Diversão, lazer e passatempos são importantes e alegram sua vida no presente.  Quando você exagera, eles podem resultar em um futuro pobre, cheio de problemas e frustrações.

A vida que você leva hoje é uma consequência do acúmulo de decisões e tarefas realizadas no passado. Como esperar um futuro próspero se você deixou as decisões importantes para depois e gastou seu tempo com distrações? Você precisa tomar consciência sobre uma coisa que existe dentro da sua cabeça e que está atrapalhando o seu futuro.

Estava assistindo a história do Tim Urban que é um procrastinador assumido. Ele é autor de um blog chamado “Wait But Why” e graças aos seus artigos sobre procrastinação ele acabou sendo convidado para palestrar no TED sobre o tema “Por dentro da mente de um mestre da procrastinação“. Provavelmente você vai se identificar com a história dele. Afinal de contas, a procrastinação faz parte da natureza humana e precisamos lutar contra ela.

Tim Urban mostra que todos os problemas começam nas escolas e universidades e depois invadem nossas atividades profissionais e os planos que temos para nossa própria vida. No meu ponto de vista, no contexto da educação financeira, isso inevitavelmente acaba interferindo no sucesso profissional e financeiro das pessoas. Você logo vai entender o motivo.

Quando Tim era estudante universitário precisava entregar uma monografia no final do curso. O gráfico abaixo mostra a quantidade de trabalho diário necessário para concluir a monografia de 90 páginas.

Depois de alguns meses procrastinando, Tim foi obrigado a refazer seus planos. O gráfico abaixo mostra o novo plano de Tim para concluir a monografia até o final do ano. Com menos tempo, ele foi obrigado a aumentar o trabalho diário para fazer pesquisas e escrever a monografia.

Tim continuou procrastinando até o momento em que faltavam apenas três dias para a data de entrega da monografia. Movido pelo pânico, ele se sentiu obrigado a escrever todo o trabalho em apenas 72 horas (veja o próximo gráfico). É claro que o resultado final foi uma monografia de péssima qualidade. Provavelmente você já passou pela mesma situação na sua vida acadêmica, profissional e pessoal. O pior é que você sempre acaba estressado(a), com uma sensação de culpa, percepção de improdutividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com as suas responsabilidades e compromissos dentro do que era esperado.

Como funciona por dentro:

Tim Urban, como procrastinador assumido, resolve explicar para os não-procrastinadores como funciona a cabeça das pessoas que sempre deixam tudo para depois. Na sua hipótese, bem-humorada e didática, existe uma enorme diferença entre os dois cérebros. Na figura abaixo temos o exemplo do cérebro das pessoas que não procrastinam, que realmente estão no controle das suas vidas, que tomam decisões racionais pensando nos resultados no longo prazo, mesmo que isso comprometa sua diversão no presente.

Logo abaixo temos o cérebro do procrastinador e podemos observar que existe uma diferença. Ele também tem o “Tomador de Decisões Racionais” no comando, mas também existe aquilo que o autor chama ludicamente de “Macaco das Gratificações Instantâneas” representando o nosso lado irracional (emocional) que nos convoca a buscar o prazer e a satisfação imediata de todas as nossas vontades sem pensar no amanhã.

É exatamente assim que todos os animais irracionais se comportam (representado pelo macaco). O seu cachorro não lamenta o passado e não se preocupa com o futuro. Ele vive o presente e se sente feliz assim. Somente o desconforto imediato gerado pela fome, sede, dor ou medo faz seu animal de estimação deixar a ociosidade de lado.

Os animais só conseguem perceber uma parte do quadro (o presente). O ser humano consegue perceber o quadro completo (passado, presente e futuro) e sofre quando não realiza aquilo que sonhou. Para fugir desse sofrimento ele tende a sair do conforto e do prazer presente para construir um futuro melhor, mesmo que isso significa sacrifícios. É isso que move a humanidade e nos difere dos outros animais.

 

 

Quando você acorda e toma a decisão de terminar aquelas tarefas importantes para o seu futuro, o macaco da gratificação instantânea lembra que você tem um monte de coisas mais divertidas e gratificantes para fazer antes de iniciar a tarefa. São atividades prazerosas, mas que não geram resultados capazes de melhorar o seu futuro nos próximos dias, meses ou anos. Na verdade, são distrações.

Suas distrações preferidas consomem muito tempo, mas você não percebe o tempo passando. É por isso que muitas atividades prazerosas são chamadas de passatempo. Quando estamos realizando essas atividades o tempo passa rapidamente e não sobra tempo para o que é importante. As próximas figuras criadas pelo Tim ilustram essa realidade de uma forma bem-humorada.

 

Quando o lado do seu cérebro representado pelo “Macaco das Gratificações Instantâneas” está no comando da sua vida, ele te levará para o que o autor Tim Urban chamou de “The Dark Playground” ou “O Parque das Trevas”.

O Parque das Trevas:

O Parque das Trevas é aquele lugar onde você passa o tempo em atividades prazerosas, mas que logo depois sente culpa, decepção, tristeza e ansiedade. Estes sentimentos são o que restam quando você percebe que deixou o tempo passar sem realizar as tarefas que são realmente importantes e que vão fazer diferença na sua vida.

Existe uma enorme diferença entre aproveitar momentos de diversão depois do dever cumprido e gastar seu tempo com diversão sem merecimento, ou seja, sem fazer aquilo que precisava ser feito, sem atingir seus objetivos ou sem fazer o dever de casa. Quando você está com a consciência tranquila diante do dever cumprido, os momentos de diversão são extremamente gratificantes e felizes.

Anjo da guarda do procrastinador:

Só existe um momento em que o “Macaco das Gratificações Instantâneas” desaparece da vida do procrastinador. É neste momento que o “Tomador de Decisões Racionais” assume o controle e finalmente executa todas as tarefas atrasadas. Este momento ocorre quando surge o que o autor chamou de “Monstro do Pânico”. É ele que faz você realizar as tarefas na última hora. Esse monstro é o verdadeiro anjo da guarda dos procrastinadores.

Esse monstro fica adormecido até a última hora. Ele só acorda quando existe o risco claro e inevitável do constrangimento público, prejuízo financeiro ou qualquer transtorno assustador na sua vida profissional, social e financeira. Ele sempre aparece antes da entrega da declaração do imposto de renda, antes da entrega de trabalhos escolares, antes do último dia para qualquer inscrição, matrícula ou cadastro, antes da data final para a entrega de relatórios, memorandos, orçamentos, projetos, serviços, etc.

Movido pelo medo das consequências, o seu lado “Tomador de Decisões Racionais” tenta recuperar o tempo perdido por culpa do “Macaco das Gratidões Instantâneas” e começa a trabalhar intensamente para cumprir os prazos. Como a pressa é inimiga da perfeição é inevitável que os seus resultados sejam ruins.  Isso reflete negativamente na sua vida profissional, na sua qualidade de vida e na sua prosperidade financeira.

Quando o monstro falha:

O “Mostro do Pânico” só consegue salvar a vida dos procrastinadores quando as tarefas possuem uma data limite para serem executadas e quando existem agentes externos (pessoas ou instituições) cobrando resultados e punindo você quando os prazos não são respeitados. Exemplos: Reprovação quando a tarefa escolar é entregue com atraso. Demissão quando o trabalho é feito às pressas e sem qualidade. Prejuízo financeiro quando seu cliente desiste de esperar a entrega do serviço.

O problema é que nem todos os objetivos importantes na sua vida possuem agentes externos cobrando e punindo quando eles não são atingidos. Quando você é responsável por estabelecer objetivos e cobrar resultados de você mesmo, o monstro do pânico não aparece.

Ninguém vai cobrar de você para termina de ler o livro que comprou. Ninguém vai cobrar de você que poupe mais e aprenda como investir melhor para garantir um futuro mais seguro e confortável para sua família. Ninguém vai cobrar de você que invista na sua qualificação profissional para melhorar sua renda. Ninguém vai cobrar de você que cuide da sua saúde. Ninguém vai cobrar de você que estude mais para tomar decisões melhores em todas as áreas da sua vida, incluindo a área financeira. Se você não estabelecer objetivos e prazos, ninguém vai cobrar nada de você, nem mesmo o monstro do pânico se fará presente. O Macaco das Gratificações Instantâneas fará a festa e dominará sua vida.

Como você pôde perceber os objetivos importantes na sua vida não possuem cobranças de terceiros. Atividades importantes e decisões envolvendo sua vida familiar, seus filhos, seu cônjuge, sua saúde, sua vida profissional e financeira só dependem da sua vontade e da sua vigilância.

O truque mais traiçoeiro do “Macaco das Gratificações Instantâneas” ocorre quando não existem prazos. O problema é que não somos eternos. Todos os nossos planos possuem um prazo final para serem executados que é o dia da nossa morte.

Por isto, o  Tim Urban termina sua palestra recomendando que as pessoas criem o que ele chamou da “Calendário da Vida”. Desenhe em uma folha de papel uma caixinha para cada semana da sua vida. Se você acredita que irá viver até os 90 anos, você precisa de um calendário com 4680 caixinhas. Você já não tem todas as caixinhas livres, seria necessário eliminar todas as semanas que você já viveu e olhar apenas para as semanas que faltam até os 90 anos.

Ele recomenda que as pessoas olhem o calendário da própria vida e observem que existe uma data limite em algum ponto surpresa desse calendário. Ele conclui dizendo que precisamos estar mais conscientes sobre o “Macaco da Gratificação Instantânea”.

Eu complemento dizendo que precisamos planejar, estabelecer objetivos e metas para aquelas coisas que só serão cobradas por nossa consciência nos minutos finais da nossa existência. Esse é um trabalho que você deveria começar a fazer hoje.  Bem… a não ser que o seu macaco esteja no controle agora.

Dica do dia - Melhorando seu desempenho:

Sucesso é o processo contínuo do esforço para tornar-se maior e melhor. É a oportunidade de continuar crescendo emocional, intelectual e financeiramente, enquanto se contribui de alguma forma positiva para outros. Você se sente preparado(a) para atingir aquilo que você definiu como seu sucesso? Escrevi alguns livros que podem ajudar muito na sua jornada rumo ao seu sucesso financeiro e profissional. Eles já estão ajudando milhares de leitores aqui do Clube dos Poupadores. Clique aqui para saber como funciona.