Distração, Procrastinação e Problemas Financeiros


Diversão, lazer e passatempos são importantes e alegram sua vida no presente.  Quando você exagera, eles podem resultar em um futuro pobre, cheio de problemas e frustrações.

A vida que você leva hoje é uma consequência do acúmulo de decisões e tarefas realizadas no passado. Como esperar um futuro próspero se você deixou as decisões importantes para depois e gastou seu tempo com distrações? Você precisa tomar consciência sobre uma coisa que existe dentro da sua cabeça e que está atrapalhando o seu futuro.

Estava assistindo a história do Tim Urban que é um procrastinador assumido. Ele é autor de um blog chamado “Wait But Why” e graças aos seus artigos sobre procrastinação ele acabou sendo convidado para palestrar no TED sobre o tema “Por dentro da mente de um mestre da procrastinação“. Provavelmente você vai se identificar com a história dele. Afinal de contas, a procrastinação faz parte da natureza humana e precisamos lutar contra ela.

Tim Urban mostra que todos os problemas começam nas escolas e universidades e depois invadem nossas atividades profissionais e os planos que temos para nossa própria vida. No meu ponto de vista, no contexto da educação financeira, isso inevitavelmente acaba interferindo no sucesso profissional e financeiro das pessoas. Você logo vai entender o motivo.

Quando Tim era estudante universitário precisava entregar uma monografia no final do curso. O gráfico abaixo mostra a quantidade de trabalho diário necessário para concluir a monografia de 90 páginas.

Depois de alguns meses procrastinando, Tim foi obrigado a refazer seus planos. O gráfico abaixo mostra o novo plano de Tim para concluir a monografia até o final do ano. Com menos tempo, ele foi obrigado a aumentar o trabalho diário para fazer pesquisas e escrever a monografia.

Tim continuou procrastinando até o momento em que faltavam apenas três dias para a data de entrega da monografia. Movido pelo pânico, ele se sentiu obrigado a escrever todo o trabalho em apenas 72 horas (veja o próximo gráfico). É claro que o resultado final foi uma monografia de péssima qualidade. Provavelmente você já passou pela mesma situação na sua vida acadêmica, profissional e pessoal. O pior é que você sempre acaba estressado(a), com uma sensação de culpa, percepção de improdutividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com as suas responsabilidades e compromissos dentro do que era esperado.

Como funciona por dentro:

Tim Urban, como procrastinador assumido, resolve explicar para os não-procrastinadores como funciona a cabeça das pessoas que sempre deixam tudo para depois. Na sua hipótese, bem-humorada e didática, existe uma enorme diferença entre os dois cérebros. Na figura abaixo temos o exemplo do cérebro das pessoas que não procrastinam, que realmente estão no controle das suas vidas, que tomam decisões racionais pensando nos resultados no longo prazo, mesmo que isso comprometa sua diversão no presente.

Logo abaixo temos o cérebro do procrastinador e podemos observar que existe uma diferença. Ele também tem o “Tomador de Decisões Racionais” no comando, mas também existe aquilo que o autor chama ludicamente de “Macaco das Gratificações Instantâneas” representando o nosso lado irracional (emocional) que nos convoca a buscar o prazer e a satisfação imediata de todas as nossas vontades sem pensar no amanhã.

É exatamente assim que todos os animais irracionais se comportam (representado pelo macaco). O seu cachorro não lamenta o passado e não se preocupa com o futuro. Ele vive o presente e se sente feliz assim. Somente o desconforto imediato gerado pela fome, sede, dor ou medo faz seu animal de estimação deixar a ociosidade de lado.

Os animais só conseguem perceber uma parte do quadro (o presente). O ser humano consegue perceber o quadro completo (passado, presente e futuro) e sofre quando não realiza aquilo que sonhou. Para fugir desse sofrimento ele tende a sair do conforto e do prazer presente para construir um futuro melhor, mesmo que isso significa sacrifícios. É isso que move a humanidade e nos difere dos outros animais.

 

 

Quando você acorda e toma a decisão de terminar aquelas tarefas importantes para o seu futuro, o macaco da gratificação instantânea lembra que você tem um monte de coisas mais divertidas e gratificantes para fazer antes de iniciar a tarefa. São atividades prazerosas, mas que não geram resultados capazes de melhorar o seu futuro nos próximos dias, meses ou anos. Na verdade, são distrações.

Suas distrações preferidas consomem muito tempo, mas você não percebe o tempo passando. É por isso que muitas atividades prazerosas são chamadas de passatempo. Quando estamos realizando essas atividades o tempo passa rapidamente e não sobra tempo para o que é importante. As próximas figuras criadas pelo Tim ilustram essa realidade de uma forma bem-humorada.

 

Quando o lado do seu cérebro representado pelo “Macaco das Gratificações Instantâneas” está no comando da sua vida, ele te levará para o que o autor Tim Urban chamou de “The Dark Playground” ou “O Parque das Trevas”.

O Parque das Trevas:

O Parque das Trevas é aquele lugar onde você passa o tempo em atividades prazerosas, mas que logo depois sente culpa, decepção, tristeza e ansiedade. Estes sentimentos são o que restam quando você percebe que deixou o tempo passar sem realizar as tarefas que são realmente importantes e que vão fazer diferença na sua vida.

Existe uma enorme diferença entre aproveitar momentos de diversão depois do dever cumprido e gastar seu tempo com diversão sem merecimento, ou seja, sem fazer aquilo que precisava ser feito, sem atingir seus objetivos ou sem fazer o dever de casa. Quando você está com a consciência tranquila diante do dever cumprido, os momentos de diversão são extremamente gratificantes e felizes.

Anjo da guarda do procrastinador:

Só existe um momento em que o “Macaco das Gratificações Instantâneas” desaparece da vida do procrastinador. É neste momento que o “Tomador de Decisões Racionais” assume o controle e finalmente executa todas as tarefas atrasadas. Este momento ocorre quando surge o que o autor chamou de “Monstro do Pânico”. É ele que faz você realizar as tarefas na última hora. Esse monstro é o verdadeiro anjo da guarda dos procrastinadores.

Esse monstro fica adormecido até a última hora. Ele só acorda quando existe o risco claro e inevitável do constrangimento público, prejuízo financeiro ou qualquer transtorno assustador na sua vida profissional, social e financeira. Ele sempre aparece antes da entrega da declaração do imposto de renda, antes da entrega de trabalhos escolares, antes do último dia para qualquer inscrição, matrícula ou cadastro, antes da data final para a entrega de relatórios, memorandos, orçamentos, projetos, serviços, etc.

Movido pelo medo das consequências, o seu lado “Tomador de Decisões Racionais” tenta recuperar o tempo perdido por culpa do “Macaco das Gratidões Instantâneas” e começa a trabalhar intensamente para cumprir os prazos. Como a pressa é inimiga da perfeição é inevitável que os seus resultados sejam ruins.  Isso reflete negativamente na sua vida profissional, na sua qualidade de vida e na sua prosperidade financeira.

Quando o monstro falha:

O “Mostro do Pânico” só consegue salvar a vida dos procrastinadores quando as tarefas possuem uma data limite para serem executadas e quando existem agentes externos (pessoas ou instituições) cobrando resultados e punindo você quando os prazos não são respeitados. Exemplos: Reprovação quando a tarefa escolar é entregue com atraso. Demissão quando o trabalho é feito às pressas e sem qualidade. Prejuízo financeiro quando seu cliente desiste de esperar a entrega do serviço.

O problema é que nem todos os objetivos importantes na sua vida possuem agentes externos cobrando e punindo quando eles não são atingidos. Quando você é responsável por estabelecer objetivos e cobrar resultados de você mesmo, o monstro do pânico não aparece.

Ninguém vai cobrar de você para termina de ler o livro que comprou. Ninguém vai cobrar de você que poupe mais e aprenda como investir melhor para garantir um futuro mais seguro e confortável para sua família. Ninguém vai cobrar de você que invista na sua qualificação profissional para melhorar sua renda. Ninguém vai cobrar de você que cuide da sua saúde. Ninguém vai cobrar de você que estude mais para tomar decisões melhores em todas as áreas da sua vida, incluindo a área financeira. Se você não estabelecer objetivos e prazos, ninguém vai cobrar nada de você, nem mesmo o monstro do pânico se fará presente. O Macaco das Gratificações Instantâneas fará a festa e dominará sua vida.

Como você pôde perceber os objetivos importantes na sua vida não possuem cobranças de terceiros. Atividades importantes e decisões envolvendo sua vida familiar, seus filhos, seu cônjuge, sua saúde, sua vida profissional e financeira só dependem da sua vontade e da sua vigilância.

O truque mais traiçoeiro do “Macaco das Gratificações Instantâneas” ocorre quando não existem prazos. O problema é que não somos eternos. Todos os nossos planos possuem um prazo final para serem executados que é o dia da nossa morte.

Por isto, o  Tim Urban termina sua palestra recomendando que as pessoas criem o que ele chamou da “Calendário da Vida”. Desenhe em uma folha de papel uma caixinha para cada semana da sua vida. Se você acredita que irá viver até os 90 anos, você precisa de um calendário com 4680 caixinhas. Você já não tem todas as caixinhas livres, seria necessário eliminar todas as semanas que você já viveu e olhar apenas para as semanas que faltam até os 90 anos.

Ele recomenda que as pessoas olhem o calendário da própria vida e observem que existe uma data limite em algum ponto surpresa desse calendário. Ele conclui dizendo que precisamos estar mais conscientes sobre o “Macaco da Gratificação Instantânea”.

Eu complemento dizendo que precisamos planejar, estabelecer objetivos e metas para aquelas coisas que só serão cobradas por nossa consciência nos minutos finais da nossa existência. Esse é um trabalho que você deveria começar a fazer hoje.  Bem… a não ser que o seu macaco esteja no controle agora.

By |17/05/2016|Categories: Enriquecimento|196 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

196 Comments

  1. Diogo 17 de maio de 2016 at 15:59 - Reply

    Fantástico texto Leandro. Vou ler e compartilhar com minha família.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 16:02 - Reply

      Obrigado por compartilhar Diogo. Mais pessoas poderão aproveitar o conteúdo.

  2. Leonardo 17 de maio de 2016 at 16:04 - Reply

    Leandro…. Li seu artigo com um sorriso de desespero… é o que eu sinto… Um tempo atrás comprei um tablet para poder estudar ingles… acabei pagando o tablet e o curso de inglês e cheguei no nivel 8 de um jogo…. kkkk Esse controle sobre o tempo talvez seja o maior desafio do tempo moderno… obrigado por nos alertar.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 16:21 - Reply

      Oi Leonardo. Isso é muito comum. Seu “Tomador de Decisões Racionais” encontrou um bom motivo para justificar a compra do tablet. Na verdade, para quem realmente quer aprender inglês não é necessário comprar um tablet, ele ajuda, mas não é necessário. Já para os joguinhos o tablet é importante. Ponto para o Macaco das Gratificações Instantâneas. 🙂 Não tenho nada contra comprar tablets para joguinhos e muito menos sou contra joguinhos. O importante é sempre fazer as coisas com consciência.

  3. Neile Andrade Santos 17 de maio de 2016 at 16:10 - Reply

    Caro Leandro,

    Boa tarde!
    Seus artigos são sempre preciosos, mas, este, em especial é perfeito. Agradeço imensamente e vou compartilhar com todos os que amo, pois acho que realmente precisamos deixar o macaquinho longe de nós e focar no que realmente importa. Também relevante é pensar por que nos sabotamos. Hábito? Crença de não merecimento??! Enfim, de um jeito ou de outro, valeu demais!!! Grande abraço e continue conosco.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 16:24 - Reply

      Oi Neile. É da nossa natureza. Temos a incrível capacidade de adaptação a qualquer realidade. Por um lado isso é bom, por outro isso é ruim. Se você só tem contato com a sua realidade a acredita que ela é a única possibilidade, você simplesmente vai se acomodar por não saber que existem outras opções. Quando conhece outras opções ainda pode não acreditar que elas são acessíveis quando você realmente está disposta a trabalhar duro para isso.

  4. Max 17 de maio de 2016 at 16:10 - Reply

    Ótimo artigo!

    Eu, infelizmente, sou um procrastinador… Estou tentando melhorar, mas ainda assim, em vez de levantar cedo no sábado para fazer algo, fico na cama até ouvir o sino da igreja indicar que é meio dia. De vez em quando eu faço anotações, do tipo “acorde para ser algo na vida” e deixo perto do despertador, que fica na cozinha. De vez em quando funciona, hehehe…

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 16:29 - Reply

      Oi Max, se você fez o que deveria ser feito durante toda a semana, não existe problema de usar o sábado para ficar até tarde na cama. Mas se não levantar cedo no sábado incomoda isso deve significar aquela depressão pós-procrastinação. De qualquer forma, a simples consciência de que você precisa melhorar já representa 50% do caminho necessário para a mudança. Parabéns.

  5. Anonimo 17 de maio de 2016 at 16:10 - Reply

    Se não o melhor este texto foi um dos melhores que você ja postou aqui. infelizmente sou uma destas pessoas que viver procrastinando tudo, quando li o texto parecia que era diretamente para minha pessoa, foi um pouco assustador, porem é a realidade da vida. Otimo texto, um abraço.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 16:30 - Reply

      Oi Anonimo, obrigado. Se foi assustador então alguma coisa tocou você por dentro. Parabéns, esse é o início da mudança.

  6. Fernanda 17 de maio de 2016 at 16:15 - Reply

    Excelente como sempre! Sinto que na maior parte do tempo tenho o controle, mas acredito que todos nós temos um macaquinho de estimação! Fica o alerta! Obrigada!

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 16:30 - Reply

      Oi Fernanda. Todos nós temos. É a nossa natureza mais primitiva.

  7. Amilton 17 de maio de 2016 at 16:19 - Reply

    Muito bom o texto, realmente existem reflexões que nunca fazemos e esta é uma decisão muito importante, afinal proclastinar é matar o tempo, enfim matar seu próprio futuro.
    Parabéns Leandro.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 16:32 - Reply

      Amilton, é isso mesmo. As pessoas até podem matar o tempo, mas é importante fazer isso com consciência para evitar arrependimentos e frustrações no futuro. Ruim é quando você não percebe o que está fazendo.

  8. Gustavo 17 de maio de 2016 at 16:22 - Reply

    Uau, não havia pensado na ‘ciência’ por trás da perda de tempo que a internet proporciona. Ao mesmo tempo, a própria internet é tão surpreendente que uma assinatura de um “blog de finanças” pode trazer à tona um tema destes. É a magia da informação. O difícil é conseguir seguir a linha da direção certa quando a direção do macaco anda tão próxima. Muito obrigado, este artigo me ajudou bastante.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 17:09 - Reply

      Obrigado Gustavo. A internet vira o playground das trevas se você não fica no controle. 🙂

  9. Marciane 17 de maio de 2016 at 16:32 - Reply

    Leandro, muito bom! procrastinei uma tarefa para ler teu artigo (mas acho que valeu a pena- risos).
    Maravilhosa associação de idéias, parabéns!

  10. Neile Andrade Santos 17 de maio de 2016 at 16:34 - Reply

    É Leandro..realmente o macaquinho é mais traiçoeiro quando aparentemente não temos o gatilho do monstro (prazo)….
    A sua resposta é de uma pessoa sábia…custamos a acreditar que podemos viver QUALQUER realidade que desejarmos, desde que trabalhemos por ela…
    As caixinhas são assustadoras.rs….
    Mais um agradecimento!

  11. Daniel Bizon 17 de maio de 2016 at 16:35 - Reply

    Leandro Ávila sempre top

  12. Guilherme 17 de maio de 2016 at 16:42 - Reply

    Simplesmente fora de série!

  13. Eduardo 17 de maio de 2016 at 17:03 - Reply

    Eis aí um texto que vale a releitura permanente….
    Muito boa iniciativa Leandro, sobretudo nos tempos em que vivemos, onde o estímulo para atividades produtivas é tão baixo e sobra espaço para o macaco fazer a festa…

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 17:14 - Reply

      Obrigado Eduardo. Realmente não existe muito estimulo para a atividade produtiva, principalmente quando você trabalha em uma área onde a produtividade e a qualidade não é incentivada ou remunerada de forma proporcional.

  14. Wellington 17 de maio de 2016 at 17:05 - Reply

    Bacana o artigo! Esse macaco ta me pegando bastante ultimamente, preciso melhorar!!

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 17:14 - Reply

      Oi Wellington. Só em saber que ele existe já será um grande passo.

  15. Rafael 17 de maio de 2016 at 17:06 - Reply

    olá Leandro!
    Parabéns pelo texto! Já faz um tempo que me identifico como um procrastinador e luto para mudar, mas quando vejo já estou procrastinando de novo… é realmente decepcionante quando se chega ao fim do dia e você olha para a lista de tarefas com várias coisas por fazer e sem nenhum motivo realmente importante que justificasse a não execução das tarefas.
    Creio que a solução seja buscar ajuda externa, mas como todo bom procrastinador que se preze… já sabe o final, né?rs brincadeiras à parte, só quem sofre com isso sabe como é difícil mudar, mas o importante é não desistir e lutar!
    Abraço!

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 17:16 - Reply

      Oi Rafael. É uma luta diária. Não tem cura, não tem fórmula mágica, mas tem controle.

  16. Thales 17 de maio de 2016 at 17:08 - Reply

    Excelente artigo!!

  17. Lucas Dantas 17 de maio de 2016 at 17:11 - Reply

    Muito bom!

    Leandro Ávila, seu site é sem sombra de dúvidas um dos melhores portais de educação na internet!
    Parabéns!

  18. David Pereira 17 de maio de 2016 at 17:17 - Reply

    Excelente post Leandro..

    Obrigado pelo seu tempo e dedicação.

  19. Airton Dias 17 de maio de 2016 at 17:38 - Reply

    Muito bom, esse era eu, em um passado bem distante, destruí o “macaco da gratificação instantânea”, com meu raio super anti-procrastinador, e hoje vivo muito bem. Brincadeiras a parte, ótimo texto Leandro.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 17:51 - Reply

      Parabéns Airton. Com certeza você está colhendo os frutos.

  20. Joniel Rodrigues 17 de maio de 2016 at 17:41 - Reply

    Excelente texto.
    Vi algumas experiências da minha vida ai. Mas desde que conhece seu site, esse macaco esta sumido. Quero agradecer pelo excelente trabalho que faz aqui no Clube dos Poupadores.

  21. Alexandre Alves 17 de maio de 2016 at 17:43 - Reply

    Excelente texto Leandro, como de costume sempre vemos no seu blog. Como nós nos identificamos com esta situação. A grande maioria se encaixa neste contexto. Vivemos tempos em que temos que selecionar o que ouvimos, assistimos e lemos, pois o volume de informação é extremamente grande. Como já citado acima a internet é um macaquinho muito traiçoeiro, pois é só puxarmos uma pequena distração que já vem outra, e outra e assim as horas se passam, e aquela planilha de levantamento de estudos sobre o planejamento anual de despesas juntamente com o fluxo de caixa pessoal nosso fica de lado sem a devida atenção. Precisamos sempre estar monitorando e também tendo objetivos a curto e longo prazo para que este macaco não impere sobre nossa vida.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 19:03 - Reply

      É verdade Alexandre. O fluxo de informações é muito grande. Precisamos filtrar o que é importante.

  22. Carlos Fernandes 17 de maio de 2016 at 17:49 - Reply

    Show de bola este artigo, Leandro. Gostei muito. Abraço

  23. Reis 17 de maio de 2016 at 17:52 - Reply

    Boa tarde Leandro,

    Como sempre, excelente material compartilhado.
    Sobre esse comportamento, acredito que boa parte dele, esteja relacionado a cultura e programação social ao que o brasileiro está exposto todos os dias.
    O que você acha Leandro?

    Planejamento e foco sempre será preciso!

    Abraço Fraterno!

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 19:04 - Reply

      Oi Reis, acho que distrações estão por toda parte, mas realmente falta a cultura do planejamento.

  24. Tiago 17 de maio de 2016 at 17:54 - Reply

    Os macacos do whatsapp foram feitos após a leitura desse artigo……

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 19:06 - Reply

      Oi Tiago. O Whatsapp pode ser um ótimo meio de comunicação, mas muitos grupos que as pessoas criam se transformam rapidamente em playgrounds das trevas. O pior é que você fica com vergonha de sair desses grupos, que muitas vezes são de familiares e amigos, mas que no fundo não possuem qualquer utilidade a não ser roubar o seu tempo e a sua atenção.

  25. Gustavo de Castro Ventura 17 de maio de 2016 at 17:56 - Reply

    Nossa, excelente artigo, Leandro. Vou já desenhar umas caixinhas aqui!

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 19:07 - Reply

      Obrigado Gustavo. É um choque de realidade, mas é importante desenhar mesmo.

  26. Basílio 17 de maio de 2016 at 18:19 - Reply

    S E N S A C I O N A L !!!!!
    Parabéns Leandro.

  27. Joanatan 17 de maio de 2016 at 18:27 - Reply

    A cada nova semana eu aguardo ansiosamente cada artigo do senhor.
    E vale muito a pena.seus textos são de uma qualidade tremenda,
    esse por exemplo,me fará refletir por dias.
    Muito obrigado pela preciosa aula professor.

  28. Juliano 17 de maio de 2016 at 18:36 - Reply

    Neste exato momento estou do começando a estudar para uma prova ter semana aq vem terca feira na verdade integrada com todas materiais vou passar fim de semana nos livros e estava com esse problema em administrar meu tempo trabalho a tarde e estudo de manhã do me restam brexas q preciso valorizar .instalei apps esse fim de semana .que me notificam o tempo de uso desnecessários. Mas não abro não de ler artigos q gosto em site a produtivos igual seu…valeu pela dica e …minimizando a tela pra voltar ao vivo..valeu tá..

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 19:08 - Reply

      Muito obrigado Juliano. Parabéns por sua dedicação aos estudos.

  29. Alysson 17 de maio de 2016 at 18:57 - Reply

    Excelente texto Leandro. É uma situação que inevitavelmente vivemos em alguns momentos da nossa vida. O exercício precisa ser diário para evitar o processo de procrastinação.

  30. Marcelo Williams 17 de maio de 2016 at 19:15 - Reply

    Muito bom artigo, Leandro. Lembrei da minha Monografia no final de curso. Procrastinei para a última semana: que loucura! Sofri para k…aramba!! rs

  31. Isaque Santos 17 de maio de 2016 at 19:27 - Reply

    As vezes tenho vontade de ser procrastinador, mas não consigo, tenho um amigo que sempre me diz, tem que ter entretenimento na vida, acho que tem que ter um pouco de tudo como foi dito no artigo, se já fez o que tinha que fazer, nada mais justo do que uma hora de lazer.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 20:19 - Reply

      Oi Isaque. É importante encontrar o equilíbrio. O lazer depois do dever cumprido ou de metas atingidas é revigorante e prepara sua mente para atingir novas metas. Existem autores que recomendam que você vincule uma atividade de lazer para ser feita como recompensa por uma meta atingida.

  32. Syl Costa 17 de maio de 2016 at 19:27 - Reply

    Excelente artigo.
    As redes sociais (WhatsApp e Facebook) são os meus piores macaquinhos. Por vezes, a televisão (filmes). Por isso que, quando percebo que eles estão “comendo” demais o meu tempo, me afasto deles.
    É importante mesmo estar atento para não perder o foco.

  33. Tati 17 de maio de 2016 at 19:43 - Reply

    Olá Leandro,

    Já tinha visto o video, muito bom!
    Eu trabalho maravilhosamente bem c/ prazos, mas sem eles, td se complica! Preciso de pressão!
    No campo dos investimentos isso nao acontece, talvez pela forma leve q resolvi começar a investir. Todavia, tento voltar aos estudos ha 3 anos (recomeço,paro…), deixar de comer açucar há uns 2 e toda segunda começo 1 dieta kkkkkkkk

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 20:21 - Reply

      Oi Tati. Precisamos vigiar e parabéns por conseguir trabalhar bem com os prazos.

  34. Inaldo 17 de maio de 2016 at 20:09 - Reply

    “A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.”

    Leandro, agora mesmo, antes de ler seu artigo, estava procrastinando, dando uma olhada no face book. Quase tudo ali é um faz-de-conta, e só serve para passar o tempo (leia-se perder tempo).

  35. Alvaro 17 de maio de 2016 at 20:10 - Reply

    Parabéns Leandro vc é fera. A propósito esse texto é bem parecido com aquele do Eu experimental e do eu Projetivo lembra?
    Outra coisa, vc acredita que a influência (boa é claro) de seus textos é tamanha que surgiu a oportunidade de alugar meu apartamento no qual pago financ. ainda e por não ter filhos e ser divorciado adotei +ou- a postura do texto Aposentadoria extrema lembra? Acredito que sem esse texto não teria adotado essa mudança extrema de sair de um excelente AP e ir morar em um quarto e wc na casa da minha mãe. Que loucura!! Se possível me de uma opinião sobre o que achou disso.Obrigado. Forte abc.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 20:28 - Reply

      Oi Alvaro. É parecido, só que o foco dele é mais lúdico. Muito bom até para mostrar para os filhos que ficam procrastinando. Eu não tenho como dar opinião sobre seus planos específicos e pessoais por não ter detalhes. Tenho certeza que você refletiu muito sobre o a decisão e observou que existia vantagens para a sua realidade. O problema é que uma boa decisão para uma pessoa pode não ser boa para outra. Nem todo mundo tem a força de vontade necessária para buscar uma aposentadoria extrema. Por isso, tudo parte do autoconhecimento, ou seja, você precisa se conhecer para saber quais são seus valores, sua força de vontade, que tipo de sacrifício você aceita passar para atingir um objetivo, etc, etc. Por isso não existe uma receita de bolo boa para todos. Cada um precisa descobrir a sua. Os artigos são inspirações que levam para uma reflexão pessoal. Cada um precisa refletir sobre aquilo que faz sentido para si.

  36. Sônia 17 de maio de 2016 at 20:25 - Reply

    Leandro, seu texto está perfeito. Tenho aqui em casa alguns procrastinadores. Ontem mesmo meu filho conversou comigo sobre esse assunto. Ele anda preocupado com as responsabilidades dele no trabalho. Enrola demais e na hora de coordenar as idéias, tudo foge. Aqui usamos a palavra**mendokusai** que significa trabalhoso, as pessoas não querem fazer aquilo que ocupará seu tempo e esforço mental. Eu sempre associei esse comportamento ao fato de querermos que os filhos estudem na escola, façam curso de inglês, balé, natação..ocupados demais…enfim a criança não tem tempo para ser criança e brincar. O mesmo acontece ao adulto que não fez nada além de trabalhar, chega um momento que ele para e não quer seguir enfrentando a mesmice de uma vida insatisfatória e de muitas responsabilidades. Kafka em seu livro A Metamorfose, já identificou esse problema em 1915.
    Obrigada pelo texto e por estar sempre ajudando seus leitores a refletir e mudar a consciência. Um abraço.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 20:37 - Reply

      Oi Sônia, você deve estar falando do Japão. Tenho a impressão que a cultura japonesa valoriza muito o perfeccionismo onde levam o trabalho muito a sério. Muitas vezes não existe diferença entre o pessoal e o profissional, muitos vivem para trabalhar e não trabalham para viver. Aqui no Brasil parece que temos o extremo oposto. Os dois extremos são ruins e o importante seria encontrar uma relação equilibrada entre diversão e obrigação.

  37. Alex 17 de maio de 2016 at 20:34 - Reply

    A como eu queria ter lido esse artigo a uma semana atras, fui demitido por justa causa por abandono de emprego, pois fiquei doente peguei 8 dias de atestado e no dia do meu retorno ao trabalho fiquei adiando pra amanhã, era uma dor aqui outra ali e isso o tempo passando. Resultado acabei demitindo.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 20:54 - Reply

      Oi Alex, se você comunicou a empresa sobre sua doença e apresentou o atestado médico não faz sentido a demissão por abandono de emprego.

  38. valdecir 17 de maio de 2016 at 21:17 - Reply

    Grande artigo, Leandro. Só não lhe sou mais grato porque não sei se existe remédio para este que é, sem dúvida, meu maior defeito.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 22:09 - Reply

      Oi Valdecir. Não existe remédio se considerar remédio aquila solução rápida e pronta, onde basta aplicar o remédio e ficar curado. O que existe é controle, ou seja, vai ser necessário esforço, foco, determinação, que são justamente as coisas que o procrastinador tem dificuldade de manter. O Tim Urban tem um artigo chamado “Como superar a procrastinação” (em inglês), mas não é nada milagroso. A técnica de fatiar um objetivo em pequenas metas e comemorar cada meta é uma boa estratégia. Quando você tem metas pequenas e mais fáceis, você tende a procrastinar menos. Se no lugar de escrever um livro em 1 ano você definir a pequena meta de escrever 5 páginas por semana, no final de 1 ano você terá 260 páginas do seu livro pronta. E sempre que você terminar 5 páginas você deve celebrar a vitória (satisfazendo o seu Macaco de Gratificações) e mantendo a paz dentro de você o artigo que falei é esse: http://waitbutwhy.com/2013/11/how-to-beat-procrastination.html

  39. Eliane 17 de maio de 2016 at 21:27 - Reply

    Sensacional, o que realmente importa na vida não tem prazo, e fazer acontecer requer planejamento e muita, mais muita disciplina. Excelente artigo Leandro.

  40. Luciano 17 de maio de 2016 at 21:54 - Reply

    Oi Leandro

    é muito interessante como nosso cérebro funciona, pois às vezes me sinto culpado por procrastinar e aí caio em outro extremo: que é tentar fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Exemplo: dia desses comecei a ler 4 livros ao mesmo tempo, porque fazia tempo que os tinha comprado e ainda não tinha iniciado a leitura. O resultado acabou sendo pífio, como esperado.
    Parabéns por mais um ótimo artigo!

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 22:11 - Reply

      Oi Luciano. É isso mesmo que acontece. Obrigado por deixar seu exemplo.

  41. Munich 17 de maio de 2016 at 22:00 - Reply

    Olá Leandro! Esse artigo chegou na hora certa! Hoje levei um capítulo do livro 50 tons para o Sucesso para discutir com meus alunos da EJA a questão de organização do tempo. Esses alunos trabalham durante o dia e estudam à noite, até as 22:40h, então enfrentam muitas dificuldades, entre elas conciliar o as atividades diárias com o pouco tempo disponível para estudar. Enfim, na hora do intervalo abri minha caixa de e-mails e vi que você publicou este artigo que ilustra de forma bem didática o que o texto que levei para eles. Mostrei o post aos estudantes e eles gostaram muito dos modelos usados para representar os cérebros, inclusive pediram para anotar o endereço desta página.
    Mais uma vez, muito obrigada!

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 22:13 - Reply

      Oi Munich. Obrigado por compartilhar com seus alunos e tornar o conteúdo ainda mais útil. Fico feliz por ter ajudado.

  42. wilka Magalhães 17 de maio de 2016 at 22:00 - Reply

    Ótimo texto!
    Faz pouco tempo que te acompanho, ler esse texto já valeu a pena!
    Precisava ter consciência de minha procrastinação (kkkkkk) lendo os comentários vo que não estou sozinha rsrsrsrs
    Bom é hora de iniciar as mudança! Obrigada

  43. Alexandro Teixeira dos Santos 17 de maio de 2016 at 22:03 - Reply

    Não gostei. Não sou obrigado a viver trabalhando, arrumando mil.e uma.obrigações.
    Gosto de me divertir, procrastinar e curitr coisas novas. Afinal eu trabalho pra viver. Apenas isso, não vivo pra trabalhra.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 22:19 - Reply

      Oi Alexandro. Se você trabalha para viver um dia depois do outro sem ter sonhos e objetivos maiores para o futuro, e além disso não encontra prazer no trabalho que faz, não existe nenhum problema em conduzir sua vida desta forma. É uma questão de escolha e somos livres para isso. O problema é quando a pessoa vive assim de forma inconsciente e sofre ao perceber que não está conseguindo atingir esses sonhos que são maiores que os prazeres do dia a dia. O artigo foi escrito para essas pessoas que gostariam de mudar.

  44. Filipe M.Souza 17 de maio de 2016 at 22:09 - Reply

    Ótimo artigo Leandro, o texto relata com clareza o que está acontecendo na prática na maior parte da sociedade.

  45. Cassia 17 de maio de 2016 at 22:17 - Reply

    Parabéns Leandro, muito motivador o texto, devemos primar pelo ócio criativo. Estou muito feliz hoje, adquiri os seus livros digitais vou fazer parte do clube e participar dos debates , agora mais do que nunca vou precisar muito para as tomadas de decisões sobre investimento..

  46. Rodrigo Góes 17 de maio de 2016 at 22:47 - Reply

    Hoje passei o dia inteiro procrastinando uma tarefa que seria fácil de executar.
    É uma decisão importante e apenas eu posso me cobrar por isso.
    Este artigo me ajudou a tomar consciência do mal que eu estava me fazendo. Digo “estava”, porque agora mesmo vou terminar o que já deveria ter feito bem mais cedo.

    Obrigado por nos gerar valor com mais um excelente artigo!

    Forte abraço,
    Rodrigo Góes

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 23:41 - Reply

      Oi Rodrigo. Parabéns e obrigado por compartilhar seu bom exemplo conosco.

  47. roberto 17 de maio de 2016 at 23:06 - Reply

    Excelente , como sempre. Leandro , tu “manja” alguma coisa de mini contratos do ibovespa ? Quem sabe numa oportunidade vc nao aborda o tema.

    • Leandro Ávila 17 de maio de 2016 at 23:44 - Reply

      Oi Roberto. Eu não escrevo muito sobre investimentos especulativos.

  48. Segundo Bezerra 17 de maio de 2016 at 23:25 - Reply

    Mais um sensacional artigo, parabéns! Me identifico com o artigo e, com
    um pouco de cada experiência relatada nos comentários.

  49. Joanatan 18 de maio de 2016 at 6:49 - Reply

    Veja o diálogo entre mim e a esposa domingo de manhã, a respeito de onde iríamos almoçar.
    Ela.
    -amor,não quero fazer almoço. Onde vamos?
    Eu.
    Vamos fazer uma comida simples e ver um filme?
    Ela
    -não. Quero ir num rodízio.
    Eu.
    -Vamos nesse restaurante aqui pertinho de casa?
    -não. Rodízio é melhor.

    E fomos no rodízio.
    A conta 120,00
    No restaurante perto de casa ficaria 30,00,
    E eu ainda teria saboreado uma salada,
    Um ótimo almoço.
    No rodízio permanecemos por lá uns 50 minutos,consumimos uma média de 600 gramas de carne,e fomos embora.

    Nesse caso o macaco da gratificação instantânea dela se sobressaiu.

    Um abraço professor.

    • Leandro Ávila 18 de maio de 2016 at 10:39 - Reply

      Oi Joanatan. Por isso é interessante ter o orçamento familiar e verificar neste orçamento quanto você destinou para gastar com restaurantes neste mês. Se o limite fosse de 120,00 vocês poderiam decidir se seria melhor comer 1 vez na churrascaria naquele mês consumindo os 120,00 de uma única vez ou usando esses 120 para comer fora mais de uma vez por mês como gastar 60,00 em dois momentos diferentes ou comer 4 vezes nesse restaurante onde seu custo seria de 30,00. Da mesma forma que as empresas e o governo possuem orçamentos que devem ser respeitados as pessoas também deveriam ter um. O orçamento permite estabelecer limites para satisfazer o macaquinho e o tomador de decisões racionais sem conflitos.

  50. Vinicius 18 de maio de 2016 at 9:05 - Reply

    Muito oportuno esse texto. Muitas pessoas vivem esse drama.

  51. Gilberto R. 18 de maio de 2016 at 10:08 - Reply

    Felizmente sempre pensei mais no amanhã que no hoje, e ainda continuo. O macaquinho da gratificação instantânea deve até ter raiva de mim. Claro que não abdiquei dos prazeres, mas sempre de olho no futuro. Graças a isso conquistei alguns sonhos e tenho outros a conquistar. O que está no texto sempre foi meu norte. Lembrei que em recente reportagem um famoso humorista disse que perdeu toda fortuna que ganhou e precisou recorrer a terceiros para pagar dívidas. O macaquinho não deve largar o leme de pessoas como ele. Nota: Sei que você não é o responsável pelos desenhos mas acho que aquele monstro do pânico é quem deveria estar no leme assim como foi o macaco dos prazeres quem assumiu o comando na sua hora. Enfim, trata-se de um texto para ser levado a sério, pôr em prática, e não apenas lido e esquecido. Obrigado!

    • Leandro Ávila 18 de maio de 2016 at 10:44 - Reply

      Oi Gilberto. Eu apenas adaptei o desenho para nossa realidade e língua. É curioso como as pessoas gostam de fábulas (histórias onde os personagens são animais que se comportam como gente). Em várias culturas, sempre foram utilizadas para educar e fixar ideias na memória. Isso deve ter ajudado no sucesso dessa palestra no TED.

  52. Fábio Bastos 18 de maio de 2016 at 10:11 - Reply

    Leandro, mais um excelente artigo. Acho que todos temos o nosso lado de procrastinador, alguns mais e outros menos, o grande problema é deixar que isso tome conta em todos os aspectos de nossas vidas. Outro problema é com as nossas decisões, aliás, tomamos muitas ao longo dos anos, porém a aplicação das mesmas nem sempre é tão lembrada.

    Recentemente criei um hábito de colocar numa planilha o tempo que gastos com leituras diárias, incluo tudo, inclusive as distrações com youtube e outras armadilhas. É interessante observar que ao término de uma semana, qual foi o tempo gasto em cada decisão que tomei no passado e que estou cumprindo, vale a pena o teste. Seja um procrastinador consciente……………………rs

  53. Moises 18 de maio de 2016 at 11:12 - Reply

    Não gostei do artigo Leandro. Usa um tom infantil para falar de algo sério. E o pior é você citar o Tim Urban como base, um sujeito que tem uma péssima fama no mercado de autoajuda. Sem falar que ele se diz proacrastinador e ganha dinheiro extamente falando contra a procrastinação??

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:08 - Reply

      Oi Moises. É uma questão de gosto pessoal e opinião. O objetivo dele era atingir pessoas que procrastinam, especialmente aquelas que se sentem mais atraídas por conteúdo divertido, descontraído ou bem humorado na internet (ele tem um blog). Se ele tivesse escrito um artigo sem ilustrações, sem personagens, baseado em texto técnico, longo e cansativo, certamente as pessoas que mais precisavam da reflexão não se sentiriam atraídas pelo conteúdo. Certamente o pessoal do TED percebeu que o conteúdo dele era muito bom e por isso convidaram para fazer uma palestra. Certamente as quase 5 milhões de pessoas que assistiram a palestra devem ter opinião diferente da sua com relação a forma como ele apresentou o conteúdo. O fato é que ele conseguiu transformar um assunto chato e que tem um final pesado, pois ele lembra as pessoas que elas irão morrer, em um assunto leve e divertido que pode servir para levar qualquer pessoa a fazer uma reflexão. Não tenho nada contra autoajuda. Provavelmente você não percebeu que o Clube dos Poupadores é um site de autoajuda. Se eu não acreditasse que as pessoas podem buscar o próprio aperfeiçoamento, não dedicaria meu tempo escrevendo conteúdo para que elas pudessem ler e se autoajudarem. Também não vejo nada de errado no fato do autor ganhar dinheiro com o conteúdo que ele produz, muito menos o fato de alguém que sofre com o problema da procrastinação criar conteúdo para ajudar pessoas que sofrem do mesmo problema. As pessoas normalmente não procrastinam por opção, elas sofrem com isso e precisam buscar conhecimento e ajuda para que possam controlar os problemas que isso pode gerar. A minha opinião é diferente da sua.

  54. margarete borba 18 de maio de 2016 at 11:50 - Reply

    Obrigado por compartilhar. me identifiquei, é claro! Espero que o macaco da procrastinação não atrapalhe meu futuro.

  55. Ricardo Nunes 18 de maio de 2016 at 12:15 - Reply

    Assunto tratado num momento crucial de nossa caminhada, onde grande parte das pessoas está atravessando turbulência, na maioria das vezes pelas praticas tratadas no artigo.

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:21 - Reply

      Oi Ricardo, o pior é que muitos não percebem que são os culpados pelos problemas que sofrem.

  56. Marcelle 18 de maio de 2016 at 12:17 - Reply

    Ótimo texto!! Passei 9 anos alimentando meu Macaco de Gratificação Instantânea, no início desse ano cheguei a conclusão que não poderia continuar assim pois me dei conta que o tempo está passando e não estou realizando meus objetivos. Esse texto veio confirmar e me motivar ainda mais a mudar.

    Gostaria de entender porque para algumas pessoas é mais difícil e para outras é mais fácil resisitir ao macaquinho, e assim correr atrás do que se acredita, com força de vontade.

    Obrigada pelos textos tão úteis e esclarecedores.

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:25 - Reply

      Oi Marcelle. Isso tem relação com inteligencia emocional. O macaco simboliza os nossos instintos e as nossas emoções. Isso nasce conosco. Com nosso amadurecimento tendemos a controlar melhor esses impulsos ou instintos. É fácil observar quem está no comando no comportamento de um adolescente e quem está no comando no comportamento de uma pessoa mais madura. É claro que não podemos generalizar, mas no geral é assim mesmo. O amadurecimento vem com o tempo, com as experiências, reflexões, observações e com o estudo.

  57. Suyanny 18 de maio de 2016 at 12:54 - Reply

    Obrigada por esse texto Leandro! Venho acompanhando seu blog há poucos meses e ele tem me ajudado bastante. Sempre decidia por organizar minha vida financeira, mas, como uma boa procrastinadora que sou, deixava para o próximo mês. Ler seus textos está me fazendo mudar e dar passos concretos na direção da minha independência financeira. Quero organizar melhor meus investimentos e meu tempo e deixar esse macaquinho bem distante do controle das minhas decisões.

  58. Luiz Henrique 18 de maio de 2016 at 16:09 - Reply

    Muito boa essa perspectiva de autoanálise, com o reconhecimento dos nossos macacos e monstros 🙂
    Para mim, uma grande mudança foi com a faculdade e o trabalho…até o colégio, dava para procrastinar bastante, mas depois a gente passa a ser cobrado pela qualidade, existe a competição/concorrência e não dá para fazer as coisas de qualquer jeito. Isso também foi fundamental para conseguir aprovação em um concurso público…abdicação dos prazeres instantâneos em prol de um estudo focado para garantir o futuro profissional.
    Ótimo texto, parabéns!

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:28 - Reply

      Oi Luiz, o problema reflete na vida acadêmica e profissional e o pior é que muitos não percebem. Esse é o maior problema.

  59. Diego 18 de maio de 2016 at 16:24 - Reply

    Eu tenho uma filosofia de vida que serve bem para o meu estilo: quanto menos ‘coisas’ eu tiver e menos pessoas eu conhecer, menos irei me incomodar.
    Então tendo sempre a ter menos. Trabalhar menos horas, conviver com poucas pessoas, diminuir a minha lista de tarefas, não ter filhos, não passar por cerimônia de casamento entre várias outras coisas que não me fazem falta nenhuma. Apenas faço o que precisa ser feito. Sinto pena daquelas pessoas que precisam de alguma coisa que não podem ter.
    Não tem problema nenhum em você desistir dos teus sonhos, abandonar algum objetivo difícil. Se alguma coisa está te atrapalhando muito a vida, pense bem se você simplesmente não pode abandoná-la. Não tem problema nenhum nisso.
    Agora, se você tem que fazer alguma coisa que é vital, faça de uma vez.
    É como aquela pessoa que sempre diz que não tem tempo para fazer atividades físicas. O problema é unicamente dela. Que compre uma esteira, acorde meia hora mais cedo e corra.

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:31 - Reply

      Oi Diego, normalmente é falta de vontade mesmo e não falta de tempo. O importante é que as pessoas se conheçam e façam as coisas com consciência.

  60. Daniel 18 de maio de 2016 at 16:54 - Reply

    Que artigo fodástico! Me vi diversas vezes durante a leitura, principalmente na parte dos exemplos. Preciso arrumar uma furadeira pra extrair esse maldito “macaco das gratificações instantâneas” da minha cabeça. Parabéns pelo artigo, Leandro.

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:32 - Reply

      Oi Daniel, ele já tem sérios problemas pelo simples fato de você perceber que ele existe. 🙂

  61. Jamil Afram Jr. 18 de maio de 2016 at 18:19 - Reply

    Leandro, congratulações pelo excelente material didático que você nos oferece. Este foi um dos melhores que li ultimamente, inclusive pela abrangência, que vai além do limite da educação financeira.

    E o mais valoroso no seu trabalho é cada e-mail respondido um a um para cada um dos seus leitores, mesmo que seja só um obrigado. Nós leitores é que agradecemos.

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:35 - Reply

      Oi Jamil. Na verdade o tema tem relação forte com os resultados financeiros das pessoas. Muitas vezes aparecem leitores relatando dificuldade de investir por não conseguiram poupar ou por não terem uma renda suficiente para poupar. Sei que alguns sofrem as consequências da procrastinação e não percebem isso. Ganham pouco por adiarem decisões importantes para crescer na carreira profissional. Poupam pouco por estarem sempre procrastinando e buscando distrações que muitas vezes custam muito caro. Existem aqueles que não possuem planos para a vida, vivem uma dia depois do outro, como os seres irracionais que só conseguem ver o presente, ou seja, não refletem sobre o passado e não planejam o futuro (como mostrou o artigo)

  62. Alexandre Pitanga Rosa 18 de maio de 2016 at 18:38 - Reply

    Internalizado e compartilhado no face. Ótimo como tudo que você escreve. Impressionante também sua dedicação em responder comentário por comentário. Abraço.

  63. Sara 18 de maio de 2016 at 22:31 - Reply

    Oi Leandro tudo bem?

    Parabéns pelo artigo.Tomei consciência da procrastinação na minha vida, e uma das coisas que fico muito triste é que faz muiiiiito tempo que estudo inglês e parece que não vou para frente. Tomei consciência que por minha procrastinação deixei de focar e não estudar direito. Isso tem me custado muito… dinheiro, tempo e muito frustração. Muitas vezes não pude me candidatar para vagas excelentes de trabalho por não ter inglês fluente. Isso me frustra muito. O teu artigo tocou num ponto crucial do motivo que nos faz não termos uma vida mais realizada.

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:36 - Reply

      Oi Sara. Parabéns por suas reflexões. Elas são o primeiro passo para a mudança.

  64. thiago firmino pereira 18 de maio de 2016 at 22:32 - Reply

    Poxa eu sempre quiz tentar melhorar meu orçamento mais sempre gasto dinheiro com coisas fúteis, queria conseguir fazer algo vou tentar melhorar meu aspecto de vida financeira.

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 1:38 - Reply

      Oi Thiago, sua autocrítica é o primeiro passo. Parabéns.

  65. Marcelo 19 de maio de 2016 at 0:51 - Reply

    Boa noite, professor a cada artigo seu que leio me surpreendo com tantas informações de qualidades não somente para uma educação financeira, mas também em outras partes de nossas vidas. PARABÉNS. Foi tirando o macaquinho de lado, e com a força de Deus que hoje tenho duas casas que construir com minhas próprias mãos,não deixando totalmente o lazer de lado mas aproveitando o máximo do meu tempo, acho que ainda tem um pouco de procrastinação dentro de mim, mas não vou desistir de lutar contra ela, resumindo quando olho para trás sinto uma sensação muito boa de tempo bem aproveitado, ainda tem os elogios que receberei por toda minha vida, das pessoas que presenciaram meus esforços.

    Um abraço…

  66. Flavio Rezende 19 de maio de 2016 at 8:13 - Reply

    Leandro,
    Bom dia,
    Parabéns por mais um excelente tópico, te acompanho desde o inicio e como sempre você é excelente.

    Tenha uma pergunta mas não é relacionada ao post e sim ao “Amigos do clube dos poupadores”. (Te peço desculpas por estar desvirtuando o tópico).

    Na área do fórum restrito está sendo debatido o mercado ações? Em que nível está o pessoal? Avançado ou iniciante? Estão falando de analise técnica e/ou fundamentalista (backtest, daytrade, position trade, buy and hold, Fibonacci, ombro-cabeça-ombro, etc) ou apenas indicações de compras porque “eu acho que vai subir”?

    Gostaria de assinar o clube apenas para acompanhar o tópico de ações, porém se estiver em nível básico não será muito válido para mim.

    Obrigado

    • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 12:13 - Reply

      Olá Flávio. Dentro do fórum de debates existe um tópico fixo (o primeiro que escrevi) que fala sobre “O lado bom e o lado ruim de um fórum de debates” especialmente um fórum sobre investimentos. Ao ler esse conteúdo você nunca mais vai perder seu tempo em fóruns sobre investimentos na bolsa em busca de indicações de compra, recomendações, previsões se vai subir ou cair. Dessa forma, esse tipo de conteúdo não existe lá dentro já que todos os participantes percebem que é um grande risco se deixar influenciar com isso. A maioria dos leitores do Clube dos Poupadores estão mais focados em renda fixa e acúmulo de patrimônio no longo prazo. Dessa forma, ainda não existem muitos debates nas áreas de renda variável. Se você busca uma área de debates avançados sobre técnicas fundamentalistas e análise técnica, o fórum ainda não oferece esse espaço, mas no futuro isso certamente será construído com a participação dos leitores que se interessam pelo tema.

      • Diego 19 de maio de 2016 at 13:16 - Reply

        Muita gente se ilude com o mercado de ações. Acha que o único meio de ganhar dinheiro nesse meio é comprar na baixa e vender na alta. Tolo engano. Isso é possível, mas é tarefa para poucos. Em grande parte das vezes você vai perder dinheiro. O patrimônio somente se acumula com o tempo, então analise as empresas, avalie se ela está dando lucro, como está a dívida dela, enfim, verifique a saúde da empresa. Invista em empresas sólidas, com o objetivo de ser sócio.
        Esquece essa de ficar tentando prever as coisas, indo atrás de analistas, isso não existe. Não queira ser a mãe Dináh do mercado financeiro.

        • Leandro Ávila 19 de maio de 2016 at 15:46 - Reply

          O caminho é esse.

        • Flavio 19 de maio de 2016 at 18:10 - Reply

          Diego, é possível sim ganhar dinheiro na bolsa e viver dela sem ser investidor e sim trade, inclusive conheço pessoas e por isso perguntei sobre analise técnica. Existem padrões que são repetidos a anos. É possível operar vendido, aluguel de ações, operar comprado e longo prazo. Eu como jovem acredito que vale o risco de perder ou ganhar, terei muito tempo para recuperar e os lucros podem ser investidos em empresas promissoras e não apenas na pagadoras de dividendos.

          • Diego 20 de maio de 2016 at 18:47

            Boa sorte então Flavio.

  67. Claudenor 19 de maio de 2016 at 9:02 - Reply

    Olá Leandro Ávila bom dia.

    Excelente matéria, mais uma vez como sempre você surpreende a todos nós com o seu vasto conhecimento, tenho aprendido bastante aqui no clube dos poupadores, não somente como administrar o meu dinheiro, más também dia após dia a ser uma pessoa melhor devido os artigos aqui publicado.

    Como é do seu conhecimento para deixarmos de se procrastinadores, precisamos constantemente, fazer a nossa auto avaliação em todos os sentidos da vida.

    Aproveito a oportunidade e sugiro que você algum dia publique materiais na área de finanças voltadas vinculados a PNL (Programação Neuroliguística ).

    Um grande abraço

    Claudenor

  68. Jefferson Ancelmé 19 de maio de 2016 at 14:18 - Reply

    Fantástico!!

    #semmais

  69. Davilson 19 de maio de 2016 at 15:08 - Reply

    Chefe, texto fantástico, parabéns e obrigado por disseminar o conhecimento e debate do tema.
    Porém, acredito que o macaco é benéfico tbem, pois as vezes tomamos ações precipitadas que nem sempre são as mais vantajosas e algumas ate mesmo desnecessárias, no meu caso ficou evidente que não procrastinar é importante, porém, toda ação deve ser calculada e pensada na reação e/ou resultado.
    Sucesso….

  70. Karla 19 de maio de 2016 at 15:48 - Reply

    Oi professor. Por favor, me dê uma sugestão. Me sinto um pouco angustiada com a vida. Acredito que estou em desequilíbrio mas não sei em quê. Não é que eu não goste do meu trabalho, mas é que nos últimos meses estava querendo aproveitar ao máximo a alta dos juros e estava guardando a maior parte de meu salário, com isso outras áreas da vida estão sendo muito restritas. No entanto, como sou apaixonada por viagem, sempre viajei em julho e em dezembro, contudo, quando vou fazer o orçamento, fico pensando se duas viagens são muitas, se só uma não seria o suficiente, se poderia ser menos dias da viagem… enfim, mas ao mesmo tempo fico pensando que só tem um ano que comecei a guardar dinheiro com um propósito (independência financeira), então não tenho uma quantia muito alta, mas ao ler alguns livros e ler alguns artigos também vejo que quanto mais temos mais queremos (seja em lazer ou seja na poupança extrema), e aí me vem esse dilema: o quanto eu poderia guardar e usufruir do lazer (em porcentagem por mês) no meu orçamento para que esse macaquinho não tomasse as redias de minha vida mas ao mesmo tempo não deixar a vida ficar chata, como se ela fosse só o trabalho e poder gastar o dinheiro sem peso na consciência?

    • Leandro Ávila 21 de maio de 2016 at 23:23 - Reply

      Oi Karla. Você deve poupar para realizar sonhos de longo prazo como a independência financeira e poupar outra parte para objetivos de prazo mais curto como realizar uma viagem. Quando você define objetivos e quantias para o hábito de poupar, você não precisa fazer isso com angustia ou sentimento de culpa.

  71. CarriQue 19 de maio de 2016 at 16:56 - Reply

    Oi Leandro, gosto muito sempre de tudo que vc escreve e recomendo fortemente seu site a todos os amigos que iniciam ou querem ler, gosto muito da sua atitude e principalmente sou leitor assiduo de comentarios e suas respostas. vejo a presteza com a qual vc responde
    estive procurando no site e nao encontrei muito sobre DIVIDENDOS
    tenho uma vontade de conhecer um pouco mais
    pode me ajudar??

    fico grato pelo seu bom trato e o excelente site

    • Leandro Ávila 21 de maio de 2016 at 23:22 - Reply

      Olá, tenho poucos artigos sobre investimento em bolsa de valores. É complicado escolher empresas que pagam bons dividendos no meio da mais grave crise econômica das últimas décadas. Grande parte das empresas sofrem com queda nas receitas e lucros. Mas certamente devo escrever mais sobre isso no futuro.

  72. Renato Bressan 20 de maio de 2016 at 6:27 - Reply

    Muito boa a alegoria! Valeu pelo artigo! Abraço!

  73. Edna 20 de maio de 2016 at 12:17 - Reply

    Este texto doeu. E pensar que muitas vezes eu deixo o controle do meu tempo e da minha vida ao acaso. As caixinhas do tempo assustam.
    Muito obrigada, por mais um texto divisor de águas.

  74. Rodrigo 21 de maio de 2016 at 11:38 - Reply

    Como diz minha mãe: “É melhor sofrer agora que sofrer depois”, essa frase é o resumo desse artigo. Parabéns.

    • Leandro Ávila 21 de maio de 2016 at 23:19 - Reply

      Oi Rodrigo. Depois os problemas tendem a se agravar. Parabéns pela sabedoria da sua mãe.

  75. Enio 21 de maio de 2016 at 19:27 - Reply

    Parabéns Leandro com seus textos inspiradores e motivadores, parabéns mais uma vez.

  76. Wandy 22 de maio de 2016 at 2:45 - Reply

    Parabens Leandro ! Ha um tempo atras estava com um mico desse, Mas ele queria virar King Kong , e consegui por corrente no pe do mico, estao , estou vigiando sempre para ele nao ocupar o espaco q ele deseja no meu dia-a-dia, olha Eu tenho um clube de amigos que estao com esse macaco e sempre comentam que precisam sair da procrastinacao e Vivem repetindo a mesma fala. Muito gratificante seus artigos!!

  77. Roberto Baba 22 de maio de 2016 at 6:05 - Reply

    Ola

    Sensacional..a muito tempo venho fazendo exatamente em tudo que seus artigos dizem , mesmo as vezes sacrificando o meu passatempo ou apenas adiando um desejo ou sonho, hoje em dia os resultados apareceram como um passe de magica e os 42 anos comeca vida o sentido liberdade..Valeu todo sacrificio e perseveranca…cada artigo demonstrado aqui me diz que fui pelo caminho correto ou contario da grande maioria, o surf me ajudou muito nesta caminhda pois a praia e de todos e gratuito para diversao

    Abraco..

  78. Marcus 22 de maio de 2016 at 20:51 - Reply

    Muito bom texto, uma ferramenta que passei a utilizar diarimente contra a procrastinação foi o Evernote. Lhe ajudar a expor e lembrar das tarefas necessárias do dia-dia

    • Leandro Ávila 23 de maio de 2016 at 5:47 - Reply

      Oi Marcus. Obrigado, existem muitas ferramentas que ajudam muito, mas precisam do comprometimento das pessoas.

  79. Necy Corsino 23 de maio de 2016 at 13:22 - Reply

    Eu sempre me achei uma não procrastinadora, mas depois de ver o vídeo e ler seu artigo, tive que concordar que, de alguma maneira, todos nós somos procrastinadores em alguma área de nossas vidas…

  80. Gabriel 23 de maio de 2016 at 14:47 - Reply

    Leandro, ótimo artigo, percebi que sou un plocastinador e vou melhorar isso. Você ja feZ algum artigo sobre Bitcoins? Gostria de saber mais sobre…
    Obrigado

  81. graziane 24 de maio de 2016 at 16:34 - Reply

    Um dos melhores textos que ja li!
    muito bom!!!

  82. Deise 25 de maio de 2016 at 13:53 - Reply

    Leandro, excelente texto. De forma leve tocou em um tema super sério que impacta a vida de muitas pessoas. Esse mal da procrastinação e seu macaco da gratificação instantânea estão presente de diversas formas nas nossas vidas. É inevitável se não tivermos munidos de informação, por mais prazer que traga instantaneamente, a frustração de não ter dado o seu melhor em determinado assunto será ainda maior e mais devastadora. Eu nunca gostei de deixar nada para o último dia, mas confesso, que esta vigilância me causa muitos desgastes físicos e emocionais.
    Muito obrigada pela excelente contribuição.

  83. Ederson 27 de maio de 2016 at 17:07 - Reply

    Excelente Artigo! Vou lê-lo amanhã… (brincadeira).

  84. Dante 28 de maio de 2016 at 9:04 - Reply

    Parabéns Leandro por mais um texto excelente!
    Obrigado por ajudar-nos a entender o “mundo real” e nos preparar melhor para o futuro.

  85. Rafael Mariano 11 de junho de 2016 at 16:56 - Reply

    Muito bom Leandro, obrigado!

  86. Joel 20 de junho de 2016 at 17:44 - Reply

    Mais difícil que deixar de procrastinar é encontrar palavras para lhe elogiar que já não foram usadas!

    Meus parabéns Leandro.

  87. Wandercy 22 de junho de 2016 at 10:15 - Reply

    Leandro Ávila. AMEI este texto e ilustrações. Realmente nós brasileiros deixamos tudo para a “ultima” hora e não temos visão de planejamento. Vou sempre lembrar do macaco de gratificações instantâneas quando eu for adiar algo que causará impacto em minha vida. Grata por compartilhar ! Se eu desejar ainda há tempo de mudar ! E mudarei !

  88. Jaqueline Alves 22 de junho de 2016 at 20:49 - Reply

    Fiquei realmente impressionada com a leitura! Artigo simplesmente perfeito. Parabéns!

  89. Érika Madeira 5 de julho de 2016 at 18:02 - Reply

    Leandro Parabéns! Acompanho seus artigos e quero felicita-lo não só pelo conteúdo de qualidade mas também pela excelente estruturação e clareza de todos os textos. Admiro sua forma de distribuir conhecimento incitando sempre o leitor a refletir e tomar suas próprias decisões embasadamente ao invés de simplesmente consumir informações prontas! A área financeira é apenas o meio que lhe permite impactar positivamente a evolução da sociedade! Mando daqui boas vibrações!

    • Leandro Ávila 27 de julho de 2016 at 10:45 - Reply

      Oi Érika, muito obrigado. Eu também concordo que a área financeira é apenas um meio. O próprio dinheiro é apenas um meio.

  90. Cristiano Nascimento 2 de agosto de 2016 at 21:19 - Reply

    Parabéns Leandro Ávila!
    O seu texto está maravilhosamente bem. Gostei do texto e estou curtindo muito o seus comentários sucesso…

  91. felipe 8 de setembro de 2016 at 15:58 - Reply

    ola Leandro, e simplesmente surpreendente como e preciso esse artigo eu já tinha percebido que tinha algo errado comigo pois deixava de fazer coisas importantes para fazer coisas do tipo passa tempo chegando ate a me prejudica na faculdade, mais estou lutando muito cotra isso e esse artigo me fez entender clara mente o que tava acontecendo.(A LEITURA LIBERTA)
    OBRIGADO.

    • Leandro Ávila 26 de dezembro de 2016 at 15:32 - Reply

      Oi Felipe. Parabéns por iniciar essa luta, que é a mais importante de todas, a luta contra as resistências que existem dentro de você.

  92. Robert 30 de setembro de 2016 at 2:58 - Reply

    Parabéns Leandro. Um ótimo tema para reflexão. A propósito tem uma frase de um escritor Brasileiro que diz “a gente mata o tempo e o tempo nos enterra “…..

  93. Fernanda 23 de dezembro de 2016 at 16:50 - Reply

    Texto maravilhoso e sem dúvida uma oportunidade de despertar desse macaquinho malvado. Por algum motivo eu encontrei esse site e esse texto era tudo que eu precisava hoje, sou uma procrastinadora nata, desde criança, apesar de faltar pouco para terminar minha graduação, hoje com 24 anos, eu não tenho dúvida que esse trajeto teria sido bem mais prazeroso se não tivesse procrastinado tanto. A procrastinação corrói, martiriza e é uma grande causa das frustrações e ciclos viciosos na vida das pessoas, por quê continuamos? se sabemos os seus danos.. Grata pela colaboração, sem dúvida as suas palavras ajudam muitos!

  94. Paulo 11 de janeiro de 2017 at 22:41 - Reply

    Veio na hora certa, na verdade, eu (e meus colegas) na faculdade somos assim, sabemos que “o bicho vai pegar” no final do semestre mas não se esforçamos nos prazos ideais, o que no final das contas acabamos fazendo um trabalho de um ou três meses em uma semana ou mesmo em 3 dias… o pior é saber de tudo isso e acabar que o “macaco” fala mais alto por “N” motivos fúteis. Como retirar essa “preguiça” de nós??

    • Leandro Ávila 3 de fevereiro de 2017 at 8:12 - Reply

      Oi Paulo. O “macaco” é parte de você, não pode ser retirado. Durante toda a sua vida será necessário travar uma guerra interior contra ele. Chegou o momento de assumir o controle da sua vida. Tenho certeza que você é mais forte que ele.

  95. Luciana 1 de fevereiro de 2017 at 22:58 - Reply

    Esse texto me veio bem a calhar. Pior que isso sempre acontece. Sinto que se não procrastinasse, teria muito mais progresso em minha vida. Organizar meu tempo e concluir as tarefas a que me proponho é um desafio para mim. Agora quando acontecer, vou lembrar do macaquinho e mandar ele embora! rs Obrigada!

    • Leandro Ávila 3 de fevereiro de 2017 at 8:11 - Reply

      Oi Luciana. Só em saber que ele existe, você já terá um grande resultado. Parabéns.

  96. Karla 17 de fevereiro de 2017 at 0:19 - Reply

    Oi Leandro, estou gostando muito dos seus textos, este é excelente e parece que está contando minha história. Sou deste modelinho, até na monografia foi assim. Hoje sofro pela falta de foco alguns anos atrás, e olha que potencial tenho muito, poderia já ter tido muito sucesso, mas ainda dá tempo é só expulsar este macaco da minha vida. Obrigada e parabéns, vou melhorar!

    • Leandro Ávila 17 de fevereiro de 2017 at 7:32 - Reply

      Oi Karla. Só o fato de ter consciência do problema já representa 50% da solução. Parabéns e continue.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo