Medo de investir por corretoras


Se você tem medo de abrir conta em corretora de valores para investir seu dinheiro, leia esse artigo. Em um passado distante eu também enfrentei esse medo do desconhecido. Posso afirmar que existem dois caminhos para curar esse medo e quero motivar você através dos problemas que tive que superar no passado.

Você não pode ficar parado na primeira fases:

Existem três importantes fases na vida de um pequeno investidor. A primeira é o dia em que ele abre sua primeira conta bancária. A segunda acontece quando ele abre sua primeira conta em uma corretora de valores. A terceira é quando ele adquire os conhecimentos necessários para tomar suas decisões de investimento sem depender de assessorias, consultorias e opiniões dos outros.

É provável que a sua primeira conta tenha sido aberta em um dos cinco grandes bancos (Banco do Brasil, Caixa, Itaú, Bradesco ou Santander). Para a alegria do governo, banqueiros e seus acionistas, quase 80% de todo dinheiro dos brasileiros estão investidos nestes bancos de grande porte.

Provavelmente suas primeiras economias foram aplicadas na poupança. Depois de algum tempo, à medida que acumulava recursos, você se interessou por outros investimentos do mesmo banco como fundos e CDB. Se você tinha o hábito de conversar com o gerente da sua conta no grande banco, possivelmente acabou sendo induzido a adquirir péssimos produtos financeiros como títulos de capitalização e planos de previdência privada mal remunerados.

O divisor de águas na vida do pequeno investidor acontece no dia que ele toma a decisão de abrir uma conta para investimentos dentro de uma corretora de valores independente. Não estou falando da corretora vinculada ao grande banco onde você possui conta. Essa corretora provavelmente cobra taxas que desestimulam qualquer investidor iniciante. Estou falando de corretoras que não possuem nenhuma ligação com os grandes bancos. É no dia que o pequeno investidor abre sua conta na corretora que uma janela de oportunidades se abre. São oportunidades que não existem dentro dos grandes bancos para os pequenos investidores.

No meu caso pessoal, isto aconteceu ainda quando era jovem e ainda cursava a faculdade. Foi cursando a cadeira opcional de “Mercado de Capitais” no curso de bacharelado em Administração de Empresas que acordei para uma nova realidade. Investidor de verdade não investe através de grandes bancos. Os grandes investidores e aqueles que estão conquistando os melhores resultados possuem contas dentro das corretoras de valores. São nas corretoras que as grandes fortunas se formam e são diariamente movimentadas.

Nos meus primeiros anos utilizando minha primeira conta bancária, em um grande banco, fui induzido pelo meu gerente a fazer péssimos investimentos. Logo no início, fui vítima de um título de capitalização oferecido como condição para facilitar a abertura da minha conta corrente.

É claro que o banco não exigia fazer o título de capitalização como condição para a abertura da conta, mas aquele gerente que me atendeu resolveu utilizar essa estratégia (mal-intencionada) para bater a meta de vendas de títulos de capitalização que o banco certamente estava impondo a ele.

Pouco tempo depois fui convencido a fazer um péssimo plano de previdência privado. As taxas eram absurdamente elevadas e a rentabilidade era pior do que a poupança. Nas simulações que o gerente fez o plano parecia maravilhoso. Naquele tempo, muitos educadores financeiros renomados, com vários livros publicados, recomendavam essas verdadeiras bombas que são os planos de previdência privada abertos oferecidos pelos grandes bancos.

Eu sinceramente não sei como alguns gerentes de banco conseguem colocar a cabeça no travesseiro depois de um dia de trabalho. Bater as metas que seus patrões estabelecem é o mesmo que caminhar sobre uma linha tênue que faz fronteira com a imoralidade. O mesmo vale para muitos educadores financeiros mais antigos que induziram milhões de brasileiros a fazerem péssimos investimentos através dos seus livros, propagandas e palestras patrocinadas por bancos.

Até hoje lembro do rosto do meu primeiro gerente dentro daquele grande banco. Se hoje estou aqui motivando pessoas a aprenderem mais sobre investimentos, para que tomem decisões conscientes e sem depender da opinião dos outros, devo isso ao meu primeiro gerente. Foi ele que me ensinou qual é a principal função dos gerentes de banco semelhantes a ele:

  1. Defender os interesses daqueles que pagam seu salário e seus direitos trabalhistas;
  2. Bater todas as metas de venda estabelecidas por seus superiores, custe o que custar. Se não fizer isso não será promovido e nem bonificado.
  3. Aumentar os lucros do banco, mesmo que isso signifique prejudicar o retorno financeiro dos seus clientes;
  4. Mostrar claramente as vantagens dos produtos do banco e deixar que você descubra as desvantagens lendo as letras minúsculas e incompreensíveis do contrato.
  5. Só oferecer informações quando você perguntar, mesmo quando ele percebe que você não perguntou por ignorância;

É claro que não podemos generalizar. Certamente existem bons gerentes trabalhando nos bancos, mas tenho a impressão que bons gerentes de banco ficam pouco tempo no emprego. Defender os interesses dos clientes significa deixar de lado os interesses do banco. Gerente que não mostra resultado (batendo as metas estabelecidas pelo banco) é rapidamente demitido. A fila anda e do lado de fora existem muitos desempregados dispostos a trabalhar com “sangue no olho e faca nos dentes” pelos interesses do banco.

Se você leu o livro “Sonho Grande“, que conta a história de um dos homens mais ricos do Brasil e do mundo, deve ter percebido que é através de funcionários do tipo “workaholic” e com sangue no olho que as empresas prosperam. Nem sempre existe a preocupação se os produtos e serviços oferecidos são realmente bons para os clientes. É por isso que além de dono de banco ele se tornou dono da maior fábrica de cerveja e refrigerante do mundo e da segunda maior rede de fast-food do mundo.

Na cabeça de alguns empresários a ignorância das pessoas é uma oportunidade de negócio. Não importa se estamos falando de ignorância financeira ou ignorância alimentar. Para eles, se produtos financeiros ruins, bebidas alcoólicas, refrigerantes e sanduíches fazem mal para as pessoas, isso é um problema das pessoas.

Temos que assumir que realmente o problema é de cada um de nós. A educação financeira e alimentar da sua família é um problema seu e não dos outros. Enquanto você demandar por produtos financeiros ruins, bebidas e alimentos ruins, eles vão continuar satisfazendo sua necessidade e lucrando com isso. Empresas não obrigam ninguém a comprar nada, elas só satisfazem a demanda das pessoas.

Deve ser movido por sentimento de culpa que o personagem principal do livro criou uma fundação que apoia projetos de educação. Ele mesmo acredita que crianças bem-educadas, quando chegarem na vida adulta, vão consumir menos bebidas alcoólicas, menos refrigerantes, menos comidas de fast-food e menos produtos financeiros ruins.

Segundo passo

Ter uma conta bancária é o primeiro passo, de preferência uma conta digital sem custos. O segundo passo é abrir uma conta em corretora de valores. Se você pretende crescer como investidor é fundamental que você perca o medo de investir fora dos grandes bancos. Os produtos que os grandes bancos oferecem possuem custos elevados e rentabilidade pequena. Você está limitando sua capacidade de fazer seu dinheiro render mais.

Os bancos costumam separar seus clientes por quantidade de recursos investidos. Se você é um pequeno investidor, o banco só vai oferecer investimentos com baixa rentabilidade e elevadas taxas administrativas. Se você é um investidor de maior porte, eles vão oferecer agências com nomes elegantes e investimentos com rentabilidades ligeiramente maiores e taxas ligeiramente menores. O problema é que nada se compara ao grande número de oportunidades, taxas e rentabilidades que você encontrará em qualquer corretora.

Já vem ocorrendo no Brasil um fenômeno chamado “desbancarização”. Clientes de agências glamourosas, feitas para impressionar pessoas sensíveis aos apelos do marketing, começaram a perceber que o café cappuccino servido nessas agências estava custando caro de mais. Do que adiante andar por ai com cartões de crédito chiques que utilizam nomes elegantes como personnalité, prime, estilo e van gogh, se os resultados dos seus investimentos não correspondem a esse glamour todo? Foram esses clientes que começaram a perceber que não existe cappuccino de graça e que dentro das corretoras e nos bancos de médio porte, acessíveis por estas corretoras, era possível aumentar a rentabilidade dos seus investimentos. Quando você tem centenas de milhares de reais ou milhões de reais investidos, qualquer diferença de 0,10% na sua rentabilidade gera uma diferença enorme com o passar do tempo.

Recentemente duas grandes corretoras (XP Investimentos e Rico) cortaram suas taxas para tornar o investimento através das corretoras ainda mais atrativo. No caso da XP eles cortaram a tarifa que era cobrada para fazer transferências (TED) da sua conta na corretora para sua conta no banco. Isso permite que você tenha acesso ao seu dinheiro quase que imediatamente e sem custos. Eles também zeraram a taxa de custódia.

O mesmo aconteceu com a taxa administrativa que a corretora XP cobrava anualmente de quem investia em títulos públicos do Tesouro Direto. Enquanto clientes de grandes bancos pagam 0,50% de taxa anual para investir em títulos públicos, nas corretoras com isenção de taxa administrativa esse custo é zero. Alguém com 1 milhão investido em títulos públicos pagaria R$ 5.000,00 por ano de taxa através de um grande banco. Nas corretoras com taxa zero (existem várias corretoras) você pode usar esse dinheiro para fazer alguma coisa mais proveitosa. Da próxima vez que você for em uma agência bancaria premium tomar um cappuccino com sua gerente, saiba que esse cappuccino pode estar custando muito caro.

Bancos Pequenos e Tesouro Direto com taxa zero

No passado as corretoras só eram procuradas por investidores de renda variável, aqueles que são menos conservadores e aceitas riscos maiores em troca de retornos maiores na bolsa de valores. As corretoras independentes sempre tiveram taxas melhores que as corretoras vinculadas aos grandes bancos.

Atualmente esse fenômeno também ocorre nos investimentos de renda fixa, preferidos pelos investidores mais conservadores. As principais corretoras independentes possuem parcerias com diversos bancos e financeiras.  Através destas corretoras podemos fazer investimentos de renda fixa como CDB, LCI, LCA, LC, CRI e CRA emitidos por inúmeras instituições. Existem centenas de opções de investimento nestes bancos de médio porte que podem ser acessados através das corretoras. Também existe uma grande variedade de prazos e formas de remuneração que podem ser pós-fixadas, prefixadas, IPCA+juros ou IGPM+juros.

Tenho um artigo onde ensino como você pode consultar os investimentos oferecidos pelas principais corretoras do Brasil, visite aqui. Compare a rentabilidade e a variedade de investimentos disponíveis nas corretoras com o que você tem disponível dentro do banco onde você tem conta.

Qual corretora escolher?

Existem várias corretoras e cada uma tem sua especialidade, vantagens e desvantagens. Tenho um artigo onde ensino como você pode avaliar as corretoras com foco na renda fixa e tesouro direto. Você poderá utilizar o mesmo modelo para escolher a sua corretora. Recentemente eu atualizei este artigo, já que ocorreram grandes mudanças nas tarifas cobradas pelas grandes corretoras, visite aqui.

Perdendo o medo:

Você vai perder o medo de investir através de corretoras através de dois caminhos: Informação e experiência própria. O que mais funciona é a experiência própria. Eu recomendo que você abra sua conta na sua corretora preferida e faça um investimento inicial bem pequeno para se sentir mais seguro.

Depois observe e compare os resultados com o investimento do seu banco. Com o passar dos meses, você vai acumular experiência e isto trará a segurança necessária para eliminar o medo do novo.

Para curar o medo do desconhecido é importante se nutrir de informações como estas:

  1. Corretoras são instituições financeiras como qualquer outra. Passam pelos mesmos controle que um banco deveria passar. Não se abre uma corretora com a mesma facilidade que se abre uma lanchonete.
  2. Toda corretora que está em operação foi autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil. Elas fazem parte do Sistema Financeiro Nacional, atuando na intermediação das negociações entre investidores e aquelas entidades que fornecem investimentos como títulos privados, títulos públicos, valores mobiliários, ações, debêntures, fundos imobiliários, entre outros.
  3. Corretoras são fiscalizadas pelo Banco Central e CVM (Comissão de Valores Mobiliários), sendo obrigadas a contratar auditoria independente. A CVM tem uma área de orientação e defesa do investidor, veja aqui, onde é possível abrir reclamações e iniciar processos administrativos contra as corretoras.
  4. Para quem usa a corretora para investir em ações a BM&FBOVESPA possui um Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (MRP), que assegura aos investidores o ressarcimento de até R$ 120 mil por prejuízos causados pela ação ou omissão das corretoras tanto no que diz respeito aos negócios realizados em mercados de bolsa, como no que diz respeito aos serviços de custódia. O mecanismo cobre, ainda, prejuízos decorrentes de intervenção ou liquidação extrajudicial da instituição (falência). Para saber mais visite aqui.
  5. Quando você investe em outros bancos através das corretoras esse investimento fica garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos, até o limite de R$ 250 mil por instituição financeira. Se o banco onde você investiu pela corretora quebrar, existe essa garantia do FGC. Para saber quais investimentos são cobertos e como funciona visite aqui.
  6. Existem várias corretoras que já trabalham com o CETIP Certifica. Este serviço é uma certificação que comprova o registro, na Cetip, da aplicação do cliente, identificando o CPF ou CNPJ (se for empresa) em determinados investimentos de renda fixa. Se você pedir para a corretora investir uma quantidade do seu dinheiro em um CDB, LCI, LCA, CRA, CRI e LF de algum banco ou instituição, ela fará o investimento e registrará a operação na CETIP. Todos os meses a corretora permitirá que você acessa o certificado emitido pela CETIP que lista todos os investimentos feitos pela corretora que estão vinculados ao seu CPF. Para saber mais visite aqui.
  7. Atualmente as corretoras oferecem um número de conta e agência para que você faça TED ou DOC transferindo dinheiro entre sua conta bancária e a conta na corretora. Quando a operação é feita por TED o dinheiro cai na sua conta em poucos minutos. Várias corretoras não cobram mais a taxa para fazer TED. Isso significa que você não precisa deixar dinheiro parado na corretora caso não queira reinvestir imediatamente.

Outra coisa que devemos observar é que grandes investidores utilizam as corretoras para reduzir seus custos nos investimentos. São justamente os pequenos investidores e as pessoas mais leigas que continuam pagando taxas absurdamente elevadas nos grandes bancos. Para grandes investidores qualquer diferença de 0,10% de taxa ao ano já significa uma grande quantidade de dinheiro que poderia ser gasta de forma mais inteligente.

Onde está o perigo das corretoras?

Nem tudo são flores. O maior perigo que existe nas corretoras está na relação de dependência entre o investidor e os funcionários ou agentes das corretoras. Da mesma forma que os gerentes dos bancos são remunerados ou premiados quando conseguem convencer você a fazer um investimento, funcionários das corretoras e seus inúmeros agentes também são remunerados e premiados pelo seu desempenho.

A diferença é que nas corretoras as opções de investimento oferecidas para os clientes se encontram listadas em seus sites. Você não precisa da ajuda de ninguém para fazer seus investimentos na sua casa, através do seu computador. Isto nem sempre acontece nos bancos. É comum a existência de investimentos que só os gerentes podem oferecer, se acharem isso conveniente.

Quando abri minha primeira conta em corretora recebi o telefonema de um “assessor de investimentos”. Eu tive que explicar para ele que não precisava de qualquer tipo de assessoria. Esclareci que estava investindo na minha educação financeira justamente por acreditar que sou a melhor pessoa para tomar decisões sobre meu dinheiro. Esclareci que só utilizaria a assessoria dele para tirar dúvidas sobre investimentos e que ele não perdesse o tempo dele tentando me influenciar a tomar decisões de investimento. Ele entendeu o recado e não ficou insistindo em manter contatos constantes comigo periodicamente.

É exatamente isso que recomendo que todos os meus leitores façam antes de abrir conta em corretora. Invista na sua educação para não depender da opinião dos outros. De nada adianta trocar um gerente de banco por um assessor ou funcionário de corretora se os dois estiverem treinados para influenciar nas suas decisões de investimento com foco em gerar mais retorno para a instituição onde trabalham.

Você precisa se educar para ter condições de conversar de igual para igual com estas pessoas. Você vai perceber que ao demonstrar seus conhecimentos o nível da conversa será totalmente diferente.

A maioria das reclamações que vejo envolvendo a relação entre investidores e corretoras está na dependência ou nos vínculos que se formam entre o investidor e os assessores e funcionários da corretora. É claro que existem bons profissionais e bons assessores, mas certamente quando eles são muito bons para você acabam não gerando os resultados que poderiam gerar na empresa onde trabalham. Infelizmente as empresas instituições estimulam seus funcionários a agirem como verdadeiros vendedores, embora as pessoas acreditem que eles são consultores. Quem presta consultoria de investimentos cobra muito caro para dar opiniões gratuitamente. Se você não estiver pagando para receber conselhos é provável que quem está aconselhando vai ser remunerado pelo conselho que deu.

Como educador financeiro só posso dar a única e a melhor de todas as recomendações: Estude! Só você ganha com seu estudo. É estudando que você vai se tornar um bom investidor. É estudando que você não irá permitir que ninguém tome decisões sobre o que você deve ou não fazer com seu próprio dinheiro. Se você já dedicou muito tempo aprendendo a ganhar dinheiro através da sua profissão, não custa nada dedicar tempo aprendendo a cuidar do seu dinheiro. Eu não posso dizer que não custa nada. Investir sem saber o que você está fazendo pode custar muito caro.

O Clube dos Poupadores é o resultado da minha jornada em busca de conhecimentos que pudessem me transformar em um pequeno investidor livre, consciente e capaz de tomar minhas próprias decisões de investimento sem me deixar influenciar por terceiros. Durante essa longa jornada, que ainda não terminou, eu dedico parte do meu tempo compartilhando as coisas que estou aprendendo através dos artigos escrevo semanalmente e dos livros que já lancei sobre o assunto (conheça aqui).

Compartilhe este artigo com aquele seu amigo que ainda sentem receio de sair da zona de conforto. O medo do novo, do desconhecido e a falta de conhecimento custam muito caro no mundo dos investimentos. Faça os grandes bancos saírem da zona de conforto também investindo na sua educação financeira.

By |06/09/2016|Categories: Investimentos|206 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

206 Comments

  1. Numiers-Doc 6 de setembro de 2016 at 16:55 - Reply

    Excelente artigo, Leandro! Parabéns pelo trabalho!

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 16:59 - Reply

      Obrigado Numiers

      • Cleber 12 de setembro de 2016 at 12:30 - Reply

        Boa tarde !! Desculpa a ignorância Leandro, mas vc poderia me ajudar, pois sinto que estou sendo enganado , Quero investir 200.000 por pelo menos 2 anos sem mexer, para poder acumular mais e poder ir atrás do meu 1° móvel, não pago aluguel nos próximos 5 anos, tenho uma renda que varia ao mês de 3,200 a 4,300 podendo poupar por mês de 1,000 a 2,300 fui em vários bancos e o que achei de melhor foi um renda fixa referenciado com aporte inicial de 200.000 com rendimentos acumulado nos últimos 12m de 14,08 e uma taxa de administração de 30% a.a. e ao final dos 2 anos pagarei IR de 15% , teria melhor opção sem correr tanto risco ? Pensei em procurar uma corretora de valores mas sou muito inseguro! Seria a melhor opção ? Desde já agradeço.

        • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 17:16 - Reply

          Oi Cleber. Você tem certeza que a taxa de administração é de 30% ao ano? As taxas de administração mais elevadas que conheço são de 3% a 4% e para fundos de investimento que exigem investimento inicial muito pequeno. Com R$ 200 mil é possível encontrar fundo com taxas bem menores. A pior coisa você já está fazendo que é perguntar para outras pessoas o que você deve fazer com o seu dinheiro. Se você não resolver isso longo aprendendo o funcionamento dos investimentos sempre ficará dependente da opinião dos outros e no dia que você encontrar uma pessoa mal intencionada ela vai dizer exatamente o que você deve fazer com o seu dinheiro e provavelmente vai se beneficiar da sua decisão. Separe 30 dias para estudar sobre investimentos. Dedique 1 hora por dia e você verá o resultado. Recomendo iniciar seus estudos por títulos públicos e títulos privados como CDB, LCI e LCA. Faça pequenos investimentos para experimentar e sentir mais segurança. Aqui no Clube dos Poupadores existem muitos artigos sobre vários investimentos, existe a área de cursos e livros onde recomendo várias fontes de conhecimento. O conhecimento que você vai conseguir dedicando este tempo será útil por toda suas vida. Por isto é interessante resolver logo isto.

          • Cleber 14 de setembro de 2016 at 10:31

            Muito obrigado Leandro, irei estudar e reamente está errado pois falto a vírgula “0,30%”

  2. Daniel 6 de setembro de 2016 at 16:57 - Reply

    Oi Leandro!

    Mais uma vez, obrigado pelo texto e pelas orientações.

    Estou sabendo da isenção de taxas da XP já tem um tempinho, mas acho que isso é uma “pegadinha” e daqui a pouco eles voltarão a cobrar de novo, não é possível. O que vc acha?
    Como eles vão ganhar dinheiro agora? Pois pelas propagandas que ando vendo, a isenção será em investimentos em renda fixa e ações, ou seja, uns 90% dos investimentos que existem hoje nas corretoras.

    Tratando-se de corretoras, tenho conta na Easynvest para investimentos em renda fixa, onde não se paga nada, apenas a taxa anual obrigatória da Bovespa, que todo mundo paga; e conta na Socopa para investimentos em ações, onde se paga 10 reais por mês quando a gente não faz nenhuma transação no mês e não paga nada quando fizermos pelo menos uma transação.

    Penso em mudar par XP e fazer tudo por lá, mas estou bem reticente.

    Abraço e sucesso na carreira e nos investimentos!

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:13 - Reply

      Oi Daniel. A pegadinha é que as corretoras não ganham dinheiro apenas cobrando taxas das pessoas. Elas ganham dinheiro das instituições financeiras parceiras. Quando você investe em CDB, LCI, LCA ou outras modalidades de renda fixa, as instituições financeiras que emitiram esses títulos remuneram a corretora por ela ter conseguido captar esses recursos para o banco. Isso significa que o ganho da corretora já está embutido no preço do investimento que você vai fazer. Li no site deles que possuem R$ 45 bilhões custodiados na XP. Uma reportagem dizia que ao abrir mão de R$ 25 milhões por ano cobrados em tarifas eles pretendem crescer para R$ 100 bilhões custodiados (dinheiro dos clientes que estão investidos através da XP). Para isto eles acreditam que vão aumentar de 170 mil clientes para 300 mil clientes somente em 2017. Provavelmente eles perceberam essas que taxas eram uma objeção para os pequenos investidores que ainda utilizam apenas os grandes bancos (como eu mesmo fiz no passado remoto). No lugar de gastarem milhões todos os anos com publicidade, eles devem ter observado que era melhor perder a renda de milhões zerando essas tarifas e considerar essa queda na receita como investimento em publicidade. Não temos como saber se isso será permanente. Provavelmente outras corretoras vão seguir o mesmo caminho que é reduzir taxas. Quanto mais gente com dinheiro dentro da corretora mais existem formas deles ganharem dinheiro indiretamente. O interessante será ver os grandes bancos sofrendo este tipo de concorrência. Provavelmente eles também terão que rever suas taxas que são sempre muito elevadas. Quanto mais existirem concorrentes, melhor para nós que somos pequenos investidores.

      • Daniel 6 de setembro de 2016 at 17:45 - Reply

        Valeeeeeu pelos esclarecimentos, Leandro!

        Também li essa reportagem* sobre os valores etc. e também penso que isso vai acirrar a concorrência entre as corretoras. Entre os banco não acho, pois ainda tem muita gente ignorante financeiramente e que tem medo de investir por bancos médios e corretoras.

        Já andei ouvindo clientes dessas corretoras que passaram a cortar as taxas dizendo que as rentabilidades oferecidas na renda fixa por elas deram uma leve caída. Isso se deve, acredito eu, para as corretoras ficarem com uma parte, fazendo dessa parte como se fosse a taxa que o cliente pagava antes.

        *Pela experiência que tenho lendo TODOS os seus textos, mas sem participar muito aqui nos comentários, preferi não colocar o nome do site que li a reportagem, pois sei que vc não gosta de fazer propaganda, ainda mais desse tal site, já que ele tem muuuito conteúdo patrocinado.

        Abraço!

        • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 18:11 - Reply

          Oi Daniel, com o impeachment os juros futuros realmente caíram. Isso gerou impacto na queda dos juros de investimentos de renda fixa. Na verdade o site que você se refere é um site de notícia que é de propriedade do grupo dono da corretora que foi citada na notícia. Não deixa de ser bizarro uma corretora ter um site de notícia sobre investimentos.

      • Halisson de Lima 6 de setembro de 2016 at 18:40 - Reply

        Olá Leandro,

        Esse seu artigo coincidiu com uma dúvida que eu estou tendo. Há quase 2 anos, eu migrei minhas aplicações de Poupança, em Banco Grande, para Títulos de Renda FIXA(Públicos e Privados), por meio de Corretora independente. Tudo foi minuciosamente estudado, valendo-me, também, das preciosas informações que você compartilha com os teus leitores. Acontece que chegou o momento de eu diversificar a minha carteira para renda variável, ainda que seja uma proporção ínfima para aprendizado. Nessa perspectiva, já fiz o curso de FII do Carteira Rica, li um livro da área, assisti diversos vídeos de um fórum que eu sou assinante. Já me sinto um pouquinho mais confiante para partir para a “primeira aplicação”. Por outro lado, constatei que meu perfil de aprendizado demandaria poucas ordens de compra de cotas por mês e em valores pequenos, gerando um certo incomodo em pagar taxas para as corretoras. Fiz uma minuciosa busca e encontrei a SOCOPA com a melhor relação de custo/aplicação. Fiz uma pesquisa detalhada a respeito dela. A princípio, não vi algo que me assustasse. Você conhece essa corretora?

        Outra questão que queria questionar com você é a respeito de títulos privados emitidos por bancos médios e pequenos. Estava lendo um post de um outro educador financeiro que de certa maneira criticava essa “modinha”. De acordo com ele, investimento em “renda fixa” para ele é Tesouro Direto, pois risco ele corre em renda variável(ele é tido como o “Cara” da Renda Variável). O que você acha?Vale a pena se arriscar na renda fixa, diluindo o capital em muuuitos “banquinhos”, em busca de melhor rentabilidade?Eu particularmente aloco metade do meu capital em Título Público. A outra metade eu coloco em alguns bancos médios e pequenos, todavia seguindo alguns critérios que vocês educadores financeiros orientam(ex: Basileia, entre diversos outros)…Enfim, eu fico confuso. Estou mais inclinado a continuar na mesma metodologia que venho seguindo, apesar de o outro respeitadíssimo educador financeiro alocar renda fixa apenas no Tesouro.

        • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 15:28 - Reply

          Oi Halisson. O que sei da Socopa é que se trata de uma corretora antiga que faz parte de um banco pequeno chamado Banco Paulista. Não tenho muitas informações sobre eles. Eu não tenho nada contra os “banquinhos”. Eles oferecem taxas de juros melhores, em alguns casos são maiores que os títulos públicos. Essa diferença funciona como um prêmio que você recebe por optar pelo banquinho no lugar do título público. Cabe a você pesquisar essa relação de risco/retorno. Uma parte do seu patrimônio você vai querer colocar em um investimento mais seguro e outra parte você pode optar por um que tenha juros maiores e com um risco maior de precisar do FGC. Até o presente momento, o FGC funcionou quando bancos pequenos e relativamente grandes (como o banco Bamerindus) quebraram no passado. Tem até um relatório em PDF no site do FGC que mostra quantos bancos quebraram nas últimas décadas e quantos clientes desses bancos foram socorridos pelo FGC. Veja: http://www.fgc.org.br/upload/garantia_ci_p.pdf Não faz nenhum sentido investir nestes bancos se você não constatar que realmente estão oferecendo taxas maiores que o Tesouro Direto e maiores que bancos maiores. Esse “Cara da Renda Variável” que você citou, provavelmente é o cara que tem um site patrocinado por corretoras. Quando você está diante de um site ou um autor patrocinado por bancos e corretoras você precisa passar as coisas que ele fala por um filtro. Existem educadores que são patrocinados pelos seus leitores, são aqueles que além de produzir conteúdo gratuito também produzem algum tipo de conteúdo pago (livros, ebooks, cursos) que financia o projeto gratuito.

          • Halisson de Lima 7 de setembro de 2016 at 16:31

            Leandro, obrigado por me responder. Com relação a bancos médios e pequenos, também não vejo maiores problemas, desde que a alocação seja realizada embasada em estudo e com consciência dos riscos envolvidos. Não sou daquele que investe na doida, só pq os analistas e a mídia tão falando sobre isso. Leio muitas fontes diferentes, participo de diversos fóruns, faço cursos e assisto vídeos com intuito de filtrar o que considero melhor pra mim, para só então decidir, por minha conta em risco, a melhor opção.

            Com relação ao autor e fundador do Fórum que é considerado por muita gente como “O Cara da renda Variável”, confesso que fico super incomodado pelo fato de ser patrocinado por Corretoras e Casas “Independentes” de Análise. Ele fala abertamente. No começo era totalmente desconfiado, com o tempo descobri que o forum recebe patrocínio dessas empresas, todavia para por aí. Ele critica abertamente os analistas futurologistas e os vendedores de sonhos, na grande maioria das vezes entrando em confronto direto com os seus patrocinadores. Tal como você, é um grande incentivador do estudo e da independência nos investimentos. Embora ainda não tenha comprado os teus livros e conseguido acesso ao teu forum fechado, faço questão de indicar os teu site para todos os meus amigos(alguns já até compraram livros teus). Parabéns por tudo. Eu te considero “O Cara” da Educação Financeira(metodologia e Conteúdo) na categoria bloggers. Muito Sucesso!!!

          • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 17:13

            Oi Halisson. Eu sei que ele critica abertamente e faz um ótimo trabalho de conscientização. Não tenho nada contra ele e o trabalho dele. Inclusive sigo o conteúdo dele e de todos os outros educadores que vou encontrando pelo caminho. Sei que manter um site muito visitado funcionando perfeitamente custa caro e exige muita dedicação. Hoje eu sei que todos os educadores financeiros, todos que possuem sites com boa visitação nesta neste nicho de finanças, recebem contatos e propostas de instituições financeiras. Provavelmente isso acontece em todos os setores. Se você tem um bom site sobre nutrição e saúde, provavelmente você vai receber muitas propostas da indústria de alimentos e suplementos querendo seu apoio para divulgar produtos industrializados. Cabe ao usuário ou leitor destes sites patrocinados por instituições financeiras “ligar um filtro” na cabeça para aproveitar apenas o conteúdo interessante.

    • ricardo 6 de setembro de 2016 at 20:58 - Reply

      Easynvest ñ cobra, e é a lider no tesouro direto, recomendo!

  3. Gabriel Valente Soares 6 de setembro de 2016 at 17:00 - Reply

    Muito obrigado por mais este artigo!
    Leandro, tenho uma dúvida que parece óbvia, mas que tem me tirado o sono (um pouco).
    Vou comprar um apartamento.
    Tenho 47 mil reais que acabaram de retornar de um investimento que fiz em LCI.
    O restante do dinheiro já está aplicado em outros investimentos.
    Quero comprar o apartamento ATÉ dezembro, logo, busco em primeiro lugar, liquidez.
    Pergunta: posso, mesmo com este curtíssimo prazo, colocar esses 47 mil no tesouro Selic?
    Estou considerando 3 formas de investimento: Tesouro Selic, Fundos de Investimento e Poupança.
    Não encontrei CDB compensador, com um prazo tão curto e nem LCI/LCA.
    Os fundos do meu banco são um pouco melhores para quem pode aplicar mais 50 mil (Taxa 1%a.a.).
    A poupança nem preciso dizer.
    E o Tesouro Selic mé dá 1% ao mês, mas provavelmente pagarei 22,5% de IR (Investirei pela Easynvest que não cobra taxa).
    O que faço com este prazo tão curto?
    Abraço!
    Gabriel

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:19 - Reply

      Oi Gabriel. No curto prato as rentabilidades ficam comprometidas devido a essa cobrança de imposto de renda que é maior quando o prazo é menor. Faça simulações no Tesouro Direto, no artigo onde ensino como investir em Tesouro Selic eu mostrei como fazer simulações deste tipo. Na poupança sua rentabilidade será baixa e se você sacar o dinheiro antes do aniversário de 30 dias, você corre o risco de perder a rentabilidade do mês. No caso dos fundos você precisa olhar quais fundos o seu banco oferece com liquidez e com taxa administrativa baixa.

