Poderia vender os títulos e ganhar essa rentabilidade, mas o que fazer com o dinheiro, que não pretendo usar agora? Se comprasse o mesmo título de novo, seria o mesmo que não vender, então em que situação vale a pena vender agora? Só tendo em vista outro investimento mais rentável?

W. Junior
Visitante
W. Junior

Olá Leandro… Adquiri os livros sobre Reeducação Financeira em 31/08/2017 e agora estou querendo investir em Tesouro Direto.
O livro “Como Investir em Títulos Públicos” traz alguma informação diferente do material por mim adquirido?
O meu material sofreu alguma atualização?
Por gentileza me esclareça essas dúvidas e parabéns pelo excelente trabalho.

Guilherme
Visitante
Guilherme

Oi, Leandro.

Acho uma tática muito contraproducente para o pequeno investidor – e digo por experiência própria.

Os ganhos são irrisórios perto da falsa impressão que o investidor tem quando acha que consegue prever as variáveis econômicas (por mais estudo que se faça) e tira o foco do que interessa, que é poupar, focar no trabalho e investir em valor, deixando que os juros compostos façam seu trabalho no longo prazo.

Em vez de juros ou lucros, o que costumo ver nas pessoas que praticam essas “especulações” geralmente é: perda de saúde, ansiedade e brigas familiares.

Abraços.

Bruno
Visitante
Bruno

Boa tarde, Leandro.

Para especular no TD, gosto dos títulos IPCA, pois caso a especulação não dê certo, eles atendem melhor as minhas necessidades. Você diria que os prefixados são melhores para especular, ou tanto faz o tipo de título, desde que tenha marcação a mercado?

Rafael
Visitante
Rafael

Boa análise, Leandro.
Muitas vezes vejo que posso realizar um ganho legal vendendo antecipadamente. Porém, isso só ocorre quando as taxas caem, o que faz os preços subirem. Dessa forma, acabo muitas vezes não resgatando antecipadamente, pois a hora boa pra vender é justamente a hora ruim para comprar outro título. E não adianta resgatar com um bom lucro e depois deixar o dinheiro parado. Como o pequeno investidor poderia alocar esse recurso nesse meio tempo entre o resgate antecipado e a próxima oportunidade? Tesouro Selic, fundos DI, etc?

ferreira
Visitante
ferreira

Olá Leandro, excelente o seu post. Continuando nestas análises sobre títulos públicos, gostaria de entender melhor o funcionamento do Tesouro IPCA. Considerando que ele paga uma parte pré-fixada mais a variação do IPCA, entendo que, em qualquer cenário, sempre haverá ganho real (caso o título só seja resgatado no vencimento). No entanto, vejo que, quanto mais longo o título, maior é a parte pré-fixada . Assim, qual seria o motivo para essa maior oferta de rentabilidade? Apenas estimular o investidor a comprar títulos mais longos ou existe algum perigo real/desvantagem mais significativa?

Bernardo Costa
Visitante
Bernardo Costa

Olá Leandro,

Obrigado por compartilhar sua experiência, sou leitor assíduo do clube dos poupadores.

Você teria um simulador parecido com o pré-fixado, que mostra que acontece com o valor do título com a variação da taxa de juros, para o tesouro IPCA+ ?

Muito obrigado

LUZIANO GUIMARAES CARDOSO
Visitante
LUZIANO GUIMARAES CARDOSO

Showww amigo. Vou conhecer mais os títulos. Muito obrigado.

LUZIANO GUIMARAES CARDOSO
Visitante
LUZIANO GUIMARAES CARDOSO

Leandro, O preço do título de agosto até outubro, aumentou seu valor pq ?? Variação dos juros? Desde já agradeço.

Marcio
Visitante
Marcio

Olá Leandro..é possível vender cdbs pre fixados com a mesma logica do trsouro direto?..valeu!!

Diogo
Visitante
Diogo

Boa tarde Leandro.

Quando comecei a investir em Tesouro Direto em 2015 lendo seus artigos, comprei alguns títulos IPCA que estavam pagando 7% acima da inflação.
Se eu estivesse preparado para especular, em apenas 2 anos e 9 meses teria um rendimento de ~70%.

Continuo estudando para aprender a aproveitar as oportunidades que o mercado financeiro nos proporciona.

Excelente artigo!

Abraços.

Flávio
Visitante
Flávio

Comprei quando a taxa estava 11,33% e vendi após 134 dias, obtive 9,04% de lucro líquido. Utilizei parte da minha reserva de emergência para este investimento. Corri um risco elevado, mas valeu a pena.

JOHANNES FERREIRA
Visitante
JOHANNES FERREIRA

Boa tarde Leandro,
Já acompanho o clube dos poupadores faz um tempo, e nesse artigo parece que você leu a minha mente. Parabéns por mais um excelente artigo!
Seguindo o exemplo que você usou, digamos que apostei na queda e comprei 10 títulos mas, ao contrário do que esperava, os juros subiram. Mas ainda acredito que ele irá cair e nessa crença decido comprar mais 10 títulos e, passado alguns meses, os juros despencam. Mas agora possuo 20 títulos com preços de compa diferentes e quero vender os 10 que me darão um maior retorno.
Como funcionaria nesse caso?
Obrigado

Felipe Fregnani
Visitante
Felipe Fregnani

Parabéns, Leandro. Ótimo artigo.
Tenho uma dúvida: O que influencia essa melhor ou pior taxa no tesouro? Inflação, selic, juros? Há algum site para podermos acompanhar o gráfico dessas taxas?
Obrigado.

Eder
Visitante
Eder

Parabéns por mais um excelente artigo. Muito esclarecedor !!

Diego Souza
Visitante
Diego Souza

Grande Leandro, como sempre seu artigo está muito bom.

É uma pena que poucas pessoas tenham o conhecimento para aproveitar essas oportunidades, com o seu trabalho aos poucos estará mudando a cultura nos investimentos.

Parabéns!!

Eugenio Costa
Visitante
Eugenio Costa

Sensacional. Esse tipo de artigo só se encontra aqui no CdP. Parabéns, Leandro! Vc é fera!

Marcio
Visitante
Marcio

Muito bom, Leandro.
Parabéns.

Renato
Visitante
Renato

Boa tarde Leandro
Primeiramente parabéns pelo seu trabalho e continue perseverante no seu propósito.
Você já ajudou e irá ajudar muitas pessoas através do conhecimento.
Gostaria de tirar uma dúvida:
No momento da venda dos títulos, o Tesouro sempre considera o título mais antigo? Ou existe alguma estratégia que possa escolher os titulos a serem vendidos?

Obrigado.

Camilla Caetano
Visitante
Camilla Caetano

Sensacional esse artigo. Nunca tinha pensado nos títulos públicos como uma forma de especular no curto prazo. Abriu meus olhos para mais oportunidades. Obrigada pelo conteúdo de qualidade!

dilon
Visitante
dilon

muito bom

Ricardo
Visitante
Ricardo

Ola Leandro! Parabens pelo artigo, voce deu exemplo quando a taxa de juros cai e quando a taxa de juros sobe, qual o melhor titulo que conseguimos usar de forma especulativa para ganhar na subida das taxas de juros? Obrigado

Lucas
Visitante
Lucas

Eu já estudei muito sobre renda fixa, principalmente títulos públicos. Li tudo que está disponível. Eu gostaria de destinar um dinheiro em renda variável para potencializar meu objetivo até 2025. O problema que eu consigo poupar pouco ($500/mês) e fico na dúvida se um investidor pequeno é válido ariscar seu capital em renda variável. O que você me diz? Obrigado.

Marcio
Visitante
Marcio

Leandro como tinha t falado em outro post sobre cdb pre tenho aplicação a taxa de 14% a 2 meses.. meu banco compra a taxa de 10% no dia de hoje.
as perspectivas p selic nos próximos dois anos e de ser 8 %.
minha pergunta seria se valeria pena vender agora p embolsar o lucro e reaplicar em algo c liquidez diária e aguardando uma possível alta de juros novamente p voltar pro pré?..ou manter seria melhor acreditando q essa taxa dificilmente se repetirá nesse período e tb pq não tenho urgência p esse dinheiro ?

muito grato por seus esclarecimentos!!

Cleiton Lubawski
Visitante
Cleiton Lubawski

Olá Leandro. Aprendi esta estratégia em um de seus livros e apliquei quase entre os mesmos dias do seu exemplo. Vendi na semana passada e já estou com o lucro no bolso. Conheci o Clube dos Poupadores em 2015 e desde então minhas finanças deram uma melhorada respeitável. Muito obrigado por compartilhar seu conhecimento e tempo conosco. Grande abraço!

Andre
Visitante
Andre

Olá Leandro, obrigado pelo artigo esclarecedor.
Tire-me uma dúvida, por favor. Essa queda nos juros ocorrida em outubro, em tempos de selic baixa e prévias de eleições, foi algo anômalo no mercado e consequentemente difícil de ser previsto pelo investidor. Enfim, vivemos um período pouco provável de se obter ganhos com vistas à venda antecipada? Obrigado!

Eduardo
Visitante
Eduardo

Oi Leandro,
Mais uma vez parabéns pelo trabalho!
Aqui é um dos poucos lugares (posso dizer único?) em que um título de artigo como este não é um clickbait, e que realmente encontramos a resposta no conteúdo.

Souza
Visitante
Souza

Excelente! Parabéns por falar de forma clara e didática o que muita gente não fala, nem o bobinho famoso da mídia.

Danielly
Visitante
Danielly

Obrigada por mais um texto Leandro. Uma dúvida: tenho títulos IPCA-E que irão vencer agora em 05/2019 só que não irei mais precisar deste dinheiro na data do resgate . Vi que no site do tesouro tem a opção de reinvestir. Ao optar por reaplicar o dinheiro para um título com vencimento 2024 será contado novamente o prazo para o imposto de renda ou será considerado todo o tempo já transcorrido desde 2016 (data da aplicação do título 2019) e aí será considerada somente a alíquota de 15,00%?

gabriel gomes silva
Visitante
gabriel gomes silva

Bom dia,
Excelente artigo, vi alguns artigos sobre essa semana também. sugestão de reportagem poderia ser peer-to lend, que tal?

Felipe de Amorim Carvalho
Visitante
Felipe de Amorim Carvalho

Excelente artigo, Leandro ! Teria alguma análise de indicadores que recomenda para analisar se o cenário é favorável para essa estratégia ? E mais, ela não é mais aplicada ao Tesouro IPCA+ 2045 e similares por terem uma variação maior?
Grande abraço!

Claudinei Fernandes
Visitante
Claudinei Fernandes

Muito didático, Leandro. Parabéns e obrigado pelo trabalho.

Suelen
Visitante
Suelen

Excelente artigo, Leandro.Obrigada por seus ensinamentos.
Leandro, uma dúvida: há diferença entre comprar um título inteiro e comprá-lo em partes?Pergunto isso porque uma vez fiz uma simulação em um site de uma corretora e houve uma diferença grande.Se eu investisse um valor X de uma vez só renderia bem mais se investisse o mesmo valor só que em partes.
Você poderia me explicar essa diferença?
Porque em relação às ações eu vi que vale a pena comprar uma “ação inteira” e não em partes, em razão do número de “taxas” que incidem.
Obrigada mais uma vez, Leandro!

Ises
Visitante
Ises

Sabe aquele alerta de respeito, que mal chega na caixa do e-mail e já paro tudo pra ler? São seus textos. Nossa Leandro, seus textos deveriam sair semanalmente em um grande jornal de circulação! O que é isso? Não estou brincando, são bons demais mesmo; conteúdo maravilhoso e que pode ser aplicado rapidamente. Fantástico! Eu sei que não é para todo mundo. Eu mesma visitei seu site anos atrás, e deixei de lado (ignorância minha mesmo). Depois voltei a tentar entender esse mundo de finanças, economia, e investimentos. E pra mim não tem nada melhor!!! Estou aprendendo demais. Muito obrigada!

Franklin
Visitante
Franklin

Quem são as pessoas responsáveis por calcular qual a taxa o tesouro deve pagar ? e como elas trabalham ?

Lima
Visitante
Lima

Ola Leandro! Obrigado pelo artigo! Entender essas variações do Tesouro pode ser muito valoroso.
Consegui acertar esse movimento no TD IPCA 2019 e 2024 na última “onda” quando comprei em 2015 e vendi em 2017 com mais de 50% de lucro. Com os juros aferidos foi possível pagar boa parte da minha casa á vista, com um bom desconto.

Alison
Visitante
Alison

Entendi a mensagem Leandro. É mais uma possibilidade de estratégia. Contudo prefiro fazer meus aportes focando em objetivos mais definidos. Especular com tesouro talvez não mim dê grandes retornos e mim traga mais trabalho.

Aline
Visitante
Aline

Nunca tinha pensado nessa possibilidade. Agradeço por despertar mais um assunto que eu preciso estudar. Só mesmo seu blog que me faz parar nesse momento (com um bebê recém nascido) para ler alguma coisa, porque sei que o conteúdo é sério. Obrigada.

Bruno Gustavo Moreira Soares
Visitante
Bruno Gustavo Moreira Soares

Leandro, já fiz algumas leituras sobre essa questão. Mas uma coisa que não me sai da cabeça: em vários outros textos seus e de outros que gosto de ler é enaltecido a beleza dos juros compostos nos investimentos. Em alocações que visem o longo prazo, a “mágica” dos juros compostos ajuda a rentabilizar cada vez mais, não é isso?
Mas para o caso dessa venda antecipada não se conta com os juros compostos.
A questão é o objetivo mesmo do investimento? ou seja, tenho de vender sabendo que nesses casos não é para contar com os juros compostos?
Grande abraço e parabéns pelos belos textos.

Compartilhe com um amigo