Todo início de ano as pessoas definem objetivos e se esquecem da estratégia. De nada adianta ter um objetivo para este ano se você não dedica tempo e energia para traçar a estratégia que utilizará para atingir seus objetivos.

É por isto que os anos se passam e você não consegue atingir todos os objetivos que traçou.

A palavra “estratégia” vem do grego e está relacionada com a guerra. Viver não deixa de ser uma longa batalha, onde seu principal inimigo é você mesmo. Veremos, mais na frente, que grande parte dos inimigos que te impedem de atingir seus objetivos estão dentro de você. A luta é entre você e você mesmo.

Uma definição de estratégia que gosto muito:

Estratégia é a arte de aplicar com eficácia os recursos de que se dispõe ou de explorar as condições favoráveis de que porventura se desfrute, visando ao alcance de determinados objetivos.

Você possui uma estratégia (um plano) para aproveitar as oportunidades e os recursos que você possui (seu dinheiro, seu conhecimento, sua força de trabalho, seu tempo, etc) para atingir os objetivos que você escolheu na sua vida?

Se você ainda não definiu objetivos para sua vida, comece agora. Defina seus objetivos. Se você já tem objetivos comece a pensar nas estratégias. Se você já tem estratégias, avalie os resultados e se for o caso mude suas táticas.

Normalmente as pessoas se preocupam mais em aprender táticas sem terem uma estratégia definida. A pessoa que pretende aprender como obter uma rentabilidade maior nos investimentos está preocupada com táticas e nem sempre possui uma estratégia para sua vida. Muitos leitores aqui do Clube dos Poupadores se preocupam muito com táticas e esquecem-se do plano, ou seja, esquecem-se de elaborar uma estratégia.

Tática é a habilidade de fazer, enquanto a estratégia é planejar o que deve ser feito para se atingir seus objetivos.

A felicidade é um objetivo na vida de todos nós. O que você acredita que fará você feliz é o que te difere de mim e de todos os outros.

O que fazemos para buscar o que nos trará felicidade também nos difere e por isto temos uma enorme diversidade de caminhos para escolher e seguir.

Assista este vídeo rápido do Prof. Heni Ozi Cukier (ESPM e FGV):

Qual sua justificativa?

Se você não conseguiu atingir seus objetivos no ano passado é provável que você tenha algumas histórias para justificar o seu insucesso.

Como disse anteriormente, o nosso maior inimigo é interno e não externo. Nossas estratégias (nosso plano de guerra) precisam combater nossos pontos fracos, vícios e maus hábitos para que possamos atingir nossos objetivos de agora em diante.

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas.” Sun Tzu

Isto vale para todas as áreas da nossa vida e não apenas para sua vida financeira. Tudo está conectado. Na verdade, os nossos vícios e hábitos que interferem na nossa estagnação profissional e financeira são os mesmos que nos impedem de manter uma vida mais saudável e de manter boas relações com as pessoas que nos cercam.

Leia também:  Lucro do seu trabalho

Usamos histórias que justificam, de forma inconsciente, para perpetuar resultados que não gostaríamos de manter na nossa vida. Esta forma de agir é que nos afasta das nossas estratégias para atingir nossos objetivos.

Isto significa que se não combater seus pontos fracos, não conseguirá colocar a estratégia em prática.

Felizmente, ter consciência das suas fraquezas e refletir sobre elas já será grande parte da solução do seu problema. A sua reação é automática quando está conscientizado. Sem a conscientização toda tentativa de mudança é insustentável.

Veja uma aula gratuita que faz parte do curso O Poder do Foco do Prof. Paulo Vieira que trabalha com treinamentos de inteligência emocional. Ele vai falar, de forma muito dura e direta, sobre histórias e justificativas que prejudicam sua vida.

O que você poderia fazer agora?

Preparei uma lista de sugestões para que você comece a traçar seus planos para o ano.

1) Definia objetivos de curto, médio e longo prazo. Curto (1 ano), Médio (5 anos), Longo (10 anos). Estes prazos são apenas uma sugestão. Nosso cérebro só funciona com objetivos claros. Se você não tem um objetivo, você não sabe para onde ir, não sabe que caminhos seguir, não consegue enxergar as oportunidades que aparecem a todo o momento.

2) Reflita sobre o que você precisa fazer agora para atingir estes objetivos no futuro. Você precisa elaborar um plano de ação e isto vai exigir tempo. Não se prepara um plano em alguns minutos e nem do dia para a noite. Um plano é uma coisa que você precisa elaborar com paciência e muita reflexão. Materialize este plano tirando ele da sua cabeça e colocando no papel ou no seu computador. Seu cérebro precisa de números, datas, prazos e dados concretos. Descreva claramente onde você se encontra, para onde pretende ir e o que falta (novos conhecimentos, decisões, atitudes, recursos, etc) para atingir seus objetivos.

Leia também:  Sacar o FGTS: o que fazer o dinheiro?

3) Aprenda mais. Esteja aberto para aprender mais. Invista mais tempo estudando (estudar não é chato, mude primeiro este conceito limitador). Se duas pessoas estiverem diante de uma oportunidade, só aquela que teve mais acesso a educação terá capacidade de enxergar e aproveitar esta oportunidade, mesmo que esteja diante dos olhos. Aprenda mais sobre aquilo que você sabe pouco. Não preciso dizer o que você precisa aprender. Você já sabe quais são suas dificuldades e limitações. Você sabe o que deveria aprender para melhorar diversos aspectos da sua vida profissional, financeira e até emocional. As livrarias estão repletas de livros que custam valores insignificantes. Muitos autores gastam uma vida inteira estudando um assunto para disponibilizar tudo que aprenderam de forma didática a troco de algumas dezenas de reais. Normalmente as pessoas gastam mais dinheiro com bebidas alcoólicas durante a vida do que com livros e cursos. Normalmente as pessoas reclamam mais dos preços dos livros do que do preço das bebidas alcoólicas. Não existe nada que justifique viver na ignorância nos dias de hoje.

4) Duvide das suas certeza. Você tem uma opinião formada sobre tudo? Você pode ter um problema. Duvide um pouco de você mesmo e esteja mais aberto para aprender mais e mudar de opiniões. Muitas vezes acumulamos crenças limitadoras sobre diversos assuntos, principalmente na área financeira e profissional.

5) Acompanhe mais o noticiário econômico e político. Acompanhar notícias sobre esporte, novela, filmes, celebridades é um entretenimento como qualquer um, só que muitas vezes consome todo tempo que você poderia utilizar para saber mais sobre a realidade econômica e política que estão interferindo na sua vida.

6) Para ter resultados diferentes no futuro você precisa fazer alguma coisa diferente agora. Fazer o mesmo, como sempre foi feito, te levará para os mesmos resultados. Se você deve, quite suas dívidas. Se você não poupa, comece a poupar. Se você poupa, comece a investir. Se você investe, comece a diversificar e quem sabe empreender no seu próprio negócio. Não importa em que degrau você se encontra, sempre existem mais degraus para subir até atingir sua autorrealização.

 

Leitura recomendada: lista de livros sobre investimentos.