    • Junior 6 de setembro de 2016 at 20:24 - Reply

      Gabriel, existem LCIs ou LCAs que tem prazo de 3 meses, oferecendo 92% do CDI, resolveria de forma perfeita o seu problema, já que mesmo sendo um investimento de curto prazo não pagará uma quantia enorme de IR, na verdade nem pagará, lembrando que essa é a melhor taxa que eu já encontrei para o prazo, na media em bancos médios e corretoras independentes, a taxa paga é de 88%.

      • Gabriel Valente Soares 16 de setembro de 2016 at 19:33 - Reply

        Obrigado Junior! Valeu a dica. Eu pensei nessa opção tbm, mas como o imóvel pode pintar a qualquer momento eu precisaria de uma liquidez beeem líquida! haha Como eu disse, comprarei o ap até dezembro, sendo assim, pode ser que apareça algo logo em outubro, por exemplo… Abraço!

  4. Inaldo 6 de setembro de 2016 at 17:03 - Reply

    Olá Leandro. Confesso que tinha medo de investir através de corretoras, mas vendo meu “rendimento” na caderneta de poupança despencar tomei coragem. Comecei com cem reais para testar. Hoje me arrependo. Não de investir através de corretora, e sim de ficar perdendo dinheiro na caderneta de poupança por tantos anos.

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:20 - Reply

      Oi Inaldo. Isto acontece com todo mundo. Por isto o ideal é fazer isso que você fez. Começa investindo um valor pequeno como se você estivesse passando por um treinamento, uma fase de experiência. Com um valor pequeno você não vai sentir tanto medo e vai aprender com sua própria experiência.

  5. Raphael 6 de setembro de 2016 at 17:04 - Reply

    Excelente Artigo, Leandro minha dúvida é em relação na verdade sobre outro artigo seu, é sobre o artigo Objetivo Financeiro: Juntar Dinheiro Rápido, não consigo baixar a planilha que você colocou lá, existe alguma forma de disponibilizar de novo ?.

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:24 - Reply

      Oi Rpahael. Eu acabo de testar e consegui baixar normalmente. O endereço é https://www.dropbox.com/s/p2719qnj30yah78/CP_Objetivo_Financeiro.xlsx?dl=1 Provavelmente existe alguma coisa no seu computador que impede o acesso ao arquivo. Se você está acessando a internet no computador de uma empresa ou instituição de ensino esse tipo de bloqueio pode ocorrer. Você pode tentar baixar quando estiver na sua casa ou pedir para que algum amigo baixe e envie para você.

      • Raphael 6 de setembro de 2016 at 17:26 - Reply

        Leandro, Sim obrigado, assim que chegar em casa vou baixar, desculpa mudar o foco

        Att

  6. Tago 6 de setembro de 2016 at 17:05 - Reply

    Muito bom o artigo.

    Esclarecedor e de fácil entendimento.

    Eu particularmente tenho buscado aprender cada vez mais sobre os investimentos e os resultados está sendo extremamente satisfatório.

  7. Harris 6 de setembro de 2016 at 17:06 - Reply

    Caro Leandro, excelente artigo! Caiu como uma luva para mim. Já estou no 2o. passo, i.e., com uma conta bancária em banco pequeno, aliás numa cooperativa (s/ taxas de manutenção, e c/ aplicação em CBD a 100% do CDI) e também com conta em corretora, porém sem dinheiro investido ainda. Só é preciso dar o passo seguinte que é transferir os recursos de investimento em LCA da minha conta bancária em banco grande para um investimento de maior retorno na corretora.

    Muito obrigado por mais uma vez compartilhar de sua sabedoria.

    Grande abraço,

    Harris.

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:26 - Reply

      Oi Harris. Parabéns por dar estes primeiros passos. É assim que vamos crescendo.

  8. Claudenor 6 de setembro de 2016 at 17:09 - Reply

    Olá Leandro Ávila boa tarde.

    Mais uma vez artigo excepcional.. Acredito que irá ajudar muita gente, assim como aprendi já coloquei todo este conhecimento em prática. E com o conhecimento é a coisa mais fácil do mundo e claro.. Educação e conhecimento sempre será melhor para a nossa saúde financeira. Aproveito a oportunidade para complementar este artigo e deixo aqui abaixo um site que verifica os balanços e solidez das de todas as corretoras, não sei se você conhece mais deixo aqui o site.

    E como você é bem didático no seus artigos seria em minha opinião uma sugestão de matéria..

    http://bancodata.com.br/

    Basta digitar a corretora desejada e o mesmo traz um resumo financeiro de tudo da corretora… Pois além de termos que analisar os custos em nossos investimentos é importante também vê a solidez da corretora a ser escolhida vai que…. a mesma esteja no vermelho a muito tempo, depois não tem jeito, é problema na certa..

    Bons estudos e obrigado mais uma vez pelo ótimo artigo.

  9. NILTON AMARAL DA SILVA 6 de setembro de 2016 at 17:10 - Reply

    Tomei ação quase que instantaneamente para me desvencilhar das armadilhas do meu banco é até já consegui bons progressos em ajudar alguns amigos, mas a maioria ainda resiste à ideia de investir! Isso torna seu trabalho de conscientização importantíssimo, meu caro! É um trabalho de formiguinha, mas o que seria do planeta sem as formigas?! rsrsrs Muito obrigado por mais esse artigo(que já compartilhei)!

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:29 - Reply

      Oi Nilton. Muito obrigado por compartilhar. São os leitores que compartilham que mais ajudam as pessoas que precisam de orientação.

  10. Carlos Faria 6 de setembro de 2016 at 17:23 - Reply

    Leandro, gostaria, por favor, que vc me esclarecesse uma coisa sobre Previdência Privada porque eu não estou conseguindo enxergar: quando vc diz “verdadeiras bombas que são os planos de previdência privada abertos oferecidos pelos grandes bancos…. ”

    É o seguinte: sou servidor público + renda de aluguel, declaro IR completa e aplico 12% da Renda Bruta em um PGBL da CEF. (Sem taxa de carregamento na Entrada/Saída e com TAdm de 2% com rentabilidade de 12% em 2015).
    Se eu não fizer o PGBL tenho que pagar aproximadamente R$ 3000,00 de IR, porém quando faço a aplicação ao invés de pagar, eu restituo R$ 5400,00.
    Humildemente eu te peço para me esclarecer porque eu realmente não tô conseguindo enxergar. Eu acho que estou vendo mas não estou enxergando.
    Agradeço,
    Grande abraço.

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:50 - Reply

      Oi Carlos. Tenho um artigo que fala sobre isso, visite aqui.

    • Junior 6 de setembro de 2016 at 20:35 - Reply

      Tente simular a seguinte ação: aplicar em algum titulo privado esses 12% de sua renda bruta, como uma LCI de 96% do CDI por um ano (a melhor que já encontrei para esse prazo), se sua rentabilidade liquida estiver acima de R$ 8.400,00 (custo de oportunidade: deixar de pagar R$ 3.000,00 de IR mais rentabilidade de R$ 5.400,00 do PGBL), vale mais a pena pagar R$ 3.000,00 de IR e ganhar maior rentabilidade com o titulo privado, do que aplicar no PGBL é receber apenas R$ 5.400,00 de restituição.

  11. Dema 6 de setembro de 2016 at 17:24 - Reply

    Estou 100% de acordo com o artigo, demorei para enxergar, mas já faz 2 anos que sigo essa cartilha. Muito importante em R.Fixa analisar o rating e ficar dentro do limite do FGC. Ouvi rumores sobre o Bco Maxi_ _

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:53 - Reply

      Oi Dema, já faz tempo que chamei a atenção do pessoal lá da comunidade http://amigos.clubedospoupadores.com sobre este e outros bancos que estavam na mira do Banco Central. Eu até fiz um investimento pequeno neste banco, sabendo do risco, com o objetivo de vivenciar a experiência de usar o FGC (se o pior acontecer). Assim eu posso escrever um futuro artigo falando sobre o que acontece quando você quebra com o seu dinheiro dentro do banco e o Fundo Garantidor de Créditos devolve seu dinheiro.

      • Carlos 6 de setembro de 2016 at 18:47 - Reply

        Prezado leandro, também investi um dinheiro na instituição mencionada, com umá finalidade bem dinerente da sua (rsrs)…. espero que o artigo não saia, mas se for editado, será muito bem vindo.

        Quando abri conta em corretora, o fiz depois de conhecer o clube dos poupadores. Muito bom o seu trabalho.

  12. Joanatan 6 de setembro de 2016 at 17:25 - Reply

    Sensacional professor. A forma que o senhor trata de um determinado assunto.
    Há mais de um ano venho investindo através da easynvest.e estou muito satisfeito ,Graças aos bons conselhos do senhor.
    Por acaso já tem um novo livro do senhor a caminho?
    Muito Obrigado Leandro.

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:54 - Reply

      Parabéns Joanatan! Tem a atualização dos meus três livros. No final do ano eles ficarão maiores. A ideia é que continuem crescendo. Todos que já compraram vão receber a atualização anual que pretendo fazer.

  13. misael 6 de setembro de 2016 at 17:26 - Reply

    Boa tarde. Excelente artigo.
    Hoje invisto na corretora Easynvest, mas depois de muitas pesquisas e avaliar muito as opções de tarifa.
    tenho hoje TD, Ações e Fundo investimento imobiliário (FII).
    Mas graça aos artigos e dicas de informações valiosas.
    Parabéns por conta um pouco da sua trajetória de vida e como mudou de atitude nos fatos dos investimentos dos bancos que parecem ser uma boa opções de investimentos mas na realidade é engano.

  14. Kalina Costa 6 de setembro de 2016 at 17:30 - Reply

    Como sempre, Leandro, excelente artigo. Muito Obrigada por compartilhar seus conhecimentos. Confesso que depois de ler bastante sobre educação financeira e muito dessas informações eu as encontrei aqui no Clube de Poupadores é que perdi o medo/receio de aplicar em Corretoras Independentes do grande banco onde tenho conta. E Como valeu a pena! Hoje, tenho conta em 2 Corretoras. Meu Muito Obrigada novamente pelos seus excelentes artigos! São de Utilidade Pública! Abraços!

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 17:58 - Reply

      Oi Kalina. Parabéns, hoje e também tenho conta em mais de uma corretora e eu até recomendo pois é comum uma corretora ser melhor para renda fixa, a outra ser melhor para renda variável e assim por diante. O que eu realmente não recomendo para ninguém é fidelidade com bancos, corretoras, cartão de crédito, etc. Ninguém tem que ser fiel quando o assunto é investimentos. Devemos procurar os bancos e as corretoras que oferecem os melhores serviços pelos melhores custos. Se as pessoas acabassem com essa fidelidade as instituições financeiras seriam obrigadas a sair da zona de conforto onde estão. Elas teriam que investir para melhorar serviços e investir para reduzir custos. Quanto mais clientes infiéis e concorrência, melhor para todos.

  15. Corina 6 de setembro de 2016 at 17:34 - Reply

    Oi, Leandro! Gosto muito de ler os seus artigos: dá pra ver sua dedicação em oferecer informação de qualidade! Muito obrigada!
    Eu sei bem do que você está falando aqui neste artigo. Por muitos anos, me submeti às sugestões dos meus gerentes de conta do BB, que, embora bem informados, atualizados e gentis, nem sempre tinham em mente o nosso melhor resultado.
    Na minha fase dois, abri uma conta na XP em busca da redução de taxas. Aí descobri uma coisa curiosa: que as tais taxas zero para o Tesouro Direto não eram BEEEEEM para o TD, mas sim para títulos públicos comprados no site da XP e que nem sempre oferecem as mesmas condições que os mesmos títulos disponíveis no TD. Por exemplo, o preço dos títulos é bem diferenciado; você não pode particionar um título, isto é, se ele custar R$5000, você não pode comprar 0,4 do título, como faz no TD, o que te obriga a comprar exatamente o valor oferecido por eles e te cria alguns problemas.
    Mas o que mais me intrigou foi perceber que as minhas operações de bolsa estavam sendo taxadas (e olha que eu sou VIP, hein…) a R$14,00, quando o BB me cobrava apenas R$ 10,00.
    Outra coisa muito decepcionante foi ser contatada por um “assessor financeiro” (eu ainda não tinha lido o seu artigo aqui) que me ofereceu uma operação de COE como se fosse de renda fixa, ou seja, risco baixo, quando não era isso de jeito nenhum! Depois que me decepcionei com isso, fiquei bem mais crítica e comecei a fazer perguntas… aí os “assessores” sumiram… sequer respondem os meus emails. Melhor pra mim, né? Agora vou ter de me informar e desconfiar desses sujeitos.
    Um forte abraço pra você, viu?

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 18:06 - Reply

      Oi Corina. Na XP você pode comprar títulos no mercado secundário, onde você não precisa pagar os 0,30% de taxa anual de custódia da BM&FBOVESPA, e pode comprar títulos pelo Tesouro Direto. Para comprar pelo Tesouro Direto você deve acessar o site do Tesouro Direto e escolher a XP. Tenho até um tutorial que ensina a investir pelo site do Tesouro Direto, veja aqui. Outra forma de comprar é pelo software Home Broker da XP, o mesmo utilizado para comprar ações. Lá no software que você instala no Windows tem o botão para comprar títulos do Tesouro Direto. Neste caso os títulos ficam custodiados na BM&FBOVESPA e você tem a taxa de 0,30%. Aqueles títulos do mercado secundário no meio dos investimentos de renda fixa gera muita confusão e eles devem se beneficiar com isso, pois do contrário já teriam colocado pelo menos um alerta informando que aquilo ali são títulos públicos já emitidos e não títulos públicos novos emitidos pelo Tesouro Direto. No caso do investimento em ações a taxa de corretagem deles é de 14,90. Existem corretoras que cobram bem menos que isso. Eu não uso os serviços dos assessores. No máximo eu envio dúvidas sobre o funcionamento dos investimentos, mas nunca pedindo recomendação. Se você deixar o assessor acaba se comportando como um gerente de banco.

      • Corina 13 de setembro de 2016 at 13:52 - Reply

        Valeu, Leandro! Uma vida longa e feliz pra você, viu?

        • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 17:19 - Reply

          Obrigado Corina, desejo o mesmo para você e os demais leitores.

  16. Tiago 6 de setembro de 2016 at 17:40 - Reply

    Leandro,

    Impressionante, todo o histórico que vc relatou aconteceu o mesmo comigo. Do título de capitazição à previdência privada. Já estou na 3a. fase da vida do pequeno investidor e o Clube dos Poupadores teve um papel fundamental para que eu pudesse atingir essa etapa e continuar seguindo em frente.

    Muito Obrigado!

    Parabéns!
    Tiago

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 18:07 - Reply

      Oi Tiago. Esse roteiro acontece com quase todo mundo. O ideal seriam os mais jovens terem acesso a esse tipo de informação antes de abrir a primeira conta bancária.

  17. Gregory 6 de setembro de 2016 at 17:48 - Reply

    Obrigado Leandro, mais um artigo top. Deixa eu te perguntar, eu costumo deixar 5 mil, em um CDB do banco (grande) que faço parte, para emergências. você acha que vale a pena usar a corretora ? uma vez que com uma ted eu posso ter o dinheiro em mãos em poucos minutos. é apenas meu fundo para uma emergência de agora.
    Grato

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 18:14 - Reply

      Oi Gregory. O dinheiro que você tem como reserva de emergência pode ficar no banco grande. A ideia é que no caso de uma emergência você vai precisar desse dinheiro na sua conta, não importa o horário do dia ou da noite. Se esse dinheiro para emergência ficar na corretora e você precisar transferir da corretora para sua conta fora do horário comercial, o dinheiro só será realmente transferido no dia seguinte. Se não me falha a memória você só pode fazer TED para o mesmo dia até as 17:00. No caso de DOC bancário o horário limite é 21:59. Se for fora deste horário você precisa agendar a transferência para o outro dia. Isso não é interessante para um dinheiro que pode ser usado no caso de uma emergência.

  18. Eveline 6 de setembro de 2016 at 17:54 - Reply

    Leandro, o que você acha do investimento em debêntures?

    Obrigada.

