Quero ficar rico rápido

Recebi uma mensagem de um jovem querendo saber o que ele deveria fazer para ficar rico rápido. Ele deixou claro que não queria só ficar rico. Ele queria ficar rico rapidamente.

Você provavelmente já deve ter pensado sobre isto, principalmente durante sua juventude. Quando somos jovens temos muito tempo, muita motivação e pouco dinheiro. Quando iniciamos nossa vida profissional passamos a ter pouco tempo, algum dinheiro e muita motivação. Quando as pessoas atingem o sucesso profissional não possuem mais tempo livre, estão cheias de dinheiro e pouca motivação para continuar.

Uma vida com qualidade depende de um equilíbrio entre estes recursos: tempo x dinheiro x motivação. O desequilíbrio nos produz insegurança, insatisfação e descontentamento com a vida que levamos. Muitas vezes sentimos um vazio.

De nada adianta ter muito dinheiro se você não tem nenhum tempo livre. Também não é nada animador para um jovem ter muito tempo livre e nenhum dinheiro.

Se enriquecer financeiramente é um dos seus objetivos, você precisa refletir sobre duas questões que vão interferir no quanto de tempo você precisa para atingir este objetivo:

A primeira questão é descobrir o que é ser rico para você.

O que você entende por sucesso financeiro costuma ser diferente do que o outro entende. Para uns, sucesso financeiro significa ter dinheiro suficiente para manter o padrão de vida que já possui, sem precisar contar moedas, sem precisar fazer dívidas, sem precisar trabalhar tanto e viver sempre na escassez de tempo e dinheiro.

Para outras pessoas o sucesso financeiro significa elevar o padrão de vida e de consumo para níveis máximos trocando o carro por um helicóptero, a casa por uma mansão, a viagem de avião por uma viagem de jatinho particular.

Quanto mais sofisticado for o padrão de vida que você escolheu para você, maior será o sacrifício para obter o sucesso financeiro que seja suficiente para bancar esse padrão.

Uma revisão sobre o padrão de consumo que você gostaria de ter para se sentir satisfeito seria um bom início.

A segunda questão poderá ser compreendida com facilidade através desta história que recebi por e-mail recentemente:

Uma pessoa estava caminhando em uma pequena estrada de terra no meio de um grande vale. Na margem do caminho havia um monge meditando sobre uma pedra. Ao se aproximar a pessoa disse para o monge: “Bom dia senhor. Quanto tempo vou levar para chegar no topo daquela montanha?”

O monge ouviu, olhou a montanha e nada respondeu. A pessoa perguntou novamente e o monge ignorou. A pessoa começou a suspeitar que o monge era surdo. Depois da terceira tentativa ela desistiu de perguntar e continuou caminhando. Alguns minutos depois o monge gritou. “Sete dias!!!”

A pessoa estranhou e retornou até o monge para fazer outra pergunta: “Senhor, fiz a pergunta três vezes e o senhor me ignorou. Por que o senhor esperou eu ir embora para gritar a resposta?”

O monge olhou para a pessoa e disse: “Para responder sua pergunta eu precisava saber o quão determinado estava e o quão rápido você estava caminhando”.

Perceba que o tempo necessário para atingir seus objetivos depende da sua motivação e das ações que você realizará. Por isto, a resposta sobre quanto tempo é necessário para se conquistar o sucesso (em qualquer área, incluindo a financeira) depende basicamente de três coisas:

  1. O que é sucesso para você?
  2. Onde você está agora e para onde precisa ir para atingir este sucesso?
  3. Qual a força da sua motivação e o que está fazendo para atingir seus objetivos?

Você consegue perceber o peso da sua responsabilidade sobre tudo que acontece na sua vida?

Querer não é poder quando você não planeja e não executa o que foi planejado. Na maioria das vezes as pessoas não traçam objetivos e metas profissionais e financeiros. Quando possuem metas e objetivos não traçam uma estratégia.

Querer não é poder. Quem pôde, quis antes de poder só depois de poder. Quem quer nunca há-de poder, porque se perde em querer. Autor: Fernando Pessoa

Se a pessoa vai levar 7 dias ou 7 anos para atingir o topo da montanha depende do que vem de dentro dela, ou seja, da sua força de vontade para realizar as ações necessárias para se atingir o objetivo.

Se você já fez uma dieta sabe que a dificuldade não está em saber quais atividades físicas devem ser realizadas e que mudanças alimentares você precisa fazer. O conhecimento sobre as ações que devem ser realizadas é fácil de obter e de entender. O que vai te levar a um peso saudável é a sua motivação que está dentro da sua mente. O mesmo ocorre na sua vida financeira.

Por isto desenvolver sua inteligência emocional é tão importante quanto aprender como investir, como obter o máximo de rentabilidade ou como ganhar mais dinheiro. Estes últimos vão determinar a sua velocidade. Quem aprende mais sobre ganhar mais dinheiro, poupar mais dinheiro e investir melhor está trabalhando a velocidade da caminhada até a montanha (é o lado racional da questão).

Você precisa desenvolver a sua força de vontade (aquela energia que te move a fazer o que precisa ser feito e não aquilo que te dá mais prazer). Comer menos ou poupar dinheiro não é nada agradável, já que você está indo contra a sua natureza que pede o consumo imediato de todas as calorias possíveis e a coleta e posse imediata de todos os bens que o seu dinheiro pode comprar. Evoluímos socialmente e tecnologicamente, mas continuamos sendo seres coletores e armazenadores de calorias.

Para que você aprenda novas coisas, para que você desenvolva novas habilidades e melhore a qualidade e a produtividade do que você faz (tudo isso resulta em sucesso financeiro) é necessário que você trabalhe as forças que te motivam a agir.

Eu pessoalmente acredito que o sucesso depende de três vertentes básicas:

  1. O que você faz com seu Tempo
  2. O que você faz com seu Dinheiro
  3. O que você faz com sua Motivação

Tempo: Você precisa transformar seu tempo em dinheiro de forma mais inteligente. Precisa perceber que ser mais produtivo pode abrir um mundo de oportunidades profissionais e financeiras na sua vida. Ser produtivo significa fazer mais e melhor gastando o mesmo tempo que os outros gastam para fazer pouco e mal feito. Ser mais produtivo já seria suficiente para crescer dentro da maioria das empresas (se a empresa onde você trabalha não reconhece os mais produtivos, caia fora). Profissões que permitem ganhos com base na produtividade (e não só pelo salário fixo) oferecem maiores oportunidades para aqueles que querem se esforçar mais para ganhar mais. O mesmo ocorre com aqueles que trocam o emprego por um empreendimento. Quando você possui sua empresa, sente-se motivado para trabalhar mais, já que os ganhos adicionais vão direto para o seu bolso. Você ainda pode delegar tarefas e liberar seu tempo para fazer aquilo que realmente é importante para o crescimento da empresa. O problema que ocorre é que a maioria das pessoas preferem ter um emprego do que gerar empregos. A maioria prefere vender tempo por salário fixo do que ganhar com base no quanto produz. Muitos jovens brasileiros saem das universidades sonhando com um emprego público, enquanto em outros países os jovens sonham em obter sucesso financeiro fundando empresas que um dia serão grandes. (Veja a história do homem mais rico da Ásia).

Dinheiro: Depois que o dinheiro está no seu bolso você precisa aprender a lidar com ele corretamente. Aqui entra todo o conhecimento de educação financeira que ajuda a consumir de forma consciente e inteligente para que você possa poupar mais dinheiro com o objetivo de investir (ganhando juros) e com isto poder realizar seus sonhos de consumo sem precisar pagar juros para os outros. Usando seu dinheiro com inteligência, você vai gastar menos tempo da sua vida correndo através do dinheiro. Vai tirar o máximo benefício do dinheiro que ganha para manter o padrão e a qualidade de vida que você sonha ter.

Motivação: Aqui é a base de tudo. A motivação é  o impulso interno que leva à ação. Existem muitos  que estudam por que seres humanos em determinadas situações específicas escolhem, iniciam e mantém determinadas ações. Tudo que você quer, você pode, desde que, você esteja motivado para isto. Você pode ser motivado por alguém ou pode se automotivar. Quanto você está motivado direciona o seu pensamento, a sua atenção, e suas ações para um objetivo que você enxerga com algo positivo.

Você já parou para refletir que as pessoas mais poderosas que a humanidade já conheceu possuíam todo o seu poder concentrado em um só atributo que é a capacidade de motivar pessoas? A força de vontade humana é a maior de todas as forças.

Uma pessoa desequilibrada que domina o poder da motivação é capaz de motivar milhares ou até milhões de pessoas a cometerem barbáries, como ocorreu na última grande guerra mundial ou como ocorre hoje entre fundamentalistas religiosos na África e Oriente Médio.

Não precisamos ir tão longe para entender o poder da motivação. Quando você liga a televisão, sempre existem pessoas nas novelas, nos jornais, nos comerciais te motivando a fazer alguma coisa. Uma notícia te motiva a consumir menos água. Um político te motiva a votar nele. Um comercial te motiva a comprar um determinado produto.

Sempre existem pessoas querendo te motivar a fazer aquilo que elas querem que você faça. Algumas vezes são coisas para o seu próprio bem, às vezes só produz o bem de quem motiva e não do motivado.

Como fica quando você gostaria de ter motivação para fazer aquilo que só beneficia você mesmo? Você já sabe quais são suas metas e objetivos (sabe o que quer da vida). Você já tem um plano, você elaborou uma estratégia que precisa ser colocada em prática para atingir o que você deseja. Só que agora está faltando a força de vontade necessária. Aqui vemos como é importante a automotivação, ou seja, conseguir motivar-se sozinho.

Não adianta muito esperar que as pessoas te motivem a fazer aquilo que você acha melhor para sua vida, as pessoas estão mais preocupadas em te motivar a fazer aquilo que beneficiam a vida delas.

By |27/01/2015|Categories: Enriquecimento|66 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

66 Comments

  1. Eliane 27 de janeiro de 2015 at 12:48 - Reply

    Olá Leandro
    Gostei muito deste artigo.
    Como sempre você nos faz refletir e pensar sobre nossos verdadeiros valores.

    Um Grande Abraço.

    • Leandro Ávila 27 de janeiro de 2015 at 13:45 - Reply

      Obrigado Eliane.

      • Jose Sousa 9 de abril de 2016 at 21:43 - Reply

        Leandro. Boa Noite.
        Simplesmente maravilhosos os teus artigos.
        Me senti como se estivesse falando comigo.
        Estou no primeiro degrau da escada. Muitas idéias, sonhos e muita insegurança.
        Dai fico naquela do emprego estável.
        Olha não vou para de ler esses artigos.

        • Leandro Ávila 16 de junho de 2016 at 20:53 - Reply

          Obrigado José. Parabéns por dedicar seu tempo estudando e se desenvolvendo. Isso é o início de tudo.

      • Jose Sousa 9 de abril de 2016 at 21:52 - Reply

        Leandro. Estou fazendo um curso rápido gratuito no Canal Veduca. La tenho tido uma visão de como funciona investimentos. Ainda assim estou com grandes dúvidas quanto a como começar investir em Tesouro Direto ou ações. Até por que no momento tenho pouco dinheiro para isto. Ex. R$ 500,00.. ainda não tive coragem de procurar uma corretora. Principalmente por receio de escolher uma corretora ruim. Se possível me dar alguma sugestão. Apreciarei muito suas dicas neste assunto.

  2. Felipe 27 de janeiro de 2015 at 12:51 - Reply

    Leandro, mais uma vez parabéns pelo seu artigo. Quando leio os livros sobre educação financeira vejo sempre rentabilidades reais (descontada a inflação) bem altas, daí eu lhe pergunto: para uma pessoa, digamos bem infomada financeiramente, que esteja antenada nos melhores investimentos, qual a rentabilidade real que você considere factível? Uma aplicação em LCI com 90% do CDI fornece 10.85% a.a descontada a inflação (6.5%) isto nos dá 4.35% a.a de rentabilidade real. Isto pode ser considerado pouco? Abraços

    • Leandro Ávila 27 de janeiro de 2015 at 13:45 - Reply

      Oi Felipe. No Brasil temos os investimentos de renda fixa que pagam os maiores juros reais do planeta. Aumentar seu patrimônio em termos reais (acima da inflação) em 4% ou 5% por ano, sem correr nenhum risco e sem desempenhar nenhum esforço (sem trabalhar) é um sonho para quem vive em países com a economia desenvolvida. É por este motivo que muitos investidores externos entram no mercado brasileiro comprando reais para obter esta rentabilidade real tão elevada. Existem países onde os juros são próximos de zero, a maioria não oferece rentabilidade acima da inflação sem riscos. É por isto que lá fora o cidadão precisa aprender a investir na bolsa quando pensa na aposentadoria já que não existe renda fixa que ofereça bons rendimentos. É por isto que lá fora as pessoas preferem abrir um negócio ou investir em empresas para obter ganhos maiores. Para isto elas precisam correr riscos. O brasileiro comum não entende esta realidade. Não aproveita esta situação. Preferem passar a vida toda pagando juros do que ganhando juros para realizar suas compras com um custo menor. Tirando bancos e instituições financeiras brasileiras, os estrangeiros são os que mais investem em títulos públicos brasileiros, mais do que os próprios brasileiros (pessoa física). É uma situação lamentável.

  3. Andréa 27 de janeiro de 2015 at 13:28 - Reply

    Mais uma vez, um excelente artigo! Venho acompanhando seu site desde o ano passado e desde então venho aprendendo mais como poupar e gastar sabiamente. Para mim, está claro que este artigo se aplica em qualquer âmbito, não só financeiro….

    • Leandro Ávila 27 de janeiro de 2015 at 13:38 - Reply

      Obrigado Andréa. Quanto mais tenho contato com pessoas que procuram se educar financeiramente, mais percebo que muitas delas estão estagnadas financeiramente, não por falta de conhecimentos sobre como investir, onde investir, etc. Existem muitas pessoas esclarecidas que precisam trabalhar aquela força interna que nos move até aquilo que queremos. Isto vale para todas as áreas da vida. Por isto estou aprendendo mais com autores que trabalham a inteligência emocional. Desta forma posso intercalar ensinamentos para nosso lado racional e emocional que possam trazer benefício para a vida financeira das pessoas. Orientar só sobre o lado técnico, matemático, econômico deixa alguma coisa de fora. Não fica completo. Um abraço.

  4. Guilherme 27 de janeiro de 2015 at 15:11 - Reply

    Olá Leandro!

    Primeiramente parabéns pelo site, conheci semana passada e já acompanho diariamente. Estou abandonando de vez a poupança e concentrando meus investimentos atualmente em LCI e LFT, e uma pequena parcela em ações que eu já possuía. Gostaria de saber sua opinião sobre fundos, pois não sou um estudioso deles. Acha que vale a pena expandir os investimentos para eles também, ou manter apenas em LCI/LCA e títulos do tesouro é suficiente, no momento, para obter bons ganhos com menos risco?

    Grande abraço

    • Leandro Ávila 28 de janeiro de 2015 at 11:31 - Reply

      Oi Guilherme. Os fundos de renda fixa e DI são boas opções para quem pretende manter reservas de emergência com liquidez diária, ou seja, dinheiro que você pode usar a qualquer momento. O problema seria encontrar fundos que cobrem taxas de 1% ou menos. Na LFT você não tem liquidez diária, os títulos só podem ser vendidos na quarta-feira.

  5. Andreza Borges 27 de janeiro de 2015 at 16:49 - Reply

    Seguindo seus passos, Leandro!!!
    Parabéns, você é o cara!!

  6. Flávio 27 de janeiro de 2015 at 18:18 - Reply

    Leandro, como sempre seus artigos são muito bons.
    Eu queria uma opinião sua. Sou funcionário público. O que eu ganho da para viver de uma forma relativamente confortável. Graças a Deus meu pai me deixou um montante no banco. Parte desse montante (80%) está aplicado em um plano de previdência privada e o restante em LCI.
    Montei uma estratégia a longo prazo que é a seguinte: otimizar meus gastos de forma que eu utilize o mínimo necessário do meu salário para as despesas mensais. O restante coloco em alguns bons investimentos. A medida que esses investimentos forem me dando rendimentos (juros) mensais eu utilizo esses juros para os pagamentos mensais de modo a guardar uma fatia cada vez maior do meu salário. Meu foco é poder guardar integralmente o meu salário e só depender dos juros das aplicações para as despesas do mês. Tenho alguns objetivos de curto, médio e longo prazo. Inclusive, quando estiver com uma estabilidade de investimentos melhor e com o mercado mais favorável pretendo aplicar um percentual desses juros em ações.
    Na sua opinião é uma boa estratégia?

    Obrigado

    Flávio

    • Leandro Ávila 28 de janeiro de 2015 at 11:27 - Reply

      Oi Flávio, é uma estratégia boa se você não esquecer de viver, ou seja, da mesma forma que não é legal gastar tudo que se ganha e no final do mês não ter nada para você (todo dinheiro foi gasto para pagar os outros) também não é saudável viver com o mínimo possível (passando privações) só para poder poupar e investir. Por isto é importante ter metas e objetivos na vida e que o dinheiro seja utilizado para isto. Tudo deve ser feito com equilíbrio.

  7. Gustavo Ventura 28 de janeiro de 2015 at 7:37 - Reply

    Leandro, muito obrigado por mais este ótimo artigo! Só para complementar, gostaria de comentar que senti falta de algum parágrafo citando o exemplo de diversas pessoas que sonham em ficar ricas rápido, ganham em alguma loteria (ficam ricas rápido) mas por não terem a menor noção de como o mundo financeiro funciona, logo perdem o patrimônio que conseguiram sem esforço.

    O que vem fácil, vai fácil!

    • Leandro Ávila 28 de janeiro de 2015 at 11:15 - Reply

      Oi Gustavo, ainda pretendo escrever sobre as pessoas que gastam tempo e muito dinheiro ao longo da vida em jogos como as loteria. Obrigado por esta sugestão.

  8. saulo venancio 28 de janeiro de 2015 at 9:01 - Reply

    Parabens, Leandro,
    como sempre, um dos melhores sites de inteligencia financeira da internet.
    continue assim. excelente artigo.
    tem gente que pensa que enriquecer é só ganhar dinheiro. eu entendo que enriquecimento e empreendedorimo se relaciona com crescimento pessoal. se não estou como queria, tenho que me desenvolver mais.
    parabens.
    um abraço.

    • Leandro Ávila 28 de janeiro de 2015 at 11:13 - Reply

      Oi Saulo. Eu também acredito nisso. O enriquecimento material é apenas uma consequência do seu enriquecimento interior. A riqueza externa é insustentável nas mãos de alguém que é pobre interiormente (pobre de valores éticos e morais, pobre de conhecimento e sabedoria). A medida que você enriquece por dentro, menos riqueza externa você precisa para se sentir feliz.

  9. Joel 28 de janeiro de 2015 at 14:34 - Reply

    Olá Leandro, boa tarde!
    Parabéns pelo site e pela boa vontade de ajudar os mal educados financeiramente falando. Leandro me cadastrei no seu site dia, 26/01/2015 desde então venho acompanhando seus artigos que são ótimos.
    Leandro tenho pressa em investir em LFT para aproveitar a auta da Selic, porém estou com dúvidas, receio e perguntas. Será que poderia me ajudar respondendo algumas perguntas?
    Enviei para voce no dia em que me cadastrei, 26/01/2015 às !9:39 horas uma série de perguntas para: [email protected] Não quero abusar da sua boa vontade, mas por favor dependo dessas respostas para tomar coragem e começar meus investimentos, já que estou lendo sobre Tesouro Direto.

    • Leandro Ávila 28 de janeiro de 2015 at 22:51 - Reply

      Olá Joel. Eu não estou mais conseguindo responder as mensagens que me enviam por e-mail. Eu tenho um número de horas por dia para dedicar ao Clube dos Poupadores. Eu preciso usar este número de horas para escrever novos artigos. Quando publico estes artigos algumas pessoas deixam comentários publicamente. Quando respondo estas perguntas na área de comentários a resposta também fica pública. Com isto outros leitores que possuem a mesma dúvida vão encontrar a pergunta do leitor e a resposta. Com isto posso ajudar milhares de pessoas com a mesma dúvida. Já quando as pessoas começam a me enviar e-mails com questões pessoais, pedido de consultoria (eu sou educador, não sou consultor) fico sem saber o que fazer. Se responder um por um não terei mais tempo para continuar a publicar novos conteúdos no Clube dos Poupadores, não terei tempo para responder comentários que serão lidos por milhares de pessoas e não por apenas uma pessoa.

  10. Flávio 28 de janeiro de 2015 at 16:14 - Reply

    sim, leandro, vc tem razão. tem que haver um equilíbrio ai, entre poupar e investir e o lazer. Também penso nisso. Aliado a uma poupança de investimentos, também pretendo fazer uma poupança para lazer, viagens, etc.
    Mas em tudo na vida, pra vc conseguir algo tem que haver uma certa dose de sacrifícios. Não estou dizendo que vou me abster em me dar momentos de lazer. Pretendo equacionar os gastos com lazer com os investimentos e a medida que eu for auferindo juros dessas aplicações eu poderei ter mais lazer sem, contudo, comprometer uma parcela cada vez maior do meu capital principal

  11. Diego 28 de janeiro de 2015 at 18:53 - Reply

    Oi Leandro, acho que este artigo veio num bom momento para mim… Não estou nem um pouco motivado no meu emprego atual, em parte porque não sinto que a empresa reconheça e valorize o esforço e produtividade, em parte porque tenho um filho recém nascido, e o emprego não me deixa passar quanto tempo gostaria com ele. Já pensei várias vezes em fazer como você diz e “cair fora”, mas o emprego é bem remunerado e estável, e, como está alardeado aos quatro ventos, inclusive por você neste blog, este ano será péssimo para a economia, o que dificulta a se reposicionar no mercado, e mais ainda a empreender. Fico preocupado em sair e não conseguir uma renda para sustentar minha família. Não sei se devo arriscar agora, ou esperar um momento melhor na economia, ou mesmo esperar mais uns 3 anos neste emprego, quando calculo conseguir minha independência financeira.

    Enfim, tô mais desabafando mesmo…

    Abraços

    • Leandro Ávila 28 de janeiro de 2015 at 22:34 - Reply

      Oi Diego. Recomendo que segure seu emprego e comece a planejar outras possibilidades. Construir patrimônio e buscar a independência financeira é uma ótima estratégia para que você tenha maior liberdade para trabalhar naquilo que você realmente gostaria de fazer. Muitos acreditam que independência financeira tem como objetivo oferecer os meios para que possamos parar de trabalhar. Não é assim. A vida sem trabalho, sem serviço e sem servir perde o sentido. Reduzir sua dependência do salário através dos investimentos de dá a liberdade para planejar outros objetivos para sua vida, outras formas de produzir, trabalhar, servir fazendo aquilo que você realmente gosta.

  12. Guilherme Burdinski 28 de janeiro de 2015 at 22:29 - Reply

    Temas abordados sempre excelentes! Muito agradecido pelo compartilhamento de ensinamentos, não há “faculdade” que ensine todos estes conhecimentos, de vossa autoria, compartilhada conosco. Desejo-lhe muita saúde, sabedoria, paz e motivação para a continuação deste projeto do “clube dos poupadores”. Grato.

  13. Caio Monteiro 29 de janeiro de 2015 at 10:21 - Reply

    Leandro, parabéns por mais um artigo tão bem escrito. Sua didática é das melhores que já vi na internet. Conheci seu blog há pouco tempo e não paro de ler, suas ideias batem muito com as minhas. Uma dúvida que queria saber se pode me ajudar é sobre LCIs e LCAs: existe algum local que possa ver uma lista de todas as opções disponíveis hoje, se possível “rankeadas”, e outra, onde posso adquirir esses investimentos? Na própria corretora, pelo home broker ou mesa de operações? Ou é direto com a instituição financeira? Invisto em ações e Tesouro Direto, quero diversificar minha carteira, e será minha primeira vez em LCIs e LCAs. Abraços e continue o ótimo trabalho.

    • Leandro Ávila 29 de janeiro de 2015 at 11:36 - Reply

      Oi Caio. Não conheço esse local. Cada corretora exibe para seus clientes (em área restrita) qual LCI e LCA está disponível naquele momento, de qual banco, qual taxa e vencimento. Parabéns por aprender mais sobre outras formas de investimento.

  14. Caio Monteiro 29 de janeiro de 2015 at 10:28 - Reply

    Ah, e esqueci de mencionar sobre o artigo. Eu também tinha esse pensamento quando era mais novo, de querer tudo e agora, e depois de cair e levantar algumas vezes aprendi a ser mais paciente e que tudo depende muito da minha força de vontade. Cheguei inclusive a ter alguns problemas de saúde, cansaço, gastrite, pelas frustrações de querer os resultados sem antes correr atrás. Acho que é um mal do ser humano, e hoje aprendi a controlar mais isso. Fico feliz que pessoas como você divulguem seu conhecimento e ajudem outras pessoas a controlarem mais suas emoções. Ainda estou no começo, mas um dia espero também poder compartilhar minhas experiências e conhecimentos. Abraços e sucesso!

  15. Joel 30 de janeiro de 2015 at 20:33 - Reply

    Leandro boa noite! Peço lhe perdão mil vezes, pois não tenho e não terei a pretenção de lhe usar como meu consultor, entendo que o seu tempo é valioso. O problema é que como estou querendo iniciar logo e fico ansioso.
    Ainda continuo com receio, dúvidas e perguntas, se você puder me ajudar mandarei as perguntas aos poucos: Ex.: 1 – Em caso de falecimento, com fica o dinheiro aplicado, algum familiar pode resgatar esse dinheiro? 2 – Como você é imparcial, você poderia dizer nomes de corretoras que não posso confiar nunca? 3- Qual corretora é mais confiável e competente para você? 4 – Gostaria de investir em LFT para aproveitar a alta da Selic,(30/01/2015 à 30/01/2016), um ano. Depois sairia para as LTNs., É correto esse raciocíneo?

    • Leandro Ávila 1 de fevereiro de 2015 at 12:30 - Reply

      Olá Joel. Quando as pessoas morrem é necessário fazer uma coisa chamada inventário. É necessário um advogado. Todos os bens são listados, todas as pessoas que possem direito legal de receber sua herança aparecem este documento, a divisão dos bens é realizada e antes de receber o dinheiro sua família terá que pagar imposto ITCMD (Imposto de transmissão causa mortis e doação), ou seja, até para morrer você precisa pagar imposto no Brasil. Não basta o que eles retiram de você durante toda a vida. Eu não gosto de recomendar corretoras pois para te dizer qual é a melhor corretora deveria primeiro avaliar todas as corretoras e eu nunca fiz isto. Sou cliente da XP, mas isto não significa que ela é a melhor. Investir em LFT enquanto os juros estão em alta e depois em LTN para garantir (fixar) taxas mais elevadas enquanto os juros estão em queda é a estratégia conservadora que muitos utilizam.

  16. Joel 1 de fevereiro de 2015 at 18:36 - Reply

    Obrigado Leandro pela sua atenção e paciêcia, e mais uma vez parabéns pela boa vontade de ajudar aqueles que precisam de educação financeira.
    Um dia desses lendo vários comentários de seus seguidores, um deles falava em: curto, médio e longo prazo, então eu pergunto. Qual seria o tempo do curto, médio e longo prazo?
    Leandro ; Para o investidor faz alguma diferença aplicar seu dinheiro em uma corretora fora de sua Cidade? Ou é melhor procurar uma corretora dentro de sua Cidade? IR descontado ,é restituído? Existe alguma lista onde eu possa procurar os pequenos Bancos com as melhores rentabilidades?

    Um grande abraço e obrigado.

    • Leandro Ávila 9 de fevereiro de 2015 at 10:23 - Reply

      Oi Joel. Até 1 ou 2 anos pode ser curto prazo. Entre 2 e 5 médio prazo e 10 anos ou mais seria longo prazo. Também poderia ter o de 20 ou 30 anos de longuíssimo prazo. A maioria das grandes corretoras ficam em São Paulo e no Rio de Janeiro. Para o investidor não faz diferença o local físico onde a corretora está. IR sobre lucros dos investimentos não é restituído. Existem estas listas dentro das corretoras que oferecem os produtos destes bancos. Só mostram a lista para os clientes. Não conheço um site aberto onde estas informações fiquem disponíveis.

  17. Marcos 4 de fevereiro de 2015 at 7:33 - Reply

    Leandro! bom dia! ótimo artigo!
    Depois que comecei a ler seus artigos, transferi todos meus investimentos em PGBL para Tesouro Dierto NTB-N Principal, mesmo pagando um montante elevado de IR, em 6 ou 7 anos pelas minhas projeções já estarei com o mesmo valor bruto dos investimentos. E considerando longo prazo terei ao final de 30 anos mais do que 30% no Tesouro Direto.
    Fora isso, mantenho um investimento com liquidez diária no LCA (com 85% do CDI, sendo baixo no meu ponto de vista, uma vez que o investimento é de R$ 100mil), o que me garante ainda a isenção de mensalidade no Banco do Brasil.
    Estou seguindo seus conselhos de nao me endividar esse ano e os planos que eu tinha de começar a construir uma casa esse ano no interior, estou postergando e olhando com cuidado para planejar essa construção, uma vez que uma parte do meu LCA iria ser empregado para isso.

    Obrigado e continue com o ótimo trabalho!.Abs

  18. Alex Pereira 5 de fevereiro de 2015 at 9:47 - Reply

    Olá Leandro, gostei bastante do artigo.
    Mas, só acho uma coisa quanto a “ficar rico rapidamente”. Vejo exemplos de pessoas que ganharam dinheiro rápido, conseguiram ficar ricas num curto intervalo de tempo, mas, para mim, muitas destas não são pessoas ricas. Elas não pensam e não possuem a educação financeira de uma pessoa rica. Acho que para ficar rico e continuar rico, demora um bom tempo, demanda muita educação e e às vezes reeducação. Vemos casos de pessoas que ganham verdadeiras fortunas e acabam com ela rapidamente, ficando até mais pobres que antes. Por quê disso? Não possuem educação financeira.
    Gostei da parte “a maioria das pessoas preferem ter um emprego do que gerar empregos…” acho que essa é uma parte da mentalidade da classe rica e não da média e pobre.
    Eu não sou rico, mas, a cada dia, estou buscando mais conhecimento, tentando me reeducar financeiramente.

    Bom, esta é a minha humilde opinião.

    • Leandro Ávila 5 de fevereiro de 2015 at 12:23 - Reply

      Oi Alex. É verdade. A riqueza exterior é reflexo da sua riqueza interna. Um comerciante que sabe ser um bom comerciante, ou seja, que está preparado internamente com todas as qualidades e habilidades necessárias, terá sucesso financeiro como consequência do bom trabalho que irá realizar, superando a concorrência e atraindo bons clientes. O mesmo acontece com o bom engenheiro, com o bom médico, com o bom advogado ou até mesmo com o bom operário ou trabalhador que se destaca dos outros, investe em educação e com o tempo cresce profissionalmente dentro do mercado onde trabalha.

  19. Dumar 19 de fevereiro de 2015 at 16:58 - Reply

    Boa tarde Leandro, tenho 100mil para investir, minha gerente me sugeriu investir no IPCA MAX do Itau (50mil) e o restante na previdencia privada (para aposentadoria). Não sou nenhum expert em investimentos, mas achei que eu poderia investir de maneira melhor. Quero investir para aposentadoria sim, mas também quero aumentar o patrimonio. Qual sua sugestão?

    • Leandro Ávila 20 de fevereiro de 2015 at 10:33 - Reply

      Olá Dumar. Acho que você deveria ler mais e entender mais sobre planos de previdência privada para não cometer um enorme erro. Dificilmente os planos de previdência são mais vantajosos do que você investir seu dinheiro por conta própria pensando na aposentadoria. Não entender de investimentos vai te custar muito caro. Basta um pouco de leitura e dedicação. Recomendo a leitura deste livro aqui. Recomendo que aprenda mais sobre como investir em títulos públicos. Leia este artigo aqui. O IPCA Max do Itaú, pelo que entendi oferece o dobro do IPCA. É uma forma de manter uma rentabilidade acima da inflação por alguns anos.

  20. Dumar 20 de fevereiro de 2015 at 9:15 - Reply

    Em tempo… Esse ipca max “Sobre IPCA MAX , não tem taxa de administração. Somente IR sobre o rendimento no final do período que será de 15%.”
    Será que vale?

  21. Desabafosdocs 24 de março de 2015 at 10:32 - Reply

    Excelente post!

  22. davi 2 de abril de 2015 at 1:27 - Reply

    Muito bom!
    li um pouco sobre fundo imobiliário, o que acha?
    recomenda algum tipo de investimento em especial para aproveitar capital aportado por clientes enquanto estes ficam em minha posse aguardando tempo de contrato?

  23. joelson 20 de maio de 2015 at 11:50 - Reply

    ou leandro ajuda ai cara! cosegui ajustar minha finança com minha gastansa.nao sei o que fazer contratar a custodia de um banco ou de uma corretora o meu banco cobra 0,50 doc alto as corretoras nao cobram taxa de administração mas cobram taxas de manut/caregagem o que faço.fico tranquilo que o lucro é certo. então pego qualquer uma pois vou investir a medio prazo.

    • Leandro Ávila 21 de maio de 2015 at 9:27 - Reply

      Se você não se sente seguro em investir através de corretoras, nada impede de começar sua experiência pela corretora do banco. Faz parte do seu processo de aprendizagem.

  24. Allef Santos 28 de julho de 2015 at 16:28 - Reply

    bom leandro vim aconpanhando seu site a um tenpo gostei muito quero parabenizalo pelo seu otimo trabalho gostei se nosso pais tivesse muitas pessoas como voçê nosso brasil seria outro .
    mais uma vez obrigado pelo otimo trabalho!
    olha estou com um dinheiro e tive pensando em conprar ouro ou dolar oque acha? já que o brasil não esta com a sua economia muito boa.

    • Leandro Ávila 28 de julho de 2015 at 17:15 - Reply

      Oi Allef Santos, é uma decisão difícil. Muita gente comprou dólares no início do ano apostando no agravamento da crise. Quem fez esta aposta teve uma boa rentabilidade, mas perceba que foi uma aposta.

  25. Leandro Ávila 7 de agosto de 2015 at 12:28 - Reply

    Obrigado Alexandre, parabéns pelo trabalho.

  26. Cristiane Gouget 14 de novembro de 2015 at 8:28 - Reply

    Leandro,

    Sensacional esse seu artigo, pois está bem completo como os outros artigos de seu site. Fico espantada com a sua dedicação e já acompanho seu trabalho há um tempo e tenho um e-book seu, onde percebo que escreve com muita propriedade no assunto. Quanto mais leio, mas chego a conclusão que o caminho para ser rico, está mais associado a forma como pensamos e agimos, ou seja, a hábitos financeiros saudáveis que qualquer outra coisa.

    Sucesso e abraços!

    Cristiane Gouget

  27. Joanatan 11 de fevereiro de 2016 at 21:35 - Reply

    Obrigado pela aula

  28. Douglas Dias 21 de fevereiro de 2016 at 21:24 - Reply

    Mais um artigo sensacional. Obrigado Leandro.

  29. Helena varela 13 de setembro de 2016 at 19:52 - Reply

    Um imenso obrigado. ..sempre ajuda.

    • Leandro Ávila 14 de setembro de 2016 at 9:44 - Reply

      Oi Helena, por nada. Eu que agradeço sua participação.

  30. Wiviane Sales 22 de novembro de 2016 at 12:40 - Reply

    Nossa… este artigo foi na vertebral… é difícil encarar a realidade em saber que só depende de nós mesmos…

  31. Anésio 9 de fevereiro de 2017 at 19:42 - Reply

    Muito bom Leandro.
    mais uma lição de vida.

  32. Vinicius 24 de abril de 2017 at 0:09 - Reply

    Maravilhoso cada dia mais apreciado com sua inteligência parabéns tend me ajudado muito

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo