Como fazer sobrar dinheiro no fim do mês

Vou ensinar algumas técnicas poderosas, mas simples, para fazer sobrar mais dinheiro no seu bolso até o final do mês. Não vou mandar você parar de comprar aquilo que você precisa. Não vou mandar você fazer anotações chatas, preencher planilhas e muito menos deixar de fazer aquilo que você gosta. A única coisa que você vai fazer é utilizar uma estratégia para reduzir o impacto das decisões impulsivas que fazem você comprar coisas que não precisa. É este tipo de consumo que queima uma boa parte do seu orçamento anual, sem você perceber. É este tipo de consumo que nos deixa frustrados quando percebemos que não conseguimos poupar nada depois de um ano inteiro de trabalho (faça seu balanço anual).

Você aprendeu tudo errado:

Desde muito pequeno(a) você foi educado(a) para relacionar felicidade com as compras. Não comprar se tornou sinônimo de frustração e infelicidade. Brinquedos novos é a consequência de uma compra. Uma viagem é consequência de uma compra. Ainda criança, você perceberá que comprar é muito divertido. O prazer é imediato. Assimilar isto é praticamente inevitável. A criança cresce sem entender  que para comprar foi necessário trabalhar (gastando tempo e energia). Para comprar uma coisa foi necessário deixar de comprar todas as outras coisas (no presente e no futuro). Ela não entende que poupar significa trocar uma alegria passageira hoje por uma alegria mais duradoura amanhã.

Na adolescência, você descobriu que a sua própria identidade dependia daquilo que você era capaz de comprar. As meninas e os meninos mais legais e interessantes da escola eram aqueles que compravam coisas legais. Aprendemos a comunicar o que somos através dos penduricalhos que compramos e penduramos no nosso corpo: óculos, relógios, calçados, smartphones, bolsas e todo tipo de produto de marcas que sinalizam bom gosto, charme, sucesso, poder, sensualidade, riqueza, mesmo que você não tenha nada disso. Esta mesma maneira de pensar nos segue por toda vida adulta. A grande verdade é que gastamos muito dinheiro na vida comprando coisas caras que em poucos anos serão jogadas no lixo.

As roupas de marca que você compra perdem valor com o tempo. Fazem você perder dinheiro. Datta Phuge, empresário indiano, resolveu este problema com suas camisas de 3,2kg de ouro. 😜

 

Quarentena da Lista de Desejos:

Vamos trocar aquele controle chato de despesas, que sempre te deixa frustrado(a) no final do mês, e vamos acabar com os efeitos negativos dos impulsos através de uma lista de espera, uma quarentena de desejos. Funciona da seguinte forma:

  1. Assim que você sentir vontade de comprar qualquer coisa, espere, anote esse desejo em algum lugar.
  2. Faça isso durante uma semana. Anote o nome do produto ou serviço e o seu preço. Feche a lista na sexta-feira.
  3. Quando for na segunda-feira da outra semana, some o valor de tudo que você deixou de comprar por impulso. Você terá uma agradável surpresa.
  4. Reflita se você ainda deseja comprar aquilo que está na lista. Se o desejo passou, parabéns, você acabou de ganhar este dinheiro, que teria perdido, se não tivesse evitado o consumo por impulso.

Você vai perceber uma incrível realidade. Aquele objeto que você não poderia viver sem ele, que precisava ser comprado imediatamente para que você se sentisse feliz, agora, não tem muita importância. Você não precisa mais dele para ser feliz, o desejo passou. Já o dinheiro que você deixou de gastar, poderá ser utilizado hoje de maneira mais inteligente, ou no futuro, para comprar uma coisa realmente importante e que vai gerar algum benefício real na sua vida.

Existem muitas pesquisas que estudam nossa capacidade de adiar a gratificação. Estas pesquisas mostram que as pessoas que aprendem a adiar a satisfação dos seus desejos, em vez de satisfazê-los de imediato, são mais bem-sucedidas.

Abandone o carrinho:

Você já deve ter percebido que ao selecionar produtos em uma loja online, eles ficam armazenados em um carrinho de compras virtual.  Se você desistir, fechar o site e retornar alguns dias depois, a sua lista de compras continua lá. Um dos maiores problemas das lojas online é o abandono do carrinho. As pessoas selecionam os produtos que querem comprar e depois não finalizam a compra. Para resolver esse problema, as lojas criaram um botão maligno, inimigo número 1 das suas finanças pessoais. Este botão costuma ser chamado de “comprar com 1 clique”. Você cadastra o seu cartão de crédito na loja virtual e sempre que visitar o site e clicar no botão as compras são realizadas imediatamente.

Vamos imaginar que você acessou o site de uma grande loja e viu aquela torradeira que o seu amigo comprou na semana passada. Exatamente a mesma torradeira que ele postou no Facebook dizendo que era maravilhosa. Tinha vários botões que tornavam as torradas maravilhosas (e você acreditou). Você percebeu que de R$ 1.500,00 ela estava sendo vendida por “apenas” R$ 949,00. Antes de apertar no botão comprar, você resolveu seguir as dicas deste artigo. Colocou o nome e o preço da torradeira na lista de espera.

Nova torradeira do seu amigo recebeu muitos comentários e curtidas nas redes sociais

Na próxima segunda-feira, você acordou para mais uma semana de trabalho. Deu uma olhada na lista de desejos e percebeu que aquela torradeira maravilhosa do seu amigo não parecia mais ser tão importante para sua vida. Então você riscou a torradeira da lista. Comemorou o ganho dos R$ 949,00 por ter evitado o desperdício da compra por impulso. Você trocou o sentimento de frustração, após a compra de mais uma inutilidade e experimentou o sentimento de satisfação por ter quase R$ 1000,00 a mais no seu orçamento para gastar com coisas mais importantes, quem sabe investir e realizar algum sonho futuro que exija um valor maior.

É importante destacar que não tenho nada contra quem tem torradeira. Tive que escolher um exemplo. Ele vale para qualquer produto desnecessariamente sofisticado e caro que você queira comprar, sem ter certeza sobre isso.

Imprima o boleto e só pague no banco:

Outra estratégia muito útil é optar pela compra através de boleto bancário. Finalize a compra e na hora e pagar imprima um boleto. Guarde o papel em algum lugar e deixe para pagar depois. É incrível como isto vai fazer você recuperar um dinheiro que estava praticamente perdido. O hábito de comprar foi satisfeito, mas o pagamento você deixou para depois. Mesmo assim, prometa para você mesmo que só irá pagar boletos de produtos adquiridos na internet dentro das agências bancárias. Pare de pagar boleto de compras de supérfluos pela internet. Se você realmente estiver disposto a enfrentar uma longa fila para pagar o boleto da torradeira, isto significa que você tem absoluta certeza que a torradeira é importante. É claro que para algumas pessoas é possível que uma torradeira altamente sofisticada tenha alguma importância.

Você trabalhou duro. Você merece?

Recentemente um leitor me escreveu para falar sobre uma mudança de hábito que ele vivenciou. Ele disse que todos os meses, quando recebia o salário, entrava nestas grandes lojas da internet para buscar alguma coisa para comprar. Na verdade, ele não estava precisando de nada, só queria gastar o que sobrou do salário comprando qualquer coisa, como se estivesse procurando uma compensação pelo trabalho chato que ele precisa encarar todos os meses.

Tem muita gente que sofre do mesmo problema. Você tem um emprego chato? Trabalham naquilo que não gostam? Está sempre desmotivado e para curar essa dor, procura meios alternativos como consumir bobagens, pois assim você acredita que vale a pena sofrer?

Você provavelmente costuma sabotar o equilíbrio do seu orçamento familiar com esse tipo de argumento: “Eu mereço, passei o mês todo sofrendo, trabalhando duro, e agora vou gastar meu dinheiro comigo mesmo, sem olhar preço!”.

Será que não seria melhor usar esse dinheiro para resolver esse problema triste que é trabalhar fazendo o que não gosta? Você poderia fazer cursos, treinamentos, comprar livros para aprender aquilo que falta. Sempre falta aprender alguma coisa para que a sua vida fique melhor. Você também poderia acumular este dinheiro para abrir um pequeno negócio no futuro, assim fará o que gosta.

O prazer das compras é uma solução de curto prazo para um problema de longo prazo. Poupar e investir o seu dinheiro é uma solução de longo prazo para resolver um problema de longo prazo – Clube dos Poupadores

 

Jejum de compras:

Outra maneira de fazer sobrar mais dinheiro no final do mês é fazer uma dieta de compras. Da mesma forma que você pode fechar a boca e emagrecer em apenas um mês, também pode fechar a carteira e enriquecer um pouco em apenas um mês. É uma questão de escolha.

Comece a semana fazendo um desafio para você mesmo(a). Tente descobrir por quanto tempo você consegue ficar sem comprar por impulso, ou seja, conte quantos dias você consegue passar comprando apenas aquelas coisas que são realmente necessárias. Para saber o que é necessário, basta refletir e fazer a pergunta: “Se eu deixar para comprar isto na próxima semana, vou sofrer alguma consequência negativa? Minha vida vai piorar?” O resultado do jejum de compras é garantido. No final, você terá mais dinheiro no bolso e isto significa um leque maior de oportunidades para aproveitar este dinheiro com mais inteligência e maiores benefícios para sua vida no futuro.

Técnica da foto na carteira:

Procure na internet a foto daquele grande sonho que você só pode realizar se tiver paciência para poupar dinheiro. Dobre essa foto e coloque o seu cartão de crédito no meio dela. Sempre que for comprar alguma coisa será obrigado a abrir a foto para tirar o cartão, ou seja, você vai sentir que está abrindo mão de um futuro melhor para comprar alguma coisa hoje. Se for uma coisa realmente necessária você vai comprar, se for não for importante você será forçado(a) a refletir.

Se você não utiliza cartão, cole uma foto do seu grande desejo na sua carteira. Escreva na foto quando você precisa poupar para realizar este sonho. “Dinheiro poupado me aproxima do meu sonho.”. Vamos imaginar que o seu sonho é comprar um imóvel que custa R$ 300.000,00. Se você desistir da torradeira de alta tecnologia que custa R$ 1.000,00 seu sonho estará R$ 1.000,00 mais próximo. Ao evitar a compra por impulso, a distância entre o sonho e a realidade já será reduzida para R$ 299.000,00.

Agora compartilhe estas dicas com o seus amigos e parentes. Mostre para eles que podem receber novos artigos do Clube dos Poupadores por e-mail todas as semanas. Já existe uma sequência programada de e-mails onde apresento os melhores artigos que já escrevi no passado. O endereço para esta assinatura gratuita fica em http://www.clubedospoupadores.com/assinatura

By |02/10/2015|Categories: Consumo|123 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

123 Comments

  1. Keila Monique 2 de outubro de 2015 at 9:57 - Reply

    Adorei as dicas, vou começar a praticar hoje mesmo.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 10:40 - Reply

      Oi Keila, depois retorne aqui e fale sobre os resultados.

  2. Prof. Elisson de Andrade 2 de outubro de 2015 at 10:51 - Reply

    EXCELENTE. Vou recomendar o post para meus seguidores. Parabéns Leandro.

  3. Bruno Santos 2 de outubro de 2015 at 10:56 - Reply

    Estimado Leandro,

    Continue compartilhando seus conhecimentos conosco. Isso fará um Brasil melhor!

  4. Marcio 2 de outubro de 2015 at 11:03 - Reply

    Obrigado pelas dicas, vou coloca-las em pratica.

  5. A. Rossi 2 de outubro de 2015 at 11:06 - Reply

    Parabéns pelo artigo, boas dicas! Me assusta saber que sua redação é feita para um grande publico que ao ler isto irá se maravilhar com algo que deveria ser o dia-a-dia deles!

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 11:35 - Reply

      Olá Rossi. Vivemos em um país onde 60% da população não faz qualquer tipo de economia. Dos que conseguem guardar algum dinheiro no final do mês, metade investe em Caderneta de Poupança e o restante perde dinheiro em títulos de capitalização e em fundos DI e de Renda Fixa com taxas de administração de 2% a 3% ao ano. E renda não tem relação com poupança, é comum encontrar pessoas com alta renda que não conseguem poupar nada e ainda fazem dívidas, empréstimos e financiamentos para manter uma padrão de vida acima da renda que possuem.

  6. Jefferson Bandeira 2 de outubro de 2015 at 11:10 - Reply

    A lista de compra já uso para coisas que não posso comprar no momento por falta de dinheiro e depois acabo concluindo que não preciso. Agora com suas dicas, vou usar de forma diferente. Vou incluir tudo e analisar semanalmente. Recentemente, tinha decidido comprar um MP3 player por achar que me auxiliaria nos meus estudos de inglês e ouvir podcasts e que me daria mais segurança para utilizá-lo na rua, ao invés do meu smartphone. Depois de buscar tanto por um modelo ideal, com o tempo percebi que dificilmente sairia de casa ouvindo podcasts e muito menos estudando inglês porque minha rotina permite que eu faça tudo isso em casa mesmo. Resultado, percebi que era apenas um desejo de compra e não uma necessidade, meu smartphone supri muito bem minhas necessidades.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 11:39 - Reply

      Oi Jefferson. Muitas vezes procuramos desculpas, sem perceber, para comprar alguma coisa nova.

  7. Edgar 2 de outubro de 2015 at 11:12 - Reply

    Valeu Leandro! Estamos todos ansiosos pela “área de membros”. Como está o planejamento, já existe uma previsão?
    Muito obrigado!

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 11:40 - Reply

      Oi Edgar. Eu ainda estou estudando se a área de membros será viável. Existem muitas variáveis que estou avaliando.

  8. Marcelo Okada 2 de outubro de 2015 at 11:12 - Reply

    Boa!! Parabens pelas dicas. Gosto muito de dicas que envolvem o psicologico, as vezes nossa forma de pensar é nossa inimiga rs.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 11:40 - Reply

      Oi Marcelo. Na verdade a única coisa que nos limita nesse mundo é a nossa forma de pensar. 🙂

  9. Louis 2 de outubro de 2015 at 11:12 - Reply

    Olá Leandro,
    ultimamente tenho comprado muito…Estou ficando preocupado, tudo que sobra eu torro comprando títulos do tesouro, LCA… Agora estou tentado a comprar FII. Quando compro estes produtos, sinto uma satisfação imensa.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 11:42 - Reply

      Oi Louis, você está comprando ativos que geram renda. Parabéns. É uma boa forma de construir patrimônio. Só não pode exagerar. A vida também precisa ser vivida, precisamos buscar o caminho do meio.

  10. Rodrigo 2 de outubro de 2015 at 11:18 - Reply

    Excelente artigo, Leandro.
    Já utilizei a tática de pagar tudo por boleto bancário. Fiz isso umas 3 vezes e por incrível que pareca nas três vezes eu posterguei a compra até a data do vencimento do boleto e no final não efetuei o pagamento.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 11:43 - Reply

      Oi Rodrigo, provavelmente o que você queria comprar não era tão importante. Parabéns.

  11. Fábio Moraes 2 de outubro de 2015 at 11:24 - Reply

    Parabéns pelo artigo, Leandro. Realmente muito bom. Recentemente comprei o meu primeiro Tablet, paguei à vista, no boleto. Antes de comprar, pesquisei por 3 semanas. Me questionei várias vezes sobre a real necessidade desta compra. Qual era? Trabalho no Rio de Janeiro e sou de Petrópolis. O tablet é o veículo mais eficaz de aproveitar as 4 horas que “perdia” por dia no trajeto casa – trabalho – casa, pois com ele, posso fazer cursos por EAD. Um aluguel de um imóvel residencial na zona sul do Rio custa em Média R$2200,00 (estimativa), o comprometeria meus investimentos mensais. Estudar neste tempo foi uma forma encontrada para investir em conhecimento para, futuramente, aumentar minhas receitas, poder investir mais e manter o padrão de consumo atual. O ônibus que utilizo diariamente é muito confortável, costumo chamá-lo de “sossegoduto”, pois, além de propicio ao estudo, é muito seguro. Sempre são os mesmos passageiros. No meu caso, para investir mensalmente, realmente tenho temporariamente que abrir mão de morar próximo ao trabalho, sou funcionário público e o objetivo é estudar mais para me qualificar em novas áreas.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 11:45 - Reply

      Oi Fábio, seu tablet foi um bom investimento. É com base naquilo que você aprende que você melhora como pessoa, melhora seus investimentos, abre sua mente para novas possibilidades e isto resulta em prosperidade futura.

  12. Valéria 2 de outubro de 2015 at 11:29 - Reply

    Perfeito!!! A dica da quarentena eu nunca pratiquei, vou adotar já! Já a dica de pagar com boleto me ajuda muito, na maioria das vezes desisto da compra! A pena é que as empresas já sacaram isso e geram o boleto vencendo no dia seguinte…tiram seu tempo para pensar no assunto! Já essa “compra com um clique” é um perigo mesmo!!! Adoro seu site!!!

  13. Rhayan 2 de outubro de 2015 at 11:31 - Reply

    Desde já, parabéns. Só duas pessoas eu acompanho você e o Blastter, deve ter mais pessoas mais a maioria só fala besteira em investimento mirabolantes dicas imperdíveis até pode ser tema de um novo artigo: “Trader com tesouro direto” todo mundo querendo ganhar algum da ignorância dos outros, vejo você que trata com responsabilidade o dinheiro das pessoas. 😀

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 11:55 - Reply

      Oi Rhayan, estou pensando sobre escrever um artigo para comentar alguns vídeos do Bastter. Eu concordo com grande parte do que ele ensina. Mas acho o estilo de comunicação dele muito curto e grosso e isto acaba assustando. Eu entendo que o público dele é o extremo oposto do meu. Aqui temos muitos leitores conservadores que estão aprendendo a diversificar. Já o público dele são de investidores de renda variável, investimentos de risco, gente que faz operações de compra e venda de ações no curto prazo. A bolsa ainda atrai muita gente leiga querendo viver de bolsa, querendo enriquecer do dia para a noite. Ele tenta combater isso.

      • Rhayan 2 de outubro de 2015 at 12:18 - Reply

        Com certeza, ele e mais ríspido e repetitivo, mais é para o pessoal tomar consciência que somos bombardeados todos os dias pela propaganda alguns artigos seus que já li sobre esse assunto descrevendo isso de forma fantástica. um curso que fiz foi A classe alta do Seitti gostei bastante para mudar muitas crenças o dele e pago, você disponibiliza muita informação valiosa bem elaborada e pensada de forma gratuita, mais uma vez te parabenizo.

  14. Marcelo 2 de outubro de 2015 at 11:38 - Reply

    Caro, Leandro,

    Grato por mais esta informação. Já tenho feito isto há um bom tempo, porém estou encontrando dificuldades para remar contra a maré da imposição daqueles que ganham dinheiro fácil sem fazer força => Bancos e Operadoras de cartão de crédito.( Sempre com a imposição de ideia para as pessoas que as compras com cartão não tem Juros e é tudo sem custo ) Cancelei o Cheque especial, e agora tomei uma decisão meio radical. NÂO USAR MAIS O CARTAO DE CRÉDITO.Vou voltar ao que fazia há muito tempo atrás, planejava os meus custos mensais e usava SÓ pagamento em DINHEIRO À VISTA OU USAR O DÉBITO. Acabei de abrir uma CONTA DIGITAL ( Sem papel e sem uso de Recurso Humano) em um Banco PRIVADO,(A ideia que o Banco passa é que há senção de Taxas) Mas sabe-se na realidade que isto não tem custo zero, pois todo BOLETO de conta que pagamos já estamos pagando taxas para os bancos assim com estamos TRABALHANDO para o Banqueiro, além deles usarem o nosso $.Agora vou optar pelo uso de um serviço On line para pagamentos em compras no exterior com débito em conta (Espero que funcione). Um Questionamento que gostaria de lhe fazer e talvez por em discussão: Todos nós sabemos que o Uso do $ tem custo no Tempo/período e quando você para à vista, “teoricamente” teríamos o direito de receber Desconto num produto ou serviço ( O Desconto ref. as Taxas que o comerciante paga para o uso das máquinas da Op. de Cartão e todo os outros custos que nós pagamos referentes ao USO desse “Crédito” que nos é disponibilizado) Vou citar um problema que estou tendo no momento. Devido a não usar + cheque e me recusar a usar Cartã de Crédito, a academia onde sou cliente há um tempo atrás deixou de aceitar o pagamento em Cheque ou $ nas mensalidades. ÓBVIO que todo o custo com a operação de crédito é repasssada para o cliente na mensalidade.E agora preciso renovar o contrato, e eles NÃO ME DISPONIBILIZAM o pagamento das mensalidades em $ (Espécie) somente se for à vsta e SEM DESCONTO ALGUM das Taxas Já imbutidas no preço dos serviços.(Estive no PROCON e fiz o questionamento sobre estes desconto que o comerciante deveria aplicar no produto ou serviço para o Cliente, mas a resposta que recebí é que NÃO É OBRIGAÇÃO do Comerciante dar este desconto, e que desta forma estariam prejudicando o cliente, pois seria + uma forma de impor + custos nos produtos ou serviços. Acredito que a Lei não está afavor de nos consumidores, pois se o custo está embutido no preço,( Empresário não absorve estes custos) porque não tenho o direito de receber descontos no preço do serviço se estou pagando Á VISTA, ou seja ele receberá o $ SEM RISCO de crédito e SEM CUSTO de operação de Crédito e além do mais no TEMPO ANTECIPADO. Como eu poderia mensurar estes custos de 5% a 10% do valor ?

    OBS: Veja como o marketing feito pelas empresas de CC é forte, Atualamente eu estava ficando envergonhado de pagar minhas compras em ESPÉCIE ( como eu sempre fazia há muito tempo atrás). Estava realmente abduzido pela pressão social que o chique é pagar com Cartão Crédito e é simbolo de Status. Graças a um post seu sobre cartões me fez refletir sobre esta estupidez de achar que CC é simbolo de poder e patrimômio.

    Grato

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 13:13 - Reply

      Oi Marcelo. O correto era a lei permitir que o comerciante cobre preços diferentes para formas de pagamento diferentes. Cada forma de pagamento tem seus custos. O comerciante embute esses custos no preço e todo mundo acaba pagando mais caro. Eu uso cartão por questão de segurança. Ir até os bancos e caixas eletrônicos sacar dinheiro não é seguro. Existe o problema da saidinha bancária.

    • Giancarlo Fernandes 2 de outubro de 2015 at 15:42 - Reply

      OI Marcelo e Leandro. Eu também estou abandonando o uso de cartão de crédito e passando a usar só dinheiro, boleto e cartão de débito (esse por causa da segurança também). Também passo por essa dificuldade que o marcelo está passando na academia. Infelizmente a maioria dos estabelecimentos não dá desconto pra quem paga no débito ou no dinheiro à vista. por outro lado alguns dão sim esse desconto. Principalmente nas pequenas lojas e nas feiras (onde compramos frutas e verduras). Por isso, não desanime, pois só o fato de alguns oferecerem esse desconto já vale à pena o abandono do cartão de crédito. Se 20% dos estabelecimentos em que você compra te derem desconto de 5% para pagamento à vista ou débito (que é o desconto que costumo receber) já está valendo à pena. Imagine que vc gaste mil reais por mês, se desses mil vc gasta 200 reais em estabelecimentos que oferecem desconto de 5%, então vc já estaria economizando 10 reais por mês (5% de 200) para investir ou usar em outra necessidade. Eu tinha uma certa resistência em abandonar o cartão de crédito pq as pessoas ficavam falando que eu estava perdendo a chance de ganhar pontos e milhas. Mas essa é só mais uma pegadinha do mercado. De maneira implícita as milhas e pontos te incentivam a gastar mais do que vc precisa. Muita gente compra algo desnecessário e se desculpa falando que pelo menos juntou mais milhas…Além do que o uso só de dinheiro ou débito facilita muito o controle de gastos e do orçamento, pois vc sabe que nao poderá contar com o limite do cartão de crédito e percebe de maneira mais efetiva no dia a dia o dinheiro que está gastando. Um abraço e não desanime por causa da academia.

      • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 15:49 - Reply

        Oi Giancarlo, o pior é que tem gente que gasta mais para ganhar milhas. Se for assim fica mais barato comprar a passagem. Quem usa dinheiro sente mais dificuldade para desperdiçar. É psicologicamente mais fácil passar o cartão e levar a torradeira de R$ 1000,00 para casa do que sacar R$ 1000,00 no banco e entregar no caixa da loja.

  15. Mariana 2 de outubro de 2015 at 11:48 - Reply

    Pois é, me identifico muito com artigo pois tenho uma carreira que não me dá orgulho e nem crescimento pessoal, o grande problema é que possuo um salário bom e acima do mercado, isso me prendeu há anos. No ano passado resolvi efetuar a transição de carreira gradualmente, já li diversos livros, fiz e faço cursos na àrea que almejo trabalhar (totalmente diferente do que faço hoje) leio artigos e coloquei em prática muito do que vc disse acima… porém a minha rotina dentro do escritório atual me massacra! utilizo muitas vezes as compras para me dar um pouco de felicidade durante o dia ou à noite, e ao final do mês já viu… o problema não são as grande compras… mas sim as pequeninas q se juntam! Abraços.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 13:16 - Reply

      Oi Mariana, isso que você relatou é um problema generalizado. As pessoas utilizam as compras como compensação psicológica. No longo prazo isso pode ser um problema. A pessoa ganha um bom salário, mas gasta tudo com mimos, presentes e compensações.

  16. Eduardo 2 de outubro de 2015 at 11:50 - Reply

    Dicas interessantes. Venho tendo êxito no controle dos impulsos. Acompanho seus artigos sempre. Parabéns.

  17. Pedro 2 de outubro de 2015 at 11:52 - Reply

    Obrigado pela ajuda, Leandro.

    Bom artigo.

    Abs

  18. Danielle 2 de outubro de 2015 at 11:53 - Reply

    Leandro, recentemente estive tentando mostrar á minha mãe o quanto a vida dela pode mudar se ela mudar o pensamento dela a respeito da satisfação imediata que você tanto menciona, e que ela tanto preza. Hoje você escreveu o artigo perfeito para eu mostrar a ela.

    Estes métodos porém só funcionam com aqueles que são sinceros consigo mesmos. Não adianta inventar mil desculpas para a própria consciência só para justificar uma compra inútil. Sinto que a grande maioria das pessoas, inclusive minha mãe, fazem isso para driblar aquilo que sabem que é o certo a se fazer, insistindo em fazer o errado. Impressionante o que o consumismo pode fazer com a mente das pessoas, não é mesmo?

    Um grande abraço, Leandro.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 13:21 - Reply

      Oi Danielle. Normalmente queremos por querer, por desejo, por emoção, e encontramos muitas justificativas lógicas e racionais para que possamos comprar sem o sentimento de culpa. Somos todos vítimas de nós mesmos.

  19. Tainan 2 de outubro de 2015 at 11:57 - Reply

    Ótimas dicas, o que me ajudou bastante foi colocar tudo em um sistema de contas a pagar(grátis), tive a noção de quanta besteria eu comprava. Minha receita é pouca mais nesse mês tive a alegria de ver uma economia de R$ 1500,00, antes não sobrava nadaaaaa.

    Obrigado, seu site é ótimo.

  20. Ailton 2 de outubro de 2015 at 12:04 - Reply

    Mais um senhor artigo, parabéns Ávila! Gostaria de relatar o que fiz para comprar uma TV

    (led de 40″, 3D com 240 Hz motion + óculos 02 3D) fabricada pelos tigres asiáticos

    aqui no Brasil por um preço justo, pois tem relação com o método do boleto. Monitorei o preço em sites de busca específico

    (zoom, buscapé, bomdfaro, etc) por cerca de dois anos. Eu não tinha tanta necessidade em adquirir logo uma TV. Especulei

    que no período da copa do mundo haveria oscilação para menos no preço das TVs caso o Brasil perdesse. Percebi que

    sempre às vésperas dos jogos, grandes lojas da internet estavam fazendo uma espécie de leilão competindo

    entre si oferecendo ofertas mais barato para pagamentos à vista e no boleto. Ocorria geralmente nas madrugadas as ofertas. Sempre

    que aparecia uma oferta eu comprava e imprimia o boleto, mas não pagava, aguardava até a data limite para efetuar o pagamento. Nesse

    período, outra loja (idônea e respeitada no mercado, portanto, confiável), oferecia um valor menor. Eu imprimia o boleto e ganhava mais

    tempo. Até que apareceu aquele 7X1 catastrófico e lastimável, sei lá… até hoje me causa náuseas, pois bem, o último boleto impresso foi

    de R$ 1.315,00 com frete grátis. Haja vista, que o primeiro boleto era de R$ 3.000,00 e nem quero mencionar o valor do frete. Estou satisfeito

    com a compra do produto e, sobretudo, com o golpe que apliquei no meu impulso consumista.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 13:26 - Reply

      Oi Ailton, isto mostra como é importante programar a compra com muita antecedência controlando os impulsos. Muitos destes sites que você citou permite cadastrar um tipo de monitoramento de preços. Quando eles identificam lojas com preço reduzido eles avisam por e-mail.

  21. José Alessandro 2 de outubro de 2015 at 12:16 - Reply

    Desde que comecei a acompanhar seu site, percebi uma guinada positiva em meu parco orçamento. De uma renda de 4 mil gastava quase tudo! Então aos poucos dei início a um processo de pequenas mudanças, hoje consigo poupar quase metade e estou dando entrada num financiamento de uma casa. Sim sei que é errado, pois o correto seria pagar à vista, mas algumas coisas acontecem na sua vida e você realmente precisa de seu cantinho rsrsrs. O que tento explicar é que de uma vida totalmente gastando e sem poupar nada, hoje estou conseguindo poupar e realizar alguns sonhos. Parabéns pela belíssima atitude de ajudar tantas pessoas gratuitamente.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 13:27 - Reply

      Oi José Alessandro, parabéns e obrigado por deixar aqui seu depoimento. É incrível você conseguir poupar a metade, sendo que antes gastava quase tudo que ganhava. Parabéns.

    • Leninha 2 de outubro de 2015 at 14:57 - Reply

      Oi, José. Eu não acho que seja errado comprar uma casa financiada, desde que você faça essa compra com consciência. Imagino que seja, então, felicidades na casa nova.

  22. Misael da Silva 2 de outubro de 2015 at 12:32 - Reply

    Mais um artigo de grande valor.
    Obrigado pela dica tecnica foto da carteira ( casa).
    Obrigado por dicas tão importantes, que parece besta, mas é difícil de segui a risca. Como o ditado que diz: Fala é fácil, fazer é difícil.
    Mas devemos pensa no amanhã e não somente no dia de hoje.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 13:31 - Reply

      É isso ai Misael. Fazer é difícil, mas não é impossível.

  23. Leonardo 2 de outubro de 2015 at 12:35 - Reply

    Leandro… Parabéns pelo ótimo post… Vou compartilhar com meus conhecidos para ajuda-los. Uma tática que eu uso, como sei quais são meus gastos fixos, já invisto o dinheiro no começo do mês… O que preciso agora é otimizar esses gastos fixos…

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 13:33 - Reply

      Oi Leonardo. O correto é isso mesmo, você se paga primeiro e o resto devolve para o mercado. Um abraço.

  24. Ricardo 2 de outubro de 2015 at 13:17 - Reply

    Ola, Leandro, quero parabeniza-lo pelo seu artigo postado sobre como ir as compras e não gastar com produtos inútil, quero lhe dizer que já postei seu artigo no facebook, para que mais pessoas tenha o alcance a estas informações preciosa sobre dinheiro, abraço.

  25. Josefinne 2 de outubro de 2015 at 13:52 - Reply

    Estou gostando muito dos textos e dicas.
    Pretendo mudar o meu perfil de compradora compulsiva para compradora consciente.
    Estou entrando hoje na Dieta das compras!
    Obrigada.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 14:38 - Reply

      Parabéns Josefinne, depois retorne para falar sobre seus resultados.

  26. Tatiane 2 de outubro de 2015 at 13:54 - Reply

    Outra dica legal é ir ao mercado de barriga cheia, pois quando vamos com fome queremos comprar tudo o que vemos pela frente, de barriga cheia não temos vontade de pegar guloseimas, e é uma boa dica p/ quem quer manter o peso, kkkkk

  27. Álvaro 2 de outubro de 2015 at 14:19 - Reply

    Não coma o marshmallow!

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 14:57 - Reply

      Oi Álvaro. Muito bem lembrado. Vou compartilhar aqui para que as pessoas entendam o que isto significa.

      • Giancarlo Fernandes 2 de outubro de 2015 at 15:54 - Reply

        Muito interessante esse experimento com os marshmallows! Mais uma prova que psicologia e economia estão muito interligadas!

        • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 17:12 - Reply

          Oi Giancarlo, a grande verdade é que tudo está interligado.

  28. Adriana 2 de outubro de 2015 at 14:28 - Reply

    Leandro, mais um artigo que você pública e que vem de encontro ao que eu preciso. Obrigada! Fico sempre ansiosa aguardando o próximo.

  29. Felipe 2 de outubro de 2015 at 14:48 - Reply

    Obrigado, Leandro!

  30. Maristela 2 de outubro de 2015 at 15:10 - Reply

    Como gostamos de comprar aquilo que não precisamos! Já é um costume muito antigo do povo brasileiro. Adorei as dicas. Devemos analisar bem antes de comprar; se há necessidade ou somente gastos inúteis. Pensarei melhor daqui pra frente antes de ir as compras. Obrigada.

  31. Cenira Mota Pereira 2 de outubro de 2015 at 15:22 - Reply

    Cada matéria que leio do Clube dos Poupadores, está salvando minha vida financeira… só esse mês deixei de gastar mais de R$ 1000,00 só fazendo a técnica da Lista de Desejos….
    Obrigada e continuem com matérias motivacionais para pouparmos mais e consumir menos….

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 15:26 - Reply

      Parabéns Cenira, com certeza você encontrará alguma coisa realmente importante para investir seu dinheiro.

  32. Leninha 2 de outubro de 2015 at 15:25 - Reply

    Desde que entrei aqui no Clube minha vida mudou drasticamente. O Clube não me ensinou só a economizar e aplicar minha renda. Isso foi só consequência, porque o Clube me ensinou a mudar de vida.Eu sabia controlar meu dinheiro, mas não sabia gastar. Graças ao Clube fui aprendendo aos poucos a gastar responsavelmente, aplicar minha renda e, principalmente, investir em mim mesma. O Clube me apresentou o “Pai Rico, Pai Pobre” e me fez repensar todas as minhas atitudes e meu comportamento. Aprendi que o maior investimento é em conhecimento e passei a fazer cursos para me aprimorar. Até meu preconceito com ricos acabou (e não era inveja, era preconceito mesmo, achava que eram pessoas egoístas e arrogantes, percebi que estava enganada). Além de conseguir economizar mais dinheiro, aprendi a economizar tempo. Através do Clube, conheci o Seiiti e iniciei o curso “Produtividade Ninja” meio desconfiada. No terceiro vídeo (são 20), mudei só duas atitudes e economizei 4 horas de serviço. Eu rendia pela metade e achava que trabalhava muito! Resolvi usar o tempo livre para estudar e ajudar meus colegas quando estão sobrecarregados. Até minha vida social melhorou com isso e a minha chefe já mudou a forma de me enxergar (sou funcionária de empresa pública). Aprendi a economizar tempo até nas minhas tarefas domésticas e agora tenho ainda mais tempo para investir em mim: estudo para concurso, leio sobre investimentos, terminei de ler todos os artigos do Leandro Ávila, projeto minha empresa (futuramente espero trabalhar somente nela)… Enfim, estou notando prosperidade na minha vida. Obrigada Leandro Ávila, você me salvou de uma existência medíocre e infeliz! Que Deus te ilumine e abençoe sua vida e a de sua família sempre!

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 15:36 - Reply

      Oi Leninha, fico muito feliz quando recebo depoimentos como o seu. Me deixa motivado a continuar com este projeto que na verdade. Isto mostra que as pessoas não precisam de esmola, não precisam de dinheiro, não precisam de nada externo. A transformação é interna. Aceitar a ideia de que precisamos aprender é o primeiro passo. Precisamos pensar diferente das pessoas comuns que estão nos rodeando. Precisamos dar atenção para os autores. Os cursos do Seiiti são interessantes por ele ser um grande estudioso. Ele reúne, em um único curso, o conhecimento produzido pelos melhores autores da área. Esse curso Produtividade Ninja unifica o conhecimento dos melhores autores da área de produtividade, ele transmite só o que é importante e de maneira didática. É um dos dos cursos que já fiz e por isto faz parte desta página aqui onde recomendo vários cursos.

  33. Armando 2 de outubro de 2015 at 15:37 - Reply

    Olá Leandro muito bom esse modo de ver, é mais um excelente artigo, uma maneira de ver as coisas por outro angulo. Se não consigo ir por aqui vou por ali… persistência em tudo até que o botão é acionado e você muda. Um abraço.

  34. Tiago Bastos Couto 2 de outubro de 2015 at 15:42 - Reply

    Tenho a regra de poupar 10% da minha renda líquida. Fico durante o mês monitorando os gastos. Divido minha renda líquida por os dias do mês, o que passa de margem limite diário vejo se é necessário gastar no momento. Claro que essa que regra tem exceção, quando nós recebemos nosso salário devemos pagar nossas contas.Por essa causa tenho mais atenção no início do mês, caso tenho alguma emergência no passa dos dias.No final do mês nunca você ficará no vermelho e aproveito minhas sobras para fazer aportes maiores.

  35. Bia 2 de outubro de 2015 at 15:52 - Reply

    Fiz uma planilha onde tenho anotado TUDO que gasto. Tudo mesmo. E tem funcionado pra mim. É ótimo quando chega no final do mês e percebo que estou conseguindo não gastar todo o salário. Claro que ja comprei coisas por impulso e é horrivel a sensação de “putz, eu nao deveria ter gastado com aquilo”, mas nunca fui uma pessoa muito consumista, é difícil eu me arrepender de alguma compra. Mas achei as suas dicas bem interessantes. Vou tentar aplica-las, quem sabe consigo mais alguma economia. 🙂

  36. Ricardo 2 de outubro de 2015 at 16:01 - Reply

    Olá Leandro,

    Fui criado em um ambiente onde meus pais sempre pouparam dinheiro durante uma vida toda de trabalho. Hoje eles estão colhendo os frutos das decisões que tomaram no passado. Eu, quando era criança, sempre quis que meus pais comprassem brinquedos e coisas caras e supérfluas para mim e eles, obviamente, negavam. Hoje vejo que todos os nãos que recebi eram para o bem de nossa família!

    Um dia minha mãe sentou comigo e me disse uma frase que marcou minha mente: “Filho, nas lojas o que não faltam coisas para comprar. Se agente colocar na cabeça que quer tudo o que há nas vitrines, nunca sairemos do lugar, pelo contrário, poderemos andar para trás”. Quando comecei a trabalhar, foi uma alegria quando pude guardar o meu primeiro salário. Meus pais sempre me incentivaram. É algo que veio de berço. Sempre fiz economias mas, assim como a maioria da população eu só sabia investir em Cadernetas de Poupança. Após eu dedicar parte do meu tempo para estudar e entender melhor sobre economia e investimentos percebi que além de guardar posso maximizar os meus ganhos.

    Mas tudo na vida é feita de passos e escolhas. Quem consegue fazer sobrar dinheiro no fim do mês e não mês no fim do dinheiro já está com uma grande vantagem sobre a grande maioria da população. O próximo passo, aprender a investir é questão de tempo.

    Abraços.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2015 at 17:17 - Reply

      Olá Ricardo, obrigado por compartilhar a sabedoria da sua mãe. Não faltam coisas para comprar nas lojas. Quanto mais você depende destas coisas para se sentir feliz, menos liberdade você tem, mais acorrentado você está.

  37. Brahim 2 de outubro de 2015 at 16:06 - Reply

    Olá Leandro,

    Parabéns pelo excelente post e dicas valiosas. Abraço

  38. Giancarlo Fernandes 2 de outubro de 2015 at 16:10 - Reply

    Excelente artigo Leandro. Dicas simples e fáceis de implementar e ao mesmo tempo muito eficazes e de um impacto positivo muito grande na nossa vida pessoal e financeira. Obrigado!
    Tenho uma sugestão de artigo. Gostaria de ver um artigo seu sobre como filtrar melhor as nossas fontes de conhecimento e identificar bons materiais para ler e evoluir . Como você costuma sistematizar isso? Você sempre nos incentiva muito a se desenvolver, mas como a internet é muito vasta e o tempo escasso, às vezes é difícil escolher o que é mais importante ler e estudar. Uma das coisas que procuro fazer é ir atrás das fontes que as pessoas que sigo e admiro usam (como é o seu caso). Mas não sei se esse seria o único caminho ou o mais eficiente. Até porque não são todos que divulgam suas fontes. Seria interessante ler um artigo seu falando sobre isso. Acho que muita gente que acompanha o Clube tem esse interesse também. Por falar nisso, tenho uma outra sugestão também. Se possível, você poderia atualizar periodicamente (talvez uma vez por ano) o artigo com dicas de cursos e livros? (http://www.clubedospoupadores.com/livros-recomendados-de-educacao-financeira)
    Um abraço!
    Giancarlo

    • Leandro Ávila 3 de outubro de 2015 at 1:55 - Reply

      Oi Giancarlo. Eu não costumo filtrar fontes de conhecimento. Eu vou consumindo todo conhecimento que encontro. Muitas vezes entro nas livrarias sem ter nenhum livro em mente e os livros interessantes acabam me encontrando. Se você sente dificuldade de escolher o que é mais importante ler e estudar isto pode ser um sinal que você ainda não tem objetivos e metas bem definidos e não sabe exatamente o que precisa estudar para atingir estas metas. Quando você determina metas, o conteúdo importante acaba aparecendo na sua frente, ficamos com uma visão seletiva. Nos cursos que faço, nos livros que leio, nos vídeos e artigos que encontro na internet sempre me deparo com fontes.

  39. Rosiani Victal 2 de outubro de 2015 at 17:59 - Reply

    Uma coisa que deu muito certo para mim, foi deixar meu cartão de crédito de “castigo”. Eu o tenho deixado em casa e evitado ao máximo fazer qql compra nele. Resultado: corte de quase 70% do valor a pagar na proxima fatura.
    Realmente precisamos nos educar. Muitas vezes pela facilidade de crédito, gastamos muito mais do que deveríamos.

    • Leandro Ávila 3 de outubro de 2015 at 1:57 - Reply

      Oi Rosiani, o cartão produz uma facilidade que trabalha contra os nossos objetivos financeiros. Dentro de você tem um lado que quer tudo hoje, tem outro que entende que é melhor ter um pouco de paciência. Nesta luta interna o cartão de crédito é uma arma para o seu lado mais imediatista.

  40. flavio 2 de outubro de 2015 at 18:33 - Reply

    ola adorei as dicas vou começar a seguiras corretamente mas eu ja estou mudando mas irei aproveitar o máximo

    • Leandro Ávila 3 de outubro de 2015 at 1:57 - Reply

      Oi Flavio, que bom que gostou e que irá colocar em prática. Depois volte aqui para falar os resultados.

  41. Mauricio 2 de outubro de 2015 at 18:56 - Reply

    Leandro, parabéns pelo sucesso do Clube dos Poupadores. As pessoas simplesmente não percebem as escolhas erradas que fazem diariamente, e os seus artigos nos fazem refletir sobre elas. Eu mesmo julgava que tinha um bom controle dos meus gastos, pois não costumo ficar fazendo dívidas e tenho como princípio que o normal é sempre ter uma sobra de dinheiro no fim do mês. Mas ao ver as coisas que comprei nos últimos tempos, vejo que alguns realmente foram desnecessários. Porém, se arrepender pela compra não vai adiantar, então o melhor é usufruir do bem da melhor forma e procurar mudar o comportamento desde já.

    • Leandro Ávila 3 de outubro de 2015 at 1:58 - Reply

      Oi Mauricio, o importante é que você fez uma reflexão. A maioria pouco se importa com isso.

  42. Eduardo 2 de outubro de 2015 at 20:20 - Reply

    Ola Leandro, muito bacana as dicas. Uma coisa que eu passei a fazer e que também me ajudou a acabar com as compras por impulso foi não abrir mais emails promocionais, eu simplesmente marco todos como lidos no Inbox, foi muito eficaz pra mim.

    • Leandro Ávila 3 de outubro de 2015 at 2:00 - Reply

      Oi Eduardo. Isso é verdade. Seria bom pedir o descadastro destas listas de ofertas das lojas. Você acaba comprando coisas que estão na promoção, mas que você não precisa. Um produto com 90% de desconto continua caro se ele for inútil para você naquele momento.

  43. Irina Cezar 2 de outubro de 2015 at 20:21 - Reply

    Ótimas dicas! Não são para mim que sou ‘poupadora compulsiva’. Mas imagino que a maioria das pessoas precisa destes toques…

    • Leandro Ávila 3 de outubro de 2015 at 2:00 - Reply

      Oi Irina, compartilhe com as pessoas que você conhece e que precisam destas dicas.

  44. Miriam 2 de outubro de 2015 at 20:39 - Reply

    Mais uma vez obrigada por este artigo. Já compartilhei por e-mail e facebook. Você faz um ótimo trabalho e não tenho dúvida que sente satisfação em ajudar, em deixar um legado. Parabéns!!!!

  45. Gabriel Valente 2 de outubro de 2015 at 21:58 - Reply

    Obrigado mais uma vez Leandro! Esse trabalho que vc faz é fantástico. Que Deus continue a lhe abençoar.
    Vamos à pergunta. Na verdade não tem muito a ver com o tema, mas estou perguntando aqui justamente por este ser seu artigo mais recente… a notícia é bem fresca e acredito que vc vá escrever algo sobre. O que vc achou do lançamento do Portal Poupa Brasil? Vou ler mais sobre o tema e me cadastrar. Vi que não vai existir corretagem. poupabrasil.com.br

    Um abraço!!!

    • Leandro Ávila 3 de outubro de 2015 at 2:10 - Reply

      Oi Gabriel. Pelo que entendi deste site é o resultado da união de várias financeiras, algumas e porte pequeno. Provavelmente elas vão compartilhar os custos para essa estrutura que servirá para captar dinheiro de investidores. Vi no site que eles vão oferecer RDB, que funciona como um CDB com a diferença de que você obrigatoriamente precisa esperar o vencimento para ter seu dinheiro de volta. Nas grandes corretoras você encontra CDB com as mesmas taxas que eu encontrei no RDB deles, sendo que são de bancos e não de financeiras. Eu tenho a impressão de que as financeiras são instituições menores e que quebram com mais frequência, principalmente em tempos de crise. Eles sofrem muito com a elevação da taxa de inadimplência dos consumidores.

  46. Marcos 2 de outubro de 2015 at 23:57 - Reply

    Parabéns, Dicas valiosas e os comentários são melhores ainda..
    Sucesso, Deus lhe ilumine sempre

  47. Diego 3 de outubro de 2015 at 7:27 - Reply

    Leandro, parabéns pelo excelente artigo.
    Alguns itens que uso para economizar é deixar o cartão de crédito em casa, usar só o débito para ver o valor da conta bacaria diminuindo, e eu me pago primeiro em todo salário (invisto cerca de 58% do salário no mínimo), quando consigo superar o valor economizado deixo como reserva para utilizar em viagem como recompensa ou para investir. Para poder aumentar o meu poder de investimento estou trabalhando nas horas vagas por hobby, e deste valor só vou tirar o valor do transporte que uso em cada trabalho e uso o restante para investir, podendo assim adiantar a independência financeira.

    Abraço

  48. Roseli 3 de outubro de 2015 at 11:28 - Reply

    Leandro, tenho uma regra de ouro que aplico sempre que vou comprar algo, principalmente o que não tenho muita convicção de que vou precisar futuramente. Calculo o quanto ganho por dia e me pergunto se aquilo que tenho impulso de comprar vale as horas ou dias trabalhados. Já me beneficiei muito com esse método, principalmente para avaliar o que para mim é caro ou não. Obrigada pela matéria, tenho compartilhado com amigos e todos estão gostando muito do seu trabalho!

    • Leandro Ávila 4 de outubro de 2015 at 4:37 - Reply

      Oi Roseli, é uma ótima estratégia. O que é barato para um amigo seu que tem renda muito elevada pode ser muito caro par você que tem uma renda menor.

  49. Eliane 3 de outubro de 2015 at 11:42 - Reply

    Adoro todas os seus artigos, estou na luta pelo meu primeiro carro e sei que com suas dicas estou tentando economizar o máximo para isso .obrigado

  50. gilson 3 de outubro de 2015 at 13:20 - Reply

    Graças a conselhos como os seus minha mente mudou completamente. Agora sinto impulso de comprar produtos financeiros: Ações,tesouro direto,ouro,dolares(quando esta em baixa),CDBs,etc Claro facço compras de coisas necessárias mas o meu prazer e comprar produtos financeiros que façam parte do meu dinheiro crescer!!!!

  51. Leonardo 3 de outubro de 2015 at 23:43 - Reply

    Excelente dica Leandro.
    Gostaria de fazer um comentário entre saúde e dinheiro.
    No trecho onde diz que da mesma forma que podemos fazer uma dieta para emagrecer também podemos fazer uma dieta para gastar menos há um impasse porque não podemos deixar de cuidar da saúde senão toda riqueza que conquistarmos não teria sentido sem saúde.
    Mas ter uma alimentação balanceada hoje em dia esta custando uma nota.
    Precisamos “medir” de forma estudada e consciente o que fazer nesta situação.
    Forte abraço.

    • Leandro Ávila 4 de outubro de 2015 at 4:20 - Reply

      Oi Leonardo, comer de maneira saudável não custa caro. O problema é que as pessoas foram educadas para acreditarem que comer saudável significa trocar produtos industrializados por outros produtos industrializados do tipo light ou diet. Na verdade são produtos ou ainda mais aditivos. As pessoas estão perdendo o hábito de comer aquilo que os mais antigos comiam que era arroz, feijão, legumes, verduras e um pedaço de alguma carne. As pessoas trocam esse tipo de refeição saudável por sanduíche de maionese light, com pão sem glúten, com queijo sem lactose, manteiga sem leite, presunto de soja e outras barbaridades industrializadas, como se isso fosse comer da maneira natural. Comer de maneira saudável não custa caro se você optar por produtos que passaram pelo mínimo processamento possível da indústria.

      • Leninha Cabral 4 de outubro de 2015 at 22:52 - Reply

        E como, Leandro! A dieta da nutricionista incluía coisas light, diet e etc. Meu café da manhã, por exemplo, era requeijão light, pão integral, peito de peru e iogurte grego, tudo industrializado e caro. Gastava por volta de R$ 500,00 com alimentação todo mês só no supermercado, fora o restaurante. Eu fiquei doente depois da dieta e fui procurar referências na internet. Me achei na dieta paleo e venho comendo apenas comida de verdade. As coisas mais industrializadas que eu como são azeite extra virgem e sal refinado. Como moro sozinha, gasto R$ 100,00 por mês com alface, couve, brócolis, abobrinha, berinjela, limão, cebola, cenoura, mandioca, tomate e pepino. Às vezes compro alguma banana, abacaxi ou laranja, mas não passa de R$ 20,00 por mês. Com carne e ovos eu gasto R$ 120,00. Com leite, azeite, algum queijo (às vezes), temperos secos (pimenta calabresa, orégano, alecrim…) sal e produtos de limpeza, R$ 60,00. O total é R$ 300,00 e não gasto mais no restaurante, faço marmita. E estou muito mais saudável que já estive na vida toda.

        • Leandro Ávila 5 de outubro de 2015 at 9:55 - Reply

          Oi Leninha. Meus avós morreram com quase 100 anos de idade comendo comida de verdade. Fritavam e temperavam tudo com banha de porco a manteiga de garrafa. Produziam o próprio iogurte natural (coalhada), tomavam leite sem passar por qualquer processamento, comiam queijo artesanal, comiam frutas e outros vegetais de produtores da região. Criavam as galinhas que produziam os ovos que consumiam. Não existia nada light e muito menos diet, tudo era naturalmente gorduroso e muito temperado. Parabéns por perceber que o importante é fugir dos alimentos industrializados.

  52. Márcia Martins 4 de outubro de 2015 at 13:55 - Reply

    Boa tarde Leandro. Parabéns por mais este excelente artigo. Sempre leio o que você escreve e já me ajudou bastante pois foi através de um conselho seu que tirei o dinheiro que tinha há mais de 10 anos em uma previdência privada ( mesmo pagando uma fortuna de impostos e sei lá o que mais) e o coloquei no tesouro direto. Me deu uma sensação de liberdade, de que eu é que devo decidir o que fazer com o meu dinheiro. Atualmente também invisto em CDB e LCA. Tenho muita vontade de investir em renda variável mas acho que ainda tenho que estudar muito para ter coragem de entrar. O que eu queria te perguntar no entanto é sobre o oposto de tudo isso, ou seja, dívidas. Tento ajudar as pessoas próximas no que me é possível dando dicas ( e indicando quem sabe mais que eu) como poupar. O problema é que algumas destas pessoas devem uma quantia exorbitante ( eu diria impagável com o salário que recebem). Como ajudar alguém assim? Existem pessoas/sites/cursos que ajudem uma pessoa que deve quantias absurdas a se organizar financeiramente e conseguir pagar suas dívidas mesmo que seja em um tempo longo? Eu sei que existe o distúrbio psicológico/psiquiátrico que as acompanha pois geralmente são compradoras compulsivas mas se a pessoa tenta tratar esse lado como ” tratar” o outro lado ( o de pagar o que deve?).

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 5:18 - Reply

      Oi Márcia. Se a pessoa compra compulsivamente o ideal seria deixar ela ficar com o nome sujo. Isso vai impedir que ela continue fazendo mais dívidas. Ela deixaria de ser vítima os distúrbios e da ignorância financeira. Não conseguiria novos empréstimos, novos cartões de crédito e novos financiamentos. Depois seria interessante tratar esse distúrbio. O problema é que dificilmente a pessoa assume que sofre de alguma compulsividade. Assumir que tem um problema seria um passo muito importante. Depois a pessoa precisa colocar no papel quem são seus credores e qual é a dívida atualmente. Depois precisa fazer um orçamento familiar pra conseguir poupar uma quantidade de dinheiro por mês para pagar a dívida. Sabendo quanto ela pode pagar por mês, ou seja, qual será a sobra mensal, ela entra em contato com os credores e abre o jogo sobre quanto pode pagar. E ai negocia o pagamento. Ela começa pagando aqueles que oferecem as melhores condições para eliminar a dívida. Se a pessoa possui bens supérfluos como um segundo ou um terceiro carro, terreno, casa de praia, e coisas do tipo, deve avaliar a possibilidade de vender para eliminar as dívidas. Normalmente perder alguma coisa é uma boa forma de pensar duas vezes no futuro quando ficar tentado a mergulhar em dívidas novamente.

  53. Alvaro 4 de outubro de 2015 at 14:24 - Reply

    Oi Leandro,
    amigo, que bela Matéria ! Leio sempre seus Posts há muito tempo e faço
    recomendações para muitas pessoas. Neste aqui, vi tantas recomendações
    ÓTIMAS que deveriam fazer parte dos Currículos Escolares desde o Ensino
    Fundamental em diante. Me vejo na sua pele, escrevendo aqui o que penso e
    o que falo em casa e para alguns colegas do dia-a-dia. Aqui tem duas crianças
    de 11 e 13 anos, e falo constantemente sobre evitar desperdício, sobre comprar
    coisas que não trazem bons resultados etc. Há muito tempo eu pratico algo
    semelhante ao que você indica na matéria : ao receber a sugestão ou mesmo
    ao pensar em adquirir algum bem, penso e repenso na utilidade e muitas vezes
    abandono a idéia de compra e bingo….era uma inutilidade.
    Em casa, eu e patroa, ensinamos aos meninos não desperdiçar . No inicio,
    eu mostrava pra eles que aquela comida que eles deixavam nos pratos era
    desperdício e que milhares ou milhões de meninos espalhados pelo mundo
    gostariam de ter aquelas sobras para dar alivio à fome. Algumas vezes eu
    lhes mostrei crianças catando lixo nos containers nas ruas e pregava-lhes
    lição de evitar desperdicio. Em casa eu sempre mostrei-lhes situações em
    que eles deveriam evitar desperdício.Por exemplo : sair de um ambiente, de
    um quarto, da cozinha, e deixar a luz acesa. Para sensibilizar-lhes, eu lhes
    mostrava que ao deixar a lâmpada acesa sem ninguém no local, é como se
    eu colocasse a mão no bolso e retirasse umas notas de R$ 10,00 e as
    rasgassem e colocasse os pedacinhos no lixo, e assim, eu deixaria de
    comprar alguma coisa que lhes fossem úteis. Como as crianças nem sempre
    se tocam, outras vezes, quando eu via este desperdicio, eu chegava e lhes
    falava assim : as poltronas da sala estão lendo as revistas que estão na mesa
    de centro. Quando era uma TV ligada sem ninguém na sala, eu falava assim :
    o sofá está assistindo TV na Sala ! Hoje, isso quase não mais acontece.
    Ou seja, precisamos aprender e passar adiante a idéia de que devemos
    evitar desperdício e investir para ter um futuro melhor, etc.
    Devemos poupar sempre e procurar investir sempre, para ter uma ‘gordinha’
    a queimar em um futuro incerto ! Às vezes podemos achar que já está muito
    tarde para começarmos a praticar boas maneiras de poupar, de praticar
    atividades físicas, ou mesmo de começar a a se alimentar sem exageros,
    mas a verdade é que qualquer época em que se começa a praticar boas
    maneiras, ter bons hábitos alimentares, de praticar exercicios fisicos
    regulares, qualquer época nos lhes trazem BONS RESULTADOS na
    nossa Saúde, na nossa educação e na VIDA toda daqui para frente.
    Precisamos entender que nosso cérebro necessita ser ‘domado’ para
    seguir regras que trazem o bem para o corpo como o todo. Hoje a
    minha rotina é basicamente esta : pelo manhã, espremo um limão em
    água morna em um copo de limão e tomo. Tomo durante o dia, 3 cápsulas
    de Magnésio Dimalato de 240mg antes das refeições ( da Farmacotécnica );
    Faço uso de Uma Colher de Pólen de Abelhas, toda manhã. Costumo me
    expor ao Sol por 20 minutos entre 12:00hs e 15:00h, para ajudar na
    sintetização da Vitamina D3. Costumo correr 5 vezes por semana por 30 min.
    Quando deixo fazer isso, meu cérebro me lembra que deixei de fazer
    algumas destas atividades no dia. Ou seja : nosso cérebro gosta de
    rotinas, e se você tem o costume de fazer atividades , tem um despertador
    para isso. Fique Ligado ”
    Então é isso ! Faça e pratique o que é certo e o que é bom, que o resultado
    só pode ser o BEM MAIOR PARA VOCÊ E SUA FAMÍLIA !

    Abrs,

    Alvaro

  54. Leonardo 5 de outubro de 2015 at 14:25 - Reply

    Acho muito legal ver que o que já faço na prática também é recomendado na teoria. Pensar antes de consumir ajuda mesmo a salvar muito dinheiro. Essa reafirmação ajuda a manter o foco ainda mais. Ótimas dicas. Estou compartilhando.

  55. William 7 de outubro de 2015 at 19:04 - Reply

    Leandro, gostei muito disso:

    “O prazer das compras é uma solução de curto prazo para um problema de longo prazo. Poupar e investir o seu dinheiro é uma solução de longo prazo para resolver um problema de longo prazo – Clube dos Poupadores… ”

    Vc me autoriza usar em inhas apresentações e palestras?

    Forte abraço,

    William Nacif Jr

    • Leandro Ávila 8 de outubro de 2015 at 6:48 - Reply

      Olá William, fique à vontade. O conhecimento serve para isso mesmo. Um abraço!

  56. ANA DE MARCO 27 de outubro de 2015 at 13:58 - Reply

    Boa tarde Leandro!
    Ótimas dicas, concerteza irei usar esses exemplos, meu grande sonho é ter independência financeira, com essas dicas acaba incentivando a poupar consciente!

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo