Crédito Consignado – Planilha, Taxas e Simulador


O crédito consignado é um verdadeiro parasita no salário mensal de milhões de brasileiros. Se tornou fonte de lucro fácil e garantido para inúmeras instituições financeiras que brigam, utilizando todas as artimanhas do marketing, para atrair cada vez mais interessados neste tipo de empréstimo fácil e rápido.

O crédito consignado é um empréstimo com pagamento indireto, ou seja, as prestações, juros e taxas são deduzidos da folha de pagamento ou do benefício previdenciário do contratante pessoa física. Antes mesmo de receber seu salário, a parcela da dívida já foi descontada.

Ele pode ser obtido em bancos e financeiras, cuja duração não deve ser superior a 72 meses. Infelizmente, desde 2003 o crédito consignado passou a ser estimulado pelo próprio governo. Para os eleitores, os políticos venderam a ideia de que o crédito consignado seria um benefício, uma forma do “pobre e indefeso trabalhador” conseguir empréstimos com juros menores para realizar seus “sonhos de consumo”.

Outra alegação estaria no uso dos empréstimos consignados como uma forma de aquecer a economia. O governo apostou na pior forma de fazer uma economia crescer que é estimulando as famílias a acumularem dívidas, quando deveriam estimular as famílias a criarem mais riquezas, acumulando e investindo o excedente.

Na prática, o Ministério Público Federal já demonstrou que existiam outras intenções por trás do estímulo político ao endividamento das famílias através desta modalidade parasita de dívida. Como você pode ver aqui, centenas de milhões de reais foram retirados da renda das famílias e repassados para partidos e seus políticos nos últimos anos através de esquemas envolvendo o crédito consignado. Desde o início (como você pode ver aqui) ocorreram relações obscuras entre grandes políticos e bancos que ofereciam crédito consignado.

Os próprios sindicatos correram até os bancos para “negociar acordos” para que essas instituições pudessem oferecer crédito descontando da renda dos trabalhadores sindicalizados, como se estimular o endividamento das pessoas fosse uma grande vantagem (fonte). Logo os bancos públicos se tornaram monopólios do consignado oferecido aos servidores públicos (fonte) estimulando a verdadeira maldição do servidor público (leia aqui).

Inúmeros escândalos, e diversos golpes (veja aqui) envolvendo essa modalidade de crédito já apareceram. Use a sua imaginação e tente refletir sobre a enorme quantidade de interesses que devem estar em jogo nas relações entre políticos, sindicatos, instituições financeiras, empregadores públicos, privados e intermediários diante dessa atividade tão lucrativa onde retirar os juros da renda do trabalhador é tão fácil quanto tirar doces da boca de uma criança.

Fuja do crédito consignado

Fique bem longe do crédito consignado e de qualquer modalidade de endividamento. A única coisa que você realmente vai conseguir ao usar o crédito consignado regularmente é formar um mau hábito financeiro. Você já deve saber que maus hábitos são fáceis de adquirir e difíceis de se livrar. Nada melhor para quem vende um produto ou serviço do que introduzir um mau hábito na sua vida.

Para cada 10 pessoas que recebem benefício do INSS, pelo menos 6 estão endividadas por meio do desconto em folha. No total, só essas pessoas devem mais de 102 bilhões para as instituições financeiras. Segundo o INSS, dos 33,8 milhões de beneficiários, 20,05 milhões têm operações com desconto em folha.  Fazendo uma simples conta podemos concluir que cada um dos endividados possui uma dívida média de R$ 5.104,46. Esse valor é três vezes superior ao benefício médio pago aos segurados da Previdência, que chegou a apenas R$ 1.240,65 (fonte). A maneira como os bancos e financeiras acediam os aposentados beira a imoralidade, mesmo quando feito dentro da legalidade.

Os bancos não gastariam dinheiro, tempo e recursos humanos ligando para sua casa tentando lhe convencer a fazer um crédito consignado se isso realmente fosse bom para você e sua família. Não existe dívida melhor que a outra ou crédito melhor que o outro. Dívida é dívida e são todas ruins para quem fica endividado.

Quanto maior o nível de ignorância financeira das famílias, mais se tornam vítimas fáceis das dívidas.

Se você precisa constantemente do crédito consignado para fechar as contas no final do mês isso apenas sinaliza duas coisas:

  1. Você vive constantemente em desequilíbrio financeiro, ou seja, está mantendo um estilo de vida mais elevado do que a realidade do seu salário.
  2. Você ainda não conhece a importância de ter a sua própria reserva financeira. É dela que você tirará os recursos necessários para fechar suas contas quando as despesas do mês forem maiores que a sua renda. Já mostrei como montar suas reservas quando critiquei o uso do cheque especial como complemento da renda, veja aqui.

Ter linhas de crédito consignado disponíveis não torna você uma pessoa especial. Usar esse crédito consignado não é sinal de inteligência. Viver sem dívidas, com um estilo de vida compatível com a sua renda é sinal de inteligência. Não trabalhar para pagar juros que sustentam bancos e financeiras é sinal de inteligência. Comprar de maneira planejada, ter sua própria reserva financeira para emergências e imprevistos é sinal de inteligência.

Crédito para quem está com nome sujo

Você provavelmente já deve ter visto alguma propaganda de empresas oferecendo dinheiro emprestado para pessoas que estão com nome sujo ou negativado. Essas ofertas são direcionadas para pessoas com sérios problemas financeiros e fazem uso do crédito consignado. Para a instituição que vai descontar as parcelas, juros e taxas diretamente no seu contracheque, pouco importa se você está com nome sujo no SPC, Serasa ou qualquer outra instituição de proteção ao crédito.

Se você não tem disciplina e organização com suas finanças, a busca por mais dívida só vai tornar você ainda mais endividado. A origem do problema está na falta dessas virtudes que citei (disciplina e organização) e falta de conhecimento (educação financeira). Como a origem do problema não é falta de dinheiro (é falta de outras coisas), conseguir mais dinheiro emprestado não vai resolver o problema. Mais dinheiro em um problema cuja a origem não é dinheiro, vai tornar o problema maior ainda.

Servidão por dívida

Desde os tempos do feudalismo as pessoas se tornavam servas dos donos de bens e de dinheiro através da formação de dívidas. Você literalmente poderia perder a sua liberdade se ficasse clara a sua incapacidade de pagamento. No passado, você pedia terra emprestada, segurança emprestada, alimentos ou dinheiro emprestado. Enquanto não pagasse sua dívida você era obrigado a trabalhar, como um servo, pagando com o seu trabalho ou com os frutos do seu trabalho.

Hoje não é muito diferente. Quando você compromete grande parte da sua renda através das dívidas que a sua ignorância financeira levou você a fazer, a parte da sua renda que deveria ser gasta com o bem da sua família, passará a ser gasta para sustentar a família de quem emprestou o dinheiro para você.

Atualmente você tem a opção de não aceitar fazer o papel de servo. Com o conhecimentos financeiros certo é possível se livrar das dívidas do consignado que comprometem a sua renda mensal por vários e vários anos. Ser servo ou escravo dos outros é uma situação que você não deveria aceitar e desejar. No lugar de servir os bancos, assumindo o papel de devedor, você pode ser servido pelos bancos assumindo o papel de investidor.

Escravos modernos não estão acorrentados, eles estão endividados.

Menores taxas para consignados

O Banco Central divulga uma pesquisa mensalmente com a taxa média de juros cobrada pelos principais bancos que oferecem empréstimos consignados. Você vai perceber que os bancos e financeiras que gastam mais dinheiro com propaganda são justamente aquelas que cobram as maiores taxas de juros. Veja as listas em três categorias:

Simulação de empréstimo

🔥 Simulador de empréstimo: Valor da prestação
Faça simulações de um empréstimo e descubra o valor da prestação, o valor total da dívida e quanto você irá gastar com o pagamento de juros.

Baixar Planilha: Simulação de empréstimo

Você pode baixar uma planilha com quatro possibilidades de simulação de empréstimos. É possível descobrir o valor da parcela, taxa de juros, número de prestações, valor do financiamento e custo total com pagamento de juros. Por ser uma planilha educativa você pode acessar e modificar as fórmulas para criar sua própria planilha. Clique aqui para baixar,

By |14/03/2017|Categories: Financiamentos|93 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

93 Comments

  1. Ricardo 14 de março de 2017 at 13:02 - Reply

    Olá Leandro,

    Com tanta gente endividada no Brasil, ainda há quem reclame nós sermos a nação com a maior taxa de juros do mundo – na casa dos dois dígitos – e, novamente, os campeões de juros reais pagos na renda fixa. Ninguém se atenta que os juros estruturais são altos porque nosso nível de poupança interna é baixa.

    “Juros altos é o prêmio pago pelo risco de se emprestar dinheiro quando este também é alto”.

    Excelente artigo.

    Abraço!

    • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 13:20 - Reply

      Oi Ricardo. A demanda por dinheiro emprestado é muito maior do que a quantidade de dinheiro disponível para emprestar. Um país rico é composto por famílias que conseguem ganhar e juntar dinheiro (acumular capital) e não de multidões de endividados. O próprio governo dá o mau exemplo ao ser o maior demandador de recursos do país. Apesar de tomar quase 40% de tudo que as pessoas produzem (através do impostos) ainda precisa buscar recursos emprestados (através da emissão de títulos públicos) para fechar suas contas. Temos um governo que também gasta mais do que ganha e que é um reflexo da sociedade que temos. Não é necessário fazer muito esforço para perceber que o Brasil é o pior lugar do mundo para pedir dinheiro emprestado e o melhor lugar do mundo para emprestar. As pessoas podem escolher em qual lado querem estar, podendo ser devedores ou investidores.

    • Jose 14 de março de 2017 at 16:03 - Reply

      O mais interessante é que no caso do consignado INSS, os bancos públicos são os que cobram as maiores taxas.
      Num país com queda de PIB de 7,5% em dois anos, e com o setor produtivo em frangalhos é notório os lucros exorbitantes que só crescem no setor bancário.
      Estes que deveriam ser instrumento para o crescimento da economia, viram a atividade mais lucrativa……parasitarismo puro e simples.
      A nação de escravos é a mesma nação de ignorantes e crédulos, que elege e reelege crápulas sangue sugas, que se regozijam em lautos banquetes, viagens e festas pelo país afora.
      Enquanto perdurar a ignorância do povo, ser político é a melhor “profissão” a escolher neste país.

      • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 16:41 - Reply

        Oi José. Nada disso existiria se as pessoas buscassem mais educação financeira. É incrível a cegueira da população. Observando atentamente podemos concluir que a ignorância da população é a mãe de todos os sofrimentos e aflições que ela mesma enfrenta. Eu acredito que pessoas precisam desejar o próprio desenvolvimento pessoal em todas as áreas da vida.

  2. Rhayan 14 de março de 2017 at 13:02 - Reply

    Leandro, Sempre leio todos seus artigos tanto no clube n dos poupadores quanto no transendencia financeira. No só os artigos mais os comentários de alto nível de informação. Material de qualidade e gratuito parabéns, e um dos poucos que produz informações sem querer vender algum produto ou sendo patrocinado.

    Algumas empresas quanto mais idoso a pessoa mais as empresas ligam para empurrar produtos que nem solicitaram. E o governo ainda apóiam​. Somos acuados em todos os sentidos. Governo falido não ajuda ninguém.

    Sugestao fazer uma matéria de operadora de celular nunca vi, empresa para encomendar tanto os próprios clientes para vender serviço.

    • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 13:26 - Reply

      Oi Rhayan. Infelizmente existem estreitos laços entre operadoras de celular, governo e políticos. Basta ver quanto elas gastam com doações nas campanhas políticas. Contamos em poucos dedos o número de empresas que operam no país. As regras são criadas para que poucas possam competir e controlar todo o mercado. Sem competição elas podem oferecer um serviço porco e ao mesmo tempo caro. Os problemas que elas provocam na população só serão solucionados no dia que qualquer empresa de telefonia do mundo tiver a liberdade de operar no Brasil oferecendo seus produtos e serviços livremente. Empresas ruins não sobrevivem diante da concorrência. Elas precisam da proteção dos governantes.

    • Giancarlo 14 de março de 2017 at 16:22 - Reply

      Realmente as operadoras de celular no Brasil oferecem um péssimo serviço e ficam tentando te forçar a comprar planos e promoções. Tive essa experiência nos últimos meses. Uma sugestão para quem se sentir incomodado com a oferta excessiva é fazer uma reclamação no site da Anatel (http://focus.anatel.gov.br/focus/FALECONOSCO/reclamacao-falar-operadora.asp). Eu só parei de ser incomodado por minha operadora depois que fiz uma reclamação na Anatel (que é o orgão do governo que fiscaliza esse serviço). Não adiantou só reclamar no próprio site da operadora. Eles me ligavam praticamente todos os dias me oferecendo migração de planos e “promoções”, sendo que eu já havia recusado e pedido para não ser mais incomodado com esse excesso de ligações. Felizmente depois que fiz uma reclamção na Anatel o problema foi resolvido e meu nome foi retirado de todas as lista de ofertas e promoções das operadoras e suas parceiras. Se eu pudesse teria mudado de operadora, mas no Brasil estamos preso a apenas algumas operadoras e todas elas praticam um péssimo serviço e não adianta muito mudar de uma para outra. O que adianta é reclamar e ir atrás dos seus direitos junto aos orgãos fiscalizadorers se a operadora não resolver a questão. Sempre que tiverem um problema em serviços telefonicos, de transporte, energia, plano de saude e etc é interessante reclamarem formalmente pelo site no orgão fiscalizador equivalente (ANATEL, ANTT, ANEEL, ANS e etc..), pois geralmente é onde as reclamações surtem algum efeito, já que sujeitam as empresas a grandes multas… e só assim o governo vai se ver forçado a cobrar melhoria dos serviços. Mas infelizmente o brasileiro em geral tem preguiça de formalizar as reclamações por escrito e/ou tem pouco conhecimento e nem sabe que existem as reguladoras dos serviços ou não sabem como fazer. Uma das coisas que facilita que essas empresas ofereçam um serviço ruim é a nossa falta de educação e de iniciativa de reclamarmos e cobrarmos nossos direitos até o final. Se todo mundo reclamasse e cobrasse a pressão para o serviço melhorar seria bem maior, pois as empresas se veriam forçadas a melhorar os serviços e os orgãos se veriam forçados a fiscalizar.

      • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 16:43 - Reply

        Oi Giancarlo. Muito obrigado por enviar essa sugestão.

  3. LILIANI CARTONILHO DE OLIVEIRA 14 de março de 2017 at 13:36 - Reply

    Perfeitamente claro. Como sempre vc foi direto ao ponto e muito bem respaldado. Parabéns

  4. raohael 14 de março de 2017 at 14:05 - Reply

    Caro Leandro.
    Muito bom seu artigo
    Para se entender até onde vai essa farra de juros de empréstimos para “negativado” basta observar quem “paga” o alto salário de 700 mil/mes do Bonner na Globo. A Crefisa e seu “cachorro saltante”.

    • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 15:04 - Reply

      Oi Raohael, instituições que oferecem crédito consignado (bancos e financeiras) são grandes patrocinadoras de emissoras de televisão, jornais, revistas, sites de notícia e até sites de educação financeira.

  5. Bispo 14 de março de 2017 at 14:36 - Reply

    Leandro,

    Apesar de realmente ser uma escravidão, o consignado me ajudou a sair da lama, troquei todas as dívidas por uma prestação fixa e com taxas de juros menos, o problema é não saber usar. Quitei minhas contas e hoje graças a Deus consegui reverter minha situação, tenho minha reserva de 12 meses de salário, previdência privada e investimentos em lotes. Estou estudando para começar a aplicar em outros investimentos, e seus artigos são excelentes, ajudam bastante

    • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 15:08 - Reply

      Oi Bispo. O ideal seria você nunca ter precisado usar uma coisa ruim (como o crédito consignada) para resolver o problema de outra coisa pior ainda (as modalidades de crédito mais caras que existem). Agora que você tem sua própria reserva financeira, está livre do pagamento de juros e taxas diante de emergências. Sempre que necessário você poderá emprestar dinheiro para você mesmo com base nas suas próprias reservas. Parabéns!

    • Luis 14 de março de 2017 at 16:26 - Reply

      Mas ainda não aprendeu que previdencia privada não é um bom negócio…

      • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 16:47 - Reply

        Oi Luis, no geral costuma ser um péssimo negócio. São raras aquelas que fazem algum sentido.

  6. Luiz Carlos da Silva Lucena 14 de março de 2017 at 14:37 - Reply

    Excelente artigo, porém, creio que infelizmente (ou felizmente?) quem realmente precisa dessas informações não lê este blog. Vejo que o público por aqui é de pessoas que já passaram por esta “fase” ou nunca passaram e estão em um ponto que procuram melhorar seus investimentos ou poupança.

    Muito bom seus blogs, adoro seus artigos e este foi bem curto, achei até estranho rsrs.

    • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 15:10 - Reply

      Oi Luiz. Os leitores regulares possuem amigos e parentes que estão enfrentando sérios problemas e podem usar esse artigo para ajudar o próximo. A ideia também é permitir que as pessoas encontrem esse conteúdo quando fizerem buscas no Google e se interessem por ler os demais conteúdos. Os leitores iniciantes também são os que menos participam por acreditarem que não possuem base de conhecimento necessária para participar. Isso dá a falta ideia de que todos os leitores que temos são avançados.

      • VIVIANE 15 de março de 2017 at 9:49 - Reply

        Taí…. sou uma dessas…. iniciante. To tentando conhecer mais e aplicar na prática, to com um consignado, o usei para me tirar da lama e agora é que estou conseguindo manter as despesas abaixo das receitas… pretendo usar os extras, como férias, restitição do IR etc. para quitar o consignado, além de fazer uma poupança paralela para emergencias… estou estudando também sobre renda fixa, e já vou começar, com 50,oo por mes, pq se não começar agora e esperar quantias maiores, só vou adiando… chega de adiar né?

        • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 11:11 - Reply

          Parabéns Viviane!

          • viviane 17 de março de 2017 at 1:23

            obrigada! é difícil, viu… aqui em casa somos tres e um cachorro, pagamos aluguel, todas as demais contas mensais básicíssimas – voltei o celular pro pré-pago e não temos tv a cabo. fiquei só com uma conta corrente, encerrei a outra – mas ainda pagamos faculdade e creche particular… tenso. moro em um condominio de apartamento simples, mas que tem quadra e parquinho, e uma área boa pra correr. como tenho criança não da pra voltar pra uma kitinete barata né. o nosso lazer é um churrasquinho uma vez por semana e levar a filha ao parque aos domingos, ou andar de bicicleta pela orla (moro em vitória – es. confesso que a estrutura de lazer da cidade ajuda muito). mas diante do pessoal do meu trabalho eu tenho um nivel meio baixo, sabe… já que eu e meu esposo viemos de família pobre, enfim…. terminei minha faculdade, ele está terminando a dele… suas dicas tem ajudado muiiiiiito obrigada. mas as vezes bate uma tristeza ao perceber que precisamos nos esforçar muito mais do que quem tem uma estrutura familiar financeira legal… bem, li o livro o homem mais rico da babilonia há tres anos, ainda to tentando colocar a fantastica dica dele em pratica, de poupar 10 por cento, pagar as dividas com vinte e viver com setenta por cento. uma das coisas mais … tipo… contrangedoras é o pessoal do trabalho olhar pra mim meio “com pena”, pq tenho poucas roupas, mas de material bom – aprendi isso com o livro Madame Charme, q ensina um pouco da cultura de Paris – e aí acabam me dando muitas roupas usadas… rsrsrsr… eu agradeço, mas acabo passando pra quem precisa mesmo né

          • Leandro Ávila 17 de março de 2017 at 16:50

            Oi Viviane. A faculdade que vocês fazem é um grande e importante investimento. Esqueça a pena dos colegas de trabalho, ela não tem qualquer utilidade. Liberte-se disso. Tenha orgulho de fazer a coisa certa de forma paciente e persistente.

    • Ramon Ricardo 16 de março de 2017 at 10:03 - Reply

      Já consegui que vários amigos passassem a ler esse blog.
      Meu exemplo de grande (quase extremo) poupador, e bom investidor me dá autoridade para falar, e sempre indico esse site para consultas.
      Muitos já assunam, logo poupam mais, investem no Tesouro e até abriram contas em bancos menores (de investimento) e em corretoras. (Ex. Paraná Banco, Daycoval)…

  7. Militar ES 14 de março de 2017 at 15:19 - Reply

    Olá Leandro, em outro artigo (Evite Empréstimos para Funcionários Públicos) fiz um comentário sobre empréstimos consignados e o quão danoso ele é.
    Como servidor público observo que grande parte dos meus colegas tem empréstimos consignados em seus contracheques e eu, infelizmente, não fujo à regra.
    Desde que conheci o CP criei consciência da burrada em que havia me metido, mas hoje, luto com todas as minhas forças para me livrar dessas correntes: Fiz um orçamento executável, abdico de muitas coisas e vivo um momento de sacrifício para acabar com esses empréstimos.
    A pior parte é que apesar da decisão final sobre o consignado ter sido minha, toda a família sofre, e no meu caso, sofrerá ainda por uns 2 a 3 anos, que é o prazo final para conclusão desses malditos empréstimos.
    Tenho fé em Deus e esperança de que esse período está sendo de muito aprendizado e sairei muito mais forte de todo esse processo.
    Obrigado a você Leandro e a todos os comentários que nos fortalecem nessa caminhada…Rumo à liberdade!

  8. João Silva 14 de março de 2017 at 15:21 - Reply

    Olá Leandro… Graças a você me livrei desse mau hábito de contratar empréstimos consignados. Perdi muito dinheiro durante 3 décadas. Iniciei minha reserva financeira guardando 30% do que eu ganho em investimentos conservadores. Estou lendo muito agora que me aposentei com 48 anos e percebo que o mercado financeiro não é um bicho papão. As coisas são tão óbvias que não é necessário conhecimentos profundos para ter uma mínima rentabilidade. Muito obrigado pela sua Generosidade. Continue assim.

    • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 16:37 - Reply

      Oi João. Certamente as suas 3 décadas de vivências ajudam muito neste processo. Parabéns por sua dedicação.

  9. Reinaldo M de Farias 14 de março de 2017 at 16:25 - Reply

    Leandro,
    A pessoa com dívida oriunda
    do uso descontrolado do cartão de crédi-
    to ou mesmo cheque especial, mais por
    falta de conhecimento, ignora sua total
    incapacidade de cumprir os pagamentos
    devido, principalmente, às elevadíssimas
    taxas de juros de que são vítimas.
    Nesse caso, se bem direcionado, a opção
    do crédito consignado seria valiosa.
    Mas, ressalte-se: junto à operação do Crédito Consignado a reeducação finan-
    cheira seria altamente necessária.
    Abr/
    Farias-Recife

    • Leandro Ávila 14 de março de 2017 at 16:46 - Reply

      Oi Reinaldo. Com educação financeira correta muitos fazem fortuna através das dívidas aplicada na atividade empreendedora. O problema é que as pessoas não buscam o crédito consignado para empreender, como pessoas físicas elas buscam para comprar supérfluos ou para cobrir dívidas que foram feitas comprando supérfluos no cartão de crédito e cheque especial. Servir pessoas que sofrem de ignorância financeira de inúmeras modalidades de crédito, especialmente aquelas que são fáceis e rápidas de serem contratadas é uma tragédia anunciada.

  10. João Silva 14 de março de 2017 at 17:13 - Reply

    Gente… Pegar crédito consignado em 48 meses ou 4 anos para pagar dívidas e depois renegociá-las com mais consignados foi o meu maior erro durante 30 anos!!!!

    • João Silva 14 de março de 2017 at 19:12 - Reply

      As pessoas amam o crédito consignado por causa da liquidez. Imagina ter 30 mil reais na sua conta pra fazer o que quiser????

      • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:41 - Reply

        Oi João. As pessoas alimentam uma ilusão de que esses 30 mil caíram do céu. Quando você pega 30 mil emprestado está literalmente sabotando o próprio futuro. Esses 30 mil foram retirados do seu bolso no futuro. É como se existisse uma máquina do tempo e fosse possível viajar no futuro para tirar dinheiro do seu futuro e colocar no seu presente pagando um enorme pedágio (juros) nesta operação de antecipação dos seus gastos. Depois a pessoa será obrigada a passar vários anos com a renda futura comprometida, sendo obrigado a viver com menos e ainda terá que pagar taxas e juros a quem fez essa antecipação. Tirar 30 mil do seu futuro e colocar no seu presente para fazer o que quiser, leia-se, fazer bobagem com o dinheiro, deveria ser entendido como um grave problema para o seu futuro, uma sabotagem da sua tranquilidade futura.

        • Ariadna 16 de março de 2017 at 10:15 - Reply

          Comentário elucidativo. Admiro sua capacidade de exprimir de forma simples teorias complicadas!
          Grande abraço!

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:33 - Reply

      Oi João. Literalmente uma servidão de 30 anos.

  11. Robson 14 de março de 2017 at 17:40 - Reply

    Valeu, ótimo artigo… O melhor é que aqui eu sinto que as pessoas conseguem enxergar o que eu enxergo, no dia-a-dia parece que as pessoas estão cegas, chega a ser inacreditável, elas não conseguem enxergar!!! Bizarro…

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:34 - Reply

      Oi Robson. Infelizmente é o que ocorre. Uma motiva a outra a continuar na cegueira.

  12. Rafael Brathwaite 14 de março de 2017 at 18:33 - Reply

    Ótimo artigo, como de costume. Deve ser divulgado.
    Leandro , sugiro que não use gifs para ilustrar o texto. Prefiro ler sem ter essa distração. Alguns podem atrapalhar
    bastante. Talvez apenas algumas imagens seria bom. Não sei se isso acontece só comigo, mas fica a sugestão
    para que a leitura seja mais focada.
    Abraço

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:35 - Reply

      Oi Rafael, é natural que cada pessoa alimente suas preferências sobre tudo.

      • Marceline 16 de março de 2017 at 12:18 - Reply

        Eu adorei a gif! É boa por que resume bem a idéia ou emoção que o texto quer passar. Posta mais!

    • Diogo 21 de março de 2017 at 20:11 - Reply

      Também curti o gif

  13. Cleiton Oliveira 14 de março de 2017 at 19:00 - Reply

    Qualquer tipo de crédito é uma escravidão sem fim se for utilizado para o consumo. A melhor coisa a se fazer é educar-se financeiramente e verificar que o crédito “também” pode ser utilizado para aumentar o patrimônio.

    Um grande abraço.

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:37 - Reply

      Oi Cleiton, alimentar o consumismo é o destino de grande parte do crédito. Muitas vezes precisam de crédito para outras coisas que não seja o puro consumismo por terem gastado tudo com o consumismo.

  14. Roberto 14 de março de 2017 at 20:45 - Reply

    Ótimo artigo Leandro.Parabéns. e uma pena pensar que milhares de pessoas ainda acreditam nessas fórmulas que não funcionam. E mais ou menos como se o indivídado estivesse na beira da praia além de não saber nadar,fosse cada vez mais para dentro do mar sendo literalmente engolido pelas dívidas. Educação financeira e tudo..

  15. Carla 14 de março de 2017 at 20:45 - Reply

    Infelizmente a situação é cruel quando se trata deste tipo de empréstimo. Difícil ver sua família ao seu redor precisando/pedindo dinheiro emprestado pois seus salários estão defasados devido aos descontos dos empréstimos. Pior que isso, é ver pessoas com mais idade, que já não fazem questão de muitos bens materias, fazendo empréstimos para os filhos, mal educados financeiramente, para que desfrutem de uma vida que o bolso não suporta. Tenho um parente que outro dia fez um empréstimos de 5mil, veio me contar e com muito cuidado tentei falar algo a respeito. Então perguntei quanto pagaria… ela não sabia responder e me pediu para calcular. 11 mil. Agora, alguns meses depois é que ela está se dando conta de que fez um empréstimo horroroso para a filha e o genro poderem continuar andando de carro importado, uma vez que o genro mudou de cargo na empresa, então nitidamente precisava de um carro à altura. Pra esta história fazer mais sentido e mostrar o quanto isso é afetado além do bolso alheio, esse familiar é uma pessoa que gosto muito. Seu mardio faleceu recentemente e ela passou a receber o benefício. Está aparentemente encantada com as possibilidades de um aposentado. Gosto de ir até sua casa, me sinto bem lá. Mas ultimamente as conversas giram em torno de dinheiro, mas da pior forma. A vida muda, nossas despesas podem mudar, sempre há surpresas numa casa…mas o empréstimo continua lá intacto todos os meses. Desisti de qualquer tentativa de ajudar. Acho que as pessoas devem vivenciar a dificuldade para entendê-la as vezes. Passei apenas a escutar e a não me desgastar. Então esta parente veio e me pediu um texto seu, que tinha curiosidade, por eu falar tanto (estava usando sempre uma terceira pessoa, no caso vc, pra aliviar a situação). Vou imprimir este texto (ela não usa internet) e levar pra ela, fiquei muito feliz com o pedido. Obrigada por mais um artigo Leandro. Abraços.

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:45 - Reply

      Oi Carla. Tenho um artigo sobre essa questão do carro, veja aqui. Também tenho um sobre pais que sustentam filhos adultos, veja aqui. Acho lamentável ouvir histórias de idosos que sustentam os luxos de filhos adultos.

  16. Carolina 14 de março de 2017 at 21:12 - Reply

    Tenho um membro na família que é um desses que tem desconto de 1/3 do benefício com empréstimos consignados. Além disso, ele faz outros tipos de empréstimos, usa cartões de créditos dos bancos onde tem conta e dessas grandes lojas e nunca fez questão de pagar contas em dia, tanto de cartão quanto qualquer outra. Ele não é uma pessoa ingênua ou ignorante, trabalhou em banco durante muitos anos, mas desde sempre foi endividado. Até teve problemas no trabalho (no banco) por causa da situação da conta dele. Mas sempre foi assim, nunca quis mudar. Ao invés de parar de fazer empréstimos e liquidar os que já tem, o que ele costuma fazer é renegociar, dividindo em muitas vezes e não cumprir com o combinado, perpetuando a situação. Com essa atitude também já perdeu a confiança da família, pois todos sabem que não há justificativa para isso.

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:47 - Reply

      Oi Carolina. É muito triste quando a pessoa sabe o que é correto e não faz nada para mudar.

  17. Miguel 14 de março de 2017 at 21:37 - Reply

    Excelente, Leandro, seu site e, de longe, o melhor, parabens!

  18. Fábio Souza 14 de março de 2017 at 22:25 - Reply

    Pois é Leandro, infelizmente eu sou mais um que fez a besteira de entrar nesta modalidade de crédito. O pior é que depois que vc percebe a grande besteira que tu fez com a tua renda e o tempo que vc vai levar para pagá-la, você acaba ficando ansioso para conseguir liquidar rapidamente a divida. Além disso, vc acaba ficando com parte da sua renda comprometida durante muito tempo. A melhor coisa é vc viver em paz e sempre fazer as coisas dentro do seu salário e não se incomodar se você possui mais ou menos do que alguém. É importante não ficar se comparando com ninguém e sempre ter paciência para juntar dinheiro e não depender JAMAIS de crédito para ficar comprando coisas.

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:49 - Reply

      Oi Fábio. Não são os outros que pagam suas contas e passam por dificuldades quando temos dívidas. Por este motivo não devemos querer equiparar o nosso padrão de vida com o padrão de vida de outras pessoas. Nada melhor para sua saúde física, mental e financeira do que viver dentro daquilo que a sua renda permite. Parabéns pelo seu despertar.

  19. Marcelo Williams 14 de março de 2017 at 22:31 - Reply

    Parabéns por mais um excelente artigo, Leandro!

    Passei por quase vinte anos refém dos bancos. Agora eu empresto dinheiro para eles!

    Hoje sou liberto dos grilhões da ignorância financeira. E pode ter certeza, você foi um dos protagonistas desta alforria.

    Obrigado.

  20. Roberto 15 de março de 2017 at 7:24 - Reply

    Todo o meu ainda pequeno conhecimento sobre investimentos começou aqui nesse site, quando resolvi pesquisar sobre investimento no google. Parabéns pelos textos. Há muito conhecimento nos comentários. Já falei desse site para diversas pessoas, mas infelizmente muitos dos brasileiros fecham os olhos e preferem seguir no mesmo caminho de sempre, sendo direcionado pelos bancos, mídias etc.

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 8:50 - Reply

      Oi Roberto. Parabéns e obrigado por divulgar. Você fez sua parte apontando caminhos. Trilhar os caminhos é uma opção de cada um.

  21. Anônimo 15 de março de 2017 at 11:05 - Reply

    Como sempre, muito bom artigo!
    Infelizmente sempre vão existir pessoas ignorantes financeiramente, pensando nisso, venho pesquisando a possibilidade de abrir uma franquia de crédito. Acredito que eu não esteja agindo de forma imoral, pois a meu ver é um trabalho como qualquer outro, mas, porém, todavia, gostaria de uma opinião sua a respeito.

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 11:24 - Reply

      Oi Anônimo. O meu negócio é atrapalhar o seu negócio. Eu optei por combater a ignorância não por me servir da ignorância dos outros. O meu trabalho é fazer com que você tenha cada vez menos clientes ignorantes disponíveis.

  22. Beatriz 15 de março de 2017 at 14:16 - Reply

    Parabéns pelo ótimo artigo! Me enquadro na turma dos endividados pelos empréstimos consignados e agora já entrando novamente no cheque especial, pretendo reagir, cancelando meu plano de saúde, cancelando a internet, e ter um celular apenas com um valor mínimo! Antes de começar a quitar os empréstimos, vou fazer uma poupança para emergências, e em dois anos creio que ficarei livre dessa escravidão que eu mesma provoquei. Obrigada por tua generosidade em compartilhar teus conhecimentos, abraços.

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 15:54 - Reply

      Oi Beatriz, a situação da saúde pública é ruim e deve piorar ainda mais. Plano de saúde no Brasil não é luxo, é uma questão de vida ou de morte.

  23. Samara 15 de março de 2017 at 14:53 - Reply

    Esse artigo me levou a refletir sobre o espanto dos meus colegas servidores quando comento que nunca precisei recorrer ao consignado, ou que não faço uso do cheque especial, os colegas dizem: ” ela não precisa recorrer pois mora com os pais ainda.” Mas infelizmente tenho uma colega que mora com os pais tem consignado e ainda tem meses que ela diz fazer “roleta russa” com as contas, escolhendo qual dívida pagar no mês, tudo isso devido a compra de um apartamento sem planejamento, onde a entrada inclusive foi dívida em 36x. E ela não quer o apartamento para morar, apenas comprou pq as colegas estavam comprando. Também recorrentemente passo por essa cobrança das colegas que estão comprando apartamento, quando vai comprar o seu?! Se não for com dificuldade vc não irá comprar nunca!! Mas objetivo é comprar apenas a vista, e graça a Deus, estou a 50% da minha meta, seus artigos são uma paz diante das cobranças dos colegas de trabalho e de alguns familiares que querem comprar bens com o dinheiro que ainda não possuem.

    • Leandro Ávila 15 de março de 2017 at 15:52 - Reply

      Oi Samara. O curioso é que as pessoas aceitam passar dificuldade para pagar juros e taxas para os outros, mas não aceitam passar por dificuldades para poupar e investir o próprio dinheiro, ganhando juros no lugar de pagar, para poder comprar aquilo que deseja à vista. É uma inversão dos valores.

  24. Tiago Xavier 15 de março de 2017 at 16:23 - Reply

    Olá, Leandro.

    Muito bom o arquivo.

    Concordo plenamente com tudo que foi explanado no arquivo.
    O governo não está nem um pouco preocupado com o endividamento
    das famílias. Estimular o crescimento do País através de dividas, é a pior
    decisão, pois, de nada adianta evoluir e ao mesmo tempo carregar dividas e mais dividas.

    Para que haja crescimento saudável, primeiramente é necessário introduzir ensinamentos
    de como administrar as receitas do mês. “gastar menos do que ganha” E pelo que vejo, nada disso acontece, pelo contrário estimulam as pessoas a adquirir produtos extremamente desvantajoso e que não traz retorno nenhum.
    exemplos: Títulos de capitalização, previdência privada com taxas de carregamento e administração altíssimas.

    O melhor investimento é a leitura de bons livros.
    Através da leitura, os horizontes começa a se abrir.

    Grande abraço.
    Sucesso sempre.

    • Leandro Ávila 16 de março de 2017 at 8:53 - Reply

      Oi Tiago. É isso mesmo. Quando você cresce seu patrimônio através da dívida está vivendo uma ilusão. Não ocorreu qualquer crescimento. Você apenas sabotou a sua renda futura, retirou dinheiro do futuro (dinheiro que você ainda não ganhou) e gastou tudo no presente deixando um rombo para ser resolvido nos anos seguintes. É uma total ilusão. O melhor investimento é sair da ignorância.

  25. Elquer Rodrigues 15 de março de 2017 at 18:46 - Reply

    Site maravilhoso ! Pena que a maioria dos leitores que aqui estão já se deram conta da importância da educação financeira.

    Ei, tenho uma sugestao: vc poderia contactuar um sujeito que apareceu no UOL na semana passada e que estava se vangloriando de usar o que ele receberia extra de FGTS para “embelezar o Fusca dele”. Sim, isso é a mais pura verdade. Contactuando-o e fazendo um “reality show” ensinando-o educaçao financeira e o resultado que ele teria disso.

    • Leandro Ávila 16 de março de 2017 at 8:51 - Reply

      Oi Elquer. Os leitores que deixam comentários são os que já possuem alguma coisa positiva para dizer e isso faz você acreditar que a maioria já entende a importância da educação financeira. As pessoas que participam deixando comentários são 0,1% do total de pessoas que fazem a leitura dos artigos. Quem não tem nada de positivo para contar apenas faz a leitura, uma reflexão e se mantem calado. As pessoas são livres para fazerem o que bem entenderem com o próprio dinheiro, o problema é quando fazem isso sem a real consciência das consequências que suas decisões podem gerar no seu próprio futuro. Existem pessoas com propósitos tão pequenos na vida que toda a sua existência gira em torno de um fusca ou de um objeto qualquer que no fundo não possui valor algum.

      • elquer 16 de março de 2017 at 14:43 - Reply

        Eu tenho apresentado este site a todo mundo que não tem o mínimo de bom senso em lidar com dinheiro.
        Forte abraço Leandro e, mais uma vez obrigado e parabéns por publicar conteúdos tão maravilhosos.

        • Leandro Ávila 16 de março de 2017 at 15:01 - Reply

          Oi Elquer. Obrigado por compartilhar. Isso torna o trabalho ainda mais útil.

  26. Rodrigo 15 de março de 2017 at 22:30 - Reply

    Leandro, ha tempos não consigo acessar seus simuladores, ferramentas e planilhas. Sempre o link da inválido.

    • Leandro Ávila 16 de março de 2017 at 8:47 - Reply

      Oi Rodrigo. Não sei o que pode ser. Aqui tudo funciona normalmente. Tente acessar através de outra conexão de internet, especialmente se você estiver acessando dentro de uma empresa ou instituição de ensino onde a internet é bloqueada por seus responsáveis. Tente acessar da sua casa.

  27. José 16 de março de 2017 at 9:03 - Reply

    No Brasil só há raposas cuidando de galinhas.

    • Leandro Ávila 16 de março de 2017 at 9:06 - Reply

      Oi José. É responsabilidade de cada um deixar de fazer o papel de galinha e não depender de ninguém para fazer o papel de raposa. Isso significa investir na própria educação financeira para sair do mundo da ignorância.

  28. Sergio 17 de março de 2017 at 10:47 - Reply

    Olá Leandro,

    Como servidor público, constato com frequência a ignorância financeira de alguns colegas de trabalho. Muitos falam de crédito consignado como se fosse um privilégio. E não adianta tentar convencê-los do contrário; a ideia de que só assim conseguem adquirir coisas ou quitar dívidas parece estar enraizada em suas mentes. Já até ouvi o absurdos como: “não importa que eu fique endividado pois, caso eu morra, terei aproveitado melhor a vida ao invés de ficar só poupando e pensando no futuro”. Outros, que se acham muito espertos, orientam a fazer o seguinte: “Pegue a dívida do banco X e depois faça um consignado no banco Y; assim você pagará menos juros”. Outros reagem até com certa indignação dizendo “Ah, e quem é que não tem algum tipo de dívida hoje em dia?”.

    • Leandro Ávila 17 de março de 2017 at 16:56 - Reply

      Oi Sergio. Essa ideia do “caso eu morra..” é a visão de vida mais miserável que existe. A pessoa vive o presente esperando morrer amanhã e tudo se justifica diante disso. O presidio está repleto de pessoas que adotaram isso como filosofia de vida na sua forma mais extrema. As cadeias lá de Curitiba também estão repletas de empresários e políticos que pensam exatamente da mesma forma, só que de uma maneira mais extrema. Devemos viver de forma equilibrada e correta, não importando se nos resta apenas 1 dia de vida. Muitos morrem e deixam os familiares cheios de dívidas, pois a dívida não acaba com a morte. As dívidas fazem parte da herança que deixamos no mundo. Até no momento da morte esse tipo de pessoa acaba deixando problemas pendentes.

  29. Iuri Viana 22 de março de 2017 at 17:20 - Reply

    Leandro, mais uma vez parabéns pelo ótimo.

    Infelizmente a realidade de quem pegar crédito consignado é para pagar outras dívidas ou para manutenção de um padrão de consumo. O empréstimos do crédito consignado ou de outras linhas de créditos disponíveis no sistema financeiro é ruim, pois como sabemos, a taxa de juros são exorbitantes.
    Poderia até ter um efeito atenuante, se as pessoas usam-se o crédito consignado para investir em algo que vai aumentar sua renda no futuro (exemplo: MBA ou Especialização ou em Ativo que vai valorizando ao do tempo). Mas, a dura realidade mostra o contrário

    • Leandro Ávila 22 de março de 2017 at 17:55 - Reply

      Oi Iuri. Normalmente usam para consumir, pior ainda, consumir coisas que não precisam. Muitas vezes usam a desculpa que é para pagar coisas importantes, como o colégio do filho, mas não observam que o consumo exagerado e muitas vezes desnecessário é que conduziu para uma situação em que falta dinheiro para aquilo que é importante. A falta de uma reserva para emergência, feita por quem é prudente, também leva ao uso do crédito.

  30. adjair pereira 24 de março de 2017 at 21:50 - Reply

    OLÁ. COMO ME LIVRAR DE UM EMPRESTIMO CONSIGNADO QUE FIZ A 2 MESES? TENHO UM EMPRESTIMO QUE DESCONTARÁ 2.300 REAIS POR 23 PARCELAS AINDA. QUAL A MELHOR FORMA DE ME LIVRAR DELE SEM GRANDES PERDAS? DIMINUINDO PELO MENOS OS JUROS ABSURDOS QUE TEM NO EMPRESTIMO?

    • Leandro Ávila 24 de março de 2017 at 22:53 - Reply

      Oi Adjair. Os juros geram um custo mensal. Quanto mais longo for o prazo maior a sua despesa com juros. Antecipando o pagamento da dívida você evita a despesa com os juros.

  31. Jessica Barão 29 de março de 2017 at 16:29 - Reply

    Uma pena de quem cai nessas de crédito consignado para aposentados, inclusive na minha família tenho casos assim. Muitas financeiras se aproveitam deste tipo de pessoa para cobrar altos juros. Parabéns pelo artigo.

    • Leandro Ávila 5 de maio de 2017 at 23:44 - Reply

      Oi Jessica. Eles lidam com a ignorância das pessoas como se fosse uma oportunidade de lucro. Cabe a cada um deixar de ser ignorante.

  32. Simone 29 de março de 2017 at 18:30 - Reply

    OI, Estou pagando por volta de 900 reais de juros em cheque especial. Consegui me livrar do Cartão de crédito e agora vou acabar com o uso do cheque especial (para nunca mais). Mas ainda preciso de uns 3 meses pra conseguir me livrar dessa divida. Como medida de ato extremo, fazer um consignado para sair do cheque especial é uma opção? para nunca mais me meter em nenhuma modalidade de crédito. Me ajuda! Sou servidora e nunca usei o consignado, apenas fiz a besteira de aderir ao cheque especial, mas o fato de rasgar 900 reais por mes esta me tirando o sono. Me ajuda?

    • Leandro Ávila 5 de maio de 2017 at 23:43 - Reply

      Oi Simone. Pode ser uma opção pelo fato dos juros cobrados no consignado serem menores que os juros do cheque. Na verdade você não está rasgando esses 900,00. Você está trabalhando para sustentar os bancos, especialmente os acionistas do banco e as pessoas que emprestam dinheiro para o banco através dos investimentos que ele oferece. Depois que você sair dessa situação é interessante buscar conhecimento para mudar de lado. No lugar de ser a pessoa que trabalha para pagar juros, você pode ser a pessoa que está do outro lado recebendo juros.

  33. RENATO M SOUZA 30 de março de 2017 at 8:33 - Reply

    Oi Leandro. Eu li os dois artigos o primeiro que tratou sobre cheque especial e agora sobre empréstimo consignado, para mim sem sobra de dúvida ficou mais do que claro que é um mal habito é fruto da ignorância financeira. Quero aproveitar para tirar a dúvida como você ver o hábito da utilização do cartão de crédito que nos dias de hoje é muito frequente, quem utiliza diz ter várias vantagens vou listar algumas como exemplos: conveniência de carregar um cartão do que carregar dinheiro, condições de alívio por até 40 dias, parcelar suas compras sem juros, cartões de crédito oferecem prêmios, bônus, milhas, centraliza as contas e etc. Diante do que foi exposto quero saber o que você me diz sobre hábito da utilização do cartão de crédito é bom ou ruim?

    • Leandro Ávila 5 de maio de 2017 at 23:40 - Reply

      Oi Renato, não vejo problema com o uso do cartão de crédito se você fizer os pagamentos em dia e sempre comprar para pagar em uma única vez, sem qualquer atraso. Outra questão que deve ser observada é se o fato de ter o cartão de crédito faz você consumir mais. Algumas pessoas sentem esse problema. Quando estão com dinheiro gastam menos, com o cartão tendem a gastar mais. Parcelar todas as compras no cartão é outro problema. Você acaba viciando. Todos os meses fica com uma boa parte da sua renda comprometida com o pagamento de inúmeras compras parceladas. Isso significa que o cartão é péssimo nas mãos de pessoas sem educação financeira e podem ser uma boa ferramenta nas mãos de quem sabe usar.

  34. Simone 31 de março de 2017 at 17:44 - Reply

    Ola! Gostaria de saber se essa tabela esta completa ou se ainda incide algumas taxas a mais. Por ex. Contactei determinado banco e eles informaram utilizar uma taxa de 1,49%, porem o valor final fica acima do simulado na sua tabela utilizando o juros de 2%. eles alegaram que sua tabela possui um valor seco, sem a incidência de IOF. Isso esta correto?

    • Leandro Ávila 5 de maio de 2017 at 23:36 - Reply

      Oi Simone. Todo empréstimo que você faz o governo cobra IOF que é um imposto. Quando fornecem a taxa C.E.T. (custo efetivo total) esse IOF e outras taxas cobradas além dos juros estão incluídas. Sempre é bom solicitar a taxa CET, pois é a que tem tudo embutido.

  35. Alexander 9 de abril de 2017 at 9:32 - Reply

    Excelente artigo.

  36. Renata 5 de maio de 2017 at 13:54 - Reply

    Ola Leandro,
    Recentemente fiz um consignado pois realmente precisava do dinheiro. Porem agora tenho valor para pagar todo empréstimo, porem ficaria sem nenhuma reserva. Devo pagar todo o consignado ou continuo pagando as parcelas ?
    Obrigada

    • Leandro Ávila 5 de maio de 2017 at 23:32 - Reply

      Oi Renata. Se ocorrer algum imprevisto e você não tiver reservas terá que fazer outro consignado. Já para manter essa reserva terá que pagar juros do consignado que terá que manter.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo