Dinheiro traz felicidade e dois conflitos

Vou mostrar por qual motivo algumas pessoas dizem que dinheiro traz felicidade enquanto outras dizem que dinheiro não traz felicidade. Na verdade, essas duas ideias estão presentes dentro de todos nós e ao mesmo tempo.

É como se existisse uma metade sua querendo gastar todo o seu dinheiro agora e uma outra metade querendo guardar esse dinheiro para o futuro. A primeira quer sentir todas as experiências agradáveis que esse dinheiro pode proporcionar ainda hoje. A segunda quer investir esse dinheiro para atingir objetivos maiores amanhã.

O Pedro Calabrez, pesquisador de Neurociências Clínicas da UNIFESP, chama essas duas metades em conflito de: Eu Experiencial e Eu Projetivo. Veja qual dos dois está dominando sua vida e qual pode gerar frustrações e alegrias hoje e no futuro.

Eu Experiencial: é a sua metade que quer ser feliz agora, neste instante, não importa o amanhã. Esse Eu experiencial adora a ideia de ser feliz hoje e deixar a conta para pagar quando chegar a fatura do cartão de crédito no mês seguinte. Ele não se importa em comprar uma viagem dos sonhos para pagar em 24 vezes com juros, mesmo que isso comprometa objetivos maiores no futuro. Você vai no restaurante planejando comer uma lasanha e acaba comprando aquela “lagosta ao thermidor”, um clássico culinário em um prato que só serve uma pessoa e que custa mais de R$ 200,00. O seu Eu experiencial também lembra você de tirar uma foto do prato para registrar o prazer momentâneo no Instagram e no Facebook.  O Eu experiencial quer a experiência e o prazer imediato. Para ele, as consequências é um problema para ser resolvido no futuro. É claro que não existe problema em investir em experiências, o problema é quando isso vira rotina comprometendo seus planos futuros.

Vale lembrar que nem todas as boas experiências, que fazem você feliz hoje, exigem muito dinheiro, mas é inegável que ter dinheiro sobrando aumenta seu leque de opções de experiências.

Foto da lagosta ao thermidor que custa mais de R$ 200,00 e serve uma pessoa.

Eu Projetivo: Aqui é o seu lado que olha para o futuro e para o passado. Esse é o seu lado que determina metas e objetivos na sua vida. É o que pensa grande. O que entra em conflito com o Eu experiencial para que ele abra mão de pequenas extravagâncias do agora para construir um futuro melhor. A felicidade do Eu projetivo está nas conquistas que você vai colecionando no decorrer da vida. Ele será feliz quando olhar para o passado de vitórias e superações gostando daquilo que está vendo. O Eu projetivo quer olhar o passado e enxergar valor em tudo que você fez e construiu.

É importante lembrar que nem todos os objetivos que você traça na vida necessitam de muito dinheiro, mas é inegável que ter dinheiro aumenta o leque de objetivos e acelera suas conquistas.

Frustrações nos dois lados:

Observe que esses lados diferentes entendem a felicidade de uma maneira diferente. O que torna seu Eu experiencial feliz não é necessariamente a mesma coisa que torna o seu Eu projetivo feliz. Isso gera muitos conflitos. Quando você termina de aproveitar os prazeres da sua lagosta ao thermidor e suas fotos no Facebook não recebem mais likes, seu Eu projetivo aparece olhando para o passado e o futuro. Ele começa a criticar o Eu experiencial que deveria ter comido a lasanha e não comprometido objetivos futuros que agora estão R$ 200,00 mais distantes.

O contrário também acontece. O Eu experiencial critica quando você deixa de ser feliz agora, deixa de aproveitar momentos felizes e únicos, vivendo fora do presente ao pensar somente no futuro. Nas duas situações de conflito você termina frustrado e infeliz. É aquele sentimento de felicidade incompleta que até os mais ricos sentem.

É por isso que muitas vezes as pessoas com muito dinheiro refletem e concluem que dinheiro não é tudo. Na verdade, quando você tem todo dinheiro necessário para ter boas experiências, existe um vazio no Eu projetivo que busca um proposito, um sentido, uma história de valor para a sua vida. Já quando você atinge todos os seus objetivos, talvez olhe para trás com arrependimento por não ter realizado pequenos sonhos quando ainda era jovem, saudável ou quando ainda tinha tempo sobrando.

Caminho do meio:

O caminho é encontrar o ponto de equilíbrio entre ser feliz hoje e garantir sua felicidade amanhã. Somente assim você será feliz pelo lado experiencial e projetivo. A satisfação plena é resultado desse equilíbrio. É importante olhar para dentro de você para encontrar o ponto de equilíbrio, que é único, cada pessoa tem o seu. Assista o vídeo complementar:


Minha crítica ao vídeo:

O Pedro Calabrez diz que “A sociedade é muito boa em garantir felicidade para o Eu projetivo”. Ele diz que desde o nosso nascimento a sociedade coloca objetivos predefinidos na nossa cabeça que seriam: “Você deve entra na escola para fazer uma faculdade, para conseguir um bom estágio e um bom emprego. Só então você poderá ganhar muito dinheiro, ter filhos e ficar rico.” Ele faz essa observação criticando o Eu projetivo sem perceber que o problema não está no Eu projetivo, mas está no fato da sociedade querer impor seus objetivos e realizações.

Aceitar o padrão de felicidade imposto pela sociedade para o seu Eu projetivo, com metas, objetivos e sentido da vida padronizados é tão ruim quanto impor para o Eu experiencial que somente “lagosta ao thermidor” é a fonte suprema de felicidade experiencial.

Quando a sociedade impõe quais são as experiências boas para que você se sinta feliz e quando ela determina quais metas e objetivos você deve seguir para ser feliz, ela está tirando de você a verdadeira chave da felicidade que é a LIBERDADE.

Inclusive, o verdadeiro objetivo da educação financeira não tem relação com ter mais dinheiro, mas sim com ter mais liberdade. Ter mais dinheiro é apenas um meio para ter mais liberdade de escolha dentro do mundo capitalista onde vivemos. A liberdade é o mais importante.

Se você se sente forçado a gostar de lagosta ao thermidor, pois é isso que os seus amigos classificam como ter uma experiência feliz, então você não é livre para fazer suas escolhas.

Eu pessoalmente não gosto de lagosta e já provei vários pratos com lagosta para chegar nesta conclusão. Não tenho nenhum constrangimento em dizer que, para o meu Eu experiencial, existem muitos frutos do mar baratos e abundantes que me deixam mais satisfeitos. O gosto dos outros não deve influenciar os meus gostos e as minhas experiências. Isso é a liberdade.

O mesmo vale para o Eu Projetivo. Quando terminei o ensino médio, muitos dos meus amigos começaram os preparativos para fazer um vestibular para conseguir um bom emprego com carteira assinada ou um bom emprego através de um concurso público. Eu nadei contra a maré, abri minha própria empresa (dentro do meu quarto) e somente 5 anos depois entrei na faculdade. A diferença é que já estava bem-sucedido financeiramente e profissionalmente. Foram 5 anos de muitas críticas que entravam em um ouvido e saiam pelo outro, pois o meu Eu projetivo era livre para fazer o que acreditava ser certo, mesmo que isso fosse contra o “padrão da sociedade”.

Gratidão:

Para satisfazer o seu Eu experimental é importante ter gratidão por tudo que você conquistou até aqui. Sem isso, você dificilmente se alegrará com o seu atual emprego, sua casa, suas conquistas, seus amigos e familiares. Também é importante ser capaz de enxergar beleza e satisfação nas pequenas coisas. Tem muita gente que acredita que a felicidade está em ter dinheiro e não em usar o dinheiro com meio para ser mais livre e ter mais opções de escolha. Normalmente são pessoas que amontoam muitos objetos e bens sem um verdadeiro proposito a não ser ter e mostrar que tem. Essas pessoas terão o vazio gerado por uma vida sem um propósito de valor.

Reflita sobre quais são as experiências que deixam o seu Eu experiencial feliz e quais são as metas, objetivos e conquistas que deixam ou deixarão seu Eu projetivo feliz.

By |29/03/2016|Categories: Enriquecimento|83 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

83 Comments

  1. Dênis Barbosa Batista 29 de março de 2016 at 11:03 - Reply

    Olá, Leandro Ávila! Tudo bem com você e família? Espero que sim. De novo, você consegue alcançar seu objetivo com esse Artigo muito legal e repleto de qualidade. E como tem nos ajudado, trazendo-nos uma gama imensa de experiências próprias e de terceiros (o que causa Estímulo), recheando suas publicações e educando-nos. Parabéns, mais uma vez. E vêm aí muitos e muitos comentários pra apimentarem ainda mais “nosso” blog. Rsrsrsrs…

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 11:07 - Reply

      Obrigado Dênis. Acabei de perceber que existia um problema no sistema de comentários, mas já resolvi o problema.

  2. Dênis Barbosa Batista 29 de março de 2016 at 11:54 - Reply

    “Dinheiro traz felicidade (?)”… As opiniões são várias. E, assim, “nosso” blog vai ganhando forma e fama com o passar do tempo. Parabéns, Leandro! Que trabalho magnífico o seu! Lendo e relendo, vamos nos inteirando desta área tão importante da vida – a financeira. Aprendendo, repassamos aos demais uma porção do seus ensinamentos.

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 12:06 - Reply

      Oi Dênis, muito obrigado. Sem a participação dos leitores, comentários, visitas e compartilhamentos esse trabalho não seria nada.

  3. Fabricio 29 de março de 2016 at 11:54 - Reply

    Olá Leandro, parabéns pelo post! Tema bem interessante!

    Gostaria de saber um pouco mais sobre como foi esse seu período pós ensino médio em que vc abriu sua própria empresa.

    O que o levou a tomar essa decisão de abrir sua empresa?
    Quais foram as principais dificuldades que vc enfrentou?
    Quais as criticas que vc teve q enfrentar?
    Seus pais eram contra ou a favor de sua decisão? Eles mudaram de opinião dps que vc prosperou financeiramente?

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 12:32 - Reply

      Oi Fabrício. A internet estava chegando no Brasil entre 1995 e 1996. Passei minha adolescência estudando eletrônica, montando computadores e BBS (uma coisa que existia antes da internet onde as pessoas conectavam seus computadores através de modens). Era um hobby. Logo depois de terminar o ensino médio consegui um emprego em um pequeno provedor de internet. Não foi difícil convencer o dono do provedor a me oferecer um emprego não remuneração (trabalho de graça). Era o primeiro a chegar (8:00) e o último a sair (20:00) e os outros funcionários não entendiam por qual motivo trabalhava tanto sem receber nenhuma remuneração por isso. A experiência e o conhecimento que recebia trabalhando ali não tinha preço. Um mês depois recebi o meu primeiro salário. 12 meses depois fui convidado para ser sócio da empresa. Recusei a proposta e abri minha própria empresa (dentro do meu quarto) onde desenvolvia softwares e sites para internet. Quando resolvi entrar na faculdade de administração de empresas, minha empresa ocupava três salas comerciais com mais de 20 funcionários (todos graduados, alguns pós-graduados e bem mais velhos que eu). Muito do que os professores ensinavam eu já tinha aprendido na prática. Ouvi muitas críticas por não seguir o padrão. Eram parentes e amigos sem entender o que eu fazia trabalhando dentro de casa na frente do computador, quando deveria estar estudando para o vestibular ou fazendo um curso superior. Meus pais não entendiam direito o que eu fazia, mas conseguiam ver os resultados financeiros. Hoje todo mundo entende o que é internet e que existem muitas empresas que fazem a internet funcionar. 20 anos atrás a situação era diferente. Para você ter ideia, existia uma revista vendida nas bancas de jornais que listava todos os endereços dos sites brasileiros na internet. Eu entendia que estava diante de uma oportunidade única e de uma janela de entrada nesse mercado em 1996. Poucos conseguiam enxergar essa oportunidade que era o surgimento da internet comercial no Brasil. Por isso devemos ter muito cuidado com essa “padronização” dos caminhos e objetivos na vida.

      • Louis 30 de março de 2016 at 10:56 - Reply

        Olá Leandro, bacana a sua história pessoal. Também vivi na adolescência o início da internet, virava noites em BBS para aproveitar o pulso único telefônico. Sou da época em que kit multimídia em PC era luxo hehehehe.
        Abraço.

        • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 20:06 - Reply

          Oi Louis. Depois da meia noite a empresa de telefone só cobrava um pulso. O problema é que todas as linhas dos BBSs estavam ocupadas. :-). Para quem não sabe o que foi o BBS vou deixar uma reportagem.

      • Fabricio 30 de março de 2016 at 11:50 - Reply

        Obrigado pelas resposta! Sua história é muito interessante, tenho certeza que daria um ótimo artigo pro blog a sua jornada como empreendedor. Vc deve ter começado bem jovem, queria ter essa coragem para meter a cara e abrir uma empresa, por enquanto vou estudando e me preparando financeiramente. Valeu Leandro!

        • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 20:09 - Reply

          Oi Fabrício. Posso afirmar que hoje as coisas estão bem mais fáceis e por isso mesmo está tudo mais concorrido. Existe muita informação sobre todos os assuntos, abrir uma pequena empresa ficou muito fácil, desenvolver negócios em casa utilizando a internet (com baixo custo) também se tornou muito fácil.

  4. Favarão 29 de março de 2016 at 12:05 - Reply

    Leandro, devo dizer que fico besta de ver o tanto de valor que um artigo (aparentemente simples) como dinheiro vs felicidade consegue gerar. A abordagem diferente, a dica. Muito muito obrigado, é o tipo de aprendizado que não se encontra em qualquer lugar.

    Sobre o assunto, já faz um tempo que tenho percebido que a verdadeira felicidade está em descobrir a si mesmo, parece maluco dizer algo assim, mas tenho a impressão que a maioria das pessoas não sabem quem são!!!

    Pelo menos em minha experiencia, quanto mais eu me conheço e descubro sobre meus limites e capacidades mais satisfeito fico e melhor compreendo o mundo ao redor. Essa abordagem do experiencial e projetivo ajudou mais um pouco nessa descoberta, e mais feliz ainda é saber que pelo menos para mim esses dois lados são ótimos amigos!

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 12:39 - Reply

      Favarão. Não é impressão. É a mais pura realidade. As pessoas não sabem quem são e o que querem. Vivem um dia depois do outro sem nenhum propósito, sem nenhum objetivo, sem metas, sem projeto, sem caminho. Vivem por viver, jogam a culpa dos problemas que vivem nos outros e nunca percebem que são responsáveis pelo que são e pela vida que levam. Olhar para dentro de si é a base de toda a filosofia, da psicologia e da maioria das religiões. Mesmo quando estamos falando de dinheiro e educação financeira, tudo começa na frase “Conhece-te a ti mesmo”. Sei isso não é possível escolher onde investir, já que existem diversas modalidades de investimento que se adaptam melhor em pessoas diferentes com objetivos diferentes. Quando você resolve empreender, também é necessário o “Conhece-te a ti mesmo”.

  5. Mayara Cardoso 29 de março de 2016 at 12:18 - Reply

    Ótima reflexão, Leandro.

    Encontrar o equilíbrio numa sociedade consumista e imediatista não é fácil, mas a educação financeira e sua aplicação são a chave para esse fim.

    Quebrar paradigmas, como esse da Corrida dos Ratos, é algo inimaginável para a grande maioria. Por isso, a disseminação do conhecimento é tão importante para fazer esse despertar de consciência.

    É claro que nem todos estão insatisfeitos, ou nem sabem que estão, em relação a esse ciclo, mas apresentar opções fora da caixa e impulsionar a reflexão são passos fundamentais para a mudança, e nisso você contribui com maestria.

    O autoconhecimento também entra nessa equação como um fator de grande importância para encontrar o equilíbrio. O conhecimento íntimo de si mesmo ajuda a desvendar certos comportamentos, vontades e as nossas reais necessidades. Dessa forma, reforçamos nosso senso crítico ao questionar a pertinência de certos desejos.

    Um abraço e obrigada pela excelente ponderação.

  6. Sarita Fiuza 29 de março de 2016 at 12:46 - Reply

    Oi Leandro, tudo bem? Como sempre gostei muito do artigo, mas principalmente do seu comentário que fala como você sua empresa. Abraços

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 13:18 - Reply

      Obrigado Sarita. Já pensei em escrever um ebook ou um livro. A minha história é bem curiosa e fora do padrão.

      • Marcio 30 de março de 2016 at 17:38 - Reply

        Olá Leandro, acredito que todos nós adorariam ler sobre sua trajetória, pois você é referencia para milhares dos seus leitores assim como eu o tenho como! Boa sorte a ti e espero que continue nos ajudando com este dom incrível que tens ! Abraços

        • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 23:09 - Reply

          Obrigado Marcio. Vou começar a escrever. Pode ser motivador principalmente para jovens que queiram empreender.

  7. Anderson 29 de março de 2016 at 12:54 - Reply

    Excepcional!!

  8. Marlon 29 de março de 2016 at 13:28 - Reply

    Estou neste impasse, concurso (sociedade) abri meu próprio negocio (vontade). Posso dizer que a escolha é bem difícil!
    Sou assinante do Clube ha um certo tempo e gosto muito dos seus artigos. Estudo marketing digital e você é uma das pessoas que me espelho, quero um dia ter um site respeitado como o seu.

    Obrigado.

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 17:30 - Reply

      Oi Marlon. Marketing na internet sempre foi um mercado promissor. O segredo está no autoconhecimento. Existem pessoas que não gostam de empreender, são cheias de crenças sobre o assunto e quando experimentam não gostam. Da mesma forma existem pessoas que entram no serviço público cheias de crenças e depois de alguns anos desistem, abrindo mão de bons salários e de estabilidade. Só você pode descobrir o que é bom para você.

  9. Joanatan 29 de março de 2016 at 13:30 - Reply

    Leandro. Lá no “Amigos”,
    A opção indicadores e simuladores não estão abrindo.

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 17:36 - Reply

      Oi Joanatan. Você precisa digitar o seu email e senha primeiro para poder aparecer.

  10. Joselito Junior 29 de março de 2016 at 13:48 - Reply

    Leandro, muito bom como sempre! Parabéns!!!
    Acho que o ideal como tudo na vida é sempre ter um meio termo entre os dois! Ou seja, aproveitar a vida mas pensando também em garantir o futuro!
    Abs.

  11. Leandro MR 29 de março de 2016 at 17:06 - Reply

    Boa tarde! Leandro, seus textos são ótimos e muito bem escritos. Gostaria muito de sua ajuda. Tentei realizar um cálculo e não consegui. Na verdade minha dúvida é: Apareceu um lote pra eu comprar de 40 metros de frente por 25 metros de comprimento (1000 m²), sendo a entrada de R$ 1500,00 e mais 120 parcelas começando em R$ 800,00 e sendo corrigido pelo IPC anualmente. No início achei interessante, mas me lembrei do TD e tentei calcular com os mesmos valores, mas ao invés da compra do lote, comprar frações…

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 17:36 - Reply

      Oi Leandro. Use o simulador de juros compostos. Com ele você já terá uma ideia superficial mas que permite ver o efeito dos juros sobre juros http://www.clubedospoupadores.com/simulador-de-juros-compostos No caso do lote, ele pode valorizar como também pode não valorizar. Tudo depende do lote, da região, do crescimento das redondezas, do interesse das pessoas no futuro por esse lote, da situação econômica no futuro, etc. Outra questão é que comprando o lote você terá uma dívida reajustada pela inflação. No TD você não terá dívida e você mesmo pode aumentar o valor das parcelas.

  12. Raquel Oliveira 29 de março de 2016 at 17:59 - Reply

    Boa tarde Leandro,

    Desde que fui apresentada ao seu site, indicado por um Professor do meu MBA, não consigo parar de ler, os assuntos abordados são de altíssima qualidade, que nos ajuda a ter novos pensamentos, onde as mentes estão sendo abertas para um crescimento pessoal e profissional. Muito obrigada por tudo que já me agregou.

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 23:01 - Reply

      Oi Raquel. Muito obrigado. Agradeça seu Prof. de MBA por divulgar o projeto. Esse tipo de recomendação é importante para que o site se torne útil para muitas pessoas.

  13. Diogo 29 de março de 2016 at 18:05 - Reply

    Ola Leandro.
    Cada dia mais te admiro. Voce vem realmente mudando a vida de muitas pessoas. Tenho os artigos do blog como minha orientação financeira. Tenho aprendido muito. Muito mesmo. Pena que não comecei a ler o site antes de financiar meu apartamento. Teria feito diferente. Mas mesmo com uma prestação que consome 20% da minha renda ainda estou conseguindo poupar uns 40 a 50%. Isto devido a suas orientações. A ideia é amortizar anualmente pra minimizar juros.
    E os livros estão espetaculares. Ja estou no segundo.
    Forte abraço

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 23:03 - Reply

      Oi Diogo. Parabéns pelo esforço que você está fazendo, não pela dívida, mas pelo exercício de poupar e tomar decisões inteligentes sobre seu dinheiro. Isso você levará para sempre.

  14. Castro 29 de março de 2016 at 18:35 - Reply

    Leandro, entrei muito recentemente no “mundo” dos investimentos graças aos seus pots. Também faço parte dos Amigos. Gostaria de agradecê-lo por todas essas dicas valiosas, e dizer que não existe preço nenhum que pague o crescimento adquirido através de tudo o que vc trasmite.
    Este conteúdo que consta dos sites é, com certeza, capaz de mudar a vida das pessoas pra melhor!
    Obrigado!
    Aproveitando o ensejo, gostaria de pedir a vc que desse mais sugestões bibliográficas a quem deseja ampliar os conhecimentos na nossa áreas.

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 23:09 - Reply

      Oi Castro. Muito obrigado por suas palavras. Lá na comunidade eu criei um espaço chamado “Biblioteca” e já coloquei duas sugestões de livros (com áudio comentado sobre seu conteúdo) que devem ser lidos. Eles são clássicos que produzem profundas reflexões e muitas transformações. Vou colocar mais livros aos poucos.

  15. Rodrigo 29 de março de 2016 at 20:53 - Reply

    Muito bom artigo.

    O sucesso, tanto financeiro como qualquer outro é mais sobre auto-conhecimento do que conhecimento técnico.

    Parabéns Leandro.

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 23:09 - Reply

      Oi Rodrigo. Não tenha dúvida disso. Nenhum conhecimento técnico vai funcionar se a pessoa não se conhecer.

  16. Re Schapke 29 de março de 2016 at 21:58 - Reply

    Oi Leandro!

    Muito legal você apresentar o Paulo Vieira para os leitores do Clube! Eu conheci o Paulo Vieira no youtube quando fazia minha lição de casa sobre minha independência financeira. Me apaixonei pelas teorias dele após assistir a palestra do livro dele O Poder da Ação. Depois de devorar alguns vídeos, comecei a me sentir insegura e a duvidar se as palavras dele eram realmente sinceras ou se ele estava querendo “captar seguidores”. Por muita coincidência, no mesmo momento em que eu estava abandonando o Paulo Vieira, você postou algo confirmando as teorias dele. Não tive dúvida: se o Leandro aprova, estou no caminho certo!

    Este artigo me fez lembrar de um dos primeiros livros que li, o qual foi o que despertou em mim a consciência de que eu poderia prosperar financeiramente. Os Segredos da Mente Milionária (T. Harv Eker). Adoraria ler um artigo sobre esse livro!

    • Leandro Ávila 29 de março de 2016 at 23:20 - Reply

      Oi Re. O que o Paulo Vieira e outros autores falam não são ideias inventadas por eles. Normalmente eles concentram e até traduzem muitos conhecimentos vindos de fora, misturando com sua própria experiência. Ele divulga uma cultura que faz muitos países desenvolvidos serem o que são e que ainda falta no brasileiro. Não é possível fazer esse país prosperar se as pessoas não prosperarem. Um país é o resultado do sucesso da sua população. Por isso é muito importante transformar nossa cultura. Essa transformação depende de educadores, propagadores de conhecimento, motivadores e bons exemplos. O Paulo Vieira é um dos muitos que dedicam um pouco do tempo dele compartilhando conhecimento gratuitamente na internet. É claro que todo autor, todo escritor, todo palestrante, está divulgando o trabalho que faz (livros, cursos, palestras, etc.) quando produz conteúdo gratuito na internet (artigos, vídeos, ebooks, etc.) Produzir conteúdo para o Clube dos Poupadores é uma forma de ajudar as pessoas e ao mesmo tempo divulgar o meu trabalho. É isso que muitos autores estão fazendo e certamente estão ajudando a melhorar a vida de muita gente, principalmente aquelas pessoas que precisam de mais ajuda, que são justamente as que não entendem o valor de investir na própria educação adquirindo livros, cursos, treinamentos, participando de palestras, etc. O próprio T. Harv Eker tem muitos vídeos gratuitos no Youtube, até existem alguns legendados.

  17. João Antônio 30 de março de 2016 at 10:01 - Reply

    Eu poderia entender LIBERDADE como LIVRE-ARBÍTRIO para se alcançar a FELICIDADE?

    • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 18:17 - Reply

      Oi João. Existe a liberdade de escolha e a liberdade de ação. Todas as pessoas saudáveis possuem liberdade de escolha. Elas podem escolher entre o certo e o errado, o bom e o ruim. Quanto maior o nível de educação, instrução, cultura, maior a capacidade das pessoas fazerem boas escolhas. O problema é que de nada adianta ter a liberdade de escolha se você não tem liberdade de ação (essa está relacionada com dinheiro). Exemplo: Você é livre para preferir o sorvete de chocolate e não o de baunilha. Se você não tem dinheiro no bolso você não tem a liberdade de ação necessária para comprar o sorvete e, ai sim, fazer suas escolhas. Por fim ainda tem a questão do dever ou não fazer. Nem tudo que você é livre para escolher e livre para fazer você deve fazer. A felicidade está nesse equilíbrio entre o QUERER, PODER e DEVER.

      Nem tudo que você quer, você pode.
      Nem tudo que você pode, você quer.
      Nem tudo que você quer, você deve.
      Nem tudo que você deve, você quer.
      Nem tudo que você pode, você deve.
      Nem tudo que você deve, você pode.

      Felicidade é aprender a lidar com estas questões acima. Investir em educação ajuda muito.

      • João Antônio 30 de março de 2016 at 20:12 - Reply

        Concordo plenamente com você Leandro. A Felicidade é um eterno aprendizado entre o QUERER, PODER e DEVER. Eu sou um aprendiz. A educação é primordial na busca pela Felicidade.

        • João Antônio 30 de março de 2016 at 20:51 - Reply

          O que nos faz felizes, de Daniel Gilbert.
          Um bom livro.

          • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 23:27

            Vou me informar sobre o livro.

        • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 23:27 - Reply

          Oi João. Também sou um aprendiz. É muito bom quando você tem a mente aberta para aprender mais. A felicidade está na busca.

          • João Antônio 31 de março de 2016 at 17:41

            Realmente foi no site de busca…. Mas creio que a Felicidade Suprema continua inatingível… Abraços

  18. Jose Francisco 30 de março de 2016 at 10:51 - Reply

    Oi Leandro, sou seu fã. Parabéns!!!

    Uma vez aprendi que a comunicação somente se dá entre os iguais. Ou seja, aquilo que faz sentido para um somente fará sentido para o outro, caso ambos pensem da mesma forma. Por isso a educação é tão importante, pois viver numa sociedade ignorante é muito penoso. Entendo que a pauta que vc aborda acima é essencialmente filosófica, nos mostrando uma verdade que nos ajuda a nos libertar e, portanto, em buscarmos ser mais felizes.

    • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 19:44 - Reply

      É isso mesmo José Francisco. Todos sofrem na ignorância. Para complicar a situação, ninguém pode forçar ninguém a buscar informação, conhecimento e sabedoria. O máximo que você pode fazer é indicar a porta e motivar a pessoa para que ela abra a porta e trilhe o caminho por conta própria. Quando você atinge o final da trilha percebe que precisa retornar para motivar outras pessoas a seguirem o caminho que você seguiu.

  19. Agton 30 de março de 2016 at 11:57 - Reply

    Mais um excelente artigo Leandro! Seus comentários tão bons quanto seus artigos. Foi ótimo conhecer um pouco de sua história conforme você colocou em um dos comentários.
    Algo que acho interessante aqui no Clube dos Poupadores é o cuidado que você tem em preservar as fontes dos artigos e o trabalho dos autores. Por exemplo, você citou nos seus comentários T. Harv Eker. Copiei este nome para colar no YouTube e apareceu a seguinte mensagem: “T. Harv Eker…

    Leia texto completo em: http://www.clubedospoupadores.com/enriquecimento/dinheiro-felicidade.html © Clube dos Poupadores”
    Achei bem interessante Leandro você direcionar a pessoa que copia qualquer parte do seu artigo para a matéria de origem. Qual ferramenta você utiliza para isso?
    Algo também que acho fantástico em seus artigos é que aqueles que desejam postar um comentário precisam aguardar a sua aprovação do comentário. Isso permite que nós que confiamos no seu trabalho não nos deparemos com comentários questionáveis, palavras ofensivas, ou coisas semelhantes. Qual ferramenta você utiliza que lhe permite fazer isso?
    Achei interessante estes dois aspectos do seu site. Para mim eles dão ainda mais credibilidade ao seu trabalho. Não foi por menos que me tornei membro dos Amigos Clube dos Poupadores e adquiri recentemente seus livros mais novos. E falando neste assunto, os livros estão excelentes! Parabéns!

    • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 20:20 - Reply

      Oi Agton. É um plugin chamado “Read More Copy Link”. Existe uma enorme quantidade de pessoas que passam o dia todo na internet publicando comentários com brigas, provocações e insultos nas áreas de comentários de jornais, revistas e sites como este. Basta entrar no site de qualquer jornal e olhar a qualidade das mensagens que os leitores deixam. Quando a pessoa percebe que o comentário será lido e respondido pelo autor, ela desiste e vai procurar outro lugar para perder o tempo dela. Não existe nenhuma aplicação especial para ativar a moderação. Lá na comunidade eu deixei as áreas de comentário livres. As pessoas publicam comentários e eles são automaticamente publicados. Creio que se a pessoa investiu na própria educação financeira ela está em um patamar acima da média e por isso a moderação não é necessária.

      • Agton 30 de março de 2016 at 21:52 - Reply

        Muito obrigado Leandro pela resposta. Que bom saber que na área da comunidade os comentários são livres. Na área aberta do site você usa um outro plugin como o “Read More Copy Link” para aprovar os comentários?

        • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 23:28 - Reply

          Oi Agton, o wordpress que é o software plataforma do site já oferece os recursos necessários para a área de comentários.

  20. marcos 30 de março de 2016 at 12:13 - Reply

    Olá Leandro, você conhece esse Fundo de investimento WA US Index 500 FIM?

    • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 20:23 - Reply

      Oi Marcos. Não conheço. Mas pelo nome é possível ver que se trata de um fundo que investe o dinheiro no exterior. A sigla FIM indica que é um fundo multimercado.

  21. Heric 30 de março de 2016 at 13:18 - Reply

    Você é o cara, Leandro, palavras cheias de sabedoria. Para mim, você é um diferenciado, pois tem dom de mostrar grandes pensamentos e ensinamentos, consegue fazer abrir os olhos das pessoas.
    Eu sempre me senti sobrando nesse mundo, porque resolvi fazer minhas próprias escolhas, e não quis fazer faculdade cedo. dificilmente eu vejo alguém fazer algo diferente, parece que a humanidade carece de liberdade.
    Tem pessoas que se espantaram comigo quando eu financiei um apartamento com 24 anos de idade. Muita gente achou cedo demais. Eu só fiz uma escolha, diferente do convencional. Muitos me chamam de pão duro por comer comida barata, porém é a comida que me satisfaz.
    Parabéns pelo artigo, e por mostrar muito conhecimento saudável.
    A verdade liberta.

    • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 20:29 - Reply

      Oi Heric. Aristóteles dizia que só existe uma maneira de evitar as críticas: Não fazer nada, não dizer nada e não ser nada. Ele já falava isso 384 anos antes de Cristo. Até hoje existem pessoas discutindo as coisas que ele falou. Parabéns por receber críticas. Pode ser que você não esteja fazendo a coisa certa, mas você está fazendo alguma coisa e aprendendo com tudo que faz.

  22. Gonçalo 30 de março de 2016 at 20:10 - Reply

    Leandro, boa noite!! Estou muito curioso para sabero que levou você a tomar uma decisão alternativa no pós-médio. Você não cresceu ouvindo que deveria fazer faculdade? Abraços prezado e parabéns por sua história!!! Minha admiração!!

    • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 23:26 - Reply

      Oi Gonçalo. Não tenho nada contra fazer faculdade. Eu fiz o curso de administração de empresas, depois fiz outros cursos na área e continuei estudando através dos livros que já li. É um ótimo curso para quem pretende abrir um negócio ou para quem já tem um negócio. Também é válido para quem deseja crescer nas empresas. Os maiores salários das empresas estão na área gestão. Quase metade das empresas abertas no Brasil quebram em até 3 anos. O Sebrae tem uma pesquisa que revela que os principais motivos são falta de planejamento e o descontrole na gestão. São justamente as principais competências de um administrador. Esses problemas que enfrentamos na política também é falta de administradores (administração pública). No meu caso existia uma janela de oportunidade. Nesse artigo existem quatro exemplos de pessoas que também não podiam deixar passar a oportunidade e acabaram deixando a faculdade para depois.

      • Gonçalo 3 de abril de 2016 at 14:38 - Reply

        Parabéns por sua decisão, Leandro!! Sucesso sempre!!!! De que janela de oportunidade você fala? Abraço!!!

  23. Marcos Arcanjo 30 de março de 2016 at 22:14 - Reply

    Ótimo artigo.
    Fiz teste indicado.
    Fiquei reflexivo com resultado.
    Deu 1 . isso me faz pensar que tenho muitooooooo ainda a aprender e colocar em pratica.
    Obrigado por compartilhar esse c conhecimento.

    • Leandro Ávila 30 de março de 2016 at 23:29 - Reply

      Oi Marcos. O teste é muito bom para mostrar onde estamos. É um ponto de partida. Recomendo que todos façam o teste.

  24. Wellington Sousa 31 de março de 2016 at 1:06 - Reply

    Mais um artigo pra favoritar!!
    Falando nisso, Leandro. Te mandei uma mensagem porem pode ser que minha duvida seja a de outros tambem, por isso vou publica-la aqui, ok?

    Vi (pelo menos a forma que eu tinha acesso mudou) que o acervo de todos oa artigos não esta mais disponivel na forma de “timeline” na pagina Sobre o Autor.

    Eu estava lendo todosnos artigos de tras pra frente e, infelizmente, não estou mais conseguindo por falta desse acesso.

    Como faço pra acessar todos os artigos? Se sim, ainda existe aquela timeline?

    • Leandro Ávila 31 de março de 2016 at 5:57 - Reply

      Oi Wellington. No menu horizontal no topo do site existe uma opção chamada “Aulas”. Quando você clica aparece várias categorias. Todo o conteúdo do site está nestas categorias. Exemplo: Em “tesouro direto” você encontrará tudo que já escrevi sobre o títulos públicos.

  25. Elias Barbosa 31 de março de 2016 at 3:00 - Reply

    Ávila como sempre ótimos artigos , uma pequena parte da sua historia de vida me fez lembrar , o filme Na Natureza Selvagem , parabéns pelo blog , e aos leitores!! por ricos depoimentos, quando aprendermos a dominar nosso EU certamente faremos escolhas melhores …

  26. Lucas 31 de março de 2016 at 9:02 - Reply

    Parabéns Leandro por mais um artigo que nos leva a reflexão! Procuro buscar o equilíbrio entre os extremos, tenho os dois exemplos na minha família. Um que chega ser avarento e o outro que só pensa em esbanjar e ostentar. Sigo a famosa frase de Aristóteles: “A virtude está no meio”.

    • Leandro Ávila 1 de abril de 2016 at 10:49 - Reply

      Oi Lucas. O caminho do meio é o melhor mesmo. Parabéns.

  27. Lucas Sellamano 31 de março de 2016 at 9:51 - Reply

    Bom dia Leandro.
    Muito bom o artigo.
    Tenho uma dúvida sobre o site.
    Antes, quando acessava o campo “sobre” no site dos clubes do poupadores, a gente tinha acesso a todos os artigos que você já tinha publicado em ordem cronológica.
    Porém quando acesso agora, não aparece mais os artigos antigos.
    Tem como voltar com essa opção no campo sobre?
    Obrigado.

    • Leandro Ávila 1 de abril de 2016 at 10:49 - Reply

      Oi Lucas. Todo o conteúdo do site está na opção “Aulas” do menu. Basta clicar e depois escolher a categoria.

    • Leandro Ávila 1 de abril de 2016 at 10:55 - Reply

      Na verdade, depois de 2002 ocorreu a crise de 2008. O fato é que grandes crises acontecem de tempos em tempos da mesma forma que os grandes terremotos e erupções vulcânicas.

  28. Rafael Cruz 1 de abril de 2016 at 9:53 - Reply

    Bom dia Leandro. Maus uma vez um excelente artigo. Parabéns. Nunca havia me atentado para essa perspectiva. Eu experencial e Eu projetivo. Muito interessante. Esse artigo me fez lembrar dos ensinamentos de um antigo professor de kung fu que tive, que sempre falava do equilíbrio interior. Para vencermos na vida devemos sempre buscar o equilíbrio e esse artigo mostrou bem essa situação. Devemos sim ter um pouco dos dois, e procurar o meio termo entre eles. Mais uma vez, parabéns

    • Leandro Ávila 1 de abril de 2016 at 10:56 - Reply

      Oi Rafael. É isso mesmo. O equilíbrio é importante em todas as áreas da vida.

  29. Isaque Santos 1 de abril de 2016 at 10:20 - Reply

    Ótimo artigo Leandro.

    Dinheiro traz felicidade? Na opinião depende muito, as pessoas precisam aprender a diferenciar dinheiro de felicidade, o primeiro é apenas uma ferramenta o segundo é um momento durável de satisfação, onde o indivíduo se sente plenamente feliz e realizado, um momento onde não há nenhum tipo de sofrimento, pois existem muitas felicidades que o dinheiro não pode conquistar e outras que somente o ele pode dá.

    • Leandro Ávila 1 de abril de 2016 at 10:57 - Reply

      Oi Isaque. É isso mesmo. Dinheiro é apenas uma ferramenta.

  30. Luiz Felipe 1 de abril de 2016 at 22:53 - Reply

    Olá Leandro,

    Gostaria de agradecer imensamente pelo seu trabalho aqui. Não consigo traduzir em palavras a satisfação que tive ao descobrir um site com conteúdo e qualidade – além de tudo, gratuito.

    Sem dúvidas seu trabalho foi fundamental para que eu pudesse escolher quais investimentos seriam melhores para mim.

    Tenho 22 anos, estagiário (ferrado como todos) e esse mês iniciei meu plano em longo prazo fazendo investimentos mensais (a partir de agora) no Tesouro IPCA+ 2035.

    Vi sua resposta num comentário acima e achei interessante:

    “Produzir conteúdo para o Clube dos Poupadores é uma forma de ajudar as pessoas e ao mesmo tempo divulgar o meu trabalho… ”

    É exatamente esse pensamento que falta nas pessoas hoje em dia. Falta a compreensão de que a economia de mercado só tem vantagens para todos. O egoísmo em buscar o lucro irradia em todo o mercado, favorecendo direta e indiretamente todas as pessoas em todos os setores.

    Obrigado pelo site.

    • Leandro Ávila 2 de abril de 2016 at 4:51 - Reply

      Obrigado Luiz. Quando você ajuda as pessoas com o melhor do seu trabalho está inevitavelmente divulgando o seu trabalho da melhor forma que existe. O resto é consequência.

  31. João Paulo 2 de abril de 2016 at 23:12 - Reply

    Boa noite Leandro. Uma Feliz Páscoa.
    Excelente artigo. Estive pensando, estou iniciando agora no Tesouro e fiz os cálculos pensando em investimentos como os Títulos IPCA. Aplicando essa fórmula do Fator do Enriquecimento com o Tesouro IPCA, é possível perceber que atualmente há uma grande oportunidade de atingir um Fator de Enriquecimento considerável, mantendo a disciplina de Poupar todo mês uma determinada quantia.

    • Leandro Ávila 29 de abril de 2016 at 11:11 - Reply

      Obrigado João Paulo. Parabéns por estar planejando seu futuro.

  32. Carmem 6 de abril de 2016 at 22:53 - Reply

    Belo artigo. Parece que adivinhou meus pensamentos rs. Estou num processo de educação financeira e economia que tem sido muito sofrido. Só continuo mesmo porque a palavra “liberdade” advinda da independência financeira é o maior sonho que eu tenho. Mas esta semana comentava com uma amiga que economizar é duplamente frustrante. Você gasta sentindo culpa por não estar economizando e economiza sentindo raiva por não estar experimentando. Não há prazer rs. Mas por outro lado tem sido gratificante. Minha alegria estava muito ligada ao consumismo, alegria esta extremamente efêmera. Agora voltei a dar valor a prazeres baratos que tinha abandonado e ver que a vida não é descontar frustração em consumo. Mesmo que o projeto a longo prazo não de certo minha vida se voltou para o lado mais importante, enfrentar os problemas de frente, gastar mais tempo com as pessoas do que as compras. Você tem contribuído na jornada. Muito obrigada…

    • Leandro Ávila 29 de abril de 2016 at 11:13 - Reply

      Oi Carmem. Você precisa encontrar o prazer ao observar que o seu objetivo está se aproximando. Poupar dinheiro sem objetivo é sofrimento. Por isso você precisa ter um objetivo bem definido, pois se não for assim você irá desistir.

  33. Andrea 1 de maio de 2016 at 22:45 - Reply

    O texto está incrível !!!!!

    Seus emails estão mudando minha vida!

    • Leandro Ávila 2 de maio de 2016 at 8:12 - Reply

      Oi Andrea. Parabéns por sua dedicação. Na verdade é você que está buscando essa mudança para melhor.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo