Recuperação da economia

Se a economia brasileira fosse uma pessoa doente seria possível dizer se ela está se recuperando ou piorando através da observação de indicadores, números e gráficos.

Um desses indicadores é a variação do PIB (Produto Interno Bruto). Esse nome estranho nada mais é do que a soma do valor (R$) de todos os produtos e serviços finais produzidos por todas as indústrias, agronegócios e empresas de serviço do país.

Se o Brasil fosse um supermercado e tudo que foi produzido durante um ano estivesse nele, bastaria somar o preço de todos os produtos e serviços para saber o PIB do período. Depois, bastaria comparar com o período anterior e verificar se o PIB subiu ou caiu.

Um PIB que aumenta com o passar do tempo indica que a sociedade (empresários + trabalhadores) está produzindo mais riquezas. Por este motivo, o PIB serve como forma de medir a atividade econômica ou a geração de riquezas do país.

Observe o gráfico:

Cada coluna acima indica quanto o PIB cresceu ou diminuiu (%) em relação ao trimestre anterior. As colunas amarelas indicam PIB negativo (menos riqueza produzida) e as colunas azuis indica PIB trimestral positivo (economia crescendo).

As duas últimas colunas azuis do gráfico acima mostram o primeiro e o segundo trimestre de 2017.

Podemos observar que saímos de um período recessivo que durou oito trimestres, observe no gráfico abaixo. Essa recessão ficou registrada como a mais intensa da história (fonte).

 

O gráfico abaixo mostra o PIB trimestral dos últimos 10 anos. Cada coluna azul é quanto o PIB trimestral variou em relação ao trimestre anterior. A linha pontilha é um índice de confiança.

A linha pontilhada representa o ICEI ou “Índice de Confiança do Empresário Industrial” divulgado todos os meses nesse site aqui.

Agora em setembro esse índice atingiu seu maior valor desde 2013. Observado o gráfico acima é possível perceber que esse índice de confiança praticamente antecipa o que vai acontecer com a economia.

Os empresários sentem na pele, todos os dias, a situação da economia. Eles estão em contato direto com todos os agentes. Eles estão em contato com fornecedores, comerciantes, clientes, concorrentes, bancos e governo. Quando as coisas não estão bem os empresários são os primeiros a sentir.

Podemos observar na linha pontilhada do gráfico acima que em 2010 o índice de confiança começou a cair e a situação piorou muito a partir de 2012. Quando o empresário não está confiante ele simplesmente pisa no freio e isso desencadeia uma série de consequências.

Outros números indicam melhores condições para a economia como a queda dos juros. A taxa Selic já esteve na casa dos 14,25% e agora está em 8,25% (queda de 6 pontos). O gráfico abaixo mostra o PIB e a taxa Selic através da linha pontilhada.

Juro baixo pode parecer ruim para o pequeno investidor acostumado com os ganhos passivos da renda fixa, mas devemos observar que não adianta juro elevado com inflação elevada. Devemos sempre observar o juro real que é aquele que temos quando descontamos a inflação.

O juro menor desestimula a poupança e o investimento de renda fixa e, ao mesmo tempo, estimula o consumo e a renda variável.

Observe no gráfico abaixo a linha pontilhada que representando a taxa Selic (taxa básica de juros da economia) em comparação com o PIB trimestral.

 

Agora vamos observar a inflação no gráfico abaixo. Ela nunca esteve tão baixa desde a criação do regime de metas para a inflação. No gráfico abaixo, a linha representa a inflação e as colunas representam o PIB trimestral dos últimos 10 anos.

 

Observe logo abaixo a diferença entre taxa Selic (linha preta) e inflação (linha vermelha) para constatar que essa diferença (juro real) continua elevada.

Agora vamos observar o Ibovespa que é um índice que mede o desempenho das principais ações das empresas brasileiras listadas na bolsa de valores. Através das linhas pontilhadas podemos ver o “fundo do poço” em 2016 e o índice praticamente dobrando nos meses seguintes.

 

Todos esses gráficos do artigo foram gerados através de um site estrangeiro chamado tradingeconomics.com. Eles exibem números das principais economias do mundo e o acesso é livre.

Índice de incerteza política e econômica

Existe outro site estrangeiro chamado policyuncertainty.com, que descobri recentemente, que elabora um índice chamado “Índice de incerteza política e econômica”. Eles criaram uma metodologia simples para “rastrear” incertezas que podem afetar a confiança dos empresários e da sociedade.

Você já deve ter percebido que existe uma relação grande entre o sentimento de insegurança, incerteza ou desconfiança da sociedade diante de quem governa e trajetória da economia.

Imagine o Brasil como se ele fosse um grande barco a remo.

Políticos e instituições financeiras estão na popa do barco, controlando o leme, ditando a direção do país. São parceiros inseparáveis. Um não pode existir sem o outro. O primeiro vive da cobrança de impostos e o segundo vive da cobrança de juros e taxas.

No restante do barco encontramos os que pagam esse impostos, taxas e juros. Os empresários estão em pé por toda a extensão do barco. Eles investem no desenvolvimento de novos remos e expandem o barco criando novos postos de trabalho para os remadores. Eles contratam os remadores, pagam seus salários e direitos trabalhistas enquanto gritam: remem, remem e remem.

Quando os empresários começam a desconfiar que o barco está sendo direcionado para uma região perigosa, turbulenta, cheia de pedras e situações de risco, eles ficam receosos. Eles deixam de gritar “remem” com tanta empolgação.

Os remadores estão sentados trabalhando e não conseguem ver direito o que está por vir, mas sentem que alguma coisa está errada.

Diante da incerteza sobre o destino do barco, remadores e empresários começam se preparam para o pior e isso significa poupar energia e remar menos. O barco perde velocidade para enfrentar águas turbulentas e com isso também fica mais instável.

Confusões no meio do barco envolvendo políticos corruptos e seus amigos criam ainda mais desconfiança e instabilidade entre remadores e empresários.

Enquanto alguns políticos e empresários são presos o barco vai mudando de rumo e começa a retomar a velocidade. O problema é que a instabilidade política ainda não acabou no meio do barco.

O site http://www.policyuncertainty.com desenvolveu uma metodologia para medir a instabilidade política dos países. Observe o gráfico abaixo (fonte) que mostra as instabilidades desde 1991 até 2017.

O site mede a incerteza política e econômica monitorando as palavras-chave que aparecem em jornais e que estão relacionadas com a instabilidade. Eles partem do princípio de que as notícias refletem a insegurança. De certa forma ela também realimenta e espalha a insegurança.

É interessante observar no gráfico acima que realmente ocorre um aumento do índice durante crises como a de 2008, intervenções do governo no preço da gasolina, energia e juros dos bancos públicos em 2012, escândalo da Petrobras em 2014, protestos e impeachment em 2015 e 2016. O último momento crítico no gráfico foi o escândalo envolvendo a JBS e outras empresas.

Apesar dos números da economia serem positivos, indicando uma melhora, a instabilidade política e econômica continua crescente e forte.

O gráfico que mostra a instabilidade mundial também não é animador:

É claro que esse tipo de índice é apenas uma ferramenta curiosa. O número limitado de palavras e de fontes pode comprometer o resultado.

Devemos lembrar que em 2018 teremos eleições. Anos de eleições costumam ser tensos e cheios de incertezas. É difícil saber quem assumirá o leme do país, qual equipe econômica será montada, quais serão as decisões dessa equipe e se essas decisões irão tranquilizar empresários, investidores e trabalhadores ou se serão motivos para mais instabilidade e desconfiança.

Tudo indica que ainda teremos muita bagunça no meio do barco com gente grande sendo investigada e presa dentro de novos escândalos que fazem o barco balançar. Se isso tudo não bastasse, a situação fiscal do país continua sendo um problema que precisa ser resolvido.

Momentos de instabilidade geram riscos, mas também geram oportunidades no mundo dos investimentos.

Diante da maior crise da história, teoricamente, podemos ter a maior recuperação da história. O grande problema é saber quando isso vai acontecer.

O que podemos fazer enquanto isso é nos preparar, buscar mais conhecimento, desenvolver novas habilidades, fortalecer os braços, as pernas e a mente para remar da melhor forma possível.

 

By |19/10/2017|Categories: Notícias|98 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

98 Comments

  1. Ricardo 19 de outubro de 2017 at 9:52 - Reply

    Ótimo artigo Leandro.

    Poderia por gentileza recomendar um curso de Renda Variável ?

  2. Tibúrcio Barros 19 de outubro de 2017 at 10:18 - Reply

    Mais uma vez parabéns pelo site.
    Mas gostaria de fazer uma pergunta fora deste tópico: você viu o simulador comparativo de investimentos desenvolvido pelo Tesouro Direto? Fez alguma avaliação do mesmo?
    (https://simulador.tesourodireto.com.br/#/inicio)
    Abraços,

  3. Seifer 19 de outubro de 2017 at 10:37 - Reply

    Olá Leandro. Ótimo texto. Os gráficos deixa claro como o barco anda. Obrigado pelos esclarecimentos mais uma vez.

    Mas, acredito que tem um dado errado na parte do texto onde diz que a selic está em 9,25%, mas, está em 8,25% não ? =]

    “Outros números indicam melhores condições para a economia como a queda dos juros. A taxa Selic já esteve na casa dos 14,25% e agora está em 9,25% (queda de 6 pontos). … “

  4. Suraya 19 de outubro de 2017 at 11:14 - Reply

    Oi Leandro, só uma pequena correção: A Selix está em 8,25% .. erro de digitação!

  5. Jose Teles Andrade 19 de outubro de 2017 at 11:15 - Reply

    Acho que foi o melhor artigo que já escreveu. Muito bom e parabéns.

  6. Paulo 19 de outubro de 2017 at 11:30 - Reply

    Só posso dizer PARABÉNS !!! Excelente artigo

  7. Luiz Henrique P. Coelho 19 de outubro de 2017 at 11:53 - Reply

    Parabéns pelo artigo Leandro! Compartilho da mesma posição que tu compartilhas, ou seja, independentemente de qualquer coisa precisamos fazer nossa parte, e colocar a mão na massa! Parabéns pelo curso “RESISTÊNCIA”, continua muito bom e recomendo aos indecisos ou curiosos, que vale a pena pelas reflexões e o auto-descobrimento que propicia. Parabéns mais uma vez!

    Um forte abraço!

  8. Ualisson 19 de outubro de 2017 at 11:59 - Reply

    Parabéns Leandro,

    Você nos brinda com mais um excelente artigo que a meu ver é uma aula do comportamento da econômico em nosso país. Todo o texto e os indicadores são extremamente valiosos para quem acompanha a economia não só no Brasil, mas em geral no mundo todo. Ficou claro no seu texto que o comportamento dos políticos refletem diretamente no resultados que geram riqueza ou pobreza em nosso país, elevando assim a necessidade de conscientização do brasileiro de escolher corretamente os seus representantes. Será que um dia um dia a população vai abrir os olhos e enxergar isso? Eu particularmente rezo e torço por isso, onde sempre tento alertar as pessoas para que elas se eduquem mais a fim de não ser mais um leigo na multidão.

    • Leandro Ávila 19 de outubro de 2017 at 12:10 - Reply

      A política do “Panem et circenses” (Pão e circo) funciona muito bem desde o Império Romano. Tendo o que comer e muito entretenimento gratuito (futebol na tv, novelas, redes sociais, canais de humor no youtube, etc.) quem vai gastar tempo buscando conhecimento? Os loucos? Por isso somos poucos loucos.

  9. Filipe Medeiros Souza 19 de outubro de 2017 at 12:41 - Reply

    Olá Leandro.

    Que Artigo com conteúdo NOTA 10. Parabéns pelo texto informativo e comparativo.

    Obrigado por compartilhar seu trabalho conosco.

  10. Marcos 19 de outubro de 2017 at 12:46 - Reply

    Ultimamente tenho adotado a estratégia “boca de jacaré” (não se mexer muito, só esperando a oportunidade chegar) nos investimentos, avaliando essa crescente instabilidade política e econômica que estamos passando, que acredito irá se intensificar ano que vem com as eleições. Os títulos que estão vencendo ou novos aportes estão indo para investimentos com liquidez imediata (preferencialmente D+0). Penso que diante destas instabilidades, teremos muita volatilidade, e oportunidades boas surgirão em diversas modalidades de investimentos (tesouro direto, ações, fundos, etc).

    Parabéns pelas observações no artigo. Sucesso!!

    • Leandro Ávila 19 de outubro de 2017 at 12:57 - Reply

      Olhando o comportamento do mercado nos últimos anos eleitorais a probabilidade de muita volatilidade é grande.

  11. Thiago Vergeti 19 de outubro de 2017 at 13:13 - Reply

    Ótimo artigo Leandro! Parabéns!

  12. Jean 19 de outubro de 2017 at 13:36 - Reply

    Excelente artigo. sempre muito esclarecedor. Parabéns

  13. Sarah 19 de outubro de 2017 at 13:56 - Reply

    Excelente artigo, Leandro! O momento agora é de investir em conhecimento,capacitação e aprendizado para aumentar as chances de conseguir enxergar os melhores investimentos pós-crise.

    • Leandro Ávila 19 de outubro de 2017 at 14:58 - Reply

      Oi Sarah. O conhecimento é que permite enxergar as oportunidades e os riscos sem depender de ninguém fazendo recomendações.

  14. João Batista 19 de outubro de 2017 at 14:07 - Reply

    Discordo quando leio que selic alta e inflação afasta investidores da bolsa. Afasta somente os especuladores e aqueles sem estudo. O verdadeiro investidor de valor e B&H compra quando todos estão vendendo. Na próxima crise eu encho o balaio de novo na bolsa de valores!

    • Leandro Ávila 19 de outubro de 2017 at 14:57 - Reply

      Oi João, tanto faz o nome que damos a quem opera na bolsa. O fato é que o interesse diminui e com menos demanda os preços das ações caem para todos (investidores, especuladores, sardinhas ou qualquer nome bobo que as pessoas inventam). Se essa queda no preço será boa ou ruim vai depender da estratégia de cada um.

  15. Louis 19 de outubro de 2017 at 14:09 - Reply

    Olá Leandro,
    ao contrário do que alardeiam muitos “analistas” e “especialistas”, a renda fixa ainda está ótima, melhor do que há 1 ano atrás.
    Os juros reais ainda estão altos, visto que a inflação está baixíssima. E estamos pagando imposto de renda para um rendimento de aproximadamente 8,25%, ao invés de IR sobre rendimento de mais de 14% como ano passado.

    • Leandro Ávila 19 de outubro de 2017 at 14:44 - Reply

      É verdade Louis. Quando a taxa Selic estava 14,25% os ganhos eram elevados, mas o dinheiro também perdia seu poder de compra.

  16. Aécio Felix 19 de outubro de 2017 at 15:25 - Reply

    Parabéns Leandro, obrigado pelo compartilhamento do seu conhecimento.

  17. Felipe 19 de outubro de 2017 at 15:28 - Reply

    Ótima alegoria, essa do barco! Parabéns pelo artigo e pelo didatismo de sempre.

  18. Fabiano 19 de outubro de 2017 at 15:34 - Reply

    Mais um parabéns, Leandro. A cada artigo publicado, um novo conhecimento compartilhado.
    Sucesso.

  19. Stenio 19 de outubro de 2017 at 15:39 - Reply

    É isso aí Leandro!!!
    Vivendo, lendo e aprendendo.
    Muito obrigado!!!

  20. Clayton 19 de outubro de 2017 at 16:55 - Reply

    Leandro, parabéns pelo excelente artigo. Nunca tinha visto uma explicação tão clara e coerente sobre a economia de um país. Parabéns!!!
    Outro ponto muito interessante aqui no clube dos poupadores são os comentários dos leitores do blog. Já aprendi e compreendi muitas coisas apenas lendo os comentários que são postados.

    • Leandro Ávila 19 de outubro de 2017 at 17:13 - Reply

      Obrigado Clayton. A participação dos leitores torna o artigo mais rico.

  21. eric snel 19 de outubro de 2017 at 17:12 - Reply

    É bom esse Leandro Ávila!

  22. Alexandre 19 de outubro de 2017 at 19:00 - Reply

    Olá Leandro, excelente artigo, adorei comparação do Brasil com um grande barco a remo. Parabéns !!!

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2017 at 9:53 - Reply

      Oi Alexandre. Uma pena é que os políticos, empresários e trabalhadores não entenderam que estão todos no mesmo barco. Se afundar, todos serão jogados na água.

  23. Vânia Adamczuk Klein 19 de outubro de 2017 at 19:10 - Reply

    Leandro Boa noite

    Seus artigos são cada vez mais incríveis, sou imensamente grata por você compartilhar conosco seus conhecimentos!

    Muito interessante observar a taxa real, descontando a inflação, recentemente vivi a dúvida sobre um investimento e me basei muito nos conhecimentos adquiridos aqui, estou muito feliz pois segui a mesma linha de pensamento que dissertaste aqui!

    Quero crer que a tão esperada recuperação de nosso país virá, porém creio que ela não seja tão imediata … enquanto ela não vem seguimos aprendendo e remando.

    Abraços

  24. Lucas de Souza Jardini Machado 19 de outubro de 2017 at 19:49 - Reply

    Sensacional essa pequena aula de economia Leandro!

    Cada semana que passa, só fico esperando ansiosamente no e-mail seus posts. Sempre na expectativa de um ser melhor do que o outro.

    Parabéns mais uma vez pelo excelente trabalho. Indico seus posts e blog para várias pessoas e estou acompanhando algumas de perto. Já estou percebendo várias mudanças dessas em relação a educação financeira e interesse por investimento.

    O conteúdo dos seus textos já estão sendo absorvidos até para ajuda em trabalhos de faculdade. Graças a extrema qualidade que eles têm. Você já sabe disso, mas é sempre bom você saber mais ainda que seu trabalho é fenomenal.

    Parabéns mais uma vez!

  25. Arnaldo 19 de outubro de 2017 at 19:54 - Reply

    Leandro, muito obrigado por descrição tão precisa do momento econômico. A análise por meio dos gráficos aqui postados por você indica sem dúvida uma alteração de cenário. Mas…2018 tem muitas variáveis (com destaque para eleições) que podem manter o grau de incerteza e (des)confiança nas alturas. O alto grau de incerteza na atualidade é mais do que atestado pela resistência de queda do juro real. O Tesouro ainda tem que pagar um bom prêmio para captar recurso, em torno de 5%. Estou mantendo meu patrimônio no conservadorismo, ao contrário do que pregam os gestores por aí. Justamente porque o que mais me afeta é a incerteza: ela tem uma boa probabilidade de trazer muita volatilidade ainda, e de transformar esta reversão de cenário em vôo de galinha. Bem, isso é o que eu penso hoje. Não consigo coragem para ser mais arrojado. Poderia mensurar o quão errado ou certo eu estou? Grato.

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2017 at 9:51 - Reply

      Oi Arnaldo, sempre existe o risco de ser um voo de galinha, pois o que desencadeou todos os problemas que estamos enfrentando são exatamente esses mesmos políticos (de todos os partidos) que estão no poder e seus amigos, parceiros, patrocinadores e colaboradores. A coisa só não ficou pior por que a primeira leva de políticos que fizeram a lambança saíram, estão sendo investigados, presos, etc… e os que ficaram estão morrendo de medo de sair também e com isso reduziram a lambança. Isso mostra que se o governo pelo menos se esforçasse para não fazer nada, ou seja, não atrapalhar, as coisas seriam melhores.

      • Arnaldo 20 de outubro de 2017 at 10:12 - Reply

        Muito obrigado Leandro. Chegamos à mesma conclusão: Horizonte propício para investimentos mais arrojados, porém a estrada para chegar nesse horizonte está em péssimo e horroroso estado de conservação. E a empreiteira que conserva esta “estrada” é o stablishment político brasileiro… Corremos um grande risco de ver nosso carrinho cair num desses buracos e quebrar.

  26. VANDERLEI APARECIDO MAGRO 19 de outubro de 2017 at 21:10 - Reply

    Obrigado Leandro pelos artigos do site.”Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”.
    Leandro: O que você acha do Fundo de Investimento em Renda Fixa IMA-B a Longo Prazo e do Fundo de Investimento em Ações Small Caaps? Tenho um pouco de entendimento o que significa cada um, mas gostaria da sua opinião.Vejo em alguns Bancos que estão dando ótimos rendimentos.
    Esses 2 Fundos de Investimentos não dariam um artigo teu?

    Um abraço,
    Vanderlei

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2017 at 9:46 - Reply

      Oi Vanderlei. O problema é sempre esse. As pessoa que investirem nesses fundos e tiveram ótimos resultados não entraram quando eles estavam dando ótimos rendimentos. Provavelmente entraram quando o histórico não era bom. O caso do IMA-B é clássico. Se transforma em uma grande pegadinha. É um fundo baseados em indexados pelo IPCA, como títulos públicos Tesouro IPCA que tem uma taxa fixa + IPCA. Quando os juros estão elevados e ocorre um ciclo de queda dos juros o preço desses títulos sobe muito. Quando você calcula o rendimento acaba observando que ocorreu um ganho elevado. Só que isso aconteceu quando ocorreu esse processo de queda dos juros. Quando o processo de queda chega no fim você observa aqueles fundos com rentabilidades absurdamente elevadas e por não entender o que aconteceu acaba entrando no fundo quando os juros já chegaram no fundo do poço. Se os juros não continuarem caindo o desempenho desse fundo IMA-B não vai refletir o que ocorreu no passado e se os juros subirem ai o efeito será contrário.

  27. Sérgio de Jesus Sá 20 de outubro de 2017 at 5:26 - Reply

    Excelente este artigo Leandro, um dos melhores que você já escreveu. Parabéns!

  28. Monique 20 de outubro de 2017 at 7:33 - Reply

    Incrivel a sua didática. Obrigada. E parabéns pelo seu trabalho.

  29. Domingos 20 de outubro de 2017 at 7:46 - Reply

    Bom dia Leandro!
    Excelente ilustração imaginado o Brasil como se ele fosse um grande barco a remo.
    Sua arte de ensino diferencia você da maioria dos educadores, você sabe ensinar assuntos difíceis usando coisas simples do nosso dia a dia.
    É disso que o povo precisa para aprender como funciona e quem dirige o sistema em que vive.
    Que continue sempre com esse raciocínio logico!
    Obrigado

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2017 at 9:41 - Reply

      Oi Domingos. Venho estudando que as pessoas entendem melhor através de símbolos, parábolas, alegorias, comparações e analogias. Isso não é nada novo. Já era usado quando as pessoas aprendiam em volta das fogueiras e dentro das cavernas. O problema é que isso acaba sendo mais trabalhoso e muitos ensinam baseados na lei do menor esforço.

      • Almeida Newtoon 20 de outubro de 2017 at 10:39 - Reply

        Leandro, vc poderia citar algum material/livro/site que vc está usando para estudar isso? Creio que seria muito útil para muitos de nós que temos filhos ou temos que transmitir algo para outras pessoas, pois parece que o cérebro não entende o que o coração recusa escutar.
        E parabéns pelo trabalho, não tenho comentado muito mas estou acompanhando todos os artigos.

        Abs.
        Almeida Newtn

        • Leandro Ávila 23 de outubro de 2017 at 10:28 - Reply

          Oi Almeira. Não conheço um livro específico sobre isso. Gosto de filosofia e sempre observo nos meus estudos a importância que os antigos davam para os simbolismos. As pessoas aprendem melhor quando você transporta os ensinamentos para histórias, símbolos, analogias, comparações, etc. Observe a literatura infantil. Existem grandes lições em histórias infantis com ideias complexas e profundas que grandes filósofos passaram a vida debatendo. Procure no Youtube pela “formiga e a cigarra” e você terá uma lição importante relacionada com a educação financeira.

          • Marcus 23 de outubro de 2017 at 21:28

            Leandro procure sobre psicologia da educação e você aprenderá sobre técnicas de ensino. E umas delas é justamente fazer analogias, pois conhecer uma coisa nova a partir de um conhecimento que já temos fica muito mais fácil.

          • Leandro Ávila 24 de outubro de 2017 at 13:43

            Com certeza.

  30. norberto 20 de outubro de 2017 at 9:13 - Reply

    Finalmente os indicadores informa uma noticia boa, ninguém aguentava mais.

    • Leandro Ávila 20 de outubro de 2017 at 9:36 - Reply

      Oi Norberto. Os indicadores são tão importantes que é comum os governos tentarem tomar decisões com o objetivo de impactar esses números, sem preocupação com as consequências futuras. Isso acaba sendo desastroso.

  31. Pedro 20 de outubro de 2017 at 10:50 - Reply

    Com o rombo nas contas do Governo cada vez maior e o repasse inevitável desse rombo para a população esse crescimento ta com cara de voo de galinha. Eu não me iludo mais.

  32. Heriberto Nascimento POA/RS 20 de outubro de 2017 at 22:11 - Reply

    Olá Leandro! Estou tentando me posicionar além da poupança e o canal está me ajudando mas agora ficou tudo confuso de novo…., mas vamos em frente se educando prá não ficar mais no prejuízo. creio que meu novo investimento seja nos teus livros, parabéns pelo texto, muito boa didática para leigos assim como eu. muito bom também o conteúdo dos comentários.

    • Leandro Ávila 23 de outubro de 2017 at 10:21 - Reply

      A melhor forma de reduzir essa confusão é através da educação. É o que sempre estou fazendo.

  33. Heriberto Nascimento POA/RS 20 de outubro de 2017 at 22:19 - Reply

    Olá leandro aproveitando o ensejo, gostaria de sugerir que tu comentasses sobre as cooperativas de crédito e suas aplicações, são iguais as dos bancos. Abri uma conta em uma delas, vou sair de um banco lá pelo menos tenho participação nos lucros a longo prazo e um certo poder de voto e reinvestimento na comunidade. mas o propósito é oferecer crédito isso já não me agrada, mas como sou pessoa física posso ser só investidor.
    Grato.

    • Leandro Ávila 23 de outubro de 2017 at 10:20 - Reply

      Oi Heriberto. Não tenho muita experiência com cooperativas, mas sempre tenho dúvida sobre iniciativas humanas envolvendo dinheiro que tem como objetivo o benefício de todos. Quando estou dentro de um grande banco eu pelo menos tenho a certeza que o objetivo número 1 do banqueiro é ganhar dinheiro nas minhas costas e diante dessa sinceridade explicita eu me defendo e não permito que ele influencie minhas decisões.

  34. Joel 21 de outubro de 2017 at 2:46 - Reply

    Olá Leandro bom dia, oque eu mais acho bárbaro em seus artigos é o convite a reflexão, através de exemplos, histórias, fotos, videos, comparações e análises. Se de todo esse trabalho árduo que você realiza apenas uma pessoa for transformada através da mudança de mentalidade e comportamento a gratidão que ela terá será tão grande que compensará todo seu esforço. Parabéns e obrigado pelos artigos de valor! Só com a informação independente como a sua, racional e sensata é que podemos nos preparar e se defender da influência que nos leva a fazer parte de uma sociedade doentia, escrava e teleguiada.

    • Leandro Ávila 23 de outubro de 2017 at 10:16 - Reply

      Oi Joel. Já imaginou se essa única pessoa resolve mudar o Brasil? Já pensou se essa única pessoa resolve mudar mundo? Sempre aparece um louco que só precisa de um pouco de motivação para mudar o mundo para melhor.

  35. willians 21 de outubro de 2017 at 9:02 - Reply

    Como sempre nós surpreendendo , parabéns pelo artigo , agora com o colapsos das instituições podemos ter domínio dos militares no comando para 2018?

    • Leandro Ávila 23 de outubro de 2017 at 10:15 - Reply

      Quando os militares estavam no poder muita lambança econômica foi feita. Quando os que lutaram contra os militares estavam no poder muita lambança econômica foi feita. Precisamos de pessoas que entendem de dinheiro. Os militares entendem de dinheiro? As pessoas que ganharam as últimas eleições e que governaram o país entendem de dinheiro? A sociedade que temos só funciona se o dinheiro for respeitado e bem gerido. Escolas e hospitais não nascem do pó. Segurança pública não nasce do pó. Precisamos de bons administradores. O Brasil precisa de gente profissional no comando e não amadores que não entendem nada sobre gestão, liderança e dinheiro. Você colocaria um leigo para pilotar um avião cheio de pessoas? Por qual motivo colocam leigos para pilotar um país? Não entendo.

      • Beatriz Jacques Gonçalves 7 de novembro de 2017 at 18:21 - Reply

        Perfeito!

  36. Sergio 21 de outubro de 2017 at 11:18 - Reply

    Olá Leandro. Com a época das eleições se aproximando, temos visto coisas absurdas com alguns pregando volta dos militares, outros achando que a solução de todos os problemas está no nióbio, outros achando que nenhum político presta e é preciso acabar com todos eles, etc. Se formos nos basear apenas pelo que é publicado em redes sociais e na imprensa que, geralmente, estão muito longe de serem isentas, vamos nos sentir falsamente bem informados.
    Artigos como este, publicados por você, nos dão uma visão mais clara e verdadeira da situação do país. E, como você disse acima, quem busca conhecimento acaba sendo taxado de louco. Precisamos de mais loucos neste país.

    • Leandro Ávila 23 de outubro de 2017 at 10:07 - Reply

      Oi Sergio. Temos os políticos que nossa ignorância permite ter.

  37. Irlan 22 de outubro de 2017 at 16:00 - Reply

    Parabéns, Leandro pela analogia Barco afundando x Governo. Com relação à Ética, a bem da verdade, neste barco não há como confiar em alguém, ninguém ali é confiável. E, se houver alguma credibilidade, será momentânea e em proveito próprio. Com respeito aos investimentos e finanças dos menos agraciados financeiramente, apenas nos resta controlar contundentemente as despesas, comprando o que é estritamente necessário e economizar, pois não é necessário nenhuma bola de cristal para prever que esse barco vai virar a qualquer momento.

    • Leandro Ávila 23 de outubro de 2017 at 10:02 - Reply

      Oi Irlan. É importante que cada um construa seu próprio salva-vidas e alerte amigos e parentes sobre a importância da educação financeira.

  38. Andre 23 de outubro de 2017 at 19:41 - Reply

    Leandro poderia esclarecer uma dúvida.
    Pretendo investir em LC. Pode acontecer de no vencimento a instituição não cumprir o pactuador sob alegação de dificuldade financeira sem que tal fato caracterize de imediato a quebra formal e consequente socorro do fgc. Afinal na vida privada, por analogia, , uma empresa antes de quebrar formalmente costuma descumprir varias de suas obrigações para só depois de algum tempo requererem as medidas legais. Ou no caso de uma instituição financeira um único inadimplemento já acarreta a intervenção imediata do banco central. Obrigado

    • Leandro Ávila 24 de outubro de 2017 at 13:48 - Reply

      Oi Andre. Os bancos e financeiras não podem “dar calote” em determinados clientes ou em determinados papéis sem que isso resulte em um problema generalizado que afeta todos. O Banco Central analisa a situação das instituições financeiras constantemente e a intervenção costuma acontecer com antecedência. Tirando o caso em que os donos da instituição cometem crimes de um dia para a noite, a saúde financeira da instituição costuma se deteriorar lentamente.

  39. André Moreira 24 de outubro de 2017 at 11:22 - Reply

    Parabéns Leandro pelo post, Linguagem fácil e simples de entender

    Tenho 35 anos e estou querendo investir em ações, será mais interessante para minha idade investir em ações em longo prazo(Dividendos) já pensando na aposentadoria, ou ações de crescimento para que este dinheiro possa crescer mais rápido?

    • Leandro Ávila 24 de outubro de 2017 at 13:42 - Reply

      Não existe uma resposta certa. Entre uma opção e outra você ainda tem a possibilidade de usar as duas estratégias ao mesmo tempo.

  40. Marcelo Williams 24 de outubro de 2017 at 13:31 - Reply

    Excelente artigo Leandro!

    Sobre a questão das eleições pretendo votar no candidato que não tenha participado desta ladroagem generalizada. Que não tenha sido citado nas delacoes e que não esteja sendo indiciado. Esse será meu primeiro filtro. Fico perplexo quando vejo em horário nobre um partido político enaltecendo um cara que até condenado pela justiça já foi.

  41. Leonardo 25 de outubro de 2017 at 10:15 - Reply

    Muito bacana o site de Trading Economics!

    Obrigado pela indicação, favoritado para futuras análises.

  42. keila 25 de outubro de 2017 at 10:22 - Reply

    a calculadora do site nao está funcionando?

  43. ROBERTO 25 de outubro de 2017 at 14:52 - Reply

    Olá!! EXCELENTE, OBRIGADO!! Sugiro colocar a data em que o artigo foi escrito ao lado do título. Obrigado!! Abs!

  44. Alex Araujo de Olveira 25 de outubro de 2017 at 15:50 - Reply

    Sensacional artigo. Leandro, somente seus facilitam muito a compreensão e interpretação desses dados tão complexos da economia.

    É claro que não há um salvador da pátria para presidente em 2018, mas esperamos que novas opções apareçam com no mínimo vontade de mudança e de começar a sair desse mar de corrupção no qual se encontra o país. Esperamos também que o povo tenha a máxima consciência possível que o voto de cada um pode contribuir tanto para a melhora econômica do país quanto pra uma elevada piora.

    • Leandro Ávila 8 de novembro de 2017 at 17:32 - Reply

      Obrigado Alex. Vamos aguardar os próximos capítulos.

  45. Garyo 25 de outubro de 2017 at 19:55 - Reply

    Boa noite Leandro, mais uma vez obrigado pelo riquíssimo artigo.
    Eu acredito que o problema do Brasil somos nós, brasileiros. Acredito que os políticos são apenas uma pequena amostra do povo, exatamente do jeito que o povo é, que tem a corrupção, o roubo, a malandragem, a “esperteza”, a lei de Gerson como regra de vida impregnando nossa cultura.
    A única diferença, a meu ver, é na oportunidade do roubo. Uns roubam furando uma fila, um troco de padaria e outros roubam milhões ou bilhões. Depende das oportunidades.
    A causa maior é a ignorância e a solução é investirmos pesado na educação. Sem ela não há qualquer perspectiva de mudança para melhor.

    • Leandro Ávila 8 de novembro de 2017 at 17:31 - Reply

      Oi Garyo. Concordo com você. Os políticos que temos, infelizmente, são uma amostra da cultura que temos, da educação que as crianças brasileiras recebem em casa dos seus familiares ou da ausência dessa educação.

  46. Beatriz Jacques Gonçalves 7 de novembro de 2017 at 18:17 - Reply

    Olá! Adorei o artigo, parabéns! Tenho uma enorme dúvida: Estou começando a investir um valor mensal agora, então a orientação é formar um fundo de emergência, entretanto, vejo que agora se apresenta uma ótima oportunidade na renda variável, pois como você coloca no texto, apesar das incertezas políticas, a previsão para a economia é muito positiva para os próximos anos (como um novo ciclo) Como casar estes dois caminhos, de juntar para reserva em renda fixa, sem grandes riscos e ao mesmo tempo não deixar passar esta grande oportunidade na renda variável??? Ainda mais dispondo de poucos ativos! Obrigada.

    • Leandro Ávila 8 de novembro de 2017 at 17:27 - Reply

      Oi Beatriz. Para investir na renda variável é fundamental que você tenha uma reserva para suas emergências. Isso também protege o seu investimento em renda variável. Imagine o que aconteceria se diante de um imprevisto você fosse obrigada a vender suas ações em um momento desfavorável.

Leave A Comment

Share this

Compartilhe com um amigo