  19. Daniel Tavares 6 de setembro de 2016 at 17:57 - Reply

    Mais um ótimo artigo.

    Você já escreveu sobre Letras de Câmbio?

    Muito obrigado pelo conhecimento compartilhado!

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 18:17 - Reply

      Oi Daniel. Ainda não escrevi sobre letras de câmbio. É um investimento muito parecido com CDB. Na verdade a letra de câmbio é o CDB das financeiras.

  20. Rudimar 6 de setembro de 2016 at 17:57 - Reply

    Belo artigo Leandro como sempre. Diz uma coisa, você fala bastante de renda fixa, mas o que você pensa da renda variável? Por exemplo a bolsa de valores, você ariscaria? Na sua opinião qual perfil de investidor tem ter para bolsa? Muito estudo ? muito tempo?

    Hoje minhas economias estão 100% em um corretora, escolhi com ajuda de um artigo seu, e qual acredito ter acertado escolha, pela facilidade sem custo algum para renda fixa, nem TED/Doc nada… não é de acreditar… Até tenho conta na XP mas por causa dos custo não rolou.

    Sabe de algum comparativo dos custos das corretoras para investimentos na bolsa de valores?

    Bom feriado!

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 18:20 - Reply

      Oi Rudimar. Aprender renda fixa é obrigação de todos. Já renda variável é para quem já domina a renda fixa. A XP tem custos elevados para renda variável. O mesmo grupo XP tem uma outra corretora chamada Clear que é voltada para investidores de renda variável e as taxas de corretagem são bem menores. Existem outras corretoras com taxas menores para investimentos na bolsa. É necessário pesquisar. Eu acho muito útil que um dia todos dedique algum tempo estudando o funcionamento da renda variável.

  21. Anselmo 6 de setembro de 2016 at 18:02 - Reply

    Que bom Leandro ver esse artigo. Quem sabe eu consiga convencer minha esposa a desbancarizar os investimentos porque pessoalmente eu já desisti de convencê-la. E mais uma vez obrigado por sua proposta de educação financeira (o estimulo semanal que você proporciona neste site me fez inclusive comprar os seus 3 livros de investimentos e posso dizer que é um verdadeiro investimento educacional, todos os dias leio no Ipad)…
    Aproveitando o ensejo, queria propor um tema oportuno que ainda não localizei neste site: seguro de vida? Penso que é o desejo de alguns usuários e particularmente queria saber o seu ponto de vista… Mais uma vez obrigado e boa tarde

    • Leandro Ávila 6 de setembro de 2016 at 18:22 - Reply

      Oi Anselmo, obrigado pelo apoio. São leitores como você que permitem que o Clube dos Poupadores continue crescendo. Quem adquire meus livros está literalmente viabilizando a educação financeira de milhares de pessoas que ainda não possuem a consciência necessária para investir na própria educação. Muito obrigado em nome de todos os leitores.

  22. Luis 6 de setembro de 2016 at 18:05 - Reply

    Leandro gostaria de parabeniza-lo pelos esclarecimentos sempre didático acerca da educação financeira.
    Sou leitor assíduo dos artigos postados que, ao meu ver contém informações importantes aos investidores em geral.

  23. Rodrigo Alves 6 de setembro de 2016 at 18:16 - Reply

    Novamente deixo meus parabéns! Excelente artigo Leandro!

  24. Arquimedes de Moura Ramos 6 de setembro de 2016 at 18:26 - Reply

    Ola Leandro, ha alguns anos ja tenho seguido seus conselhos e ja me desbancalizei um pouco (rs)…. ainda muito pouco diante do que eu poderia fazer, mas ja é um começo. Estou satisfeito com o investimento em corretora (me filei a apenas uma por enquanto), mas tenho percebido uma desvantagem que vc nao comentou no seu artigo, mas q eu gostaria de sua opiniao. É com relaçao à liquidez muito baixa dos produtos de renda fixa geralmente ofertados pelos bancos menores via corretora. Já apliquei em CDB de bancos pequenos q vão remunerar ate 128% do CDI, mas o dinheiro vai ter de ficar sem ser resgatado por 5 anos!!!… em tese, essa nao é uma desvantagem que deva ser considerada? Gostaria de sua opiniao e desde ja lhe agradeço pela educação finaceira q vc nos proporciona regularmente.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 1:46 - Reply

      Oi Arquimedes. Aquele dinheiro que você precisa utilizar em espaços muito curtos ou uma reserva para emergência deve ficar no seu banco. Mesmo assim existem corretoras onde você pode encontrar CDB com liquidez diária. Também existem corretoras que oferecem fundos que possuem liquidez diária. É uma questão de pesquisar.

  25. Marcelo 6 de setembro de 2016 at 18:34 - Reply

    Se não for pertinente o assunto Mestre Leandro, desde já deixo minhas desculpas. Mas por favor comente a respeito sobre oque esta ocorrendo com o Banco Máxima , e oriente-nos quais as providencias que devamos tomar. Tanto quem tem investimentos direto com eles ou através de Corretoras. Desde já agradeço o carinho para conosco e que Deus lhe de bastante SAUDE para continuar o seu múnus publico .

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 1:49 - Reply

      Oi Marcelo. Eu tenho investimentos no banco Máxima e não vou fazer nada. É um investimento pequeno e que está coberto pelo Fundo Garantidor de Créditos. O caso é interessante para que a pessoas percebam que quando os bancos estão oferecendo taxas muito elevadas, como o Máxima estava oferecendo, é sinal de dificuldade em captar recursos e isso naturalmente leva a juros maiores para atrair aqueles que aceitam correr o risco se forem remunerados com juros maiores.

  26. Luiz 6 de setembro de 2016 at 18:38 - Reply

    Boa noite Leandro!
    Incrível artigo, graças ao seu trabalho eu pude estudar e aprender com muita tranquilidade e não passei por essa situação mas conheço muitas pessoas que só “enxergam” a poupança, acredito que seja uma questão cultural, o medo já está enraizado. Mais uma vez parabéns e lhe desejo muito sucesso.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 10:59 - Reply

      Obrigado Luiz. Parabéns por dedicar seu tempo estudando. Isso faz a diferença.

  27. misael 6 de setembro de 2016 at 18:39 - Reply

    Boa noite.
    Mas estava vendo as noticias do Yahoo, pois iria vê as minhas mensagens.
    e vi uma matéria que me chamou a atenção.
    Falando sobre as mentiras do Bancos, acho que cairia bem com este artigo.
    Este é o link da matéria.
    https://br.financas.yahoo.com/noticias/7-maiores-mentiras-contadas-banco-reveladas-pessoas-trabalharam-115600810–finance.html

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 15:12 - Reply

      Oi Misael, muito boa a reportagem. Obrigado por compartilhar.

  28. Alison 6 de setembro de 2016 at 18:45 - Reply

    De qualquer modo, tem, que colocar na ponta do lápis, existem muitas corretoras da moda que são péssimas para o investidor de longo prazo, pois o incentivo está em ganhar corretagem, ou seja, você só consegue os descontos prometidos se gastar o dobro rodando capital igual um louco.

    Em resumo, os blogs de investimento muito criticam os grandes bancos, com razão em 90% das vezes, mas protegem demais suas corretoras “parceiras”.

    Único conselho honesto nestes casos é: SEMPRE ponha na ponta do lápis.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 13:06 - Reply

      Oi Alison. As corretoras lucram muito quando estimulam o pequeno investidor a ficar movimentando dinheiro lá dentro. Hoje elas recomendam a compra de uma determinada ação e na outra semana elas já recomendam a venda. Elas ganham taxa de corretagem na compra e na venda e por isso ficam estimulando o movimento. Você já deve ter percebido que algumas corretoras contratam grandes times de analistas, alguns ficam o dia todo emitindo opiniões de compra e venda. A ideia é fazer a massa de clientes movimentar o dinheiro dentro da corretora. Por isso é tão importante para as corretoras terem uma massa grande de clientes lá dentro recebendo essas recomendações. Por isso eu também recomendo fortemente que as pessoas dediquem tempo estudando para não criarem essa dependência. Ninguém deve ter o direito de dizer o que você vai ou não vai fazer com o seu dinheiro. O conhecimento é que nos livre dessas influências externas. Eu não tenho parceria com nenhuma corretora e posso dizer que já fui assediado economicamente por várias corretoras e bancos. Na semana passada mesmo eu recebi o e-mail de um banco de médio porte. O que eu recomendo é que ninguém tenha fidelidade nenhuma com banco ou corretoras. Procurem aquelas que oferecem os melhores serviços e os menores custos e fiquem monitorando. Se aparecer coisa melhor no mercado, deixe a fidelidade de lado e verifique na ponta do lápis se você está diante de um bom custo-benefício.

  29. Julio 6 de setembro de 2016 at 18:49 - Reply

    Oi Leandro,

    li meio rápido, mas acho que vc não mencionou o risco da corretora quebrar e o cliente ter dinheiro parado na conta (sem estar aplicado). Aí pra reaver esse dinheiro é complicado, não?
    E no caso da pessoa ter ordem de compra de ações aberta no Home broker pra mais de um dia? Se a corretora quebra e a ordem não foi executada essa quantia é considerada como se estivesse parada na conta? ou estaria dentro da BMF?

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 12:59 - Reply

      Oi Julio. Corretoras não são como bancos. Quando você coloca dinheiro na sua conta corrente dentro do banco, é como se você estivesse emprestando seu dinheiro para ele. Aquele saldo que aparece no seu extrato mostra quanto o bando deve para você e não quanto você tem de dinheiro parado no banco. O dinheiro que fica lá na conta corrente é utilizado pelo banco. Uma parte fica depositada no Banco Central e a outra parte o banco empresta para pessoas, empresas e até para o governo. Quando o banco quebra, aquele dinheiro que estava parado na sua conta era uma dívida, ele não está lá esperando você. Por isto entra em ação o Fundo Garantidor de Créditos. No caso das corretoras a coisa não funciona dessa maneira. A corretora não pode emprestar seu dinheiro para ninguém. Se ela falir, o seu dinheiro não desaparece, ele continua lá dentro da conta da corretora. Ela vai ter que aparecer com seu dinheiro, pois do contrário ela vai estar cometendo um crime grave. Agora que algumas corretoras não cobram TED, não faz nenhum sentido ficar com dinheiro parado na corretora por muito tempo. Ou você reinveste o dinheiro que acabou de cair na conta da corretora ou você transfere esse dinheiro para sua conta corrente. O ideal é não deixar muito dinheiro parado na conta da corretora. Só que o fato da corretora quebrar não significa que ela terá o direito de desaparecer com o seu dinheiro.

      • Julio 8 de setembro de 2016 at 17:18 - Reply

        Oi Leandro,

        o problema é que opero com ações. E as vezes após uma venda não vejo logo uma oportunidade de compra e aí o dinheiro fica parado. O ideal é que tivesse na corretora o sistema de aplicação automática do dinheiro que entra na conta, igual ao que tem nos bancos, que é tipo um CDB eu acho. Ou até mesmo um fundo DI com liquidez diária.

        Cara, sempre indico teu site quando alguém vem me perguntar de investimentos. Os comentários também são preciosos de se ler.

        abs / Júlio

        • Leandro Ávila 9 de setembro de 2016 at 8:56 - Reply

          Oi Julio. Acho que para isso as corretoras deveriam se transformar em bancos. Quem pode pegar o dinheiro da sua conta-corrente emprestado automaticamente são os bancos. De qualquer forma existem corretoras que oferecem fundos de investimento DI com liquidez diária. Vale pesquisar isso. Muito obrigado por recomendar o site.

  30. Gilberto Luiz 6 de setembro de 2016 at 18:58 - Reply

    Leandro, mas ai tem a tarifa de ted do banco para a Corretora, certo? E quanto ao valor inicial pra investir na Bolsa? Falam de em torno de R$ 5.000,00 pra iniciar.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 12:55 - Reply

      Oi Gilberto. Existe sim. Alguns bancos oferecem opções de contas sem tarifas. Tenho até um artigo sobre isso aqui. Não existe uma regra, um valor inicial. Só que você deve observar os custos. Tem corretora que cobra R$ 14,90 para cada compra que você faz na bolsa. Existem corretoras que cobram R$ 5,00. Você já inicia o investimento perdendo algum dinheiro, pelo custo da operação. Tudo isso precisa ser avaliado pelo investidor.

  31. Rafael 6 de setembro de 2016 at 19:04 - Reply

    Leandro, boa noite. Parabéns pelo ótimo site. Abri uma conta na XP, porém não consegui acessar as oportunidades de renda fixa. Existe algum tutorial no seu site?

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 12:53 - Reply

      Oi Rafael, lá no menu, dentro da área de cliente, existe a opção “renda fixa”. Basta clicar para visualizar. Você pode e deve entrar em contato com eles caso tenha qualquer dúvida. É muito provável que eles tenham algum tipo de manual, pois deve ser uma coisa muito solicitada pelos clientes novos. Isso vale para todas as corretoras.

  32. Laercio de Vita 6 de setembro de 2016 at 19:19 - Reply

    Caro Leandro Ávila,

    Não posso deixar de cumprimentá-lo pelo presente artigo. Trata-se de um poderoso instrumento em benefício da autonomia dos pequenos investidores.

    Qualquer palavra que diga, será insuficiente para manifestar minha gratidão.

  33. João Santos 6 de setembro de 2016 at 19:28 - Reply

    Sou ex bancário atuei por vários anos como gerente de pessoa jurídica de um grande banco do mercado financeiro nacional e concordo com tudo que você escreveu , inclusive, pedi para sair , pois estava sentindo-me mau em enganar meus clientes na busca de melhor rentabilidade para o banco. Com isso , para manter meu emprego ,era obrigado a empurrar produtos que os clientes não necessitavam com intuito de bater metas que o banco impunha para alcançar os exorbitantes lucros no qual almejava.Sentia-me mal , mas tinha que faze-lo para garantir a manutenção do meu emprego ,pois dependia do emprego para sobreviver .

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 12:51 - Reply

      Oi João. Não é o primeiro ex-funcionário de banco que me fala exatamente isso. Você pediu para sair pelo fato dos seus valores serem incompatíveis com os valores dos bancos. Parabéns!

  34. Raphael 6 de setembro de 2016 at 19:36 - Reply

    Não existe corretora boazinha. Eles te isentam das taxas e na verdade estão lucrando muito mais. Tenho conta na rico e apesar de cobrarem taxa para aplicar em LCA, LCI, etc eles repassavam o percentual do CDI oferecido pelos bancos parceiros integralmente. Hoje eles me isentam dessa taxa mas o percentual que repassam para o cliente do CDI é menor. Com isso se um banco médio oferece LCA com rendimento de 93% CDI, hoje a corretora passa para os clientes rendimento de 91%. Os 2% ficam para a corretora. Não existe mágica. No final eles sempre ganham. Esta estratégia é melhor pois psicologicamente vc não paga taxa. Tem a sensação de que agora vai ter rendimentos maiores além de chamar novos clientes.

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:51 - Reply

      Oi Raphael, nenhuma instituição financeira faz filantropia. Sempre existe lucro, mesmo que você não consiga perceber.

  35. ADILSON 6 de setembro de 2016 at 19:50 - Reply

    Boa noite Leandro, tenho meus investimentos em uma Corretora vinculada ao Banco da qual sou correntista. Não adianta, o psicológico me trai todo momento quando penso em trocar de corretora. Atualmente também possuo a RICO e acabo de me cadastrar na XP Investimentos. O problema é transferir o dinheiro para a Corretora. Passa um medo de sumir pelo caminho e se sumir ninguém será culpado. Também uso a Corretora vinculada ao Banco (grande) por comodidade, já que tudo entra e sai da minha CC sem me preocupar onde o dinheiro foi parar.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 12:47 - Reply

      Oi Adilson. Realmente é um medo sem sentido, como o medo viajar de avião. Mesmo sendo o meio de transporte mais seguro, que mata menos gente por ano em relação a quantidade de pessoas que transporta, ainda tem gente que prefere não voar de avião. Quando você faz um TED não existe a possibilidade do dinheiro desaparecer no meio do caminho. O Sistema de Pagamentos Brasileiro é muito moderno. O processamento dos TEDs é feito pela CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos) através de um sistema chamado SITRAF (Sistema de Transferência de Fundos). Neste link mostra como é o processo. Nesta outra página existem estatísticas diárias de todos os TEDs que são processados no Brasil. Todos os meses são realizados mais de 1.7 milhões de TEDs entre bancos, corretoras e outras instituições. São mais de R$ 18 bilhões movimentados. Tenho certeza que as pessoas que fazem esse movimento não sentem medo do dinheiro sumir no meio do caminho, pois o sistema é feito para que isso não ocorra. De qualquer forma, é importante que você ganhe segurança fazendo pequenos investimentos e pequenas movimentações.

  36. Danilo Santos 6 de setembro de 2016 at 19:53 - Reply

    Leandro,
    Boa noite! Seu trabalho é excelente. Obrigado pelas dicas.
    Eu abri uma conta na corretora easynvest, achei muito bom, muitas opções de LCI, LCA, CDB.
    Atualmente canecelei minha conta no Santander e fui para o Banco Intermedium, com conta digital, isenta de tarifas, faço de tudo para não pagar nada de taxas, pois o nosso objetivo é sempre lucrar. E também estou acompanhando a renda variável. Seria bom passar para os seus leitores a opção do simulado da folhainvest que é maravilho, já consegui “fazer uma grana” lá, rsrs. Logo logo entrarei para o mercado, pois estou começando a entender como funciona a renda variável. Abraços.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 12:20 - Reply

      Oi Danilo. No mercado você vai ter a possibilidade de testar suas emoções, já que o dinheiro será de verdade. 🙂

  37. Fabricio Monteiro 6 de setembro de 2016 at 20:21 - Reply

    Olá Leandro,
    Parabéns pelo artigo! Gostaria de dar uma sugestão:
    Ponha em seu blog botões de compartilhamento rápido do link desse artigo, tipo pelo face, instagran ou whatzap. Quis compartilhar com uma amiga e tive dificuldades. Ah desculpe, achei os botões, só estavam meio escondidos do lado da imagem. Então sugiro botar no fim do post tb pra facilitar.

  38. Wilson Komatsu 6 de setembro de 2016 at 20:23 - Reply

    Leandro:

    Interessante seus comentários sobre o Jorge Paulo Lemann. Realmente ele (e a 3G) tem fama de ser extremamente agressivo no mercado (já conheci gente que trabalhou para ele que não aguentou o ritmo e a pressão e saiu), inclusive quando eles compraram a Budweiser os empregados e a média gerência (todos americanos, acostumados com capitalismo) ficaram extremamente preocupados com o eventual facão que iria rolar para “otimizar custos”. Certamente eles geram riqueza (agregam valor, como eles gostam de falar), e no sistema capitalista esta tal criação de valor é que move a economia para a frente. Mas qual você acha que é o limite disso? Será que se todos forem éticos,”verdes”, haveria a necessária criação de riqueza? Olho países como Alemanha, Japão, paises nórdicos, com um estado de bem estar social (“welfare state”) bem estabelecido mas assentado sobre superavits comerciais com países menos desenvolvidos. Vejo a China tirando, de um modo ou de outro, sua população da pobreza absoluta mas com políticas comerciais extremamente agressivas com outros paises. Sei que o capitalismo não é um jogo de soma zero (aonde para alguém ganhar outro deve perder), e criação de valor gera riqueza “do nada” ao atender demandas e até mesmo criar demandas que nem existiam.

    Obrigado pelo seu site e sua dedicação e peço desculpas pelo longo comentário.

    Wilson

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 11:46 - Reply

      Oi Wilson. Gerar riqueza investindo bilhões em marketing direcionado para os mais jovens do mundo todo para que eles criem o hábito de se alcoolizarem com frequeência, não é uma boa forma de agregar valor para o mundo ou gerar riqueza no mundo. Ele gera riqueza para ele, seus sócios e funcionários, mas ao ao mesmo tempo gera problemas, desgraças e custos elevados para a sociedade. Quanto custa para a humanidade o consumo excessivo álcool e refrigerantes? Quantos jovens perdem a vida, ficam deficientes ou se tornam pessoas pouco produtivas por adquirirem o péssimo hábito de consumir bebida alcoólica regularmente e muitas vezes de modo exagerado? Quantas pessoas são literalmente viciadas no consumo de refrigerantes e fast-foods? Até que ponto os bilhões investidos em campanhas de publicidade não poderiam ser considerados como investimento em uma anti-educação? Você educa a criança e o jovem, desde de início a relacionarem o consumo dos produtos nocivos que ele produz com situações de alegria, prazer e sucesso. Se as crianças recebessem educação alimentar, será que os problemas de saúde e de alcoolismo não seriam evitados? Da mesma forma, se recebessem educação financeira os problemas financeiros seriam evitados. O problema é que a indústria de alimentos e o sistema financeiro seriam gravemente afetados se as pessoas recebessem uma boa educação neste sentido. O capitalismo, como tudo na vida, pode ser usado para o bem ou para o mal. Eu não acredito que no capitalismo alguém tenha que perder para o outro ganhar. Eu acredito no capitalismo onde você entrega mais valor do que o preço que você está recebendo pelo seu produto e serviços. O problema ocorre quando o empresário entrega uma coisa que não tem valor nenhum, mas utiliza todas as estratégias para que a pessoa acredite que está recebendo alguma coisa com grande valor. Ai entramos no jogo da enganação e da manipulação. No caso dos produtos do Lemann. Cerveja e refrigerantes literalmente são água suja. Não tem valor nenhum. O custo de produção do litro dessas águas sujas é o menor de todos os custos. Caro mesmo é o marketing que faz a pessoa acreditar que a água suja que está comprando tem algum valor. O mesmo vale para alimentos industrializados vendidos nos fast-foods. São alimentos sem qualquer valor. Existem muitos produtos e serviços que são realmente valiosos e de grande utilidade para as pessoas e para a humanidade. Muitos geram grandes mudanças e inovações no mundo e ao mesmo tempo produzem grande riqueza para donos, sócios e para o país onde estas empresas estão estabelecidas.

      • Tatiana 7 de setembro de 2016 at 22:54 - Reply

        Só trazendo alguns dados, no Brasil 90% dos leitos hospitalares para desintoxicação são utilizados por alcoolistas. Outro dado alarmante é que em médias 50% dos motoristas mortos em acidentes de trânsito em SP estavam alcoolizados. O álcool tem um grande custo para todos.

        • Leandro Ávila 8 de setembro de 2016 at 9:41 - Reply

          Oi Tatiana. O pior é que as pessoas que consomem bebidas alcoólicas, refrigerantes e outras bebidas e alimentos industrializados, fazem isso graças a sua ignorância alimentar. Se por um lado a ignorância financeira é uma oportunidade de negócios para o mercado financeiro lucra ofertando produtos e investimentos ruins, por outro lado existe a indústria de bebidas e alimentos industrializados que encontra na ignorância nutricional das pessoas uma grande oportunidade de vender todo tipo de lixo alimentar.

          • Julio 8 de setembro de 2016 at 16:57

            Exato Leandro,

            achei um contrasenso ver uma marca de refrigerante ser um dos patrocinadores da Olímpíada.

            E outra coisa que me causa náuseas é propaganda de banco. Como se fossem a melhor coisa do mundo.

          • Leandro Ávila 9 de setembro de 2016 at 8:47

            Oi Julio. É como marca de bebidas alcoólicas patrocinando times de futebol ou marcas de energéticos (que nada mais são do que refrigerantes caros) patrocinando eventos esportivos. No passado as grandes marcas de cigarro patrocinavam eventos esportivos de todos os tipos. É evidente que neste caso exite uma enorme má fé, já que cigarro, alcoolismo e refrigerantes prejudicam a atividade física. Por isso é importante investir na própria educação, não se limitando na sua educação financeira. Existem outras áreas em que devemos nos educar, como é o caso da educação alimentar. Isso impede que as empresas transformem nossa ignorância em uma oportunidade de negócios.

  39. Agton 6 de setembro de 2016 at 20:30 - Reply

    Oi Leandro! Parabéns por mais um excelente artigo! Atualmente não pago nenhuma taxa nas contas que tenho dos chamados grandes bancos. Minhas contas são digitais.
    Tenho contas diferentes também em mais de uma corretora.
    Neste artigo vi a informação que a XP e a Rico teriam zerado a taxa de custódia. Isto aconteceu para aplicação em renda variável como a bolsa? Me lembro ainda este mês que na Rico a taxa de custódia para o investimento em ações era de R$ 12,50 ao mês. Se você fizer mais de uma compra em ações aí sim eles zeram a custódia naquele mês.
    Recomendo àqueles que ainda não conhecem que adquiram os 3 livros mais novos do Leandro e venham a fazer parte da comunidade dos Amigos Poupadores.

    Abraço!

    • Agton 6 de setembro de 2016 at 20:50 - Reply

      Realmente Leandro ontem foi publicada a seguinte matéria no site da InfoMoney: “XP elimina todas as taxas de custódia e de TED para 100% dos clientes”

      O link da matéria é este: http://www.infomoney.com.br/onde-investir/renda-fixa/noticia/5510568/elimina-todas-taxas-custodia-ted-para-100-dos-clientes

      Vou telefonar amanhã para a XP para obter mais informações sobre as taxas de renda variável.

      Ainda bem que não deixei de ler seu artigo hoje Leandro! Valeu a dica amigo!

      • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 11:01 - Reply

        Oi Agton. É questão de tempo para que outras também baixem as taxas. A corretora Rico é outra que baixo algumas taxas. Seria interessante se isto atingisse os grandes bancos.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 11:21 - Reply

      Oi Agton. Pelo que pude ver a Rico só cortou taxas do investimento em renda fixa. Continuam cobrando custódia do investimento na Bolsa. A XP é que cortou a custódia da renda fixa e da renda variável. Obrigado por recomendar o livro!

  40. Marcio 6 de setembro de 2016 at 20:41 - Reply

    Olá Leandro..mais uma vez obrigado pelos seus excelentes ensinamentos. Tenho conta no Banco Daycoval que é considerado de grande porte. Gosto de operar com eles pois tem taxas bem atrativas na renda fixa se comparar com os 4 grandes e na renda variável nao cobram taxa de custódia para qualquer valor, somente a corretagem sugerida da Bovespa. Pelo que pesquisei trata-se de uma instituição bem sólida e com grau de Basiléia atual superior ao de alguns dos grandes. Gostaria de uma opinião sua se possivel referente a ele. Obrigado novamente! Abs.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 11:10 - Reply

      Oi Marcio. É um banco médio. Banco de grande porte são poucos: BB, Caixa, Itaú, Bradesco, Santander. Enquanto o Itaú tem R$ 1.3 trilhões em ativos o Daycoval tem R$ 20 bilhões, mas entre 95 instituições ele está na posição 21. Lá no site bancodata é possível fazer comparações e olhar o balanço de todos os principais bancos. Visite.

  41. ADILSON 6 de setembro de 2016 at 20:48 - Reply

    Leandro, para o caso de investimentos em LC e RDB diretamente com as Financeiras, segue a mesma orientação?

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 11:05 - Reply

      Oi Adilson. Eu tenho a percepção de que financeiras são instituições menores que bancos. Para investir em LC e RDB seria interessante verificar se os juros que são pagos realmente oferecem um prêmio (juros maiores) que os oferecidos por bancos maiores. O site BancoData ajuda muito, pois tem uma tabela com o ranking das financeiras e seus resultados financeiros. Já falei sobre esse site neste outro artigo.

  42. Junior 6 de setembro de 2016 at 21:12 - Reply

    Leandro se eu tive um caminho diferente de outros investidores iniciantes a culpa sem dúvida nenhuma é sua, comecei meus investimentos no tesouro direto, pois sempre soube que a caderneta de poupança era a maior furada, está certo que comecei mal, investido no tesouro direto por uma corretora de um grande banco, pagando taxa de custodia de 0,4% a. a., enquanto existem diversas corretoras que não cobram nada por isso, mas hoje estou numa que tem taxa zero, além disso hoje tenho contas em diversas corretoras só para aproveitar as melhoras taxas que cada uma tem, assim tenho numa para tesouro direto, outra para CDB com liquidez diária sem taxa de custodia, outra para LCI e LCA de curto prazo, outra para LCI e LCA para médio prazo e assim por diante.

    Tudo isso porque conheci o clube dos poupadores antes de começar a investir, ou seja, antes de investir já conhecia muito bem oque era realmente um titulo de capitalização uma previdência privada aberta, graças aos seus artigos, te agradeço e muito, sem o clube dos poupadores não teria 95% do conhecimento que tenho hoje sobre investimento, ou seja, você me educou financeiramente, sempre quando converso com alguém sobre investimentos, o Leandro Ávila do clube dos poupadores está na ponta da minha língua, não tem como eu falar de investimentos sem falar de você, muito obrigado por seus artigos e por sua dedicação para divulgar toda essa informação, meu objetivo é conseguir a independência financeira para fazer ao menos em parte oque você faz, podendo eu me dedicar a educação financeira dos outros sem pedir nada em troca, você é uma pessoa mais que admirável, parabéns pela sua iniciativa, se existissem mais pessoas assim como você com certeza os grandes bancos não iriam conseguir enganar o número de pessoas que eles enganam hoje.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 11:16 - Reply

      Oi Junior. Muito obrigado por suas palavras. Na verdade a culpa é toda sua, eu só fiz 1% que foi disponibilizar conteúdo e você fez 99% que foi dedicar seu tempo para estudar e praticar. Deixou de lado 1001 distrações e coisas divertidas para fazer na internet e dedicou seu tempo para ler o conteúdo que ofereço. É isso que fez a diferença. A educação é a arma mais poderosa que existe, pois é através dela que você consegue mudar o mundo.

  43. Ronal 6 de setembro de 2016 at 22:54 - Reply

    Ola Leandro;tenho lido muito os artigos do clube dos poupadores,pois acho de grande fundamento.
    Parabens. So me falta coragem para abrir uma conta em uma corretora.

    Abraço

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 11:26 - Reply

      Oi Ronal. Eu sei como é, já tive esse tipo de medo no tempo em que existiam poucos sites na internet sobre finanças e investimentos. Basta você observar que os grandes investidores estão neste momento movimentando fortunas nas corretoras de todo mundo, enquanto isso os pequenos investidores estão nos grandes bancos ajudando a manter as enormes margens de lucros deles. Enquanto as pessoas continuarem com esse medo, esses grandes bancos vão continuar na zona de conforto, ou seja, oferecendo taxas absurdamente elevadas e serviços mais ou menos.

  44. Daniela 7 de setembro de 2016 at 8:15 - Reply

    Bom dia Leandro! Mais um maravilhoso artigo, muito bom acordar de manhã e já ter algo agradável de ler. Inclusive tenho um amigo o qual perguntei recentemente qual seu medo de investir, porque está sempre protelando. Ele vai ler esse artigo com certeza. Obrigada.

  45. ABelardo 7 de setembro de 2016 at 8:47 - Reply

    Leandro, essa matéria veio no momento certo para mim. Tenho muito insegurança em minhas aplicações financeiras, agora acabou o medo de aplicar em pequenos bancos, por meio de corretoras, Meus parabéns, Abelardo

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 15:37 - Reply

      Oi Abelardo. Isso você só resolve tendo pequenas experiências.

  46. Louis 7 de setembro de 2016 at 11:05 - Reply

    Olá Leandro
    admiro a XP por essas iniciativas ousadas, está revolucionando no mercado financeiro nacional. Também tenho conta na Spinelli, que me parece uma ótima corretora, mas com taxas maiores. Se esta não se mexer, minha tendência é ir aumentando meus investimentos na XP.
    Não pago mensalidade em banco de varejo (conta eletrônica), e meu cartão de crédito também é isento de anuidade. Odeio pagar taxas.
    Parabéns pelo trabalho.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 15:39 - Reply

      Oi Louis. Eu espero que a concorrência entre corretoras e entre bancos aumente cada vez mais. Quanto mais estas instituições brigarem para conquistar os clientes, melhor para todos. Ruim é quando todas são amigas e vivem em paz (na zona de conforto delas), praticando taxas e preços parecidos e elevados. Que elas briguem cada vez mais.

  47. Jay Jay 7 de setembro de 2016 at 11:49 - Reply

    Nice write up Leandro! . Tenho sido assíduo leitor de seus excelentes artigos. Deixou aqui meus parabéns!

  48. Marcos 7 de setembro de 2016 at 12:11 - Reply

    Olá Leandro,

    Comecei a acessar o clube recentemente, gostaria de saber se existe portabilidade de investimento de uma corretora para outra, tenho investimento em uma corretora de um banco grande, gostaria de transferir esse investimento para uma outra corretora com taxa de custódia menor.
    Parabéns pela iniciativa.

    Abraço.

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 15:40 - Reply

      Oi Marcos. Sim, existe essa portabilidade. Entre em contato com as instituições e informe que deseja iniciar o processo de portabilidade. Provavelmente você vai ter que assinar algum documento e enviar para eles.

  49. Ed 7 de setembro de 2016 at 12:19 - Reply

    Totalmente imparcial e esclarecedor com este excelente artigo.
    Meus parabéns, Leandro!

  50. Rodrigo 7 de setembro de 2016 at 12:55 - Reply

    Vivemos na ” Era da Informação ” e estou curioso para ver qual será o futuro do sistema financeiro nacional ( leia-se grandes bancos concentradores de mercado ) com o aumento em tamanho e alcance de conhecimento compartilhado sobre tarifas, taxas, péssimas remunerações de investimentos que os bancos oferecem.

    E sabemos muito bem como reagem os concentradores de mercado quando surgem outras empresas que ameaçam o sistema. Talvez seja melhor para os bancos agirem sobre os que ameaçam seus serviços, isso incluindo educadores financeiros independentes ( como o caso do já citado aqui nesse blog, quando um educador financeiro chamou de dádiva contrair empréstimos ), sites, revistas, corretoras etc…deve ser mais fácil e lucrativo literalmente ” comprar ” as vozes contrárias do que oferecer aos clientes melhores produtos com menos taxas, tarifas e maiores rentabilidades…

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 15:49 - Reply

      Oi Rodrigo. Acho que vai aumentar a concorrência entre as instituições financeiras graças a este acesso fácil a todo tipo de informação. Vai ficar cada dia mais difícil utilizar a falta de educação financeira das pessoas como janela de oportunidade para vender produtos financeiros ruins. No que depender de mim, pode ter certeza que vou fazer o possível para atrapalhar esse tipo de estratégia que explora a ignorância das pessoas. Já faço isso com meus livros sobre imóveis (que atinge o mercado imobiliário), e faço isso aqui no Clube dos Poupadores e meus novos livros que atingem o mercado financeiro. Eu já recebi propostas de diversas corretoras e bancos e recuso todas elas. Na verdade, eu corto a conversa imediatamente, não dou espaço para que façam qualquer proposta financeira. Eu sei quais são os educadores financeiros que vivem de parcerias, palestras e patrocínios de instituições financeiras e sei quais são os que vivem dos seus próprios leitores (através da venda de livros e cursos). O discurso destes dois tipos de educadores costuma ser bem diferente.

  51. Iuri Viana 7 de setembro de 2016 at 18:34 - Reply

    Oi Leandro, como sempre parabéns por mais um excelente artigo.
    No meu caso , eu invisto na renda fixa (título público) pela Easynvest, pois não cobra na taxa de administração. Já na renda variável(ETF’s), eu invisto pela corretora Socopa, que até a pouco tempo dava taxa de isenção de custódia caso investisse no mês corrente, gerando custo com corretagem. A partir do mês passado a Socopa passou a não cobrar mais a taxa de corretagem, é a única taxa que estão cobrando é a taxa de custódia. Acho que eles estão seguindo algo parecido que fez a XP. Será uma tendência isso?

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 20:47 - Reply

      Oi Iuri, é o resultado da concorrência. Fica com o cliente aquele que conseguir oferecer o melhor serviço pelo menor custo. Para isso é importante que as pessoas pesquisem e não tenham fidelidade a produto que não tenha boa relação de custo-benefício.

  52. Rafael Francisco 7 de setembro de 2016 at 19:46 - Reply

    Boa noite. Ouvi falar em um investimento através de plataformas online onde o mesmo é feito diretamente para o pedidor do empréstimo sem a intermediação de bancos (sistema chamado peer-to-peer). Os rendimentos podem chegar entre 2.5 a 6% ao mês (dependendo do risco do empréstimo). Nos EAU esse mercado já movimenta bilhões. O que você acha disso, Leandro?

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 20:51 - Reply

      Oi Rafael. Eu não tenho experiência com este tipo de investimento. Nos EUA os juros pagos pelo governo (títulos públicos) e pelos bancos e financeiras (títulos privados) é muito baixo. Isso estimula muito outras modalidades de investimento envolvendo empresas. Você investe emprestando dinheiro para empresas, comprando debêntures, comprando ações das empresas e recebe juros maiores com um risco maior. Aqui no Brasil os juros pagos pelas instituições financeiras e pelo próprio governo são elevados quando comparamos com a realidade lá fora.

  53. Rafael Francisco 7 de setembro de 2016 at 19:58 - Reply

    Só mais uma pergunta. Em relação a cursos sobre investimentos em renda variável. Sei que você sempre aconselha o guia invest, porém, existe algum outro que você possa recomendar? É que achei o apelo de marketing daquele curso muito forte e não fiquei confortável com isso (apesar do curso poder ser bom).

    • Leandro Ávila 7 de setembro de 2016 at 20:58 - Reply

      Oi Rafael, fica difícil convencer as pessoas a assinar um serviço ou comprar um produto sem o uso do marketing. Você pode fazer marketing para convencer alguém a fumar mais e beber mais cerveja, como pode fazer marketing para convencer alguém a fazer mais doações para uma entidade que ajuda crianças na África. Quando a venda desses produtos online ocorre através de plataformas como o Hotmart existe uma vantagem que é a garantia de satisfação imposta pelo Hotmart ao produtor. Se você compra um serviço como o Guiainvest e não gosta, você pode pedir seu dinheiro de volta dentro de 30 dias. É como poder entrar em uma livraria, ler um pouco dos livros e não comprar caso não goste do que viu. Tenho um artigo onde falo as coisas que gosto na plataforma, veja aqui. Eu até preciso atualizar esse artigo, atualmente existe muito mais coisa sendo oferecida.

  54. KNG 7 de setembro de 2016 at 21:50 - Reply

    Eu sou cliente da Ativa Investimentos , desde 2008, muito satisfeito por sinal , a corretora tem uma vasta gama de opções em RF ( LCI, LCA , LC , CDB etc ) e ainda consigo comprar tesouro direto pelo Home Broker com muita facilidade, com custo de 0,2% para a corretora
    Também opero com ações nesta corretora.
    A Ativa tem ainda uma gestora chamada ativawm , onde as taxas nas aplicações de RF são melhores que na Ativa corretora , mas para capital maior
    Também sou cliente da XP , embora a maior parte dos recursos estejam na Ativa Investimentos

    Abraço e parabéns pelo conteúdo

  55. Eduardo Pinheiro 8 de setembro de 2016 at 13:54 - Reply

    Oi Leandro, venho lendo TODOS seus artigos. São sensacionais. Tenho 21 anos, e estou entrando no ‘mundo financeiro’ agora.
    Venho pegando diversas dicas que você nos oferece, e uma delas foi o uso no site Jurus. Fui comparando diversos investimentos, e um em especifico me chamou muito atenção, devido o comportamento não ser comum.
    O investimento LCI do Banco Intermedium S/A (nota BBB-) com vencimento dia 13/09/2019 nos garante 32322,57% pela corretora XP Investimentos. Você tem algum opinião em relação a esse banco/investimento, como já disse sou novo nesse mundo, porém já li diversos artigos seus e sei que uma nota BBB- não é uma nota boa, porém é uma nota em que investidores ainda arriscam.
    Gostaria muito de uma opinião sua, pois realmente os números surpreende muito.

    Agradeço desde já, indico para todos meus amigos seus artigos!
    Obrigado, Abraço!

    • Leandro Ávila 9 de setembro de 2016 at 8:41 - Reply

      Oi Eduardo. Parabéns por dedicar seu tempo aprendendo mais. Eu não posso dar opinião sobre investimentos de bancos específicos. Meu esforço aqui no Clube dos Poupadores é justamente compartilhar conhecimento para que cada pessoa tenha a capacidade de escolher seus investimentos sem nunca precisar da opinião dos outros. Você provavelmente cometeu algum erro ao digitar essa taxa de 32322,57%. Essa LCI certamente rende um percentual do CDI menor que 100%. A nota BBB- é a menor dentro da categoria de “Grau de investimento”. Isto significa que bancos dentro desta categoria normalmente vão oferecer juros mais elevados. Devemos considerar juros como um prêmio para que você empreste seu dinheiro. Quanto menor o risco, ou seja, quanto maior a nota de risco, menos juro o banco precisa oferecer para atrair investidores. Uma forma de acelerar muito o aprendizado seria ler meus 3 livros, já que eles estão com o conhecimento na ordem correta para o melhor aprendizado. Visite aqui.

  56. Alexandre Paiva 8 de setembro de 2016 at 15:43 - Reply

    Boa tarde Leandro,

    Minha mãe fez um previdência privada do BB para mim no nome dela. Salvo engano, por ela ser cliente vip, pelo menos no extrato que vejo, não estão cobrando nenhuma taxa. Ela fez o mesmo para os meus 2 irmãos. Vc acha que devemos deixar la esse dinheiro, ou seria melhor resgatar e investir em outras aplicações mais rentáveis.

    Obrigado pela ajuda e esclarecimento de sempre.

    • Leandro Ávila 9 de setembro de 2016 at 8:44 - Reply

      Oi Alexandre, cada plano de previdência tem características diferentes do outro. Não tenho como fazer este tipo de avaliação ao ponto de afirmar com toda certeza o que vocês devem ou não fazer. O ideal seria você aproveitar a oportunidade para começar a aprender mais sobre as diversas modalidades de investimento que existem. Quando você faz um plano de previdência, você está pagando caro para que uma entidade invista seu dinheiro por você. Nos planos mais conservadores a única coisa que os bancos ou gestores do fundo fazem é investir seu dinheiro em títulos públicos. Com um pouco de conhecimento você mesmo pode investir em títulos públicos sem precisar dividir seus ganhos com o banco. Por isso é tão importante investir na sua educação financeira, pois neste caso você mesmo poderia chegar a uma conclusão sobre a vantagem ou desvantagens do plano de previdência.

  57. Ana Lúcia Faria 8 de setembro de 2016 at 17:09 - Reply

    Olá, Leandro,

    Sempre recomendo seus artigos para os meus amigos, muitos viraram seus leitores, assim como eu. Inclusive, tenho uma grande amiga que criou uma conta ontem em corretora para entender como funciona, e já enviei esse artigo para ela, caiu como uma luva.

    Acho muito saudável e benéfico para nós investidores essa concorrência entre corretoras. Hoje tenho conta em apenas uma corretora que já isenta essas taxas que a XP passou a não cobrar. Será muito interessante ver os grandes bancos que ludibriam os clientes em nome do lucro perder sua carteira de cliente para as corretoras.

    Obrigada, como sempre, um excelente artigo!

    • Leandro Ávila 9 de setembro de 2016 at 8:53 - Reply

      Oi Ana, na verdade, dentro das empresas existe uma linha tênue entre ludibriar e cobrar o máximo que você aceita pagar pelo serviço por ignorar a existência de outras opções. O papel do banco e das empresas é cobrar o máximo possível pelos produtos e serviços que oferecem. O papel do consumidor é pagar o mínimo possível com base em uma avaliação de custo-benefício. São dois interesses diferentes em um cabo de força. As empresas se preparam de todas as formas para enfrentar esse cabo de força. Já o consumidor fica passivamente assistindo os comerciais e participando das ações de marketing das empresas sem investir na própria educação, sem procurar a preparação necessária para serem bons consumidores, bons investidores, bons tomadores de decisão. O resultado é que o lado mais forte acaba tirando proveito do lado mais fraco. A solução é conscientizar as pessoas de que elas precisam defender seus interesses e para isso precisam se preparar para esta batalha. Precisamos ter uma postura mais ativa e menos passiva diante das nossas escolhas.

  58. Alex Carvalho 8 de setembro de 2016 at 17:32 - Reply

    Oi, Leandro. Tudo bem?

    Cara, comecei a estudar sobre investimentos (lendo seus artigos e assistindo vídeos no Youtube) e estou aprendendo muita coisa. Investir é realmente atentador, desde que saiba o que é e como fazer. Agradeço a você pelo seu site, nele estou acordando para muitas coisas na vida relacionadas a economia e investimentos. Ainda não comecei a investir por conta de algumas organizações que estou fazendo na minha vida, mas, já tenho uma idéia em como começar e breve serei sim, um investidor.
    Bem, depois de tudo que está acontecendo no nosso País (Impecheament, recessão etc), como você avalia o futuro da economia no Brasil e se é seguro investir agora? Essa pergunta é devido a essa insegurança que ainda tenho e talvez, falta de experiência para análises desse tipo. Desculpas aê! rsrsrs Grande Abraço!

    • Leandro Ávila 9 de setembro de 2016 at 8:58 - Reply

      Oi Alex. É justamente no ambiente de crise que as boas oportunidades aparecem. No olho do furacão ocorreram muitas oportunidades de investimento com juros prefixados e indexados pela inflação elevados e muitas possibilidades de compra de ações baratas. O problema é sempre saber se estamos mesmo no fundo do poço ou se as coisas ainda podem piorar. É ai que entra a decisão que embute o risco. Não temos como prever o futuro e por isto o ideal seria investir aos poucos e diversificar.

  59. Wesley Luso 8 de setembro de 2016 at 19:01 - Reply

    Oi Leandro parabéns pelo seu trabalho, sou leitor do Clube dos Poupadores há um bom tempo. Leio também outros sites de educação financeira, mas o seu site é o que tem uma didática e uma transparência melhor, além da sua dedicação e o cuidado que tem de responder os comentários e as dúvidas dos leitores.

    Há algum tempo perdi esse “medo” e retirei todas as minhas economias da poupança, abri conta na Easynvest e na XP, e atualmente diversifiquei minha carteira de investimentos, com CDBs e Títulos Públicos, só utilizo a poupança para fazer provisões para pagamento de IPTU, IPVA e Seguro do Carro, mas estou pensando seriamente em fazer isso através do Tesouro SELIC. Li em outro artigo seu que não devemos nos preocupar com a rentabilidade das provisões, pois o objetivo delas é antecipar as dívidas. É que depois de passar anos com dinheiro na poupança, tendo pouca rentabilidade e perdendo pra inflação em alguns momentos, dar até pra ter raiva dela.

    Mais uma vez parabéns pelo conteúdo de qualidade e por estimular o aprendizado dos leitores, vejo que deixa claro que não existe receita de bolo, nem aconselha o investimento A ou B, é a própria pessoa que deve adquirir conhecimento para discernir o que ela pode fazer de melhor com seu dinheiro.
    Abraços!

    • Leandro Ávila 9 de setembro de 2016 at 9:01 - Reply

      Oi Wesley, parabéns por sua dedicação. Realmente não existe receita de bolo e nem investimento perfeito que funcione bem para todos. Se existisse a opção perfeita todos já estariam investindo lá e os demais investimentos não existiriam mais. O ideal é o autoconhecimento para que você mesmo possa escolher qual investimento atende melhor sua necessidade. Tudo começa da sua necessidade para aquele dinheiro que deseja poupar.

  60. Gustavo Fornari 9 de setembro de 2016 at 14:12 - Reply

    Mais um Excelente artigo, Leandro Parabéns,

    Você poderia responder a seguinte pergunta?
    Fiz uma aplicação em CDB e LCA, diretamente em um banco (daycoval) sem corretora.
    porem como não recebi o extrato do Cetip Certifica, por eles fiz o questionamento do porque não me enviaram.

    Resposta que eles deram :
    O Banco Daycoval não participa do Cetip Certifica em razão de ser disponibilizado ao cliente em nosso site Dayconnect a Nota de Negociação das aplicações efetuadas.

    Na Nota de negociação constam todas as informações do investimento como: Valor, prazo, taxa de rentabilidade, ativo de registro na Cetip; dados da instituição financeira e do cliente.

    Eu realmente verifiquei esta informação é confere, a pergunta é, eu guardando estas nota de negociação já é suficiente caso venha ocorrer algo grave com o BC, para que eu possa receber de volta meus investimentos pelo FGC,

    Muito Obrigado.

    • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 16:34 - Reply

      Oi Gustavo. O uso do CETIP Certifica é mais comum quando você investe através de uma corretora. É como um comprovação externa de que a corretora investiu o seu dinheiro no ativo que você solicitou que ela investisse e que ele está vinculado ao seu CPF. Se você é cliente do banco que emitiu o CDB ou a LCA basta guardar a comprovação emitida pelo próprio banco. Se ocorrer qualquer problema com o banco você estará entre os clientes do banco que foram afetados.

  61. ortep 10 de setembro de 2016 at 17:08 - Reply

    Olá, Leandro . . . parabéns pelos textos, são muito educativos e com qualidade.
    Uma curiosidade,

    É do conhecimento de quase todos que deve-se diversificar os investimentos e, sempre tendo em mente o limite do FGC. Contudo, na hipótese da pessoa não ter aptidão para ter um negócio próprio e ter em mãos uma quantia significativa, digamos R$ 10.000.000,00 (apenas exemplo).

    Imagino que a pessoa não vá aplicar esses 10 milhões em vários investimentos de até o limite do FGC, que seria de R$ 250.000,00, sei lá, deve ser complicado ter controle do que foi investido dessa maneira.

    Acredito que se alguêm tem essa quantia o próprio banco oferece opções muito vantajosas.
    Enfim, essa é uma dúvida que tomou parte de uma discussão em uma roda de amigos. A maioria só sugeriu “groselhas”.

    Gostaria mesmo é ter idéia de como pessoas com muito dinheiro investem essa quantia sem abrir um negócio e que vivem de renda.

    Grato pela atenção.

    • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 16:51 - Reply

      Oi Ortep, Creio que com R$ 10 milhões os bancos e as corretoras comecem a oferecer serviços de gestão de fortunas. Existem empresas especializadas em gerir fortunas onde costumam criar fundos de investimento exclusivos (fundos onde só existe um cotista). Já para quem é realmente rico (várias dezenas ou centenas de milhões) existem instituições que oferecem estruturas chamadas de family office. Não deixa de ser uma forma de transferir a responsabilidade pela gestão do seu dinheiro para outras pessoas. Segue um artigo em outro site sobre o assunto.

  62. Alair Santos 10 de setembro de 2016 at 22:08 - Reply

    Estou com um dúvida: Se o cliente da corretora perceber que algo não está bem ele pode fazer a portabilidade para outra corretor, por exemplo, se tenho investimentos no tesouro direto através de um agente da custódia posso mudar pra outro agente de custódia e manter meus investimentos, pois bem, esse processo de portabilidade entre corretoras saudáveis é fácil, mas gostaria de saber como funcionaria o processo de portabilidade de uma corretora que faliu para outra corretora em atividade, é só uma situação hipotética, mas eu imagino que uma corretora prestes a falir não irá avisar seus clientes da sua condição de moribunda e assim seus clientes serão os últimos a saber.

    • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 17:03 - Reply

      Oi Alair. Pode mudar sim. A última corretora que fechou, que me lembre, foi a TOV. Até o momento você pode visitar o site http://www.tov.com.br/ e vai encontrar documentos na primeira página orientando os clientes. Essa corretora foi fechada pelo Banco Central devido a irregularidades. A corretora foi assumida por um interventor escolhido pelo próprio Banco Central. Os clientes foram orientados a procurar outras corretoras. Para transferir o cliente preenchia um formulário, assinava e enviava o documento para o interventor. As próprias corretoras concorrentes (querendo capitar clientes) estavam orientando e ajudando os clientes da TOV nesta migração. Vale lembrar que a TOV era uma corretora pequena que já tinha dado sinais de que tinha alguma coisa errada, em outros momentos no passado ela já tinha se envolvido em questões policiais. Ela se envolveu na Lava-jato e tinha acusações sobre clientes que usavam a corretora para fazer lavagem de dinheiro. Vi nos jornais que existia suspeita da corretora ajudar estes clientes. Eu recomendo evitar corretoras muito pequenas como a antiga TOV. Corretoras grandes não ficam grandes a toa.

  63. joão 12 de setembro de 2016 at 1:19 - Reply

    Olá, primeiramente parabéns pelo artigo e também pelo “clube”.
    Pretendo comprar mensalmente, titulos IPCA 2035 e 2050 e tenho intenção de carregá-los até o vencimento.
    Pra quem pretender segurar até o fim, existe algum risco de perder dinheiro em relação a outras aplicações.
    Ultimamente houve um recuo no valor desses titulos.
    grato

    • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 17:08 - Reply

      Oi João. Os juros pagos para quem vai comprar novo título Tesouro IPCA vai cair continuar caindo se as expectativas sobre o futuro da economia melhorarem. Se a situação piorar ele tende a subir. O risco do título público seria a do Brasil dar um calote na dívida pública interna. Só que títulos públicos são entendidos pelo mercado como investimentos de risco zero, ou investimentos com o menor risco de todo mercado. É visto assim já que no dia que o governo resolver não pagar sua dívida interna, todo o sistema financeiro seria destruído do dia para a noite. O dinheiro do país praticamente perderia seu valor e todas as outras instituições financeiras e seus investimentos se transformariam em pó. Nesta situação a nossa maior preocupação seria armazenar alimentos, já que dinheiro não valeria nada.

  64. Marcos Laplechade 12 de setembro de 2016 at 10:39 - Reply

    Olá Leandro.

    Muito bom o artigo! Parabéns por explicitar também o conflito de interesses que exste nas corretoras! Na maioria dos conteúdos que são disponibilizados na mídia as corretoras saem como “isentas” e somente os bancos como os “ruins”.
    Também a credito que o investimentos em educação é que tornará o mercado mais maduro e com uma maior massa critica para tomar suas decisões.

    Forte abraço!

    • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 17:11 - Reply

      Oi Marcos. Existem muitos sites de notícias e blogs que são patrocinados por corretoras. Todas as instituições financeiras defendem seus próprios interesses. Muitas vezes o interesse deles entra em conflito com o seu. Por isto é importante investir na própria educação para defender seu patrimônio e investimentos de interesses externos.

  65. Osvaldo Roberto de Carli 12 de setembro de 2016 at 19:09 - Reply

    Leandro,
    Seus artigos são fantásticos!
    Eu posso dizer que graças a você eu mudei e muito minha atitude com minhas finanças e depurei meu sentimento de previdência.
    Você é muito lúcido e coerente. Para breve, e o mais breve que eu puder, vou adquirir seu livros, pois quero aprender mais para viver melhor.
    Muito obrigado!

    • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 17:17 - Reply

      Oi Osvaldo, fico feliz por ter ajudado e muito obrigado por seu apoio. Parabéns por ter promovido estas mudanças na sua vida financeira.

  66. Alvaro 12 de setembro de 2016 at 22:46 - Reply

    Leandro,
    Oi Leandro parabéns pelo seu trabalho, sou leitor do Clube dos Poupadores há um bom…
    Este é mais um ÓTIMO artigo que você nos presenteia.
    Este seu artigo deve ficar em DESTAQUE, ali no topo da Página do Clube. Vou mais longe,
    e te digo que este é um tópico READING BEST. Já indiquei a página do Clube dos Poupadores
    pra muita gente que deseja se educar financeiramente. Agora ao indicar o Clube, vou frisar este
    tópico como abertura para o aprendizado. Parabéns mesmo !
    As Corretoras Independentes Americanas já chegaram a um nível de amadurecimento tão forte
    ao ponto de oferecerem até Cartão de Crédito/Débito aos correntistas, ou seja, a Conta nos
    bancos é secundária e na Corretora é a principal. Acredito que devemos caminhar nesse sentido
    em futuro não muito distante. Desde 2014 que tenho conta em Corretoras independentes e faço
    investimentos em Renda Fixa e Variável e procuro sempre ficar antenado no mercado, com
    boas leituras, para estar sempre atualizado e tomar decisões com menor risco sempre que
    possivel. Sabemos que procuramos acertar sempre, mas nem sempre se acerta, mas procuro
    ter mais acertos do que erros, principalmente quando o assunto é Renda Variável.
    abrs,

    • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 17:19 - Reply

      Oi Alvaro. Isto tende a acontecer mesmo. Normalmente estas coisas demoram para chegar no Brasil, mas um dia chega.

  67. ROGERIO MOTTA BITTENCOURT 13 de setembro de 2016 at 14:40 - Reply

    Prezado Leandro, Moro em Recife e minha conta, em banco grade, é conjunta, o que em caso de falecimento facilitaria uma possível retirada dos investimentos. Cheguei a abrir uma conta em uma corretora, mas, eles não permitem que seja conjunta. Como a corretora fica na região sudeste tenho receio da minha esposa ter dificuldades de ter acesso aos recursos. Como isso se viabilizaria? Um grande abraço

    • Leandro Ávila 13 de setembro de 2016 at 17:24 - Reply

      Oi Rogério. No caso de falecimento é necessário fazer o inventário. Não importa se temos conta conjunta, conta em corretoras, imóveis, etc. Quando morremos nossa família precisa ir até um cartório fazer um documento chamando inventário. Nele serão listados todo o patrimônio do falecido. Isto inclui todos os investimentos em bancos, corretoras e outros bens como imóveis e veículos. É no inventário que fica listado os herdeiros e quanto eles irão receber. Com este documento os herdeiros podem pedir sua parte da herança nas instituições financeiras. No inventário o governo também fica com uma parte do seu patrimônio devido a cobrança de um imposto. Por este motivo sem este inventário seus herdeiros terão dificuldade de declarar imposto já que precisam dizer a origem do dinheiro e dos bens que receberam de herança. Eu recomendo dividir sua herança ainda em vida, principalmente entre você e sua esposa. No caso de falecimento cada um já tem a metade do que é do outro.

  68. Ana Lapa 13 de setembro de 2016 at 17:13 - Reply

    Oi Leandro!!!
    Parabéns pelo teu trabalho, pois, teus ensinamentos são ímpar e tenho certeza que estão ajudando milhares de pessoas que, assim como eu, não tinham ideia de como investir e analisar os produtos que os Bancos oferecem.
    Atualmente, ainda, continuo aplicando minhas economias em grande Banco e de maneira conservadora, mas, lendo teu artigo estou inclinada a mudar de postura.
    Poderias informar como conseguimos descobrir corretora? Moro numa cidade pequena do interior do RS e não consigo descobrir uma corretora para abrir conta e começar a fazer novos investimentos,
    Desde já, grata.
    Abraços

    • Leandro Ávila 14 de setembro de 2016 at 15:34 - Reply

      Oi Ana, você não precisa de uma corretora na sua cidade. As corretoras não são como bancos que possuem “agências” em todos os lugares. As grandes corretoras ficam no Rio e em São Paulo e tudo é feito pela internet. Elas já são estruturadas para ser assim. No meu caso pessoal, as corretoras que utilizo não ficam na cidade onde moro. Tenho um artigo que fala sobre como escolher corretoras.

  69. Evandro 14 de setembro de 2016 at 17:50 - Reply

    Boa tarde Leandro, tenho acompanhado muito os artigos escritos, e quero lhe parabenizar. Mas tenho muitas dúvidas e medos de começar os investimento. Será que poderias me ajudar por e-mail a sanar algumas dúvidas e por em prática tudo que tenho aprendido com seus artigos? Abraços.

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2016 at 11:26 - Reply

      Oi Evandro. Quando você deixa sua pergunta aqui ela se torna pública. A resposta vai ajudar você e todos os outros leitores. Quando dedico tempo respondendo uma dúvida individual eu retiro o tempo que poderia ser utilizado para responder uma dúvida que ajudaria todos os leitores que irão visitar este artigo no futuro. Uma forma de assimilar todo o conhecimento que você precisa, de forma organizada, seria através dos três livros que publiquei recentemente sobre reeducação financeira e investimentos. Os leitores do livro também podem acessar uma comunidade fechada onde existem outros leitores que também adquiriram os livros. Neste espaço existe uma troca de experiências de nível elevado.

  70. KNG 14 de setembro de 2016 at 20:43 - Reply

    Uma pergunta ,
    Alguém que opera pela XP , tem assessor externo? ou o próprio da XP para atendimento ?

    Não tenho assessor externo e sim da própria XP , mas o atendimento é horrível, isso que eu preciso pouco, somente pra assuntos de plataforma , etc

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2016 at 11:30 - Reply

      Oi KNG. O ideal é depender o mínimo possível dos assessores. Eles tendem a utilizar o tempo deles para dar atenção para atividades que vão elevar os resultados deles. Dependendo da dúvida que você tiver, e da mentalidade limitada do assessor, ele pode deixar para responder você depois. Uma estratégia seria iniciar a conversa se mostrando interessado por um produto rentável para as corretoras e depois de tirar essa dúvida (isca) sobre algo que é do interesse do assessor, você faz a sua pergunta sobre plataforma que é desinteressante para ele. Provavelmente os assessores externos terão a mesma mentalidade que é dar atenção para os clientes que podem gerar mais resultados para eles e menos atenção para dúvidas que não geram resultados para eles.

  71. Ana Lapa 15 de setembro de 2016 at 11:59 - Reply

    Oi Leandro!

    Grata pela informação e atenção. Todos teus artigos são excelentes, tu és nota UM MILHÃO!!! Desde que tive a sorte de fazer meu cadastro no Clube dos Poupadores já fiz várias mudanças graças aos teus excelentes ensinamentos. Tu, fostes e, és a luz no meu caminho!!! Por exemplo, era tão burra que vivia adquirindo Título de Capitalização, coisa que aboli da minha vida através da leitura de teus artigos. Faltam adjetivos para te qualificar, és muito mais que excelente, teu trabalho é infinitamente maravilhoso. Sou imensamente grata por tudo que venho aprendendo. Parabénsssss!!!!!!

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2016 at 11:32 - Reply

      Oi Ana, obrigado por suas palavras. Não era burrice, era apenas falta de informação. Burrice é quando você está bem informada e continua fazendo a coisa errada. Você é que deve receber parabéns por dedicar seu tempo aumentando seu conhecimento, no lugar de buscar 1001 distrações que a internet oferece.

  72. Thaís Rezende 16 de setembro de 2016 at 18:17 - Reply

    Acho que do ponto de vista dos grandes bancos sou muito pobre. Nunca recebi uma ligação do gerente, que, aliás, nem sei quem é.

    Apenas uma historinha: quando adolescente, sempre ouvi uma tia dizendo que fazia investimentos de 3 a 5 anos no seu banco, que acredito serem CDBs. Quando abri minha própria conta, achei que seria informada sobre os “tais” investimentos. Muitos anos se passaram e nunca fomos apresentados. Hoje invisto no Tesouro Direto graças a blogs como o Clube dos Poupadores.

    Artigo completo e esclarecedor, como sempre. Parabéns, Ávila.

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2016 at 11:38 - Reply

      Oi Thaís, não sei se é impressão minha, mas os bancos privados tendem a ligar mais. Na conta que tenho em um banco estatal nunca recebi qualquer telefonema. Uma vez tive que ir até o banco e conheci o gerente. Era um senhor, idoso, com aquela aparência de servidor público infeliz que está contando os dias para se aposentar. Nos bancos privados a porta da rua está sempre aberta para os funcionários que não conseguem atingir as metas impostas pelos bancos. Do lado de fora existe uma fila de jovens esperando para ocupar a vaga.

  73. Pedro 19 de setembro de 2016 at 9:02 - Reply

    Leandro, devido ao Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos , você recomendaria diversificar o investimento em corretoras no limite de R$120 mil? Ou seja, não investir mais que R$120 mil em uma mesma corretora?

    Obrigado e mais uma vez parabéns!

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2016 at 11:41 - Reply

      Oi Pedro. Acho que não faz muito sentido. Tenho conta em mais de uma corretora e gosto de dividir o investimento entre elas, pois me incomoda sempre a ideia de concentrar tudo em um lugar só. Mas no caso das corretoras devemos lembrar que elas não são bancos. Quando você deixa dinheiro parado no banco é como se tivesse feito um empréstimo. Seu saldo no banco na verdade não diz quanto você tem, mas quanto o banco deve para você. A conta da corretora é uma conta de investimento. Eles não podem usar ou emprestar seu dinheiro como os bancos fazem.

  74. ANDERSON MAGNINI 20 de setembro de 2016 at 17:48 - Reply

    Leandro…excelente artigo, muito esclarecedor mesmo para quem já é um pouco informado no mundo dos investimentos…. Já estou indo para o terceiro passo, hoje transferi recursos da poupança para uma corretora e vou começar a “brincar” com renda fixa e talvez um pouquinho em variável. Aproveito para pedir sua opinião a respeito de um assunto que certamente já lhe perguntaram: manter um imóvel próprio ou vendê-lo e botar o dinheiro para trabalhar ? Hoje tenho um apartamento que vale entre 270 e 300 mil. Se fosse morar de aluguel, conseguiria um imóvel no mesmo padrão do meu para pagar entre 1.000,00 e 1.200,00 mensais. E botando essa grana da venda dele para render eu imagino conseguir, no mínimo 3 mil mensais na renda fixa. O que vc acha ?

    • Leandro Ávila 21 de setembro de 2016 at 11:48 - Reply

      Oi Anderson. Eu não gosto da ideia de transformar um imóvel próprio, especialmente o único imóvel onde você e a sua família moram, em um investimento. Um imóvel próprio, especialmente quando você tem filhos, é um custo necessário. Se o Brasil fosse um país estável, se o seu emprego e sua fonte de renda fossem totalmente estáveis, poderia pensar diferente. Só que moramos em um país onde as pessoas não sabem votar direito. Colocam um maluco ou um maluca no poder a cada 4 anos que resolvem destruir a economia e mergulhar o país em uma crise por incompetência. Ai fica você com dinheiro no bolso, mas sem um teto sólido, de tijolos e cimento para abrigar sua família. Pode parecer muito conservador, mas devemos lembrar que não moramos em um país politicamente estável e economicamente estável. Existem autores estrangeiros que defendem que imobilizar seu patrimônio no imóvel que você mora é um erro. No país onde eles vivem pode ser um erro. Aqui é prudência mesmo.

    • Ramon Ricardo 24 de outubro de 2016 at 11:28 - Reply

      Anderson,
      Fiz isso e não me arrependo.
      No momento atual, NO MOMENTO ATUAL, imóveis ainda caem, juros ainda altos, inflação ainda alta.
      Tenho esposa e filha e vi que esse é um momento ímpar para multiplicar patrimônio. No “balanço anual” o que eu economizava e investia era trucidado pela depreciação dos carros e desvalorização do imóvel.
      Aumentei meu patrimônio em dezenas de milhares de reais após a venda e investimento de um apto e um carro.

      É arriscado? É!

      Mas vejo ser muito mais o ficar “abraçado” num carro e imóvel desvalorizando. Não sei quando imóveis voltarão a valorizar, mas EU tenho certeza q demorará ainda uns 2 a 3 anos.

  75. Mauricio K 2 de outubro de 2016 at 22:58 - Reply

    Adoro o site, pois sempre há textos muito educativos. Inclusive, indico para vários amigos.
    Achei esse texto ótimo também, mas a comparação do JP Lemann com um gerente mal intecionado…

  76. Flávio 5 de outubro de 2016 at 11:21 - Reply

    Olá Leandro, estou neste mesmo dilema. Investir através de corretoras ou não?
    Minha esposa recebeu uma recisão trabalhista de 30.000,00 e pretende “fazer render”. Verifiquei que o CDB rende mais que a poupança. Simulando pela XPI Investimentos, observei que não há taxas a serem cobradas (administração de conta, taxas acima do valor investido, etc).
    Aí vêm a dúvida: Se a corretora não me cobra nada, como ela sobrevive? Não cobra nada nem sobre o rendimento?

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:53 - Reply

      Oi Flávio, elas são remuneradas pelas instituições quando conseguem vender o CDB.

  77. Alexandre 14 de outubro de 2016 at 21:52 - Reply

    Excelente artigo! Obrigado por compartilhar sua experiência com os iniciantes

  78. Antonio S. Regino 17 de outubro de 2016 at 14:06 - Reply

    Olá Leandro. Quero parabeniza-lo por seus artigos, pois são bem esclarecedores. Sou uma pessoa bastante leiga em investimentos. Quais os treinamentos q/ vc me aconselha p/ iniciar estudos nesta área?

    Forte abraço.

    Antonio S. Regino

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:54 - Reply

      Oi Antonio, meus livros e os cursos que recomendo são ótimas opções. Olhe no menu horizontal que está no topo desta página. Existe a opção de livros e cursos no menu.

  79. Cleber Ribeiro 18 de outubro de 2016 at 13:12 - Reply

    Boa tarde Leandro. Por gentileza, na sua opinião, o que vale mais a pena: um CDB de 97% do CDI ou Tesouro Direto Selic? Em curto e longo prazo.

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:55 - Reply

      Oi Cleber, vale a pena aprender o funcionamento do CDB, visite aqui, e depois o funcionamento do Tesouro Selic, veja aqui. Depois de ler esses dois artigos você ai aprender a fazer simulações e comparações e nunca mais vai depender de outra pessoa para avaliar um investimento. Também recomendo que você invita nos meus livros para se tornar um investidor livre. Visite: http://www.clubedospoupadores.com/reeducacaofinanceira

  80. Bruno 22 de outubro de 2016 at 23:26 - Reply

    Parabéns Leandro! Muito bom trabalho esse trabalho que você desenvolve, espero que continue sempre. Recomendo sempre seus textos para amigos e colegas. Resolvi perder o medo das corretoras, estou abrindo contas nas duas maiores, e vou seguir sua estratégia, já invisto no TD, mas via grandes bancos, vou fazer aplicações menores nessas corretoras, quando eu adquirir a experiência suficiente e estiver familiarizado e mais seguro irei migrar todo o investimento. Abraço!

    • Leandro Ávila 27 de outubro de 2016 at 15:56 - Reply

      Oi Bruno, parabéns por sua iniciativa. Se desprender dos grandes bancos é um grande passo. Os grandes investidores não ficam amarrados em apenas um banco.

  81. Peter 5 de novembro de 2016 at 14:40 - Reply

    Olá Leandro! Parabéns mais uma vez pela matéria, muito enriquecedor. Gostaria apenas de esclarecer uma dúvida quanto a aplicação em corretora. Como fica a questão de beneficiário(esposa) das aplicações em corretora, uma vez que a mesma não permite conta conjunta.

    • Leandro Ávila 10 de novembro de 2016 at 9:31 - Reply

      Oi Peter, se você se refere no caso da sua morte, tudo que é seu será da sua esposa no caso de morte. Não importa se a conta é ou não conjunta.

  82. lenise 9 de novembro de 2016 at 19:56 - Reply

    SOU UM POUCO LEIGA NO QUESITO INVESTIMENTO, PORÉM É ALGO QUE MUITO ME INTERESSA. RECEBO MIL REAIS POR MÊS. MEU CARTÃO É UNIVERSITÁRIO DO BB DESDE 2006 MAIS OU MENOS. TENHO QUASE 10 MIL APLICADO NO LCI (PRETENDO TIRAR PARTE DAQUI A 5 ANOS PARA COMPRAR UM CARRO). UMA PARTE FOI APLICADO QUANDO ERA 80% E OUTRA PARTE QUANDO BAIXOU PARA 70%. PENSEI EM TER DUAS APLICAÇÕES, UMA PARA LONGO PRAZO E OUTRA PARA QUANDO PUDER TIRAR A QUALQUER MOMENTO, PORÉM SEM PRAZO DEFINIDO (TENHO 2 MIL PARA INVESTIR NESSE DE CURTO PRAZO).
    MINHA DÚVIDA SÃO DUAS:
    1. DEIXO APLICADO NO LCI OU TEM ALGO MELHOR?
    2. ONDE APLICAR OS 2 MIL? PENSEI EM ALGO COMO RENDA FIXA OU CDB.

    • Leandro Ávila 24 de janeiro de 2017 at 20:31 - Reply

      Oi Lenise. Eu recomendo que você invista na sua educação financeira para que você não fique dependente de outras pessoas para avaliar se está diante de um bom investimento ou se existem alternativas melhores. Sem dúvida existem alternativas melhores mas você precisa se prepara primeiro para aprender mais sobre como investir de forma consciente nessas alternativas.

  83. Marcos 16 de novembro de 2016 at 18:20 - Reply

    Boa noite, Leandro!

    Estou prestes a investir 1/32 do meu patrimônio, em LC, via corretora, pois estou encontrando taxas melhores que a que tenho em meu banco. A aplicação será numa financeira, que é associada ao FGC, CETIP, a classificação de risco é BBB- e o índice Brasiléia acima de 11%. Corro algum risco?

    Marcos

    • Leandro Ávila 24 de janeiro de 2017 at 20:29 - Reply

      Oi Marcos. Sim, você sempre corre riscos. Taxas de juros elevadas sempre sinalizam um “prêmio” para que você corra um risco maior, que neste caso seria o risco equivalente a investir em uma instituição menor, de nota BBB- e índice basiléia considerado baixo.

  84. cecilia 14 de dezembro de 2016 at 21:24 - Reply

    Oi Leandro,

    Hoje fiz um TED de R$ 10.000 para minha corretora. À noite, quando entrei no site da corretora para avaliar se o depósito tinha entrado, a corretora me informa que eu precisava atualizar a minha situação financeira antes que ela pudesse concluir o processo.
    Isso procede? isso é legal?
    Seria realmente necessário?

    • Leandro Ávila 24 de janeiro de 2017 at 20:27 - Reply

      Oi Cecilia. Provavelmente ela pediu para que você atualize seus dados cadastrais. Elas são obrigadas a pedir essas atualizações.

  85. Dionis 19 de janeiro de 2017 at 8:41 - Reply

    Me indica uma corretora legal preciso de dicas quero começar com 70 reais

    • Leandro Ávila 24 de janeiro de 2017 at 20:26 - Reply

      Oi Dionis, temos um artigo aqui que fala sobre como escolher corretoras.

  86. Luciana S. 24 de janeiro de 2017 at 15:23 - Reply

    Olá Leandro! Tudo bom? Estou adorando ler os teus artigos e estou aprendendo muito! Obrigada por compartilhar teus conhecimentos! Ainda estou engatinhando na educação financeira (ainda estou me disciplinando a não ter dívidas…), mas gostaria de saber a tua opinião sobre o IQ Optinos, já ouviu falar? Obrigada! abraços!

    • Leandro Ávila 24 de janeiro de 2017 at 20:25 - Reply

      Oi Luciana. IQ não é investimento. É praticamente um jogo de azar onde você corre o risco de perder seu dinheiro. Invista primeiro na sua educação financeira.

  87. Bruno 4 de fevereiro de 2017 at 22:30 - Reply

    Leandro, me chama a atenção seu PRECONCEITO com “assessores de investimentos”. Você já teve alguma experiência triste? Me parece que você é do tipo que tende a pensar que entende mais do que um especialista e tenta dizer para todo mundo que o trabalho desse profissional não presta. Partindo de seu ponto de vista, todas as pessoas deveriam largar seu Personal Trainer e treinar por conta própria, largar o dentista e ele mesmo fazer fazer as obturações, e por ai vai.

    É ÓBVIO que o caminho do conhecimento é o melhor mas leva tempo, falo sobre investimentos há 10 anos e ainda hoje aprendo a cada dia. Sou CEA, Agente Autônomo e também tenho o registro de CONSULTOR na CVM. O que você coloca é que o o investidor deveria parar sua vida a entender em 1 semana TUDO sobre investimentos e na prática não funciona. Dizer pra não ouvir um PROFISSIONAL QUALIFICADO é no mínimo engraçado.

    Me parece que você é do tipo que só compra CDI e acha que está fazendo um bom negócio…ninguém pode ganhar dinheiro.

    Pega leve cara, tem gente boa querendo ajudar. Já li besteiras que vc escreveu mas acho seu objetivo nobre, só não pode generalizar. Você não é especialista na área, é um investidor muito bem intencionado que quer ajudar. Admiro parte de seu trabalho.

    • Leandro Ávila 24 de março de 2017 at 15:28 - Reply

      Oi Bruno. Eu não tenho preconceito. Eu tenho um conceito muito bem formado com relação a todos aqueles que assumem o papel de dizer onde as pessoas devem investir, muitas vezes sem nem terem sido convidados para isso. Como educador, o meu objetivo é bem diferente do seu. O meu trabalho é transmitir o conhecimento que as pessoas precisam para que elas tomem suas decisões de investimento com sabedoria, sem transferir essa responsabilidade para terceiros e sem permitir vínculos de dependência com terceiros. A educação liberta, o restante cria dependência. Já você, durante o comentário, tentou me tipificar, tentou definir o que eu sou ou deixo de ser com base no seu desconhecimento sobre mim, tentou listar o que você acha que eu penso ou deixo de pensar, sem me conhecer e sem conhecer o meu trabalho e concluiu dizendo que eu escrevo besteiras e que não tenho qualificação. Dessa forma, você está expondo seus próprios preconceitos da pior forma possível. Da mesma forma que as pessoas são as únicas responsáveis pelo trabalho que desenvolvem para ganhar o próprio dinheiro, elas deveriam buscar o máximo de independência nas decisões que tomam sobre o que fazer com esse dinheiro. Isso significa ter independência e autonomia sobre os frutos do próprio trabalho, sobre os meios que foram obtidos através do sacrifício do nosso precioso tempo e da nossa energia vital. A demanda por profissionais que dizem o que as pessoas devem fazer com o próprio dinheiro é apenas uma consequência da ignorância financeira das pessoas e o meu trabalho é combater a ignorância financeira das pessoas. Para concluir, entrar aqui no meu espaço de trabalho para tentar me desqualificar profissionalmente perante os meus leitores não faz de você uma pessoa melhor, admirável e muito menos mais qualificada do que eu. Ocorre justamente o contrário. O que você acaba de fazer te desqualifica como profissional e como pessoa. Obs: Retirei seu sobrenome, deixando apenas o seu primeiro nome para evitar que a minha resposta possa gerar algum constrangimento entre você e as pessoas que todos os dias estão visitando e lendo esse artigo.

  88. Rafael 5 de março de 2017 at 13:34 - Reply

    Parabéns Leandro, pelo artigo e pela atenção às dúvidas das pessoas! Que bom que existem pessoas como você!

    • Leandro Ávila 24 de março de 2017 at 14:53 - Reply

      Obrigado Rafael, faço apenas o que todos deveriam faze. Espero que me copiem.

  89. Sergio Miranda 24 de março de 2017 at 9:25 - Reply

    Bom dia Leandro.. tenho 5000 para abrir uma conta em uma corretora e 500 disponíveis todo mês para acrescentar a este investimento.. qual melhor investimento posso adquirir ? E que corretora com melhor custo benefício para abrir uma conta parsa essa aplicação ? Gostaria de sua ajuda para iniciar nos investimentos e me aprimorar .obrigado.

    • Leandro Ávila 24 de março de 2017 at 14:52 - Reply

      Oi Sergio. O melhor investimento que você pode fazer, neste momento onde você ainda não é capaz de tomar essa decisão sozinho, é adquirir conhecimento. A primeira coisa que você deve aprender é que perguntar para os outros onde você deve investir o seu dinheiro é o maior de todos os erros do iniciante. Leia esse artigo aqui.

  90. Tainara 24 de março de 2017 at 21:52 - Reply

    Boa noite Leandro
    No seu texto você nos aconselha a não cair no papo de gerentes, assessores financeiros, enfim, qualquer um que esteja representando os interesses de uma empresa. Nos recomenda a estudar e buscar informações, sendo a Internet a principal fonte. Mas me diga, por que devo confiar nas informações que você e outros famosos educadores financeiros da Internet disponibilizam? Peço que não me leve a mal, é realmente uma duvida que tenho desde que comecei a buscar esse tipo de conteúdo, acredito que você também teve esse questionamento no início.

    • Leandro Ávila 24 de março de 2017 at 22:50 - Reply

      Oi Tainara. Um princípio que tento seguir na minha vida, em todas as áreas, e que recomendo que as pessoas experimentem é conhecido como “principio da descrença”. Ele é tão importante no meu trabalho que desde a criação deste site fiz questão de deixa-lo escrito em todas as páginas no seu rodapé. Baixe a página até a barra escura onde está o seu rodapé, leia a última frase. Ela diz assim: “Princípio da descrença: Não acredite em nada, nem mesmo no que foi dito aqui. Estude outras fontes, pense e tenha suas próprias experiências e conclusões pessoais.” Aplique isso em todas as áreas da sua vida. Estude, pesquise, leia e principalmente pense, faça uso da sua inteligência para separar o que faz sentido do que não faz, para discernir entre o que é certo ou errado, justo ou injusto, bom ou mau, coerente e incoerente e depois tome uma decisão consciente, bem fundamentada, livre e se responsabilize por ela seguindo o outro princípio igualmente importante que é o da autorresponsabilidade.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo