Como Conquistar a Independência Financeira Agora

“Você sabe que conquistou sua independência financeira quando não depende mais da venda do seu tempo para viver o padrão de vida que você escolheu”

A maioria das pessoas dependentes financeiras. O dependente é aquele que todos os dias precisa vender o próprio tempo para alguma empresa em troca de um salário no final do mês.

Vender o próprio tempo significa vender um pouco da sua liberdade. O seu patrão, agora dono de parte do seu tempo, tem o direito de dar ordens e você como empregado tem o dever de cumpri-las. Você é pago para atingir as metas da empresa. Os seus interesses pessoais, suas metas pessoais ficam em segundo plano. Durante as 8 horas comerciais dos dias úteis, suas vontades se anulam, seus desejos não existem e todos os seus esforços são direcionados para satisfazer as exigências do seu patrão. Isto se chama dependência financeira. Você só se submete a esta situação por depender da venda do seu tempo para sobreviver. Toda relação de dependência é um atentado contra a sua liberdade.

Para não tornar esta relação tão dura, as empresas desenvolvem todo tipo de estratégia para que você mergulhe em uma realidade paralela dentro das organizações. Eles fazem você acreditar que existe uma pirâmide formada por diversos andares de reconhecimento, prestígio e poder. E sua razão de viver se resume a subir estes degraus dentro da empresa.

Sem se dar conta, seu instinto competitivo é evocado e você luta pela empresa, como se estivesse lutando por sua própria vida. Eles dizem que você faz parte de um time, eles querem que você vista a camisa e trabalhe em equipe, você acredita que faz parte de uma família corporativa e participa do joguinho interno intensamente. Para não ser demitido, muitas vezes você será obrigado a assumir valores e ações das quais você não concorda.

No fundo tudo isso se resume na compra do seu tempo e da sua liberdade. Você é remunerado para deixar de fazer aquilo que é do seu interesse e passar a fazer aquilo que é do interesse de quem paga seu salário. E isto é a dependência financeira.

Quanto tempo você já vendeu na sua vida? E deste tempo vendido, quanto você conseguiu guardar para que no futuro você se torne independente financeiramente? Quanto custa sua carta de alforria? Quanto você precisa por mês para se tornar livre? Quanto patrimônio você precisa acumular para que este patrimônio gere renda suficiente para que você se liberte?

Eu acredito que a sua independência financeira depende de três fatores e todos eles estão sob seu controle e são da sua responsabilidade:

  1. Quanto vale o seu tempo?
  2. Quanto custa o padrão de vida que você escolheu?
  3. Qual sua capacidade de poupar e investir para gerar renda passiva?

Quanto tempo você tem?

[counters_circle]
5 h
[/fusion_counters_circle]

Ao terminar a carga horária de 8 horas de trabalho gastando 1 hora de almoço e 2 horas para ir e voltar do trabalho, restam 13 horas livres. Destas 13 horas você passa umas 8 horas dormindo, escovando os dentes e tomando banho. Se você não levou nenhum trabalho para fazer em casa, sobram 5 horas para você viver a sua própria vida. E nem sempre é possível aproveitar estas 5 horas para fazer algo que realmente é do seu interesse pessoal, afinal de contas alguém precisa preparar o jantar, lavar a louça, ajudar as crianças na tarefa da escola, pagar as contas e por ai vai. 

Nosso tempo é limitado. Todos os seres vivos que habitam a Terra só possuem 24 horas por dia de tempo. O que diferencia uma pessoa da outra é o que elas fazem com as horas que possuem. E as únicas coisas que você pode fazer com seu tempo é usa-lo fazendo algo do seu interesse ou do interesse dos outros, sendo ou não remunerado por isto.

Se você vende seu tempo, por quanto está vendendo? O que você sabe fazer de valioso em cada 1 hora trabalhada? Quanto maior a riqueza percebida que você for capaz de produzir, maior será o salário que as empresas estarão dispostas a pagar em troca do seu tempo.

Quanto vale o seu tempo?

Para aprender a gerar o máximo de valor por hora trabalhada você precisa estudar muito. Quem não precisa estudar muito para exercer a profissão que escolheu, provavelmente precisa treinar muito para se tornar mais hábil que os outros.

Somando o ensino fundamental (9 anos) + ensino médio (3 anos) + faculdade (4 anos) = 16 anos de estudo.

No Brasil a média é de 7,2 anos de estudo. Na América do Sul somos o povo que menos estuda. Perdemos para países como Colômbia, Venezuela e Paraguai.  Uma pesquisa do IBOPE Media mostrou que o brasileiro gasta 5h45 minutos por dia assistindo televisão (fonte). O brasileiro assiste mais televisão durante a vida do que estuda, são 2.098 horas na frente da tv por ano que é igual a 87 dias ininterrupto. O resultado é que somente 43,7% da população brasileira possui o ensino médio completo ou nível superior.

Resultados do pouco estudo:

  1. Quanto menos você estudar menor será o valor do seu trabalho;
  2. Menor será a sua renda;
  3. Maior será a sua dependência financeira do trabalho assalariado;
  4. Menor será sua capacidade de poupança e investimento;
  5. Menores serão suas chances de conquistar a independência financeira.

Para cada ano de estudo há, em média, um aumento de 15% na sua renda. Segundo uma pesquisa da FGV, os brasileiros ainda não perceberam claramente a importância da educação. A diferença salarial entre quem estudou por 14 anos para quem estudou por 18 anos é de 35,65% de ganhos a mais por ano de estudo. Segundo o pesquisador da FGV o jovem não vê a educação como um bom investimento. (fonte)

O primeiro e mais importante investimento que você pode fazer na sua vida é na sua educação. Só aprendendo você será capaz de gerar o máximo valor possível por cada 1 hora trabalhada. Aumentar o preço do seu tempo só depende de você.

As vezes recebo e-mails de jovens me perguntando onde deveriam investir o pouco que conseguem poupar: R$ 100,00 ou R$ 200,00 por mês. Eu recomendo que invistam este dinheiro na própria educação, fazendo um planejamento para que nos próximos anos estes R$ 100,00 para investimento se transformem em R$ 1.000,00 mensais ou mais. Aproveitar o tempo gasto na frente da televisão para estudar é uma boa opção.

Quando falo em investir em educação, não é apenas na educação formal, existem muitos livros, cursos, sites na internet e palestras que podem abrir a sua mente para outras realidades. É uma questão dedicar mais do seu tempo livro para coisas importantes. Além da educação técnica, devemos investir na nossa educação ética, moral e emocional. Devemos nos preocupar em desenvolver qualidades pessoais como a honestidade, disciplina, paciência, empatia, generosidade, criatividade, humildade, autoconfiança, coragem, desapego, serenidade, etc. Os povos orientais se preocupam muito com este tipo de educação, nós ocidentais deixamos isto para o segundo plano.

As coisas mais valiosas que você vai aprender na vida não estão na educação formal, estão nos livros e na observação da realidade. Não existe nada mais barato e ao mesmo tempo mais valioso que um bom livro. Poucas pessoas percebem que os autores precisam viver uma vida inteira de experiências e aquisições de conhecimentos para deixar tudo organizado e acessível em um livro que custa algumas dezenas de reais.

Feliz é aquele que consegue perceber esta diferença brutal entre o valor do conhecimento e o seu preço. É ai que mora a maior fonte de riqueza da atualidade. Conhecimento produz vários tipos de riqueza, onde a riqueza financeira é apenas uma delas. Desligue a televisão e aproveite!

Aumentando sua renda rapidamente

Para atingir sua independência financeira você precisa acumular patrimônio para investir e produzir renda. E esta renda passiva precisa ser suficiente para bancar o padrão de vida que você escolheu. Para acumular patrimônio você precisa de um emprego muito bem remunerado ou de uma atividade empreendedora que possa te gerar bons lucros. Seu padrão de vida durante o período de formação do patrimônio precisa ser simples para que você possa poupar o máximo possível. Quanto maior for o seu padrão de vida, mais difícil e demorado será o período de acumulo de capital e você terá que trabalhar muito mais para atingir seus objetivos.

Emprego Privado

As empresas privadas estão cada vez mais exigentes com a qualificação dos seus funcionários. Para conseguir empregos bem remunerados você precisa gastar muito tempo e dinheiro se qualificando para poder se destacar da massa de trabalhadores. Salários elevados estão nos cargos de chefia, gerência e diretoria. E para atingir estes cargos você precisa investir em cursos caros e demorados de qualificação, pós-graduação, mestrado e MBA. No setor privado, quanto maior o salário, maior a responsabilidade, as cobranças, estresse e dedicação. Muitas vezes 8 horas por dia são insuficientes e as pessoas acabam trabalhando até em casa.

Emprego Público

Bons estudantes conseguem bons resultados nos concursos públicos. Nenhum órgão público vai exigir que você fale três idiomas, tenha curso de MBA no exterior, e tenha anos de experiência comprovada nas melhores empresas do setor para te pagar um bom salário. Você só precisa dedicar tempo para conseguir tirar uma boa nota no concurso. Todos os anos milhares de vagas são oferecidas nas mais diversas entidades públicas do país. Existem vagas com bons salários para quem só possui o ensino médio e muitas oportunidades para quem possui apenas o curso superior completo em qualquer área. Na maioria dos concursos não existem restrições relacionadas a idade e sexo. Quem já está no setor privado sendo mal remunerado pode se dedicar e tentar uma vaga no setor público. Muitas vezes isto pode significar um aumento drástico na renda familiar. O modelo de serviço público que existe hoje no país é ótimo para quem precisa de um trabalho que ofereça boa remuneração e grande estabilidade. Ao mesmo tempo este sistema é péssimo para o contribuinte (que somos todos nós) que pagamos impostos pesados e recebemos tão pouco em troca.

Empreendedorismo

Outra forma de elevar sua renda é empreendendo. Apesar de ser uma atividade arriscada, trabalhar para você mesmo sempre produz ganhos maiores que o trabalho assalariado. Aquele rapaz que vende churrasquinho na esquina provavelmente tem renda superior a de muitos profissionais formados. Conheço vários casos de pequenos empreendedores que possuem renda invejável, embora não tenha todo prestigio social de alguém que trabalha em uma grande empresa pública ou privada. Algumas áreas de atuação permitem que você concilie sua atividade empreendedora com seu emprego formal. Existe uma diferença muito grande na sua produtividade e na sua satisfação quando você trabalha por conta própria. O salário fixo acomoda, o rendimento variável te estimula. Quando você tem seu próprio negócio, todo esforço e tempo gastos refletem imediatamente no aumento da sua renda.

Escolhendo um padrão de vida

Uma pessoa pode se sentir plenamente satisfeita comprando um suco que custa alguns reais quando está em um restaurante. Outra só encontrará satisfação se beber uma garrafa de vinho importada, de safra especial, que custa centenas de reais. Se estas pessoas fossem colegas de trabalho e tivessem a mesma renda, a que possui hábito mais saudável de beber suco teria mais recursos no final do ano para investir na própria independência financeira futura.

Para a pessoa que gosta de um bom vinho, a vida se tornaria chata se tivesse que renunciar o hábito em troca de independência financeira futura. Normalmente quem busca a sofisticação encontra motivos para se sofisticar em tudo (roupa, viagens, carros, lazer, etc). Isto eleva o custo de vida da pessoa e drena toda riqueza que poderia poupar e investir para um dia conquistar a própria independência financeira.

Quanto mais dinheiro você precisar para manter o padrão de vida que você escolheu, mais você dependerá da venda do seu tempo (trabalhar mais) e por mais tempo você terá que trabalhar durante a vida (trabalhar muito na terceira idade em algo que não gosta).

Quanto maior a renda que você precisa para manter um padrão de vida elevado, maior tende a ser seu nível de estresse e responsabilidades no trabalho, principalmente se você é assalariado no setor privado. O empreendedor pode montar equipes (comprando o tempo dos outros) para delegar (transferir atividades de sua responsabilidade para terceiros), mesmo assim, quanto maior a renda necessária maior tende a ser o desgaste mental e físico de quem empreende.

Quanto mais você coleciona hábitos sofisticados de consumo, mais você se tornará prisioneiro (dependente) dos produtos e serviços sofisticados. O nível de rebuscamento não tem fim, pois os desejos humanos (emoção), quando não controlados (razão), são ilimitados.

Leonardo da Vinci, um dos maiores gênios da humanidade, falava que a “A simplicidade é o último grau de sofisticação”. Outro pensador disse que é necessário um certo grau de sofisticação intelectual para que se aprecie a simplicidade.

“Quando você consegue se sentir feliz e satisfeito mantendo um padrão de vida simples e inferior ao padrão que a sua renda mensal seria capaz de manter, você terá condições de poupar e investir o excedente para que no futuro não precise mais vender o seu tempo a qualquer preço, por qualquer trabalho que não te gere satisfação pessoal – Leandro Ávila”

Quando você é capaz de usar os recursos poupados para que estes te gerem renda passiva (renda que você ganha passivamente, sem realizar nenhum atividade diária) você se torna financeiramente livre e ao mesmo tempo profissionalmente livre para exercer qualquer atividade.

É como se você fosse um escravo recebendo uma carta de alforria. (documento através do qual o proprietário de um escravo rescindia dos seus direitos de propriedade sobre o mesmo).

Responda para você mesmo: Quanto tempo da minha vida eu já vendi para as empresas? Quanto da minha renda retorna para as empresas (compras), bancos (juros) e governo (impostos)? Eu estou guardando parte do meu “tempo vendido”, para que um dia possa me libertar desta vida de dependência?

Hoje as pessoas se escravizam de duas maneiras: Quando você depende de um padrão de vida elevado para se sentir feliz, você está se escravizando. Quando você depende da venda do seu tempo para conseguir o dinheiro necessário para manter um padrão de vida cada vez mais elevado, você está se escravizando.

Um padrão de vida simples exige menos recursos para ser bancado. Ao aliar um padrão de vida simples com um padrão de renda elevado, você consegue poupar mais e investir mais. Em um espaço menor de tempo você pode acumular patrimônio suficiente para gerar uma renda passiva (juros, aluguéis, dividendos, direitos autorais, etc) que possa cobrir suas despesas e te libertar deste sistema.

Para conquistar sua independência financeira você precisa de:

  1. Uma boa renda proveniente da venda do seu tempo (emprego privado, público ou atividade empreendedora);
  2. Um padrão de vida que custe menos do que a sua renda pode pagar;
  3. Conhecimentos para poupar e investir para obter a maior rentabilidade possível.

Meu maior objetivo aqui no Clube dos Poupadores é fazer você refletir sobre este padrão de vida que você tem hoje e sobre o padrão que você pretende ter amanhã.

Isto significa reavaliar seus valores, sua relação com o trabalho, dinheiro, consumo, poupança e investimento. Você precisa se conscientizar sobre como o sistema (empresas, bancos e governos) agem em conjunto para que você passe a vida inteira trabalhando para transferir o máximo de riqueza para eles, sem que você perceba.

E meu outro objetivo é fornecer informações para que você possa colher os frutos do seu trabalho e não transferir todos estes frutos para o sistema. Isto significa poupar, para o seu próprio benefício, parte daquilo que produziu durante a vida, multiplicando estes recursos através dos diversos tipos de investimento, com o objetivo de um dia você consiga atingir sua liberdade, para fazer o que quiser com o seu tempo.

Independência Financeira

O conceito de independência financeira é divulgado por muitos educadores financeiros, mas nem todos destacam a importância de manter um padrão de consumo simples, equilibrado e consciente. E o motivo para que nem todos os educadores ensinem este conceito é evidente. Muitos educadores financeiros  trabalham para bancos, empresas e governos que não estão interessados em nada disso.

Um estilo de vida onde a felicidade está na simplicidade vai contra o “Sistema” que tenta nos convencer, desde o nosso nascimento, que a nossa felicidade depende da sofisticação das coisas que compramos.

  1. Isto vai contra os interesses de quem arrecada impostos sobre o consumo;
  2. Isto vai contra os interesses de quem empresta dinheiro para o consumo imediato e impulsivo;
  3. Isto vai contra os interesses de quem produz produtos cada dia mais descartáveis, que quebram ou saem de moda rapidamente, para que você continue transferindo tudo que ganha para o sistema durante toda sua vida.

Qual sua opinião sobre este tema? Deixe seus comentários no final desta página. Cadastre seu e-mail e aprenda mais sobre educação financeira.

By |02/04/2014|Categories: Enriquecimento|244 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

244 Comments

  1. Cristiano Guedes 2 de abril de 2014 at 13:43 - Reply

    Prezado Leandro Ávila, foi por acaso que conheci seu site e comecei a receber seus e-mails. Gostaria de parabenizá-lo pelos seus excelentes artigos, mas este ficou excepcional. Você conseguiu, de forma objetiva, expor as chagas da dependência financeira que vivemos no dia-a-dia. Quem ler com atenção vai compreender que ter independência financeira é ter disciplina a vida toda para não passar sufoco na velhice. E não somente a disciplina bastará. Tem que estudar muito para saber como investir o dinheiro para que ele lhe retorne em benefícios. Entendi sua mensagem. Vou replicá-la. Obrigado!

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2014 at 14:05 - Reply

      Obrigado Cristiano! Precisamos estudar sempre. O conhecimento nos liberta.

  2. Alisson 2 de abril de 2014 at 13:51 - Reply

    Ótimo artigo .
    Você mostrou com clareza a importancia de ter um estilo de vida simples (sem luxos , ostentações) e a busca pelo conhecimento em prol de aumentar a nossa renda.
    Eu aprecio ler livros de desenvolvimento pessoal (auto-ajuda) , muitas pessoas tem preconceito com este genero de leitura , mas posso afirmar que é uma forma de auto aperfeiçoamento .

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2014 at 14:13 - Reply

      Olá Alisson. As pessoas que tem preconceito contra livros de auto-ajuda, são justamente aquelas que desistiram de si mesmas. São as que mais precisam de ajuda. Quando um livro de auto-ajuda usando linguagem simples te induz a olhar seu próprio interior, normalmente você acaba vendo aquilo que gostaria de esconder. É o seu lado obscuro que você tenta esconder com roupas bonitas, carro novo, maquiagem importada, títulos e signos de status e poder. E ficar de frente para a realidade é chocante e produz sofrimento. E diante disto, ou você tenta mudar ou fecha o livro e passa a militar contra qualquer tentativa de mudança pessoal através da leitura simples e didática. Um abraço!

    • Jeffetson 28 de julho de 2015 at 12:45 - Reply

      Muito bom seu blog Leandro, parabens… queria saber sua opinião sobre essa matéria.LIBERTAR.in | Ministério Libertar | É chegada a hora!: ESTÁ PREVISTO UM COLAPSO ECONÔMICO EM ESCALA GLOBAL PARA OUTUBRO –

      • Leandro Ávila 26 de setembro de 2015 at 20:01 - Reply

        Oi Jeffetson. Acho que você não deveria ler artigos de um site especializado em publicar conteúdo sobre o fim do mundo. Leia mais sobre empreendedorismo, leia sobre pessoas que estão melhorando o mundo com seus empreendimentos. Inspire-se

  3. Lucas Lira 2 de abril de 2014 at 14:24 - Reply

    Olá, boa tarde! Excelente artigo mais uma vez, estou acompanhando a Tríade do Dinheiro também e não vejo a hora de começar meus investimentos, mesmo sendo pouco, vou persistir e sei que vou conseguir! Seu artigo prova que nem só nas salas de faculdades está o conhecimento… Abraço!

  4. Carlos 2 de abril de 2014 at 15:43 - Reply

    Leandro, te agradeço mais uma vez por compartilhar seu conhecimento e experiência. Conheci o site a pouco tempo e a qualidade dessas postagens gratuitas me impressiona. São conteúdos pelos quais eu estaria disposto a pagar… Então, além de conhecimento, você contribui para o aumento da minha poupança…

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2014 at 23:10 - Reply

      Muito obrigado Carlos, fico muito feliz sabendo que estou ajudando. Eu espero poder ajudar cada vez mais pessoas.

  5. Erivan Filho 2 de abril de 2014 at 17:57 - Reply

    Parabéns pelo artigo! Muito obrigado por compartilhar sua sabedoria de forma tão verdadeira, realista! Seus artigos estão me ajudando e inspirando muito em vários aspectos. Já praticava alguns comportamentos há muito tempo e é muito gratificante encontrar pessoas que enxergam o que a maioria ainda não vê… Desejo muita saúde, sabedoria e prosperidade, para que continuem fazendo este singular trabalho! através do seu site, passei a acompanhar o Prof. Elisson, o Seiti Arata, o Rafael Seabara e o Henrique Carvalho. Parabéns à todos!

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2014 at 23:08 - Reply

      Olá Erivan, eu agradeço. Se possível compartilhe o conteúdo com as pessoas que você conhece e que precisam enxergar a realidade. Todos estes educadores que você citou estão na mesma batalha de esclarecimento. O papel do leitor é justamente o mais importante, é o leitor que vai propagar a informação entre os amigos e parentes. Um abraço!

  6. Rodrigo Valim 2 de abril de 2014 at 20:05 - Reply

    Excelente artigo Leandro, está conversando com amigo do trabalho que tem objetivos semelhantes quando comecei a ler o artigo e encaminhei. Parabéns e sucesso.

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2014 at 23:04 - Reply

      Olá Rodrigo. Eu agradeço o compartilhamento do artigo. Obrigado!

  7. Kelly 2 de abril de 2014 at 21:18 - Reply

    Olá, Leandro! Em primeiro lugar, parabéns pelo excelente artigo! Tenho acompanhado o site e enriquecido muito (em todos os sentidos!). Me chamou atenção uma coisa, não só nesse artigo, mas também em outros: se as leituras se pautarem pelos comentários, então os leitores são, em sua maioria, homens. Isso é interessante, pois, como a maioria das mulheres, já tive ímpetos consumistas e “burrice financeira” o bastante para me deixar levar por marcas e outros truques da indústria publicitária. Me formei na área e aproveitei para pegar todos os macetes de como os consumidores são conduzidos a esse fascínio, e isso também serviu para mudar meus hábitos e, de perdulária, passei a poupadora. Fica minha sugestão de tema: finanças e mulheres. Mais uma vez, parabéns, a você e ao pessoal da Tríade do Dinheiro, além do meu sincero Muito obrigada!

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2014 at 23:03 - Reply

      Olá Kelly. Com base nos dados que o Facebook me fornece sobre as pessoas que curtem a página 39% são mulheres e 61% são homens. O público feminino cadastrado no site também é grande. Por algum motivo as mulheres participam menos da área de comentários. Em breve eu pretendo escrever alguns artigos específicos para elas. Pelo que entendi você se formou na área de publicidade. A consciência do que as empresas fazem para influenciar nosso comportamento com certeza te da uma clareza da realidade que poucas pessoas possuem. Quando você faz curso de publicidade, administração de empresas, economia, entre outros, fica muito difícil entrar em um supermercado, em um shopping ou até assistir um comercial de televisão com a mesma ingenuidade das outras pessoas. Eu fico imaginando um engenheiro de alimentos, ele talvez não coma produtos industrializados, pois sabe quais são as barbaridades que as empresas fazem para cortar custos e lucrar mais. O fato é que as empresas e os governos abusam da ignorância das pessoas e lucram com esta ignorância e isto me incomoda profundamente. Um abraço e obrigado!

  8. Fabiano 2 de abril de 2014 at 23:02 - Reply

    Excelente artigo. A educação é o caminho para conseguir diversos benefícios na vida, não somente financeiro, mas também no meio social. É uma pena que poucos brasileiros tem essa visão.

  9. Gilson 3 de abril de 2014 at 7:36 - Reply

    Um texto muito edificante este, e bem construído, parabenizo pela sua capacidade de expor em palavras algo que já vinha percebendo a algum tempo. Sobre como somos escravos deste sistema que cada vez mais inventa novas formas de nos explorar. Um filme que aconselho a ver se tiver tempo (rsrs), e ver com um olhar crítico, é “O Preço do Amanha”, no qual critica nitidamente este disparate que é a venda do nosso tempo.

    • Leandro Ávila 3 de abril de 2014 at 11:39 - Reply

      Olá Gilson, muito obrigado por indicar o filme. Realmente as pessoas não percebem que tudo se resume a um mecanismo de exploração que você pode participar ou não participar. Existe muita bobagem lançada pelo mercado que não possui nenhum valor real, não tem utilidade prática, mas a comunicação da marca nos convence que aquilo é a fonte da nossa felicidade, quando na verdade não é. Um abraço! Estou compartilhando o trailer do filme. Parece muito bom:

  10. Carlos Corrocher 3 de abril de 2014 at 8:15 - Reply

    Excelente matéria. Parabéns!

  11. Rodrigo 3 de abril de 2014 at 8:16 - Reply

    É com grande satisfação que faço parte do clube dos poupadores. Ano passado comecei a ler sobre investimentos, mas vi que não poderia investir sem um capital ou poupança, e o que sobrava do meu salario se esvaia rapidamente. Por um período me desviei do assunto, ate que resolvi pesquisar um como poderia me educar para poupar. Ai que conheci o clube dos poupadores e passei a investir fielmente no conhecimento financeiro. Estou concluindo o curso do prof. Elisson de Andrade que me abriu a reflexões de como eu deveria me preparar para começar a investir. As 5 etapas do planejamento financeiro, que me foi apresentada por você Leandro Ávila esta sendo de grande ajuda para mim. Vejo agora neste texto que acabo de ler, a atenção e o comprometimento com o tema Poupar do nosso clube dos poupadores.
    Agradeço por mais essa oportunidade de aprender um pouco mais da realidade e da importância da educação financeira.
    UM ABRAÇO.
    Rodrigo S.Conrado

    • Leandro Ávila 3 de abril de 2014 at 11:35 - Reply

      Olá Rodrigo. Eu admiro o prof. Elisson de Andrade por ser uma pessoa que dedica o tempo livre para ensinar finanças pessoais para quem mais precisa que é a população. Ele é mestre e doutor em Economia pela USP e poderia se fechar no mundo acadêmico ou no mundo empresarial oferecendo consultoria e assessoria para empresas, bancos, financeiras. As 5 etapas do planejamento financeiro é um ótimo material para quem deseja acordar para uma nova realidade. Obrigado por deixar seu depoimento, com certeza motivará outras pessoas. Quando novas turmas do curso online dele forem abertas irei comunicar para todos aqui.

  12. Wellyngton 3 de abril de 2014 at 9:14 - Reply

    Gostei muito desse artigo. Conto com você para aprender mais, somente depois dos seus artigos é que tomei a decisão de poupar um pouco do que eu ganho, hoje tenho tentado pagar as contas atrasadas para tentar guardar um pouco de dinheiro para o futuro.

    • Leandro Ávila 3 de abril de 2014 at 11:23 - Reply

      Olá Wellyngton, basta colocar na cabeça que você trabalha o mês todo e precisa se pagar primeiro antes de pagar todos os outros. O dinheiro que você poupa é o único que realmente te pertence. O dinheiro que você usa para pagar as contas do mês nunca foi seu, antes mesmo de receber seu salário ele já era da empresa de água, luz, cartão de crédito, supermercado, etc. E antes de sair distribuindo seu salário para todas as empresas, comece a pensar se elas merecem receber toda riqueza que você produziu em um longo mês de trabalho. A medida que você passa a valorizar o tempo que você gastou trabalhando para conseguir aquele dinheiro, você passa a pensar mais antes de gastar. E pensar antes de fazer as coisas faz muita diferença na vida. Pensar é tudo que o sistema não deseja que você faça. Um abraço!

  13. Adriane 3 de abril de 2014 at 16:05 - Reply

    Parabéns pelo excelente texto!!!!

  14. Eliseu 4 de abril de 2014 at 15:20 - Reply

    Excepcional. Por meio de seus ensinamentos, conseguimos trocar as “lentes de nossos óculos” e passamos a enxergar o “território” de uma maneira totalmente diferente. Enxergar coisas que antes não víamos, óbvias e que estavam obscuras com as lentes anteriores. Muito obrigado.

  15. Michael 14 de abril de 2014 at 9:28 - Reply

    Muito obrigado pelo artigo Leandro, eu venho de uma má formação financeira, e hj não consigo investir nada pq não sobra nada, é tudo pra pagar contas atrasadas, munidas de juros que não param nunca. Mas creio que isso pode mudar e tenho dedicado um pouco mais do meu tempo para estudar a respeito de educação financeira (algo que me teria posto em uma situação muito mais favorável a que vivo hj). Logo no início do seu artigo, “Você sabe que conquistou sua independência financeira quando não depende mais da venda do seu tempo para viver o padrão de vida que você escolheu”, caracas, me fez pensar muito, e nunca tinha esta visão, e faz todo o sentido, hj vendo meu tempo, para tentar um padrão de vida melhora para mim e minha família. Estarei acompanhando seu blog, pois a demonstração de interesse real pelas pessoas (respondeu a todos os comentários, parabéns) é algo muito legal e nobre, e eu espero aprender muito e compartilhar com meus familiares. Obrigado e tudo de bom pra vc e sua família. PS: A calculadora q vc citou em um comentário (http://www.clubedospoupadores.com/simulador-de-juros-compostos) não está funcionando, testei no Chrome, IE e Firefox)

    • Leandro Ávila 14 de abril de 2014 at 11:04 - Reply

      Olá Michael, você está no caminho certo. Despertar para o problema já é um grande passo. O simulador já está funcionando normalmente. Com o aumento no número do visitantes tivemos que ampliar a capacidade do servidor e estamos reconfigurando os simuladores. Um abraço e obrigado!

  16. Sérgio Tavares 29 de abril de 2014 at 23:03 - Reply

    FANTÁSTICO!!!
    São pessoas como você que marcam a passagem pelo planeta. Um artigo desses pode mudar a vida de milhões de pessoas. Isso é que eu chamo de usar a internet de forma inteligente. Educação financeira é como a educação para o trânsito: não existe nas escolas tradicionais. Por essa razão milhares de vidas se perdem nesse trânsito assassino por motivos banais. Analogamente as pessoas, por não terem educação financeira vivem estressadas e em eterno endividamento. Para o trânsito já me eduquei. Na área financeira ainda estou nos primeiros passos graças a você e mais outros grandes educadores que também tive o privilégio de conhecer virtualmente.Serei ETERNAMENTE GRATO.
    Um grande abraço.

    • Leandro Ávila 29 de abril de 2014 at 23:26 - Reply

      Obrigado Sérgio, fico muito agradecido por suas palavras gentis. Neste momento existem muitas pessoas fazendo um verdadeiro trabalho de ativismo pela educação financeira das pessoas. Não é possível melhorar as condições de vida da sociedade se ela vê o dinheiro de maneira patológica. Eu acredito que não adianta só aumentar a renda, distribuir renda, oferecer emprego e crédito fácil quando as pessoas não entendem o funcionamento do dinheiro. Nos últimos anos, o brasileiro poderia ter aproveitado o bom momento da economia para construir patrimônio (riqueza) em busca de estabilidade e tranquilidade. O efeito foi contrário, a maioria só conseguiu construir dívidas comprometendo a renda futura. E o futuro já está batendo na porta, a situação da economia não é das melhores. Eu torço para que esta falta de preparo e educação financeira não provoque consequências muito negativas nos próximos anos. E tenho feito um trabalho de formiguinha para ajudar as pessoas com esclarecimentos. Obrigado mais uma vez.

  17. joel santos 22 de maio de 2014 at 16:59 - Reply

    Olá Leandro, parabéns pelo artigo profundo em conhecimento! você é um Homem sábio e de coragem! (algo muito escasso hoje em dia). Continue com esse trabalho fantástico! tenha certeza que você está influenciando e muito, para o bem na vida de milhares de pessoas! um forte abraço!

  18. Thales Martins 24 de maio de 2014 at 22:32 - Reply

    Mais uma vez genial! Parabéns e muito obrigado!

  19. Nadia 11 de junho de 2014 at 15:17 - Reply

    Muito bom o texto!
    Acompanho vários sites sobre educação financeira e tenho gostado bastante da forma simples, clara e eficiente com que você aborda todos os temas.

  20. Mário Jorge 18 de junho de 2014 at 22:38 - Reply

    Boa noite prezado Leandro,a maneira simples ,clara e direta dos seus textos foi que me abriu os olhos para um processo continuo de educação financeira.Posso afirmar que isso está transformando minha vida, liquidei dívidas e hoje estou fazendo economia,poupando e investindo.Pena que muitas pessoas ,inclusive familiares,acham que educação financeira é coisa de avarento afinal “vamos morrer de qualquer jeito então é melhor aproveitar a vida logo”.Abraços e obrigado.

    • Leandro Ávila 18 de junho de 2014 at 23:25 - Reply

      Olá Mário. Muito obrigado por compartilhar este depoimento. Com certeza vai inspirar outras pessoas. Existe uma diferença muito grande entre o avarento e aquele que administra seus recursos financeiros para que possa consumir de forma inteligência. O que pensa em aproveitar ao máximo por acreditar que vai morrer de qualquer jeito, precisa torcer para morrer logo. Se viver muito terá um enorme problema e muito sofrimento pela frente por não ter planejado o futuro. Um abraço e parabéns.

  21. Katia Paludo 18 de julho de 2014 at 23:50 - Reply

    Levo uma vida sem exageros, o que me permite guardar 25% do que eu ganho todo mês. Ler o seu artigo trouxe conforto em saber que estou no caminho certo em não ceder a pressão social que como vc disse muito bem no artigo exige muito. Texto excepcional,

  22. Marta 31 de julho de 2014 at 18:19 - Reply

    Venho acompanhando o site a alguns meses. E hoje fique impressionada com seu artigo. Conteúdo admirável! Tenho me organizado para alcançar a independência financeira o mais breve possível. Reavalie meus hábitos e padrões. Simplicidade transformou-se, para mim, em qualidade de vida, pois não preciso vender tanto o meu tempo para adquirir artigos supérfluos. Agradeço o conhecimento compartilhado. Receba minha admiração!

    • Leandro Ávila 31 de julho de 2014 at 19:06 - Reply

      Oi Marta, ficou feliz com suas palavras e isto me estimula a continuar. Obrigado!

  23. Jucélia Borba 4 de agosto de 2014 at 11:30 - Reply

    caro Leandro,

    Seu site tem me aberto muito a mente, para ver o quão errado tenho levado minha vida financeira.
    Estou num momento péssimo por má administração do dinheiro tentando sair das dívidas e juros de qualquer maneira. Esse artigo veio no momento certo, pois tenho pensado seriamente em ganhar mais, investido em estudos e línguas mas ainda não consegui meu objetivo. Tenho ideia de montar um negócio próprio e até já tenho local um ótimo ponto, e tenho pensado muito a respeito. Ás vezes em uma empresa a gente se sente mais seguro financeiramente, mas para conseguir ganhar mais depende de muitos fatores e anos até conquistar espaço e ter realmente uma boa oportunidade. Percebo que posso mais pelo espírito dinâmico, tenho pesquisado mas ainda fica um certo medo sabe de sair de uma Multinacional para assumir meu próprios riscos. Mas tudo e todos me dizem que tem tudo pra dar certo e estou disposta a tentar.Obrigado por me ajudar a amadurecer financeiramente. Vc é realmente excepcional, te admiro desde a primeira vez que encontrei seu site. Parabéns!!

    • Leandro Ávila 4 de agosto de 2014 at 17:10 - Reply

      Olá Jucélia. Eu já vi muitos casos de pessoas que tinham bons empregos, ganhavam bem, mas não tinham controle sobre a própria vida financeira. Gastavam tudo que ganhavam e ainda cultivavam dívidas. Diante da oportunidade de abrir um negócio, com objetivo de ganhar mais e continuar mantendo um padrão de despesas elevado, estas pessoas largam o emprego e iniciam o negócio. O problema é que o descontrole financeiro da vida pessoal acaba se manifestando na empresa que acaba de ser aberta. Muitas vezes se endividam para abrir a empresa no lugar de utilizar recursos próprios (poupados previamente). O resultado é o pior possível. O que já estava ruim, fica pior ainda. Frustradas com a experiência negativa de empreender, estas pessoas voltam a procurar emprego, mais quebradas do que nunca. A primeira coisa que você deve fazer é investir na sua educação financeira para controlar suas finanças pessoais. Existem livros nas livrarias, existem cursos online, livros digitais, existe muitas fontes de informação. Somente depois de ter o controle total das suas finanças, depois que você parar de pagar juros e começar a poupar e investir para ganhar juros, é que você deve começar a se educar para abrir o seu próprio negócio.

  24. Vinícius 6 de agosto de 2014 at 13:04 - Reply

    Meus parabéns, como sempre um excelente artigo. Venho a pouco tempo acompanhando o site e agradeço pela iniciativa de informar a todos a importância de uma educação financeira. Gostaria de um artigo que pudesse orientar os pequenos poupadores em que investir. Como investir com poucos recursos. Abraço . Obrigado.

    • Leandro Ávila 6 de agosto de 2014 at 19:25 - Reply

      Olá Vinícius. É uma boa ideia o artigo para quem só pode investir poucos recursos. Obrigado pela sugestão!

  25. Rafael Santana 12 de agosto de 2014 at 23:13 - Reply

    Excelente texto Leandro, estou gostando de receber as newsletters e estou dedicando um pouco do meu tempo diariamente para aprender mais sobre investimentos, fluxo de caixa que já faço a algum tempo e tentando evitar os gastos desnecessários.

    Abraços.

    • Leandro Ávila 13 de agosto de 2014 at 20:45 - Reply

      Olá Rafael. Parabéns por dedicar tempo aos estudos. Obrigado por participar deste projeto. Um abraço!

  26. Anna 25 de agosto de 2014 at 18:44 - Reply

    Leandro, você é uma pessoa muito generosa. Obrigada por compartilhar conosco seu conhecimento. Estou aprendendo bastante aqui.

  27. Artemio Trintinaglia 31 de agosto de 2014 at 14:14 - Reply

    Olá Leandro Ávila,
    Gosto muito de ler seus artigos, este em especial, tem uma enorme aplicabilidade na minha vida.
    De banco gosto apenas de sentar. Já estou trabalhando há tempo na minha independência financeira e fico feliz em dizer que se tivesse que parar de trabalhar hoje, teria suficiente para viver por muitos anos e relativamente bem. Parabéns pelos ensinamentos e sua simplicidade em transmiti-los.
    atte.
    Artemio

    • Leandro Ávila 31 de agosto de 2014 at 21:41 - Reply

      Olá Artemio, obrigado por deixar seu depoimento. Parabéns pelo trabalho que desenvolve na busca da sua independência financeira.

  28. Welliton 1 de setembro de 2014 at 10:36 - Reply

    Muito obrigado Leandro, venho lendo todos os artigos que você manda, e tenho aprendido ainda mais, graças a seus artigos abri os olhos para muitas coisas erradas que faço financeiramente mas já estou na busca da mudança. Parabéns pelo site, abraços.

  29. Magno Carlos 21 de setembro de 2014 at 0:43 - Reply

    Caro Leandro! Lendo ao seu artigo, não consigo parar de pensar e comparar os seus ensinamentos ao filme Matrix!!! kkkk É como se eu tivesse tomado aquela pilula, do qual Morfeu dá ao Neo e de repente eu tomasse consciência da Matrix (Bancos; governo e empresas). Despertar da prisão invisível que foi criada para nós! Desculpa o delírio, mas é como eu sinto! kkk Como o conhecimento é algo mágico! A riqueza mais importante de todas! Só te faço um alerta. Cuidado com as sentinelas, porque com a quantidade de pessoas sendo “libertadas”, pode chamar bastante a atenção! kkkkk Desculpa a brincadeira! (PS: Não sei se você assistiu ao filme, mas se não viu, assista que você vai entender tudo que falei!) Um forte abraço e que Deus te abençoe e te dê vida longa, porque você é como um anjo do céu!

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2014 at 9:17 - Reply

      Olá Magno. Você lembra do Matrix pelo fato do filme ser uma critica ao sistema em que vivemos hoje. Não é delírio da sua parte. A maior dificuldade que encontro no trabalho que faço é que já existem tantas pessoas dependentes e acomodadas com o sistema que muitas lutam para protegê-lo. Como essa frase aqui do filme:

      • Magno Carlos 21 de setembro de 2014 at 13:52 - Reply

        Exatamente Leandro! Não lembrei dessa fala! Há quem diga que a ignorância seria uma benção! Seria tipo: “Me engana que eu gosto”… As vezes ver a verdade dói! Acredito que as drogas lícitas e não lícitas, fazem alguns anestesiarem essas dores, mesmo que por alguns instantes! Muito obrigado mais uma vez e saiba que sou seu fã e leio todos os seus artigos. Estão mudando minha vida! Um abraço.

        • Leandro Ávila 21 de setembro de 2014 at 15:36 - Reply

          Obrigado Magno, fico feliz ao saber que estou ajudando de alguma forma. Um abraço!

  30. Marcelo 26 de setembro de 2014 at 18:42 - Reply

    Boa Noite, Leandro

    Um excelente post. Durante 7 anos fui escravo do “sistema”. Trabalhava com o que não gostava para comprar coisas que julgava necessária e assim me sentir feliz. No começo deste ano despertei e luto para mudar um pouco isso tudo que colocaram em minha cabeça que fosse o “correto” para lutar por aquilo que acredito. Infelizmente, ainda dependo muito do trabalho da qual não gosto, mas o dinheiro que entra, estou guardando para um dia me realizar pessoalmente e profissionalmente investindo em minha própria educação.

    Parabéns pela iniciativa do site

    • Leandro Ávila 26 de setembro de 2014 at 20:30 - Reply

      Oi Marcelo, muito obrigado por deixar seu depoimento. Parabéns!

  31. Tiago Lima 2 de outubro de 2014 at 13:01 - Reply

    Parabéns Leandro, leio a todos os seus artigos e este sem dúvida, ficou excepcional, pela clareza das informações, relevância do conteúdo e proposição de soluções, mais uma vez, Parabéns!

  32. Vinicius Soares 10 de outubro de 2014 at 10:33 - Reply

    Olá Leandro!
    Estou começando a acompanhar seu site. Adorei o artigo… Você trouxe coisas que eu pergunto a mim mesmo, sobre o quanto eu tenho de tempo livre! E é praticamente zero… Sempre pensei que a independência financeira seria me emancipar em relação aos meus pais. Que leigo né…

    • Leandro Ávila 10 de outubro de 2014 at 12:14 - Reply

      Oi Vinícius, continue estudando, já existem muitos artigos publicados aqui que podem te ajudar a entender mais sobre como as coisas funcionam.

  33. Felipe Leão de Araújo 12 de outubro de 2014 at 15:09 - Reply

    Professor,

    O que ou quem é o sistema? Ele é inimigo ou aliado? Tornar-me-ei independente nele, dele ou para além dele?

    Fui muito confuso? KKKKKKKKKK

    • Leandro Ávila 13 de outubro de 2014 at 16:09 - Reply

      Oi Felipe, ele pode ser inimigo ou aliado, depende do seu posicionamento, do seu nível de consciência. Buscamos a independência nele (que é parcial), pois fora dele, no mundo urbano e dito civilizado é quase impossível. Quem sabe seja possível em alguma tribo isolada da Amazônia 🙂

  34. marcos 21 de outubro de 2014 at 18:08 - Reply

    Muito Bom artigo. Mais um para nos iluminar em nossa caminhada de aprendizes.
    Ainda estou na fase de total dependencia mas estou tomando consciencia disso. Hoje busco adotar o principio de me pagar primeiro. Mesmo sendo pouco, adoto essa politica para aprimorar disciplina.
    Ha tres meses, comecei a aplicar pensando no “eu” futuro… Tenho 24 anos e esse tipo de visao nao 3 bem assimilada por muitos de meus amigos e familia.
    Muitos ate acham exagero pensar acumular recursos para futuro tao distante (velhice). Hoje so consigo tirar 5% para esee objetivo mas com seu artigo comprendi q mesmo sendo.pouco essa atitude.contribui para minha aos poucos conquistar minha liberdade.

    Obrigado.
    Vou compartilhar, o sistema é forte mas a divulgação desse conhecimento pelo menos conscientiza as pessoas de quão dependentes são e que é possível a libertação (mesmo parcial).

    • Leandro Ávila 22 de outubro de 2014 at 0:34 - Reply

      Olá Marcos, parabéns! As pessoas normalmente só se preocupam com sua estabilidade financeira quando já estão com idade avançada. Normalmente se arrependem. Você hoje é fruto do que fez no passado. O seu futuro é consequência do passado. Hoje, no presente, você pode e deve planejar um futuro melhor.

  35. Elton Dias 24 de outubro de 2014 at 16:05 - Reply

    Leandro, parabéns pela qualidade e conteúdo dos seus artigos! Além de conter alto valor de conhecimento, identifico valores humanos e morais em uma dose coesa, o que permite entusiasmar a buscar fortalecimento e formação de patrimônio sem perda de coerência e ética.
    Seus artigos são me linguagem simples sem perder valor, e ao mesmo tempo informam sobre assuntos complexos. Realmente vale a pena ler.

  36. Reynario 29 de outubro de 2014 at 23:53 - Reply

    Só conseguimos poupa quando temos uma vida mais simples, meus últimos 2 meses foi tirando os excessos: cancelamento da TV por assinatura (praticamente não assistimos e quando queremos ver um filme em especial sempre íamos no Netflix ou baixando na Internet), só com isso comecei a ler 3 a 4x mais do que lia, estou ocupando esse tempo c livros, relatórios financeiros e cursos. Diminuição nos excessos de doce na feira, passamos a comprar mais frutas, além de ser mais saudável ficou mais barato, diminuição na conta do celular. E outras mudanças de hábito em família.
    Agora vamos começar a investir a reserva q tínhamos e vamos economizar muito mais para investir, c uma regra q só vamos investir quando juntarmos 3 meses de poupança para diminuir as taxas, mas vamos acompanhar os investimentos todas as semanas,.

    • Leandro Ávila 30 de outubro de 2014 at 0:16 - Reply

      Oi Reynario, você está no caminho certo. Parabéns e obrigado pelo depoimento.

  37. Wesley 31 de outubro de 2014 at 15:45 - Reply

    Leandro, há algum tempo eu venho lendo os seus artigos, mas nunca havia comentado. A forma como você escreveu foi simplesmente fantástica! Tenho aprendido muito com você e com este conhecimento, estou tendo a oportunidade de começar a ensinar pessoas que convivem comigo. Este sentimento é fantástico!
    Continue com os excelentes artigos!
    Abração

  38. Roberta 11 de novembro de 2014 at 20:18 - Reply

    Olá! Já sou sua fã número 01.
    Hoje eu trabalho 08 por dia e na parte da noite estudo (graduação). Confesso que é extremamente cansativo, tenho “perdido” os melhores anos de minha juventude mas estou mirando lá na frente. Ler este artigo me anima e impulsiona a estudar mais pois poupar já consigo!

    Existe um trecho em que vc fala na preguiça das pessoas… de fato vejo isso não só no trabalho mas também na faculdade.

    Aproveito para dizer que já pude compartilhar com amigos o conhecimento que adquiri através do seu site!

  39. Tiago 12 de novembro de 2014 at 9:16 - Reply

    Excelente artigo, incentivador! Parabéns por ajudar tantas pessoas com seu conhecimento!

  40. Renan Cesar 19 de novembro de 2014 at 22:45 - Reply

    Boa noite a todos.

    Leandro, gostaria de te parabenizar pelo propósito do seu blog, pela sua dedicação e pela qualidade de todos os artigos. É impossível de ler apenas um e por serem todos excelentes fica complicado de comentar em cada um deles, por isso deixo esse meu agradecimento por todos que já li (e não foram poucos) e também gostaria de fazer o apelo para que continue com esse trabalho, sei que deve levar bastante do seu tempo mas você tem noção do bem que está fazendo a minha vida financeira (acredito que não seja só na minha).

    Muito Obrigado e Parabéns!

    • Leandro Ávila 20 de novembro de 2014 at 11:10 - Reply

      Obrigado Renan, fico feliz em poder ajudar. Parabéns por se dedicar na sua educação financeira.

  41. Leandro 24 de novembro de 2014 at 7:35 - Reply

    Leandro, excelente artigo, a muito tempo que falo com as pessoas e tento praticar sobre a independência financeira, talvez não tenha sido tão claro quanto o seu texto porque a maioria parece não entender, acham que é besteira. Como vi em outros comentários também, alguns até defendem “o sistema”. Enfim venho planejando e executando a minha independência financeira desde 2006. É importante salientar que os três fatores devem ser executados ciclicamente e de forma critica de forma a se criar uma evolução, uma melhor “rentabilidade” desses resultados. Consegui ver os resultados desse trabalho nos últimos 4 anos. Consegui evoluir de poupar 30% em 2010 para 50% em 2013 e terminando 2014 com 70% poupados. Estou trabalhando agora em melhorar os rendimentos, foi assim que encontrei o seu site. Hoje já consigo gerar uma renda passiva equivalente a 65% do meu padrão de vida e o que ajuda muito: sem dívidas. Tenho como meta chegar entre os 46 e 47 anos com a minha carta de alforria assinada! hoje tenho 32. Seu texto veio em uma boa hora, pois já estamos naquela parte do ano onde devemos planejar as metas do próximo! Mais uma vez parabéns pelo texto!

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2014 at 13:41 - Reply

      Olá Leandro, parabéns pelos seus resultados. Eu acredito que todos poderiam chegar aos 45 anos com a carta de alforria, sem precisar de enormes sacrifícios se fossem educados para planejar a independência financeira desde a juventude. Muitos só pensam sobre o assunto depois dos 40 ou próximos do 50 quando já não temos tanto gás para trabalhar intensamente, quando já estamos querendo desacelerar nossa vida.

  42. Sandra 24 de novembro de 2014 at 18:42 - Reply

    São coisas simples a se pensar/pôr em prática e que realmente farão diferença.
    Gostei muito do artigo. Aliás tem muitos outros bem interessantes.

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2014 at 20:57 - Reply

      Obrigado Sandra, bem-vinda ao Clube.

      • Sandra 25 de novembro de 2014 at 19:55 - Reply

        Obrigado. Continuarei lendo…

  43. Salvador 24 de novembro de 2014 at 19:50 - Reply

    Leandro,
    Neste momento estou lendo o livro Pai Rico, Pai Pobre e vem bem ao encontro deste artigo. Ainda não terminei, mas estou gostando do jeito que é escrito. Gostaria de saber se vc leu o livro e qual sua opinião sobre ele. Apesar de ser claro, o livro é situado em um ambiente diferente de nossa realidade (cobrança de impostos/maneiras de negócios), mas o capítulo que mais me chamou a atenção é o “Cuide de seus negócios” onde nos mostra que devemos estar sempre acompanhando nossos investimentos. Vou começar a ler agora o capítulo que tem a ver muito com seus ensinamentos “Trabalhe para aprender – não trabalhe pelo dinheiro”. Forte abraço e continue com sua dedicação que é muito importante.

    • Leandro Ávila 24 de novembro de 2014 at 21:52 - Reply

      Olá Salvador. Sim, já li e muito do que ensino é influenciado pelos diversos livros do Robert Kiyosaki. Parabéns pela leitura!

  44. Saulo Teixeira 25 de novembro de 2014 at 12:59 - Reply

    Prezado Leandro mais uma vez parabéns pelo excelente trabalho nesta missão pela conscientização da educação financeira em nosso país, graças a Deus sempre mantive um estilo de vida que custe menos que meus rendimentos e através de estudos e da ajuda como a do Clube dos Poupadores estou me educando quanto à aplicação de recursos excedentes. Todavia meu caro Leandro, é muito desgastante manter um estilo de vida simples e austero com objetivo de conquistar a independência financeira, não por motivos pessoais já que não tenho nenhum problema quanto a isso, faço com prazer e até replico para mais pessoas, mas porque sou duramente e até injustamente criticado por amigos e familiares por me comportar assim, sou taxado de adjetivos característicos de pessoas avarentas e gananciosas quando na realidade sou exatamente o contrário, com hábitos de consumo consciente, moderado e sustentável, fica a dica para um futuro artigo sobre como lidar com a pressão da sociedade ao mudar o comportamento financeiro pois ela existe e chega a ser cruel.

    • Leandro Ávila 25 de novembro de 2014 at 14:45 - Reply

      Oi Saulo, é natural receber pedradas quando começamos a pensar diferente. As pessoas se incomodam quando desenvolvemos valores diferentes. Algumas podem até se afastar de você no momento que percebem que as coisas que elas valorizam não são as mesmas que você valoriza. O avarento é aquele que passa por cima das pessoas pelo dinheiro. É aquele que não se importa em prejudicar os outros ou a si mesmo para economizar dinheiro. Com certeza não é o seu caso. Precisamos aprender a dar menos importância para o que os outros pensam de nós. Eu levo no bom humor, quem faz bullying com meu estilo de vida precisa estar preparado para receber bullying que faço do estilo de vida do ostentador.

  45. Luiz Heleno 8 de dezembro de 2014 at 11:02 - Reply

    Prezado Leandro.

    Obrigado por tanta clareza e sabedoria exposta com muita simplicidade!!!!

  46. Eudes 14 de dezembro de 2014 at 11:32 - Reply

    Leandro, parabéns pelo artigo, show de bola. Tudo é passado aos leitores de forma simples e objetiva. Sou adepto da simplicidade e cada leitura feita aqui me incentiva a procurar mais riqueza educacional, financeira. Já consegui poupar e agora a engatinhar em investimentos. Parabéns ao http://www.clubedospoupadores.com e obrigado por compartilhar com nós seus conhecimentos.
    Grande abraço!

    • Leandro Ávila 15 de dezembro de 2014 at 12:45 - Reply

      Obrigado Eudes, fico feliz por estar colaborando. Um abraço!

  47. Diogo 19 de dezembro de 2014 at 10:56 - Reply

    Sabe Leandro se eu tivesse a oportunidade de ter tido contato com uma pessoa como você pessoalmente ou virtualmente, hoje eu estaria em uma condição financeira muito melhor.
    Mas ainda bem que encontrei seu blog e suas orientações. Ate dia 01/12/14 estava com todo meu dinheiro na poupança. Agora tenho conta aberta em duas corretoras (Easy e XP) e investimentos em aplicações diferentes da poupança.
    A única coisa que acho meio ruim é porque não posso (por questão de segurança, como você mesmo já explicou) deixar todo o dinheiro investido em uma aplicação só (LCI ou LC) por exemplo, correndo juros sobre juros o que faria o investimento render mais. Já que diversificando em vários (LC, LCI, tesouro) parece q retorno é bem menor do que deixar o dinheiro todo em uma coisa só.

    • Leandro Ávila 22 de dezembro de 2014 at 0:24 - Reply

      Olá Diogo. Poder você pode, você só precisa avaliar os riscos. Você pode deixar todo seu dinheiro no investimento que oferece a maior rentabilidade possível, desde que tenha consciência de que isto representa um risco. Quanto maior o risco maior tende a ser a rentabilidade.

  48. Eliezer Melo 26 de dezembro de 2014 at 9:18 - Reply

    Ola Leandro Ávila. Um amigo meu que está se formando como PLANEJADOR FINANCEIRO deu um curso para mim que sou um LÍDER DINASTA (Dinasta é um termo dado a todos os associados da DINASTIA SOLUÇÕES FINANCEIRAS) e como buscamos informações relacionadas ao setor financeiro, este meu amigo me indicou o Clube dos Poupadores e me disse que era o melhor BLOG para se ter Educação Financeira em uma linguagem SIMPLES. Vendo este artigo, posso concordar com este meu amigo EVERSON BERTAZO (meu líder DINASTA) que com certeza este BLOG é TOP.

    Minha obrigação como um líder é passar conhecimento para os meus associados, então vou indicar para TODOS este BLOG aqui (principalmente este artigo).

    Sou apaixonado por EDUCAÇÃO FINANCEIRA, PLANEJAMENTO FINANCEIRO, SEGURANÇA FINANCEIRA, INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA e LIBERDADE FINANCEIRA (tudo relacionado a esses temas).

    É um prazer receber esses conhecimentos deste BLOG…

    Eu já venho pregando Educação Financeira para as pessoas já tem mais de 3 anos, mas as atitudes delas mudam quando elas sacrificam os seus hábitos por um propósito maior.

    Fica na paz e com muita inspiração para que possamos aprender mais… OBRIGADO…

    • Leandro Ávila 27 de dezembro de 2014 at 22:00 - Reply

      Oi Eliezer, muito obrigado. Também quero agradecer seu amigo que recomendou o site. Na verdade são as pessoas que divulgam este projeto que realmente ajudam as outras. Eu produto o conteúdo, mas quem realmente espalha e ajuda quem precisa são os leitores do site. Um abraço!

  49. Clélia Araújo 26 de dezembro de 2014 at 11:01 - Reply

    Parabéns.Excelente artigo.Já me vejo quase totalmente fora do sistema.A simplicidade é a melhor forma de se viver.E quando vem alguma tentação deixo a vontade passar e busco os bons hábitos que a tempos venho cultivando.Obrigada pela gentileza de repartir conhecimentos.Feliz 2015.

    • Leandro Ávila 27 de dezembro de 2014 at 21:55 - Reply

      Oi Clélia, eu que agradeço por acompanhar este trabalho e por deixar seu comentário. Um abraço!

  50. Fernando Alves 1 de janeiro de 2015 at 16:11 - Reply

    Olá, Leandro! Quero lhe desejar um Feliz Ano Novo. Parabéns pelo artigo, um dos melhores que já li até hoje e que me fez pensar muito sobre o meu padrão de vida. De fato é muito difícil mesmo resistir aos impulsos consumistas, principalmente nessa época do ano, em que gastamos com as festas de final de ano. Passei 23 anos vendendo o tempo de minha vida e consumido freneticamente tudo o que eu ganhava. E com essa reflexão, inicio 2015 já revendo o meu padrão de consumo, tentando torná-lo o mais simples possível, para poupar e investir, em busca de minha liberdade financeira, nessa caminhada que iniciei, depois que comecei a acompanhar o seu trabalho. Como diz um proverbio chinês: uma caminhada de 5 mil milhas começa com o primeiro passo. E esse eu já dei. Obrigado de verdade por nos mostrar o caminho. Deus te abençoe para que vc continue realizando esse trabalho com maestria. Obrigado, Leandro!

    • Leandro Ávila 4 de janeiro de 2015 at 11:07 - Reply

      Parabéns Fernando. Obrigado por deixar seu depoimento que certamente irá motivar outros leitores.

  51. wilson 9 de janeiro de 2015 at 0:20 - Reply

    Ola leandro, mais uma vez parabéns, como sempre mto bom. Qria só da uma contribuída qndo no artigo afirma: “Na maioria dos concursos não existem restrições relacionadas a idade e sexo…”. Na verdade nem publico e nem privado pode restringir pois a constituição federal proíbe “XXX – proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil” Art 7ª. mas toda regra tem suas exceções e sejamos realista na pratica é bem diferente..
    Abraço

  52. Diego Silva 11 de janeiro de 2015 at 22:31 - Reply

    Olá Leandro excelente artigo, conheci o site a poucos dias, tem me ajudado bastante, eu sempre fui mais controlado, trabalhei 5 anos numa empresa mesmo não recebendo um salario comercial, na época tinha vontade de montar meu proprio negocio, fui juntando dinheiro através de poupança e titulo de capitalização que no final me ajudou para está montando o negocio, estava entre duas opções uma loja de informática ou uma lan house, no final optei pela lan house, onde poderia acoplar varias coisas juntas, a lan gráfica rápida e vendas de equipamentos de informática, em 2011 pedi conta da empresa, fiz um acordo com o meu patrão para me mandar embora, com o dinheiro da rescisão também ajudou na abertura da empresa, no final também fiz um pequeno plano de negocio para avaliar se daria certo, e com dinheiro em mãos utilizei a metade, comprando a vista e a outra metade parcelei e guardei este dinheiro, para me socorrer durante o ano, abri a lan em março de 2011, até em setembro precisei completar com a metade que poupei depois disto já conseguia tirar tudo da lan, em janeiro de 2012 me cadastrei no MEI Micro Empreendedor individual a partir daí comecei a controlar melhor as finanças da empresa, em 2012 faturei bruto em torno de 25.000,00 em 2013 28.000,00 em 2014 35.000,00 porem no ultimo ano tive mais gastos, a ultima etapa que fiz agora foi abrir uma conta jurídica, par separar de vez a pf que sou eu da pj que é a empresa, no final de 2014 e inicio de 2015 fiz uns investimentos errados acabei por perder em torno de 2800,00, agora para este ano vou ver se consigo poupar 1.000,00 por mês, pra depois fazer uns investimentos mais consciente, devo aplicar no tesouro direto, depois quem sabe com muito estudo me aventuro na renda variável, mas não arriscarei todo meu patrimonio, em torno de 20% na renda variável, adquiri recentemente um ebook que achei ótimo se chama como investir na bolsa com pouco dinheiro, porem através do seu site devo arriscar primeiramente no tesouro direto antes de me aventurar na renda variável, mais uma vez obrigado por compartilhar conhecimento, através de seu site, posteriormente estarei adquirindo seu material, que está disponível no site, onde estarei fazendo um investimento que me dará um ótimo retorno futuramente, e me desculpa pelo longo texto, começo a digitar e não paro mais.

    • Leandro Ávila 12 de janeiro de 2015 at 21:42 - Reply

      Olá Diego, obrigado por compartilhar sua experiência. Te desejo muito sucesso. Um abraço!

  53. William 12 de janeiro de 2015 at 15:43 - Reply

    Parabéns pelo artigo. Devido às muitas dificuldades financeiras que a minha família sempre passou comecei a pesquisar sobre o assunto e descobri em Outubro/2014 os termos ‘educação e liberdade financeira’. Acredito que, como eu, grande parcela da população não conhece esses termos e a importância de poupar, mesmo porque não conhecemos o futuro.
    Agradeço a iniciativa de compartilhar seus conhecimentos e contribuir para o desenvolvimento da população. A cada oportunidade que tenho compartilho o pouco que estou aprendendo sobre o assunto pois sei quanta falta esse tipo de conhecimento fez na vida da minha família e em tantas que já conheci.

    • Leandro Ávila 12 de janeiro de 2015 at 21:17 - Reply

      Obrigado por divulgar este trabalho William. Um grande abraço!

  54. Hélcio 19 de janeiro de 2015 at 16:02 - Reply

    Leandro como sempre seus artigos são uma lição de vida!
    De tudo que foi dito ficou faltando o ponto mais difícil que no meu modo de pensar é saber qual a hora de tomar a decisão e saber se já conseguiu ou não sua independência financeira, uma vez que os ganhos passados não garante os rendimentos futuros.

    Um abraço

    • Leandro Ávila 20 de janeiro de 2015 at 0:52 - Reply

      Oi Hélcio. A hora de tomar a decisão é agora. Você saberá que conquistou sua independência financeira quando a renda produzida pelo seus investimentos for suficiente para manter o padrão de vida que você escolheu. Um abraço.

  55. Jeferson 22 de janeiro de 2015 at 1:15 - Reply

    Você me impressiona a cada artigo, Leandro. Parabéns pelo site!

  56. Claudio 24 de janeiro de 2015 at 17:07 - Reply

    Caro Leandro
    Este artigo impressiona pelo modo como devemos olhar para nós mesmos, e fazer com que cada um possa eleger como quer levar sua vida e os benefícios que deseja alcançar.
    Contudo, não me parece uma tarefa nada fácil, estamos inseridos em um contexto ocidentalizado que nos empurra para o consumismo e para a inveja dos supostos “bem sucedidos”, ou seja, aqueles que contam com um padrão de vida elevado.
    É justamente sobre este aspecto que devemos nos posicionar, refletir e pensar no que efetivamente vale a pena..
    Parabéns por este despertar de nossa consciência financeira.
    Grande abraço

  57. Marcos rodrigues 11 de fevereiro de 2015 at 23:32 - Reply

    Bom artigo leandro, esse artigo qiue você escreveu me fez lembrar da dita ” corrida de ratos” citado no livro pai rico e pai pobre.. Gostaria de saber o seguinte tenho 26 quase 27 anos, comecei a empreender a pouco tempo tenho um emprego formal no qual ganho cerca de R$1,200 por mês. o meu negócio próprio me rende um $$ até consideraval mas o ruim é que acabo pagando um absurdo de impostos e ainda tem a concorrência que tem um poder de compra maior que o meu. Gostaria de saber a seguinte coisa como me tornar abstato até os 30 anos? tenho um estilo de vida bem simples gasto no max 300 por mes com todas as minhas contas fixas. tenho um $$ aplicado no lci, e o meu negocio proprio tem o custo bemm baixo cercade 10 reais por mês que eh uma loja virtual. Estudo pra concursos publicos tb.Eu gostaria de investir em venda de barcos se eu tivesse um$ a mais pois vejo somente pessoas classe A que compram esse tioi de begpicio etc. enim gostaria de saber como me torar abstato até os 30, estou lendo livros sobre mercado de ações tb.Gostaria de algumas dicas sobre bolsas de valores vc escreve agum artigo sobre isso?

    • Leandro Ávila 8 de novembro de 2015 at 2:55 - Reply

      Oi Marcos, eu não sei o que é abstato. Eu creio que você não deva se contentar com 1.200 por mês. Você deve refletir sobre o que precisa fazer para aumentar sua renda. O que precisa aprender para ganhar mais dentro das áreas de trabalho que gosta? O que você não pode fazer é se acomodar com suas despesas de R$ 300 mensais e com a sua renda. O tempo corre, você precisa tomar decisões e investir em você.

  58. Rosiane Cipriano 15 de fevereiro de 2015 at 16:49 - Reply

    Olá Leandro. Primeiramente o parabenizo pelo belíssimo trabalho de conscientização. Inicei a leitura a pouco tempo, cerca de uns 3 meses. E mto já aprendi, iniciando já meus investimentos. O ruim foi perceber o quanto desperdicei, tempo e dinheiro. O bom é que há tempo. O conhecimento é algo extraordinário e muda completamente nossa vida. Passava por um momento difícil na minha vida pessoal e lendo seus artigos percebi que precisava olhar para mim também. Até meus filhos perceberam minha mudança e passo para eles esse conhecimento de planejamento, que já usam para comprar algo que seja necessário, fazendo pequenas economias e deixando de lado o que é supérfluo. Obrigada por compartilhar seus conhecimentos. Vc também poderia utilizá-los objetivando retorno financeiro, mas não o faz, apenas compartilha. Agradeço mais uma vez. Abçs!!!

    • Leandro Ávila 20 de fevereiro de 2015 at 19:30 - Reply

      Obrigado Rosiane, fico feliz ao saber que conseguiu aproveitar os conhecimentos. Parabéns pela dedicação.

  59. Mauro Paiva 19 de fevereiro de 2015 at 22:12 - Reply

    Muito obrigado Leandro por dividir conosco seu cconhecimento e experiências.
    Realmente os seus textos tem sido de grande valia para mim e eu tenho certeza que para muitos outros também.
    Deus continue te abençoando com muita foforça e vontade para que tudo o que vc toque venha a florescer!

    Um grande abraço!

  60. Adriano Morais 24 de fevereiro de 2015 at 9:08 - Reply

    Sou um leitor assiduo dos seus artigos,isso ajuda-me nas minhas decisões e na vida financeira.Muito bom seus artigos,são textos libertadores.
    Adriano Morais.

  61. Maikel 24 de fevereiro de 2015 at 21:06 - Reply

    Parabéns Leandro!
    É com prazer que tenho acompanhado teus artigos, os quais têm me auxiliado e motivado a seguir minhas metas.
    A simplicidade das tuas explicações é admirável. “O simples é belo”.
    Parabéns novamente e continue nos escrevendo.

  62. David 27 de fevereiro de 2015 at 9:46 - Reply

    Leandro, você foi direto ao ponto!
    Estou impressionado com o conteúdo colecionado neste site! Isso aqui é sabedoria financeira (e além) pura decantada e disponibilizada para quem quiser. Vou divulgar.
    Que o Brasil te descubra e que vença ao colocar em prática tantos bons conselhos daqui!
    Que você e sua generosidade continuem eternos e nos influenciando!
    Deus continue te iluminando cada vez mais.
    Um abraço forte de quem está nesse caminho, finalmente!

  63. Gustavo 2 de março de 2015 at 10:38 - Reply

    Muito Obrigado pelas informações e pela vontade de mudar as pessoas,eu tenho muito a lhe agradecer, pois tenho 25 anos,sou estagiário e não consigo pagar por consultorias e dicas para investimentos . E sua iniciativa vem me ajudando muito com diversos esclarecimentos, no texto vc comenta que devemos quando novos investir nos estudos, no meu caso faço faculdade paga pelo fies e consigo guardar 30% da minha renda, invisto no tesouro direto 10% , 10 % para despesas longo prazo e os outros 10% para investimento em conhecimentos financeiro(inclusive pretendo adquirir o carteira rica para melhorar meus investimentos no tesouro). Porém esses dias estava refletindo sobre a amortização do fies que na metade do ano de 2018 vou ter que começar a pagar e estou em dúvida se devo dedicar uma % maior para garantir o pagamento do mesmo?Muito Obrigado

    • Leandro Ávila 2 de março de 2015 at 19:44 - Reply

      Olá Gustavo. Você precisa se esforçar para se desenvolver profissionalmente, para valorizar a sua hora trabalhada e obter recursos suficientes para pagar o FIES. Trabalhe mais do que o seu chefe espera. Mostre resultados, mostre interesse, supere as expectativas da empresa. Vivemos em um ambiente profissional repleto de pessoas acomodadas e de baixa produtividade que esperam receber antes de dar, que perguntam o que recebem em troca antes de fazer. Simplesmente faça sem que te mandem fazer e faça sempre bem feito. Os gestores conseguem reconhecer bons profissionais. Isto vai te ajudar mais do que qualquer investimento para que você consiga pagar o seu FIES com tranquilidade. Invista na sua capacidade de produzir riqueza.

  64. Paulo Daniel 6 de março de 2015 at 15:15 - Reply

    Leandro,

    mais uma vez um excelente artigo, parabéns. Faço uma analogia com meus amigos de forma parecida, onde:

    – Diante do mercado privado ou até mesmo público, estamos igual um passarinho em uma gaiola, nossa liberdade e recursos são limitados.

    – Diante do empreendedorismo, conseguimos melhorar um pouco esta situação, passando para um viveiro, porém ainda presos no sistema e ainda com recursos limitados.

    Agora para uma liberdade financeira, que de forma análoga, e usando a minha própria expressão, que chamo de “rentabilidade sustentável”, vejo que o interessante e corroborando com seu artigo, é usar o sistema para lhe propiciar isto, ou seja, cobrar um “juros” do sistema, pelo tempo que você guardou, fazendo com que o passarinho, antes preso, possa voar para onde quiser.

    Mais uma vez, parabéns!
    Paulo Daniel

  65. Liliana 2 de abril de 2015 at 12:30 - Reply

    Conheci o seu site pesquisando sobre educação financeira, pois quero mudar meu estilo de vida e o de minha família, em busca da independência financeira. Estou com 47 anos, e tudo o que já pesquisei e li sobre o tema, me faz refletir sobre quanto tempo e dinheiro já perdi, por não ter buscado informação antes. Muitas pessoas, como eu, estão perdendo um tempo precioso de suas vidas, sem conhecimento. Obrigada por compartilhar seu conhecimento e experiências e parabéns pelo artigo.

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2015 at 22:43 - Reply

      Obrigado Liliana. Parabéns por procurar informação. Sempre é um bom momento para começar.

  66. Bruno 2 de abril de 2015 at 17:00 - Reply

    Leandro, esse foi o melhor texto que já escreveu! Obrigado por todas as dicas e orientações. Estamos juntos! Um abraço!

  67. Rodrigo Paschoal 5 de abril de 2015 at 20:16 - Reply

    Leandro, este artigo ficou sensacional. Considero este o site de maior valor que frequento. Esse ano tem sido muito importante para a minha vida financeira e em materiais como o seu, consigo me orientar a ir na direção certa.

  68. Douglas 12 de abril de 2015 at 14:41 - Reply

    Leandro Meus Parabéns pelo artigo “Como conquistar a Independencia Financeira Agora”
    O artigo além de ter sido bem escrito esta provido de um conteúdo e uma abordagem muito adequada e realista a respeito desse assunto. Dificilmente alguns de seus leitores já não passaram por alguma das etapas mencionadas no todo do artigo.
    Artigo muito importante para uma boa reflexão para todas as faixas etárias de como realmente devemos conduzir nossa vida
    Um grande abraço
    Douglas

  69. Ricardo 13 de abril de 2015 at 10:37 - Reply

    Parabens, acredito muito nisso tb.

  70. Edson 15 de abril de 2015 at 10:00 - Reply

    Olá Leandro!

    Meus parabéns e muito obrigado por ter disponibilizado este excelente artigo.
    Ele é uma fonte de verdades e conhecimentos para muitos.
    Tenho 28 anos e sou ex-aluno de escola pública e há algum tempo venho acompanhando o seus artigos e, por meio deles, vejo o quanto o sistema (Estado, empresas e bancos) não está mesmo nem um pouco interessado como o nosso desenvolvimento.
    Muito obrigado e continue assim, contribuindo para o nosso desenvolvimento.

  71. Dennis 19 de abril de 2015 at 12:58 - Reply

    Excelente artigo! Era exatamente isso que eu desejava ler!

  72. CELSO FURLAN JOAQUIM 24 de maio de 2015 at 21:41 - Reply

    Leandro, obrigado pelo artigo, realmente você conseguiu mostrar a real situação em que nos encontramos e mostrar que ainda existe uma luz no fundo do túnel….rsrsrs… Obrigado novamente e um abração!!!!!

  73. Washington 8 de junho de 2015 at 6:19 - Reply

    O mercado de hoje nos faz constantemente “gastar o dinheiro que não temos comprando coisas das quais não precisamos para agradar a quem não gosta dagente”, seu texto eh fantastico, Leandro, parabéns. A simplicidade na vida é o segredo para o sucesso financeiro.

    Grande abraço

  74. Helder 10 de junho de 2015 at 14:38 - Reply

    Sencaional!

    Minha vida mudou completamente de 45 dias pra cá e você é um dos responsáveis por isso, obrigado.

    Outra ferramente que tem me ajudado a abrir a mente para essas realidades que você escreveu no texto é o libro ” Pai Rico, Pai Pobre”… Você já leu? Caso a resposta seja positiva, qual sua análise a respeito?

    Não quero fechar minha mente as idéias de apenas um autor, mas confesso que o livro é extremamente influenciador.

    Abraço.

    • Leandro Ávila 10 de junho de 2015 at 15:23 - Reply

      Oi Helder. Muito do que você está lendo, principalmente no início do Pai Rico é a base da educação financeira da maioria dos autores. Se você entender como o dinheiro funciona, já estará na frente da maioria das pessoas, é o que ele chama no livro de “vantagem injusta”. Você só deve tomar cuidado quando ele fala de imóveis. O mercado imobiliário nos EUA é diferente do mercado brasileiro.

  75. Josiel Oliveira 16 de junho de 2015 at 23:27 - Reply

    Leandro, obrigado por compartilhar esses sábios conhecimentos. Acompanho alguns blogs sobre educação financeira, e o seu é o mais completo que conheço. Você realmente tem o interesse de passar conhecimento sem tentar vender algum produto ou indicar alguma instituição. Com isso já me fez comprar dois de seus livros.rsrs. Parabéns pelo trabalho! Grande abraço!

  76. Henrique 19 de junho de 2015 at 3:12 - Reply

    Muito bom artigo. Gosto do seu jeito de tratar o tema educação financeira. Sem preconceitos e sem julgamentos. Você trabalho com os fundamentos e com isso estimula o raciocínio nos estimulando a analisar nossa própria vida. Parabéns.

    • Leandro Ávila 19 de junho de 2015 at 13:12 - Reply

      Obrigado Henrique

      • Henrique 19 de junho de 2015 at 14:26 - Reply

        Leandro, você teria algum livro de fundamentos administrativos e econômicos para indicar? algum livro com linguagem acessível para leigos.
        Obrigado.

        • Leandro Ávila 20 de junho de 2015 at 9:27 - Reply

          Oi Henrique, com linguagem acessível para leigos é sempre um problema.

          • Henrique 22 de junho de 2015 at 1:38

            Rs…. Neste caso qual você indicaria para melhor entendimento dos fundamentos?
            abs.

  77. mateus 25 de junho de 2015 at 22:02 - Reply

    Prezado Leandro Ávila, comecei a ler seus artigos recentemente, a primeira decisão que tomei foi o resgate da minha previdência privada que iniciei a menos de um mês. Após ter lido sua matéria percebi que a poupança e melhor que a previdência privada. Gostaria de saber qual o melhor investimento para iniciantes. Nunca investir antes, e após ler sobre vários investimentos ainda não conseguir encontrar a melhor opção.

    • Leandro Ávila 8 de novembro de 2015 at 2:57 - Reply

      Oi Mateus. O melhor investimento para o iniciante é em educação. Existem cursos, livros, sites na internet. Se você acredita que existe o melhor investimento, isto significa que você estudou pouco. Logo você verá que não existe o melhor investimento, existem inúmeros investimentos com características diferentes que irão se adaptar a cada pessoa, a cada objetivo que a pessoa tem para o dinheiro.

  78. verônica 4 de julho de 2015 at 19:20 - Reply

    ótimos seus artigos,que continue sempre compartilhando conosco seus conhecimentos.Precisamos muito de uma boa educação financeira.
    Sucessos sempre!!!!!!!!!!

  79. Marcello 5 de julho de 2015 at 13:26 - Reply

    Olá Leandro, mais um artigo de peso.Já dediquei muito tempo da minha vida para o sistema (16 anos)Agora que adquiri uma certa economia estou estudando e aprendendo mais sobre educação financeira,e já dei meus primeiros passos para minha liberdade.Obrigado por compartilhar seus conhecimentos e sucesso …

  80. Marco Antonio 13 de julho de 2015 at 10:29 - Reply

    Excelente e real. Difícil é conseguir estudar, pois temos ofertas de cursos e mais cursos, porém temos de ter capital para pagá-los. Temos vários concursos, mas tem a malandragem da validade dos concursos. Você gasta dinheiro nos cursos preparatórios, taxa de inscrição dos concursos e às vezes gasta com passagem para fazer a prova noutra cidade. Aí vem o resultado do concurso, aprovado, porém você fica aguardando ser chamado e bal bal, nada de ser chamado e o tempo do concurso expira. Nosso BRASIL é um país “democrático” ou uma GRANDE COLÔNIA cheia de promessas?
    Poderia orientar-me como devo aplicar 10.000,00 reais que tenho na poupança Santander. Qual é o melhor e mais garantido?

    • Leandro Ávila 13 de julho de 2015 at 12:09 - Reply

      Olá Marcos, infelizmente existe uma grande indústria dos concursos públicos, movimenta milhões. Sobre sua solicitação de recomendação de investimento leia este artigo.

  81. Rodrigo Hennrichs 20 de julho de 2015 at 15:34 - Reply

    Leandro, simplesmente fantástico. Com certeza estão consolidadas nesse artigo muitas horas do seu estudo e reflexão sobre o assunto. Agradeço imensamente por compartilhar e enriquecer minha vida. Se cada brasileiro soubesse que pode valorizar sua hora de trabalho através da educação, nosso país teria outra cara… Infelizmente boa parte do Brasil está condicionada a se contentar com pouco e com a esperança que apenas o Governo poderá trazer dias melhores.
    Tenha certeza que o conhecimento que compartilha faz a diferença na vida de muitas pessoas!
    Obrigado!

    • Leandro Ávila 20 de julho de 2015 at 16:58 - Reply

      Muito obrigado Rodrigo. O que tira as pessoas da miséria e da pobreza é a educação no sentido mais amplo da palavra. Todo resto é paliativo.

  82. Ricardo Carvalho 12 de agosto de 2015 at 14:30 - Reply

    Olá Leandro,

    Conheci a pouco tempo o Clube dos Poupadores e desde então virei um fã de seu trabalho. Meus parabéns pela iniciativa e por este projeto que você está construindo.

    Aprendi, por meio do seu trabalho, a investir melhor os meus recursos e também que Educação Financeira não se trata apenas de analisar números, gráficos ou entender políticas econômicas. É muito mais que isso: Trata-se de uma quebra de paradigmas que a sociedade, a mídia, as empresas e demais instituições utilizam para manipular nossas opiniões visando o consumismo imediato. Ela nos faz parar e refletir sobre nossas próprias atitudes com relação sobre o que é o dinheiro e o que fazer com ele. Por esta razão, investir nosso tempo e dinheiro em educação e em nós mesmos, nos torna capazes de atingir a tão sonhada independência financeira e sermos felizes mesmo tendo uma vida mais simples.

    Parabéns mais uma vez.

    • Leandro Ávila 12 de agosto de 2015 at 15:22 - Reply

      Olá Ricardo, fico feliz por ter colaborado. Parabéns por estar trilhando esse caminho.

  83. Daniel Dutra 16 de agosto de 2015 at 18:11 - Reply

    Caro Leandro, Boa Noite!

    Muito obrigado por nos conceder mais um pouco do seu conhecimento e me ajudar no meu desenvolvimento como ser humano. Apesar de Entender o que você tentou passar no texto acredito que estou cometendo algum equivoco na compreensão do conceito de independencia financeira pois muitos educadores chamam de uma forma diferente. No caso minha duvida é a seguinte.

    Independencia financeira é sinonimo de liberdade financeira ou a liberdade financeira é um estagio mais avançando da independencia?

    Busquei essa informação em outras fontes e obtive a seguinte resposta:

    Independência Financeira: chega quando não dependemos do valor que recebemos mensalmente por trabalhar, ou seja, o rendimento da sua reserva financeira + suas fontes de renda alternativas (como aluguel, por exemplo) = total das suas despesas. Neste momento você não precisa mais trabalhar para manter o atual padrão de vida. Apesar de independente, você não pode fazer todas suas escolhas sem restrições, tem que se preocupar ainda em fazer as escolhas certas para não aumentar seu padrão de vida nem seus gastos, pois assim precisaria de mais dinheiro e voltaria a ser dependente.

    Liberdade Financeira: quando esse estágio é atingido, a sobra de recursos é muito maior do que as despesas mensais. Esse sim é o estágio sonhado por grande parte da população, quando não é necessário trabalhar no que não se gosta para sobreviver e ainda pode fazer todas as escolhas financeiras com a liberdade que se deseja.

    Neste caso isso significa que primeiro precisamos passar pela independencia para depois conseguir a liberdade financeira?

    Segue abaixo o link da materia completa onde obtive esses paragrafos:
    http://www.educadoresonline.com.br/fique-por-dentro/educando-seu-bolso/alguem-mais-por-ai-quer-independencia-financeira

    Desde já agradeço!

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2015 at 17:04 - Reply

      Oi Daniel, tudo é independência financeira. Ela tem vários níveis. É como um degrade que vai do preto, passa pelos inúmeros tons de cinza até atingir a luz. Conheço pessoas que possuem uma renda passiva, gerada pelo rendimento dos seus investimentos, que seria suficiente para pagar 50% do custo da vida que a pessoa leva. Isso já significa um certo grau de independência que resulta em maior tranquilidade. Quando a pessoa consegue uma renda igual a renda do trabalho (venda de tempo) ela além de ter mais tranquilidade passa a ter mais liberdade. Se for um profissional liberal ele poderá escolher os melhores clientes, pode começar a escolher os melhores trabalhos e recusar os outros. Na etapa mais extrema, trabalhar acaba se tornando uma coisa opcional. Neste estágio é comum a pessoa mudar de profissão, procurar novos desafios, muitas vezes nessa fase a pessoa ganha mais dinheiro do que ganhou em toda vida. Ela tem a experiência de trabalhar pelo prazer de servir, pelo prazer de fazer bem feito, as pessoas valorizam o trabalho feito com amor. O resultado é mais e mais dinheiro, justamente quando o foco não era dinheiro. Alguns podem até parar de trabalhar por algum tempo, mas o ser humano não é completo se não servir e ser útil para o próximo.

      • Joanatan 12 de março de 2016 at 18:08 - Reply

        Adorei essa resposta professor.

  84. Daniel 21 de agosto de 2015 at 22:58 - Reply

    Olá Leandro,

    É com imenso prazer que posto meu primeiro comentário apesar de já ter lido várias de suas espetaculares aulas. Acredito que como muitos aqui, sempre fui um cara endividado, gastava bem mais do que ganhava e acreditava que este tipo de comportamento era natural, também pelo fato de ouvir desde a a infância que ” se não for através de dividas nunca vai ter nada.
    Aos 25 anos, minha namorada me apresentou o Livro “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, neste momento tomei um choque, minha vida mudou. Passei anotar todos os gastos em planilhas e pude ver o abismo em que eu estava. Decidi então resolver a situação, passei um ano e meio da minha vida pagando tudo o que eu devia, recebia para pagar, não comprava uma só peça de roupa, reformava as antigas, encontrei opções de lazer de graça, minha mina segurou esta fase junto comigo, foi difícil, mas passou, quando percebi havia pago as faturas de cartão de crédito, cheque especial, crediários, foi tudo, até o financiamento do carro, este processo foi doloroso, mas serviu para aprender que a felicidade não está no luxo e sim nas coisas simples, depois disso passei a juntar a grana e colocar na poupança, compramos um apartamento, que já está quase quitado e estou alocando melhor minhas aplicações através do conhecimento adquirido através do seu site. Expresso aqui meu real agradecimento ao seu belo trabalho que muda e dá sentido a vida de muitas pessoas, leio todos os seus artigos, aulas, opiniões,já lí duas Obras de sua autoria e agora vou adquirir o Curso de Matemática Financeira. já acompanhei outros blogs mas o seu é diferenciado, você se aprofunda em temas que eu jamais imaginava entender, vai direto no bit. Que Deus abençoe você e sua família grandemente, por que com certeza você é um instrumento de Deus Para Mudar Vidas. Meus Parabéns !!!!!!

    • Leandro Ávila 23 de agosto de 2015 at 16:55 - Reply

      Oi Daniel, muito obrigado por deixar este depoimento aqui. Com certeza vai inspirar muitas pessoas que estão começando a organizar a própria vida financeira.

  85. Márcio Penha do Carmo 25 de agosto de 2015 at 14:59 - Reply

    Parabéns! Muito esclarecedor … mostrando a realidade da vida!
    Sugiro que escreva sobre a ‘psicologia do consumo’…o que está por trás do consumismo….como as empresas utilizam desta psicologia para nos escravizar…
    Grato!

  86. Pollyane 12 de setembro de 2015 at 13:50 - Reply

    Seus textos são sensacionais! Não perco um! Já o acompanho há um tempo e tenho tentado colocar os ensinamentos em prática. Muito obrigada por partilhar o conhecimento.

  87. Gleusson Cavalcante 14 de setembro de 2015 at 20:55 - Reply

    Ótimo trabalho Leandro.
    Estou aprendendo muito sobre finanças com você… Obrigado por nos ajudar controlar nossas finanças rumo a conquista do nossos sonhos.

  88. Carolina Faria 18 de setembro de 2015 at 10:50 - Reply

    Oi, Leandro!
    Grilada com como meu salário “desaparece” todo mês e inspirada pelos textos do seu site, baixei e instalei o gnucash (Conhece? Achei excelente). O gnucash me mostrou que 1/4 de tudo que ganho está indo para ajudar minha mãe e meus irmãos, que ganham muito menos que eu. Eu acho justo deixar de comprar todos os supérfluos que desejar para poder ajudá-los. Acontece que agora, querendo fazer o dinheiro sobrar pra guardar, não sei se diminuo a ajuda… O que você pensa sobre isso? Tenho amigos que acham um absurdo dar dinheiro pra família, mas desconfio que parte da indignação vem de uma certa culpa por não fazerem o mesmo.

    • Leandro Ávila 26 de setembro de 2015 at 20:04 - Reply

      Oi Carolina, a não ser que seus parentes possuam alguma doença, alguma limitação, é interessante que você mostre para eles que precisam ser capazes de produzir os recursos que precisam para viver, depender dos recursos que você produz não é certo caso isto não seja uma situação temporária. Tome cuidado para não transformar a ajuda que você dá para eles em um problema, principalmente a ajuda para seus irmãos caso sejam pessoas capazes como você. Infelizmente o ser humano tem uma tendência a se acomodar.

  89. isaias 26 de setembro de 2015 at 18:01 - Reply

    Olá,Leandro.estou Lendo alguns artigos e Tenho sido enriquecido Principalmente com esse.Tenho Vendido o meu tempo à dezesseis anos pra esse sistema e ñ só meu tempo como minha saúde.Muito Obrigado por ter essa iniciativa de disponibilizar seu tempo pra nos orientar a buscar conhecimento.

  90. Walisson 30 de outubro de 2015 at 7:45 - Reply

    Olá Leandro,
    Já me escrevi a algumas semanas no seu site para estudar sobre Tesouro Direto e confesso que essa foi uma das melhores publicações que já li no site. Atualmente trabalho no setor público-privado com um bom salário e me vejo (no aspecto financeiro) nadando, nadando e não saindo do lugar. Seus artigos são muito interessantes e está me motivando a sair da inércia para conseguir a independência financeira.
    Parabéns e obrigado!

    • Leandro Ávila 8 de novembro de 2015 at 2:59 - Reply

      Oi Walisson, parabéns por sair da inércia. Isso vai gerar consequências positivas por toda sua vida.

  91. Fábio Rigon 31 de outubro de 2015 at 22:56 - Reply

    esse artigo era tudo que eu queria houvir, as suas ideias o seu racicionio é bem parecido com o que eu ja tenho em mente algum tempo, veja os meus amigos que não tem nem um limite de compras vivem atolados em dividas precisam trablahar cada vez mais para pagar as dividas e parecem acho isso fabuloso, coitados nem imaginam como vai ser o futuro deles vão ter que trablahar cada cez para manter o padrão de vida e o pior não ter nem um ativo para gerar renda passiva, isso e um problema grave no brasil que infelizmente a geração mais nova que esta vindo ai apesar de todas informação que existe sobre educação finaceira nos dias atuais,vejo que não estão nem um pouco preocupada com isso não levam nada a serio só pensam no consumismo desenfreado pobres coitados eles nem imaginam como vão sofrem agindo desse jeito no futuro, mas por outro lado sei que não é facil para maioria das pessoas no brasil manter um padrão de vida inferior a renda que possem, dai fica dificil vc poupar talvez a educação é muito mais facil aplicar as pessoas de alta renda do que as pessoas de baixa renda como é maioria no brasil dai fica dificil

    • Leandro Ávila 8 de novembro de 2015 at 3:02 - Reply

      Oi Fábio. Quando a pessoa de baixa renda percebe que precisa viver com um padrão de vida menor do que sua renda para poder escapar das dívidas, ela se movimenta, não se conforma com o que ganha, busca os caminhos para elevar a própria renda. O maior problema é quando as pessoas se acomodam com a renda que possuem, quando realizam seus sonhos através do crédito e dos financiamentos. Passam a vida toda trabalhando para pagar juros para os outros, o pior de tudo é ficarem acomodadas.

  92. Gilvane 4 de novembro de 2015 at 21:17 - Reply

    É um dos melhores artigos que já li, parabéns.

  93. Fábio 5 de novembro de 2015 at 13:25 - Reply

    Parabéns Leandro. Cada um dos seus artigos que leio, abre mais os meus horizontes para alcançar a independência financeira. A única coisa que me arrependo é de não ter começado mais cedo. Mas vamos em frente. Obrigado !

    • Leandro Ávila 8 de novembro de 2015 at 3:02 - Reply

      Oi Fábio, parabéns por ter começado agora. Tem muita gente que só vai perceber tarde demais.

  94. sarita 17 de novembro de 2015 at 22:59 - Reply

    Oi Leandro meu esposo e eu praticamos um estilo de vida com mais simplicidade, fiquei muito contente por você ter abordado esse tema. Abraços

  95. Tiago Bastos Couto 29 de novembro de 2015 at 12:34 - Reply

    Oi leandro. Quando eu era solteiro conseguia poupar 30% do meu salário. Hoje sendo casado e tenho uma filha de dois anos de idade consigo poupar 10% de maneira confortável.Trabalho embarcado fico longe da minha família, mas gosto muito do quê eu faço. Infelizmente estamos passando por uma crise no Brasil e também na indústria de petróleo. Estou pensando começar um negócio para possuir uma outra renda ativa. Infelizmente na fase que era solteiro não tinha conhecimento sobre investimentos. Invistia somente na poupança e as vezes pegava o dinheiro que estava guardado. Não deixava num longo período, aproveitando dos juros composto. Vejo empreendorismo uma boa opção para aumenta minha renda em busca da independência financeira. Investimentos precisa de tempo e um bom volume de capital para gerar esta renda passiva pricipalmente em renda fixa.

    • Leandro Ávila 28 de março de 2016 at 22:22 - Reply

      Oi Tiago, o mais importante nos investimentos e conhecimento e disciplina, isso significa ter paciência para aprender e investir.

  96. Luciano 10 de dezembro de 2015 at 20:51 - Reply

    Parabéns pelo conteúdo de qualidade, Leandro! Mais um excelente artigo. Talvez o melhor de todos!

  97. edm 29 de dezembro de 2015 at 11:19 - Reply

    Muito bom o texto.
    Não somos criado para este tipo de informação.

  98. Jonas Silva 11 de janeiro de 2016 at 12:44 - Reply

    Prezado Leandro,

    Conheci seu portal através da meu professor de pós em finanças; quero agradecer por você existir amigo!!! ( rsrsrsrs).
    Brincadeiras a parte, você abriu meus olhos e tenho certeza que a de muitas pessoas aqui, sempre prestativo e paciente em responder todos os posts, quero deixar meu singelo elogio ao seu trabalho aqui que na minha opinião é fantástica!!!!
    Sou iniciante e gostaria de começar a investir em renda fixa e tesouro direto, se possível saber como posso obter consultoria de vossa parte em finanças.

    Quando crescer profissionalmente quero ser igual a você (rsrsrs)
    forte abraço!

  99. João Henrique Reginatto 8 de fevereiro de 2016 at 9:58 - Reply

    Prezado Leandro Ávila, primeiramente obrigado por seu tempo gasto produzindo essa riqueza de conhecimentos e fonte de estudos. Gostaria também de parabenizar sua atitude em produzir artigos desse gênero e construir esse site. Um professor uma vez me disse que algumas pessoas conquistam muitas coisas na vida e chegam a um estado de realização que o que da prazer à elas é ensinar outras pessoas, talvez você tenha chegado nesse estado. Sempre busquei algo que me indicasse um caminho para o planejamento financeiro futuro, acho que encontrei aqui lendo artigos como esse. Obrigado e um abraço.

    • Leandro Ávila 28 de março de 2016 at 22:30 - Reply

      Oi João. Muito obrigado. Ajudar as pessoas é muito bom e recomendo que todos os profissionais experimentem. Não importa se a pessoa é um médico, advogado, professor, dentista, engenheiro, administrador, empresário ou funcionário de uma empresa. Sempre é possível surpreender as pessoas fazendo o seu melhor, ajudando com sinceridade, compartilhando conhecimento e experiência. Os resultados que isso gera na sua realidade são surpreendentes e acaba gerando todo tipo de prosperidade na sua vida profissional, financeira, emocional e até espiritual.

  100. Joanatan 12 de março de 2016 at 18:15 - Reply

    Estou ficando viciado nesses artigos.
    Não consigo mais parar de ler.
    Já li todos do site,e agora fico relendo novamente.
    O Senhor seria um Ótimo advogado.
    Muito agradecido.

  101. Rodrigo Alves 27 de março de 2016 at 23:22 - Reply

    Excelente artigo, sou muito grato pelos resultados que cada artigo que leio agrega a minha vida! Parabéns Leandro!

  102. Alex Oliveira 7 de abril de 2016 at 12:41 - Reply

    Ainda leio este artigo pelo menos uma vez por mês. Sempre senti essas coisas em relação ao trabalho, ao dinheiro e à vida, mas ainda não tinha encontrado alguém que conseguisse sintetizar tudo em um texto. Ainda é o meu artigo predileto. Esse conhecimento precioso deveria ser ensinado nas escolas e faculdades. Excepcional.

  103. LUIZ FERNANDO PEREIRA GOMES 21 de abril de 2016 at 12:01 - Reply

    Bom dia Leandro,estou muito satisfeito com esse artigo,pois nos denota o quanto temos hábitos impróprios e o quanto nos desfavorecemos, mas contudo também nos aponta um norte,a educação, para que possamos nos libertar das armadilhas plantadas no nosso caminho e que impossibilita nossa independência.Posso dessa forma talvez, mesmo que utopicamente sonhar com uma sociedade futura comprometida com novos valores consumistas e dedicada a se tornarem pessoas livres das algemas do sistema, já que e assim que me sinto após ter conhecido seu trabalho e assim tenho multiplicado esse conhecimento com minha família e amigos para que possamos gerar uma rede e assim tornar concreto todo esse desejo de uma sociedade melhor e mais consciente de seu valor como tal.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2016 at 9:43 - Reply

      Obrigado pelo seu comentário Luiz. Penso da mesma forma.

  104. Daniel Ricchetti 23 de maio de 2016 at 18:38 - Reply

    Simplesmente perfeito!

  105. Gerson 23 de maio de 2016 at 21:56 - Reply

    Parabéns mais uma vez Leandro !!! de forma clara e amiga você consegue falar direto com o coração da pessoa e é tão fácil absorver seus dizeres. Continue postando estes conteúdos !!! O povo agradece ! Um grande abraço.

  106. Humberto 9 de junho de 2016 at 9:41 - Reply

    Texto emancipatório, essência última do conhecimento! Siga em frente!

  107. Vitor 14 de junho de 2016 at 14:35 - Reply

    Excelente texto. Realmente, um padrão de vida simples vai contra o sistema e te permite guardar recursos para uma independência financeira em pouco tempo. Parabéns pelo texto.

  108. Heráclito Xavier 1 de setembro de 2016 at 17:09 - Reply

    Ótimo artigo, caro Leandro Ávila. O consumismo desenfreado e irrefletido nos empobrece não só materialmente, como espiritualmente. De fato, quando temos clareza sobre os nossos objetivos e entendimento sobre os reais valores que pautam a nossa independência, tudo fica mais fácil de se atingir. Ter uma meta bem clara do quanto precisamos para ter uma qualidade de vida desejável já é meio caminho andado. Somando-se a isso um pouco de disciplina para se ter a capacidade de gastar menos do que se ganha e investir o excedente em aplicações inteligentes e rentáveis fará o diferencial e num futuro não tão distante pode-se chegar a um nível de renda em que não será mais necessário sacrificar os tão preciosos momentos com nossa família e amigos, fazendo-se o que se gosta na maior parte do tempo.

  109. José Alves de Carvalho 2 de outubro de 2016 at 9:23 - Reply

    Prezado Leandro,
    Parabéns pelo seu blog, aprendi muito com ele nos últimos anos e continuo aprendendo. Entendo que você precisa resumir os textos, para ficarem mais atrativos a leitura rápida. Aliás, você faz isso com muita excelência, pois os textos são diretos e fáceis de serem compreendidos por qualquer pessoa. Impossível alguém não gostar do seu blog. Assim, escrevo esse comentário para tentar complementar o parágrafo em relação ao Emprego Público. Concordo que não recebermos serviços à altura da carga tributária que pagamos, mas isso é uma questão de má gestão, e não do Servidor Público em particular. Temos ótimas repartições públicas prestando serviços valiosos a população. Só para ficar na competência do Poder Executivo, e citando apenas algumas, temos a Embrapa ajudando o agronegócio brasileiro, a Fundado Oswaldo Cruz produzindo vacinas e medicamentos genéricos, o Instituto Butantan produzindo vacinas e soro antiofídicos, e as Universidades Públicas formando boa parte da massa intelectual desse País. Infelizmente, trabalhar nessas Instituições não é tarefa simples. Para ganhar um salário razoável em qualquer uma delas você precisa de muita dedicação, mas não a dedicação de frequentar cursinhos e estudar em toneladas de livros para tentar tirar uma boa nota na prova do concurso. Por exemplo, para ser um pesquisador de qualquer uma das Instituições citadas acima, e ganhar inicialmente um salário de cerca de R$8500, você precisa ter no mínimo o título de doutor. Eu falei no mínimo porque na prática a estória é um pouco mais trabalhosa. A grande maioria dos doutores ainda precisa de 2 a 4 anos de experiência “trabalhando” como posdoc (as aspas são prá dizer que o posdoc não tem vínculo empregatício). Para ser mais específico, você gastará 4-5 anos no curso de graduação, 2 anos no curso de Mestrado, 4 anos no curso de doutorado, 2-4 no pós-doutorado, e então finalmente você estará apto para prestar o concurso. Mas infelizmente isso ainda não é garantia de conseguir a vaga. Geralmente esses concursos abrem uma ou duas vagas por área, e aparecem entre 5 e 30 candidatos, para cada área. Então, aqueles que tiverem interesse, precisarão realmente gostar da carreira, pois não haverá sucesso sem muita dedicação. Além disso, depois de conseguir a vaga prepare-se para trabalhar bastante, pois as Instituições citadas acima conquistaram excelência em suas áreas com o trabalho árduo de seus Servidores. Assim, espero ter ajudado àqueles que tem interesse em entrar nesse setor específico do Serviço Público.

    • Leandro Ávila 2 de outubro de 2016 at 9:49 - Reply

      Oi José. Sempre existem exceções e você citou pontos fora da curva.

    • Edna 3 de abril de 2017 at 9:08 - Reply

      Justamente José.
      É necessário conversar mais com servidores públcos antes de tecer certos comentários.
      Precisei fazer um BO e levei mais de 60m com o escrivão só pq o sistema que ele usava era péssimo. Culpa do servidor? Claro que não. Ele estava na amior boa vontade, fazendo o serviço dele, me distraindo do ocorrido, mas o site nao ajudava.
      Assim como ele, há varios outros casos, falta estrutura, e falta justamente pq os governos querem desmantelar os serviços estatais para privatizá-los.

      • Leandro Ávila 4 de abril de 2017 at 0:05 - Reply

        Oi Edna. Provavelmente existe outro servidor público que é responsável pelo bom funcionamento do sistema ou um político que foi responsável pela contratação de um sistema de baixa qualidade, mas de elevado custo.

  110. Jorge Guerino 2 de outubro de 2016 at 11:17 - Reply

    Oi Leandro,

    Já aposentado, com previdência complementar e alguns investimentos para gerar renda passiva, estou numa situação de independência financeira, mas encontro-me num dilema: o que fazer com as horas livres?

    Estou há mais de ano e meio analisando mercados em que poderia entrar: na engenharia civil, corretor de imóveis, assessor de investimentos, segurança do trabalho, avaliação de imóveis e empreendedorismo, e não encontrei nada que pudesse me recompensar pelo investimento em dinheiro e horas trabalhadas.

    Um pequeno negócio te torna praticamente um escravo. Trabalhar o dia inteiro para pagar impostos. Colocar funcionários numa micro empresa reduz teu lucro para quase nada.

    Conheço ex-colegas que resolveram empreender para não ficarem ociosos, e perderam tudo.

    Sei que não é você que vai me dar uma solução para este “dilema”, sou eu mesmo.

    Por enquanto, continuo analisando as possibilidades.

    • Leandro Ávila 25 de outubro de 2016 at 14:12 - Reply

      Oi Jorge, ficar em casa sem fazer nada, na minha opinião pessoal, também não parece muito recompensador. Esqueça o dinheiro e pense naquilo que você faria até de graça. Você fará tão bem que seu trabalho será reconhecido e o resto será consequência.

  111. Jose Afonso de Oliveira 16 de outubro de 2016 at 16:07 - Reply

    Boa tarde Leandro Ávila :sempre poupei um pouco de tudo que ganho pensando melhorar minha renda no futuro;depois que comecei ler seus artigos, estou vendo que tenho muito que aprender o que é investir e não guardar em poupança, é procurar algo além sem ter medo de errar é ser mais ousado no qu se refere a nossa liberdade financeira para sair da escravidão, e libertar das coisa que não nos dá prazer em faze-las.Obg.por este artigo será essencial pára mim.Afonso

  112. Wiviane Sales 25 de outubro de 2016 at 12:24 - Reply

    Fantástico!!!

  113. Reynaldo 7 de novembro de 2016 at 10:00 - Reply

    Leandro, bom dia!

    Venho recebendo e lendo seus artigos há algum tempo, no qual lhe parabenizo pela qualidade do conteúdo, agregando, sempre, valiosas informações imparciais aos leitores.

    FA.

    Reynaldo

    • Leandro Ávila 29 de novembro de 2016 at 13:07 - Reply

      Oi Reynaldo. Parabéns por dedicar seu tempo investindo em você.

  114. David 14 de janeiro de 2017 at 0:03 - Reply

    Parabéns jovem, pela qualidade do conteúdo. É impressionante a sua generosidade! Os conteúdos publicados por aqui, são valiosíssimos e se fôssemos quantificar, há muito valor agregado por aqui. Espero que isso retorne para você em forma de realização, alegria, e muito mais sucesso! Deus ilumine a sua vida!

  115. Jorge 24 de janeiro de 2017 at 0:22 - Reply

    Os conselhos recebidos nesse texto, são tao valiosos como um conselho de um pai. Obrigado.

  116. Pablo Diego 23 de fevereiro de 2017 at 8:52 - Reply

    Parabéns pelo texto!
    Como sempre, conteúdos inspiradores e de muita qualidade.

  117. Gabriel Fachini Spada 3 de março de 2017 at 0:51 - Reply

    Leandro, hoje você é considerado um consultor financeiro, certo? A maior parte da sua renda hoje, provêm dessa sua atividade de consultor/educador financeiro?

    • Leandro Ávila 4 de abril de 2017 at 0:08 - Reply

      Oi Gabriel. Não sou consultor financeiro. Não realizo consultorias. Sou educador financeiro. Produzo conteúdo escrito sobre o tema e escrevo livros sobre o assunto. Atualmente vivo dos livros que já publiquei.

  118. Davi Santos 31 de março de 2017 at 23:09 - Reply

    Leandro, este artigo foi incrivelmente top. Estou lendo os seus artigos até ler o último. Gostei de todos, mas este é demais. Parabéns.
    Tenho lido uns 6 por dia

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo